PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (PGPCI)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: FRANCISCO ACLAILDO DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO ACLAILDO DE SOUZA
DATA: 30/09/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Plataforma Meet: meet.google.com/oyf-akbg-gax
TÍTULO: As Unidades de Polícia Solidária (UPS) em João Pessoa/PB: uma análise do modelo de polícia comunitária nos bairros Altiplano, Bancários e Mandacaru, sob a perspectiva dos seus moradores
PALAVRAS-CHAVES: Filosofia de polícia comunitária; policiamento comunitário; mobilização social e democrática; integração polícia/cidadão; segurança pública.
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
RESUMO: Esta pesquisa teve como objetivo geral fazer uma análise da política de segurança pública implantada e fundamentada na filosofia de polícia comunitária, a partir do ponto de vista dos moradores dos bairros Altiplano, Bancários e Mandacaru, em João Pessoa/PB. O tema é notório por ter tornado sua filosofia em estratégia adotada pelas instituições policiais em âmbito mundial; no Brasil passou a ser praticada mais efetivamente, a partir do final do século passado, por contemplar mudanças no conceito de segurança pública e transformação institucional. É relevante o seu estudo, por apresentar os resultados das percepções a respeito da filosofia empregada pela polícia comunitária em três comunidades com características diversificadas quanto ao nível econômico e social, quanto as suas localizações demográficas e seus históricos de criminalidades e violências. Sua importância se reforça nas evidências apresentadas na literatura, que retrata a não participação dos moradores dos bairros atendidos em função de diferentes fatores públicos. A pertinência e oportunidade são caracterizados pela necessidade da ampliação do debate na busca de solução para os problemas de segurança pública e, em especial, o necessário envolvimento da comunidade científica. Para conhecer as percepções dos moradores quanto à prática do policiamento comunitário adotado nos bairros-objeto desta pesquisa exploratória, foi realizada uma survey para descrever o fenômeno em uma amostra de 93 moradores. O questionário estruturado em 4 partes, composto de 35 questões formatadas em escalas de frequência de resposta fixa, ​​foi aplicado entre março e julho de 2020. A escolha dos bairros se deu por conveniência do pesquisador. As hipóteses testadas se resumiram a: i) analisar a distância entre discurso e prática em torno dessa filosofia de segurança pública; ii) identificar o grau de participação efetiva de moradores no policiamento comunitário; e iii) avaliar como eles percebem a integração com a Polícia Comunitária. Os resultados revelaram que existe uma distância relativa entre discurso e prática, tratando-se apenas de uma continuidade da forma tradicional de policiamento; que não ocorre a participação necessária do cidadão em nenhuma etapa do projeto; e que os respondentes não percebem como positiva a interação Polícia Comunitária e cidadãos dos bairros pesquisados. Por sua essência exploratória, esta pesquisa não procurou generalizar seus resultados por refletir apenas a visão dos moradores dos bairros pesquisados. Às limitações presentes, além da metodologia exploratória e instrumentos limitados ao tamanho da amostra, adiciona-se como empecilho ao estudo a não inclusão de agentes de segurança, em função de restrições institucionais, o que proporcionaria uma discussão mais ampla acerca do tema e conhecimento das percepções desses outros participantes da Polícia Comunitária. Recomenda-se ampliar o estudo junto aos demais bairros de João Pessoa (PB) e sensibilizar órgãos de segurança superiores a participarem desse esforço pelo conhecimento.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1873938 - HERMANN ATILA HRDLICKA
Interno - 2760183 - FLAVIO PERAZZO BARBOSA MOTA
Externo ao Programa - 1971934 - RUY ALBERTO PISANI ALTAFIM