PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (PGPCI)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: RAMON BARRETO ANDRADE SILVANY

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAMON BARRETO ANDRADE SILVANY
DATA: 11/12/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma Zoom
TÍTULO: Aprendizagem social de Analistas Judiciários na gestão cartorária do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB)
PALAVRAS-CHAVES: Aprendizagem social. Contexto. Interação social. Aprendizagem gerencial. Gestor cartorário.
PÁGINAS: 113
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
RESUMO: Este estudo teve como objetivo analisar o contexto e o processo de aprendizagem social dos analistas judiciários na gestão cartorária do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB). A crise de ineficiência no Poder Judiciário exige uma atuação orientada para resultados, sobretudo numa ótica de gestão administrativa e de priorização do Primeiro Grau de Jurisdição (Resolução CNJ nº 194/2014). Calcado na compreensão da relevância dos cartórios judiciais como peças-chave na busca por um sistema de Justiça mais célere e efetivo, compreender o processo de aprendizagem social dos gestores cartorários surge como uma relevante contribuição para a formação e o desenvolvimento de competências gerenciais no TJ-PB, em sintonia com a Política Nacional de Gestão de Pessoas no âmbito do Poder Judiciário (Resolução CNJ nº 240/2016). O referencial teórico abordou a Teoria Social da Aprendizagem, o contexto social da aprendizagem gerencial e a Administração da Justiça. A pesquisa foi orientada por uma abordagem qualitativa e de caráter exploratório, numa perspectiva interpretativista, e utilizou o método da História Oral Temática com aplicação de entrevistas semiestruturadas. Participaram da pesquisa oito analistas com atuação em diferentes cartórios pelo Estado. O processo de análise fez emergir três temas, e cada um revelou categorias de significados, analisadas de forma compreensiva e interpretativa. Os resultados possibilitaram a caracterização do contexto com diversos fatores desfavoráveis a uma atuação qualificada e eficiente dos gestores cartorários, constatando-se, sobretudo, uma lacuna de formação técnico-profissional e de desenvolvimento das competências gerenciais relacionadas ao gerenciamento dos cartórios. Entretanto, foi diante desta conjuntura que se revelou uma tendência dos servidores de se auxiliarem mutuamente, de modo que os próprios entrevistados perceberam que é dentro de um contexto de participação social e de prática que a aprendizagem ocorre, configurando um processo social e não simplesmente cognitivo. Os relacionamentos e a interação social apontaram implicações na gestão cartorária, de maneira que o engajamento e a participação social ativa dos integrantes viabilizam uma aprendizagem efetiva e asseguram um bom desempenho da unidade judiciária. A partir de uma cultura de colaboração, emergiram duas estratégias do processo de aprendizagem, tendo a interação social como elemento essencial: o contato entre novatos e veteranos dentro do próprio cartório, bem como as redes de informações e de experiências coletivas compartilhadas com gestores de outros cartórios, indiciando, inclusive, a existência de comunidades de práticas. Destarte, assimilando-se o ambiente organizacional como um espaço de aprendizagem, o panorama apresentado permitiu concluir pela necessidade de fomentar ações que auxiliem nos processos de aprendizagem e de desenvolvimento de competências gerenciais dos analistas judiciários, de modo que a área de Gestão de Pessoas e a Escola Superior da Magistratura se tornam fundamentais na condução deste propósito, sugerindo-se, inclusive, a elaboração e a implementação de um Programa de Aprendizagem Gerencial no TJ-PB.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1671678 - ANA CAROLINA KRUTA DE ARAUJO BISPO
Presidente - 2285466 - ANIELSON BARBOSA DA SILVA
Externo ao Programa - 1157816 - GABRIELA TAVARES DOS SANTOS