PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA (PPGE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
83 3216-7482
http://www.ufpb.br/pos/ccsa/ppge

Notícias


Banca de DEFESA: JAILSON DA CONCEICAO TEIXEIRA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JAILSON DA CONCEICAO TEIXEIRA DE OLIVEIRA
DATA: 14/03/2017
HORA: 13:00
LOCAL: SALA MULTIMIDIA CCSA
TÍTULO: DINÂMICA ECONÔMICA DA ZONA MONETÁRIA DO EURO E SUA TRANSMISSÃO PARA OS PAÍSES AFRICANOS
PALAVRAS-CHAVES: Teoria Monetária e Fiscal. Transmissão Internacional. Dependência. Economias Africanas. Zona Monetária do Euro.
PÁGINAS: 131
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO: O presente trabalho e composto por tres ensaios que visam verificar a dinamica da economica da Zona Monetaria do Euro (ZME) e sua transmissao para paises africanos que mantem regime cambial fixo em relacao ao Euro. O primeiro ensaio consiste em analisar a interacao entre a politica monetaria e fiscal, durante o periodo de 2002 a 2016 na ZME. Analisa tambem como instrumentos fiscais se transmitem para os varios agregados economicos, utilizando o modelo de Dinamico Estocastico de Equilibrio Geral (DSGE), semelhante ao desenvolvido em Davig e Leeper (2011). Questoes como o controle da inflacao, taxas de juros adequadas e sustentabilidade da divida tem sido o centro das discussoes sobre a politica macroeconomica, sobretudo, nos paises com economias relativamente abertas, como os aqui investigados. Os resultados sugerem que a politica fiscal foi passiva durante o periodo, porem, com mudancas no seu grau de passividade. No caso da politica monetaria, verificou-se que em 2009 mudou-se de um regime no qual a politica e ativa para um regime caracterizado pela passividade da politica monetaria. A trajetoria das variiaveis macroeconomicas derivadas dos incentivos fiscais mostrou ser sensivel a interacao entre esses regimes. No segundo ensaio investigativo, por meio de um Global Vector Autoregressive (GVAR), desenvolvido por Pesaran, Schuermann e Weiner (2004), foi identificado como os choques no nivel de atividade, em especial da ZME, afetam o referido grupo de paises africanos. Esses efeitos foram analisados e comparados aos derivados por choques advindos das economias dos Estados Unidos (USA) e da China. Os resultados apontam para maior vulnerabilidade dessas economias relativamente aos valores dos parametros estimados para os choques registrados na ZME. Ademais, foi possivel perceber que a China, que tem buscado os mercados africanos como fontes de materias-primas, necessarias para a sua seguranca alimentar e energetica, tambem apresenta possivel fonte de flutuacao para as economias africanas com as caracteristicas anteriormente descritas. Verificou-se, ainda, a passividade da politica monetaria diante dos choques externos, concentrando na politica fiscal os incentivos economicos. Finalmente, no terceiro ensaio e estimada a relacao de dependencia entre as inflacoes dos paises africanos, com relacao a inflacao observada na ZME. Para fins comparativos, utilizou-se a inflacao de paises africanos que nao adotaram esse regime cambial. Adotou-se a metodologia empirica de Copulas, popularizada por Nelsen (2006), que tem sido recorrentemente utilizada na analise da dinamica da inflacao. Observou-se que os paises que possuem regime cambial fixo apresentaram um processo de dependencia mais evidente, em relacao aqueles paises que nao adotaram tal regime. Alem disso, foi verificado defasagens na transmissao desse canal externo. Os resultados sinalizam, ainda, que alem da inflacao externa, que outros fatores que incorporam as caracteristicas intrinsecas dos sistemas economicos desses paises, devem ser introduzidos na investigacao da dinamica da inflacao. Conjuntamente, os tres ensaios investigativos levantam informacoes relativamente importantes para orientacao das politicas macroeconomicas dos paises africanos estudados. E necessario para os desenhos de politicas otimas nesses paises, conhecer os regimes de politicas economicas na Europa, alem daqueles predominantes na China, conforme apontado.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2508529 - BRUNO FERREIRA FRASCAROLI
Interno - 1522969 - EDILEAN KLEBER DA SILVA BEJARANO ARAGON
Interno - 1861745 - JEVUKS MATHEUS DE ARAUJO
Externo à Instituição - JOSÉ ÂNGELO COSTA DO AMOR DIVINO
Externo à Instituição - NELSON LEITÃO PAES
Externo à Instituição - SERGIO RICARDO DE BRITO RAMALHO

Notícia cadastrada em: 08/03/2017 11:38