PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA (PPGE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
83 3216-7482
http://www.ufpb.br/pos/ccsa/ppge

Notícias


Banca de DEFESA: FERNANDA BRAGA TAVARES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDA BRAGA TAVARES
DATA: 26/02/2019
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO AZUL
TÍTULO: TRÊS ENSAIOS SOBRE ECONOMIA DA SAÚDE
PALAVRAS-CHAVES: Economia da saúde, determinantes da escolha, nova classe média, autopercepção de saúde, heterocedasticidade, depressão.
PÁGINAS: 114
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO: Essa tese e composta por tres ensaios sobre economia da saude. O primeiro ensaio, procurou analisar os determinantes da escolha da nova classe media brasileira, sem plano de saude, pelos servicos de consultorios particulares/clinicas privadas, a partir da base de dados da Pesquisa Nacional de Saude (PNS, 2013). De uma forma geral, os resultados indicaram o perfil de tais individuos: pertencem a familias menores, escolhem os servicos privados de saude se o atendimento e encontrado na mesma cidade em que residem, ja receberam o diagnostico de alguma doenca cronica, sao casados, brancos, alem de fazerem tal escolha quanto maior o nivel de escolaridade, melhor a autopercepcao do estado de saude e melhor a qualidade em relacao a estrutura e ao atendimento medico. Os testes de robustez indicam o tempo de espera e de duracao da consulta como primordiais na determinacao desta demanda. Alem disso, a analise da variancia residual apontou para uma menor variabilidade no tempo de espera e uma variabilidade de cerca de 0,32% menor para o grupo de individuos que reside na mesma cidade em que e feito o atendimento, indicando uma menor heterogeneidade na escolha. Fazendo uso da mesma base de dados, o segundo ensaio verificou os determinantes da autopercepcao de saude em presenca de heterocedasticidade. A partir do Modelo Linear Generalizado Ordinal, sugere-se que a variabilidade residual na autopercepcao de saude diferiu por diagnostico de doenca cronica, por uso de cigarro, acesso a plano de saude, exposicao a violencia, de acordo com a idade e por condicao de ocupacao, em que as analises das variancias residuais indicam que a maior presenca de heterogeneidade se encontra entre os individuos que ja sofreram violencia, fumam e que ja receberam diagnostico de alguma doenca cronica, em relacao a seus opostos, respectivamente. Ja os individuos que tem acesso a um plano de saude sao menos heterogeneos do que o grupo que nao tem. Ainda fazendo uso da PNS, com base em analises descritivas e econometricas, o terceiro ensaio visou avaliar o impacto da depressao sobre a autopercepcao de saude do individuo, em presenca de heterocedasticidade e verificando o impacto das variaveis explicativas dentro de cada grupo (depressivos e nao depressivos). A maioria das variaveis que foram significantes em ambos os modelos geram maior impacto sobre a percepcao de saude dos individuos diagnosticados com depressao relativamente aos que nunca foram diagnosticados. Destaca-se que alem dos desocupados depressivos terem uma maior probabilidade de perceberem a saude pior que os que estao ocupados, aquele grupo tambem e mais heterogeneo, apresentando uma maior variabilidade na autopercepcao do estado de saude.
MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GUILHERME DINIZ IRFFI
Externo ao Programa - 1285539 - MAGNO VAMBERTO BATISTA DA SILVA
Interno - 1122605 - MARIA DA CONCEICAO SAMPAIO DE SOUSA
Presidente - 1646137 - MERCIA SANTOS DA CRUZ
Interno - 1524258 - PAULO AGUIAR DO MONTE
Interno - 1267722 - WALLACE PATRICK SANTOS DE FARIAS SOUZA

Notícia cadastrada em: 20/02/2019 17:50