PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA (PPGE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
83 3216-7482

Notícias


Banca de DEFESA: CRISTIANE DE MESQUITA TABOSA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTIANE DE MESQUITA TABOSA
DATA: 10/11/2020
HORA: 13:30
LOCAL: PPGE/CCSA
TÍTULO: Ensaios em Economia da Saúde: Impacto de Intervenções para Segurança Viária
PALAVRAS-CHAVES: Acidentes de Trânsito. Séries Temporais Interrompidas com Controle. Lei do Farol Aceso. Controle Sintético Generalizado. Programa Vida no Trânsito.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO: Essa tese desenvolve dois ensaios em economia da saúde. O primeiro ensaio busca avaliar o impacto da lei no. 13.290/16 (Lei do Farol Aceso) na redução de acidentes de trânsito. Pesquisas nessa área, em outros países, têm se mostrado controversas aumentando a incerteza nos resultados da lei em vigor no Brasil. Utiliza-se um desenho de Séries Temporais Interrompidas com Controle (CITS) com o intuito de realizar uma análise pré - pós intervenção no período de 2013 a 2019 da média mensal de acidentes diurnos, controlado pela média mensal de acidentes noturnos que não corresponde a uma série temporal tratada. Para aumentar a robustez do resultado encontrado, foram analisados, separadamente, os acidentes da região Sul que possui características climáticas mais favoráveis a acidentes relacionados a falta de luminosidade durante o dia. Como resultado foram encontradas as mudanças após a lei nas taxas de acidentes em rodovias federais por 100.000 habitantes e nas médias de acidentes por período do dia e gravidade. Após contabilizar as tendências subjacentes e tratar problemas de autocorrelação, percebeu-se que os resultados estimados não foram significativos, portanto, estatisticamente, a redução no número de acidentes não foi associada a Lei do Farol Aceso. O segundo ensaio consiste em uma avaliação de impacto do Programa Vida no Trânsito - PVT sobre a trajetória de indicadores de segurança viária, como taxa de mortalidade e de internações hospitalares por 100.000 habitantes, em cidades brasileiras. A aplicação empírica utiliza o modelo de Controle Sintético Generalizado, desenvolvido por Xu (2017). Esse método permitiu a criação de capitais sintéticas ajustadas as trajetórias das cidades com intervenção do PVT no período anterior ao programa. Constatou-se que as estimativas relacionadas as internações não se mostraram significativas estatisticamente, porém, os resultados mostram impactos positivos do PVT traduzidos em uma trajetória de redução da taxa de mortalidade nas capitais brasileiras. O impacto médio na redução ao longo do período analisado foi de aproximadamente 2,55 mortes por 100.000 habitantes.
MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 109.698.488-11 - ERIC AMARAL FERREIRA - UFERSA
Presidente - 1562141 - ERIK ALENCAR DE FIGUEIREDO
Interno - 1524258 - PAULO AGUIAR DO MONTE
Externo ao Programa - 1738230 - SHIRLEY PEREIRA DE MESQUITA
Interno - 1267722 - WALLACE PATRICK SANTOS DE FARIAS SOUZA