UFPB › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas João Pessoa, 08 de Julho de 2020

FÍSICA/CCEN - João Pessoa(João Pessoa)

 

curso  Nível  Graduação

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN) - CCEN

Projeto Político Pedagógico


Perfil Profissional:

        As Diretrizes Curriculares para os cursos de Física do MEC/CNE, Parecer CNE/CES 1304/2001, doravante Diretrizes do MEC/CNE, considera que o perfil desejado do formando, seja qual for a sua área de atuação, deva caracterizar se em conhecimentos bem estabelecidos e atualizados em Física, permitindo que seja capaz de tratar problemas tradicionais e atuais. Espera-se, também, que o profissional formado tenha a característica de buscar novas formas de conhecimentos científicos e tecnológicos, com uma atitude competente e ética de investigação, associada a diferentes formas e objetivos de trabalho.

         Dessa forma, nas Diretrizes do MEC/CNE, pode-se distinguir perfis específicos: Físico-Pesquisador, Físico-Educador, Físico-Tecnólogo e Físico-Interdisciplinar; em função da diversidade curricular proporcionada pelos módulos sequenciais complementares ao núcleo básico comum. Em particular, o Físico-Pesquisador "ocupa-se preferencialmente de pesquisa, básica ou aplicada, em universidades e centros de pesquisa". Esse é com certeza, o campo de atuação mais bem definido e o que tradicionalmente tem representado o perfil profissional idealizado na maior parte dos cursos de graduação que conduzem ao Bacharelado em Física.

          Portanto, em decorrência das características atuais do corpo-docente, da infraestrutura existente para o desenvolvimento das atividades de ensino e pesquisa e da existência de um qualificado programa de Pós-Graduação em Física, com Mestrado e Doutorado, reconhecidos pela CAPES, entendemos que o perfil ideal para o Bacharel em Física a ser formado em nosso curso deva ser o de Físico-Pesquisador, conforme estabelecido nas Diretrizes do MEC/CNE

Área de Atuação:

Tradicionalmente, o Bacharel em Física, formado com o perfil de Físico-Pesquisador, tem como campo de atuação a pesquisa científica básica ou aplicada. Tal formação habilita esse profissional para atuar: em centros de pesquisa (pesquisador), universidades (como docente ou técnico de nível superior), empresas de alta tecnologia, computação, indústrias de dispositivos eletrônicos, entre outros.

A formação ideal de um pesquisador em Física, para atuar na fronteira do conhecimento, passa necessariamente pelo seu aperfeiçoamento em estudos de pós-graduação (Mestrado e Doutorado), ou seja, a qualificação do Bacharel em Física permitirá que o formando tenha plenas condições de ingressar em cursos de pós-graduação não somente na área de Física, mas também em áreas correlatas, tais como: Matemática, Astronomia e Engenharia

Competências e Habilidades do Profissional:

  A formação do Bacharel em Física deve, prioritariamente, contemplar as atribuições definidas acima de uma forma tal que este possa desenvolver competências e habilidades segundo as expectativas atuais, mas, ao mesmo tempo, deve prever certa flexibilidade para que o aluno possa adaptar-se a diferentes perspectivas futuras, tendo em vista as novas demandas de funções sociais e os novos campos de atuação que vem emergindo continuamente. Este quadro está delineado nas Diretrizes do MEC/CNE, pois as mesmas sugerem que o Bacharel em Física em sua formação adquira as seguintes competências:

Dominar princípios gerais e fundamentais da Física, familiarizando-se com suas áreas clássicas e modernas.

  • Descrever e explicar fenômenos naturais, processos e equipamentos tecnológicos em termos de conceitos, teorias e princípios gerais.
  • Diagnosticar, formular e encaminhar a solução de problemas físicos, experimentais ou teóricos, práticos ou abstratos, fazendo uso dos instrumentos laboratoriais ou matemáticos apropriados.
  • Manter atualizada sua cultura científica geral e sua cultura técnica profissional específica.
  • Desenvolver uma ética de atuação profissional e a consequente responsabilidade social, compreendendo a Ciência com conhecimento histórico, desenvolvido em diferentes contextos sócio-políticos, culturais e econômicos.

 Para o desenvolvimento das competências, acima citadas, o Bacharel em Física deverá também adquirir determinadas habilidades gerais, as quais serão desenvolvidas por meio da proposta de disciplinas e atividades complementares integrantes da estrutura curricular do curso. Em particular, espera-se que o Bacharel em Física seja capaz de:

  • Utilizar a matemática como uma linguagem para a expressão dos fenômenos naturais.
  • Resolver problemas experimentais, desde seu reconhecimento e a realização de medições, até a análise de resultados.
  • Propor, elaborar e utilizar modelos físicos, reconhecendo seus domínios de validade.
  • Concentrar esforços e persistir na busca de soluções para problemas complexos
  • Utilizar a linguagem científica na expressão de conceitos físicos, na descrição de procedimentos de trabalho científicos e na divulgação de seus resultados.
  • Utilizar diversos recursos da informática, dispondo de noções de linguagem computacional.
  • Conhecer e absorver novos métodos, técnicas ou uso de instrumentos, seja em medições ou em análise de dados (teóricos ou experimentais).
  • Reconhecer as relações do desenvolvimento da Física com outras áreas do saber, tecnologias e instâncias sociais, especialmente contemporâneas.
  • Apresentar resultados científicos em distintas formas de expressão, tais como relatórios, trabalhos para publicação, seminários e palestras.

No mais, a formação do Bacharel em Física deve contemplar uma série de vivências e/ou experiências que possibilitem um processo educacional mais integrado. Tais vivências, previstas nas Diretrizes do MEC/CNE são as seguintes;

  • Realizar experimentos em laboratórios.
  • Ter experiência com o uso de equipamentos de informática.
  • Realizar pesquisas bibliográficas, sabendo identificar e localizar fontes de informação relevantes.
  • Entrar em contato com idéias e conceitos fundamentais da Física e das Ciências, através da leitura de textos básicos.
  • Ter a oportunidade de sistematizar seus conhecimentos e seus resultados em um dado assunto através de, pelo menos, a elaboração de um artigo, comunicação ou monografia.

 Por fim é importante destacar que as Diretrizes do MEC/CNE estimulam que na elaboração dos projetos pedagógicos de curso também estejam presentes a possibilidade de estágios em instituições de pesquisa, universidades, indústrias empresas ou escola.

Metodologia:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Sistema de Gestão do Curso:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Avaliação do Curso:
Nenhum conteúdo disponível até o momento
Projeto Político Pedagógico:
Baixar Arquivo

SIGAA | STI - Superintendência de Tecnologia da Informação da UFPB / Cooperação UFRN - Copyright © 2006-2020 | producao_sigaa-5.sigaa-5 | v20200706120710-master