PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL (PPGPS)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
83 3216.7006/7006

Notícias


Banca de QUALIFICAÇÃO: BIANCA FERNANDES DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BIANCA FERNANDES DE SOUZA
DATA: 15/12/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO: ANÁLISE DO TRABALHO DA(O) PSICÓLOGA(O) ESCOLAR DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19: DESDOBRAMENTOS PARA OS PROCESSOS DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO
PALAVRAS-CHAVES: Palavras-chave: psicologia escolar; pandemia; desenvolvimento humano; ensino e aprendizagem.
PÁGINAS: 141
RESUMO: A partir da perspectiva da Psicologia Escolar de base crítica, entende-se a prática do psicólogo escolar como fundamental na mediação dos processos e cotidianos da escola. Ao compreender essa atuação contextualizada, considera-se que os eventos que perpassam o meio social vão afetar a prática deste profissional. No contexto vivenciado nos últimos 2 anos, podem ser destacados os impactos da pandemia da COVID-19 para o sistema educacional brasileiro, cenário no qual foi realizada esta pesquisa. Nesse sentido, com a suspensão das aulas e, em seguida, a transição para o modelo remoto de ensino, foi necessária a reconfiguração da atuação da(o) psicóloga(o) escolar nesse período. Esta pesquisa tem como objetivo conhecer e analisar a atuação da(o) psicóloga(o) escolar na transição do ensino presencial para o remoto durante a pandemia da COVID-19. Tratou-se, então, de uma pesquisa do tipo qualitativo, que teve como amostra 25 psicólogas(os) de escolas públicas municipais da cidade de João Pessoa (PB). Foram utilizados como instrumentos um questionário com questões referentes aos perfis sociodemográfico, formativo e de atuação profissional, um painel contendo três desenhos que ilustravam o contexto escolar vivenciado antes e durante a pandemia, e um roteiro de entrevista semiestruturada. As entrevistas com as(os) psicólogas(os), foram registradas com um gravador de voz do celular, e ocorreram de forma presencial nas escolas em que as(os) profissionais estavam locadas(os). O conteúdo foi transcrito literalmente e utilizou-se das diretrizes da Análise de Conteúdo de Bardin para a organizar o material das entrevistas e da pergunta disparadora que acompanhou o painel de desenhos. A partir do uso dos desenhos foi possível acessar os significados e sentidos com base nas vivências das profissionais sobre a escola e o que foi experienciado durante a pandemia. Por meio da entrevista, obteve-se relatos sobre os sentimentos, percepções e práticas das(os) psicólogas(os) escolares antes e durante o período pandêmico, o que contribuiu para o entendimento de como ocorreu a atuação nesses períodos. Além disso, acessar quais recursos e ferramentas foram utilizados e os desafios enfrentados para a atuação durante a atuação profissional na modalidade remota. Inicialmente, aponta-se como prevalente nas falas a dificuldade de acesso dos alunos aos recursos tecnológicos, assim como um viés de culpabilização das famílias e a utilização de práticas clínicas por parte de uma parcela de psicólogos na escola. Diante dos resultados, faz-se a defesa de uma psicologia escolar contextualizada, em que a(o) psicóloga(o) escolar possa contribuir para a elaboração e efetuação de ações institucionais que prezem pela educação de qualidade, através de um trabalho ético e consciente diante das condições da realidade. Espera-se que o estudo possa contribuir para novas reflexões e proposição de estudos que impulsionem a construção do conhecimento no campo da psicologia escolar.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1798749 - FABIOLA DE SOUSA BRAZ AQUINO
Interno - 1024895 - MARIA DE FATIMA PEREIRA ALBERTO
Externo à Instituição - VERA LUCIA TREVISAN DE SOUZA