PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DAS RELIGIÕES (PPGCR)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
32168321
http://www.ufpb.br/pos/ppgcr

Notícias


Banca de DEFESA: REGINA COELI ARAUJO NEGREIROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: REGINA COELI ARAUJO NEGREIROS
DATA: 21/06/2018
HORA: 14:00
LOCAL: sala de reuniões - centro de educação
TÍTULO: Maracatu à paraibana: Uma análise das reinvenções e conexões político-sociais-religiosas a partir do Pé de Elefante
PALAVRAS-CHAVES: Maracatu; Batuques; Religiões Afro-Brasileiras; Paraíba.
PÁGINAS: 205
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Teologia
RESUMO: Este trabalho tem como objetivo geral analisar o Maracatu Pe de Elefante, tido e havido como unico maracatu nacao da Paraiba na atualidade, e entender qual a sua relacao com o terreiro Ile Axe Xango Ogodo e Tenda do Caboclo Sete Flechas, problematizando e analisando a questao das proprias categorias dos maracatus de baque virado, i.e., “maracatus nacao” e “batuques ou maracatus laicos”, e a linha que separa essas categorias, dadas as controversias que geram no contexto das religioes afro-brasileiras, alem de observar as conexoes politico-sociais-religiosas do Pe de Elefante e sua constante reinvencao e ressignificacao no conjunto dos maracatus na Paraiba. Enquanto objetivos especificos, buscamos considerar, num primeiro momento, as origens do Maracatu enquanto manifestacao religiosa advinda dos terreiros a partir da diaspora africana e sua propagacao como manifestacao cultural e como linguagem musical que transborda para fora dos terreiros. Posteriormente, tomamos como objeto de analise o Maracatu Pe de Elefante, que em 2018 completou dez anos de existencia e que esta situado no campo dos maracatus de baque virado e assentado no terreiro Ile Axe Xango Ogodo e Tenda do Caboclo Sete Flechas. Para tanto, fez-se necessario compreendermos a historia e o lugar do referido terreiro, bem como a trajetoria de sua lideranca religiosa, Pai Beto de Xango. A partir desse percurso, analisamos, ao final, a reinvencao e a ressignificacao da tradicao a partir do Pe de Elefante, tracando um paralelo com os demais baques virados presentes no estado da Paraiba, na perspectiva de dimensionar a zona fronteirica entre estes no que tange a questao religiosa e as atividades comunitarias dentro de um contexto onde a hibridacao cultural ancora e redimensiona estruturas, praticas culturais e sociais. A perspectiva teorico-metodologica que orienta o trabalho e etnografica, compreendendo a etnografia nao apenas como um metodo de investigacao, mas tambem como uma perspectiva teorica. Dessa forma esta pesquisa se coloca, no ambito das Ciencias das Religioes, no campo dos “estudos empiricos da religiao”, particularmente em dialogo com a Antropologia das Religioes. Utilizamos assim tanto a literatura antropologica especializada, como recuperamos folcloristas que trataram acerca dos maracatus de forma pioneira. Ressaltamos ainda que a pesquisa se apresenta como uma forte contribuicao a area de Ciencias das Religioes, que ainda possui poucos estudos sobre essa tematica, bem como para o campo de estudos afro-brasileiros, no qual a dimensao da musicalidade ainda se mostra como um aspecto proficuo de investigacao. E tambem relevante do ponto de vista da historia regional, pois diferente de Pernambuco, estado vizinho onde os maracatus sao objeto de varios estudos, na Paraiba a tematica ainda nao foi devidamente explorada.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1774137 - DILAINE SOARES SAMPAIO
Externo ao Programa - 1971657 - MATHEUS DA CRUZ E ZICA
Externo à Instituição - ZULEICA DANTAS PEREIRA CAMPOS

Notícia cadastrada em: 04/06/2018 19:36