PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM JORNALISMO (PPJ)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: BRUNA VIEIRA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRUNA VIEIRA DE OLIVEIRA
DATA: 11/08/2017
HORA: 15:00
LOCAL: CCTA
TÍTULO: Livro-reportagem Mães na dor: mulheres órfãs de filhos
PALAVRAS-CHAVES: Livro-reportagem; Jornalismo Literário; Mães na Dor.
PÁGINAS: 305
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
RESUMO: O presente trabalho e o resultado da construcao de um livro-reportagem de perfis de cinco maes do Grupo Maes na Dor, com sede em Joao Pessoa. Conta as historias dessas mulheres que perderam seus filhos de forma tragica, vitimas de homicidios. Alguns dos assassinos ja foram julgados, outros permanecem impunes. A producao jornalistica aqui apresentada e uma exigencia para a conclusao de curso do Programa de Pos-Graduacao em Jornalismo da Universidade Federal da Paraiba que permite a elaboracao de um produto midiatico, tanto quanto uma dissertacao no padrao tradicional/convencional. O produto em pauta aborda, portanto, aspectos relacionados com a violencia no contexto paraibano, a partir do olhar e do registro do sofrimento dessas mulheres que se uniram para enfrentar a dor, o luto e a luta por justica. A escalada de violencia deve ser tratada pela midia nao apenas de forma factual, mas de forma analitica, investigativa e humanizada, propiciando reflexoes e debates que levem a acoes de mudanca social desse contexto. Dessa forma, este trabalho objetiva narrar as historias de vida dessas personagens, revelar os esforcos utilizados para a superacao do sofrimento e mostrar quem eram as vitimas por tras das tragedias. Foi feita uma ampla revisao de literatura a partir dos autores: Lima (2009), Belo (2013), Vilas Boas (2003), Pena (2015), Da Matta (1978), Medina (2008), Benjamin (1987), Piccinin (2012), Fortes (2014), Soster (2012) e Morin (1973), entre outros. A pesquisa e construcao deste livro-reportagem ocorreram entre marco de 2015 e julho de 2017. A violencia precisa ser compreendida em suas origens sociais e em nivel individual, suas causas e efeitos. O papel do jornalismo nao e somente informar, mas colocar questoes como essa em debate. Tecnicas de pesquisas apoiadas na sociologia e antropologia foram empregadas para a elaboracao deste trabalho, como as historias de vida, memoria e observacao participante. Esses suportes auxiliam a compreensao mais profunda e sensivel dos relatos. Quando bem aplicadas agregam qualidade a informacao jornalistica. Foram utilizados conceitos de Geertz (2008), Bosi (1994) e Queiroz (1988). Pode-se concluir que ha um descontentamento geral com a Justica. Sendo possivel conviver com a dor e com um desejo continuo de perpetuar a memoria de seus filhos. Para as maes, a condenacao e mais que punicao, serve de exemplo para inibir a pratica de assassinatos e evitar que mais mulheres facam parte do grupo. A uniao e a principal ferramenta para as atividades, para o consolo mutuo e o ativismo. A linguagem informal prevalece na narrativa para dar mais autenticidade aos relatos. Narracao, descricao, dialogos, discurso direto e indireto, alteracao do foco narrativo (primeira e terceira pessoa) se mesclam conforme a forca dos depoimentos exige para serem contados. Os textos sempre iniciam com uma fala das personagens em primeira pessoa, sobre o acontecimento mais forte seja no passado, presente ou futuro. Alguns dialogos menos relevantes foram mantidos por revelarem nuances interessantes. O ponto forte do trabalho sao as entrevistas, que ocorreram em sua maioria na casa dessas familias, o seu ambiente de conforto.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 337177 - GLORIA DE LOURDES FREIRE RABAY
Presidente - 084.570.854-68 - LUIZ CUSTODIO DA SILVA - USP
Externo à Instituição - LUÍS CELESTINO DE FRANÇA JUNIOR