PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (PGPCI)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de QUALIFICAÇÃO: MAGAYO DE MACÊDO ALVES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAGAYO DE MACÊDO ALVES
DATA: 29/10/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma Meet: https://meet.google.com/pcg-hyhn-bow
TÍTULO: A eficácia da Comissão para Conservação dos Recursos Marinhos Vivos Antárticos (CCAMLR) no século XXI
PALAVRAS-CHAVES: Antártica. CCAMLR. Eficácia de regimes internacionais.
PÁGINAS: 73
RESUMO: O advento do Tratado da Antártica (TA) em 1959 marcou uma nova era em políticas para a região. Originalmente, um grupo composto por doze nações se comprometeu a protegê-la, sob estrita proibição de realização de atividades militares. No entanto, as décadas seguintes veriam ameaças frequentes à neutralidade e à conservação de tal promessa. Com o progresso tecnológico e consequente aumento das possibilidades de exploração, a Antártica (também chamada Antártida) passou a ser vista como região estratégica por vários países, incluindo o Brasil. Disputas geopolíticas aumentaram de formas significativas a necessidade de se expandir o hall político-normativo de dispositivos que regulam as atividades humanas e por consequência que estabeleçam guias de comportamento entre homem e meio ambiente. É precisamente dentro deste contexto que hoje se fala em um Sistema de Tratados Antárticos, com dezenas de atores-chave, vindos de todos os demais continentes. Neste novo cenário cada vez mais multipolar é que elegemos nosso objeto de análise, a Comissão para Conservação dos Recursos Marinhos Vivos Antárticos (CCAMLR). Buscamos responder o seguinte questionamento: o quão eficaz é a Comissão naquilo que foi criada para fazer?
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2991390 - ELIA ELISA CIA ALVES
Interno - 1991235 - ALINE CONTTI CASTRO
Externo à Instituição - ANDREA QUIRINO STEINER