UFPB › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas João Pessoa, 06 de Dezembro de 2019

ADMINISTRAÇÃO (BACHARELADO)/CCAE - Mamanguape(Mamanguape)

 

curso  Nível  Graduação

CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO (CCAE) - CCAE

Projeto Político Pedagógico


Perfil Profissional:

PERFIL DO EGRESSO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

O Curso de Administração do Campus IV da UFPB estabeleceu seus objetivos em consonância com as Diretrizes Curriculares (Cf. Resolução CNE/CES nº 4/2005, art. 3º). Deste modo, refletindo sobre o “para que o curso existe”, almejando realizar uma formação efetiva, pretende desenvolver e fortalecer competências e habilidades em seus egressos que permitam:

a) Pensamento estratégico para reconhecer problemas e desenvolver soluções para os diversos tipos organizacionais;

b) Capacidade de comunicação para liderar processos de negociação internos e externos às organizações;

c) Pensamento crítico sobre a esfera da produção, compatibilizando questões relacionadas com a sustentabilidade socioambiental;

d) Capacidade empreendedora para atuar como empreendedor individual ou intra-empreendedor, em organizações públicas, privadas e do terceiro setor;

e) Geração de conhecimentos que permitam fortalecer os processos de aprendizagem nas organizações, contribuindo para a evolução destas de modo a acompanharem as mudanças pelas quais as sociedades passam;

f) Capacidade para uma atuação multicultural, compreendendo as especificidades locais, de modo a desenvolver negócios compatíveis com os diversos contextos sociais, econômicos, culturais, políticos e tecnológicos; e

g) Habilidade para criar e sustentar uma cultura de inovação nos diferentes tipos de organizações.

 

O perfil do egresso almejado pelo curso de Administração do Campus IV da UFPB efetiva-se através de uma prática pedagógica norteada pela compreensão ampla sobre o que significa educar. Isso significa que este curso ocupa-se não apenas com a dimensão técnica da formação, mas incorpora uma dimensão social, política, histórica e cultural.

Deste modo, a formação profissional que aqui se pretende, forma o administrador para atuar no mundo do trabalho, ou seja, na gestão das organizações, no empreendedorismo, no ensino, na pesquisa, e de um modo mais amplo, na busca de solução para os problemas que atingem a sociedade. Portanto, os processos de aprendizagem necessários para desenvolver as competências e habilidades desejadas para o egresso do Curso de Administração do Campus IV da UFPB, devem se pautar em: ação e experiências. Estas devem se organizar a partir de um conjunto de atividades que se materializam nos planos de ensino das disciplinas e nas ações extracurriculares.

Área de Atuação:

CAMPO DE ATUAÇÃO PROFISSIONAL

A competitividade do campo organizacional, bem como as novas formas de negócio dela consequentes, impõem uma nova necessidade por parte da gestão dos negócios: a eficiência dos processos de gerência e mudanças comportamentais das organizações. Nesse sentido, observa-se que a amplitude do mercado de trabalho para o Administrador está cada vez maior. Assim, requer deste profissional uma capacitação para lidar com mudanças constantes de um ambiente volátil, novas formas de aprendizado e criatividade, além de

estimular uma consciência de seu papel como atuante na sociedade no que concerne ao seu desenvolvimento social.

O campo de atuação do Administrador é amplo e se estende, como afirma Cunha (2010) além das empresas, cuja atuação está voltada para o mercado com o fim de atingir ganhos econômicos e utilitários. No entanto, como ressalta Cunha (2010), é premente a necessidade de romper com a ideia do resultado financeiro como fim único (ou principal), e reconhecer que a empresa é um ator relevante da sociedade, e como tal, responsável direto pelo seu equilíbrio nas diversas dimensões (econômica, ambiental, social, etc.).

Dessa forma, o Administrador pode atuar no planejamento estratégico das organizações, na área financeira, na auditoria e controladoria; no setor de recursos humanos, vendas, produção, gestão de projetos e de processos. Além disso, pode se dedicar à área de logística, de tecnologia da informação, marketing, sistemas de informações e inovação tecnológica, direcionando os resultados em todas aquelas dimensões postas. Ademais, a sua vocação, segundo França Filho (2003), abarca também as esferas do Estado e da sociedade civil.

No espaço “público-estatal ela é caracterizada pela orientação (em tese) para fins públicos (comuns) gerindo as políticas sociais nas esferas públicas constituintes. Um dos maiores desafios, no entanto, é romper com a cultura política tradicional de clientelismo e com práticas comprometidas com interesses próprios ou de pequenos grupos” (CUNHA, 2010).

O campo da sociedade civil, devido ao predomínio da informalidade, o que gera enormes dificuldades na gestão de recursos e a pouca disponibilidade de ferramentas adequadas à sua gestão, caracteriza-se por ser um campo em crescimento, também pelo fato de ser pouco ocupado por administradores, talvez pela própria orientação ou ênfase na sua formação, conforme afirma Cunha (2010).

Por isso, o Administrador precisa compreender as nuances das organizações que estão ao seu entorno, para que sua atuação profissional se torne efetiva e promova o desenvolvimento da região a partir de uma articulação da visão sistêmica para a problematização localizada. É salutar a inserção deste profissional no seu ambiente para que ele tenha a possibilidade de aplicar os conhecimentos adquiridos durante sua formação em seu campo de atuação, aperfeiçoando a gestão das organizações locais.

A região Nordeste tem se destacado pela crescente procura da população por uma formação superior, de acordo com relatórios referentes à última década, disponibilizados na Relação Anual de Informações Sociais do Ministério do Trabalho e Emprego. Sabe-se que o ensino em Administração se destaca dentre os cursos mais requisitados pela sociedade, em

função da sua relevância para um campo organizacional capaz de oferecer o bem-estar no meio social.

Desse modo, considerando-se o período 2003-2013, o número de ingressantes em cursos de graduação aumentou 76,4% no país. No que se refere ao curso de Administração, é um dos que tem se propagado pelo país, representando recentemente 800 mil matriculados, conforme dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), relativos ao Censo da Educação Superior 2013.

No município de Mamanguape, cuja população estimada para 2015, segundo dados do IBGE (2010) é de 44.369 habitantes e o IDH é 0,585, percebe-se um crescimento no número de empresas atuantes de 34,5% entre 2006 e 2013, passando de 496 empresas, em 2006, para 667 em 2013. Ainda segundo o IBGE (2010), estas empresas ocupam cerca de 6.000 funcionários assalariados. Além disso, existem 80 Fundações privadas e Associações sem fins lucrativos na região. Números semelhantes podem ser percebidos nos municípios que compõem a região do Vale do Mamanguape, apontando o crescimento da população e do número de organizações existentes nestas cidades.

Percebe-se também que o campo de atuação do Administrador no Nordeste tem sido conduzido para a esfera pública, comércio e serviços, como revelam os dados a seguir, adaptados dos dados da Relação Anual de Informações Sociais do Ministério do Trabalho e Emprego.

Competências e Habilidades do Profissional:

COMPETÊNCIAS, ATITUDES E HABILIDADES

Conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais, o egresso do curso de graduação em Administração da UFPB/Campus IV estará devidamente qualificado para atuar em questões técnicas, científicas, sociais e econômicas de cunho gerencial, participando efetivamente do processo de tomada de decisão organizacional a partir da assimilação de informações, de postura flexível e intelectual e da compreensão da adaptação frente aos diferentes contextos deliberados e emergenciais.

Assim, o processo formativo do discente busca o desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes correspondentes às situações por ele vividas no campo organizacional, bem como no meio social para contribuir com afinco no avanço da sociedade por meio do seu papel de administrador. Desse modo, tendo como base a Resolução CNE/CES nº 04/2005, Art. 4º, o curso de Administração da UFPB/Campus IV deve propiciar oportunidades para que o formando tenha as seguintes competências e habilidades:

I - Reconhecer, definir e buscar soluções para os problemas organizacionais, de forma ética, crítica e reflexiva;

II - Pensar estratégica e sistemicamente, em nível local, regional, nacional e internacional; considerando as dimensões políticas, econômicas, ambientais e culturais;

III - Comunicar-se e expressar-se de maneira compatível com o exercício profissional;

IV - Raciocinar de forma lógica, criativa e analítica para atuar criticamente na esfera organizacional;

V - Operar com valores e formulações matemáticas auxiliando no processo de tomada de decisões;

VI – Exercer iniciativa política, administrativa e de aprendizagem, abertura às mudanças e consciência da qualidade e das implicações éticas do seu exercício profissional;

VII - Capacidade de articular conhecimentos da vida e da experiência cotidiana para o ambiente de trabalho e do seu campo de atuação profissional, em diferentes modelos organizacionais, revelando-se profissional adaptável e flexível;

VIII - Capacidade para elaborar, implementar e consolidar projetos em organizações, consultoria em gestão, pareceres e perícias administrativas.

Portanto, a formação do aluno do Curso de Administração da UFPB/Campus IV está orientada pelos dispositivos normativos do CNE e balizada pela Resolução CONSEPE/UFPB nº 16/2015 referente ao Regulamento dos Cursos de Graduação Regulares no âmbito da

UFPB, demonstrando conformidade com o Art. 19, Inciso VI. O quadro a seguir sintetiza a ênfase dada no processo de ensino-aprendizagem.

Quadro 1: Competências, habilidades e atitudes COMPETÊNCIAS

HABILIDADES E ATITUDES

Capacidade de aprender a aprender

Autonomia intelectual, análise crítica, abertura a mudanças, motivação, inovação e percepção do ambiente.

Capacidade de relacionamento interpessoal

Comunicação com seus pares, valorização dos saberes, respeito pela diversidade, trabalho em equipe, liderança e cooperação.

Capacidade empreendedora

Iniciativa, criatividade, visão sistêmica, gerenciamento de riscos, intuição, abertura aos desafios, tomada de decisões em contextos distintos.

Capacidade de criar modelos de gestão e desenvolver planejamentos estratégicos e operacionais

Compreensão da necessidade do contínuo aperfeiçoamento profissional, agente transformador, opinião analítica, reflexiva e crítica, inovação, conhecimentos científicos e tecnológicos.

Capacidade de desenvolver visão holística

Avaliação de impactos sociais, ambientais e econômicos, desenvolvimento sustentável, noção macro e micro ambiental, pensamento global e local.

Capacidade de refletir e agir de forma ética e transparente

Ação pautada em princípios morais de valorização da vida, responsabilidade socioambiental, sentimento de interesses coletivos, trabalho em equipe e transformação social.

Metodologia:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Sistema de Gestão do Curso:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Avaliação do Curso:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Projeto Político Pedagógico:
Baixar Arquivo

SIGAA | STI - Superintendência de Tecnologia da Informação da UFPB / Cooperação UFRN - Copyright © 2006-2019 | producao_sigaa-1.sigaa-1 | v20191205093016-master