PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA (MPSF)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
32167067/7067
http://www.ufpb.br/pos/mpsf

Dissertações/Teses


Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPB

2016
Descrição
  • MARÍLIA MOURA DE CASTRO
  • SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE UMA PRÁTICA EM COMUM
  • Data: 31/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • de 90 dando início ao que se chamou de movimento pela Reforma Psiquiátrica Brasileira, tendo como principal foco a reorientação de um novo modelo de cuidado em saúde mental e um novo lugar social para a loucura. Esta nova lógica operante na saúde mental possibilitou a alteração do paradigma psiquiátrico para o paradigma Psicossocial, representando um avanço político, técnico e ideológico. Partindo dessa mudança de paradigmas e da reorientação das práticas, os investimentos em práticas comunitárias têm sido considerados prioridade para as políticas públicas de saúde que estabelecem o âmbito da atenção básica como cenário para a implementação dos princípios do SUS e da RPB. Dentro desta perspectiva operam os serviços de atenção básica do SUS, representados pela Estratégia Saúde da Família (ESF). O fato de as equipes da ESF estarem inseridas nos territórios potencializa a atuação terapêutica dos profissionais no que diz respeito ao cuidado dos usuários, por sua proximidade com as famílias. O presente estudo teve como objetivo analisar as estratégias de cuidado em saúde mental realizadas pelos profissionais da Estratégia Saúde da Família do município de João Pessoa/PB. Caracteriza-se como do tipo pesquisa-ação objetivando a prática e o conhecimento para a resolução de problemas e de propostas de ações que auxiliem os atores na sua atividade transformadora. Teve como cenário uma equipe de saúde da família do município de João Pessoa/PB, na qual foram realizados com os profissionais dessa equipe os seguintes procedimentos para coleta de dados: grupo focal, visitas, oficina de trabalho, variando o número de participantes para cada atividade. Para o tratamento dos dados utilizou-se a Análise de Conteúdo. Foi percebido que os profissionais se utilizam de várias estratégias para lidar com as demandas de saúde mental do território, são elas: PTS, Genograma, escuta, vínculo, acolhimento, visita domiciliar, desmedicalização, etc. Entre as estratégias de maior potencial da equipe estão: a escuta, o PTS, o apoio do NASF. Também foram identificadas dificuldades na realização do cuidado em saúde mental como falta de capacitação, excesso de demanda e fragilidade na rede de atenção à saúde. Assim, podemos dizer que a ESF possui grande potencial para lidar com as demandas de saúde mental do território, no entanto, ainda persistem diversos limites nessa prática, sendo necessário não só a oferta de cursos e qualificações pontuais, mas a realização de um processo permanente de construção de um cuidado pautado na lógica da desinstitucionalização, na autonomia dos sujeitos e na produção de vida das pessoas.
  • MARÍLIA MOURA DE CASTRO
  • SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE UMA PRÁTICA EM COMUM
  • Data: 31/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • O processo de mudanca na atencao a saude mental no Brasil foi intensificado na decada de 90 dando inicio ao que se chamou de movimento pela Reforma Psiquiatrica Brasileira, tendo como principal foco a reorientacao de um novo modelo de cuidado em saude mental e um novo lugar social para a loucura. Esta nova logica operante na saude mental possibilitou a alteracao do paradigma psiquiatrico para o paradigma Psicossocial, representando um avanco politico, tecnico e ideologico. Partindo dessa mudanca de paradigmas e da reorientacao das praticas, os investimentos em praticas comunitarias tem sido considerados prioridade para as politicas publicas de saude que estabelecem o ambito da atencao basica como cenario para a implementacao dos principios do SUS e da RPB. Dentro desta perspectiva operam os servicos de atencao basica do SUS, representados pela Estrategia Saude da Familia (ESF). O fato de as equipes da ESF estarem inseridas nos territorios potencializa a atuacao terapeutica dos profissionais no que diz respeito ao cuidado dos usuarios, por sua proximidade com as familias. O presente estudo teve como objetivo analisar as estrategias de cuidado em saude mental realizadas pelos profissionais da Estrategia Saude da Familia do municipio de Joao Pessoa/PB. Caracteriza-se como do tipo pesquisa-acao objetivando a pratica e o conhecimento para a resolucao de problemas e de propostas de acoes que auxiliem os atores na sua atividade transformadora. Teve como cenario uma equipe de saude da familia do municipio de Joao Pessoa/PB, na qual foram realizados com os profissionais dessa equipe os seguintes procedimentos para coleta de dados: grupo focal, visitas, oficina de trabalho, variando o numero de participantes para cada atividade. Para o tratamento dos dados utilizou-se a Analise de Conteudo. Foi percebido que os profissionais se utilizam de varias estrategias para lidar com as demandas de saude mental do territorio, sao elas: PTS, Genograma, escuta, vinculo, acolhimento, visita domiciliar, desmedicalizacao, etc. Entre as estrategias de maior potencial da equipe estao: a escuta, o PTS, o apoio do NASF. Tambem foram identificadas dificuldades na realizacao do cuidado em saude mental como falta de capacitacao, excesso de demanda e fragilidade na rede de atencao a saude. Assim, podemos dizer que a ESF possui grande potencial para lidar com as demandas de saude mental do territorio, no entanto, ainda persistem diversos limites nessa pratica, sendo necessario nao so a oferta de cursos e qualificacoes pontuais, mas a realizacao de um processo permanente de construcao de um cuidado pautado na logica da desinstitucionalizacao, na autonomia dos sujeitos e na producao de vida das pessoas.
  • ANNA KARINA BARROS DE MORAES RAMALHO
  • DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO DE RASTREIO E DE CARTILHA ELETRÔNICA DE SAÚDE BUCAL PARA GESTANTES ATENDIDAS POR EQUIPES DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA EM JOÃO PESSOA-PB.
  • Data: 21/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • Há uma resistência ao tratamento odontológico durante a gestação, subsidiada por receios e falta de informação por gestantes e profissionais da saúde. Importante então, ofertar no prénatal, estratégias para a educação em saúde bucal e detecção de agravos, a fim de impactar na atenção e na gestão do cuidado em saúde. Objetivou-se desenvolver um aplicativo de rastreio de saúde bucal para gestantes, para ser empregado por Cirurgiões Dentistas da Estratégia de Saúde da Família e ainda elaborar e validar uma Cartilha Eletrônica Instrutiva de saúde bucal para as mesmas. Trata-se de um estudo metodológico quali-quantitativo, de desenvolvimento e aperfeiçoamento de instrumentos com investigação dos métodos de obtenção, aplicação em campo, organização e análise dos dados. Os dados de identificação e clínicos foram analisados no programa no Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 21.0. Para a obtenção de características normativas que poderiam se associar com os dados obtidos, foi realizado exame clínico odontológico. Testes de associação como o qui-quadrado foram utilizados para relação entre variáveis estudadas considerando p<0.05. Desenvolveu-se o “appgestantes” com sistema WEB, que foi testado e adequado em campo, sendo acessível em dispositivos móveis e fixos, permitindo o cadastro e envio de dados para o servidor, de forma rápida e segura. Dados apontaram a percepção e a condição de saúde bucal das mesmas, possíveis fatores de risco para os agravos, a não adesão ao tratamento odontológico e carência de informações. Paralelamente foi elaborada e validada a Cartilha Eletrônica Instrutiva “Saúde bucal da gestante e do bebê” mediada pela avaliação por concordância e relevância desse instrumento pelo o público-alvo e juízes-especialistas, em que se consideraram os saberes científicos e as necessidades reais das gestantes. O aplicativo apresentou-se como uma alternativa de rastreio prática, podendo se tornar um mecanismo potente, mediada pelo monitoramento de riscos, detecção precoce e de agravos já instalados. Houve relação entre o CPOD com risco de gravidez, local do pré-natal e escore de conhecimento (p<0.05). A validação da Cartilha proporcionou maior confiabilidade ao material e revelou índice de validade de conteúdo julgado entre 0,708 e 1. Estudos são necessários para avaliar a eficiência, funcionalidade e impacto produzido por esses produtos.
  • CRISTIANE COSTA BRAGA
  • PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA: PERCEPÇÃO DOS ATORES ENVOLVIDOS EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Data: 21/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • No contexto da saúde das crianças e adolescentes, surge o Programa Saúde na Escola (PSE), contribuindo para a formação integral dos estudantes da rede de educação básica pública através de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde. Este trabalho tem como objetivo compreender o PSE no Município de João Pessoa-PB. É um estudo exploratório com uma abordagem qualitativa. A amostra foi do tipo intencional composta pelos profissionais das equipes da Estratégia Saúde da Família que foram classificadas, na avaliação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) 2º Ciclo, quanto ao seu nível de qualidade em “muito acima da média” e pelos representantes do Grupo de Trabalho Intersetorial Municipal (GTI-M), totalizando 12 participantes. A técnica de coleta de dados foi a entrevista semi-estruturada. A análise dos dados foi realizada por meio da técnica de Análise de Conteúdo de Bardin. Foram definidas as seguintes categorias de análise: compreensão do Programa Saúde na Escola, percepção da intersetorialidade e do trabalho em equipe, planejamento e execução das ações, fragilidades e potencialidades do programa. Os resultados identificaram que os profissionais da saúde e gestores compreendem o PSE, entretanto, não percebem a potencialidade da intersetorialidade e do trabalho em equipe. O planejamento está sendo realizado por alguns setores de maneira desarticulada. Foram apontadas como fragilidades do programa, a participação incipiente dos professores, dos profissionais da medicina e dos pais dos escolares, bem como, a falta de material educativo no cumprimento das ações intersetoriais. Entretanto, tem como potencialidade a promoção do vínculo com os escolares, a realização de ações de avaliação e promoção da saúde e o favorecimento da integração ensino-serviço, proporcionando uma atenção à saúde de crianças e adolescentes do território adstrito. Conclui-se, portanto, que o PSE é importante na atenção à saúde dos escolares e que a sua implementação enfrenta desafios, necessitando do compromisso e co-responsabilização dos diversos atores envolvidos no processo, instigada pelos pressupostos da intersetorialidade e do trabalho em equipe, buscando a consolidação das ações do SUS às ações das redes de educação básica pública.
  • CRISTIANE COSTA BRAGA
  • PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA: PERCEPÇÃO DOS ATORES ENVOLVIDOS EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Data: 21/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • No contexto da saude das criancas e adolescentes, surge o Programa Saude na Escola (PSE), contribuindo para a formacao integral dos estudantes da rede de educacao basica publica atraves de acoes de promocao, prevencao e atencao a saude. Este trabalho tem como objetivo compreender o PSE no Municipio de Joao Pessoa-PB. E um estudo exploratorio com uma abordagem qualitativa. A amostra foi do tipo intencional composta pelos profissionais das equipes da Estrategia Saude da Familia que foram classificadas, na avaliacao do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atencao Basica (PMAQ) 2º Ciclo, quanto ao seu nivel de qualidade em “muito acima da media” e pelos representantes do Grupo de Trabalho Intersetorial Municipal (GTI-M), totalizando 12 participantes. A tecnica de coleta de dados foi a entrevista semi-estruturada. A analise dos dados foi realizada por meio da tecnica de Analise de Conteudo de Bardin. Foram definidas as seguintes categorias de analise: compreensao do Programa Saude na Escola, percepcao da intersetorialidade e do trabalho em equipe, planejamento e execucao das acoes, fragilidades e potencialidades do programa. Os resultados identificaram que os profissionais da saude e gestores compreendem o PSE, entretanto, nao percebem a potencialidade da intersetorialidade e do trabalho em equipe. O planejamento esta sendo realizado por alguns setores de maneira desarticulada. Foram apontadas como fragilidades do programa, a participacao incipiente dos professores, dos profissionais da medicina e dos pais dos escolares, bem como, a falta de material educativo no cumprimento das acoes intersetoriais. Entretanto, tem como potencialidade a promocao do vinculo com os escolares, a realizacao de acoes de avaliacao e promocao da saude e o favorecimento da integracao ensino-servico, proporcionando uma atencao a saude de criancas e adolescentes do territorio adstrito. Conclui-se, portanto, que o PSE e importante na atencao a saude dos escolares e que a sua implementacao enfrenta desafios, necessitando do compromisso e co-responsabilizacao dos diversos atores envolvidos no processo, instigada pelos pressupostos da intersetorialidade e do trabalho em equipe, buscando a consolidacao das acoes do SUS as acoes das redes de educacao basica publica.
  • PEDRO JOAQUIM DE LIMA NETO
  • Preceptoria na Estratégia Saúde da Família: percepção, formação e vivência.
  • Data: 17/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • As propostas de Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de saude implicaram na necessidade de discutir em profundidade a preceptoria e a formacao do preceptor, profissional que transita entre o mundo do trabalho e o mundo do ensino, comprometido socialmente com ambos. O objetivo foi analisar o exercicio da preceptoria do estagio supervisionado do curso de graduacao de enfermagem. Trata-se de pesquisa descritiva exploratoria, de abordagem qualitativa, com realizacao de grupo focal para coleta de dados com enfermeiros preceptores. Para analise dos dados os discursos foram organizados a partir da tecnica da analise tematica de conteudo. Entre as percepcoes que envolvem a preceptoria estao o acompanhamento, supervisao, orientacao, alem da possibilidade de ser exemplo, trocar saberes e renovar-se profissionalmente. A formacao compreendeu debate central para qualificacao da preceptoria, sendo apontada como possibilidades de formacao o proprio espaco da graduacao, a extensao universitaria, oficinas de planejamento e avaliacoes de estagios das IES, cursos de pos-graduacao, o PET/saude e oficinas ligada a construcao do Sistema Saude Escola. Finalmente, tres elementos sao condicionantes para efetivacao da preceptoria com qualidade: superacao do paradigma biomedico; fortalecimento da integracao ensino-servico; e formacao pedagogica para o exercicio da preceptoria.
  • PEDRO JOAQUIM DE LIMA NETO
  • Preceptoria na Estratégia Saúde da Família: percepção, formação e vivência.
  • Data: 17/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • As reformulacoes das Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de saude implicaram na necessidade de discutir em profundidade a preceptoria e a formacao do preceptor, profissional que transita entre o mundo do trabalho e o mundo do ensino, comprometido socialmente com ambos. O objetivo foi analisar o exercicio da preceptoria do estagio supervisionado do curso de graduacao de enfermagem. Trata-se de pesquisa descritiva exploratoria, de abordagem qualitativa, com aplicacao de grupo focal para coleta de dados com enfermeiros preceptores. Para analise dos dados os discursos foram organizados a partir da tecnica da analise tematica de conteudo. Entre as percepcoes que envolvem a preceptoria estao o acompanhamento, supervisao, orientacao, alem da possibilidade de ser exemplo, trocar saberes e renovar-se profissionalmente. A formacao compreendeu debate central para qualificacao da preceptoria, sendo apontada como possibilidades de formacao o proprio espaco da graduacao, a extensao universitaria, oficinas de planejamento e avaliacoes de estagios das IES, cursos de pos-graduacao, o PET/saude e oficinas ligada a construcao da Rede Escola. E tres elementos sao condicionantes para efetivacao da preceptoria com qualidade: superacao do paradigma biomedico; fortalecimento da integracao ensino-servico; e formacao pedagogica para o exercicio da preceptoria
  • JANINE AZEVEDO DO NASCIMENTO
  • A Equipe de Trabalho na Unidade de Saúde da Família Nova Conquista - uma abordagem socionômica.
  • Data: 14/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho em equipe é um atributo fundamental da Estratégia Saúde da Família (ESF), uma vez que a complexidade dos problemas enfrentados neste âmbito exige uma multiplicidade de saberes e ações, sendo essencial a construção de uma prática pautada na interação de diferentes agentes e múltiplas intervenções técnicas. O presente trabalho buscou o olhar da Educação Popular, referenciado em Paulo Freire, no compromisso com o fortalecimento das pessoas como seres dotados de autonomia, e da socionomia, “a ciência das leis sociais”, sistema desenvolvido por J. L. Moreno, que aborda o contexto dos pequenos grupos sociais na perspectiva da realização do potencial criativo e espontâneo, individual e grupal, na construção do mundo. Optou-se por uma abordagem qualitativa, adotando a perspectiva de uma pesquisa-ação existencial, que se caracteriza por assumir a implicação do pesquisador com o contexto da pesquisa, associada a uma ação, visando provocar mudança, ao abordar um problema coletivo. Os atores envolvidos passam a constituir o “pesquisador coletivo” participando ativamente da pesquisa. Os instrumentos utilizados foram o sociodrama, as rodas de conversa, a Tenda do Conto, a terapia comunitária e a observação participante existencial, com registro em diário de campo. A intervenção no contexto grupal favoreceu a emergência de conteúdos subjetivos e aspectos da constituição desta equipe de trabalho, que, paulatinamente, foram-se revelando aos participantes e ao “pesquisador coletivo” através de um clima afetivo acolhedor e facilitador, propiciado pelos recursos metodológicos, onde sentimentos e ideias foram compartilhados. Considerou-se a evolução grupal da equipe de saúde como elemento fundamental na identificação e compreensão de seus desafios e possibilidades, bem como na construção de um enfrentamento efetivo, que permita não apenas o desempenho adequado do serviço, mas também o bem-estar de seus membros e a expressão de sua singularidade. Observou-se a necessidade de um espaço contínuo de compartilhamento e diálogo, onde o processo de mudança cultural favoreça a emergência de novos valores e atitudes individuais e coletivos, necessários à transformação das práticas e do contexto. Assim, é essencial ampliar a compreensão e a abordagem da equipe de trabalho, enquanto espaço de relação intersubjetiva, tendo a abordagem teórico-metodológica da pesquisa-ação, da socionomia e da educação popular se mostrado potente e adequada, sobretudo, por integrar teoria e prática com conceitos, métodos e ferramentas que favorecem esse espaço de encontro dialógico.
  • JANINE AZEVEDO DO NASCIMENTO
  • A Equipe de Trabalho na Unidade de Saúde da Família Nova Conquista - uma abordagem socionômica
  • Data: 14/10/2016
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho em equipe e um atributo fundamental da Estrategia Saude da Familia (ESF), uma vez que a complexidade dos problemas enfrentados neste ambito exige uma multiplicidade de saberes e acoes, sendo essencial a construcao de uma pratica pautada na interacao de diferentes agentes e multiplas intervencoes tecnicas. O presente trabalho buscou o olhar da Educacao Popular, referenciado em Paulo Freire, no compromisso com o fortalecimento das pessoas como seres dotados de autonomia, e da socionomia, “a ciencia das leis sociais”, sistema desenvolvido por J. L. Moreno, que aborda o contexto dos pequenos grupos sociais na perspectiva da realizacao do potencial criativo e espontaneo, individual e grupal, na construcao do mundo. Optou-se por uma abordagem qualitativa, adotando a perspectiva de uma pesquisa-acao existencial, que se caracteriza por assumir a implicacao do pesquisador com o contexto da pesquisa, associada a uma acao, visando provocar mudanca, ao abordar um problema coletivo. Os atores envolvidos passam a constituir o “pesquisador coletivo” participando ativamente da pesquisa. Os instrumentos utilizados foram o sociodrama, as rodas de conversa, a Tenda do Conto, a terapia comunitaria e a observacao participante existencial, com registro em diario de campo. A intervencao no contexto grupal favoreceu a emergencia de conteudos subjetivos e aspectos da constituicao desta equipe de trabalho, que, paulatinamente, foram-se revelando aos participantes e ao “pesquisador coletivo” atraves de um clima afetivo acolhedor e facilitador, propiciado pelos recursos metodologicos, onde sentimentos e ideias foram compartilhados. Considerou-se a evolucao grupal da equipe de saude como elemento fundamental na identificacao e compreensao de seus desafios e possibilidades, bem como na construcao de um enfrentamento efetivo, que permita nao apenas o desempenho adequado do servico, mas tambem o bem-estar de seus membros e a expressao de sua singularidade. Observou-se a necessidade de um espaco continuo de compartilhamento e dialogo, onde o processo de mudanca cultural favoreca a emergencia de novos valores e atitudes individuais e coletivos, necessarios a transformacao das praticas e do contexto. Assim, e essencial ampliar a compreensao e a abordagem da equipe de trabalho, enquanto espaco de relacao intersubjetiva, tendo a abordagem teorico-metodologica da pesquisa-acao, da socionomia e da educacao popular se mostrado potente e adequada, sobretudo, por integrar teoria e pratica com conceitos, metodos e ferramentas
  • RENATA MARIA MOURA NASCIMENTO
  • EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL E PRECEPTORIA NA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Data: 30/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • Resumo: A educacao Inter profissional (EIP) e a preceptoria sao propostas de mudanca no processo de trabalho em saude na Residencia Multiprofissional em Saude da Familia e Comunidade (RMSF). O objetivo do estudo foi. Trata-se de pesquisa qualitativa com a realizacao de dois grupos focais para coleta de dados, sendo um grupo com residentes e outro com preceptores da RMSF. Procedeu-se a analise de conteudo com base em Bardin (2009). Os grupos focais foram orientados por um roteiro previamente estabelecido, a partir de uma questao disparadora sobre a EIP e a preceptoria. Preceptores e residentes reconhecem a EIP como estrategia importante para o trabalho em saude visando a integralidade do cuidado. Apontaram algumas estrategias de praticas colaborativas baseada no encontro dos atores envolvidos de maneira participativa e dialogica, como: reunioes para planejamento, execucao e avaliacao de acoes de promocao e educacao em saude; matriciamento, projeto terapeutico singular, consultas compartilhadas. A EIP apresentou-se como estrategia para a reorientacao dessa formacao e fortalecimento das relacoes interpessoais na atencao basica, tanto na equipe minima quanto no NASF. Percebeu-se a sensibilizacao e o reconhecimento do protagonismo de preceptores e residentes para o desenvolvimento de praticas interprofissionais colaborativas em saude, compreendendo inclusive a necessidade de adocao dessas praticas no cotidiano dos servicos de saude. Sugere-se que a interprofissionalidade seja tema a ser discutido na RMSF, oportunizando aprofundamento teorico vislumbrando dialogo participativo com o objetivo de propor uma agenda para a pratica, ou seja, para cotidiano dos servicos onde estao residentes, estudantes de graduacao, preceptores, outros trabalhadores do SUS, lideres comunitarios, comunidade, gestores de saude e de ensino.
  • RENATA MARIA MOURA NASCIMENTO
  • EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL E PRECEPTORIA NA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Data: 30/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • A educação interprofissional (EIP) e a preceptoria são propostas de mudança no processo de trabalho em saúde na Residência Multiprofissional em Saúde da Família (RMSF). O objetivo do estudo foi compreender a percepção de preceptores e residentes sobre multiprofissionalidade, interprofissionalidade e preceptoria na RMSF.Trata-se de pesquisa qualitativa com a realização de dois grupos focais para coleta de dados, sendo um grupo com residentes e outro com preceptores da RMSF. Procedeu-se a análise de conteúdo com base em Bardin (2011). Os grupos focais foram orientados por um roteiro previamente estabelecido. Preceptores e residentes reconhecem a EIP como estratégia importante para o trabalho em saúde visando à integralidade do cuidado. Apontaram algumas estratégias de práticas colaborativas baseada no encontro dos atores envolvidos de maneira participativa e dialógica, como: reuniões para planejamento, execução e avaliação de ações de promoção e educação em saúde; matriciamento, Projeto Terapêutico Singular, consultas compartilhadas. A EIP apresentou-se como estratégia para a reorientação dessa formação e fortalecimento das relações interpessoais na Atenção Básica, tanto na equipe mínima quanto no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). Percebeu-se a sensibilização e o reconhecimento do protagonismo de preceptores e residentes para o desenvolvimento de práticas interprofissionais colaborativas em saúde, compreendendo inclusive a necessidade de adoção dessas práticas no cotidiano dos serviços de saúde. Sugere-se que a interprofissionalidade seja tema a ser discutido na RMSF, oportunizando aprofundamento teórico vislumbrando diálogo participativo com o objetivo de propor uma agenda para a prática, ou seja, para cotidiano dos serviços onde estão residentes, estudantes de graduação, preceptores, outros trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), líderes comunitários, comunidade, gestores de saúde e de ensino.
  • JOSIVÂNIA SANTOS TAVARES
  • Análise da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil em uma Capital do Nordeste
  • Data: 30/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO – Os benefícios de uma alimentação saudável na infância refletem no desenvolvimento intelectual, no crescimento adequado e na prevenção de doenças. A Organização Mundial de Saúde recomenda o aleitamento materno exclusivo, até o sexto mês de vida, e complementado, até dois anos. Contudo, ainda persistem o desmame precoce e a introdução inadequada da alimentação complementar. Para incentivar e apoiar as práticas alimentares saudáveis em crianças com menos de dois anos, na Atenção Básica, o Ministério da Saúde criou a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB). OBJETIVO – Analisar a implementação da EAAB em uma capital do Nordeste brasileiro, visando identificar fatores que favoreçam ou dificultem esse processo, suas fragilidades e potencialidades. MÉTODO – Pesquisa exploratória, com abordagem qualitativa, por meio da construção e validação de um Modelo Lógico, realizada em Recife/PE, no período de abril a julho de 2016. Os participantes da pesquisa foram tutores e gestores envolvidos com a estratégia. A elaboração do Modelo Lógico seguiu três fases: análise documental; entrevistas com gestores e tutores; e construção do Modelo Lógico. RESULTADOS – O ML elaborado possibilitou a visualização da estrutura da EAAB no município, facilitou sua compreensão e funcionamento e esclareceu a inter-relação dos seus componentes. Dentre as fragilidades elencadas, destacaram-se: a falta de apoio da gestão e a estrutura física precária, que interferem diretamente na execução da estratégia. Em relação às potencialidades, destacou-se: transformação do processo de trabalho nas unidades básicas de saúde, pois, ao reformular ações de incentivo e de apoio às práticas alimentares saudáveis na infância, desenvolvidas nesses locais, haverá mais possibilidades de se alcançar os objetivos da EAAB. CONCLUSÃO – O Modelo Lógico construído tem potencial para facilitar a compreensão da EAAB, pelos gestores que têm poder de decisão sobre questões imprescindíveis para sua execução. O apoio da gestão, seja nas articulações das equipes, seja na participação nas oficinas de trabalho, pode motivar seu interesse com a EAAB, incentivar uma decisão política mais efetiva e dar suporte às unidades de saúde que se propõem a implantar a estratégia. Espera-se melhorar o desempenho dessa estratégia no município e, consequentemente, aumentar os índices de Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável entre as crianças menores de 2 anos, na perspectiva de melhorar sua vida e sua saúde.
  • JOSIVÂNIA SANTOS TAVARES
  • Análise da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil em uma Capital do Nordeste
  • Data: 30/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUCAO – Os beneficios de uma alimentacao saudavel na infancia refletem no desenvolvimento intelectual, crescimento adequado e prevencao de doencas. Assim, o aleitamento materno exclusivo ate o sexto mes de vida e complementado ate dois anos, devem ser mantidos, contudo ainda persiste o desmame precoce e a introducao erronea da alimentacao complementar. Para incentivar e apoiar estas praticas Ministerio da Saude criou a Estrategia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB). OBJETIVO – analisar a implantacao da EAAB em uma capital do Nordeste brasileiro, visando identificar fatores que favorecam ou dificultem o processo de implantacao, atraves de um Modelo Logico (ML), e identificar fragilidades e potencialidades da EAAB conforme percepcao de tutores da Estrategia. METODO – Realizou-se uma pesquisa exploratoria com abordagem qualitativa e documental, visando compreender a estrutura da EAAB, fragilidades e potencialidades, atraves da construcao e validacao de um ML. O estudo foi realizado em Recife/PE, e os participantes foram tutores e gestores envolvidos com a estrategia. A elaboracao do ML seguiu 3 fases: analise documental; entrevistas com gestores e tutores; construcao do Modelo Logico, descrevendo: 1. Explicacao do problema e referencias basicas; 2. Estruturacao do programa para alcance de resultados, 3. Definicao dos fatores de contexto. RESULTADOS – O Modelo Logico evidenciou a estrutura da EAAB no municipio, facilitando sua compreensao e funcionamento. Fragilidades identificadas: falta de apoio da gestao e estrutura fisica precaria, que interferem na execucao da estrategia. Potencialidades: transformacao do processo de trabalho nas unidades basicas de saude(UBS), pois ao reformular acoes de incentivo e apoio as praticas alimentares saudaveis na infancia, desenvolvidas nas UBS, havera maior possibilidade de alcancar o objetivo da EAAB . CONCLUSAO – O Modelo Logico tem potencial para facilitar a compreensao da EAAB, inclusive por gestores nao envolvidos com esta estrategia, mas tem poder de decisao sobre questoes imprescindiveis para sua execucao, como estruturacao das unidades de saude. O apoio da gestao, seja nas articulacoes das equipes, sensibilizando-as sobre a importancia desta na melhoria dos indicadores de alimentacao saudavel na infancia, seja na participacao nas oficinas de trabalho, podem motivar o interesse da gestao com a EAAB, incentivando uma decisao politica mais efetiva, dando suporte as unidades de saude que se propoem a implantar a estrategia. Desta maneira, espera-se melhorar o desempenho desta estrategia no municipio, e consequentemente o aumento nos indices de criancas amamentadas exclusivamente com leite materno ate os seis meses de vida, bem como a permanencia do aleitamento materno ate os dois anos, complementado com uma alimentacao saudavel, oportunizando qualidade de vida e saude para as criancas.
  • KICYANNA SILVA LACERDA
  • ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA COM DOENÇA CRÔNICA NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: PERCEPÇÃO DA FAMÍLIA
  • Data: 29/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • A doença crônica traz muitas implicações para a vida da criança e sua família, por isso é um desafio para a Estratégia Saúde da Famíliacoordenar o cuidado aessas crianças, na perspectiva da integralidade e da longitudinalidade. Objetivou-se conhecer a percepção da família acerca do cuidado e do acompanhamento da ESF à criança com doença crônica no território. Pesquisa qualitativa,exploratório-descritiva, realizada entre setembro e novembro de 2015, por meio de entrevista semiestruturada com o cuidador principal de crianças com doença crônica cadastradas nas Unidades de Saúde da Família de um município do agreste pernambucano. A interpretação dos dados seguiu os princípios da análise temática e resultou na construção das seguintes categorias: fragilidades da ESF na construção do cuidado integral à criança com doença crônica; e potencialidades na produção do cuidado à criança com doença crônica na ESF. As barreiras organizacionais ao acesso, a falta de contrarreferência entre os níveis de atenção, a verticalização na organização das ações, a falta de comunicação adequada entre profissionais e com a família e a dificuldade de conciliar a demanda espontânea e programática contribuem para fragmentar a assistência à criança com doença crônica e sua família. As famílias de crianças com doenças crônicas buscam o atendimento em unidades de urgência e emergência como primeira escolha, devido à falta de acolhimento na atenção primária. Isso revela o descompasso entre os princípios do SUS e os atributos da Atenção Primária à Saúde. O cuidado e o acompanhamento se dão de forma satisfatória quando existe forte vínculo com, pelo menos, um dos profissionais da equipe. Para superar as contradições e os desafios na gestão do cuidado a crianças com doença crônica, é fundamental estabelecer parcerias entre a família, a equipe e a comunidade, pois suas demandas envolvem múltiplos aspectos e dimensões da gestão do cuidado.
  • KICYANNA SILVA LACERDA
  • ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA COM DOENÇA CRÔNICA NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: PERCEPÇÃO DA FAMÍLIA
  • Data: 29/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • A doenca cronica traz muitas implicacoes para a vida da crianca e sua familia, por isso e um desafio para a Estrategia Saude da Familiacoordenar o cuidado aessas criancas, na perspectiva da integralidade e da longitudinalidade. Objetivou-se conhecer a percepcao da familia acerca do cuidado e do acompanhamento da ESF a crianca com doenca cronica no territorio. Pesquisa qualitativa,exploratorio-descritiva, realizada entre setembro e novembro de 2015, por meio de entrevista semiestruturada com o cuidador principal de criancas com doenca cronica cadastradas nas Unidades de Saude da Familia de um municipio do agreste pernambucano. A interpretacao dos dados seguiu os principios da analise tematica e resultou na construcao das seguintes categorias: fragilidades da ESF na construcao do cuidado integral a crianca com doenca cronica; e potencialidades na producao do cuidado a crianca com doenca cronica na ESF. As barreiras organizacionais ao acesso, a falta de contrarreferencia entre os niveis de atencao, a verticalizacao na organizacao das acoes, a falta de comunicacao adequada entre profissionais e com a familia e a dificuldade de conciliar a demanda espontanea e programatica contribuem para fragmentar a assistencia a crianca com doenca cronica e sua familia. As familias de criancas com doencas cronicas buscam o atendimento em unidades de urgencia e emergencia como primeira escolha, devido a falta de acolhimento na atencao primaria. Isso revelao descompasso entre os principios do SUS e os atributos da Atencao Primaria a Saude. O cuidado e o acompanhamento se dao de forma satisfatoria quando existe forte vinculo com, pelo menos, um dos profissionais da equipe. Para superar as contradicoes e os desafios na gestao do cuidado a criancas comdoenca cronica, e fundamental estabelecer parcerias entre a familia, a equipe e a comunidade, pois suas demandas envolvem multiplos aspectos e dimensoes da gestao do cuidado.
  • ELMA GALDINO BRANDÃO
  • GUIDELINE PARA DETECÇÃO DE TUBERCULOSE NA ATENÇÃO BÁSICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA
  • Data: 27/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Tuberculose (TB) continua sendo um importante problema de saude em todo o mundo, exigindo o desenvolvimento de estrategias para o seu controle, considerando aspectos humanitarios, economicos e de saude publica. O Brasil e o unico pais da America Latina incluido entre as vinte e duas nacoes responsaveis por 80% do total de casos de TB no mundo, ocupando a 16ª posicao em relacao ao numero de casos novos e a 22ª posicao em relacao ao coeficiente de incidencia (CI), prevalencia e mortalidade Este estudo teve como objetivo a construcao por profissionais da equipe de saude da familia de um guideline de cuidados voltado para identificacao de sintomaticos respiratorios (SR), optando-se como referencial metodologico pela Pesquisa Convergente Assistencial. A pesquisa foi realizada com agentes comunitarios de saude e enfermeiros de uma Unidade de Saude de Campina Grande do Distrito Sanitario VI. A coleta dos dados ocorreu em duas etapas: entrevista individual e oficina de trabalho em grupo, e para analise destes foram empregados os principios da analise de conteudo, modalidade tematica. Emergiram das entrevistas semiestruturadas as categorias empiricas “Potencialidades” e “Fragilidades” da operacionalizacao da busca ativa de sintomaticos respiratorios segundo atributos da APS que alicercadas pelas discussoes na oficina de grupo originaram dois eixos de acoes que sustentaram a elaboracao do guideline: “Qualificacao e expansao do acesso ao diagnostico e a informacao” e “Descentralizacao diagnostica e organizacao de fluxos”. Como produto final todos os envolvidos construiram coletivamente um fluxograma de atendimento ao sintomatico respiratorio. Acredita-se que estes resultados, embora refletindo uma realidade local, possam conceber reflexoes sobre o papel da equipe no controle da TB e produzir efeitos na melhoria das acoes direcionadas a busca e identificacao dos SR, contribuindo para a deteccao precoce da doenca e reducao de complicacoes e obitos associados a mesma, tendo em vista que apresenta uma tecnologia nova para o cuidado.
  • ELMA GALDINO BRANDÃO
  • GUIDELINE PARA DETECÇÃO DE TUBERCULOSE NA ATENÇÃO BÁSICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA
  • Data: 27/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Tuberculose (TB) continua sendo um importante problema de saúde em todo o mundo, exigindo o desenvolvimento de estratégias para o seu controle, considerando aspectos humanitários, econômicos e de saúde pública. O Brasil é o único país da América Latina incluído entre as vinte e duas nações responsáveis por 80% do total de casos de TB no mundo, ocupando a 16ª posição em relação ao número de casos novos e a 22ª posição em relação ao coeficiente de incidência (CI), prevalência e mortalidade Este estudo teve como objetivo a construção por profissionais da equipe de saúde da família de um guideline de cuidados voltado para identificação de sintomáticos respiratórios (SR), optando-se como referencial metodológico pela Pesquisa Convergente Assistencial. A pesquisa foi realizada com agentes comunitários de saúde e enfermeiros de uma Unidade de Saúde de Campina Grande do Distrito Sanitário VI. A coleta dos dados ocorreu em duas etapas: entrevista individual e oficina de trabalho em grupo, e para análise destes foram empregados os princípios da análise de conteúdo, modalidade temática. Emergiram das entrevistas semiestruturadas as categorias empíricas “Potencialidades” e “Fragilidades” da operacionalização da busca ativa de sintomáticos respiratórios segundo atributos da APS que alicerçadas pelas discussões na oficina de grupo originaram dois eixos de ações que sustentaram a elaboração do guideline: “Qualificação e expansão do acesso ao diagnóstico e à informação” e “Descentralização diagnóstica e organização de fluxos”. Como produto final todos os envolvidos construíram coletivamente um fluxograma de atendimento ao sintomático respiratório. Acredita-se que estes resultados, embora refletindo uma realidade local, possam conceber reflexões sobre o papel da equipe no controle da TB e produzir efeitos na melhoria das ações direcionadas à busca e identificação dos SR, contribuindo para a detecção precoce da doença e redução de complicações e óbitos associados à mesma, tendo em vista que apresenta uma tecnologia nova para o cuidado.
  • FABIANA VELOSO LIMA
  • SAÚDE E DOENÇA DE MULHERES EM SITUAÇÃO DE RUA: UM ESTUDO À LUZ DA HISTÓRIA ORAL
  • Data: 26/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • Populacao em situacao de rua, grupo de pessoas heterogeneas e vulneraveis, que vivem ou moram na rua, e estao expostas a extrema pobreza e iniquidade social. As mulheres de rua, apesar de ser um numero menor, em comparacao aos homens, estao expostas a um maior risco de adoecimento e violencia, devido as questoes de genero. O presente estudo objetiva apreender informacoes sobre o adoecimento de mulheres em situacao de rua e o acesso aos servicos de saude. Trata-se de uma pesquisa exploratoria, descritiva, com abordagem qualitativa a ser realizado segundo a tecnica da Historia Oral Tematica. Os colaboradores envolvidos na pesquisa serao mulheres em vivencia de rua cadastradas e acompanhadas pelo Consultorio na rua no Municipio de Joao Pessoa, que aceitarem participar da pesquisa assinando o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Sera realizada uma entrevistada e a observacao direta da vivencia dessas mulheres na rua, depois as falas serao transcritas, textualizadas e transcriadas, para entao realizar da analise, segundo os pontos fortes e frageis das narrativas.
  • FABIANA VELOSO LIMA
  • SAÚDE E DOENÇA DE MULHERES EM SITUAÇÃO DE RUA: UM ESTUDO À LUZ DA HISTÓRIA ORAL
  • Data: 26/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • população em situação de rua é um grupo de pessoas heterogêneas e vulneráveis, que vivem ou moram na rua e estão expostas a extrema pobreza e iniquidade social. Nesse cenário, as mulheres apresentam-se em número menor, contudo as vulnerabilidades por elas vivenciadas são intensificadas pela relação do gênero feminino na sociedade. O presente estudo objetivou analisar experiências de vida relacionadas ao adoecimento e enfrentamento de vulnerabilidades de mulheres em situação de rua. Tratou-se de um estudo de caso, com abordagem qualitativa, realizado segundo a técnica da História Oral Temática. A coleta dos dados foi desenvolvida no período de dezembro de 2015 e janeiro de 2016 no município de João Pessoa - Paraíba. Colaboraram com o estudo seis mulheres em vivencia de rua, cadastradas e acompanhadas pelo Centro de Referência à População em Situação de Rua (Centro POP). Os procedimentos na produção do material empírico foram desenvolvidos segundo etapas da História Oral: entrevistas, transcrição do material gravado, textualização, transcriação e conferência do texto pelo colaborador. A técnica de análise de conteúdo temática foi empregada e resultou na construção de duas categorias temáticas: vulnerabilidades e adoecimentos de mulheres em situação de rua; e estratégias de enfrentamento de vulnerabilidades e adoecimento vivenciados pelas mulheres em situação de rua. Os principais pontos de convergência entre as histórias dessas mulheres foram ser negras, ter baixa escolaridade, ser vítimas de violência doméstica e fazer uso abusivo de álcool e/ou outras drogas. Entre os motivos que levaram a vivência nas ruas, foram citadas a desfiliação e a dependência química. Nas narrativas sobre o viver e adoecer nas ruas, foram identificadas vulnerabilidades individuais, sociais e pragmáticas. A partir dos relatos de adoecimentos, destacaramse o sofrimento psíquico e adoecimento mental, o uso abusivo de álcool e outras drogas, problemas odontológicos e doenças transmissíveis. Como estratégias de enfrentamento de vulnerabilidades e adoecimentos, as mulheres relataram: o apoio de familiares e amigos, a rede social comunitária, o vínculo com os profissionais do Centro POP e a busca de serviços de saúde. Concluiu-se que há particularidades no viver, adoecer e morrer nas ruas, porém todas as histórias expressam vivências de exclusão social e privação de direitos humanos. O enfrentamento efetivo dessa problemática deve partir da perspectiva interpretativa de quem vivencia a rua e ser garantido mediante políticas públicas contínuas e intersetoriais.