PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM (PPGENF)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Dissertações/Teses


Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPB

2020
Descrição
  • MARINA NASCIMENTO DE MORAES
  • SOBRECARGA EM MULHERES QUE CUIDAM DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM TRANSTORNOS MENTAIS
  • Orientador : MARIA DJAIR DIAS
  • Data: 16/12/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Analisar a sobrecarga objetiva e subjetiva vivenciada por mulheres cuidadoras de crianças e adolescentes com transtorno mental, bem como os fatores vinculados e as estratégias de enfrentamento que estas utilizam. Método: Estudo realizado em duas etapas, em um ambulatório de psiquiatria da infância e adolescência de uma capital do nordeste Brasileiro. A primeira parte tratou-se de um estudo transversal, descritivo, com abordagem quantitativa, desenvolvido com 164 cuidadoras, utilizando-se um questionário socioeconômico e a Escala de Sobrecarga dos Familiares de Pacientes Psiquiátricos. Na segunda parte, um estudo qualitativo, descritivo, exploratório, realizou-se entrevistas individuais, semiestruturadas, com 14 cuidadoras. Os dados da primeira etapa foram tabulados e analisados por software estatístico, utilizando-se da estatística descritiva e análise inferencial. As entrevistas foram transcritas e analisadas com o auxílio do software IRAMUTEQ. Resultados: Observou-se uma sobrecarga total média de 3,07, enquanto as médias das sobrecargas objetiva e subjetiva foram 3,23 e 2,45, respectivamente. Identificou-se sobrecarga objetiva elevada relacionada a assistência em atividades da vida cotidiana e sobrecarga subjetiva alta decorrente do convívio com comportamentos problemáticos. Verificou-se também correlação significativa entre a quantidade de pessoas que o cuidador fornece cuidados, idade do cuidador e do indivíduo cuidado tanto com a sobrecarga objetiva, quanto da subjetiva. Os depoimentos apontam para três principais fatores vinculados a sobrecarga: o não compartilhamento efetivo do cuidar, as diversas outras responsabilidades que estas mulheres possuem e a falta de conhecimento acerca do melhor manejo e da patologia que acomete as os menores. Quanto as estratégias de enfrentamento, a espiritualidade, a prática de atividades prazerosas e a busca por suporte social foram as mais presentes. Conclusão: Os dados desta pesquisa evidenciam que a sobrecarga está presente em níveis elevados no cotidiano dessas colaboradoras, estando relacionada a diferentes fatores e estratégias de enfrentamento. O reconhecimento dos fatores atrelados a sobrecarga permite identificar com maior clareza as necessidades destas cuidadoras, possibilitando assim que os serviços e o Estado se corresponsabilizem nesse cuidado, através da implantação de políticas e práticas que visem o bem-estar e as aspirações dessas mulheres.
  • DANIELE BELTRÃO LUCENA DE FRANÇA
  • VIGILÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO NA CADERNETA DE SAÚDE DA CRIANÇA
  • Orientador : ALTAMIRA PEREIRA DA SILVA REICHERT
  • Data: 24/09/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A vigilância do desenvolvimento infantil proporciona um cuidado continuado em cada etapa da vida e a caderneta de saúde da criança configura-se como instrumento ideal para esse acompanhamento, devido seu potencial para promover a longitudinalidade do cuidado. Objetivo: Investigar as ações de vigilância do desenvolvimento infantil registradas na Caderneta de Saúde da Criança. Percurso metodológico: Estudo descritivo, transversal, realizado com análise de 424 cadernetas de crianças menores de três anos, cadastradas nas Unidades de Saúde da Família do município de João Pessoa – PB, nos meses de maio a novembro de 2019. Os dados foram analisados através dos programas estatísticos R e PSPP, com análise descritiva e inferencial, considerando um erro amostral tolerável de 5%. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob o parecer número 3.156.449 e registrada pelo CAAE: 97362718.1.0000.5188. Resultados: Os itens que tiveram melhores registros foram idade (67,7%) e peso (70,3%) na folha de registro; data e hora de nascimento (67,5%) e peso (67,5%) ao nascer. Todavia, foram identificadas fragilidades no preenchimento dos itens de desenvolvimento (26,7%); intercorrências clínicas maternas (0,2%); sorologias no pré-natal e na maternidade (4,0% cada); teste do reflexo vermelho (10,4%) e curva do perímetro cefálico (9,7%). Nas regressões, a idade da criança, índice do desenvolvimento satisfatório, anos de estudo e renda foram associados aos desfechos - registro de crescimento e do desenvolvimento. A quantidade de filhos, trabalho no lar, escore da criança e da mulher e idade da criança apresentaram associação estatisticamente significativa. Conclusão: O uso da caderneta para a vigilância do desenvolvimento infantil está aquém do esperado, comprometendo a integralidade do cuidado à criança e possibilidade de identificação precoce de agravos ao desenvolvimento.
  • CARLA BRAZ EVANGELISTA
  • ESPIRITUALIDADE E A ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES EM CUIDADOS PALIATIVOS: ESTUDO FUNDAMENTADO NA TEORIA DE JEAN WATSON
  • Orientador : MARIA EMILIA LIMEIRA LOPES
  • Data: 15/09/2020
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • O atendimento da dimensão espiritual é um recurso de grande relevância para a assistência aos pacientes com doenças ameaçadoras da vida. Neste contexto, a Teoria do Cuidado Humano, pode ser utilizada para respaldar o atendimento da dimensão espiritual em pacientes que se encontram em cuidados paliativos. A presente tese foi constituída de 4 artigos. O primeiro trata-se de uma pesquisa do tipo reflexivo, e teve o objetivo de analisar a Teoria do Cuidado Humano de Jean Watson, segundo o modelo de descrição elaborado por Chinn e Kramer. O segundo teve o objetivo de adaptar o instrumento Care Factor Survey – Care Provider Version, na versão reduzida. Por sua vez, o terceiro e o quarto artigos tiveram os seguintes objetivos, respectivamente: investigar a percepção de pacientes em cuidados paliativos sobre o cuidado de enfermagem com destaque para a dimensão espiritual, à luz da teoria do cuidado humano; avaliar a atuação de enfermeiros na assistência a pacientes em cuidados paliativos, com destaque para dimensão espiritual, à luz da teoria do cuidado humano. O segundo artigo, metodológico, envolveu a tradução, a tradução reversa, a consolidação da versão preliminar do instrumento por um comitê composto por cinco membros, a validação de conteúdo por 5 juízes, mediante os cálculos de Coeficiente de Validade de conteúdo e do Kappa de Fleiss, e um teste piloto com 10 profissionais de enfermagem do instrumento Caring Factor Survey – Care Provider Version, em sua versão reduzida. O terceiro artigo, qualitativo, foi realizado em um hospital, localizado no munícipio de João Pessoa, com 19 pacientes em cuidados paliativo, a partir de uma entrevista semiestruturada. Para análise de dados, utilizou-se a técnica de análise de conteúdo, com apoio do software Iramuteq. O quarto artigo, qualitativo, foi realizado com 10 enfermeiros que atendem pacientes em cuidados paliativos em um hospital localizado em João Pessoa, a partir de uma entrevista semiestruturada e o material empírico foi analisado mediante a análise temática de conteúdo. A pesquisa somente início após aprovação do Comitê de Ética do Hospital Universitário Lauro Wanderley, sob CAAE de n° 99964918.0.0000.5183. O instrumento apresentou Coeficiente de Validade Total satisfatório e o kappa total foi quase perfeito. A pesquisa realizada com pacientes evidenciou os elementos do Cuidado Humano nas práticas de enfermagem, aspectos relacionados às crenças e práticas religiosas e espirituais; e a relação de ensino e aprendizagem entre o enfermeiro e o paciente em cuidados paliativos. A pesquisa realizada com enfermeiros evidenciou que a dimensão espiritual do cuidado é contemplada por diversas práticas religiosas e espirituais. Além disso essas práticas são respeitadas e incentivadas. Entretanto, existem dificuldades para realizar o atendimento da dimensão espiritual. Conclui-se que o instrumento Caring Factor Survey – Care Provider Version poderá ser utilizado para analisar o cuidado prestado pelos profissionais de enfermagem aos pacientes em cuidados paliativos. Ainda foi possível verificar que os enfermeiros realizam um cuidado humano, a partir de diversos elementos do Processo Caritas e utilizam algumas práticas religiosas/espirituais para realizar esse cuidado.
  • JEFERSON BARBOSA SILVA
  • Yoga como intervenção de cuidado em saúde mental: ensaio clínico randomizado com mulheres privadas de liberdade
  • Orientador : MARIA DJAIR DIAS
  • Data: 25/08/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: identificar a prevalência de sofrimento psíquico e dos sintomas de depressão, ansiedade e estresse em mulheres privadas de liberdade e avaliar o efeito de uma intervenção com Yoga nos níveis de sofrimento psíquico, ansiedade, estresse e depressão de mulheres privadas de liberdade. Método: Estudo realizado na maior e mais populosa instituição de privação de liberdade de um estado do Nordeste do Brasil. A primeira parte da pesquisa tratou-se de um estudo de desenho transversal desenvolvido com 226 mulheres. Na segunda parte, conduziu-se um ensaio clínico randomizado realizado com 98 mulheres, sendo 49 alocadas no Grupo intervenção (GI) e 49 no Grupo Controle (GC) por meio de randomização estratificada proporcional. Foram utilizados um questionário sociodemográfico, jurídico e clínico, o Self-Reporting Questionnaire e Depression, Anxiety and Stress Scale. No ensaio clínico, após a coleta de dados inicial (T1), o GI recebeu uma intervenção de 13 semanas com um programa de práticas do Yoga. Ao final deste momento os dados foram novamente coletados (T2) possibilitando uma comparação entre os resultados e visualização dos efeitos da prática. A análise se deu por meio de estatística descritiva (frequência absoluta e relativa), o teste t de Student pareado, a Análise da Variância e a regressão logística múltipla. Resultados: Observou-se uma prevalência de sintomas positivo para sofrimento psíquico, depressão, ansiedade e estresse, os valores mostraram porcentagens de acometimento de 68,1%, 63,2% 61,1% e 62,4%, respectivamente. A análise de regressão evidenciou ainda que as mulheres privadas de liberdade que tinham medida positiva para sofrimento psíquico possuem uma probabilidade 3,59 maior de apresentar comportamento de auto agressão e 8,63 maior de tentar de suicídio. Nas mulheres do grupo intervenção, observou-se uma redução significativa dos valores médios nos sintomas de depressão, ansiedade, estresse e sofrimento psíquico em comparação ao grupo controle ao final do experimento. Conclusão: níveis alarmantes de problemas mentais foram encontrados nas mulheres estudadas, sendo a prática do yoga uma possibilidade de cuidado para essa população, uma vez que esta mostrou-se ser efetiva na redução sintomatologia do sofrimento psíquico, depressão ansiedade e estresse em mulheres privadas de liberdade no contexto brasileiro.
  • RENATA DANTAS JALES
  • A auriculoterapia no controle da ansiedade e do estresse
  • Data: 13/08/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O estudo discorre sobre o efeito da auriculoterapia nos escores de ansiedade estresse dos professores de ensino fundamental e do Educação de Jovens e Adulto, investigando também os fatores contribuintes para o desencadeamento ou elevação e redução desses níveis. Dessa forma, infere-se certa influência da pós-modernidade no processo de ensino e na saúde mental dos professores, sendo a ansiedade uma consequência. Acredita-se que ao aplicar o instrumento de avaliação da ansiedade e do estresse de forma previa, será visualizado altos escores dos mesmos, contudo, ao aplica-los pela segunda vez, após 4 sessões de auriculoterapia, esses escores estarão reduzidos. Este trabalho tem como objetivo analisar o efeito da auriculoterapia nos escores de ansiedade e estresse, quantificados através da aplicação da escala de avaliação da ansiedade de Hamilton e da escala de estresse percebido, nos professores do ensino fundamental I e II e do Educação de Jovens e Adulto da Escola Municipal de Ensino Fundamental Antônio Santos Coelho Neto. Trata-se de um estudo longitudinal, prospectivo com abordagem quanti-qualitativa, no qual a parte quantitativa se dará através de um estudo de intervenção do tipo before and after. A pesquisa contou com a participação de toda a população de professores do Educação de Jovens e Adulto e do ensino fundamental I e II da Escola Municipal de Ensino Fundamental Antônio Santos Coelho Neto, situada no bairro Penha em João Pessoa, capital da Paraíba. Os participantes responderam dois questionários semiestruturados, a escala de avaliação da ansiedade de Hamilton e a escala de estresse percebido. Os resultados que atendem a metodologia qualitativa serão analisados por meio da técnica de análise de conteúdo de Bardin, as respostas da escala de avaliação da ansiedade de Hamilton e do estresse percebido serão tabuladas em planilha eletrônica e transferidos para o programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences. Em seguida, serão discutidos com base nos aportes teóricos e dos estudos empíricos pertinentes.
  • KALINA COELI COSTA DE OLIVEIRA DIAS
  • Cuidados Paliativos em Oncologia: assistência de enfermagem a crianças e familiares à luz da Teoria Final de Vida Pacífico
  • Data: 07/08/2020
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Na oncologia pediátrica, os cuidados paliativos visam proporcionar assistência integral e humanizada para melhorar a qualidade de vida de crianças e oferecer suporte à família no enfrentamento da doença até o processo de luto, sendo de suma importância a participação do enfermeiro como membro da equipe. Esta tese foi elaborada na modalidade de artigo e contemplou três estudos. No artigo de revisão intitulado Dissertações e teses sobre cuidados paliativos em Oncologia Pediátrica: estudo bibliométrico, o objetivo foi caracterizar indicadores bibliométricos de estudos oriundos de dissertações e de teses sobre cuidados paliativos em oncologia pediátrica defendidas em Programas de Pós-Graduação no cenário brasileiro. Identificou-se número reduzido de estudos oriundos de dissertações e de teses sobre cuidados paliativos em oncologia pediátrica defendidas em Programas de Pós-Graduação no cenário brasileiro. Os artigos originais tiveram como objetivos: analisar a atuação de enfermeiros na assistência à criança com câncer em cuidados paliativos na terminalidade, à luz da Teoria do Final de Vida Pacífico e analisar a atuação de enfermeiros no que concerne à promoção de assistência direcionada ao cuidador familiar de crianças com câncer em cuidados paliativos na fase final de vida, com base na Teoria do Final de Vida Pacífico. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de campo de natureza qualitativa, norteada pela Teoria do Final de Vida Pacífico. O estudo foi realizado num hospital filantrópico de referência em Oncologia, na cidade de João Pessoa – PB, Brasil. Participaram da pesquisa 15 enfermeiros. A coleta de dados ocorreu no período de outubro a dezembro de 2019, sendo utilizada a técnica de entrevista. O projeto de pesquisa foi aprovado por um Comitê de Ética em Pesquisa com parecer n° 3.303.655. Para a análise dos dados, utilizou-se técnica de análise de conteúdo e os pressupostos da Teoria Final de Vida Pacífico. Resultados: Da análise qualitativa, elaboraram-se dois manuscritos: Assistência de enfermagem a criança com câncer em cuidados paliativos para um final de vida pacífico; Assistência de Enfermagem à família de crianças com câncer em cuidados paliativos na fase terminal. O primeiro estudo destacou a comunicação voltada ao conforto, ao alívio da dor, à promoção de paz e à valorização da dignidade, à autonomia e à aproximação com entes queridos para um final de vida pacífico. O segundo evidenciou a valorização da presença da família para promoção de paz, a importância da espiritualidade e da assistência de enfermagem à família de crianças com câncer em cuidados paliativos diante do luto antecipatório. Os resultados do estudo revelaram, por meio dos relatos dos enfermeiros, que a assistência de enfermagem, proporcionada à criança com câncer em cuidados paliativos na terminalidade, contempla os conceitos da Teoria Final de Vida Pacífico. Conclusão: Este estudo permitiu analisar a atuação de enfermeiros, no tocante à assistência de enfermagem prestada à criança com câncer em cuidados paliativos na terminalidade e a familiares à luz da Teoria Final de Vida. Os resultados ressaltam a relevância desta teoria para respaldar a prática assistencial do enfermeiro ao cuidar de crianças com câncer em cuidados paliativos na finitude e de seus familiares.
  • MONICA FERREIRA DE VASCONCELOS
  • ESPIRITUALIDADE DE PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS EM CUIDADOS PALIATIVOS: estudo à luz da Teoria de Jean Watson
  • Data: 29/07/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução. As necessidades espirituais motivam as pessoas a buscarem um sentido para a vida e ajudam-nas a transcender as dificuldades e o sofrimento A espiritualidade é de suma importância na assistência de enfermagem às pessoas vivendo com HIV/Aids sob Cuidados Paliativos. Esta tese foi constituída por três estudos em modalidade de artigo. Um artigo de revisão que teve como objetivo, investigar a produção cientifica sobre o uso de instrumentos de avaliação da espiritualidade, no contexto do cenário mundial. O trabalho identificou que maioria das escalas utilizadas é de fácil aplicação e se encontram validadas para a língua portuguesa e que além de avaliarem a espiritualidade, também mensuram a qualidade de vida. Os artigos originais tiveram como objetivos: avaliar a espiritualidade de pessoas vivendo com HIV/Aids, fundamentada na Escala de Avaliação da Espiritualidade em Contextos de Saúde; Analisar a compreensão de pessoas vivendo com HIV/Aids em cuidados paliativos acerca da espiritualidade, à luz da teoria de Jean Watson. Métodologia. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem quanti-qualitativa, realizado em três hospitais da cidade de João Pessoa. A coleta de dados ocorreu no período de dezembro de 2018 a abril de 2019. Para coleta de dados foi utilizado um instrumento contendo questões acerca da caracterização dos participantes, a Escala de Espiritualidade de Pinto e Pais-Ribeiro, aplicado em uma amostra de 152 pessoas, um roteiro de entrevista semiestruturada aplicado em uma amostra de 18 pessoas e só foi iniciada após aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa, com o parecer número 3.056.996. Resultados. A partir da coleta de dados surgiram os estudos: (1) Espiritualidade de pacientes em cuidados paliativos: estudo com pessoas vivendo com HIV/Aids. (2) Espiritualidade: estudo com pessoas vivendo com HIV/Aids em cuidados paliativos à luz da Teoria de Watson. O primeiro estudo demostrou que houve diferenças estatísticas no domínio “crença”, destacando-se as práticas católicas e evangélicas entre as religiões no exercício da espiritualidade de pessoas vivendo com HIV/Aids, para o enfrentamento da sua condição de saúde. No segundo manuscrito, a análise dos discursos dos participantes revelouque a maioria das pessoas vivendo com HIV/Aids utilizam a espiritualidade como forma de superação e de enfrentamento das dificuldades que advém com o diagnóstico. Reflexões finais: Evidencia-se assim a relevância da espiritualidade para o planejamento das ações assistenciais com um olhar mais integral, demonstrando a importância que essa dimensão humana representa sobretudo, quando se vivencia um evento relacionado à saúde. Torna-se imprescindível que o profissional conheça as práticas, crenças e costumes dos pacientes para melhor assisti-los.
  • CRISTIANI GARRIDO DE ANDRADE
  • CUIDADOS PALIATIVOS E COMUNICAÇÃO: ESTUDO COM FAMILIARES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM À LUZ DA TEORIA DO FINAL DE VIDA PACÍFICO
  • Orientador : SOLANGE FATIMA GERALDO DA COSTA
  • Data: 28/07/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: os cuidados paliativos consistem em uma assistência holística e integral a pacientes cuja doença é progressiva e incurável, bem como aos seus familiares, para lhes proporcionar sobrevida com a melhor qualidade possível utilizando diversas modalidades de cuidar, dentre elas, a comunicação. Esta tese foi composta de três estudos na modalidade de artigos. O primeiro traz uma revisão de escopo que objetivou caracterizar as publicações acerca dos cuidados paliativos e comunicação, com ênfase nos enfoques abordados, disseminadas em periódicos online. Tal estudo possibilitou mapear um quantitativo expressivo de publicações sobre os cuidados paliativos e comunicação. Os artigos originais apresentaram os seguintes objetivos: analisar estratégias de comunicação utilizadas por técnicos de enfermagem ao cuidar de pacientes sob cuidados paliativos embasadas na Teoria do Final de Vida Pacífico; identificar as estratégias de comunicação utilizadas por técnicos de enfermagem para proporcionar um final de vida pacífico a pacientes sob cuidados paliativos; averiguar a importância da comunicação como estratégia adotada pelos profissionais de Enfermagem ao cuidar de pacientes sob cuidados paliativos na fase final de vida e seus familiares; e verificar a contribuição da presença e do diálogo de pessoas importantes para o paciente e familiares em cuidados paliativos. Metodologia: trata-se de uma pesquisa de campo de natureza qualitativa, cujo cenário de investigação foram as unidades de internação de um hospital de caráter filantrópico, localizado no município de João Pessoa – PB, Brasil. Participaram do estudo quinze técnicos de Enfermagem e quinze familiares de pacientes com diagnóstico de doença avançada na fase final de vida. Os dados foram coletados no período de fevereiro a maio de 2019, por meio da técnica de entrevista semiestruturada, utilizando-se um formulário com questões pertinentes aos objetivos propostos. A coleta só foi iniciada depois que o projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, conforme o CAAE 04101418.1.0000.5178. Os dados obtidos foram categorizados por meio da técnica de análise de conteúdo e analisados qualitativamente à luz da Teoria do Final de Vida Pacífico. Resultados: a partir dos dados coletados, emergiram dois estudos: (1) Cuidados paliativos: estratégias de comunicação adotadas por técnicos de Enfermagem para pacientes na fase final de vida; e (2) Cuidados paliativos e comunicação: estudo com familiares à luz da Teoria do Final de Vida Pacífico. O primeiro estudo destacou a importância da comunicação como estratégia para promover paz, tranquilidade, respeito/dignidade e controle da dor de pacientes em cuidados paliativos na terminalidade, com vistas a um final de vida pacífico. No segundo manuscrito, os depoimentos dos participantes evidenciam que um cuidado de enfermagem embasado em uma comunicação eficaz contribui para proporcionar conforto e paz ao familiar do paciente terminal. Os dados apontam, ainda, que o distanciamento da família é um obstáculo para um fim de vida tranquilo. Reflexões finais: portanto, a Teoria do Final de Vida Pacífico auxilia o enfermeiro a promover um cuidado integral e humanizado para o paciente em fase final de vida e sua família e embasa estratégias de comunicação que lhe possibilitam usufruir da possibilidade de bem-estar enquanto vivencia o processo de terminalidade.
  • GLEICY KARINE NASCIMENTO DE ARAÚJO MONTEIRO
  • Determinantes Sociais da Violência contra idosos hospitalizados
  • Orientador : RAFAELLA QUEIROGA SOUTO
  • Data: 27/07/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Violência Contra a Pessoa Idosa se configura como um problema socialmente determinado, que acomete essa população com altas prevalências em todos os países, com ênfase para os em desenvolvimento. É influenciado por aspectos que constituem os Determinantes Sociais da Saúde, tais como o sexo, estado conjugal, nível de escolaridade, arranjo de moradia, atividade laboral, renda e autoavaliação de saúde. Deste modo, é fundamental identificar a relação existente entre a violência e os determinantes, almejando direcionar as ações de saúde que possibilitem a redução das iniquidades sociais. Objetivo: analisar a influência de determinantes sociais da saúde em situações de violência contra o idoso. Método: revisão sistemática com metanálise, realizada nas seguintes bases PubMed, CINAHL, Scopus, PsycINFO, Web of Science e LILACS, utilizando os seguintes descritores: Associated Factors, Elderly, Aged, Elder Abuse, Violence. Compuseram a amostra 47 artigos. Em seguida, foi desenvolvido um estudo quantitativo, multicêntrico e de corte transversal, em 2 hospitais universitários da Paraíba, com 323 idosos, no período de julho de 2019 a fevereiro de 2020. Utilizou-se para coleta de dados os instrumentos: Brazil Old Age Schedule, Hwalek-Sengstock Elder Abuse Screening Test e Conflict Tactics Scale-1 para coleta dos dados. A análise se deu mediante estatística descritiva e inferencial. Resultados: a revisão sistemática apontou que todos os fatores avaliados se configuram como determinante da violência, com exceção do estado civil que apontou que ter um relacionamento é um fator de proteção para a violência (OR=0.86). Ainda, a autoavaliação de saúde foi o determinante com maior força de associação (OR=1.35). Para o estudo quantitativo, observou-se que houve associação significativa entre risco para violência e o sexo feminino (p-valor=0,004), residir com netos (p-valor=0,025) e ter 4 ou mais doenças (p-valor < 0,00), além de renda e a violência física (p=0,048). Pertencer ao sexo feminino, ser alfabetizado e ter maior número de doenças aumenta o risco para violência. Conclusão: os determinantes intermediários foram de maior destaque na revisão sistemática, de forma que classificar a saúde como ruim ou regular aumenta a exposição do idoso a situações de violência. Ademais, para o artigo de pesquisa, os determinantes que influenciaram mais fortemente nas situações de violência foram, em sua maioria, aqueles que integram o macrossistema, contemplando a renda e número de doenças que o idoso apresenta.
  • THAISE ALVES BEZERRA
  • Adaptação transcultural do Instrumento de Evaluación de la Experiencia del Paciente Crónico para o português do Brasil em pacientes com doença renal crônica
  • Data: 24/07/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os pacientes com doença renal crônica enfrentam várias modificações no estilo de vida, devido às restrições impostas pela enfermidade, às necessidades terapêuticas e de controle clínico e à maior probabilidade de internações frequentes. Ademais, o tratamento hemodialítico lhes impõe uma interação contínua com os profissionais e os serviços sociais e de saúde. Nesse sentido, é necessária a utilização de instrumentos específicos que avaliem a experiência desses pacientes a respeito do cuidado em saúde recebido. Objetivo: Realizar a adaptação transcultural do Instrumento de Evaluación de la Experiencia del Paciente Crónico para o português do Brasil em pacientes com doença renal crônica. Método: Trata-se de um estudo metodológico de adaptação transcultural, realizado nas seguintes etapas: tradução, retrotradução, consolidação da versão traduzida e avaliação semântica e de conteúdo. A coleta de dados ocorreu com 132 pacientes, por meio de entrevistas realizadas nos quatro hospitais que oferecem o serviço de hemodiálise em Campina Grande-Paraíba, no período de julho a outubro de 2019. Realizou-se testes psicométricos para validação e confiabilidade do instrumento. O referido estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com CAAE nº 95989118.8.0000.5188. Resultados: A tradução e retrotradução apresentaram poucas alterações. A última versão do instrumento foi submetida a um pré-teste, no qual foram apresentadas sugestões para melhoria da compreensão de alguns itens. Na estrutura unidimensional, o fator explicou 37% da variância e os itens fatoraram com cargas superiores a 0,30. A comunalidade foi de 0,094 a 0,454, a confiabilidade composta de 0,952 e a variância média extraída de 0,740. A unidimensionalidade foi apoiada na análise fatorial confirmatória. O alfa de Cronbach foi de 0,75. A teoria de resposta ao item atendeu a unidimensionalidade, sendo o item 11 o mais discriminante (3,821). Em relação ao parâmetro de dificuldade, a categoria 5 (níveis 4 e 5) foi a mais difícil. Conclusão: O instrumento adaptado para o português do Brasil é válido para avaliar a experiência do paciente renal crônico, sendo considerado uma importante ferramenta para ser inserida nas estratégias integradas de atenção à saúde dessa população.
  • VANESSA MEDEIROS DA NOBREGA
  • Preparo familiar para alta hospitalar de crianças com doenças crônicas: uma abordagem de métodos mistos.
  • Data: 10/06/2020
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A família é responsável pelos cuidados à criança com doença crônica no domicílio e necessita ser preparada durante a hospitalização para manejá-los. Objetivo: avaliar três modalidades de preparo para alta hospitalar de famílias de crianças com doença crônica, na perspectiva da gestão do cuidado. Método: pesquisa de método misto convergente, desenvolvida de dezembro de 2017 a janeiro de 2019, em hospital paraibano, com 25 famílias de crianças com doença crônica alocadas nos grupos intervenção (GI), extensão (GE) e setorial (GS), com modalidades distintas de preparo de alta, atendendo os preceitos éticos em pesquisa. A coleta de dados ocorreu em dois momentos, com aplicação de duas escalas para mensurar o nível de incertezas (Mishel) e o manejo da doença (FaMM), e a realização de entrevistas em ambos, sendo um deles dois meses após a alta hospitalar. A análise temática indutiva mediou a análise qualitativa dos dados e a estatística descritiva e inferencial, a análise quantitativa, seguida da integração e comparação dos resultados para a construção das metainferências. Resultados: o GI apresentou tendência à minimização do nível de incertezas (p=0,074), identificando-se como possíveis fatores, ao dar voz às famílias, com a aproximação e o diálogo para o levantamento de suas dúvidas e expectativas em relação ao preparo e à melhor percepção da vida dos filhos após a alta hospitalar (p=0,074), decorrente da compreensão da vida da criança, além da doença aliada à estabilidade clínica apresentada. O GE apresentou tendência a ter menos dificuldades em relação à doença após a alta (p=0,080), cujos relatos apontam para o apoio da rede de atenção após contato do projeto de extensão com os municípios onde essas famílias residiam, da resolutividade do problema que interferia na saúde da criança alcançada durante a hospitalização, além da capacitação recebida para cuidar dela no domicílio. No caso do GS, a tendência alcançada (p=0,058) revelou maior preocupação das famílias com a doença e a repercussão na sua vida e na da criança por não ter conhecimento que as ajudem na avaliação da criança e na tomada de decisão, associada à fragilidade nas informações fornecidas acerca da doença e tratamento. Conclusões: o GI e o GE apresentaram potencialidades no preparo de alta dessas famílias para empoderá-las no manejo da criança com doença crônica no domicílio.
  • ELIZABETH SOUZA SILVA DE AGUIAR
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PARA CUIDADORES DE IDOSOS: PREVENÇÃO DE LESÃO POR PRESSÃO
  • Data: 29/05/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Torna-se imprescindível promover estratégias de educação em saúde para cuidadores de idosos quanto à prevenção de lesão por pressão, a fim de minimizar a ocorrência dessas lesões nos idosos. Objetivo: Desenvolver um filme educativo para cuidadores de idosos sobre a prevenção de lesão por pressão em idosos com perda de mobilidade física. Materiais e Método: Trata-se de um estudo metodológico, para desenvolvimento e validação de uma tecnologia educacional, um filme documentário. Para a elaboração desse filme três fases foram seguidas: pré-produção, produção e pós-produção. Resultados:Na pré-produção elaborou-se o roteiro do filme e esse passou pela validação de conteúdo com juízes da enfermagem e validação técnica com juízes da comunicação, alcançando IVC médio de 98%. A produção do filme foi realizada em dois cenário – domicílio e instituição de longa permanência para idosos. Essa fase foi acompanhada por uma equipe de profissionais da área de comunicação social (diretor de cena, diretor fotográfico, operador de câmera, operador de iluminação/som). A etapa, pós-produção consistiu na edição do filme e validação da aparência. Conclusão: O material desenvolvido mostra-se como uma potencial ferramenta educativa para a educação em saúde de cuidadores de idosos em diferentes contextos.
  • DANIELLE MARTINS DO NASCIMENTO OLIVEIRA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE PROTOCOLO DA CIPE® PARA A PESSOA COM LESÃO POR PRESSÃO
  • Data: 02/04/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: as Lesões por Pressão (LPs) são consideradas um problema de saúde pública, devido à sua alta incidência. Os impactos causados na qualidade de vida do paciente podem ser observados nas suas diversas dimensões, sejam elas físicas, emocionais ou sociais, além do alto custo do tratamento. A compreensão acerca dos cuidados com essas lesões é importante para tomada de decisão e intervenção multiprofissional e representa um ponto de partida para políticas públicas de saúde adequadas. Objetivo: o presente estudo teve como objetivo construir um protocolo da CIPE® para paciente com lesão por pressão. Método: tratou-se de uma pesquisa metodológica de caráter quali-quantitativa, que foi realizada construção de um protocolo, a partir dos passos preconizados pela OMS. Foi apreciado pelo CEP/HULW/UFPB e aprovado pelo CAAE 96366318.8.0000.5183 e Parecer 2.965.744. A coleta de dados ocorreu de novembro de 2018 a março de 2019. O estudo foi realizado em hospitais da rede estadual e municipal, localizados na cidade de João Pessoa/PB, de referência no cuidado aos pacientes com lesões. A população que fez parte do grupo de desenvolvimento deste instrumento foi composta de enfermeiros assistenciais e docentes com experiência em feridas. A amostra foi do tipo não-probabilística de caráter intencional e por conveniência. As etapas do estudo foram compostas por: 1) Revisão da literatura das intervenções de enfermagem para o paciente com Lesão por Pressão; 2) Validação de conteúdo das intervenções de enfermagem para o protocolo da CIPE® 2017 para lesão por pressão; e 3) Estruturação do protocolo. Para viabilizar o processo de validação dos instrumentos, foi utilizada a escala intervalar de Likert, disposta em uma escala de cinco pontos. As afirmativas de intervenções podiam ser adicionadas, excluídas ou revisadas, segundo a necessidade. Resultados: evidenciou-se com a análise estatística que 93,67% dos enunciados de intervenções de enfermagem tiveram o Índice de Validação de Conteúdo superior a 80%, o p-valor para o teste da igualdade da proporção foi superior a 0,05 e altos níveis do alfa de Cronbach. Cinco intervenções 6,33% tiveram o Índice de Validade de Conteúdo inferir a 80%, mas foram avaliadas e confrontadas com a literatura e por entender que eram importantes na prática clínica, e apresentar um alto alfa de Cronbach, com coeficientes acima de 0,80 e p-valor 0,90, essas intervenções mantiveram-se no protocolo. Foram validadas um total de 79 intervenções de enfermagem. Conclusão: o protocolo foi considerado válido no conteúdo e aparência pelos juízes, e pode ser considerado um instrumento norteador para o gerenciamento do cuidado e tomada de decisão para a prática clínica. Espera-se que o uso na prática dessas afirmativas de intervenções de enfermagem aos pacientes com LP sejam eficazes e possam proporcionar uma melhoria na qualidade da assistência a esta clientela, redução do sofrimento e maiores danos ao mesmo.
  • RAFAELLA FELIX SERAFIM VERAS
  • Processo de design de serious game sobre prevenção de quedas em pessoas idosas hospitalizadas: Definição de conteúdo
  • Data: 31/03/2020
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: as pessoas idosas hospitalizadas apresentam risco elevado de quedas devido à ação sinérgica de elementos intrínsecos e extrínsecos. O desenvolvimento de estratégias educativas para prevenção de quedas associadas a recursos tecnológicos com propósito pedagógico específico, como serious games, pode beneficiar esses indivíduos na preservação de sua segurança enquanto estão hospitalizados. Objetivo: determinar o conteúdo específico de um serious game sobre prevenção de quedas em pessoas idosas hospitalizadas. Método: desenvolveu-se um estudo metodológico executado em três etapas: revisão integrativa da literatura sobre fatores de risco para quedas em pessoas hospitalizadas; oficinas de trabalho com enfermeiros, pacientes e acompanhantes sobre prevenção de quedas em pessoas hospitalizadas; elaboração do conteúdo específico do serious game sobre prevenção de quedas em pessoas idosas hospitalizadas. A interpretação dos dados, revisão integraiva e oficinas de trabalho, ocorreu de forma automatizada por meio da ferramenta PorOnto que permitiu a identificação, seleção e categorização de termos relacionados ao tema com suas respectivas frequências de ocorrência nos textos analisados. Os resultados da revisão integrativa da literatura foram expostos em quadros e fluxogramas e os dados das oficinas de trabalho e do conteúdo específico do serious game apresentados por meio de Mapas Conceituais contendo os elementos-chave para ocorrência de quedas em pessoas hospitalizadas. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob parecer 2.958.750 e CAAE: 99957018.4.0000.5183. Resultados: a identificação dos fatores de risco para quedas em pessoas hospitalizadas foi realizada a partir de 36 publicações, estas apresentaram 2248 termos relacionados a fatores de risco intrínsecos e 512 que se relacionaram a fatores de risco extrínsecos. As oficinas de trabalho ocorreram com a participação de 15 enfermeiros, 09 pacientes e 11 acompanhantes com a seleção de 199 termos nas oficinas com enfermeiros, 56 na oficina de trabalho com pacientes e 81 na oficina com acompanhantes. Estas foram categorizadas em elementos-chave intrínsecos e extrínsecos. Por meio da junção dos fatores de riscos identificados nas publicações e elementos-chave das oficinas de trabalho, definiu-se o conteúdo específico do serious game sobre prevenção de quedas. Este contemplou a conscientização das pessoas hospitalizadas sobre riscos de quedas considerando elementos-chave desencadeadores de quedas em limitações do paciente e características do ambiente. As limitações do paciente foram relacionadas aos seguintes elementos-chave: conhecimento sobre quedas, fisiológicas e comportamentais. Em relação às características do ambiente, identificaram-se subcategorias referentes à infraestrutura, configuração de equipamentos e rotina hospitalar. Conclusão: a construção compartilhada do conteúdo específico do serious game tem o potencial de subsidiar a educação em saúde para prevenção de quedas por apresentar uma abordagem específica sobre o tema baseada na realidade daqueles que estão envolvidos no cuidado e na prevenção de acidentes em pessoas idosas hospitalizadas.
  • EDNA MARILIA NÓBREGA FONSÊCA DE ARAÚJO
  • GESTÃO DO CUIDADO AO IDOSO COM TUBERCULOSE: CONSTRUÇÃO DE UM APLICATIVO PARA USO DO ENFERMEIRO
  • Data: 30/03/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A utilização de tecnologias para efetuar a gestão do cuidado na população idosa favorecerá expressamente o diagnóstico da tuberculose de forma efetiva e rápida, além de subsidiar a organização dos profissionais enfermeiros da Atenção Primária a Saúde no que diz respeito à dimensão profissional. Objetivo: Construir um aplicativo para uso dos enfermeiros a fim de auxiliar na gestão do cuidado ao idoso com tuberculose na Atenção Primária. Método: Trata-se de um estudo do tipo metodológico, aplicado na versão de produção tecnológica que objetiva desenvolver instrumentos, englobando métodos complexos e elaborados. Utilizou-se o método de Processo de Desenvolvimento de Produto (PDP) adaptado para este estudo, organizado em cinco fases: análise; entrevista com as enfermeiras; design e qualificação. Resultados: A falta de qualificação profissional, não priorização do serviço primária como porta de entrada, falta de vínculo enfermeiro-usuário e falta de um cuidado específico ao idoso, analisadas na revisão integrativa, suscitaram a idealização de um aplicativo que auxiliasse o enfermeiro na produção do cuidado. Quanto às entrevistas, dentre os vários aspectos observados, a comunicação efetiva do enfermeiro com usuário e família foi algo considerado relevante para se alcançar, por exemplo, a adesão terapêutica. Ademais, a partir dessa comunicação, pôde-se verificar as possíveis reações adversas à medicação e estimular a realização dos exames com intuito de acompanhamento. E, por fim, no que se refere à construção do aplicativo intitulado GECI- TB (gestão do cuidado ao idoso com tuberculose: facilitando o atendimento) possui oito telas que constituíram o corpo do aplicativo. Após a qualificação das enfermeiras, houve alguns acréscimos sugeridos pelas mesmas que foram imprescindíveis para a construção da ferramenta. Conclusão: Assegura-se que realmente há como desenvolver um aplicativo móvel para uso do enfermeiro quanto à tomada de decisão, monitoramento, anotações e avaliação. Todavia, percebeu-se que o desenvolvimento do aplicativo pode ser ampliado para outros níveis de hierarquia, não apenas no campo da atenção primária. Como limitação do estudo tem-se o número restrito de enfermeiras participantes, podendo ser revisto em estudos futuros para que se obtenham maiores resultados.
  • ANNA TEREZA ALVES GUEDES
  • Continuidade da estimulação neuropsicomotora de crianças com síndrome congênita do Zika: o olhar de cuidadores e de profissionais
  • Orientador : ALTAMIRA PEREIRA DA SILVA REICHERT
  • Data: 30/03/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A continuidade da estimulação do desenvolvimento neuropsicomotor ocorre por meio da comunicação entre os profissionais de saúde, o usuário e a família, visando alcançar objetivos de forma compartilhada, assegurando, assim, resultados eficazes no desenvolvimento das crianças com a síndrome congênita do Zika e melhor qualidade de vida. Objetivo: Compreender a continuidade da estimulação do desenvolvimento neuropsicomotor de crianças com a síndrome congênita do Zika e apreender a percepção acerca do desenvolvimento dessas crianças, a partir do olhar de cuidadores e profissionais dos serviços de reabilitação. Percurso metodológico: Pesquisa descritivo-exploratória, com base nos pressupostos teóricos do Interacionismo Simbólico, realizada com 12 profissionais em três instituições públicas de uma capital do Nordeste do Brasil e com sete cuidadores de crianças com síndrome congênita do Zika. Os dados foram coletados de agosto a novembro de 2019, através de entrevista em profundidade com os profissionais, e grupo focal, com os cuidadores. O material empírico foi analisado sob a técnica de análise temática indutiva. Em atendimento às observâncias éticas, o projeto foi apreciado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, sob CAAE de nº. 17008919.9.0000.5188. Resultados: Observou-se que os participantes do estudo consideram que há um severo comprometimento do desenvolvimento neuropsicomotor da criança com a síndrome congênita do Zika, e que existem entraves para alcançar êxito na continuidade da estimulação dessas crianças, relacionados a barreiras organizacionais, aspectos socioambientais e dificuldades impostas pela própria condição da criança. No entanto, as terapias integrativas complementares poderão contribuir para o desenvolvimento dessas crianças. Considerações finais: Devido às dificuldades enfrentadas para a continuidade da estimulação de crianças com síndrome congênita do Zika, é necessária uma rede de apoio fortalecida, com estimulação do desenvolvimento associada as terapias complementares e recursos humanos qualificados, a fim de ofertar um cuidado integral a este grupo.
  • XÊNIA SHEILA BARBOSA AGUIAR QUEIROZ
  • VALIDAÇÃO DE CONTEÚDO PARA CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTO PARA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PESSOAS ATENDIDAS EM UNIDADES DE TRATAMENTO AO QUEIMADO
  • Data: 30/03/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As queimaduras constituem-se em relevantes causas de morbidade e mortalidade na população mundial. No Brasil, representam grave problema de saúde pública. Diante dessa complexidade, a forma de cuidado e tratamento podem constituir-se como fator agravante e incerto na recuperação do paciente. Neste contexto, é imprescindível a padronização da assistência às vítimas de queimaduras, com o uso de uma ferramenta que norteie a assistência de enfermagem em Unidades de Tratamento de Queimados. Objetivo: Construir e validar um instrumento para a sistematização da assistência de enfermagem a pessoas atendidas em Unidades de Tratamento ao Queimado. Percurso Metodológico: Trata-se de estudo metodológico realizado entre o período de outubro de 2019 a janeiro de 2020 em cinco etapas: identificação dos indicadores empíricos das Necessidades Humanas Básicas e Sociais presentes na pessoa queimada e construção de suas respectivas definições operacionais; validação dos indicadores empíricos e de suas definições operacionais por especialistas na área do estudo; construção dos enunciados de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem com base na Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem; validação dos enunciados de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem a pessoa vítima de queimadura, por especialistas da área; estruturação do instrumento para a sistematização da assistência de enfermagem a pessoa atendida em Unidades de Tratamento ao Queimado. Na primeira etapa, foram levantados na literatura 113 indicadores empíricos, dos quais 89 correspondem às necessidades psicobiológicas, 21, as psicossociais e 03, as psicoespirituais. Na segunda etapa, participaram 13 especialistas enfermeiros, que avaliaram esses indicadores e de suas definições quanto à relevância, pertinência, clareza, e abrangência. Para tanto, utilizou-se o método de validação de conteúdo e foram aplicados o Índice de Validação de Conteúdo, Coeficiente de Kappa proposto por Fleiss. Este estudo obteve parecer favorável sob protocolo n° 3.624.400. Resultados: Após análise, foram validados 99 indicadores empíricos, dos quais 79 compreenderam as necessidades psicobiológicas, 18 necessidades psicossociais e 02 psicoespirituais. Quanto aos enunciados, foram validados: 48 diagnósticos, 32 resultados e 107 intervenções de enfermagem. Em seguida, foi construído um instrumento para a sistematização da assistência de enfermagem a pessoas atendidas em Unidades de Tratamento ao Queimado. Considerações finais: Tal instrumento possibilitará um avanço para a assistência de enfermagem ao público em questão, por ser pioneiro para a prática de enfermagem, com confiabilidade por sua validação. Espera-se contribuir com outros estudos de validação, de modo a assegurar uma assistência mais humana e de qualidade.
  • ESTER MISSIAS VILLAVERDE ANTAS
  • LIMITAÇÃO DE ATIVIDADES E QUALIDADE DE VIDA EM INDIVÍDUOS ACOMETIDOS PELA HANSENÍASE
  • Data: 30/03/2020
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar a limitação nas atividades e QV em indivíduos com hanseníase em tratamento na rede de atenção primária e secundária à saúde, do município de João Pessoa - JP\Paraíba\Brasil. Método: Estudo descritivo, seccional, quantitativo, realizado em 2017 com 96 indivíduos em tratamento na rede de atenção primária e secundária a saúde de JP. Utilizou formulário estruturado com variáveis sociodemográficas, clínicas e os instrumentos Screening of Activity Limitation and Safety Awarenes – SALSA e World Health Organization Quality of life Assessment bref- WHOQOL-bref. Dados analisados por técnica estatística descritiva e inferencial. Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob parecer de nº: 3.037.883, CAAE 01445718.5.0000.5188. Resultados: Identificou que 32,29% dos indivíduos apresentaram limitação leve para atividades. Proporcionalmente o domínio mobilidade (46%) apresentou-se mais próximo do seu escore máximo para limitação de atividade. O grau de incapacidade física no diagnóstico (p < 004) e neurite (p < 0,000) mostrou influência negativa sobre a limitação. E 60,42% dos indivíduos possui alguma consciência de risco envolvendo a execução da atividade, sendo que 61,46% tem escore de consciência de risco baixo. Os indivíduos apresentaram QV intermediária, ao passo que as médias dos escores das facetas do WHOQOL-bref mostra que domínios físico (54,09), psicológico (57,99) e ambiente (55,99) influenciaram negativamente a QV intermediária, enquanto o domínio relações sociais (65,54) atuou positivamente sobre a percepção da QV. As variáveis “outras doenças” (p<0,011) e neurite (p<0,001) fatores de influência negativa sobre a QV. Conclusão: Evidenciou–se que a hanseníase acarreta limitação leve para execução de atividades e torna a QV intermediária dos doentes, principalmente quando associado a neurite e comorbidades da doença. Destaca-se a necessidade de acompanhamento contínuo dos participantes da pesquisa.
  • WALLISON PEREIRA DOS SANTOS
  • PREPARO E AUTOADMINISTRAÇÃO DE INSULINA ENTRE USUÁRIOS COM DIABETES MELLITUS
  • Data: 27/03/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A insulinoterapia é uma das modalidades de tratamento para controle do Diabetes Mellitus (DM) que requer compreensão, adesão e habilidade na técnica de preparo e autoadministração, a fim de evitar e/ou retardar complicações locais, relacionadas ao procedimento e consequentemente, ao descontrole glicêmico. Objetivo: analisar a prática de preparo e administração de insulina entre usuários com DM, conforme recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes. Método: Trata-se de um estudo descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa, realizado em um ambulatório de endocrinologia de um Hospital Universitário na capital do estado da Paraíba. Participaram do estudo 136 indivíduos em uso de insulina. Para coleta de dados foram utilizados dois instrumentos, um formulário com aspectos sociodemográficos e clínicos e um roteiro de observação da prática simulada. O estudo foi desenvolvido em três etapas: aplicação do formulário; exame clínico dos locais de aplicação da insulina e por último, a prática simulada, em que os usuários realizavam a técnica utilizada habitualmente, com uso de protótipo construído para essa finalidade. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley, sob parecer de nº 3.457.517 e CAAE: 16560819.4.0000.5183. Os dados foram tabulados em planilhas eletrônicas e convertidos para o programa estatístico R, foram realizadas as seguintes análises: Descritiva, Qui-quadrado e Regressão logística. Resultados: Entre os participantes, 50% apresentavam 51-70 anos, 74,26% eram do sexo feminino, 58,09% eram casados/união estável, 36,77% tinham entre 9 e 11 anos de estudo, 82,35% não realizavam rodizío dos locais de aplicação, 68,38% reutilizavam seringas e agulhas e 42% apresentavam hematoma e a lipodistrofia como principal complicação. Sobre a técnica de preparo e autoadministração de insulina, observou-se que os usuários apresentavam falhas, em especial na etapa de preparo da insulina. Em relação às variáveis preditoras de complicações teciduais no modelo de regressão logística, foi estatisticamente significativas a não realização de rodizio e ser solteiro, viúvo ou divorciado, tendo como desfecho a ocorrência de complicações teciduais. Conclusão: Os usuários apresentam limitações para desempenho da técnica de preparo e autoadministração de insulina, cabendo aos profissionais de saúde envolvidos no cuidado dessa população a intervenção focalizada nessas fragilidades, com o intuito de favorecer a adesão ao tratamento de forma adequada, diminuindo assim a ocorrência de complicações.
  • JANISLEI SOARES DANTAS
  • Avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde de pessoas com feridas crônicas
  • Data: 26/03/2020
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Pessoas com feridas crônicas enfrentam mudanças funcionais e psicológicas com repercussões importantes na qualidade de vida, cuja avaliação é um parâmetro relevante para compreender o impacto desse agravo. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida relacionada a saúde e sua associação com aspectos sociodemográficos e clínicos de pessoas com feridas crônicas. Método: Estudo transversal, quantitativo, realizado com 85 pessoas, no período de junho a setembro de 2019, em um hospital escola. Utilizou-se como instrumentos de coleta de dados um formulário sociodemográfico e clínico, o Medical Outcomes Short-Form Health Survey (SF-36) e o Cardiff Wound Impact Schedule (CWIS)-versão brasileira. Aplicou-se a estatistica descritica e os testes t de Student, Mann-Whitney, Kruskal-Wallis e KolmogorovSmirnov para análise dos dados. Resultados: Há maior presença de feridas crônicas entre mulheres idosas, que vivem com companheiros e familiares, com baixo nível de escolaridade e renda e acometidas com hipertensão arterial sistêmica. Prevaleceram feridas de etiologia venosa, acima de 24 semanas e sem sinais críticos de infecção. A QVRS avaliada pelo SF-36 apresentou escore geral médio de 35,08. Os domínios limitação por aspectos físicos e aspectos emocionais pontuaram menores médias. No CWIS os domínios mais afetados foram bem-estar e vida social e sua média geral de 45,57. Fatores sociodemográficos e clínicos apresentaram correlações significativas com os escores de todos os domínios. Considerações finais: Os resultados podem contribuir para melhor compreensão dos efeitos da ferida crônica na qualidade de vida relacionada à saúde e direcionar intervenções terapêuticas às necessidades da pessoa sob a perspectiva de um modelo de cuidado integral.
  • GERLANIA RODRIGUES SALVIANO FERREIRA
  • Autocuidado de pessoas idosas com diabetes mellitus e a relação interpessoal enfermeiro-paciente.
  • Data: 26/03/2020
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o diabetes mellitus é uma condição crônica que tem se destacado, devido sua alta incidência e prevalência. As complicações relacionadas a doença oferece sérios riscos à saúde dos indivíduos, o que pode ser evitadas e/ou amenizadas com a realização das práticas de autocuidado. Para isso, o profissional, em especial o enfermeiro, deve proporcionar segurança, confiança, acolhimento e humanização ao paciente por meio do relacionamento interpessoal efetivo, o que favorece a cumplicidade na formulação de estratégias para uma melhor adesão do plano terapêutico. Objetivo: avaliar o autocuidado de pessoas idosas com diabetes mellitus e a relação interpessoal enfermeiro-paciente. Método: estudo exploratório e descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 144 pessoas idosas com diabetes mellitus cadastrados nas Unidades Básicas de Saúde do município de João Pessoa, Paraíba, Brasil, entre os meses de junho a outubro de 2019. Os dados foram coletados mediante entrevista aos pacientes na sala de espera, em grupos de convivência e à domicílio. Utilizou-se um instrumento para obtenção de dados referentes ao perfil sociodemográfico, condições de saúde, características da doença e assistência recebida, o Questionário de Atividades de Autocuidado com o Diabetes e o Questionário de relação interpessoal no cuidado de enfermagem. A análise foi realizada por meio de estatística descritiva e inferencial. O projeto foi aprovado sob parecer de nº 3.411.237. Resultados: as pessoas idosas com diabetes apresentaram maior adesão nas atividades de autocuidado nos itens referentes a tomar as injeções de insulina conforme recomendado; tomar os medicamentos do diabetes conforme recomendado e tomar o número indicado de comprimidos do diabetes. O autocuidado apresentou associação significativa com algumas variáveis das características sociodemográficas, das condições de saúde, das características da doença e da assistência recebida A relação interpessoal no cuidado de enfermagem apresentou nível moderado de efetividade. Associando-se significativamente com as variáveis renda pessoal, presença de comorbidade, hipertensão arterial sistêmica e uso de hipoglicemiante oral, insulina e anti-hipertensivos. A correlação entre as duas escalas foi significativa, sendo evidenciado que a efetividade da relação interpessoal no cuidado de enfermagem ao paciente com diabetes proporcionou maior adesão as práticas de autocuidado. Conclusões: a relação interpessoal efetiva do enfermeiro-paciente influencia de forma significativa na modificação das práticas de autocuidado no diabetes mellitus. Por ser um dos primeiros estudos na mensuração da relação interpessoal no cuidado de enfermagem, considera-se essencial que outras pesquisas sejam realizadas em diferentes regiões e populações, a fim de embasar esses achados e proporcionar melhoria dos cuidados de enfermagem.
  • LIA RAQUEL DE CARVALHO VIANA
  • QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE E ADESÃO AO TRATAMENTO DE PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA E PRÓSTATA
  • Data: 20/03/2020
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A experiência do câncer de mama e de próstata e seus tratamentos trazem repercussões significantes na Qualidade de Vida Relacionada à Saúde (QVRS) dos indivíduos, o que pode refletir negativamente nos aspectos relacionados à adesão terapêutica. Objetivo: Avaliar a QVRS e a adesão ao tratamento em pacientes com câncer de mama e de próstata. Método: estudo exploratório, descritivo e transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 305 pacientes com câncer de mama e de próstata em um hospital oncológico de referência no Estado da Paraíba, Brasil, entre os meses de junho a novembro de 2019. Para a coleta de dados, utilizou-se um instrumento semiestruturado para obtenção de dados referentes ao perfil sociodemográfico e clínico, o questionário European Organization for Research and Treatment of Cancer Quality of Life Questionnaire “core” 30 itens, o módulo específico Quality of Life Questionnaire-Breast Cancer e Escala Adherence Determinants Questionnaire-Versão Brasileira. A análise dos dados foi realizada com estatística descritiva e inferencial. O projeto foi aprovado sob parecer de número 3.293.768. Resultados: A QVRS apresentou médias elevadas na ESG e na EF nos grupos de pacientes, e a ES obteve piores resultados no grupo com câncer de mama em quimioterapia, destacando-se fadiga, dor, insônia e dificuldade financeira. Nas mulheres, observou-se melhores médias na imagem corporal e piores na satisfação sexual, efeitos colaterais e sintomas da mama. Nos homens, melhor desempenho de papeis. A amostra apresentou uma média adesão, destacando-se o domínio Apoio/Severidade percebida. A correlação entre a QVRS e a adesão de pacientes com câncer de próstata mostrou significância estatística (p≤0,05) entre ESG e a EF Intenções; Função emocional e Intenções; Insônia e Normas subjetivas; Dificuldade financeira e Normas subjetivas. Nas mulheres, houve significância estatística (p≤0,05) entre Desempenho de papeis e Normas subjetivas; Fadiga e Intenções; Dificuldade financeira e Adesão total; Desejo sexual, Satisfação sexual e Apoio/Severidade percebida; Sintomas da mama e Intenções. Conclusões: A QVRS impacta diretamente na adesão ao tratamento de pacientes com câncer de mama e de próstata.
  • WYNNE PEREIRA NOGUEIRA
  • Prevalência e fatores associados à infecção por sífilis, HIV, hepatite B e C em população ribeirinha.
  • Data: 20/03/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As hepatites virais B e C, o HIV e a sífilis constituem importantes Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) que atingem desproporcionalmente as populações vulneráveis, dentre elas, a população ribeirinha. Objetivo: Investigar a prevalência da sífilis, do HIV e das hepatites virais B e C e os fatores associados na população ribeirinha residente no município de João Pessoa. Método: Estudo transversal com abordagem quantitativa que envolveu 250 pessoas residentes em cinco comunidades ribeirinhas. Os dados foram coletados por meio de entrevista individual e privativa utilizando um questionário estruturado com questões sociodemográficas, de comportamento sexual e uso de drogas lícitas e ilícitas e o Teste para Identificação de Problemas Relacionados ao Uso de Álcool (AUDIT). A investigação da ocorrência das IST foi realizada por meio de testes rápidos de triagem para a hepatite B e C, para o HIV e para a sífilis. O estudo obteve aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE: 13419819.3.0000.5188). A análise dos dados foi por meio de estatísticas descritivas e regressão logística. Resultados: Houve predominância do sexo feminino (68,0%); com faixa etária entre 18 e 39 anos (43,2%), com até oito anos de estudo (62,0%); casado ou em união consensual (64,0%). A prevalência para as IST investigadas por meio dos testes rápidos foi de 12,8% (IC95%: 8,8-16,4) em 32 indivíduos que apresentaram resultados reagentes. Foram detectados 29 casos para sífilis com uma prevalência de 11,6% (IC95%: 7,5-15,6); o anti-HIV tipo 1 em dois indivíduos com prevalência de 0,8%; (IC 95%: 0-1,2); infecção pelo vírus da hepatite B em um indivíduo 0,8% (IC 95%: 0-1,2) e nenhum teste mostrou-se reagente para o vírus da hepatite C. O uso de álcool, relações sexuais antes dos 15 anos de idade, o número de parceiros sexuais nos últimos 12 meses, se recebeu dinheiro ou pagou em troca de sexo, se tem história de prisão e histórico de IST anterior apresentaram significância estatística com a ocorrência das IST investigadas. A prevalência do uso de álcool dentre o total de moradores entrevistados foi de 45,2% (IC95%: 39,0-51,4). Quanto ao padrão de uso excessivo de álcool, referente as zonas II a IV do AUDIT (valor de corte ≥ 8), a prevalência foi de 30,4% (IC95%:24,7-36,1). Observou-se que o padrão de uso excessivo de álcool aumenta significativamente o risco de prevalência de sífilis, hepatite B e HIV segundo positividade dos testes rápidos (ARR= 11,86% OR=2,63; IC95% 1,24-5,60). Conclusão: a população do estudo apresenta alta prevalência para sífilis e presença de comportamentos de risco associados com a ocorrência de infecções sexualmente transmissíveis, caracterizando a população ribeirinha com vulnerabilidades para essas infecções.
  • GERLANE ANGELA DA COSTA MOREIRA VIEIRA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA PESSOAS HOSPITALIZADAS COM TRAUMAS ORTOPÉDICOS
  • Data: 28/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O trauma ortopédico consiste em um dano no sistema musculoesquelético e articular de origem traumática, que ocorre de forma súbita e que pode levar a incapacidades funcionais e até a morte, sendo necessário um atendimento precoce e eficaz. Objetivo: Construir e validar um protocolo de assistência de enfermagem destinado a indivíduos acometidos com trauma ortopédico. Métodos: Trata-se de estudo metodológico realizado em cinco etapas: levantamento dos indicadores empíricos e de suas definições operacionais; validação dos indicadores e de suas definições por especialistas; elaboração dos diagnósticos, resultados e intervenções com base na Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem; validação desses diagnósticos, resultados e intervenções pelos especialistas e estruturação do protocolo de assistência, realizada de dezembro de 2017 a novembro de 2019. Utilizou-se a validação de conteúdo e, para tanto, foram aplicados o Índice de Validação de Conteúdo e o Coeficiente de Kappa de Fleiss. Este estudo foi apreciado pelo Comitê de Ética do Hospital Universitário Alcides Carneiro e sob protocolo n° 3.323.661 e CAAE n° 10613119.3.0000.5182. Resultados: Verificou-se que na primeira etapa foram identificados 215 indicadores empíricos com suas definições operacionais, dos quais 184 correspondem às necessidades psicobiológicas, 27, as psicossociais e 04, as psicoespirituais. Na segunda etapa, foram validados, por 07 especialistas da área da Enfermagem Ortopédica, 91 indicadores e suas definições operacionais. Na terceira, foram traçados 98 diagnósticos, 84 resultados e 139 intervenções. Na quarta, foram validados 33 diagnósticos, 07 resultados e 89 intervenções. E na quinta, foi apresentado o protocolo de assistência. Considerações finais: A construção e validação desse protocolo contribuíram com o processo de trabalho da enfermagem, pois permitirá a identificação precoce dos problemas, o planejamento de cuidados e a avaliação das respostas do indivíduo a assistência prestada.
  • ALANE BARRETO DE ALMEIDA LEÔNCIO
  • INTERNAÇÕES DE CRIANÇAS POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Data: 21/02/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O cuidado à saúde da criança, realizado desde o pré-natal, tem sua continuidade nas consultas de puericultura, por meio do acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil, na Atenção Primária. Nesse nível de atenção, é possível detectar precocemente agravos à sua saúde, com intervenções realizadas em tempo hábil, reduzindo os riscos de morbimortalidade infantil. Portanto, o modelo de organização da atenção à saúde que prioriza a Estratégia Saúde da Família, tende a demonstrar melhoria nas condições de saúde da população materno-infantil, principalmente das crianças menores de um ano, refletindo na diminuição das hospitalizações por doenças que, se tratado adequadamente e de forma precoce, provavelmente não evoluirá para necessidade de hospitalização. Objetivo: Analisar as internações de crianças por condições sensíveis ao cuidado na Atenção Primária à Saúde, no Estado da Paraíba, e fatores associados. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, retrospectivo, com dados secundários de 311 prontuários de crianças internadas em três instituições hospitalares pediátricas de referência no Estado da Paraíba, no período de agosto de 2017 a julho de 2018, utilizando abordagem quantitativa. A coleta de dados ocorreu em março e abril de 2019, utilizando um instrumento contendo checklist para auxiliar na busca de informações. As análises estatísticas foram processadas no Software R, e analisados a partir de estatística descritiva, calculando a frequência absoluta e a relativa das variáveis. Além disso, alguns gráficos foram construídos na planilha do Microsoft Office versão 2010. Para averiguar associação entre duas variáveis foram realizados o teste qui-quadrado e o teste exato de Fisher, considerando um erro amostral tolerável de 5%. Foi realizada a Regressão Logística para modelagem de dados. Os dados foram apresentados por meio de representações gráficas e tabelas, e analisados à luz da literatura pertinente. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, parecer número 3.159.523. Resultados: As doenças respiratórias e gastrointestinais foram consideradas as principais causas de hospitalizações evitáveis de crianças menores de cinco anos no estado da Paraíba. Conclusão: A presença de hospitalizações por condições evitáveis refletem possíveis falhas na Atenção Primária à Saúde, portanto, estratégias efetivas são necessárias para mudar a realidade da atenção às crianças neste nível de atenção.
  • SERGIO VITAL DA SILVA JÚNIOR
  • AVALIAÇÃO DAS DIMENSÕES DA QUALIDADE DE VIDA DE PESSOAS COM LEISHMANIOSE
  • Data: 17/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As leishmanioses são doenças tropicais de complexa epidemiologia e ecologia, consistindo em um importante problema de saúde pública na atualidade. A leishmaniose cutânea apresenta-se como úlcera que pode levar a cicatrizes, deformação e estigmatização. A leishmaniose visceral é a forma mais grave, sistêmica, e que é geralmente fatal se não for tratada. Tais situações clínicas poderão contribuir para uma consequente diminuição da qualidade de vida dos indivíduos acometidos pela doença. Assim, a presente investigação teve por objetivo Avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde de pessoas com leishmaniose visceral e leishmaniose tegumentar americana segundo aspectos sociodemográficos, epidemiológicos e clínicos. Método: Estudo exploratório e descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa, desenvolvido na Unidade de Doenças Infecciosas e Parasitarias de um hospital referência para o tratamento deste agravo na Paraíba, Brasil. A amostra foi do tipo probabilística, sendo considerados como critérios de inclusão: pessoas acima dos 18 anos, de ambos os sexos, com diagnóstico médico de leishmaniose (visceral ou cutânea) em tratamento no referido serviço de saúde. Foram considerados como critérios de exclusão: pacientes que estivessem em uso de psicotrópicos, com incapacidade física ou cognitiva para responder aos questionários utilizados na investigação. Inicialmente foi aplicado um questionário em busca de informações acerca da identificação do paciente, condições de moradia, aspectos clínicos e exames realizados, além do questionário de medida da qualidade de vida (Medical Outcomes Survey Short-Form 36). Para a coleta de dados, foi solicitada a anuência do participante por meio do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os dados foram tabulados numa planilha eletrônica do Microsoft Office Excel 2010 e posteriormente transferidos para o software Statistical Package for the Social Sciences versão 20. Para análise dos dados, foram utilizadas medidas descritivas (frequência, média e desvio-padrão) e testes estatísticos não paramétricos de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis. Este estudo recebeu aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, com número CAAE: 11309619.9.0000.5183. Resultados: Participaram da investigação 45 das quais 22 estavam acometidas pela leishmaniose tegumentar americana e 23 pela leishmaniose visceral. No que se refere à leishmaniose tegumentar americana, observou-se impacto negativo na qualidade de vida em todos os domínios, com menores scores do SF 36 na função física, papel emociona e vitalidade. No que tange à leishmaniose visceral, evidenciou-se que há impacto negativo em todos os scores nos domínios do SF 36, em especial nos domínios papel emocional, função física e função social. Conclusão: O presente estudo possibilitou conhecer as características epidemiológicas da leishmaniose no estado da Paraíba além de avaliar qualidade de vida relacionada à saúde de pessoas acometidas por essa infecção segundo aspectos sociodemográficos, epidemiológicos e clínicos. Isso posto, os profissionais da saúde e gestores poderão utilizar essas informações para desenvolver ações imediatas que objetivem mitigar o impacto da infecção na vida dos seres humanos, com ênfase nas dimensões afetadas.
2019
Descrição
  • MAILSON MARQUES DE SOUSA
  • Comunicação persuasiva para motivar a intenção de reduzir o consumo de sal em pessoas com insuficiência cardíaca
  • Data: 13/12/2019
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A redução no consumo de sal na dieta em pessoas com insuficiência cardíaca (IC) configura-se como uma recomendação não farmacológica para controle clínico da doença. Contudo, a literatura evidencia baixa adesão a essa medida de proteção à saúde. Objetivo: Avaliar a intenção comportamental de reduzir o consumo de sal na dieta em pessoas com IC, antes e após exposição a comunicação persuasiva positiva. Método: Estudo de múltiplos métodos fundamentado na Theory of Planned Behavior, realizado em duas etapas. Na primeira etapa, empregaram-se três fases: 1) Estudo com delineamento quantiqualitativo, com a finalidade de levantar as crenças salientes relacionadas à redução do consumo de sal na dieta; 2) Estudo metodológico, em que foi elaborado o questionário para mensurar os fatores determinantes da intenção comportamental de reduzir o consumo de sal, seguido de validação de conteúdo e semântica; 3) Estudo de natureza tecnológica, em que foi construída e validada comunicação persuasiva, do tipo audiovisual, de curta duração, com o objetivo de influenciar positivamente a intenção de pessoas com IC a reduzirem o consumo de sal na dieta. Na segunda etapa, realizou-se estudo piloto, comparativo, do tipo antes e depois. Aplicou-se estatística descritiva e inferencial (teste de Wilcoxon pareado, correlação de Spearman, alfa de Cronbach e análise de Regressão Logística), estabelecendo-se o nível de significância de 0,05. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com CAAE: 79911717.0.0000.5183. Resultados: Com relação à análise das crenças comportamentais sobressaíram a manutenção da saúde e a diminuição do apetite. Cônjuges, filhos e irmãos se destacaram como referentes que exercem maior influência na redução de sal. Quanto às crenças de controle, o preparo das refeições pela esposa facilita e a perda do sabor dos alimentos dificulta a execução do comportamento. O questionário para medida da intenção e a comunicação persuasiva apresentaram Índice de Validade de Conteúdo ≥ 80%. No estudo piloto, participaram 82 pessoas com IC. Os escores médios das variáveis comportamentais aumentaram significativamente após exposição à comunicação persuasiva, indicando alta intenção comportamental para execução do comportamento. As crenças normativas e de controle apresentaram-se como preditoras significantes da intenção comportamental, explicando conjuntamente 35% da variância da intenção de reduzir o consumo de sal na dieta. Conclusão: A comunicação persuasiva, mostrou-se ser eficaz para influenciar positivamente a intenção comportamental de redução do consumo de sal em pessoas com IC. Ressalta-se a importância de considerar a opinião de referentes sociais significativos, barreiras e habilidades individuais nas estratégias educativas relacionadas ao seguimento de uma dieta com baixo teor de sal.
  • ARIELI RODRIGUES NÓBREGA VIDERES
  • Produção do conhecimento acerca do processo de cuidar em saúde e enfermagem: uma metassíntese
  • Orientador : MARIA MIRIAM LIMA DA NOBREGA
  • Data: 10/12/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O processo de cuidar pressupõe uma dimensão ética, que agrega a responsabilidade ao ser cuidador de promover o bem-estar, desenvolvimento e plenitude humana ao ser cuidado e uma dimensão estética, que integra técnica, intuição e sensibilidade. O cuidado humano compõe a linguagem universal dos cursos da área de Saúde, com enfoque para a Enfermagem, constituindo sua única ação verdadeiramente independente a qual não pode ser prescrita, pois não há como prescrever um modo de ser e se comportar, nem ao menos criar regras para o cuidar. Essas, podem ser sugeridas, recomendadas e aconselhadas, considerando que o cuidado deve ser sentido, vivido e transformado em estilo de vida. Torna-se crescente o número de publicações que tratam do processo de cuidar em Saúde e Enfermagem nos diversos contextos assistenciais. Contudo, é insipiente a produção científica sobre a integração de resultados de pesquisas qualitativas que versam sobre a temática. Objetivo: Analisar o conhecimento sobre o processo de cuidar em Saúde e Enfermagem a partir dos sentidos extraídos da produção bibliográfica da Professora Dra. Lenilde Duarte de Sá Material e método: Estudo qualitativo, do tipo Revisão Sistemática da Literatura com Metassíntese, desenvolvido no período de março de 2018 a março de 2019, utilizando como fonte de dados a produção científica qualitativa da referida professora, disponibilizada no Currículo Lattes, da Plataforma Lattes. De um total de 102 artigos que compuseram o universo do estudo, 74 atenderam os critérios de inclusão: estudos de natureza qualitativa, publicados na íntegra, nos idiomas português, inglês e, ou espanhol, nos anos compreendidos entre 1995 a 2018, período correspondente a primeira e última publicação da Professora Dra. Lenilde, e, que apresentassem no título os descritores/palavras-chave/unitermos cuidado e, ou práticas de cuidado e, ou cuidados de enfermagem e, ou gestão do cuidado. Foram excluídas pesquisas de natureza quantitativa (14), híbrida (02), secundária (12) e sem clareza e rigor metodológico. Dos 74 artigos, apenas dez foram selecionados após a aplicação do Teste de Relevância I, leitura do título e resumo. Após a aplicação do Teste de Relevância II, leitura do texto na íntegra, apenas nove artigos constituíram o corpus analítico do estudo. O material empírico foi avaliado quanto a qualidade metodológica e risco de viés por meio do Critical Appraisal Checklist for Interpretive & Critical Research (JBI QARI) recomendado pelo The Joanna Briggs Institute. Os resultados foram organizados em quadros sinópticos e analisados segundo a técnica de Análise de Conteúdo Temática-Categorial. Resultados: O conhecimento produzido sobre o processo de cuidar em Saúde e Enfermagem pode ser entendido a partir de quatro categorias principais, a saber: Categoria 1 - Fragilização dos modos de produzir cuidado em saúde; Categoria 2 - Organização dos serviços de saúde e os desafios para a gestão do cuidado; Categoria 3 - Distanciamento entre o processo formativo dos profissionais e as práticas de atenção à saúde e; Categoria 4- Fragilidades nos princípios e estratégias valorativas do processo de cuidar em Saúde e Enfermagem.
  • TACIANA DA COSTA FARIAS ALMEIDA
  • DETERMINANTES PSICOSSOCIAIS DO USO DE ANTI-HIPERTENSIVOS ORAIS: INSTRUMENTO DE MEDIDA E TECNOLOGIAS MOTIVACIONAIS
  • Data: 29/11/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A adesão ao tratamento medicamentoso da Hipertensão Arterial Sistêmica envolve o comportamento de „tomar os anti-hipertensivos‟ orais. Essa ação favorece a adesão, que é considerada um desafio para as equipes de saúde, por envolver fatores psicossociais que nem sempre estão sob o controle volitivo dos indivíduos, o que incorre em baixa adesão, com consequentes complicações cardiovasculares. Objetivo: Desenvolver tecnologias motivacionais a partir da identificação dos determinantes psicossociais do comportamento tomar os anti-hipertensivos orais, com suporte teórico metodológico da Teoria do Comportamento Planejado. Método: Estudo metodológico. Participaram 278 indivíduos com hipertensão arterial sistêmica. Utilizaram-se entrevistas, questionários e roteiros de avaliação. A análise dos dados se deu por análise de conteúdo, Índice de Validade de Conteúdo (IVC), Alpha de Cronbach, testes de Qui-Quadrado, Exato de Fisher, Correlação de Spearman, e Regressão logística com teste de Wald e R2 de Nagelkerke. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE:79671317.3.0000.5182), e a realização da pesquisa ocorreu no período de dezembro de 2017 a outubro de 2019. Resultados: Fase I: elaborou-se questionário com 40 itens e, após análise dos especialistas, obteve-se a versão 2 com 36 itens. O instrumento obteve IVC=0,93 de clareza, IVC=0,90 de pertinência dos itens e IVC=1,00 para abrangência dos constructos. O alfa de Cronbach geral do instrumento foi de 0,82. Fase II: todos os constructos da teoria, acrescidos do comportamento passado, apresentaram associação positiva (p<0,01) na predição da intenção comportamental, com força de correlação que variou de fraca, moderada a forte. As crenças comportamentais, norma subjetiva e controle comportamental percebido comportaram-se como preditores significativos da intenção comportamental, com modelo de regressão logística múltipla apresentando R2=33%. Fase III: foram elaborados e validados um vídeo e 29 mensagens (15 positivas e 14 negativas). O vídeo apresentou IVC=0,93 para clareza e IVC=1,00 para relevância. Todas as mensagens apresentaram IVC≥0,80 em relação ao conteúdo e ilustrações e foram 100% abrangentes. Fase IV: o protótipo desenvolvido dispõe dos itens: contatos; medicações em uso e controles; tela inicial com vídeo persuasivo; mensagens persuasivas positivas e negativas, abordando argumentos relacionados às crenças emitidas em relação à tomada dos anti-hipertensivos. Conclusão: A identificação dos determinantes psicossociais de “tomar os comprimidos prescritos para controlar a hipertensão arterial” permitiu o desenvolvimento de diferentes tipos de tecnologias: instrumento de medida da intenção comportamental, comunicações persuasivas e mensagens persuasivas, a serem inseridas em aplicativo para uso em smartphone. Inovações tecnológicas podem e devem ser aplicadas no contexto da saúde, incorporadas às ações educativas, especialmente desenvolvidas por profissionais de enfermagem, considerando as potenciais contribuições destes recursos na motivação ao autocuidado e autogerenciamento da saúde dos indivíduos com doenças crônicas e, particularmente, com hipertensão arterial sistêmica.
  • THAIZA FERREIRA DA COSTA
  • Estrutura de Famílias de Pacientes com Câncer em Cuidados Paliativos:estudo à luz do Modelo Calgary de Avaliação Familiar
  • Orientador : PATRICIA SERPA DE SOUZA BATISTA
  • Data: 31/10/2019
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: os cuidados paliativos se apresentam como uma modalidade terapêutica com abordagem interdisciplinar que consistem em um conjunto de ações voltadas para pacientes com doenças ameaçadoras a vida, visando melhorar a qualidade de vida e a dignidade dos pacientes e suas famílias. Objetivo: avaliar a estrutura de famílias de pacientes oncológicos em cuidados paliativos, à luz do Modelo Calgary. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de campo de natureza qualitativa, desenvolvida em uma instituição filantrópica, localizado na cidade de João Pessoa, Paraíba. Participaram da pesquisa, seis famílias e pacientes com câncer em cuidados paliativos. Foi realizada a avaliação estrutural das famílias de pacientes oncológicos sob cuidados paliativos. Para a coleta de dados, foi empregado os instrumentos recomendados pelo modelo de avalição familiar utilizados para delinear as estruturas internas e externas da família, que são: o genograma e o ecomapa. O material empírico foi analisado à luz do Modelo Calgary de Avaliação da Família. Por se tratar de uma pesquisa envolvendo seres humanos, foi considerado os requisitos propostos pelo Conselho Nacional de Saúde/Ministério da Saúde, através da Resolução nº 466/2012. Resultados: a avaliação familiar das seis famílias estudadas permitiu compreender os principais aspectos relacionados as estruturas internas e externas, bem como o contexto familiar. Além desse aspecto, foram identificados os vínculos dos pacientes e seus relacionamentos no núcleo familiar e no meio onde estão inseridos, apresentando a rede de apoio e a reorganização da dinâmica familiar após o adoecimento de seus familiares. Conclusão: o Modelo Calgary de Avaliação da Família poderá ser aplicado para diagnosticar a estrutura familiar de pacientes em cuidados paliativos, principalmente aqueles que se encontram em tratamento do câncer, visando melhorar a assistência e a qualidade de vida do paciente e da família.
  • NUNO DAMACIO DE CARVALHO FELIX
  • SUBCONJUNTO TERMINOLÓGICO DA CIPE® PARA PESSOAS COM SÍNDROME METABÓLICA: BASE CONCEITUAL PARA A TEORIA DE MÉDIO ALCANCE DO CUIDADO NO CONTEXTO DE RISCO CARDIOVASCULAR
  • Data: 18/10/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Em tese, afirma-se, que os diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem subsidiam a estruturação do Subconjunto Terminológico da CIPE® para pessoas com síndrome metabólica, aplicável à prática de enfermagem direcionada aos adultos com a síndrome na Atenção Primária à Saúde (APS), permitindo a indução de uma teoria de médio alcance para o cuidado no contexto de risco cardiovascular. Objetivos: Analisar os conceitos risco cardiovascular e síndrome metabólica; Estruturar um Subconjunto Terminológico da CIPE® para pessoas com síndrome metabólica na APS, composto por uma terminologia especializada com diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem; Realizar a aplicação clínica do Subconjunto com adultos com síndrome na APS; e Desenvolver uma teoria de médio alcance para o cuidado no contexto de risco cardiovascular, a partir da indução pela pesquisa e pelos padrões da prática oriundos do Subconjunto estruturado e aplicado. Métodos: Trata-se de um estudo de métodos múltiplos, desenvolvido por meio das seguintes etapas: 1) Análise dos conceitos; 2) Estruturação do Subconjunto Terminológico da CIPE® para pessoas com síndrome metabólica; 3) Aplicação clínica do Subconjunto com adultos com a síndrome na APS; 4) Indução da teoria de médio alcance do cuidado no contexto de risco cardiovascular pela pesquisa e da prática. Obteve-se a aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa, sob o protocolo nº 2.994.892. Resultados: Após análise conceitual, o risco cardiovascular foi definido como contexto de saúde e de cuidado que permite a identificação de grupos com fatores de risco para doenças cardiovasculares, modificáveis e não modificáveis, que atuam como marcadores precoces e inter-relacionados, de etiologia múltipla e heterogênica que predispõe à vulnerabilidade do indivíduo e sua coletividade. Tem-se que o conceito síndrome metabólica está vinculado como fenômeno central do risco cardiovascular, com atributos no contexto da Enfermagem, bem como antecedentes e consequentes relacionados aos critérios diagnósticos, hábitos de vida e acometimento por doenças cardiometabólicas. Somado aos conceitos analisados, tem-se a terminologia especializada para o cuidado direcionado a pessoa com a síndrome, composta por 389 conceitos primitivos, sendo 56,3% constantes na versão 2017 da CIPE®. Realizou-se a definição operacional de 61 diagnósticos/resultados de enfermagem construídos por meio da terminologia, sendo construídos 179 intervenções de 9 enfermagem, todos submetidos a validação de conteúdo, em que 90% ou mais dos avaliadores consideraram válidos 55 diagnósticos/resultados e 169 intervenções de enfermagem que compuseram a o Subconjunto Terminológico da CIPE®. Realizou-se a aplicação clínica do Subconjunto com 22 adultos com a síndrome na APS, sendo identificados 34 diagnósticos, 46 resultados e 110 intervenções de enfermagem, em sua maioria, nas necessidades psicobiológicas. A base conceitual estruturada e aplicada na prática permitiu a indução da Teoria do Cuidado no Contexto de Risco Cardiovascular (TEORISC), composta pela contextualização, finalidade, pressupostos e proposições, além da esquematização e diagramação da Teoria para guiar o enfermeiro no cuidado aos indivíduos em risco cardiovascular, em que a síndrome metabólica insere-se como fenômeno central. Tem-se um estudo inédito e inovador para o contexto de cuidado em saúde e de enfermagem para reduzir a morbimortalidade por doenças cardiovasculares e diabetes mellitus a médio e longo prazo da população mundial. Implicações para a prática e para a pesquisa: Destaca-se o potencial dos produtos desse estudo na produção de conhecimento e de cuidado para redução do risco cardiovascular, desenvolvido pela equipe multiprofissional e liderado por enfermeiros, utilizando um sistema de classificação e fundamentado na TEORISC. Conclusão: Confirma-se a tese do estudo por meio de uma base conceitual na Enfermagem, utilizando um sistema de classificação com potencialidade para inserção nos sistemas de informação em saúde e geração de indicadores, a serem norteados e testados por uma teoria de médio alcance para fundamentar o cuidado de enfermagem e saúde no contexto de risco cardiovascular.
  • CAMILLA DE SENA GUERRA BULHÕES
  • Histórias de mães de crianças com a síndrome congênita pelo zika vírus: caminhos entrelaçados de cuidado
  • Data: 11/10/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivos: Conhecer as histórias das mães de crianças com a síndrome congênita adquirida pelo zika vírus e a trajetória do cuidado na Rede de Atenção à Saúde. Método: Estudo qualitativo, descritivo e exploratório, embasado pelo referencial teórico-metodológico da História Oral, mais especificamente, a História Oral Temática. Na primeira etapa do estudo, foi utilizado o método misto, referente a aplicação do Self-Reporting Questionnaire, com 15 mães a partir da coleta, análise e combinação de técnicas de pesquisa quantitativa e qualitativa em um mesmo desenho de pesquisa. Na segunda etapa, foram realizadas entrevistas individuais com 13 mães. Ambas as etapas foram realizadas numa Regional de Saúde do estado de Pernambuco, Brasil. Os dados da primeira etapa do estudo foram digitados e codificados em uma planilha eletrônica do programa Excel versão 2010. As entrevistas foram transcritas e analisadas com o auxílio do software IRAMUTEQ, versão 0.7. Resultados e discussão: Observou-se que 10 mulheres apresentaram resultado positivo para o sofrimento mental. O diagnóstico de microcefalia dos filhos, decorrente da infecção pelo Zika vírus, remetem às mães desde a gravidez demandas de adaptação ao novo estilo de vida associado às responsabilidades pelo cuidado. A vivência das mães com filho deficiente é um fenômeno marcado por desafios terapêuticos, sobrecarga, anulação, sofrimento psíquico, o medo da perda/morte ou não evolução do quadro da criança, a exaustão física e psicológica em decorrência dos cuidados contínuos e o aparecimento/agravamento de conflitos que repercutiram negativamente na dinâmica familiar, ademais de enfrentamentos individuais por meio da fé, e os sociais, que resultam da relação de apoio com sua rede social. A compreensão das histórias das mães de crianças com a síndrome possibilitou a reflexão sobre os desafios relacionados a deficiência e dependência dos seus filhos por cuidados diários, dos inúmeros problemas no percurso do itinerário terapêutico, dentre eles, o uso simultâneo dos serviços, falta de referência no município, problemas estruturais na Rede de Atenção à Saúde, lacunas na assistência à saúde primária, com consequente desarticulação e fragmentação no cuidado a criança e a família. Considerações finais: O contexto da síndrome, associada às baixas condições socioeconômicas, revelaram a magnitude e peculiaridades da problemática que permeiam os limites à dignidade, não apenas na qualidade de vida das mães, mas na precariedade da vida de mulheres negligenciadas pelo Estado e sociedade. Conhecer as histórias dessas mulheres possibilita perceber as suas reais necessidades, auxiliando ao profissionais de saúde em uma tomada de decisão crítica e na elaboração de novas estratégias de cuidado que valorizem o autocuidado e o fortalecimento de suas identidades e potencialidades. Que esta investigação possa ampliar horizontes de pesquisa, suscitar discussões mais intensas e novas perspectivas metodológicas para estudos que envolvam o itinerário terapêutico e o cuidado das mães de crianças com deficiência, oportunizando visibilidades para situações por vezes subestimadas no campo das práticas e das políticas de saúde e sociais.
  • BERNADETE DE LOURDES ANDRÉ GOUVEIA
  • INTENÇÃO DE USO DE ANTIDIABÉTICO ORAL E INSULINA EM PESSOAS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2.
  • Data: 29/08/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A não adesão ao tratamento do diabetes, com falhas ou descumprimento do esquema terapêutico proposto recaem em descontrole glicêmico, surgimento precoce das complicações neuropáticas e piora na qualidade de vida. O estudo de comportamentos com interesse na tomada dos medicamentos pode resultar em contribuições para a adesão terapêutica e prevenção de desfechos negativos com melhora da saúde. Objetivo: Avaliar os fatores psicossociais que explicam a intenção comportamental de pessoas com diabetes mellitus tipo 2 de usar antidiabético oral e insulina. Método: A pesquisa foi desenvolvida em duas etapas: a primeira etapa, compreendeu um estudo metodológico com levantamento das crenças sobre o uso dos antidiabéticos orais e insulina em pessoas com diabetes mellitus tipo 2, seguido da construção dos instrumentos de medida da intenção comportamental de tomar antidiabéticos orais e insulina e da validação de conteúdo destes instrumentos por expertises; a segunda etapa, consistiu em estudo transversal quantitativo, com identificação dos preditores da intenção de uso dos antidiabéticos orais e insulina. as duas etapas foram realizadas no período de janeiro a outubro de 2018, no ambulatório de um hospital público. A população compreendeu todas as pessoas com diabetes mellitus tipo 2 em atendimento no serviço ambulatorial pesquisado. A amostra da primeira etapa constou de 64 participantes em uso do medicamento oral e insulina e da segunda etapa, 425 participantes na identificação dos fatores determinantes da intenção comportamental. O Parecer nº. 2.446.500 foi emitido pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CAAE 80456917.9.00005183). Resultados: A principal vantagem no uso dos antidiabéticos orais foi manter o diabetes controlado e as desvantagens foram, dor e desconforto gástrico, enjoo e diarreia. Entre os referentes positivos foi indicada a família (filhos, mãe irmãos); como facilidade, tomar os comprimidos com água e como dificuldade, o tamanho dos comprimidos. No uso de insulina, como vantagem, manter o diabetes controlado e desvantagem, dor com aplicação da insulina; entre os referentes, os filhos apresentaram maior representação; como facilidade, a aplicação da insulina e como barreira, dificuldade na aplicação da insulina. O instrumento voltado ao uso de antidiabéticos orais teve redução de 34 para 26 itens e o de insulina de 45 para 40 itens, com IVC entre 0,80 a 1,0 para clareza e pertinência. As crenças comportamentais são os determinantes psicossociais que melhor explicam a variabilidade da intenção de tomar os antidiabéticos orais, enquanto que as crenças normativas explicam a intenção de tomar insulina. Conclusão: A variável que explica a intenção de tomar os antidiabéticos orais advém das crenças de manter o diabetes controlado, da facilidade do tratamento, melhora da saúde e não precisar tomar insulina. A intenção de tomar insulina é explicada pelos referentes sócio-familiares que apoiam o tratamento. Têm-se como produtos não somente a indicação dos fatores que influenciam os comportamentos pesquisados, como também instrumentos ajustados e capazes de medir o efeito de intervenções voltadas diretamente a estes fatores, com maior potencial de influenciar o uso de antidiabéticos orais e insulina e podendo ser aplicadas por equipe multiprofissional e, particularmente, pela enfermagem, nas ações de educação em saúde e em outras modalidades de intervenção.
  • ADRIANA MONTENEGRO DE ALBUQUERQUE
  • Efetividade de uma intervenção educativa no conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção de lesão por pressão na terapia intensiva.
  • Data: 22/08/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A prevenção de lesão por pressão é um fator fundamental na qualidade assistencial de um paciente crítico na terapia intensiva. Objetivo: Analisar a efetividade de intervenção educativa no conhecimento de profissionais de enfermagem de terapia intensiva, no que concerne a prevenção de lesão por pressão. Método: Pesquisa quase experimental, comparativa e de intervenção educativa, com abordagem quantitativa, realizada de março a novembro de 2018, com profissionais de enfermagem de terapia intensiva de seis unidades de terapia intensiva da Paraíba. A pesquisa constou de três etapas: 1ª) Caracterização sóciodemográfica e aplicação do Teste de Conhecimento sobre lesão por pressão (TCLPCaliri- Pieper), demoninado pré-teste, constituído de 41 questões objetivas sobre Avaliação, Estadiamento e Prevenção; 2ª) Intervenção Educativa intitulada “Prevenção da lesão por pressão na terapia intensiva”, pautada na Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel. Aplicou-se metodologia ativa por meio de questões problematizadoras e estudos de casos clínicos elaborados para a realidade da terapia intensiva, com leitura e discussão entre os profissionais, totalizando 18 intervenções nas seis unidades de terapia intensiva pesquisadas, e 3ª) Aplicação do Pós-teste (TCLP-Caliri-Pieper). Os dados foram coletados após aprovação do comitê de ética sob parecer Nº. 2.495.293, e analisados por meio da estatística descritiva e inferencial (teste Mann-Whitney, Wilcoxon, índice de dificuldade Rash e Alpha de Crombrach). Resultados: Participaram 145 profissionais de enfermagem no préteste e 91 na intervenção educativa e pós-teste. Predominou o sexo feminino (78,6%), a faixa etária de 31 a 50 anos (80,0%), experiência profissional em terapia intensiva de 6 a 10 anos (32,4%), com pós-graduação em nível de especialização (69,0%). A intervenção educativa possibilitou a interação entre a pesquisadora e os profissionais, que potencializou reflexão pela temática e compartilhamento de experiências práticas, na qual aplicaram-se os sete passos descritos pelo teórico para a aprendizagem significativa. Identificou-se 34 questões no pós-teste com índices igual ou >90% para as dimensões avaliação, estadiamento e prevenção que apresentou resultados estatisticamente significativos com valor-p <0,005. Conclusão: A intervenção educativa mostrou-se efetiva, revelando alterações significativas na mudança de conhecimento teórico pós-aprendizagem dos profissionais de enfermagem, confirmando a hipótese alternativa desta pesquisa.
  • ADRIANA MONTENEGRO DE ALBUQUERQUE
  • Efetividade de uma intervenção educativa no conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção de lesão por pressão na terapia intensiva
  • Data: 22/08/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A prevenção de lesão por pressão é um fator fundamental na qualidade assistencial de um paciente crítico na terapia intensiva. Objetivo: Analisar a efetividade de intervenção educativa no conhecimento de profissionais de enfermagem de terapia intensiva, no que concerne a prevenção de lesão por pressão. Método: Pesquisa quase experimental, comparativa e de intervenção educativa, com abordagem quantitativa, realizada de março a novembro de 2018, com profissionais de enfermagem de terapia intensiva de seis unidades de terapia intensiva da Paraíba. A pesquisa constou de três etapas: 1ª) Caracterização sóciodemográfica e aplicação do Teste de Conhecimento sobre lesão por pressão (TCLPCaliri- Pieper), demoninado pré-teste, constituído de 41 questões objetivas sobre Avaliação, Estadiamento e Prevenção; 2ª) Intervenção Educativa intitulada “Prevenção da lesão por pressão na terapia intensiva”, pautada na Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel. Aplicou-se metodologia ativa por meio de questões problematizadoras e estudos de casos clínicos elaborados para a realidade da terapia intensiva, com leitura e discussão entre os profissionais, totalizando 18 intervenções nas seis unidades de terapia intensiva pesquisadas, e 3ª) Aplicação do Pós-teste (TCLP-Caliri-Pieper). Os dados foram coletados após aprovação do comitê de ética sob parecer Nº. 2.495.293, e analisados por meio da estatística descritiva e inferencial (teste Mann-Whitney, Wilcoxon, índice de dificuldade Rash e Alpha de Crombrach). Resultados: Participaram 145 profissionais de enfermagem no préteste e 91 na intervenção educativa e pós-teste. Predominou o sexo feminino (78,6%), a faixa etária de 31 a 50 anos (80,0%), experiência profissional em terapia intensiva de 6 a 10 anos (32,4%), com pós-graduação em nível de especialização (69,0%). A intervenção educativa possibilitou a interação entre a pesquisadora e os profissionais, que potencializou reflexão pela temática e compartilhamento de experiências práticas, na qual aplicaram-se os sete passos descritos pelo teórico para a aprendizagem significativa. Identificou-se 34 questões no pós-teste com índices igual ou >90% para as dimensões avaliação, estadiamento e prevenção que apresentou resultados estatisticamente significativos com valor-p <0,005. Conclusão: A intervenção educativa mostrou-se efetiva, revelando alterações significativas na mudança de conhecimento teórico pós-aprendizagem dos profissionais de enfermagem, confirmando a hipótese alternativa desta pesquisa.
  • SAMILLA GONCALVES DE MOURA
  • Representações Sociais de idosos sobre o álcool e outras drogas.
  • Data: 31/07/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o consumo do álcool e outras drogas é um fenômeno que carece de mais investigações na população idosa. Objetivos: analisar as representações sociais sobre o alcoolismo e outras drogas construídas por idosos e avaliar o uso de risco de álcool e outras drogas em idosos. Método: estudo exploratório de abordagem mista, subsidiado na teoria das Representações Sociais, realizado com 200 idosos residentes no município de João Pessoa/PB e Cabedelo/PB. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética sob o parecer nº 2.190.153 e CAAE nº 67103917.6.0000.5188. Nas Instituições de Longa Permanência e grupos de convivência foram realizadas as entrevistas e aplicados os seguintes instrumentos: o roteiro de entrevista com questões abertas e o Teste de Associação Livre de Palavras, o Short Michigan Alcoholism Screening Test Geriatric e um formulário sociodemográfico, que foram processados pelo software IRaMuTeQ e SPSS. Resultados: os idosos tinham em média 70 anos; eram do sexo feminino, pardos, católicos e viúvos; sabiam ler e escrever; frequentaram a escola por mais de 6 anos; eram aposentados e recebiam entre 1 e 2 salários mínimos. Os idosos institucionalizados residiam há menos de 5 anos e recebiam visitas semanalmente. 14% dos entrevistados faziam uso de risco do álcool. O significado de álcool e outras drogas ancorou-se na atitude negativa do idoso devido aos danos ao indivíduo, família e sociedade. Emergiram as classes: 1. Violência associada às drogas; 2. Consequências da droga; 3. Motivação para o uso de drogas; 4. Drogas e exclusão social. Considerações finais: o uso de álcool e outras drogas causa prejuízo à saúde física e psicológica, efeitos morais e sociais, como os conflitos familiares e gastos; observa-se o aumento do número de acidente de trânsito, violência e mortes prematuras veiculados pela mídia; traz enorme repercussão social e econômica. As políticas de saúde devem contemplar os idosos, uma vez observadas as tendências para o aumento do uso nessa população.
  • FABIANA MARIA RODRIGUES LOPES DE OLIVEIRA
  • Validação clínica do diagnóstico de enfermagem síndrome do idoso frágil
  • Data: 29/07/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: a fragilidade não possui consenso sobre sua definição teórica na literatura gerontológica, e diante da característica multifatorial e multidimensional da síndrome, torna-se complexo delimitar atributos operacionais que sejam fidedignos aos aspectos vivenciados pelos idosos frágeis. Assim, os elementos do diagnóstico de enfermagem Síndrome do Idoso Frágil contidos na NANDA-I podem não ser precisos para revelar a realidade vivenciada por idosos frágeis. Objetivo: validar clinicamente o diagnóstico de enfermagem da NANDA-I Síndrome do Idoso Frágil em idosos hospitalizados. Método: trata-se de um estudo metodológico realizado com 40 idosos internados nas duas unidades clínicas do Hospital Universitário Lauro Wanderley, João Pessoa, Paraíba, Brasil. Para efetivá-lo, adotou-se a última fase do Modelo de Validação de Diagnóstico de Enfermagem de Hoskins: validação clínica. A coleta de dados foi realizada no período de agosto a dezembro de 2018, no referido hospital, por meio da realização da primeira etapa do Processo de enfermagem. Esta etapa foi efetivada, simultaneamente, por duas enfermeiras, doutorandas em enfermagem e com experiencia na área de saúde do idoso. A análise dos dados foi efetivada numa abordagem quantitativa por meio da estatística descritiva de natureza univariada para todas as variáveis. Ademais, foram utilizados os testes de concordância sobre a presença ou ausência dos indicadores diagnósticos (Kappa), o coeficiente de confiabilidade ponderado entre os diagnosticadores e o cálculo do escore total do diagnóstico. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética e pesquisa do referido hospital com número de protocolo: 3.328.306. Com vistas a compreender melhor o fenômeno, foi desenvolvido, ainda, um capítulo sobre o estado da arte da fragilidade, operacionalizado por meio da revisão integrativa da literatura. Resultados: o diagnóstico de enfermagem Síndrome do Idoso Frágil da Taxonomia da NANDA-I apresenta 13 características definidoras, 19 fatores de risco, 10 identificadores de populações em risco e 14 condições associadas. Foram validados, em nosso contexto, nove características definidoras: deambulação prejudicada; débito cardíaco diminuído; déficit no autocuidado para banho; déficit no autocuidado para higiene íntima; déficit no autocuidado para vestir-se; fadiga; intolerância a atividade; mobilidade física prejudicada e nutrição desequilibrada: menor do que as necessidades corporais); 7 fatores de risco (equilíbrio prejudicado; força muscular diminuída; fraqueza muscular; intolerância a atividade; média de atividade física diária inferior à recomendada para idade e sexo; medo de quedas e mobilidade física prejudicada); 6 populações em risco (baixo nível educacional; desfavorecido economicamente; história de quedas; hospitalização prolongada; idade maior que setenta anos e sexo feminino) e 2 condições associadas (caminhada de menos de quatro metros requer mais de cinco segundos e doença crônica). Além disso, a concordância para o referido diagnóstico foi de 0,78 (kappa), o coeficiente de confiabilidade foi 0,96, e o escore total foi de 0,69. Conclusão: a validação do diagnóstico de enfermagem Síndrome do Idoso Frágil em nosso contexto sociocultural foi adequada. Neste sentido, espera-se que este estudo venha a contribuir com o embasamento teórico que fornece suporte para o pensamento crítico e o raciocínio diagnóstico dos enfermeiros que vivenciam o cuidado ao idoso frágil.
  • STELLA COSTA VALDEVINO
  • Adaptação transcultural e validação para uso no Brasil do Índice de Resistencia a la Enfermidad – IRE-12 em pessoas com sequelas de acidente vascular encefálico
  • Data: 26/07/2019
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O acidente vascular encefálico é a doença mais frequente em emergência clínica e uma das maiores causas de sequelas permanentes e incapacidades funcionais, comprometendo a função neurológica, podendo causar déficits motores e psicológicos importantes afetando a qualidade de vida do indivíduo, razão pela qual a adaptação e validação de um instrumento que mensure a qualidade de vida relacionada à saúde de intenção prognóstica quanto à superação ou resistência à enfermidade possibilitará uma avaliação na tomada de decisão para o cuidado de enfermagem e multiprofissional. Objetivo: Realizar adaptação transcultural e validação do questionário abreviado Índice de Resistência àEnfermidade – IRE-12 em pessoas com sequelas de acidente vascular encefálico para uso na língua portuguesa do Brasil. Método: Estudo metodológico que seguiu os passos: Tradução; retrotradução; consolidação das versões; validação semântica e de conteúdo. Após o processo de adaptação, os dados foram coletados em domicílio com 152 indivíduos com sequela de acidente vascular encefálico, no período de junho a novembro de 2018, cadastrados nas Unidades de saúde da família em João Pessoa, utilizando os instrumentos versão final do índice de resistência à enfermidade 12 itens, escala de estresse percebido com 10 itens, escala de esperança de Hert, escala de qualidade de vida específico para acidente vascular encefálico e sociodemografia. Foram realizados testes psicométricos para validação e confiabilidade da escala utilizando a teoria clássica dos testes, teoria relacionada ao item e à validação dos construtos convergentes e divergentes. A pesquisa iniciou após a aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o parecer 2.310.301. Resultados: A escala apresentou a versão consolidada, submetida duas vezes ao comitê de juízes e ao pré-teste para avaliação de conteúdo e semântica. No segundo momento, ocorreu entendimento definindo a escala final. A análise fatorial exploratória apontou estrutura bidimensional, sustentada pela análise fatorial confirmatória e teoria relacionada ao item nos fatores angústia e esperança, que se unificam para formar o índice de resistência à enfermidade. O coeficiente alfa de Cronbach no fator angústia foi de 0,809 e esperança 0,686, obtendo Alfa de Cronbach Geral de 0,673. A confiabilidade composta e variância extraída indicaram bons e excelentes os valores de fidedignidade no fator angústia, entre 0,931 e 0,697; e os do fator esperança foi 0,763 e 0,512; enquanto a comunalidade apresentou 0,393 a 0,633. Os itens 03 e 10 apresentaram-se discriminativos diferenciando os níveis de teta. O parâmetro dificuldade forneceu o posicionamento do item de forma crescente. O fator angústia foi convergente com a Escala de Estresse Percebido, enquanto a Escala de Esperança de Herth foi convergente com o fator esperança; e os dois fatores do índice de resistência à enfermidade 12 itens, foram divergentes da escala de qualidade de vida de acidente vascular encefálico. Conclusão: A escala final do Índice de Resistencia à Enfermidade com 12 itens, para o português do Brasil em duas dimensões; consiste em um instrumento válido e confiável para avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde de forma prognóstica quanto à resistência à enfermidade em pessoas com sequelas de acidente vascular encefálico.
  • GABRIELA LISIEUX LIMA GOMES
  • Validação clínica do diagnóstico de enfermagem Ansiedade da Hospitalização em crianças
  • Data: 26/07/2019
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Ansiedade da Hospitalização em crianças é um fenômeno multidimensional, caracterizado por aspectos biológicos, psicológicos e situacionais desencadeados frente a um processo estressante de inserção em ambiente hospitalar, que pode culminar em consequências ao desenvolvimento infantil. Objetivo: Validar, clinicamente, com crianças internadas em uma clínica pediátrica, o diagnóstico de enfermagem Ansiedade da Hospitalização em crianças. Percurso metodológico: Pesquisa metodológica, desenvolvida em duas etapas: 1) Refinamento do diagnóstico de enfermagem Ansiedade da Hospitalização em crianças e Reestruturação com a Teoria dos Sintomas Desagradáveis, seguido da Estruturação das definições operacionais das suas características essenciais e a Validação de conteúdo; 2) Validação Clínica, utilizando o método de Hoskins, além da estruturação e validação de conteúdo do instrumento utilizado na referida etapa. A coleta de dados aconteceu no período de agosto à dezembro de 2018 com crianças na faixa etária pré-escolar e escolar. Antes da sua execução o projeto de pesquisa foi encaminhado para apreciação e aprovado sob parecer n° 2.320.617. Resultados: O Refinamento da Ansiedade da Hospitalização em crianças, seguida da Reestruturação com a Teoria dos Sintomas Desagradáveis permitiu relacionar as características essenciais do referido diagnóstico com os elementos que compõem a Teoria. Foi possível construir as definições operacionais das características essenciais da Ansiedade da Hospitalização em crianças seguida do processo de validação de conteúdo por especialistas. A Validação Clínica permitiu validar os atributos (Alterações do apetite, Dispneia, Taquicardia e Aumento do estado de Vigilância, Choro, Alteração do estado emocional, Apreensão, Diminuição da Concentração, Inquietação, Irritabilidade, Medo, Angústia, Nervosismo, Preocupação, Insegurança e Tremor), que por sua vez possibilitaram uma nova definição do diagnóstico de enfermagem em questão. Considerações Finais: A concretização do estudo permitiu a Validação Clínica do diagnóstico de enfermagem Ansiedade da Hospitalização em crianças, possibilitando testar empiricamente os atributos do referido diagnóstico de modo a atrelar o conhecimento identificado previamente na teoria com o vivenciado na prática.
  • ANA ALINE LACET ZACCARA
  • CUIDADOS PALIATIVOS À LUZ DA TEORIA FINAL DE VIDA PACÍFICO: ESTUDO COM PACIENTES E ENFERMEIROS.
  • Data: 25/07/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A terminalidade da vida pode ser um dos momentos mais difíceis para os pacientes e seus familiares. Para atender às necessidades do paciente com doença ameaçadora de vida ou terminal, é de fundamental importância os Cuidados Paliativos. Esta tese foi constituída por três estudos em modalidade de artigo. Um artigo teórico e reflexivo que teve como objetivo, avaliar a Teoria do Final de Vida Pacífico, seguindo um quadro de avaliação de teorias de enfermagem. O trabalho destacou a aplicabilidade da teoria na atuação de enfermeiros voltada ao cuidado de indivíduos em fase terminal e seus familiares. Os artigos originais tiveram como objetivos: analisar estratégias adotadas por enfermeiros ao cuidar de pacientes sob Cuidados Paliativos fundamentadas na Teoria Final de Vida Pacífico; investigar as principais necessidades de um paciente em fase terminal sob Cuidados Paliativos para alcançar um fim de vida pacífico. Metodologia: trata-se de uma pesquisa de campo de natureza qualitativa que inclui como cenário de investigação um hospital referência em cuidados prolongados, situado na cidade de João Pessoa – PB. Participaram do estudo quinze enfermeiros e quinze pacientes em fase terminal sob Cuidados Paliativos. Para a coleta de dados, foi utilizada a técnica de entrevista, a partir de um roteiro contendo questões pertinentes aos objetivos propostos. A coleta ocorreu entre os meses de outubro de 2018 e fevereiro de 2019 e só foi iniciada após aprovação do protocolo de pesquisa por um Comitê de Ética em Pesquisa, com parecer número 2.553.408. O material empírico foi categorizado por meio da técnica de análise de conteúdo de Bardin e analisado à luz da Teoria do Final de Vida Pacífico. Resultados: a partir dos dados coletados, emergiram os estudos: (1) Cuidados Paliativos na Terminalidade: estratégias de enfermagem para um final de vida pacífico. (2) Paciente Terminal em Cuidados Paliativos: estudo à luz da teoria final de vida pacífico. O primeiro manuscrito permitiu apreender as principais estratégias utilizadas por enfermeiros, direcionadas a contribuir para um final de vida pacifico. Dentre as estratégias destacam-se a espiritualidade, o atendimento aos últimos desejos do paciente e a solução de situações mal resolvidas, a música e a interação por meio de conversas e orientações. No segundo estudo, os discursos dos participantes revelam que a comunicação eficaz, a estimulação da movimentação do paciente e o respeito aos desejos alimentares contribuem para proporcionar paz e conforto, reduz a dor e permite a experiência de dignidade e respeito. Além disso, os relatos evidenciam que o distanciamento da família prejudica um fim de vida tranquilo. Conclusão: a Teoria do Final de Vida pacífico pode auxiliar na promoção de um cuidado amplo e efetivo voltado ao doente em fase terminal, além de nortear as estratégias que guiarão os profissionais que atuam, à beira do leito, para favorecer a paz, não enfocando apenas a iminência de morrer, mas contribuindo para uma vida significativa no tempo que remanesce aos pacientes. A utilização da teoria permitiu uma melhor compreensão das nuances que envolvem os cuidados de enfermagem voltados a pacientes terminais e seus familiares.
  • THAYNARA FERREIRA FILGUEIRAS
  • COMUNICAÇÃO PERSUASIVA COMO ESTRATÉGIA PARA INFLUENCIAR A INTENÇÃO DE USO DO PRESERVATIVO ENTRE MULHERES
  • Data: 25/07/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito da comunicação persuasiva positiva na intenção de uso de preservativos entre mulheres em condições de vulnerabilidade à luz da Teoria da Ação Racional. Trata-se de um estudo desenvolvido em duas fases: estudo metodológico – validação de comunicação persuasiva audiovisual direcionado ao uso do preservativo por mulheres; estudo de intervenção, do tipo before and after, com abordagem quantitativa. Na pesquisa metodológica, foram selecionados expertises de acordo com o sistema de classificação adaptado do modelo de Fehring. Seis juízes com formação em comunicação validaram a comunicação e os dados foram analisados a partir da estatística descritiva, com nível de confiança de 95% e margem de erro de 5%. Para validação, utilizou-se o Índice de Validade do Conteúdo dos Itens e Índice de Validade do Conteúdo Geral. Na segunda fase, cinquenta mulheres residentes no aglomerado subnormal foram alocadas aleatoriamente no grupo exposto a comunicação persuasiva positiva e responderam o instrumento antes e após assistirem a comunicação. A análise teve como foco a avaliação do efeito da comunicação persuasiva positiva sobre a medida da intenção comportamental de uso de preservativos e dos seus determinantes. Os dados foram analisados a partir da estatística inferencial, organizados, codificados e apresentados em tabelas. Os testes utilizados foram t de Student pareado e testes de Correlação e Regressão múltipla por etapas. A pesquisa seguiu os critérios estabelecidos na Resolução 466/2012 e obteve CAAE nº 58597416.3.0000.5188. Como resultado da validação do recurso audiovisual, este não necessitou de ajustes, pois o Índice de Validade do Conteúdo foi superior a 0,80 para todos os critérios definidos. Quanto aos efeitos da comunicação, identificou-se evidência de fortalecimento do poder de explicação do comportamento ‘usar preservativo’ pela atitude (R2=0,942). A comunicação persuasiva positiva influenciou a intenção de uso do preservativo entre o grupo pesquisado, evidenciando a teoria como modelo adequado para a compreensão dos fatores relacionados e que explicam o comportamento de interesse. O recurso audiovisual empregado no presente estudo foi compreendido e revelou-se estratégia eficaz e inovadora.
  • ALINNE BESERRA DE LUCENA MARCOLINO
  • Vivência das sexualidades: o que dizem as pessoas com deficiência intelectual?
  • Data: 22/07/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A sociedade ainda lida de modo preconceituoso com a sexualidade de pessoas com deficiência por se tratar de ―diferenças‖ em relação aos padrões definidores de normalidade, tornando esta discussão pertinente para a construção de novas abordagens com esta temática. Objetivo: Analisar o modo como se configuram as vivências das sexualidades de pessoas com deficiência intelectual. Percurso Metodológico: Estudo descritivo, de abordagem qualitativa que utiliza a teoria dos roteiros sexuais de Gagnon como referencial teórico. Envolveu 16 pessoas com deficiência intelectual, maiores de 18 anos, classificadas pelo Código Internacional de Doenças (CID -10)/ F-70.1 como pessoas com grau de deficiência intelectual leve, usuárias da APAE/JP. Como recurso para a coleta de dados empregou-se a entrevista semiestruturada e o período da coleta foi de março à setembro de 2017. O corpus proveniente das entrevistas foi processado pelo software IRaMuTeQ e analisado pela Classificação Hierárquica Descendente, Análise de Conteúdo e Nuvem de Palavras. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, conforme o protocolo CAAE 59410216.4.0000.5188. Resultados: Emergiram cinco classes de conteúdos relacionados à sexualidade de pessoas com deficiência intelectual: ―sentidos atribuídos à sexualidade‖, ―cuidado e proteção‖, ―suporte social e emocional‖, ―obstáculos dialógicos‖ e ―fontes de informações‖. A sexualidade foi referida nas interações corporais, envolvendo carinho, amor, afetividade e compromisso com o outro. Ainda foi apontada exclusivamente como forma de expressar os desejos e prazeres. Foi identificada a ocorrência de namoros, consentida por adultos, quase sempre sem preservativo, utilizando o anticoncepcional como método contraceptivo. O diálogo com os familiares ainda é insuficiente, falho e/ou pouco preciso e o acesso a informações sobre sexualidade é superficial, procedente de internet e televisão. Considerações Finais: A sexualidade das pessoas com deficiência intelectual é bastante semelhante à das demais quanto a expressão do desejo erótico e a exposição aos padrões sociais. Evidenciamos permanências culturais normalizadas, reguladas e controladoras que influenciam não apenas os roteiros interpessoais, mas também os roteiros intrapsíquicos. Estratégias educativas devem ser adotadas, incluindo familiares, educadores e pessoas com deficiência intelectual, nas quais sistemas de apoio personalizados, destituídos de repressão, culpa e medicalização de condutas possam ajudá-los a vivenciar plenamente suas sexualidades.
  • JOSE MELQUIADES RAMALHO NETO
  • Subconjunto terminológico da CIPE® para pacientes graves com Sepse
  • Data: 22/07/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A despeito de todo o avanço da ciência contemporânea para o suporte artificial das funções orgânicas do paciente grave, a sepse constitui uma síndrome clínica na qual uma resposta desregulada do organismo à infecção, mediada por reação sistêmica do sistema imunológico do hospedeiro frente a um determinado microrganismo infectante, ocasiona disfunção orgânica ameaçadora à vida e, consequentemente, representa uma das maiores causas de morte em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de todo o mundo. Objetivo: Desenvolver um Subconjunto Terminológico da CIPE® para pacientes graves com Sepse, tendo como suporte teórico as Necessidades Humanas Básicas de Horta. Método: Pesquisa metodológica desenvolvida em quatro etapas. A primeira etapa consistiu na identificação de termos relevantes para o cuidado de pacientes graves com sepse a partir de 87 artigos científicos acerca da temática e de registros de enfermagem em 47 prontuários clínicos de pacientes sépticos admitidos na UTI Adulto do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (HULW-UFPB); na segunda etapa, houve o mapeamento cruzado dos termos identificados com os termos da CIPE®; a terceira etapa envolveu a construção e validação de conteúdo por consenso dos enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem para o cuidado de pacientes graves com sepse; e a quarta etapa foi marcada pela estruturação do subconjunto terminológico da CIPE® para o cuidado de pacientes graves com sepse de acordo com o modelo brasileiro para desenvolvimento de subconjuntos e baseado na Teoria de Horta. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa de acordo com o Parecer n° 1.933.767. Resultados: Foram identificados 1.171 termos provenientes da literatura e dos prontuários clínicos, relevantes para a prática clínica direcionada ao paciente grave com sepse, dos quais 1.054 são termos constantes no Modelo de 7-Eixos da CIPE® Versão 2017. Foram construídos 115 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem com suas respectivas definições operacionais e elaborados 1.246 enunciados de intervenções de enfermagem, previamente classificados de acordo com a Teoria de Horta, o que permitiu a validação de conteúdo por consenso de 114 enunciados (99,1%) de diagnósticos/resultados de enfermagem, juntamente com 855 enunciados (68,6%) de intervenções de enfermagem a serem incluídos no Subconjunto terminológico da CIPE® para pacientes graves com Sepse. Conclusão: O subconjunto terminológico como uma ferramenta tecnológica à beira do leito visa promover a identificação de fenômenos de enfermagem sobre os quais enfermeiros intensivistas desenvolvem um processo de raciocínio clínico com tomadas de decisão frente às necessidades humanas afetadas de pacientes graves com sepse por meio dos enunciados validados nesta pesquisa e fundamentados na Teoria de Horta, assim como busca subsidiar um registro adequado do cuidado de enfermagem intensivo dispensado.
  • KEYLLA TALITHA FERNANDES BARBOSA
  • Vulnerabilidade da pessoa idosa: desenvolvimento do conceito
  • Data: 15/07/2019
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A vulnerabilidade consiste em um constructo multidimensional, em que condições comportamentais, socioculturais, econômicas e políticas interagem com os processos biológicos ao longo da vida. Pouco estudado na gerontologia, o conceito de vulnerabilidade na pessoa idosa necessita ser construído a partir das especificidades decorrentes do processo natural do envelhecimento humano, contribuindo para ampliação do cuidado integral à pessoa idosa. Objetivo: Desenvolver o conceito de vulnerabilidade da pessoa idosa com base no Modelo Híbrido de Desenvolvimento de Conceitos. Método: Trata-se de um estudo metodológico com caráter descritivo e abordagem qualitativa, fundamentada pelo referencial teórico-metodológico do Modelo Híbrido de Desenvolvimento de Conceitos, composto por três fases: teórica, empírica e analítica final. Para o desenvolvido da fase teórica, realizou-se a revisão integrativa da literatura a partir de publicações no Banco de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, Medical Literature Analysis and Retrival Sistem on line, SciVerse Scopus e Web of Science, utilizando os seguintes descritores: vulnerabilidade em saúde, idoso, serviços de saúde para idosos e saúde do idoso. Em seguida, foi desenvolvida a fase empírica por meio da entrevista semiestruturada com 12 profissionais (incluídos enfermeiros, psicólogo, nutricionista, fisioterapeuta e assistente social) com experiência laboral ou acadêmica no cuidado à pessoa idosa. Como método de análise das entrevistas, utilizou-se a Teoria Fundamentada nos Dados. A fase analítica final constituiu a interface entre as evidências teóricas e empíricas. O presente estudo foi apreciado pelo Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba e aprovado sob o parecer nº 1.984.562. Resultados: Ao realizar o levantamento teórico, elencou-se 36 estudos para compor a revisão integrativa da literatura, que subsidiaram o delineamento dos atributos, antecedentes e consequências do fenômeno estudado. Ademais, as evidências teóricas permitiram a definição do conceito a ser trabalhada na fase subsequente. A partir da análise dos dados, por meio da Teoria Fundamentada nos Dados, emergiram dois fenômenos: 1 – Desvelando as múltiplas alterações advindas com o processo de envelhecimento humano e 2 – Compreendendo as múltiplas dimensões do constructo da vulnerabilidade da pessoa idosa, que permitiram a aproximação com a temática sob a ótica dos profissionais da saúde. Por fim, ancorados nos discursos dos participantes do estudo e da literatura pertinente, elaborou-se o conceito da vulnerabilidade da pessoa idosa. Considerações finais: A vulnerabilidade da pessoa idosa consiste em um constructo multifacetado, em que condições individuais e coletivas interagem entre si, determinando a redução da capacidade de enfrentamento aos agravos à saúde. Diante do envelhecimento populacional, torna-se imprescindível reconhecer a heterogeneidade da senescência e, assim, estimular o desenvolvimento de práticas compatíveis com os valores, condições sociais, financeiras e estruturais da população em questão.
  • KAISY MARTINS DE ALBUQUERQUE MADRUGA
  • ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL DA GENERAL SELF EFFICACY SCALE-12 PARA O PORTUGUÊS DO BRASIL EM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA
  • Data: 12/07/2019
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A deficiência física é representada pelas pessoas que apresentam perdas ou anormalidades de estrutura anatômica resultando em limitações na realização de uma ou mais atividades importantes da vida. Muitos são os casos de pessoas que transpõem as barreiras encontradas e conseguem viver de forma autônoma e independente, essa característica pode estar diretamente relacionada a manutenção da autoeficácia, que influencia a capacidade de estabelecer metas, o grau de esforço e persistência para alcançar objetivos, sendo imprescindível a utilização de escalas para a sua mensuração. Objetivo: Realizar a adaptação transcultural da General Self Efficacy-12 Scale em pessoas com deficiência física no Brasil. Método: Estudo metodológico de adaptação transcultural, que seguiu os seguintes passos: Tradução; Retrotradução; Consolidação da versão traduzida; e Avaliação semântica e de conteúdo. Os dados foram coletados com 120 pessoas com deficiência física, por meio de entrevistas, em um centro especializado, no período de Julho à Outubro de 2018. Foram realizados testes psicométricos para validação e confiabilidade da escala e avaliação da média dos itens da GSES-12 e sua comparação com grupos distintos. A pesquisa iniciou após a aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa com o parecer nº 2.676.109. Resultados: A tradução e retrotradução não apresentaram alterações. A última versão da escala foi submetida a um pré-teste, que apresentou poucos problemas de compreensão, sendo ajustados. Com a estrutura unidimensional, o fator explicou 28,16% de variância. Quanto as cargas fatoriais, a maioria dos itens fatoraram acima de 0,30. A comunalidade foi de 0,002 à 0,519, a confiabilidade composta (CC) de 0,750 e a variância média extraída (VME) de 0,547. A unidimensionalidade foi apoiada pela análise fatorial confirmatória. O alfa de Cronbach foi de 0,76. Na Teoria de Resposta ao Item atendeuse ao critério da unidimensionalidade, a maioria dos itens apresentou uma discriminação baixa e o item 11 se destacou como o mais discriminante (1,025). Com relação ao parâmetro de dificuldade, ocorreu de forma crescente, a categoria 1 representada pelos níveis 1 e 2 foi considerada mais fácil e a 5 mais dificil, constituída pelos níveis 4 e 5. A escala apresentou validade convergente com resiliência e autoestima e divergente com a escala de estresse percebido. Houve associação com o estado de saúde e o tempo de deficiência. Conclusão: A escala adaptada e validada para o português do Brasil é um instrumento eficaz para a mensuração da autoeficácia, sendo de significativa importância para a prática da Enfermagem, utilizando-a tanto para as pessoas com deficiência física como em outras populações sob maior vulnerabilidade, como pessoas idosas, indivíduos com dor e doenças crônicas, com câncer, entre outros.
  • AMANDA MARITSA DE MAGALHÃES OLIVEIRA
  • Aplicação do Modelo Calgary de Avaliação Familiar à pacientes com câncer em cuidados paliativos
  • Data: 26/06/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os cuidados paliativos constituem uma modalidade terapêutica aplicada por uma equipe multidisciplinar em prol do paciente diante de uma doença ameaçadora da vida, com vistas a uma assistência que menorize os sofrimentos, melhore a qualidade de vida e a dignidade dos pacientes e seus familiares. O Modelo Calgary de Avaliação da Familiar(MCAF) como aporte teórico metodológico para este estudo permite investigar a dimensão estrutural, desenvolvimento e funcional da dinâmica familiar, possibilitando identificar fragilidades e pontos fortes na rede de apoio familiar destes pacientes oncológicos em cuidados paliativos. Objetivos: avaliar a estrutura, o desenvolvimento e a funcionalidade de famílias de pacientes com câncer em cuidados paliativos à luz do Modelo Calgary de Avaliação Familiar. Método: trata-se de um estudo de campo com abordagem qualitativa, consubstanciada no Modelo Calgary de Avaliação da Família, realizado em um hospital filantrópico em atendimento ao câncer, localizado na cidade de Recife, Pernambuco. A amostra da pesquisa foi constituída de dez pacientes e 10 familiares. Em atendimento às observâncias éticas o projeto foi apreciado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Sociedade Pernambucana de Combate ao Câncer, sob CAAE de nº. 71835317.0.3001.5205. Para a coleta de dados utilizamos a técnica de entrevistas norteada por dois instrumentos propostos para o estudo: um instrumento de caracterização sociodemográfica e clínica, pertinentes à doença oncológica e um roteiro semiestruturado de questões elaboradas pelas pesquisadoras a partir de recomendações do MCAF. As entrevistas gravadas foram transcritas na íntegra. E possibilitou a construção dos dois instrumentos propostos pelo MCAF, o genograma e o ecomapa. O material empírico foi analisado qualitativamente, à luz do MCAF. Resultados: Os resultados advindos permitiram a construção de dois artigos: 1- Cuidados paliativos a pacientes com câncer de cabeça e pescoço: um estudo a luz do Modelo Calgary e 2- Avaliação familiar de mulheres com câncer de mama em cuidados paliativos: uma abordagem na perspectiva do Modelo Calgary. Nos dois artigos foram identificadas as dificuldades enfrentadas pelos pacientes e familiares em situação de finitude da vida. Ressaltamos que a rede de apoio estrutural e o fluxo de energia entre membros das famílias foram, em grande parte, positivos o que favoreceu para conservar a qualidade de vida do paciente nesse estágio de vida. Conclusões: As famílias participantes desse estudo apresentaram remodelações em seus papeis sociais e funcionais dentro do grupo familiar. A reorganização dos papéis foi considerada menos extenuante em famílias mais extensas, do que em famílias menos numerosas. Estratégias de união, comunicação adequada e resiliência pautadas na espiritualidade mostraram-se positivas aos cuidados paliativos. Salienta-se que esse estudo é apenas parte de um recorte da realidade, tendo em vista a magnitude e complexidade dos cuidados paliativos. Faz-se necessário a elaboração de novos estudos voltados aos cuidados paliativos à paciente com câncer, familiares, equipe multiprofissional, docentes, discentes, e gestores da área dos cuidados paliativos com ênfase nos novos modelos de cuidar em Enfermagem.
  • ISOLDA MARIA BARROS TORQUATO
  • Vigilância de crianças com risco para o desenvolvimento neuropsicomotor: um estudo de intervenção com mães
  • Data: 07/06/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A estimulação infantil é fundamental para a criança nos primeiros anos, devido à plasticidade cerebral e possibilidade de reversão de atrasos. Neste sentido, orientar familiares é uma das recomendações da Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância. Objetivo: Analisar a efetividade de uma intervenção educativa com mães para a estimulação de crianças menores de dois anos em situação de risco para o desenvolvimento neuropsicomotor. Metodologia: estudo do tipo antes-depois com abordagem mista, realizado com 52 mães de crianças matriculadas em Centros de Referência em Educação Infantil de Cuité-PB. A intervenção educativa ocorreu em 2018 em três etapas: a primeira correspondeu a elaboração e validação de um instrumento estruturado contendo 22 questões para avaliação do conhecimento materno sobre desenvolvimento e estimulação infantil. Elaborou-se ainda, uma cartilha educativa sobre estimulação infantil para as mães; Na segunda etapa realizou-se a intervenção educativa, aplicando-se o pré-teste; e na terceira etapa, reavaliou-se o conhecimento materno, reaplicando o mesmo instrumento utilizado na segunda etapa, além de entrevista com 12 mães. Para análise quantitativa e qualitativa utilizou-se estatística descritiva e inferencial com testes não paramétricos e análise temática, respectivamente. Aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa sob CAAE nº 82127817.3.0000.5188. Resultados: Houve aumento dos escores do conhecimento materno de 5,77±1,85 para 18,60±1,94 (p<0,001). Quanto aos aspectos qualitativos, observou-se nas categorias a falta de orientação profissional como fragilidades para a estimulação infantil, antes da intervenção; sobrecarga materna e a ausência paterna na estimulação da criança, como dificultadores para realização da estimulação; o uso de metodologia ativa e materiais educativos foram considerados facilitadores para melhora do conhecimento; mudanças de atitudes e socialização das informações com outras mães; empoderamento materno para identificação de alterações e autonomia para buscar novas formas de promover o desenvolvimento infantil. Considerações finais: A intervenção educativa mostrou-se efetiva, pois contribuiu para a melhora do conhecimento materno sobre o desenvolvimento e estimulação infantil de crianças em risco, como também favoreceu mudanças de atitudes no domicílio. Contudo, foram observadas fragilidades no conhecimento quanto ao domínio comunicação infantil, sendo recomendada a continuidade das intervenções educativas com as mães, familiares e cuidadores para melhora do desenvolvimento saudável de crianças.
  • FRANCILENE FIGUEIRÊDO DA SILVA PASCOAL
  • O trabalhador do Complexo Psiquiátrico no “País Das Maravilhas”: burnout, sobrecarga, satisfação laboral e autoestima
  • Data: 17/05/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Trabalhadores de instituição psiquiátrica lidam com pacientes com transtorno mental grave e muitas vezes, com más condições laborais e organizacionais que podem gerar sobrecarga, insatisfação, baixa autoestima e, consequentemente, desenvolver a Síndrome de Burnout (SB). Este estudo emergiu como uma proposta de compreender o fenômeno psicossocial que envolve a SB neste serviço. Objetivo: Analisar burnout, Sobrecarga no trabalho, Satisfação laboral e Autoestima em trabalhadores de um Complexo Psiquiátrico (CP) localizado no município de João Pessoa – PB. Método: Estudo transversal, de abordagem quanti-qualitativa, realizado com 188 trabalhadores. Os instrumentos de pesquisa foram: Questionário Sociodemográfico; Cuestionario para la Evaluación del Síndrome de Quemarse por el Trabajo; Escala de avaliação de Impacto laboral, Questionário de Satisfação no Trabalho e Escala de Autoestima. A coleta de dados ocorreu entre os meses de setembro de 2017 e abril de 2018 no CP, após a aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa - CAAE: 77103317.0.0000.5188. Os dados da abordagem quantitativa foram analisados através do programa estatístico PSPP 1.0.1. Foram realizadas análises estatísticas descritivas, considerando Médias aritméticas, Desvios Padrões e correlação de Pearson entre as variáveis. A confiabilidade das escalas foi testada com a medida de alfa de Cronbach. As respostas referentes às questões descritivas da Escala de Impacto foram processadas pelo Software IRAMUTEQ e submetidos à análise de conteúdo. Resultado: Foi identificado 4% (N=7) dos participantes com estado característicos de adoecimento por burnout, baixa Sobrecarga no trabalho (M= 1,41, DP=0,48), Satisfação mediana (M=3,55, DP=0,91) e Autoestima alta (M=33,69, DP=3,95). Houve correlação negativa da SB com a Autoestima e com a Satisfação no trabalho, enquanto que houve associação positiva com o Impacto laboral. Na análise qualitativa emergiram duas categorias - “Aspectos da Sobrecarga laboral” e “Estratégias/recomendações para amenizar a sobrecarga”. Conclusão: Houve adoecimento por burnout na amostra pesquisada, embora tenha sido revelada baixa sobrecarga, satisfação mediana e autoestima satisfatória, o que indica que outras características necessitam ser investigadas e que parecem reduzir a ocorrência da Síndrome de Burnout. Tal como foi observado neste trabalho, apesar de todas as condições difíceis, os trabalhadores parecem se ver no País da Maravilhas de Lewis Carrol.
  • TÂMELA COSTA
  • ANSIEDADE DE INFORMAÇÃO: estudo com universitários de enfermagem
  • Data: 30/04/2019
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A ansiedade de informação entre universitários de Enfermagem pode se manifestar pela busca de informações e atualizações constantes. Objetivos: Investigar como os universitários de Enfermagem percebem em si a ansiedade de informação no contexto das Tecnologias de Informação e Comunicação; evidenciar estatisticamente que fatores são determinantes para a ocorrência da ansiedade de informação; e analisar a ansiedade de informação, a partir do olhar dos universitários de Enfermagem. Método: Estudo exploratório e descritivo de abordagem quanti-qualitativa desenvolvido no Centro de Ciências da Saúde – UFPB, com 181 universitários de Enfermagem, aplicação de questionário estruturado e entrevista com 10 universitários da mesma amostra. Os dados quantitativos foram obtidos por estatística descritiva, testes de associação entre variáveis e ajuste do modelo de Regressão Logística, e os dados qualitativos por Análise de Conteúdo de Bardin. Aprovação no Comitê de Ética e Pesquisa, CAAE: 87242318.8.0000.5188. Resultados: As variáveis Volume de informação, Sala de aula, Crença de que o outro compreende tudo, Queda de desempenho, Indisposição, Distúrbios do sono e Dor de cabeça fornecem evidência para a ocorrência de ansiedade de informação entre universitários de Enfermagem. A abordagem qualitativa originou 5 classes: Filtrando a informação, Conectando com o mundo, Acessando as redes sociais, Redes sociais invadindo a sala de aula e Colocando o celular no silencioso ou desligando. Conclusão: Para os universitários de Enfermagem, a ansiedade de informação foi confirmada pelo modelo de regressão logística e se apresenta, mediante os seguintes comportamentos: preocupação com a confiabilidade das informações, solidão, ausência de autocontrole, autorregulação, necessidade de conexão com o mundo virtual, serendipidade, compulsão e dependência pelas redes sociais, sufocamento pelo volume de informações, necessidade de se manter atualizado e busca de informações no smartphone.
  • NAYANNE INGRID FARIAS MOTA GUERRA
  • TERAPIA COMUNITÁRIA INTEGRATIVA COMO CAMINHO DE TRANSFORMAÇÃO PESSOAL EM IDOSAS
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O aumento da população idosa é um fenômeno em todo o Mundo. A transição demográfica mundial demonstra que a proporção de idosos com 80 anos ou mais vem aumentando consideravelmente, o que tem trazido implicações importantes, principalmente na área da saúde, devido à maior frequência de comorbidades e maior declínio funcional. Desta maneira, a saúde mental desse grupo passa a ser considerado de grande risco, pois estão inseridos em processos de grandes mudanças no estilo de vida, na autopercepção e no enfrentamento de fatores estressores, além da existência da polifarmacoterapia, em decorrência das doenças de base, inerentes a fase senil, e do acometimento de sintomas depressivos proveniente dos sofrimentos a que são acometidos ao longo de suas vidas. No caso de mulheres idosas, esse risco aumenta, pois somando-se aos fatores citados acima, elas ainda vivenciam com maior frequência, sentimentos de abandono com a saída dos filhos de casa, situações de violência e baixa autoestima. Com isso, é necessário trabalhar no caráter preventivo e a promoção da saúde dessas idosas. É com essa compreensão, que a terapia comunitária integrativa pode se revelar uma importante ferramenta do cuidado na esfera biopsicossocial, a fim de gerar nesses indivíduos a transformação pessoal necessária para enfrentar o sofrimento e prevenir possíveis agravos a saúde mental. Este estudo tem como objetivos, Identificar as contribuições da terapia comunitária integrativa no enfrentamento do sofrimento mental de mulheres idosas. Analisar a partir da ótica dessas idosas, a TCI enquanto caminho de transformação pessoal. O percurso metodológico foi guiado pelo método de Análise de conteúdo de Bardin. Os resultados da pesquisa apontaram grandes contribuições da terapia comunitária integrativa, principalmente no que diz respeito ao enfrentamento e ao alivio dos sofrimentos e, consequentemente, na transformação pessoal das idosas, a partir da melhora da autoestima, do empoderamento e obtenção da resiliência. Conclui-se que a TCI é uma forte aliada no enfrentamento dos sofrimentos, bem como possui grande importância no caráter preventivo dos agravos à saúde mental de idosos, sendo uma ferramenta muita eficaz na obtenção da resiliência e empoderamento a partir da transformação pessoal.
  • RENATA RABELO PEREIRA
  • HOSPITALIZAÇÃO DE PESSOAS VIVENDO COM HIV E AIDS: UMA ANÁLISE DE PREVALÊNCIA, RISCO E FATORES ASSOCIADOS
  • Orientador : JORDANA DE ALMEIDA NOGUEIRA
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A aids e reconhecida como uma condicao cronica em funcao de sua persistencia no tempo, com a evolucao das estrategias de diagnosticos e tratamento, a sobrevida e a qualidade de vida das pessoas infectadas aumentaram e deram origem a novos desafios, como a reducao de desfechos clinicos negativos a exemplo das hospitalizacoes. O objetivo do estudo foi analisar hospitalizacoes de pessoas vivendo com HIV/Aids sob a perspectiva do tempo, prevalencia e fatores associados. Estudo epidemiologico, descritivo, retrospectivo, com amostra de 200 prontuarios de pessoas com HIV/Aids, acompanhadas em servico especializado. Realizadas analise descritiva, estudo de prevalencia e estimacao da sobrevida atraves do estimador Kaplan-Meier, modelo parametrico de Weibull e modelo semi parametrico de Cox. Aprovacao do Comite de Etica e Pesquisa CAEE 89036818.0.0000.5188. Observou-se predominio do sexo masculino, faixa etaria entre 40 a 59 anos, heterossexuais, pardos, solteiros, escolaridade ate oito anos de estudo e economicamente ativos. A hospitalizacao foi prevalente em solteiros/viuvos/divorciados, sem escolaridade, heterossexuais, em uso de alcool, tabaco, drogas ilicitas, psicotropicos, com antecedentes psiquiatricos, registro de descontinuidade da terapia antirretroviral, menos de 350 linfocitos T-CD4+, carga viral detectavel e maiores numeros de doencas oportunistas e manifestacoes clinicas. Houve diferencas significativas no tempo entre diagnostico e hospitalizacao, no que se refere a faixa etaria, orientacao sexual, registro de descontinuidade da terapia e ao numero de consultas medicas e multidisciplinar. O modelo de Weibull apresentou como covariavel significativa o registro de descontinuidade da terapia. No modelo de Cox, as variaveis ocupacao, uso de alcool e psicotropicos, contagem de linfocitos T-CD4+, carga viral e antecedentes psiquiatricos foram significativas para explicar o risco de hospitalizacao. O conhecimento de fatores de risco para hospitalizacao possibilita a compreensao das questoes que permeiam tal desfecho e poderao auxiliar no planejamento de acoes de cuidado numa perspectiva preventiva, permitindo averiguar as limitacoes do tratamento ambulatorial no controle da infeccao e dos seus agravos.
  • EVELYNE DE LOURDES NEVES DE OLIVEIRA
  • Assistência paliativa à criança e adolescente à luz do Modelo Calgary de Avaliação Familiar
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A assistência paliativa à criança e ao adolescente com doença crônica é uma abordagem holística de grande importância por favorecer um cuidado direcionado ao paciente e sua família, atendendo às suas necessidades. A presente dissertação é constituída de dois artigos, um teórico e outro original. O primeiro, teórico, intitula-se: Produção científica acerca da experiência de familiares de crianças/adolescentes sob cuidado paliativo: um estudo bibliométrico. Objetivo: Analisar a produção científica publicada em periódicos online sobre a experiência de familiares de crianças/adolescentes sob cuidado paliativo. Metodologia: Estudo bibliométrico com abordagem quantitativa constituído de artigos publicados no período de 2007 a 2017, selecionados nas bases de dados LILACS, MEDLINE, BDENF, bem como na biblioteca virtual SciELO. Resultados: Foram identificados 42 artigos disseminados em 22 periódicos, dos quais a Revista Gaúcha de Enfermagem foi a que mais publicou sobre a temática. A maioria das publicações foi concentrada na área da Enfermagem, predominando autores com título de doutor e autoria coletiva. Conclusão: Observou-se que a produção acerca da temática investigada encontra-se com um quantitativo reduzido, considerando o período pesquisado, necessitando de uma ampliação do conhecimento que envolve o contexto analisado. O segundo estudo é intitulado: Avaliação da estrutura familiar de crianças/adolescentes em assistência paliativa: estudo à luz do Modelo Calgary. Objetivo: Analisar a estrutura familiar de criança/adolescente em assistência paliativa à luz do Modelo Calgary. Metodologia: Estudo de campo com abordagem qualitativa, do qual participaram cinco famílias de crianças/adolescentes com doenças crônicas internadas em um hospital público na cidade de João Pessoa-PB. A coleta de dados ocorreu no período de março a maio de 2018, utilizando como instrumentos o genograma e o ecomapa e análise à luz do Modelo Calgary. Resultados: Os resultados foram descritos em duas etapas: a primeira é referente à caracterização das famílias através do genograma e ecomapa, e a segunda trata-se da avaliação familiar e seus principais aspectos. Conclusão: Modelo Calgary permitiu delinear uma análise da família de modo integral, levando em consideração os aspectos fundamentais de sua estrutura. Desse modo, considera-se essencial a participação do enfermeiro na assistência prestada à criança e ao adolescente juntamente com a família, identificando as necessidades do paciente.
  • SANNI MORAES DE OLIVEIRA
  • NECESSIDADE DE CONFORTO PERCEPCIONADOS POR IDOSOS HOSPITALIZADOS: UMA ANÁLISE À LUZ DA TEORIA DE KOLCABA
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As alterações multidimensionais no idoso propiciam maior ocorrência de condições crônicas e hospitalizações. Conforme os pressupostos da Teoria de Kolcaba, a Enfermagem assume um papel privilegiado no cuidar e o Conforto é o resultado holístico desejável destes cuidados. Objetivo: Desvelar a necessidade de Conforto na percepção de pessoas idosas hospitalizadas, utilizando a Teoria de Kolcaba. Método: A estrutura metodológica teve abordagem qualitativa, descritiva, com 11 idosos internados em um hospital universitário. A coleta ocorreu de Novembro a Dezembro de 2018, através de entrevista semiestruturada audiogravada, contemplando questões quanto ao perfil dos participantes e referentes às necessidades de Conforto fundamentado na teoria. O material empírico foi analisado sob a técnica de Bardin. Durante a pesquisa os aspectos éticos que normatizam a pesquisa envolvendo seres humanos foram observados, com aprovação do Comitê de Ética nº 2.853.889-PB. Resultados: Os resultados foram categorizados em quatro unidades temáticas: Físico, Ambiental, Sociocultural e Psicoespiritual. No Contexto Físico, foram identificadas as subcategorias de alívio de sintomas, atividades de vida diária, higiene e arranjo pessoal, alimentação, sono e repouso. Na categoria Ambiental, em alguns casos, o Conforto foi considerado superior ao do próprio lar. Na unidade temática Sociocultural, houve o afastamento dos vínculos familiares, despertando sentimentos de saudade e isolamento. No âmbito Psicoespiritual, evidenciou a espiritualidade e religiosidade como forma de enfrentamento, capaz de transcender a situação que o adoecimento propicia. Considerações finais: desvelar as necessidades de Conforto dos idosos hospitalizados permite refletir sobre os cuidados de enfermagem, com a finalidade de promover uma interação de forma holística e integral, fornecendo subsídios para qualificar a assistência e atender as necessidades reais da pessoa idosa.
  • ALANA VIEIRA LORDÃO
  • SÍNDROME DE BURNOUT NA EQUIPE DE ENFERMAGEM EM UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 10:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome de Burnout é uma doença do âmbito laboral e que cada dia afeta mais trabalhadores, trazendo repercussões negativas individuais e coletivas. Artigo 1 - Produção científica da Enfermagem em Síndrome de Burnout: revisão bibliométrica. Objetivo: Verificar a produção científica em Síndrome de Burnout na Enfermagem no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2018. Método: Estudo bibliométrico. Foram utilizadas as bases de dados Scopus e Web of Science. Para a busca dos artigos utilizou-se os termos “Burnout” e “nursing”, os dados foram registrados em planilha Excel. Resultados: Levantou-se um total de 96 publicações a partir do ano 2005, desde então há produções todos os anos com pico em 2014 (14 artigos). A Revista Latino-Americana de Enfermagem apresentou mais artigos (19) no período. A Lei de Bradford concentrou 19 artigos em uma revista no núcleo; na primeira zona 27 artigos em 2 revistas; zona 2 teve 24 artigos em 8 revistas e na zona 3 ficou com 26 artigos em 26 periódicos distintos. A autora mais produtiva foi a professora doutora Edineis Guirardello com índice h 10. Conclusão: É um estudo importante para nortear o pesquisador nas tendências de pesquisa da área. As limitações se apresentaram no sentido dos registros nem sempre estarem uniformizados. Artigo 2 - Síndrome de Burnout nas Unidades de Pronto Atendimento de João Pessoa-PB. Objetivo: Verificar a prevalência da Síndrome de Burnout nos profissionais de Enfermagem das Unidades de Pronto Atendimento da cidade de João Pessoa-PB. Método: Pesquisa de campo realizada com os Enfermeiros e Técnicos de Enfermagem. Foram utilizados um instrumento sócio-demográfico e o Cuestionario para la Evaluaciòn del Sindrome de Quermarse por el Trabajo - CESQT para idenfificação da síndrome. Resultados: Participaram do estudo 37 (26,2%) Enfermeiros e 104 (73,8%) Técnicos de Enfermagem, sedo a maioria do sexo feminino (87,2%). Todas as dimensões apresentaram alfa de Cronbach maiores do que 0,70. A maioria dos profissionais apresentam nível médio de risco para burnout, enfermeiros e técnicos respectivamente apresentaram 13,5% e 6,7% Perfil 1 e 13,5% e 3,8% Perfil 2 de burnout. Conclusão: A Síndrome de Burnout representa risco à saúde trabalhador, é preciso lançar estratégias diagnóstico precoce e acompanhamento dos profissionais que já se encontram em risco. É mister dizer que mais pesquisas fortalecem o argumento de medidas preventivas para a saúde mental do trabalhador.
  • FRANCISCA VILENA DA SILVA
  • A transgeneridade infantil sob a ótica de professores de ensino fundamental.
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O contexto escolar é considerado parte decisiva da construção e do desenvolvimento da criança. A depender das características, crenças, concepções, e este pode se tornar tanto um ambiente instigante quanto fatigante ou excludente. Objetivo: O presente trabalho buscou analisar a partir da ótica de professores de ensino fundamental a transgeneridade na infância e identificar, na concepção de professores, quais as possibilidades/limites de trabalho com crianças transgêneras no contexto escolar. Método: Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, realizada no município de João Pessoa – PB, em duas escolas municipais de ensino fundamental, que envolveu 23 professores de ensino fundamental. Os dados empíricos foram dispostos através de categorias temáticas e de Nuvens de Palavras gerado através do software IRaMuTeQ e analisados por meio da análise de conteúdo modalidade temática de Bardin. Este estudo foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa, protocolo 2.983.380/CAEE 95992318.6.0000.5188. Resultados/discussão: foram construídos dois temas e deles geradas sete categorias que foram organizadas da seguinte forma: Transgeneridade infantil na ótica dos professores de ensino fundamental: Categoria 1 – Transgeneridade na infância existe?; Categoria 2 - A construção de identidade e papeis de gênero na infância. Abordagem na escola: importância do diálogo: Categoria 3 - A vivência de crianças trans no contexto escolar; Categoria 4 - Crianças trans: como lidar?; Categoria 5 - Discutir as diferenças em sala de aula: é o caminho?; Categoria 6 - Abordagem do tema transgeneridade na escola; e a Categoria 7 – A importância do diálogo entre pais e filhos. Considerações finais: espera-se a inclusão escolar de crianças transgêneras, para isso, faz-se necessária a criação de estratégias efetivas voltadas para a sensibilização e capacitação dos profissionais que compõem o ambiente escolar, sobretudo os professores das séries iniciais.
  • PATRICIA DA SILVA ARAUJO
  • PREVALÊNCIA, FATORES E COMPORTAMENTO DE RISCO PARA AS HEPATITES VIRAIS B E C, HIV/AIDS E SÍFILIS EM TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) se configuram como sério problema de saúde pública, nos cenários mundial e nacional, com importantes repercussões físicas, psicossociais e econômicas para o indivíduo: principalmente, em populações vulneráveis, a exemplo de trabalhadores da construção civil. Objetivo: Investigar a prevalência, fatores e comportamento de risco para hepatites virais B e C, HIV/Aids e sífilis, em trabalhadores da construção civil. Método: Estudo observacional, descritivo, de corte transversal, realizado com 381 trabalhadores, em 10 unidades de construção civil, na cidade de João Pessoa e região metropolitana, no estado da Paraíba, no período de maio a agosto de 2018. Para a coleta de dados, os instrumentos contemplaram: as variáveis sociodemográficas dos participantes, fatores e comportamento de risco para hepatites virais B e C, HIV/Aids e sífilis, teste AUDIT, escala HIV-KQ e aplicação de testes rápidos para as infecções. A análise deu-se de forma descritiva, por meio de frequências absolutas e percentuais, média, desvio padrão e mediana das variáveis estudadas. Os testes Qui-quadrado de Pearson, Razão de Verossimilhança, Kruskal-Wallis e Shapiro-Wilk, de acordo com o arranjo das variáveis e necessidade de ajustes para o alcance dos objetivos, também foram utilizados. A margem de erro na decisão dos testes estatísticos foi de 5%. O protocolo de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, (CAAE 84297818.9.0000.5183), conforme parecer nº 2.572.581. Resultados: Observou-se um predomínio de trabalhadores do sexo masculino (97,4%), na faixa etária de 30-39 anos (34,1%), casados (81,4%), com renda mensal de até dois salários mínimos (52, 8%) e procedentes do interior (43,8%). E ainda a baixa prevalência para IST, com 0,3% reagente para hepatite B e 1,3% para sífilis. Dentre os fatores e comportamento de risco, se destacaram o consumo de risco, nocivo e/ou de provável dependência do álcool (71,7%); uso de drogas ilícitas por 15,7% dos trabalhadores, sendo a maconha a mais utilizada (12,1%); relações sexuais desprotegidas (87,1%); prática com dois ou mais parceiros (29,2%), sem utilizar preservativo nos últimos 12 meses (47,6%), e média de conhecimento sobre HIV/aids de 63,0% dos entrevistados. Conclusão: Entre os trabalhadores da construção civil, observou-se a baixa prevalência para as IST, presença de fatores e comportamento de risco para as IST, padrão elevado de consumo de álcool e conhecimento inadequado sobre HIV.
  • TAYANNE KIEV CARVALHO DIAS
  • Intervenção educativa em primeiros socorros com mães/cuidadoras de crianças com síndrome congênita do Zika vírus
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A complexidade da fisiopatologia da síndrome congênita do Zika vírus, torna as crianças mais vulneráveis às situações de urgência e emergência, que podem agravar à saúde das mesmas. Por isso, faz-se necessário que os pais e/ou cuidadores estejam preparados para dirimir as consequências diante dessas situações, como na convulsão e engasgo. Objetivo: Averiguar a contribuição de uma intervenção educativa em primeiros socorros com mães/cuidadoras de crianças com síndrome congênita do vírus Zika. Método: Pesquisa descritiva-exploratória com abordagem qualitativa, realizada com dez mães/cuidadoras de crianças com síndrome congênita do vírus Zika em uma instituição filantrópica de João Pessoa-Paraíba. Os critérios de inclusão foram: ser mãe e/ou principal cuidadora de criança com síndrome congênita do Zika vírus, pertencer a Associação Mães de Anjos da Paraíba, e residir no estado da Paraíba. A coleta dos dados ocorreu por meio de grupos focais, entre agosto e novembro de 2018, sendo os dois primeiros realizados para a intervenção educativa. O material empírico foi submetido à Análise de Conteúdo Temática. Tanto as oficinas educativas quanto a análise dos dados foram baseadas na teoria da Pedagogia da Autonomia de Paulo Freire. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (Número do parecer: 2.673.189, CAAE: 88810818.0.0000.5188). Resultados: A intervenção educativa ampliou os conhecimentos das participantes quanto ao quadro clínico da criança com síndrome do Zika vírus e em primeiros socorros, com repercussões positivas no enfrentamento das situações de engasgo e crise convulsiva, como também na autonomia e discernimento para agir com capacidade resolutiva e segurança diante dessas situações. Os materiais instrucionais foram compartilhados pelas mães/cuidadoras aos familiares e vizinhos, ampliando e divulgando os conhecimentos em primeiros socorros. Isso favoreceu a descentralização do cuidado dessas crianças, minimizou a sobrecarga de atividades dessas mulheres, e contribuiu para a liberdade de cuidarem de si mesmas. Considerações finais: Constatou-se que a intervenção teve impacto positivo na vida das participantes e consequentemente na de seus filhos, e que, mesmo intervenções breves, podem ser eficientes na difusão de trocas de ensinamentos e ampliação de conhecimentos para habilidades em primeiros socorros.
  • RAFAELA DE MELO ARAÚJO MOURA
  • VALIDAÇÃO DA NOMENCLATURA DE DIAGNÓSTICOS, RESULTADOS E INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM PARA A CLÍNICA MÉDICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO LAURO WANDERLEY/UFPB
  • Data: 26/04/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Com a finalidade de clarificar e aprimorar os conceitos específicos da Enfermagem, ressalta-se a utilização de Nomenclaturas, que servem como referência para a assistência de enfermagem prestada ao paciente, sem desconsiderar o julgamento clínico do enfermeiro. A fim de corroborar e aperfeiçoar terminologias utilizadas na prática profissional da Enfermagem, ressalta-se a realização de estudos de validação. Na validação de conteúdo, os especialistas devem avaliar o teor das informações de cada item com o máximo de clareza e representatividade, a fim de evitar distorções no estudo. Na validação clínica, por meio da realização de casos clínicos, ressalta-se a importância de reunir informações detalhadas que possibilitem representar a totalidade de uma situação. Objetivo: Realizar a validação de conteúdo e clínica da Nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem para a Clínica Médica do HULW/UFPB. Método: Trata-se de um estudo metodológico com abordagem quantitativa e qualitativa. Resultados: Os 97 conceitos de diagnósticos/resultados de enfermagem da Nomenclatura para a Clínica Médica foram mapeados com os conceitos da CIPE® Versão 2017, obtendo-se 69 conceitos constantes e 28 conceitos não constantes. Em seguida, foi realizada a validação de conteúdo das definições operacionais dos conceitos de diagnósticos/resultados de enfermagem por 37 enfermeiros especialistas, obtendo-se 94 validadas e três não validadas. Na etapa de validação clínica, foram realizados vinte estudos de casos clínicos com pacientes hospitalizados na Clínica Médica do HULW, no período de setembro a dezembro de 2018. Foram elencados 95 conceitos de diagnósticos/resultados de enfermagem e 438 conceitos de intervenções de enfermagem, perfazendo uma média de 4,6 intervenções por conceito de diagnóstico/resultado de enfermagem. Os diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem foram classificados de acordo com as Necessidades Humanas Básicas de Horta, obtendo-se: Necessidades Psicobiológicas: 69 conceitos de diagnósticos/ resultados e 326 intervenções de enfermagem; Necessidades Psicossociais: 23 conceitos de diagnósticos/resultados e 100 intervenções de enfermagem; e Necessidades Psicoespirituais: 3 conceitos de diagnósticos/resultados e 12 intervenções de enfermagem. Conclusão: A validação de conteúdo e clínica operacionalizam e aperfeiçoam a Nomenclatura, atualizando seu conteúdo e promovendo à prática da clínica médica uma ferramenta facilitadora para aplicação do processo de enfermagem e, principalmente, um instrumento que valoriza a Enfermagem enquanto ciência do cuidar.
  • MILENNA AZEVEDO MINHAQUI FERREIRA
  • FATORES SOCIODEMOGRÁFICOS E CLÍNICOS ASSOCIADOS À ADESÃO DE IDOSOS À TERAPIA ANTIRRETROVIRAL PARA O HIV
  • Data: 26/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: No início da epidemia do Vírus da Imunodeficiência Humana e da aids, os idosos não eram considerados como vulneráveis à infecção, fato que pode ter contribuído para o aumento das taxas de incidência da doença neste grupo. A eficácia da terapia antirretroviral para o HIV encontra-se estabelecida na literatura científica, porém a sua efetividade depende da adesão à terapêutica. Objetivo Geral: Analisar a adesão de idosos à terapia antirretroviral para o HIV segundo as variáveis sociodemográficas e clínicas. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, de natureza quantitativa, com fonte de dados secundários de um hospital de referência na Paraíba, com base populacional de 59 idosos, com infecção pelo HIV, notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, durante o período de janeiro de 2013 a dezembro de 2017, sendo distribuídos em adesão (G1) e não adesão (G2). Os dados foram coletados durante o período de setembro a novembro de 2018 através de dois formulários, o primeiro sobre os registros da dispensação de medicamentos e o segundo com dados sociodemográficos, clínicos e laboratoriais de prontuários dos pacientes. Os dados foram analisados utilizando o Programa Statistical Package for the Social Sciences versão 20.0 e o Software R, e a estatística descritiva e inferencial. Aplicaram-se os modelos Weight of Evidence, teste exato de Fisher, Regressão de Contagem Poisson ou Binomial Negativa, e para a árvore de decisão o método Chi-Squared Automatic Interaction Detection. O agrupamento hierárquico de ligação média com medida de distância euclidiana foi utilizado na análise de agrupamento. Aplicou-se também o teste não paramétrico de Mann-Whitney. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa segundo o Parecer nº 2.924.727, CAAE 95920618.9.0000.5188. Resultados: A taxa de adesão à terapia antirretroviral (G1) foi de 67,2% (39) e de 32,8% (19) para não adesão (G2). Em ambos os grupos houve maior participação do sexo masculino. Em relação ao estado civil, o grupo de adesão apresentou maior frequência de casados (46,2%), enquanto o grupo de não adesão, de solteiros (42,1%). Quanto à escolaridade, o ensino fundamental foi mais frequente em ambos os grupos. Em relação à orientação sexual houve maior participação de pessoas heterossexuais em ambos os grupos. A idade e as reações adversas foram os fatores mais influentes na adesão. A árvore de decisão evidenciou que idosos com idade superior a 65,7 anos têm maior probabilidade de aderir ao tratamento. Foi verificada a orientação sexual como fator determinante para a adesão e o estado civil, para a não adesão, e ainda o grupo de não adesão apresentou carga viral com valores mais elevados. Estimou-se a não adesão ocorrer em 28,5 meses, estabilizando-se após os 50 meses. Conclusão: Os fatores sociodemográficos mais influentes no fenômeno da adesão foram idade, estado civil e orientação sexual. As reações adversas e a toxoplasmose também se apresentam relevantes. Os idosos acima de 65,7 anos se apresentaram como um grupo mais favorável à adesão. A orientação sexual distinguiu-se como uma variável que influencia para a adesão, enquanto que o estado civil, para a não adesão.
  • KELY CRISTINA CARNEIRO DE AZEVEDO
  • Síndrome de Burnout em Enfermeiros e Médicos de Unidades de Terapia Intensiva Neonatal
  • Data: 26/04/2019
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome de Burnout caracteriza-se como um processo de resposta à sobrecarga proveniente do ambiente ocupacional, resultando no esgotamento do trabalhador. A deterioração da relação fundamental que a pessoa tem com o seu trabalho, afeta negativamente o desempenho laboral, de forma a oferecer risco para sua saúde. Esta dissertação é composta por dois artigos. Artigo 1. Produção científica nacional sobre a Síndrome de Burnout em médicos e enfermeiros de UTI: estudo bibliométrico. Objetivo: Analisar a produção científica sobre a Síndrome de Burnout em médicos e enfermeiros de UTI no Brasil. Método: Estudo bibliométrico, documental, com abordagem quantitativa. Foram selecionados artigos publicados no Brasil sobre a Síndrome de Burnout nas UTIs, nas bases de dados BVS e Portal Capes, entre 2000 a 2018. Foi elaborado um Mapa Conceitual de modo a organizar o eixo temático. Resultados: Foram identificados 40 artigos, predominantemente do Sudeste. Prevaleceu os publicados na Revista Brasileira de Terapia Intensiva e na Revista de Enfermagem UFPE online. O Qualis periódico B2 é o de maior destaque. Os descritores encontrados com maior prevalência foram: Unidades de Terapia Intensiva, Síndrome de Burnout, Burnout e Esgotamento Profissional. Conclusão: Enfermeiros apresentam maior interesse em publicar nessa temática. A Síndrome de Burnout estudada em médicos intensivistas contribui para identificar a prevalência nesses profissionais. Artigo 2. Síndrome de Burnout em enfermeiros e médicos de Unidades de Terapia Intensiva Neonatal. Objetivos: Traçar o perfil profissional dos enfermeiros e médicos atuantes em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal de instituições hospitalares e maternidades públicas; avaliar a predisposição à Síndrome de Burnout nesses profissionais e identificar a correlação dos dados da Síndrome de Burnout com o perfil sociodemográfico e profissional. Método: Estudo exploratório-descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com enfermeiros e médicos que trabalham em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal de instituições hospitalares e maternidades públicas, localizadas em João Pessoa-PB. A Coleta de dados sociodemográficos foi realizada através de um questionário estruturado e do Cuestionário para la Evaluación del Síndrome de Quemarse por el Trabajo (CESQT) e analisados estatisticamente. Resultados: Participaram do estudo 86 profissionais, sendo 47 médicos e 39 enfermeiros com destaque para o sexo feminino, casados e com filhos, predominando a faixa etária de 31 a 40 anos. Os resultados mostraram a prevalência do nível médio para a predisposição à Síndrome de Burnout. 22,1% dos trabalhadores foram classificados em risco potencial para o desenvolvimento da síndrome, destes, 17,4% se enquadraram no Perfil 2, que é a forma mais deteriorada do burnout, envolvendo o sentimento de culpa. A variável que apresentou a correlação mais significativa em relação ao burnout foi o tempo de formação profissional. Conclusão: A prevalência encontrada em relação a Síndrome de Burnout quanto ao percentil médio é preocupante e necessita de atenção, pois é indicativo que o profissional está em risco de desenvolver o agravo, necessitando de intervenção.
  • ANA CLÁUDIA GOMES VIANA
  • O cuidado espiritual à mãe de bebê malformado: discurso de enfermeiras assistenciais à luz da Teoria de Watson
  • Data: 25/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O cuidado espiritual ofertado às mães de bebês acometidos por malformação congênita é essencial para o enfrentamento do sofrimento emergido desde a descoberta do problema. Esta dissertação foi construída por dois artigos. O primeiro intitula-se Espiritualidade, religiosidade e malformação congênita: uma revisão integrativa de literatura, objetivou investigar a produção científica sobre a espiritualidade e religiosidade no contexto da malformação congênita. Foi realizada uma busca nas bases de dados PubMed, LILACS e SciELO, e incluiu artigos de 2007 a 2017, obtendo-se 28 publicações. Da análise textual emergiram duas categorias: práticas espirituais e religiosas e o enfrentamento do diagnóstico e nascimento pelos familiares; espiritualidade, religiosidade e cuidado com a criança malformada. Os resultados apontam que a espiritualidade é relevante diante do enfrentamento da malformação congênita. O segundo artigo, original, intitula-se Cuidado espiritual prestado à mãe de bebê malformado, à luz da Teoria de Jean Watson: depoimento de enfermeiras assistenciais. Teve como objetivo investigar a compreensão de enfermeiras assistenciais sobre espiritualidade; analisar o cuidado espiritual com a mãe de bebê malformado à luz da Teoria de Jean Watson. Trata-se de um estudo de campo, qualitativo, desenvolvido com 11 enfermeiras atuantes em uma maternidade referência no município de João Pessoa (PB). O projeto de pesquisa foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde, do qual recebeu certidão de aprovação, com registro CAAE no 86954218.0.0000.5188. Os dados foram coletados nos meses de junho e julho de 2018 mediante a técnica de entrevista semiestruturada. Optou-se pela análise de conteúdo para analisarem as informações obtidas. Da análise, emergiram duas categorias: compreensão de enfermeiras sobre espiritualidade e cuidado espiritual; cuidado espiritual ofertado pelas enfermeiras às mães de bebês malformados, na perspectiva da teoria de Jean Watson. As enfermeiras compreendem espiritualidade como algo que norteia e oferece sentido à vida e reconhecem que o cuidado espiritual auxilia no enfrentamento do problema. Observou-se que essas profissionais adotam empiricamente alguns dos elementos do Processo Clinical Caritas adotados por Jean Watson.
  • OLGA BENÁRIO BATISTA DE MÉLO CHAVES
  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM PARA A PREVENÇÃO DE QUEDAS EM PACIENTES NO PERIOPERATÓRIO
  • Data: 23/04/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O paciente cirúrgico está incluído no grupo de risco potencial para queda devido aos efeitos dos fármacos anestésicos, ao jejum prolongado e a mobilidade prejudicada. A enfermagem apresenta papel fundamental e norteador na prevenção de quedas, sendo o Processo de Enfermagem um aliado na implementação de intervenções preventivas e eficazes. Objetivo: Analisar a aplicabilidade das intervenções de enfermagem para a prevenção de quedas em pacientes no perioperatório. Método: Trata-se de uma pesquisa metodológica, desenvolvida em duas etapas: mapeamento cruzado com a Nursing Interventions Classification e validação de conteúdo por 13 enfermeiros especialistas com aplicação do Índice de Concordância ≥ 0,80. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde(CCS)/UFPB sob parecer de nº 2.559.757 e CAAE: 85295918.0.0000.5188. Resultados: Os 214 cuidados encontrados na literatura foram mapeados com 84 atividades distribuídas em 26 intervenções NIC. A intervenção NIC que apresentou maior correspondência com a literatura foi Prevenção contra Queda que teve 70 atividades mapeadas, seguida pelas intervenções Identificação de Risco e Supervisão, com 35 e 19 atividades, respectivamente. Das 26 intervenções validadas, 19 foram consideradas sugeridas com IC ≥ 0,80 e 07 consideradas opcionais adicionais com 0,65 ≤ IC ≥ 0,77, sendo Controle da Hipoglicemia, Controle da Sedação e Contenção Física as de maiores índices. Conclusão: Todas as intervenções propostas foram validadas e são passíveis de implementação na prevenção de quedas hospitalares durante o perioperatório.
  • RENATA MARIA GUEDES CHAVES ROLIM
  • ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO: ESTUDO COM ENFERMEIROS DE UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO
  • Data: 23/04/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O assédio moral é um tipo de violência capaz de acarretar implicações na saúde física e psíquica de suas vítimas. Esta dissertação é composta por dois artigos. Artigo 1 - Implicações do assédio moral na saúde do trabalhador de Enfermagem: revisão integrativa da literatura. Objetivo: caracterizar as publicações disponibilizadas em periódicos online acerca das implicações do assédio moral na saúde do trabalhador de Enfermagem com ênfase nos enfoques abordados. Método: Revisão integrativa da literatura, com amostra constituída de 20 publicações em português, inglês e espanhol, disponibilizadas em bases de dados nacionais e internacionais, no período de 2000 a 2018. Resultados: Este estudo evidenciou um número reduzido de publicações acerca da temática investigada. A maioria das publicações que compuseram a amostra foi realizada no cenário hospitalar com enfermeiros e técnicos de Enfermagem. De acordo com os enfoques abordados, emergiram duas categorias: ―Implicações do assédio moral na saúde psicológica do trabalhador de Enfermagem‖ e ―Implicações do assédio moral na saúde física do profissional de Enfermagem‖. As principais implicações apresentadas foram: ansiedade, medo, depressão, estresse, transtorno de estresse pós-traumático, esgotamento mental, síndrome de Burnout, dores musculares e articulares, distúrbios digestivos, enxaqueca e cefaleia, que trazem transtornos emocionais e familiares para o profissional de Enfermagem vítima da prática do assédio moral. Conclusão: Esta revisão ampliou o conhecimento acerca do tema assédio moral e suas implicações para a saúde do trabalhador em Enfermagem, evidenciando que essa violência ocorre com frequência no meio laboral dos profissionais de Enfermagem e acarreta danos físicos e psíquicos. Ante o exposto, sugere-se que sejam adotadas medidas preventivas para banir essa prática no ambiente de trabalho. Artigo 2 - Assédio moral no ambiente de trabalho: estudo com enfermeiros de Unidades de Pronto Atendimento. Objetivos: Identificar a prática do assédio moral no ambiente de trabalho a partir de depoimentos de enfermeiros que atuam em Unidades de Pronto Atendimento; analisar depoimentos de enfermeiros que atuam em Unidades de Pronto Atendimento acerca da prática do assédio moral no ambiente de trabalho à luz da literatura pertinente ao tema em estudo. Método: Estudo exploratório com abordagem qualitativa. Coleta de dados realizada por meio da técnica de entrevista com instrumento semiestruturado. Participaram do estudo 30 enfermeiros que atuam em Unidades de Pronto Atendimento do município de João Pessoa, Paraíba - Brasil. Estudo com aprovação do Comitê de Ética em pesquisa. Resultados: Identificaram-se elementos relevantes que caracterizam o assédio moral, como duração e frequência das agressões, relatos de vivência e implicações do assédio na saúde das vítimas. Como consequências do assédio moral para a saúde dos enfermeiros, foram observados sintomas psicopatológicos, como estresse, crise de choro, baixa autoestima, depressão, tristeza; e os psicossomáticos mais prevalentes foram insônia e obesidade. Conclusão: Situações de assédio moral foram identificadas no ambiente de trabalho de enfermeiros de Unidades de Pronto Atendimento, que 11 causaram repercussões graves na saúde do trabalhador vítima da referida prática. Portanto, deve haver mais divulgação desse fenômeno, com ênfase nas formas de prevenção e de enfrentamento dessa violência.
  • DÉBORA RODRIGUES ALVES DE LIMA
  • Assistência de enfermeiros à mulher com câncer de mama em cuidados paliativos à luz da teoria de Jean Watson
  • Data: 22/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O cuidar paliativo constitui abordagem utilizada em pessoas com patologias ameaçadoras à vida, centrada no alívio do sofrimento e nos aspectos físicos, psicossociais e espirituais. A Teoria do Cuidado Transpessoal de Jean Watson transcende o corpo físico, contemplando o indivíduo em sua integralidade de corpo-mente-espírito. Esta dissertação é constituída de dois artigos. O primeiro artigo intitulado “Cuidados paliativos à mulher com câncer de mama: revisão integrativa da literatura” teve o objetivo de caracterizar a produção científica sobre a assistência paliativa desenvolvida por enfermeiros à mulher com câncer de mama em periódicos nacionais e internacionais no período de 2014 a 2018. Trata-se de revisão integrativa realizada nas bases de dados LILACS, BDENF, MEDLINE e EBSCOhost, obtendo-se como amostra vinte e quatro artigos. Do material empírico analisado emergiram duas categorias: assistência de enfermagem à mulher com câncer de mama em cuidados paliativos; dificuldades encontradas pelos enfermeiros na assistência paliativa à mulher com câncer de mama. O segundo artigo intitulado “A mulher com câncer de mama em cuidados paliativos: discurso de enfermeiros à luz da Teoria de Jean Watson” teve como objetivos: investigar o discurso de enfermeiros com relação a assistência à mulher com câncer de mama em cuidados paliativos; analisar a assistência de enfermeiros à mulher com câncer de mama em cuidados paliativos, à luz da Teoria de Jean Watson. Trata-se de estudo exploratório com abordagem qualitativa, realizado em instituição hospitalar com onze enfermeiros, mediante entrevista gravada. O material empírico foi analisado através da técnica de análise de conteúdo, emergindo as categorias temáticas: o cuidado humano na assistência paliativa à mulher com câncer de mama; a presença autêntica, a bondade amorosa e a relação de ajuda do enfermeiro ao cuidar da mulher com câncer de mama; a assistência espiritual e a valorização da fé como suporte na promoção dos cuidados paliativos à mulher com câncer de mama. Os estudos desenvolvidos nessa dissertação demonstraram que a Teoria do Cuidado Transpessoal auxilia na promoção de um cuidado paliativo humanizado, efetivo e integral, visualizando a mulher com câncer de mama em sua multidimensionalidade.
  • VANESSA LOPES DATIVO VIEIRA
  • GESTÃO DO CUIDADO À CRIANÇA COM MICROCEFALIA ASSOCIADA AO ZIKA VÍRUS: PERCEPÇÃO DE MÃES
  • Data: 22/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A criança com microcefalia associada ao Zika vírus requer um acompanhamento contínuo pelos serviços/profissionais da Rede de Atenção à Saúde, que garantam a resolutividade de suas necessidades de saúde e de sua família. Na perspectiva de assegurar o cuidado integral, a gestão do cuidado em saúde aponta a necessidade de prover e disponibilizar tecnologias de saúde para atender o indivíduo em toda sua complexidade. Objetivo: analisar a gestão do cuidado à criança com microcefalia associada ao Zika vírus na percepção de mães. Metodologia: Pesquisa qualitativa, descritiva-exploratória, realizada com dez mães de crianças acompanhadas em dois serviços de referência em município de grande porte do nordeste do Brasil. A coleta de dados ocorreu entre julho e setembro de 2018, utilizando-se entrevista semiestruturada. Os dados foram submetidos à análise temática. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, parecer número 2.676.464. Resultados: Percebe-se fragilidades no cuidado à criança com microcefalia associada ao Zika vírus e sua família, como a não responsabilização dos profissionais/ serviços, desinteresse pelo cuidado longitudinal, falta de medicamentos, dificuldade de acesso às consultas com especialistas, a transportes, e a cadeira de rodas adaptadas. Os dados apontam para uma rede insustentável para dar conta das necessidades especiais de saúde de crianças/famílias impactadas pela epidemia da Zika. Essas fragilidades fizeram a mãe realizar as articulações possíveis no contexto comunitário e na rede de atenção à saúde, em busca do provimento às demandas de seu filho, a fim de obter um cuidado integral, realizando a (auto)gestão do cuidado. Considerações finais: O cuidado à criança com microcefalia associada ao Zika vírus é fragmentado e permeado de obstáculos que dificultam o alcance das dimensões da gestão do cuidado, o que resulta em uma gestão fragilizada e uma rede pouco resolutiva.
  • JÉSSICA BARRETO PEREIRA
  • O IMPACTO DE ATIVIDADES LÚDICAS NO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO DE CRIANÇAS COM CÂNCER EM CUIDADO PALIATIVO: à luz da Teoria Adaptativa de Callista Roy
  • Data: 15/04/2019
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As crianças com câncer em cuidado paliativo passam por longos períodos de vivência hospitalar. A equipe de enfermagem busca criar estratégias que auxiliem o cuidado, como as atividades lúdicas e as próprias teorias de enfermagem. A presente dissertação é constituída de dois artigos, o primeiro é intitulado: Aplicação da Teoria da Adaptação de Callista Roy na Pediatria: uma revisão integrativa. Objetivo: investigar, nas publicações científicas, divulgadas em âmbito nacional e internacional, a aplicação da Teoria da Adaptação de Callista Roy, na prática pediátrica. Metodologia: Revisão integrativa da literatura, entre o período de 1998 a 2018. Realizada nas bases de dados LILACS, PubMed, MEDLINE, IBECS, BDENF, CINAHL, SCOPUS e biblioteca digital Scielo. Resultados: Foram identificados 10 artigos que abordam a aplicação da Teoria da Adaptação na Pediatria. Conclusão: A aplicação da Teoria na pediatria estimula positivamente a adaptação do paciente ao novo. O segundo artigo é intitulado: O lúdico na adaptação de crianças com câncer sob cuidados paliativos, baseado no modelo de Roy. Objetivo: Analisar o impacto da atividade lúdica, em crianças com câncer sob cuidados paliativos, à luz da Teoria de Callista Roy. Metodologia: Estudo descritivo, observacional e de intervenção, de natureza qualitativa, à luz da Teoria Adaptativa proposta por Callista Roy (1977). Participaram 10 crianças com câncer em cuidados paliativos, com idades de seis a 12 anos, que frequentavam o ambulatório do hospital filantrópico na cidade de João Pessoa-PB. Aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa, conforme CAE: 82946618.9.0000.5188 Resultados: Obtiveram-se duas categorias: Aplicação do Modelo da Adaptação de Callista Roy, segundo os Modos e Estímulos e intervenção lúdica como estratégia do processo de enfermagem. Conclusão: a atividade lúdica apresenta impacto positivo e essencial na adaptação de crianças com câncer, sob cuidado paliativo, no contexto hospitalar.
  • CLEANE ROSA RIBEIRO DA SILVA
  • Capacidade funcional, estresse percebido e qualidade de vida relacionada à saúde de pessoas com sequelas de acidente vascular encefálico
  • Data: 15/04/2019
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As repercussões do AVE trazem desafios inesperados à vida dos sobreviventes, como as limitações funcionais, o que pode ocasionar situações estressantes e refletir negativamente na QVRS dessa população. Objetivo: Avaliar a capacidade funcional, o estresse percebido e a QVRS de pessoas com sequelas de AVE. Método: Estudo transversal, exploratório e descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com 160 pessoas com sequelas de AVE cadastradas nas Unidades de Saúde da Família do município de João Pessoa-PB, no período de julho a novembro de 2018. Os dados foram coletados mediante a utilização de um instrumento semiestruturado para obtenção dos dados sociodemográficos e de saúde, o Índice de Barthel, a Escala de Estresse Percebido e a Escala de Qualidade de Vida Específica para AVE. Para análise dos dados, utilizou-se estatística descritiva e inferencial. O projeto foi aprovado sob parecer de número 2.994.882, com CAAE 91360718.1.0000.5188. Resultados: Os participantes apresentaram dependência funcional moderada, com significância estatística entre a faixa etária (p=0,039), a fonte de renda (p=0,004), a atividade física (p=0,004), o estado de saúde autorreferido (p<0,001), a alteração motora (p=0,049), a fraqueza muscular (p=0,011) e a presença de cuidador (p<0,001). Foi identificado estresse percebido elevado, relacionando-se estatisticamente com a fraqueza muscular (p=0,041), o distúrbio do humor (p=0,032) e a presença de cuidador (p=0,017). Evidenciou-se baixa QVRS, com maior comprometimento nos domínios papéis sociais e papéis familiares. A QVRS apresentou diferença estatisticamente significativa com a atividade física (p<0,001), o tempo do último AVE (p<0,001), a alteração motora (p<0,001), a fraqueza muscular (p=0,025), o distúrbio do humor (p=0,008) e a presença de cuidador (p<0,001). Verificou-se correlação estatística significativa entre a QVRS com a capacidade funcional (r=705; p<0,001) e o estresse percebido (r=-436; p<0,001), demonstrando que a QVRS de pessoas com sequelas de AVE eleva-se à medida que a funcionalidade aumenta e o estresse diminui. Conclusões: A capacidade funcional e o estresse percebido relacionaram-se de forma significativa à QVRS de pessoas com sequelas de AVE.
  • ELENIR DE ARAUJO LAGO
  • EXPERIÊNCIAS DE PROFESSORES DE ENSINO SUPERIOR EM SAÚDE NA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS
  • Data: 12/04/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o ensino a distância vem se destacando como modalidade educacional utilizada nos cursos de graduação. Neste contexto, a Universidade Federal da Paraíba vem dispondo do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) para gerenciar os dados acadêmicos. Objetivos: caracterizar o perfil sociodemográfico e profissional dos docentes dos cursos da área de saúde; distinguir as funcionalidades do sistema utilizadas pelos docentes; identificar características com relação ao uso das funcionalidades disponíveis no SIGAA; e identificar os fatores que facilitam e dificultam a utilização do SIGAA no processo de ensino-aprendizagem. Método: um estudo exploratório, descritivo, de abordagem quanti-qualitativa. Para selecão da amostra, utilizou-se a amostragem aleatória estratificada por departamento que totalizou 100 docentes (análise quantitativa) e para análise qualitativa, a amostragem por saturação de falas. Foram utilizados os programas SPSS e R para análise quantitativa, e o programa IRAMUTEQ para análise qualitativa. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do CCS, conforme CAAE 7110918.5.0000.5188. Resultados: os docentes tinham idade média de 47,6 anos e 13,9 anos de serviço, prevalecendo o sexo feminino, casadas, com título de doutorado, regime de dedicação exclusiva, a maioria atuando apenas na graduação, ministrando três disciplinas, com quatro orientandos na graduação e um na pós-graduação, e, em média, um projeto de extensão por professor. Evidenciou-se que os docentes tinham facilidade no uso de ferramentas relacionadas ao ensino, sendo deficientes no manejo dos módulos: extensão, pesquisa, biblioteca e utilização de atividades em ambiente virtual. A análise qualitativa revelou seis classes: utilizando o SIGAA parcialmente; vivenciando experiências na utilização do SIGAA; sentindo dificuldades no uso do SIGAA; apontando algumas facilidades com o uso do SIGAA; percebendo que o SIGAA possibilita a interação entre docentes e discentes; e percebendo o SIGAA como sistema de uniformização e desburocratização. Conclusão: os docentes utilizavam com destreza o módulo de ensino, mas apresentavam dificuldades em outros módulos, por isso a necessidade de treinamentos e suporte técnico acessível para garantir o uso eficiente do SIGAA.
  • THALYS MAYNNARD COSTA FERREIRA
  • Validação de instrumento para a sistematização da assistência de enfermagem a crianças hospitalizadas de 0 a 5 anos.
  • Data: 05/04/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o processo de enfermagem é considerado uma ferramenta importante no que diz respeito a aproximação do profissional responsável pelo cuidar, com o ser necessitado de seus cuidados. Logo, a utilização de instrumentos que viabilizem condutas para a operacionalização do processo de enfermagem em foco no cotidiano, vem sendo alvo de estudos no ramo metodológico. Objetivo: analisar o processo de validação e estratificação de risco clínico assistencial de um instrumento para coleta de dados voltado à sistematização da assistência de enfermagem a crianças de 0 a 5 anos hospitalizadas. Método: estudo metodológico, com abordagem quantitativa, realizado com 150 crianças em uma clínica pediátrica de um hospital escola. Para coleta de dados, respeitou-se as etapas de validação do conteúdo; validação clínica do instrumento e associação das necessidades humanas básicas e os diagnósticos médicos. Para análise dos dados, utilizou-se o cálculo do índice de validade do conteúdo e de análise de concordância Kappa. Para seguimento da validação, aplicou-se a análise de variância seguida do teste de K-means (Cluster Analysis) e o Tuckey Test, bem como o modelo descritivo de classificação binária - WoE e análise de agrupamento, além de técnicas de estatística descritiva. O projeto de pesquisa foi aprovado sob protocolo CAAE 76649517.3.0000.5183. Resultados: sob um índice de validade do conteúdo de 0,94, kappa 0,71, segundo sugestões dos especialistas 81,9%, além da validade do estabelecimento mensuratório dos caracteres clínicos e risco assistencial das crianças hospitalizadas e associação positiva entre as necessidades humanas alteradas e os diagnósticos, considera-se o instrumento válido para aplicabilidade. Conclusão: a validação do instrumento visou oportunizar a assistência prestada às crianças de 0 a 5 anos, tornando assim explícita a necessidade crescente da criação e melhorias de instrumentos válidos ofertados aos serviços de saúde.
  • MICHELLE ALVES DE CARVALHO
  • Intenção de uso de preservativos entre mulheres jovens e adultas.
  • Data: 05/04/2019
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A susceptibilidade feminina ao HIV advém de vários fatores, cabendo destacar a dissimetria de papeis entre os sexos principalmente no meio familiar, tornando a mulher sujeita às vontades de seu companheiro o que reverbera no abandono do uso de preservativos, apesar de conhecer os riscos envolvidos nesta conduta. Objetivo: Avaliar a intenção comportamental de uso do preservativo e seus determinantes entre mulheres jovens e adultas. Método: Estudo analítico, comparativo, de corte transversal e abordagem quantitativa, baseado na Theory of Reasoned Action, realizado em unidade de saúde da família, com 142 mulheres de 18 a 40 anos, entre agosto e outubro de 2017, com uso do instrumento Intenção do Uso de Preservativos (IUPres). A análise ocorreu mediante a correlações r de Pearson e regressão múltipla Stepwise, com auxílio do software Statistical Package for the Social Sciences, versão 21. A pesquisa foi aprovada sob protocolo n. 0442/16 e CAAE 58597416.3.0000.5188. Resultados: As mulheres jovens possuem maior intenção de utilizar preservativos ( =3,35), quando comparadas às adultas. Como fator elucidativo da intenção comportamental em ambos os grupos, destacou-se as crenças normativas por explicarem em mais de 85% a intenção de uso de preservativos. Ao verificar a influência de variáveis externas, evidenciou-se o autocuidado como fator explicativo de 86,3% da intenção comportamental no grupo de jovens, enquanto que, no grupo de adultas tanto as crenças normativas, como o autocuidado e a confiança no outro explicaram juntos 86,2%, sendo esta última com peso negativo, ou seja, à medida que aumenta a confiança no parceiro, diminui a intenção de utilizar preservativos. Conclusão: A utilização da Theory of Reasoned Action possibilitou elucidar que as mulheres jovens e adultas possuíram baixa intenção comportamental relacionada ao uso de preservativos. Constatou-se, portanto, que ambos os grupos conjecturam que as crenças normativas, o autocuidado e a confiança no companheiro interferem na decisão de uso dos preservativos.
  • NATANA DE MORAIS RAMOS
  • VALIDAÇÃO DA NOMENCLATURA DE DIAGNÓSTICOS, RESULTADOS E INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM PARA A UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA GERAL DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UFPB
  • Data: 04/04/2019
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A validação da Nomenclatura para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Geral utilizando a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) é uma etapa fundamental capaz de avaliar sua efetividade durante a prática assistencial e fornecer dados que embasam o processo decisório do enfermeiro, que quando direcionado aos cuidados intensivos, podem otimizar o cuidado prestado. Objetivo: Validar os conceitos constantes na Nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem da CIPE® na UTI Geral do HULW/UFPB. Método: Trata-se de uma pesquisa metodológica, desenvolvida em três etapas: construção das definições operacionais, validação de conteúdo e clínica dos conceitos de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem para a UTI Geral do hospital escola, realizado no período de maio de 2017 à abril de 2019. Esse estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob parecer 2.605.425 e Certificado de Apresentação para Apreciação Ética (CAAE) n. 84367518.9.0000.5183. Resultados: Foi realizado o mapeamento cruzado de 60 diagnósticos/resultados de enfermagem da Nomenclatura para UTI Geral com a CIPE® versão 2017, resultando em 58 conceitos, sendo 38 (65,6%) constantes e 20 (34,4%) não constantes na classificação. Foram construídas as definições operacionais para os 58 conceitos diagnósticos/resultados de enfermagem, sendo validados 57 conceitos em conteúdo por meio do método de validação por consenso. Em seguida, foram submetidos ao processo de validação clínica na referida unidade, sete estudos de caso clínicos, sendo validados 41 diagnósticos/resultados, 23 (56,1%) constantes na Nomenclatura para UTI Geral e 18 (43,9%) não constantes. Quanto às intervenções, foram identificadas 227 intervenções válidas. Conclusão: Estudos de validação de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem aprimoram e operacionalizam a utilização da Nomenclatura durante a prática assistencial gerando maior qualidade no cuidado prestado às pessoas sob cuidados intensivos.
  • RONNY ANDERSON DE OLIVEIRA CRUZ
  • CUIDADOS DE ENFERMAGEM PARA AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA XEROSE CUTÂNEA EM PESSOAS IDOSAS
  • Data: 15/03/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Ao considerar as alterações comuns no processo de envelhecimento, a xerose cutânea caracterizada pelo ressecamento apresenta elevada frequência e pode gerar complicações para as pessoas idosas. Objetivo: Analisar os cuidados de enfermagem para avaliação, prevenção e tratamento da xerose cutânea em pessoas idosas. Método: Trata-se de um estudo descritivo com abordagem quantitativa, realizado com 101 enfermeiros assistenciais de quatro hospitais da grande João Pessoa-PB, entre os meses de julho a setembro de 2018. Os critérios de inclusão foram: atuar nas unidades como enfermeiros assistenciais, estar no serviço há pelo menos seis meses e utilizar o processo de enfermagem na assistência. Foram excluídos da pesquisa, os enfermeiros que atuavam apenas em funções administrativas, ou estavam afastados por licença ou férias no período de coleta. As etapas operacionais foram: 1 - estudo teórico-reflexivo sobre as contribuições da Teórica de Enfermagem Wanda Aguiar Horta; 2 - revisão integrativa da literatura; 3 - construção e validação de conteúdo do instrumento; 4 - aplicação do instrumento; e 5 - validação de constructo do instrumento. Para a análise dos dados foram realizadas análises estatísticas descritivas de distribuição e frequência. Também foi realizado teste qui-quadrado para variáveis categóricas e análise fatorial exploratória para validação de constructo. Foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba sob o número do CAAE: 89318318.3.0000.5188. Resultados: Houve destaque sobre a importância de considerar a faixa etária e observar a existência de lesões. Dos profissionais participantes 64,4% relatou não ter nenhum curso referente a prevenção ou tratamento de lesões de pele. A partir da análise fatorial foram definidos três fatores de constructo do instrumento com variância total de explicação de 47,77%, teste de esfericidade de Bartlett com p< 0,001 e o alfa de Cronbach geral de 0,811. Conclusão: O estudo demonstrou a importância e a necessidade de educação permanente para melhorar a qualidade do cuidado e o instrumento mostrou-se válido e confiável contribuíndo para a prática dos enfermeiros como parte integrante no processo do cuidar de pessoas idosas.
2018
Descrição
  • GLENDA AGRA
  • O SABER E O FAZER DE ENFERMEIROS NOS CUIDADOS PALIATIVOS DESTINADOS ÀS PESSOAS COM FERIDAS TUMORAIS MALIGNAS CUTÂNEAS
  • Data: 14/12/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Enfermeiros têm encontrado dificuldades para prestarem cuidados paliativos destinados à pessoa com ferida tumoral maligna cutânea, devido às fragilidades no conhecimento sobre essa temática. Objetivo: Analisar a influência de intervenção educativa embasada na Teoria da Aprendizagem Significativa no saber e no fazer de enfermeiros nos cuidados paliativos destinados às pessoas com feridas tumorais malignas cutâneas. Método: Pesquisa quaseexperimental, do tipo antes e depois, realizada com 38 enfermeiros em um Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia. Os critérios de inclusão foram: enfermeiros assistenciais e disponibilidade para responder ao instrumento, bem como participar do curso. Os critérios de exclusão foram: faltas na terceira e quarta aulas. As etapas operacionais da pesquisa foram: 1- Construção dos instrumentos; 2 – Validação de conteúdo e concordância dos instrumentos 3 – Validação do constructo; 4 – Intervenção Educativa; 5- Efeitos da intervenção educativa; 6 – Análise qualitativa. Os participantes responderam o instrumento antes e depois da intervenção educativa, que aconteceu entre agosto e setembro de 2017. Depois de um ano, 11 enfermeiras foram entrevistadas para compor a análise qualitativa. Na análise dos dados quantitativos, utilizou-se a estatística descritiva e indicadores psicométricos e na análise qualitativa, a técnica de análise de conteúdo de Bardin. A pesquisa foi aprovada com CAAE 64122116.1.0000.5188. Resultados: Houve aumento e significância dos escores médios relativos ao saber e ao fazer dos enfermeiros depois do processo da intervenção educativa, em todas as categorias que compõem os cuidados paliativos. Os dados qualitativos permitiram revelar que as enfermeiras ressignificaram saberes e transformaram os cuidados paliativos como práxis. Considerações Finais: Constatou-se a ampliação do saber e do fazer relativos aos cuidados paliativos em nível de cognição, bem como uma prática reflexiva sobre este tipo de cuidado.
  • PATRÍCIA JOSEFA FERNANDES BESERRA
  • Subconjunto terminológico da CIPE® para mulheres com HIV e Aids.
  • Data: 12/12/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A temática da epidemia do HIV e da Aids em mulheres surge como ponto de discussão para ativistas, pesquisadores e técnicos do setor da saúde. Atentar para a complexidade dessa epidemia significa colocar em foco as desigualdades de gênero, em interação com a pobreza, o racismo, a violência, o estigma, a dificuldade em negociar sexo seguro, incrementando as vulnerabilidades de mulheres adolescentes, jovens, adultas e idosas às IST/HIV e Aids. Esse fato reforça a necessidade de se analisar os problemas de saúde de mulheres com HIV e Aids e a vulnerabilidade à infecção pelo HIV de maneira inter-relacionada. Objetivo: Estruturar um Subconjunto terminológico da CIPE® para mulheres com HIV e Aids, tendo como suporte teórico a Teoria das Transições de Meleis. Método: Estudo do tipo metodológico, desenvolvido em quatro etapas: Identificação de termos relevantes para a clientela e/ou da prioridade de saúde; Mapeamento cruzado dos termos identificados com os termos da CIPE®; Construção de enunciados de Diagnósticos, Resultados e Intervenções de Enfermagem; Estruturação do subconjunto terminológico da CIPE® com base na Teoria das Transições de Meleis. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Nº Parecer 2.097.034, e CAAE: 67011317.7.0000.5188. Resultados: Foram validados 646 termos constantes e 467 termos não constantes no Modelo de Sete Eixos da CIPE® 2017. A partir dos termos constantes na CIPE® foram construídos 158 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem e suas definições e destes 142 foram validados por especialistas e classificados de acordo com os conceitos da Teoria das Transições. Quanto às intervenções de enfermagem, foram elaboradas 824 e destas 752 foram validadas. A partir desses resultados foi estruturado um Subconjunto terminológico da CIPE® para mulheres com HIV e Aids. Conclusão: Acredita-se que o subconjunto servirá de guia para os enfermeiros que prestam cuidados a essa clientela, e poderá auxiliar no processo de raciocínio clínico, dar suporte ao registro da assistência de enfermagem, oferecer uma maior visibilidade ao trabalho de enfermagem, além de contribuir com a sistematização da assistência de enfermagem e permitir que os enfermeiros possam repensar suas práticas.
  • SONIA MARA GUSMAO COSTA
  • O TRABALHO NA VIDA COTIDIANA DA PESSOA IDOSA
  • Data: 12/12/2018
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional vem acontecendo no mundo de forma intensa e rápida, principalmente nos países em desenvolvimento, a exemplo do Brasil. As transformações do perfil demográfico resultam em novas dimensões e configurações sociais, como a continuação ou retorno de idosos as atividades remuneradas ou informais após aposentadoria. Objetivos: evidenciar, na literatura científica, estudos sobre pessoa idosa no mercado de trabalho; conhecer as concepções sobre trabalho para pessoa idosa. Método: estudo exploratório de abordagem qualitativa, com amostra do tipo não probabilística por conveniência, realizado com 370 participantes idosos de ambos os sexos, distribuídos em dois grupos (Grupo 1 – ano de 2013, n = 260 e Grupo 2 – ano de 2018, n = 110) no município de João Pessoa / Paraíba/ Brasil. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob nº do parecer: 2.190.153, devidamente cadastrado na plataforma Brasil (CAAE:67103917.6.0000.5188). Foram obedecidos todos os critérios estabelecidos pela resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde (CNS). Os dados empíricos originaram-se de uma entrevista semiestruturada contemplando duas seções: a primeira, compreende o Teste de Associação Livre de Palavras (TALP), com o termo indutor: “Trabalho para o idoso”; e a segunda seção, a Entrevista semiestruturada que contempla os dados sociodemográficos. Os dados coletados foram organizados em um corpus segundo a palavra indutora e processado com auxílio do software IRaMuTeQ®; e os dados sociodemográficos foram processados pelo SPSS 20.0. Resultados: foi possível identificar 4 categorias comuns aos dois grupos (2013 & 2018): expectativas positivas de trabalho para pessoa idosa –36%; concepções de trabalho para pessoa idosa – 19,4%; expectativas negativas de trabalho para pessoa idosa – 31,5%; tipos de trabalhos para pessoa idosa – 13,1%. Conclusões: o estudo demonstra que as concepções de trabalho para pessoa idosa estão, de modo geral, associadas tanto à continuidade e reinserção no mercado de trabalho de maneira formal ou informal quanto a sua ressignificação.
  • STHEPHANIE DE ABREU FREITAS
  • SABERES, PRÁTICAS E DISCURSOS DE ENFERMEIROS DA ATENÇÃO BÁSICA SOBRE O CUIDADO AO HOMEM IDOSO DOENTE DE TUBERCULOSE
  • Data: 30/11/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Tuberculose é uma doença infecciosa sendo considerado um problema de saúde pública mundial. Na literatura, vários estudos têm evidenciado que o diagnóstico e o tratamento da doença em idosos necessitam de estratégias de controle, cuidado e coordenação entre os profissionais de saúde em âmbito primário. Nesse contexto, a responsabilidade é tanto da gestão quanto dos profissionais da Estratégia de Saúde da Família, pois a mesma se constitui como porta de entrada do sistema de controle da tuberculose. Esta deve agregar cuidados básicos e especializados ao tratamento da doença, tendo como pressuposto uma comunicação sistemática entre os serviços, mediada pelo fluxo de referência e contrarreferência do município no combate a este agravo em homens idosos. Objetivo: Analisar o discurso a partir das marcas identificadas nas falas dos enfermeiros a respeito das estratégias de controle da tuberculose realizadas em homens idosos por meio dos atributos essenciais da Atenção Primária à Saúde. Método: Trata-se de um estudo qualitativo, realizado entre maio e julho de 2018, no município de João Pessoa - PB. Os sujeitos colaboradores do estudo foram quatro enfermeiros que atuam nas Estratégias de Saúde da Família. Para análise do material empírico, utilizou-se o dispositivo teórico-analítico da Análise de Discurso, de matriz francesa. Esse estudo foi aprovado em 2017 pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, conforme o parecer nº 2.303.457 com CAAE nº 76631817.2.0000.5188. Resultados: Emergiram os seguintes blocos discursivos: i) análise da situação das estratégias de controle da tuberculose em homens idosos, e ii) as práticas de cuidado realizadas pela enfermagem ao homem idoso com tuberculose, que dificultam a execução dos atributos essenciais da Atenção Primária à Saúde. Considerações finais: Os discursos analisados apontam para a filiação ideológica na qual as estratégias utilizadas pelos enfermeiros da Atenção Primária não estão contribuindo para o controle da tuberculose em homens idosos e de que existem obstáculos para a efetivação dos seus atributos. Logo, é importante que os gestores atuem com as equipes desses serviços para proporcionarem uma assistência integral e mais coordenada em dimensões que promovam um cuidado humanizado para essa população.
  • FABRÍCIA MARIA DE ARAÚJO BUSTORFF MELO
  • SÍNDROME DE BURNOUT EM ENFERMEIROS ASSISTENCIAIS: ESTUDO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
  • Data: 29/11/2018
  • Hora: 10:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: a Síndrome de Burnout (SB), que é caracterizada como um processo de resposta à sobrecarga proveniente do ambiente de trabalho, poderá ocasionar o esgotamento do trabalhador, levando à redução no desempenho laboral, desgaste nas relações interpessoais, e no comprometimento da saúde do indivíduo. Esta dissertação é composta por dois artigos: o primeiro intitula-se Síndrome de Burnout em enfermeiros de hospitais universitários: Um estudo bibliométrico. Objetivo: caracterizar os indicadores bibliométricos da produção científica em artigos, dissertações e teses, acerca da Síndrome de Burnout em Enfermeiros que atuam em hospitais universitários; e identificar os descritores para a Síndrome de Burnout nesses profissionais, nos estudos levantados. Metodologia: Estudo bibliométrico, com abordagem quantitativa, constituído por artigos, dissertações e teses. Foram selecionadas a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações, o Portal CAPES e a Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), publicados no período de 2000 a 2017, nos idiomas português, inglês e espanhol, com texto completo, totalizando 26 publicações. Resultados: Observou-se um aumento da produção científica no ano de 2010. Os artigos foram a modalidade da produção científica com maior número; o idioma predominante, o português. Quanto à distribuição das Instituições de Ensino Superior que abordaram o tema, destacaram-se aquelas localizadas na região Sudeste do Brasil. A formação profissional do autor principal das produções científicas, prevaleceu, as publicações desenvolvidas por enfermeiros. Os descritores Enfermagem, Saúde do Trabalhador e Esgotamento Profissional, foram os que apresentaram maior destaque. Conclusão: Após a realização deste estudo, faz-se premente impulsionar pesquisadores para publicar estudos com o tema abordado. Apesar de os documentos levantados indicarem que ainda existe um número reduzido de publicações, estes norteiam estudos como esse e podem embasar futuras pesquisas. O segundo artigo é uma pesquisa original, intitulada: Síndrome de Burnout: Predisposição de Enfermeiros assistenciais de um hospital universitário. Objetivo: avaliar a predisposição para a Síndrome de Burnout e sua relação com os fatores sociodemográficos em enfermeiros que atuam em um hospital universitário do município de João Pessoa-PB. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com enfermeiros assistenciais das Unidades de Clínica Médica, de Doenças Infecciosas e Parasitárias, Clínica Cirúrgica e Pediátrica de um hospital Universitário no período de março a outubro de 2017. Foram aplicados um questionário semiestruturado e um instrumento validado no Brasil para avaliar a SB. Os dados foram coletados, codificados e analisados estatisticamente. Resultado: Dos 54 Enfermeiros da pesquisa, predominou participantes do sexo feminino, casados e com filhos. Também prevaleceu participantes pós-graduados, com remuneração entre 5 a 10 salários mínimos. A maioria dos Enfermeiros apresentou nível médio de risco para o burnout, achado esse, bem preocupante. Dentre os fatores de associação ao burnout, o transtorno ocorre mais em enfermeiras, sem companheiro conjugal, sem filhos e com carga horária excessiva. Conclusão: Esses resultados merecem um certo cuidado, tendo em vista a vulnerabilidade dos profissionais participantes em desenvolver a Síndrome de Burnout. Destaca-se a relevância deste estudo pela necessidade de melhor compreender os fatores que contribuem para o processo saúde/doença dos trabalhadores de enfermagem em instituições hospitalares.
  • LILIA DE MEDEIROS ALCANTARA
  • O CUIDADO PRESTADO A PESSOAS IDOSAS COM TUBERCULOSE A PARTIR DO DISCURSO DE CUIDADORES FAMILIARES
  • Data: 29/11/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A tuberculose (TB) configura-se uma problemática de Saúde Pública, com a maior mortalidade entre as doenças infectocontagiosas. Sua ampla disseminação ligada ao envelhecimento populacional acarretou no deslocamento da incidência da doença para os idosos. Nesse contexto, o cuidador familiar entra como protagonista do cuidado, assumindo a responsabilidade de apoiar as atividades do idoso. Objetivo: Analisar os sentidos e os significados presentes nos discursos de cuidadores familiares relacionados ao cuidado às pessoas idosas residentes no município de João Pessoa-PB. Método: Trata-se de um estudo qualitativo, realizado entre maio e julho de 2018, no município de João Pessoa-PB. Os sujeitos colaboradores do estudo foram 6 cuidadores familiares que acompanharam os idosos no processo de adoecimento. Para a análise do material empírico, utilizou-se o dispositivo teórico-analítico da Análise de Discurso, de matriz francesa. Esse estudo foi aprovado em 2017 pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, conforme o parecer nº 2.303.511 com CAAE nº 76727317.7.0000.5188. Resultados: Emergiram dois blocos discursivos: i) fatores relacionados à gestão do cuidado em tuberculose e ii) dificuldades relacionadas ao cuidado desenvolvido pelos cuidadores familiares. Os discursos revelaram que existe retardo no diagnóstico da TB, que a porta de entrada para o diagnóstico não é a Atenção Primária à Saúde, bem como fragilidades na operacionalização do tratamento diretamente observado, ou seja, as ações de controle da TB apresentam obstáculos na efetivação de seus atributos. No tocante à prática da gestão do cuidado na dimensão familiar, observou-se que existe uma sobrecarga sentida pelos cuidadores, que o estigma da doença dificulta o cuidado, que o cuidador apresenta fragilidades na saúde e que a dificuldade financeira é apresentada como uma implicação negativa na oferta do cuidado. Considerações finais: Os discursos analisados apontaram fragilidades e dificuldades no processo de cuidado ofertado, seja por parte dos serviços de saúde, seja por parte do familiar. Logo, é importante que os profissionais e gestores da saúde se sensibilizem com a problemática da tuberculose; de forma a desfazer os nós críticos encontrados, bem como operacionalizar ações e estratégias capazes de ofertar um apoio maior aos cuidadores familiares que sofrem com a sobrecarga do cuidado.
  • TAINA DE ARAUJO SANTIAGO
  • Síndrome de Burnout: estudo com profissionais de Enfermagem que atuam em Centro de Terapia Intensiva
  • Data: 29/11/2018
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional acomete indivíduos de profissões que lidam com pessoas, causando desgaste ou exaustão emocional, referente a sentimentos de fadiga e dificuldade em lidar com situações estressoras. Essa dissertação é formada por dois artigos. O primeiro, teórico, intitula-se Síndrome de Burnout em Enfermeiros de Unidades de Terapia Intensiva: um estudo bibliométrico. Objetivo: Caracterizar a produção científica acerca da Síndrome de Burnout em enfermeiros que atuam em Unidades de Terapia Intensiva. Metodologia: Trata-se de um estudo bibliométrico, com abordagem quantitativa e documental, realizado a partir da busca online nas bases de dados da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) e no Portal Capes, em artigos publicados no período de 2000 a 2017, nos idiomas português, inglês e espanhol, com textos completos, perfazendo um total de 46 artigos. Resultados: Observou-se um maior número de publicações a partir do ano de 2011. Com relação aos periódicos, 30 deles foram responsáveis por divulgar os estudos sobre a temática. Quanto ao idioma, predominou o português. Os descritores Síndrome de Burnout, Unidade de Terapia Intensiva e Enfermagem, foram os que tiveram maior incidência. As palavras que representaram maior conteúdo semântico na temática estudada e que mais se destacaram pela alta frequência nos textos analisados foram burnout, profissional, enfermeiro, hospital e terapia. Conclusão: Foi possível observar que estudos nesta área vêm avançando cada vez mais. No entanto, verifica-se ainda ser incipiente a produção científica sobre a temática. Introdução: O segundo artigo trata-se de uma pesquisa original, intitulada: Prevalência da Síndrome de Burnout na equipe de Enfermagem de um Centro de Terapia Intensiva. Objetivo: Identificar a prevalência da Síndrome de Burnout e sua relação com alguns fatores sociodemográficos, na equipe de Enfermagem, que atua em um Centro de Terapia Intensiva de um Hospital Universitário, no município de João Pessoa – Paraíba. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de campo, do tipo exploratória, com abordagem quantitativa. A população do estudo envolveu a equipe de Enfermagem, composta por enfermeiros e técnicos, que atuam nas Unidades de Terapia Intensiva. Os dados foram coletados através de um questionário estruturado e um instrumento validado: Cuestionario para la Evaluación del Síndrome de Quemarse por el Trabajo; foram codificados e analisados estatisticamente. Resultados: Participaram da pesquisa 115 profissionais da enfermagem, predominando trabalhadores do sexo feminino, casados, com filhos e com idades entre 25 a 59 anos. A maioria dos enfermeiros apresenta nível médio para a Síndrome de Burnout. No entanto, dentre os fatores associados a síndrome, verificou-se que algumas das variáveis estudadas demonstram uma maior vulnerabilidade, são elas: sexo, estado civil, remuneração e tempo de atuação profissional. Conclusão: Os resultados são preocupantes, tendo em vista a percepção da grande prevalência da Síndrome de Burnout entre os profissionais que compuseram o presente estudo, demonstrando que existe uma grande exposição dessa equipe a fatores determinantes para o adoecimento.
  • WILIANA APARECIDA ALVES DE BRITO FERNANDES
  • ACURÁCIA DE INDICADORES CLÍNICOS DO DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM “DESOBSTRUÇÃO INEFICAZ DE VIAS AÉREAS” EM PESSOAS IDOSAS COM PNEUMONIA
  • Data: 28/11/2018
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A pneumonia é um dos problemas de saúde que influenciam a hospitalização de pessoas idosas. Objetivo: Avaliar a acurácia de indicadores clínicos do diagnóstico de enfermagem da NANDA Internacional “Desobstrução ineficaz de vias aéreas” em pessoas idosas hospitalizadas com pneumonia. Método: Estudo de acurácia diagnóstica de fase II com corte transversal e delineamento quantitativo, realizado em um hospital público de João Pessoa, Paraíba. A amostragem foi não probabilística por acessibilidade, considerando-se os seguintes critérios de inclusão: pessoas com 60 anos ou mais, hospitalizadas em unidades clínicas e terapia intensiva do referido hospital no momento da coleta de dados e com até 72 horas do diagnóstico médico de pneumonia. Foram excluídas, aquelas que estavam em ventilação mecânica, sendo a amostra composta por 43 pessoas. A coleta de dados se deu entre os meses de novembro de 2017 e agosto de 2018, por meio de entrevista e exame físico específico, subsidiada por instrumento estruturado. Os dados coletados foram organizados e processados pelo SPSS 22.0. A análise dos dados pautou-se na verificação das medidas de acurácia dos indicadores clínicos de Desobstrução ineficaz de vias aéreas na população investigada. No desenvolvimento do estudo, foram respeitados todos os aspectos éticos e legais contidos nas Resoluções nº 466 e nº 580 do Conselho Nacional de Saúde e suas complementares, resultando em sua aprovação pelo Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob o Protocolo nº 1.980.829/2017 e CAAE nº 65948717.0.0000.5188. Resultados: Dentre os participantes do estudo, 25 (58,1%) eram do sexo feminino; com faixa etária predominante de 80 anos ou mais, 16 (37,2%); viúvas, 22 (51,2%); com baixa escolaridade, 28 (65,2%); e renda familiar de 1 a 3 salários mínimos, 35 (81,4%). A prevalência de Desobstrução ineficaz de vias aéreas foi verificada em 28 (65,1%) idosos. Quanto aos indicadores desse diagnóstico de enfermagem, os mais prevalentes foram: ruídos respiratórios adventícios, 36 (83,7%), e ortopneia, 33 (76,7%). Quanto às medidas de acurácia, foram mais sensíveis: cianose e hipertermia (100%); as mais específicas foram: alteração do padrão respiratório, hipertermia e confusão mental (100%). A presença de mudança na frequência respiratória aumentou 348 vezes as chances de ocorrer Desobstrução ineficaz de vias aéreas na população investigada. Ao aplicar-se o classificador binário Weight of Evidence, verificou-se que escarro em excesso e tosse ausente foram muito influentes para o desfecho “Desobstrução ineficaz de vias aéreas” nas pessoas idosas investigadas. Considerações finais: A verificação das medidas de acurácia, sobretudo, sensibilidade e especificidade de indicadores clínicos, foi indispensável para a inferência desse diagnóstico de enfermagem. O conhecimento de tais indicadores contribui para o planejamento de ações de enfermagem efetivas para a resolutividade ou minimização deste problema de saúde entre as pessoas idosas.
  • ANA HEVILA MARINHO
  • A DOR EM PACIENTES SOB CUIDADOS PALIATIVOS: UM ESTUDO COM EQUIPE MULTIPROFISSIONAL
  • Data: 14/11/2018
  • Hora: 10:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O cuidar paliativo trata de uma abordagem terapêutica a partir do diagnóstico de patologias ameaçadoras à vida, que deve ter um enfoque multiprofissional, centrado no alívio do sofrimento do paciente, principalmente no tocante ao sintoma da dor. Esta dissertação foi desenvolvida a partir da construção de dois artigos. O artigo de revisão intitulado: “Cuidados paliativos e dor: uma revisão integrativa da literatura” teve como objetivo identificar, na produção científica sobre cuidados paliativos e dor, aspectos relacionados ao manejo e controle da dor em pacientes sem possibilidades de cura, disponibilizada em periódicos online no cenário nacional, nas bases de dados LILACS, BDENF e MEDLINE. A amostra do estudo foi composta por vinte e sete artigos e do material empírico analisado emergiram duas categorias temáticas: Manejo e controle da dor nos cuidados paliativos; Equipe multiprofissional na assistência à dor de pacientes em cuidados paliativos. O segundo artigo, de caráter exploratório, com abordagem qualitativa, intitulado: “A dor em pacientes sob cuidados paliativos: conduta da equipe multiprofissional”, teve como objetivo investigar a conduta da equipe multiprofissional no manejo da dor em pacientes sob cuidados paliativos. A população do estudo foi composta por profissionais enfermeiros, fisioterapeutas e médicos, tendo como amostra vinte profissionais. A coleta de dados foi realizada a partir de entrevista gravada e o material empírico analisado pela técnica de análise de conteúdo. Da análise dos dados emergiram três categorias temáticas: Estratégias de identificação e avaliação da dor nos pacientes sob cuidados paliativos; Conduta da equipe multiprofissional no alívio da dor de pacientes sob cuidados paliativos; e Fragilidades encontradas na assistência multiprofissional aos pacientes sob cuidados paliativos. Assim, os estudos desenvolvidos nesta dissertação contribuem para aprimorar a prática clínica e impulsionar o desenvolvimento de novos estudos a partir de uma reflexão por parte dos profissionais acerca da necessidade de identificação e controle da dor, da criação de protocolos clínicos assistenciais e valorização do olhar multiprofissional.
  • ALYNE FERNANDES BEZERRA
  • AVALIAÇÃO E PREVENÇÃO DO PÉ DIABÉTICO POR ENFERMEIROS: REPERCUSSÕES DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA PROBLEMATIZADORA
  • Data: 24/08/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O pé diabético é uma das complicações crônicas do Diabetes Mellitus (DM) com maior impacto socioeconômico e importante causa de ulceração e amputações de membros inferiores. As medidas preventivas, que incluem exame periódico dos pés e atividades educativas, podem ser realizadas pelo enfermeiro durante o acompanhamento das pessoas com DM na Atenção Primária em Saúde (APS). Objetivo: analisar a percepção dos enfermeiros sobre as repercussões da avaliação e prevenção do pé diabético após a participação em intervenção educativa problematizadora. Método: Estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa, realizado no período de outubro a novembro de 2016 com 14 enfermeiros da ESF do município de Campina Grande que completaram uma intervenção educativa baseada na Metodologia da Problematização (MP) com o Arco de Maguerez. "Curso de formação teórico-prática sobre prevenção e avaliação do pé diabético". Na coleta de dados, foram utilizadas entrevistas com guias semiestruturados. O material empírico extraído das entrevistas foi submetido à Análise de Conteúdo do tipo Temático. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa nº 0577/15 e pelo CAAE nº 50413915.0.00.0000.5188 Resultados: Emergiram cinco categorias das entrevistas, a saber: ressignificação do olhar sobre os cuidados com os pés; transformação do conhecimento teórico dos enfermeiros sobre pé diabético; aplicação das práticas de avaliação dos pés das pessoas com DM; transformação das práticas de orientação para prevenção do pé diabético; fatores que dificultam o cuidado com os pés pelo enfermeiro na APS. Considerações finais: A partir das reflexões, considera-se que a utilização da MP com Arco de Maguerez, enquanto estratégia educativa, promoveu o desenvolvimento de reflexões e oportunidade para repensar o processo de cuidado realizado pelos enfermeiros às pessoas com DM, e possibilitou alcançar transformações na realidade com a inclusão das práticas de avaliação dos pés na consulta de acompanhamento, a partir da sensibilização sobre a complexidade da SPD.
  • CIZONE MARIA CARNEIRO ACIOLY
  • PRÁTICAS DE AUTOCUIDADO REALIZADAS POR PESSOAS COM DIABETES TIPO 2 EM UM SEGUIMENTO AMBULATORIAL DE JOÃO PESSOA
  • Data: 31/07/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O Diabetes, quando descompensado, traz consequências graves no que concerne à perda da autonomia e independência, tornando o paciente limitado a desenvolver as atividades para o autocuidado. Para que estas ações de autocuidado ocorram são necessários dois fatores (atitude e conhecimento) essenciais para tomada de decisão sobre a dieta, realização de exercício físico, controle do peso, monitoramento dos níveis glicêmicos e uso correto das medicações. Objetivos: Identificar nos discursos de pessoas com DM2 atendidas em um seguimento ambulatorial os requisitos de autocuidado universais; averiguar nos discursos de pessoas com DM2 os requisitos de autocuidado desenvolvimentais; identificar nos discursos de pessoas com DM2 os requisitos de autocuidado de desvios de saúde. Método: Pesquisa exploratória com abordagem qualitativa realizada com 12 pessoas adultas com DM tipo 2 no ambulatório de endocrinologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley, durante os meses de fevereiro a março de 2018. Para a coleta de dados foi utilizado como instrumento um questionário semi-estruturado contendo questões abertas, em seguida aplicado junto a pessoas com diabetes tipo 2 a partir de entrevista gravada. Para a análise dos dados foi utilizada a Análise de Conteúdo de Bardin. Após análise das falas dos participantes emergiram as seguintes categorias, de acordo com os requisitos de Orem: Requisitos Universais - Descrevendo a alimentação, Uso de álcool e fumo, Inatividade física, Prática de atividade de lazer e Interação social, Descrição do sono e repouso; Requisitos Desenvolvimentais - Condições de Moradia, Apoio no cuidado com a doença, Preparo da alimentação da pessoa com diabetes, O cuidado com a medicação, Dependência no controle da doença; Requisitos de Desvios de Saúde - Surgimento de complicações diabéticas, Surgimento de outras doenças por causa do diabetes, Realização de consultas médicas e de enfermagem, Seguimento do tratamento proposto, Informações acerca do diabetes e cuidados necessários para condução do tratamento. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley, designado via Plataforma Brasil, segundo parecer nº 2.460.264 e CAAE: 79911917.1.0000.5183. Resultados: Após análise das falas, encontrou-se dificuldade na adesão a dieta, uso de álcool e fumo interrompido após complicações diabéticas, sedentarismo, atividade de lazer limitada, sono e repouso prejudicado com uso de medicação, apoio institucional e familiar, preparo da alimentação e cuidado com medicação pelo diabético, uso de medicação prescrita pelo médico, porém esquecimento dos horários, dificuldades no seguimento do tratamento proposto tais como: financeira, adaptação do regime alimentar, pouca informações acerca do diabetes e do cuidado necessário para condução do tratamento. Conclusão: O estudo permitiu perceber que o autocuidado deve ser valorizado nas consultas dos profissionais de saúde e de enfermagem, em especial, buscando desenvolver habilidades e segurança no portador para que o autocuidado aconteça de forma eficaz, bem como engajar a família nesse contexto, uma vez que estes são também peças-chave para adesão e sucesso no tratamento da pessoa com diabetes tipo 2.
  • KAREN KRYSTINE GONÇALVES DE BRITO
  • ADESÃO AO AUTOCUIDADO NA HANSENÍASE À LUZ DA TEORIA DE EVERETT ROGERS
  • Data: 27/07/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A hanseníase é uma doença altamente incapacitante e endêmica no Brasil. Os objetivos das estratégias atuais de enfrentamento à doença, são pautados, dentre outros fatores, pelas orientações de educação em saúde e realização do autocuidado para redução de incapacidades. Objetivo: Avaliar a eficácia de uma intervenção educativo-comportamental sobre a adesão ao autocuidado, em indivíduos acometidos pela hanseníase, à luz da Innovation Diffusion Theory – Teoria da Difusão de Inovações. Método: Trata-se de um estudo de múltiplas metodologias, desenvolvido em três fases. Na 1ª fase - estudo metodológico foi construído e validado (conteúdo, construto e critério) o instrumento Atitude e Prática de Autocuidado na Hanseníase – APAHansen. Na 2ª fase – estudo experimental, randomizado, cego, paralelo com amostra estratificada em blocos, os sujeitos foram divididos em grupo controle e grupo experimental submetido à intervenção educativo-comportamental, kit de autocuidado e calendário de acompanhamento. Na 3ª fase – estudo de caso, foram analisados os fatores que influenciaram a adesão ao autocuidado. Resultados: O instrumento APAHansen apresentou Validade de conteúdo (K≥0,99), construto (α = 0,77), e critério (Speaman positivo/ p<0,05). Após intervenção educativo-comportamental para realização do autocuidado observou-se que, quando comparados os dois grupos, houve aumento na adesão de 75% para face, 100% para mãos e pés. A avaliação da média dos escores para prática, apontou aumento de 300% em relação a dimensão face, 400% à dimensão mãos e 25% aos pés, no grupo intervenção. Sobre os fatores influentes à adesão ao autocuidado, os entrevistados citaram o reconhecimento da intervenção como vantajosa, compatibilidade com suas necessidades, baixa complexidade e motivação pela disponibilização do kit de autocuidado, apoio do agente de mudança, assim como pela visibilidade dos resultados pelos outros. Conclusão: O instrumento proposto apresentou-se válido em suas características psicométricas, a intervenção educativo-comportamental se revelou eficaz na promoção da adesão ao autocuidado, ao passo que elevou o percentual das práticas de autocuidado após processo de intervenção; e a teoria da difusão de inovações representou importante instrumento metodológico, claro e coeso às propostas deste estudo.
  • SMALYANNA SGREN DA COSTA ANDRADE
  • TECNOLOGIAS EM SAÚDE E USO DE PRESERVATIVOS ENTRE MULHERES: comunicações persuasivas à luz da Teoria da Ação Racional
  • Data: 26/07/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Comunicação persuasiva é uma estratégia utilizada em diversos campos a fim de influenciar comportamentos. Objetivo: Desenvolver tecnologias leve-duras voltadas à modelação do uso do preservativo entre mulheres em situação de vulnerabilidade social, enquanto comportamento preventivo às IST/HIV. Considerações metodológicas: Estudo teórico, metodológico e descritivo-transversal, fundamentado na Teoria da Ação Racional e de abordagem quantiqualitativa, desenvolvido em quatro fases. Os dados foram analisados com o IBM SPSS, versão 21, por meio do Índice de Validade de Conteúdo (IVC), Alfa de Cronbach (α), correlação r de Pearson e regressão linear múltipla Stepwise, com significância de p<0,05. A tese foi aprovada com CAAE n. 50361315.2.0000.5188 e n. 58597416.3.0000.5188. Resultados: Na Fase I, formulou-se o conceito de comunicação persuasiva à luz do Método de Meleis. Na Fase II, por meio da rodada Delphi I, o critério “clareza” gerou α= 0,95 (IC: 0,872-0,992) e p<0,01; e o IVC Global foi de 0,82. Na mesma rodada, o critério “relevância” gerou α=0,74 (IC: 0,300-0,956) e p=0,003, e o IVC Global foi de 0,90. Na rodada Delphi II, não foi possível gerar α devido à homogeneidade de concordância, mas o IVC Global foi 0,99 para clareza e relevância. O estudo piloto gerou α=0,61 (IC: 0,48 – 0,72). Na Fase III, houve correlação entre crenças normativas e intenção de uso de preservativo (p<0,01), crenças comportamentais e atitude (p<0,01), crenças normativas e atitude (p<0,05), crenças normativas e norma subjetiva (p<0,01), e consistência interna (α) de 0,674 (IC = 0,592-0,746). A Fase IV culminou na elaboração de comunicações persuasivas textuais e audiovisuais positiva, negativa, controle-placebo e somente-controle. Conclusão: Tecnologias leve-duras poderão compor estratégias de fomento ao uso de preservativo entre mulheres em situação de vulnerabilidade social, refletindo as contribuições da enfermagem ao enfrentamento dos ciclos de contaminação por IST/HIV.
  • TATIANA FERREIRA DA COSTA
  • ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL DA BAKAS CAREGIVING OUTCOME SCALE EM CUIDADORES INFORMAIS DE PACIENTES COM SEQUELA DE ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
  • Data: 24/07/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As sequelas resultantes de um acidente vascular encefálico (AVE) comumente leva a dependência de terceiros, que recai na maioria das vezes para um cuidador informal. É necessário a utilização de escalas específicas para detectar a presença de sobrecarga nesses cuidadores, no sentido de prevenir consequências na sua saúde física e mental. Objetivo: Realizar a adaptação transcultural da BCOS em cuidadores informais de pacientes com sequela de AVE para o português do Brasil. Método: Estudo metodológico de adaptação transcultural, que seguiu os seguintes passos: Tradução; Retrotradução; Consolidação da versão traduzida; e Avaliação semântica e de conteúdo. Os dados foram coletados com 151 cuidadores informais de pacientes com sequela de AVE por meio de entrevistas domiciliares, no período de Setembro à Dezembro de 2017. Realizou-se testes psicométricos para validação e confiabilidade da escala e avaliação da média dos itens da BCOS e sua comparação com grupos distintos. A pesquisa iniciou após a aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa com CAAE de nº 71855817.0.0000.5188. Resultados: A tradução e retrotradução apresentaram poucas alterações. Devido a incompreensão de alguns itens na validação semântica e de conteúdo foi necessário a sua descrição mais detalhada. A última versão da escala foi submetida a um pré-teste, que não apresentou problemas de compreensão. Com a estrutura unidimensional, os itens fatoraram com cargas acima de 0,40, cujo fator explicou 42,54% da variância. A comunalidade foi de 0,167 à 0,505, a confiabilidade composta (CC) de 0,92 e a variância média extraída (VME) de 0,66. A unidimensionalidade foi apoiada pela análise fatorial confirmatória. O alfa de Cronbach foi de 0,89, com valores entre 0,89 à 0,90 na exclusão de cada item. A BCOS apresentou validade convergente com afeto e experiência negativa do bem-estar subjetivo (BES) e com a escala de estresse, ansiedade e depressão (EADS-21) e divergente com afeto e experiência positiva do BES. As média geral da BCOS foi de 48,62, e a dos itens variou entre 2,77 e 4,00. Houve associação da BCOS com sexo e tempo de cuidado Conclusão: A BCOS adaptada é uma valiosa ferramenta de rastreio para os enfermeiros identificarem a sobrecarga de cuidadores e áreas prioritárias para intervenções.
  • KHIVIA KISS DA SILVA BARBOSA
  • SIGNIFICADOS E EXPERIÊNCIAS DE PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA ACOMETIDAS POR TUBERCULOSE
  • Data: 11/07/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A presença de pessoas vivendo em situação de rua (PSR) desperta, na sociedade, olhares indiferentes, que marginalizam e associam esse público à violência. Adoecer de tuberculose (TB) morando na rua potencializa sobremaneira essa segregação, visto que a TB é uma doença fortemente marcada pela exclusão social e por estigma. Habitar a rua, estando acometido por essa doença, exige uma (re)organização nos modos de viver e de (re)significar a vida devido às repercussões que o adoecimento produz na existência da pessoa adoecida e de seu entorno social. Objetivo: Analisar os significados e as experiências de pessoas em situação de rua relacionados ao adoecimento por tuberculose na rua. Percurso metodológico: Estudo qualitativo, desenvolvido no município de João Pessoa, que envolveu cinco PSR, acometidas por TB. Para coletar os dados usamos um diário de campo e um roteiro de entrevista em profundidade, no período de fevereiro de 2015 a março de 2016. Para analisar o material empírico, empregamos a Análise Narrativa. Depois de dividir as narrativas em proposições indexadas e não indexadas, identificamos as trajetórias individuais e, depois de agrupá-las em categorias, elaboramos a síntese narrativa coletiva. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, conforme o CAAE 20446513.0.000.5188. Resultados: As categorias apontam que as condições em que vivem este público acometido por TB não favorecem para que adiram ao tratamento da doença e continuem a fazê-lo, porquanto elas priorizam as necessidades de alimentação, liberdade, uso de álcool e outras drogas. E apesar de sofrer devido aos sintomas da doença, eles não a reconhecem como um agravo que requer tratamento imediato e risco de morte. Considerações finais: Sugerimos que haja uma articulação das áreas de saúde com a assistência social, a nutricional e a psicossocial para encontrarem formas intervir, de maneira favorável, nas principais barreiras apontadas por PSR acometidas de TB, para que possam aderir ao tratamento e dar continuidade a ele. Para isso, é necessário um olhar direcionado para as peculiaridades desse grupo populacional.
  • RENATA MAIA DE MEDEIROS FALCÃO
  • Risco de quedas em pessoas idosas hospitalizadas.
  • Data: 20/06/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento é um processo dinâmico e progressivo, que compreende alterações morfológicas, funcionais, sociais e psicológicas. Á vista disso, surge um maior número de incidentes frequentes na terceira idade, a exemplo das quedas, gerando muitas vezes dependência parcial ou total desse idoso, que passa a necessitar de cuidados específicos. Objetivo: avaliar o risco de quedas de pessoas idosas hospitalizadas. Método: estudo descritivo, de corte transversal e abordagem quantitativa, realizado no período de abril a outubro de 2017 com 284 idosos hospitalizados nas unidades de internação Clínica (Ala A e B), Cirúrgica e de Doenças Infecto-parasitárias de um Hospital Público de Ensino, localizado no município de João Pessoa-PB. Aplicou-se a técnica Multivariada Análise de Correspondência para avaliar a associação entre fatores e a classificação do risco de quedas e o teste Qui-Quadrado para determinar a categorização do risco pela Morse Fall Scale. Estudo aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa sob o parecer 2.193.755 e CAAE: n. 62128816.0.0000.5183. Resultados: Prevaleceram os idosos do sexo masculino, na faixa etária de 60 a 69 anos, analfabetos, pardos, casado/união estável, católicos e com renda mensal de um salário mínimo proveniente da aposentadoria. Identificou-se que 45% dos idosos apresentaram alto risco de quedas de acordo com os scores da Escala de Morse. Os critérios da escala ―diagnóstico secundário‖ e ―uso de terapia intravenosa‖ obtiveram um maior percentual de idosos com risco elevado associado a quedas. Houve associação significativa entre o alto risco de quedas e a incontinência urinária, a visão prejudicada e o uso de medicamentos diuréticos. Conclusão: Evidenciou-se a importância de avaliar o risco de quedas no ambiente hospitalar por meio da Escala de Morse, onde os resultados encontrados irão auxiliar a equipe de saúde no planejamento de ações que reduzam o incidente, propiciando um ambiente mais seguro, com auxílio de ferramentas específicas que avalie o risco do idoso hospitalizado sofrer ou não esse episódio.
  • MARIA JOSÉ LEITE DE MEDEIROS
  • Estrutura familiar de pacientes sob cuidados paliativos em unidade de terapia intensiva: estudo à luz do Modelo Calgary
  • Data: 30/05/2018
  • Hora: 15:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: cuidados paliativos constituem uma abordagem essencial para o atendimento holístico a pacientes que enfrentam doenças que ameaçam a continuidade da vida. Essa modalidade de cuidar tem a finalidade de melhorar a qualidade de vida do paciente e de sua família. A presente dissertação é constituída de dois artigos, um teórico e um original. O primeiro intitula-se: Produção de dissertações e teses no cenário brasileiro sobre cuidados paliativos: estudo bibliométrico. Objetivo: analisar a produção científica acerca de cuidados paliativos em dissertações e teses no Brasil. Método: pesquisa bibliométrica com abordagem quantitativa, cuja amostra foi constituída de 163 estudos (123 dissertações e 40 teses) publicados no período de 2006 a 2016. A coleta de dados ocorreu no mês de abril de 2017, na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações do Instituto Brasileiro de Informação Científica e Tecnológica. Os dados obtidos foram analisados quantitativamente utilizando-se a estatística descritiva. Resultados: verificou-se que 2013 foi o ano com a maior quantidade de publicações. A região que se sobressaiu foi a sudeste e a Instituição de Ensino Superior com maior ênfase foi a Universidade de São Paulo. Predominaram as dissertações de Mestrado, e a maioria das publicações teve como cenário de estudo a unidade de internação hospitalar. Conclusão: os dados desta pesquisa evidenciaram que a temática cuidados paliativos, abordada nas dissertações e teses inseridas na pesquisa, encontra-se em ascensão e passou a ter mais representatividade a partir de 2011. O segundo estudo é intitulado: Estrutura familiar de pacientes sob cuidados paliativos em unidade de terapia intensiva: estudo à luz do Modelo Calgary. Objetivo: analisar a estrutura familiar de pacientes sob cuidados paliativos em unidade de terapia intensiva, à luz do Modelo Calgary de Avaliação Familiar - MCAF. Método: estudo de campo com abordagem qualitativa, no qual participaram cinco famílias de pacientes em cuidados paliativos internados na Unidade de Terapia Intensiva adulto de um hospital público, localizado na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil. A coleta de dados ocorreu no período de agosto a setembro de 2017. Foi utilizada a técnica de entrevista semiestruturada, por meio de um roteiro previamente elaborado a partir do MCAF, contendo as questões norteadoras do estudo. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba sob o CAAE de n° 33261114100005183. O material empírico foi analisado a partir do Modelo Calgary de Avaliação Familiar. Resultados: a avaliação familiar permitiu compreender os principais aspectos das estruturas interna e externa assim como do contexto familiar. Foram identificados os vínculos dos pacientes e seus relacionamentos no núcleo familiar e no meio no qual estão inseridos, apresentando as redes de apoio e a reorganização da dinâmica na realização das tarefas que os familiares passaram a desempenhar após o adoecimento dos seus familiares. Conclusão: O MCAF configura-se como uma ferramenta de avaliação efetiva e relevante para analisar a estrutura familiar de pacientes sob cuidados paliativos em UTI. Desse modo, possibilita ao enfermeiro planejar suas ações assistenciais, priorizando as necessidades em benefício da unidade familiar.
  • BRENA STEFANI M ACIOLY DE SOUSA
  • TERAPIA COMUNITÁRIA INTEGRATIVA: Impacto na vida de mulheres, mães de autistas (História Oral Temática)
  • Data: 30/05/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, na qual foi utilizada a História Oral Temática para obtenção das principais fontes. O presente estudo teve como objetivos: Conhecer a história de vida de mulheres, mães de autistas, suas experiências de cuidado, destacando os obstáculos/ dificuldades, e possíveis transformações ao participarem das rodas de Terapia Comunitária Integrativa; Descrever os principais obstáculos vivenciados por estas mulheres no cuidado aos filhos, e no cuidar de si; Destacar as transformações ocorridas na vida destas mulheres após se tornarem participantes das rodas de TCI; Identificar se as mulheres, mães de filhos autistas, se sentem incluídas e contempladas na rede de cuidados em saúde mental do Estado da Paraíba. O local do estudo foi o coreto público da cidade de Cabedelo – Paraíba, onde aconteceram as rodas de terapia comunitária integrativa com as mulheres, mães de filhos autistas. O material empírico foi produzido a partir da realização de uma entrevista semiestruturada com participantes de pelo menos 24 rodas de terapia. Ao todo foram escolhidas cinco colaboradoras, e o produto do material foi discutido a partir da metodologia de análise temática de Minayo, de onde emergiram quatro grandes eixos temáticos: A perda do filho idealizado e a Síndrome de Maria; Elas, mães de autistas, suas dores e seus amores; A Terapia das Mulheres; A rede de cuidados: Onde estão as mulheres mães de filhos autistas? Esta pesquisa obedeceu aos aspectos éticos e legais das normas e diretrizes previstas na resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, que regulamenta as pesquisas com seres humanos, atribuídas e conferidas pela Lei no 8,080, de 19 de setembro de 1990, e pela Lei no 8.142, de 28 de dezembro de 1990. O arquivamento do material coletado ficará sob a tutela do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal da Paraíba (PPGEnf/UFPB). O discurso das colaboradoras revelou que as mães que cuidam de seus filhos autistas, embora afetuosas, trazem em seus discursos e atitudes altruístas, o apelo de quem sofre. Este sofrimento tem uma dimensão social, na medida em que nesta teia estão colocadas questões políticas, culturais, de gênero e comunitária e reverbera no campo físico e psicológico. Revelaram ainda que as terapias comunitárias integrativas lhes suscitaram mudanças, sendo a principal delas o disparo de um processo autoreflexivo acerca de seus papéis. Embora não se sentindo contempladas pela rede de cuidados em saúde mental do estado, estas mulheres conseguiram se reerguer e retomar o cuidado a elas mesmas. Neste contexto, pode-se perceber que a TCI, acolheu estas mães e histórias de sofrimento e luta permitindo uma contemplação dos seus verdadeiros papéis, Mulheres.
  • THAÍS COSTA DE OLIVEIRA
  • Estrutura familiar de crianças com câncer em cuidados paliativos: estudo à luz do Modelo Calgary.
  • Data: 30/05/2018
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Cuidados paliativos no âmbito da oncologia pediátrica visam melhorar a qualidade de vida da criança com câncer, mediante a promoção de assistência humanizada e integral durante o processo da doença e na fase de terminalidade, bem como propiciam suporte para família. Esta dissertação é constituída por dois artigos, o primeiro, de revisão, intitula-se: Cuidados paliativos e a criança com câncer: estudo bibliométrico. Objetivo: analisar a produção científica publicada em periódicos online sobre os cuidados paliativos e a criança com câncer. Metodologia: trata-se de um estudo bibliométrico, realizado com uma amostra de 58 artigos, publicados entre 2006 e 2016 e selecionados nas bases de dados LILACS, MEDLINE e BDENF. Resultados: o maior quantitativo de publicações acerca da temática se deu nos anos 2013 - 2016. Dos 38 periódicos selecionados para o estudo, o que mais publicou sobre a temática foi a revista Pediatric Blood Cancer (3,0%). O Brasil (50,0%) foi o país que apresentou o maior número de artigos publicados. Predominaram as publicações produzidas por pesquisadores da área de Enfermagem (57,0%) e autores com o título de doutor (36,0%). Conclusão: o estudo demonstrou que há um número reduzido de publicações disseminadas em periódicos nacionais e internacionais acerca dos cuidados paliativos relacionados a criança com câncer. O segundo artigo tem como título: Estrutura familiar de criança com câncer em cuidados paliativos: estudo à luz do Modelo Calgary. Objetivo: analisar a estrutura da família de crianças em cuidados paliativos à luz do Modelo Calgary de Avaliação da Família. Metodologia: trata-se de uma pesquisa de campo com natureza qualitativa e participaram do estudo cinco famílias de crianças com câncer em cuidados paliativos, representadas por suas genitoras. A pesquisa foi realizada em uma casa de apoio para crianças e adolescentes com câncer, localizada na cidade de João Pessoa – PB, Brasil. Para viabilizar a coleta de dados foram utilizados a técnica de entrevista e os instrumentos genograma e o ecomapa para delinear as estruturas internas, externas e de contexto familiar. Essa ocorreu no período de abril a junho de 2017. O material empírico foi analisado à luz do Modelo Calgary de Avaliação Familiar. Resultados: os resultados a partir dos três aspectos da estrutura familiar: estrutura interna, estrutura externa e o contexto, permitiram identificar que, das composições das famílias inseridas no estudo, três são do tipo nuclear extensas e duas monoparentais. No que diz respeito à rede de suporte social, a maioria referiu apoio de familiares, amigos e da igreja. As famílias do estudo relataram ter uma boa relação com os vizinhos. Todas as mães de crianças com câncer destacaram a importância da religião e espiritualidade para o enfrentamento diante do processo de adoecimento dos seus filhos. Conclusão: os instrumentos genograma e ecomapa apontaram ser de grande relevância para compreender melhor a estrutura familiar de crianças com câncer sob cuidados paliativos, como também são de suma relevância para o planejamento da assistência de enfermagem a criança com câncer e sua família.
  • JIOVANA DE SOUZA SANTOS
  • Conhecendo a vulnerabilidade ao HIV/Aids de dois grupos de idosos
  • Data: 30/05/2018
  • Hora: 10:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Considerações iniciais: Concomitante ao aumento da expectativa de vida, houve o crescimento nas taxas de infecção pelo vírus da aids na população idosa. A elevada incidência da infecção na faixa etária igual e superior a 60 anos revela a necessidade de se investigar os fatores que estão relacionados a esse aumento, no intuito de se obter subsídios que auxiliem no controle da epidemia. Objetivos: Evidenciar o conhecimento produzido na literatura científica acerca da vulnerabilidade ao HIV/Aids de pessoas idosas e analisar a relação entre o nível de escolaridade e a vulnerabilidade ao HIV/Aids de pessoas idosas. Percurso Metodológico: Realizou-se uma revisão integrativa da literatura dos últimos dez anos no intuito de se conhecer as vulnerabilidades ao HIV/Aids de idosos. Posteriormente realizou-se um estudo exploratório comparativo, com abordagem quantitativa, para análise dos dados, com a participação de 100 idosos em Unidades de Saúde da Família e na Universidade Federal da Paraíba no município de João Pessoa, Paraíba. 50 idosos possuem nível de escolaridade superior e 50 idosos com nível de escolaridade não superior. Os dados foram coletados no período de julho a dezembro de 2017 através de um roteiro de entrevista que contempla dados sociodemográficos e questões sobre vulnerabilidade ao HIV/Aids. Os dados foram processados pelo programa SPSS 19 e tratados mediante estatística descritiva com o teste não paramétrico qui-quadrado, medida de fidedignidade Alpha de Cronbach e teste não paramétrico de Mann-Whitney. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde conforme o número 67103917.6.0000.5188CAA. Resultados: no estudo de revisão integrativa da literatura a vulnerabilidade ao HIV/Aids de idosos foram evidenciados por: comportamentos, práticas, conhecimento e Representações Sociais, identificados por vida sexual ativa, baixa adesão do uso de preservativo relacionado a confiança no parceiro; os idosos não se inserem no cenário do HIV/Aids, veem como doença do outro; o conhecimento deles é incipiente sobre a vulnerabilidade, conhecem a prevenção, mas não a praticam. Quanto aos resultados do estudo de campo, a maioria dos idosos 54% são do sexo feminino na faixa etária de 60 a 70 anos (80%); (55%) são casados. Dos entrevistados, (50%) apresentam ensino superior completo e os demais (20%) ensino fundamental, seguido de 18 (18%) analfabetos e 12 (12%) com ensino médio; 80 (80%) são de religião católica. Quanto à participação na renda familiar, 51 (51%) contribuem de forma complementar. Os dados revelam que a vulnerabilidade ao HIV/Aids de idosos, com nível de escolaridade não superior, é duas vezes maior do que em idosos com nível de escolaridade superior. A média foi de 7,14 e desvio padrão da média 3,66 contra 3,22 e desvio padrão de 1,49 respectivamente e valor de <0,001 Mann-Whitney. Houve diferença nas respostas do instrumento de vulnerabilidade como um todo. Na maioria dos itens, a vulnerabilidade é maior para o grupo que não tem ensino superior. No entanto, em alguns itens a vulnerabilidade é bastante similar para ambos os grupos. O teste Qui-quadrado foi aplicado para avaliar a diferença de ocorrência nas respostas nos itens. Na maioria dos itens, há diferença estatística significativa de opinião para estes níveis de escolaridade. Houve pouca alteração na medida Alpha de Cronbach mostrando que os itens contribuíram de maneira equilibrada para a informação da vulnerabilidade proposta pelo instrumento e que a medida Alpha para todos os itens do instrumento foi 0,805, com intervalo a 95% de confiança compreendido entre 0,744 a 0,856. Considerações Finais: o aumento de casos de HIV/Aids na população idosa é um problema de saúde pública. Observam-se lacunas que ameaçam o 11 controle da epidemia da aids quando se evidencia a vulnerabilidade ao HIV/Aids da população idosa, principalmente nos que possuem nível de escolaridade não superior, pois trata-se de um fator sociodemográfico que dificulta o acesso a informações. Nesse estudo, pôde-se perceber que as pessoas idosas estão vulneráveis ao HIV e que o nível de escolaridade tem relação com a vulnerabilidade ao HIV. Diante dos resultados expostos, torna-se importante que as políticas públicas voltadas para a prevenção do HIV insiram o público idoso em suas ações. Sugere-se ainda o uso de tecnologias ativas e inovadoras para atingir esse público alvo, considerando a homogeneidade dessa população. E, sobretudo, capacitação para os profissionais atuantes principalmente na Atenção Básica no que concerne à abordagem aos idosos sobre as dimensões que envolvam a sexualidade destes, desconstruindo imagens e estereótipos quanto a vida sexual desta faixa da população.
  • ANA CARLA CAVALCANTI DE ANDRADE
  • Fatores sociodemográficos e clínicos relacionados a adesão e acompanhamento ao uso da Profilaxia Pós-Exposição Sexual para o HIV
  • Data: 29/05/2018
  • Hora: 14:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A disseminação do Vírus da Imunodeficiência Humana ainda se configura como um problema de saúde pública e para a sua prevenção destaca-se a adesão à Profilaxia Pós-Exposição para o vírus. Objetivo: Analisar a adesão e o acompanhamento do uso da Profilaxia Pós-Exposição Sexual para o Vírus da Imunodeficiência Humana, segundo os aspectos sociodemográficos e clínicos. Método: Estudo descritivo, de natureza quantitativa, utilizando fontes de dados secundários, realizado em um hospital de referência na Paraíba, com uma amostra de 201 prontuários de usuários que utilizaram a profilaxia, entre agosto de 2015 e dezembro de 2016. Os dados coletados foram registrados em formulário, digitados em planilha no Microsoft Office Excel 2003 e transportados para o programa SPSS versão 20.0, sendo analisados por meio da estatística descritiva, modelo de regressão logística e análise de correspondência múltipla. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob o CAAE 65610617.9.0000.5188. Resultados: Dos 201 usuários que buscaram a profilaxia houve destaque do sexo masculino (80,1%), faixa etária de 15 a 29 anos (53,7%), raça parda (76,1%), heterossexuais (63,7), estado civil solteiro (80,1%), escolaridade de nível superior (45,3%), ocupação profissional diversificada (52,6%), procedência geográfica da capital (79,6%) e a circunstância de exposição pelo não uso do preservativo (73,1%). Os usuários receberam os medicamentos antirretrovirais na primeira consulta, porém 118 (58,7%) não retornaram ao serviço e 83 (41,3%) compareceram parcialmente às consultas estabelecidas. A probabilidade de não adesão foi maior na faixa etária de 15 a 29 anos, de heterossexuais e de usuários com nível de escolaridade médio. Conclusão: O fato do usuário não ter comparecido às consultas para o acompanhamento clínico-laboratorial não significa afirmar que não houve adesão à profilaxia, uma vez que os antirretrovirais são disponibilizados para serem tomados em domicílio. Dessa forma, garantir o acompanhamento clínico do usuário torna-se importante para a adesão farmacológica, através do monitoramento dos sintomas indesejáveis e avaliação acerca das dificuldades que possam comprometer essa adesão.
  • DAYSE KALYNE GOMES DA COSTA
  • CUIDADO EM SAÚDE À LUZ DA TEORIA DE JEAN WATSON: discurso de profissionais e assistidos
  • Data: 29/05/2018
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Teoria do Cuidado Transpessoal de Jean Watson está alinhada a uma proposta de cuidado transcendental, capaz de contemplar o indivíduo em sua integralidade de corpo-menteespírito. Essa filosofia de cuidado transcende a periferia de uma perspectiva de cuidado tradicional, e alcança as profundezas da consciência dos sujeitos que participam do momento de cuidado. A proposta de um cuidado transcendental defendida pela teórica despertou o interesse da mestranda na construção desta dissertação que analisa o cuidado a partir da teoria de Jean Watson, sendo constituída de dois artigos. O primeiro, de revisão, foi intitulado de “Teoria do Cuidado Transpessoal de Watson: revisão integrativa da literatura” e teve o objetivo de analisar as produções científicas produzidas no cenário mundial, acerca da teoria, em periódicos online. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, com abordagem bibliométrica, realizada a partir do acesso ao Portal CAPES, EBSCOhost, PubMed/MEDLINE, LILACS. O corpus de análise da pesquisa foi composto de 47 artigos e os resultados evidenciaram que a maioria dos estudos foram publicados no Brasil, o idioma predominante foi o inglês, a maioria das publicações foram encontradas no Portal CAPES, a abordagem qualitativa foi a mais identificada e os cenários de pesquisa mais frequentes foram os hospitais. Os estudos versaram sobre a Teoria do Cuidado Humano, o Processo Clinical Caritas, e os cenários de prática desta teoria. O segundo, de campo, de natureza exploratória com abordagem qualitativa, foi intitulado de “Cuidado transpessoal: compreensão de profissionais da saúde e assistidos de uma instituição filantrópica” e teve dois objetivos: o de investigar o discurso de profissionais voluntários sobre o cuidado em saúde que realizam em uma instituição filantrópica; o de averiguar o discurso de pessoas sobre o cuidado em saúde recebido por elas em uma instituição filantrópica. Participaram do estudo profissionais da saúde que desenvolvem trabalho voluntário em uma instituição espiritualista e assistidos que são acompanhados na referida instituição, estando inseridos em uma modalidade de atendimento denominada de Serviço Ostensivo da Luz (Grupo do SOL). A amostra foi composta por 5 profissionais da saúde e 7 assistidos do Grupo do SOL. O material empírico foi coletado nos meses de março e abril de 2018, com a realização de entrevista, e analisados a partir da técnica de análise de conteúdo. A análise do material empírico permitiu a construção das seguintes categorias: compreensão sobre o cuidar/cuidado em saúde; ampliando o cuidado em saúde para o cuidado transpessoal; promovendo um ambiente de reconstituição física e espiritual. Foram trazidos aspectos subjetivos do cuidar, sob a óptica dos sujeitos envolvidos na relação de cuidado apresentada, destacando-se aspectos essenciais para estabelecimento de uma relação de cuidado fortalecida pelo caráter humano e transpessoal. Desse modo, os estudos apresentados mostram que a Teoria do Cuidado Transpessoal poderá auxiliar na promoção de um cuidado humano mais amplo e efetivo, por contemplar as múltiplas dimensões que constituem o ser, a partir de uma proposta de autoconhecimento, inerentes a todos os sujeitos que estão unidos em uma consciência única de cuidado.
  • VÂNIA PESSÔA DE CARVALHO DANTAS
  • Cuidar em pós-operatório à luz da Teoria de Jean Watson: discurso de enfermeiros assistenciais
  • Data: 29/05/2018
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Cuidar é a essência da enfermagem e é definida por Jean Watson como o ideal moral da profissão de enfermagem. É uma ação interpessoal que ocorre entre o ser que cuida e o ser que é cuidado. Na abordagem ao paciente cirúrgico, o cuidar visa a proporcionar alívio e conforto. A presente dissertação é constituída por dois artigos: o primeiro, teórico, intitula-se Publicações de Teses e Dissertações Sobre a Teoria do Cuidado Humano: estudo bibliométrico. Objetivo: Analisar a produção científica acerca da Teoria do Cuidado Humano de Jean Watson em teses e dissertações no âmbito nacional. Método: Revisão bibliométrica, cuja amostra foi composta de 6 teses e 35 dissertações publicadas no período de 2000 a 2016, nas bases de dados CEPEn/ABEn, CAPES, BDTD, TESESENF e no Portal Domínio Público. Resultados: Evidenciaram que a produção científica sobre a temática foi maior nos anos de 2000 e 2016, houve predominância de dissertações e de pesquisadores da área de enfermagem. Conclusão: As publicações acerca da temática investigada apresentam um quantitativo pouco expressivo, considerando-se o período pesquisado. Sugere-se a realização de novos estudos, no sentido de auxiliar a aplicabilidade da teoria no ambiente de cuidados. O segundo artigo, do tipo original, intitula-se A prática do cuidar no discurso de enfermeiros de clínica cirúrgica á luz da teoria de Jean Watson. Objetivo: Compreender o discurso de enfermeiros assistenciais sobre o cuidar de pacientes em pós-operatório. Identificar as ações de cuidado de enfermeiros assistenciais com os pacientes em pósoperatório, à luz da teoria de Jean Watson; Averiguar as estratégias de cuidado utilizadas por enfermeiros assistenciais com pacientes em pós-operatório, à luz da teoria de Jean Watson Método: Pesquisa de campo, de natureza qualitativa, cuja amostra foi constituída por 15 enfermeiros. A pesquisa foi desenvolvida na clínica cirúrgica de um hospital universitário no município de João Pessoa, Paraíba. O projeto de pesquisa foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa com o registro CAAE, sob nº 69748517.2.0000.5183. A coleta de dados ocorreu no período de setembro a novembro de 2017, mediante a aplicação de uma entrevista semiestruturada. Os dados qualitativos foram analisados mediante a técnica de análise de conteúdo. Resultados: A partir da análise do material empírico, emergiram quatro categorias: Praticando valores humanistas-altruístas no contexto da consciência do cuidado; Favorecendo e sustentando o sistema de crenças; Desenvolvendo uma autêntica relação de cuidado, ajudaconfiança; Criando um ambiente de reconstituição. Considerações finais: Os discursos apontaram que cuidar é amor, gentileza, empatia e zelo pelo outro. As ações e as estratégias utilizadas para a realização do cuidado foram a escuta atenta, o toque, o estar perto, o enxergar no outro o humano que existe em todo indivíduo. Caracterizando elementos existentes na teoria de Jean Watson.
  • AMANDA NARCISO MACHADO
  • Gestão do cuidado à criança e ao adolescente com doença crônica na estratégia saúde da família
  • Data: 29/05/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A assistência à saúde de crianças e adolescentes com doença crônica, na Estratégia Saúde da Família, precisa ser desenvolvida na perspectiva da integralidade para que a gestão do cuidado aconteça. Objetivo: Explicitar a gestão do cuidado à criança e ao adolescente com doença crônica na Estratégia Saúde da Família. Método: Pesquisa qualitativa, cujos dados empíricos foram coletados de julho de 2017 a janeiro de 2018, por meio de entrevista semiestruturada com onze profissionais da área de Saúde que atuam na Estratégia Saúde da Família, em um município paraibano, e interpretados à luz da análise de discurso de linha francesa. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa, parecer nº 2.046.377, CAAE 66235917.3.0000.5188. Resultados: A gestão do cuidado foi marcada por algumas ações voltadas para uma assistência ampliada, como acolhimento, confiança entre a equipe de saúde e a família de crianças/adolescentes com doença crônica, firmação de vínculo e apoio social e outros aspectos que impedem a integralidade por problemas de organização do processo de trabalho e infraestruturais. O estudo mostrou a importância e a valorização da família como coparticipante do processo de cuidar e membro da rede de apoio, na perspectiva de atingir os objetivos da dimensão familiar. As dimensões profissional, sistêmica, organizacional e societária da gestão do cuidado encontram-se fragilizadas devido ao descompromisso com o acompanhamento das crianças/adolescentes com doença crônica no território, à burocratização do sistema, à desresponsabilização dos profissionais na longitudinalidade do cuidado e à falta de contrarreferência dos serviços especializados e de políticas públicas específicas para essa população. Conclusão: A fragmentação na rede de assistência à doença crônica infantojuvenil compromete a gestão do cuidado, o que indica que suas dimensões são sobremaneira importantes para o cuidado ampliado em saúde. Espera-se que a gestão do cuidado contribua para que as crianças e os adolescente com doença crônica e sua família tenham acesso a um cuidado integral.
  • WILKERLY DE LUCENA ANDRADE
  • Fatores sociodemográficos e clínicos relacionados à adesão e acompanhamento ao uso da Profilaxia Pós-Exposição para o HIV por acidente ocupacional
  • Data: 28/05/2018
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A evolução de casos de infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana permanece preocupante para a saúde pública, sendo a prevenção considerada a única estratégia para o seu controle, destacando-se a Profilaxia Pós-Exposição. Objetivo: Analisar a adesão e o acompanhamento do uso da Profilaxia Pós-Exposição ocupacional para o HIV, segundo os aspectos sociodemográficos e clínicos. Método: Estudo descritivo e quantitativo realizado com 224 prontuários de usuários registrados no Sistema de Controle Logístico de Medicamentos, no período de 2012 a 2016, de um hospital de referência para o HIV/Aids da Paraíba. Os dados foram registrados em formulário, digitados em planilha do Excel 2003 e processados pelo programa SPSS versão 20. Na análise, utilizou-se estatística descritiva e regressão logística dos dados. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal da Paraíba, sob o CAAE 65606417.2.0000.5188. Resultados: A maioria dos usuários que iniciaram a profilaxia foi do sexo feminino (67%), estado civil solteiro (56,7%), raça parda (72%), nível escolar médio (41,5%), ocupação de técnicos de enfermagem (36,6%), residentes na capital (75,9%). As características dos acidentes ocupacionais envolveram: o sangue (71%), por exposição percutânea (83,9%) e com agulha do tipo lúmen (67,4%). O descarte inadequado de material perfurocortante foi a prática que mais provocou acidente de trabalho (29,9%). A não adesão à PEP (69,6%) foi verificada em maiores proporções entre os profissionais de serviços gerais (17%), solteiros (14%), moradores da região metropolitana e pessoas que tiveram contato com material biológico (líquido de serosas) (11%). As variáveis que apresentaram maiores probabilidades para adesão foram técnicos de enfermagem, casados e sangue como material biológico. Conclusão: verificou-se que as variáveis: sexo, ocupação, estado civil, raça, procedência, tipo de exposição e material biológico não apresentaram significância do ponto de vista estatístico, porém destaca a importância para a prática profissional. Para favorecer a adesão à PEP, recomenda-se: seguir as recomendações do Ministério da Saúde; fortalecer o acolhimento na primeira consulta; informar sobre os riscos do abandono; promover o apoio psicológico e viabilizar a busca ativa dos usuários.
  • EDUARDO GOMES DE MELO
  • Diabetes mellitus e depressão em pessoas idosas.
  • Data: 25/05/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O Brasil lidera a América Latina com a ocorrência de 14,3 milhões de diabéticos. Por ser uma doença crônica, está atrelada a uma série de comorbidades, incluindo a depressão. Objetivo: O presente estudo visa avaliar o diabetes mellitus e a depressão em idosos atendidos em um hospital público, caracterizando o perfil sócio-demográfico e clínico de pessoas idosas com diabetes; além de relacionar a presença de depressão com o tempo de diagnóstico, complicações crônicas e autocuidado no diabetes e investigar indicadores de depressão em idosos conforme a Escala de Depressão Geriátrica (GDS). Método: Estudo transversal de abordagem quantitativa realizado no ambulatório de endocrinologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba, onde 168 idosos diabéticos foram submetidos a um questionário de: a) variáveis sócio-demográficas e clínicas; b) variáveis do Questionário de Atividades de Autocuidado com Diabetes (QAD); c) variáveis da Escala de Depressão Geriátrica (GDS) durante os meses de fevereiro a março de 2018. O critério de inclusão foi ter mais de 59 anos de idade e, de exclusão, ter déficit cognitivo que impedisse a aplicação dos questionários. Aplicou-se as técnicas de estatística descritiva com medidas de frequência para variáveis categóricas, média e desvio-padrão para variáveis numéricas. Foram utilizados os testes estatísticos Qui-Quadrado, Mann-Whitney, Teste de normalidade de Kolmogorov-Smirnov, Análise de variância com uma classificação, a técnica multivariada Análise de Correspondência e a técnica descritiva Peso da Evidência (Weight of Evidence). O projeto de pesquisa foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba, sendo aprovado pelo CAEE 76715517.6.0000.5183. Resultados: Identificou-se uma prevalência três vezes maior do sexo feminino, 121 (72%), o número de casados, 90 (53,6%), foi superior às demais categorias e metade recebiam até um salário mínimo, 58 (50%). O tempo de diagnóstico do diabetes foi superior a 10 anos em 73 (43,5%) dos entrevistados, sendo a neuropatia diabética, 97 (58,1%), o sintoma de maior prevalência. A depressão esteve presente em 81 (48,2%) dos idosos avaliados. A associação entre depressão, tempo de diagnóstico e complicações crônicas do diabetes não ficou constatada. Nos itens referentes a dieta, atividade física e cuidados com os pés do QAD, os pacientes não depressivos mostraram melhores autocuidados que os idosos depressivos. Conclusão: O presente estudo identificou que os idosos deprimidos tinham um autocuidado pior com relação ao controle do diabetes. Sendo assim, pôde-se inferir que eles teriam mais chance de desenvolver as complicações crônicas do diabetes no futuro, pois tais complicações estão diretamente ligadas ao mal controle do diabetes ao longo dos anos.
  • ALYNE FERNANDES BEZERRA
  • EFEITOS DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA PROBLEMATIZADORA SOBRE CONHECIMENTO E AS PRÁTICAS DE PREVENÇÃO E AVALIAÇÃO DO PÉ DIABÉTICO REALIZADAS POR ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA
  • Data: 25/05/2018
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Introducao: O pe diabetico e uma das complicacoes cronicas do Diabetes Mellitus (DM) com maior impacto socioeconomico e importante causa de ulceracao e amputacoes de membros inferiores. As medidas preventivas, que incluem exame periodico dos pes e atividades educativas, podem ser realizadas pelo enfermeiro durante o acompanhamento das pessoas com DM na Atencao Primaria em Saude (APS). Objetivo: analisar os efeitos de uma intervencao educativa problematizadora, sobre o conhecimento e as praticas de avaliacao e prevencao do pe diabetico, realizadas por enfermeiros da APS. Metodo: estudo descritivo e exploratorio com carater qualitativo. Teve como cenario as Unidades de Saude da Familia do municipio de Campina Grande/PB, com a participacao de 14 enfermeiras que concluiram uma intervencao educativa problematizadora denominada “Curso de capacitacao teorico-pratico sobre prevencao e avaliacao do pe diabetico”. Na coleta de dados foram empregadas entrevistas com roteiros semiestruturados. O material empirico extraido das entrevistas foram submetidos a Analise de Conteudo do tipo Tematica. O estudo foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa sob nº 0577/15 e CAAE 50413915.0.0000.5188. Resultados: Os resultados deste estudo demonstraram que a intervencao educativa problematizadora proporcionou um novo olhar das enfermeiras sobre os cuidados com os pes das pessoas com DM. Foi possivel identificar transformacoes nos conhecimentos teoricos, como tambem inclusao das praticas de avaliacao dos pes e prevencao da sindrome na rotina de cuidados dispensados a pessoa com DM. Porem estes profissionais ainda enfrentam fatores/ situacoes que dificultam a implementacao do conhecimento, dentre estas destacaram-se: a reducao do numero de consultas de enfermagem e a organizacao do processo de trabalho. Consideracoes finais: A intervencao educativa problematizadora demonstrou-se como alternativa satisfatoria por gerar transformacoes no conhecimentos teorico-pratico destes profissionais, demonstradas pelo discursos dos enfermeiros.
  • KARINNE DANTAS DE OLIVEIRA ADÁRIO
  • Discursos dos gestores em relação à Transferência de Política do Tratamento Diretamente Observado da Tuberculose em municípios da grande João Pessoa.
  • Data: 25/05/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O Tratamento Diretamente Observado (TDO) para a Tuberculose (TB) é uma estratégia realizada na Atenção Primária à Saúde que contribui na melhoria dos indicadores epidemiológicos desse agravo. A transferência de política ocorre quando uma dada estratégia se desloca de um tempo ou espaço para outro com o intuito de alcançar melhores resultados, levando em conta o compromisso de todos os envolvidos. Objetivo: analisar os efeitos de sentidos produzidos nos discursos de gestores sobre a transferência de política do TDO para a TB em municípios da grande região de João Pessoa-PB. Materiais e Método: Estudo do tipo descritivo, de natureza qualitativa e abordagem discursiva, realizado no período de agosto à novembro de 2017, por meio da técnica de entrevista, em roteiro semidirigido para gestores de três municípios da Grande João Pessoa: Bayeux, Cabedelo e Santa Rita, sendo, três Secretários de Saúde e três gestores responsáveis pelo Programa de Controle da Tuberculose nos respectivos municípios. O material empírico foi analisado por meio do dispositivo teórico-metodológico da Análise de Discurso (AD) de filiação francesa pecheutiana. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba (protocolo nº 0193/2017/CEP/CCS/UFPB). Resultados: A maioria dos discursos dos gestores anunciaram propostas principiantes para as ações de controle da TB, deixando para enfatizar o TDO em um segundo momento, considerando que dois municípios passaram por transição de gestão. Alguns gestores enunciaram os recursos e as parcerias existentes como facilitadores do processo para efetivar as ações de TB. Como dificultadores, foi ressaltado a resistência dos doentes em deixarem a unidade de referência estadual para serem acompanhados em seu município, além de destacado o preconceito, o estigma e a rotatividade dos profissionais. Pela AD, foram identificados alguns sentidos contraditórios, o não-dito e outros elementos, como: repetições, paráfrases e metáforas. Também foram observados silenciamentos, principalmente a respeito do TDO. Alguns gestores evidenciaram a importância do compromisso e da sensibilização de todos os envolvidos no controle da TB. Conclusão: Sugere-se a continuidade do estudo posteriormente para melhor oferecer subsídios na avaliação referente a transferência de política do TDO, principalmente nos municípios que passaram por transição na gestão. Além de ressaltar algumas propostas para o fortalecimento das ações no controle da TB, embasada na Rede de Atenção à Saúde e na Educação Permanente, o estudo convida o leitor a refletir sobre o “ser sujeito” e o olhar para o “Outro”, a partir do pensamento levinasiano.
  • THAINAR MACHADO DE ARAUJO NOBREGA
  • Diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem relacionados ao comportamento sexual da pessoa idosa
  • Data: 25/05/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Dentre os aspectos que têm causado impacto na vida das pessoas idosas, destacase a manutenção da atividade sexual, gerando demandas de atenção dos serviços de saúde e profissionais capacitados para promover uma atenção integral com melhoria em sua qualidade de vida, bem-estar e autonomia. Para a Enfermagem atender essa clientela na perspectiva da sexualidade precisa lançar mão do processo de enfermagem e dos seus elementos da prática diagnóstico/resultados/intervenções, oferecendo a pessoa idosa uma assistência integral. Objetivo: Construir Enunciados de Diagnósticos, Resultados e Intervenções de enfermagem relacionados ao comportamento sexual da pessoa idosa. Método: Pesquisa metodológica, embasada no método brasileiro para o desenvolvimento de subconjunto terminológicos da CIPE®, desenvolvida em três etapas: 1) Identificação de termos relevantes para a prática clinica de enfermagem frente ao comportamento sexual da pessoa idosa, a partir de 22 artigos científicos acerca da temática; 2) Mapeamento cruzado dos termos identificados com os termos da CIPE® versão 2017 e a validação dos termos por especialistas, sendo validados os que obtiveram grau de concordância maior ou igual a 80%; 3) Construção, a partir de termos identificados e mapeados, de enunciados de diagnósticos/resultados/intervenções de enfermagem, bem como a validação por especialistas, sendo validados os que obtiveram grau de concordância maior ou igual a 80%. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de ética em pesquisa sob parecer nº2.096.793 e de CAAE: 67126517.0.0000.5188. Resultados: Foram identificados 533 termos na literatura, dos quais 377 constam na CIPE® versão 2017. Forma construídos 111 diagnósticos/resultados, dos quais 101 foram validados pelos especialistas e 466 intervenções de enfermagem. Dos 101 diagnósticos/resultados 43 foram classificados nas Necessidades psicobiológicas; 57 nas Necessidades Psicossociais e 1 nas Necessidades Psicoespirituais de acordo com a teoria de Horta. Considerações Finais: Acredita-se que os enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções construídos e fundamentados na teoria de Horta sirvam de subsídio para a prática clínica de enfermagem facilitando a comunicação entre os enfermeiros no contexto do comportamento sexual da pessoa idosa, visando a saúde sexual desta população.
  • RAFAELLA KAROLINA BEZERRA PEDROSA
  • Itinerário Terapêutico da criança com microcefalia na Rede de Atenção à saúde
  • Data: 22/05/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A epidemia da microcefalia trouxe a necessidade de restruturação da Rede de Atenção à Saúde para tentar suprir às demandas inerentes a essa condição. O itinerário terapêutico refere-se a busca de cuidados em saúde, descrevendo os caminhos percorridos, para solução de problemas de saúde. Objetivos: Investigar o itinerário terapêutico das crianças com microcefalia associado ao Zika vírus nas Redes de Atenção à Saúde de um município do Estado da Paraíba, como também, descrever a vivência das mães em relação ao itinerário percorrido para o tratamento de seus filhos. Método: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, na qual a técnica da História Oral Temática foi utilizada com dez mães de crianças com microcefalia, por meio de entrevista gravada. O cenário do estudo foi uma instituição filantrópica e com dados coletados de abril a agosto de 2017. O material empírico foi submetido à técnica da análise de conteúdo temática. Esta pesquisa teve aprovação do Comitê de Ética com parecer n° 2.118.590 e CAAE nº 61498116.0.0000.5183. Resultados e discussão: Evidiciaram-se lacunas no itinerário terapêutico da criança com microcefalia, como dificuldade de acesso aos serviços de saúde, falta de acompanhamento pela atenção primária à saúde, uso concomitante de várias instituições de referência, fragmentação dos atendimentos nos serviços. A vivência materna na busca pelos serviços para tratamento aos seus filhos é marcada por estresse e cansaço e muitas vezes não possui uma rede de apoio socioemocional bem solidificada. Considerações finais: O itinerário das crianças com microcefalia está acontecendo de forma incipiente, pois elas não estão recebendo atendimento integral nos serviços de referência, portanto, urge a necessidade de desenvolver e implementar ações eficientes e capazes de otimizar os serviços disponíveis, a fim de garantir o cuidado resolutivo em tempo oportuno para estimulação do desenvolvolvimento neuropsicomotor.
  • JOSEANE BARBOSA FREIRE DA SILVA
  • Aids em contextos diferenciados: o olhar de mulheres índias e não índias.
  • Data: 21/05/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O aumento de casos de aids entre mulheres retrata contextos socioculturais que circunscrevem suas possibilidades de escolhas e delimitam a compreensão e modo de expressá-las. Objetivos: Analisar o modo como a aids se configura sob o olhar de mulheres índias e não-índias e verificar a influência da etnia no modo de olhar a aids. Método: Estudo descritivo, com abordagem quanti-qualitativa. A fase que envolve as mulheres índias (realizada em 2015), contou com 164 mulheres da etnia potiguara. As mulheres não índias foram selecionadas em Unidades de Saúde de Rio Tinto, município circunvizinho às aldeias indígenas, representadas por uma amostra de 386 mulheres. Como recurso para coleta de dados, empregou-se a entrevista semiestruturada, contemplando a percepção da doença, modo de ver e sentir a aids e um instrumento estruturado, com questões sociodemográficas. O corpus proveniente das entrevistas foi processado pelo software IRaMuTeQ e os dados sociodemográficos pelo SPSS Statistic 22.0. O trabalho obedeceu às normas das Resoluções 466/2012 e 304/2000, com aprovação CAAEE n° 64123017.0.0000.5188. Resultados: A partir da Classificação Hierárquica Descendente emergiram três classes de conteúdos relacionados à aids. Na classe um, aids e suas repercussões, envolveu conteúdos acerca da compreensão da doença, estigmas e atributos físicos. Na classe dois, aspectos sociais e sentimentos atribuídos frente a aids, e na terceira classe, os principais modos de transmissão. Por meio da Nuvem de Palavras, foi possível verificar similaridades e particularidades no modo de olhar a aids. Entre as mulheres não-índias, há uma melhor compreensão diante da aids que envolve etiologia, tratamento e modos de transmissão. Entre as mulheres índias, os conteúdos circundam principalmente em elementos negativos, tais como: morte, medo, tristeza e preconceito. Considerações Finais: Embora haja um processo dinâmico de socialização entre os grupos pesquisados, presume-se que os conhecimentos produzidos nas interações se moldam de acordo com o contexto social e ganham significação própria. Compreender essas relações intergrupais, redes de transmissão e os principais determinantes dos processos socioculturais constitui elemento chave para o planejamento e implementação de ações preventivas.
  • CLÁUDIA JEANE LOPES PIMENTA
  • Trabalho de Enfermagem: comunicação, prazer e sofrimento
  • Data: 16/05/2018
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o ambiente de trabalho é considerado um fator determinante para a presença de indicadores de prazer e sofrimento, estando associado à qualidade e humanização do cuidado, à satisfação profissional e para desencadeamento de processos patológicos para a saúde do trabalhador. Neste sentido, a comunicação emerge como um dos principais fatores para a vivência de situações prazerosas durante a atividades laboral. Objetivo: avaliar o trabalho de enfermagem em relação à comunicação, prazer e sofrimento. Método: estudo exploratório e descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 152 enfermeiros de um hospital universitário no município de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevistas, mediante a utilização de um instrumento para obtenção de dados referentes ao perfil sociodemográfico, condições de saúde e aspectos relacionados ao trabalho, da Escala de Competência em Comunicação Interpessoal e da Escala de Indicadores de Prazer e Sofrimento no Trabalho, sendo analisados por meio de estatística descritiva. O projeto foi aprovado sob parecer nº 2.259.018 e CAAE nº 69841417.8.0000.5183. Resultados: os enfermeiros apresentaram médias elevadas em todos os domínios da Competência em Comunicação Interpessoal. Observou-se que a Vivência de Prazer e os seus domínios Realização Profissional e Liberdade de Expressão foram classificados como satisfatórios, enquanto os Fatores de Sofrimento e seus domínios Vivência de Sofrimento e Falta de Reconhecimento obtiveram avaliação crítica. A correlação entre a Comunicação Interpessoal e os indicadores de prazer no trabalho, apresenta valores positivos e significativos, revelando que quanto maior as Vivências de Prazer no ambiente laboral, maiores serão as médias da Competência em Comunicação Interpessoal e de seus domínios. Em contrapartida, à medida que o sofrimento no trabalho se eleva, diminuem os níveis de comunicação entre os profissionais, tanto da Competência em Comunicação Interpessoal, quanto dos domínios Controle do ambiente, Assertividades, Manejo das interações e Disponibilidade. Conclusões: as vivências positivas e negativas relacionadas ao trabalho influenciam de forma significativa sobre a comunicação interpessoal dos enfermeiros com a sua equipe.
  • NATALIA PESSOA DA ROCHA LEAL
  • ESTRESSE E APOIO FAMILIAR EM MÃES DE PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN
  • Data: 04/05/2018
  • Hora: 08:15
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: a síndrome de Down é caracterizada por uma alteração cromossômica que acomete 3% da população mundial, em que o ser humano apresenta um cromossomo a mais ligado ao par 21, totalizando 47. Isto gera características físicas específicas e atraso no desenvolvimento, fazendo com que a pessoa necessite de uma atenção especial de acordo com sua necessidade, resultando na vivencia peculiar pelas mães, podendo gerar dificuldade na aceitação em relação à criança, provocando sentimentos que culminem em estresse. Diante dessas sensações, o que pode contribuir para a melhoria dessa situação é o apoio familiar que elas recebem. Objetivo: avaliar o estresse e apoio da família de mães de pessoas com síndrome de Down. Método: trata-se de uma pesquisa transversal, descritiva e exploratória, com abordagem quantitativa, realizada na Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência com 110 mães de pessoas com síndrome de Down. Para a coleta de dados foram utilizados um instrumento sociodemográfico, Escala de Apoio da Família e Escala de Estresse Percebido, sendo analisados pelo método estatístico descritivo. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob CAAE: 76736917.1.0000.5188 e parecer nº 2.310.255. Resultados: as mães, em sua maioria, tiveram os filhos após os 35 anos, eram casadas, apresentavam escolaridade a partir do nível médio completo, moravam em residência própria, eram do lar, dependiam financeiramente do benefício fornecido pelo governo, consideraram a renda insuficiente, descobriram a síndrome após o nascimento e decidiram não gerar outra criança depois deste, se relataram como sendo a cuidadora principal, possuíram maior apoio do marido ou companheiro, programas de intervenção infantil precoce, escola e seus próprios filhos, e se consideravam nervosas ou estressadas, pois não paravam de pensar nas obrigações destinadas a elas. Conclusões: as mães se consideravam estressadas, porém não houve significância em relação ao apoio familiar recebido por elas. Vale ressaltar, ainda, que por elas possuírem um maior apoio do marido ou companheiro, vê-se a necessidade de introduzir os profissionais de saúde nessa realidade do cuidar do binômio mãe-filho para que se consiga fornecer uma assistência de forma integral.
  • JOCERLANIA MARIA DIAS DE MORAIS
  • Síndrome de burnout: estudo com enfermeiros de um Serviço de Atendimento Móvel de Urgência
  • Data: 27/04/2018
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introducao: A sindrome de burnout e um processo que se desenvolve com o passar dos anos e, dificilmente, e detectada em seus estagios iniciais. Seu desenvolvimento e lento, raramente agudo, e o inicio e marcado por uma sensacao fisica ou mental de mal-estar indefinida e pela presenca de um excessivo e prolongando nivel de tensao. Objetivos: Identificar a sindrome de burnout em enfermeiros que atuam em um Servico de Atendimento Movel de Urgencia/SAMU, verificar a associacao dessa sindrome com fatores sociodemograficos e as condicoes de trabalho em enfermeiros que atuam no SAMU e caracterizar a prevalencia da SB e suas quatro dimensoes (ilusao pelo trabalho, desgaste psiquico, indolencia e culpa), entre enfermeiros que atuam no SAMU. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa do tipo exploratorio- descritiva, com abordagem quantitativa, realizada nas seis bases do SAMU do municipio de Joao Pessoa - Brasil. A populacao do estudo foi constituida de 43 enfermeiros que faziam parte do Servico de Atendimento Movel de Urgencia - SAMU. Os dados foram coletados no periodo de 01 a 30 de agosto de 2016 e 01 a 30 de abril de 2017. Os dados sociodemograficos foram analisados estatisticamente, para identificar a sindrome de burnout ou SQT, foram calculadas as pontuacoes diretas (PD) para cada subescala (obtidas pelo somatorio das respostas da escala de Likert e divididas pelo numero correspondente ao total de questoes da dimensao) e outra pontuacao para o SQT total. Foram respeitados os aspectos eticos e legais da pesquisa com seres humanos, preconizados pela Resolucao nº 466/12, do Conselho Nacional de Saude. Resultados: A maioria dos participantes e do sexo feminino - 27 (62,8%), solteira - 17 (39,5%), com filhos - 24 (55,8%), cursou uma pos-graduacao - 26 (60,5%), com remuneracao de ate tres salarios minimos - 25 (58,1%), um salario minimo - 15 (34,9%). Verificou-se que o nivel medio de burnout teve a maior pontuacao (32%), em relacao aos demais niveis, e o nivel critico de burnout, de 5%, com menor porcentagem (n=5) dos participantes; dois foram classificados como perfil 1, e tres, como perfil 2. Somente 12% dos entrevistados apresentaram sintomas da SB. Por outro lado, 88% apresentaram caracteristicas negativas relacionadas a essa sindrome. Conclusao: A SB causa um problema entre os enfermeiros que atuam no SAMU e interfere na qualidade de vida desses profissionais. Por essa razao, e preciso repensar a forma de organizar o trabalho desses profissionais com vistas a prevenir esse fenomeno, que pode afetar a saude fisica, mental e social dos individuos, com consequencias negativas tanto para a instituicao quanto para o processo de trabalho.
  • MARIANA ALBERNAZ PINHEIRO DE CARVALHO
  • Terapia Comunitária Integrativa e família na perspectiva sistêmica novo-paradigmática: convivendo com o sofrimento psíquico.
  • Data: 09/03/2018
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A TCI é definida como uma intervenção psicossocial avançada que se organiza como um espaço comunitário capaz de proporcionar a troca de experiências e histórias de vida. Ao trabalhar de forma horizontalizada e circular, propõe a corresponsabilização em um processo terapêutico que gera repercussões grupais e individuais. É mais um recurso a ser utilizado pelo profissional da Atenção Básica, especialmente pelo enfermeiro, com familiares que convivem com a realidade do sofrimento psíquico. Objetivo: Avaliar a eficácia da TCI como uma intervenção psicossocial capaz de potencializar a autoestima, minimizar níveis de sobrecarga e restabelecer vínculos dos familiares cuidadores de parentes usuários do CAPS, visando fortalecer as relações no sistema familiar. Método: Pesquisa de abordagem qualitativa que utilizou o método da pesquisa-ação-intervenção. A intervenção utilizada foram 12 rodas de TCI durante 4 meses. Fizeram parte do estudo 10 familiares de pessoas em sofrimento psíquico acompanhadas em um Centro de Atenção Psicossocial do município de João Pessoa – Paraíba, que participaram de pelo menos 6 rodas de TCI. Para a coleta do material empírico foram utilizados a escala de avaliação de sobrecarga dos familiares, o instrumento para avaliação de vínculos e o instrumento de avaliação de autoestima criados por Barreto. Como técnicas de produção do material empírico foram utilizados os registros e impressões apontadas no caderno de campo, os vídeos obtidos com a gravação das roda de TCI, o material obtido das entrevistas, além da própria TCI. A pesquisa obedeceu aos princípios éticos regidos pela Resolução 466/12 e foi realizada com a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, depois de emitido o Certificado de Apresentação para Apreciação Ética nº 55962216.0.0000.5188. Resultados: A pesquisa revelou que 90% dos participantes apresentaram um aumento nos níveis de autoestima, 70% revelaram crescimento do número de vínculos e todos os familiares reduziram os escores de sobrecarga em pelo menos duas dimensões da escala FBIS-BR. O estudo também revelou que a compreensão dos familiares acerca do sofrimento psíquico pôde ser transformada na medida que atribuíam novos significados e realizavam ações e escolhas fundamentais ao convívio equilibrado da família e das relações ali estabelecidas. Conclusão: A TCI pôde ser elucidada como uma prática que facilitou mudanças nas esferas pessoal, familiar e comunitária dos participantes, pois contribuiu para a redução da sobrecarga, aumento da autoestima e fortalecimento de vínculos, além de gerar interações sociais e individuais que estimularam os familiares a repensarem conceitos e a criarem espaços de convivência e de cuidado humanos e respeitosos que se difundiram para o sistema familiar.
  • ANA PAULA MARQUES ANDRADE DE SOUZA
  • ESCALA DE BRADEN: EVIDÊNCIA PSICOMÉTRICA, ASSOCIAÇÕES DE FATORES DE RISCO E SUA APLICABILIDADE NA PRÁTICA CLÍNICA
  • Data: 28/02/2018
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Prevenir as lesões por pressão representa um grande desafio para equipe de saúde, principalmente a equipe de enfermagem. A avaliação do cliente em risco de desenvolver tais lesões é o primeiro passo para prevenção. Para auxiliar nesta avaliação faz-se necessária a utilização de escala que possa predizer este risco. Dentre as várias escalas desenvolvidas, a mais utilizada na prática clínica tem sido a Escala de Braden. Objetivos: Identificar a evidência psicométrica da escala de Braden conforme a variação de risco considerando o escore total e os subescores da Escala de Braden para o desenvolvimento de lesão por pressão em clientes internos; Verificar a organização da estrutura fatorial e sensibilidade diagnóstica da escala de Braden conforme a variação de risco; Analisar a relação entre as variáveis sociodemográficas e clínicas em clientes de um hospital escola sobre o risco de desenvolvimento de lesão por pressão utilizando a escala de Braden. Método: pesquisa transversal, analítica com abordagem quantitativa, realizada nas Unidades Clínica, Cirúrgica e de Terapia Intensiva de um hospital universitário localizado no município de João Pessoa, Paraíba. A amostra foi composta por 107 clientes. A coleta de dados ocorreu em março de 2017, para a mesma utilizou-se um instrumento contendo dados sócios demográficos e clínicos e a Escala de Braden. A pesquisa for regida pela Resolução 466/12 tendo como protocolo número CAAE 64407617.0.0000.5183. Utilizou-se para análise dos dados a estatística descritiva e inferencial com números absolutos e relativos, média e desvio-padrão, teste de Mann Whitney, correlação de Pearson, alfa de Cronbach e o cálculo de equações estruturais realizado no AMOS GRAFICS 21.0. Resultados: destaca-se que a organização fatorial da Escala de Braden, através dos indicadores de qualidade de ajuste, é uma medida confiável e, estruturalmente, consistente. A escala apresenta poder psicométrico para predizer o risco de lesão por pressão. O alfa de Cronbach de 0,85 garantiu a fidedignidade da mesma nos clientes das unidades pesquisadas, com sensibilidade de 95,3% e especificidade de 75,4%. Sendo estatisticamente significante (p<0,001). Apresentando ponto de corte 16. A unidade Clínica apresentou frequência de risco muito alta (75%), em relação as outras unidades. Todas as correlações de Pearson relacionadas à avaliação do risco com o escore total da escala, foram significativamente positivas, porém a subescala “nutrição” apresentou correlação mais fraca (r≤0,43), associa-se ao fato dela avaliar a ingesta de nutrientes e não o estado nutricional do cliente. Verificou-se associações significativas entre as variáveis sociodemográficas e clínicas e as subescalas de Braden. As variáveis presença de lesão por pressão, uso de antibiótico e de anticoagulante, dependência para mudança de decúbito, edema, limitação física e uso de dispositivos de proteção apresentaram associações significativas com pelo menos cinco das seis subescalas de Braden. Conclusão: Considera-se que a estrutura fatorial da Escala de Braden quanto ao poder psicométrico permite identificar precocemente o risco para o desenvolvimento de lesão por pressão nos clientes dos cenários clínicos pesquisados no hospital; é um instrumento extremamente importante na predição do risco; porém deve-se atentar não apenas para o escore total da escala, mas também para avaliação dos escores das suas subescalas e dos fatores de risco não contemplados na mesma.
  • ADRIANA MARQUES PEREIRA DE MELO ALVES
  • Cuidados paliativos: relação dialógica entre enfermeiros e pacientes em fase terminal
  • Data: 28/02/2018
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Os cuidados paliativos são cuidados direcionados a pessoa cuja doença não responde mais ao tratamento curativo. Trata-se de uma abordagem de cuidados diferenciados que visam melhorar a qualidade de vida do paciente e de seus familiares ao enfrentarem o processo de uma doença crônica, progressiva e incurável. Para tanto é imprescindível a participação do enfermeiro como membro da equipe paliativa para a promoção de uma assistência humanizada ao paciente em fase terminal, com ênfase na relação dialógica. Objetivos: analisar a relação dialógica entre enfermeiros e pacientes em fase terminal sob cuidados paliativos, à luz da Teoria Humanística de Enfermagem e identificar as estratégias de comunicação utilizadas por enfermeiros para a promoção dos cuidados paliativos a pacientes em fase terminal. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de campo, de natureza qualitativa que foi desenvolvida em unidades de clínica médica de um hospital público do município de João Pessoa-PB-Brasil. Participaram do estudo vinte enfermeiros assistenciais. Para a coleta de dados foi utilizada a técnica de entrevista a partir de um roteiro com questões pertinentes aos objetivos propostos para a pesquisa. A coleta de dados ocorreu nos meses de julho, agosto e setembro de 2017, após a aprovação do protocolo de pesquisa por um Comitê de Ética em Pesquisa. O material empírico foi analisado à luz da Teoria Humanística de Enfermagem. Resultados: A partir dos dados coletados emergiram dois artigos: (1) Estratégias de comunicação adotadas por enfermeiros ao paciente terminal sob cuidados paliativos: estudo à luz da Teoria Humanística de Enfermagem. (2) Relação dialógica entre enfermeiros e paciente em fase terminal sob cuidados paliativos. Do primeiro manuscrito a partir dos depoimentos dos enfermeiros envolvidos observou-se que a comunicação eficaz, seja verbal ou não verbal se fundamenta no saber fazer, na percepção e empatia que se estabelece na relação do ser que cuida e do ser que é cuidado, bem como no respeito à dignidade do paciente terminal sob cuidados paliativos. Tais depoimentos deixam transparecer que os profissionais norteiam sua assistência, a estes pacientes, pautado na filosofia da Teoria Humanística de Enfermagem. No segundo artigo, considerando que a comunicação revela-se como núcleo fundamental no relacionamento enfermeiro-paciente, esta é entendida pelos participantes do estudo como um dos instrumentos mais importantes e essenciais na assistência paliativa. Reconhecem o valor da comunicação não verbal expressa por meio do toque, gestos de carinho, sorriso e atitudes corporais que representam medidas de conforto e bem-estar e auxiliam na melhoria do alívio do sofrimento promovendo a qualidade de vida ao paciente em processo de finitude. Conclusão: Deste modo, os dois artigos ressaltam a importância da comunicação para promover o cuidado humanizado e se configura como componente eficaz e indispensável na assistência de enfermagem ao paciente terminal sob cuidados paliativos. Destarte, esta pesquisa concede um novo olhar não apenas no âmbito da assistência ao paciente sob cuidados paliativos, mas, também, na esfera do ensino e da pesquisa em Enfermagem, de modo que futuros estudos possam ser realizados com a finalidade de produzir a ampliação do conhecimento abordado sobre o tema.
2017
Descrição
  • ESTELA RODRIGUES PAIVA ALVES
  • Pesquisa-ação sobre a contribuição da Terapia Comunitária para reduzir os sinais e sintomas da depressão e melhorar a auto estima de mulheres que vivenciam o climatério
  • Data: 21/11/2017
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Terapia Comunitária Integrativa (TCI) se constitui em um espaço de acolhimento, partilha de sabedoria de vida e de sofrimentos vivenciados no cotidiano das pessoas, onde elas se tornam terapeutas de si mesmas, permitindo encontrar soluções para seus conflitos pessoais e familiares. O estudo teve como objetivo avaliar a eficácia da TCI, como tecnologia do cuidado, capaz de aumentar a autoestima e reduzir os sinais e sintomas da depressão, de mulheres vivenciando o climatério. Trata-se de uma pesquisa-ação-intervenção com 06 mulheres no climatério que apresentavam sinais e sintomas de depressão e, que participaram de no mínimo de 06 rodas de TCI, em uma Unidade Integrada de Saúde da Família, de João Pessoa, PB, Brasil. Como instrumentos, foram utilizados o Inventário de Depressão de Beck e a Escala de Autoestima de Rosenberg - versão UNIFESP-EPM e, como intervenção, foram realizadas 12 rodas de TCI, no período de 19 semanas. Para a produção do material empírico foram utilizados as videogravações das rodas, caderno de campo e entrevistas semiestruturadas, sendo analisados, por meio da análise de conteúdo temática de Bardin. O estudo obedeceu aos preceitos éticos, sendo deferida sob o protocolo: CAAE 50926615.7.0000.5188. Como resultados, as mulheres melhoraram a autoestima e reduziram os sinais e sintomas de depressão. Percebeu-se que a TCI representou para elas, uma possibilidade de descobrir um jeito novo de ver a vida, despertando a necessidade de mudança, mediante a autorreflexão e desenvolvimento das competências pessoais, como autonomia, emancipação, empoderamento e resgate da autoestima. Conclui-se que a TCI é uma tecnologia do cuidado potente, capaz de ampliar o olhar das participantes, as motivando a saírem da estagnação da qual suas vidas se encontravam, adotando novas posturas e jeito de conduzir a vida, encorajando-as a refletirem e buscarem respostas para suas necessidades subjetivas, provocando mudanças importantes em suas vidas.
  • ELENICE MARIA CECCHETTI VAZ
  • Coordenação do cuidado à criança/adolescente/família em condição crônica: a Estratégia Saúde da Família como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde
  • Data: 10/11/2017
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A coordenação do cuidado deve ocorrer de forma segura e efetiva, a fim de ordenar a rede de atenção à saúde da criança/adolescente em condição crônica. Objetivo: Analisar a coordenação do cuidado à criança/adolescente/família em condição crônica na Estratégia Saúde da Família, e esta como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde. Método: Pesquisa qualitativa, descritiva-exploratória, realizada com 26 profissionais da Atenção Primária de João Pessoa-Paraíba. A coleta de dados ocorreu em junho/julho de 2016, utilizando-se grupo focal. O material empírico foi submetido à Análise de Conteúdo Temática. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (Protocolo nº 054/14, CAAE 27102214.6.0000.5188). Resultados: A coordenação do cuidado e ordenamento da rede encontra-se frágil. Falta apoio da gestão e capacitação para profissionais; observa-se alta rotatividade e escassa oferta de especialistas; e mudanças no fluxo de atendimento. As lacunas nos sistemas de apoio e logísticos inviabilizam o cuidado em rede. Os fatores que fragilizam o processo de trabalho dos apoiadores matriciais relacionam-se à sobrecarga administrativa, falta de equipamentos, ferramentas e apoio dos serviços da rede. Já as potencialidades, incluem o efetivo sistema de referência/contrarreferência e as reuniões de matriciamento. Considerações finais: A coordenação do cuidado à criança/adolescente em condição crônica ainda não está ocorrendo de maneira eficiente e eficaz. Um cuidado integral requer adequado manejo dessas condições e construção de canais de comunicação entre profissionais/serviços que consolidem o sistema de referência/contrarreferência, bem como melhorias na estrutura operacional da rede. Torna-se necessário o ordenamento do fluxo/contrafluxo de atendimento, para constituição e integração dessa rede. A reorganização do processo de trabalho em saúde do Núcleo de Apoio à Saúde da Família e das equipes da Estratégia Saúde da Família pode dirimir as fragilidades e fortalecer a coordenação do cuidado e o ordenamento da Rede de Atenção à Saúde às crianças e adolescentes em condição crônica do município estudado.
  • VAGNA CRISTINA LEITE DA SILVA
  • TERAPIA COMUNITÁRIA: UMA FERRAMENTA DE CUIDADO PARA A SAÚDE MENTAL DE ADOLESCENTES COM FAMILIARES ALCOOLISTAS
  • Data: 05/10/2017
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A problemática do alcoolismo não se limita ao usuário, mas também envolve todo o seu contexto, inclusive o núcleo familiar. Dentre as consequências, aponta-se o sofrimento mental de adolescentes que convivem com familiares alcoolistas. Considerando as lacunas na política de saúde mental do adolescente e a falta de propostas de cuidado e de prevenção, este estudo teve como objetivo principal avaliar a eficácia da Terapia Comunitária Integrativa (TCI) na redução do sofrimento psíquico, na melhoria da autoestima, no fortalecimento da resiliência e no empoderamento de adolescentes que convivem com familiares alcoolistas. Trata-se de uma pesquisa do tipo intervenção com abordagem mista. O delineamento quantitativo foi realizado por meio de um modelo quase experimental, e o qualitativo, pela interpretação dos sentidos atribuídos pelo participante ao fenômeno em foco. O estudo foi realizado em duas escolas de ensino médio da rede estadual, na cidade de João Pessoa/PB, com uma população de 3450 alunos, e finalizou com uma amostra de 164 adolescentes que compuseram os grupos Intervenção e Controle. Os instrumentos de pesquisa foram o CAGE-familiar, o SRQ-20 e a escala de resiliência, autoestima e empoderamento, analisados por meio da estatística descritiva e inferencial. O material empírico foi produzido por registros audiografados e entrevista semiestruturada, apreciados segundo a modalidade de análise temática. Emergiram três categorias: resgate da autoestima do adolescente: combustível para a vida; despertar para capacidade resiliente; e empoderamento pessoal e novas possibilidades de vida. Esta pesquisa seguiu os preceitos éticos da Resolução 466/12, aprovada pelo Comitê de Ética do CCS/UFPB, prot. nº 06655/15. Os resultados da dimensão quantitativa apontaram que a TCI exerce efeito positivo na redução do sofrimento mental em adolescentes. Na comparação dos grupos, depois da inserção, 38,8% do grupo Intervenção reduziram os escores do sofrimento mental, e no grupo Controle, o percentual foi menor - de 19,7%. Quanto às médias, verificamos significância estatística: a média do sofrimento entre os grupos apresentou diferença, e a evolução foi maior nos escores do grupo Intervenção. Na avaliação dos atributos psíquicos, identificamos efeito sobre a autoestima, e os escores dos participantes da Intervenção aumentaram, ao compararmos as duas etapas. No que diz respeito à dimensão qualitativa, os sentimentos negativos foram os temas mais apresentados nas rodas. Segundo análise empírica, houve melhora na autoestima, constatada pela demonstração de atitudes positivas. Os adolescentes revelaram que a experiência contribuiu para que percebessem seu valor e suas capacidades e passassem a ter uma postura mais feliz, entusiasta resolutiva e resiliente e a encontrar em sua essência força para superar sofrimentos. Além disso, descobriram qualidades e habilidades pessoais para transformar suas histórias de vida. Simultaneamente, o processo de empoderamento foi evidenciado nas novas posturas, pois se transformaram em autônomos com sentimento de soberania. Concluímos que a TCI é uma metodologia de cuidado eficaz, que reduz o sofrimento mental e eleva a autoestima de adolescentes vítimas de um contexto familiar disfuncional. Também proporciona o desenvolvimento de atributos psíquicos positivos, que resultam no fortalecimento da saúde mental, comprovada pela mudança de hábitos, de opiniões e de comportamentos positivos. Portanto, é uma tecnologia leve, de cuidado promissor, a ser aplicada no contexto escolar.
  • ANA MARIA CAVALCANTE LOPES
  • Os sentidos atribuídos ao acolhimento pelos enfermeiros da Estratégia Saúde da Família
  • Data: 31/08/2017
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • O acolhimento emerge em meio a uma grave crise de “desumanizacao” dos servicos de saude no ambito da atencao basica no inicio do seculo XXI. Nesse contexto, o estado cria em 2003 a Politica Nacional de Humanizacao (PNH) – “HumanizaSUS”, dentro de uma perspectiva transversal. Elege o acolhimento como dispositivo para a consolidacao de praticas humanizadoras de cuidado na Atencao Basica, que defendam a vida, valorizem a alteridade do usuario e resgate sua cidadania. Nesta politica, o acolhimento e conceituado “como ato ou efeito de acolher” denotando sentidos de uma “acao de aproximacao”, um “estar junto com” e um “estar perto”, e como uma das diretrizes de maior relevancia etica/estetica/politica. E neste cenario que os enfermeiros marcam uma posicao e um sentido na sua pratica de acolhimento junto aos usuarios e as familias sob sua responsabilidade, concretizando ou nao, na pratica cotidiana a construcao de vinculos, de dialogos, de escuta. O estudo objetivou compreender os sentidos atribuidos pelas enfermeiras na Estrategia Saude da Familia, bem como as posicoes ideologicas que atravessam seus discursos. Trata-se de uma pesquisa empirica, de delineamento descritivo e abordagem qualitativa. Foi desenvolvido nas Unidades de Saude da Familia e os sujeitos da pesquisa foram constituidos por dez (10) enfermeiras. Para a producao do material empirico foi empregada a tecnica da entrevista como instrumento de coleta de informacoes. O metodo escolhido foi a Analise de Discurso francesa, por compreender a lingua como pratica social sustentada por um sujeito do inconsciente socio ideologicamente determinado. Os procedimentos de analise foram realizados atraves de tres perguntas heuristicas: 1) Qual o conceito de acolhimento pelos enfermeiros? 2) Qual(is) os significados do conceito de acolhimento os enfermeiros enunciam? 3) Quais os sentidos que os enfermeiros atribuem ao acolhimento? Na analise realizada as enfermeiras concebem o acolhimento como empatia, como triagem e escuta. Por fim foi verificado que as enfermeiras da ESF ainda nao compreendem o acolhimento como relacao de alteridade e por isso fundamentam suas praticas de acolhimento e uma tecnica de cuidado que compoem a logica da distribuicao dos usuarios, recepcao e encaminhamentos, uma vez que a escuta ativa nao vem sendo priorizada.
  • RENATA FIGUEIREDO RAMALHO COSTA DE SOUZA
  • O enfermeiro e o cuidado ao idoso com tuberculose: a posição-sujeito e a perspectiva da alteridade
  • Data: 28/08/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A tuberculose (TB) na população idosa configura-se uma peculiar problemática de saúde pública, levando em consideração as diversas necessidades que envolvem o ser idoso. Com isso, se faz necessário que os profissionais de saúde, sobretudo os enfermeiros, realizem um cuidado pautado em práticas direcionadas principalmente às subjetividades dessa população. Para isso, um cuidado na perspectiva da alteridade tem um potencial transformador na relação entre profissional e paciente nos serviços hospitalares. Objetivos: Analisar o cuidado ao idoso com tuberculose a partir dos efeitos de sentidos produzidos nos discursos dos enfermeiros e a sua relação com o princípio da alteridade; Identificar as marcas textuais que evidenciam a forma como é produzido o cuidado aos idosos com tuberculose; Identificar a posição-sujeito dos enfermeiros assistenciais em relação ao cuidado ofertado aos idosos com tuberculose. Método: Estudo descritivo, com abordagem qualitativa, realizado no Complexo Hospitalar de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga (CHCF), com 10 enfermeiros assistenciais. O material empírico foi analisado de acordo com os conceitos teóricos da Análise de Discurso (AD), de matriz francesa. O estudo atendeu a todos os aspectos éticos que envolve a pesquisa em seres humanos. Resultados: Os discursos dos enfermeiros evidenciaram que o cuidado ao idoso com TB no serviço especializado (SE) é realizado por meio de ações de natureza clínico-assistenciais e de humanização, de acordo com a posição-sujeito que os profissionais assumem, determinado pelo lugar empírico em que se encontram no ambiente hospitalar. Contudo, é visto no SE uma predominância do modelo biomédico nas ações de cuidado, uma vez que durante o acolhimento e a alta hospitalar o foco das práticas está direcionado à doença, demonstrando um apagamento quanto às ações de cuidado ao idoso na perspectiva da alteridade, centrado no doente/o outro. Conclusão: É necessário que ocorra um diálogo entre os discursos apresentados no estudo, o clínico e o empático, a fim de redirecionar o processo de trabalho e transformar o cuidado dispensado aos idosos com TB durante todos os momentos vivenciados no SE.
  • MARIA CIDNEY DA SILVA SOARES
  • História oral de vida de mulheres que vivenciaram a violência doméstica
  • Data: 28/08/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A violencia contra a mulher faz parte do cotidiano das cidades, dos paises e de todo o mundo, sendo um problema de saude publica global crescente diariamente, de caracteristica grave e importante, pois se trata de um crime; portanto, merece atencao dos setores publicos e da atencao a saude das mulheres. Algumas permanecem no ciclo da violencia domestica por muitos anos ou por toda a vida; no entanto, algumas procuram meios para superar e buscar romper o ciclo. Assim, este estudo tem como objetivos: Conhecer a historia de vida de mulheres que vivenciam a violencia domestica; Investigar como se desenvolveu o processo de violencia domestica na vida dessas mulheres; Identificar as estrategias utilizadas por essas mulheres no enfrentamento da violencia domestica e Revelar se ficaram sequelas apos o rompimento do ciclo da violencia domestica. Para a producao do material empirico, utilizouse a tecnica da Historia oral de vida com cinco mulheres, indicadas pelo Centro de Referencia de atendimento a mulher, no municipio de Campina Grande/PB. A analise e a interpretacao do material foram feitas com base nas unidades de significado (temas) mais evidentes e constantes nas narrativas e no tom vital de cada historia. Assim, foram elaborados os seguintes eixos tematicos: Eixo tematico I: Trajetoria de vida de mulheres sertanejas que vivenciam violencia domestica; Subeixo tematico I – O desabrochar das flores entre os espinhos; Eixo tematico II – O rompimento do ciclo da violencia domestica: Enfrentamentos e de movimentos superacao; Eixo tematico III – Flores Machucadas: Marcas que ficaram da violencia domestica. O estudo seguiu as observancias eticas propostas pela Resolucao 466/12, sendo aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa sob CAAE: 50968615.5.0000.5188. Nas historias narradas, observou-se que as mulheres fizeram referencia a uma repeticao da historia de suas genitoras em suas vidas, relacionando a situacao de violencia vivenciada por suas maes e reproduzida em seus relacionamentos. Narram terem vivido o primeiro momento de violencia na adolescencia e que as agressoes fisicas se iniciaram ou se intensificaram durante o periodo gestacional e o silencio esteve presente por muito tempo em suas relacoes ate a denuncia. Relatam terem vivido violencia fisica, psicologica, patrimonial, institucional e sexual. Essas mulheres conseguiram iniciar um processo de empoderamento, na medida em que descobriram o seu potencial interior, e foram capazes de se autodefender, conquistar, avancar e superar nao somente as adversidades, mas tambem os obstaculos que as mantinham no ciclo da violencia. Estava presente tambem em suas narrativas apos o rompimento do ciclo o medo de novos relacionamentos e a solidao. Portanto, elenca-se o apoio de profissionais de todos os setores envolvidos no enfrentamento da violencia domestica, na perspectiva de promover autonomia e empoderamento as mulheres em situacao de violencia para lhes dar suporte no processo de resiliencia.
  • LIDIANY GALDINO FÉLIX
  • Intervenção educativa sobre pé diabético para enfermeiros da atenção primária
  • Data: 21/08/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introducao: O pe diabetico e considerado uma das principais complicacoes cronicas do Diabetes Mellitus (DM) e a maior causa de ulceracao e amputacoes de membros inferiores. Entretanto, varias das complicacoes decorrentes do pe diabetico poderiam ser prevenidas atraves da abordagem educativa e do exame periodico dos pes. O enfermeiro, entre os profissionais que atuam nos servicos de atencao primaria, desempenha um papel de extrema importancia na prevencao e rastreamento das complicacoes decorrentes do pe diabetico. Para tanto, e importante que esse profissional tenha conhecimento e habilidade tecnica para identificar os fatores de risco, realizar a avaliacao clinica do pe em risco, orientar o usuario para prevenir complicacoes futuras, proporcionando uma assistencia segura, individualizada e integral. Objetivo: avaliar os efeitos de uma intervencao educativa sobre o conhecimento teorico-pratico de enfermeiros da atencao primaria, frente aos cuidados para prevencao e avaliacao do pe diabetico. Metodo: Trata-se de um estudo de metodos multiplos, desenvolvido entre os meses de janeiro a junho de 2016, em tres etapas operacionais: (1) estudo metodologico com abordagem quantitativa para construcao e validacao do Questionario de investigacao do conhecimento de enfermeiros sobre pe diabetico (QICEPeD); (2) estudo descritivo, exploratorio de abordagem qualitativa para implementacao de uma intervencao educativa sobre pe diabetico para enfermeiros que atuam na atencao primaria do municipio de Campina Grande – PB, fundamentada nas etapas da Metodologia da Problematizacao com o Arco de Maguerez; (3) estudo de intervencao, quase-experimental, do tipo antes e depois, com desenho quantitativo. Para a coleta de dados foram utilizadas duas estrategias: aplicacao do instrumento QICEPeD, antes e apos a intervencao educativa; e tecnica de grupo focal. O material empirico foi analisado quantitativamente utilizando o SPSS e qualitativamente pela tecnica de Analise de Conteudo do tipo Tematica. O estudo foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa, parecer n. 0577/2015. Resultados: (1) o processo de validacao de conteudo do instrumento foi realizado por um grupo de 10 juizes em duas etapas. Todos os itens avaliados na segunda etapa obtiveram IVC ≥ 0,90. A analise da confiabilidade da consistencia interna resultou em Alfa de Cronbach superior a 0,80; (2) a realidade observada durante a intervencao educativa, indicou que o exame dos pes nao e uma pratica de cuidado costumeiramente realizada durante a consulta de enfermagem as pessoas com DM e, na maioria das vezes e feito apenas quando o usuario solicita ou refere alguma queixa. Foi possivel refletir sobre os fatores que dificultam a realizacao do exame dos pes pelo enfermeiro na APS. Ao final da intervencao, foi possivel identificar algumas transformacoes na percepcao dos enfermeiros quanto a necessidade de dar mais importancia aos pes das pessoas com diabetes (3) observou-se um expressivo aumento da pontuacao minima e maxima, e da media de acertos para as questoes investigadas nas dimensoes teoricas I e II, apos a intervencao educativa (p<0,01). Conclusoes: a intervencao educativa mostrou-se efetiva para melhorar o conhecimento teorico-pratico dos enfermeiros sobre prevencao e avaliacao do pe diabetico.
  • JULIANA PONTES SOARES
  • Infecção Sexualmente Transmissível em Cortadores de Cana de Açúcar: fatores sociodemográficos e comportamentos de risco.
  • Data: 02/06/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Infecções sexualmente transmissíveis são mais prevalentes entre populações vulneráveis, dentre elas destacam-se os cortadores de cana de açúcar manual. Objetivo: Analisar as infecções sexualmente transmissíveis em cortadores de cana de açúcar da Paraíba e sua associação com características sociodemográficas e comportamento de risco. Método: Estudo observacional, transversal, desenvolvido em uma Usina, Paraíba, com 300 cortadores de cana de açúcar. A coleta de dados ocorreu de 25 de fevereiro a 01 de março de 2016. Realizou-se uma análise descritiva (frequência absoluta e relativa em porcentagem), Odds ratio, Regressão logística múltipla e Teste de Verossimilhança. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley, conforme o parecer no 1507737 com CAAE no 53400516.8.0000.5183. Resultados: A prevalência de infecção sexualmente transmissível através do relato foi de 8,0% (IC 95%: 5,0-10,7). Todos entrevistados eram do sexo masculino, 40,3% na faixa etária de 30 a 39 anos, 61,0% possuíam até 4 anos de estudo, 91,3% casados, 61,7% recebiam de 1 a 2 salários mínimos. Quanto aos comportamentos de risco, 50,0% tiveram a primeira relação sexual com idade igual ou superior a 16 anos, 89,3% não tinham relação sexual com homens, 71,7% tiveram 1 parceiro sexual nos últimos 12 meses, 59,0% nunca utilizaram preservativo, 3,7% afirmaram a ocorrência de ferida genital e 5,0% de corrimento, 2,0% relataram abuso sexual, 11,3% utilizavam maconha, 51,3% utilizavam bebidas alcoólicas. Escolaridade (OR: 4,3; IC 95%: 1,6-12,1), uso de maconha (OR: 6,1; IC 95%: 2,2-17,5), ter sofrido abuso sexual (OR: 14,9; IC 95%: 2,2-100,1) e uso de álcool (OR: 4,1; IC 95%: 1,5- 11,9) foram considerados fatores preditores para infecção sexualmente transmissível. Conclusão: Os fatores sociodemográficos e os comportamentos de risco de cortadores de cana de açúcar possui associação com as infecções sexualmente transmissíveis.
  • DEA SILVIA MOURA DA CRUZ
  • VIVÊNCIA DE ADOLESCENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 1 NA PERSPECTIVA DA ÉTICA DA ALTERIDADE
  • Data: 29/05/2017
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O adolescente com diabetes vivencia os conflitos da adolescência e enfrenta as demandas decorrentes da doença e da terapêutica. Objetivo: Conhecer a vivência de adolescentes com diabetes mellitus tipo 1 na perspectiva da Ética da Alteridade. Método: Estudo qualitativo, exploratório-descritivo, realizado no Ambulatório de Pediatria do Hospital Universitário Lauro Wanderley na cidade de João Pessoa-PB, com nove adolescentes com diabetes tipo 1. Os dados foram coletados por meio de grupo focal e de entrevistas semiestruturadas, e foram interpretados com a análise temática. O estudo teve aprovação de um Comitê de Ética em Pesquisa, protocolo nº 1.203.218, CAAE 47909515.3.0000.5183. Resultados: Os dados permitiu a construção das seguintes categorias: Convivendo com o diabetes; Vivências de adolescentes com diabetes no meio familiar; Vivências de adolescente com diabetes no meio social e Vivências de adolescentes com diabetes com a equipe multiprofissional. Desde o diagnóstico, os pais assumiram a responsabilidade pelo cuidado aos filhos, e, na perspectiva da Ética da Alteridade, estiveram presentes e abertos para acolhê-los enquanto Outro, apoiando-os na terapêutica. Os adolescentes demonstraram ser pessoas confiantes, com autoestima preservada, que conseguem conviver em comunidade, assumindo sua condição diante de seus pares, sendo estes sensíveis às suas necessidades, fazendo-se presentes, auxiliando-os no autocuidado, e respeitando-os na sua Alteridade. A assistência recebida pela equipe multiprofissional foi considerada pelos adolescentes como “ótima”, pois a relação estabelecida é permeada pela empatia, respeito e cumplicidade, embora estratégias ineficientes tenham sido utilizadas por um dos membros da equipe, que não contribuiu para mudança de percepção e comportamento do adolescente. Considerações Finais: Os adolescentes com diabetes e suas famílias mostram-se sujeitos ativos na terapêutica e apresentam singularidades que precisam ser contempladas no projeto terapêutico. Conhecer essas vivências, na perspectiva da Ética da Alteridade, possibilita às equipes multiprofissionais refletirem acerca do cuidado prestado, respeitando a alteridade dos adolescentes com diabetes, por meio da escuta qualificada para atender suas demandas singulares.
  • CARINA MARIS GASPAR CARVALHO
  • Subconjunto terminológico da CIPE®, estruturado em ontologia, para o autocuidado da pessoa com estomia de eliminação intestinal
  • Data: 22/05/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O cuidado com pessoas com estomia de eliminação intestinal visa à reabilitação por meio do autocuidado. No entanto, há uma lacuna de conhecimento quanto a instrumentos: que ancorem o cuidado sistematizado à clientela específica, baseados em uma terminologia de enfermagem e fundamentados em uma teoria que apoie o autocuidado; e que estejam representados de forma a serem inseridos em sistemas de informação em saúde. Objetivo: Desenvolver um subconjunto terminológico da CIPE® para o autocuidado da pessoa com estomia de eliminação intestinal, fundamentado na Teoria Geral do Autocuidado e estruturado em ontologia. Método: Pesquisa metodológica, desenvolvida em quatro etapas pautadas no método brasileiro para desenvolvimento de subconjuntos terminológicos da CIPE®. A primeira etapa consistiu na identificação de termos relevantes para o cuidado com a pessoa com estomia de eliminação intestinal, a partir de 49 artigos científicos acerca da temática e de registros de enfermagem de 39 prontuários do serviço de assistência a pessoas ostomizadas do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba (HULW-UFPB); na segunda etapa, foi realizado o mapeamento cruzado dos termos identificados com termos da CIPE® Versão 2015; a terceira etapa envolveu a construção, a partir dos termos identificados e mapeados, de enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem para o autocuidado da clientela selecionada e para a validação de conteúdo dos enunciados por especialistas, considerando-se validados os que obtiveram grau de concordância maior ou igual a 80%; e a quarta etapa consistiu na estruturação do subconjunto, de acordo com o método brasileiro para desenvolvimento de subconjuntos, fundamentado na teoria de Orem e em ontologia. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do HULW-UFPB. Resultados: Foram identificados 457 termos relevantes na literatura e nos prontuários, dos quais 173 constam na CIPE® Versão 2015. Foram construídos 110 diagnósticos/resultados, dos quais 78 (70,9%) foram validados pelos especialistas e incluídos no subconjunto, e 119 intervenções, das quais 103 (86,5%) foram validadas e incluídas no subconjunto. No subconjunto estruturado de acordo com o método brasileiro para desenvolvimento de subconjuntos, 17 diagnósticos/resultados de enfermagem foram classificados como requisitos universais de autocuidado, 40 como requisitos de autocuidado relativos ao desenvolvimento e 13 como requisitos de autocuidado relativos às alterações da saúde da teoria de Orem; e das intervenções de enfermagem, duas correspondem ao sistema totalmente compensatório, quatro ao sistema parcialmente compensatório e 97 ao sistema de apoio-educação da teoria de Orem. No subconjunto estruturado em ontologia, os enunciados foram dispostos hierarquicamente na ontologia brasileira da CIPE®. Considerações finais: Acredita-se que os enunciados validados e fundamentados na teoria de Orem representam os fenômenos e as necessidades de autocuidado da pessoa com estomia de eliminação intestinal, e as ações específicas para a promoção do autocuidado dessa clientela. Considera-se que o subconjunto desenvolvido contribuirá para a coleta e documentação sistemáticas dos elementos da prática de enfermagem direcionada à pessoa com estomia de eliminação intestinal. Sugere-se a inclusão da ontologia em sistemas de informação em saúde, a fim de permitir sua utilização por profissionais da Enfermagem.
  • MERYELI SANTOS DE ARAUJO
  • Rede e apoio social da família no cuidado à criança com paralisia cerebral.
  • Data: 09/05/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Paralisia Cerebral é uma condição clínica não progressiva do cérebro imaturo que afeta o desenvolvimento do movimento e da postura. Objetivo: Compreender a percepção da família de crianças com paralisia cerebral acerca da rede e apoio social. Método: Estudo qualitativo, aprovado pelo parecer 1.157.717, CAAE 46087015.5.0000.5188. Realizado em uma clínica escola e uma instituição de referência no Estado da Paraíba, com nove mães e um pai, por meio de mapa falante, ecomapa e entrevista semiestruturada, no período de outubro de 2015 a março de 2016. A interpretação dos dados foi balizada pela análise temática e fundamentada pelos conceitos de Alteridade, Rosto e Corresponsabilização do Outro, descritos por Emmanuel Lévinas. Resultados: O itinerário terapêutico inicia-se nas intercorrências no parto, quando a família busca por especialistas para elucidar o diagnóstico. Na falta dessas informações, vai construindo o itinerário sozinha, amparada pela opinião da comunidade e de pessoas que trilharam caminhos semelhantes. Em situações de adoecimento, as famílias preferem serviços de urgência que julgam mais resolutivos do que os serviços da Estratégia Saúde da Família. Com o crescimento da criança, novas demandas surgem, bem como a necessidade de atendimento por especialistas, como ortopedista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, alterando a rotina de tratamento. A mãe tem sido a responsável pela construção da rede e articuladora entre os diferentes profissionais e serviços. Na rede, muitas pessoas fornecem apoio emocional, mas o cuidado instrumental é responsabilidade da mãe, que fica sobrecarregada física e emocionalmente. Com o tempo e crescimento da criança, as pessoas que exerciam relação de apoio passam a se afastar, fragilizando os vínculos. Considerações Finais: Embora a rede e o apoio social se constituam em ferramentas importantes para auxiliar no processo de enfrentamento da doença crônica do filho e reestruturação familiar, a rede das famílias de crianças com paralisia cerebral tem sido pequena e frágil, e a assistência recebida é insuficiente para prover as necessidades da familia.
  • TATIANA PIMENTEL DE ANDRADE BATISTA
  • SENTIDOS ASSOCIADOS À TUBERCULOSE POR IDOSOS E PROFISSIONAIS DE SAÚDE
  • Data: 27/04/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O adoecimento do humano causado pela Tuberculose é secular. A enfermidade vitimou e dizimou populações em todos os continentes deixando profundas marcas em virtude do seu impacto social.Destarte a importância de explorar as representações sociais sobre a tuberculose no olhar de idosos e profissionais que vivenciam a tuberculose, é de singular importância para se conhecer o que estes pensam sobre a doença. Neste sentido, este estudo tem os objetivos de identificar as representações sociais sobre tuberculose construídas por idosos e analisar as representações sociais da tuberculose por profissionais de saúde. Trata-se de um exploratório, com abordagem qualitativo, fundamentado na Teoria das Representações Sociais. Realizado nas Unidades de Saúde da Família do Município de João Pessoa/Paraíba/Brasil, com 258 idosos e 248 profissionais de saúde. Adotou-se uma entrevista semiestruturada, contemplando na primeira parte a Associação Livre de Palavras, com o termo indutor: “Tuberculose” e na segunda parte, os dados sóciodemográficos. Os dados empíricos foram organizados em um banco de dados, em seguida processados com o auxílio do softwareIRaMuTeQ versão 0.7alfa 2.Emergindo dois artigos. O primeiro artigo, com 258 idosos, no qual a maioria era do sexo feminino 70,5% (182), tinham faixa etária de 73,3% (189) tinham idade de 60 a 79 anos, 44,7% (115) eram casados, 40,3% (104) tinham acima de 8 anos de estudos. Emergiram três classes: Classe 3: descrições psicossociais da sintomatologia, com 86 (36,23%) seguimentos de texto, traz as representações construídas principalmente pelo grupo de idosos com escolaridade não definida; e Classe 1: descrições do tratamento e cuidado para tuberculose, foi formada por 110 (47,62%) segmentos de texto retidos, teve maior contribuição do grupo de idosos com idade superior a 80 anos; Classe 2: dimensões negativas da tuberculose, construída principalmente pelo grupo de idosos com escolaridade menor de 1 anos do ensino básico, com 35 seguimentos de texto, equivalente a 15,15% dos seguimentos retidos. O segundo artigo aponta que a maioria dos participantes foi do sexo feminino 85,9% (213), com idade de 31 a 59 anos, perfazendo 70,6% (175) dos sujeitos, enfermeiros 22,6% (56), com tempo de serviço com de 0 a 10 anos 69,8% (173). Emergindo três classes: classe 3, Descrições da sintomatologia, formada por 25,13% (50) seguimentos retidos, teve maior contribuição dos profissionais formados em odontologia, em suas evocações os profissionais correlacionam a Tuberculose as palavras, formada por 20,6% (41) Seguimentos de Texto retidos, os profissionais que mais contribuíram com as classes foram aqueles dos grupos de formação em fisioterapia, educação física, serviço social e nutrição. De acordo com a classe 2, descrições sobre o tratamento da tuberculose, constituída por 54,27% (108) seguimentos, formada principalmente pelo grupo de enfermeiros. Tendo em vista os sentidos atribuídos a tuberculose, os aspectos psicossociais, expressados reportam aos fatores psicológicos associados ao sofrimento. Sabe-se que os estigmas influenciam de forma negativa desde o diagnostico como também a adesão ao tratamento, retardando ou impossibilitando a cura da doença. O profissional de saúde tem um papel importantíssimo, na elaboração de ações e estratégias envolvidas, assim como na busca de um tratamento digno, contribuir com a transformação do discurso estigmatizado. Por fim, sugere-se ainda, que as práticas de atenção sejam redirecionadas para a educação em saúde, considerando as singularidades dos profissionais e das diferentes realidades sociais.
  • LAURA DE SOUSA GOMES VELOSO
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA DEPRESSÃO CONSTRUÍDAS POR IDOSOS E SUAS RELAÇÕES COM A CAPACIDADE FUNCIONAL
  • Data: 27/04/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Pesquisas atuais indicam que a cada ano, cerca de 650 mil de pessoas com mais de 60 anos ingressam na sociedade brasileira, sendo a maior parte com doenças crônicas e limitações funcionais. Entre as patologias crônicas, destaca-se a depressão, elevando ainda mais o ciclo de fragilidade e de deterioração progressiva da capacidade funcional. Diante do exposto, o presente estudo tem por objetivos verificar as representações sociais construídas por idosos sobre a depressão na velhice e suas relações com a capacidade funcional, bem como investigar a associação entre os sintomas depressivos e a capacidade funcional. Trata-se, portanto, de um estudo exploratório, de abordagem mista, e de base de dados secundária, que incluiu 234 pessoas com mais de 60 anos, de ambos os sexos, assistidos pelas equipes de saúde da Estratégia Saúde da Família Grotão I, II e III, e a Comunidade Maria de Nazaré, no município de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Os dados foram coletados nas respectivas unidades de saúde, através de uma entrevista semiestruturada, composta por três partes, sendo a primeira o Teste de Associação Livre de Palavras (TALP), com o termo indutor ; seguida pela caracterização sociodemográfica; a última parte foi contemplada pela Escala de Depressão Geriátrica (GDS-15) e análise do desempenho funcional, por meio do Índice de Katz e da Escala de Lawton e Brody. Os dados coletados foram processados pelos softwares SPSS versão 21.0 e IRaMuTeQ e, posteriormente interpretados de acordo com o aporte teórico das Representações Sociais. Verificou-se que 38% (n=88) dos idosos participantes apresentaram sintomas sugestivos de depressão, com prevalência entre as mulheres, na faixa etária entre 60 a 69 anos. Foi possível observar que uma significativa parcela da população (43,6%) se identifica como pessoas independentes e sem sintomas de depressão, embora, 13,7% se classificam como sendo independentes pelo índice de Katz e dependentes parcialmente pela escala de Lawton. Cabe destacar que, 9,83% dos participantes que apresentavam sintomas depressivos já demonstravam também perdas funcionais para atividades mais complexas, que requerem habilidades cognitivas e motoras associadas, como se observa nas Atividades Instrumentais de Vida Diária. A análise do corpus textual referente à representações sociais da depressão resultou na formação de quatro classes semânticas, com aproveitamento de 77,68%, apresentadas pela Classificação Hierárquica Descendente (CHD): classe 1 - Sentidos e experiências associadas à depressão; classe 2 - Aspectos relacionados à depressão; classe 3 - Aspectos clínicos da depressão; classe 4 - Dimensões psicoafetivas da depressão. Os idosos considerados funcionalmente dependentes representam a depressão como um processo patológico grave de repercussão psicoafetiva, que necessita de assistência clínica e medicamentosa, mas que o cuidado se torna mais ampliado e efetivo com a presença da família e de amigos. Os dados do presente estudo correlacionam-se entre si, e indicam que a presença dos sintomas depressivos está associada significativamente ao declínio progressivo das Atividades Instrumentais de Vida Diária, assim como, com a perda progressiva do desempenho cognitivo, sugerindo atualizações aos profissionais de saúde através das práticas e dos norteamentos direcionados aos idosos, com e sem sintomas depressivos.
  • SAEMMY GRASIELY ESTRELA DE ALBUQUERQUE
  • BUSCANDO A QUALIDADE DA INFORMAÇÃO PRODUZIDA PELO E-SUS AB: influências, dificuldades e perspectivas dos gestores em saúde
  • Data: 26/04/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A informação é a fonte de conhecimento que proporciona diversos pontos de vista para interpretação de fenômenos e construção do conhecimento. Com base nesse pressuposto, os sistemas de informação têm a finalidade de oferecer subsídios para servir de base à efetivação da gestão dos serviços. Objetivos: Compreender como o gestor percebe a qualidade da informação produzida pelo e-SUS AB; descrever a influência dessas informações na prática dos gestores de saúde e identificar as dificuldades enfrentadas na utilização do e-SUS AB. Método: Estudo de caráter exploratório-descritivo, de abordagem qualitativa, utilizando como referencial teórico e metodológico a Teoria Fundamentada nos Dados. Os participantes da pesquisa foram 16 gestores de saúde dos Distritos Sanitários do município de João Pessoa-PB, Brasil. A coleta de dados foi realizada através da aplicação de um roteiro de entrevista semiestruturada. A análise dos dados foi realizada através de três etapas de codificação: aberta, axial e seletiva. Resultados: Com base na análise dos dados foram identificados o fenômeno 1 - Compreendendo a percepção acerca da qualidade da informação produzida pelo e-SUS AB e sua influência no processo de trabalho dos gestores de saúde e o fenômeno 2 - Apontando dificuldades e perspectivas na adaptação e busca de aprimoramento do e-SUS AB. A partir da análise das categorias e fenômenos buscou-se descrever a compreensão dos gestores sobre a temática, identificando pontos positivos e negativos da experiência com o e-SUS AB. Ao realizar a conexão dos dois fenômenos emergiu a categoria central do estudo: Buscando a qualidade da informação produzida pelo e-SUS AB: influências, dificuldades e perspectivas dos gestores em saúde. Conclusão: Verificou-se que os gestores de saúde do município de João Pessoa-PB se preocupam em utilizar informações de qualidade, a fim de apoiar a tomada de decisão, fortalecer as estratégias para efetivação do e-SUS AB e elevar o padrão dos serviços prestados a população.
  • SIGRID SHALLY NASCIMENTO DE LYRA RAMOS
  • Qualidade de vida de idosos hipertensos em terapia medicamentosa.
  • Data: 25/04/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A hipertensão arterial se constitui grave problema de saúde pública e significativa ameaça à qualidade de vida das pessoas idosas hipertensas. Dessa forma, consideram-se importantes os estudos que avaliem a qualidade de vida dessa população. Objetivo: Analisar a qualidade de vida de pessoas idosas com hipertensão arterial em uso de terapia medicamentosa. Método: Trata-se de uma pesquisa descritiva, corte transversal e abordagem quantitativa, realizada com 187 idosos em um município da microrregião do litoral sul paraibano. A coleta de dados transcorreu entre os meses de março a maio de 2016, utilizando-se um instrumento estruturado contemplando variáveis sociodemográficas e clínicas, o Teste de Morisky-Green, e o Specific Questionnaire for Quality of Life Bulpitt and Fletcher's. Os dados foram analisados a partir de medias de distribuição e tendência central, cálculo do coeficiente alfa de Cronbach, teste de qui-quadrado de Pearson e regressão logística binária, compilados e estruturados em um banco através do software Statistical Package for the Social Sciences versão 22.0. Resultados: Quanto ao sexo, predominou o feminino (56,7%). Houve prevalência da faixa etária entre 60 e 70 anos (49,8%). A predominância do estado civil foi de casados ou união consensual (57,8%). Quanto à escolaridade a hegemonia foi nenhum ano de estudo (80,2%). Referente à renda mensal individual (99,5%) era proveniente da aposentadoria e/ou pensão. Quanto à adesão terapêutica (87, 17%) foram aderentes. Quanto às variáveis associadas ao prejuízo na qualidade de vida destacam-se: doença vascular periférica (93,9%), doença cardíaca e problemas renais (100%); uso de medicamentos: analgésicos (100%) e anti-hipertensivos (79,1%); hábitos de vida: o tabagismo (89,5%) e o consumo de álcool (10%). Em referência a avaliação da qualidade de vida (79,1%) dos entrevistados apresentaram escores que os classificaram com prejuízo significativo. Conclusão: Com base no exposto, verifica-se que as pessoas idosas hipertensas em uso de terapia medicamentosa investigadas apresentaram prejuízos significativos em sua qualidade de vida.
  • EMILIE DE OLIVEIRA COSTA
  • Cuidados paliativos ao paciente com câncer: atuação de fisioterapeutas no âmbito hospitalar
  • Data: 25/04/2017
  • Hora: 10:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Cuidados paliativos são uma abordagem realizada por uma equipe multidisciplinar para melhorar a qualidade de vida do paciente com câncer e de sua família, tendo como prioridade o controle da dor e dos sintomas psíquico, social e espiritual. Esta dissertação é constituída por dois artigos: o primeiro, teórico, intitula-se: Cuidados paliativos e oncologia: um estudo bibliométrico. Objetivo: Analisar a produção científica nacional e internacional divulgada em periódicos online sobre cuidados paliativos e oncologia no período de 2007 a 2016. Método: Estudo bibliométrico constituído de 80 artigos publicados no período de 2007 a 2016, disponibilizados nas bases de dados LILACS e MEDLINE e na biblioteca virtual, SciELO. Resultados: Identificou-se uma maior concentração de títulos em revistas internacionais no ano de 2013, com procedência dos Estados Unidos no idioma inglês. O maior quantitativo de publicações foi produzido por pesquisadores com titulação de especialista, na modalidade de artigo original e com pacientes oncológicos sob cuidados paliativos. Conclusão: Os resultados obtidos apontam para a relevância dos cuidados paliativos na assistência ao paciente oncológico e para a necessidade de novas pesquisas científicas relativas ao tema. Introdução: O paciente com câncer sob cuidados paliativos recebe assistência de equipe composta por profissionais de diferentes áreas, dentre as quais se destaca o fisioterapeuta, que beneficia estes pacientes intervindo no manejo da dor, no estresse psicofísico, na prevenção de complicações osteomioarticulares, pulmonares, neurológicas, dentre outras. Objetivo: Investigar a atuação de fisioterapeutas na promoção dos cuidados paliativos à pacientes com câncer assistidos em uma instituição hospitalar Método: Estudo qualitativo realizado em uma instituição hospitalar filantrópica em João Pessoa-PB com nove fisioterapeutas, através de entrevista. Os dados foram coletados no período de setembro a novembro de 2016 e analisados por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados: Do material empírico emergiram quatro categorias temáticas: Entendimento de fisioterapeutas sobre cuidados paliativos; a relação do fisioterapeuta com o paciente no contexto hospitalar; atuação de fisioterapeutas ao paciente oncológico sob cuidados paliativos; a importância de assistir o paciente sob cuidados paliativos. Conclusão: Os fisioterapeutas demonstraram compreender a importância dos cuidados paliativos ao paciente oncológico e sua família, atuando conforme as necessidades apresentadas. O estudo apresenta uma contribuição para o conhecimento profissional do fisioterapeuta.
  • PABLO LEONID CARNEIRO LUCENA
  • Assédio moral no trabalho: estudo com membros de Conselhos de Enfermagem acerca de processos éticos.
  • Data: 24/04/2017
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O assédio moral é um tipo de violência de modo repetitivo e prolongado, capaz de promover danos físicos e psíquicos em suas vítimas. Esta dissertação é composta por dois artigos. Artigo 1 - Produção científica sobre assédio moral e enfermagem: estudo bibliométrico. Objetivo: verificar indicadores bibliométricos da produção científica disponível em periódicos online que abordam assédio moral e enfermagem. Método: estudo bibliométrico. Utilizou-se a lei de Bradford, e a lei de Zipf combinada à estatística textual (Iramutec). Amostra constituída por 111 publicações em português, inglês e espanhol, disponibilizadas em bases de dados nacionais e internacionais, no período de 2000 a 2016. Resultados: produção predominantemente publicada nos últimos dez anos e elaborada em coautoria. Autores principais vinculados a 91 instituições, distribuídas em 24 países. Estados Unidos da América, Brasil e Austrália foram os países que mais publicaram. Profissionais e estudantes de enfermagem compuseram as principais populações das pesquisas, e o ambiente hospitalar foi o cenário mais investigado. Os periódicos com maior número de publicações (Núcleo de Bradford) possuem influência científica internacional. Os termos com maior poder semântico e alta frequência nos resumos foram bullying, assédio moral e acoso laboral. Conclusão: os indicadores apontam que o assédio moral ocorre no ambiente de trabalho de enfermagem em vários países, e que o número de publicações nesta temática tende a crescer. Entretanto, é necessária a ampliação de pesquisas envolvendo cenários diversificados, incluindo profissionais e estudantes de enfermagem, o que contribuirá para o melhor conhecimento e enfrentamento desse fenômeno. Artigo 2 - Assédio moral no trabalho: estudo com membros de Conselhos de Enfermagem acerca de processos éticos. Objetivo: investigar o assédio moral a partir do posicionamento de conselheiros de enfermagem acerca de processos éticos na referida temática. Método: estudo exploratório-descritivo com abordagem quantitativa. Coleta de dados realizada por meio de plataforma online. A amostra foi composta por 80 conselheiros do sistema Conselho Federal de Enfermagem/Conselhos Regionais, provenientes das cinco regiões geográficas do Brasil. Estudo com autorização administrativa (Cofen), e aprovação ética (CAAE) nº: 48398215700005183. Resultados: a partir dos dados obtidos, observou-se que 86,25% dos conselheiros realizaram julgamentos de profissionais de enfermagem denunciados por prática de assédio moral. Em relação aos processos nessa temática, 77,5% dos participantes mencionaram encontrar alguma dificuldade, entre as principais, destacam-se as ausências de testemunhas, e de comprovação dos atos denunciados. Sendo esta última, o principal (68,52%) motivo de arquivamentos e absolvições em alguns processos. A caracterização do fenômeno não foi consensual com relação à frequência das agressões e ao tempo total de exposição da vítima à violência. Contudo, 95% consideram que o agressor pode se manifestar através de condutas variadas. Para comprovar as agressões, as vítimas podem utilizar os relatos de testemunhas, registro em livro de ocorrência, mensagens virtuais, e atestados psicológicos, visto que são amplamente aceitos pelos conselheiros. A penalidade de advertência para o assediador foi considerada como insuficiente por 68,7% dos conselheiros. Todos os participantes consideram importante a proposta de criação de instrumento para auxiliar a averiguação de denúncias envolvendo a prática do assédio moral. Conclusão: os processos éticos colaboram ativamente no enfrentamento do assédio moral, contudo, é importante que os Conselhos de Enfermagem apoiem novas estratégias de prevenção e adotem instrumentos que norteiem a averiguação de denúncias, proporcionando maior respaldo para a formação de convicção dos conselheiros nos julgamentos envolvendo essa prática.
  • CAMILA CARLA DANTAS SOARES
  • ENTRE MUROS, CELAS E SOMBRAS: HISTÓRIA ORAL DE MULHERES TRABALHADORAS DE UMA INSTITUIÇÃO PRISIONAL
  • Data: 24/04/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa que utilizou a técnica da História Oral Temática. O presente estudo teve como objetivo principal: conhecer a história de agentes de segurança penitenciária de uma instituição prisional feminina. A pesquisa foi realizada no Centro de Reeducação Maria Júlia Maranhão, localizado na cidade de João Pessoa. O material empírico foi produzido a partir da entrevista com dez colaboradoras, os resultados desse material foram discutidos com base nos tons vitais das narrativas, que subsidiaram a construção de três eixos temáticos, conforme segue respectivamente: Motivações: Benefícios financeiros, estabilidade no emprego e flexibilidade na escala de trabalho; Agente de segurança penitenciária: uma mistura de sentimentos somados ao preconceito e à falta de reconhecimento; O preço de ser agente de segurança penitenciária: repercussões na vida e na saúde dessas mulheres. Tais eixos fomentaram a discussão com base no confronto entre os achados obtidos através das entrevistas e a literatura pertinente. Esta pesquisa respeitou os aspectos éticos e legais que regulamentam a Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, como também da Resolução 311/2007 que trata da ética de enfermeiros nas pesquisas científicas. Sendo aprovada no dia 21/07/2016, sob a CAAE: 56468016.7.0000.5188. As histórias das colaboradoras revelaram que as principais motivações que levaram essas mulheres à profissão de agente de segurança penitenciária foram: benefícios financeiros, estabilidade no emprego e flexibilidade na escala de trabalho. Revelaram ainda que elas vivenciam uma mistura de sentimentos, entre eles o medo, conflito de valores, insatisfação e revolta ligados ao preconceito e à falta de reconhecimento. Também foi possível perceber como essa atividade laboral pode trazer momentos de “prazer”, mas principalmente de dor e sofrimento. Para as colaboradoras, apesar de tratar-se de uma profissão de risco que repercute na saúde dos profissionais, ela também oferece oportunidades de aprendizado e reflexão sobre como valorizar mais a vida e seus familiares.
  • DANIELE DE SOUZA VIEIRA
  • Consulta de puericultura: um olhar sobre a prática do enfermeiro.
  • Data: 24/04/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Nos primeiros anos de vida da criança estão as principais fases de evolução, crescimento e desenvolvimento. O acompanhamento de sua saúde ocorre na consulta de puericultura e contempla um conjunto de ações de saúde que proporcionam a identificação de alterações em sua saúde. Objetivo: Analisar as ações de cuidado realizadas pelo enfermeiro durante as consultas de puericultura. Método: Estudo exploratório, observacional e quantitativo, realizado no município de João Pessoa, de março a julho de 2016, do qual participaram 31 enfermeiros que realizavam consulta de puericultura na estratégia saúde da família. Foi utilizado um check-list previamente estruturado e observadas três consultas aleatórias por cada enfermeiro participante, totalizando 93 consultas. A análise foi feita por meio de estatística descritiva e teste qui-quadrado, com nível de significância de 5%. Para validar o instrumento e avaliar o desempenho dos enfermeiros, foram aplicados, respectivamente, o teste de Alfa de Cronbach e a análise de agrupamento. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciência da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, parecer n° 096/12 e CAAE: 02584212300005188. Resultado: Evidenciaram-se fragilidades nas ações de cuidado dispensado à criança por parte dos enfermeiros. As dimensões do cuidado em maior proporção foram a avaliação da imunização e suplementações de ferro e vitamina A, o acompanhamento do crescimento infantil e os registros no prontuário e na caderneta de saúde da criança. Já as dimensões de educação em saúde, o exame físico, a anamnese e o acolhimento foram pouco efetivados na prática dos enfermeiros. Conclusão: O cuidado dispensado pelos enfermeiros ainda está aquém do recomendado pelas diretrizes de atenção à saúde da criança. Portanto, é preciso melhorar a qualidade da assistência, por meio de ações de educação permanente e da sensibilização desses profissionais.
  • EMANUELLE MALZAC FREIRE DE SANTANA
  • Deficiências e Incapacidades por Hanseníase na Atenção Secundária à Saúde
  • Data: 20/04/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A hanseníase é uma doença que ocasiona incapacidades nos âmbitos físico, emocional e social. Objetivo: Analisar deficiências e incapacidades ocasionadas pela hanseníase de acordo com o sítio corporal acometido e o tipo de deficiência. Método: Estudo descritivo, retrospectivo, base populacional e fonte documental, com delineamento quantitativo desenvolvido de 2009 a 2014 em centro de referência para hanseníase em João Pessoa-PB. Envolveu 414 prontuários, utilizando-se como instrumento de coleta de dados um formulário estruturado contemplando variáveis sociodemográficas, clínicas e da avaliação neurológica simplificada no diagnóstico e na alta. Os dados foram analisados através de técnicas de estatística descritiva e inferencial. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal da Paraíba sob protocolo 443/14, CAAE 34284414.3.0000.5188. Resultados: Observou-se predominância de homens (58,7%), idade entre 31 e 45 anos (27,8%), baixa escolaridade (65,9%), casos multibacilares (60,6%), forma dimorfa (35%), grau zero de incapacidade (59,4%), pés comprometidos (37,2%) e ausência de nervos afetados (52,4%). Entre anos de 2009 a 2014 constatou-se diferença significativa para o grau de incapacidade (p=0,038); sítio corporal olho (p=0,004) e mão (p=0,003) e para os nervos (p=0,020). Ao comparar o diagnóstico e a alta, nota-se decréscimo do acometimento do sítio corporal nariz (p=0,000), das deficiências ressecamento (p=0,002) e ferida (p=0,000) no nariz e úlcera (p=0,004) nos pés e da quantidade de nervos afetados (p=0,000). Foram identificados como fatores associados ao desenvolvimento de incapacidades: sexo masculino, baixa escolaridade, classificação multibacilar, forma neural pura e presença de nervos afetados, sendo a maior possibilidade do surgimento de sequelas no pós-alta. Conclusão: Evidenciou-se redução da magnitude da endemia da doença e efetividade da assistência na prevenção e na reabilitação das incapacidades. Destaca-se a necessidade de acompanhamento dos pacientes no pós-alta e vigilância dos grupos identificados.
  • CARLA LIDIANE JACOME DE LIMA
  • RISCO PARA DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM USUÁRIOS ATENDIDOS EM UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Data: 19/04/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Estresse, consumismo, álcool, fumo, sedentarismo, alimentação excessivamente calórica e falta de atividade física, são alguns dos possíveis fatores de riscos capazes de desencadear doenças, dentre elas o diabetes mellitus (DM). O DM tipo 2 caracteriza-se por defeitos na ação ou secreção da insulina manifestando principalmente em pessoas com excesso de peso, obesidade e fator hereditário. Objetivo: Avaliar o risco de desenvolver diabetes mellitus tipo 2 em usuários cadastrados nas Unidades de Saúde da Família do município de João Pessoa-Paraíba. Método: Estudo transversal com abordagem quantitativa, realizado com 266 usuários da atenção básica de saúde, em 21 unidades de saúde do Distrito Sanitário III, localizado no município de João Pessoa-PB, entre os meses de abril a junho de 2016. Para a coleta de dados foram utilizados dois instrumentos: o primeiro contendo as variáveis sociodemográficas e características individuais; o segundo refere-se ao instrumento FINDRISC (Finnish Diabetes Risk Score). Para a análise dos dados, foram utilizadas técnicas de estatística descritiva e de análise inferencial, considerando um nível de significância de 95% e para comparação das características associadas, foi utilizada a estatística inferencial, com o cálculo das razões de prevalências brutas com intervalo de confiança de 95%. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba- UFPB, CAEE 52727916.3.0000.5188. Resultados: Os dados revelam que dos 266 usuários entrevistados, 83,1% eram mulheres, 59,4% na faixa etária menor que 45 anos, 42% cursaram o ensino médio completo, 51% declararam-se pardos, 57% representava o valor da renda mensal de 1 a 3 salários mínimos, 36,4% o tempo que frequenta a USF de 1 a 5 anos. Com relação a características individuais 24% eram hipertensos, 9,8% tabagistas e 21,5% etilismo. Com relação ao risco os participantes do estudo apresentaram risco discretamente elevado 31,2%, seguido de alto 27,1% e com risco muito alto 1,5%. Conclusão: São vários os fatores de risco para desenvolvimento de DM2 identificados nos participantes do presente estudo, os quais, a maioria é modificável, justificando assim a importância do rastreamento como ação preventiva no intuito de ajudar aos profissionais de saúde a atuarem nesses usuários em risco o que pode levar a postergar o desenvolvimento da doença.
  • TARSILA NERY LIMA BATISTA
  • Método Canguru: (des) atenção ao binômio mãe-bebê na Estratégia Saúde da Família.
  • Data: 18/04/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Nos últimos anos, o Ministério da Saúde vem realizando ações para conter a fragmentação da assistência prestada às gestantes e aos recém-nascidos e reduzir a morbimortalidade neonatal no Brasil. O Método Canguru foi incorporado como política de saúde para melhorar a assistência ao recém-nascido prematuro, com participação ativa da Atenção Primária à Saúde. Objetivo: Analisar o cuidado materno com o recém-nascido na terceira etapa do Método Canguru e a assistência dada pelos profissionais da Estratégia Saúde da Família ao binômio mãe-bebê canguru. Método: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, descritivo-exploratória, submetida ao Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley, obtendo parecer 1.515.237 CAAE 54391316.7.0000.5183. Participaram da pesquisa dez mães de recém-nascidos, cujo parto foi realizado em uma das maternidades inseridas no estudo. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada, nos meses de maio e junho de 2016, analisados a partir da técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin. Teve como cenário a Clínica Obstétrica de um Hospital Universitário e uma maternidade pública que atendem a recém-nascidos pré-termo e/ou de baixo peso, além de Unidades de Saúde da Família do município de João Pessoa-PB. Resultados: Os relatos das mães-canguru evidenciam sentimentos como medo, insegurança e cansaço, ao assumir os cuidados com o filho no domicílio; vivenciaram falta de apoio familiar e de profissionais para continuidade do método, resultando em fragilidade da assistência ao binômio mãe-bebê nessa etapa do método canguru. Conclusão: Para continuar a prestar cuidados ao binômio mãe-bebê canguru, é necessário capacitar os profissionais da Estratégia Saúde da Família em relação ao método, fortalecer o vínculo da equipe de saúde da família com a comunidade, instituir visita domiciliar para essa dupla, na rotina das equipes, e propiciar a integralidade da assistência.
  • LEILIANE TEIXEIRA BENTO FERNANDES
  • Ações de autocuidado apoiado a crianças/adolescentes com doença crônica e suas famílias na Estratégia Saúde da Família.
  • Data: 18/04/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As condições crônicas têm demandado uma reestruturação na atenção à saúde no País, tendo sido concebido um Modelo de Atenção às Condições Crônicas que utiliza como metodologia o autocuidado apoiado. Este pode ser norteado pela Técnica do 5 A’s (avaliação, aconselhamento, acordo, assistência e acompanhamento) e valoriza o indivíduo como participante ativo nas suas demandas de saúde, planejamento e execução do seu plano de cuidados junto à equipe de saúde e familiares. Objetivo: Analisar ações de equipes da Estratégia Saúde da Família na perspectiva de autocuidado apoiado à criança/adolescente com doença crônica e suas famílias. Métodos: Estudo qualitativo, exploratório-descritivo, realizado entre abril e agosto de 2016, em Unidades de Saúde da Família de João Pessoa-PB. Participaram trabalhadores de saúde que atendiam crianças/adolescentes com doenças crônicas e suas famílias adscritos nas unidades sorteadas. A coleta de dados deu-se por entrevista semiestruturada e a interpretação seguiu a Análise Temática. O estudo foi aprovado sob protocolo nº 054/14 e CAAE: 27102214.6.0000.5188. Resultados: As intervenções relatadas eram episódicas e não unânimes entre os entrevistados e incluíram: avaliação das barreiras para o autocuidado e do estado emocional do indivíduo; fornecimento de informações sobre sinais, sintomas e tratamento da doença; estímulo da busca por recursos da comunidade que auxiliassem nesse processo; assistência de saúde específicas à formação profissional dos entrevistados; acompanhamento mediante visita domiciliar, consultas de rotina e estreitamento dos laços com a tecnologia móvel. Considerações finais: Os trabalhadores de saúde desenvolvem intervenções fragmentadas de autocuidado apoiado, pois nenhum contemplou todos os pilares dos 5 A’s ao mesmo indivíduo ou família. Esse modo de prestar cuidado pode comprometer o controle da doença e refletir na transferência da responsabilidade profissional, gerando lacunas na linha de cuidado.
  • GEANE SILVA OLIVEIRA
  • O SUS É UNIVERSAL? Uma análise a partir da visão de profissionais de saúde e usuários LGBT
  • Data: 10/04/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Universalidade é um princípio doutrinário que garante a população o acesso aos serviços de saúde, livre de qualquer tipo de desigualdade social, privilégio ou preconceito. Objetivo: compreender como ocorre o acesso da população de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis/Transexuais (LGBT) aos serviços de saúde da Estratégia Saúde da Família (ESF), na ótica dos profissionais da equipe e pessoas da população LGBT. Método: Trata-se de um estudo de campo, exploratório, descritivo, de abordagem mista, desenvolvido na cidade de Cajazeiras-PB, em 18 Unidades de Saúde da Família (USF) da zona urbana e na sede da Associação/Movimento LGBT. A população constituiu-se por 300 participantes. A amostra foi composta por 108 pessoas, 54 profissionais da ESF e 54 usuários (as) LGBT que se enquadraram nos critérios de inclusão e exclusão. A coleta aconteceu de março a junho de 2016, sendo aplicada uma entrevista semiestruturada e a Técnica de Associação Livre de Palavras (TALP). Os dados empíricos foram processados pelo software IRAMUTEQ® e a análise ocorreu por meio da análise de conteúdo modalidade temática de Bardin. Atendendo aos princípios éticos da Resolução 466/2012, este estudo foi submetido ao Comitê de Ética e Pesquisa, protocolo 1.382.819/CAEE 52011315.3.0000.5180. Resultados/discussão: apontam a formação de quatro categorias temáticas dos profissionais e seis dos usuários (as). Quanto aos profissionais a primeira categoria chamada Igualdade no cuidado à pessoa LGBT percebe-se a pessoa LGBT como ser humano normal merecedor de cuidados igualitários no SUS; na segunda categoria Receio da população LGBT na procura pelo serviço de saúde, aponta-se que o receio é devido ao medo de expressar a identidade sexual; na terceira categoria Preconceito e restrição no acesso do usuário LGBT à saúde, enxerga-se o preconceito nos espaços de saúde e restrição no aceso e na quarta categoria Direito ao acesso da pessoa LGBT ao serviço de saúde, demostra-se conhecer as conquistas alcançadas pelo LGBT e a tentativa no direito ao acesso. Quanto aos usuários(as), a primeira categoria nomeada Homofobia nos serviços de saúde, revela-se que o acesso restrito é devido a homofobia dos profissionais; na segunda categoria Necessidade de humanização e sigilo profissional, veem-se à falta de sensibilização e à quebra de sigilo nas consultas; a terceira Identificar a orientação sexual: há necessidade?, a população tem acesso ao serviço de saúde sem dificuldades desde que não relate sua orientação sexual; na quarta categoria Política Nacional LGBT e saúde, apontam a existência da PNSILGBT sendo frágil a sua aplicabilidade; a quinta categoria Constrangimento na busca pela saúde, mostra a formação de barreiras entre profissionais-usuários(as) afastando-os temporariamente das UBSF; na última categoria Estigma e acesso, observa-se que o estigma bloqueia o acesso a saúde. Conclusão: espera-se aumentar a oferta de saúde e acesso dessa população nos espaços da ESF, levando em consideração os princípios do SUS fomentada a partir da ressignificação do processo de trabalho da equipe e empoderamento do LGBT mediante os direitos voltados a saúde.
  • ADRIANA LIRA RUFINO DE LUCENA
  • Prevalência de Atitudes e Atividades de Autocuidado em Idosos Diabéticos.
  • Data: 07/04/2017
  • Hora: 14:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O diabetes mellitus é um distúrbio metabólico que, para manter o controle, necessita da realização de atividades de autocuidado. Objetivo: analisar a relação de atitudes e atividades para o autocuidado em idosos com diabetes mellitus no município de João Pessoa-PB. Metodologia: estudo transversal, quantitativo, realizado em Unidades Básica de Saúde, com 153 idosos diabéticos. A coleta de dados ocorreu entre junho e julho de 2016. Realizou-se a análise estatística descritiva, cálculos de frequências absolutas e percentuais, bem como medidas de tendência central e de dispersão. Foram feitos testes de comparação de médias, considerando um intervalo de confiança de 95%, nível de significância fixado em p<0,05. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal da Paraíba, conforme o CAAE 54402216.4.0000.5188. Resultados: os dados sociodemográficos revelaram que 89 (58,2%) idosos tinham entre 60 e 69 anos, 116 (75,8%), do sexo feminino, 85 (55,6%) casadas, 96 (62,7%) sem escolaridade, 147 (96,1%) aposentadas, 81 (52,9%) tempo de diagnóstico 8 anos, 93 (60,8%) apresentam patologias associadas e 121 (79,1%) sem complicações. Nos escores do ATT-19 houve variação de 43 a 76 pontos e escore total médio de 57,87. As características clínicas evidenciaram diferença estatisticamente significativa em relação ao escore médio do ATT-19 e patologias associadas (p<0,002). Quanto ao escore total obtido no ATT-19 e a pontuação média de cada questão do questionário QAD, foi evidenciada a associação entre orientação alimentar (p=0,097) e tomar os medicamentos, conforme o recomendado (p=0,063), número indicado de comprimidos do diabetes (p=0,105) e ingestão de doces (p<0,003). Conclusão: o estudo permitiu refletir sobre a importância de investigar nos idosos diabéticos as práticas de autocuidado desenvolvidas para o enfretamento da doença, e, a partir daí, buscar estratégias que venham atender as necessidades clínicas e emocionais.
  • ELIANE CRISTINA DA SILVA BUCK
  • Cuidados paliativos à criança com doença crônica: um estudo com enfermeiras assistenciais à luz da Teoria do Cuidado Humano.
  • Data: 06/04/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Dentro dos cuidados paliativos pediátricos, o cuidado de enfermagem deve ser provido de maneira integral utilizando, para tanto, estratégias que favoreçam a qualidade de vida e o bem-estar da criança com doença crônica e de sua família. Objetivo: Averiguar as estratégias utilizadas por enfermeiros assistenciais para promoção de cuidados paliativos direcionados à criança com doença crônica, à luz da Teoria do Cuidado Humano. Metodologia: Estudo exploratório com abordagem qualitativa, cuja amostra correspondeu a doze enfermeiras. O cenário de investigação foi dois hospitais de referência em pediatria no estado da Paraíba. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do HULW sob protocolo nº 1.268.255 e CAAE nº 48333415.3.0000.5183. A coleta de dados ocorreu entre os meses de outubro de 2015 e janeiro de 2016 por meio de entrevista semiestruturada. O material empírico foi analisado mediante técnica de Análise Categorial de Conteúdo. Resultados: Por meio de indicadores bibliométricos foi possível visualizar a crescente disseminação de estudos sobre a Teoria do Cuidado Humano, os quais predominaram artigos originais publicados em periódicos nacionais entre os anos de 2010 e 2011. A categorização dos dados permitiu evidenciar que a bondade amorosa nas ações de cuidado do enfermeiro, bem como o cuidado espiritual e a fé são concebidos pelas participantes como importantes estratégias para a promoção dos cuidados paliativos a criança com doença crônica e que a satisfação que as enfermeiras sentem ao prover o cuidado funciona como um fator motivador para a melhoria da qualidade da assistência de enfermagem. Conclusão: As enfermeiras demonstraram que compreendem a importância dos cuidados paliativos à criança com doença crônica, principalmente no que se refere a seus aspectos subjetivos e por isso lançam mão de estratégias de cuidado pautadas na bondade amorosa, no cuidado espiritual e na fé. Este estudo abre novos horizontes acerca dos cuidados paliativos pediátricos e demonstra a viabilidade da adoção da Teoria do Cuidado Humano na prática assistencial do enfermeiro.
  • MÁRCIA CRISTINA DE FIGUEIRÊDO SANTOS
  • Proposta de Subconjunto Terminológico da CIPE® para a mulher idosa com vulnerabilidade relacionada ao HIV/Aids
  • Data: 05/04/2017
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Mudanças epidemiológicas com relação ao HIV/Aids são caracterizadas pelo envelhecimento, heterossexualização e feminização da epidemia. Fatores de vulnerabilidade individuais, sociais e programáticos configuram necessidades de assistência de enfermagem a mulheres idosas. A Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) favorece essa atuação por meio de subconjuntos terminológicos, sendo necessária a sua estruturação com base num referencial teórico a ser selecionado que, neste estudo, foi a teoria do autocuidado de Orem. Objetivo: Estruturar uma proposta de subconjunto terminológico da CIPE® para mulheres idosas com vulnerabilidade ao HIV/Aids. Método: Estudo do tipo metodológico, desenvolvido nas etapas de validação de diagnósticos/resultados de enfermagem, suas definições operacionais e de intervenções de enfermagem; e estruturação de um subconjunto terminológico da CIPE® com base na teoria do autocuidado de Orem e no quadro conceitual de vulnerabilidade de Ayres. Resultados: Estruturou-se uma proposta de subconjunto terminológico da CIPE® contendo mensagem aos leitores, importância para a enfermagem, inserção da enfermagem no modelo teórico do estudo e a lista com 53 diagnósticos/resultados de enfermagem e 218 intervenções de enfermagem, ambos classificados no quadro conceitual de vulnerabilidade de Ayres e na teoria geral do autocuidado de Orem, precisamente nos requisitos de autocuidado e na teoria dos sistemas de enfermagem. Conclusão: A proposta de subconjunto terminológico estruturada expõe as demandas de autocuidado relacionadas aos diversos contextos de vulnerabilidade da mulher idosa ao HIV/Aids, permite uma atuação profissional sistematizada e baseada em condições identificáveis e sinaliza para a necessidade de atuação de enfermagem, na prevenção e enfrentamento da infecção, como meio de promoção do autocuidado.
  • ANA KARENINA DE FREITAS JORDAO DO AMARAL
  • VIOLÊNCIA E MAUS TRATOS CONTRA PESSOA IDOSA: um estudo de representações sociais construídas por jovens, adultos e idosos.
  • Data: 30/03/2017
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A violência contra a pessoa idosa é considerada um problema de saúde pública, tanto pela magnitude quanto pelo impacto: político, social, econômico e cultural, capazes de influenciar negativamente na qualidade de vida, interferindo para uma vida saudável e plena. Constitui-se em um importante objeto de investigação nos prismas social e acadêmico e seus achados podem contribuir para adoção de práticas de saúde e ações protetivas contextualizadas socialmente, considerando dimensões psicossociais e culturais para atender necessidades singulares de grupos específicos. Objetivos: Investigar a produção cientifica sobre a Teoria de Representações Sociais no envelhecimento; analisar as representações sociais sobre violência e maus tratos contra as pessoas idosas construídas por jovens, adultos e idosos; identificar o conhecimento sobre violência de jovens, adultos e idosos centrado no Modelo Ecológico de Violência segundo a OMS. Método: Estudo exploratório de abordagem mista, realizado com 150 participantes, de ambos os sexos, escolhidos aleatoriamente, no municipio de João Pessoa/Paraíba/Brasil, de março a setembro/2015. Os dados empíricos originaram-se de uma entrevista semiestruturada contemplando três partes: a primeira, compreendeu o Teste de Associação Livre de Palavras com os termos indutores “violência contra pessoa idosa” e “maus tratos contra a pessoa idosa”; a segunda, trata de questões abordadas no Modelo Ecológico preconizado pela OMS sobre tipos de violência e, a terceira parte, contempla os dados sociodemográficos. Os dados coletados foram organizados em dois corpus segundo cada estimulo e processados com auxílio do software IRaMuTeQ® e o banco aos dados sociodemográficos foram processados pelo SPSS 20.0. Resultados e Discussão: Esta pesquisa originou três artigos: o primeiro contempla uma revisão bibliométrica sobre produção científica da Teoria de Representações Sociais no contexto do envelhecimento em que se evidenciou maior produção de autores do Nordeste, demonstrando aumento de publicações em 2011; o segundo artigo trata das representações sociais sobre violência e maus tratos contra a pessoa idosa por jovens, adultos e idosos em que os resultados apontam conteúdos sóciocognitivos sobre violência definidas a partir de três classes: descrições sobre atos criminosos; motivações para violência e tipos de violência; os conteúdos sociocognitivos para maus tratos são definidos em duas classes: vulnerabilidade aos maus tratos e descrições sobre maus tratos familiares; o terceiro estudo descreve os tipos de violência segundo oModelo Ecológico relacionando-os com as variáveis sociodemográficas e os fatores de risco àviolência descritos pela OMS sugestivas de maior compreensão por parte dos idosos sobre os tipos de violência. Conclusões: Publicações investigadas na bibliometria indicam que a dependência de outra pessoa no desempenho das atividades diárias interfere na qualidade de vida; aponta representações sociais dos participantes do estudo como importantes pistas na identificação das debilidades/vulnerabilidades vivenciadas pelos idosos. A partir das RS construídas pelos participantes dos três grupos, constatou-se que jovens evocaram diferentes tipos de violência, conscientes de que não é apenas física; adultos evocaram conteúdos relacionados às contravenções associadas à violência contra idoso descrevem como uma pessoa frágil e indefesa, enquanto os idosos demonstram um conhecimento mais amplo do ponto de vista psicológico ao relatarem a falta de amor e o desrespeito após anos de dedicação à família. O tema da violência necessita transformações nos níveis da saúde, justiça criminal, bem-estar social, corroborando as premissas do Modelo Ecológico.
  • RAQUEL JANYNE DE LIMA
  • Resiliência em indivíduos com sequelas de Acidente Vascular Encefálico
  • Data: 23/03/2017
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As sequelas decorrentes do Acidente Vascular Encefálico ocasionam diversas limitações na funcionalidade, afetando o bem-estar biopsicossocial dos indivíduos, pois muitos se sentem inúteis por depender de outrem para a realização de atividades cotidianas. Familiares e profissionais devem fornecer apoio emocional, incentivando comportamentos que estimulem a resiliência para assim ser possível um melhor enfrentamento desta nova condição. Objetivo: Avaliar os níveis de resiliência de indivíduos que possuem sequelas de Acidente Vascular Encefálico no município de João Pessoa/PB. Método: Estudo exploratório, descritivo, transversal e quantitativo, realizado com 108 indivíduos com sequelas de Acidente Vascular Encefálico cadastrados nas Unidades de Saúde da Família do município. Os instrumentos foram: instrumento sociodemográfico e de saúde, Escala de Resiliência, Índice de Barthel e Escala de Apoio Social. Os dados foram analisados pelo Statistical Package for Social Science versão 22.0. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal da Paraíba sob o protocolo nº 0641/15 e CAEE: 51438115.9.0000.5188. Todos os aspectos éticos do Conselho Nacional de Saúde foram atendidos. Resultados: Observou-se prevalência de indivíduos com idade entre 66-80 anos ou mais, do sexo feminino, que moravam com familiares, possuíam cuidador e recebiam até 880 reais como renda mensal individual. A maioria apresentou resiliência moderada, seguido de baixa e alta. Houve predomínio de indivíduos dependentes leves, seguido de dependentes moderados para a realização das atividades diárias. A maioria dos participantes desta pesquisa apresentou apoio social satisfatório. Houve correlação significativa entre resiliência e: estado de saúde autorreferido, capacidade funcional e apoio social. Conclusão: Espera-se que esta pesquisa traga contribuições para os profissionais que atuam diretamente com vítimas de Acidente Vascular Encefálico, para que estas recebam uma assistência condizente com suas reais necessidades e especificidades, e com estímulos a comportamentos resilientes, principalmente na Estratégia de Saúde da Família.
  • MAYARA MUNIZ PEIXOTO RODRIGUES
  • FATORES DE RISCO RELACIONADOS ÀS QUEDAS EM IDOSOS RESIDENTES NA COMUNIDADE
  • Data: 21/03/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento é caracterizado por um processo progressivo e gradual tendo como consequência alterações morfológicas, fisiológicas, bioquímicas e psicológicas com aumento de doenças crônico-degenerativas e risco de quedas. Objetivo: analisar o risco de quedas em idosos residentes na comunidade com a finalidade de compreender suas necessidades e direcionar as ações de Enfermagem na prática assistencial. Método: estudo descritivo, de corte transversal e abordagem quantitativa desenvolvido durante o período de junho a setembro de 2016 em um município da região nordeste do Brasil envolvendo 221 idosos residentes na comunidade com utilização de instrumentos estruturados. Realizou-se uma análise exploratória, análise de associação entre as variáveis, cálculo de sensibilidade e especificidade da Fall Risk Score, e sua associação com os fatores de risco. Estudo aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa, protocolo nº 0660/15 e CAAE:51441815.1.0000.5188. Resultados: Houve prevalência de idosos entre 60 a 79 anos, sexo feminino; casados, morando acompanhados, 1 a 4 anos de escolaridade, renda individual mensal de até 1 salário mínimo proveniente da aposentadoria, e 3 a 5 comorbidades autorreferidas. Quanto ao risco de quedas, destacou-se a pontuação da Fall Risk Score, medicamento antiparkinsoniano, hipoglicemia, deficiência auditiva, medicamento diurético, dor, incontinência urinária, sintomas neurológicos e medicamento antidepressivo. Em relação à Fall Risk Score obteve-se uma acurácia de 77,7%, sensibilidade de 75% e especificidade de 66%, considerando-se o três como melhor ponto de corte para o alto risco de quedas. Indivíduos com hipertensão arterial sistêmica, cardiopatia, câncer, catarata ou glaucoma, reumatismo, artrite ou artrose, problema de memória, diabetes mellitus, osteoporose e problema de coluna apresentaram associação com o alto risco de quedas pela Fall Risk Score. Conclusão: Evidenciou-se a importância de estabelecer ações individuais e coletivas para a prevenção e promoção da saúde dos idosos frente aos riscos encontrados. É importante que a equipe de enfermagem conheça e se prepare para a atuação diante dos fatores de risco de quedas mais relevante entre os idosos, pois permite um melhor planejamento de cuidados direcionado para as reais necessidades dessa população.
  • ANA CAROLINA REGIS DA CUNHA
  • VALIDAÇÃO DA NOMENCLATURA DE DIAGNÓSTICOS, RESULTADOS E INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM PARA A CLÍNICA CIRÚRGICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UFPB
  • Data: 20/03/2017
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A validação da nomenclatura da clínica cirúrgica com a CIPE® é uma etapa decisiva para que possa ser analisada a efetividade desta ferramenta na prática clínica de enfermagem. Objetivo: Realizar a validação de conteúdo e clínica da Nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem para clientes hospitalizados na clínica cirúrgica de um hospital escola. Método: Trata-se de um estudo metodológico com abordagem integrada quantitativa e qualitativa, em que foi realizada a validação de conteúdo e validação clínica dos conceitos de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem para a clínica cirúrgica de um hospital escola. Esta pesquisa foi submetida à apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa recebendo o CAAE 43249415.0.0000.5183. Resultados: Os 67 diagnósticos de enfermagem da nomenclatura para a clínica cirúrgica foram mapeados com os conceitos diagnósticos da CIPE® 2015, obtendo-se 19 conceitos constantes e 48 conceitos não constantes, em seguida, foi realizada a validação de conteúdo das definições operacionais dos diagnósticos de enfermagem por 8 profissionais, obtendo-se 46 validadas e 21 não validadas. Na validação clínica, foram realizados 25 estudos de caso com clientes hospitalizados durante o período de julho a outubro de 2016. Foram elencados 149 diagnósticos de enfermagem para os 25 estudos de caso, distribuídos em 29 conceitos diagnósticos de enfermagem. Os diagnósticos de enfermagem mais frequentes foram: Dor, Sono prejudicado, Risco de infecção, Integridade da pele prejudicada e Ansiedade. Foram elencadas 330 intervenções de enfermagem para os 25 estudos de caso, quando retiradas as repetições restaram 72 intervenções de enfermagem. Conclusão: A validação de conteúdo aprimora a nomenclatura, atualizando seu conteúdo e promovendo a facilidade na utilização e a validação clínica traz a vivência da rotina da clínica cirúrgica, operacionalizando a nomenclatura e verificando a sua utilidade para a prática assistencial.
  • TATYANNI PEIXOTO RODRIGUES
  • TECNOLOGIA ASSISTIVA POR IDOSOS ATENDIDOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE
  • Data: 24/02/2017
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Tecnologia Assistiva no contexto do envelhecimento é um termo pouco usado no Brasil, que abrange uma gama de recursos e serviços utilizados para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoa com deficiência e/ou idosa, na promoção da qualidade de vida e/ou para um envelhecimento ativo, com independência e inclusão social. Objetivos: identificar o conhecimento produzido na literatura científica acerca de contribuições da Tecnologia Assistiva para manutenção da funcionalidade do idoso; conhecer a percepção de pessoas idosas sobre a Tecnologia Assistiva; identificar a Tecnologia Assistiva utilizada por idosos de dois municípios paraibanos. Método: pesquisa exploratória com abordagem mista, realizada em dois municípios paraibanos: idosos atendidos nas Unidades de Saúde da Família, em João Pessoa/PB e idosos participantes de Grupos de Convivência no município de Cajazeiras/PB. Participaram do estudo 393 idosos, de ambos os sexos. A coleta de dados foi realizada em duas etapas: a primeira contou com participação de 225 idosos, em 2011 e, na segunda etapa contou com 168 idosos em 2014, a partir de uma entrevista semiestruturada contemplando o Teste da Associação Livre de Palavras, com o termo indutor: “tecnologia assistiva” e os dados sociodemográficos. Os dados coletados foram analisados utilizando-se a Técnica de Análide de Conteúdo Temática Categorial subsidiada em Bardin (2013) e a Análise Textual com o auxilio do software IRaMuTeQ (Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires), versão 0.7 alpha 2. A pesquisa atendeu às orientações éticas e legais contempladas nas Resoluções 196/96 e 466/12, do CNS/MS. Resultados e Discussão: os dados coletados nas duas etapas desta pesquisa originaram três artigos apresentados nos resultados e discussão. O primeiro artigo: Influência da Tecnologia Assistiva para manutenção da funcionalidade da pessoa idosa: Revisão Integrativa, em que se evidenciou a importância da produção de conhecimento sobre Tecnologia Assistiva um tema pouco explorado no âmbito do envelhecimento; segundo artigo: Percepção de idosos atendidos em unidades de saúde da família sobre Tecnologia Assistiva. Observa-se que os idosos conhecem a TA e descrevem alguns tipos mais conhecidos, assim como percebem a importância da TA na qualidade de vida da pessoa idosa e o terceiro artigo: Tecnologia Assistiva utilizada por idosos em dois municípios paraibanos. Observa-se que os idosos dos dois municípios utilizam Tecnologia Assistiva embora de forma muito incipiente uma vez que no âmbito das politicas públicas e de saúde há necessidade de maior investimento à pessoa idosa. Considerações finais: observou-se que a TA é percebida pelos idosos com ênfase nos recursos. Quanto ao uso da TA pelos participantes, os dois municípios apontaram a utilização tanto de serviços quanto de recursos nas atividades da vida diária para melhorar a qualidade de vida, promoção inclusão, da pessoa idosa, em especial, os idosos com doenças crônicas. Ressalta-se a necessidade de mais estudos e pesquisas com Tecnologia Assistiva, em particular, na Saúde e Enfermagem Gerontológica no cuidado à pessoa idosa, pelos benefícios que o uso da Tecnologia Assistiva resulta na qualidade de vida.
  • DAIANE MEDEIROS DA SILVA
  • COORDENAÇÃO DO CUIDADO AOS CASOS DE TUBERCULOSE: ANÁLISE SEGUNDO OS ELEMENTOS DO CHRONIC CARE MODEL
  • Data: 23/02/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Ao reconhecer a tuberculose (TB) como condição crônica, requisita-se um cuidado coordenado entre os diferentes pontos da Rede de Atenção à Saúde, com um sistema de atenção à saúde capaz de dar reposta às necessidades e expectativas das pessoas acometidas pela doença. Objetivo: analisar, segundo os elementos do Chronic Care Model, a coordenação do cuidado aos casos de tuberculose nos serviços de Atenção Primária à Saúde (APS). Método: estudo descritivo realizado de maneira transversal, quantitativo, que envolveu 83 profissionais da Estratégia Saúde da Família de João Pessoa- PB. Para coleta de dados, utilizou-se um instrumento estruturado, adaptado para atenção à TB, que contemplava as dimensões: organização da atenção à TB; autocuidado apoiado; suporte à decisão; desenho do sistema de prestação de serviços; sistemas de informação clínica; e articulação com a comunidade. Pela técnica de estatística descritiva, foram construídos indicadores, analisados segundo valores obtidos por cada variável e pela classificação do município em cada dimensão (limitada, básica, razoável e ótima), utilizando-se média ( ̅ e desvio-padrão (dp). A pesquisa foi aprovada sob CAAE 18257113.2.0000.5188. Resultados: a organização da atenção à TB classificou-se com capacidade razoável ( ̅ 8,0; dp=1,8). As suas variáveis, “estratégias para melhoria da atenção à TB” ( ̅=7,8), “estratégias para que a APS seja o local para o tratamento da TB” ( ̅=7,7), e “benefícios e incentivos aos usuários com TB” ( ̅=7,5), apesar da capacidade razoável, obtiveram médias inferiores ao município. O autocuidado apoiado classificou-se com capacidade razoável ( ̅=8,2; dp=1,6). Nesta dimensão, o indicador “intervenções de mudança de comportamento de usuários com TB” atingiu média ( ̅ ) inferior ao município. O suporte a decisão atingiu capacidade básica ( ̅=5,8, dp=1,7), sendo que “envolvimento de especialistas no cuidado à TB” foi limitado. O desenho do sistema de prestação de serviços apresentou capacidade razoável ( ̅=6,6, dp=1,5). Já os seus itens, o “sistema de agendamento para o tratamento da TB” ( ̅=5,9), o “monitoramento da situação da TB na comunidade” ( ̅=5,9) e a “continuidade do cuidado ao usuário com TB” ( ̅=5,7) foram classificados com capacidade básica. O sistema de informação clínica foi classificado com capacidade razoável ( ̅=6,5; dp=1,6). Apenas a variável “retorno de informações” ( ̅=5,8) recebeu a classificação básica nessa dimensão. A articulação com a comunidade no município obteve capacidade básica ̅=4,1; dp=2,0) e apenas o indicador “participação do agente comunitário de saúde” apresentou capacidade ótima ( ̅=9,1). Para o item “programas comunitários (ONG, centros comunitários, igrejas, pastorais) a capacidade foi limitada. Conclusão: a capacidade dos serviços da APS para a coordenação do cuidado aos casos de TB, segundo os elementos do Chronic Care Model, ainda é limitada. Superar a fragmentação do cuidado e priorizar um funcionamento sistêmico entre ações e serviços da rede de atenção à saúde é ainda um grande desafio.
2016
Descrição
  • LEILA DE CASSIA TAVARES DA FONSECA
  • Síndrome de Burnout e Qualidade de Vida: estudo com professores universitários da área de saúde
  • Data: 15/12/2016
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome de Burnout (SB) é um fenômeno psicossocial desencadeado pelo exercício do trabalho, que gera estresse permanente no indivíduo, proveniente de uma constante e repetitiva pressão emocional relacionada às atividades cotidianas, principalmente em profissionais que trabalham em contato direto com as pessoas. A SB é considerada um sério problema de Saúde Pública e a profissão docente constitui uma categoria de risco, por apresentar forte incidência de elementos que conduzem à síndrome, que se caracteriza por quatro dimensões: ilusão pelo trabalho; desgaste psíquico; indolência e culpa. A qualidade de vida, por sua vez, agrega aspectos que estão associados ao próprio ambiente, condições e organização do trabalho. Por isso, a importância de estudar a sua associação com a SB. Objetivos: analisar a associação da Síndrome de Burnout e a Qualidade de Vida em professores universitários da área de saúde; caracterizar as condições sociais, demográficas e profissionais de professores universitários da área da saúde; investigar as dimensões da Síndrome de Burnout, segundo o CESQT, em professores universitários da área de saúde; verificar como os professores universitários percebem a qualidade de vida, segundo o WHOWOL-bref; investigar como os professores universitários participantes do estudo são afetados pela Síndrome de Burnout. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa causal, com abordagem quantitativa, realizada com 178 docentes do Centro de Ciências da Saúde (CCS) e 105 do Centro de Ciências Médicas (CCM), cuja amostra foi obtida pela técnica de amostragem estratificada com alocação proporcional e a coleta realizada através da técnica de amostragem aleatória por acessibilidade. Para tanto, foram utilizados questionários validados no Brasil: Questionário para identificação da Síndrome de Burnout – “Cuestionario para la Evolución del Síndrome de Quemarse por el trabajo -CESQT-PE” e o Questionário sobre Qualidade de Vida – WHOQOL-bref. Para a análise dos dados, seguiram-se as recomendações descritas nos manuais dos instrumentos. Dessa forma, foi realizado o teste de associação (qui-quadrado) entre as dimensões de burnout e os domínios de qualidade de vida. Resultados: foram encontrados 46 (25,8%) indivíduos com sintomas de burnout no CCS e 33 (31,4%) no CCM. Em geral, os professores do CCS têm a percepção quanto à qualidade de vida classificada como boa, ao passo que os docentes do CCM a classificaram como regular. Além disso, as dimensões ilusão pelo trabalho e culpa apresentaram associação significativa com os componentes para qualidade de vida, demonstrando, assim, a forte influência desta na composição dos sintomas da síndrome. Conclusão: a SB constitui um problema entre os docentes universitários da área de saúde e interfere na qualidade de vida desses profissionais. Recomenda-se repensar a forma de organização do trabalho docente com vistas à prevenção deste fenômeno que pode afetar a saúde física, mental e social dos indivíduos, trazendo consequências negativas para a instituição quanto ao processo educacional.
  • JANAÍNA VON SOHSTEN TRIGUEIRO
  • RETARDO DO DIAGNÓSTICO DA TUBERCULOSE EM PESSOAS IDOSAS: DISCURSOS DE ENFERMEIROS ASSISTENCIAIS
  • Data: 12/12/2016
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A permanência da tuberculose (TB) é contínua, sendo a detecção precoce dos casos essencial para o alcance exitoso do seu controle. Contudo, nota-se que a falta de agilidade no diagnóstico se sobressai como um dos grandes desafios da gestão bem como dos trabalhadores de saúde na redução da incidência da doença no Brasil. Dentre as demandas mais vulneráveis, é imperativo pensar nos usuários idosos, pois a diversidade de fatores que lhes são inerentes é ainda mais importante ser considerada, já que o problema do retardo ao diagnóstico se agrava quando associado aos doentes em idades mais avançadas. Objetivo: Analisar as causas do retardo do diagnóstico da TB em pessoas idosas a partir dos efeitos de sentidos contidos nos discursos dos enfermeiros assistenciais de João Pessoa-PB. Método: Estudo qualitativo que teve como aporte teórico-metodológico a Análise de Discurso de vertente francesa, debruçando-se no princípio da integralidade e no pensamento da Alteridade levinasiana. Realizado entre os meses de outubro de 2015 a fevereiro de 2016, teve como colaboradores 17 enfermeiros assistenciais atuantes na Estratégia de Saúde da Família do município de João Pessoa-PB e no Complexo Hospitalar Clementino Fraga. O projeto foi submetido e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba sob o nº de protocolo 0461/13 e CAAE nº 15845613.1.0000.5188. Resultados: Os efeitos de sentidos mobilizados explicitaram quanto ao cuidado integral, que o modelo biomédico predomina, porém há a tentativa de quebra da sua hegemonia, a partir de ações humanizadas. Em relação às causas do atraso do diagnóstico da TB nos idosos, os sujeitos evidenciaram uma diversidade de fatores que influenciam direta e indiretamente na morosidade diagnóstica. Dentre eles, destacaram-se as questões biológicas do idoso, o preconceito sócio-histórico da doença e as fragilidades do processo de trabalho desenvolvido nos três níveis de atenção à saúde. Conclusão: Baseando-se na pluralidade de sentidos que envolvem o idoso com TB bem como na sua subjetividade inesgotável, é imperativo que a RAS oferte dispositivos estruturais e processuais a fim de atender a diversidade de necessidades que lhes são peculiares. O cuidado deve ser simultaneamente, individual e coletivo, tendo como pilar a união da integralidade e a Alteridade.
  • ISABELLE CRISTINNE PINTO COSTA
  • Assédio moral no trabalho e a vulnerabilidade de profissionais da saúde: construção e validação de instrumento
  • Data: 09/12/2016
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O assédio moral é uma temática que vem sendo bastante discutida nas últimas décadas, incorporando-se aos estudos da área de saúde do trabalhador, sendo, portanto, objeto de crescente preocupação mundial, por parte de trabalhadores, empregadores e também da comunidade científica. Objetivo: Construir um instrumento para identificação da vulnerabilidade de profissionais de saúde no contexto hospitalar para a ocorrência da prática do assédio moral; e validar o instrumento proposto para a identificação da vulnerabilidade de profissionais da saúde. Percurso Metodológico: Pesquisa metodológica, realizada em oito etapas: especificação do domínio do construto; atividades de geração de itens e validação de face e conteúdo; decisões sobre as respostas; construção do instrumento de pesquisa; primeira amostragem; procedimentos de limpeza da escala; análise de validade e confiabilidade da escala final; desenvolvimento de normas e recomendações de uso e interpretações. O período de coleta de dados para o processo de validação de conteúdo do instrumento ocorreu entre março e abril de 2016. Para este processo, participaram 13 pesquisadores experts sobre assédio moral. No que diz respeito a validação do referido instrumento, que ocorreu no mês de outubro, a amostra foi constituída por 84 profissionais de saúde que trabalham nas unidades de terapia intensiva do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW). Resultados: A construção do instrumento seguiu as etapas recomendadas na literatura. Não ocorreram mudanças significativas no conteúdo dos itens pertencentes às dimensões: relação entre o trabalhador e profissionais no ambiente de trabalho; pressão no trabalho pelo chefe imediato e profissionais; e condições de trabalho; indicando maior apropriação dos conceitos que elas representam. O instrumento composto por 42 itens obteve IVC total de 0,94. Este estudo realizou também a verificação da consistência interna do instrumento por parte dos experts em relação aos itens domínio; compreensão e clareza; pertinência conceitual; formato e apresentação. A validade de conteúdo do instrumento proposto foi realizada por 13 experts que possuem experiência em assédio moral. Os itens com Índice de Validade de Conteúdo (IVC) ≥ a 0,8 foram mantidos na íntegra ou sofreram revisões conforme sugestões dos experts. Pôde-se realizar, também, a verificação do nível de confiabilidade do instrumento, 10 por meio da coerência interna, que foi testada através do alfa de Cronbach, constatando que os itens relacionados ao domínio, à compreensão e clareza, o instrumento obteve maiores que 0,7, classificados com confiabilidade alta. Quanto à validação do instrumento, foi finalizado compondo-se de 42 itens distribuídos por três dimensões, que na análise da consistência interna ou medida de fidedignidade com a amostra (n=84) apresentou alpha de Cronbach de 0,930, sendo este valor classificado como excelente. Conclusões: O instrumento apresentou índice de validade de conteúdo satisfatório e pode ser utilizado para identificar a vulnerabilidade de profissionais de saúde quanto à prática de assédio moral no ambiente de trabalho. Espera-se que a validação do instrumento proposto possa subsidiar novas investigações no campo do assédio moral, sobretudo, na área de Saúde.
  • ANA MÁRCIA NÓBREGA DANTAS
  • VALIDAÇÃO DA NOMENCLATURA DE DIAGNÓSTICOS, RESULTADOS E INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM PARA A CLÍNICA PEDIÁTRICA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UFPB
  • Data: 14/10/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Na Clínica Pediátrica do HULW/UFPB foi construída uma Nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem. Constando, 126 diagnósticos e resultados de enfermagem e 576 intervenções de enfermagem. Objetivo: Desenvolver definições operacionais para os diagnósticos de enfermagem contidos na Nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem para crianças de zero a cinco anos hospitalizadas na Clínica Pediátrica do HULW/UFPB e validar clinicamente os diagnósticos, os resultados e as intervenções de enfermagem para as crianças dessa faixa etária. Método: Pesquisa metodológica, desenvolvida em duas etapas:Definições operacionais dos enunciados de diagnósticos de enfermagem e Validação clínica dos diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem. Antes de sua execução, o projeto foi submetido à apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa do HULW/UFPB e recebeu o CAAE 43249415.0.0000.5183. Resultados: Na primeira etapa, foram elaboradas definições para os 126 diagnósticos de enfermagem, que foram submetidos à validação por consenso para confirmar a presença dos diagnósticos nas crianças de zero a cinco anos e se a definição apresentava os indicadores empíricos para sua identificação. Foram validados 70 diagnósticos, e 56 foram considerados não aplicáveis. Na segunda etapa, os diagnósticos, resultados e as intervenções de enfermagem foram validados clinicamente, por meio de seis de estudos de casos clínicos, utilizando as fases do processo de enfermagem, tendo como fundamentação teórica as Necessidades Humanas Básicas de Horta. Foram identificados 24,3% dos diagnósticos validados, e utilizadas 54,5% das intervenções de enfermagem constantes na Nomenclatura. Conclusão: O estudo mostrou a eficácia da Nomenclatura na Clínica Pediátrica do HULW/UFPB, por meio da validação de conteúdo e da validação clínica dos diagnósticos de enfermagem constantes, aprimorando o cuidar, permitindo a realização de uma assistência de qualidade.
  • LENILMA BENTO DE ARAUJO MENESES
  • Mapeamento Cruzado de Intervenções de Enfermagem para pacientes adultos e idosos hospitalizados com Diagnóstico de Risco de Integridade da Pele Prejudicada
  • Data: 31/08/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Com o Processo de Enfermagem, surgem Sistemas de Classificações da Prática de Enfermagem, iniciando-se pela Classificação de Diagnósticos de Enfermagem e, depois, Classificação das Intervenções de Enfermagem e Classificação dos Resultados de Enfermagem, o que se constitui um sistema abrangente de linguagem padronizada da prática de enfermagem. Objetivo: Analisar, por meio do mapeamento cruzado, intervenções/atividades de enfermagem, descritas por graduandos do Curso de Enfermagem, para o diagnóstico Risco de integridade da pele prejudicada de adultos e idosos hospitalizados, e correlacioná-las com as da Nursing Interventions Classification, conforme a ligação NANDA-I/NIC, 2007 – 2008; Identificar intervenções/atividades de enfermagem descritas por graduandos de Enfermagem, para o diagnóstico Risco de integridade da pele prejudicada de adultos e idosos hospitalizados; Fazer mapeamento cruzado das intervenções/atividades de enfermagem descritas por graduandos de Enfermagem para o diagnóstico Risco de integridade da pele prejudicada de adultos e idosos hospitalizados e compará-las com as da classificação; Validar o conteúdo das intervenções/atividades de enfermagem descritas por graduandos de Enfermagem para o diagnóstico risco de integridade da pele prejudicada de adultos e idosos hospitalizados por enfermeiros especialistas. Método: Estudo descritivo, de abordagem quantitativa, em que se utilizou o mapeamento cruzado, e realizado na Universidade Federal da Paraíba, com 25 estudantes de Enfermagem e 14 enfermeiras. Atendeu à Resolução 466/2012. A coleta de dados ocorreu em três etapas, e a análise foi feita com base na estatística descritiva. A tese encontra-se em formato de artigos. Resultados: Mapearam-se, com a Classificação das Intervenções de Enfermagem, 32 intervenções e 78 atividades de enfermagem nos domínios: Fisiológico complexo, fisiológico básico, comportamental e de Segurança. Das intervenções mapeadas, 24 estão na ligação, e oito, fora dela. Conclusões: Validaram-se 11 intervenções de enfermagem, como prioritárias, e 21, como sugeridas. Houve concentração nas intervenções prioritárias, com exceção de “Cuidados com o repouso no leito”, e destacaram-se as atividades de “Facilitação do autocuidado”. Conclui-se que é importante reforçar o ensino desse tema na formação em Enfermagem.
  • SIMONE ELIZABETH DUARTE COUTINHO
  • AVALIAÇÃO DA EFETIVIDADE DE SERVIÇOS DE ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE DA CRIANÇA EM DIFERENTES MODELOS ASSISTENCIAIS
  • Data: 30/08/2016
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A avaliação da efetividade em saúde, como uma associação do grau de orientação dos componentes estrutural e processual dos atributos na Atenção Primária à Saúde (APS) da criança aos resultados do estado de saúde da população infantil, identifica a adequação da prestação dos serviços na APS. No Brasil, diferentes modelos de APS coexistem nos diversos municípios, sejam através da Estratégia de Saúde da Família (ESF) ou da Unidade Básica de Saúde tradicional (UBS). Ao comparamos, na visão dos cuidadores de crianças, esses distintos cenários analisam-se as ações desenvolvidas para a resolutividade do cuidado das crianças. Objetivo: Avaliar os atributos da dimensão processual e estrutural da atenção primária na saúde da criança comparando aos resultados dos estados de saúde infantil nos serviços de saúde municipais. Método: Pesquisa avaliativa, transversal de abordagem quantitativa. Participaram da amostra total 875 familiares de crianças usuárias da USF de João Pessoa ou da UBS de Cascavel. A coleta de dados ocorreu entre 2012 a 2013, com levantamento sóciodemográficos das famílias e o Instrumento PCATool (Primary Care Assessment Tool) Brasil-versão criança. Os dados foram analisados usando o Excel e o SPSS versão 13. O perfil das famílias de crianças atendidas nos serviços foi por estatística descritiva de frequência, testes estatísticos comparativos e medidas descritivas dos escores essenciais e derivados para os atributos mensurados. Em todos os testes estatísticos, utilizou-se nível de significância alfa α=0,05 e para a avaliação de resultados significativos o uso de significância p-valor<0,05. Para a associação com o estado de saúde infantil usou-se a pesquisa documental de relatórios das Secretárias Municipais de Saúde. O estudo seguiu a Resolução nº 466/12 do Conselho Nacional de Saúde, com parecer favorável do CEP nº 044/2012 e CAAE nº 01295412.2.1001.0107. Resultados:Na avaliação dos atributos essenciais, os dois serviços de saúde municipais tiveram um escore médio superior ao esperado (6,6). Na análise conjunta de comparação do Escore Geral da APS, não foi apresentada diferença significativa entre os escores médios gerais, mas ambos os serviços da atenção básica tiveram o mesmo valor de escore (6,4).Correlacionou-se aos resultados dos indicadores referente ao estado de saúde infantil em relação à mortalidade, nascimentos, imunização, vigilância alimentar e nutricional e agravos de notificação obrigatória.Conclusão: Ao final da avaliação pode-se afirmar que os dois serviços de saúde tiveram como resultado uma orientação à APS nos atributos essenciais e, no escore geral da APS, apresentaram um desempenho insatisfatório. Este resultado de avaliação da orientação a APS, com o PCATool Brasil-versão criança, permitiu identificar as fragilidades e potencialidades dos dois modelos de atenção básica em saúde, e a correlação aos resultados dos indicadores de saúde possibilitou a avaliação dos serviços em saúde enquanto porta de entrada da rede de atenção em saúde, na perspectiva do cuidador da criança, numa relação com os resultados da gestão em saúde.
  • FLÁVIA MOURA DE MOURA
  • Vivências de crianças com diabetes
  • Data: 25/08/2016
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O diabetes pode comprometer sobremaneira a vida da criança. Objetivo: Analisar a vivência de crianças com diabetes mellitus tipo 1, em relação à doença e ao tratamento. Tese: O diabetes impõe à criança uma nova forma de viver, que requer adaptação constante. A maneira pela qual a criança vivencia a doença e o tratamento é singular, contudo, vários fatores podem interferir, positiva ou negativamente, no modo como cada uma atribui significado a essa vivência. Método: Estudo qualitativo, realizado no Ambulatório de Pediatria de um hospital público do estado da Paraíba, depois de ter sido provado pelo Comitê de Ética CAAE nº 33749514.3.00005183, com oito crianças com idades entre sete e onze anos, com diabetes mellitus tipo 1, no período de setembro de 2014 a julho de 2015. O material empírico foi construído por meio de entrevistas em profundidade, com o uso de recursos lúdicos, em encontros semanais, que duravam aproximadamente uma hora. Para analisar/interpretar os dados, recorreu-se ao referencial teórico adotado, com destaque para o conceito de vivência de Vygotsky. Foi possível apreender a problemática investigada com base nas seguintes categorias: ‘Vivências de crianças com diabetes quanto à doença e ao tratamento‟ e „Vivências de crianças com diabetes em diferentes contextos sociais‟. Resultados: Os resultados revelaram que, em uma mesma enfermidade, a vivência é singular para cada criança, pois vários fatores interferem, positiva ou negativamente, na forma como ela é interpretada. Foram identificados sentimentos negativos em relação à doença e ao tratamento, como tristeza, raiva, medo e incertezas, e diferentes formas de enfrentar as situações, como a normalidade, a conformação ou, inversamente, a revolta. Por meio dos discursos, pode-se apreender que viver com diabetes tipo 1 e seu tratamento significa conviver com a dor, com a limitação de atividades sociais e de lazer, ter uma rotina com disciplina, equilibrando dieta, insulina e atividade física; é sentir constantemente medo das complicações e da morte. Considerações finais: Conhecer as vivências de crianças com diabetes tipo 1 possibilitou a compreensão da necessidade de um cuidado individualizado voltado para elas, considerando que muitos fatores interferem nos significados que atribuem à doença e ao tratamento e, em seu bem-estar.
  • ANA LÚCIA DE MEDEIROS
  • Uso da Tecnologia da Informação Móvel e Sem Fio para a Sistematização da Assistência de Enfermagem na Área de Obstetrícia
  • Data: 24/08/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: a tecnologia da informação que emergiu com o advento da globalização adquiriu importância para os indivíduos e para a sociedade, consolidando-se como estratégia para o controle, a organização e a estrutura da informação. Para acompanhar esse desenvolvimento, cada profissão, dentre as quais a Enfermagem, necessitou adentrar no processo tecnológico da comunicação e da informação, apropriando-se das tecnologias disponíveis e desenvolvendo novas. Objetivo: desenvolver um software protótipo para a Sistematização da Assistência de Enfermagem na área obstétrica para uso em um dispositivo móvel conectado à rede sem fio. Método: trata-se de uma pesquisa metodológica do tipo aplicada, desenvolvida em quatro etapas em uma maternidade pública, localizada no município de João Pessoa-PB. A primeira etapa foi a construção e validação de um banco de dados para o software com os diagnósticos de enfermagem da NANDAInternacional e as atividades/intervenções de enfermagem da Classificação das Intervenções de Enfermagem, que ocorreu no período de janeiro a março de 2015; a segunda etapa foi o desenvolvimento e a utilização do software, que compreendeu o período de abril de 2015 a abril de 2016; a terceira foi a avaliação do conteúdo do software; e a quarta etapa foi a elaboração de indicadores hospitalares. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba com CAAE-20523814.5.0000.5183 e financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba. Resultados: para o banco de dados do Software foram identificados e validados 93 diagnósticos e 943 intervenções de enfermagem. No tocante ao desenvolvimento do software, o mesmo apresenta duas funcionalidades, uma para uso pelos enfermeiros que prestam assistência na maternidade e a outra para uso dos enfermeiros gestores. A avaliação do conteúdo do software resultou em pequenas alterações que foram realizadas. Quanto à elaboração de indicadores hospitalares, foi possível demonstrar a taxa de cesariana, de partos normais, de intercorrências obstétricas, de prematuridade e a média de permanência na maternidade. Conclusão: desenvolveu-se um sistema que, além de ser uma ferramenta para a documentação das ações de enfermagem, o mesmo serve de apoio à tomada de decisão, contribuindo para gestão do cuidado e melhoria da assistência na área obstétrica.
  • RAFAELA GERBASI NÓBREGA
  • DO MUNDO PARA A TRIBO: A AIDS SOB O OLHAR DE MULHERES DA ETNIA POTIGUARA
  • Data: 22/08/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A expansão da Aids para as tribos indígenas inclui a mulher entre as prioridades de enfrentamento da epidemia, tornando esta discussão pertinente para a construção de novas abordagens no campo da saúde indígena. Objetivo: Analisar o modo como a Aids se configura sob o olhar de mulheres Potiguara. Percurso Metodológico: Estudo de campo, exploratório e descritivo, com abordagem quanti-qualitativa, subsidiada nas aproximações teóricas em torno da cultura, etnia e mulher. Participaram da pesquisa 164 mulheres indígenas das aldeias Monte-Mór, Jaraguá e Silva de Belém, situadas no município de Rio Tinto – Paraíba. O instrumento de coleta de dados foi a entrevista semiestruturada e o corpus gerado foi processado pelo software de análise textual IRAMUTEQ e analisado por meio da análise de conteúdo temática. Resultados: A partir da Classificação Hierárquica Descendente, foram encontradas nove subcategorias de conteúdos relacionados à Aids veiculadas pelas participantes. As subcategorias foram conformadas entre uma categoria de caráter prioritariamente informativo, com elementos vinculados ao contexto de risco, transmissibilidade e proteção da doença e outra categoria com conteúdos que se concentraram em vivências e enfrentamentos, retratando a imagem do doente, manejos de tratamento e cuidado, a atmosfera excludente vivida pelos indivíduos com HIV e os sentimentos que emergem das pessoas que vivem a doença nos seus pares. Conclusões: A Aids é configurada pelas mulheres Potiguara dentro de um imbricado de valores culturais e sociais presentes no seu contexto particular. Esta fusão de elementos culturais, econômicos, políticos, geográficos confere sentido às experiências relativas à Aids e exerce importante influência sobre o comportamento do grupo diante da doença. Tais considerações podem contribuir para a renovação das práticas e direcionamento de políticas estratégicas de controle de HIV/Aids com foco na mulher indígena.
  • MARISAULINA WANDERLEY ABRANTES DE CARVALHO
  • Validação do Subconjunto Terminológico CIPE® para Pacientes com Dor Oncológica.
  • Data: 22/08/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O Subconjunto Terminológico da CIPE® para pacientes com dor oncológica, configura-se como uma tecnologia do cuidar, constituindo como um instrumento na prestação de uma assistência de enfermagem sistematizada a pacientes com dor oncológica. Objetivo: Realizar a validação, de conteúdo e clínica, do Subconjunto terminológico da CIPE® para pacientes com dor oncológica, à luz do modelo de dor oncológica e da teoria do conforto. Método: Pesquisa tipo metodológica, realizada em 2 etapas nas quais foram utilizadas técnicas adequadas para a obtenção dos resultados e o alcance dos objetivos: 1) validação de conteúdo dos conceitos de diagnósticos/resultados constantes no Subconjunto terminológico da CIPE® para Pacientes com Dor Oncológica, e 2) validação clínica do referido subconjunto, por meio da realização de estudos de casos clínicos. Resultados: Foram elaboradas as definições operacionais para os 68 diagnósticos de enfermagem do subconjunto, avaliadas por experts, sendo todas consideradas validadas por obterem um IC superior a 80%. Os 68 conceitos de diagnósticos validados e suas respectivas intervenções de enfermagem distribuídas por aspecto/conforto da dor oncológica foram validação por especialistas obtendo-se para o aspecto/conforto físico 23 (82,15%) diagnósticos de enfermagem e 77 (78,6%) intervenções de enfermagem validados; para o aspecto/conforto psicológico da dor oncológica 19 (65,5%) diagnósticos de enfermagem e 38 (64,4%) intervenções foram considerados validados; e para o aspecto/Conforto Sociocultural e Espiritual da Dor Oncológica 6 (54,5%) diagnósticos de enfermagem e10 (40,0%) intervenções foram validados. A partir desses resultados o Subconjunto Terminológico da CIPE® para pacientes com dor oncológica foi estruturado incluindo, apresentação, significância para a Enfermagem, modelo teórico, e os conceitos de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem. A validação clínica foi realizada com 5 pacientes, assim caracterizados: um infectado em tratamento clínico, um em radioterpia, um em quimioterapia/radioterapia, um em tratamento cirúrgico/quimioterapia e um em cuidados paliativos. Foram identificados 25 diagnósticos nestes pacientes, correspondendo a 52% dos diagnósticos/resultados validados constantes no subconjunto. Conclusão: O estudo mostrou que a validação do Subconjunto terminológico da CIPE® para pacientes com dor oncológica e a utilização na prática dos conceitos de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem contidos no mesmo, proporciona meios para que os enfermeiros, que trabalham nesta área, possam oferecer aos pacientes uma assistência de boa qualidade.
  • NATHANIELLY CRISTINA CARVALHO DE BRITO SANTOS
  • Modelos de atenção primária à saúde da criança: análise comparada
  • Data: 19/08/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: No mundo um expressivo número de crianças ainda morre antes de comemorar o quinto aniversário, por causas evitáveis diante de uma atenção primária de boa qualidade. Por essa razão, os modelos de atenção à saúde devem estar orientados para a Atenção Primária à Saúde e/ou estruturados em conformidade com seus atributos ordenadores. Objetivo: Comparar o grau de orientação à atenção primária em saúde da criança nas unidades de atenção básica que operam com diferentes modelos de atenção. Método: Trata-se de pesquisa transversal, quantitativa e avaliativa, da qual participaram 1.484 familiares e/ou cuidadores de crianças menores de dez anos, atendidas em unidades de saúde que atuam com diferentes modelos de atenção. Os dados foram coletados de outubro de 2012 a fevereiro de 2013, utilizando-se os instrumentos: Primary Care Assessment Tool, Brasil, versão criança para avaliar a Atenção Primária, e outro que contemplou dados sociodemográficos e econômicos das famílias. A análise foi feita por meio de estatística descritiva, com frequências simples e construção dos escores dos atributos avaliados, de acordo com o Manual do Ministério da Saúde. Para avaliar o modelo mais orientado para a Atenção Primária à Saúde e comparar os atributos entre os diferentes modelos, foram aplicados, respectivamente, a análise de variância paramétrica, associada ao teste de comparações múltiplas de Tukey, e o teste de Kruskal- Wallis, associado ao de comparações múltiplas de Dunnett, ambos com nível de significância de 5%. Resultados: Ao comparar os modelos, verificou-se diferença estatisticamente significativa em favor do modelo de Unidade Básica de Saúde mista para o escore geral (p<0,05) e superioridade para escore essencial, mesmo sem diferença significativa. Quanto aos atributos, somente o acesso de primeiro contato - utilização - foi satisfatório e não apresentou diferença entre os modelos. No entanto, entre os atributos que apresentaram diferença, foi favorável ao modelo misto para grau de afiliação, coordenação - integração de cuidados, integralidade - serviços disponíveis e serviços prestados, e ao modelo de Unidade Básica de Saúde tradicional para as dimensões sistema de informação e acessibilidade. Apesar de os atributos derivados não terem alcançado o ponto de corte, os modelos que operam com a Estratégia Saúde da Família apresentaram diferença favorável para orientação familiar e orientação comunitária. Conclusão: A Unidade Básica de Saúde mista revelou ser o modelo mais orientado para a atenção primária no cuidado voltado para a criança. Isso se deve, possivelmente, à soma de potencialidades dos modelos tradicional e Estratégia Saúde da Família, pois, mesmo com limitações, apresentaram escores gerais próximos ao ideal. Assim, quando integrados em uma mesma estrutura, podem contribuir para melhorar o processo de trabalho das equipes em direção a reorientar a atenção primária no cuidado à criança.
  • TATYANA ATAÍDE MELO DE PINHO
  • Mulheres em privação de liberdade e HIV/Aids: um estudo de representações sociais
  • Data: 15/08/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Nos últimos anos, observou-se um aumento crescente e progressivo do número de mulheres em privação de liberdade e de sua contaminação pelo vírus HIV. Nesse sentido, este estudo torna-se relevante à implementação de ações que fortaleçam ações estratégicas voltadas para essas mulheres. Objetivos: sistematizar a produção científica desenvolvida acerca da temática de HIV/Aids entre pessoas privadas de liberdade no período de 2003 a 2012; identificar a estrutura das representações sociais sobre HIV/Aids por mulheres em privação de liberdade; analisar as representações sociais em diferentes faixas etárias. Método: Tratou-se de um estudo exploratório de abordagem qualitativa, utilizando-se o aporte teórico das representações sociais. O locus da pesquisa foi o Centro de Reabilitação Maria Júlia Maranhão, na cidade de João Pessoa-PB, no período de outubro a novembro de 2014. Dela participaram 32 mulheres, selecionadas por conveniência, divididas em faixas etárias de: 20-30 anos e 50-60 anos. Os dados foram coletados a partir de uma entrevista semiestruturada e processados com auxílio dos softwares SPSS, IRaMuTeQ e EVOC. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa com seres humanos do Hospital Universitário Lauro Wanderley/UFPB, sob o parecer de nº 660.127. Resultados: desta pesquisa foram originados três artigos apresentados nos resultados e discussão. No primeiro, observou-se que dos 33 artigos selecionados, a maior produção foi entre 2010 a 2012 (63,6%), predominância da abordagem quantitativa (75,7%) e maior realização de pesquisas nos Estados Unidos (57,6%); no segundo, identificou-se como provável núcleo central das representações sociais sobre o HIV/Aids os elementos prevenção, medo, morte, doença e angústia, e na periferia desprezo, dor, preservativo, ruim e transmissão; e o terceiro, que deu origem a cinco classes. A classe um, modos de transmissão, as mulheres associam o HIV/Aids: alicate de unha, agulha, tatuagem, sexo, sangue, seringa, ferimento, beijo e saliva; classe dois, aspectos psicossociais, compreende as descrições em que as mulheres associam HIV/Aids a preconceito, experiência negativa, medo da solidão, do isolamento e dificuldade de enfrentar a doença na prisão; classe três, conhecimentos sobre HIV/Aids, apresentam conteúdos como: doença muito grave e, apesar de não ter cura, pode ser tratada com o “coquetel”; A classe quatro, dimensões sócio afetivas, cujos conteúdos são medo, solidão, tristeza, sofrimento, aflição, nervosismo, pena, indiferença, difícil, dor; e a classe cinco, práticas sexuais/prevenção, a aids é associada a visita íntima, sexo, sabão, vagina, boca, casado, carência, camisinha, mulher, homem. Conclusão: Os conteúdos representacionais sobre o HIV/Aids foram associados a aspectos muito mais negativos que positivos, apesar das mulheres apresentarem conhecimento sobre a doença, formas de contágio e prevenção, elas não se veem vulneráveis à infecção. Espera-se que tais resultados possam fornecer subsídios para direcionar estratégias políticas, a fim de garantir cuidado integral a essa mulheres que vivem privadas de liberdade.
  • JULIANA ALMEIDA MARQUES LUBENOW
  • AVALIAÇÃO DO ATENDIMENTO NOS SERVIÇOS DE SAÚDE À PESSOA IDOSA
  • Data: 02/08/2016
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O idoso é o usuário mais frequente nas instituições de saúde e, com a elevação da taxa de expectativa de vida, a procura por esses serviços tende a aumentar. Diante dessa problemática, os serviços de saúde precisam estar preparados para oferecer uma assistência que atenda às necessidades da pessoa idosa. Objetivos: Discutir sobre o acesso de idosos aos serviços de Atenção Primária em Saúde, por meio de uma revisão integrativa; avaliar o atendimento à pessoa idosa em serviços de saúde (atenção primária e especializada); identificar as representações sociais da pessoa idosa sobre o atendimento em serviços de saúde. Método: Pesquisa exploratória com abordagem mista, subsidiada na Teoria das Representações Sociais, desenvolvida com 266 idosos atendidos em Unidades de Saúde da Família e no Centro de Atenção Integral à Saúde do Idoso, localizados na cidade de João Pessoa, Paraíba/Brasil. Para a coleta dos dados, foram utilizados uma entrevista em profundidade e um formulário com questões relacionadas ao atendimento realizado nos serviços de saúde, dados socioeconômicos e de saúde. Os dados foram analisados com o auxílio do pacote SPSS e do software IRaMuTeQ, interpretados e subsidiados na Teoria das Representações Sociais. Os dados foram coletados entre janeiro e julho de 2015, depois da aprovação pelo CEP/HULW, protocolo nº 261/09 e CAAE: 0182.0.126.000-09. Resultados: Desta pesquisa, foram originados três artigos: Access for the elderly to primary health care services: an integrative review; Avaliação do atendimento em serviços de saúde para pessoa idosa; e O que pensam os idosos sobre o atendimento nos serviços de saúde. O estudo mostrou que a maioria dos idosos entrevistados tinha entre 60 e 69 anos de idade, era do sexo feminino, com ensino fundamental, casadas, com renda familiar de dois salários mínimos, aposentados, moravam acompanhados, consideraram sua saúde razoável e apresentaram alta prevalência de doenças crônicas. Nas Unidades de Saúde da Família, o acesso ao atendimento médico é mais fácil, e o tempo de espera para atendimento e de deslocamento até o serviço foi menor do que no Centro de Atenção Especializada. Em ambos os serviços, os idosos são sempre atendidos pelo mesmo médico, e nas USF, são atendidos pelo mesmo enfermeiro. A maioria dos idosos considerou excelente a organização, a pontualidade dos profissionais de saúde e dos funcionários, o conforto e a limpeza. Os idosos associaram um bom atendimento a ser tratado com respeito, atenção e educação. Para eles, os profissionais de saúde devem conversar, explicar, mostrar interesse por seu problema de saúde e sua vida pessoal. Ao mesmo tempo, vincularam um bom atendimento à prescrição de medicamentos e exames, bem como a encaminhamentos a especialistas, reforçando o modelo biomédico de atendimento de saúde. Conclusão: A avaliação positiva dos serviços foi representada pelos idosos associada a sentimentos bem atendidos, mesmo com a demora para atendimento e marcação de consultas. Recomenda-se que o atendimento ao idoso, nos serviços de saúde, seja centrado na prática do acolhimento de forma humanizada e qualificada, que atenda às suas reais necessidades e que os profissionais de saúde e os gestores considerem as especificidades distintas da pessoa idosa em sua abordagem, tanto na atenção primária quanto nos demais níveis de atenção.
  • Lidiane Lima de Andrade
  • VALIDAÇÃO DE UM HISTÓRICO DE ENFERMAGEM PARA INDIVÍDUOS HOSPITALIZADOS COM DOENÇAS INFECTOCONTAGIOSAS
  • Data: 29/07/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Os indicadores empíricos do histórico de enfermagem para indivíduos hospitalizados com doenças infectocontagiosas devem representar adequadamente o foco de interesse. Objetivo: Analisar a validade dos indicadores empíricos das necessidades humanas básicas apresentadas em um histórico de enfermagem para indivíduos hospitalizados com doenças infectocontagiosas. Método: Pesquisa metodológica, desenvolvida em duas etapas: análise de conteúdo e validação clínica. Da primeira etapa participaram 37 enfermeiros especialistas, que avaliaram a relevância, a clareza e a precisão dos indicadores empíricos em estudo; e da segunda, 65 indivíduos que estavam internados nas clínicas de doenças infectocontagiosas de dois hospitais universitários, que foram avaliados com o intuito de verificar a presença ou ausência dos indicadores empíricos analisados pelos especialistas. A coleta dos dados ocorreu no período de agosto de 2015 a abril de 2016. A análise dos dados foi realizada por meio da abordagem quantitativa. Este estudo foi apreciado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley e obteve aprovação segundo parecer nº 1.015.985 e CAAE: 43249115.7.0000.5183. Resultados: Na análise de conteúdo, foram eliminados quatorze indicadores empíricos, considerando o critério de relevância. Quanto aos critérios de clareza e precisão, 33 indicadores empíricos tiveram suas definições operacionais reformuladas. Sobre a fidedignidade, observou-se consistência interna dos indicadores empíricos acima de 0,9. Na validação clínica, constatou-se associação entre as necessidades psicobiológicas, as psicossociais e as psicoespirituais e delas com os diagnósticos médicos. Também foram avaliadas a presença e a ausência dos indicadores empíricos, o que subsidiou os ajustes e a apresentação final do histórico de enfermagem. Conclusão: Os achados deste estudo fortalecerão a prática clínica, o ensino e a comunidade científica de enfermagem na abordagem do indivíduo com doenças infectocontagiosas.
  • MARIA ELIZABETE DE AMORIM SILVA
  • DOENÇA CRÔNICA NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA: VÍNCULOS DE CUIDADO CONSTITUÍDOS NA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE
  • Data: 29/07/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introducao: Crianca/adolescente com doenca cronica e sua familia requerem um cuidado coordenado pela Atencao Primaria a Saude (APS) em articulacao com os servicos da rede de atencao para controlar a doenca, o que pode ser facilitado com a construcao de vinculos. Objetivos: Explicitar como se constroem os vinculos entre a familia da crianca/adolescente com doenca cronica e os diferentes servicos da rede de atencao a saude, tendo a APS como o centro organizador do cuidado; evidenciar de que modo os vinculos contribuem para manter o controle da doenca cronica da crianca/adolescente. Metodo: Estudo qualitativo, realizado de maio a novembro de 2015, em um municipio da Paraiba, com dez familiares de criancas/adolescentes com doenca cronica, com utilizacao do mapa-falante e do ecomapa adaptados, nos domicilios e na Unidade de Saude da Familia (USF). Foram realizadas doze entrevistas semiestruturadas com profissionais da rede de atencao a saude, duas USFs e dois hospitais publicos. Os dados foram interpretados com a analise de discurso. O estudo foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa, parecer nº 054/14, CAAE 27102214.6.0000.5188. Resultados: O vinculo esta relacionado a atencao oferecida pelos profissionais de saude em varios sentidos: acessibilidade, resolutividade, responsabilizacao, humanizacao e expectativa satisfeita. O vinculo contribui para o controle da doenca cronica, pois possibilita conhecimento das necessidades, acompanhamento continuo, coordenacao do cuidado, adesao a terapeutica, seguimento das orientacoes e durante as hospitalizacoes suas implicacoes sao minimizadas. O vinculo fragilizado, especialmente com a APS, dificulta o controle da enfermidade, com falta de coordenacao e desresponsabilizacao pelo cuidado, aumento das hospitalizacoes e vinculos mais fortes com servicos secundarios e terciarios da rede. Conclusao: Cada ponto da rede de atencao buscado pela familia precisa constituir vinculo com ela e ser referencia concreta e duradoura de cuidado
  • IRAKTANIA VITORINO DINIZ
  • PERFIL CLINICO-EPIDEMIOLÓGICO E CATETERISMO INTERMITENTE LIMPO EM PESSOAS COM TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR
  • Data: 28/07/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O traumatismo raquimedular (TRM) configura-se como um problema de saúde pública, em virtude de seu potencial para morbimortalidade. Objetivo: Caracterizar o perfil sociodemográfico e clínico-epidemiológico de pessoas com TRM. Método: Trata-se de um estudo transversal, com abordagem quantitativa. Os dados foram coletados a partir de um formulário de entrevista semiestruturado e analisados através da estatística descritiva e inferencial, utilizando o teste Qui-Quadrado e Risco Relativo. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob CAAE nº 0058.0.462.126-11. Resultados: A amostra se caracterizou por indivíduos na faixa economicamente ativa, do sexo masculino, solteiros e/ou casados, sem filhos, com mais de quatro anos de estudo e renda mensal básica de um a três salários mínimos. Concernente aos aspectos clínicos, os indivíduos apresentaram lesão torácica seguidos por lesão lombar. Etiologicamente, destacaram-se os acidentes de trânsito, seguido por arma de fogo. Quanto à sequela destacou a paraplegia completa, seguidos pela paraplegia incompleta. Os resultados apontaram correlação do TRM em nível lombar com os acidentes por arma de fogo, lesões torácicas aos acidentes de trânsito e cervicais às lesões por mergulho em águas rasas. No tocante às complicações, a tetraplegia teve maior influência enquanto fator de risco para todas as complicações em relação à paraplegia, mas apresentou fator de proteção às síndromes dolorosas. Quanto à reutilização do cateter como fator de risco para infecção urinária, obstrução e sangramento e o uso de cateter lubrificado como fator de proteção para todas as complicações estudadas. Conclusão: O conhecimento dos fatores intervenientes às lesões medulares, bem como a identificação dos riscos de complicações, corroboram para um cuidar mais qualificado. Ainda nesta perspectiva, a disseminação de estratégias que minimizem esses agravos, como a realização do CIL, constituem boas práticas em saúde.
  • PRISCILLA MARIA DE CASTRO SILVA
  • A TERAPIA COMUNITÁRIA COMO ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO PARA O EMPODERAMENTO DE USUÁRIOS DE CAPS EM PROCESSO DE ALTA
  • Data: 27/07/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Terapia Comunitária Integrativa (TCI) constitui um espaço de palavra, de escuta e de formação de vínculos conduzido por meio de regras precisas que, a partir de uma situação-problema, permitem a criação de estratégias de enfrentamento para as inquietações do cotidiano. O presente estudo teve como objetivo analisar o efeito da TCI como terapêutica de intervenção psicossocial avançada, avaliando sua contribuição para a melhoria da autoestima e da vinculação dos usuários de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), tendo como repercussão o fortalecimento da autonomia e o empoderamento necessários na fase pósalta. A pesquisa de campo obedeceu aos preceitos éticos (CAAE 44866015.0.0000.5188) e foi realizada em um CAPS do município de Campina Grande, PB, Brasil, sendo conduzida através do método da pesquisa-ação-intervenção, com 11 usuários que estavam no regime não-intensivo e apresentavam baixa (ou tendência a baixa) autoestima, e que frequentaram um mínimo de 6 rodas de TCI. Como instrumentos, foram utilizados os questionários de autoestima e vínculos propostos por Barreto, e como intervenção, foram realizadas 12 rodas de TCI durante 3 meses. Para a produção do material empírico foram usadas as filmagens das rodas, o caderno de campo e entrevistas semiestruturadas. Esse material foi analisado através da análise de conteúdo. Os resultados mostraram que os usuários apresentaram aumento nos escores de autoestima e de vínculos saudáveis, além de redução dos vínculos frágeis e de risco. Do ponto de vista comportamental, percebeu-se um resgate da autonomia, uma melhora dos vínculos, uma ampliação da capacidade empática e do reconhecimento de suas competências. Conclusão: A TCI mostrou-se como uma prática emancipatória e uma ferramenta potente de cuidado, pois elevou a autoestima dos usuários, restabeleceu vínculos perdidos e criou redes de solidariedade, de modo a levá-los ao empoderamento, por meio da consequente retomada do protagonismo de suas vidas.
  • JOGILMIRA MACÊDO SILVA MENDES
  • Dor crônica e a capacidade funcional em pessoas idosas com artrite reumatóide
  • Data: 30/06/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A dor crônica é aquela associada a processos patológicos crônicos, que se prolongam por meses ou anos e, em muitos desses quadros, a dor é a principal queixa e causa de limitações funcionais. A artrite reumatoide é um dos distúrbios doloroso mais comum em idosos. Objetivo: Analisar a relação da dor crônica na capacidade funcional de pessoas idosas com artrite reumatoide em um centro de referência de João Pessoa. Método: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, quantitativo, realizado no Centro de Reabilitação e tratamento da Dor, localizado na cidade de João Pessoa- PB. A amostra foi de 119 idosos com diagnóstico de artrite reumatoide. A coleta de dados ocorreu no período de agosto de 2015 a março de 2016. Os instrumentos aplicados foram o Mini Exame do Estado Mental, um questionário sóciodemográfico e clínico, a Escala Visual Numérica da dor e o Health Assestment Questionnaire. Os dados foram compilados com o auxílio do programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences, versão 20.0, analisados através de recursos da estatística descritiva, a partir do teste de Kolmogorov Smirnov, para análise de variância, o teste Kruskal Wallis para analise de correlação o teste de Spearman, sendo adotado nível de significância de p<0,01. Projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob protocolo nº 099/2015 e CAAE nº 4215515.6.0000.5188. Resultados: Foi constatado que a idade média dos idosos era de 67,57 ± 7,85 DP, sendo 85,7% mulheres, 37,8 % de raça branca, 94,1% sentem dores, pela Escala Visual Numérica de dor 49,6% relatam dor moderada. Mais de 81,4% das pessoas idosas apresentaram níveis de capacidade funcional de leve a moderado, dentre os domínios apresentados o de atividades aparece como o mais comprometido, com média e DP de (2,01 ± 1,03) e o domínio vestir-se como menos comprometido, com média e DP de (0,93 ± 0,82). Ambos os grupos apresentaram nível moderado de atividade da doença, e deficiência leve. Em relação a correlação da dor e da capacidade funcional foi positiva, moderada e estatisticamente significativa (r = 0,459; p-valor <0,001), demostrando que quanto maior a intensidade da dor, maior o escore do Health Assestment Questionnaire, diminuindo, portanto, a capacidade funcional. Conclusão: Foi observado neste estudo que a dor crônica demonstra influência na alteração da capacidade funcional dos idosos com artrite reumatoide, comprometendo sua qualidade de vida.
  • PATRICIA GEORGIA OLIVEIRA DINIZ PINHEIRO
  • Discursos de profissionais sobre o controle da tuberculose: pontos de estrangulamento na Atenção Primária à Saúde
  • Data: 17/06/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introducao: A gravidade da tuberculose no Brasil determinou que a doenca fosse considerada uma das linhas prioritarias de Politica Nacional de Atencao Basica Brasileira. No municipio de Joao Pessoa-PB, numeros mostram que existem pontos de estrangulamento no que diz respeito a atuacao da Atencao Primaria a Saude como porta de entrada para a execucao das acoes e servicos de controle da tuberculose (TB). Embora a politica de saude do municipio tenha determinado, ha quase uma decada, a descentralizacao das acoes de controle da doenca para os servicos da Atencao Primaria a Saude, os doentes de TB, do municipio de Joao Pessoa-PB, continuam a buscar o servico de referencia do Estado, ou seja, o Complexo Hospitalar Clementino Fraga, para serem diagnosticados e tratados, evidenciando, portanto, fragilidade da Atencao Primaria a Saude local, no que tange a efetividade do primeiro contato, longitudinalidade, integralidade de acoes e servicos e a coordenacao da assistencia, como atributos essenciais da APS, na atencao ao doente de TB. Objetivo: Analisar com base nos discursos de profissionais que atuam no servico de Referencia para o controle da TB, os pontos de estrangulamento que afetam os atributos essenciais da Atencao Primaria a Saude e a sua relacao com as acoes de controle da TB. Metodo: Estudo de abordagem qualitativa, realizado entre os meses de Agosto a Outubro de 2014, no municipio de Joao Pessoa-PB. Os sujeitos colaboradores do estudo foram 12 profissionais de saude que atuavam no Complexo Hospitalar Clementino Fraga. Para analise do material empirico, utilizou-se o dispositivo teorico-analitico da Analise de Discurso, de matriz francesa. Esse estudo foi submetido e aprovado em 2013 pelo Comite do Centro de Ciencias da Saude da Universidade Federal da Paraiba do Estado da Paraiba (Protocolo 0404/13) e CAAE nº 18257113.2.0000.5188. Resultados: Os discursos dos profissionais do Complexo Hospitalar Clementino Fraga explicitaram os pontos de estrangulamento do controle da doenca no ambito dos servicos da Atencao Primaria a Saude, como sendo a ausencia de vinculo e acoes de acolhimento dos profissionais em relacao ao doente de TB; atitudes que sugerem preconceito por parte dos profissionais das Unidades de Saude da Familia; dificuldades de acesso a realizacao de exames e consultas para diagnostico e acompanhamento dos doentes de TB; dificuldades para realizacao do tratamento, em decorrencia da falta de confianca dos doentes de TB nos servicos das Unidades de Saude da Familia; falhas no fornecimento de medicacoes para o tratamento; e fragilidades no sistema de referencia e contrarreferencia entre os servicos da Atencao Primaria a Saude e Complexo Hospitalar Clementino Fraga, sendo estas pistas identificadas como comprometedoras do diagnostico precoce e tratamento eficaz, interpretadas como pontos que criam obstaculos ao primeiro contato, a integralidade, a longitudinalidade e a coordenacao, como atributos da Atencao Primaria a Saude. Conclusao: Convem tornar os gestores cientes dos resultados encontrados, para que acoes de enfrentamento sejam pensadas, planejadas e executadas em funcao de minimizar os pontos de estrangulamento existentes, de modo a promover uma assistencia integral ao doente de TB e coordenada pelos servicos da Atencao Primaria a Saude.
  • SUELLEN DUARTE DE OLIVEIRA MATOS
  • Risco e Prevalência de Úlcera por Pressão em Idosos de Instituições de Longa Permanência.
  • Data: 30/05/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A úlcera por pressão (UPP) é uma complicação de pele decorrente da pressão exercida na região de proeminência óssea combinada ao atrito. Objetivo: Analisar o risco e a prevalência de úlcera por pressão em idosos de instituições de longa permanência para idosos no município de João Pessoa. Metodologia: Trata-se de estudo transversal, de base populacional e abordagem quantitativa, realizado a partir da análise de parte do banco de dados proveniente da pesquisa intitulada “Prevalência e Incidência de úlcera por pressão em Instituições de Longa Permanência para Idosos em João Pessoa”. Para análise do banco de foi utilizado o SPSS, versão 20.0. Resultados: Os dados sociodemográficos revelaram que 128 (39,5%) idosos tinham entre 80-90 anos, 244 (75,3%) eram do sexo feminino, 289 (89,2%) solteiros e 192 (59,3%) estavam institucionalizados há menos de cinco anos. A prevalência de úlcera por pressão correspondeu a 26 casos (8%), dos quais 20 (77%) tiveram apenas uma lesão, 16 (61,5%) em Estágio I e 8 (30,8%) desenvolveram a lesão na região sacral. As condições clínicas de associações estatisticamente significativas com a ocorrência de UPP foram as variáveis doenças neurológicas (p=0,011) e alteração da visão (p=0,005). Quanto aos fatores de risco destacaram-se incontinência fecal (p<0,001), incontinência urinária (p<0,001), déficit cognitivo (p<0,007) e limitação física (p<0,001). A força de associação evidenciada pelo coeficiente de contingência foi moderada para déficit cognitivo (0,375) e incontinência fecal (0,365). Os resultados do modelo de regressão logística revelaram que incontinência urinária aumenta oito vezes a chance de ocorrência da úlcera por pressão (OR=8,805) e doenças ostearticulares cinco vezes (OR=5,899). Conclusão: O estudo permitiu ampliar o conhecimento acerca das condições clínicas, fatores de risco e úlcera por pressão em idosos institucionalizados da capital paraibana, conferindo contribuições às pesquisas que abordam a temática e aos profissionais que atuam nessas instituições, uma vez que ainda são escassos os estudos nesses cenários.
  • THAYRIS MARIANO DE MEDEIROS
  • PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL E SEXUALIDADE: CONCEPÇÕES E VIVÊNCIAS
  • Data: 30/05/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: as pessoas com deficiência visual representam uma parcela significativa da população, mas ainda enfrentam várias dificuldades no cumprimento de direitos em todos os aspectos da vida, inclusive a saúde sexual. A sexualidade ainda é um tema muito delicado em nossa sociedade, e quando se fala em pessoas com deficiência visual percebe-se que existem vários mitos em relação a sua sexualidade, que interferem no seu acesso à saúde sexual e à expressão de uma sexualidade plena, livre de preconceitos. Objetivo: analisar como a sexualidade é concebida e vivenciada por pessoas com deficiência visual. Percurso metodológico: trata-se de um estudo exploratório com abordagem qualitativa, realizado com 17 pessoas com deficiência visual usuários de uma instituição de apoio. O estudo atendeu aos seguintes critérios de inclusão: pessoa com deficiência visual, maior de 18 anos. E critério de exclusão: não apresentar outra deficiência associada à visual. A coleta de dados foi realizada de novembro a dezembro de 2015 através da técnica de grupo focal. As sessões de grupo focal foram realizadas semanalmente e gravadas com auxílio de dois gravadores do tipo MP4. Após a coleta, os dados foram transcritos e analisados através da análise de conteúdo. A presente pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob Protocolo nº0264/15 e CAAE: 44927215.2.0000.5188. Resultados: a partir da análise, emergiram cinco categorias temáticas: Sexualidade: da concepção à expressão; Sexualidade na infância e adolescência: fragilidade no acesso a informações; Obstáculos à expressão de sua sexualidade; Duplo desafio para as mulheres: deficiência visual e questões de gênero; e Educação sexual: fragilidades e perspectivas. Considerações finais: a partir da reflexão acerca das colocações dos participantes, conclui-se que a sociedade ainda tem pouco entendimento com relação à sexualidade das pessoas com deficiência visual, o que interfere no acesso a informações sexuais específicas e adaptadas. Destaca-se a importância dos profissionais de saúde, principalmente o enfermeiro, na intervenção em educação sexual junto a essas pessoas e família, e no desenvolvimento de mais pesquisas e materiais educativos específicos na área da saúde sexual para as pessoas com deficiência visual.
  • FRANCILEIDE DE ARAUJO RODRIGUES
  • AVALIAÇÃO DE FAMÍLIAS DE PACIENTES EM SITUAÇÃO DE TERMINALIDADE SOB CUIDADOS PALIATIVOS: estudo à luz do Modelo Calgary
  • Data: 27/05/2016
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introducao: os cuidados paliativos se apresentam como uma modalidade terapeutica com abordagem interdisciplinar, a serem realizados em beneficio do paciente, porquanto consistem em um conjunto de acoes que visam melhorar a qualidade de vida e a dignidade dos pacientes com o diagnostico de uma doenca terminal em tratamento no processo de terminalidade e suas familias, incluindo aconselhamento e suporte ao luto. A escolha pelo Modelo Calgary como aporte teorico para este estudo deve-se ao fato de integrar a dimensao estrutural, desenvolvimental e funcional, o que permite uma visao da dinamica familiar, com a finalidade de melhorar o planejamento dos cuidados dispensados aos envolvidos nesse processo. Objetivo: avaliar a estrutura, o desenvolvimento e a funcionalidade de familias de pacientes em situacao de terminalidade sob cuidados paliativos a luz do Modelo Calgary. Metodo: trata-se de um estudo de campo com abordagem qualitativa, consubstanciada no Modelo Calgary de Avaliacao da Familia, realizado em um hospital localizado na cidade de Joao Pessoa, Capital do Estado da Paraiba. A amostra da pesquisa foi constituida de dez familias. Cada uma foi representada pelo paciente com doenca terminal e um familiar cuidador. Em atendimento as observancias eticas relacionadas a pesquisa que envolve seres humanos, recomendadas pela Resolucao 466/2012 do Conselho Nacional de Saude, o projeto foi apreciado e aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa do Hospital Universitario Lauro Wanderley (HULW), da Universidade Federal da Paraiba, sob CAAE de nº 33261114.1.0000.5183. Os dados foram coletados nos meses de agosto, setembro e outubro de 2014. Para isso, foram utilizados a tecnica de entrevista, o sistema de gravacao em aparelho mp4, o diario de campo, a Escala de Performance Paliativa e os instrumentos recomendados pelo Modelo Calgary: o genograma e o ecomapa. O material empirico foi analisado qualitativamente, a luz do Modelo Calgary. Resultado: os resultados advindos possibilitaram a construcao de dois artigos. O primeiro, intitulado “Avaliacao estrutural, de desenvolvimento e funcional de familias de idosos em fase terminal sob cuidados paliativos”, no qual foi possivel reconhecer que cuidar de pacientes idosos com doenca em fase terminal influencia a organizacao familiar e sua dinamica. No que tange aos estagios de vida das familias, todas elas estavam em dois estagios: o de familia no fim da vida e o estagio de encaminhamento dos filhos, que estao adquirindo sua emancipacao. O segundo artigo “Avaliacao estrutural, desenvolvimental e funcional de familias de pacientes com cancer em fase terminal sob cuidados paliativos” - possibilitou uma visao holistica sobre a familia de paciente com cancer na terminalidade da vida, em que o enfermeiro pode perceber que cada familia e unica e apresenta dinamicas de ajustes distintas em relacao a vivencia de ente querido com cancer em fase terminal. Constatou-se que a maioria das familias e caracterizada como monoparental feminina extensa e a sobrecarga do sexo feminino no desempenho do papel do familiar como cuidador. Conclusao: os resultados da pesquisa poderao subsidiar o planejamento da assistencia de enfermagem, por meio da avaliacao integral da familia, e proporcionar um cuidado cujo principal enfoque seja a qualidade de vida familiar, na perspectiva de auxiliar o grupo a vislumbrar os proprios recursos para lidar com as dificuldades que circundam a familia de paciente com doenca em fase final de vida.
  • RONALDO BEZERRA DE QUEIROZ
  • Representações Sociais de idosos e cuidadores sobre a doença de Alzheimer
  • Data: 17/05/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução. Na prática assistencial observou-se uma preocupação de idosos com a doença de Alzheimer (DA) que pode influenciar no seu modo ou qualidade de vida. O acometido da DA necessitará inevitavelmente de cuidador e esta atividade é permeada por dificuldades que com o tempo poderá alterar a saúde do cuidador. A teoria das representações sociais (TRS) enquanto uma modalidade do conhecimento e sistemas de interpretação da realidade organizam as relações do indivíduo com o mundo e orientam as suas condutas e comportamentos no meio social possibilitando conhecer como as pessoas pensam e se comportam frente a fenômenos conflituosos no seu cotidiano. Objetivos: identificar representações sociais (RS) sobre a doença de Alzheimer construídas por idosos sem a doença de Alzheimer; conhecer as RS construídas por cuidadores de idosos com a doença de Alzheimer e explorar as RS sobre a DA segundo cuidadores de idosos com a DA e idosos sem a DA. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa exploratória em uma abordagem qualitativa. Quanto aos aspectos éticos o projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba e aprovado sob o n°. 574.968 de 31/03/2014, CAAE-27670714.4.0000.5183. A amostra foi por conveniência com 50 cuidadores de idosos com a DA e 50 idosos sem esta doença, de ambos os sexos, que responderam uma entrevista semiestruturada. Os dados coletados foram organizados em um corpus, processados pelo software IRAMUTEQ e interpretados segundo o aporte teórico das RS. Resultados e Discussão: dos resultados obtidos após analise delineou-se três artigos: o primeiro trata de uma revisão integrativa da literatura sobre a percepção de idosos sobre a DA em que sinalizou a necessidade de desenvolvimento de estudos com o aporte teórico das RS; o segundo artigo aborda as RS construídas por idosos sem a doença de Alzheimer sobre a doença de Alzheimer em que os idosos falam sobre a DA; o terceiro artigo identifica as RS construídas por cuidadores de acometidos pela DA sobre a DA. Considerações finais: As RS construídas pelos cuidadores de pessoas com a DA observam-se dimensões subjetivas com conteúdos positivos e negativos. Diferem essas RS apreendidas nas falas dos idosos, com conteúdos próximos para descreverem a doença, expressam sentimentos de tristeza em muitas situações, assim como observam tais sentimentos nos familiares envolvidos. O comportamento dos idosos com a doença e suas palavras verbalizadas agressivamente influi no ato de cuidar deixando-os estressados. O grau de dependência do idoso sob seus cuidados associado ao abandono por parte de familiares e amigos têm implicações no estilo de vida do cuidador familiar que tem que se dedicar com mais afinco as suas atividades laborais, e por outro lado, quando há associação com restrições financeiras abandonam o lazer. Aspectos positivos foram relatados como o crescimento pessoal e afetivo desenvolvido no cuidar. Este estudo contribui para a reflexão e subsídio para o desenvolvimento de políticas públicas voltadas aos idosos e cuidadores; serve de estímulo para o incremento de capacitações profissionais abordando as necessidades apresentadas acerca da doença de Alzheimer.
  • ELIANE DE SOUSA LEITE
  • Tecnologia Assistiva para promoção do envelhecimento ativo segundo profissionais e idosos participantes de grupo de convivências.
  • Data: 02/05/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: tecnologia assistiva é um termo ainda recente, no Brasil, que visa a utilização de uma gama de recursos e serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e/ou idoso, consequentemente, promover um envelhecimento ativo com qualidade de vida, independência e inclusão social. Objetivo: verificar o conhecimento produzido na literatura científica acerca das contribuições da tecnologia assistiva para manutenção da funcionalidade do idoso; identificar a importância do uso da tecnologia assistiva para um envelhecimento ativo, segundo profissionais que trabalham em grupos de convivência; conhecer as concepções sobre tecnologia assistiva de pessoas idosas e suas contribuições para o envelhecimento ativo para pessoas idosas. Método: pesquisa exploratória com abordagem mista, realizada em três grupos de convivência para idosos da cidade de Cajazeiras, Paraíba/Brasil: Grupo amigos de Irmã Fernanda, Serviço Social do Comércio e Centro Social Urbano. A amostra investigada foi composta por 45 profissionais e 172 idosos. A coleta de dados foi realizada com profissionais e idosos, entre os meses de março a dezembro de 2014, mediante entrevista, com roteiro semiestruturado, contendo dados sociodemográficos e questões relacionadas à temática abordada. Os dados qualitativos foram processados pelo software de Análise Textual Iramuteq e subsidiado através da Técnica de Análise de Conteúdo proposta por Bardin e os dados sociodemográficos dos sujeitos foram tabulados e analisados através do software Statistical Package for Social Sciences, versão 22.0. A pesquisa atendeu às orientações éticas e legais, inerentes ao protocolo de pesquisa envolvendo seres humanos, contido na Resolução nº 466/12, com número de protocolo 652.809/2013. Resultados: desta pesquisa foram originados três artigos apresentados nos resultados e discussão. O primeiro foi publicado; o segundo artigo encaminhado para publicação e o terceiro foi objeto de defesa. Evidenciou, diante dos resultados desta pesquisa, a importância da tecnologia assistiva para o aumento da funcionalidade, autonomia, inserção social e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida. Os profissionais estudados reconhecem este recurso como primordial para o aprimoramento de suas práticas diárias e fundamentais para uma assistência mais adequada às pessoas idosas. Parte dos profissionais pesquisados conhece e usa o serviço na sua prática laboral, outros relataram não ter conhecimento teórico e habilidade para tal fim. No que tange aos idosos, estes não reconhecem o instrumento e o identificam como algo relevante para a saúde, mas não sabem diferenciar a tecnologia geral da assistiva. Conclusão: entende-se que a tecnologia assistiva é um recurso que permite ao idoso desenvolver as atividades funcionais de vida diária com segurança, aumentar sua independência e autonomia, e prevenir comorbidades. Destarte, faz-se necessário sensibilizar os profissionais e pesquisadores quanto aos benefícios que o uso da tecnologia assistiva possibilita aos idosos, proporcionando sua inclusão social, a conquista e a prática da cidadania. Nesse sentido a tecnologia assistiva é um importante instrumento que deve ser considerado para melhorar a saúde da pessoa idosa.
  • MILENA SILVA COSTA
  • CRENÇAS, PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE HIV/AIDS CONSTRUÍDAS POR MULHERES IDOSAS
  • Data: 02/05/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: as crenças religiosas podem influenciar no comportamento sexual da mulher idosa, nas suas representações sociais, na percepção da vulnerabilidade ao HIV/Aids e no uso de medidas preventivas. Objetivos: conhecer a produção científica sobre as representações sociais, vulnerabilidade ao HIV/Aids e crenças religiosas de mulheres idosas; analisar o conhecimento, as crenças religiosas e a adoção de medidas preventivas ao HIV/Aids de mulheres idosas; averiguar a influência das representações sociais sobre o HIV/Aids e de crenças religiosas de mulheres idosas, na adoção de medidas preventivas; identificar as representações sociais sobre o HIV/Aids construídas por mulheres idosas de diferentes crenças religiosas. Método: investigação exploratória, de abordagem mista, fundamentada na Teoria das Representações Sociais, desenvolvida com 406 mulheres idosas, residentes em Juazeiro do Norte – Ceará. Para coleta dos dados utilizou-se a técnica da rede associativa, com as palavras indutoras: “aids” e “religião” e uma entrevista semiestruturada, no período de junho de 2014 a julho de 2015. Os dados sociodemográficos e as palavras evocadas nas redes associativas pelas participantes foram submetidos para análise estatística no Programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS); os dados obtidos das questões foram submetidos à técnica de análise de conteúdo temática categorial e ao software Iramuteq para uma Análise Textual Multidimensionnelles e interpretados à luz da Teoria das Representações Sociais. O projeto desta pesquisa foi aprovado com o parecer nº 674.516 do Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley. Resultados: originaram-se quatro artigos: Social Representations, Vulnerability and Religious Beliefs of the Elderly About HIV/Aids: an Integrative Review; Saberes, crenças religiosas e atitudes de mulheres idosas na prevenção ao HIV/Aids; A influência das crenças religiosas nas representações sociais de mulheres idosas frente ao HIV/Aids; Representações sociais sobre o HIV/Aids construídas por mulheres idosas de diferentes crenças religiosas. O primeiro compreende uma revisão sobre as representações sociais, vulnerabilidade e crenças religiosas de pessoas idosas sobre HIV/Aids; o segundo artigo trata de como as crenças religiosas influenciam nas representações sociais e nas formas de vulnerabilidade ao HIV/Aids; o terceiro artigo, evidencia as dimensões de representações sobre a vulnerabilidade ao vírus HIV segundo as mulheres idosas, centradas nas suas crenças religiosas que influenciam à adoção de medidas preventivas; o quarto artigo, explora os conteúdos das representações sociais sobre HIV/Aids segundo mulheres idosas e as questões centradas em dimensões culturais, educacionais, comportamentais e religiosas. Conclusão: observou-se que as representações sociais das mulheres idosas sobre diferentes formas de vulnerabilidade ao HIV e adoção de práticas de saúde delineadas por crenças religiosas, necessitam de ações dos profissionais da saúde que abordem os aspectos da sexualidade no envelhecimento.
  • KAMYLA FELIX OLIVEIRA DOS SANTOS
  • TERAPIA COMPORTAMENTAL PARA CONTROLE DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA DE ESFORÇO EM MULHERES IDOSAS: construção e validação de protocolo de intervenções de enfermagem
  • Data: 29/04/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: nas últimas décadas tem surgido o interesse por opções de tratamentos cada vez menos invasivos, de baixo custo e com eficácia comprovada para incontinência urinária de esforço, a exemplo da terapia comportamental. Verifica-se, atualmente, uma diversidade de cuidados que não seguem uma padronização e a prática baseada em evidências. Assim, justifica-se a necessidade da elaboração de protocolos assistenciais específicos de enfermagem para melhoria da qualidade da assistência às mulheres idosas incontinentes. Com o intuito de respaldar a prática assistencial do enfermeiro no processo de empoderamento de mulheres idosas quanto à terapia comportamental, utilizou-se como referencial teórico deste estudo a Teoria do Controle Urinário, derivada da Teoria de adaptação de Roy. Objetivo: construir um protocolo de intervenções de enfermagem relativa à terapia comportamental para o processo adaptativo de mulheres idosas com incontinência urinária de esforço perante o controle urinário. Método: trata-se de um estudo metodológico. Os passos para construção do protocolo foram norteados pela Organização Mundial de Saúde. A coleta dos dados ocorreu no período de julho de 2015 a fevereiro de 2016. Inicialmente, realizou-se revisão integrativa da literatura para seleção das diretrizes clínicas, além das intervenções e atividades de enfermagem propostas pela Classificação de Intervenções de Enfermagem para o controle da incontinência urinária de esforço. Em seguida, realizou-se a síntese do material empírico e análise crítica e reflexiva para seleção das melhores evidências clínicas. Esses achados subsidiaram a elaboração do instrumento de coleta de dados para etapa de validação por consenso de especialistas. Este estudo foi apreciado pelo Comitê de Ética do Centro de Ciências e Saúde da Universidade Federal da Paraíba e aprovado sob registro de Protocolo nº 0561/15 e CAAE: 50061015.1.0000.5188. Resultados: foram selecionadas 14 intervenções entre as melhores evidências acerca da terapia comportamental das três diretrizes clínicas internacionais que foram contempladas em 11 intervenções de enfermagem da Classificação das Intervenções de Enfermagem. Além disso, elencaram-se 138 atividades propostas pela Classificação das Intervenções de Enfermagem, que foram consensualmente validadas pelos especialistas, para operacionalização das intervenções de enfermagem. As intervenções e atividades de Enfermagem elegíveis foram relacionadas a quatro eixos norteadores da terapia comportamental que contemplam os modos de Adaptação da Teoria do Controle Urinário. No eixo motivação para continência, abordou-se a modificação do comportamento e ensino: indivíduo; na mudança no estilo de vida, o controle do peso e monitorização hídrica; no controle dos hábitos miccionais, o controle da eliminação urinária, cuidados na incontinência urinária, assistência no autocuidado: uso do vaso sanitário, cuidado com o períneo, reeducação vesical e controle de medicamentos; enquanto que no treinamento do assoalho pélvico, os exercícios para musculatura pélvica. Conclusão: o protocolo em questão gera na população-alvo uma resposta adaptativa simultânea entre os modos de adaptação sustentados pela Teoria do Controle Urinário, subsidiando importantes contribuições para a pesquisa, para o ensino e para a prática da Enfermagem, sendo aplicável nos serviços de Atenção Primária, especialmente na implementação de educação continuada que incorpore recursos materiais técnico-científicos para a garantia e um cuidado de enfermagem efetivo com vistas ao manejo da incontinência urinária de esforço.
  • INDIARA CARVALHO DOS SANTOS PLATEL
  • CUIDADO AO PACIENTE NA TERMINALIDADE: VIVÊNCIA DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE DE UM SERVIÇO DE ATENÇÃO DOMICILIAR
  • Data: 25/04/2016
  • Hora: 10:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Cuidar é uma ação dotada de responsabilidade e corresponsabilidade, na qual se devem considerar as diferentes dimensões e reais necessidades do ser humano. É uma característica peculiar a todos os profissionais da saúde, dos quais demanda práticas fundamentadas na promoção da qualidade de vida, principalmente considerando a assistência ao doente em condição de terminalidade. Este estudo teve como objetivo investigar a vivência de profissionais da saúde de um Serviço de Atenção Domiciliar no cuidado voltado para o paciente na terminalidade. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, norteada pelos critérios estabelecidos no Relatório Pesquisa Qualitativos – COREQ. O cenário envolveu o Serviço de Atenção Domiciliar, localizado no município de João Pessoa – PB. Participaram do estudo vinte profissionais de nível superior: duas médicas, seis enfermeiras, cinco fisioterapeutas, duas nutricionistas, duas psicólogas, duas fonoaudiólogas e uma assistente social das Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar e das Equipes Multiprofissionais de Apoio. Para apreender o material empírico, foi empregada a técnica de entrevista, que seguiu um roteiro contendo questões norteadoras pertinentes ao objetivo proposto para o estudo. Os dados foram coletados no período de fevereiro a maio de 2015, depois da concordância da Gerência de Educação em Saúde do referido município e da aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde, conforme certidão com registro CAAE, sob o número: 39989514.0.0000.5188. O material empírico foi analisado qualitativamente, por meio da técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin. Resultados: A partir da análise dos dados, emergiram dois manuscritos originais. O primeiro, intitulado “Vivência de profissionais de um serviço de atenção domiciliar ao cuidar de pacientes na terminalidade”, do qual foram identificadas três categorias: “Humanização na assistência ao paciente em terminalidade: promovendo autonomia, dignidade e qualidade de vida”; “O paciente em terminalidade: sentimentos vivenciados na promoção do cuidado”; e “Cuidar do paciente na terminalidade: constante aprendizado pessoal e profissional”. E o segundo, “Ações terapêuticas promovidas para o paciente na terminalidade: vivência de profissionais de um serviço de atenção domiciliar”, que resultou na construção de duas categorias: “Ações terapêuticas direcionadas às necessidades biológicas do doente terminal para promoção do conforto e da qualidade de vida” e “Ações terapêuticas promovidas para atender às necessidades psicossociais e espirituais do doente terminal”. Conclusão: A vivência de profissionais de saúde no ato de cuidar do paciente na terminalidade, no contexto domiciliar, fundamenta-se em uma assistência holística, com terapêuticas essenciais para o cuidado humanizado, que promova respeito e dignidade para o paciente em processo de finitude da vida.
  • GILVÂNIA SMITH DA NÓBREGA MORAIS
  • Importância do brincar para a criança em tratamento quimioterápico e mães acompanhantes: um estudo à luz da Teoria Humanística
  • Data: 06/04/2016
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o brincar exerce influência sobre o desenvolvimento infantil colaborando para apreensão de comportamentos, construção do conhecimento sobre a realidade em que a criança está inserida, bem como, expressão de sentimentos e emoções. Considerando que a criança acometida pelo câncer apresenta mudanças tanto do ponto de vista orgânico como na dimensão psicossocial, a brincadeira denota como um recurso no intuito de diminuir a ansiedade da criança frente ao desconhecido e de permitir a esta, a possibilidade de se mostrar autêntico. O presente estudo partiu da seguinte questão norteadora: qual a importância do brincar para crianças em tratamento quimioterápico e para as mães acompanhantes? Para responder a esta questão proposta, a pesquisa tem como objetivos investigar sobre a importância do brincar para a criança acometida pelo câncer em tratamento quimioterápico e para as mães acompanhantes; analisar os relatos de crianças e mães participantes do estudo à luz da Teoria Humanística de Enfermagem de Paterson e Zderad. Metodologia: trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa que inclui como cenário de investigação a clínica de oncologia pediátrica, assim como, o ambulatório de quimioterapia infantil de um hospital público situado na cidade de Campina Grande – PB. Participaram do estudo cinco crianças em tratamento quimioterápico e cinco mães acompanhantes. Para a coleta de dados, foi utilizada a técnica de entrevista a partir de um roteiro contendo questões norteadoras pertinentes aos objetivos propostos para a investigação. A coleta ocorreu entre os meses de maio e outubro de 2015 e só foi iniciada após aprovação do protocolo de pesquisa por um Comitê de Ética em Pesquisa. O material empírico foi analisado à luz da Teoria Humanística de Enfermagem. Resultados: a partir dos dados coletados, emergiram dois artigos: (1) Ser mãe de criança com câncer e a importância do brincar. (2) Experiência existencial de crianças em tratamento quimioterápico sobre a importância do brincar. O primeiro manuscrito permitiu apreender as mudanças que permeiam o existir de mães de crianças com câncer e que, a princípio, são determinadas pelo impacto do diagnóstico. No que concerne à importância do brincar, as genitoras destacam que as atividades lúdicas, além de ser uma fonte de prazer e alegria, colaboram para que as crianças fiquem menos ociosas. No segundo artigo, os discursos das crianças participantes do estudo revelam que o brincar no ambiente ambulatorial proporciona um momento de diversão e distração, minimizando a ansiedade relacionada ao tempo de espera. Além disso, os relatos evidenciam que a brincadeira desperta na criança uma sensação de estar-melhor contribuindo para que a mesma enfrente satisfatoriamente a realidade vivida. Conclusão: deste modo, o brincar se apresenta como um importante recurso que pode ser utilizado tanto durante a hospitalização quanto durante o tratamento ambulatorial quimioterápico infantil, sendo seus benefícios percebidos tanto pelas crianças quanto pelas mães acompanhantes.
  • EVELINE DE OLIVEIRA BARROS
  • Síndrome de Burnout em enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família
  • Data: 11/03/2016
  • Hora: 11:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Síndrome de Burnout (SB) é definida como um tipo de resposta prolongada a estressores emocionais, psicossociais e interpessoais crônicos relacionados ao trabalho, quando os meios de enfrentamento e prevenção são insuficientes. Essa dissertação constituiu-se por dois artigos: o primeiro, teórico, intitula-se “Síndrome de Burnout em enfermeiros: estudo bibliométrico de dissertações e teses no cenário brasileiro”. Objetivo: Caracterizar a produção científica acerca da SB em enfermeiros. Metodologia: Estudo Bibliométrico, constituído por dissertações e teses, publicadas no Brasil, no período de 2003 a 2015, disponibilizados na Biblioteca de Teses e Dissertações da USP, no Portal CAPES, no Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem e na Biblioteca Virtual de Saúde. Resultados: Identificaram-se 39 publicações, sendo 27 dissertações e 12 teses. O maior número de trabalhos foi realizado na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo. Prevaleceram trabalhos produzidos por pesquisadores com formação acadêmica em Enfermagem. Os estudos focalizaram a organização do trabalho como fator desencadeante da SB, assim como a prevalência e o risco de adoecimento por tal síndrome, e os profissionais de enfermagem mais pesquisados foram os que atuam na assistência hospitalar. Conclusão: A produção científica estudada ressalta a correlação da SB com as condições de trabalho. Percebe-se o interesse dos pesquisadores acerca da referida temática, embora tenha sido observado um número pouco expressivo de estudos no período investigado. Introdução: O segundo artigo trata-se de uma pesquisa original, intitulada: “Prevalência da Síndrome de Burnout e fatores sociodemográficos em enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família (ESF)”, cujos objetivos foram: avaliar a prevalência da SB em enfermeiros que atuam na ESF; caracterizar a presença da SB, de acordo com as dimensões da síndrome; e verificar a associação com alguns fatores sociodemográficos e condições de trabalho. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo exploratório-descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com enfermeiros atuantes nas Unidades de Saúde da Família (USF) do município de João Pessoa – PB. A coleta dos dados se deu através de um questionário estruturado e um instrumento validado para avaliar a SB. Os dados coletados foram codificados e analisados estatisticamente. Resultados: Dentre os 193 enfermeiros que compõem o universo do estudo, 183 participaram da pesquisa, predominando profissionais do sexo feminino, com companheiro fixo e filhos, com Pós-Graduação. A idade variou entre 24 e 69 anos. A maioria dos enfermeiros apresenta nível médio para a Síndrome de Burnout. No entanto, ressalta-se níveis preocupantes, indicativos de vulnerabilidade para desenvolver a síndrome. Dentre os fatores associados ao burnout, verificou-se que o problema é mais frequente nos enfermeiros sem companheiro conjugal, com carga horária de trabalho excessiva, que ultrapassa as 40 horas semanais, trabalhadas na ESF, assim como para aqueles que trabalham em horários além do período integral. Conclusão: Os dados verificados são preocupantes, tendo em vista a percepção da prevalência e vulnerabilidade da Síndrome de Burnout entre os profissionais que compuseram o presente estudo.
  • CÉLIA MARIA CARTAXO PIRES DE SÁ
  • Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa no Olhar dos Profissionais da Estratégia de Saúde da Família.
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 16:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O crescimento do número de pessoas com 60 anos ou mais é um dos mais expressivos fenômenos demográficos do Brasil. Essa realidade exige um olhar diferenciado em todas as instâncias do cuidado. A saúde do idoso é uma área estratégica da atenção básica, e o Ministério da Saúde criou a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa para identificar as vulnerabilidades e as singularidades dessa população e promover ações específicas para minimizar os agravos. Objetivo: Este estudo tem o objetivo de identificar as representações sociais sobre a caderneta de saúde da pessoa idosa elaboradas pelos profissionais da atenção básica. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório, com uma abordagem qualitativa, fundamentado na Teoria das Representações Sociais, e realizado nas Unidades de Saúde da Família do Distrito Sanitário V do município de João Pessoa-Paraíba/Brasil, do qual participaram 53 profissionais da área de saúde de forma aleatória. Os dados foram coletados a partir de uma entrevista semiestruturada, organizada em duas partes: a primeira contemplou a Técnica de Associação Livre de Palavras (TALP), com o termo indutor: Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa; a segunda foi constituída de questões relacionadas ao uso da caderneta pelos profissionais e informações sociodemográficas. Os dados coletados da TALP foram processados com o auxílio do software Iramutec, versão 0.7 alfa 2, e as questões abertas foram analisadas por meio da Técnica de Análise de Conteúdo Temática Categorial. O material advindo da análise de conteúdo apontou seis categorias associadas à Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, a saber: a) Ferramenta de cuidado; b) Instrumento de autonomia para o idoso; c) Recurso de informações sobre a saúde do idoso; d) Objeto de trabalho; e) Guia de acompanhamento da saúde do idoso e f) Suporte de saúde. Resultados: Dos entrevistados, 86,8% disseram que utilizam a caderneta de saúde da pessoa idosa; 3,8%, que não conhecem, e 9,4%, que têm acesso à caderneta, mas não a utilizam. Os profissionais representam a caderneta com conteúdos predominantemente positivos, associam-na tanto a imagens positivas quanto negativas e se posicionam favoráveis ao seu uso, por contemplar informações valiosas a serem consideradas na atenção à saúde da pessoa idosa, de modo a consolidar políticas públicas de saúde voltadas para um envelhecimento ativo e saudável. Conclusão: Apreender representações sociais construídas pelos profissionais da atenção básica relacionadas à Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa poderá contribuir para fundamentar discussões a respeito de aumentar o número de adesão dos idosos e dos profissionais à caderneta, como um instrumento de promoção da saúde de pessoas em processo de envelhecimento.
  • IVONEIDE LUCENA PEREIRA
  • EVOLUÇÃO DA INFECÇÃO PELO HIV/AIDS NA POPULAÇÃO JOVEM DA PARAÍBA NO PERÍODO DE 2007 A 2014
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O controle da infecção pelo HIV/Aids continua sendo um desafio para a saúde pública e envolve várias áreas de conhecimento, como direitos humanos, qualidade de vida, políticas de medicamentos, propriedade industrial, diversidade, entre outras. A infecção pelo HIV/Aids é um fenômeno cuja forma de ocorrência causa impacto nos princípios morais, religiosos e éticos, associando-se às questões relativas à sexualidade, ao uso de drogas e à moralidade conjugal. O início da epidemia esteve diretamente associado a homossexuais masculinos, usuários de drogas injetáveis e profissionais do sexo, porém, nos últimos anos, a população jovem vem sendo acometida por um aumento das notificações. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo analisar a epidemia de aids na população jovem da Paraíba, no período de 2007 a 2014, considerando variáveis sociodemográficas e epidemiológicas. Metodologia: Trata-se de um estudo ecológico de série temporal e de abordagem quantitativa, realizado com o banco de dados do Sistema de Informação de Notificação e Agravos Nacional (Sinan), referente aos dados do tipo secundário quanto às notificação dos jovens com aids com idades de 15 a 24 anos, no período de 2007 a 2014. A base de dados foi composta por 329 casos registrados, transportados para a planilha do programa Excel. As variáveis sociodemográficas e epidemiológicas contidas na ficha de notificação foram submetidas à estatística descritiva, verificando-se as taxas de incidências e risco relativo de aids por macrorregião do Estado. Resultados: A infecção por aids, na população jovem do estado da Paraíba, apresentou um número maior de casos na macrorregião I (70, 5%), na faixa etária de 22 a 24 anos (60, 4%). A maioria deles com escolaridade no ensino fundamental (52%) e cor parda (68%).Vale destacar casos em indígenas (0, 9%), com concentração na zona urbana (90, 8%) e no modo de transmissão sexual (71, 7%). A macrorregião I apresenta maior taxa de incidência de casos e risco relativo superior ao risco global do Estado em toda a evolução temporal em relação às demais macrorregiões. O ano de 2007 chama à atenção para uma evolução elevada da taxa de incidência de casos em todas as macrorregiões do Estado. Os dados permitiram a visualização da evolução temporal da infecção por aids na população jovem da Paraíba. Conclusão: A infecção por aids na população jovem do Estado apresenta oscilações em sua evolução, com tendência a se elevar nas taxas de incidência e risco de infecção para o vírus nas macrorregiões do estado. Os aspectos sociodemográficos e epidemiológicos dos jovens com aids reforçam a necessidade de ações direcionadas à prevenção e à assistência ao público jovem.
  • KAROLINE DE LIMA ALVES
  • VIOLÊNCIA E MAUS-TRATOS CONTRA PESSOA IDOSA: um estudo de Representações Sociais
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Considerando o aumento da população idosa e dos casos de violência relacionado ao idoso, sabe-se que o processo natural do envelhecimento, está caracterizado pela diminuição de algumas funções físicas ou psicológicas, que levam o idoso a uma maior dependência e necessidade de cuidados específicos, por muitas vezes realizado pelos familiares ou por pessoas próximas ao idoso. A violência tratar-se de um fato real que causa danos, contra si próprio, contra outra pessoa, ou contra um grupo, que pode resultar em dano permanente ou até mesmo a morte. Os maus-tratos a pessoa idosa, compreende uma das formas de expressão de violência bastante frequente e de difícil abordagem por parte dos profissionais de saúde em face da pouca habilidade no trato destas situações. Este estudo teve como objetivos de identificar as representações sociais sobre violência e maus-tratos contra pessoa idosa em diferentes faixas etárias. Trata-se de um estudo exploratório de abordagem mista fundamentado no aporte teórico das representações sociais, priorizando as falas dos colaboradores. Os resultados apontaram: grupo 1 com idade 18–29 anos, média 24,06 anos, solteiros, com escolaridade ensino médio completo, com estado de saúde muito bom; grupo 2, de 30–59 anos, média 45,04 anos, com desvio padrão 8,43 anos, casados, com escolaridade, nível médio completo, bom estado de saúde; grupo 3, 60 anos acima, apresentou 66,82 anos média e 6,17 anos desvio padrão, casados, com escolaridade, nível médio completo, relataram bom estado de saúde. A análise do corpus textual, referente às representações sociais da violência e maus-tratos contra idosos, resultaram em seis classes semânticas, com aproveitamento de 82% do corpus, apresentadas pela Classificação Hierárquica Descendente: classe um – Dimensões Socioafetivas, formada por mulheres: Insensibilidade, Angustia, Impotência, Sofrimento, Insanidade, Doença, Tristeza, Medo, Dor; classe dois – Causas e Vítimas, idosos, viúvos, com escolaridade da 7º, 8º, 9º ano / 3º ciclo do ensino básico: falta de educação, drogas, Brasil, juventude, crianças, idosos; classe três – Motivações e Justificativas, colaboradores com idade de 30 a 59 anos: abuso, maldade, maus-tratos, crime, brutalidade; classe quatro - Dimensão Jurídica, homens, com ensino médio completo: leis, violação dos direitos, punição; classe cinco – Atos violentos, escolaridade do ensino primário/1.º ciclo do ensino básico a 5º, 6º ano/2.º ciclo do ensino básico: agressão, roubo, matar, privação de alimentos; classe seis – Tipos de violência, divorciados, escolaridade não definida: física; verbal; e psicológica. Os colaboradores representam violência e maus-tratos como duas dimensões diferenciadas, sendo maus-tratos uma forma de violência. Apontam o setor jurídico, indispensável para a prevenção da violência. Desse modo, as representações consideradas nas diferentes faixas etárias como ações de violência: o ato físico e verbal, a negligência, o abuso financeiro, entre outros. O conhecimento sobre os tipos e formas de violência, possibilita a identificação e prevenção da violência, e a elaboração de estratégias de prevenção. Espera-se que os resultados possibilitem o aumento nas discussões sobre a violência e maus-tratos contra o idoso, e o avanço na elaboração e aplicação de políticas públicas voltadas a pessoa idosa.
  • PATRICIA SIMPLICIO DE OLIVEIRA
  • O USUÁRIO DIABÉTICO DIANTE DA DOENÇA: CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICAS DE AUTOCUIDADO
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O controle metabólico é considerado o principal objetivo no tratamento do DM, por sua má gestão determinar o surgimento de complicações crônicas precocemente, levando à alta morbimortalidade. Nessa direção, para que haja adequado manejo e controle do DM, a prática de atividades de autocuidado é a principal estratégia para atingir resultados positivos, considerando que as pessoas acometidas e os familiares são responsáveis por mais de 95% do tratamento. Objetivos: Caracterizar o perfil das pessoas com DM segundo as variáveis sociodemográficas, clínicas e laboratoriais; identificar os escores de conhecimento, de atitude e de práticas de autocuidado das pessoas com DM; relacionar os escores de conhecimento, de atitude e de práticas de autocuidado com as variáveis sociodemográficas e clínicas das pessoas com DM. Método: Estudo transversal de abordagem quantitativa realizado com 110 pessoas com DM no ambulatório de endocrinologia do Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba, durante fevereiro a junho de 2015. Para a coleta de dados foram utilizados quatro instrumentos: o primeiro foi construído pela pesquisadora contendo as variáveis sociodemográficas, clínicas e laboratoriais; o segundo e o terceiro referem-se aos instrumentos Questionário de Conhecimento (Diabetes Knowledge Questionnaire - DKN-A) e o Questionário de Atitudes Psicológicas do Diabetes (Diabetes Attitude Questionnaire - ATT-19); sendo o quarto o Questionário de atividades de autocuidado com diabetes – QAD. Para a análise dos dados, foram utilizadas técnicas de estatística descritiva e de análise inferencial, considerando um nível de significância de 95% e utilizando os testes: Exato de Fischer, Qui-quadrado e T Student. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley da Universidade Federal da Paraíba, segundo CAEE 39539014.0.0000.5183. Resultados: As características sociodemográficas, clínicas e laboratoriais aumentam o risco de morbimortalidade para as pessoas estudadas, além de serem impeditivos para a realização do autocuidado. Verificou-se que 93 (84,5%) pessoas com DM possuem déficit de conhecimento e 108 (98,2%) apresentam atitudes negativas de enfrentamento; a escolaridade e a renda mostraram-se estatisticamente significantes, assim como o tipo de DM autorreferido para a aquisição de conhecimento e realização do autocuidado. Realiza-se com maior frequência a terapia medicamentosa oral; encontrada significância estatística entre as variáveis sociodemográficas e clínicas. Conclusão: O estudo permitiu identificar que as pessoas com DM investigadas possuem caraterísticas sociodemográficas, clínicas e laboratoriais que contribuem para o surgimento cada vez mais precoce de complicações. Além disso, ficou evidenciado que essas variáveis podem influenciar o conhecimento, as atitudes e as atividades de autocuidado desempenhadas pelo indivíduo acometido. Além dessas características, os participantes apresentaram déficit de conhecimento e dificuldades no enfretamento da doença. Em contrapartida, demonstraram boa adesão ao tratamento por meio das atividades de autocuidado.
  • JEFERSON BARBOSA SILVA
  • MULHERES INVISÍVEIS, MENTES ESQUECIDAS: A saúde mental de mulheres sob privação de liberdade
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O aumento gradativo da violência na sociedade brasileira vem resultando no expansão da população carcerária ao longo dos últimos anos. O crescimento das instituições prisionais não acompanhou o rápido avanço do número de presos gerando condições inadequadas e um sistema penal, cujo caráter, é fortemente punitivo. Tais fatos, culminam em uma dificuldade na prática dos direitos humanos, resgate da sua cidadania, assistência a saúde, reabilitação e consequente reinserção na sociedade. Diante disso, percebe-se em estudos internacionais e nacionais altas prevalências de quadros psiquiátricos na população prisional, em especial na população prisional feminina. Deste modo, objetivou-se investigar a prevalência de sofrimento mental em mulheres que se encontram em situação de privação de liberdade. Foi realizado um estudo descritivo de abordagem quantitativa desenvolvido na penitenciária com maior concentração de população feminina sob cárcere do Estado da Paraíba, o Centro de Reeducação Maria Júlia Maranhão, na cidade de João Pessoa. A população de mulheres detentas estudada foi de 269 mulheres. Foram utilizados na coleta de dados o questionário sociodemográfico e jurídico, o Self-Reporting Questionnaire (SRQ- 20) e o Inventário de Sintomas de Stress para adultos de Lipp (ISSL). Os dados foram agrupados em planilhas do programa Excel, e tratados estatisticamente com o software SPSS versão 20.0. Para obtenção dos resultados foram realizados: análise descritiva e exploratória de dados e teste de associação de qui-quadrado. As mulheres do estudo eram predominantemente paraibanas, na faixa etária de 18 a 30 anos (64,7%), com ensino fundamental incompleto (54,2%), sem relação conjugal (63,6%) e com filhos (82%). O tráfico de drogas (46%) e associação ao tráfico (22%) são as principais causas de aprisionamento. Verifica-se que apenas 17,8% trabalham e 20,1% estudam na prisão. A prevalência de sofrimento mental estava presente em 82,4% das mulheres privadas de liberdade e a prevalência de estresse foi constatada em 95,2% delas. A associação estatística foi percebida entre as variáveis, presença de sofrimento mental e gravidez na prisão (p= 0,01) e presença de estresse e aglomeração nas celas (p= 0,02). Através dessa pesquisa, percebeu-se que o perfil prisional feminino são de mulheres na faixa etária de adultos jovens, solteira, com histórico de abandono afetivo após o encarceramento, mães de em média 2 filhos, com baixa escolaridade e que exerciam atividades laborativas de baixo prestigio social. No que se refere especificamente à saúde mental, verificou-se, que a população prisional feminina padece de um alto índice de sofrimento mental e estresse, sendo o aparecimento desses problemas mais prevalentes em mulheres que não vivenciam a maternidade no cárcere e as que encontram-se em locais com grandes aglomerações de pessoas (o que é comum nesse ambiente).
  • MAILSON MARQUES DE SOUSA
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE DE PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A insuficiência cardíaca (IC) é uma síndrome crônica, progressiva, caracterizada pela incapacidade do coração em bombear sangue o suficiente para atender as necessidades metabólicas e teciduais do organismo. Os pacientes com IC apresentam uma série de sintomas como dispneia, ortopneia, fadiga, edema, ascite, entre outros que comprometem a capacidade funcional, afetando a percepção da qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS). O objetivo delineado para a investigação consistiu em avaliar a qualidade de vida relaciona à saúde de pacientes com insuficiência cardíaca. Trata-se de um estudo descritivo, de corte transversal, com abordagem quantitativa, realizado em duas instituições públicas do município de João Pessoa - PB. A amostra não probabilística, por conveniência foi constituída de 84 pacientes em seguimento ambulatorial. Utilizou-se um instrumento para caracterização sociodemográfica e clínica elaborado pelo pesquisador responsável e o questionário Minnesota Living Heart Failure Questionnaire (MLHFQ) para avaliar a QVRS. Os dados foram processados pelo programa estatístico Statistical Package for Social Science. Realizou-se análise descritiva para todas variáveis. Para avaliar a correlação das variáveis sociodemográfica e clínica com os escores de QVRS, foi utilizado o teste de correlação de Pearson. A consistência interna do instrumento avaliada através do alfa de Cronbach foi considerada boa (α = 0,90). Os participantes apresentaram idade média de 58,82±12,78, (53,6%) era do sexo feminino, (67,8%) casados ou viviam em união estável e (58,3%) aposentados, (56,0%) com ensino fundamental incompleto/completo, (72,6%). O perfil clínico revelou que a comorbidade mais frequente foi à hipertensão arterial sistêmica (63,1%), a etiologia da IC mais evidenciada foi a não isquêmica (72,6%). A maioria dos participantes (44%) encontrava-se em classe funcional I segundo os critérios da New York Heart Association e com média de fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) de 50±14,6%. A medida da QVRS evidenciou escore médio de 33,13±19,66, sendo a dimensão física a mais prejudicada. Na análise inferencial, foi encontrada correlação negativa significante entre idade e QVRS (r= -0,378; p=0,01). Os achados deste estudo evidenciam uma menor influencia da IC na QVRS. Constatou-se que a idade influência na percepção da QVRS. A boa QVRS dos pacientes pode ser explicada pelo fato da maioria se encontrar sem sintomatologia ou com sintomas desencadeados a partir de esforços. Ressalta-se a importância de assegurar atendimento ambulatorial por equipe multiprofissional qualificada, a fim de prevenir a descompensação da doença e preservar a boa QVRS dos pacientes.
  • SERGIO AUGUSTO SILVA PAREDES MOREIRA
  • ENVELHECIMENTO, CONDIÇÕES DE SAÚDE E ATIVIDADES FÍSICAS
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O crescimento da população idosa tem implicações para os diferentes países, uma vez que é preciso pensar na sua proteção social. Durante o envelhecimento ocorrem progressivas e importantes alterações fisiológicas em órgãos e sistemas, como: diminuição e alteração da composição muscular e da massa óssea; diminuição da capacidade cardiorrespiratória capaz de comprometer o desempenho de tarefas diversas, como as mais simples do dia-a-dia. Caracteriza-se como atividade física qualquer movimento do corpo em decorrência da contração dos músculos esqueléticos realizada em diferentes locais como: trabalho; deslocando-se a pé ou de bicicleta; em atividades domésticas e de lazer. Os objetivos do estudo foram: identificar as doenças autorreferidas realizadas pelos idosos; destacar as atividades realizadas e relacionar tais atividades físicas às doenças autorreferidas. Estudo exploratório de abordagem quantitativa realizado com 480 idosos do município de João Pessoa-PB, Brasil, de ambos os sexos com idade igual ou superior a 60 anos. O processo de amostragem foi probabilístico, por conglomerado de duplo estágio. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista no domicílio dos idosos, no período entre Janeiro de 2011 e Outubro de 2011, após aceitarem participar da pesquisa e assinarem o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, o projeto foi aprovado pelo sob o Nº 261/09 e FR: 294027. Os dados obtidos das entrevistas foram organizados em dois bancos de dados preparados especificamente para cada etapa do instrumento, utilizando o software SPSS 20.0. Entre os idosos investigados, observou-se que a prática de atividades físicas é mais presente na faixa etária entre 60 a 69 anos, no sexo feminino, casados ou em união estável, com renda superior a dois salários mínimos e mais de cinco anos de estudo. Observou-se um predomínio de idosos casados, com escolaridade superior a 5 anos e renda de até 2 salários mínimos. Quanto à distribuição de atividades desenvolvidas pelos idosos, comparando-se os dois cenários, um antes da entrevista, ou seja, antes de 2011 e outro na ocasião da entrevista verifica-se um aumento das atividades exclusivamente domésticas e uma diminuição da prática de atividades físicas associado a uma importante redução do trabalho remunerado, que caiu de 62,3% para 11,3%. Quanto às atividades desenvolvidas pelos idosos antes de 2011 e por ocasião da entrevista, verifica-se que houve um aumento na realização exclusiva de atividades domésticas, redução da prática de atividades físicas e de trabalho remunerado. Em relação às doenças autorreferidas a hipertensão arterial predominou em 59,5% dos idosos. Problemas de coluna e de visão foram mencionados por mais de 40,0% dos entrevistados, doenças articulares por 30,6%. A atividade física regular beneficia a saúde, melhorando-a em vários aspectos como: textura e qualidade muscular, melhora do equilíbrio, diminuição dos níveis pressóricos, glicêmicos e do colesterol, melhora da qualidade óssea e auxilia em fatores psíquicos. Na terceira idade os atos de promoção e manutenção da saúde se fazem necessários para um envelhecimento bem sucedido, com uma boa saúde física e mental, em concordância com outros estudos.
  • GYL DAYARA ALVES DE CARVALHO
  • Compreendendo o gerenciamento do cuidado de enfermagem: dificuldades e estratégias sob a perspectiva de enfermeiros na assistência hospitalar
  • Data: 26/02/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A literatura descreve quatro dimensões inerentes ao trabalho da Enfermagem: cuidado, educação, gerência e produção do conhecimento. Há uma conexão entre a gerência e o cuidado, a qual conformou o conceito de gerenciamento do cuidado, com vistas a efetivá-lo, através do atendimento às necessidades do paciente, da equipe e da instituição de saúde. Objetivos: Analisar como os enfermeiros compreendem o gerenciamento do cuidado de enfermagem no ambiente hospitalar; discorrer sobre a ocorrência de articulação e divergências entre as atividades gerenciais e o cuidado direto; e construir um modelo teórico que represente a vivência dos enfermeiros quanto ao gerenciamento do cuidado. Método: Estudo exploratório-descritivo, com abordagem qualitativa, guiado pela Teoria Fundamentada nos Dados, como referencial teórico e metodológico. A população participante do estudo constituiu-se de 12 enfermeiros de um hospital-escola, localizado em João Pessoa, Paraíba. Os dados foram coletados por meio da aplicação de questionário e de entrevista semiestruturada. No fim do processo, a análise prosseguiu com vistas a identificar os fenômenos e a categoria central do estudo. Resultados: Com base na análise dos dados, foram identificados dois fenômenos que compuseram as discussões do estudo: 1 – Compreendendo o gerenciamento do cuidado de enfermagem; 2 – Vivenciando dificuldades no desenvolvimento do gerenciamento do cuidado de enfermagem. Discussão: Procurou-se descrever a vivência e o conhecimento dos profissionais sobre a temática, apontando as dificuldades encontradas na prática do gerenciamento do cuidado e as estratégias utilizadas e propostas para a superação dessas limitações em relação ao desempenho de um cuidado integral e qualificado. Através da interação dos dois fenômenos, surgiu a categoria central do estudo: ‘Vivenciando o gerenciamento do cuidado de enfermagem’ e ‘Adotando estratégias para a superação das dificuldades em sua prática’. Conclusão: Os relatos dos profissionais demonstram o reconhecimento da importância do gerenciamento do cuidado para a qualificação da assistência, embora enfrentem dificuldades de ordem pessoal e organizacional para o seu desenvolvimento. Para tanto, evidenciam a relevância da SAE, do conhecimento técnico-científico e da comunicação, associados à qualificação das relações interpessoais, a fim de obter o conhecimento real das necessidades de cuidado e saúde dos pacientes, o que serve de base para o planejamento da assistência e, consequentemente, para a prática de um gerenciamento do cuidado adequado.
  • TARCIANE MARINHO ALBUQUERQUE
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA A VISITA DOMICILIAR AO RECÉM-NASCIDO NA PRIMEIRA SEMANA SAÚDE INTEGRAL
  • Data: 26/02/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O período pós-parto tem se configurado como o de mais riscos de morte para milhões de bebês, nos países em desenvolvimento, devido a lacunas nos cuidados de saúde desprendidos na atenção primária. Objetivo: Construir e validar um instrumento para a visita domiciliar ao recém-nascido na Primeira Semana Saúde Integral, na Atenção Primária à Saúde. Método: Trata-se de um estudo metodológico realizado em três fases: identificação dos indicadores empíricos, realizada através de revisão bibliométrica da literatura vigente e principais políticas e diretrizes nacionais e internacionais concernentes à saúde do recém-nascido; validação de conteúdo, através da análise de 12 juízes especialistas, considerando-se o índice de concordância (ser maior ou igual a 0,80) quanto à permanência de um item no instrumento, seguido de teste de fidedignidade Alfa de Cronbach; análise semântica, que se destina a investigar se o instrumento está compreensível para os profissionais de saúde que o utilizarão. Resultados: Foi possível isolar 524 indicadores empíricos, provenientes de manuais nacionais e internacionais, e 625 indicadores identificados a partir da literatura científica nos últimos onze anos. A análise dos especialistas, em todos os itens do instrumento, teve índice de concordância superior a 80%. O teste de fidedignidade Alfa de Cronbach resultou em um total de 0,908, caracterizando uma validação interna adequada para o instrumento. A análise semântica identificou que não havia dificuldade na compreensão dos itens. Conclusão: Acredita-se que esse instrumento tem potencial para melhorar a relação entre os profissionais e os familiares do recém-nascido, auxiliar na identificação de fatores de riscos e nortear a assistência visando reduzir a mortalidade neonatal.
  • FABIANA MEDEIROS DE BRITO
  • Dependência de Cuidados de Enfermagem de Pessoas Idosas Hospitalizadas: a realidade de uma unidade clínica
  • Data: 22/02/2016
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o envelhecimento ocorre de maneira multidimensional e específica em cada indivíduo, relacionando-se com os processos de transição demográfica e epidemiológica e implicando em uma maior demanda de cuidados em saúde. A importância da utilização de Teorias de Enfermagem, sobretudo no contexto hospitalar, é essencial para a identificação da dependência do idoso quanto aos cuidados de enfermagem. Objetivo: verificar a dependência de cuidados de enfermagem de pessoas idosas hospitalizadas em uma unidade clínica utilizando o Sistema de Classificação de Pacientes de Perroca. Método: trata-se de um estudo descritivo, epidemiológico, do tipo transversal, realizado na unidade clínica de um hospital-escola localizado na cidade de João Pessoa, no estado da Paraíba. A amostra foi constituída por 112 pessoas idosas. A coleta de dados ocorreu entre os meses de abril e junho de 2015 utilizando a técnica de entrevista estruturada e um formulário contemplando aspectos sociodemográficos e clínicos de interesse da pesquisa, as variáveis de classificação de pacientes baseadas no instrumento validado por Perroca e diagnósticos de enfermagem da NANDA-I, que emergiram dos indicadores empíricos presentes no instrumento de classificação de pacientes proposto por Perroca. Os dados foram compilados e analisados com o auxílio do programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences, versão 20.0. Realizou-se análise descritiva dos dados, regressão logística e testes de associações, considerando variável estatisticamente significativa quando p<0,05. Projeto aprovado em Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob o Protocolo nº 0668/2014 e CAAE nº 39399014.6.0000.5188. Resultados: observou-se prevalência de idosos do sexo feminino (69,6%), com idade entre 60 e 70 anos (34,8%), viúvos (48,2%), brancos (44,6%), com escolaridade entre um e três anos (43,8%), renda média de até 2 salários mínimos (92,0%) e aposentados/pensionistas (85,0%). Quanto às características clínicas, verificou-se que 55,0% dos idosos permaneciam hospitalizados há menos de uma semana, sendo os mesmos portadores, em especial, dos seguintes problemas de saúde: hipertensão arterial sistêmica (68,8%), diabetes (43,8%), pneumonia (34,8%) e infecção do trato urinário (18,8%). Constatou-se, sobretudo, que 34% dos idosos avaliados foram classificados na categoria de cuidados semi-intensivos e 33% em cuidados intensivos, revelando alto grau de dependência quanto aos cuidados de enfermagem. O presente estudo demonstrou, ainda, associação estatisticamente significativa acerca da presença dos diagnósticos de enfermagem de eliminação urinária prejudicada, déficit de autocuidado para alimentação e mobilidade no leito prejudicada ser capaz de aumentar a possibilidade de um idoso estar em dependência total dos cuidados de enfermagem. Conclusão: os resultados empíricos obtidos por meio desta pesquisa representam subsídios essenciais ao planejamento e à implementação de intervenções de enfermagem específicas a fim de melhorar a qualidade de vida, abrangendo o cuidado de enfermagem a pessoas idosas hospitalizadas.
  • VANESSA COSTA DE MÉLO
  • Câncer e espiritualidade: discurso de assistentes de uma instituição filantrópica
  • Data: 12/02/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A espiritualidade constitui importante estratégia de enfrentamento para pessoas que se encontram na experiência do câncer e necessitam de auxílio para superar as adversidades provocadas pela doença. Esta dissertação foi constituída por dois artigos: o primeiro, teórico, intitula-se Câncer e espiritualidade: um estudo bibliométrico. Objetivo: Mapear a produção científica nacional e internacional sobre câncer e espiritualidade, no período de 2005 a 2014. Metodologia: Estudo do tipo bibliométrico, cuja amostra foi constituída por 30 artigos, publicados no período de 2005 a 2014, disponibilizados nas bases de dados LILACS, Portal Capes, SciELO, MEDLINE e DOAJ. Resultados: Identificou-se uma maior concentração de artigos sobre a temática no ano de 2011, em periódicos internacionais voltados para temas relacionados à Oncologia, com procedência dos Estados Unidos e no idioma inglês. O maior quantitativo de publicações foi produzido por pesquisadores da área multiprofissional, de enfermagem e medicina, com titulação de pós-doutorado, na modalidade de artigo original e com pacientes. Conclusão: Os resultados obtidos demonstram a relevância da dimensão espiritual para a prática dos cuidados ao paciente com câncer, ressaltam a necessidade de que novas pesquisas possam ser desenvolvidas, com o intuito de aprofundar as discussões sobre essa temática, e abrem possibilidades para se pensar a inclusão da referida dimensão nos currículos dos cursos da área da Saúde. Introdução: O segundo artigo trata de uma pesquisa original: Busca de espiritualidade durante a experiência do câncer: vivência de voluntários de uma instituição filantrópica. Este teve os objetivos de compreender o discurso de voluntários sobre a busca de espiritualidade por pessoas na experiência do câncer, assistidas em uma instituição filantrópica; e investigar se a assistência oferecida a essas pessoas favorece uma melhora no estado geral de saúde e na qualidade de vida delas. Metodologia: Trata-se de um estudo de campo com abordagem qualitativa, realizado na União Espírita Diogo de Vasconcelos Lisboa (UEDVL), instituição espírita localizada no bairro Costa e Silva, na cidade de João Pessoa (PB), com treze voluntários. Para viabilizar a coleta dos dados foram utilizadas as técnicas de entrevista semiestruturada e observação sistemática. Os resultados foram analisados mediante a técnica de análise de conteúdo. Resultados: Da análise, emergiram três abordagens temáticas: “A compreensão dos voluntários sobre a busca de espiritualidade por pessoas na experiência do câncer”; “Assistência dos voluntários às pessoas que se encontram na experiência do câncer”; “Mudanças percebidas pelos voluntários nas condições de saúde das pessoas na experiência do câncer”. Conclusão: O presente estudo evidenciou a compreensão dos voluntários acerca da importância da espiritualidade como estratégia de enfrentamento durante a experiência do câncer e mostrou que a assistência prestada está baseada nas atividades desenvolvidas pela instituição e no respeito à individualidade dos assistidos, contribuindo para a melhoria do bem-estar e da qualidade de vida das pessoas que buscam auxílio na referida instituição durante a experiência do câncer. Assim, o estudo apresenta uma relevante contribuição para a prática dos voluntários, incluindo a dos profissionais inseridos na área da saúde.
2015
Descrição
  • VERBENA SANTOS ARAUJO
  • Representações Sociais sobre o cuidado no envelhecimento humano construídas por idosas
  • Data: 14/12/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se com esse estudo explorar as Representações Sociais sobre cuidado construídas por mulheres idosas frente ao envelhecimento humano. Tratou-se de um estudo exploratório, descritivo e transversal com abordagem qualitativa, pautado na Teoria das Representações Sociais, com ênfase nas dimensões (informação ou conhecimento, posicionamento ou atitude e imagem ou campo de representação). O material empírico originou-se de entrevistas semiestruturadas aplicadas com 40 idosas que participavam de grupos sociais, divididas equitativamente em idosas formadas no curso de Educação para o Envelhecimento Saudável da Universidade Aberta à Maturidade, vinculado a Universidade Estadual da Paraíba – UEPB (Grupo 1) e idosas integrantes do Centro de Convivência do Idoso do Município de Campina Grande/PB (Grupo 2). A coleta dos dados foi operacionalizada nos meses de outubro a dezembro de 2014 e seguiu criteriosamente as premissas da Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, sobre pesquisas envolvendo seres humanos, tendo aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa institucional, através do parecer nº 612/10. Os dados foram coletados a partir da entrevista semiestruturada e processados com auxílio do software Iramuteq. A Classificação Hierárquica Descendente (CHD) reteve 84,45% dos segmentos de texto, ou seja, o aproveitamento foi de 603 dos 714 presentes no corpus, organizados em cinco classes de respostas dos idosos associadas ao cuidado frente ao envelhecimento humano, as quais foram devidamente nomeadas pela pesquisadora e posteriormente analisadas: Classe 1: O cuidado na velhice; Classe 2: As possibilidades de aprender na velhice; Classe 3: Os laços afetivos do cuidado na velhice; Classe 4: A liberdade de ir e vir na velhice: a descoberta da autonomia; Classe 5: O cuidado como atitude geral, conjunto de práticas na velhice. As Representações Sociais do cuidado apreendidas nas cinco classes denotaram singularidades na velhice que convergiram para um cuidado consigo mesmo, assumindo uma postura voltada para o “cuidar do cuidado”. Nas classes 1 e 5 o cuidado foi abordado a partir de aspectos mais concretos, pautado em ações de prevenção e atitudes, seja de cunho fisiológico, preventivo ou curativo, perante o processo de envelhecimento em si que ajudam na manutenção da autonomia do idoso e bem-estar físico, psicológico e social, caracterizando a dimensão posicionamento ou atitude das representações sociais, enquanto as demais classes apontaram para representações voltadas aos aspectos mais subjetivos do cuidado, como observado na classe 2 que caracteriza a dimensão conhecimento ou informação acerca do fenômeno estudado, evidenciando que a contribuição da rede social em torno da pessoa idosa é essencial para a prática do cuidado de si nessa etapa de vida, na classe 3 que trouxe os laços afetivos que circundam as relações sociais dos idosos e na classe 4 que abordou a liberdade de ir e vir como possibilidade de socialização, classes essas que caracterizam a dimensão imagens ou campos de representação. Os grupos compartilharam Representações Sociais sobre o cuidado que convergiram para uma mesma realidade, a de que o cuidado de si é essencial para manter a satisfação em adentrar e viver a terceira idade na sua plenitude, que esse cuidado deve ser a tônica para a mudança de vida e adoção de práticas saudáveis havendo, portanto, importantes aproximações entre os dois grupos estudados e não divergências em relação a comportamentos ou práticas instituídas. As análises permitiram conhecer as dimensões subjetivas sobre o cuidado frente ao envelhecimento humano, enquanto um comportamento 7 que é socialmente típico e que denotam mudanças significativas na vida das idosas, principalmente no tocante as novas experiências e novas oportunidades evidentes nas Representações Sociais apreendidas.
  • LARA DE SA NEVES LOUREIRO
  • VALIDAÇÃO DO DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM TENSÃO DO PAPEL DE CUIDADOR EM FAMILIARES DE IDOSOS
  • Data: 03/12/2015
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Os elementos do diagnóstico de enfermagem da NANDA-I ‘Tensão do papel de cuidador’ podem não expressar adequadamente o fenômeno, conforme vivenciado pelos cuidadores familiares de idosos, em nosso contexto sociocultural. Objetivo: Validar o diagnóstico de enfermagem da NANDA-I ‘Tensão do papel de cuidador’ em cuidadores familiares de idosos dependentes. Método: Pesquisa metodológica subsidiada pelo modelo de validação de diagnóstico de enfermagem de Hoskins: análise de conceito, validação por especialista e validação clínica. Para proceder à análise conceitual, foram adotados o modelo proposto por Walker e Avant e os passos metodológicos da revisão integrativa da literatura. Na segunda etapa, participaram 30 enfermeiros especialistas, que avaliaram a pertinência dos elementos alcançados na análise conceitual do diagnóstico em estudo. Na etapa de validação clínica, participaram duas enfermeiras diagnosticadoras e 40 cuidadores familiares de idosos dependentes atendidos pelo Serviço de Atenção Domiciliar de João Pessoa-PB, para verificar, no ambiente clínico, os elementos identificados por meio da análise conceitual e da validação pelos especialistas. A coleta dos dados ocorreu no período de fevereiro de 2014 a setembro de 2015, e a análise feita numa abordagem quantitativa. Este estudo foi apreciado pelo Comitê de Ética do Centro de Ciências e Saúde da Universidade Federal da Paraíba e aprovado sob registro de Protocolo N°029/14 e CAAE: 26449113.6.0000.5188. Resultados: Na etapa de análise de conceito, foram identificados novos elementos (definição, características definidoras e fatores relacionados) do diagnóstico de enfermagem em análise e elementos comuns aos dispostos na NANDA-I, que foram definidos no âmbito teórico e operacional. Esses achados subsidiaram a elaboração do instrumento de coleta de dados da etapa de validação por especialista. Após apreciação dos especialistas, foram identificadas 48 características definidoras e 50 fatores relacionados pertinentes ao diagnóstico, assim como uma nova definição. Esses elementos foram apreciados no ambiente clínico, resultando na validação de 29 características definidoras, onze das quais não estão contempladas na Taxonomia da NANDA-I, 28 fatores relacionados, dos quais sete não estão dispostos nessa Taxonomia e a seguinte definição para o diagnóstico de enfermagem "Tensão do papel de cuidador": estado dinâmico de alteração do bem-estar biopsicossocial do cuidador, multideterminado e cumulativo, resultante do processo de cuidar de um parente ou de outras pessoas significativas. Por último, considerando os escores totais do diagnóstico analisado de 0,72 relativo à etapa de validação por especialistas e de 0,69 na etapa de validação clínica. Conclusão: Conclui-se que a validação do diagnóstico "Tensão do papel de cuidador", em nosso contexto, foi estimada como adequada. Trata-se de um estudo pioneiro, no que se refere à validação do diagnóstico "Tensão do papel de cuidador" no contexto brasileiro, subsidiando importantes contribuições para a pesquisa, para o ensino e para a prática da Enfermagem.
  • LUIPA MICHELE SILVA
  • MUDANÇAS E ACONTECIMENTOS AO LONGO DA VIDA: um estudo de representações sociais no contexto da saúde
  • Data: 01/12/2015
  • Hora: 14:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O curso de vida é marcado por diferentes acontecimentos e mudanças sociais, como por exemplo, a aposentadoria, o casamento, o nascimento dos filhos, entre outros. Sendo o envelhecimento o período da vida marcado por muitos deles. A escolha das representações sociais como aporte teórico para este estudo deve-se ao fato deste, viabilizar a apreensão do conhecimento cotidiano enfatizando dimensões sócio cognitivas sobre acontecimentos e mudanças ao longo da vida, importantes para saúde, contextualizadas socialmente no olhar de colaboradores de diferentes grupos etários e, na apreensão de sentidos associados a «velho» e «idoso». Os estudos têm os objetivos de analisar as mudanças e acontecimentos de saúde de colaboradores de diferentes grupos etários de idosos e identificar as representações sociais sobre «velho» e «idoso» nas diferentes faixas etárias. Trata-se de pesquisas exploratórias e transversais de repetição em uma abordagem mista, fundamentada no aporte teórico das representações sociais. As coletas de dados foram realizadas a partir de dois estudos, com a utilização um questionário semiestruturado formado por três partes: a primeira com questões sobre e do Teste de Associação Livre de Palavras, com os termos indutores: «velho» e «idoso» e, contemplando variáveis sociodemográficas. No primeiro estudo foram entrevistados 632 colaboradores e no segundo estudo 200 participantes. Os dados coletados foram processados com o auxilio do software Iramuteq e interpretados subsidiados na teoria das representações sociais e complementados pelo Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 22.0, na quantitativa, gerando três artigos: 1) Mudanças e Acontecimentos ao Longo da Vida: um estudo comparativo entre grupos de idosos; 2) Eventos de Saúde e Suas Características no Percurso de Vida de Idosos e, 3) Representações Sociais sobre Idoso e Velho em diferentes faixas etárias. Os acontecimentos e as mudanças ao longo da vida nos diferentes grupos etários apontou a família como a principal preocupação. Para os termos indutores: velho e idoso foram associados imagens negativas nos diferentes grupos etários, revelando assim, dimensões: sociais, biológicas, culturais e psicológicas negativas frente do envelhecimento, responsáveis por diferentes posicionamentos com as pessoas idosas desfavoráveis. Estes resultados podem auxiliar na elaboração de políticas e práticas de saúde singulares no campo do envelhecimento.
  • OLIVIA GALVAO LUCENA FERREIRA
  • Representações Sociais sobre Envelhecimento Ativo de Pessoas Idosas que Vivem com e sem Hiv/Aids.
  • Data: 30/11/2015
  • Hora: 16:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos observa-se um crescimento significativo da população idosa, decorrente dos avanços tecnológicos na área da saúde e das modificações nas condições socioeconômicas da população mundial. Esta mudança do perfil demográfico da população brasileira é um fator importante à compreensão da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (aids) em pessoas idosas, uma vez que continua aumentando o número de notificações da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) nessa faixa etária. No entanto, as pessoas idosas soropositivas tendem a apresentar os efeitos da imunodepressão de maneira mais acelerada que as outras faixas etárias, porque se somam as manifestações clínicas da aids os sinais e sintomas de outras doenças que podem estar atreladas ao envelhecimento, podendo assim, comprometer a sua autonomia, independência funcional e representação do envelhecimento. Neste sentido, este estudo torna-se relevante à implementação de ações que venham melhorar e/ou manter a saúde de idosos, durante o processo de envelhecimento e bem-estar, contribuindo também, com os profissionais da saúde na elaboração e execução de planos de ação terapêuticos e preventivos, visando a saúde da pessoa idosa. Este estudo tem como objetivo analisar as representações sociais sobre envelhecimento ativo, elaboradas por pessoas idosas com e sem HIV/Aids. Trata-se de um estudo exploratório, utilizando-se o aporte teórico da Teoria das Representações Sociais. Participam do estudo, 48 pessoas idosas, com idades entre 60 e 96 anos, divididas em dois grupos: pessoas idosas com e sem o diagnóstico de HIV/Aids. Os dados foram coletados a partir do Teste da Associação Livre de Palavras e entrevista semi estruturada e processados com auxílio dos softwares Iramuteq e Trideux. Os dados coletados e analisados foram interpretados subsidiados no referencial teórico adotado e apresentados em figuras, quadros e temas. Os resultados correlacionam-se entre si, possibilitando inferências acerca das representações sociais sobre o envelhecimento ativo permeada por dimensões positivas e negativas. Para o estímulo idoso ativo, sobressaíram os significados mais positivos e para o estímulo aids em idoso percebeu-se sentidos atrelados a condição de estar com o diagnóstico da doença aids. O envelhecimento ativo depende de uma diversidade de fatores determinantes que envolvem os indivíduos, familiares e sociedade. Proporcionar um envelhecimento bem sucedido a pessoa idosa soropositiva, é possível através da articulação de diversos setores e utilização de estratégias transdisciplinares à promoção da saúde, permitindo que este se mantenha autônomo, independente e participativo na sociedade.
  • ALANA TAMAR OLIVEIRA DE SOUSA
  • ÚLCERA VENOSA: PROPOSTA EDUCACIONAL PARA ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Data: 14/10/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Enfermeiros da Atenção Primária à Saúde (APS) têm encontrado dificuldades para assistir pessoas com úlcera venosa (UV), devido ao pouco conhecimento sobre a temática. Esta pesquisa emergiu como uma proposta educacional para esses profissionais, baseada na Teoria da Aprendizagem Significativa. Objetivo: Avaliar os efeitos da intervenção educativa pautada na Teoria da Aprendizagem Significativa, como estratégia para mudar o conhecimento teórico e prático de enfermeiros da APS no cuidado com a pessoa com úlcera venosa. Método: Pesquisa quase-experimental, do tipo antes-depois, com abordagem quanti-qualitativa, realizada com 78 enfermeiros que atuam nas unidades de Saúde da Família (USF) de João Pessoa/PB. Os critérios de inclusão foram: ter na área de abrangência da USF usuário com UV; ter a disponibilidade de horário para comparecer ao curso. Os critérios de exclusão foram: falta no primeiro ou no último dia e mais de uma falta durante a intervenção educativa. As etapas operacionais da pesquisa foram: (1) Elaboração dos instrumentos de coleta de dados; (2) Validade e fidedignidade dos instrumentos de coleta de dados; (3) Avaliação diagnóstica; (4) Intervenção educativa; (5) Avaliação quantitativa; (6) Avaliação qualitativa. A intervenção educativa ocorreu entre abril e junho de 2014, com carga horária de 35 horas. Os participantes responderam um instrumento autoavaliativo e um questionário com itens referentes à pessoa com UV, antes e depois da intervenção. Depois de seis meses, dez enfermeiros foram entrevistados para compor a análise qualitativa. Na análise dos dados quantitativos, utilizou-se a versão 21.0 do pacote estatístico SPSS, com análise descritiva e inferencial e equações estruturais no programa AMOS Grafics, versão 21.0. Na análise qualitativa, utilizou-se a técnica de análise do conteúdo de Bardin. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa, do Centro de Ciências da Saúde, sob o Protocolo nº 0708/13. Resultados: A maioria dos participantes é mulher (95%), com idades entre 26 e 69 anos, com tempo médio de formação de 18,6 anos e média de 12,7 anos de serviço na APS. O instrumento de autoavaliação se revelou confiável e identificou que o modelo bifatorial é o que mais bem explica a assistência de enfermagem à pessoa com UV, compreendida a partir da teoria e da prática. Na autoavaliação, houve um avanço nos escores entre o antes e o depois que, na escala de avaliação, saía de médias próximas a nenhum conhecimento para escores médios mais próximos de excelente, em quase todos os itens. Além disso, mais da metade dos participantes acertaram as questões sobre avaliação, prevenção e tratamento de UV, depois da intervenção, e houve expressivo aumento do número de acertos em relação às respostas “não sei”. Na análise qualitativa, emergiram as seguintes categorias: Categoria I - Avaliando o curso de capacitação; Categoria II - Barreiras para aplicação do conhecimento adquirido; Categoria III - Facilidades para a aplicação do conteúdo no cotidiano profissional. Conclusão: A intervenção educativa para enfermeiros da APS, à luz da Teoria da Aprendizagem Significativa, gerou mudança de conhecimento em relação ao cuidado com a pessoa com UV. Contudo, faz-se necessário manter a oportunidade de Educação Permanente em Saúde para esses profissionais.
  • ORIANA DEYZE CORREIA PAIVA LEADEBAL
  • Coordenação do cuidado às pessoas vivendo com HIV/Aids: Desafios no contexto da Assistência Ambulatorial Especializada
  • Data: 05/10/2015
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A variabilidade da natureza e complexidade das necessidades de atenção à saúde geradas pelo HIV/aids requerem abordagens no processo de produção e gestão do cuidado que considerem as características e demandas das pessoas e famílias afetadas pela infecção/adoecimento, bem como a constituição/consolidação de uma rede integrada de serviços de saúde que assegurem um cuidado contínuo e coordenado. Objetivos: Analisar a coordenação do cuidado às pessoas vivendo com HIV/aids assistidas em ambulatório especializado a partir da oferta e integração das ações e dos serviços de saúde. Método: Pesquisa epidemiológica, transversal do tipo inquérito, que envolveu 150 adultos vivendo com aids, usuários do ambulatório especializado de referência estadual da Paraíba. Os dados foram coletados entre julho de 2011 e julho de 2012, por meio de entrevistas e consulta ao prontuário, utilizando-se um questionário estruturado. Posteriormente, as informações foram submetidas a tratamento estatístico descritivo e inferencial, através do software Statistica 9.0 da Statsoft, aplicando-se cálculos de medida de frequência; análise de correspondência simples e múltipla; análise de variância robusta e teste-t; cálculo de mediana, média, desvio padrão e intervalo de confiança a 95% dos percentuais de satisfação em relação às variáveis da oferta e da integração; modelo de regressão logística; modelo de regressão linear simples e múltipla para análise de influências entre risco, oferta e integração. Resultados: Os perfis sociodemográfico e clínico são congêneres ao panorama nacional, com forte expressão da raça parda na população estudada e bons indicadores clínicos no momento da entrevista. Observou-se que 45,3% dos participantes foram incluídos no estrato de risco clínico alto; houve associação significativa das variáveis componentes para a determinação do escore de risco clínico; influência de linfócitos T CD4+ alto e carga viral indetectável para a categorização no grupo sem risco clínico; presença de doenças oportunistas e de manifestações clínicas para a estratificação no grupo de risco clínico, e diferenças significativas do risco clínico médio segundo situação empregatícia, classe econômica e cor. A oferta e a integração foram avaliadas como regulares, os indicadores melhor avaliados reforçam uma visão biologicista do cuidado, tendo como principais fragilidades a atenção às necessidades psicossociais, intersetorialidade e gestão da informação. Dentre os usuários que avaliaram estes componentes como insatisfatórios, foram prevalentes aqueles no estrato de risco clínico alto. Conclusões: As fragilidades identificadas na oferta e na integração comprometem o desempenho do ambulatório dentro da rede para a provisão de cuidado coordenado, além de invocarem medidas de enfrentamento nos níveis meso e micro de organização do sistema para qualificação da atenção às necessidades das pessoas que vivem com HIV/aids.
  • ALYNNE MENDONCA SARAIVA
  • HISTÓRIAS DE MULHERES CUIDADAS POR PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES: UM ESTUDO ETNOGRÁFICO
  • Data: 31/08/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As transformações socioeconômicas e culturais da sociedade engendraram, nas últimas décadas, uma cultura de individualismo e exclusão. Essas mudanças atingem, principalmente, as mulheres ao lhes provocarem desamparo, baixa autoestima e solidão. Tais sentimentos são revelados, muitas vezes, sob a forma de dor ou doença. Como consequência dessas agressões sociais, as mulheres vêm buscando recursos terapêuticos que possam dar uma resposta as suas necessidades físicas, psicológicas e espirituais. As práticas integrativas e complementares trazem essa proposta de cuidado integral e vêm sendo cada vez mais procuradas pelo público feminino. Nesse sentindo, esse trabalho teve como objetivo principal: analisar as histórias de mulheres que buscaram práticas integrativas e complementares, ressaltando os aspectos que foram significativos para a compreensão e participação delas no processo de cuidado. O estudo obedeceu os preceitos da Resolução 466/12, sendo aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob CAA:39806114.0.0000.5188. Esta pesquisa foi conduzida segundo um referencial antropológico e de acordo com o método etnográfico. Para a produção de material empírico, utilizou-se a técnica da História Oral temática com 8 mulheres, usuárias do Centro de Práticas Integrativas e Complementares, no município de João Pessoa/PB. A análise e a interpretação do material foram feitas com base nas unidades de significado (temas) mais evidentes e constantes nas narrativas e no tom vital de cada história. Assim, foram elaboradas as seguintes categorias: a) Fontes e manifestações do sofrimento feminino, b) Itinerários terapêuticos e rituais de cuidado das mulheres e c) A reconstrução da identidade e produção de alteridade: caminhos para o protagonismo feminino. Nas histórias relatadas, observou-se que as mulheres buscaram cuidados pois referiam tristeza, baixa autoestima, solidão, cansaço, dor, desamparo, ansiedade e insegurança. Essas queixas estavam associadas aos sofrimentos vivenciados relativamente às perdas afetivas, sobrecarga de cuidados, migração, interrupção de projetos de vida, sobrecarga laboral e conflitos familiares. Os caminhos traçados na procura de cuidados foram influenciados, principalmente, pelo contexto sociocultural de cada colaboradora, de modo que muitas delas recorreram, primeiramente, aos serviços biomédicos. Embora nem todas as colaboradoras tivessem passado por esses serviços antes de recorrerem às práticas integrativas e complementares, elas evidenciaram divergências entre a abordagem da medicina alopática e as PICs, principalmente no que se refere à terapêutica empregada, à relação profissional-usuária e à crença na eficácia terapêutica. O cuidado por meio das práticas integrativas e complementares propiciaram, a essas mulheres, uma maior autonomia; favoreceram a construção de vínculos; o resgate da autoestima; promoveram o emponderamento e as levaram a ressignificarem suas vidas e suas histórias.
  • DÉBORA RAQUEL SOARES GUEDES TRIGUEIRO
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE AIDS E SEXO ENTRE MULHERES EM SITUAÇÃO DE PRIVAÇÃO DE LIBERDADE
  • Data: 31/08/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A expansão da aids para grupos com menores suportes sociais, incluiu entre as prioridades de enfretamento da epidemia o fortalecimento de ações estratégicas voltadas para mulheres em situação de cárcere. Objetivo: Explorar, analisar e correlacionar as representações sociais sobre a aids e sexo no cárcere construídas por mulheres privadas de liberdade. Método: Estudo exploratório, descritivo, subsidiado no aporte teórico das Representações Sociais, com abordagem quali-quantitativa, realizado no Centro de Reeducação Feminina de João Pessoa-PB. Metodologicamente, configurou-se em duas etapas: na primeira, participaram 174 mulheres selecionadas por amostragem não probabilística. Para esse grupo, foi utilizado um questionário estruturado, contendo variáveis sociodemográficas e aplicado o Teste de Associação Livre de Palavras, elegendo-se como estímulos indutores: aids e sexo no cárcere. O corpus foi processado pelo software de Análise Textual-IRAMUTEQ, sendo efetuada a Classificação Hierárquica Descendente, Análise Fatorial de Correspondência e Análise de Similitude. Na segunda etapa, participaram 13 reclusas. Os dados empíricos foram obtidos por meio de entrevista semiestruturada e analisados por meio da técnica de análise de conteúdo, temática-categorial. Resultados: Foram conformadas cinco classes associadas ao estímulo aids: sofrimento no contexto de cárcere; vulnerabilidade e proteção; faces da aids; temor à aids; sentimentos e consequências sociais. Na classe um, as mulheres ancoram-se em dimensões biológicas/físicas e psicológicas, associando a doença a sintomas físicos debilitantes, sofrimento, desconhecimento, descuido, depressão e desassistência. Na classe dois, ancoram-se na dimensão biológica/física, associada à transmissão da doença, cuidado e medidas de proteção. Os elementos da terceira classe ancoram-se na dimensão sociológica, reiterando o caráter estigmatizante construído socialmente. Na quarta classe, o medo, a incurabilidade, o contágio e perigo ancoram-se na dimensão psicossociológica. Na classe cinco, os sentimentos de rejeição, solidão, abandono, desespero ancoram-se na dimensão psicossociológica. Quanto ao estímulo sexo, foram conformadas seis classes: rejeição e sentimentos correlacionados; significado do sexo; consequências; cuidado e prevenção; motivações relativas ao contexto e práticas sexuais. Na classe um, os sentimentos de rejeição às práticas sexuais homoafetivas ancoram-se na dimensão psicológica. Os conteúdos da classe dois associam sexo a afetuosidade e lazer (dimensão psicológica). Na terceira classe, os cuidados relacionados com corpo (higiene e prevenção) denotam respeito ao outro, ancorando-se na dimensão biológica/física. Na quarta classe, o sexo é produto de ciúme, briga, contaminação, medo, ancorando-se nas dimensões biopsicossociológica. Na quinta classe, os elementos motivacionais ao ato sexual ancoram-se nas dimensões físicas/psicológicas associados à vontade, necessidade, amizade, carência, curiosidade e carinho. O sexo toma forma a partir das imagens das práticas sexuais da classe seis, ancoragem biológica/física, com predominância do sexo oral, estimulação manual e prática sexual desvinculada de proteção. Conclusão: Os conteúdos representacionais sobre a aids e sexo, trazem um imbricado de valores sociais e contextuais que ora apontam conhecimentos reificados, ora são produtos do senso comum, resultantes da construção social e simbólica. A consideração deste amálgama representacional na garantia de um cuidado integral e contextualizado pode contribuir para a renovação das práticas, direcionamento de estratégias políticas e redução das iniquidades entre mulheres em situação de privação de liberdade quanto à forma de vivenciar as práticas sexuais e no controle ao HIV/Aids.
  • DÉBORA RAQUEL SOARES GUEDES TRIGUEIRO
  • Representações sociais sobre aids e sexo entre mulheres em situação de privação de liberdade
  • Data: 31/08/2015
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A expansão da aids para grupos com menores suportes sociais, incluiu entre as prioridades de enfretamento da epidemia o fortalecimento de ações estratégicas voltadas para mulheres em situação de cárcere. Objetivo: Explorar e analisar as representações sociais sobre a aids e sexo no cárcere construídas por mulheres privadas de liberdade. Método: Estudo exploratório, descritivo, subsidiado no aporte teórico das Representações Sociais, com abordagem quali-quantitativa, realizado em Centro de Reeducação Feminina de João Pessoa-PB. Metodologicamente, configurou-se em duas etapas: na primeira, participaram 13 reclusas. Os dados empíricos foram obtidos por meio de entrevista semiestruturada e analisados por meio da técnica de análise de conteúdo, temática-categorial. Na segunda etapa, participaram 174 mulheres selecionadas por amostragem não probabilística. Para este grupo, foi utilizado um questionário estruturado, contendo variáveis sociodemográficas e aplicado o Teste de Associação Livre de Palavras, elegendo-se como estímulos indutores: aids e sexo no cárcere. O corpus foi processado pelo software de Análise Textual-IRAMUTEQ sendo efetuada a Classificação Hierárquica Descendente, Análise Fatorial de Correspondência e Análise de Similitude. Resultados: Foram conformadas cinco classes associadas ao estímulo aids: condição de cárcere e sofrimento; vulnerabilidade e proteção; estigma da aids; temor à aids; negatividade e consequências sociais. Na classe um, as mulheres ancoram-se em dimensões biológicas/físicas e psicológicas, associando a doença a sintomas físicos debilitantes, sofrimento, desconhecimento, descuido, depressão e desassistência. Na classe dois, ancoram-se na dimensão biológica/física, associada a transmissão da doença, cuidado e medidas de proteção. Os elementos da terceira classe ancoram-se na dimensão sociológica reiterando o caráter estigmatizante construído socialmente. Na quarta classe, o medo, a incurabilidade, o contágio e perigo ancoram-se na dimensão psicossociológica. Na classe cinco, os sentimentos de rejeição, solidão, abandono, desespero ancoram-se na dimensão psicossociológica. Quanto ao estímulo sexo, foram conformadas seis classes: rejeição e sentimentos correlacionados; significado do sexo; consequências; cuidado; motivações e práticas sexuais. Na classe um, os sentimentos de rejeição às práticas sexuais homoafetivas ancoram-se na dimensão psicológica. Os conteúdos da classe dois associam sexo a afetuosidade e lazer (dimensão psicológica). Na terceira classe, os cuidados relacionados com corpo (higiene e prevenção) denotam respeito ao outro, ancorando-se na dimensão biológica/física. Na quarta classe, o sexo é produto de ciúme, briga, contaminação, medo, ancorando-se nas dimensões biopsicossociológica. Na quinta classe, os elementos motivacionais ao ato sexual ancoram-se nas dimensões físicas/psicológicas associados à vontade, necessidade, amizade, carência, curiosidade e carinho. O sexo toma forma a partir das imagens das práticas sexuais da classe seis, ancoragem biológica/física, com predominância do sexo oral, estimulação manual e prática sexual desvinculada de proteção. Conclusão: Os conteúdos representacionais sobre a aids e sexo, trazem um imbricado de valores sociais e contextuais que ora apontam conhecimentos reificados, ora são produtos do senso comum, resultantes da construção social e simbólica. A consideração deste amálgama representacional na garantia de um cuidado integral e contextualizado pode contribuir para renovação das práticas, direcionamento de estratégias políticas e redução das iniquidades entre mulheres em situação de privação de liberdade quanto a forma de vivenciar as práticas sexuais e no controle ao HIV/Aids.
  • RITA DE CASSIA CORDEIRO DE OLIVEIRA
  • DISCURSOS DE GESTORES ACERCA DA TRANSFERÊNCIA DE POLÍTICA DO TRATAMENTO DIRETAMENTE OBSERVADO PARA TUBERCULOSE: DISTANCIAMENTOS, SILENCIAMENTOS E CONTRADIÇÕES
  • Data: 21/08/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O presente estudo tem como fenômeno de investigação a Transferência de Política (TP) do Tratamento Diretamente Observado (TDO) para o controle da Tuberculose (TB) na Atenção Básica (AB) no município de João Pessoa-Paraíba. A TP compreende um processo que conta com a participação e envolvimento de gestores e profissionais para o desenvolvimento e avaliação da transferência de uma dada política pública em contextos diversos, considerando, sobretudo, informação, conhecimento e ações inovadoras voltadas a modificações dos sistemas e serviços, onde efetivamente essas políticas são experienciadas. Apesar dos avanços científicos e tecnológicos para o diagnóstico, tratamento e controle da doença, a TB ainda permanece como um dos principais problemas de Saúde Pública no cenário mundial. No entanto, é uma doença curável em praticamente 100% dos casos novos, desde que obedecidos os princípios básicos da terapia medicamentosa e a adequada operacionalização do TDO na AB. Objetivo: Analisar quais efeitos de sentidos são produzidos nos discursos dos gestores e coordenadores sobre a Transferência de Política do Tratamento Diretamente Observado da tuberculose no município de João Pessoa/PB. Materiais e Método: Configura-se um estudo do tipo descritivo, de natureza qualitativa e abordagem discursiva, desenvolvido em maio, junho e dezembro de 2013, por meio da técnica de entrevista, utilizando-se um roteiro semidirigido, com 26 profissionais de saúde que atuam como gestores e coordenadores no controle da TB em João Pessoa/PB. O dispositivo teórico-metodológico da Análise de Discurso de filiação francesa pecheutiana fundamentou as análises e discussão. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) (protocolo nº 0301/2012/CEP/CCS/UFPB). Resultados: Foram identificadas contradições acerca do conhecimento sobre a tuberculose e o Programa de Controle da Tuberculose e silenciamentos a respeito do reconhecimento dos determinantes sociais da TB. Observaram-se ainda distanciamentos e equívocos no que diz respeito ao conhecimento e à informação sobre a Transferência de Política do TDO, resultando em deslizamentos de sentidos da responsabilização e coparticipação a partir da posição-sujeito que ocupam, neste caso, como parte integrante da equipe gestora do município. Apesar de contradições, equívocos e silenciamentos observados em alguns discursos sobre essa política, identificou-se que os enunciadores valorizam o matriciamento e as discussões compartilhadas envolvendo os profissionais, a gestão e o usuário, com ênfase na reorganização do serviço para operacionalização do TDO. Considerações finais: Assinala-se a necessidade de investimento na qualificação profissional buscando aprimorar o processo de trabalho a partir da reorientação de práticas na perspectiva da Educação Permanente, que representa um forte dispositivo para troca de saberes e propostas inovadoras para o efetivo controle da tuberculose. Essa pesquisa pode contribuir para elucidar questões importantes sobre o processo de TP no campo da saúde publica em diferentes contextos estaduais, regionais e municipais, colaborando no planejamento, organização, monitoramento e avaliação do TDO, bem como, proporcionar fundamentos teóricos contextualizados para transferência, difusão e ou implementação de políticas adotadas pelas instituições gestoras do SUS no âmbito da AB.
  • DANIELA KARINA ANTAO MARQUES
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROCESSO DE ENFERMAGEM EM ESCOLARES HOSPITALIZADOS
  • Data: 17/08/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Ao prestar a assistência, o enfermeiro precisa estabelecer metas no intuito de atender às necessidades da criança/família de forma abrangente, no contexto biológico, emocional, psicológico, social e espiritual, proporcionando qualidade e visibilidade da assistência prestada. Objetivo: Construir um instrumento para a implementação do processo de enfermagem a crianças em idade escolar hospitalizadas à luz da Teoria das Necessidades Humanas Básicas. Método: Trata-se de um estudo metodológico para construção de um instrumento para aplicação do processo de enfermagem, o qual foi realizado na Clínica Pediátrica do HULW/UFPB e desenvolvido em seis etapas: 1) Identificação dos indicadores empíricos das Necessidades Humanas Básicas em crianças em idade escolar hospitalizadas; 2) Validação dos indicadores; 3) Formatação do histórico de enfermagem e avaliação do instrumento por enfermeiros que atuam na área; 4) Desenvolvimento de enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem a partir dos indicadores clínicos identificados e validados; 5) Formatação de instrumento para o planejamento da assistência de enfermagem; e 6) Validação do instrumento para o planejamento da assistência de enfermagem com enfermeiros experts em CIPE®, assistenciais e docentes que atuam na Clínica Pediátrica HULW/UFPB. O estudo foi aprovado de acordo com o Protocolo no 0654/13 e CAAE nº 24193313500005188. Resultados e discussão: Na Etapa 1 foi realizada a classificação das Necessidades Humanas Básicas para crianças em idade escolar hospitalizadas; avaliados cinco estudos realizados no HULW/UFPB que validaram indicadores para a clientela pediátrica e analisados dois instrumentos utilizados para crianças de 0-5 anos e adolescentes de acordo com o i-NMDS. O que resultou na elaboração, na Versão 1, do instrumento, contendo 301 indicadores. Na Etapa 2, foi feita a validação de 288 indicadores pelas enfermeiras assistenciais e docentes. Na Etapa 3, foi realizada a formatação e avaliação da Versão 2 do instrumento, sendo aprovado na íntegra. Na Etapa 4, foram desenvolvidos 76 enunciados de diagnósticos/ resultados e 135 intervenções de enfermagem a partir dos indicadores validados. Na Etapa 5, foi formatada a segunda parte do instrumento com base no modelo utilizado na Clínica Pediátrica, para ser utilizado nas fases de diagnóstico, planejamento, implementação e avaliação da assistência de enfermagem. Por fim, na Etapa 6, foi realizada a validação do instrumento para o planejamento da assistência de enfermagem com enfermeiros experts em CIPE®, que validaram 49 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem e 77 intervenções de enfermagem. Foi reorganizado o instrumento e apresentado para a validação das enfermeiras, que aprovaram integralmente. O instrumento para a implementação do processo de enfermagem em escolares hospitalizados foi elaborado em quatro laudas: duas correspondem ao histórico de enfermagem, aplicado na fase de coleta de dados, e as outras duas laudas contêm os enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem que contribuirão para aplicação das demais fases do processo de enfermagem. Considerações finais: Espera-se que os resultados da pesquisa contribuam para a implementação do processo de enfermagem para crianças em idade escolar hospitalizadas, bem como tragam reflexões e aprimoramento do cuidado de enfermagem.
  • JANCELICE DOS SANTOS SANTANA
  • Consulta de enfermagem aos hipertensos da estratégia saúde da família: validação e desenvolvimento de software
  • Data: 10/08/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Os avanços da tecnologia computacional têm propiciado mudanças nas relações de trabalho e na globalização das informações fazendo com que a área de saúde sofra a influência dessas transformações, e, na prática assistencial, seja necessário acompanhar essa evolução, modernizando sua forma de assistir o ser humano e sua família. A hipertensão arterial sistêmica é uma das principais causas de morbidade e mortalidade no mundo. A consulta de enfermagem assegura ao enfermeiro identificar as necessidades dos hipertensos, planejar a assistência de enfermagem e registrar suas ações. Em virtude da sobrecarga de tarefas e a consequente exiguidade de tempo para operacionalizar a consulta de enfermagem garantindo boa qualidade na assistência prestada ao hipertenso e à sua família, a tecnologia computacional vem contribuir conferindo-lhe agilidade e qualidade. Objetivos: Realizar a validação de conteúdo e clínica dos enunciados de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem do instrumento de consulta de enfermagem aos hipertensos atendidos na estratégia saúde da família e desenvolver um software para a consulta de enfermagem a essa clientela. Método: Pesquisa metodológica do tipo aplicada, desenvolvida em cinco etapas: 1) mapeamento cruzado dos enunciados de diagnósticos / resultados de enfermagem com os conceitos pré-combinados contidos na CIPE® Versão 2013; 2) construção das definições operacionais dos enunciados de diagnósticos / resultados de enfermagem; 3) validação por consenso das definições operacionais dos enunciados de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem; 4) operacionalização do instrumento de consulta de enfermagem, por meio de estudos de casos clínicos utilizando-se o instrumento de consulta de enfermagem; 5) elaboração de um software para a consulta de enfermagem aos hipertensos da ESF. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba – CCS/UFPB, sob o Certificado de Apresentação para Apreciação Ética (CAAE) nº30332614.1.0000.5188. Resultados e discussão: O mapeamento cruzado resultou em 39 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem constantes e quatro não constantes na CIPE® 2013. Foram elaboradas definições operacionais para os 43 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem incluídos no instrumento de consulta de enfermagem aos hipertensos atendidos na estratégia saúde da família, e um instrumento para validação por especialistas. Quanto à validação por consenso culminou em 54 diagnósticos/resultados de enfermagem validados e 220 intervenções de enfermagem validadas. A operacionalização clínica do instrumento de consulta de enfermagem ocorreu por meio de cinco estudos de caso, descritos individualmente e analisados sob uma visão de conjunto. Foi elaborado um software livre para a consulta de enfermagem com os indicadores clínicos, enunciados de diagnósticos/resultado e intervenções validadas. Considerações finais: A inserção da tecnologia computacional na consulta de enfermagem aos hipertensos na estratégia saúde da família contribui para se padronizar e registrar a assistência de enfermagem, otimizar o tempo utilizado durante a consulta de enfermagem, auxiliar o enfermeiro a planejar o cuidado, tomar decisão, avaliar a qualidade da assistência e disseminar novos conhecimentos.
  • AMANDA DE ARAÚJO ROMERA
  • O DISCURSO DOS ENFERMEIROS GESTORES RELACIONADO AO RETARDO DO DIAGNÓSTICO DA TUBERCULOSE EM PESSOAS IDOSAS.
  • Data: 10/08/2015
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese  
  • MARCELLA COSTA SOUTO DUARTE
  • Aplicação do Modelo Calgary para avaliação de famílias de idosos sob cuidados paliativos
  • Data: 10/07/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A presente tese é constituída por três artigos, um teórico, intitulado Produção científica sobre a pessoa idosa em cuidados paliativos: um estudo bibliométrico e dois originais: Avaliação estrutural, desenvolvimental e funcional de famílias de pacientes idosos com câncer em cuidados paliativos; e Avaliação familiar de pacientes idosos com acidente vascular encefálico em cuidados paliativos. Objetivo: analisar a estrutura, o desenvolvimento e o funcionamento de famílias de pacientes idosos sem possibilidades terapêuticas de cura em cuidados paliativos à luz do Modelo Calgary de Avaliação Familiar (MCAF). Método: O trabalho proposto trata-se de uma pesquisa de campo, de natureza qualitativa. O estudo foi realizado em um hospital, localizado na cidade de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba. A amostra da investigação foi composta por dez famílias, cada uma foi representada pelo paciente sob cuidados paliativos e um acompanhante familiar. O projeto foi apreciado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba (CEP/HULW), conforme certidão de aprovação com registro CAAE, sob o número 33261114.1.0000.5183. Os dados foram coletados no período de agosto e setembro de 2014. Para coleta dos dados foi utilizada a técnica de entrevista e os instrumentos genograma e do ecomapa, que são utilizados no MCAF. O material empírico foi analisado qualitativamente à luz do Modelo. Resultados: Das dez famílias selecionadas para o estudo, cinco tinham um ponto comum, isto é, pacientes com diagnóstico de câncer, e cinco, com diagnóstico de acidente vascular encefálico (AVE). Para tanto, tal material possibilitou a construção de dois artigos. A aplicação do referido modelo permitiu identificar na pesquisa com a família de pacientes idosos com câncer que duas conservavam a estrutura nuclear. As famílias apresentaram baixa escolaridade e dificuldades financeiras. Quanto à rede de suporte social, a maioria mencionou familiares, amigos e igreja. Duas referiram ter relações familiares conflituosas e limitado contato social. Os cuidadores familiares são do sexo feminino. O artigo com a família de paciente com AVE permitiu identificar que as cinco famílias conservavam a estrutura nuclear, apresentaram baixa escolaridade e dificuldades financeiras. Tinham como rede de suporte social familiares, amigos e igreja. Todas referiram ter relações familiares conflituosas. Conclusão: a avaliação estrutural, desenvolvimental e funcional das famílias inseridas do estudo, com a aplicação do Modelo propicia um espaço para a intervenção de enfermagem no contexto hospitalar para essas famílias.
  • ANAJÁS DA SILVA CARDOSO
  • PERSISTÊNCIA DA SÍNDROME METABÓLICA E SEU IMPACTO SOBRE O METABOLISMO GLICÍDICO E NOVOS FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM EXCESSO DE PESO
  • Data: 30/06/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A importância do diagnóstico precoce da síndrome metabólica (SM) baseia-se no risco de progressão ao diabetes melittus tipo 2 e de eventos cardiovasculares. Objetivos: Analisar a persistência da SM de acordo com dois critérios diagnósticos, bem como seu impacto sobre o metabolismo glicídico e novos fatores de risco cardiovascular em crianças e adolescentes com excesso de peso. Materiais e Métodos: Estudo de medidas repetidas, realizado no Centro de Obesidade Infantil de abril/2009 a abril/2012, envolvendo 133 crianças e adolescentes com sobrepeso ou obesidade. A avaliação se deu em um primeiro momento e após 24 meses, em ambos se realizou antropometria, diagnóstico da síndrome metabólica, dividido nos grupos: SM negativa, intermitente e persistente e verificação do metabolismo glicídico através da glicemia de jejum e índice da homeostase glicêmica (HOMA-RI), no segundo momento foi verificada a persistência da síndrome e utilizada à hemoglobina glicada (HBA1C) como indicador adicional de alteração glicídica. Foram realizados os testes de McNemar e t-pareado para comparação das variáveis no período e regressão logística entre a persistência da síndrome e seus componentes com a alteração no metabolismo glicídico. Também foi verificada a relação da persistência da síndrome com os novos marcadores de risco (fibrinogênio, a proteína c-reativa ultrassensível, a homocisteína e a lipoproteína (a) através do teste t de Student para variáveis com distribuição normal e Man Whitney para as não normalmente distribuídas, realizou-se ainda, correlação de Sperman entre os novos marcadores de risco e componentes da SM. Para todas as análises foi utilizado o programa SPSS versão 17.0(IC95%). Resultados Artigo 1: A maioria dos avaliados eram do sexo feminino e adolescente. Embora não tenha sido verificada concordância significativa entre os critérios diagnósticos, observou-se concordância significativa nos que apresentaram a SM persistente (p=0,002). Artigo 2: Foi observada redução significativa da SM no período com persistência da síndrome em 17,3% dos avaliados. A presença de pelo menos uma alteração no metabolismo glicídico se deu em 46,6% das crianças e adolescentes. A pressão arterial sistólica e diastólica e os valores médios do HOMA-RI apresentaram redução significativa ao fim dos 24 meses(p<0,01) e verificou-se que a circunferência abdominal elevada se manteve associada a resistência insulínica (p<0,01). Artigo 3: Observou-se correlação positiva da homocisteína com a circunferência abdominal (p=0,04) e negativa com HDL-c (p=0,04), da PCRus com circunferência abdominal(p=0,01) e da lipoproteína (a) uma correlação negativa com a circunferência abdominal (p=0,05). Conclusões: A persistência da SM não apresentou associação com alterações no metabolismo glicídico, embora entre os componentes da síndrome a persistência da circunferência abdominal elevada tenha se mantido associada à resistência insulínica. Quanto aos novos marcadores de risco cardiovascular não apresentaram relação com a SM persistente, entretanto foi verificada correlação positiva dos valores da PCRus e homocisteína com a circunferência abdominal.
  • DENNYSE CRISTINA MACEDO DA SILVA
  • O Protagonismo do Cuidado Paterno à Criança com Doença Crônica
  • Data: 26/06/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O diagnóstico de doença crônica na criança pode alterar a dinâmica familiar, exigindo mudanças e adaptações. Nesse processo a mãe ainda é vista como cuidadora principal, porém, essa visão tem mudado e os pais têm sido chamados a uma maior participação nos cuidados à criança com doença crônica. Objetivo: analisar a experiência de ser pai de criança com doença crônica e o cuidado paterno a esse filho.Metodologia:estudo descritivo com abordagem qualitativa. Participaram do estudo dez pais de crianças de zero a doze anos de idade com diagnóstico confirmado de doença crônica atendidas em dois hospitais públicos no município de João Pessoa no estado da Paraíba, no período de Junho a Agosto de 2014. Os dados foram coletados por meio de entrevista com roteiro semiestruturado guiada pelas seguintes questões norteadoras: Como é para o senhor ser pai de um filho com doença crônica? Como é o seu cuidado a esse filho? A interpretação dos dados foi realizada seguindo as etapas da análise temática: ordenação, classificação e análise propriamente dita. Resultados e Discussão: Foram construídos dois núcleos de sentido: a experiência de ser pai de uma criança com doença crônica e o cuidado paterno à criança com doença crônica. Constatou-se que os pais estão mais desejosos em participar dos cuidados diretos aos filhos com doença crônica, mas ainda precisam lidar com as dificuldades relacionadas ao tempo que passam em casa e o tempo que direcionam às atividades de laborais. Ainda colocam-se em uma posição secundária em relação à mãe da criança, pois acreditam que a mãe cuida melhor e que o cuidado aos filhos é inato e de responsabilidade da mulher. Considerações Finais:ser pai de uma criança com doença crônica, é visto pelos pais como uma tarefa penosa, em que buscam adquirir conhecimentos e desenvolvem atitudes priorizando o bem-estar dos filhos. Os pais participam dos cuidados aos filhos com doença crônica, porém somente quando solicitados pela mãe. Entretanto, apresentam-se desejosos por uma maior participação nas atividades de cuidados diretos à criança. Considerar o cuidado paterno à criança com doença crônica é voltar-se para a importância da presença visando o bem-estar emocional da criança e o desenvolvimento infantil, bem como a dimensão subjetiva que está presente nas relações de cuidado e contribui para uma atividade de enfermagem mais efetiva e humanizada.
  • MARIA AUXILIADÔRA PEREIRA
  • TENSÃO DO PAPEL DE CUIDADOR - APLICABILIDADE DAS INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM DA NIC EM CUIDADORES FAMILIARES DE IDOSOS DEPENDENTES
  • Data: 09/04/2015
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O cuidado voltado para o idoso tem despertado o interesse dos profissionais da área da saúde, em especial, dos enfermeiros, por estudos que envolvam o impacto físico, psicológico e emocional gerados no cuidador pelo processo de cuidar. Apesar disso, ainda existem lacunas significativas de pesquisas cujo foco sejam intervenções de enfermagem que visem melhorar o bem-estar desse cuidador em nosso contexto. Objetivo: Analisar a aplicabilidade das intervenções propostas pela Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC) para o diagnóstico de enfermagem da NANDA-I Tensão do papel de cuidador evidenciado em cuidadores familiares de idosos dependentes. Método: Estudo metodológico, em que se utilizam métodos de validação, estruturado em três etapas consecutivas e interdependentes. Na primeira, participaram sete enfermeiras assistenciais do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) de João Pessoa-Paraíba, para identificação, de acordo com a experiência clínica, da aplicabilidade de trinta intervenções e trezentas atividades propostas pela NIC para o cuidador familiar com evidência do diagnóstico em estudo. Na segunda etapa, trinta enfermeiras especialistas, selecionadas por meio dos critérios de Fehring, analisaram, segundo o seu julgamento de pertinência, as atividades de cada intervenção indicada pelas enfermeiras assistenciais como mais aplicáveis aos referidos cuidadores. A terceira etapa foi realizada com onze cuidadoras familiares com evidência de Tensão do papel de cuidador para verificar a aplicabilidade dessas intervenções na prática clínica. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba (CCS/UFPB), sob o Certificado de Apresentação para Apreciação Ética (CAAE) n. 26450713.6.0000.5188 e os dados foram coletados nos meses de junho de 2014 a janeiro de 2015, observando-se os aspectos éticos para pesquisa com seres humanos, preconizados pela Resolução 466/2012, do Conselho Nacional de Saúde. Resultados: As enfermeiras assistenciais elencaram doze intervenções que alcançaram média ≥ 0,80: Apoio ao cuidador; Assistência para manutenção do lar: Aconselhamento; Melhora do sistema de apoio; Presença; Cuidados durante o repouso do cuidador; Melhora do enfrentamento; Orientação quanto ao sistema de saúde; Controle de energia; Facilitação do processo de culpa; Promoção do envolvimento familiar e Orientação antecipada. As atividades indicadas como as mais aplicáveis pelas enfermeiras assistenciais foram aquelas com média  0,50, as quais somaram 226, sendo estas analisadas pelas especialistas que propuseram, entre outras, alterações em alguns de seus enunciados e a exclusão de 16 delas, permanecendo 210 atividades. A verificação das intervenções na prática clínica ocorreu por meio de estudos de caso, descritos individualmente, envolvendo onze cuidadoras familiares de idosos dependentes. Constatou-se o predomínio das intervenções: Apoio ao cuidador; Controle de energia; Melhora do enfrentamento e Promoção do envolvimento familiar, permitindo, assim, a confirmação de sua aplicabilidade. Conclusão: Espera-se com este estudo contribuir com novas investigações, com o desenvolvimento da linguagem padronizada de enfermagem para o diagnóstico, intervenções e atividades e, principalmente, colaborar com os enfermeiros e com o cuidador familiar no processo de cuidar do idoso dependente.
  • LUIZ WILLIAM BARRETO WANDERLEY
  • Qualidade de vida de idosos residentes em instituições de longa permanência
  • Data: 06/04/2015
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A qualidade de vida pode indicar a percepção do indivíduo de sua posição na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações. Ao, longo da vida, a perda de independência amplia a necessidade de assistência ao idoso em longo prazo, quer por esforços de familiares, amigos, vizinhos, cuidadores informais ou até mesmo pela dedicação de profissionais e serviços de saúde capacitados comumente oferecidos em instituições de longa permanência para pessoas idosas. Diante do exposto o objetivo geral foi avaliar a qualidade de vida de idosos residentes em instituições de longa permanência na cidade de João Pessoa-PB.Metodologia: estudo transversal descritivo com abordagem quantitativa, realizado em seis instituições de longa permanência para idosos – ILPIs, todas de natureza filantrópica.Os dados foram coletados no período de junho a agosto de 2013. A população foi composta por n=324 idosos, internos das instituições. A amostra foi composta por n=229 idosos. Além disso, com o intuito de facilitar a interpretação dos resultados, resolveu-se subdividir a análise dos dados em seções. A primeira seção apresentar o perfil e as condições das instituições de longa permanência; a segunda seção mostra o perfil sociodemográfico e clínico dos entrevistados; a terceira seção discute a qualidade de vida dos internos a partir das escalas SF-36 e WHOQOL-BREF e, por fim, a última seção avaliar as incapacidades funcionais dos idosos, através da escala de Katz, e suas relações com os escores de qualidade de vida. Resultados:os tempos de existência das ILPIs variam entre 14 e 100 anos, com capacidades para abrigar entre 12 e 120 idosos. Atualmente, considerando as seis ILPIs, o total de idosos institucionalizados varia entre 12 e 106, sendo 42 homens, no máximo, e entre 12 e 70 mulheres. Considerações finais: Os idosos com independência, pelo menos, uma atividade diária já apresentam escores médios de qualidade de vida maiores que os indivíduos que são totalmente dependentes. Mais que isso, com exceção dos domínios “dor”, “aspectos sociais”, “vitalidade” da escala QVRS; e domínios “psicológico” e “meio ambiente” da escala WHOQOL – Bref, os escores médios de todos os outros domínios para os idosos com independência em, no mínimo, 1 das 6 atividades diárias da vida diária foram significativamente. Neste sentido, demonstram a inegável relação entre qualidade de vida e a independência funcional na realização das atividades de vida diárias de idosos.
  • MERIFANE JANUÁRIO DE SOUSA
  • QUALIDADE DE VIDA DE PESSOAS COM ESTOMIA INTESTINAL
  • Data: 27/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Apesar de haver inúmeras definições para o termo qualidade de vida, não existe qualquer conceituação universal. No entanto, observa-se que, para as pessoas terem uma boa qualidade de vida, é importante que se sintam satisfeitas em vários aspectos, principalmente naqueles considerados essenciais em sua vida. Destarte, a QV emerge como um instrumento de impacto na avaliação de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), entre elas, o câncer colorretal, principal responsável pela confecção de estomia intestinal. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de pessoas com estomias intestinais atendidas em um serviço de referência. Metodologia: Estudo do tipo inquérito domiciliar, descritivo, de corte transversal e abordagem quantitativa. A pesquisa teve como aporte inicial a Associação de Ostomizados do Estado da Paraíba (AOEPB), a partir da qual foi levantada a população do estudo. A amostra não probabilística, por conveniência, foi selecionada a partir de quatro etapas e resultou em um total de 30 estomizados. Os dados foram analisados através do Software Statistical Package for the Social Sciences e foram obtidas distribuições absolutas e percentuais, além de técnicas de estatística inferencial. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário Lauro Wanderley/UFPB, sob o parecer nº 370.838 e Certificado de Apresentação para Apreciação Ética nº 17224613.8.0000.5183. Resultados: A idade média dos participantes foi de 60,67 anos, igualitariamente distribuída entre os sexos. A maioria dos participantes era de aposentados, católicos, com baixa escolaridade, casados e com renda de um a três salários mínimos. Clinicamente, os entrevistados tinham as seguintes características: tinham estoma permanente (73,3%) e em decorrência de cânceres (80%), com a posição inadequada (90%), sem nenhuma complicação pós-cirúrgica (80%), IMC acima do peso (50%) e tempo de cirurgia acima dos 10 anos (44,8%). Quanto aos escores de qualidade de vida, observou-se que as médias obtidas para os domínios físico, social, psicológico e espiritual se situaram acima de 5. Somente a variável ansiedade, presente no domínio psicológico, apresentou média abaixo de 5 (4,69). Ao comparar as médias dos quatro domínios, o melhor escore foi o do ‘bem-estar espiritual (7,65), e o menor, do bem-estar psicológico (7,05). A associação entre as variáveis sociodemográficas e clínicas e os escores de qualidade de vida revelou significância entre a religião e o domínio social (p=0,042); entre a ocupação e os domínios físico (p=0,041), psicológico (p=0,006) e qualidade de vida total (p=0,010); entre o índice de massa corporal e o domínio psicológico (p=0,002) e QV (p=0,007); entre a posição do estoma e os domínios físico (p=0,003), psicológico (p=0,013) e QV (p=0,012); e os tipos de complicações do estoma com o domínio psicológico (p=0,018) e QV (p=0,045). Conclusão: A qualidade de vida pode ser considerada satisfatória entre os sujeitos da pesquisa, entretanto se recomenda que a equipe multidisciplinar, sobretudo a da Enfermagem, esteja mais atenta ao domínio psicológico, com vistas a propor estratégias que contribuirão para melhorar a qualidade de vida, bem como questões que influenciam a forma como essas pessoas vivem e que possam incentivar o progresso dos serviços de saúde.
  • ANNA CLAUDIA FREIRE DE ARAUJO PATRICIO
  • Conhecimento de mulheres profissionais do sexo sobre HIV/Aids e sua influência nas práticas sexuais
  • Data: 26/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O exercício laboral de mulheres profissionais do sexo favorece o contágio pelo HIV e requer conhecimento para à adesão a práticas sexuais seguras.Objetivo: Analisar o conhecimento de mulheres profissionais do sexo sobre HIV/Aids, considerando variáveis sociodemográficas e a relação desse conhecimento com as práticas sexuais.Metodologia: Estudo exploratório e quantitativo, realizado no período de maio a setembro 2014, com 90 mulheres profissionais do sexo da Associação das Prostitutas da Paraíba, através de questionário com informações sociodemográficas e três dimensões (D3-formas de contágio e prevenção, atributos fisiológicos e comportamentais da aids; D4-sintomatologia que o HIV provoca no ser humano e D5-tratamento da aids) de um total de seis que compõem o Teste de Conhecimento Científico ao HIV/Aids, .adaptado com acréscimo de uma dimensão sobre práticas sexuais (D7). Os dados foram processados pelo programa SPSS versão 19, utilizando estatística descritiva, com escores de acertos (Teste de Friedman), frequência absoluta e relativa dos acertos e MANOVA.Para correlacionar a D7 com o conhecimento foi utilizado o Teste de Wald e a medida de associação odds ratio.Resultados: Profissionais apresentam uma média 23,79±3,84 anos de idade; a maioria (84,4%) solteira; 62,2%(56) com escolaridade acima do ensino médio. Não há diferença significativa nas médias dos percentuais de acerto no teste de conhecimento por escolaridade (p=0,476), porém, há diferença significativa no percentual médio de acerto por dimensão(p<0,001).A D3 apresentou menor porcentagem de acertos que D4 e D5.O conhecimento observado sobre a aids está abaixo do esperado (escore T).Destaca-se que 72,2% praticam sexo sem preservativo em troca de uma quantia financeira maior;53,3% fazem-no em período menstrual e 75,6% realizam-no com cliente apresentando feridas no pênis ou ânus.Verificou-se que apesar do conhecimento não apresentar contribuição estatística significante nas práticas sexuais (p>0,05),quanto menos práticas sexuais inseguras, maior o conhecimento sobre HIV/Aids. Conclusões: As profissionais apresentam um maior conhecimento sobre o tratamento da aids em relação as formas de contágio e prevenção, além de adoção de práticas sexuais inseguras, favorecendo uma vulnerabilidade ao contágio pelo HIV. Não houve influência do conhecimento sobre HIV/Aids na adoção de práticas sexuais. Sendo assim, torna-se essencial a intensificação de novas estratégias para a mudança de comportamento dessas mulheres para uma prática sexual segura.
  • ILUSKA PINTO DA COSTA
  • Qualidade de vida de idosos no contexto do trabalho e suas Representações Sociais .
  • Data: 26/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional traz consigo a presença ativa de idosos no mercado de trabalho, tornando-se um desafio proporcionar uma melhor qualidade de vida (QV) a esse grupo. Diante disso, o presente estudo objetiva avaliar a QV de idosos que trabalham e que não trabalham; e conhecer as suas representações sociais sobre QV. Método: Estudo exploratório e descritivo, realizado com 113 idosos de um grupo de convivência no município de Cajazeiras – PB. A coleta dos dados foi realizada através de entrevista, utilizando-se um questionário sociodemográfico, o Teste de Associação Livre de Palavras (TALP) e os WHOQOL-BREF e WHOQOL-OLD. Os dados sociodemográficos e dos testes de verificação da qualidade de vida foram processados no SPSS versão 2.0 e do TALP pelo software Iramuteq versão 0.6. Resultados: Dos 113 idosos, 44,2% trabalham e 55,8% não trabalham. Em ambos os grupos a maioria foi de mulheres e com 87,3% que não trabalham. No grupo de idosos que trabalha, 32% dos idosos pertence a faixa etária de 60-64 anos e 28,6% do grupo que não trabalha encontram-se entre 65-69 anos. O estado civil de casado predomina no grupo que trabalha (56%) e à escolaridade de ensino fundamental incompleto em ambos os grupos, com 48,0% dos que trabalham e 61,8% dos que não trabalham. Com relação à renda familiar mensal, 48,0% dos idosos que trabalham e 65,1% dos que não trabalham ganham entre um e três salários mínimos. Entre os aposentados, 72,0% permanecem trabalhando enquanto 90,5% não se encontram nessa atividade. Sobre o arranjo familiar, identificou-se que 23,8% dos idosos que não trabalham vivem apenas com o cônjuge, e 30% dos que trabalham vivem com cônjuge e filho. Quanto a religião, 80,0% dos que trabalham e 92,1% dos que não trabalham pertencem ao catolicismo. Referente à avaliação da QV, os idosos que trabalham apresentaram maiores escores médios na maioria dos domínios do WHOQOL-BREF e facetas do WHOQOL-OLD, evidenciando-se o domínio Psicológico (70,08) e a faceta Habilidades Sensoriais (72,50). Entre os idosos que não trabalham os escores para QV foram evidenciados nos domínios Psicológico (66,79) e na faceta Morte e Morrer (72,2). Quanto as Representações Sociais sobre QV construídas pelos idosos, quatro classes emergiram da análise textual: Aspectos sociais, Condições Econômicas, Sentimentos Positivos e Participação no grupo. Sobre a relação entre trabalho e QV, observou-se que diferenças significativas entre as representações atribuídas a QV nos dois grupos: os idosos que trabalham, associam a QV a bens materiais, enquanto que aqueles que não trabalham, veem a qualidade de vida associadas a questões emocionais, a sentimentos positivos e as interações sociais desenvolvidas a partir da convivência em grupos. Conclusão: Observou-se entre os idosos que trabalham, maiores escores nos domínios e facetas dos instrumentos que analisam a QV, demonstrando que o trabalho permite ao idoso a conservação da sua saúde física, mental, das habilidades sensoriais e relações sociais. Percebeu-se ainda que as representações sociais atribuídas à qualidade de vida demonstraram a relação destas com a variável trabalho.
  • JOSEFA DANIELMA LOPES FERREIRA
  • ESTADO NUTRICIONAL E RISCO DE DESENVOLVIMENTO DE ÚLCERA POR PRESSÃO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS
  • Data: 26/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A população brasileira vem envelhecendo em ritmo crescente, principalmente nas últimas décadas. A alimentação adequada e a boa nutrição são fatores essenciais para melhorar a vida das pessoas idosas. O estado nutricional inadequado afeta todo o sistema corporal e pode levar a perda de peso, atrofia muscular e redução da massa tecidual, além de ser um dos fatores mais relevantes na etiologia das úlceras por pressão (UPP), que atuam em sua patogênese e em sua cicatrização. Objetivo: Determinar a associação entre a classificação do estado nutricional e os escores de risco de desenvolvimento de úlcera por pressão em idosos institucionalizados. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, transversal, de base populacional e abordagem quantitativa, desenvolvido em instituições de longa permanência para idosos do município de João Pessoa/PB, Brasil. A população foi composta de 321 idosos. Os dados foram coletados no período de janeiro a dezembro de 2013. Os instrumentos utilizados foram a Escala de Braden e a Miniavaliação Nutricional (MAN). Para a análise dos dados, foram obtidas distribuições absolutas, percentuais e empregadas técnicas de estatística inferencial, analisadas pelo SPSS versão 20.0. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde/UFPB, segundo o Prot. nº 0468/12, CAEE: 02043712.4.0000.5188. Resultados: Dos 321 idosos pesquisados, 243 (75,7%) eram do sexo feminino, com idade média de 81,09 anos. O tempo médio de institucionalização correspondeu a 62,21 meses, aproximadamente cinco anos. Segundo a avaliação do estado nutricional pela MAN®, 127 (39,6%) estavam em risco de desnutrição, e 101(35,5%), desnutridos. Na triagem da MAN, 247(77%) referiram não ter diminuído a ingesta, 171(53,3) não apresentaram perda de peso, e 88 (27,4%) não souberam informar. Em relação aos problemas neuropsicológicos, 100 (31,2%) apresentavam demência leve, e 78 (24,3%), demência ou depressão grave; 103 (32,1%) estavam restritos ao leito ou à cadeira de rodas, e 69 (21,5%) deambulavam. A associação entre a escala de Braden e a MAN foi mostrada estatisticamente através do teste Qui-Quadrado, com p<0,005. De acordo com os testes de regressão logística, o idoso com estado nutricional em risco de desnutrição ou desnutrido tem mais chances de desenvolver UPP do que os que têm estado nutricional adequado. Conclusão: Idosos que apresentam risco de desenvolver úlcera por pressão podem ser identificados precocemente, através da avaliação nutricional, já que o risco de desenvolver UPP pode estar diretamente correlacionado à desnutrição. Assim, é fundamental estabelecer programas de prevenção em instituições de longa permanência para idosos que subsidiem as intervenções da equipe multidisciplinar de saúde, visando controlar os fatores de risco, incluindo-se os parâmetros nutricionais.
  • TERESA CRISTINA ROSA ROMERO NAVARINE
  • Cuidado Espiritual em Enfermagem: Contribuição para a Educação Acadêmica Segundo o Pressuposto Filosófico de Callista Roy.
  • Data: 26/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivos averiguar o entendimento dos discentes de enfermagem a respeito do processo de cuidar em enfermagem, averiguar qual o entendimento destes sobre o cuidado de enfermagem espiritual, identificar se é necessário oferecer aos pacientes um cuidado de enfermagem espiritual, a partir da compreensão destes, descrever se a proposta curricular desta instituição é desenvolvida na perspectiva de favorecer uma prática compromissada com o ser humano em sua totalidade, envolvendo o cuidado espiritual, bem como identificar se as pessoas cuidadas pelos discentes em estágio curricular apresentaram ou demonstraram ter um relacionamento mútuo com o mundo e com Deus. Trata-se de uma pesquisa de campo, de natureza descritiva, com abordagem qualitativa, tendo como escopo referencial uma teoria de enfermagem baseada no processo interativo proposta pela Drª. Callista Roy, que assume como pressuposto filosófico que as pessoas têm relacionamentos mútuos com o mundo e com Deus. A investigação foi realizada na Universidade Federal da Paraíba, vinculada ao Centro de Ciências da Saúde e ao Departamento de Enfermagem Clínica, precisamente no Laboratório de Técnicas de Enfermagem, localizado no município de João Pessoa/PB. Participaram desta pesquisa seis discentes de enfermagem do décimo período, selecionados pelos critérios de inclusão. Os dados foram coletados consecutivamente à aprovação desta pesquisa pelo Comitê de Ética, sob CAAE nº 35391514.3.0000.5188. Para tanto, no que concerne à coleta de dados, a mesma foi realizada no mês de outubro de 2014, sob orientação de um formulário contendo questões pertinentes aos objetivos do estudo, ressalvando que, para o registro dos dados, foi utilizado um sistema de gravação de áudio, previamente esclarecido conforme termo de consentimento. Já a técnica utilizada para este fim foi o grupo focal. A análise dos dados ocorreu mediante a técnica de análise de conteúdo de Bardin. Observou-se que os discentes correlacionam o processo de cuidar com a exposição realizada em sala de aula e como ferramenta possibilitadora de desenvolvimento de suas habilidades motoras, em detrimento de reflexões sobre a essência do cuidar. Dessa forma, não souberam definir precisa e diretamente cuidado de enfermagem espiritual; antes, correlacionaram com espiritualidade e religiosidade. De forma unânime, afirmaram a importância de oferecer aos pacientes um cuidado de enfermagem espiritual, mas, pela imaturidade relacionada à prática clínica, não o fizeram devido a inúmeros procedimentos técnicos a serem realizados, apesar de afirmarem também que a proposta curricular desta instituição favoreceu esta aprendizagem e, por fim, que todas as pessoas cuidadas por eles apresentaram um relacionamento mútuo com o mundo e com Deus. Entretanto, cabe ao enfermeiro exercer e entender a importância do cuidado espiritual, de exercê-lo continuamente por visualizar o paciente de forma indissociável, como ele realmente é, levando em conta sua postura ética e moral firmada em valores que apontam para uma práxis fundamentada no rigor científico, como também no amor e compromisso pelo próximo, distanciando-se diariamente do cuidado mecanicista justificado por argumentos falidos.
  • KAISY MARTINS DE ALBUQUERQUE MADRUGA
  • ACESSIBILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA E SENSORIAL EM UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Data: 26/02/2015
  • Hora: 10:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As pessoas com deficiência têm limitações físicas e/ou sensoriais que estão intimamente relacionadas a problemas de acessibilidade. Nesse sentido, é preciso assegurar a esses sujeitos o exercício efetivo da cidadania e da convivência social, mediante o direito de liberdade e de autonomia para ir e vir. Objetivo: Analisar a acessibilidade de pessoas com deficiência física e/ou sensorial em Unidades de Saúde da Família. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa descritiva exploratória, com abordagem quantitativa, realizada em 90 prédios que compõem as unidades de saúde da família do município de João Pessoa - Paraíba. Os dados, que foram coletados entre os meses de março a maio de 2014, através de um instrumento estruturado elaborado a partir da Norma Brasileira 9050 da Associação Brasileira de Normas Técnicas, foram compilados e analisados com o auxílio do programa estatístico Statistical Package for the social sciences versão 20.0. Realizaram-se a análise descritiva dos dados e o teste de associação, considerando variável estatisticamente significativa quando p< 0,05. Resultados: Constatou-se falta de acessibilidade em quase todos os itens analisados nas unidades. Entre eles, os que se apresentaram com associação estatisticamente significativa em relação à estrutura física no percurso casa/instituição de saúde foram: ausência de faixa de pedestre (85,6%); rebaixamento de meio fio em pontos estratégicos (65,6%); sinalização indicativa do percurso para a instituição (98,9%); semáforos munidos de botoeiras (96,7%) e de dispositivo sonoro (100,0%); estacionamento privativo para pessoa com deficiência (97,8%); símbolo internacional de acesso em entradas e saídas (100,0%); percurso livre de obstáculos da vaga de estacionamento até a entrada da instituição (81,1%) e sinalizações com informações sonoras nas saídas de emergência ou rotas de fuga (100,0%). No que se refere às áreas internas das instituições de saúde, os resultados mostraram que, das 56,7% unidades onde há rampas, apenas 30,0% têm inclinação máxima de modo a minimizar esforços da pessoa com deficiência; em 32,2%, o piso é antiderrapante, e em 2,2% o acabamento é diferenciando no início e no término da rampa para orientar as pessoas com deficiência visual. Concernente aos mobiliários e às instalações sanitárias, em 100,0% delas não existem textos com informações escritas em braile; 60,0% não têm sanitários adequados para pessoas com deficiência, e 92,2% não estão devidamente sinalizados pelo símbolo internacional de acesso. Conclusão: Urge a busca incansável para potencializar a acessibilidade para as pessoas com deficiência, pois reconhecer que as políticas públicas e as instituições não correspondem a essa necessidade emergente traz à tona a necessidade de reformular esse cuidado e de reorganizar os serviços de saúde.
  • KIARA MARIA VIEIRA PINTO
  • Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa no olhar de idosos atendidos na estratégia da saúde da família
  • Data: 25/02/2015
  • Hora: 15:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional é uma realidade mundial, até mesmo nos países subdesenvolvidos, nunca se teve a chance de viver tanto. Com este novo quadro demográfico, surgiu a necessidade do desenvolvimento de dispositivos legais para nortear ações sociais e de saúde. Dentre eles, a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, marcada pelo paradigma da capacidade funcional, parametrizando assim, a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, que representa um instrumento de delineamento do perfil dos idosos, identificando-os a partir da configuração de um estado de fragilização, colaborando com a formulação das ações de saúde focadas no envelhecimento com qualidade. Objetivo: Conhecer as representações sociais de idosos sobre a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa e suas influências na adesão pelos idosos no contexto da Atenção Básica. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório de abordagem qualitativa, realizado nas unidades do Distrito Sanitário V, com 103 idosos com idade igual ou superior a sessenta anos. A pesquisa ocorreu no período de julho a setembro de 2014, respeitando os critérios éticos da Resolução 466/12, em que os dados foram coletados a partir de uma entrevista semiestruturada contemplando questões relacionadas ao uso da caderneta de saúde pelos idosos. Os dados foram submetidos a dois tipos de análise: a primeira realizou-se a Técnica de Análise de Conteúdo Temática Categorial, apontou-se seis categorias: 1) Suporte para o atendimento; 2) Instrumento de orientação para o idoso; 3) Tipos de informações sobre a saúde; 4) Descrições de intercorrências de saúde; 5) Formas de acompanhamento da saúde do idoso; 6) Instrumento de segurança, responsáveis por duas dimensões das representações sociais: as informações ou conhecimentos dos idosos sobre a caderneta e o posicionamento ou atitude dos idosos frente à caderneta; na segunda análise, os dados foram estudados com o apoio do software Iramuteq 0.7, responsável pelas imagens ou campo de representação sobre a caderneta. Resultados: Dos idosos entrevistados, sendo 83,5% do sexo feminino e 78,6% com idade entre 60-70 anos, 40,8% disseram utilizar caderneta, 48,5% afirmam não conhecer e 10,7% possuem a caderneta, mas não a utilizam. Os resultados apontam representações de conteúdos positivos frente ao uso da caderneta, demonstrando uma boa aceitação desta, além de reconhecê-la como um instrumento facilitador para o atendimento da pessoa idosa, definido nas seis categorias. Ressalta-se ainda que os idosos representam a caderneta como segurança e proteção, bem como que aqueles que não a utilizam justificam o não uso por falta de informação. Conclusão: Conhecer as representações sociais dos idosos sobre a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa foi importante para se conhecer o que pensa esse segmento social sobre o instrumento e a importância destas na adesão para o fortalecimento de ações preconizadas na Política Nacional da Saúde da Pessoa Idosa.
  • ANA MARGARETH MARQUES FONSÊCA SARMENTO
  • O Conhecimento Cotidiano sobre Qualidade de Vida de Idosos.
  • Data: 25/02/2015
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O envelhecimento populacional é um dos maiores desafios da saúde pública. O envelhecimento acompanha a evolução da humanidade e destaca o processo saúde-doença nos idosos como um fenômeno biopsicossocial. As políticas sociais de valorização do idoso despertam o interesse de pesquisadores de diversas áreas na temática no tocante à qualidade de vida na terceira idade. No entanto, com o aumento da sobrevida, há uma busca pela melhoria da qualidade de vida, com o intuito de alcançar uma velhice bem-sucedida, respeitando seus valores e crenças, sua visão de saúde e a atuação social. A qualidade de vida multidimensional e as representações sociais partem dos principais aspectos a serem considerados em relação à vida e à saúde do indivíduo idoso. Nessa perspectiva, o presente estudo tem o objetivo de conhecer as representações sociais dos idosos acerca da qualidade de vida; medir a qualidade de sua vida e analisar a relação entre ela e as representações sociais desse grupo social. Trata-se de um estudo de base de dados secundários, em que foram utilizadas como aporte teórico as representações sociais, com ênfase na abordagem estrutural, e envolveu 250 idosos da rede de serviços do SUS de João Pessoa-PB. Como instrumentos de coleta de dados, foram utilizados o questionário com dados sociodemográficos, o TALP e os instrumentos WHOQOL, para medir a qualidade de vida. Os dados referentes ao TALP foram processados pelo software Evoc. e os sociodemográficos e dos instrumentos utilizando os programas estatísticos SPSS 13.0. Os resultados estão dispostos em tabelas. Dos idosos estudados, houve uma prevalência de idade entre 60 e 79 anos (85,2%), a maioria do sexo feminino (70,4%), casados ou que vivem com companheiro (a), com renda mensal entre um e três salários mínimos (70,8%). Em relação à forma como os idosos percebem a qualidade de vida, a maioria a considera boa (52,0%) e 50,4% se dizem satisfeitos com sua saúde. Quanto às representações sociais, baseadas na abordagem estrutural, os elementos de centralidade são alimentação e assistência. Para os idosos, existe a preocupação com a alimentação e a importância dela em sua saúde, que intervém na qualidade de vida, assim como um atendimento de qualidade que lhes permita serem assistidos em suas necessidades. Os idosos associam, ainda, a qualidade de vida à presença de paz, o que foi demonstrado pela tranquilidade ao terem uma moradia própria que representa para eles um descanso, acrescido pela ideia de se encontrarem cercado de bons amigos e recebendo muito amor, com Deus acima de tudo, e de serem bem cuidados para gozar de boa saúde e conseguir trabalhar. Considerando os aspectos levantados, espera-se que tais resultados possam fornecer subsídios para a implementação de programas efetivos e preventivos de educação em saúde, visando melhorar a qualidade de vida dos idosos.
  • CARLA BRAZ EVANGELISTA
  • Cuidados Paliativos e espiritualidade: um estudo com enfermeiros
  • Data: 25/02/2015
  • Hora: 10:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os cuidados paliativos constituem-se numa abordagem que melhora a qualidade de vida de pacientes e familiares que enfrentam doenças potencialmente fatais, mediante o alívio do sofrimento físico, psicológico e espiritual. Destarte, observa-se que a espiritualidade auxilia os pacientes em situações consideradas difíceis e constitui-se uma ferramenta relevante em cuidados paliativos, por promover o alívio do sofrimento e da dor, provocados pelas doenças terminais e crônico-degenerativas. Esta dissertação foi constituída por dois artigos: o primeiro intitula-se Cuidados paliativos e espiritualidade: revisão integrativa da literatura, e objetivou analisar artigos científicos produzidos no cenário mundial sobre cuidados paliativos e espiritualidade, por meio de uma revisão integrativa. O corpus da pesquisa foi composto por 40 artigos publicados no período de 2005 a 2014, nas bases de dados LILACS, MEDLINE e IBECS e SciELO. Da análise textual das publicações, emergiram quatro abordagens temáticas: AT I – O significado da espiritualidade no contexto dos cuidados paliativos; AT II – Cuidados paliativos e assistência espiritual; AT III – A espiritualidade e o alívio da dor e de outros sintomas que acometem os pacientes sob cuidados paliativos e AT IV – Instrumentos de avaliação da dimensão espiritual no âmbito dos cuidados paliativos. Os resultados evidenciam a relevância da dimensão espiritual durante a assistência a pacientes sob cuidados paliativos e a incipiente produção de artigos sobre a temática, em nível nacional, o que torna necessário o desenvolvimento de novos estudos para disseminar o conhecimento sobre o tema. O segundo, original, intitula-se “A espiritualidade como recurso terapêutico em cuidados paliativos: compreensão de enfermeiros”, e tem como objetivos compreender de que forma os enfermeiros empregam a espiritualidade como um recurso terapêutico na assistência a pacientes assistidos em regime de cuidados paliativos e identificar a influência de sua crença e fé na assistência a eles. Trata-se de uma pesquisa de campo, de natureza qualitativa, desenvolvida em um hospital filantrópico, que atende a pacientes oncológicos em regime de cuidados paliativos, no município de João Pessoa (PB). A amostra foi constituída por 10 enfermeiros. O projeto de pesquisa foi submetido ao Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde, do qual recebeu certidão de aprovação, com registro CAAE, sob n. 32194614.2.0000.5188. Os dados foram coletados no período de agosto a outubro de 2014, mediante aplicação de entrevista semiestruturada, e analisados por meio da técnica de análise de conteúdo. A análise do material empírico do estudo permitiu a construção de três categorias: compreensão sobre cuidados paliativos e espiritualidade; necessidades espirituais de pacientes em cuidados paliativos; influência da crença e da fé na assistência aos pacientes em cuidados paliativos. Os enfermeiros reconhecem a importância da dimensão espiritual no atendimento aos pacientes sob cuidados paliativos e buscam atender às suas necessidades empregando variadas estratégias com base nessa dimensão.
  • MARIA ANDRÉA FERNANDES
  • CUIDADOS PALIATIVOS E LUTO ANTECIPATÓRIO: UM ESTUDO À LUZ DO MODELO CALGARY DE AVALIAÇÃO DA FAMÍLIA
  • Data: 25/02/2015
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Os cuidados paliativos constituem uma filosofia de cuidado interdisciplinar que objetiva aprimorar a qualidade de vida de pacientes e famílias que vivem e convivem com doenças ameaçadoras de vida, nas dimensões física, psicológica, social e espiritual e apoio ao luto. A presente dissertação é constituída de dois diferentes artigos, um teórico e um empírico, cujo enfoque temático central entre eles são os cuidados paliativos e o luto. O primeiro, teórico, intitula-se Cuidados paliativos e luto: um estudo bibliométrico. Objetivo: Analisar a produção científica publicada em periódicos online sobre os cuidados paliativos e o luto. Metodologia: Revisão bibliométrica, cuja amostra foi constituída de artigos, publicados no período de 2005 a 2014, e disponibilizados na LILACS, MEDLINE, IBECS, PUBMED, SciELO e DOAJ. Resultados: Foram identificados 48 estudos disseminados em 37 periódicos, dos quais, a Revista Medicina Paliativa Journal foi a que mais publicou sobre a temática, e o American Journal of Psychiatry apresentou o maior fator de impacto. A maioria das publicações foi produzida por pesquisadores da área de Medicina e predominaram autores com o título de doutor. Conclusão: Verificou-se que a produção do conhecimento que envolve os cuidados paliativos e o luto mantém-se reduzida no período investigado, o que demanda a ampliação do conhecimento acerca dessa temática e das questões que a envolvem. O segundo estudo é uma pesquisa original, intitulada: Estrutura de famílias de pacientes em cuidados paliativos acerca do luto antecipatório: estudo à luz do Modelo Calgary. Objetivo: Analisar a estrutura de famílias de pacientes sob cuidados paliativos acerca do luto antecipatório à luz do Modelo Calgary de Avaliação da Família. Metodologia: Trata-se de um estudo de campo com abordagem qualitativa, do qual participaram cinco famílias de pacientes sob cuidados paliativos internados em um hospital localizado na cidade de João Pessoa – PB. Para viabilizar a coleta dos dados, foram utilizados o genograma e o ecomapa. O material empírico foi analisado à luz do Modelo Calgary. Resultados: Os resultados advindos da pesquisa foram descritos em duas etapas. Na primeira, apresentaram-se o genograma e o ecomapa, a partir das histórias narradas pelas famílias participantes da pesquisa; e na segunda, a análise estrutural das famílias à luz do Modelo Calgary. As famílias ressaltaram a experiência de uma doença sem possibilidades terapêuticas de cura como um processo de profundas perdas, evidenciadas pela fragilidade que a enfermidade impõe progressivamente e que os levam a vivenciar um luto antecipatório. Conclusão: A utilização do modelo de avaliação familiar possibilitou uma visão ampliada das famílias inseridas no estudo e a compreensão das relações internas, externas e de contexto. Por conseguinte, considera-se essencial que o enfermeiro possa atuar junto com a família no que concerne ao luto antecipatório para atender às necessidades e aos cuidados da pessoa sob cuidados paliativos. Espera-se que os dados obtidos possam subsidiar novas investigações sobre a temática.
  • BRÍGIDA KARLA FONSÊCA ANIZIO
  • CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTO PARA PESSOAS COM FERIDAS EMBASADO NA TEORIA DE WANDA DE AGUIAR HORTA
  • Data: 24/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: no Brasil, as feridas acometem a população de forma geral, independente de sexo, idade ou etnia, constituem um sério problema de saúde pública, devido ao grande número de doentes com alterações na integridade da pele, embora sejam escassos os registros desses atendimentos. O elevado número de pessoas com úlceras contribui para vincular o gasto público, além de interferir na qualidade de vida da população. É importante que o cuidado de enfermagem esteja embasado em um modelo teórico e na metodologia científica do processo de enfermagem, bem como documentado, sendo fonte de informação. Neste estudo, optou-se pela utilização do modelo conceitual das Necessidades Humanas Básicas de Horta, o qual, além de ser um dos mais difundidos em todo o país, ajusta-se ao atendimento da clientela escolhida. Objetivo: construir instrumento de coleta de dados para pessoas com feridas embasado no modelo conceitual das necessidades humanas básicas de Wanda de Aguiar Horta. Metodologia: trata-se de uma pesquisa metodológica, realizada para comtemplar os pacientes do ambulatório de tratamento de feridas da Fundação Otacílio Gama da Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba, na cidade de João Pessoa - PB. Desenvolvida em três etapas: identificação dos indicadores empíricos das Necessidades Humanas Básicas; validação dos indicadores empíricos por juízes e construção do instrumento de coleta de dados. Resultados: os indicadores empíricos das Necessidades Humanas Básicas foram identificados a partir da literatura, organizados em 350 indicadores, subdivididos em 279 necessidades psicobiológicas, 5 necessidades psicoespirituais e 66 necessidades psicossociais, a validação dos indicadores empíricos aconteceu com juízes da Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba e Universidade Federal da Paraíba. Após os indicadores validados, permaneceram 116 necessidades psicobiológicas, 1 necessidade psicoespiritual e 10 necessidades psicossociais, sendo construído um instrumento de coleta de dados, organizado de acordo com as Necessidades Humanas Básicas de Horta. Considerações Finais: Esta pesquisa trará grandes contribuições para o ambulatório da Fundação Otacílio Gama da Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba, uma vez que na mesma inexistiam instrumentos que documentassem uma metodologia de assistência da enfermagem. A construção destes instrumentos fornecerá dados relacionados ao cuidado de enfermagem no ambulatório de tratamento de feridas, pensando na operacionalização do processo de enfermagem, facilitando a comunicação e o registro da assistência.
  • LINDIANE CONSTÂNCIO DA SILVA
  • Diagnósticos de enfermagem para idosos no contexto de vulnerabilidades ao HIV/Aids.
  • Data: 23/02/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O comportamento sexual a partir dos sessenta anos de idade, no ser humano é marcado por muitos mitos e tabus, e o mesmo tem sofrido mudanças que tem alterado o perfil epidemiológico de doenças como a aids, tornando a população idosa mais vulnerável a contaminação pelo HIV. Acredita-se que a construção de enunciados diagnósticos de enfermagem instigue discussões acerca do planejamento de ações de saúde direcionado às necessidades da pessoa idosa, na prevenção, controle e cuidado a pessoa idosa no contexto da vulnerabilidade ao problema. Objetivo: Construir enunciados de diagnósticos de enfermagem para idosos no contexto de vulnerabilidades ao HIV/Aids. Método: Trata-se de um estudo exploratório descritivo, realizado com 20 idosos numa Unidade de Saúde da Família no município de João Pessoa/Paraíba, no período de junho à julho de 2014. Para coleta de dados foi utilizada uma entrevista semiestruturada. As informações foram organizadas e analisadas pela técnica de análise de conteúdo temática categorial. Após a identificação de categorias e subcategorias temáticas, foi construído um banco de termos para mapeamento cruzado com termos da Classificação Internacional para a Prática de Enfermeiros (CIPE® 2013). Por fim, foram construídos enunciados diagnósticos de enfermagem com base no modelo de sete eixos da CIPE® 2013. Aprovado pelo comitê de ética, mediante o parecer nº 084/14. CAEE: 27945014.0.0000.5188. Resultados: Dente a população estudada houve uma prevalência de mulheres idosas (55%), casadas (55%), de religião católica (70%), com renda familiar de um salário mínimo (80%), faixa etária entre 60-65 anos (45%) e com baixa escolaridade (40%).Foi construído dois bancos de termos, um com termos constantes na CIPE® 2013 e um com termos não constantes CIPE® 2013, que resultaram na construção de 24 enunciados diagnósticos de Enfermagem, por categorias temáticas:1) Condições sociais com 10 enunciados - Conhecimento em saúde, adequado, Conhecimento da família sobre a doença, presente, Conhecimento em saúde, prejudicado, Tristeza, Medo da morte, Expectativa da morte, conflituosa, Angústia, Capacidade para falar sobre o processo morte/morrer, presente, serviço de comunicação, prejudicado e comportamento de busca em saúde, prejudicada; 2) Condições cognitivas com 07 enunciados - Conhecimento sobre medidas de prevenção, Risco de exposição à contaminação, Autoconhecimento sobre a doença, presente, Falta de conhecimento sobre a doença, Papel de prevenção, inadequado, Medo de exposição à contaminação e Falta de conhecimento sobre comportamento sexual; 3) Condições comportamentais que apresentou 07 enunciados - Relação sexual, presente, Relação sexual, ausente, Não à adesão a medida de prevenção (preservativo), Papel de gênero, prejudicado, Medo de contágio, Relação sexual de risco e Capacidade para proteger, prejudicado. Conclusão: Descrever concepções e comportamentos de idosos no contexto de vulnerabilidades ao HIV/Aids, observou-se de uma forma ampla que a aids está atrelada com distintos tipos de vulnerabilidades, e a construção de enunciados diagnósticos de enfermagem, detectou-se as necessidades de saúde, como reflexões acerca das necessidades de saúde da pessoa idosa no contexto de vulnerabilidades ao HIV/Aids, que permitirão o planejamento da assistência de enfermagem sistematizada, beneficiando o enfermeiro em suas práticas, como também em ações de saúde.
  • LAURA CRISTHIANE MENDONCA REZENDE
  • SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL: desenvolvimento de um protótipo para utilização em dispositivo móvel
  • Data: 20/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: É inegável que a evolução dos dispositivos de computação móvel, associada ao desenvolvimento das capacidades para operar em rede sem fios, potencializa novas formas de utilizá-los na prestação dos cuidados de enfermagem e estende os sistemas de informação até o paciente. Objetivos: Desenvolver um aplicativo para dispositivo móvel que possibilite o registro de dados para a Sistematização da Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e implementar o protótipo para identificar a percepção dos enfermeiros quanto ao seu uso. Método: Trata-se de uma pesquisa metodológica do tipo aplicada, desenvolvida na UTIN do Hospital Universitário Lauro Wanderley, localizado no município de João Pessoa-PB. As principais tecnologias utilizadas para o desenvolvimento do software foram: a linguagem de programação Ruby, Ruby on Rails e JavaScript; o framework Bootstrap; o servidor de produção Ubuntu Linux, Nginx Webserver e o Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados PostgreSQL. O software foi desenvolvido no período de maio a setembro de 2014 e utilizado pelas enfermeiras durante trinta dias - de 09 de setembro a 09 de outubro de 2014. Participaram do estudo cinco enfermeiras que desenvolvem suas atividades na UTI Neonatal. Para avaliar o aplicativo, foi elaborado um questionário semiestruturado, e os resultados, analisados através do método de análise temática de conteúdo de Bardin. A pesquisa obedeceu às orientações inerentes ao protocolo de pesquisa contido na Resolução nº 466/12 CNS. O projeto foi aprovado e registrado no Sistema Nacional de Informação sobre Ética em Pesquisa envolvendo Seres Humanos com CAAE-25890914.5.0000.5183. Resultados: No que se refere à tecnologia móvel utilizada, em geral, as enfermeiras não apresentaram dificuldades, pois se familiarizam com esse tipo de dispositivo. Quanto às que sentiram dificuldades, com o frequente uso do sistema, os obstáculos foram minimizados. De maneira geral, o aplicativo dispõe das funções necessárias para a SAE em UTI Neonatal, mas se sugerem alterações quanto à interface das telas e alguns termos da coleta de dados e parâmetros disponibilizados pelo aplicativo. Na opinião dos participantes do estudo, as principais contribuições do software para tecnologia móvel são: agilidade em desenvolver e documentar a SAE, liberdade de movimentação, padronização da avaliação do recém-nascido, otimização de tempo na realização de atividades burocráticas, possibilidade de resgatar informações e redução do espaço físico ocupado. Conclusão: Um sistema para SAE em tecnologia móvel possibilita a flexibilidade na realização das atividades de registro pelo enfermeiro, uma vez que a coleta de dados pode ser realizada à beira do leito. Além disso, proporciona inúmeras vantagens ao cotidiano de trabalho desse profissional.
  • FLAVIO WILLIAM BRITO DA SILVA
  • CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS PARA AS DOENÇAS CARDIOVASCULARES NA ATENÇÃO À SAÚDE DO HOMEM
  • Data: 19/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Verifica-se no cotidiano do cenário do cuidar, particularmente no âmbito da Atenção Básica à Saúde (ABS), que, embora o SUS esteja estruturado com base no princípio da universalidade e da equidade, este direito não se efetiva de modo perceptível em relação ao homem. Isto resulta na construção de um quadro inglório/negativo que traduz os indicadores de morbidade e mortalidade masculina em relação aos demais indivíduos da sociedade brasileira. Deste modo, objetivou-se construir um instrumento de coleta de dados para as Doenças Cardiovasculares na Atenção Básica, considerando os indicadores de saúde da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), bem como a literatura envolvendo a temática, para que subsidie o cuidado específico à clientela masculina neste âmbito. Trata-se de um estudo metodológico, desenvolvido nas Unidades Integradas de Saúde (UIS) dos Distritos Sanitários I, II, III, IV e V que compõem a rede de serviços de saúde do município de João Pessoa – Paraíba. Os participantes da pesquisa foram 77 enfermeiros que atuam nas UIS. A pesquisa ocorreu entre os meses de setembro e outubro de 2014, respeitando os critérios éticos da Resolução nº. 466/12 do Conselho Nacional de Saúde e a Resolução nº. 311/2007 do Conselho Federal de Enfermagem, recebendo parecer favorável à sua execução, segundo o Protocolo 0448/2014. CAAE 34139914.1.0000.5188. A amostra, por sua vez, ocorreu pela técnica de Amostragem Estratificada Proporcional. Ressaltando que teve como marco teórico a Teoria Geral de Enfermagem (Teoria do Autocuidado) de Dorothea E. Orem, que serviu de base para a categorização dos requisitos de Autocuidado, na busca de desvelar os desafios existentes na Atenção Básica no cuidado à saúde da população masculina, bem como a estruturação da versão do instrumento de coleta de dados deste estudo. O perfil sociodemográfico dos Enfermeiros revela que, quanto ao nível de escolaridade, 83,1% desses profissionais são especialistas. Em relação à faixa etária, 65% apresentaram idades entre 31 e 50 anos; 97,4% são do sexo feminino. Quando indagados sobre o tempo de experiência profissional como enfermeiro, 84,5% afirmaram ter mais de 11 anos na área. Entretanto, quanto à experiência na Estratégia Saúde da Família, 63,6% afirmaram ter entre 11 e 15 anos. Com o intuito de conhecer os indicadores validados pelo enfermeiros, os dados constantes nos instrumentos foram compilados em planilhas do Excel for Windows, e aqueles que apresentaram Índice de Concordância (IC) igual ou maior que 0.80 (IC≥0.80) foram listados para compor a versão do instrumento de coleta de dados. Do total de 95 indicadores empíricos, identificados na literatura e analisados pelos enfermeiros, 67 permaneceram com IC ≥ 0.80 e, desses indicadores validados, 34 estão associados aos requisitos universais, 09 aos requisitos desenvolvimentais e 24 aos requisitos por desvios de saúde. Espera-se, assim, que a utilização deste instrumento possa refletir na diminuição de indicadores de saúde da população masculina na esfera dos níveis de atenção à saúde de média e alta complexidade.
  • FABIANA MARIA RODRIGUES LOPES DE OLIVEIRA
  • Risco de hospitalização repetida em idosos atendidos na atenção primária de saúde de João Pessoa, Paraíba
  • Data: 12/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o complexo processo de envelhecimento populacional ocorre de forma concomitante à transição epidemiológica que modifica o perfil e a demanda dos serviços de saúde, fazendo com que o país passe de um cenário de elevada mortalidade por doenças infecciosas agudas, para uma realidade de excessivos gastos com internações hospitalares, especialmente por condições crônicas. A hospitalização do idoso gera diversas consequências que atingem diretamente sua funcionalidade e a qualidade de vida. Por essa razão, torna-se relevante a estratificação de risco de hospitalização no indivíduo idoso, com vistas a melhorar a organização do atendimento à sua saúde. Objetivo: analisar o risco para hospitalização repetida dos idosos atendidos na Atenção Primária de João Pessoa, Paraíba. Materiais e métodos: trata-se de um estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa, realizado no domicílio de idosos cadastrados na ESF no Município de João Pessoa, Paraíba. A amostra foi constituída por 368 indivíduos com 60 anos ou mais. A coleta de dados se deu no período de fevereiro a julho de 2014, por meio da técnica de entrevista estruturada, subsidiada por instrumento que abordou variáveis sociodemográficas e clínicas, além do Probability of Repeated Admission (PRA). Para análise dos dados, foi utilizado o modelo de Regressão Logística com as variáveis do PRA, que gerou a estratificação do risco de hospitalização. Para verificar a associação existente entre o risco de hospitalização e as demais variáveis, utilizou-se o teste de qui-quadrado de associações, o teste de Mantel-Haenszel, e a Análise de Correspondência. Resultados: Constatou-se que 75% dos idosos entrevistados evidenciaram baixo risco para hospitalização repetida, 16% apresentaram risco médio, 6,3% risco médio-alto e 2,7% revelaram risco alto. Dos idosos que apresentaram risco alto para hospitalização, predominou aqueles do sexo feminino, com faixa de idade entre 60-74 anos; com autopercepção de saúde como média; com uma internação no último ano e mais de seis consultas médicas nos últimos doze meses; que eram diabéticos; e que já tiveram doença cardiovascular. O presente estudo revelou, ainda, associação estatisticamente significativa entre o aumento do risco com as variáveis: depressão, isquemia, aumento do número de morbidade autorreferidas, viuvez e cor/raça preta. Conclusão: os resultados reforçam a necessidade de adotar medidas que classifiquem os idosos em estratos de risco para hospitalização, no intuito de organizar a porta de entrada, estruturar as filas de acesso aos serviços de saúde e hierarquizar o atendimento, o que gera melhoria para saúde do paciente idoso e menores custos com hospitalização para o setor saúde.
  • SAMILLA GONCALVES DE MOURA
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE TERAPIA COMUNITÁRIA INTEGRATIVA CONSTRUÍDAS POR IDOSOS E PROFISSIONAIS DE SAÚDE
  • Data: 12/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O estudo baseado em dados secundários é ancorado no aporte estrutural da Teoria das Representações Sociais. Objetivou conhecer e comparar as representações sociais dos idosos e profissionais de saúde sobre a Terapia Comunitária Integrativa. Envolveu 263 idosos e 247 profissionais da rede de serviços do SUS de João Pessoa-PB. Os dados foram coletados através do Teste de Associação Livre de Palavras (TALP) mediante o termo indutor terapia comunitária e tratados através do software EVOC. Entende-se que tanto os idosos como os profissionais de saúde dão à TCI o significado de uma reunião de pessoas, que desenvolvem atividades em grupo que garantem através da comunicação o desabafo dos seus problemas e obtenção de ajuda para sua resolução e restabelecimento da alegria na vida. Reportando-se ao sistema periférico, percebe-se que os idosos reforçam o sentido da TCI como espaço de troca de experiência e desabafo daquilo que lhe traz preocupação, promovendo a saúde. Para eles, na TCI, os profissionais desenvolvem as rodas utilizando recursos da arte para construir momentos de distração e, proporcionar uma profunda viagem à introspecção, despertando o Autoconhecimento e o amor a si e ao outro. Para os profissionais, o problema gerador de tristeza e sofrimento, consiste em um desafio a ser enfrentado, exigindo para isso, ânimo e conhecimento das capacidades intrínsecas e coletivas para solução destes. Para isso, atribuem à TCI o significado de importante ferramenta de cuidado facilitada por terapeutas comunitários, que através de atividade em grupo cria um espaço terapêutico e de tratamento, promovendo melhoria do estado físico ou mental. Assim, resultou-se na representação coesa e bem estruturada entre os elementos periféricos e centrais das RS dos idosos e dos profissionais de saúde, refletindo um sentido de aceitação da TCI como prática de saúde mental comunitária. Apesar do maior nível de escolaridade e status sócio-ocupacional, a representação dos profissionais de saúde não diferiu muito daquela expressada pelos idosos, que apresentaram um background socioeducacional inferior. A semelhança notável, mas não identidade absoluta, entre os núcleos centrais mostra que os elementos comuns evocados pelos dois grupos, não devem portanto, ter sua origem no ensino formal, nem em práticas ocupacionais especializadas. Trata-se, provavelmente, de elementos representacionais de entranhamento mais profundo e de confirmação mais constante na vida cotidiana dos sujeitos. Quanto ao que distingue, o núcleo central das RS dos profissionais apenas compactou os elementos retidos na representação dos idosos; por sua vez, o sistema periférico ampliou. Nesse sentido, surge uma “teoria popular” do que seja a TCI, entendida desde a idealização de uma saber acadêmico à ramificação de um saber artístico. Por fim, conhecer as RS da TCI consistiu em uma conduta de fortalecimento dessa ferramenta de cuidado.
  • KEYLLA TALITHA FERNANDES BARBOSA
  • Vulnerabilidade física, social e programática de idosos atendidos na atenção primária de saúde do município de João Pessoa, Paraíba.
  • Data: 11/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: a vulnerabilidade consiste em um constructo multidimensional em que condições comportamentais, socioculturais, econômicas e políticas interagem com os processos biológicos ao longo da vida. Embora pouco estudado na gerontologia, o citado conceito enfatiza a necessidade da ampliação do cuidado integral e contextualizado na saúde do idoso por meio do reconhecimento de aspectos individuais e coletivos. Objetivo: identificar a vulnerabilidade física, social e programática entre os idosos atendidos na Estratégia Saúde da Família do município de João Pessoa, Paraíba. Metodologia: trata-se de uma pesquisa descritiva, de corte transversal e abordagem quantitativa, realizada com 368 idosos atendidos pela Estratégia Saúde da Família do referido município. A coleta de dados ocorreu entre os meses de fevereiro a abril de 2014, por meio de entrevista estruturada. O instrumento utilizado incluiu a caracterização sociodemográfica, o Vulnerable Elderly Survey (VES-13), o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS), bem como questões referentes à vulnerabilidade programática. Os dados foram compilados e analisados com o auxílio do programa estatístico Statistical Package for the social sciences (SPSS) versão 20.0. Realizou-se análise descritiva dos dados, regressão logística e testes de associações, considerando variável estatisticamente significativa quando p< 0,05. Projeto aprovado em Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, sob nº 0658/13. Resultado: constatou-se que a maioria dos idosos pertencia ao sexo feminino (68,8%), com faixa etária entre 60 a 69 anos (45,9%), casados (39,9%), com 4 a 8 anos de estudo (32,6%) e renda familiar de 1,0 a 3,3 salários mínimos. No que diz respeito às condições clínicas, evidenciou-se que 84% dos idosos referiram possuir três ou mais doenças, destacando-se, entre elas, os problemas de visão (21,1%), hipertensão arterial (19,2%) e varizes (13,7%). Identificou-se, no presente estudo, que 52% dos indivíduos eram fisicamente vulneráveis, com predominância do sexo feminino (72,4%) e idade entre 70 a 79 anos. Apresentaram autoavaliação da saúde ruim, bem como dificuldades na mobilidade e realização das atividades da vida diária. Após análises, verificou-se que a maioria dos idosos residia em áreas de baixa vulnerabilidade social. Dentre a população investigada, a maioria não possuía plano privado médico ou odontológico, utilizando com maior frequência os serviços do Sistema Único de Saúde. Conclusão: a compreensão dos fatores que contribuem para a vulnerabilidade na pessoa idosa pode auxiliar os profissionais e os gestores de saúde na promoção de intervenções integrais e resolutivas para essa população.
  • LORENA DE FARIAS PIMENTEL COSTA
  • Desafios de familiares envolvidos no processo de cuidar de dependentes químicos.
  • Data: 06/02/2015
  • Hora: 10:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O aumento do consumo de drogas lícitas e ilícitas tem permeado o cotidiano de inúmeras famílias brasileiras, fomentando o acometimento pela dependência química, considerado na atualidade importante fator de risco à saúde e a produção de danos de cunho físico, biológico e psicológico na vida de usuários e familiares. As mudanças ocorridas no cenário de cuidado em saúde mental promoveu o desenvolvimento de ações pautadas nas estratégias comunitárias, com ênfase na reabilitação psicossocial e inserção social, com apoio e corresponsabilidade dos familiares cuidadores. No processo de cuidar as famílias enfrentam situações adversas capazes de provocar danos em sua estrutura e dinâmica relacional, principalmente pela exposição frequente a situações de violência, falência financeira, sofrimento emocional e deterioração de laços afetivos. Esta pesquisa teve como objetivos: Revelar os desafios vivenciados por familiares envolvidos no processo de cuidar de dependentes químicos, tendo em vista a importância de sua participação como coadjuvante nesse processo; Descrever as estratégias de enfrentamento utilizadas pelos familiares no acompanhamento do tratamento do seu parente dependente químico; Identificar os tipos de apoio utilizados pelos familiares durante o processo de reabilitação e inserção social; Revelar as expectativas dos familiares em relação aos serviços de saúde como fonte de apoio à reabilitação e inserção social de seu parente. Trata-se de Estudo compreensivo interpretativo de natureza qualitativa, realizado em um CAPS ad do município de Campina Grande – PB com amostra composta por dez familiares cuidadores. O material empírico foi coletado por meio de entrevistas semiestruturadas, analisadas a partir da análise de conteúdo com base na enunciação. A pesquisa obedeceu aos preceitos éticos da resolução 466/12 do CNS sob aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa do CCS – UFPB junho de 2014 (Protocolo nº 0297/14 e CAAE: 31639114.3.0000.5188). A partir da análise do material empírico formaram-se agrupamentos por semelhança que discutem a vivência dos familiares no processo de cuidar, e os principais desafios enfrentamentos por eles, a saber: recaídas, violência, danos financeiros e envolvimento com a criminalidade, degradação pessoal e dos laços afetivos. Identificou-se ainda as estratégias de enfrentamento frequentemente pautadas no diálogo e com isso a funcionalidade das famílias que contam com redes de apoio sólidas e eficazes, a partir da participação em grupos religiosos comunitários, grupos de auto ajuda e grupos de família do CAPS. Tal serviço mostrou-se, na percepção dos familiares, bastante efetivo no que concerne ao apoio para superação de momentos de crise e desgaste emocional. Foi possível perceber também um déficit na estratégia de funcionamento em rede, o que impossibilita os familiares de receberem apoio de outros dispositivos de cuidado. O estudo mostrou que cuidar de dependentes químicos provoca severas desordens na vida dos familiares, principalmente as vinculadas ao estresse constante e que diante das situações de desespero e angustia é necessária à construção de um trabalho em rede de cunho educativo e de suporte emocional para os familiares visando o reestabelecimento da dinâmica familiar.
  • LUANNA SILVA BRAGA
  • CUIDANDO DO CUIDADOR: história oral de profissionais de saúde
  • Data: 05/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O cuidar faz parte das necessidades básicas para a sobrevivência da vida humana, sendo frequente na maneira do homem agir e se relacionar. Porém, rotineiramente, cuidar do outro ocasiona inúmeras e complexas condições de desgaste físico e psíquico, portanto é imprescindível que o cuidador, seja ele profissional de saúde ou não, possa reservar um tempo para cuidar de si. Foi nessa perspectiva que surgiu o curso de formação de multiplicadores em oficinas - “Cuidando do cuidador”/Resgate da autoestima, que foi criado com o intuito de possibilitar um espaço de cuidado ao profissional de saúde. Objetivo: Conhecer as experiências dos profissionais de saúde em cuidar de si após a participação em um curso de formação de multiplicadores em oficinas - “Cuidando do cuidador”/Resgate da autoestima; elencar as principais mudanças ocorridas nas dimensões pessoal e profissional desses profissionais, após sua participação no curso; e identificar as possibilidades de cuidados utilizados pelos profissionais de saúde ao buscar outras práticas de cuidado. Método: Estudo qualitativo, de natureza compreensivo-interpretativo, norteado pelos pressupostos da História Oral Temática. Foi realizado no município de João Pessoa – PB, com os profissionais da rede de saúde que participaram do referido curso. Obteve-se o material empírico por meio de entrevistas gravadas com oito colaboradoras, sendo esse material analisado com base na análise de conteúdo temática proposta por Minayo. Resultados: Após a identificação dos tons vitais e dos temas presentes nos depoimentos, emergiram dois eixos temáticos: I - Participando do curso de formação de multiplicadores em oficinas – “Cuidando do Cuidador”/resgate da autoestima: um despertar para o cuidar de si na dimensão pessoal e profissional; e II - Profissionais da saúde: descobrindo possibilidades e práticas de cuidado. A partir dos relatos das colaboradoras, constatou-se que a participação nesse curso trouxe efeitos positivos nos relacionamentos interpessoais, oportunidades de auto-reflexão, de autoconhecimento e de redescoberta de si; além disso, elas perceberam que não representavam a solução dos problemas dos outros e absorvê-los lhes fazia mal. Houve também uma melhora dos sintomas relacionados ao desgaste ocupacional, como estresse, ansiedade e exaustão extrema. Dentre as práticas de cuidado realizadas, foram citadas principalmente as não alopáticas, que atendem às necessidades humanas de forma integral, como acupuntura, tai-chi-chuan, ioga, reiki, biodança, danças circulares, massagem ayurvédica, além da prática de esportes, caminhada e outras. Conclusão: De modo geral, observou-se que o curso transformou de maneira significativa a maneira como as colaboradoras percebiam e realizavam o cuidado de si, além de despertar nelas o desejo de procurar novas práticas de cuidado. Dessa forma, conclui-se que o curso está em consonância com os princípios do SUS, uma vez que seu foco baseia-se na promoção à saúde e prevenção de agravos.
  • CAMILA ABRANTES CORDEIRO
  • USUÁRIAS DO CENTRO DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES: despertando para o cuidar de si
  • Data: 05/02/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A mudança do modelo de atenção á saúde mental dentro do SUS é direcionado para a ampliação de práticas de cuidado que visam incluir e integrar os sujeitos aos diferentes espaços da sociedade, implementando tecnologias de cuidado a fim de promover a promoção a saúde e prevenção do adoecimento mental. Nesse sentido, o Cuidando do Cuidador/Resgate da Autoestima atua como uma tecnologia leve de cuidado que propicia um espaço de apoio, fala e escuta, que por sua vez, possibilita aos seus integrantes resgatar a sua autoestima, ajudando-o a enfrentar e superar as dificuldades do dia a dia. Esta pesquisa teve como objetivos: identificar as práticas de cuidado oferecidas pelos espaços de cuidado que despertam nos usuários o desejo de cuidar de si; investigar a motivação dos profissionais de saúde acerca do desenvolvimento das oficinas de cuidado com a comunidade. Trata-se de uma pesquisa compreensivo-interpretativa de abordagem qualitativa, para cujo estudo se utilizou a História Oral Temática como caminho metodológico. O cenário da investigação foi o Centro de Práticas Integrativas e Complementares – Equilíbrio do Ser localizado no município de João Pessoa – PB.O material empírico foi produzido através de entrevistas realizadas com seis colaboradores e a análise desse material foi realizada com base na análise temática proposta por Minayo, que possibilitou a construção dos eixos temáticos: I – Usuárias e o cuidar de si motivados por uma possibilidade de transformação; II – A repercussão das oficinas de cuidando do cuidador/resgate da autoestima na vida das usuárias; III – Práticas de cuidados de cuidado utilizadas como ferramentas fortalecedoras da promoção da saúde. Os discursos das colaboradoras revelaram mudanças significativas no âmbito pessoal em que foi possível perceber que as oficinas de cuidado possibilitaram o resgate da autoestima, o despertar para a resiliência, o olhar para si a partir do autoconhecimento, potencializando o resgate da autonomia, contribuindo para a (re)significação da sua história de vida, seus sofrimentos. O processo de mudança observado a partir da inserção desses indivíduos nas oficinas de cuidado, favoreceu uma melhor compreensão de si e do outro, reconhecendo a relação dialética do cuidado e também contribuindo para o estabelecimento e fortalecimento de vínculos. Conclui-se portanto, que o cuidando do cuidador/resgate da autoestima corrobora com os princípios do SUS, incentivando a implementação e consolidação de novas práticas de cuidado que potencializam ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde de indivíduos, famílias e comunidades de maneira integral.
2014
Descrição
  • ANA CLAUDIA TORRES DE MEDEIROS
  • VALIDAÇÃO DO SUBCONJUNTO TERMINOLÓGICO DA CIPE® PARA A PESSOA IDOSA
  • Data: 09/12/2014
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O gradativo aumento da longevidade leva os profissionais da saúde, especialmente o enfermeiro, a se preocupar com os cuidados à pessoa idosa, sobretudo na atenção primária. Busca-se identificar fatores de risco para promover a saúde e prevenir doenças, proporcionando, assim, um envelhecimento mais saudável. Objetivo: Validar o subconjunto terminológico da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) para a pessoa idosa. Método: Estudo metodológico desenvolvido nas seguintes etapas: 1) mapeamento dos enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem com os conceitos pré-combinados da CIPE® 2013; 2) elaboração das definições operacionais dos enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem; 3) validação por consenso entre especialistas das definições operacionais dos enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem; 4) validação por consenso das intervenções de enfermagem para os diagnósticos/resultados de enfermagem validados na etapa anterior; 5) reorganização do subconjunto de acordo com o modelo de vida, com elaboração de um instrumento para consulta de enfermagem da pessoa idosa; e 6) operacionalização clínica do subconjunto terminológico da CIPE® para a pessoa idosa. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba (CCS/UFPB), sob o Certificado de Apresentação para Apreciação Ética (CAAE) n. 24301613.9.0000.5188. Resultados e discussão: O mapeamento cruzado resultou em 81 (63,8%) enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem incluídos e 46 (36,2%) não incluídos na CIPE® 2013. Foram elaboradas definições operacionais para os 127 enunciados incluídos no subconjunto terminológico da CIPE® para a pessoa idosa, segundo os fatores que influenciam as atividades de vida do modelo de vida, e 1 instrumento para validação dos especialistas. Foram realizados 5 encontros presenciais, totalizando 11 horas de discussão em junho e julho de 2014, com a aprovação por consenso de 105 (82,8%) diagnósticos/resultados de enfermagem e suas respectivas definições operacionais; 4 diagnósticos/resultados de enfermagem foram classificados no fator ambiental, 64 no biológico, 3 no político-econômico, 26 no psicológico e 8 no sociocultural. A validação por consenso das intervenções de enfermagem resultou em 101 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem, para os quais foram validadas por consenso 441 intervenções de enfermagem, totalizando uma média de 4,3 enunciados de intervenções de enfermagem por diagnóstico para a pessoa idosa. São 8 intervenções de enfermagem no fator ambiental, 281 no biológico, 8 no político-econômico, 107 no psicológico e 37 no sociocultural. A reorganização do subconjunto terminológico da CIPE® para a pessoa idosa foi estruturada com: Orientação de utilização; Importância para a enfermagem; Modelo teórico da estruturação do subconjunto; Enunciados do subconjunto terminológico; Instrumento para a consulta de enfermagem da pessoa idosa; e Exemplo de estudo de caso. A operacionalização clínica do subconjunto ocorreu por meio de 5 estudos de caso, descritos individualmente e interpretados sob uma visão de conjunto. Considerações finais: Constatou-se ser possível validar o subconjunto terminológico da CIPE® para a pessoa idosa, pois os enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem são conceitos incluídos na CIPE® 2013 e mostram-se pertinentes à prática de enfermagem com a pessoa idosa.
  • JULLYANA MARION MEDEIROS DE OLIVEIRA
  • DIAGNÓSTICOS/RESULTADOS E INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM DA CIPE® PARA A PESSOA IDOSA INSTITUCIONALIZADA
  • Data: 09/12/2014
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o processo do envelhecimento demográfico acarretou o aumento da necessidade de um cuidado especializado desenvolvido pelas Instituições de Longa permanência para Idosos. Porém, percebe-se que esta rede de apoio em expansão está desarticulada com as redes de atenção à saúde, uma vez que as ações de saúde são realizadas em sua maioria pela equipe de saúde da instituição, sendo os profissionais de enfermagem os responsáveis por desempenhar o cuidar. No entanto, o cuidar de enfermagem nessas moradias está sendo desempenhado, em sua maioria, sem uma sistematização da assistência comprometendo a resolutividade e a meta esperada pelas ações do cuidar. Objetivos: identificar os focos da prática de enfermagem na avaliação à saúde da pessoa idosa institucionalizada; construir enunciados de diagnósticos/ resultados da CIPE® para a pessoa idosa institucionalizada e construir enunciados de intervenções de enfermagem, utilizando a CIPE®, a partir dos enunciados de diagnósticos/ resultados validados para a pessoa idosa institucionalizada. Método: Tratou-se de uma pesquisa metodológica, desenvolvida em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos no município de Natal - RN, com a participação de 83 idosos residentes na instituição, utilizando o referencial teórico da teoria da Necessidades Humanas Básicas de Wanda Horta e a técnica de mapeamento cruzado e a validação de conteúdo por especialistas. Para a sua execução foram realizadas cinco etapas: I) Identificação dos focos da prática de enfermagem; II) Construção de enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem; III) Mapeamento cruzado dos conceitos construídos com a CIPE® versão 2013; IV) Validação de conteúdo por especialistas dos enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem; e V) Construção dos enunciados de intervenções de enfermagem para os diagnósticos validados. A pesquisa foi apreciada pelo Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba, respeitando-se a normatização da Resolução Nº 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, referente aos aspectos éticos da pesquisa envolvendo seres humanos. O estudo foi aprovado sob protocolo de nº 081/14 e CAEE 27593814.1.0000.5188. Resultados: foram identificados 192 focos da prática de enfermagem, em 113 necessidades psicobiológicas, 74 psicossociais e 5 psicoespirituais, os quais permitiram a construção de 129 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem, que foram submetidos a um processo de mapeamento cruzado, em correspondência com os conceitos da CIPE® Versão 2013, resultando em 60 enunciados constantes e 69 não constantes nesta classificação. Na etapa de validação de conteúdo foram validados 72 diagnósticos/resultados de enfermagem, para os quais foram construidos 383 enunciados de intervenções de enfermagem. Conclusão: concretiza-se a hipótese que existem focos da prática de enfermagem que se identificam na avaliação de saúde das pessoas idosas residentes em ILPI e que permitem a construção de enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem, utilizando a CIPE®. Espera-se que a proposta de um cuidado de enfermagem sistematizado, por meio da utilização dos enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem, possa subsidiar e construir o cientificismo do saber tecnológico, bem como, a autonomia profissional da Enfermagem à pessoa idosa institucionalizada.
  • ISABELLE PIMENTEL GOMES
  • INFLUÊNCIA DE UM AMBIENTE LÚDICO SOBRE O PODER VITAL DE CRIANÇAS EM QUIMIOTERAPIA AMBULATORIAL, SEUS ACOMPANHANTES E DA EQUIPE DE ENFERMAGEM
  • Data: 05/12/2014
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O diagnóstico e tratamento do câncer infantil traz muito sofrimento para a criança e sua família. Para algumas pessoas, o câncer é visto como uma indicação de morte próxima. É nesse cenário que a Enfermagem precisa cuidar; portanto, a busca pela humanização do ambiente hospitalar pode contribuir para minimizar o sofrimento das crianças, dos seus acompanhantes e da equipe de enfermagem. Florence Nightingale afirmava que um dos definidores do estado saúde-doença de uma pessoa é o ambiente ao seu redor, suas condições e influências. Objetivou-se analisar a influência de um ambiente ambulatorial lúdico sobre o poder vital de crianças em quimioterapia, de seus acompanhantes e da equipe de enfermagem. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada em um serviço de quimioterapia ambulatorial infantil (Aquário Carioca), no período de maio e junho de 2010 e outubro de 2013. Os sujeitos foram 10 acompanhantes das crianças que frequentavam o ambulatório de quimioterapia e 9 membros da equipe de enfermagem que trabalhavam no Aquário Carioca. Utilizou-se a entrevista em profundidade para produção de material empírico. Foram seguidos os princípios da Análise Temática para categorização do material produzido. Os conceitos descritos na Teoria Ambientalista de Florence Nightingale, junto com a literatura pertinente, fundamentaram os resultados e a discussão. Foram criadas 3 categorias empíricas. A primeira: Poder vital das crianças no ambiente lúdico para quimioterapia; com duas subcategorias: ambiente externo à criança com câncer e ambiente interno à criança com câncer. A segunda: Ambulatório lúdico de quimioterapia infantil e o poder vital dos acompanhantes, com duas subcategorias: favorecimento do poder vital e fragilização do poder vital. A terceira: Cuidado em sala de quimioterapia infantil: poder vital da equipe de enfermagem, com três sub categorias: Contexto do ambiente para o cuidado à criança em quimioterapia ambulatorial; Modo de trabalho na sala de quimioterapia infantil; Sentimentos da equipe de enfermagem no cotidiano de cuidado. Os dados empíricos da pesquisa de campo comprovam a tese de que um ambiente lúdico e propício ao cuidado, durante a quimioterapia ambulatorial infantil, humaniza a assistência de enfermagem e exerce influência sobre o poder vital de crianças com câncer, acompanhantes e equipe de enfermagem.
  • LUIZ WILLIAM BARRETO WANDERLEY
  • Qualidade de vida de idosos residentes em instituições de longa permanência
  • Data: 06/10/2014
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • A qualidade de vida pode indicar a percepção do indivíduo de sua posição na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações. Ao, longo da vida, a perda de independência amplia a necessidade de assistência ao idoso em longo prazo, quer por esforços de familiares, amigos, vizinhos, cuidadores informais ou até mesmo pela dedicação de profissionais e serviços de saúde capacitados comumente oferecidos em instituições de longa permanência para pessoas idosas. Diante do exposto o objetivo geral foi avaliar a qualidade de vida de idosos residentes em instituições de longa permanência na cidade de João Pessoa-PB.Metodologia: estudo transversal descritivo com abordagem quantitativa, realizado em seis instituições de longa permanência para idosos – ILPIs, todas de natureza filantrópica.Os dados foram coletados no período de junho a agosto de 2013. A população foi composta por n=324 idosos, internos das instituições. A amostra foi composta por n=229 idosos. Além disso, com o intuito de facilitar a interpretação dos resultados, resolveu-se subdividir a análise dos dados em seções. A primeira seção apresentar o perfil e as condições das instituições de longa permanência; a segunda seção mostra o perfil sociodemográfico e clínico dos entrevistados; a terceira seção discute a qualidade de vida dos internos a partir das escalas SF-36 e WHOQOL-BREF e, por fim, a última seção avaliar as incapacidades funcionais dos idosos, através da escala de Katz, e suas relações com os escores de qualidade de vida. Resultados:os tempos de existência das ILPIs variam entre 14 e 100 anos, com capacidades para abrigar entre 12 e 120 idosos. Atualmente, considerando as seis ILPIs, o total de idosos institucionalizados varia entre 12 e 106, sendo 42 homens, no máximo, e entre 12 e 70 mulheres. Considerações finais: Os idosos com independência, pelo menos, uma atividade diária já apresentam escores médios de qualidade de vida maiores que os indivíduos que são totalmente dependentes. Mais que isso, com exceção dos domínios “dor”, “aspectos sociais”, “vitalidade” da escala QVRS; e domínios “psicológico” e “meio ambiente” da escala WHOQOL – Bref, os escores médios de todos os outros domínios para os idosos com independência em, no mínimo, 1 das 6 atividades diárias da vida diária foram significativamente. Neste sentido, demonstram a inegável relação entre qualidade de vida e a independência funcional na realização das atividades de vida diárias de idosos.
  • ANNE JAQUELYNE ROQUE BARRETO
  • As práticas de planejamento das ações de controle da tuberculose: a discursividade dos sujeitos gestores
  • Data: 30/09/2014
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A tuberculose permanece como um problema de saúde pública a ser enfrentado nos dias atuais, consistindo em desafio para gestores, trabalhadores de saúde e sociedade civil. O planejamento em saúde pode configurar um instrumento essencial para o alcance das ações de controle da tuberculose, pois potencializa o desenvolvimento do trabalho e esclarece objetivos e compromisso compartilhados nas organizações. A não participação e o desconhecimento dos gestores, sobretudo daqueles que gerenciam os serviços de saúde, no que se refere ao planejamento das ações de tuberculose, revela pouco compromisso político na manutenção e continuidade das ações de controle da doença. Este estudo teve como objetivo analisar a discursividade dos sujeitos gestores relacionada à prática das ações de controle da tuberculose na perspectiva do planejamento em saúde. Estudo de abordagem qualitativa, realizado no município de João Pessoa/PB, considerado prioritário para o controle da tuberculose. Os sujeitos colaboradores foram 25 profissionais de saúde que atuavam na gestão ou equipes gestoras no município. Para análise do material empírico foi utilizado o dispositivo teórico-analítico Análise de Discurso, de matriz francesa. Os discursos dos gestores evidenciaram a ausência de planejamento nos serviços de Atenção Básica para as ações de controle da tuberculose, pois os números de casos da doença são reduzidos e sua detecção ainda é realizada de forma passiva. Naqueles serviços que realizavam planejamento para as ações de controle da tuberculose, os discursos dos gestores evidenciaram, uma prática de planejamento com forte viés centralizador, hierarquizado e fragmentado. Outro aspecto identificado refere-se a uma prática de planejamento com foco em ações eminentemente campanhistas, como apresentação de palestras e dias-D. Desse modo, organização do serviço de saúde é arraigada e orientada pelo modelo biomédico. No campo ideológico, os discursos dos sujeitos gestores filiam-se a prática de planejamento baseada na racionalidade gerencial hegemônica. Assim, sugere-se a implementação de processos pedagógicos e gerenciais que favoreçam o fortalecimento teórico e reflexivo sobre o planejamento das ações de controle da TB, especificamente no planejamento estratégico situacional, considerando ser este um dos pilares da Reforma Sanitária Brasileira.
  • MIRIAN ALVES DA SILVA
  • ÚLCERA POR PRESSÃO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS: ASSOCIAÇÃO DA INCIDÊNCIA COM OS FATORES DE RISCO, AVALIAÇÃO FUNCIONAL E NUTRICIONAL
  • Data: 26/09/2014
  • Hora: 13:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O envelhecimento populacional é hoje uma realidade posta à maioria das sociedades. Nas últimas décadas, o expressivo aumento da população de idosos mudou o perfil demográfico brasileiro. Os rearranjos familiares, que em maior ou menor grau, enfraquecem os vínculos familiares, tão necessários no cuidar desse ser; a participação ativa da mulher no mercado de trabalho, figura historicamente responsável pelo cuidado; a escassez de alternativas para as famílias manterem seus velhos em casa e os idosos sem referência familiar são alguns dos fatores que têm impulsionado a demanda por Instituições de Longa Permanência para Idosos. Dentre as principais causas clínicas de institucionalização dos idosos estão as sequelas das doenças crônicas não transmissíveis que, associadas às fragilidades decorrentes do processo de envelhecimento tegumentar e das peculiaridades de cada idoso, os predispõem ao desenvolvimento de lesões da pele, incluindo as úlceras por pressão. Diante da multifatorialidade da gênese destas, este estudo teve por objetivo analisar a associação de fatores de risco com a avaliação funcional e nutricional e sua influência na incidência de úlceras por pressão em idosos residentes em instituições de longa permanência para idosos do município de João Pessoa. Trata-se de um estudo de base populacional, prospectivo (incidência), descritivo e exploratório, com abordagem quantitativa. Teve como unidade investigativa todos os idosos (324) residentes de todas as Instituições de Longa Permanência para Idosos de João Pessoa-PB. Estruturado em duas fases: na primeira, todos os prontuários e idosos foram avaliados e os dados foram registrados em instrumento próprio, os demais dados foram obtidos por meio de respostas ao questionário, com a aplicação das escalas de Braden, Katz, Mini Avaliação Nutricional e avaliação da pele dos 324 participantes; na segunda fase, que abrangeu os idosos que tiveram escore de Braden ≤ 18 (constante de 142 idosos), foram realizadas quatro reavaliações, em semanas consecutivas, nas quais foi procedido o exame físico da pele. Os resultados mostraram uma incidência de 51% de idosos com úlceras por pressão. De acordo com a escala de Braden, nas categorias de maior risco em que se encontram os idosos com úlceras por pressão, estão as subescalas: umidade (pele muito úmida), nutrição (provavelmente inadequada) e fricção e cisalhamento (problema potencial), todas com diferenças estatisticamente significativas. Quanto à avaliação nutricional, 64,4% de idosos que desenvolveram úlceras por pressão foram classificados como desnutridos. Verificou-se ainda que 79,46% apresentaram apenas uma úlcera. As localizações mais frequentes das úlceras por pressão foram a região sacra com 32,87%, seguida das regiões glútea com 20,55% e as margens laterais dos pés com 9,59%. Observou-se que 49,32% apresentaram úlceras por pressão no estágio II. Destacou-se a pouca participação dos enfermeiros nos cuidados, na avaliação dos idosos e na realização de encontros educacionais com a equipe multidisciplinar e com os cuidadores. Percebe-se que a inadequação dos recursos humanos e a falta de participação ativa do Estado influenciam na inexistência de programas de prevenção e na promoção de um envelhecimento ativo.
  • ELISANGELA BRAGA DE AZEVEDO
  • TIPOLOGIA DE ENFERMEIRAS TERAPEUTAS COMUNITÁRIOS NA PERSPECTIVA WEBERIANA.
  • Data: 22/09/2014
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A enfermagem psiquiátrica e de saúde mental comunitária é uma área do conhecimento que tem sofrido modificações estruturais ao longo se sua trajetória histórica. Tais modificações são percebidas tanto na prática como no saber, promovendo mudanças no papel e na identidade das enfermeiras que atuam nessa área. Por conseguinte, a Terapia Comunitária Integrativa (TCI) se configura uma tecnologia leve de cuidado que tem se disseminado pela rede de Atenção Básica de Saúde (ABS) do país e contribuído para a prática da enfermeira tornar-se ainda mais competente e humanizada. Objetivo: Analisar as transformações ocorridas nas práticas das enfermeiras que atuam na ABS, a partir da implantação da TCI, tendo em vista a emergência de um novo tipo de enfermeira que consolida avanços para a enfermagem no campo da saúde mental comunitária. Metodologia: O estudo baseia-se na abordagem qualitativa do tipo compreensivo e interpretativo. Foi realizado com 14 enfermeiras que realizam rodas de TCI na Estratégia Saúde da Família de Campina Grande-PB, João Pessoa-PB, Patos-PB e Santa Luzia-PB. O material empírico foi produzido por meio de dois grupos focais, realizados no mês de maio de 2014 em Santa Luzia e João Pessoa, tendo duas entrevistas sido realizadas individualmente. O corpus documental foi analisado por meio da teoria de análise de discurso de linha francesa de Eni Orlandi. O estudo obedeceu aos preceitos da resolução 466/ 2012 que envolve seres humanos, e foi aprovado em 24 de abril de 2014, sob CAAE 19482313.7.0000.5188. Resultados: Identificaram-se dois Blocos Discursivos: Visões paradigmáticas das enfermeiras terapeutas comunitárias antes da formação e Visões paradigmáticas após a formação: Tipologia da Enfermeira Terapeuta Comunitária, assim, respectivamente identificaram-se, práticas voltadas para o Paradigma Cartesiano e o Paradigma Holístico. Das quatorze enfermeiras entrevistadas, dez foram identificadas como sendo de um novo tipo, por terem ressignificado suas práticas e entendido que cuidar de si é tão importante quanto cuidar do outro, acolhendo o sofrimento, demonstrando empatia com a dor alheia a partir de escuta sensível e qualificada, buscando romper com o preconceito social e histórico, fazendo emergir a resiliência, a autonomia, a melhoria da autoestima e o empoderamento dos participantes e de si mesmas. Assim, elas ocupam seu lugar de enfermeira e cuidadora e passam a se enxergar como inacabadas aproximam-se do ideal tipo, cujas ações são racionais com relação a valores, pois dominam a arte de fazer a terapia e serem terapeutas; aprendem a ser terapeuta fazendo terapia para sentir a ressonância das histórias dos outros em sua própria vida. Constroem-se cotidianamente buscando a sua integralidade, como sujeito que transforma e que é transformado. Ao dominar a técnica, investem todo seu potencial em Ser, sendo denominadas de Enfermeiras Ressignificadas e Inacabadas. Considerações Finais: Constatou-se que a TCI representa uma tecnologia leve de cuidado e a formação tem contribuído para as enfermeiras desenvolverem uma prática social, fundamentada em princípios e valores éticos, que ao se voltar para o coletivo, o oprimido, aquele que sofre, fortalece a saúde mental comunitária, a ABS/SUS e, além do mais, imprime à profissão uma nova competência e a possibilidade de moldar, romper paradigmas, reconstruir e construir novas identidades para si e para a categoria.
  • ROSA EMÍLIA MALTA NASCIMENTO UCHÔA
  • Análise das incapacidades físicas por hanseníase no período de 2001 a 2011 no estado da Paraíba.
  • Data: 20/08/2014
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A hanseníase é uma doença crônica granulomatosa, proveniente de infecção causada pelo Mycobacterium leprae. O bacilo tem a capacidade de infectar grande número de indivíduos, no entanto poucos adoecem, o que decorre não apenas de suas características intrínsecas, mas, sobretudo, de sua relação com o hospedeiro e o grau de endemicidade do meio, entre outros aspectos. Visto que a hanseníase realmente trata-se de um problema de saúde pública, apresentando elevada incidência não apenas no Brasil como também em outros países, pode acarretar danos físicos e o comprometimento funcional, é válida a realização de estudos que identifiquem a prevalência das deficiências e incapacidades, bem como as áreas de maior concentração destas, de forma a direcionar ações mais específicas pelos órgãos e profissionais de saúde, no sentido de atuar preventivamente e conter o avanço de complicações decorrentes do diagnóstico e intervenções tardias. Objetivos: Identificar o perfil dos casos de hanseníase com incapacidades físicas diagnosticados na Paraíba, entre os anos de 2001 a 2011; Determinar a prevalência das incapacidades físicas em pacientes hansênicos no período de 2001 a 2011 no estado da Paraíba; Identificar o padrão espacial da ocorrência de incapacidades físicas por hanseníase no estado da Paraíba. Metodologia: Estudo epidemiológico, retrospectivo e de base documental, a partir dos casos de hanseníase notificados pelo Sinan no estado da Paraíba no período de 2001 a 2011. Para o estudo foram selecionados todos os casos diagnosticados de hanseníase na Paraíba que apresentaram grau de incapacidade física I ou II no momento do diagnóstico, registrados no período, correspondendo a um total de 3.408 casos. Para análise dos dados foram obtidas distribuições absolutas e percentuais, além de técnicas de estatística inferencial. O projeto aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde / UFPB, como subprojeto de uma pesquisa mais abrangente intitulada “Perfil epidemiológico dos doentes de Hanseníase na Paraíba: 2001 – 2011”. Resultados: Os resultados mostraram que dos 3.408 casos de hanseníase que apresentaram algum grau de incapacidade física, 2969 remetem para o GIF I e 439 para o GIF II. Encontrou-se uma proporção geral de 65,2% de incapacidades instaladas no momento do diagnóstico. Para os casos que apresentaram incapacidade física a maioria dos pacientes com GIF I são mulheres (53,7%); baciloscopia negativa (68,5%); forma clínica tuberculóide (34,2%); uma lesão (30,6%) e sem nervos afetados (80,7%). Os casos com GIF II são em maioria do sexo masculino (67,2%); com baciloscopia negativa (50,2%), classificação do tipo dimorfa (45,3%), além de estarem associados com dez lesões ou mais (33%), embora sem qualquer nervo afetado (50,4%). Concernente à distribuição espacial da hanseníase na Paraíba os resultados evidenciaram altas taxas de detecção nas microrregiões de Cajazeiras, Guarabira, Esperança, Itaporanga, João Pessoa e Seridó Oriental. Apenas a microrregião do Seridó Ocidental não teve registrados casos de incapacidade física. Conclusão: Considerando a situação atual da saúde na Paraíba e a avaliação dos achados do estudo, verifica-se que ainda há muito a ser trilhado nas esferas municipal, estadual e federal de saúde concernente ao controle da hanseníase, contudo a identificação de população vulnerável, a utilização das técnicas de geoprocessamento e o empenho dos profissionais são notadamente, ferramentas de grande poder para favorecer a reversão do panorama identificado.
  • ADRIANA QUEIROGA SARMENTO GUERRA
  • ALIMENTAÇÃO INFANTIL: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE MÃES E AVÓS.
  • Data: 25/07/2014
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução. Alimentação saudável na infância é importante não só para o desenvolvimento intelectual e crescimento, como também, na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis do adulto e faixa etária pediátrica. O estudo tem os objetivos de analisar as representações sociais sobre a alimentação infantil, construídas por mães e avós, ciganas e não ciganas; verificar a existência ou não de diferenciação de representações sociais entre mães e avós ciganas e não ciganas sobre alimentação infantil e identificar a influencias das representações sociais das avós sobre a prática alimentar infantil. Metodologia. Trata-se de uma pesquisa exploratória em uma abordagem qualitativa, fundamentada no aporte teórico das representações sociais. A coleta de dados foi realizada utilizando-se a técnica do grupo focal, correspondendo dez grupos focais, compostos por 56 sujeitos, como mães e avós ciganas e não ciganas. Os dados coletados foram processados pelo software Iramuteq e subsidiado pela teoria das representações sociais. Resultados e Comentários. Desta pesquisa foram originados três artigos apresentados nos resultados e comentários. Entre estes, o primeiro foi publicado; o segundo encaminhado para publicação e o terceiro foi objeto de defesa. Através desta pesquisa foi possível detectar pontos favoráveis e desfavoráveis em à relação alimentação infantil nos dois grupos de mães e avós ciganas e não ciganas. Em relação à amamentação as ciganas têm a prática do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida e mantem por tempo prolongado geralmente até os cinco aos sete anos. A dieta complementar é iniciada de forma tardia com restrições de alimentos importantes na alimentação infantil, de acordo com suas crenças e mitos. Um fato positivo é que o filho de cigano não usa mamadeira e nem chupeta, ao contrário do observado nos filhos de mães e avós não ciganas. O grupo das mães e avós não ciganas amamentam seus filhos por período mais curto, com introdução precoce de outros alimentos. Considerações finais: Em ambos os grupos observou-se que as mães têm muita dificuldade de iniciar novos alimentos, principalmente, se amamentarem até mais de um ano de vida. A ligação intergeracional é muito forte nas mães ciganas e os aspectos culturais ainda são evidenciados mesmo na alimentação.
  • FABIOLA DE ARAUJO LEITE MEDEIROS
  • PROCESSO DE CUIDAR EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA DE IDOSOS: (RE)PENSANDO A FUNÇÃO DOS CUIDADORES
  • Data: 15/07/2014
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Este trabalho surge da necessidade de reconhecimento de como é programado o processo de cuidar nas instituições de longa permanência para idosos (ILPIs) buscando melhorias ao padrão de assistência a rede de apoio à pessoa idosa institucionalizada. Objetivo: Analisar o processo de cuidar em uma ILPI, visando a (co)estruturação do cuidado baseado na socialização do conhecimento prático de cuidadores de idosos e o Processo Clinical Cáritas. Método: Pesquisa Convergente Assistencial (PCA), realizada em uma ILPI no município de Campina Grande/PB, no período de Junho a Novembro de 2013, com a participação de 18 cuidadores. A coleta de dados aconteceu seguindo as fases da PCA, utilizando-se instrumentos para coleta de dados como: dois questionários semiestruturados e dez roteiros utilizados em encontros intitulados como oficinas para cuidadores de idosos. Através da análise do conteúdo foi possível elencar categorias temáticas relacionadas ao processo de cuidar baseado no Processo Clinical Cáritas (PCC). O projeto seguiu as recomendações éticas e foi aprovado sob protocolo de nº. 18413413.3.0000.5187. Resultados: Os resultados permitiram descrever e analisar o processo de cuidar na ILPI, assim como traçar o perfil dos cuidadores de idosos, motivações que o encaminharam ao ofício na instituição, descrição das atividades e dificuldades vivenciadas na rotina de serviço. Foi possível (co)estruturar um processo de cuidar baseado no Processo Clinical Cáritas, onde foram elencados os fatores de cuidado exercidos por cuidadores: 1) Cuidadores praticam amor, bondade e equidade; 2) Cuidadores descrevem sua autenticidade com seus instrumentos de trabalho; 3) Cuidadores tentam cultivar práticas de cuidado com autoconsciência para si mesmo e para com o outro; 4) Cuidadores desenvolvem a ajuda-confiança no cuidar transpessoal; 5) Percepção de cuidadores de idosos em relação a sentimentos positivos e negativos; 6) Cuidadores usam criatividade e conhecimento para saber ser, saber fazer, saber compreender e saber conviver; 7) Engajamento de cuidadores em experiências de ensinoaprendizagem genuínas; 8) Cuidadores tentam providenciarum ambiente de cuidado a pessoa idosa institucionalizada; 9) Cuidadores ajudam na saciedade das necessidades básicas com a intenção de cuidar; 10) Percepções de cuidadores de idosos sobre os mistérios da vida e da morte. Conclusões: Conclui-se que o processo de cuidar na ILPI possui atributos que direcionam a um sistema humanístico de ação voltado a relação transpessoal entre cuidadores e idosos. Foi possível mensurar através do PCC a efetivação da proposta de cuidado exercida diariamente pelos trabalhadores que atuam junto à instituição tecendo o repensar da atuação desses trabalhadores que se utilizam do empirismo e criatividade dentre suas práticas de cuidado. Evidenciou-se também a importância da utilização da Ciência da Enfermagem na elaboração de todo o estudo. Pressupõe-se que esse estudo seja útil para o reconhecimento social do processo de cuidar em ILPI, do repensar a função de cuidadores de idosos em instituições, para fomentar futuras pesquisas relacionadas às ILPIs e a pessoa idosa, e principalmente para as instituições, buscando por melhorias assistenciais aos seus residentes.
  • LUCIANA GOMES FURTADO NOGUEIRA
  • SUBCONJUNTO TERMINOLÓGICO DA CIPE® PARA PESSOAS COM DIABETES MELLITUS NA ATENÇÃO ESPECIALIZADA
  • Data: 10/06/2014
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • A Enfermagem ao longo de sua história tem apresentado a necessidade de construir um vocabulário próprio, consensual e objetivo para a sua prática, de modo a permitir tanto sua definição como ciência como também de proporcionar uma aplicabilidade mais eficaz de seus princípios, métodos e técnicas. Para que isso ocorra é necessário que a utilização dos termos de enfermagem seja capaz de reproduzir um universo único de conhecimento, para que a comunicação aconteça de forma clara, precisa, objetiva e entendível por todos que compõem a equipe de enfermagem, de modo a garantir a continuidade dos cuidados (FURTADO; MEDEIROS; NÓBREGA, 2011; SILVA et al; 2009).Para atender a necessidade de unificação a linguagem da Enfermagem, foi desenvolvida pelo Conselho Internacional de Enfermeiros (CIE), a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®), que vem se consolidando mundialmente como uma das tendências para a padronização da comunicação e da troca de informações entre os enfermeiros, visando à representação da prática de enfermagem nos Sistemas de Informação em Saúde, sendo atualmente a única classificação de enfermagem aceita pela Organização Mundial de Saúde como parte da Família de Classificações da CID (CUBAS; SILVA; ROSSO, 2010).Destarte, o CIE incentiva o envolvimento dos enfermeiros na visibilidade da Enfermagem ao ressaltar que a utilização da CIPE® expressa o que os enfermeiros realizam diante das necessidades ou condições apresentadas pelos pacientes, a fim que determinados resultados possam ser alcançados, possibilitando descrições da prática de enfermagem de modo a facilitar a comparação das práticas realizadas, em cenários clínicos, em populações, em áreas geográficas ou em diferentes períodos; e apresenta como estratégia de simplificar a sua utilização na prática, o desenvolvimento de Catálogos ou Subconjuntos terminológicos (ICN, 2005). A presente pesquisa que tem como objetivo Estruturar uma proposta de Subconjunto Terminológico da CIPE® para portadores de Diabetes Mellitus na atenção especializada, com base no Modelo de Atenção Crônica e a Teoria das Necessidades Humanas Básicas. Trata-se de uma pesquisa do tipo metodológica, onde serão utilizadas as seguintes etapas: a) Identificação de termos e conceitos relevantes para a prioridade de saúde; b) Mapeamento cruzado dos termos identificados com os termos da CIPE®; c) Construção dos enunciados de Diagnósticos, Resultados e Intervenções de enfermagem; d) Estruturação do Subconjunto Terminológico da CIPE®.

  • LUCIANA GOMES FURTADO NOGUEIRA
  • SUBCONJUNTO TERMINOLÓGICO DA CIPE® PARA PESSOAS COM DIABETES MELLITUS NA ATENÇÃO ESPECIALIZADA
  • Data: 10/06/2014
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Os subconjuntos terminológicos da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) são apresentados como estratégia para simplificar o seu uso na prática, com o propósito de desenvolver dados consistentes que descrevam o trabalho da Enfermagem, constituindo-se numa referência de fácil acesso em particulares contextos de cuidados. Objetivo: Estruturar uma proposta de Subconjunto Terminológico da CIPE® para pessoas com diabetes mellitus na atenção especializada, com base no Modelo de Atenção Crônica e na Teoria das Necessidades Humanas Básicas. Método: Pesquisa do tipo metodológica, estruturada em quatro etapas sequenciais e interdependentes: a) Identificação de termos e conceitos relevantes para a prática de enfermagem relacionada à pessoa com diabetes; b) Mapeamento cruzado dos termos identificados com os termos da CIPE® Versão 2011; c) Construção dos enunciados de diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem; d) Estruturação do Subconjunto Terminológico da CIPE® para pessoas com diabetes. Antes de ser executado, o projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Universitário da UFPB (HULW/UFPB), sob CAAE nº 1938241300005183. Resultados: Na primeira etapa, foram identificados 1.036 termos em 134 prontuários de pessoas com diabetes atendidas em consultas de enfermagem no Ambulatório de Endocrinologia do HULW/UFPB, os quais foram submetidos a um processo de normalização que resultou em 582 termos. Na segunda etapa, os 582 termos identificados foram submetidos a um processo de mapeamento cruzado, em correspondência com os conceitos da CIPE® Versão 2011. Evidenciara-se 213 termos constantes e 130 não constantes nessa classificação, que constituíram o banco de termos da linguagem de enfermagem relacionado à pessoa com diabetes. Na terceira etapa, o banco de termos, a CIPE® Versão 2011 e o Modelo de Atenção crônica subsidiaram a construção de 115 enunciados de diagnósticos/resultados de enfermagem e 452 intervenções de enfermagem. Os diagnósticos foram submetidos à avaliação por especialistas quanto a sua utilização na prática, e as intervenções quanto à sua pertinência em relação aos diagnósticos de enfermagem correspondentes. Na quarta etapa, a estruturação do Subconjunto Terminológico da CIPE® para pessoas com diabetes na atenção especializada foi constituída por 66 diagnósticos/resultados de enfermagem e 347 intervenções de enfermagem, resultantes dos processos de avaliação, tendo como base o Modelo de Atenção Crônica e a Teoria das Necessidades Humanas Básicas de Horta. Considerações finais: O Subconjunto Terminológico da CIPE® resultante da pesquisa é bastante abrangente, porquanto pode subsidiar uma diversidade de desdobramentos no campo da pesquisa, incluindo-se estudos de validação clínica dos enunciados de diagnósticos, resultados e intervenções, bem como a sua apropriação no Projeto de Sistematização da Assistência de Enfermagem do HULW/UFPB, como referencial de cuidado e documentação da prática de enfermagem nos setores que assistem as pessoas com diabetes.
  • JAEL RÚBIA FIGUEIREDO DE SÁ FRANÇA
  • Cuidados Paliativos: relação dialógica entre enfermeira e crianças com câncer
  • Data: 30/04/2014
  • Hora: 09:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Os Cuidados Paliativos contemplam uma abordagem de tratamento físico, psicológico, espiritual e social para pacientes sem possibilidades terapêuticas e sua família, visando melhorar a qualidade de sua vida. Sua aplicação é sobremaneira importante, no âmbito do cuidado voltado para crianças com câncer, embasado na Teoria Humanística de Enfermagem. OBJETIVOS: Investigar como ocorre a relação dialógica entre enfermeira e criança com câncer sob Cuidados Paliativos, à luz da Teoria Humanística de Enfermagem. METODOLOGIA: Pesquisa de campo, de natureza qualitativa, consubstanciada na Teoria Humanística de Enfermagem, cujo cenário de investigação foi o Núcleo de Apoio a Crianças com Câncer na Paraíba, localizado em João Pessoa – PB. Participaram do trabalho onze crianças - seis do sexo masculino e cinco do feminino. Os dados foram coletados de junho a setembro de 2013. Para a produção do material empírico, utilizou-se a técnica do desenho-estória. ANÁLISE DOS DADOS: Os dados foram categorizados e analisados à luz da Teoria Humanística de Enfermagem, com as seguintes fases: preparação da enfermeira cognoscente para chegar ao conhecimento; a enfermeira conhece intuitivamente o outro; a enfermeira conhece cientificamente o outro; a enfermeira sintetiza complementariamente as realidades conhecidas; sucessão do múltiplo para a unidade paradoxal como processo interno da enfermeira. Os dados obtidos foram categorizados nas seguintes categorias temáticas: sentimentos de crianças com câncer: importância dos Cuidados Paliativos pediátricos; vivências de crianças durante o tratamento oncológico: importância dos Cuidados Paliativos pediátricos e suas subcategorias: a busca por minimizar as repercussões diante do tratamento oncológico e a fé em Deus diante da situação vivenciada como força e esperança de cura; situações vivenciadas por crianças com câncer sob Cuidados Paliativos em busca do diagnóstico: importância da relação dialógica; a importância da brincadeira nos Cuidados Paliativos para a criança com câncer: valorização da alegria, do diálogo e da companhia. RESULTADOS: O estudo mostrou a importância dos Cuidados Paliativos, desde a descoberta da doença, para minimizar o sofrimento das crianças e de suas famílias. Elas destacaram a família como força para impulsioná-las a enfrentar a doença a partir da Fé em Deus. Assinalou também que as Instituições de Saúde e os órgãos que formam profissionais devem atuar conjuntamente no atendimento às crianças e às suas famílias, na resposta do diagnóstico correto e início do tratamento, e que o brincar, mediante a relação EU-TU da enfermeira com essas crianças, fundamentada nos Cuidados Paliativos, possibilitou o desenvolvimento de um processo terapêutico autêntico. CONSIDERAÇÕES FINAIS: As crianças pesquisadas partilharam um cuidar genuíno com a enfermeira, através da relação intersubjetiva entre elas, o que resultou no atendimento às suas necessidades no contexto dos Cuidados Paliativos. Este trabalho abre novos horizontes no campo da assistência, do ensino e da pesquisa em Enfermagem, com ênfase na valorização da relação dialógica entre enfermeira e crianças com câncer sem possibilidades terapêuticas de cura, fundamentado nos Cuidados Paliativos. Espera-se que possa subsidiar novas investigações sobre a temática, porquanto ainda são incipientes estudos que abordem a inter-relação dos Cuidados Paliativos com a Teoria Humanística com as crianças que vivenciam esse problema.
  • SANDRA APARECIDA DE ALMEIDA
  • REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE JOVENS SOBRE SEXO: dialogando com a sexualidade e a prevenção ao HIV/Aids
  • Data: 30/04/2014
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivou-se analisar as representações sociais sobre sexo construídas por jovens, e sua influência na adoção de práticas preventivas frente ao HIV/Aids. Trata-se de um estudo exploratório, retrospectivo, de base de dados secundários, com abordagem mista, que utilizou como aporte teórico a Teoria das Representações Sociais, com ênfase nos processos (objetivação e ancoragem) e nas dimensões (informação ou conhecimento). Os dados originam-se do Teste de Associação Livre de Palavras aplicado com 438 jovens matriculados em duas escolas Estaduais de Ensino Fundamental e Médio da cidade de João Pessoa-PB, o qual utilizou a palavra indutora sexo. Os dados foram processados pelo software de Análise Textual IRAMUTEQ (Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires), cuja classificação hierárquica descendente, reteve 338 Unidades de Contexto Elementar das 438 presentes no corpus, com um aproveitamento de 77,17%. Foram conformadas quatro classes de respostas associadas ao sexo: sentimentos e prazeres, consequências do sexo, condições ideais e socialização do sexo. Na classe um ao falarem sobre sexo os jovens ancoram em dimensões psicológicas e biológicas/físicas, associando-o ao amor romântico, sem, contudo, desvinculá-lo de sua dimensão física. Na classe dois, as representações sociais do sexo são ancoradas na dimensão biológica/física, voltadas muito mais para as consequências do que para o sexo propriamente dito. Materializa-se em um discurso preventivo, embutido subliminarmente na regulação da sexualidade, em que doenças e gravidez, são interpretadas como ameaça social. Na terceira classe ancora-se na dimensão social, sendo o sexo produto de roteiros muito bem elaborados do que seria a sociabilidade do encontro. Na quarta classe, o sexo adquire um caráter mais amplo, com certa reflexividade das estruturas sociais, desprovido de preconceitos e protótipos singulares. As análises permitiram conhecer as dimensões subjetivas sobre sexo, enquanto um comportamento que é socialmente imposto, evidente nas representações sociais como a preocupação destes ao associarem sexo à prevenção, família, gravidez e casamento. A centralidade do elemento paixão se sobrepõe ao amor e às consequências do sexo a priori. Acredita-se que mesmo com a forte influência cultural a que as pessoas são submetidas e influenciadas, observa-se que à medida que as gerações avançam mudam também suas representações sociais de determinado comportamento, atitude ou prática sexual. Considerar os jovens enquanto agentes de mudanças nos comportamentos sexuais, pautados em uma nova ordem, em outra ética das relações, significa entender que as propostas governamentais de combate ao HIV/Aids, precisariam também apreender e ajustar suas ações nessas novas modalidades de relacionamentos e não mais em concepções heteronormativas e prescritivas de condutas.
  • FRANCISCA DAS CHAGAS ALVES DE ALMEIDA
  • IDOSOS DIABÉTICOS: FATORES PREDISPONENTES PARA AMPUTAÇÃO DE MEMBROS INFERIORES
  • Data: 28/02/2014
  • Hora: 15:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional é um fenômeno de ocorrência mundial. No Brasil as alterações nas características da população acarretaram redução de doenças transmissíveis e elevação das crônicas não transmissíveis, como o diabetes mellitus, considerado um sério problema de saúde pública. Objetivos: Descrever as características sociodemográficas, econômicas e clínicas dos idosos diabéticos submetidos à amputação de membros inferiores e averiguar os fatores que predispõem os idosos diabéticos a amputações de membros inferiores, apresentando alternativas que possibilitem sua redução. Metodologia: Estudo transversal descritivo, quantitativo, realizado com 103 idosos em um hospital referência no tratamento de vasculopatias, em João Pessoa/Paraíba. Na análise utilizou-se um programa estatístico no qual procedeu-se a regressão logística simples. Os resultados foram discutidos e confrontados com outros estudos. Resultados: O estudo evidenciou que 30,10% dos participantes eram procedentes de João Pessoa, 52,43% do sexo feminino, 43,69% brancos, 47,57% casados, 36,89% alfabetizados, 69,90% católicos, 90,29% aposentados, 77,67% hipertensos, 66,02% faziam uso de hipoglicemiante oral, 38,83% praticavam exercício físico, 85,44% seguiam dieta alimentar, 84,47% controlavam a glicemia e 77,67% frequentavam a Unidade Básica de Saúde, 47,57% consumiam tabaco e 35,92% bebida alcoólica. Tais substâncias apresentaram-se como fator de risco para amputações de membros inferiores, enquanto que, o diagnóstico precoce do diabetes, o controle glicêmico e uma dieta adequada como fatores de proteção. Conclusão: As amputações de membros inferiores nos idosos diabéticos estão relacionadas ao uso de tabaco e álcool, a uma dieta inadequada e ao diagnóstico tardio da patologia, nesse sentindo, esta pesquisa poderá nortear as equipes de saúde no planejamento de intervenções direcionadas para melhorar a qualidade de vida desses idosos.
  • DEBORA CESAR DE SOUZA RODRIGUES
  • A DISCURSIVIDADE DE PESSOAS QUE FORAM AFETADAS POR TUBERCULOSE SOBRE A EXPERIÊNCIA RELACIONADA AO TRATAMENTO E O CUIDADO
  • Data: 28/02/2014
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A tuberculose (TB) constitui um sério problema e desafio da saúde pública mundial, mesmo com um perfil de doença curável, visto que as drogas para tratamento, de forma ampla, constatam-se como efetivas contra o bacilo, no entanto, as dificuldades para o seu controle, volta-se aos constituintes organizacionais dos serviços de saúde e o próprio comportamento humano. Há evidências que a taxa de abandono ao tratamento ainda é elevada. No município de João Pessoa foi registrado, no ano de 2011, 41 casos de abandono. Então, Para que haja uma redução dos casos de abandono do tratamento da TB, e um aumento das taxas de alta por cura em João Pessoa, é necessário que existam estratégias e elementos que fortaleçam e potencializem a adesão ao tratamento para aumentar a taxa de cura da doença. Assim sendo, este estudo objetivou analisar a discursividade de pessoas que já foram afetadas por TB sobre a experiência de adoecimento, tratamento e cuidado. A amostra foi composta por 8 usuários que obtiveram alta por cura da TB no ano de 2011 em João Pessoa, tendo o início o desfecho do tratamento na AB; Foi utilizado como método de suporte na operacionalização do processo desta pesquisa, a abordagem qualitativa associada à narrativa em saúde; A técnica empregada para obtenção dos dados foi a entrevista em profundidade, que ocorreu nos meses de agosto e setembro do ano de 2012. O material empírico foi organizado através da construção de narrativas após a transcrição das entrevistas, e analisado pela técnica de análise Discurso da linha Francesa. Os discursos das experiências de adoecimento dos usuários entrevistados, revelaram que os elementos que fortalecem a adesão a tratamentos vão além do que a medicina aplica; É preciso haver um olhar sobre a singularidade do próprio doente, e esse deve ser lançado pelos profissionais de saúde, para que pontos de adesão sejam fortalecidos; Conclui-se também a amplitude da importância da narrativa no campo da saúde, não apenas como método qualitativo de pesquisa, mas como uma técnica assistencial para os profissionais, irem além de conhecer os sintomas do agravo, buscando historiar a doença, captando seu significado em seus múltiplos sentidos.
  • KARLA DAYANNE NUNES BARBOSA MENEZES