UFPB › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas João Pessoa, 04 de Agosto de 2020

ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO (BACHARELADO)/CI - João Pessoa(João Pessoa)

 

curso  Nível  Graduação

CENTRO DE INFORMÁTICA (CI) - CI

Projeto Político Pedagógico


Perfil Profissional:

              A Engenharia de Computação tem como objetivo a aplicação da ciência da computação e o uso da tecnologia da computação na solução de problemas de engenharia. Destina-se à formação de profissionais capazes de atuar principalmente em áreas em que existe uma forte integração entre software e hardware, como automação industrial, sistemas paralelos e distribuídos, arquitetura de computadores, sistemas embarcados, robótica, comunicação de dados e processamento digital de sinais.

            Em comparação com outros profissionais de Computação e Informática, o Engenheiro de Computação é mais direcionado a sistemas onde os computadores não são os únicos agentes que influenciam o meio. O tipo de informação principal dos demais profissionais de Computação e Informática são os dados, grandezas geradas, processadas e utilizadas por computadores. O Engenheiro de Computação raciocina também em termos de sinais, informações geradas externamente e/ou produzidas para atuar sobre o meio externo. Para tanto, a formação em Engenharia de Computação deve propiciar aos seus alunos:

·         Uma boa formação básica nos fundamentos científicos relevantes das Ciências Exatas e Naturais, principalmente na Matemática, e nos conhecimentos tradicionais associados à formação básica em Engenharia e Computação;

·         Uma formação profissionalizante específica nos aspectos ligados à arquitetura dos sistemas computacionais em relação aos seus componentes físicos, lógicos e às aplicações da Computação em vários problemas de Engenharia.  

·         Uma formação profissionalizante geral que envolve os conteúdos fundamentais da Computação e aspectos da Eletrônica e Eletricidade;

Com esta formação, o perfil profissional do Engenheiro de Computação é o de um profissional com formação em engenharia de computação, apto a criar, especificar, conceber, desenvolver, adaptar, produzir, instalar e manter sistemas computacionais, bem como perfazer a integração dos recursos físicos e lógicos necessários ao atendimento das necessidades computacionais de organizações em geral.

       

 

Área de Atuação:

            No progresso de sua carreira profissional, agregando experiência prática e aperfeiçoamentos realizados, os egressos deverão estar capacitados a assumir funções em diferentes níveis dentro das organizações, seja de execução, gerenciamento ou de direção (diretor, administrador, gerente, projetista, coordenador, engenheiro, pesquisador, professor, dentre outras). Deste modo, os principais locais de atuação são:  

Indústria eletro-eletrônica e de equipamentos informáticos;

·  Indústria de software;

·  Prestação de serviços no projeto, configuração, instalação e manutenção de equipamentos eletrônicos computacionais, de redes de computadores e de comunicação de dados e de sistemas de automação e robótica;

  Empresas que necessitam instalação, operação e manutenção de redes de computadores e/ou de transmissão de dados e/ou sistemas de automação comercial ou industrial.

 De forma geral, o Engenheiro de Computação pode atuar em empresas de desenvolvimento e fabricação de produtos eletrônicos microprocessados, empresas de prestação de serviços ligada à automação comercial e industrial, telefonia, eletrônica embarcada (e.g. aplicações no setor automotivo), na robótica e outras. Ele pode ainda trabalhar em empresas dos setores eletroeletrônico, de controle e automação, de TI e telecomunicações.

 O engenheiro também pode atuar em centros de pesquisas, tanto no âmbito local, regional, nacional ou internacional; assim como em universidades nas áreas de ensino, pesquisa e extensão.

 Em tais campos de atuação, existem diversas classes de problemas que os egressos estarão capacitados a resolver. No caso, além de alguns problemas típicos tratados por um bacharel em computação, os egressos estarão capacitados também a resolver problemas complexos que permeiam entre as áreas de computação e engenharia. Os principais exemplos são:

·         Problemas de projeto e configuração de sistemas computacionais em que sejam exigidas as seguintes capacidades: determinar quais funções devem ser implementadas em hardware e quais devem ser implementadas em software; selecionar os componentes básicos de hardware e de software;

·         Problemas que exijam clara compreensão das diferentes atividades envolvidas no desenvolvimento de um software;

·         Problemas que requeiram o desenvolvimento de software suficientemente complexo para exigir a aplicação de conhecimentos instrumentais às áreas de automação e controle, engenharia de software, redes e telecomunicações;

·         Problemas que exijam conhecimentos de programação e de sistemas computacionais e, eventualmente, conhecimentos matemáticos e físicos em profundidade compatível a um curso de engenharia;  

·         Problemas que exijam a familiaridade com as tecnologias de automação e controle, de ferramentas de projeto e o discernimento de como, quando e quanto utilizar tais ferramentas;

·         Problemas que exijam a familiaridade com ferramentas de análise e projeto de software e o discernimento de como, quanto e quando utilizar tais ferramentas;

·          Problemas que requeiram o uso de técnicas formais matemáticas no desenvolvimento de software, de sistemas de automação, e de redes e sistemas de telecomunicações;  Problemas de complexidade que exijam a gerência do desenvolvimento do software e de sistemas, com aplicação de modelos de qualidade;

·         Problemas complexos de integração de sistemas de redes e telecomunicações que exijam a utilização de técnicas e métodos multidisciplinares em computação e engenharia;  

·         Problemas que envolvam o desenvolvimento criativo e projeto de novas aplicações, produtos, serviços e sistemas nas vertentes propostas;

·         Problemas de análise de desempenho de projetos e sistemas, propostos ou implementados, seja através de modelos analíticos, de simulação ou de experimentação;

·           Problemas de análise e determinação dos requisitos que um projeto ou sistema deve atender, documentando estes requisitos de forma clara, concisa, precisa, organizada e fácil de ser usada;

·         Problemas de projeto e estruturação do software para uma plataforma determinada, de forma a atender os requisitos do sistema, documentando as decisões tomadas;  Problemas que implique a decisão sobre a estrutura e arquitetura do software, uso de padrões de projeto, frameworks, e componentes. Problemas que impliquem o tratamento da concorrência, paralelismo, controle e manuseio de eventos, distribuição, manuseio de exceções e erros, sistemas interativos e persistência;

·         Problemas de concepção do software para funcionar conforme projetado, através da combinação da codificação, validação e teste das unidades;

·         Problemas de teste do comportamento dinâmico do software, contra o comportamento esperado especificado, para um conjunto finito de casos de testes (selecionados criteriosamente do domínio de execuções, normalmente infinito);

·         Problemas que requeiram conhecimentos e habilidades para: gerenciar configurações de software; desenvolver e praticar diferentes processos de engenharia de software; desenvolver e utilizar métodos e ferramentas de engenharia de software; utilização de técnicas de controle de qualidade de software; desenvolver métodos e técnicas de automação e controle.

Competências e Habilidades do Profissional:

      O Engenheiro de Computação tem formação nas áreas de hardware e software, com conhecimentos de Ciência da Computação e de Engenharia Eletrônica necessários ao projeto de hardware. O engenheiro define e coordena projetos de sistemas de computação; define e implementa arquiteturas de computadores, redes de computadores e processos de automação industrial; propõe e executa projetos de sistemas baseados em microprocessadores para aplicações industriais, comerciais e científicas; projeta, desenvolve e faz manutenção em sistemas de software para aplicações comerciais, de engenharia e áreas correlatas. A atuação se concentra, mas não se restringe, a empresas fabricantes de computadores e periféricos, em produtoras de software clássico e embarcado, e em indústrias com processos automatizados.

Baseados nesta introdução, o Engenheiro de Computação deverá ter, no âmbito da Computação, as competências, atitudes e habilidades usuais do profissional de Engenharia, a saber:

 1. Aplicar percepção espacial, raciocínio lógico e conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais na resolução de problemas de engenharia;

2. Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados, avaliando criticamente ordens de grandeza e significância de resultados numéricos;

3. Desenvolver e aplicar modelos matemáticos e físicos a partir de informações sistematizadas e fazer análises críticas dos modelos empregados no estudo das questões de engenharia;

4. Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;

 5. Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia;

 6. Identificar, formular e resolver problemas de engenharia;

7. Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;

8. Supervisionar e avaliar criticamente a operação e manutenção de sistemas e processos;

9. Comunicar-se eficiente e sinteticamente nas formas escrita, oral e gráfica;

10.Atuar em equipes multidisciplinares;

11.Compreender e aplicar a ética e responsabilidades profissionais;

 12.Avaliar o impacto das atividades de engenharia no contexto social e ambiental; 13.Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia; e

14.Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

 Quanto às competências profissionais específicas, o Engenheiro de Computação a ser formado pela UFPB, deve ser capaz de fornecer respostas às necessidades da engenharia que podem ser atendidas com o auxílio de computadores. Entre estas necessidades, pode-se citar:

1. Concepção, desenvolvimento e manutenção de sistemas dedicados e embarcados de software e hardware;

2. Realização de cálculos matemáticos não-triviais, modelagem e simulação de sistemas dinâmicos;

3. Comunicação segura, rápida e confiável entre sistemas computacionais;

 4. Processamento gráfico e de imagens de diferentes origens;

5. Comunicação homem-máquina;

6. Desenvolvimento de sistemas distribuídos, aplicações multimídia e sistemas inteligentes;

7. Extração rápida de informação relevante a partir de grande volume de dados brutos; 8. Armazenamento e compressão de grandes volumes de informações dos mais variados tipos e formas e sua recuperação em tempo aceitável;

 9. Automação, controle e monitoração de sistemas de engenharia em geral; 10.Desenvolvimento e integração de sistemas robóticos e outros sistemas móveis autônomos.

 

 

Metodologia:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Sistema de Gestão do Curso:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Avaliação do Curso:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Projeto Político Pedagógico:
Baixar Arquivo

SIGAA | STI - Superintendência de Tecnologia da Informação da UFPB / Cooperação UFRN - Copyright © 2006-2020 | producao_sigaa-1.sigaa-1 | v20200804061740-master