PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA (RENORBIO) (RENORBIO)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Dissertações/Teses


Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPB

2020
Descrição
  • EDMILSON DE SOUZA RAMOS NETO
  • ”AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DE UM NOVO DOADOR DE ÓXIDO NÍTRICO, 2-NITRATO-1,3-DI(DODECANÓXI) PROPANO (NDDDP), SOBRE O SISTEMA VASCULAR DE RATOS”
  • Data: 13/02/2020
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • Os nitratos desempenham um papel fundamental na clínica médica há aproximadamente 130 anos, sendo bastante utilizados no tratamento de desordens cardiovasculares. Apesar de ter o seu uso bastante consolidado no tratamento destas doenças, a busca por novos nitratos orgânicos têm sido alvo de alguns grupos de pesquisa. O objetivo deste estudo foi caracterizar os efeitos farmacológicos de um novo nitrato orgânico, o 2-nitrato-1,3-di(dodecanóxi)propano (NDDDP), sintetizado a partir da glicerina, sobre a função vascular de ratos normotensos através de estudos in vitro. Em anéis de artéria mesentérica cranial isolada de ratos, pré-contraídos com fenilefrina (FEN) 1 μM, o NDDDP (10-12 – 10-3 M) induziu vasorrelaxamento dependente de concentração, na presença e ausência de endotélio funcional. Todos os experimentos seguintes foram executados na ausência do endotélio. O efeito do NDDDP foi reduzido após contração mediada por solução despolarizante de KCl (60 mM) quando comparado ao seu efeito frente a FEN. A reposta vasodilatadora do composto também foi atenuada na presença de hidroxicobalamina – HDX (30 μM), um sequestrador extracelular de NO, e do 1H-[1,2,4]oxadiazolo[4,3-a]quinoxalin-1-ona – ODQ (10 μM), um inibidor da ciclase de guanilil solúvel (sGC). Além disso, o efeito relaxante induzido pelo NDDDP foi reduzido por um bloqueador não seletivo dos canais para K+, tetraetilamônio – TEA (3 mM) e por bloqueadores seletivos para os canais de K+ como: a) TEA (1 mM, BKCa); b) 4 – Aminopirina – 4-AP ( 1 mM, Kv); e c) Cloreto de Bário – BaCl2 (30 μM, KIR). Entretanto, o efeito não foi alterado na presença de glibenclamida – GLIB (10 μM, KATP). Após a incubação durante 30 minutos com NDDDP (10-4 e 3 x 10-5 M), o vasorrelaxamento foi reduzido. Os dados sugerem que a ação vasodilatadora do NDDDP ocorre por meio da geração de NO, com consequente ativação da sGC, e da ativação dos canais para potássio do tipo BKCa, Kv e KIR.
2019
Descrição
  • ISABEL CELESTE CAIRES PEREIRA GUSMÃO
  • AVALIAÇÃO LABORATORIAL E CLÍNICA DE FORMULAÇÃO FARMACÊUTICA CONTENDO ÓLEO DE Lippia sidoides Cham PARA O CONTROLE DE PERIODONTOPATIAS
  • Data: 29/08/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Os óleos essenciais têm sido considerados como uma opção terapêutica promissora nas periodontopatias. O objetivo desse estudo foi desenvolver formulação farmacêutica contendo óleo de Lippia sidoides Cham para controle de Doenças Periodontais. O material botânico (folhas) foi coletado do Herbário da Universidade Federal da Paraíba. O óleo foi extraído por arraste a vapor e caracterizado por Ressonância Magnética Nuclear (RMN) e cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG-EM). Cepas ATCC de Aggregatibacter actinomycetecomitans (A. actinomycetecomitans) e Porphyromonas gingivalis (P. gingivalis) foram utilizadas para avaliação da atividade antimicrobiana do OELS e dos constituintes majoritários por técnica de microdiluição em caldo. A forma farmacêutica desenvolvida foi de pasta de orabase com duas concentrações de OELS: 0,15 e 0,25%. Previamente aos ensaios clínicos, realizou-se experimento de citotoxicidade e avaliação de dano celular por MET (Microscopia Eletrônica de Transmissão) e de biofilme em MEV (Microscopia Eletrônica de Varredura). O ensaio clínico de fase I foi desenvolvido com 30 participantes que usaram três produtos: orabase placebo (P, n=10), orabase com 0,15% de OELS (A, n=10) e orabase com 0,25% de OELS (B, n=10). As avaliações foram no tempo zero (T0), antes do uso e após 6 horas de uso (T6), e pelas seguintes técnicas: citologia esfoliativa com coloração, contagem de células bacterianas na saliva e testes organolépticos. O RMN e CG-EM mostraram que o timol é o componente majoritário do OELS. Para A. actinomycetecomitans, a Concentração Inibitória Mínima (CIM) do OELS, TIM, CAR e CLX foi de 44,23, 48,25 e 28,45 e 0,042 mg/mL, respectivamente. Para P. gingivalis, esses valores foram: 39,30, 28,15 e 28,15 e 0,053 mg/mL. As associações com CLX indicaram efeito sinérgico. As imagens por MET mostraram dano de parede celular em ambos os microrganismos. As concentrações de OELS se mostraram citotóxicas no estudo clínico a partir de 0,15mgm/L e 0,25mg m/L. A formulação farmacêutica se mostrou estável em temperatura ambiente. Os resultados preliminares da pasta de orabase de 0,15% (A) indicam menor efeito antimicrobiano em T6, quando comparado com a pasta de 0,25% (B). Por outro lado, em T6 a pasta B resultou em alteração nas células da mucosa jugal, indicando possível efeito inflamatório. Conclui-se que OELS tem efeito antimicrobiano in vitro frente aos microrganismos relacionados com doenças do periodonto e tem efeito sinérgico com a CLX. Os experimentos indicam que o OELS possui atividade antimicrobiana in vitro, provavelmente relacionada ao componente majoritário (timol). A pasta de orabase com OELS tem potencial para uso clínico. A formulação de pasta orabase com OELS a 0,15% é segura para uso intraoral em curta duração e possui eficácia antimicrobiana in vivo. Em adição, a observação de efeito sinérgico do OELS permite inferir que é possível reduzir as concentrações de OELS, quando em associação com CLX, o que pode potenciar o efeito antimicrobiano e, simultaneamente, reduzir a citotoxicidade.
  • ELIZANDRA RIBEIRO DE LIMA PEREIRA
  • ”Bioprospecção de espécies de microalgas dulcícolas da região nordeste do Brasil para a produção de biocombustíveis".
  • Data: 28/03/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Microalgas sao organismos unicelulares, microscopicos e fotossinteticos, que podem produzir quantidades significativas de metabolitos de interesse biotecnologico. A presente pesquisa teve como objetivo estudar especies regionais de microalgas isoladas da regiao Nordeste do Brasil, (Paraiba, Piaui, Rio Grande do Norte e Bahia) quanto a sua capacidade de producao de lipidios e de outros compostos de interesse biotecnologico e seu desenvolvimento em meio alternativo de baixo custo. Entre as 10 especies estudadas foram identificadas 5 potenciais para a producao de biocombustivel: Scenedesmus quadricauda (D125WC) Coelastrum sp. (D193WC), Pediastrum boryanum (D231WC), Ankistrodesmus falcatus (D245WC) e Selenastrum gracilis (D458WC), com produtividade de biomassa entre 104,7 a 165,72 gL-1d-1e teores de esteres superiores ao da soja. As especies foram cultivadas em condicoes controladas e o cultivo acompanhado por contagens celulares e por medidas da fluorescencia “in vivo”. Parametros de crescimento foram acompanhados e comparados entre as especies e a partir da biomassa obtida determinou-se proteinas, carboidratos, lipidios, perfil de acidos graxos e potencial antioxidante. Realizou-se um experimento de cultivo em massa, efetuado em um tanque aberto (raceway) com capacidade de 13000 L, com a especie Scenedesmus quadricauda, em meio alternativo (biocomposto hortifrutis (BH)). Foram determinadas as principais propriedades fisico-quimicas do oleo de microalgas, oriundo da especie Scenedesmus quadricauda (D125WC), alem das caracterizacoes atraves da Espectroscopia de Absorcao na Regiao de Infravermelho (FTIR). Para a estabilidade termica e oxidativa das fracoes extraidas foram realizados analises de Termogravimetria (TG), Calorimetria Exploratoria Diferencial (DSC) e Rancimat. Analises foram realizadas na fracao insaponificavel identificando a presenca de compostos bioativos (Carotenoides) em grande quantidade (4050 μg/g), apresentando alto indice de antioxidantes sendo eficiente na constituicao de aditivos em biodiesel na adicao de 1,5%. O biodiesel obtido nao apresenta viabilidade para sua utilizacao puro em motores devido a sua alta viscosidade e indice de oxidacao pouco estabilizado, no entanto, apresenta viabilidade para sua insercao em blendas de biocombustivel. Os resultados desse estudo comprovam que especies isoladas da Regiao Nordeste do Brasil, apresentam-se viaveis para producao em larga escala, produzir biocombustiveis e outros agregados com alto valor para a industria de Biotecnologia.
  • ISABELA TATIANA SALES DE ARRUDA
  • ”Avaliação do perfil de regulação da expressão de genes envolvidos na tumorigênese, proliferação e malignidade de células leucêmicas, sem e sob tratamento, com o composto antitumoral A398”.
  • Data: 15/02/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A leucemia mieloide cronica humana, uma malignidade hematologica, e caracterizada por uma desordem de celulas estaminais e desregulacao do crescimento de celulas predominantemente mieloides na medula ossea gerando a acumulacao dessas celulas no sangue periferico. O composto A398, um produto semi-sintetico, analogo de podofilotoxina, vem sendo estudado pelo nosso grupo de pesquisadores. Nesse contexto, o nosso estudo avaliou a relacao entre a atividade anticancer do composto A398 na expressao de genes proinflamatorios e reguladores da morte celular, eventos moleculares inerentes ao surgimento da leucemia, visando a proposicao de novos alvos terapeuticos para o diagnostico, tratamento dessas malignidades. Inicialmente foi investigada a toxicidade do composto A398 frente as celulas K562 pelo metodo MTT. Nos observamos que o composto A398 na CI50 = 8 μM por 24h foi citotoxico para as celulas K562 e nao foi citotoxico para PBMC, grupo controle. Aanalise da expressao dos genes envolvidos nas caracteristicas tumorigenicas de K562, sem e sob o tratamento com o composto A398, foi realizada pela tecnica de macroarrays com sistema de aquisicao Taqman®. Inicialmente nos tracamos o perfil de expressao de genes, tais como STAT3, ISYNA1, TGFB1, HIF1A, VEGFA, CCR7, MMP9, ALOX5, CASP1, IL1B, IL6, IL8, NFKB1, TNFRSF11A, NFKB2, RELA, TNFA, cJUN, BCL2, BCL2L1, BAX, BAK1, BIN1, BID, PMAIP1, CYCS, CASP9, CASP8, CASP3, CASP7, FAS, FADD, CDK1, RAF1, CCNE1, RHEB, MTOR, CDK2, CDN1A, CDN1B e WNT1 envolvidos com os processos tumorigenicos relacionados a inflamacao e morte celular nas celulas K562, sem tratamento, comparadas as celulas saudaveis PBMC. Utilizamos os genes endogenos 18S,GAPDH, B2M e ACTB em nossos ensaios de expressao. Analisamos os genes cuja expressao relativa de mRNA apresentaram relevancia estatisticas para a elaboracao dos nossos resultados. Nossos dados demonstraram que as celulas K652 exibiam padrao de expressao genica que favorecia a progressao da leucemia, quando comparadas as celulas PBMC. Nos observamos que genes envolvidos na regulacao dos processos de proliferacao, invasao, e metastase de celulas K562, apresentaram alteracao no perfil de expressao quando tratados com o composto A398 favorecendo o surgimento e progressao de leucemia mieloide cronica. Os genes TNFRSF11A, STA3, CCR7, cJUN, TNFA e ALOX5 envolvidos na modulacao damRNA apresentaram relevancia estatisticas para a elaboracao dos nossos resultados. Nossos dados demonstraram que as celulas K652 exibiam padrao de expressao genica que favorecia a progressao da leucemia, quando comparadas as celulas PBMC. Nos observamos que genes envolvidos na regulacao dos processos de proliferacao, invasao, e metastase de celulas K562, apresentaram alteracao no perfil de expressao quando tratados com o composto A398 favorecendo o surgimento e progressao de leucemia mieloide cronica. Os genes TNFRSF11A, STA3, CCR7, cJUN, TNFA e ALOX5 envolvidos na modulacao daresposta inflamatoria foram inibidos nas celulas K562 tratadas pelo composto A398. Os genes antiapoptoticos BCL2 e FADD apresentaram sua expressao inibida em celulas K562 tratadas pelo composto A398. Os genes pro-apoptoticos PMAIP1, CYCS e BAX, apresentaram sua expressao aumentada em celulas K562 tratadas pelo composto A398. Nos realizamos o ensaio de citometria de fluxo, por meio da tecnica da externalizacao da fosfatidilserina em celulas K562 sob tratamento com o composto A398 a 8 μM por 24h e observamos que o composto induz morte celular. Nos sugerimos que o mecanismo de morte celular seria por necroptose. Nossos resultados demonstraram que o tratamento de celulas K562 com composto antitumoral A398 modula a expressao de genes envolvidos na tumorigenese, proliferacao e malignidade de celulas leucemicas e parece estar induzindo morte celular por necroptose, esses achados corroboram com o perfil anticancer do composto A398, bem como, cria perspectivas para uma nova rota de estudos para o composto A398 como agente antileucemico.
2018
Descrição
  • ANDREZZA MINÁ BARBOSA
  • "Processo para proteção cardíaca por meio de uso de porfirina MnTE-2-PYP5"
  • Data: 27/04/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Segundo a Organizacao Mundial de Saude (OMS) as doencas cardiovasculares lideram o ranking das causas de mortes no mundo, por conseguinte, representando um grave problema de saude publica. Nesse contexto, o objetivo da presente pesquisa foi investigar os efeitos da porfirina MnTE-2-PyP5+ em musculo cardiaco de ratos adultos. Para tanto utilizamos ratos Wistar de 250-300g, em experimentacoes in vitro e in vivo, analisando a dinamica intracelular de calcio, corrente de calcio do tipo L, frequencia de sparks de calcio, niveis de especies reativas de oxigenio, contratilidade nos planos celular, tecidual e coracao, em condicoes controle e tratados com MnTE-2-PyP5+, bem como analises de animais tratados cronicamente com 0,5 e 1 mg/kg, i.p. de MnTE-2-PyP5+. Adicionalmente, realizou-se analises ecocardiograficas e exames eletrocardiograficos ex vivo e in vivo. O tratamento agudo com 20 μM de MnTE-2-PyP5+ promoveu reducao no pico do transiente de calcio e na corrente de calcio, preveniu a producao de especies reativas de oxigenio quando em cardiomiocitos submetidos ao estresse com 100 nM de isoproterenol e causou aumento da liberacao de calcio pelo reticulo sarcoplasmatico. Em coracoes isolados, verificamos que a MnTE-2-PyP5+ nao promoveu alteracoes eletrocardiograficas relevantes na situacao basal, e preveniu arritmias no modelo de arritmia induzido por alta concentracao de calcio. Os exames ecocardiograficos realizados apos o tratamento cronico por 15 dias com de MnTE-2-PyP5+ (0,5 e 1 mg/dia, i.p.) revelaram que a porfirina nao causou alteracoes funcionais nem morfologicas no musculo cardiaco quando comparado ao grupo controle que recebeu salina 0,9% (1 mL/kg/dia, i.p.). O tratamento cronico com MnTE-2-PyP5+ (1 mg/kg/dia, i.p.) aumentou o pico do transiente de calcio e o estoque intracelular de calcio. No modelo de arritmia in vivo, constatamos uma significativa reducao no escore de arritmias, na severidade e na duracao dos eventos arritmicos nos animais tratados com MnTE-2-PyP5+ (1 mg/kg/dia, i.p.). Assim, os dados demonstram o efeito cardioprotetor exercido pela MnTE-2-PyP5+, tanto na manutencao da funcao contratil com reducao da sinalizacao de calcio, como pela atividade antiarritmica, indicando um grande potencial clinico para tratamento de arritmias associadas a disfuncao contratil.
  • BRUNA BRAGA DANTAS
  • “Caracterização do efeito anticâncer da lectina Canavalia brasiliensis”.
  • Data: 02/02/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Alteracoes no padrao de glicosilacao durante o processo de carcinogenese vem favorecendo o reconhecimento de celulas cancerigenas para diagnostico, determinacao da progressao do cancer e desenvolvimento de estrategias terapeuticas. Assim, lectinas tem demonstrado promissores resultados em estudos anticancer, por serem capazes de reconhecer carboidratos especificos. Desta forma, este estudo avaliou o potencial anticancer da lectina de Canavalia brasiliensis (ConBr) e produziu uma formulacao ConBr-lipossomo. Para isso, foi realizado ensaio de avaliacao da viabilidade celular (MTT) em linhagens humanas de leucemia mieloide cronica (K562 e K562-Lucena), leucemia monocitica aguda (THP-1) e melanoma (SKAMEL), tambem sendo avaliado o efeito na linhagem de melanoma murino (B16-F10), em linhagem humana nao cancerigenas (HUVEC) e em cultura primaria de celulas mononucleares de sangue humano periferico (PBMC), posteriormente foi caracterizado o mecanismo de morte celular por citometria de fluxo. Foi comprovado que em 24 h de incubacao, a ConBr induz morte celular na linhagem THP-1, com uma CI50 de 89,9 ± 1,4 μg.mL-1, e na linhagem nao cancerigena HUVEC, com CI50 de 50,6 ± 1,3 μg.mL-1, este efeito tambem foi observado apos 72 h de incubacao na linhagem K562 e em CMSP, com CI50 de 34,5 ± 1,3 e 10,5 ± 1,2 μg.mL-1, respectivamente. Este efeito citotoxico foi comprovado com aumento da fracao sub G1, indicando danos ao DNA. Nas linhagens leucemicas THP-1 e K562, o aumento de sub G1 foi induzido a partir de 3 h de incubacao, com valores de 30,2 ± 0,3 e 32,8 ± 4,7 %, respectivamente. Apos 24 h de incubacao, tambem foi observado aumento da despolarizacao mitocondrial com 73,2 ± 0,3 % e 63,4 ± 5,9 %, respectivamente para a linhagem THP-1 e K562, tendo como consequencia o aumento de EROs, e quando incubadas com o antioxidante N-acetilcisteina (NAC), o efeito da lectina foi inibido. Essas caracteristicas corroboram com ativacao de morte celular programada, sendo mostrado que a lectina, na linhagem K562, aumentou a formacao de organelas vesiculares acidas (AVOs) (26,0 ± 3,7 %) e induziu danos a membrana plasmatica (11,5 ± 3,3 %), e na linhagem THP-1, causou externalizacao da fosfatidilserina (62,2 ± 3,2%), aumentou a expressao de proteina p53 (42,3 ± 10,6 %), aumentou o citocromo c intracitoplasmatico (23,0 ± 2,9 %) e ativou a caspase-3 (30,7 ± 0,4 %). Estes efeitos dependem da integridade estrutural da lectina, que foi mantida no interior de um lipossomo composto de fosfatidilcolina com 10mM de DODAC (cloreto de dioctadecildimetilamonio), diante da variacao de temperatura de 2 a 130 °C, e em distintos pH (3,0; 7,4; 9,0). Conclui-se que a ConBr demonstrou um potencial efeito antileucemico, apresentando acao citotoxica seletiva para linhagem THP-1 com ativacao de apoptose intrinseca, e inducao de autofagia na linhagem leucemica resistente, K562, sendo possivel manter a sua estrutura quaternaria em condicoes diversas de temperatura e pH.
2017
Descrição
  • PATRÍCIA MARIA DE FREITAS E SILVA
  • ”Avaliação Antimicrobiana de Catéter Urinário Impregnado com Sal de Criptolepina Associado com Antibiótico”.
  • Data: 15/12/2017
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • As infeccoes urinarias em pacientes com cateteres vesicais sao infeccoes hospitalares frequentes com elevadas morbidade e mortalidade. O objetivo do presente trabalho foi desenvolver, caracterizar e avaliar in vitro um bioproduto antimicrobiano elaborado a partir da associacao de um produto natural (sal de criptolepina) e um antibiotico convencional (ampicilina) para revestimento de cateteres urinarios com o proposito de inibir a formacao de biofilmes, objetivando reducao de infeccoes urinarias. Foram realizados testes laboratoriais de concentracao inibitoria minima para Staphylococcus aureus, Streptococcus mutans, Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa e Candida albicans, e experimentos de associacao de antimicrobianos (checkerboard) utilizando o sal de criptolepina, ampicilina e gentamicina. Experimento do tempo de morte de Pseudomonas com criptolepina associada ou nao a ampicilina foi conduzido, alem de testes de biofilme e potencial de toxicidade, usando membrana corioalantoide de ovos embrionados, alem de estudos in silico e testes de citotoxicidade usando hemacias. Apos a impregnacao da associacao sal de criptolepina-ampicilina no cateter urinario em diferentes concentracoes, foi realizada a cinetica de liberacao da ampicilina do cateter em diferentes tempos. O sal de criptolepina produziu concentracoes inibitorias minimas (CIMs) de 15-200 μg/mL para todos os micro-organismos testados e inibiu 40% do biofilme dinamico de Pseudomonas aeruginosa ATCC 27853 em 10 minutos de exposicao. O valor da CIM da combinacao de criptolepina mais ampicilina e gentamicina demonstrou um efeito sinergico e aditivo, respectivamente. Considerando a curva de morte microbiana, quando associada a ampicilina, o sal da criptolepina atingiu o estagio bactericida mais cedo que quando nao associado. O biofilme de Pseudomonas aeruginosa ATCC 27853 na superficie de cateter de latex embebido em urina e impregnado com a associacao ampicilina+sal de criptolepina, foi inibido com 2μg/mL (CIFx16), concentracao 100 vezes menor que o valor da CIM do sal nao associado. A cinetica de liberacao do cateter impregnado com os antimicrobianos demonstra que houve liberacao de penicilina por ate 15 dias. Em relacao aos estudos in silico, o sal de criptolepina demontrou estar dentro dos limites estabelecidos pelas regras de Lipinski. Quanto aos testes citotoxicos com hemacias, e o teste de toxicidade usando membrana corioalantoide, o sal de criptolepina demonstrou apresentar perfil adequado para ser usado como antimicrobiano. O bioproduto sal de criptolepina associado a ampicilina mostrou-se favoravel para revestimento de cateteres urinarios objetivando prevencao de infeccoes urinarias.
  • LAÍS CAMPOS TEIXEIRA DE CARVALHO GONÇALVES
  • ”Bioprospecção de fungos celulolíticos provenientes da agroindústria para produção de bioetanol”
  • Data: 23/02/2017
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A producao de bioetanol, a partir de biomassa lignocelulosica, e uma das alternativas mais promissoras para a substituicao de combustiveis fosseis. Muitas pesquisas tem utilizado enzimas como celulases (CMCase, FPase, β-glicosidase) e hemicelulases (xilanase) na transformacao dessa biomassa para producao de bioetanol. Neste contexto, o presente estudo objetivou isolar micro-organismos produtores de celulases e xilanase e otimizar a sua producao para utilizacao em processos de hidrolise da biomassa, visando a producao de bioetanol. Inicialmente, 33 colonias fungicas foram isoladas de amostras de solo e torta de filtro da Usina Agroindustrial Japungu, Santa Rita – PB, das quais se destacaram: Penicillium sp. FSDE15 e Aspergillus sp. FSDE16. Penicillium sp. FSDE15 demonstrou produzir celulases e xilanases em fermentacao de estado solido (FES) e fermentacao de estado submerso (FSm), com o farelo de trigo sendo o melhor substrato indutor destas enzimas. A producao de celulases e xilanase por Aspergillus sp. foi observada apenas em FES com farelo de trigo como substrato. As condicoes iniciais para producao enzimatica por Aspergillus sp. e Penicillium sp. em FES foram: 37o C, 50 % de umidade e concentracao do inoculo (CI) de 106 esporos/g de meio solido. Apos a realizacao de um planejamento experimental (PE), as condicoes otimas para producao enzimatica por Aspergillus sp. foram: 32o C, CI de 105 esporos/g e 60 % de umidade, com um aumento na atividade de CMase, β-glicosidase e xilanase, nessas condicoes, de 30, 45 e 172 %, respectivamente, em relacao aos valores inicialmente encontrados. A temperatura otima para atividade CMCase e xilanase foi 60° C e o pH otimo dessas enzimas foi 4,0 e 6,5 para CMCase e xilanase, respectivamente. Para β-glicosidase, o pH e a temperatura otimos foram 5,0 e 70° C. Estudos para avaliacao do melhor solvente (citrato de sodio, acetato de sodio, NaCl, Tween 80 e agua destilada) e das melhores condicoes de extracao enzimatica na FES foram realizados. Todos os solventes apresentaram a mesma eficiencia na extracao, e mantiveram cerca de 45 % da atividade CMCase apos 120 dias de incubacao a 8o C. As condicoes iniciais de extracao foram: temperatura ambiente, 60 min, sem agitacao, razao solvente x substrato (RSS) 5:1. A partir do PE, as melhores condicoes de extracao obtidas foram: temperatura de 20o C, 20 min, sem agitacao e RSS 15:1, com aumento de 85 % na atividade CMCase. A otimizacao da producao de celulases e xilanase por Penicillium sp., em FES, favoreceu uma alta atividade de CMCase (65,89 U/g), FPase (0,54 U/g), β-glicosidase (347,67 U/g) e xilanase (902,4 U/g). As enzimas produzidas por Penicillium sp. (EP) foram utilizadas para realizacao da hidrolise enzimatica do bagaco de cana-de-acucar com e sem pre-tratamento com NaOH (4 %) em comparacao com a acao da enzima comercial Celluclast (EC). EP foi mais eficiente na hidrolise dos dois tipos de bagaco que ECC, promovendo a conversao de 90 % da celulose, do bagaco de cana pre-tratado com com NaOH, em glicose. A glicose, uma vez fermentada por S. cerevisiae, foi convertida em etanol (4,9 g/L em 8 h). Desta forma, o coquetel enzimatico produzido por Penicillium sp. FSDE15 demonstrou ser um excelente candidato em processos de hidrolise enzimatica para producao de bioetanol, sem a necessidade de suplementacao com outras enzimas.
  • ISABELA ALBUQUERQUE PASSOS FARIAS
  • DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO IN VITRO DE REVESTIMENTO DE FIO DE SUTURA COM NANOPARTÍCULAS ANTIMICROBIANAS
  • Data: 26/01/2017
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A infeccao de sitio cirurgico e uma complicacao frequente em cirurgia convencional. Os objetivos deste trabalho foram desenvolver e avaliar a aderencia bacteriana e atividade antimicrobiana in vitro de um revestimento de fio de sutura com nanoparticulas de oxido de cerio (CeNP). As nanoparticulas foram adsorvidas as amostras de fio de sutura na concentracao de 9,3% por carreamento com acido palmitico. Nos testes antimicrobianos, foram inoculadas onze cepas de Candida albicans (ATCC 1106, ATCC 26645, ATCC 60193, ATCC 76485, ATCC 76645, LM 38, LM 62, LM 65, LM 92, LM 157 e LM 227), Escherichia coli (ATCC 25922), Staphylococcus aureus sensivel a meticilina (ATCC 15656) e Staphylococcus aureus resistente a meticilina (LL2). Concentracao inibitoria minima, concentracao fungicida minima e cinetica de crescimento foram conduzidas na avaliacao de atividade antimicrobiana das nanoparticulas. A toxicidade de CeNP foi determinada em Artemia salina e camundongos. A capacidade antioxidante das CeNPs foi determinada pelo sequestro do radical livre 2,2-difenil-1-picrilhidrazil. O teste de aderencia bacteriana pela formacao de biofilme avaliou a atividade antimicrobiana do revestimento do fio de sutura cirurgico. A solucao de revestimento foi preparada na concentracao de 9,3% de CeNPs. Teste t-Student foi aplicado. O nivel de significancia adotado foi de 5%. A concentracao inibitoria minima de CeNP entre microorganismos apresentou valor maximo de 22,5 (± 7,07) mg/ mL (9,3%) para S. aureus. As nanoparticulas nao induziram toxicidade em A. salina, enquanto nos camundongos, observou-se dose letal de 50% superior a 2000 mg/kg. Significativa reducao (p< 0,05) da aderencia de E. coli (48,45%), S. aureus sensivel (99,7%) e resistente (91,33%) a meticilina foi observado. Esse estudo sugere as CeNP no desenvolvimento de novos dispositivos e produtos terapeuticos no tratamento de infeccoes pela atividade antimicrobiana significativa e baixo perfil de toxicidade. O revestimento antimicrobiano de CeNP no fio de sutura reduziu a aderencia microbiana em modelo de biofilme estatico, sendo candidato aos testes clinicos para avaliacao de eficacia clinica e seguranca.
2016
Descrição
  • PRISCILLA ANNE CASTRO DE ASSIS
  • Produção e caracterização de polihidroxibutirato produzido por bactérias isoladas de resíduo agroindustrial
  • Data: 19/04/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O lixo urbano tem sido apontado como um dos maiores poluentes ambientais e uma alternativa aos plasticos de origem petroquimica e a producao de plasticos biodegradaveis utilizando polimeros bacterianos como o polidroxibutirato (PHB). Neste contexto, o objetivo deste estudo foi o isolamento de bacterias a partir do residuo torta de filtro oriunda de cana-de-acucar e testa-las quanto a capacidade de producao de PHB, em diferentes condicoes de cultivo, assim como caracterizar estruturalmente os polimeros produzidos. Foram isoladas seis bacterias produtoras: Streptomyces regensis, Sphingomonas desiccabilis, Nocardiopsis flavescens, Gordonia paraffinivorans, Bacillus safensis e Bacillus megaterium. A linhagem Cupriavidus necator CCT 2489, foi utilizada como padrao de producao de PHB. Investigou-se a producao do biopolimero em meio minimo desbalanceado (MMD), com diferentes fontes de carbono, sendo purificados e caracterizados, por espectroscopia em infravermelho e por cromatografia gasosa. Observou-se que o polimero produzido por B. megaterium apresentou picos e tempo de retencao semelhante aos observados para o PHB comercial, alem de apresentar uma producao de 11,90 g/L e uma taxa de acumulo de 73,24% de PHB, apos 72 h de cultivo em MMD, quando se utilizou sacarose comercial, como fonte de carbono, sendo estes resultados semelhantes aos observados em C. necator, quando cultivada em MMD, contendo glicose comercial. O caldo de cana-de-acucar tambem foi utilizado para producao do polimero por B. megaterium, na qual a producao maxima obtida foi de 10,65 g/L, com acumulo de 71,22% de PHB. Entretanto, apos o processo de otimizacao, utilizando o metodo de superficie de resposta, com os parametros, pH 7,5, temperatura a 32 ºC e 30 g/L de fonte de carbono (caldo de cana-de-acucar), os valores de producao e acumulo do polimero foram aumentados, alcancando um maximo de 17 g/L e 78%, respectivamente. Estes mesmos parametros tambem foram utilizados nos experimentos em biorreator de bancada, tendo o B. megaterium apresentado reducao no tempo de producao, onde em apenas 8 h de fermentacao observou-se uma producao proxima de 2,75 g/L.h-1 e acumulo de 88% de PHB. Desta forma, os resultados mostram que residuos agroindustriais, como torta de filtro, sao fontes de isolamento de bacterias produtoras de PHB e que o caldo de cana-de-acucar pode ser utilizado com fonte energetica na producao de PHB, permitindo uma producao economicamente mais viavel do biopolimero, alem de contribuir para a reducao da geracao de residuos.
  • MARIA SORAYA PEREIRA FRANCO ADRIANO
  • "Estudo de Biomarcadores em Humanos para Fluorose Óssea".
  • Data: 01/04/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A fluorose óssea é uma doenca metabolica cronica, causada pela alta concentracao do fluor ingerido ou inalado. Tem como principal consequencia alteracoes e deformidades ósseas levando a incapacidade. Mordidade de difícil diagnóstico, devido aos sinais pré- clinicos assemelhar-se a de outras doenças ósseas, gerando problemas para a realização do diagnóstico. Neste sentido, este estudo epidemiológico, observacional, transversal e descritivo teve como objetivo mapear biomarcadores de exposição, clínicos, radiológicos e moleculares para fluorose óssea . A amostra constitui inicialmente de 103 indivíduos de ambos os sexos e variadas faixas etárias. Sendo 45 analisados quanto a identificação do biomarcador radiológico e 25 monitorados quanto ao marcador bioquímico e proteômico. Para investigação das concentrações de ingestão de flúor na região foi realizada a coleta de água para consumo e para identificação das amostras quanto a exposição ao fluoreto foram avaliados os biomarcadores:urina (25 horas) ambos realizado através do método direto com TISAB II e III respectivamente e a dosagem da unha e cabelo, pelo meio indireto por difusão com hexametildisiloxano (HMDS). As radiografias foram realizadas em aparelho Kodak K 9000 C 3D (pelo mesmo operador) com exposição de 16 s, 10 mA, 60- 70 Kvp e dose de entrada de pele (DEP) máxima de 5 mGy. Os indivíduos foram submetidos a radiografias panorâmicas (digital) em aparelhos de RX do mesmo modelo e em condiç ões similares. Para os parâmetros bioquímicos foram realizados hemograma completo, dosagem hormonal, dosagem de cálcio e enzimologia (creatina e fosfatase alcalina). Para identificação de proteomas utilizou-se espectometria de massa (MALDI- TOF). Os dados foram avaliados por meio do Programa Statistical Package for Social Sciences (SPSS) versão 18, com p<0,005. Os resultados apontaram que 46% da água presente em poços artesianos em São João do Rio do Peixe-PB, apresentam [F] acima do valor ideal de 0,7mg/L para ingestão de água para consumo humano e 84% aponta valores acima de1,5mg/L, sendo indicativo de fluorose na região. A média de idade foi de 50 anos, com predomínio de mulheres, a amostra apresentou um tempo de exposição em torno de 40 anos. Quanto a sintomatologia 85 relataram dor, destes 77% (qui-quadrado), apresentam mais de 3 regiões acometidas. Porém a região lombar foi a variável indicativa de presença de fluorose óssea (regressão linerar, p<0,005). No que concerne o biomarcador radiológico, verifica-se que as condições ósseas mais discriminantes: osteopenia, ossificação dos tecidos moles, deformidades ósseas, densidade da maxila, e cortical fina de maxila e mandíbula. Houve divergência na avaliação entre ortodontistas e radiologias. A radiografia panorâmica se mostrou como um recurso auxiliar e apenas indicativa de alterações ósseas relacionadas com a fluorose óssea, não podendo ser discriminatória nos casos de fluorose óssea de graus I e II. Quanto as biomarcadores de exposição foi evidenciado. As variáveis bioquímicas que o volume médio excretado foi de 890 ml em 24 h, cuja concentracão continha uma média de 3,9 mg / litro F(0,2-3,2 VR), constatando uma excreção elevada. A concentração média da unha encontrado foi de 14,2 sendo o mais elevado nível de concentração já registrada, provavelmente devido à captura de difusão de F pelo HMDS. Cálcio sérico teve uma média de 9,0 mg / dl (8,9-10,3VR); fósforo, 3,8 mg / dl (2,4-4,7 VR); fosfatase alcalina, 288 UI / litro (32-91 VR); específica do osso da fosfatase alcalina, 96 ug / litro (4,5-16,9 VR); osteocalcina, 309 ng /ml (11-50 VR); e PTH, 203 pg/ml (10-65 VR). Eletrólitos, glicose, albumina, uréia e creatina estavam com 70% normais, assim como contagem de plaquetas. Entre os grupos estudados doentes e não doentes, não houve diferenças entre os grupos, segundo o teste de Mann-Whitney, p<0,05. Para análise proteômica, verificou-se a presenç a de uma grande quantidade de proteínas no soro, estando os doentes mais alterado quando comparado com o outro grupo. A saliva poucas proteínas foram encontradas. Os dados indicam que a espectometria de massa é capaz de detectar proteínas diferecialmente expressa. Podendo ser útil para identificação de biomarcadores para F, além de ajudar no avanço do mecanismo envolvido da fluorose óssea.
  • VIVIANA LA ROCCA
  • Atividade antinociceptiva do geraniol: Estudos comportamentais e eletrofisiológicos
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A elevada incidencia da dor na populacao em geral tem incentivado as pesquisas entorno desse tema. Produtos oriundos de especies vegetais tem sido amplamente utilizados no tratamento farmacologico de alivio da dor. Estudos recentes tem relatado o importante papel dos monoterpenos, principios ativos encontrados nos oleos essenciais de plantas aromaticas, tendo relevante potencial analgesico e anti-inflamatorio. O geraniol (GER) e um alcool monoterpenico, encontrado no oleo essencial de >160 especies vegetais, especialmente do genero Cymbopogon. Na literatura consultada, pesquisas apontam varias propriedades bioquimicas e farmacologicas para o GER: antitumoral, antimicrobiana, anti-inflamatoria, antioxidante, de protecao gastrica e intestinal, neuroprotetora e antiarritmica. Neste estudo foi avaliada a atividade antinociceptiva do GER, ainda nao relatada, mediante modelos animais comportamentais e eletrofisiologicos in vitro. Foram utilizados camundongos machos e femeas Swiss adultos. Inicialmente, foi investigada a toxicidade aguda do GER mediante calculo da dose letal 50 (DL50) pela via intraperitoneal (i.p.) (=199,9 mg/kg) e oral (v.o.) (>1 g/kg). Na triagem psicofarmacologica, apos a subministracao de doses unicas de GER (i.p. e v.o.) foram observadas alteracoes comportamentais que indicaram perfil depressor do sistema nervoso central (SNC) e/ou periferico (SNP), e relevante efeito antinociceptivo do geraniol. Portanto, foram realizados testes comportamentais de avaliacao de propriedade antinociceptiva mais especificos. O GER (12,5; 25 e 50 mg/kg i.p. e 50 ou 200 mg/kg v.o.) reduziu (p<0,001) o numero de contorcoes abdominais induzidas por injecao i.p. de acido acetico, quando comparado com o controle. O antagonista opioide naloxona (5 mg/kg) administrado pela via subcutanea (s.c.) em camundongos, subsequentemente tratados com GER (25 mg/kg i.p.), nao reverteu sua atividade antinociceptiva. O GER (12,5; 25 e 50 mg/kg i.p.) reduziu (p<0,001) o tempo de lambida da pata na segunda fase (15-30 min, fase inflamatoria) do teste da formalina. Tambem, no teste do glutamato houve reducao (p<0,01) do tempo de lambida da pata quando administrado GER 50 mg/kg i.p. Em uma etapa subsequente, investigou-se o efeito do GER sobre a excitabilidade de fibras nervosas perifericas, mediante registro extracelular em nervo ciatico de camundongo. O GER apresentou efeito depressor do potencial de acao composto (PAC), o qual foi parcialmente revertido apos lavagem durante o periodo de recuperacao. O GER bloqueou as componentes do PAC, de maneira dependente da concentracao e do tempo de exposicao a droga: 1 mM aos 120 min para a primeira componente (fibras Aγ e Aβ) e 0,6 mM aos 90 min para a segunda (fibras Aγ e Aδ). Foi calculada para o GER, a concentracao que induz 50% de inibicao da amplitude pico-a-pico do PAC (CI50), sendo igual a 0,48±0,04 mM. A velocidade de conducao tambem, foi reduzida pela exposicao ao GER, a partir da concentracao de 0,3 mM para a 1ª componente [46,18±2,60 m/s para 36,04±1,60 m/s; p<0,05 (n=7)] e para a 2ª componente [18,37±1,31 m/s para 12,71±0,56 m/s; p<0,001 (n=7)]. Em conclusao, os resultados obtidos mostram que o GER tem atividade antinociceptiva, principalmente na dor relacionada a inflamacao. A participacao da via opioide no seu mecanismo de acao e pouco provavel, mas a modulacao da neurotransmissao glutamatergica de maneira dependente da dose e um mecanismo possivel. Sua atividade antinociceptiva tambem, esta relacionada a reducao da excitabilidade neuronal periferica, primeiramente de fibras mais finas como Aδ, ligadas diretamente a conducao da dor.
  • SUÊNIA KARLA PACHECO PORPINO SAMPAIO
  • NITRATO ORGÂNICO 2-NITRATO-1,3-DIBUTOXIPROPANO (NDBP) ATENUA O ESTRESSE OXIDATIVO E A HIPERTENSÃO ARTERIAL MEDIADA POR ANGIOTENSINA II VIA PRODUÇÃO DE ÓXIDO NÍTRICO EM ANIMAIS EXPERIMENTAIS
  • Data: 22/02/2016
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Doadores de oxido nitrico (NO) podem atuar no controle e tratamento de diversas complicacoes cardiovasculares, como por exemplo, a hipertensao arterial. Em particular, um nitrato organico, 2-nitrato-1,3-dibutoxipropano (NDBP) desenvolvido nos ultimos anos pela UFPB vem apresentando grande potencial terapeutico. No entanto, seus mecanismos nao estao totalmente esclarecidos. Objetivo: Investigar os efeitos e os mecanismos de acao do NDBP, elucidando seu potencial terapeutico na hipertensao arterial induzida por Angiotensina II (ANG II). Metodos: Na primeira etapa do estudo foram realizados experimentos in vitro em tecidos de ratos Wistar normotensos (n=11) para caracterizacao do composto, sobre sua capacidade de liberacao de NO, por meio da medida direta de NO; e modulacao da atividade da enzima NADPH oxidase, pela tecnica de quimioluminescencia. Na segunda etapa do estudo, experimentos in vivo em camundongos C57BL/6J (n=24), classificados em quatro grupos (Controle, NDBP, ANG II e ANG II + NDBP), foram realizados para investigar o potencial terapeutico do NDBP na hipertensao induzida por ANG II. Os animais tiveram implante de minibombas osmoticas contendo ANG II (400 μg/kg/24h) e apos 9 dias receberam tratamento com NDBP (40 mg/kg/dia; i.p.). A pressao arterial (PA) foi verificada via pletismografia de cauda. Ao termino dos experimentos, os animais foram eutanasiados e tecidos e sangue foram coletadas para analise posterior. Analises histopatologicas foram realizadas utilizando a coloracao com Picro-sirius. Os niveis de superoxido foram mensurados por meio da atividade da enzima NADPH oxidase, via quimioluminescencia e fluorescencia com DHE (5 mmol·L−1). Alem disso, os niveis sericos de nitrato/nitrito e cGMP foram realizados, utilizando kits especificos. Foi investigada tambem a expressao de subunidades da enzima NADPH oxidase pela tecnica de qPCR em tempo real e a possivel atividade antioxidante por meio da autoxidacao com pyrogallol. Resultados: os experimentos in vitro utilizando tecidos de figado e rim revelaram um aumento dose-dependente na producao de NO, mediado pelo NDBP, que foi atenuado pelo inibidor da enxima xantina oxidase, o febuxostato. Alem disso, o NDBP reduziu a atividade da NADPH oxidase e preveniu sua ativacao induzida pela ANG II. Os experimentos in vivo mostraram que o NDBP previne o aumento da hipertensao arterial em camundongos com infusao cronica de ANG II. Esses resultados foram associados a atenuacao da hipertrofia cardiaca, fibrose renal, e reducao do estresse oxidativo mediado pela reducao da atividade da enzima NADPH oxidase nos rins, coracao e figado. Alem disso, o NDBP aumentou os niveis plasmaticos de nitrito e nitrato. Por outro lado, a autooxidacao com pyrogalol revelou que o NDBP nao atua como um antioxidante direto, justificando entao sua participacao na modulacao da NADPH oxidase. Conclusao: o nitrato organico NDBP impede a progressao da hipertensao arterial mediada pela angiotensina II. Em relacao aos seus mecanismos, os achados sugerem que o tratamento com NDBP esta associado a uma continua liberacao de NO e reducao da atividade da enzima NADPH oxidase, que parece ser dependente da xantina oxidase funcional.
2015
Descrição
  • NAIANE FERRAZ BANDEIRA ALVES
  • Óleo de coco virgem reduz o estresse oxidativo e melhora a sensibilidade do barorreflexo quando associado ao treinamento físico em ratos hipertensos
  • Data: 10/12/2015
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Testamos a hipótese de que a suplementação com óleo de coco virgem (OCV) associada ao treinamento físico é capaz de melhorar a sensibilidade do barorreflexo (SBR) e de reduzir o estresse oxidativo (EO). Além disso, os efeitos promovidos pelo ácido láurico (AL), um dos constituintes majoritários do OCV, nos parâmetros cardiovasculares e EO em ratos espontaneamente hipertensos (SHR) também foram testados. Na primeira etapa do estudo utilizamos animais SHR e Wistar Kyoto (WKY) adultos, divididos em cinco grupos: WKY + salina (n = 8); SHR + salina (n = 8); SHR + óleo de coco (2 mL·dia-1, n = 8); SHR + treinamento (n = 8); e SHR + treinamento + óleo de coco (n = 8). O protocolo de natação teve duração de 60 minutos e sobrecarga de 4% da massa corporal dos animais. A pressão arterial média (PAM) foi registrada e a SBR foi testada usando fenilefrina (8 μg.kg-1, i.v) e nitroprussiato de sódio (25 μg·kg-1, i.v). O EO foi quantificado utilizando dihidroetídio por microscopia de fluorescência no coração e aorta. Os grupos SHR + Óleo de coco, SHR+ treinamento e SHR + treinamento + óleo de coco apresentaram menores níveis de PAM, comparado ao grupo SHR + salina (148 ± 6, 147 ± 7, 134 ± 8 vs. 175 ± 6 mmHg; p <0,05). O OCV associado ao treinamento físico melhorou a SBR em SHR em comparação com o grupo SHR + salina (-2,47 ± 0,3 vs. -1,39 ± 0,09 bpm·min-1·mmHg-1; p<0,05). O grupo SHR + salina apresentou níveis elevados de superóxido, quando comparados com WKY + salina (774 ± 31 vs. 634 ± 19 unidades arbitrárias (u.a), respectivamente; p <0,05). O grupo SHR + treinamento + óleo de coco apresentou redução do EO em comparação com SHR + salina no coração (622 ± 16 vs. 774 ± 31 u.a, p <0,05). Em tecidos de aorta, o óleo de coco reduziu o EO em SHR em comparação com SHR + salina (454 ± 33 vs. 689 ± 29 u.a, p <0,05). Na segunda etapa do trabalho, observamos que o AL promoveu hipotensão a partir das doses de 3, 4, 8 e 10 mg/kg, quando comparado com o veículo (-41 ± 9,4; -41±6; -51,7 ± 8,1; -61 ± 11 vs. -1,3 ± 0,4 mmHg; n=6, respectivamente). O AL (10-8 a 3x10-3 M) induziu vasorrelaxamento em anéis de artéria mesentérica cranial isolada de SHR, na presença ou na ausência do endotélio funcional (Emax = 104,1 ± 2,8% e pD2= 4,1 ± 1,4; n=7 vs. Emax =103,5 3,7 pD2=3,3 ± 0,5; n=8, respectivamente). O AL (10-3 M) reduziu a produção de ânion superóxido no tecido cardíaco e renal respectivamente, quando comparados com tecidos apenas na presença de NADPH oxidase, (18,1 ± 0,7; 9,5 ± 0,3 vs. 25,3 ± 0,4 UML/min/μg proteína, respectivamente) e (81,9 ± 2,8; 79 ± 1,3; vs. 99 ± 4,3 UML/min/μg proteína, respectivamente). Concluímos que a suplementação com OCV associada ao treinamento físico reduziu o EO e melhorou a SBR que estava reduzida durante a hipertensão arterial. Além disso, os efeitos benéficos do OCV alcançados parecem ser oriundos do AL presente no óleo vegetal.
  • MARIA DO SOCORRO RAMOS DE QUEIROZ
  • Desenvolvimento e avaliação de alimentos funcionais a partir da farinha do maracujá amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Deg): uma terapia complementar para pacientes diabéticos
  • Data: 17/07/2015
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A farinha da casca do maracuja (FCM), considerada residuo agroindustrial, contem alto teor de fibras e pode servir para o enriquecimento de produtos alimenticios, considerados alimentos funcionais. Os objetivos do presente trabalho, foi realizar uma Revisao Sistematica sobre Fibra Alimentar (FA), avaliar o potencial do uso de fibra da FCM na prevencao e no controle de Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) e desenvolver, como inovacao tecnologica, quatro alimentos funcionais. No primeiro capitulo foi realizada uma revisao sistematica, nas bases de dados MEDLINE, PubMed e Cochrane, para avaliar a eficacia da fibra soluvel e insoluvel no controle DM2. Em todos os Ensaios Clinicos Randomizados (ECR) analisados observou-se associacao positiva entre consumo de fibras e controle de glicemia em pacientes com DM2. O segundo capitulo descreveu um estudo empirico, envolvendo 43 voluntarios com DM2 (28 do genero feminino e 15 do genero masculino) que ingeriram diariamente 30g FCM por um periodo de dois meses. Apos a suplementacao, houve diferenca nos valores de glicemia em jejum (p=0,000), de HbA1c (p=0,032) e reducao do Homeostasis Model Assessment-insulin resistance (HOMA RI) (p=0,005). O uso de FCM diminuiu a resistencia a insulina nos pacientes DM2, sugerindo uma acao positiva no controle da glicemia como terapia complementar dos tratamentos convencionais. Por fim, o terceiro capitulo descreveu a elaboracao de quatro formulacoes de alimentos funcionais, pao de forma integral contendo 10% e 20% de FCM e barra de cereal diet nas mesmas concentracoes. Foram determinadas analises de caracteristicas fisico-quimicas, sensoriais e microbiologicas conforme as diretrizes gerais da RDC nº 12 de 02 de janeiro de 2001 da Agencia Nacional de Vigilancia Sanitaria do Ministerio da Saude e os metodos recomendados pelo Ministerio da Agricultura, Pecuaria e Abastecimento. As Informacoes Nutricionais foram calculadas de acordo as Resolucoes RDC nº 360, de 23 de dezembro de 2003 e para os testes sensoriais de aceitacao e intencao de compra foi utilizada uma escala hedonica de 5 pontos e avaliada por 55 provadores. As modificacoes mais significativas na composicao dos alimentos processados foram verificadas nos teores de proteinas, lipidios, carboidratos, fibras e valores caloricos. A formulacao mais aceita foi a barra com 10% da FCM. A vida de prateleira do pao processado correspondeu a sete dias enquanto que a das barras foi de 120 dias. A adicao FCM provocou aumento significativo nos teores de fibras, tornando os paes e as barras de cereais alimentos de alto teor de fibra.
  • THALITA CRISTINA FIGUEIREDO CUNHA
  • Investigação genética de casos de deficiência intelectual em populações consanguíneas do sertão paraibano
  • Data: 06/07/2015
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Uma parte das populacoes do Nordeste brasileiro esta relativamente isolada geograficamente e mantem, ha varias geracoes, a tradicao de casamentos consanguineos. Esses dois fatores associados (isolamento e endocruzamento) elevam o risco de nascimento de pessoas com deficiencia intelectual com heranca genetica autossomica recessiva. O objetivo deste trabalho foi determinar as causas geneticas da deficiencia intelectual em duas grandes familias consanguineas do sertao paraibano. Em 2012, nosso grupo de pesquisa realizou um estudo epidemiologico para determinar a contribuicao de fatores geneticos na determinacao das deficiencias em seis municipios do sertao paraibano selecionados previamente por apresentarem elevada taxa de consanguinidade. As familias que apresentavam repeticoes de individuos com doencas neurodegenerativas e/ou deficiencia intelectual (DI) foram convocadas pelos agentes comunitarios de saude para uma primeira triagem, realizada pelos biologos geneticistas, a fim de selecionar pacientes que apresentavam deficiencia por provaveis causas geneticas. No total, foram triados 276 pacientes, sendo que, 109 foram selecionados para avaliacao medica com neurologistas. Apos a avaliacao medica, duas familias com multiplos individuos acometidos por duas diferentes formas de DI de heranca autossomica recessiva foram selecionadas para investigacao clinico-genetica. O estudo de ligacao para determinar regioes em homozigose foi realizado com o uso da tecnica de array de SNPs. Posteriormente, foi feito o sequenciamento do exoma completo de um individuo afetado de cada familia. Variantes potencialmente deleterias detectadas em regioes em homozigose e que nao estavam presentes em controles brasileiros e em banco de dados mundiais, foram objetos de uma analise mais aprofundada e feito a analise de co-segregacao atraves do sequenciamento de Sanger. A primeira familia estudada, a familia A, possui sete adultos com DI sindromica. O fenotipo inclui testa alta, prognatismo, queixo proeminente e ponta do nariz saliente, alem da DI grave. O estudo de ligacao apontou duas regioes com LOD scores maximos = 3,234, uma regiao de 26 Mb no cromossomo 2 (2p12 - q11.2) e uma regiao de 4,0 Mb no cromossomo 19 (19q13.32 - q13.33). O sequenciamento do exoma revelou uma variante em homozigose (c.418C>T, p.Arg140Trp) no gene MED25 (subunidade 25 do complexo mediador), predita como deleteria por diferentes softwares (Polyphen, Provean, Mutation Taster e SIFT). O complexo mediador esta envolvido na regulacao da transcricao de quase todos os genes dependentes da RNA polimerase II. Mutacoes deleterias nos genes MED12, MED17, MED23 e, recentemente, outra mutacao no MED25, tem sido associadas com DI. Ja a segunda familia estudada, a familia B, possui nove adultos afetados, descendentes de quatro relacoes consanguineas entre primos de primeiro grau, com DI grave nao-sindromica. O estudo de ligacao apontou uma regiao de 20,7 Mb no cromossomo 8 (8q12.3-q21.2) com LOD score = 3,11. O sequenciamento do exoma identificou uma variante deleteria em homozigose no gene inositol monofosfatase1 (IMPA1), que consiste em uma duplicacao de 5 pares de bases (c.489_483dupGGGCT), levando a uma mutacao do tipo frameshift (p.Ser165Trpfs*10). O produto do gene IMPA1 e uma enzima responsavel pela etapa final da biotransformacao dos segundos mensageiros inositol trifosfato e diacilglicerol, e ate o momento, apesar de apresentar importantes funcoes fisiologicas, nao havia fenotipo clinico atribuido a esse gene. A partir deste estudo, foi possivel desenvolver teste diagnostico com triagem por enzima de restricao e perspectiva de tratamento terapeutico para os casos associados ao IMPA1.
  • GLAUCIA VERISSIMO FAHEINA MARTINS
  • “POTENCIAL ANTICÂNCER E ANTI-INFLAMATÓRIO DOS ADUTOS DE MORITA BAYLIS-HILLMAN”.
  • Data: 29/05/2015
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Apesar dos avancos das pesquisas no campo da oncologia, existe um aumento na incidencia do cancer e na mortalidade por esta doenca, consistindo em um dos principais problemas de saude publica. A literatura relata que os Adutos de Morita Baylis-Hillman (AMBH) apresentam atividades biologicas promissoras, tais como: antiparasitaria, contra Leishmania sp., Plasmodium sp., e Trypanosoma cruzi, bem como, efeito no desenvolvimento de celulas embrionarias de ourico-do-mar. Para avaliar o potencial anticancer e anti-inflamatorio de tres AMBH: A2CN, A3CN e A4CN, utilizou-se varios modelos biologicos. Os resultados mostraram que no teste de reducao do MTT, os adutos foram potencialmente citotoxicos para as oito linhagens cancerigenas testadas (HL-60, MOLT-4, K562, K562-Lucena, MCF-7, HT-29, L929, B16F10), contudo A2CN foi o AMBH mais citotoxico, apresentando menor CI50 para a maioria das linhagens. As linhagens de leucemia mieloide aguda HL-60 e MOLT-4 foram as mais sensiveis, e A2CN apresentou CI50 de 22 e 21 μM nestas celulas. Nas celulas de leucemia mieloide cronica K562 e Lucena, A2CN apresentou CI50 de 58 e 60 μM, respectivamente. A2CN foi menos citotoxico para as celulas normais do sangue periferico e para a linhagem de fibroblastos humano normal (FN1), cuja CI50 foi de 78 e 126 μM, respectivamente. O mecanismo de acao de A2CN foi estudado nas celulas K562, nas concentracoes de 15, 30 e 60 μM. A viabilidade da membrana celular nao foi alterada, quando analisada com iodeto de propideo em citometro de fluxo, mostrando que, a molecula nao induziu necrose nestas celulas. A2CN promoveu um aumento da despolarizacao da membrana mitocondrial em 20 %, na maior concentracao testada, caracterizando um envolvimento da via intrinseca da apoptose. A atividade citotoxica de A2CN em K562 esta relacionada a parada no ciclo celular na fase G1, a partir de 15 μM, e na fase S na maior concentracao testada de 60 μM. A producao de ROS foi aumentada na maior concentracao testada. A parada no ciclo celular na fase S esta relacionada com o aumento na expressao do RNAm de p21, p27 e p53 e diminuicao na expressao de ciclina D1. A expressao dos genes para Kv1.3 e Kv3.1 tambem foi aumentada nas celulas K562, tratadas com 60 μM. Nos ensaios eletrofisiologicos usando a tecnica de whole-cell, “patch clamp”, A2CN (120 μM) promoveu um aumento na corrente total de K+ em K562, bem como, aumentou a condutancia ao ion K+. O bloqueador de canal de potassio, 4-aminopiridina (4-AP) (1 mM) reduziu a citotoxicidade de A2CN nas celulas K562, analisadas pela reducao do MTT, indicando que os canais de K+ estao envolvidos na citotoxicidade desta molecula. A atividade anti-inflamatoria de A2CN, A3CN e A4CN, foi avaliada in vitro na linhagem de macrofagos Raw 264.7, estimulada com LPS (1 μg/ml). Os AMBH nao reduziram a viabilidade das celulas ate a concentracao de 20 μM, contudo inibiram a producao de NO e a producao de ROS induzida pelo LPS a partir da menor concentracao dos AMBH, de 2,5 μM. A producao das citocinas IL-1 e IL-6 foi completamente inibida por 10 μM dos AMBH, mas nao houve alteracao nos niveis de TNF-α. A expressao nos genes das citocinas IL-1 e IL-6, tambem foram alteradas por A2CN, A3CN e A4CN, porem, apenas A2CN foi capaz de inibir a expressao do gene da Ciclo-oxigenase-2 (COX-2). Isto posto, pode-se concluir que A2CN apresentou potente atividade anticancer, atuando em alvos moleculares que sao objetos de estudos pre-clinicos e clinicos na area oncologica, como p53, p21, p27 e ciclina D1, bem como demonstrou ser um potente ativador de canais de potassio. Alem disso, os adutos apresentaram notavel potencial anti-inflamatorio, com diminuicao de citocinas pro-inflamatorias como IL-1 e IL-6, e inibicao da expressao de COX-2 por A2CN.
  • GISELE DE CASTRO MENEZES
  • Desenvolvimento de biomembrana a partir de pericárdio caprino para a aplicação cirúrgica.
  • Data: 04/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Ha muitos anos as membranas biologicas sao amplamente estudadas e utilizadas em diferentes areas, pois funcionam como enxertos biologicos vasculares e valvulares compativeis e eficientes, alem das plastias teciduais. Apesar de haver estudos com biomaterial de origem bovina, as membranas biologicas caprinas sao muito pouco estudadas, justificando a execucao do presente trabalho. Os objetivos foram a caracterizacao histologica e mecanica do pericardio caprino bem como a avaliacao de sua biocompatibilidade in vivo. Amostras de pericardio foram coletadas de cadaver bovino e caprino e mantidas em formol a 10% para caracterizacao histologica e em glicerina a 98% para analise de biocompatibilidade. Ao implanta-los em falhas abdominais induzidas em ratos Wistar, o pericardio caprino foi o grupo teste e o bovino o controle positivo. Alem disso, analises mecanicas foram realizadas complementando a caracterizacao das biomembranas. Histologicamente, nao houve diferenca quanto a constituicao de ambos pericardios, formados basicamente de fibras colagenas e elasticas de tecido conjuntivo. Porem, na medicao das espessuras, o pericardio caprino mediu 86μm contra 180μm do bovino, confirmando, este ultimo, sua aparencia macroscopica mais grosseira e menos maleavel. Quanto a caracterizacao mecanica, observou-se que o pericardio caprino e cerca de tres vezes menos resistente do que o bovino, porem, mais elastico. Na analise de biocompatibilidade in vivo, nao houve diferenca significativa entre a avaliacao histopatologica realizada entre os dois pericardios, nao apresentando reacoes inflamatorias e de rejeicao aguda durante os tres periodos de permanencia das membranas nos ratos: 7, 14 e 21 dias. Conclui-se que o pericardio caprino e bastante semelhante ao bovino tanto na sua estrutura quanto na sua biocompatibilidade, porem, com vantagem de ser mais elastico, delgado e delicado, ideal para utilizacao como enxertos infantis ou em tecidos menos grosseiros em substituicao ao pericardio bovino.
2014
Descrição
  • ALLAN DE JESUS DOS R ALBUQUERQUE
  • Atividade antibacteriana e citotóxica de um gel contendo complexo de cinamaldeído com β-ciclodextrina contra formas planctônica e biofilme de Pseudomonas aeruginosa de origem hospitalar
  • Data: 17/12/2014
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Micro-organismos podem colonizar e formar biofilmes em praticamente qualquer superfície expondo pacientes ao risco de infecção. O objetivo desse trabalho foi desenvolver e avaliar laboratorialmente um bioproduto para controle microbiano de biofilmes de Pseudomonas aeruginosa isolada de ambiente hospitalar. Dois hospitais do estado da Paraíba foram investigados quanto ao potencial de contaminação bacteriana inicialmente pela água (coliformes fecais detectados por sistema cromogênico) e em seguida em superfícies diversas por P. aeruginosa isoladas por meio seletivo. Neste contexto, foram avaliados diversos extratos vegetais (n=15), e suas partições em ordem crescente de polaridade quanto à ação antimicrobiana através de técnicas de microdiluição. Os extratos foram obtidos por maceração exaustiva em percolador utilizando-se etanol a 95% e concentrados em rotaevaporador. As partições foram obtidas com diferentes solventes (n-hexano, diclorometano e acetato de etila). Além da solução hidroalcoólica de 15 espécies presentes na lista do RENISUS de estudos etnobotânicos, foram testadas substâncias puras (n=70) contendo moléculas de metabólitos secundários de maior interesse nesse estudo. Uma molécula bioativa, o cinamaldeído foi selecionado de acordo com seu rendimento e eficácia antimicrobiana, para a produção de um gel antibacteriano, testado contra P. aeruginosa ATCC 27853 e cepas selvagens coletadas em dois hospitais universitários no Estado da Paraíba, Brasil. O cinamaldeído, um derivado do ácido cinâmico, foi também submetida a análises in silico e docking computacional para avaliar a relação estrutura-atividade e propriedades físico-químicas através da modelagem molecular, resultando em parâmetros potencialmente indicadores do perfil de atividade biológica, bem como dos alvos moleculares de ação mais prováveis. O cinamaldeído foi submetido a uma complexação com β-ciclodextrina, a fim de reduzir sua toxicidade e irritabilidade, bem como elevar sua eficiência antibacteriana. A complexação foi investigada por análises de Infravermelho, Termogravimetria, e sua atividade antibacteriana avaliada por microdiluição. O complexo de cinamaldeído-β-ciclodextrina (C-CDX) foi utilizado na preparação de um gel a base de água, carbopol e aminometil propanol (AMP). O gel teve seu tempo de vida de prateleira estimado por Termogravimetria e P-DSC. A contaminação da água hospitalar se mostrou dentro dos níveis aceitáveis para coliformes. P. aeruginona foi isolada em 24% e 36% das amostras para cada ambiente hospitalar (HU e FAP). Os extratos vegetais e suas frações não apresentaram atividade antibacteriana contra P. aeruginona ATCC 27853, e apenas cinco derivados do eugenol e o cinamaldeído apresentaram inibição abaixo de 100 μg/mL. Os resultados revelaram que cinamaldeído apresentou atividade inibitória contra P. aeruginosa ATCC 27853 em concentração de 50 μg/mL. As análises in silico indicaram elevado grau de irritabilidade, toxicidade, mutagenicidade e teratogenicidade. A complexação com β-ciclodextrina foi avaliada por meio de microdiluição, apresentando atividade inibitória abaixo de 10 μg/mL tanto frente à cepa ATCC 27853, quanto às quatro espécimes mais resistentes coletadas nos dois hospitais estudados. O produto final sob a forma de gel teve baixa toxicidade nos testes com Artemia salina, embriões de galinha e eritrócitos humanos. O gel de cinalmaldeído se mostrou um bioproduto estável e com potencial de uso para fins de controle de infecção hospitalar por Pseudomonas aeruginosa.
  • ITACIO QUEIROZ DE MELLO PADILHA
  • Diversidade Bacteriana dos Solos da Mata Atlântica e da Agroindústria Sucroalcooleira, e Caracterização de Celulase e Xilanase de Interesse Biotecnológico
  • Data: 12/12/2014
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A biodiversidade microbiana do solo mesmo sendo pouco conhecida é responsável pela descoberta de centenas de bioprodutos e a busca por microrganismos de interesse industrial são estratégias importantes para o desenvolvimento de novos produtos e processos biotecnológicos. A Mata Atlântica é um dos hotspots de biodiversidade do mundo. As práticas agrícolas têm transformado este bioma em campos de monoculturas, como as de Cana-de-açúcar. A influência das monoculturas sobre a comunidade bacteriana do solo ainda é pouco estudada. Para avaliar a diversidade e abundância das comunidades bacterianas do bioma Mata Atlântica (MA) e do solo cultivado por cana (SF), o DNA ambiental foi extraído para amplificação do gene 16S rRNA e construção de bibliotecas metagenômicas. O solo MA apresentou dominância dos Filos Proteobacteria (33,3%), Acidobacteria (17,1%), Actinobacteria (11,1%) e Firmicutes (7,4%), enquanto que no solo SF, os Filos mais abundantes foram Firmicutes (74,4%), Proteobacteria (12,7%) e Acidobacteria (8,5%). As análises das OTUs mostraram que as comunidades SF e MA foram significativamente diferentes. As análises por PCR em tempo real mostraram maior abundância do gene 16S rRNA no solo MA, embora a diferença não seja significativa. A redução da diversidade e abundância das comunidades bacterianas do solo SF em relação ao MA pode ser devido às alterações do solo observadas pelas práticas agrícolas. A partir do solo SF, foi possível isolar linhagens bacterianas produtoras de celulases e xilanases. Inicialmente, foi realizado estudo sobre a produção e caracterização parcial de celulase termofílica de Bacillus sp. C1AC5507. Para a produção da enzima, o bagaço de cana-de-açúcar foi utilizado como fonte de carbono. A carboximetil celulase produzida apresentou peso molecular de aproximadamente 55 kDa e atividade enzimática de 0,14 a 0,37 U/mL segundo condições determinadas pela metodologia de superfície de resposta. A temperatura e pH ótimos foram 70 ºC e 7,0, respectivamente. A enzima foi inibida por Cu+2 e ativada por Co+2 e Mn2+. Os resultados mostram a importância do uso de resíduos lignocelulósicos na produção de enzimas de interesse industrial. Uma nova linhagem de Paenibacillus favisporus (CC02-N2) foi isolada do solo SF. Esta linhagem apresentou um sistema xilanolítico de múltiplas enzimas. Uma delas, a Xyn30A foi identificada e caracaterizada. A enzima é uma xilanase de domínio único pertencente a glicosil-hidrolase de família 30 (GH30). A Xyn30A mostrou alta atividade sobre glucuronoxilanos, com Vmax de 267,2 U/mg, Km de 4,0 mg/mL e kcat de 13.333 por min em xilano de Beechwood, mas não hidrolisou arabinoxilanos. A estrutura tridimensional é composta por um módulo catalítico em formato de barril (ß/α)8 ligado a um domínio associado a folha-ß, similar ao encontrados em xilanases GH30. A hidrólise de glucuroxilanos resultou em xilo-oligossacarídeos ramificados por ácidos metilglucurônicos. A Xyn30A liga-se a xilano insolúvel, mas não se liga a celulose cristalina. Os resultados mostram que a Xyn30A desempenha papel específico na biodegradação do xilano em ambientes naturais e um importante candidato da produção de xilooligossacarídeos para a indústria de alimentos e para a biotransformação da biomassa.
  • GISELLE MEDEIROS DA COSTA ONE
  • Avaliação do potencial antimicrobiano de digluconato de clorexidina microencapsulado
  • Data: 30/04/2014
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi preparar e caracterizar compostos de inclusão de clorexidina (CLX) a fim de se obter um produto antimicrobiano de elevada eficácia terapêutica. O estudo foi desenvolvido em três etapas: 1) Validação analítica da CLX (linearidade, especificidade, robustez, precisão e exatidão); 2) Preparação do composto: foram preparados microencapsulados de CLX (0,12%) utilizando como agente encapsulante a quitosana, maltodextrina e celulose formando os compostos (MC:CLX:QT), (MC:CLX:MT) e (MC:CLX:CE), respectivamente. O processo foi baseado na emulsificação com pós-secagem através da técnica de liofilização. 3) Avaliação microbiológica in vitro: atividade antimicrobiana dos compostos de CLX (0,12%) frente às cepas de Streptococcus mutans (S. mutans UA159) em modelo de célula planctônica e de biofilmes em comparação com a CLX livre. O crescimento bacteriano e a curva cinética de viabilidade de S. mutans foram avaliados através de testes de absorbância e fluorescência. Os testes de validação analítica da CLX apresentaram precisão, exatidão, linearidade e especificidades adequadas. Os microencapsulados contendo maltodextrina como adjuvante tecnológico (MC:CLX:MT) na avaliação microbiológica apresentou efeito antimicrobiano em todos os testes realizados. Os valores de Concentração Inibitório Mínima (CIM) dos microencapsulados testadas foram de 75,5 e 100 μg/mL para MC:CLX:MT e MC:CLX:CE, respectivamente. A MC:CLX:QT não apresentou atividade antimicrobiana. Por fluorescência, a MC:CLX:MT reduziu em 92 % de bactérias viáveis quando comparado com a solução salina (0,85 %) em modelo de células planctônicas. A MC:CLX:MT em modelo de biofilme 12 horas, diminuiu o crescimento do biofilme bacteriano em 46,8% quando mensurado por absorbância. Por fluorescência, este microencapsulado reduziu as células viáveis em 95,45 %. Avaliando o efeito preventivo (aderência bacteriana) observou-se que o MC:CLX:MT e a CLX livre interferiram no potencial de desenvolvimento do biofilme em 41 e 65%, respectivamente. Por fluorescência, os valores percentuais de redução foram de 58 e 83 %, respectivamente. No estudo de cinética bacteriana, observou-se que MC:CLX:MT em diferentes concentrações (CIM, ½ CIM e 2xCIM) foram eficazes em controlar o crescimento bacteriano por 12 horas de forma similar à CLX livre. Conclui-se que a CLX apresentou os parâmetros de validação adequados sendo viável para processos de microencapsulação; a emulsificação com pós-secagem através da técnica de liofilização se mostrou como um método eficaz para a formulação do microencapsulado com adjuvante tecnológico maltodextrina permitindo a observação do efeito de liberação lenta do fármaco; o microencapsulado MC:CLX:MT) apresentou atividade antimicrobiana prolongada sugerindo o seu uso em concentração mais baixa que a CLX livre sendo um composto indicado com segurança para incorporação em produtos odontológicos para o controle da cárie dentária.
2013
Descrição
  • MARIA ROSILENE CÂNDIDO MOREIRA
  • Efeitos do monoterpeno (-)-mirtenol sobre o sistema nervoso central: estudo in vitro e in vivo
  • Data: 30/10/2013
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O (-)-mirtenol (MIR) é um monoterpeno encontrado em diversas plantas aromáticas. Entretanto, ainda não foram descritas na literatura suas propriedades psicofarmacológicas. Nesse sentido, este estudo teve como objetivo investigar a influência do mirtenol sobre o sistema nervoso central de camundongos Swiss e ratos Wistar para verificar seu efeito ansiolítico, neuroléptico e anticonvulsivante, além do potencial antioxidante e tóxico. Foram realizados ensaios ansiolíticos utilizando-se os testes do labirinto em cruz elevado (TLCE) e de transição claro-escuro (TTCE), além dos testes do campo aberto (TCA) e Rota Rod para avaliar os efeitos sobre o sistema locomotor desses animais. O efeito anticonvulsivante foi analisado pelos testes de convulsão induzida por pentilenotetrazol (PTZ), picrotoxina (PIC) e pilocarpina (P) e o neuroléptico pelo teste de catalepsia induzida por haloperidol (HAL). Para verificar o potencial tóxico realizou-se screening hipocrático, avaliação da massa corporal, consumo alimentar e produção de excretas, análise dos parâmetros hematológicos e bioquímicos e avaliação morfológica macroscópica e histopatológica de órgãos dos animais experimentais. Adicionalmente, estudou-se o perfil antioxidante, através das metodologias in vitro (TBARS, remoção do radical nitrito e hidroxila) e in vivo [lipoperoxidação, produção de nitrito e atividade das enzimas catalase (CAT), superóxido dismutase (SOD) e glutationa reduzida (GSH)]. No TLCE, o mirtenol aumentou significativamente o número de entradas (MIR=5,6; Controle=3,1) e o tempo de permanência dos animais nos braços abertos (MIR=106,8s; Controle=47,5s) e, no TTCE, aumentou significativamente o tempo de permanência dos animais no compartimento claro (MIR=187,4s; Controle=105,1s). No TCA e Teste do Rota Rod, não houve alterações significativas dos parâmetros observados. Nos testes sobre convulsão, o mirtenol aumentou a latência para a primeira convulsão [P(MIR=21,5s; Controle=11,9s); PTZ(MIR=280,4s; Controle=87,3s); PIC(MIR=696,0s; Controle=522,4s)] e diminuiu a porcentagem destas [P(MIR=53,3%;); PTZ(MIR=37,3%); PIC(MIR=33,3%)], assim como o percentual de mortes dos animais [P(MIR=53,3%); PTZ(MIR=48,3%); PIC(MIR=33,3%)]. No teste da catatonia o mirtenol reduziu significativamente o tempo de permanência dos animais na posição antifisiológica induzida (MIR=0,9s; HAL=29,7s). Na avaliação da toxicidade, o screening hipocrático revelou boa tolerabilidade do mirtenol e não houve alterações significativas no padrão alimentar, produção de excretas, massa corporal, parâmetros hematológicos, bioquímicos, morfológicos ou histopatológicos. Quanto ao potencial antioxidante, o mirtenol reduziu a lipoperoxidação (MIR=86,8%; VitC=56%), o teor de nitrito (MIR=85,3%; VitC=24,5%) e aumentou a atividade das enzimas antioxidantes nos animais tratados [CAT(MIR=102,3%; SOD (MIR=39,5%); GSH(MIR=12,2%)]. Conclui-se que o mirtenol apresenta potencial ansiolítico sem efeito sedativo, atividade neuroléptica, anticonvulsivante e antioxidante, com baixa toxicidade, podendo ser considerado potencial bioproduto na formulação de fitomedicamentos.
  • FABIOLA DA CRUZ NUNES
  • ESTUDO DA ATIVIDADE LARVICIDA DA Agave sisalana CONTRA Aedes Aegypti.
  • Data: 30/08/2013
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A dengue e uma doenca viral sistemica, causada por um arbovirus da familia Flaviviridae, acometendo cerca de 700 mil casos por ano no Brasil. E endemica de regioes tropicais como o sudeste asiatico, sul do Pacifico, Africa Oriental, Caribe e America Latina. A dengue e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti (Linnaeus, 1762), que e o principal alvo de combate para controle da doenca, por meio de estrategias que vao desde o combate as formas larvares ate o mosquito adulto. Os larvicidas comumente utilizados no combate do vetor, alem de serem toxicos, vem apresentando queda na capacidade larvicida ja que as larvas do A. aegypti tem desenvolvido resistencia a esses produtos. Sendo assim, a busca por novos principios ativos que sejam eficientes no combate do mosquito se faz necessaria. Nesse sentido, a Agave sisalana e uma planta que e produzida em varios estados do nordeste brasileiro, a qual e utilizada na industria sisaleira. Apenas 5% da planta e aproveitada, sendo o seu residuo liquido completamente desperdicado. Dessa forma, este projeto de pesquisa teve como objetivo investigar a acao larvicida do suco de Agave sisalana contra larvas de A. aegypti. Nos ensaios de atividade larvicida, utilizou-se larvas de quarto estagio de A. aegypti, testando-se diferentes concentracoes de suco de A. sisalana durante 24 horas. Apos os ensaios de atividade larvicida foi possivel determinar a CL50, que foi de 5,9 mg/mL. A pesquisa tambem explorou a atividade citotoxica da A. sisalana em hemocitos de larvas de A. aegypti, atraves da citometria de fluxo. Verificou-se um aumento no percentual de necrose celular a partir de 12 horas de exposicao das larvas a concentracoes submaximas de suco de sisal (7,4% no grupo controle vs. 28,5% no grupo experimental apos 12 horas; 6,2% no grupo controle vs.22,7% no grupo experimental apos 24 horas). As alteracoes histologicas foram confirmadas em exames histopatologicos, que mostraram lise celular de celulas epiteliais do mesenterio das larvas e destruicao da membrana peritrofica. A producao de oxido nitrico (NO) pelos hemocitos, uma importante estrategia de defesa dos mosquitos, foi verificada apos 3,6 e 24 horas de exposicao das larvas ao suco de A. sisalana. Observou-se uma diminuicao dos niveis de NO da ordem de 76,6% apos 3 horas de exposicao, 83 % apos 6 horas de exposicao, e 83,8 % apos 24 horas de exposicao. Sendo assim, o suco de A. sisalana pode se constituir numa alternativa efetiva e economicamente viavel para o combate ao vetor da Dengue. Essa pesquisa resultou no pedido de patente de um inseticida formulacao a base de A. sisalana para combate as larvas de A. aegypti.
  • FELIPE JOSÉ DE QUEIROZ SARMENTO
  • DESENVOLVIMENTO DE UMA PLATAFORMA DE BIOINFORMÁTICA INTEGRADA APLICADA A IDENTIFICAÇÃO MOLECULAR DE MICRORGANISMOS PATOGÊNICOS
  • Data: 27/02/2013
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A maioria das pesquisas em epidemiologia molecular, diagnóstico molecular e genética evolutiva
    são confrontadas com o gerenciamento de grandes volumes de dados. Além disso, os dados utilizados em estudos de doenças patogênicas são complexos e geralmente derivam de instituições
    tais como hospitais ou laboratórios. Embora já existam propostas que conecte informações moleculares ao diagnóstico de patogenias, nenhuma delas utilizam ferramentas de bioinformática de
    alto desempenho incorporadas a um sistema e vinculada a um prontuário eletrônico do paciente.
    MolEpi foi desenvolvido como um sistema de gerenciamento de dados e informações dimensionado
    a saúde pública, incorporando informações clínicas e epidemiológicas sobre pacientes e dados
    moleculares de sequências do gene rRNA 16S de bactérias patogênicas. Para identificação destas
    bactérias foram utilizadas amostras biológicas (urina, secreções e purulentas de feridas, aspirado
    traqueal e sangue) e PCR seguida de sequenciamento e análise da região conservada codificadora
    de RNA ribossômico (rDNA) 16S. Este estratégia permite uma identificação bacteriana rápida,
    independente de conhecimento prévio da espécie de microrganismo em estudo. O MolEpi é um sistema facilmente atualizável com as sequências específicas de bancos como Genbank(NCBI), RDP-II (Ribosomal Database Project - MSU) e GreenGene (LBL). A partir da confirmação e validação
    das sequências dos isolados clínicos, estas podem ser utilizadas como referência na identificação
    de outros microrganismos desconhecidos. Neste sentido, foi estabelecido um banco de dados local,
    representativo do perfil de patógenos encontrados na unidade hospitalar de estudo e objeto
    de vigilância epidemiológica. Para o desenvolvimento do MolEpi, utilizamos a linguagem Java e
    banco de dados PostgreSQL8.3. Foi desenvolvido também o BACSearch, que possui os seguintes
    programas: para o processamento de sequências de rDNA 16S utilizamos os frameworks BioJava;
    para alinhamento múltiplo foi implementado o ClustalW2, MAFFT e o MUSCLE e para edição do
    alinhamento múltiplo e análise filogenética foi utilizado JalView R 2.4.0b2. O sistema foi validado
    com 200 espécimes clínicos identificadas e isoladas de sítios de infecção hospitalar. As sequências
    de DNA produzidas a partir destas amostras foram submetidas ao BLAST, utilizando a ferramenta
    desenvolvida, identificando Pseudomonas aeruginosa, Acinetobacter baumannii, Klebsiela pneumonie e Staphylococcus aureus como os principais patógenos correspondentes. Os dados sobre o padrão de resistência das espécies foram obtidos em laboratório de microbiologia e incorporados ao banco de dados. A aplicação do MolEpi ao Sistema Único de Saúde poderá fornecer diagnósticos mais rápidos, precisos, e interligados a uma rede de informações relevantes para o profissional de
    saúde.

2012
Descrição
  • FRANKLIN FERREIRA DE F NOBREGA
  • Monoterpeno 4-terpineol ─ uma molécula com atividade anticonvulsivante: estudos comportamentais e eletrofisiológicos
  • Data: 27/02/2012
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • O 4-terpineol (4TRP) é um monoterpeno álcool monocíclico, que pode ser encontrado em óleos essenciais de plantas aromáticas diversas. Vários estudos têm relatado os efeitos apresentados por monoterpenos estruturalmente análogos ao 4TRP sobre o Sistema Nervoso Central (SNC). Justificando-se pela lacuna existente na farmacoterapia das epilepsias, a realização deste trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos psicofarmacológicos do 4TRP. Camundongos (Mus musculus) Swiss, machos e ratos (Rattus novergicus) Wistar, machos foram utilizados. Nos experimentos in vivo, o 4TRP foi administrado em doses variando entre 25 a 200 mg/kg, i.p., e nas concentrações de 10, 20 e 40 ng/2µL, i.c.v. Para os experimentos in vitro, as concentrações utilizadas foram 0,1 mM e 1,0mM. Como triagem farmacológica, para investigar o perfil de ação deste monoterpeno no SNC, foram realizados inicialmente testes gerais comportamentais como o teste da movimentação espontânea, potencialização do tempo de sono induzido por pentobarbital e o teste da barra giratória para investigar o perfil de ação deste monoterpeno no SNC. Em todas essas metodologias, os resultados obtidos sugerem que este apresenta perfil de droga psicoléptica, sem alterar, no entanto, a coordenação motora dos animais de forma significativa. Posteriormente, para avaliar possíveis efeitos ansiolíticos, foram realizados os testes do labirinto em cruz elevado (LCE) e o teste da placa perfurada. Nesses experimentos, nas doses testadas, o 4TRP não apresentou indicativos consistentes de atividade ansiolítica. Em seguida, foram realizados testes com o objetivo de avaliar a possibilidade de esta substância apresentar um perfil de atividade anticonvulsivante. De acordo com os parâmetros comportamentais avaliados, 4TRP (via i.p.), foi capaz de inibir convulsões induzidas tanto pelo pentilenotetrazol (PTZ) como pelo eletrochoque máximo (ECM), apresentando um potencial efeito anticonvulsivante. Em uma etapa posterior, acompanhando os animais através de registros eletroencefalográficos, percebe-se que animais tratados com 4TRP (via i.c.v.), foram protegidos contra convulsões induzidas por PTZ, corroborando com os resultados da etapa anterior. Para uma caracterização dos possíveis mecanismos pelos quais esta substância exerce sua ação, buscou-se evidenciar a participação do sistema GABAérgico empregando as metodologias: convulsões induzidas pela picrotoxina (PIC) e convulsões induzidas pelo ácido 3-mercapto-propiônico (3-MP). Em conformidade com os resultados, pode-se afirmar que a ação deste monoterpenóide está relacionada ao sistema GABAérgico e ainda que a presença do flumazenil, um antagonista seletivo do sítio benzodiazepínico dos receptores GABAA, não foi capaz de reverter o efeito anticonvulsivante de 4TRP, demonstrando que este não atua no mesmo sítio de ligação dos benzodiazepínicos. Em uma etapa subsequente, utilizando a técnica de “Patch Clamp-Whole Cell”, demonstrou-se que 4TRP foi capaz de inibir significaticamente a corrente de canais de sódio dependentes de voltagem em células isoladas de neurônios de gânglios da raiz dorsal (GRD), estando o seu efeito, possivemente relacionado à mudanças na excitabilidade neuronal em conseqüência da modulação desses canais. Conclui-se que 4TRP apresenta efeitos psicofarmacológicos, com perfil de fármaco anticonvulsivante, que seu mecanismo de ação parece ser mediado pela interferência com o sistema GABAérgico e não envolve a ativação, pelo menos de forma direta, do sítio benzodiazepínico dos receptores GABAA e que envolve o bloqueio dos canais para sódio dependentes de voltagem.

  • JOSE FERREIRA LIMA JUNIOR
  • Avaliação de sistemas de desfluoretação de águas para comunidades rurais do semiárido
  • Data: 15/02/2012
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo objetivou implantar, avaliar e comparar a eficácia de dois sistemas de desfluoretação de águas em duas localidades com problema de fluorose endêmica na zona rural de São João do Rio do Peixe, Paraíba. Os sistemas investigados foram Estação de Tratamento de Águas (ETA) e Filtro Desfluoretador Regenerável (FDR). O estudo foi dividido em duas partes, quais sejam: Parte I (avaliação de riscos: mapeamento dos teores residuais de flúor nas águas subterrâneas e percepção de fluorose dentária) e Parte II (redução de agravos: sistemas de desfluoretação). A amostra consistiu de 59 indivíduos de ambos os sexos e variadas faixas etárias; sendo 29 para o estudo da ETA (poço com 5,3 mg/L de flúor) e 30 para o do FDR (poço com 2,6 mg/L de flúor). Para investigar a estimativa de ingestão de flúor foi realizada a coleta de água, outros líquidos, alimentos pela metodologia do prato duplicado. Para crianças a estimativa de ingestão de flúor por dentifrício foi realizada com escovação simulada. Os valores de excreção de flúor foram estimados por coleta de urina de 24 horas. Todas as amostras coletadas foram armazenadas sob refrigeração e analisadas por eletrodo específico para flúor através de método direto e indireto por difusão com hexametildisiloxano (HMDS) quando apropriado. As avaliações foram realizadas em dois momentos distintos D1 (baseline) e D2 (1 a 2 meses após a desfluoretação), para ambos os modelos de desfluoretação (-ETA e -F). As análises estatísticas foram realizadas através do software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), com p<0,05. Observou-se que a ingestão total de flúor bem como sua excreção diminuiu após a instalação dos dois modelos de desfluoretação, tanto o de base comunitária (ETA) como o de base domiciliar (FDR), indicando assim a eficácia desses modelos quanto ao controle de níveis ideais de flúor na água destinada ao consumo humano. O mapeamento da concentração de flúor na água proveniente dos poços artesianos da zona rural de São João do Rio do Peixe – PB confirmou o risco de fluorose dentária naquele município. Das amostras analisadas, 63,9% apresentaram [F] acima do valor ideal de 0,7 mg/L e 35% apresentaram valores acima de 1.5 mg/L. Estimou-se que cerca de 2.465 pessoas tem o risco de desenvolver fluorose dentária e 1.057 indivíduos podem ser portadores de fluorose óssea. A água foi o componente da dieta que mais contribuiu para a ingestão diária total de fluoreto (50%) nas duas localidades. Observou-se que houve redução significativa na ingestão de total de flúor no grupo de crianças entre os períodos de D1-ETA (0,10 mgF/kg/dia) para D2-ETA (0,04 mgF/kg/dia); e D1-F (0,07 mgF/kg/dia) para D2-F (0,03 mgF/kg/dia), bem como para os grupos de adultos da ETA e do FDR. O período de regeneração na ETA foi superior ao do sistema FDR sugerindo a aplicação do sistema ETA em localidades com elevadas concentrações de flúor onde o FDR não seria eficaz (>3,0 mg/L). Conclui-se que os dois modelos de desfluoretação foram eficazes em reduzir a ingestão de flúor e, por conseguinte reduzir o risco de fluorose dentária. Apesar de ambos os sistemas serem eficientes em reduzir a biodisponibilidade de flúor entre os usuários, apenas o sistema de base comunitária (ETA) se mostrou indicado para localidades com elevadas concentrações de flúor com risco de fluorose óssea.

2011
Descrição
  • TERESA CRISTINA SOARES DE LIMA GRISI
  • Diversidade de Bacteria e Archaea do solo do Cariri paraibano e prospecção de celulases e xilanases em clones metagenômicos e isolados bacterianos
  • Data: 01/12/2011
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • No capítulo 1 desse trabalho, amostras do solo da pastagem nativa (sítio A) e sob cultivo do capim marrequinho (Paspalum conjugatum, Bergius) (sítio B), coletadas na região semi-árida do bioma Caatinga, Paraíba, (07°23’27”S 36°31’58”O), foram utilizadas para construção de quatro bibliotecas de clones metagenômicos, para avaliação da diversidade microbiana pela amplificação do gene 16S rRNA dos domínios Bacteria e Archaea, de cada amostra de solo. Os DNA metagenômicos foram extraídos utilizando FastDNA® SPIN Kit for Soil (BIO 101), os quais foram amplificados por PCR utilizando primers universais, 27F / 1525R (Bacteria) e 20F / 958R (Archaea). Os fragmentos purificados foram ligados ao vetor pGEM Teasy e transformados por choque térmico em Escherichia coli DH10B quimicamente competente. Os transformantes foram cultivados em meio Agar LB/Ampicilina (100 µ/mL), IPTG (800 µg/µL) e XGal (80 µg/µL), a 37ºC/18-20 h. Foram selecionados 250 clones de cada biblioteca os quais foram sequenciados e após descarte das sequências de baixa qualidade e quiméricas, foram obtidas 64 e 68, 89 e 141 sequências para Bacteria e Archaea, nos solos dos sítios A e B, respectivamente, as quais foram comparadas em banco de dados públicos RDB e NCBI (≥95% de similaridade). No sítio A o filo Acidobacteria (48,4%) foi o mais abundante, seguido dos filos Bacteroidetes (10,9%), Proteobacteria (10,9%), e Firmicutes (6,3%). No sítio B Proteobacteria (45,6%) foi o de maior destaque, seguido de Firmicutes (10,3%), Acidobacteria (8,8%), Bacterioidetes (7,3%); e ainda Cyanobacteria (1,5%) e Planctomycetes (1,5%), que não foram encontrados no sítio A. Entre as sequências geradas, 23,4% (sítio A) e 25,0% (sítio B) não foram classificadas (similaridade <95%). No domínio Archaea foram encontrados os filos Euryarchaeota (3,4 e 45,4%) e Crenarchaeota (2,2 e 3,5%), nos sítios A e B, respectivamente; destacando-se que 94,4% e 51,1% das sequências não foram classificadas (similaridade <95%), entre os sítios A e B, respectivamente. Uma maior diversidade (índice de Shannon), riqueza (índice Chao 1) e distribuição (índice de equidade) das comunidades foram observadas no nível de espécies, tanto para Bacteria como para Archaea, nos dois sítios. As bibliotecas de clones metagenômicos 16S rRNA de Bacteria e Archaea, quando comparadas, utilizando-se o programa Libshuff, diferiram significativamente (p<0,0001). Os resultados desse estudo mostraram a ocorrência de uma grande diversidade de bactérias e arqueas, nesse tipo de ambiente pouco estudado e com características peculiares de temperatura elevada e limitações hídricas, com possibilidade de busca de novos genes e/ou isolados microbianos, com potencial biotecnológico. No capítulo 2 desse trabalho, foi investigado o potencial de produção de celulases e xilanases de clones metagenômicos e de cepas bacterianas de uma amostra do solo nativo da Caatinga, do Cariri paraibano. Foram utilizados dois procedimentos: solo pré-enriquecido (PE) (25 g do solo em 225 mL em meio contendo 1% de CMC), a 37ºC/18-20h, a 200 rpm, utilizado tanto para extração do DNA metagenômico do solo (Kit MOBIO), como para isolamento de cepas bacterianas a 37ºC e a 50ºC; e solo não-enriquecido (NE) (25 g do solo em 225 mL de solução salina 0,9%), do qual foram igualmente isoladas bactérias a 37ºC e a 50ºC. O DNA metagenômico do solo (PE) foi quantificado e fragmentado com EcoRI, obtendo-se bandas, entre 4 a 5 kb e 9 a 10 kb, que após purificação foram ligadas em vetor pBC SK, transformados em E. coli DH10B, por choque térmico, as quais foram cultivadas em Agar LB/Amplicilina (100 µ/mL), IPTG e XGal, a 37ºC (18-20 h). Das colônias brancas obtidas foram selecionados 3.840 clones, que foram repassados para placas 96 poços e estocados a -80ºC, dos quais 1.920 clones foram utilizados para avaliação das produções enzimáticas. Entre os clones testados foram obtidos 60 para produção de celulase e 10 para produção de xilanase; sendo então selecionados quatro clones xilanolíticos para extração plasmidial e re-transformação em E. coli, os quais confirmaram atividade para xilanase. Dos solos PE e NE foram isoladas 42 cepas, entre as quais, três isoladas do solo PE (Cel55-01; Cel55-02 e Cel37-03), identificadas pela amplificação do gene 16S rRNA como Bacillus subtilis e duas do solo NE (Cel37-28 e T2), denominadas Paenibacillus illinoisensis e P. favisporos, respectivamente. As cepas Cel55-01, Cel55-02 e Cel37-03 obtiveram baixo rendimento para celulase (0,050 a 0,061 U/mL) e xilanase (0,011 a 0,036 U/mL), avaliados pelo método de Somogyi-Nelson, quando cultivadas em LB/palha de arroz. No entanto, a cepa Cel55-01, quando cultivada em LB/bagaço de cana-de-açúcar, teve seu rendimento aumentado em cerca de dez vezes em relação à xilanase (0,30 U/mL), com temperatura e pH ótimos a 50ºC e. 6,0, respectivamente. As cepas Cel37-28 e T2 apresentaram atividade de 1,30 U/mL e 1,0 U/mL, após 2 min de reação, e 0,92 U/mL e 0,90 U/mL, após 15 min, respectivamente, quando cultivas em LB/palha de arroz. Para as cepas Cel37-28 e T2, as temperaturas e pH ótimos foram, 55ºC e 60ºC e 7,5, respectivamente. As celulases visualizadas em gel SDS-PAGE (Zimograma) para a cepa Cel55-1 se apresentaram na faixa de 130 a 210 kDa, enquanto que as xilanases da cepa Cel37-28 ficaram em torno de 70 a 180 kDa; e da cepa T2, entre 50 e 130 kDa, evidenciando a produção de mais de uma enzima pelas cepas. Esses dados mostram que no solo do Cariri paraibano, região com características peculiares, como temperaturas altas e escassez hídrica, é possível a obtenção, tanto de clones metagenômicos funcionais, como isolados bacterianos, que produzem celulases e xilanases, a partir de resíduos industriais, a temperaturas acima de 50ºC e pH tendendo ao alcalino, de grande interesse nas indústrias têxteis e de celulose e papel.