PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ARTES EM REDE NACIONAL (PROFARTES)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Dissertações/Teses


Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPB

2024
Descrição
  • RAFAEL SABINO DA SILVA
  • TORÉ POTIGUARA: RELAÇÕES ENTRE O RITO E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DE ARTE
  • Orientador : VICTOR HUGO NEVES DE OLIVEIRA
  • Data: 29/02/2024
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa trata de um processo de investigação com base nos elementos constituídos no ritual do TORÉ DO POVO POTIGUARA DA PARAÍBA, tendo como objetivo estabelecer diálogos entre a prática ritual do Toré Potiguara e a investigação em dança, a partir das vivências das pessoas investigadas durante o processo. A pesquisa busca evidenciar a experiência e o fortalecimento da cultura indígena potiguara no contexto escolar, onde ainda existe um vazio em relação a esta cultura. Para tanto, o desenvolvimento dessa temática, que aborda dança, arte e cultura dos povos indígenas, se faz necessário pela luta e resistência da permanência da identidade de um povo cuja história está na base de tantas outras culturas brasileiras. A Escola Municipal Antônio Azevedo, no Município da Baía da Traição, no litoral Norte da Paraíba, foi o campo de investigação, nas turmas dos 6° e 7°anos do Ensino Fundamental, com estudantes indígenas da etnia Potiguara, com a faixa etária entre 11 e 14 anos. O projeto desenvolvido nesta escola buscou oferecer aulas sobre os elementos da dança do Toré Potiguara de forma integrada ao currículo de arte. Por meio dessa prática, objetivou-se aprofundar as relações culturais que os alunos trazem em seu corpo, por meio da vivência com o Toré no âmbito escolar, por meio do desenvolvimento de metodologias, oportunizando-os experiências culturais, sociais e históricas de um fazer artístico durante os processos de ensino e aprendizagem. Para tanto, trata-se de uma pesquisa com uma abordagem qualitativa, tendo como ferramentas questionários, discussão entre docentes e discentes, observação por meio dos discursos, entrevistas, diário de campo a partir das observações do docente e registros de aulas por meio de vídeos e fotografias. Todos esses instrumentos foram usados como meio de coleta de dados no decorrer dos encontros com o grupo focal da pesquisa.
  • ISABEL CRISTINA DE LIMA GOMES
  • DIÁLOGOS ENTRE O CORPO E O TRAJE: costuras dos processos criativos do figurino e da dança no Coco de Roda do Ipiranga do Município de Conde na Paraíba.
  • Orientador : PAULA ALVES BARBOSA COELHO
  • Data: 26/02/2024
  • Hora: 13:00
  • Mostrar Resumo
  • Na presente pesquisa – “DIÁLOGOS ENTRE O CORPO E O TRAJE: costuras dos processos criativos do figurino e da dança no Coco de Roda do Ipiranga do Município de Conde na Paraíba” – viso ao desenvolvimento de um trabalho de ensino-aprendizagem numa perspectiva antirracista, decolonial e intercultural direcionados ao estudo da cultura afro-brasileira. Para isso, o trabalho está alicerçado na dança e no traje como elementos de resistência negra. Realizamos o estudo da manifestação cultural Coco de Roda Novo Quilombo do Ipiranga num diálogo intercultural com a obra Parangolés, do artista plástico Hélio Oiticica. Neste trabalho, tenho como objetivo o cruzamento de saberes da arte popular e da arte erudita, a fim de promover um diálogo no sentido de valorização da identidade cultural brasileira para a desconstrução de preconceitos étnico-culturais presentes na sala de aula. O estudo foi desenvolvido em duas partes: de agosto de 2022 até dezembro de 2022, foi realizado com discentes do 8º ano; de maio a junho de 2023, com os discentes remanescentes do 8º ano, agora estudando no 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental e EJA Professora Noêmia Alves de Souza, localizada no Município de Conde, na Paraíba. Sendo assim, buscamos refletir sobre a importância do traje da cultura popular como símbolo de luta e resistência cultural. O estudo teórico-prático destinado às linguagens artísticas visuais e cênicas foi realizado em 3 etapas: primeiro no conhecimento da cultura do Coco de Roda e dos Parangolés, na aula de campo no Quilombo do Ipiranga e na confecção de figurinos (Parangolés); segundo na experiência de vestir os Parangolés criados, produzir a coreografia da performance e os ensaios; por último, a apresentação da performance Coco Parangolé. A coreografia foi construída por meio da junção da cultura do Coco de Roda, da Capoeira e da Ciranda, além de movimentos improvisados. Esta é uma pesquisa participante de natureza qualitativa na qual foram utilizados para análise de dados: diário de campo, filmagens, fotografias, entrevistas, rodas de conversa e produções dos discentes que contribuíram para a realização desta pesquisa. Os resultados obtidos contribuíram para a compreensão da importância do conhecimento da cultura negra para entender o processo de formação do povo quilombola, tendo no Coco de Roda o símbolo de resistência e de luta por terras na Paraíba. Portanto, é necessário o processo de ensino-aprendizagem que prevê noções de pedagogia decolonial e de interculturalidade crítica, a fim de estimular o debate sobre as questões raciais em educação no Brasil e sobre as confluências entre as propostas de pedagogia decolonial e intercultural e as políticas públicas de reformulação curricular no Brasil. Consequentemente, para promover o pensamento crítico sobre as tendências acadêmicas dominantes, as quais priorizam conhecimentos históricos e sociais eurocêntricos e excluem os conhecimentos produzidos pelos subalternizados pela modernidade capitalista.
2023
Descrição
  • ALINE LIMA DOS SANTOS
  • JOGO TEATRAL E IDENTIDADE AFRO-INDÍGENA: valorizando a ancestralidade no município de Mamanguape, PB
  • Data: 19/12/2023
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • Reconhecendo a história de luta e miscigenação do colono ao indígena até chegar ao negro(a) africano trazido para o trabalho escravo em Mamanguape, PB, buscamos estudar a sua ancestralidade na Paraíba pesquisando sobre os elementos que reforçam a identidade afro-indígena, bem como a do cortador de cana-de-açúcar no que se refere aos(as) educandos(as) buscando facilitar esses conhecimentos sobre o patrimônio imaterial mamanguapense a partir de Jogos Teatrais num processo de retomada desses saberes ancestrais pertinentes à aulas de Arte que é um espaço único para o fortalecimento dessas identidades culturais. Buscamos o processo de quem somos e até aonde chegamos diante de uma terra que foi colonizada e devastada em seus saberes locais em sua trajetória singular no Estado da Paraíba e também no Brasil. Nesta pesquisa buscamos experienciar e fortalecer a cultura local por meio de jogos teatrais que utilizem os saberes ancestrais dos educandos(as), e que resultem em um reconhecimento de quem somos, docente e educandos(as), realizando experiências cênicas, nesse local tão particular e tão coletivo, que é o de se reconhecer indígena ou negro, buscando o fortalecimento de sujeitos pesquisadores críticos . Diante dessas questões e dos responsáveis (pais, mães ou avós) desses educandos (as) ainda trabalharem para a usina açucareira local, nos instigou pesquisar e refletir sobre a relação desses educandos(as) nesse processo de ensino das Artes Cênicas. Construímos diálogos de saberes culturais com eles e elas sobre suas identidades culturais, diante de tal presença e história, que ainda hoje continua nessa classe trabalhadora miscigenada, tendo sido essas práticas com os jogos teatrais nosso fio condutor nesse estudo. Nosso Problema de Pesquisa buscou compreender ‘Até que ponto os educandos do 6º ano reconhecem sua identidade de luta e saberes a partir de jogos teatrais e vivências de saberes afro-indígenas por meio das danças circulares Coco de Roda e Ciranda, ancestrais em Mamanguape?’ Nessa perspectiva de investigação buscamos compreender nossa Hipótese de Pesquisa que foi indagar ‘Existe reconhecimento de identidade ancestral afro-indígena entre os educandos(as) do 6º ano da Escola Ana Cavalcante? Empregamos a Metodologia da Pesquisa Participante cuja Abordagem foi a Qualitativa e investigamos, com a utilização dos jogos teatrais, vivências orais e de performances cênicas, o cruzamento das duas etnias originárias, não só no Brasil, como no território mamanguapense, numa perspectiva de fortalecer esse saber ancestral e referenciar sobre seus povos originários e, a partir daí, produzir jogos teatrais por meio de leituras de referências locais e diálogos com esses educandos(as) relacionando-as com a história deles e, ao final das oficinas teatrais realizadas, foi encenada uma construção cênica coletiva, a partir de todo o processo elaborado por eles e elas.
  • SEVERINA CHARLITA BICHARA
  • TEATRO DE OBJETOS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS E ALUNAS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA)
  • Data: 01/12/2023
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • As práticas teatrais na escola contribuem para a valorização das individualidades, o fortalecimento da autoestima do alunado, além de desenvolver a criatividade e diferentes formas de se expressar e se comunicar no contexto social. Desse modo, as atividades teatrais no ensino básico são fundamentais para que os estudantes passem por experiências diversas, em suas diferentes nuances. Uma dessas nuances é a experiência com a linguagem artística do Teatro de Objetos, cujo referencial artístico trabalha com ressignificações, releituras e muita criatividade. A fim de tratar desse referencial artísticopedagógico, tem-se como objetivo investigar as possíveis contribuições do teatro de objetos para a formação dos educandos e educandas da EJA, da Escola de Ensino Fundamental Odilon Ribeiro Coutinho – localizada em Tibiri – Santa Rita-PB. A metodologia adotada é a da pesquisa qualitativa, de cunho interventivo, caracterizada como pesquisa-ação, com respaldo na Abordagem Triangular Proposta por Ana Mae Barbosa (2004). A Abordagem Triangular constitui-se por práticas que estejam relacionadas à contextualização, à apreciação e ao fazer artístico. Como procedimentos metodológicos investigativos foram realizadas oficinas com jogos e exercícios teatrais, ressignificação de objetos em sala de aula, rodas de diálogos, elaboração de vídeos e registros em fotos, realização de espetáculo-jogo, num processo dialógico e de avaliação constante. A finalidade em se trabalhar com o Teatro de Objetos com a turma da EJA é explorar questões do cotidiano por meio de histórias criadas, a partir dos significados dados aos objetos, considerando sua natureza, textura, função e forma; a interação e a criatividade no processo de ressignificação de objetos, através da produção do diálogo, fazendo-se também uso da improvisação, através da linguagem teatral, sobre diferentes temáticas. Ao final do estudo, concluiu-se que as atividades propostas contribuíram para que os(as) educandos(as) tivessem a oportunidade de vivenciar a linguagem cênica, desenvolvendo habilidades como criatividade, expressão corporal, expressão oral, improvisação, interatividade, exposição das atividades realizadas, além de propiciar momentos de descontração, combatendo a timidez, melhorando também a autoestima. Espera-se que esse tipo de trabalho possa viabilizar, em outras ocasiões, novas experiências que deem continuidade e ampliem este projeto de intervenção.
  • ELIENE NUNES DE ALMEIDA
  • VAMOS BRINCAR DE RODA? MOVIMENTANDO-SE E APRENDENDO MÚSICA
  • Data: 30/10/2023
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • A proposta desta pesquisa foi realizar um processo pedagógico musical com os educandos e educandas do 1º ano da Escola Municipal Hidelbrando Silva – Cabedelo. Tínhamos como objetivo relacionar o aprendizado da música com a vivência corporal. Desta forma, foi desenvolvida estratégias de ensino musical, com os conteúdos inspirados nos métodos de Dalcroze, considerando a contemporaneidade e a realidade sociopolítico-cultural do grupo a ser pesquisado. Utilizamos as músicas de cantigas de roda para as dinâmicas das aulas/oficinas, levantando uma discussão sobre a sua origem, o papel que ela vem desempenhando, a função que hoje a ela é atribuída, e as possibilidades didáticas. Nesse sentido, foram realizadas 10 aulas/oficinas de forma presencial com duração de 45 minutos, com a única turma do 1º ano do ensino fundamental, com todos os 14 alunos matriculados neste ano/série com idades entre 5 e 7 anos. Para cada aula, utilizamos uma cantiga musical diferente, seguida de uma proposta, objetivo e habilidades a serem trabalhados. As atividades foram realizadas de forma coletiva, para despertar a sensação de pertencimento da turma, bem como garantir a interação de todos, enfatizando sempre a música e o corpo em movimento, usando o lúdico e a criação. Esta pesquisa é participante e a metodologia é de natureza aplicada pois se consolidou através de observações de vivências na escola. O objeto de estudo se desenvolveu na proposta das 10 aulas/oficinas, na aplicação e na descrição da experiência. A abordagem foi qualitativa, pois em sua conclusão, foi analisado e relatado todo o processo. Como resultado, obtivemos todo o processo de construção e relato da proposta curricular, ao mesmo tempo em que analisamos o que foi atingido a partir da experiência. Produzimos também 10 planos de aula para o ensino da música para a primeira série do ensino fundamental, utilizando as cantigas de roda, e o corpo em movimento.
  • ELIENE NUNES DE ALMEIDA
  • VAMOS BRINCAR DE RODA? MOVIMENTANDO-SE E APRENDENDO MÚSICA
  • Data: 30/10/2023
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • A proposta desta pesquisa foi realizar um processo pedagógico musical com os educandos e educandas do 1º ano da Escola Municipal Hidelbrando Silva – Cabedelo. Tínhamos como objetivo relacionar o aprendizado da música com a vivência corporal. Desta forma, foi desenvolvida estratégias de ensino musical, com os conteúdos inspirados nos métodos de Dalcroze, considerando a contemporaneidade e a realidade sociopolítico-cultural do grupo a ser pesquisado. Utilizamos as músicas de cantigas de roda para as dinâmicas das aulas/oficinas, levantando uma discussão sobre a sua origem, o papel que ela vem desempenhando, a função que hoje a ela é atribuída, e as possibilidades didáticas. Nesse sentido, foram realizadas 10 aulas/oficinas de forma presencial com duração de 45 minutos, com a única turma do 1º ano do ensino fundamental, com todos os 14 alunos matriculados neste ano/série com idades entre 5 e 7 anos. Para cada aula, utilizamos uma cantiga musical diferente, seguida de uma proposta, objetivo e habilidades a serem trabalhados. As atividades foram realizadas de forma coletiva, para despertar a sensação de pertencimento da turma, bem como garantir a interação de todos, enfatizando sempre a música e o corpo em movimento, usando o lúdico e a criação. Esta pesquisa é participante e a metodologia é de natureza aplicada pois se consolidou através de observações de vivências na escola. O objeto de estudo se desenvolveu na proposta das 10 aulas/oficinas, na aplicação e na descrição da experiência. A abordagem foi qualitativa, pois em sua conclusão, foi analisado e relatado todo o processo. Como resultado, obtivemos todo o processo de construção e relato da proposta curricular, ao mesmo tempo em que analisamos o que foi atingido a partir da experiência. Produzimos também 10 planos de aula para o ensino da música para a primeira série do ensino fundamental, utilizando as cantigas de roda, e o corpo em movimento.
  • CRISTINA DA CONCEIÇÃO RESENDE
  • DEMARCANDO A SALA DE AULA: práticas educativas e de criação a partir dos fazeres artísticos do povo indígena Tabajara da Paraíba.
  • Data: 20/10/2023
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa denominada “DEMARCANDO A SALA DE AULA: práticas educativas e de criação a partir dos fazeres artísticos do povo indígena Tabajara da Paraíba” visa o desenvolvimento de um trabalho de ensino-aprendizagem de Arte indígena a partir de uma perspectiva antirracista e decolonial, tendo como base a Dança do Toré e os grafismos do povo indígena Tabajara da Paraíba. Esse trabalho tem como objetivo estimular o desenvolvimento de criações de Arte inspiradas nos fazeres artísticos do povo Tabajara e foi desenvolvido com estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental e EJA Professora Noêmia Alves de Souza, localizada no Município de Conde, Paraíba. Sendo assim, busca-se apresentar de forma decolonial a cultura local expressada pelos Tabajaras que, mesmo tendo sido silenciados e apagados da história por mais de um século, têm resistido às marcas das colonizações, reavivando a partir do ano de 2005 suas expressões culturais como forma de resistência política e cultural. Essa é uma pesquisa participante de abordagem qualitativa na qual foram utilizados para análise de dados, filmagens, fotografias, escritas, rodas de conversas e produções artísticas dos/das estudantes que participaram contribuindo diretamente para a realização desse trabalho, o qual para além dos resultados intrínsecos, culminou em uma apresentação de Dança com base nos movimentos da Dança do Toré e uma exposição de Artes visuais a partir das criações de grafismos inspirados nas pinturas corporais Tabajara. Os resultados que concluem essa pesquisa, possibilitam a compreensão de que apesar de todas as dificuldades estruturais enfrentadas para desenvolver esse projeto, é urgente um processo de ensino-aprendizagem que discorra sobre a/as culturas indígenas, tratando a temática a partir de uma perspectiva decolonial e antirracista nas aulas do componente Arte e também demais componentes, para assim, contribuir com um ensino efetivo que proporcione aos/às estudantes um entendimento e acesso às narrativas de forma não deturpada sobre a diversidade cultural e as maneiras de vida existentes no nosso país.
  • LILIAN KELEN SOUSA PINTO
  • Novo Ensino Médio e o Currículo de Pernambuco: a vivência do grupo de dança Fulôres de palco como resistência e permanência da arte no chão da escola.
  • Data: 23/08/2023
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho trata de uma investigação acerca da permanência da arte e da dança na escola, realizada ao longo do ano de 2022, após 10 anos na Escola de Referência em Ensino Médio de Beberibe, no bairro de Beberibe, zona norte do Recife – PE, tendo como base o trabalho desenvolvido pelo grupo de dança Fulôres de Palco, formado por estudantes da referida unidade escolar. As ideias foram colhidas a partir das aulas de dança ministradas dentro das disciplinas denominadas Eletivas, que fazem parte da mudança proposta do Currículo de Pernambuco para o Novo Ensino Médio e que encontram respaldo na BNCC e na Instrução Normativa n.º 003/2021, que esclarece sobre a inserção desta e de outras disciplinas nas escolas da rede pública estadual de ensino do Estado de Pernambuco. A pesquisa foi participante e com abordagem qualitativa, sendo o próprio Fulôres denominado seu grupo focal como principal instrumento de coleta de dados.
  • LILIAN KELEN SOUSA PINTO
  • Novo Ensino Médio e o Currículo de Pernambuco: a vivência do grupo de dança Fulôres de palco como resistência e permanência da arte no chão da escola.
  • Data: 23/08/2023
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho trata de uma investigação acerca da permanência da arte e da dança na escola, realizada ao longo do ano de 2022, após 10 anos na Escola de Referência em Ensino Médio de Beberibe, no bairro de Beberibe, zona norte do Recife – PE, tendo como base o trabalho desenvolvido pelo grupo de dança Fulôres de Palco, formado por estudantes da referida unidade escolar. As ideias foram colhidas a partir das aulas de dança ministradas dentro das disciplinas denominadas Eletivas, que fazem parte da mudança proposta do Currículo de Pernambuco para o Novo Ensino Médio e que encontram respaldo na BNCC e na Instrução Normativa n.º 003/2021, que esclarece sobre a inserção desta e de outras disciplinas nas escolas da rede pública estadual de ensino do Estado de Pernambuco. A pesquisa foi participante e com abordagem qualitativa, sendo o próprio Fulôres denominado seu grupo focal como principal instrumento de coleta de dados.
  • DIEUDES LAENIO DE SOUSA SILVA
  • Orquestra de violões de Corrente-PI: um estudo de caso sobre o ensino coletivo no ambiente escolar
  • Orientador : CARLA PEREIRA DOS SANTOS
  • Data: 22/08/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve como objetivo compreender e analisar as implicações do ensino coletivo de violão no processo de aprendizagem em uma Orquestra Escolar. O campo empírico da pesquisa foi uma Orquestra de Violões, com o olhar estendido às aulas de violão coletivo, desenvolvida no Instituto Federal do Piauí, mais especificamente no Campus Corrente. Sobre a abordagem metodológica, a pesquisa qualitativa norteou as experiências pedagógicas e a operacionalização da pesquisa no decorrer do trabalho com a Orquestra, dando ênfase aos aspectos subjetivos relacionados ao comportamento humano e aos fenômenos sociais através do Estudo de Caso. Os dados da pesquisa foram coletados através de observações e realização de um plano de trabalho, registrados em nota de campo. A fundamentação e/ou referencial teórico da pesquisa foi apresentado sob duas perspectivas, a primeira que possibilitou a compreensão da metodologia que conduziu a realização das atividades com a orquestra, com base em autores que levaram ao entendimento das bases pedagógicas que alicerçam o ensino coletivo de violão e, para compreender os dados e o desenvolvimento musical a partir das etapas trabalhadas, tomei como base o conceito de aprendizagem cooperativa a concebido a partir das reflexões de Johnson e Johnson (1999).
  • ERVETTON CARLOS ARAUJO
  • Concerto didático na escola: uma experiência de aprendizagem musical a partir da prática coral
  • Data: 20/07/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa tem como objetivo compreender e analisar como os alunos que atuam no coral aprendem música a partir do concerto didático, elucidando aspectos pedagógico-musicais que permeiam a prática coral e o concerto didático no que diz respeito à aprendizagem dos alunos que participaram do coral da escola como atividade musical. A Escola Cidadã Integral Técnica Deputado Genival Matias, localizada na cidade de Juazeirinho-PB, foi o campo abrangido por esse trabalho, e teve como objeto da pesquisa o Coral Vozes da ECIT. Para tanto, o trabalho realizado com o coral seguiu um plano de trabalho que contemplou toda a proposta, roteirizando as etapas da pesquisa, assim como a toda a aplicação das atividades pertinentes e organizadas para esse trabalho. Nesse sentido, a aprendizagem cooperativa pela concepção de Johnson, Johnson e Holubec (1999) foi o campo teórico que baseou a pesquisa, servindo como lente para enxergar os aspectos pedagógicos, sociais e de aprendizagem no coral da escola. Dessa forma, foi através da aplicação de atividades musicais respectivo ao canto coral, aliado ao concerto didático, que busquei, por meio de observações, entrevistas, registros audiovisuais, anotações e diálogo direto com os alunos participantes da pesquisa, explanar como ocorreu a aprendizagem musical dos alunos durante a prática coral e a construção do concerto didático. Neste sentido, a pesquisa seguiu pelo percurso da metodologia qualitativa, por meio de um estudo de caso. À vista disso, olhando para o caminho metodológico qualitativo, a pesquisa qualitativa auxiliou o trabalho da proposta em relação a investigação, exploração e análise pedagógico-musical, elucidando a questão da pesquisa, dispondo assim de instrumentos para a coleta de dados, cujos quais foram as observações, diálogos, notas de diário de campo realizados a cada encontro planejado, registros fotográficos, vídeos, emprego do plano de trabalho da pesquisa e entrevistas que foram realizadas com os alunos participantes do coral, no intuito de aferir as percepções sobre a aprendizagem musical dos integrantes do coral da escola. A pesquisa trouxe considerações e explicações acerca da prática coral no contexto escolar, bem como explanações no que se refere aos significados dessa prática musical, pela perspectiva dos alunos, extraídas a partir dos dados coletados no decorrer da prática coral e da pesquisa, respectivamente.
  • SORAYA DE SOUZA DE OLIVEIRA
  • PARA ALÉM DOS CONTOS DE FADAS: O TEATRO DO OPRIMIDO COMO PERSPECTIVA METODOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE CULTURAL DA CRIANÇA.
  • Data: 10/07/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa, tem como objetivo compreender como o Teatro do Oprimido se configura em uma perspectiva metodológica no processo reflexivo da criança quanto a sua identidade cultural enquanto leitora dos contos de fadas, bem como na sua identificação ou estranhamento aos personagens desse gênero literário. Investiga, portanto, se o Teatro do Oprimido instiga a reflexão da criança na leitura crítica dos contos de fadas, focando no estranhamento de características de personagens e situações impressas nesta narrativa infantil, carregada de valores e crenças da cultura europeia. Tem como campo de investigação a Escola Municipal Nazinha Barbosa da Franca, e quanto aos sujeitos da pesquisa trata-se de 25 crianças entre 08 e 12 anos de idade, integrantes do grupo de teatro da escola, formado desde o ano de 2019, cursando os 4º e 5º anos dos anos iniciais do ensino fundamental. Esta pesquisa aborda o Teatro do Oprimido sob a perspectiva histórico-crítica, orientando-se a luz teórica e metodológica de Augusto Boal e Paulo Freire. De natureza qualitativa, amparada pela observação participante e pelos exercícios, jogos e técnicas do teatro do oprimido, adota como instrumentos de pesquisa o diário de campo da pesquisadora e das/dos estudantes, auxiliados pelas rodas de conversas, pelos textos criados pelos infantes, áudios e vídeos das ações dinâmicas do processo, buscando compreender como o Teatro do Oprimido, enquanto perspectiva metodológica, contribui para a construção da identidade cultural das crianças se opondo a leitura colonial dos contos de fadas. As crianças foram provocadas a perceberem e a elencarem as temáticas que as oprimem a partir da reflexão crítica dos personagens e situações opressoras. Concluiu-se que o Teatro do Oprimido contribui para a construção e/ou fortalecimento das identidades culturais da criança, tendo em vista a leitura crítica dos contos de fadas expressa na corporeidade poética e estética observadas nas criações dramatúrgicas dessas crianças.
  • SORAYA DE SOUZA DE OLIVEIRA
  • PARA ALÉM DOS CONTOS DE FADAS: O TEATRO DO OPRIMIDO COMO PERSPECTIVA METODOLÓGICA NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE CULTURAL DA CRIANÇA.
  • Data: 10/07/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa, tem como objetivo compreender como o Teatro do Oprimido se configura em uma perspectiva metodológica no processo reflexivo da criança quanto a sua identidade cultural enquanto leitora dos contos de fadas, bem como na sua identificação ou estranhamento aos personagens desse gênero literário. Investiga, portanto, se o Teatro do Oprimido instiga a reflexão da criança na leitura crítica dos contos de fadas, focando no estranhamento de características de personagens e situações impressas nesta narrativa infantil, carregada de valores e crenças da cultura europeia. Tem como campo de investigação a Escola Municipal Nazinha Barbosa da Franca, e quanto aos sujeitos da pesquisa trata-se de 25 crianças entre 08 e 12 anos de idade, integrantes do grupo de teatro da escola, formado desde o ano de 2019, cursando os 4º e 5º anos dos anos iniciais do ensino fundamental. Esta pesquisa aborda o Teatro do Oprimido sob a perspectiva histórico-crítica, orientando-se a luz teórica e metodológica de Augusto Boal e Paulo Freire. De natureza qualitativa, amparada pela observação participante e pelos exercícios, jogos e técnicas do teatro do oprimido, adota como instrumentos de pesquisa o diário de campo da pesquisadora e das/dos estudantes, auxiliados pelas rodas de conversas, pelos textos criados pelos infantes, áudios e vídeos das ações dinâmicas do processo, buscando compreender como o Teatro do Oprimido, enquanto perspectiva metodológica, contribui para a construção da identidade cultural das crianças se opondo a leitura colonial dos contos de fadas. As crianças foram provocadas a perceberem e a elencarem as temáticas que as oprimem a partir da reflexão crítica dos personagens e situações opressoras. Concluiu-se que o Teatro do Oprimido contribui para a construção e/ou fortalecimento das identidades culturais da criança, tendo em vista a leitura crítica dos contos de fadas expressa na corporeidade poética e estética observadas nas criações dramatúrgicas dessas crianças.
  • ISMALIA SALES FISCHER
  • ARTES CÊNICAS E A APRENDIZAGEM BILÍNGUE: uma proposta para educandos dos sextos anos do Ensino Fundamental II
  • Data: 28/04/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa abre espaços dialógicos entre os campos das artes cênicas e da aprendizagem da língua inglesa. A mesma foi desenvolvida na escola municipal de ensino bilíngue e integral D. José Maria Pires, localizada no bairro dos Novais em João Pessoa, Paraíba. O objeto de estudo foram duas turmas de sextos anos do fundamental II. Teve como objetivo principal produzir, aplicar e divulgar o ensino das artes cênicas em consonância com a aprendizagem de uma segunda língua. E isto se deu através do estudo de temáticas cênicas e também da valorização dos artistas populares e ícones de artistas cênicos. A sequência das ações ou adaptação do material didático, visa elucidar o estudante a dominar uma segunda língua de forma gradual relacionando o conhecimento aprendido com os conteúdos da disciplina. Assim, a presente tese, contribui para a construção de uma escola pública bilíngue, ressignificando o uso da Arte não como um meio para a aprendizagem de uma língua, mas desenvolvendo o senso de valorização da própria Arte e cultura brasileira.
  • LYANE MARCELLE CAVALCANTE SANTOS
  • O FREVO E AS SUAS MULTILINGUAGENS NA ESCOLA: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL II
  • Data: 27/04/2023
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • O presente artigo tem como objetivo apresentar uma proposta pedagógica baseada no frevo em diálogo com as linguagens artísticas estudadas na disciplina arte como, dança, teatro e artes visuais, além de dialogar com outras brincadeiras populares inseridas no contexto cultural de estudantes da Educação Básica. Foi desenvolvida por meio de pesquisa qualitativa com observação participante na sala de aula, da escola de tempo integral Colégio Municipal Humberto Barradas, na cidade do Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco, com educandos dos 8º anos do ensino fundamental II. O intuito da proposta foi trabalhar o frevo para além do calendário cívico escolar, criando possibilidades de vivenciá-lo nas aulas de arte durante o primeiro semestre do ano de 2022. Utilizando as multilinguagens e multifacetas constituintes do frevo, experimentamos as potencialidades de estudar esse patrimônio cultural brasileiro na escola. Como resultados desta pesquisa temos: a criação de um material didático com atividades que envolvem o frevo, assim como a criação de um grupo de dança na escola, com práticas de frevo, envolvendo outros professores em um projeto pedagógico, dando assim uma nova visibilidade e reconhecimento da pesquisa junto à comunidade escolar.
  • GEOSTÉNYS DE MELO BARBOSA
  • A OBRA O ROMANCE DO PAVÃO MISTERIOSO COMO METODOLOGIA DE ENSINO E APRENDIZAGEM – UM MANUAL PARA O/A PROFESSOR/A
  • Data: 11/04/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa investiga a literatura de cordel como suporte pedagógico nas aulas de Arte. Tem como objetivo principal a criação de um Manual de orientação para professores de Arte, a partir de um trabalho desenvolvido com os alunos das turmas de 9° ano do fundamental II, da escola pública Marlene Alves de Mendes, na cidade de Pilõezinhos/PB, usando o folheto de cordel O Romance do Pavão Mysteriozo, de autoria de José Camelo de Melo Rezende. Como demais objetivos, almejamos a fomentação da arte local, valorizando a cultura popular e reafirmando a importância desse gênero literário que é o folheto de cordel. Esse estudo/experiência desenvolveu-se pesquisando o gênero literário do Cordel, a técnica da xilogravura, os personagens imagéticos das histórias e o valor cultural do cordel. Trata-se de uma pesquisa participante, com abordagem qualitativa, analisando resultados a partir das oficinas de arte previstas nas suas ações de intervenção didático-pedagógicas. Esta investigação ainda ressalta a importância de trabalhar a cultura popular em sala de aula, usando as histórias presentes nos folhetos de cordel, possibilitando à/ao estudante, a reflexão crítica, a prática artística, e a leitura de mundo, mediante suas vivências, contribuindo com o processo de ensino e aprendizagem nas práticas artísticas em sala de aula.
  • ANA PAULA DA SILVA SANTOS
  • Aqui Dançando… Ali Cantando… Acolá Batucando… Além mar vou CONTANDO: A Narração de Histórias da Tradição Afro-Alagoana Mané do Rosário
  • Data: 23/03/2023
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O estudo elabora considerações sobre o processo de criação artística desenvolvido junto aos/as educandos/as do 5ºano da Escola Municipal Dr. Pompeu Sarmento, localizada na cidade de Maceió/Alagoas, no qual buscou-se relacionar vivências da tradição afro-alagoana Mané do Rosário ao contexto da narração de histórias nas aulas de Teatro. Para efeito da discussão teórica, tomou-se como base pressupostos da performance negra, matizados nesta pesquisa pela autora Leda Maria Martins, bem como, a filosofia do congolês Bunseki FuKiau sobre as performances africanas (cantar, dançar e batucar). Visou-se neste experimento pedagógico e criativo suscitar a construção de narrativas identitárias dos educandos e educandas por meio de saberes afrodiaspóricos da cultura Mané do Rosário. Propôs-se ainda, vincular à Educação Básica práticas relacionadas aos saberes culturais e as ações de enfrentamento ao racismo, estabelecendo interfaces com as ações afirmativas vinculadas a Lei nº 11.645/2008 da LDBEN 9.394/1996 que trata do ensino da história e cultura afrobrasileira e indígena na escola.
  • SHIRLEY AIRES DE MEDEIROS
  • É preciso falar, superando o silêncio e a indiferença: a experiência poético-musical no combate ao racismo.
  • Data: 06/03/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A experiência poético-musical no combate ao racismo, que serviu de base prática para a pesquisa de que trata este artigo, foi desenvolvida enquanto mediação por meio de oficinas pedagógicas cuja finalidade central se pautou pela sensibilização e problematização do racismo que, no Brasil, discrimina e marginaliza em larga escala aqueles que têm ascendência africana mais evidenciada. A partir de exemplos do repertório produzido na temática de movimentos identitários negros (em gêneros de poesia marginal como o rap e o slam) e gosto estético cultivado por segmentos jovens de nosso tempo (caso da cultura hip-hop, neste início do século XXI), procuramos dimensionar o componente curricular Arte (Música) observando expectativas previstas nos marcos legais que tratam do reconhecimento e valorização da história e cultura africana e afro-brasileira, contribuindo para articular no espaço curricular e institucional um ambiente que estimule a adoção de posturas e ações de combate ao racismo, com respaldo em documentos normativos dentre os quais se destacam as Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais, definidas com base na Lei de n° 10.639/2003. A pesquisa se deu no âmbito do Programa de Mestrado Profissional em Artes em Rede Nacional (PROF-ARTES) / Universidade Federal da Paraíba, Campus I, João Pessoa, contando com a participação de estudantes de uma escola pública, num bairro de periferia da capital paraibana.
  • SHIRLEY AIRES DE MEDEIROS
  • É preciso falar, superando o silêncio e a indiferença: a experiência poético-musical no combate ao racismo.
  • Data: 06/03/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A experiência poético-musical no combate ao racismo, que serviu de base prática para a pesquisa de que trata este artigo, foi desenvolvida enquanto mediação por meio de oficinas pedagógicas cuja finalidade central se pautou pela sensibilização e problematização do racismo que, no Brasil, discrimina e marginaliza em larga escala aqueles que têm ascendência africana mais evidenciada. A partir de exemplos do repertório produzido na temática de movimentos identitários negros (em gêneros de poesia marginal como o rap e o slam) e gosto estético cultivado por segmentos jovens de nosso tempo (caso da cultura hip-hop, neste início do século XXI), procuramos dimensionar o componente curricular Arte (Música) observando expectativas previstas nos marcos legais que tratam do reconhecimento e valorização da história e cultura africana e afro-brasileira, contribuindo para articular no espaço curricular e institucional um ambiente que estimule a adoção de posturas e ações de combate ao racismo, com respaldo em documentos normativos dentre os quais se destacam as Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais, definidas com base na Lei de n° 10.639/2003. A pesquisa se deu no âmbito do Programa de Mestrado Profissional em Artes em Rede Nacional (PROF-ARTES) / Universidade Federal da Paraíba, Campus I, João Pessoa, contando com a participação de estudantes de uma escola pública, num bairro de periferia da capital paraibana.
  • KASSANDRA FERREIRA MACEDO BRANDÃO
  • UMA CRIANÇA, UM CELULAR NA MÃO E MIL IDEIAS NA CABEÇA. O audiovisual como recurso para o ensino/aprendizagem nas aulas de Artes Cênicas.
  • Data: 28/02/2023
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem como objetivo analisar e problematizar o uso do aparelho celular como recurso audiovisual em sala de aula, enquanto ferramenta metodológica no ensino e aprendizagem nas aulas de Artes Cênicas. A Escola Municipal de Ensino Fundamental Moema Tinoco Cunha Lima, localizada na cidade de João Pessoa, Bairro Funcionários II, é o campo de abrangência da pesquisa, cujo interesse concentra-se na turma do quinto ano B. Nessa pesquisa, a tecnologia é usada como disparadora para que as crianças sejam criadoras/produtoras de arte, fazendoas protagonistas das suas atividades. O objetivo é que os estudantes criem os roteiros e filmagens a partir do seu cotidiano, usando o celular como instrumento tecnológico. Assim, esta pesquisa se destina a analisar a inserção e o papel de elementos do audiovisual no processo de ensino/aprendizagem de forma ativa, participativa e propiciar, aos sujeitos envolvidos, a construção individual e coletiva de significado na experiência educacional artística. A metodologia se dá como investigação qualitativa, na modalidade etnográfica com abordagem de pesquisa participante, cujos principais instrumentos de análise serão a observação participativa, a tomada de nota em diário de campo, fotografias, vídeos e relatórios realizados pelos alunos, discussões avaliativas em grupo como rodas de conversa, criação de roteiros, desenvolvimento na leitura e escrita, produção e edição de vídeos.
  • MARIA DO CARMO BARROS ARAÚJO
  • LEITURA DE IMAGENS E OBRAS DE ARTES VISUAIS: EDUCAÇÃO E GÊNERO
  • Data: 28/02/2023
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa consiste em discutir sobre o processo e a aplicação de uma intervenção político-pedagógica na escola-campo, para promover a reflexão no trato com questões de gênero, a partir do trabalho desenvolvido nas aulas de Artes Visuais, com alunas e alunos dos 8º e 9º anos na Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Hugo Moura, situada no bairro do Padre Zé na cidade de João Pessoa/PB. Parte-se da leitura das obras de artistas mulheres brasileiras, feministas, que fazem da sua arte um meio para abordar questões de gênero. Essa discussão é trazida para a sala de aula por meio da Abordagem Triangular sistematizada por Ana Mae Barbosa (1998), a qual direciona para a leitura de obras de arte visuais a partir da triangulação: conhecer, contextualizar e criar. Promove-se a reflexão das(os) discentes nas aulas de Artes sobre as questões de gênero, em especial, as desigualdades de gênero e as definições de papéis de gênero que geram preconceitos e violência, considerando, para além da triangulação, a exposição dos trabalhos produzidos pelos discentes em sala de aula em plataforma de mídia de rede social (Instagram), como culminância da metodologia de ensino. Contextualiza-se as discussões de gênero no Brasil, na educação e nas Artes Visuais. Relata-se as aulas e o processo dos trabalhos de criação artística, tanto para se refletir sobre a prática docente quanto para perceber o processo como intervenção político-pedagógica. Indiretamente, considera-se os discursos de gênero sobre os trabalhos expostos. Reflete-se sobre a expressividade dos trabalhos no trato das questões de gênero. Considera-se o ensino da arte como ferramenta educativa e meio para o trato das questões de gênero. A pesquisa participante, com abordagem de natureza qualitativa, propõe oportunizar e contribuir com a formação de sujeitos reflexivos e conscientes do seu papel no mundo: sujeitos que pensam, agem e transformam o mundo onde estão inseridos, assim como (re) afirma o papel da escola no enfrentamento das questões abordadas.
  • CASSANDRA ELIANE FIGUEIRÊDO DIAS
  • COMO SERIA SE ASSIM NÃO FOSSE? O TEATRO DO OPRIMIDO NA ESCOLA: perspectiva de uma proposta pedagógica transformadora.
  • Data: 28/02/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa buscou e experienciou práticas com jogos teatrais em sala de aula, que possam viabilizar potenciais pedagógicos emancipatórios para o ensino do teatro na escola, buscando o fortalecimento de sujeitos críticos, criativos e autores de sua própria história. Neste sentido, escolhemos utilizar a Metodologia do Teatro do Oprimido, de Augusto Boal, por meio da técnica do Teatro Fórum, junto aos educandos e educandas do 8º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Violeta Formiga, da Prefeitura de João Pessoa-PB, como instrumento teórico-metodológico de ensino de teatro com o objetivo de estimular o diálogo, reflexão e autorreconhecimento dos educandos(as), despertando nos(as) mesmos(as) consciência crítica do seu papel de protagonista e sujeito de transformações, e como objetivos específicos buscamos: investigar e avaliar as contribuições e desafios dessa metodologia e seus exercícios práticos no ambiente escolar; estimular uma visão crítica e atitude cidadã, frente as questões do cotidiano, por meio da técnica do Teatro Fórum; refletir e buscar alternativas para conflitos interpessoais e sociais; propiciar no ensino-aprendizagem, meio que inclua a cidadania como prática pedagógica. Abordamos o Teatro do Oprimido articulado às perspectivas freirianas, que traz elementos para a construção de uma prática de natureza crítico-emancipatória. A metodologia empregada tem como fundamentos a pesquisa participante, com uma abordagem de natureza qualitativa, e procedimento investigativo e análise de dados baseados no Teatro do Oprimido, por meio de técnicas do Teatro Fórum realizamos oficinas com jogos e exercícios teatrais, questionários de tipo aberto (no início da pesquisa e ao seu final), rodas de diálogos, realização de vídeos e registro em fotos, desenvolvendo a observação participante, registros em diário de campo e realização de espetáculo-jogo, num processo dialógico e de avaliação constante, buscando investigar as contribuições e desafios dessa abordagem metodológica aos educandos(as), no ambiente escolar e procuramos compreender os aspectos que nortearam essa investigação, respondendo a inquietação: Quais as singularidades e questionamentos revelados a partir das práticas do Teatro do Oprimido em uma intervenção educativa no ambiente escolar? O estudo oportunizou uma observação participante do comportamento do grupo pesquisado na realização dos jogos e exercícios teatrais; participação dos educandos(as) nas discussões realizadas em rodas de diálogos; por meio das impressões colocadas em questionários de tipo aberto; nas expressões corporais, e na produção dos questionamentos coletivos colocados no espetáculo-jogo.
  • MARINALVA RODRIGUES DOS SANTOS
  • Brincando de Circo: relato de experiência de uma professora-palhaça nas aulas de Arte na escola Aruanda (João Pessoa/PB)
  • Data: 27/02/2023
  • Hora: 18:30
  • Mostrar Resumo
  • O circo na escola é um mecanismo de diálogo pedagógico na perspectiva de fortalecimento da aprendizagem em Artes Cênicas e uma nova possibilidade de atrair o educando para o fazer artístico através de uma prática com a cultura circense. O presente estudo analisa a inclusão de atividades circenses na disciplina de Arte no Ensino Fundamental por meio da ação de uma professora palhaça. As práticas circenses neste projeto são abordadas como um conhecimento ou reconhecimento corporal diante das propostas apresentadas por meio de problematizações que estimulam a capacidade criativa dos educandos, dialogadas, exploradas durante as aulas práticas e rodas de conversas, contribuindo para a formação de um educando crítico, capaz de agir e interagir em seu meio social. São igualmente analisados o brincar, a consciência corporal e a ludicidade existentes na linguagem circense para um melhor desenvolvimento e participação do coletivo em sala de aula, com ênfase nas regras de convivência e riscos mínimos que possam existir no jogo apresentado e praticado. O objetivo deste trabalho não é esgotar as diversas formas de aprender, mas evidenciar e aprofundar a pesquisa acerca da prática pedagógica do circo no âmbito escolar, sinalizando como mais um caminho disponível a ser percorrido.
  • BRUNO ALVES DA SILVA VASCONCELOS
  • Narrativas da Infância: uma jornada com Laboratório de Experimentação de Dramaturgia Teatral na Escola Municipal Padre Alípio na cidade de Porto de Pedras – Alagoas
  • Data: 27/02/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • O teatro contemporâneo apresenta inúmeras possibilidades de construção de dramaturgias. Neste contexto a pesquisa foi realizada no Laboratório de Experimentação de Dramaturgia Teatral, um espaço desenvolvido dentro da sala de aula com 24 estudantes do 5ª ano, na faixa etária dos 10 e 11 anos, que buscou investigar e construir materiais textuais que sirvam para o teatro, tendo como ponto de partida suas autobiografias e referências estéticas. Diante disso, o presente trabalho trouxe um relato de experiência que teve como objetivo geral a construção de um texto teatral colaborativo pela perspectiva das crianças e como objetivos específicos o fortalecimento do pertencimento, do protagonismo, da apropriação da leitura, da escrita e de suas narrativas. É uma pesquisa qualitativa que teve como foco a observação direta com o registro de anotações, fotografias e vídeos, além da descrição das etapas e análise dos materiais construídos. Por fim, observou-se que diante da pluralidade de pensamentos e riqueza imaginativa que cerca o universo infantil, não apenas um texto foi construído, mas diversas narrativas curtas feitas de forma individual e em grupos que dialogam com a realidade e fantasia, que na visão atual, são materiais que servem para a experiência de criação em teatro.
  • ROBERLENE CAVALCANTE DE OLIVEIRA
  • LEITURA DRAMÁTICA: PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO BÁSICA
  • Data: 24/02/2023
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho reflete sobre a leitura dramática como processo de ensino-aprendizagem na educação básica, a partir das aulas de Arte em uma escola pública da cidade de João Pessoa, com grupo focal de dez estudantes do 9º ano. A pesquisa teve como objetivo, analisar como a prática da leitura dramática pode contribuir para o enriquecimento da construção criativa, bem como para a interpretação de texto. A abordagem metodológica de estudo denota-se como qualitativa com pesquisa de campo. A reflexão ocorreu a partir da análise de dez oficinas realizadas no primeiro semestre letivo de 2022, seguindo uma tríade de ações: aquecimento com jogos cênicos; leitura dramática de textos teatrais trazidos pela turma e escritos pelos próprios discentes; rodas de conversas com debates orais e registros escritos das impressões dos educandos sobre cada encontro. A partir disto, concluiu-se que a prática da leitura dramática contribuiu para o enriquecimento da construção criativa e da interpretação de texto, tendo em vista que, ao final da pesquisa foi observada uma maior confiança dos educandos no seu potencial, resultando em um aprendizado mais significativo.
2022
Descrição
  • EMANUEL GUEDES SOARES DA COSTA
  • Instalação-jardim na Escola Pública: uma experimentação em Artes Visuais usando materiais alternativos, sustentáveis e de baixo custo.
  • Data: 01/12/2022
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa buscou investigar possibilidades de experimentações artísticas pautadas em suportes, materiais ou insumos alternativos, para experimentação em Artes Visuais, através de práticas sustentáveis, de reuso, reciclo, ou menor custo, levando em consideração o contexto e a oferta de materiais da localidade de aplicação do estudo. Para cada ponto a ser discutido utilizamos referenciais teóricos específicos para cada ponto a ser discutido: o uso de abordagem triangular na prática e na experimentação artística, obstáculos à prática artística no contexto escolar, sustentabilidade e valores agregados, materiais e modalidades, construção e compreensão do conceito de instalação-jardim. A pesquisa possuiu como recorte sete estudantes do 8º ano, da Escola Municipal de Ensino Infantil e Ensino Fundamental Professora Maria Tereza da Conceição, localizada no distrito de Curimataú, município de Pilar, estado da Paraíba-PB. A pesquisa objetivou identificar materiais e suportes observando aplicabilidades tanto em modalidades bidimensionais ou tridimensionais tradicionais ou contemporâneas com base no que o contexto da comunidade pautando-nos por conceitos de sustentabilidade e valores agregados ou baixo custo como via de alternativa ao problema da falta ou escassez de materiais. Levantamos como hipóteses: a possibilidade de desenvolvimento alternativo de materiais voltados ao fazer artístico em Artes Visuais, estes pode contemplar todos ou em partes os caráteres de sustentabilidade, de baixo custo, de reciclo ou reuso; as práticas apenas permitem experimentações de cunho bidimensional e tradicionais nas escolas, como pintura e desenho; as opções exploradas fomentam apenas composições de abordagem contemporânea como instalações, objetos ou performances; a disponibilidade de materiais encontrados na comunidade permite aplicações tanto de cunho tradicional ou contemporâneo. A escolha da instituição e localidade deu-se pela dificuldade de acesso ou inexistência de materiais e suportes para as experimentações artísticas dada precariedade logística ou financeira. Para tal, a metodologia de aplicação fez uso de instrumentos de pesquisa (questionários, listas e experimentos) amparados pelos vértices da Abordagem Triangular, tanto na análise de obras artísticas, como da observação do contexto e dos dados coletados. Também, desenvolvidas oficinas de manuseio de materiais e produção de alternativas, articuladas com momentos de contextualização a apreciação de obras artísticas e técnicas tradicionais e contemporâneas. A análise e discussão dos experimentos obtidos culminaram no produto final (instalação-jardim) baseado nos elementos angariados pelos estudantes-participantes e permeando-se por conceitos de consciência ambiental através do pensamento e ações sustentáveis, de reciclo, reuso ou baixo custo.
2020
Descrição
  • RENATO BARROS BARBOSA
  • TEATRO PLAYBACK NA ESCOLA: um estudo para uma proposta pedagógica.
  • Data: 11/12/2020
  • Hora: 10:30
  • Mostrar Resumo
  • O artigo proposto tem o objetivo de apresentar o Teatro Playback, sua origem e sua aplicação como uma proposta pedagógica aplicada à educação, destinada a alunos do oitavo ano do Ensino Fundamental II. A referida proposta buscará através do uso desta metodologia favorecer o desenvolvimento de habilidades artísticas criativas, uma vez que se trata de uma modalidade teatral cujo improviso é a sua principal característica ao mesmo tempo em que proporciona ao educando a possibilidade de vivenciar suas histórias imediatamente transformadas em arte. Tendo em vista que a linguagem teatral faz parte do currículo escolar, promovendo o autoconhecimento, o desenvolvimento da expressão, da comunicação, facilitando o processo de interação entre os alunos e o respeito mútuo, contribuindo assim para a educação integral do aluno. Como metodologia para obter os objetivos sugeridos no trabalho, utilizamos as técnicas dos jogos teatrais, bem como as formas utilizadas pelo Teatro Playback (esculturas fluídas, pares, coro, história em quadrinho, três momentos, confabulando etc). Dessa forma os alunos / atores conseguem atingir os objetivos sugeridos pelo trabalho.
  • HAYALA CÉSAR DE SALES
  • Entrelaçando Artes: Frevo, La Ursa e processos de criação em dança na escola
  • Data: 30/10/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • “Entrelaçando artes: Frevo, Ala Ursa e processos de criação em dança na escola” é uma pesquisa de Mestrado, do Programa de Mestrado Profissional em Artes, da Universid ad e Fed eral d a Paraíba, orientad a pela professora Dra. Carolina Dias Laranjeira. A pesquisa desenvolveu um processo de criação em dança na escola com o intuito de alterar os modos de relacionar arte e culturas populares no contexto educacional, contribuindo para uma ruptura nos modos de aprender, fazer e apreciar arte, inspirados nos saberes tradicionais da dança do Frevo e da brincadeira Ala Ursa. Para isso, possui como método principal a pesquisa participante, sendo desenvolvida em sala de aula, no campo das danças estudadas e com os alunos de uma turma dos anos finais do Ensino Fundamental I, da Escola Municipal Padre Leonel da Franca, no bairro do Ernesto Geisel, em João Pessoa - PB.
  • LYGIA MAIA NOBRE DE FIGUEIREDO
  • InclusAÇÃO - Provocações Artístico-Pedagógicas
  • Data: 30/09/2020
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve como objeto de estudo a investigação da Performance como veículo para inclusão social através do Grupo de Teatro da Escola Estadual Professor Orlando Cavalcanti Gomes, constituído por educandos do Ensino Médio, no bairro do Cristo, na cidade de João Pessoa (PB). Por meio de processos artístico- pedagógicos, buscou-se trabalhar com os participantes (educandos) a relação entre ambiente escolar, ensino-aprendizagem e processos excludentes e inclusivos. Como artista- docente-deficiente, as problemáticas se iniciaram com as minhas vivências e processos sociais excludentes. A partir dessa análise, o Grupo sentiu-se motivado a pesquisar, identificar e analisar: legislações vigentes no país, teóricos que pudessem elucidar os âmbitos da exclusão e inclusão, em dimensões pedagógico-sociais. Desse modo, a proposição desta pesquisa-participante investiga a Performance como metodologia inclusiva do trabalho pedagógico, considerando-se o entendimento de Boal (2008) sobre o fato de a arte ser tanto um direito como uma obrigação, forma de conhecimento e gozo, constituindo-se enquanto dever de cidadania e arma de libertação. Nesse sentido, sua utilização no âmbito pedagógico traz uma potente possibilidade de empoderamento e oferece questionamentos acerca dos sistemas que excluem e incluem os diversos sujeitos. Além disso, Freire (2005) aponta que quanto mais cedo o diálogo acontece, mais revolução haverá, logo, a ânsia por proposições dialógicas é imperiosa no contexto escolar. Utilizando-se das fundamentações teóricas da psicologia à luz de Vygotsky (2012) e Foucault (2019), relacionam-se embasamentos teóricos com a utilização da Performance como meio para diálogos/debates, construções de cenas acerca dos processos de exclusão/inclusão sociais que fortaleceram os questionamentos e as indagações a respeito da existência de uma inclusão por intermédio das Artes Cênicas. Dessa maneira, esta pesquisa propôs investigar o trabalho pedagógico em Performance, sob a ótica de Ciotti (2014), Schechner (2002), Glusberg (2013) ao entender a escola como um coletivo inteligente.
  • SANDRA MICHELLE CRUZ DE MELO
  • GRUPO DE DANÇA HUN EM PERFORMANCE: PRÁTICA ARTÍSTICA COMO REFLEXÃO CRÍTICA NO ESPAÇO ESCOLAR
  • Data: 31/07/2020
  • Hora: 17:00
  • Mostrar Resumo
  • Esse artigo se trata de uma reflexão acerca da investigação realizada ao longo do ano de 2019, na Escola Municipal Fenelon Câmara, no bairro Ernesto Geisel, na cidade de João Pessoa-PB, junto ao Grupo de Dança Hun, formado por educandas/os dessa instituição. As ideias foram reunidas a partir de aulas de dança ministradas, da coordenação de processos criativos e apresentações artísticas seguidas de debates finais entre turmas. Constata-se que essas experiências artísticas, entre cena e apreciação, se tornam, em sua continuidade, modos das/os educandas/os identificarem criticamente e politicamente seus respectivos lugares no mundo enquanto cidadãs/os, já que os assuntos que as performances provocam no público de educandas/os enquanto apreciadores podem reverberar em novos olhares sobre suas realidades enquanto estudantes/moradores/pessoas. A pesquisa foi participante, com uma abordagem qualitativa a nível local. O entendimento sobre performatividade e educação libertadora permeiam durante a escrita, bem como os assuntos sobre autonomia, questões de gênero e étnico raciais que são advindos das performances e reverberam entre apresentações e debates na escola. As criações artísticas observadas no processo foram: Feminicídio, é sobre mim, é sobre todas!. Toda forma de amor merece ser respeitada e Por quê me chamas? Essas atividades proporcionaram aos educandos, professores e gestão escolar, sobre uma tomada de consciência de uma realidade social, que é muitas vezes opressora, mas que está passível de mudança a partir da prática gerada por essa reflexão e pelos debates, protagonizados pelas/os estudantes.
  • SIMONE DE FÁTIMA ALVES MENDES
  • CONHECIMENTO CORPORAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: uma proposta pedagógica a partir da arte circense e de brincadeiras infantis
  • Data: 31/07/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho objetivou desenvolver uma proposta pedagógica a partir da arte circense, de jogos e brincadeiras infantis na Educação Infantil. O lócus da pesquisa é o Centro de Referência de Educação Infantil Maria Ruth de Souza, na periferia de João Pessoa - PB. e os sujeitos são as crianças da turma do Pré-Escolar II e as professoras da unidade. A inquietação sobre uma realidade que supervaloriza os conhecimentos cognitivos à revelia do saber corporal provoca questões que impulsionam a presente pesquisa, como: o que nos impede de dialogar e incluir os saberes corporais na escola? É possível aprender o circo por meio das culturas infantis? O estudo se constituiu como uma pesquisa qualitativa, de caráter etnográfico e como intervenção pedagógica. A pesquisa bibliográfica fundamenta-se nos campos dos estudos da Sociologia da Infância, das Artes Cênicas e da Educação Infantil. Foi realizado, primeiramente, um mapeamento das interações corporais geradoras de movimentos e tensões dentro das ações pedagógicas do CREI e, em seguida, o desenvolvimento de uma investigação pedagógica em ação a partir de processos de construção de conhecimento corporal afetivo envolvendo o circo. O trabalho coletivo entre pesquisadora-professora, professoras e crianças gerou um processo pedagógico vivo, criativo, afetivo, valorizando os diversos sujeitos e seus saberes, a arte circense e as culturas corporais infantis populares. Esse trabalho resultou em uma proposta pedagógica chamada “Trocadilho” e na implantação da linguagem do circo no currículo do CREI pesquisado, bem como em um material pedagógico nomeado “Inventário de brincadeiras e a bolsa brincante” e em um grupo de estudos do corpo com as professoras participantes, além de provocar a reflexão sobre a relação entre religiosidade e estética na escola e a importância de se trabalhar com e a partir da pluralidade cultural.
  • ELISÂNGELA CABRAL MOÇO
  • O Teatro do Oprimido e a Violência de Gênero: uma proposta pedagógica para a Escola Cidadã Integral
  • Data: 30/07/2020
  • Hora: 17:00
  • Mostrar Resumo
  • A violência de gênero tem se mostrado cada vez mais presente em nosso cotidiano, refletindo nas relações estabelecidas no ambiente escolar e se tornam mais intensas na convivência de oito horas diárias proporcionadas pelo modelo das Escolas Cidadãs Integrais (ECIs). O tema ainda se mostra delicado para a discussão, por isso, se faz necessário desenvolver mecanismos que possam auxiliar nesse processo, construindo espaços de debate que envolvam todos os lados da questão, tanto oprimidos quanto opressores, em um processo de diálogo e ressignificação do cotidiano feminino e dos tipos de violência sofridas. Esta dissertação tem como objetivo principal discutir a utilização dos métodos e técnicas do Teatro do Oprimido, como metodologia pedagógica, para proporcionar o combate à violência de gênero nas ECIs, propondo um projeto artístico de criação de uma encenação dos discentes como forma de intervenção escolar. A metodologia de pesquisa aplicada é qualitativa e bibliográfica em que faço uma reflexão sobre minhas experiências artísticas e docentes, tendo como aporte principal as ideias educacionais de Paulo Freire e as teorias teatrais de Augusto Boal.
  • JOSENILSON CAVALCANTI DA SILVA
  • JOGO DAS ARTES CÊNICAS: Um jogo de tabuleiro como recurso metodológico no ensino de arte
  • Data: 29/07/2020
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho propõe a análise e problematização do uso de um jogo de tabuleiro autoral, o Jogo das Artes Cênicas, junto a turma do 8o ano B, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Zumbi dos Palmares, localizada no bairro de Mangabeira, no município de João Pessoa-PB, enquanto recurso metodológica para o ensino de Artes Cênicas. Agregando improvisação, exercícios corporais e vocais, brincadeiras infantis, dinâmicas circenses e proposições de performances orientadas pelo ambiente dos jogos de tabuleiro modernos, o jogo alvitra uma alternativa lúdica para enunciação de conhecimentos e criações artísticas. Sua concepção, no contexto de atuação, surge da necessidade de encontrar estratégias que possibilitem o desenvolvimento de um processo de ensino-aprendizagem ativo, participativo e que propicie, aos sujeitos envolvidos, a construção, individual e coletiva, de significado para a experiência educacional-artística. Tratou-se de uma investigação qualitativa, etnográfica, com abordagem de pesquisa participante, cujos principais instrumentos de análise foram a observação participativa, a tomada de nota em diário de campo, fotografias, vídeos e relatórios realizados pelos alunos após cada partida do jogo.
  • MARCIA MARIA BARBOSA DE MENEZES
  • TEATRO PLAYBACK: trajetórias da família dos educandos, a partir da história oral e memória
  • Data: 28/07/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Realizamos experimentações do Teatro Playback em uma escola do ensino fundamental - Dr. Elpideo de Almeida, no município de Campina Grande, Paraíba, com educandos do oitavo ano do ensino fundamental, com idades de treze aos dezesseis anos e com familiares (pais e/ou responsáveis), voltados a vivenciar experiências que contribuíram para compreender evalorizar as memórias, através da oralidade. O fato de direcionarmos os conteúdos das quatro linguagens da arte, trabalhados por bimestre, reservando o quarto bimestre ao teatro, visa dar ênfase a forma de fazer ver sua multipluralidade na convergência com as demais linguagens artísticas (visuais, música e dança). Nossa pesquisa realizou uma abordagem qualitativa com a metodologia do Teatro Playback e do compartilhamento dos saberes apresentados pelos educandos e por seus familiares, visto que ambos estimulam e contribuem com a visibilidade da liberdade da ação reflexiva. Sob a maestria da História Oral, o Teatro Playback contribui enquanto metodologia à relevância dada às memórias, estimuladas e resgatadas por meio de conversas entre educandos, mães e avós, como sujeitos guardiães. A realização de várias oficinas com narradores adultos (familiares) e/ou os próprios educandos, forneceram resultados que foram apresentados sob forma de um novo olhar, o olhar do outro que interpretou suas histórias. Na prática, os fundamentos do Teatro Playback compartilharam resultados com o fazer para aprender e aprender fazendo teatro. Os sujeitos narradores pertencem a grupos das famílias dos educandos da turma onde a pesquisa ocorreu. Pesquisamos para compreendermos, na experiência, a demonstração de novas posturas interpretativas, percebidas por meio de expressões e verbalizações por parte dos envolvidos, narradores e educandos atores e atrizes, assim como, o despertar da importância das histórias de família, como elementos necessários na construção de suas trajetórias, memórias e identidade cultural.
  • SHIRLEY BATISTA DA SILVA
  • Imagem em movimento: Releitura e performance a partir de obras de Cândido Portinari como experiência criativa e estética no contexto escolar
  • Data: 28/07/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente projeto visa unir duas linguagens artísticas distintas: visuais e cênicas, tendo como prática pedagógica a Releitura e Performance em meio a um processo experimental, criativo e estético do educando. Este processo ocorrerá a partir da visão individual e coletiva do aluno ao ler, Interpretar e recriar e recriar à sua maneira algumas das obras de Cândido Portinari, tendo como foco o uso da linguagem cênica, resultando em um objeto final de sua criação e produção em arte. Segundo a BNCC (2018) ao escolher uma determinada obra de arte para ser estudada, o educador deve ter em mente quais são os propósitos e objetivos a serem alcançados. Sou professora efetiva de arte na rede pública de ensino e como artista docente busco trazer um engajamento político para dentro do cotidiano escolar. A presente pesquisa-ação junto ao PROFARTES/UFPB tem como objetivo viabilizar um processo de criação artística dentro do espaço escolar integrando as artes cênicas e visuais por meio da apreciação, criação e adaptação de algumas obras do artista plástico paulista Cândido Portinari (1903/62). Esta escolha se deu pelo fato de que este artista é brasileiro e dedicou parte de sua vida a retratar a realidade social, a pobreza e a miséria frutos da escravidão no Brasil. O lócus da pesquisa é a EMEF Rosa Figueiredo de Lima situada no centro de Cabedelo, cidade portuária ao Norte de João Pessoa, na Paraíba, e os sujeitos são alunos do 8º e 9º ano do ensino fundamental II. Após a leitura visual das obras: Café (1935), Puxada de rede (1959), Os retirantes (1944), Favelas (1957), Grupo de Meninas Brincando (1940), Criança Morta (1944), Mulher Chorando (1947), Mulata de Vestido Branco (1936), As moças de Arcozelo (1940) e Espantalho (1959), foram selecionadas algumas para a realização de exercícios cênicos de recriação e abriu-se uma discussão sobre as diferenças entre encenação e performance (Cohen, 2013; Pavis, 2017) no espaço escolar. A referida proposta pedagógica mostrou-se eficiente pois, ao final do processo, os alunos têm demonstrado capacidade de expressar uma nova compreensão daquilo que foi estudado.
  • VANÚBIA MUNIZ ALVES DA SILVA
  • Experimentos Artísticos na Escola: patrimônio histórico cultural em Itabaiana - PB
  • Data: 24/07/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação intitulada “Experimentos artísticos na escola: Patrimônio Histórico e cultural em Itabaiana-PB” visa discutir a aproximação de alunos do Ensino Fundamental da Escola Sebastião Rodrigues de Melo com o Patrimônio histórico da cidade de Itabaiana-PB por meio de experimentos artísticos. Nosso objetivo geral é proporcionar uma experiência artística relacionada a dois patrimônios históricos, junto ao grupo focal de estudantes da Escola Municipal Sebastião Rodrigues de Melo da cidade de Itabaiana PB. Quanto aos objetivos específicos desejamos: estimular a curiosidade, a criticidade e a percepção ampliada sobre a origem histórica de dois monumentos históricos da cidade de Itabaiana-PB; desenvolver, através de experimentos artísticos, uma vivência (sensório-motora) significativa com os aspectos físicos e contextos do entorno dos espaços escolhidos; oportunizar criações artísticas na escola, por meio da linguagem corporal, a partir dos conhecimentos adquiridos sobre os monumentos em estudo. O uso das fontes bibliográficas proporcionou aprofundamentos de conhecimentos e trouxeram as primeiras respostas ao questionamento inicial dessa pesquisa que é respectivamente como estabelecer o contato, a sensibilização e a conscientização sobre a importância do patrimônio produzido no passado a partir de formas criativas e dinâmicas da aprendizagem? Assim como os referenciais, a técnica de investigação que foi o grupo focal proporcionou a ampliação nossa visão quanto ao tema abordado que foi realizado a partir da interdisciplinaridade entre patrimônio e Artes. As discussões sobre patrimônio e consequentemente a Educação Patrimonial tem impacto importante para a sociedade e para as comunidades que por sua vez dependem das políticas e das ações educativas para que possam cuidar e preservar seus patrimônios. O campo do Patrimônio é permeado por muitos conflitos, defesas de interesses e lutas por sua preservação. Tais evidências mostram que se faz necessárias ações com quais os indivíduos se apropriem de seus patrimônios, sintam-se parte deles para que possam deles cuidar e preservar, mas, a conscientização não pode ser imposta e foi por esse viés que a presente pesquisa se pautou ao trabalhar com os alunos participantes dos experimentos artísticos, este realizado com leveza e interesse por parte do grupo. À medida em que foram se envolvendo com as atividades propostas, desenvolveram não só o sentimento de pertencimento como também o senso de responsabilidade na preservação dos bens patrimoniais e culturais de sua cidade.
  • MANAIRA DE MELO PEREIRA
  • DIÁLOGOS NA SALA DE AULA: DESAFIOS ÉTNICOS CULTURAIS DE UMA PROFESSORA DE ARTES NA ESCOLA PÚBLICA
  • Data: 15/07/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho foi possível por meio da minha estada na escola pública enquanto professora de Artes, esse primeiro contato me trouxe reflexões sobre metodologias. Assim, esta pesquisa teve como objetivo principal criar diálogos para o ensino de Artes considerando o contexto cultural dos educandos por meio de uma abordagem Fenomenológica. Isso implicou em ações caracterizadas pela busca de sentido e significados que se apresentaram ao considerar a voz dos educandos para a construção de metodologias, considerando para isso, as colocações de Freire sobre diálogo. Foi na análise das vivências feitas em sala de aula que respondemos aos nossos anseios sobre metodologias dialogais. Pudemos constatar que, o diálogo com este contexto cultural específico foi marcado por conflitos: a própria dificuldade de ensinar aos educandos que podemos construir conhecimento por meio do diálogo, o relacionamento com alguns integrantes da equipe gestora que preocupada com as opiniões da secretaria de educação ou dos responsáveis pelos educandos preferiram muitas vezes negar o contexto cultural, além da tentativa de proibição, por parte de representante da assembleia legislativa, da arte consumida pelos educandos nas escolas. Concebemos que esses embates tiveram como referência o racismo velado contra as manifestações artísticas vindas da periferia. Sabendo disso, ficou ainda mais evidente o meu papel nessa instituição, de por meio do diálogo trabalhar com os educandos, a ponto de fortalecê-los para conseguirem se posicionar e se desvencilharem de situações opressoras.
  • AILMA ALVES DE SOUZA ARRUDA
  • ARTES CÊNICAS: CANTIGAS DE BRINCAR E O ENSINO DE ARTES NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA
  • Data: 10/07/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como propósito trabalhar os conteúdos de Artes Cênicas e cantigas de brincar com turmas do Primeiro Ano em Escolas do Município de João Pessoa, cujo objetivo principal foi de organizar uma proposta curricular para o ensino de Arte para estas turmas. Com referencial teórico baseado em: metodologias do ensino de teatro como Viola Spolin; sobre cantigas de brincar do livro de Idelette Fonseca dos Santos e Maria de Fátima de Mesquita Batista; documentos como o Parâmetro Curricular Nacional em Artes, a Base Nacional Comum Curricular, e a Proposta Curricular do Estado da Paraíba; e com o livro da coleção Ligamundo para a série do Primeiro Ano. Para conseguir o resultado foi utilizado a pesquisa participante, de natureza aplicada, pois trabalhou-se com os métodos e currículos utilizados no ensino de Artes Cênicas. O suporte científico foi o indutivo, pois investigou bibliografias e documentos já existentes sobre o tema. Teve como objetivo de estudo a descritiva, pois se verificou dados do contexto de ensino de Artes Cênicas, em particular o teatro, e com isso foi possível organizar a proposta curricular. A abordagem foi qualitativa, pois fez-se relato e analisou-se todo o processo. Na coleta de dados foram levantados bibliografias e documentos, relatos da experiência e avaliações coletivas com os educandos. Foram elaborados planos de aulas/oficinas para serem aplicados em duas Escolas do Município de João Pessoa em sala do Primeiro Ano de cada escola, e participaram dessas aulas educandos (as) de seis a nove anos de idade. O resultado da pesquisa foi a elaboração de uma proposta curricular com sugestões de conteúdos para quatro bimestres com sugestões de quarenta planos de aula, equivalentes para todo um ano desta série. Percebeu-se também que os planos de aula e seus conteúdos foram eficazes para serem aplicados nas turmas de educandos dessa faixa-etária, devido a percepção, compreensão e habilidades deles nestas aulas. E assim podemos concluir que, as aplicações das aulas foram eficazes no desenvolvimento do conhecimento sobre as Artes cênicas, pois os resultados foram sempre satisfatórios em todos os encontros.
  • RACHEL MARIA DOMINGUES
  • SOU O QUE PAREÇO, AINDA SIM NÃO ME CONHEÇO: articulações entre a Pedagogia Griô e o Ensino de Artes na Educação de Jovens e Adultos
  • Data: 08/07/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação, SOU O QUE PAREÇO, AINDA SIM NÃO ME CONHEÇO: articulações entre a Pedagogia Griô e o ensino de artes na educação de jovens e adultos, analisou como essa prática de educação comunitária, a Pedagogia Griô, se articulou com o ensino da arte teatral por meio de um diálogo metodológico e vivencial, resultando em uma ação pedagógica aplicada a um grupo focal de educandos da modalidade Ensino de Jovens e Adultos (EJA), de uma escola pública do município de Cabedelo. Nesse contexto, investimos em observar se por meio da aplicação dessa ação reflexiva, houve um movimento de fortalecimento da identidade cultural do grupo focal, por meio de uma maior participação nas atividades escolares, maior engajamento desses educandos envolvidos na pesquisa, no que diz respeito a valorização da cultura local, que se traduz em ações afirmativas e propositivas no sentido dos saberes e fazeres desses indivíduos em sua comunidade. Utilizamos a observação participante enquanto metodologia de investigação qualitativa, assim, a análise dos discursos orais e corporais dos sujeitos durante as vivências realizadas, puderam ser verificados por meio dos instrumentos de coleta de dados rodas de conversa, gravação de áudio e de voz, entrevistas semiestruturadas, depoimentos orais e pelos registros no diário de campo. As análises empreendidas durante o percurso da pesquisa nos fizeram inferir que mesmo diante de dificuldades histórico-culturais em se trabalhar com a disciplina de Artes Cênicas no Ensino de Jovens e Adultos-EJA na escola campo de pesquisa, ao engajarmos com as práticas vivenciais da Pedagogia Griô, tomando como potência as histórias e raízes ancestrais dos educandos, foi possível observar a importância do reconhecimento por parte dos sujeitos diante de sua própria história e cultura, ou seja, Identidade Cultural.
  • ALEXSANDRA SILVA OLIVEIRA BURITI
  • RECREIO ESCOLAR EM CENA: A mediação por meio dos jogos teatrais
  • Data: 03/07/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objetivo analisar o impacto da prática do jogo teatral, promovendo uma mudança no convívio entre os alunos da Escola Municipal do Ensino Fundamental Cícera da Silva Sousa, localizada em Barra de Santa Rosa, curimataú paraibano. O ponto de partida da pesquisa se justifica no atual cenário escolar, onde as relações de convívio entre os alunos dentro de sala de aula e, principalmente, nos recreios escolares acabam de certa forma esbarrando no ensino aprendizagem e na convivência. Para a realização desta pesquisa, foram coletadas as informações literárias dos autores: Augusto Boal, Viola Spolin e Olga Reverbel que abordam sobre jogos teatrais. A partir dos estudos destes autores foi realizado um plano de ação para as oficinas/aulas, em que os temas e jogos foram escolhidos para um melhor resultado. Essas oficinas/aulas foram ministradas em horário contra turno em que o aluno está matriculado. Os procedimentos utilizados para a coleta de dados foram as entrevistas estruturadas e semiestruturadas com alunos e funcionários da Escola Cícera da Silva Sousa mediante explicação dos objetivos da pesquisa em seguida anotações de todas as observações dos entrevistados que serviram para compreender os reais motivos das brigas e conflitos no horário do recreio escolar. As mudanças de comportamentos dos alunos foram analisadas através de observações nas oficinas/aulas e no recreio escolar, anotações em diário de bordo, conversas e depoimentos entre alunos e funcionários.
  • JULIANNA MARQUES SOBRAL SOUSA
  • APRENDER BRINCANDO: um experimento sobre letramento com brincadeiras populares
  • Data: 26/06/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem como objetivo descrever um experimento sobre o letramento por meio da aplicação de brincadeiras populares, mais especificamente os jogos de tabuleiro, damas e ludo, e posteriormente a amarelinha, em uma escola da rede municipal de João Pessoa, Paraíba. A questão de pesquisa esteve centrada na seguinte problemática: pode a brincadeira popular desenvolver a autoestima de modo a refletir num melhor rendimento do processo de letramento dos alunos? Em um primeiro momento os jogos de tabuleiro habituaram os alunos com regras, organização e criatividade, uma vez que construíram seus tabuleiros e ensinaram uns aos outros como jogar, sendo a amarelinha introduzida numa etapa seguinte reforçando as ações coletivas do ato de jogar em grupo. Ao longo dos encontros a amarelinha pôde ser melhor explorada, vivenciada, estudada e reformulada dentro do grupo temático estipulado. Dentro deste viés foi possível denotar vinte e três encontros temáticos sistemáticos com o grupo de alunos pesquisados buscando a compreensão do mesmo por meio do brincar, bem como de dimensões e possibilidades dentro das brincadeiras propostas. Foi realizado um exercício etnográfico com abordagem qualitativa. O mesmo nos propôs uma reflexão por meio da observação participante. Assim, foi estabelecido o universo da pesquisa, que são os alunos do terceiro ano do ensino fundamental da escola pesquisada, enquanto que a amostra se definiu pelos sete membros que compuseram o grupo focal estabelecido por acessibilidade e necessidade, considerando o campo de observação, e os encontros de imersão, ou seja, os momento de amplo alcance da pesquisa. Pretendeu-se, desta maneira, auxiliar e fazer construir as identidades, bem como as subjetividades deste grupo por meio da complexidade desses sujeitos. Observou-se, ainda, o fortalecimento da cultura corporal desses sujeitos, por meio do jogo amarelinha que se fez presente como uma manifestação do lúdico, da motricidade e como um forte elemento que estimulou o desenvolvimento da autoestima, importante componente que identificamos no processo de letramento desses alunos na escola estudada.
2018
Descrição
  • CELLY ALBUQUERQUE NOGUEIRA DE FREITAS
  • POESIA ENCENADA: exercícios cênicos no processo criativo do aluno compositor
  • Data: 31/07/2018
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho foi realizado com alunos do Curso de Teatro do CEARTE, da cidade de João Pessoa – PB, que tem como objetivo geral analisar a poesia encenada como ferramenta no processo criativo do aluno dessa instituição de ensino de arte. A metodologia deste estudo investigativo foi levantada sobre os pilares da pesquisa qualitativa participativa. Consideramos ao pesquisar a poesia encenada um meio para produção criativa dos alunos, durante o trajeto das aulas que se realizaram a partir da leitura dos sonetos de William Shakespeare para a elaboração dos exercícios cênicos. A investigação evidencia a importância da vivência dos colaboradores com as especificidades de um processo criativo com o teatro e a poesia em cena, como também, refletir sobre o papel do aluno compositor levando em conta sua criatividade, como também, incentivar a leitura a partir dessa experiência com poesias, reforçando o processo de ensino/aprendizagem por meio da arte. Foram trilhados caminhos que, com as leituras de teóricos como: Vygotsky, Dewey, Bergson, Stanislavski, Spolin, Desgranges, da educação, da filosofia e da arte, em especial o teatro, pudemos desenvolver o trabalho e concluir que, após análise e reflexões sobre o papel do aluno no seu processo criativo e o incentivo à leitura foi verificado que tornou-se possível entender que a poesia encenada é uma ferramenta de suma importância nos processos investigativos do alunos do CEARTE.
  • LEIDE ROSANE SILVA SOUZA DE ALCANTARA
  • TEATRALIDADE EM CORDEL: experiência artística e educacional a partir da obra do cordelista Baraúna
  • Data: 29/06/2018
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho, Teatralidade em cordel: experiência artística e educacional a partir da obra do cordelista Baraúna investigou o teatro como ato pedagógico, sendo direcionado pela introdução da literatura de cordel no contexto escolar. O objetivo dessa pesquisa foi desenvolver um processo criativo cênico com os estudantes da segunda fase do ensino fundamental, da escola púbica Neusa Pereira da Silva, a partir da literatura de cordel do cordelista Baraúna. Nesse contexto, caminhamos com a fomentação da arte local, valorizando a cultura popular e a inserindo por meio do ensino de teatro na escola, como proposta do teatro pedagógico, estimulando que os estudantes desenvolvessem o potencial individual que cada um possui e permitindo que o processo fosse enriquecido por meio da contribuição direta de cada indivíduo envolvido na vivência em sala de aula. Como base foi utilizada a tríade teatro, estudantes e realidade local. Teoricamente trilhamos os estudos direcionados pelos temas: teatro na educação, jogos teatrais, cordel – contexto e história, elementos importantes para uma encenação. Metodologicamente essa foi uma pesquisa participante, dirigida por uma abordagem qualitativa, onde para análise de resultados foram utilizadas técnicas como: oficinas de teatro, jogos teatrais, rodas de conversas, leituras de cordéis, tudo isso culminando na apresentação de um trabalho teatral, como resultado final de todo o processo desenvolvido ao longo de um ano de trabalho teórico-prático. As conclusões possibilitam afirmar que mesmo com as inúmeras dificuldades encontradas para se efetivar o ensino de teatro na escola, defendemos o ensino das artes cênicas, como uma habilitação necessária pela sua importância e relevância como proposta pedagógica, possibilitando ao estudante, a reflexão crítica e do pensar com o corpo, com a voz e com as inúmeras possibilidades de ler a realidade do mundo por meio do teatro, enriquecendo assim o processo ensino-aprendizagem atual e para a formação das novas gerações. Palavras-chave: Teatro. Cordel. Escola. Cultura Popular.
  • ITAMIRA BARBOSA DE LIMA
  • ENSINO DAS ARTES CÊNICAS NA ESCOLA: EXPERIÊNCIA, APRECIAÇÃO E CRIAÇÃO COM AS CULTURAS POPULARES
  • Data: 26/06/2018
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo propor experiências artístico-pedagógicas fundamentadas na experimentação com aspectos cênicos de manifestações artísticas populares para o desenvolvimento de uma proposta de ensino de Artes Cênicas na Escola Municipal de Ensino Fundamental Anita Trigueiro do Valle, localizada em João Pessoa (PB). Esta proposta nasce do interesse em pesquisar as relações entre o Teatro e a Dança e os aspectos estéticos das Culturas Populares, na busca por uma poética da cena teatral que flui a partir desse encontro. Surge também da necessidade de propor a retomada do contato com práticas culturais repletas de significados tradicionais, vivenciados anteriormente pela comunidade do Altiplano, bairro onde a escola se localiza, mas que atualmente são desconhecidas das crianças e jovens estudantes participantes desta pesquisa. Trata-se de abordagem qualitativa de caráter exploratório e participante, conduzida por procedimentos práticos envolvendo apreciações e vivências com grupos artísticos na escola, análise estética dos espetáculos apresentados e a criação e apresentação cênicas desenvolvidas em oficinas pelos estudantes participantes. Como parte da fundamentação teórica apresentam-se os conceitos de apreciação, experiência e contextualização direcionados para uma proposta artístico-educacional na qual o professor desempenha a função de mediador dos conteúdos ao fazer e ao pensar a arte junto com os alunos. As atividades pedagógicas vinculadas com experiências estéticas propiciaram leituras críticas e interpretações que ultrapassam o contexto artístico, assim como possibilitou uma avaliação acerca de como tais experiências reverberaram na qualidade da ação corporal dos alunos. O resultado deste trabalho aponta para a valorização do diálogo entre a teoria e a prática a partir de ações culturais que possibilitaram o desenvolvimento e a transformação do espaço e da comunidade escolar por meio das dimensões afetivas e artísticas contribuindo para a sua humanização. Embora ainda em processo de construção, o trabalho com as culturas populares no âmbito escolar indicou que a noção de identidade cultural própria a partir da releitura de modelos tradicionais ou não contribuem para a consolidação de trabalhos artístico-pedagógicos baseados em estéticas singulares.
  • INGRID PEREIRA TRIGUEIRO
  • MONTAGEM DE ESPETÁCULOS COMO FORMA DE APRENDIZAGEM DAS ARTES CÊNICAS: uma experiência com Lendas do Mar e Meidifêra
  • Data: 21/06/2018
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho consiste em dois estudos de caso realizados com adolescentes entre 12 e 15 anos, matriculados em varias escolas da cidade de Joao Pessoa-PB e que estudam teatro, no contraturno, na Escola Municipal de Artes/Casa das Artes. Nosso objetivo com a pesquisa foi refletir o processo e a pratica da encenacao, pontuando o espaco da cena na escola, e observar de que forma podemos trabalhar com os alunos os signos teatrais, por meio do ensino aprendizagem e seus aspectos Este trabalho consiste em dois estudos de caso realizados com adolescentes entre 12 e 15 anos, matriculados em várias escolas da cidade de João Pessoa-PB e que estudam teatro, no contraturno, na Escola Municipal de Artes/Casa das Artes. Nosso objetivo com a pesquisa, foi refletir sobre o processo e a prática da encenação, pontuando o espaço da cena na escola, e observando de que forma podemos trabalhar com os alunos os elementos teatrais, por meio do ensino aprendizagem e seus aspectos pedagógicos. Pensamos na nossa contribuição enquanto professora/atriz, na busca de fazer uma conexão entre os procedimentos utilizados por uma atriz e pelos alunos, durante um processo de montagem. Os estímulos desenvolvidos foram por meio de jogos teatrais, expressão corporal, vocal e apreciação de espetáculos, onde os estudantes realizaram exercícios para o entendimento da construção de uma cena teatral, compreendendo sua participação de forma individual e coletiva. A investigação reflete como as atividades de sala de aula servem para a preparação de uma encenação, e da construção dos experimentos teatrais Lendas do Mar e Meidifêra. A relação de dois experimentos confirma a oportunidade dos alunos em exercitarem suas ideias, sugestões e criatividade como sujeitos atuantes desse processo. Palavras-chave: Encenação. Pedagogia do Teatro. Experimento Teatral.
  • LUCIANA ATAIDE DIAS SANTIAGO
  • DIZ QUE SIM, DIZ QUE NÃO: experimento teatral brechtiano na escola formal
  • Data: 21/06/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho investiga, de forma teorica e pratica, a peca didatica (Lehrstuck) “Diz que sim e Diz” que nao, de Bertolt Brecht (1967, 2005). Utilizamos como pressupostos os autores: Huizinga (2014), Koudela (2010), Namekata (2014), Walter Benjamin (2002, 2012), entre outros. Para analise teorica, partimos do tema questionador de “estar de acordo”, das relacoes entre a questao social e o aspecto individual, da diferenciacao entre os textos: “Diz que sim e Diz” que nao; ressaltando os aspectos dramaturgicos, sua estrutura textual, verificando a acao, os personagens e a presenca do coro. Cotejando a origem da narrativa, baseada no teatro no, com a peca Taniko – o ritual do lancamento no vale, de Konparu Zenchiku, e seu reflexo na construcao da peca didatica do autor alemao. Outro aspecto importante desse estudo trata sobre o ludico, a brincadeira e o jogo teatral junto com a estetica brechtiana. Na pratica, utilizamos os jogos teatrais, seguindo o modelo de acao da peca didatica “Diz que sim e Diz que nao”, em turmas da Educacao de Jovens e Adultos (EJA). Durante as criacoes artisticas, os alunos faziam ilacoes com suas vidas, com os problemas do seu cotidiano, estabelecendo novas perspectivas. O trabalho esta embasado nos jogos teatrais, na troca de conhecimento e no modelo de acao (Handlungsmuster), que conduz a criacao como atividade estetica, tendo o estranhamento (Verfremdung) como o balizador da investigacao e da desconstrucao do contexto. A metodologia de projetos proporcionou uma pesquisa ampla, sem restricoes as ideias e ao processo criativo dos participantes, numa aprendizagem colaborativa envolvendo a problematizacao do tema, sua contextualizacao e discussao critica. Como procedimento pedagogico, percorremos um caminho formado por oficinas/aulas de teatro visando a aprendizagem sensivel que envolve nao apenas o intelecto, mas tambem o corpo sensorial do aluno/ator. O resultado deste estudo foram cenas teatrais realizadas ao longo do processo, em ambiente escolar, com o modelo de acao: “Diz que sim e Diz que nao”, apontando perspectiva para o jogo cenico narrativo, com experimentos da gestualidade, valorizando as vivencias e o ambiente cotidiano dos alunos. Conclui-se, portanto, que o texto se adequa a realidade escolar atual abrindo vertentes para que os discentes tenham novas relacoes com eles mesmos e com a sua comunidade.
  • ALINE CATIANE PAZ ALMEIDA
  • PEDAGOGIA DO TEATRO E ALTERIDADE: desafios, possibilidades e reflexões na realidade escolar
  • Data: 20/06/2018
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como objeto de investigacao a pedagogia do teatro na O presente trabalho tem como objeto de investigação a pedagogia do teatro na perspectiva de possibilitar a conquista da alteridade no contexto escolar de uma turma do terceiro ano do ensino fundamental em uma escola pública situada na capital paraibana. O objetivo deste trabalho é desenvolver a pedagogia do teatro na escola de maneira que contemple o desenvolvimento das crianças, elevando sua autoestima, trabalhando a alteridade, no sentido de valorizar e respeitar cada aluno em seu ser único e individual, mesmo estando inseridos em uma ação coletiva. Com isso, pretende-se aqui, apontar caminhos que levem ao pensamento e à construção de identidades que se empoderam, e através da alteridade, se colocam no lugar do outro, aumentando seu senso crítico, gerando uma relação de interação e respeito com o outro com vistas a tornar o processo de ensino e aprendizagem prazeroso e expressivo ao estudante. A condução teórica se deu a partir de estudos sobre teatro e alteridade dentro do contexto escolar. Metodologicamente, a pesquisa desenvolvida é de abordagem qualitativa, na perspectiva da pesquisa participante. Enquanto técnicas e métodos para desenvolvimento do trabalho, os dados foram gerados a partir de um grupo de 27 alunos do ensino fundamental com rodas interativas, bem como do desenvolvimento de jogos teatrais e dos jogos dramáticos, visita de estudo, leitura de textos literários diversos, contação de histórias e, por fim, foram consolidados pela montagem de uma peça teatral como resultado final do trabalho desenvolvido ao longo de um semestre com os alunos. A modo de conclusão, podemos inferir que, apesar de todas as dificuldades enfrentadas no percurso da pesquisa, a escola é uma das mediações mais recorrentes e ativas que atravessam e compõem a relação das crianças com a linguagem teatral. As análises empreendidas aqui demonstram que as múltiplas mediações perpassam e constituem, portanto, as experiências dos alunos e sua percepção de alteridade nos processos de criação, contribuindo para a formação de suas identidades de sujeitos criativos de teatro na escola.
  • WALDERLANE CARDOSO JUSTINO
  • CORPO, ESCOLA, COGNIÇÃO: experiências em oficinas de dança com alunos do ensino fundamental
  • Data: 20/06/2018
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa propõe investigar o corpo e suas percepções no processo de ensino-aprendizagem dentro da escola. O interesse nessa discussão se dá devido à percepção de uma prática escolar que ainda negligencia o corpo e a dança nas suas relações de aprendizagem. A partir da dança, a pesquisa tem por objetivo analisar as relações entre corpo, escola e cognição, por meio de duas oficinas de dança, realizadas na escola Sociólogo Gilberto Freyre no município de Recife-PE, com alunos do ensino fundamental. A pesquisa constrói suas bases no pensamento fenomenológico com a figura de Maurice Merleau-Ponty (2011), que investigava o corpo, suas sensibilidades e percepções, em diálogo com os teóricos Humberto Maturana e Francisco Varela (1995). Estes últimos apresentam, em suas pesquisas, estudos a respeito do corpo, enquanto cognição. Sendo assim, as conexões teóricas entre o universo da fenomenologia e a biologia do conhecer estruturam o principal corpus teórico da referida investigação. Na área da dança, dialogo com Rudolf Laban (1978) e Pina Bausch por entender, nas proposições teóricas e práticas destes pesquisadores, uma identificação no que tange ao pensamento e prática na dança. No teatro, faço uma ponte também para falar de um corpo pensante e expressivo com Grotowski (1987). As duas linguagens artísticas −dança e teatro− são concernentes a minha vida artística/profissional e, por isso, há um diálogo entre esses dois universos na construção da metodologia proposta para as oficinas de dança realizadas no transcorrer da pesquisa. O foco é um corpo que dança, reflete, pensa e dialoga. Nessa perspectiva, foi se evidenciando um pensamento metodológico o qual chamei de Corpo-Olha-Sente-Pensa (COSP) e que, durante a pesquisa, foi se desenhando junto com as práticas e identificações teóricas. Isabel Marques (2012) é peça importante neste estudo por situar o lugar da dança no espaço da aprendizagem e também por ter um olhar cuidadoso e conectado com um corpo que é social, contextualizado e crítico. Dessa forma, a pesquisa foi trilhando os caminhos ao trazer para a escola e para os alunos uma vivência corporal significativa, em que o processo diário de percepção de si e, consequentemente, do outro, foi levando os alunos a descobrirem novas relações de mundo e aprendizagem. Palavras-chave: Dança. Corpo. Escola. Cognição. Percepção.
  • ROSA SAMARA SILVEIRA XAVIER
  • SARAU POÉTICO: CAMINHOS PARA UMA EXPERIENCIA TEATRAL
  • Data: 19/06/2018
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo reune reflexoes sobre a experiencia dos alunos com a pratica teatral no projeto Sarau Poetico realizado anualmente com estudantes de tres turmas do ensino medio integrado ao tecnico do campus Picui, do Instituto Federal de Educacao, Ciencia e Tecnologia (IFPB). Considera-se aqui o formato do sarau como meio de engajamento dos alunos durante o trajeto de criacao que se realiza a partir da leitura de poemas para a construcao de uma montagem teatral. Essa investigacao evidencia a importancia da vivencia dos alunos com as especificidades de um processo criativo em teatro, como tambem discute as questoes do ensino de teatro na perspectiva do professor da disciplina Arte no contexto escolar, geralmente contratado para atuar como um professor polivalente da area. Essas ideias sao fundamentadas pela compreensao do campo educacional em que o projeto esta inserido, o conceito de experiencia, junto a estudos sobre jogos teatrais e improvisacao em praticas pedagogicas e o entendimento de processo criativo na arte. As praticas pedagogicas da autora como docente nessa instituicao foram fontes de observacao de campo, com investigacoes em aplicacoes de aulas e entrevistas com alunos envolvidos no processo da pesquisa. Percebe-se que essas praticas contribuem para o autoconhecimento dos alunos, como tambem a possibilidade de promover o ensino do teatro para alunos do ensino medio juntamente com as possiveis reverberacoes no ambiente institucional.
  • FABÍOLA MORAIS AGRIPINO TEIXEIRA
  • USO DE APLICATIVOS TECNOLÓGICOS NO ENSINO DE TEATRO
  • Data: 19/06/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa busca refletir e analisar as possíveis formas de utilizar as Tecnologias da Comunicação e Informação (TICs) na mediação entre ações performativas, constituídas juntamente com os alunos da Escola Municipal de Artes - Casa das Artes, assim como sua recepção pelos próprios autores-aprendizes. Para tanto, utilizou-se um conjunto de jogos teatrais e de improvisação visando à constituição de uma presença ativa. A experiência foi prática e se desenvolveu em duas ações performativas. A primeira ação teve como estímulo o espaço urbano na concepção de Corpocidade/Corpografia, enquanto a segunda teve a poesia paraibana como campo de experimentação. Ambas visaram o desenvolvimento de experimentos performáticos a partir do jogo nas relações entre o corpo, a voz, o espaço e o tempo, construindo uma ação de corpo presente, sendo posteriormente compartilhada no ambiente virtual. A pesquisa traz uma análise das possíveis reflexões realizadas a partir do recorte da tela do smartphones e do olhar do discentes/performer, tomando o espaço virtual como território expandido de aprendizagem e compartilhamento de saberes.
  • AMANDA CALINE DA SILVA OMAR
  • COMUNIDADE E IDENTIDADE QUILOMBOLA: O Teatro do Oprimido como abordagem metodológica na escola Antônia do Socorro Silva Machado
  • Data: 18/06/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho, resultado de pesquisa no Mestrado Profissional em Artes (PROFARTES/UFPB), apresenta a investigação pedagógica sobre as identidades quilombolas de estudantes do ensino fundamental I em escola formal, utilizando jogos e exercícios do Teatro do Oprimido. A Escola Municipal Antônia do Socorro Silva Machado está localizada ao sul do município de João Pessoa (PB) e foi construída na área do quilombo urbano de Paratibe. Constituiu-se ali uma trajetória de estudos com alunos do 1º ano do ensino fundamental, sob a luz de teorias que discutem a identidade em variados aspectos e, em especial, os relativos à identidade negra e quilombola. O objetivo é perceber uma possível identidade dos estudantes nesse contexto, a partir dos jogos aplicados durante as aulas de teatro. Além disso, visamos: avaliar o Teatro do Oprimido como abordagem metodológica para ensino de teatro em realidade quilombola; desenvolver atividades com Teatro do Oprimido para o debate sobre identidades cultural, além de elaborar reflexões sobre os desdobramentos com as práticas da Pedagogia do Teatro na percepção e possível constituição da identidade quilombola na escola. Direcionamos nossas práticas em sala de aula a partir do uso dos jogos e exercícios do Teatro do Oprimido. Com o uso de procedimentos da observação participante, na metodologia científica contemplou-se a pesquisa-ação. Neste sentido, a fim de compreender os aspectos que norteiam o processo de formação identitária do grupo pesquisado, foram realizadas entrevistas semiestruturadas e rodas de conversa, que permitiram a observação do discurso oral, das expressões corporais e da produção gráfica de desenhos. O estudo se deu com base no comportamento, nas entrevistas e na participação dos alunos em exercícios aplicados na oficina de teatro, o que permitiu a percepção e análise de aspectos identitários na produção escrita, oral e corporal dos indivíduos.
  • DIOGO JOSÉ DE MORAES LOPES BARBOSA
  • CINEMA NO CONTEXTO ESCOLAR: por uma pedagogia da criação
  • Data: 08/06/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa, realizamos um estudo acerca da prática do cinema no contexto escolar. As instituições educacionais já possuem certo histórico no ensino das artes, contudo, o cinema enquanto linguagem artística, ainda é pouco visto nelas. Desta forma, a nossa proposta de pesquisa foi investigar as possibilidades de ensino do cinema no ambiente escolar, sobretudo, em uma perspectiva do fazer, da experiência da criação por parte dos próprios alunos. Por isto, a utilização do conceito, pedagogia da criação, termo proposto por Alain Bergala (2008), estudioso do ensino do cinema em escolas, pressupõe que o estudo da arte cinematográfica deve estar acompanhado do exercício de criar. Assim, no início de nossa busca, para que o aluno pudesse se apropriar dos processos de criação cinematográficos, fomos ao encontro de um conceito mais amplo do objeto em questão. Acompanhado disso, foi fundamental entender a importância e a necessidade de trazer o cinema para o currículo escolar em suas várias dimensões: obra de arte, veículo de comunicação de massa, instrumento educacional, objeto de entretenimento. Lembremos que a nossa sociedade contemporânea está imersa pelo cinema e pelas outras diversas formas de audiovisuais existentes em nosso cotidiano. Além de compreender a necessidade de ensinarmos e aprendermos cinema, é fundamental conhecermos as ferramentas para alcançar tais proposições. Desta maneira, nesta pesquisa, apresentaremos algumas abordagens e metodologias de ensino da arte, da comunicação e da própria pedagogia do cinema. Por fim, de posse de tais metodologias, para sanar nossa principal questão – como ensinar/aprender cinema no ambiente escolar a partir de uma experiência pautada no fazer – aplicamos as diversas ideias e pensamentos dos teóricos visitados em um curso oferecido a estudantes da Escola Municipal da Iputinga no Recife. Ele teve um caráter eminentemente prático, onde os alunos tiveram a oportunidade de entrar em contato com equipamentos e materiais de filmagem e puderam produzir seus próprios filmes. Os resultados obtidos nessa experiência, ao mesmo tempo em que nos mostraram possibilidades interessantes e enriquecedoras em práticas de ensino de cinema na sala de aula, nos alertaram para alguns problemas existentes na implantação de projetos diferenciados em nossos sistemas educacionais públicos. Apesar disso, concluímos que não apenas é possível, mas necessário ensinarmos cinema na escola, sobretudo, a partir de uma pedagogia galgada na criação, na experimentação, na realização de obras e projetos audiovisuais por parte dos alunos.
  • CARLOS CLEITON E GONCALVES
  • XAXADO E CRIAÇÃO ARTÍSTICA: UM ESTUDO SOBRE RESSIGNIFICAÇÕES DA CULTURA POPULAR NO AMBIENTE ESCOLAR FORMAL
  • Data: 07/06/2018
  • Hora: 13:00
  • Mostrar Resumo
  • A atividade com danças populares na escola formal requer uma atenção especial. O trabalho escolar com aquilo que advém do universo de produção artística no âmbito da cultura popular necessita de abordagens pedagógicas contextualizadas ao mundo vivido dos alunos. Em sala de aula, torna-se necessário proporcionar uma experiência que vá além da reprodução silenciada, que seja também um processo de ensino e aprendizagem pautado na reflexão, na crítica e na percepção do corpo no espaço social e cultural em que ele se movimenta. Este trabalho, fruto de pesquisa pelo Mestrado Profissional em Artes (PROFARTES/UFPB), na linha de pesquisa sobre processos de ensino, aprendizagem e criação em artes, refere-se a busca por possibilidades de ressignificação da cultura popular no ambiente escolar formal. Na prática, delimita-se na transformação do xaxado, enquanto dança popular espetacularmente produzida e difundida no Alto Sertão Paraibano, onde está localizada a escola em que a pesquisa acontece, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Bernardino José Batista, no município de Triunfo. Dessa forma, os alunos foram envolvidos num processo em que são convidados a vivenciarem uma série de atividades, conduzidas sob a prática de exercícios de improvisação e por uma abordagem somática em dança, para a construção lúdica de novos padrões de movimentos, obtidos a partir dos parâmetros do xaxado. A dissertação levanta a discussão sobre a ideia de tradição em confronto com as possibilidades de reelaboração dessa dança. Investiga-se como é possível proporcionar uma nova leitura de uma dança popular com alunos da educação básica sem que aconteça centrada no estereótipo de normas e estéticas fechadas dos festivais, que contribuem para uma ideia de padrão. Como resultado, houve uma elaboração de uma abordagem pedagógica e criativa, que resultou numa apresentação e na continuidade do processo na escola. Houve também uma alteração nos modos de pensar as tradições, de praticar a dança e de perceber o corpo em cena, conduzindo a novas possibilidades de manifestar as próprias individualidades.
  • BENTO CARVALHO DE LIMA FILHO
  • Notas sobre a iniciação teatral de adolescentes
  • Data: 05/06/2018
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa envolve uma reflexao sobre a formacao critico-estetico e teatral de adolescentes no processo de criacao em torno do texto teatral „O quinto imperio do mundo‟, de Paulo Vieira. O locus da pesquisa corresponde ao Curso de Montagem Teatral (CMT) no Teatro Ednaldo do Egypto (TEE) em parceria com Centro Estadual de Arte (CEARTE). O publico-alvo compoe-se de estudantes da Rede Publica e Privada de Ensino da cidade de Joao Pessoa-PB. O objetivo da proposta e estudar de que maneira as relacoes entre os alunos em torno de um elemento ou finalidade comum (a criacao teatral) gera cooperacao entre os mesmos em meio as etapas (praticas de jogos e texto teatral) voltadas a ampliacao cognitiva, critico-estetico e teatral. O processo criativo configura-se a partir dos exercicios realizados no referido curso, tendo enquanto fundamento o trabalho desempenhado pela professora brasileira Ingrid Koudela no seu livro „Jogos teatrais‟. Para compreender a cooperacao entre os membros do grupo, busca-se a ideia de arte enquanto responsabilidade no olhar do filosofo russo Mikhail Bakhtin. Em termos de aspectos metodologicos, trata-se de pesquisa qualitativa, do tipo pesquisa-acao. O resultado esperado e a transicao da dimensao individual a esfera coletiva, ou seja, a montagem teatral resulta da necessaria cooperacao pressuposta no „ato responsavel‟ construido entre os sujeitos ao longo da elaboracao criativa. Dito de outro modo, a criacao teatral inclui o pensamento, a fala, o olhar, a dramaturgia, o aluno, a interpretacao, a representacao e o diretor. Em suma, a cena se completa quando o interprete entra no jogo teatral e estabelece relacoes com os demais atores e com o publico durante a encenacao.
2016
Descrição
  • MARIA AUGUSTA DE FARIAS BELEM
  • O Teatro do Oprimido no Espaço Escolar: um despertar crítico criativo
  • Data: 29/08/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) propõem que a educação possibilite aos educandos o desenvolvimento do domínio do próprio corpo. Do mesmo modo, esse documento recomenda que o aluno seja expressivo, que seja capaz de verbalizar suas opiniões, que se torne crítico, conhecedor da realidade que o cerca. Esta pesquisa tem como objetivo discutir como a utilização do Teatro do Oprimido (TO) na escola contribui para o despertar crítico e criativo do educando. Dessa maneira, tornou-se imprescindível utilizar como principais bases teóricas deste estudo os pressupostos de dois autores: Augusto Boal, criador do TO, e Paulo Freire. As ideias desses autores têm nítida relação com as recomendações dos referidos parâmetros. Outros autores, como Baraúna (2013), Cassavin (2008) e Desgranges (2011), auxiliaram as discussões aqui levantadas. Para atingir a contento o principal objetivo da pesquisa, analisou-se o material produzido pelos alunos que participaram de uma oficina de teatro na Escola Municipal Analice Caldas, na cidade de João Pessoa-PB, e mais tarde pelo grupo de teatro formado a partir da oficina. O material analisado constituiu-se de depoimentos e de um texto teatral. Após as leituras, discussões e análise, constatou-se que o TO não apenas contribuiu para o despertar crítico e criativo dos participantes, mas levou-os a conhecer e a buscar meios de intervir na realidade que os cerca.
  • VADELMA SILVA MELO
  • Dramaturgia e Liberdade
  • Data: 22/08/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa refere-se a estudo de caso realizado com uma turma de alunos do ensino medio e do seu envolvimento na formacao de um grupo de teatro em uma escola da rede estadual paraibana no municipio de Fagundes. Trata-se de um experimento interdisciplinar que demonstra o trabalho contextualizado entre as disciplinas Arte e Filosofia, no intuito de testar a eficacia e aplicabilidade desta pratica em sala de aula, visando a melhoria da qualidade do ensino e aprendizagem, e a possibilidade de ser adaptada para outras parcerias na educacao. Para realizar esse intento fizemos a montagem da peca Entre Quatro Paredes do filosofo e dramaturgo Jean-Paul Sartre, de modo contextualizado, integrando filosofia e dramaturgia. A vista disso, iniciamos uma investigacao acerca do conceito de liberdade no senso comum e na filosofia sartreana, observando como sua teoria filosofica encontra-se transposta na sua dramaturgia, especialmente na peca escolhida para a montagem cenica. A analise resultante desse trabalho demonstrou que as reflexoes filosoficas e a criacao dramatica auxiliam-se e completam-se mutuamente, revelando impactos na qualidade da educacao e no contexto sociocultural da comunidade escolar, bem como o fomento a reflexao filosofica, a apreciacao artistica dos alunos e o subsidio a criacao dramatica na escola. No entanto, as etapas deste trabalho foram compreendidas alem da sala de aula, com uma metodologia que passa pela exposicao dialogada, debates, producoes textuais, leituras dramaticas, aulas de campo, ensaios e apresentacoes cenicas.
  • ADRIANO MARCOS PEREIRA
  • DANÇA NA ESCOLA: DA EXPRESSÃO ARTÍSTICA À EMANCIPAÇÃO DOS SUJEITOS
  • Data: 01/08/2016
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • A danca compreendida como area de conhecimento tende a promover uma reflexao que dialoga com os mais diversos campos da formacao humana. E dentro desta perspectiva que este trabalho, permeando caminhos entre a teoria e a pratica do ensino da danca na escola, vem colaborar e fortalecer as discussoes referentes a sua pratica na escola, atraves de uma metodologia que dialoga com a perspectiva da pesquisa-acao, contribuindo, assim, com a formacao e a emancipacao social dos sujeitos envolvidos no processo de escolarizacao. A pesquisa foi desenvolvida junto a um grupo de alunos e alunas de uma escola publica na cidade de Joao Pessoa-PB. Por meio deles, foi possivel promover um processo transformador objetivando a promocao de sujeitos emancipados dentro do ambiente escolar, atraves dos estudos da danca na escola, e, tambem, a valorizacao desta linguagem artistica que enfrenta muitas barreiras para ser promovida dentro dos espacos escolares.
  • INGRID LIMA DE CASTRO MOURA
  • DANÇANDO O MOVIMENTO COTIDIANO NA ESCOLA
  • Data: 01/08/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho e uma reflexao sobre um processo de criacao em danca desenvolvido com um grupo de alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Jornalista Raimundo Nonato Batista da cidade de Joao Pessoa/PB. Com o objetivo de ampliar os sentidos e consequentemente a percepcao de si, do outro e do meio onde o aluno ou aluna esta inserida, foi proposta uma oficina de danca criativa apoiada nos estudos do movimento de Rudolf Laban. Tambem foram utilizadas referencias nos estudos sobre percepcao de Merleau-Ponty, alem do pensamento de John Dewey, sobre a experiencia estetica e artistica significativa. O resultado desse estudo foi um trabalho criativo apresentado para comunidade escolar, chamado Dia a Dia.
  • DANIEL DA NOBREGA SANTOS
  • Jogo e malabarismo: uma experiência com o circo dentro da escola
  • Data: 29/07/2016
  • Hora: 18:00
  • Mostrar Resumo
  • Enquanto professor de artes e artista circense pude perceber que o envolvimento dos alunos nas atividades de minhas aulas aumentava quando estas eram relacionadas a arte circense. A partir desta observacao passei a introduzir cada vez mais elemento do circo em sala de aula. O presente trabalho surge dessa inquietacao acerca do ensino de praticas circenses na escola com atividades desenvolvidas na disciplina de artes, dando ao circo o seu devido valor cultural e historico no processo de educacao.
  • ELENICE NOGUEIRA SANTOS
  • TEATRO PEDAGÓGICO: Performance cultural através da moda e a relação de cons- trução identitária mediada pela mídia massiva
  • Data: 29/07/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem o objetivo de reconhecer o lugar e a identidade cultural dos adolescentes no ambiente escolar. O ponto de partida tem a Cultura como um processo continuo em constante transformacao que envolve a comunidade e seu circundante de forma geral. A Moda e a midia consideradas como vetores culturais, promovem sentido às manifestacoes da faixa etaria em questao, acompanhadas pelos avancos tecnológicos, o acesso à informacao e à producao industrial. A escola atualizada como unidade formativa com um pensamento pedagógico ensina que a pratica de sala de aula vincula-se ao ambiente histórico-social e cultural. Sendo assim, a manifestacao cultural constitui-se em parte do mundo do sujeito. Neste ponto, e possivel aproximar ‘performance, espaco e identidade’ do termo “Teatro”, sendo este o ponto de partida e de chegada para propostas que permitam que acoes critico-reflexivas sejam desenvolvidas no curriculo escolar. Tendo em vista as necessidades e desejos comuns dos estudantes do 7º ano, da Escola Municipal Edgar Torres, em Toritama-PE, procurou-se entender a relacao critico-estetica perante as tensoes entre aspectos do desenvolvimento dos estudantes contemplados nas propostas pedagógicas atraves das praticas teatrais.
  • LILIANE ALVES CHAGAS
  • O ENSINO DO TEATRO NA ESCOLA PÚBLICA: UMA EXPERIÊNCIA INCLUSIVA PARA SURDOS (UM ESTUDO DE CASO)
  • Data: 27/07/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa realiza um estudo cuja finalidade e investigar se as diferencas entre surdos e ouvintes sao capazes de dificultar ou mesmo impossibilitar a pratica teatral deles num mesmo espaco, compartilhando experiencias e codigos teatrais. Tem como referencia o ensino do teatro, a educacao de surdos e sua inclusao. Baseia-se no estudo de experiencias vivenciadas com um grupo formado por alunos do 8° Ano do Ensino fundamental de uma escola publica da cidade de Joao Pessoa, a partir de vinte e seis horas/aulas de Teatro entre os meses de agosto e novembro de 2015. Os encontros ocorreram no periodo regular das aulas de Arte e geralmente na sala de aula. Para a realizacao das aulas foram utilizados jogos teatrais e experiencias ludicas, atividades de leitura, escrita e acoes dialogicas. Ao fim do processo pedagogico e sob orientacao do professor de Teatro, os alunos coletivamente elaboraram uma apresentacao teatral com base num trecho de um texto de Ariano Suassuna. A adaptacao nao teve enfoque no texto teatral, mas tomou por base o contexto de trabalho, vivenciando um teatro mais visual do que verbal, visando tornar clara a necessidade de que a arte, especificamente o teatro, deve ser acessivel a todos, enquanto espaco para visibilidade do que pode estar, de alguma maneira, oculto. Esse carater inclusivo apresentado pelo Teatro deve ser aproveitado de maneira mais efetiva num periodo em que cada vez mais os individuos sao excluidos, separados pelas diferencas existentes entre eles. Observa-se que a pratica teatral e possivel a surdos e ouvintes, em um mesmo grupo compartilhando experiencias, mas utilizando de ferramentas e adequacoes necessarias, nao para uma possivel dissimulacao ou evidenciamento da surdez, mas para tornar a vivencia efetiva e que gere a troca comunicacional entre os jogadores/atores que estao, seja na sala de aula, ou mesmo num palco, e tambem entre esses e o publico
  • LISIANNE MATIAS SARAIVA VICENTE
  • SELFIE PERFORMÁTICA: Instrumento cênico de prática na disciplina de teatro no ensino regular
  • Data: 27/07/2016
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Considerando o contexto percorrido pela prática educacional do ensino de Arte no Brasil, ainda é constante o direcionamento de conteúdos que muitas vezes não condiz com a realidade dos sujeitos. De acordo com esta perspectiva, transmite-se o produto final em lugar do “conhecimento do processo”. Neste ponto, marcado pela aceitação de mensagens pré-estabelecidas, nota-se semelhança com a Indústria Cultural e com a Comunicação de Massa. Tendo em vista a auto-formação crítico-estética em sala de aula pela abordagem do universo dos sujeitos, selecionou-se um material de ampla inserção entre os jovens: os 'selfies'. Em um primeiro momento, estes autorretratos refletem aspectos de massa e da lógica da Indústria Cultural. Por outro lado, também abrangem traços de identidade considerando-se certa ausência de composição estética, formulação específica (intencional e planejada) ao menos no nível de complexidade e dinâmica característicos das realizações artísticas. Por meio da interação em jogos teatrais e fundamentado na concepção da restauração do comportamento em Richard Schechner, buscamos a criação de quadros performáticos: tensões e contradições próprias dos ´selfies´ (identidade, subjetividade, coletividade e concepções de verdade/ilusão) na auto-formação crítico-estética dos sujeitos em sala de aula. Os fatos percebidos nesse estudo de caso nos remetem a várias possibilidades reflexivas acerca das práticas educativas no ensino de Teatro e como a Industria Cultural influencia os processos criativos propostos no Ensino da Arte.
  • ELIETE FERNANDES MATIAS
  • O jogo teatral para a formação continuada dos professores de arte na educação infantil: um estudo de caso nos Centros de Referências da Educação Infantil em João Pessoa
  • Data: 27/07/2016
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Pesquisa sobre a aplicabilidade do jogo dramatico como ferramenta pedagogica na educacao infantil. Para tanto, realizo o estudo sobre a formacao continuada dos professores de arte na educacao infantil. Investigo o jogo dramatico e teatral na formacao desses profissionais e dentro do universo infantil, observando como os professores de arte articulam as suas experiencias na oficina de jogos teatrais desenvolvidas em sua formacao continuada.
  • PABLO FABRICIO DA CONCEIÇÃO
  • “EU SOU... MEDEIA”: reflexões sobre pós-modernidade e teatro no processo criativo das alunas-atrizes do grupo teatral “Teatro Mambembe”
  • Data: 26/07/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Apresenta a experienciacao estetico-artistica das alunas-atrizes do grupo teatral “Teatro Mambembe” na producao do experimento Eu sou... Medeia, focando principalmente na concepcao da personagem-titulo enquanto criacao individual e coletiva. Para isso, parte-se da formacao do grupo teatral, expondo-se os caminhos metodologicos propostos e suas consequencias. Inicialmente, apresenta-se, como argumento estetico e teorico, a pos-modernidade e suas implicacoes cenicas, para apos fazer cruzamentos entre a obra de Euripedes e a nova proposicao cenica, finalizando com a apresentacao dos resultados internos e externos. A pesquisa foi feita com alunas do Instituto Federal de Alagoas – Campus Piranhas, de todos as series do Ensino Medio, com idade variando entre 14 e 20 anos, participantes voluntarias do grupo teatral, em forma de observacao direta participante no inicio, e depois com analise de videos e dos protocolos. Objetivou-se a construcao de uma escrita dialetica no sentido hegeliano, pois se acredita em estruturas que se negam e se confirmam a todo instante, assim demonstrando-se a instabilidade/estabilidade da proposta estetica apresentada ao grupo, pincela-se tambem com tracos da Escola de Frankfurt na pretensao de avaliar a estrutura pop do trabalho com esforco de negar/reforcar as criticas a Industria Cultural e a cultura de massa. Esses caminhos tortuosos criam experimentos que sao duais, ao mesmo tempo que intimos, tambem sao representacoes de coletividade. Enquanto experiencia estetica e artistica enriquece a vivencia das alunas-atrizes agucando seus sentidos para o fazer teatral. Palavras
  • CLAUDETE GOMES DOS SANTOS
  • Os contextos do ensino de teatro na rede pública municipal de João Pessoa
  • Data: 25/07/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo de campo foi realizado junto ao Programa de Mestrado Profissional em Artes em Rede Nacional – PROFARTES, na UFPB, com o objetivo de investigar as condicoes para o desenvolvimento do ensino de Teatro ministrado pelos docentes efetivos em Artes Cenicas e/ou Teatro, nas escolas da Rede Publica Municipal de Joao Pessoa. Os dados foram coletados, atraves da aplicacao de entrevistas semiestruturadas, junto a todos os educadores que prestaram concurso publico para a prefeitura de Joao Pessoa, nos anos de 2007 (para Artes Cenicas) e de 2013 (para Teatro), e se encontravam lecionando em sala de aula regular do Ensino Fundamental, durante os meses de julho e agosto do ano de 2015, assim, possibilitando um levantamento em forma de censo e subsidiando uma analise quantitativa, prioritariamente, e qualitativa da realidade encontrada. Ao longo da dissertacao, descrevem-se 4 capitulos: 1- Reflexoes preliminares acerca do que e arte, cultura e saberes dentro do universo escolar, que apresenta algumas concepcoes introdutorias, como tambem um breve percurso historico dos marcos normativos do ensino da arte, alem de descrever a justificativa e os objetivos propostos para este estudo de campo; 2- A producao, que exibe os dados do processo de desenvolvimento da investigacao, fornecendo elementos que transparecam as escolhas dos percursos metodologicos adotados e, em seguida, as dificuldades e reestruturacao do projeto como o todo; 3- Senhoras e senhores..., que expoe, de forma analitica, os dados coletados; e 4- Pos- producao, que explana acerca das consideracoes abalizadas pela analise dos dados constatados. Assim, atraves deste estudo de campo, confirmou-se a hipotese de que ha uma discrepancia entre a realidade encontrada nas escolas municipais da capital paraibana, no que tange ao desenvolvimento do ensino da subarea da arte em questao, e o que estabelece as instancias normativas educacionais (LDB, DCNEF9, PCN e Resolucoes). Pois, ante as dificuldades encontradas para lecionar somente Teatro, a maioria (70%) dos sujeitos entrevistados ministram aulas com uma ou mais subarea do ensino da arte para as quais nao foram habilitados, ou seja, de forma polivalente. Ao apresentar “Os Contextos do Ensino de Teatro na Rede Publica Municipal de Joao Pessoa”, expoe-se paradigmas que denotam urgencia a busca de alternativas e mudancas nas acoes, nao so legais e governamentais como, tambem, dos docentes, para que, de fato, essas dialoguem com as necessidades reais das unidades escolares e, sobretudo, subsidiem as demandas dos educandos, dentro de uma perspectiva de oferta de educacao voltada a formacao integral de cidadaos.
  • TAINÁ MACEDO VASCONCELOS
  • Laboratório de figurinos: uma experiência criativa em sala de aula
  • Data: 22/07/2016
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • O teatro contemporaneo e marcado por inumeros elementos que o constituem. Esses elementos sao textuais, fisicos e visuais. No que se refere a visualidade, e possivel dizer que o figurino e parte integrante da encenacao como significaste cenico. O figurino e capaz de compor a cena com informacoes sobre as personagens e o contexto em que estao inseridas. Este trabalho e uma reflexao sobre o Laboratorio de Figurinos criado em nossa escola, como parte do ensino do teatro na escola.