PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA (PPGE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
83 3216-7482
http://www.ufpb.br/pos/ccsa/ppge

Notícias


Banca de DEFESA: VINICIUS BARBOSA GODINHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VINICIUS BARBOSA GODINHO
DATA: 31/08/2017
HORA: 09:30
LOCAL: AUDITÓRIO AZUL CCSA UFPB
TÍTULO: BALANÇA COMERCIAL DO ESTADO DA PARAÍBA: ANÁLISE PARA OS ANOS DE 2007 A 2016
PALAVRAS-CHAVES: Balança Comercial da Paraíba; Crescimento voltado pelas Exportações; Natureza das Atividades Econômicas
PÁGINAS: 121
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO: O objetivo principal desse estudo e o de detalhar e discutir a evolucao da Balanca Comercial do Estado da Paraiba entre os anos de 2007 e 2016, desse modo, especificar e dimensionar a participacao dos setores desagregados por natureza de atividade economica. Como era esperado, a balanca comercial apresentou-se deficitaria ao longo do periodo analisado. A proporcao do deficit comercial paraibano pelo PIB estadual oscilou, de 2007 a 2010, entre 16,77% e 21,06%. Em 2012, observou-se, a menor proporcao relativa do deficit pelo PIB, essa foi igual a 13,45%. Entretanto, em 2013 e 2014, essa proporcao subiu para o patamar de 20%, atingindo 22,84% em 2014. Analisando a origem e destino, por municipios da Paraiba, das exportacoes e importacoes confirmou a concentracao desses fluxos em poucas regioes do estado. Cerca de 85% das compras, e quase 90% das vendas, de bens e servicos sao realizadas pelos municipios da Mata Paraibana e por Campina Grande. Pelo lado das entradas, ao longo dos dez anos, mais de 30\% dessa pauta foi ocupada por atividades comerciais. Ja pelo lado das saidas, mais de 40% das vendas do estado foram relacionadas a atividades da industria de transformacao. Porem, 60\% dessas ultimas atividades foram relacionadas com a industria de couro e calcados mais a textil. Conjuntamente, a regiao Nordeste e Sudeste, representaram cerca de 70% da origem das importacoes totais. Pelo lado das exportacoes, o Nordeste e o Sudeste foram destino de, respectivamente, cerca de 50% e 30% dessa pauta. Olhando os parceiros comerciais por unidades federativas, pode-se perceber o destaque do estado pernambucano, este foi responsavel por cerca de 25% do total das compras e vendas da Paraiba. Especificamente para os APL's de Couro e Calcados, a origem das importacoes foram, em grande peso, do estado de Sao Paulo, apenas o arranjo Campinense apresentou uma participacao consideravel de Pernambuco nas entradas. Pelo lados das exportacoes, o arranjo de Joao Pessoa e de Campina Grande apresentaram uma ligacao maior com os estados do Sudeste, com destaque para Sao Paulo e Minas Gerais, ja o arranjo de Patos teve a maioria dos destinos das saidas os estados do Norte e Nordeste, com destaque para o Para. Desse modo, quanto a especializacao produtiva e a distribuicao espacial das relacoes comerciais paraibanas, as conclusoes principais desse estudo foram de que essas demonstram uma baixa diversificacao, tanto produtiva, como geografica da economia estadual .
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1813840 - ALESSIO TONY CAVALCANTI DE ALMEIDA
Externo à Instituição - KARLA VANESSA B DA SILVA LEITE
Presidente - 1071458 - PAULO FERNANDO DE MOURA BEZERRA CAVALCANTI FILHO

Notícia cadastrada em: 24/08/2017 08:42