PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA (PPGE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
83 3216-7482
http://www.ufpb.br/pos/ccsa/ppge

Notícias


Banca de DEFESA: JULYAN GLEYVISON MACHADO GOUVEIA LINS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULYAN GLEYVISON MACHADO GOUVEIA LINS
DATA: 26/02/2015
HORA: 15:00
LOCAL: PPGE CCSA UFPB
TÍTULO: UM ESTUDO SOBRE A CONCENTRAÇÃO ESPACIAL DO EMPREGO INDUSTRIAL NOS SETORES DE CONFECÇÕES E COURO-CALÇADISTA NO NORDESTE DO BRASIL.
PALAVRAS-CHAVES: Externalidades Marshallianas. Clusters Produtivos. Crescimento do Emprego.
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO: A partir de dois ensaios independentes, esta dissertação procurou verificar a concentração espacial do emprego industrial dos setores de confecções e de couros e calçados nos municípios do Nordeste. Para atingir este objetivo, partiu-se da fundamentação teórica da Nova Geografia Econômica de que a concentração espacial das atividades produtivas gera efeitos benéficos para os agentes econômicos locais. O primeiro ensaio, que é de caráter descritivo, utilizou a Análise Espacial de Concentração para a identificação e verificação da evolução espacial dos clusters produtivos dos dois setores entre 1997 e 2012. Os resultados encontrados sugerem que o setor de confecções apresenta concentração espacial dos clusters produtivos nos Estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte. O setor de couros e calçados, por sua vez, apresenta maior concentração nos Estados do Ceará e da Bahia. Além disso, percebe-se transbordamento espacial dos clusters nos dois setores entre os municípios no período em estudo. O segundo ensaio, por sua vez, objetivou testar, a partir das externalidades marshallianas, a clusterização horizontal do emprego das micros, pequenas e médias empresas dos setores para os municípios da região entre 2002 e 2012. Para isso, foi utilizado o modelo espacial proposto por Fingleton, Igliori e Moore (2005), que testa variáveis explicativas do crescimento do emprego setorial das micros, pequenas e médias empresas controlando as estimativas da oferta e da demanda, isolando o efeito da intensidade inicial do cluster, bem como possível estágio de efeitos de congestão. Os resultados encontrados sugerem que há uma clusterização horizontal no setor de confecções. Em couros e calçados, por outro lado, parece não haver tal clusterização.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1487310 - IGNACIO TAVARES DE ARAUJO JUNIOR
Externo à Instituição - JANAINA DA SILVA ALVES
Presidente - 1285539 - MAGNO VAMBERTO BATISTA DA SILVA

Notícia cadastrada em: 05/02/2015 13:26