PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL (PGPCI)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: ADYNAER GERALDO MAIA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ADYNAER GERALDO MAIA DA SILVA
DATA: 17/03/2022
HORA: 10:00
LOCAL: Plataforma Google Meet: https://meet.google.com/kjh-code-jvm
TÍTULO: O NDB COMO INSTRUMENTO DE FORTALECIMENTO DA COOPERAÇÃO FINANCEIRA DO BRICS: uma análise institucional e operacional
PALAVRAS-CHAVES: Sistema Financeiro Internacional, BRICS, Novo Banco de Desenvolvimento, Governança Global.
PÁGINAS: 98
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
RESUMO: O Sistema Financeiro Internacional é composto por organismos intergovernamentais, regionais, multilaterais, além de organismos privados e da sociedade civil organizada; ou seja, uma composição complexa que tem como base a interdependência dos países. Tal interdependência é capaz de influenciar no fluxo comercial e financeiro, além de determinar coalizões e decidir sobre regulamentação, transparência e conformidade do sistema como um todo. A compreensão sobre uma rede de países que juntos pudessem acordar sobre regras e políticas financeiras só foi efetivamente organizada após a segunda guerra mundial, quando Estados Unidos e Reino Unido dispuseram uma série de medidas para impulsionar a economia outrora devastada. Um acordo específico assinado em 1944, em Bretton Woods, concretizou as principais instituições financeiras internacionais o FMI e BIRD (atualmente Grupo Banco Mundial); por décadas, através delas, os países desenvolvidos ditaram as regras principais das relações econômico-financeiras, submetendo e submetem os países emergentes às regras e limites para participação no cenário político-financeiro. Vê-se que as instituições clássicas do Acordo de Bretton Woods representam a institucionalização e normatização de condições que reverberam sobre a ordem mundial, compreendem-se, assim, como mecanismos de manutenção do atual sistema e dos países que lideram essas instituições. Neste sentindo, os BRICS surgem como conglomerado questionador da ordem, sem, todavia, opor-se a ela. Para tanto, como resultado do sexto encontro dos BRICS, foi institucionalizado o Novo Banco do Desenvolvimento, órgão de representação financeira do grupo no cenário internacional, e responsável por formalizar as principais característica outrora questionadas pelos países-membros: celeridade, abertura ampla a países pobres, investimento para o desenvolvimento de infraestrutura sem condicionalidades ou burocracias fiscais. Portanto, esta dissertação tem como objetivo investigar se o NDB, através de suas operações e projetos, reflete o desejo do grupo em transformar a ordem financeira mundial: qual o papel do NDB no fortalecimento da cooperação financeira entre os países do BRICS? Com a finalidade de responder a esta pergunta, o trabalho detalhará a governança financeira internacional, com foco nas instituições clássicas e na representação política dessas entidades; principalmente através da literatura existente, mas também dos documentos, relatórios e publicações; elaborado o cenário clássico outro capítulo será reservado aos detalhes burocrático-operacionais do NDB, como são desenvolvidos os projetos e quanto já foi investido, numa comparação entre o que se deseja pelos BRICS e o que efetivamente se concretizou enquanto projeto institucional. Por fim, uma análise de opinião dos especialistas da área que detalham os aspectos políticos e sobre o futuro dos BRICS na ordem internacional.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 735.632.006-10 - ALEXANDRE CESAR CUNHA LEITE - UEPB
Presidente - 2991390 - ELIA ELISA CIA ALVES
Externo ao Programa - 1750295 - HENRIQUE ZEFERINO DE MENEZES