PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA (PPGE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
83 3216-7482
http://www.ufpb.br/pos/ccsa/ppge

Notícias


Banca de DEFESA: MARIA EDUARDA DE LIMA E SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA EDUARDA DE LIMA E SILVA
DATA: 08/02/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala Multimídia CCSA
TÍTULO: ENSAIOS SOBRE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA FARMÁCIA POPULAR DO BRASIL: EQUIDADE E SOBREVIVÊNCIA EMPRESARIAL
PALAVRAS-CHAVES: Assistência farmacêutica. Análise Envoltória de Dados Múltipla (MDEA). Equidade. Modelos de duração. Varejo farmacêutico.
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO: A presente dissertacao e composta por dois ensaios que objetivam avaliar o Programa Farmacia Popular do Brasil (PFPB), destinados ao tratamento farmacologico de doencas cronicas nao transmissiveis (DCNT) de elevada prevalencia entre a populacao brasileira, como hipertensao e diabetes. O primeiro ensaio analisa a alocacao regional dos recursos do PFPB e do Componente Basico da Assistencia Farmaceutica (CBAF), considerando a disponibilidade relativa do programa e as necessidades potenciais da regiao. A abordagem utilizada foi Analise Envoltoria de Dados Multipla e os dados da Pesquisa Nacional de Saude e da base administrativa e financeira do Programa e da Sala de Apoio a Gestao Estrategica do Ministerio da Saude. Os resultados demonstram uma desigualdade regional de acesso a medicamentos no pais, visto que as regioes com maior cobertura do PFPB sao as localidades mais ricas. A comparacao entre a distribuicao dos recursos destinados ao Programa e ao CBAF evidenciam a priorizacao do PFPB em detrimento da assistencia farmaceutica convencional do SUS. Por sua vez, o segundo ensaio avalia o efeito do programa Aqui tem Farmacia Popular sobre a probabilidade de sobrevivencia empresarial das farmacias e drogarias. Para tanto, foram usados dados de 2004 a 2014 de todos os estabelecimentos formais do setor e abordagem de analise de sobrevivencia por meio do modelo de risco proporcional de Cox. Os resultados demonstram uma associacao positiva entre o acrescimo de sobrevida dos estabelecimentos farmaceuticos e a participacao no Programa. De forma que, em media, a adesao ao Programa reduz em 53,3% o risco de morte das farmacias, sendo os estabelecimentos de pequeno porte, os mais beneficiados. Ademais, a estimacao da taxa de sobrevida por regiao demonstra a estabilidade dos efeitos encontrados.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1813840 - ALESSIO TONY CAVALCANTI DE ALMEIDA
Externo à Instituição - GIÁCOMO BALBINOTTO NETO
Interno - 2476028 - HILTON MARTINS DE BRITO RAMALHO

Notícia cadastrada em: 31/01/2018 10:26