PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA EM REDE NACIONAL (PROFSAÚDE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
Não informado

Notícias


Banca de QUALIFICAÇÃO: RACHEL DE ALCÂNTARA OLIVEIRA RAMALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RACHEL DE ALCÂNTARA OLIVEIRA RAMALHO
DATA: 29/04/2020
HORA: 16:00
LOCAL: Centro de Ciência Médicas
TÍTULO: ANALGESIA OBSTÉTRICA E ESCOLHA DA VIA DE PARTO: ESTUDO COM PUÉRPERAS EM MATERNIDADE PÚBLICA NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE
PALAVRAS-CHAVES: Analgesia, Obstetrícia, Puerpério
PÁGINAS: 42
RESUMO: Identificar os componentes da satisfação das mulheres a partir de suas opiniões acerca da assistência ao parto é uma etapa fundamental no sentido de estender a cobertura e melhorar a qualidade da atenção à saúde materna, notadamente ao parto normal, visando à pretendida humanização da atenção ao parto e ao nascimento. O trabalho de parto natural e a dor associada constituem provavelmente o evento mais doloroso da vida de muitas mulheres. Consequentemente, a maioria delas deseja alguma forma de analgesia durante o parto. A experiência da dor durante o trabalho de parto não é um reflexo simples de processos unicamente fisiológicos. Em vez disso, a dor do trabalho de parto é o resultado de uma interação complexa e subjetiva de múltiplos fatores fisiológicos e psicossociais na interpretação individual da mulher dos estímulos ao parto (ILIADOU, 2009). A falta de conscientização, aceitabilidade e disponibilidade de uma eficaz analgesia do parto nos países em desenvolvimento é considerado o principal obstáculo em relação ao seu uso rotineiro (NABUKENYA et al., 2015). A Organização Mundial da Saúde recomenda a humanização da assistência ao parto e isso também inclui o trabalho do anestesiologista como parte fundamental desse processo no atendimento à gestante (FREITAS; MEINBERG, 2009). Um entendimento da dor do trabalho de parto como fenômeno multidimensional fornece a base para uma abordagem centrada na mulher para a gestão do trabalho de parto, que inclui uma ampla gama de estratégias de intervenção farmacológica e não farmacológica (ILIADOU, 2009).
MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CLAUDIO ORESTES BRITTO FILHO
Interno - 336868 - EDUARDO SERGIO SOARES SOUSA
Presidente - 1117944 - RILVA LOPES DE SOUSA MUNOZ