PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (PPGCC)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
32167285

Dissertações/Teses


Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPB

2020
Descrição
  • RAYANE FARIAS DOS SANTOS
  • Relações entre fatores contingenciais e o nível de adoção do Balanced Scorecard.
  • Data: 15/12/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo geral analisar as relações existentes entre os fatores contingenciais e o nível de uso do Balanced Scorecard. Para atingir o objetivo proposto foi operacionalizada uma pesquisa descritiva, exploratória e quantitativa, cujo universo é composto por 205 empresas ativas no setor de Panificação atuantes no Estado da Paraíba, conforme cadastro disponibilizado na página da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), da população total, 42 empresas aceitaram participar da pesquisa, perfazendo a amostra do estudo. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário estruturado cujo acesso se deu por meio da plataforma Google Forms, nos meses de julho a setembro de 2020. No que concerne aos procedimentos estatísticos utilizou-se a estatística descritiva, o teste de Significância de Kruskal Wallis e o teste de Correlação de Spearman. Foram obtidos como resultados que mais da metade das empresas pesquisas não são usuárias do BSC, cuja estruturação hierárquica pode ser enquadrada como simples, assim como possuem de pequeno à médio porte, apesar da grande maioria possuir muito tempo de atuação no mercado, cujas relações com partes interessadas ocorrem por meio de negócios individuais. No que diz respeito a significância dos fatores contingenciais, no contexto do ambiente externo, a intensidade da concorrência, assim como a dinamicidade voltada as regulamentações econômicas e políticas se mostraram significativas no tocante ao nível do uso do BSC, assim como a Estratégia, voltada a análise de operações diárias para tomadas de decisões, a Estrutura, por meio das descrições de trabalhos formais e observação de regras e regulamentos escritos, o uso de Tecnologias de comunicação e a Cultura, no tocante aos funcionários serem receptivos a novas ideias e regulamentos também se mostraram significativos. Não se expressaram significativos os fatores contingenciais Tamanho e Liderança. No tocante aos fatores atuarem como contribuidores ou inibidores sobre o nível de utilização do BSC, a estrutura, as regulamentações econômicas e políticas, a análise de operações diárias para as tomadas de decisões e as descrições de trabalho formais e observação de regras e regulamentos escritos se mostraram como fatores contributivos ao nível de uso da ferramenta, assim como os funcionários serem receptivos a novas ideias e regulamentos se apresentou como fator inibidor ao nível de utilização do Balanced Scorecard. Os resultados demonstram assim que existem fatores contingenciais que possuem relação com o nível de uso do BSC, cujo alguns deles atuam como contribuidores e outros como inibidores sobre o nível de utilização da ferramenta, servindo de direcionadores na implementação do Balanced Scorecard.
  • BRUNO JOSÉ PATRÍCIO ROMÃO
  • SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA E DESEMPENHO ORGANIZACIONAL SOB À ÓTICA DOS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
  • Orientador : RENATA PAES DE BARROS CAMARA
  • Data: 07/12/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • As discussões a respeito do desenvolvimento sustentável se intensificaram principalmente com a formulação do relatório Brundtland em 1987, onde foi exposto um conceito mais fundamentando sobre o DS. Com o passar das décadas as empresas entenderam seu papel como agentes com parcela importante para o alcance do desenvolvimento sustentável, sendo para isso necessário o aporte de planos estratégicos capazes de contemplar os fatores sociais, ambientais e econômicos ligados à organização, esta visão foi trazida por Elkington (1999) com o modelo Triple Bottom line (TBL) para a sustentabilidade corporativa. A inclusão de estratégias desta natureza no âmbito corporativo é fato geralmente complexo, sendo a avaliação do desempenho organizacional mecanismo fundamental para seu alcance, avaliação esta que deve estar para além dos aspectos exclusivamente financeiros. Diante disto, surgiu a seguinte questão problema deste estudo: Como a sustentabilidade corporativa das companhias brasileiras listadas na B3 está relacionada aos aspectos de seu desempenho organizacional? Para tal, a sustentabilidade corporativa foi mensurada através dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), lançados no ano de 2015. Portando, os objetivos específicos deste trabalho se configuraram em: Mensurar a sustentabilidade corporativa por meio da identificação de práticas relacionadas aos ODS (PRODS) executadas pelas empresas do estudo; Identificar os aspectos do desempenho organizacional presentes nos relatórios das organizações que compõe a pesquisa; e Constatar o nível de utilização de aspectos do desempenho organizacional para cada grau de sustentabilidade corporativa (GSC). Então, realizou-se em caráter inicial uma abordagem qualitativa de pesquisa, através da aplicação de técnica de análise de conteúdo nos relatórios de sustentabilidade das empresas que compuseram a amostra, a qual possibilitou constituir as variáveis referentes a sustentabilidade corporativa e aos aspectos do desempenho organizacional, as quais foram utilizadas posteriormente (abordagem quantitativa) nos testes estatísticos (Mann-Whitney (U) e Kruskal-Wallis), também foi aplicada a prova exata de Fisher, afim de verificar a associação entre cada indicador de desempenho com a SC. A amostra foi formada por 100 empresas que possuíam seus relatórios divulgados no período posterior ao lançamento da Agenda 2030 (2016 a 2019), sendo investigados 281 relatórios. Os resultados indicam que em 67,97% dos relatórios existem menções aos ODS, sendo aqueles referentes a dimensão econômica os que possuem mais práticas evidenciadas 77,09%. Por meio do teste não paramétrico de Kruskal-Wallis, em conjunto com a interpretação do box-plot, foi possível inferir que quanto maior o GSC apresentado pela empresa, maior tende a ser o percentual de aspectos do desempenho organizacional utilizados por ela. Desta forma, os resultados mostram-se alinhados a parte da literatura que indica uma maior complexidade das organizações com uma sustentabilidade corporativa mais elevada, levando estas a incluírem um maior número de aspectos na avaliação de seu desempenho organizacional.
  • MARCOS IGOR DA COSTA SANTOS
  • TECNOLOGIAS, DESEMPENHO FINANCEIRO E TRANSFORMAÇÕES NA PROFISSÃO CONTÁBIL: um estudo nos escritórios de contabilidade da Região Nordeste do Brasil
  • Orientador : PAULO AMILTON MAIA LEITE FILHO
  • Data: 01/12/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta tese foi analisar a tecnologia como fator de mudanças na profissão contábil e sua relação com o desempenho financeiro, a partir do entendimento de gestores dos escritórios contábeis da região Nordeste do Brasil. Para tanto foi necessário identificar as práticas que são desenvolvidas de forma automatizadas; elaborar um índice para identificar os setores automatizados; conhecer os tipos de ferramentas tecnológicas informativas utilizadas; desenvolver um índice para mensurar o uso das ferramentas tecnológicas informativas; e, verificar o nível de disposição para mudanças dos gestores frente a tecnologia. O universo da pesquisa considerou 10.873 escritórios registrados nos Conselhos Regionais de Contabilidade (CRC) e a amostra envolveu 2.359 escritórios, identificados através da internet. A coleta de dados envolveu a aplicação de um questionário que continha 23 questões abertas e fechadas e que foi direcionado aos escritórios através de seus respectivos e-mails durante o período de 10.06.2020 até 31.08.2020. No que se refere ao número de devoluções foram obtidas apenas 406 respostas. Para tratamento dos dados foram desenvolvidos dois modelos e para estimar as relações entre as variáveis, utilizou-se a estatística descritiva e o modelo de Regressão Quantílica (RQ) através do método Bootstrapping. A análise dos dados possibilitou descrever o perfil dos gestores, apontando predominância do sexo masculino, idade média de 43 anos e formação acadêmica de pós-graduação Lato Sensu. Quanto às características dos escritórios a forma jurídica “Sociedade” teve predominância, com principal área de atuação o setor “Privado”, possuindo em média 47 clientes e contendo cerca de cinco colaboradores. O faturamento médio mensal encontrado foi superior a R$ 52.000,00 e o investimento médio em tecnologia totalizou aproximadamente R$ 3.700,00. Os resultados demonstraram que, nos dois modelos propostos, a utilização de ferramentas tecnológicas afetou positivamente o desempenho financeiro dos escritórios e comprovaram que quanto maior o nível de automatização dos escritórios, maior o desempenho financeiro. No tocante ao nível de disposição para mudanças frente a TIC, observou-se resultados divergentes com relação aos dois modelos analisados, tendo em vista que no modelo 1 essa variável impactou negativamente no faturamento, enquanto que no modelo 2 a mesma afetou positivamente na rentabilidade sobre os investimentos em tecnologia. O número de colaboradores se mostrou uma variável que interfere na adoção de recursos tecnológicos e no desempenho financeiro, tendo em vista que a evolução da tecnologia está promovendo mudanças no papel do profissional da contabilidade e ocorreu um efeito positivo nos dois modelos. As demais variáveis pertencentes ao constructo apresentaram resultados conflitantes. Por fim, concluiu-se que a hipótese de pesquisa pode ser aceita, uma vez que os gestores dos escritórios de contabilidade que estão mais abertos a mudança perante a tecnologia, fazem maior uso de ferramentas tecnológicas informativas e apresentam um maior desempenho financeiro. Além disso, estes resultados demonstraram a aplicabilidade da teoria da contingência e da dissonância cognitiva, indicando que existe uma dependência da organização em relação ao seu ambiente e a tecnologia adotada, e inexistência de comportamento dissonante entre as ideias apontadas pelos respondentes.
  • LAURO VINÍCIO DE ALMEIDA LIMA
  • (IR)RACIONALIDADE TRIBUTÁRIA BRASILEIRA NO ESFORÇO PELA PERFORMANCE: No liame entre a agressividade fiscal e o seu custo transacional
  • Orientador : MARCIA REIS MACHADO
  • Data: 30/11/2020
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • Sob o fundamento das teorias da racionalidade limitada e dos custos de transação, esta tese objetivou analisar, nas empresas não financeiras e securitárias de capital aberto listadas no Brasil Bolsa Balcão (B 3 ), durante os anos de 2010 a 2019, o reflexo do nível de agressividade fiscal relacionado aos tributos sobre o lucro na performance financeira e econômica das empresas brasileiras de capital aberto. Para tanto, o estudo considerou a existência de custos transacionais para a adoção da agressividade fiscal, e a existência de uma aversão aos tributos sobre o lucro que, diante da racionalidade limitada envolvida no processo decisório, limita a antecipação plena das consequências das alternativas disponíveis, não permitindo que os tomadores de decisão mensurarem o custo-benefício da agressividade fiscal. Em razão disso, a agressividade fiscal praticada nas empresas pode interferir negativamente na sua performance financeira e econômica. Como contribuições, para a academia e a sociedade, este trabalho expõe os custos transacionais envolvidos na adoção prática da agressividade fiscal nas empresas que podem não ser devidamente mensurados no curso do processo decisório de implementação da agressividade fiscal. Assim, o estudo traz novas perspectivas ao tema, utilizando como medidas de performance o ROA, o ROE e o EBIT; como proxy de aversão aos tributos a diferença entre a taxa efetiva da empresa e a taxa efetiva média do setor; e, para mensuração do custo de transação, a diferença entre as receitas correntes líquidas e o EBIT. Os resultados obtidos nesta pesquisa validaram a tese proposta. Encontraram-se indícios de aversão aos tributos sobre o lucro, com base em experiências negativas passadas, pois, quanto maior foi a taxa tributária efetiva acima da média do setor no ano anterior, para as empresas da amostra, maior foi o nível de agressividade fiscal praticado. Seguidamente, verificou-se que o nível de agressividade fiscal exerce uma influência direta nos custos transacionais das empresas, haja vista que um aumento no nível de agressividade fiscal implementado nas empresas da amostra implicou uma elevação nos gastos para a obtenção de receitas das empresas que compuseram a amostra. E, por fim, revelou-se que o nível de agressividade fiscal praticado nas empresas da amostra exerceu uma influência negativa na performance econômica e financeira, porque o aumento do nível de agressividade fiscal reduziu o ROA, o ROE e o EBIT das empresas. Os achados reacendem a discussão sobre o tema, não se limitando à observação dos benefícios obtidos com a redução da carga tributária, mas a mensuração dos seus gastos e análise do custo-benefício da utilização da agressividade fiscal.
  • SAMYLLA GABRYELLA SALES BARBOSA
  • A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO E A INFORMAÇÃO AMBIENTAL DE EMPRESAS BRASILEIRAS PARTICIPANTES DA GRI SUSTAINABILITY DISCLOSURE DATABASE
  • Data: 26/08/2020
  • Hora: 09:30
  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas décadas foi observado um esforço de múltiplas áreas para que assuntos sobre o tema meio ambiente ganhassem o espaço e visibilidade que seu caráter de urgência demanda. Dentro das empresas, isso resultou na necessidade de alterar o status quo, estas agora precisam adequar-se à mudança processos e prestação de contas quanto seus impactos ambientais por meio de relatórios de sustentabilidade e equivalentes. Devido à natureza heterogênea das informações ambientais foram desenvolvidas as diretrizes da GRI, com o intuito de auxiliar empresas e governos a entender e divulgar seu desempenho ambiental, social e econômico. Cho e Patten (2007) afirmam que a divulgação sobre sustentabilidade é uma ferramenta usada para legitimar ações organizacionais, porém, por sua característica de não-obrigatoriedade, tanto da divulgação, quanto da auditoria das informações divulgadas, os relatórios também podem transformar-se em meio de criar uma imagem adequada. Visando trazer maior entendimento sobre o tema emana a seguinte questão de pesquisa: Como se relacionam as informações sobre meio ambiente publicadas nos relatórios de sustentabilidade e o desempenho ambiental das empresas contidas no GRI Sustainability Disclosure Database (GRI SDD)? Outrossim, para atender ao objetivo geral foram definidos os seguintes objetivos específicos: Extrair informações sobre desempenho ambiental e suas divulgações com base nas diretrizes da GRI G4; Analisar se as informações divulgadas pelos gestores seguem e até que ponto estas são aderentes às diretrizes definidas pelo GRI G4 para gerar um ranking de aderência ao GRI G4; Analisar as divulgações sobre o consumo de energia, o consumo de água, o total de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), o total de resíduos gerados, o total de resíduos reciclados, recuperados ou reutilizados e os investimentos e gastos em proteção ambiental, para gerar rankings de performance ambiental para cada uma das categorias citadas; Gerar um score de desempenho ambiental que tem como proxy a média dos desempenhos ponderados dos rankings supracitados; Verificar quais as associações existentes entre o desempenho ambiental e os diferentes níveis de aderência dos gestores às diretrizes da GRI G4. Neste sentido, o presente estudo classifica-se quanto aos fins como descritivo e explicativo, quanto aos meios como documental e faz uso da abordagem quantitativa. Desse modo, através da técnica de análise de conteúdo, foram coletados os dados sobre o desempenho ambiental e a aderência ao GRI nos relatórios de sustentabilidade e estes foram relacionados por meio dos testes não-paramétricos de Mann-Whitney ou Kruskal-Wallis. A população selecionada para a execução da pesquisa compreende todas as empresas brasileiras que disponibilizaram no GRI SDD seus relatórios de sustentabilidade no modelo GRI G4, ao total, foram analisadas 131 empresas e 286 relatórios. Cabe ressaltar que a presente pesquisa se justifica, principalmente, por acreditar-se que a evidenciação de informações sobre aspectos que tangem o meio ambiente têm influência direta na gestão ambiental, pois esta passa por um processo de avaliação contínua através da análise do desempenho ambiental, permitindo identificar e medir o rendimento alcançado de cada um dos critérios gerenciados. Em média, a aderência às diretrizes da GRI G4 foi de 38,42% e foi maior por parte de empresas mais danosas ao meio ambiente. Em relação ao desempenho ambiental, notou-se que no geral as empresas tem um desempenho de média de 0,5 (onde quanto mais perto de 1, melhor) e que também existem diferenças significativas entre empresas poluentes e não-poluentes, sendo o desempenho ambiental das não-poluentes superior. Por fim, ao relacionar a aderência ao desempenho ambiental, , foi possível constatar que as empresas do presente estudo, com desempenhos ambientais piores, são mais aderentes às diretrizes da GRI G4 que as demais empresas do estudo e, produzem relatórios de sustentabilidade mais completos e com mais informações educativas para as partes interessadas em conhecer suas ações, indo de acordo
  • MATHEUS MARCOS MORAIS DE QUEIROZ
  • QUALIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL NO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO: EFEITO DA IMPLEMENTAÇÃO DO NOVO RELATÓRIO DO AUDITOR INDEPENDENTE
  • Data: 08/08/2020
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • A auditoria independente de demonstrações contábeis, enquanto atividade, tem o papel de ser o agente entre a informação preparada pelo administrador e o usuário da informação (Healy & Palepu, 2001). Nas últimas décadas, no entanto, após escândalos corporativos envolvendo grandes empresas, órgãos reguladores se mobilizaram a fim de restaurar a confiança do mercado através de padrões que viabilizariam relatórios de auditoria com maior nível de transparência e informação. Em janeiro de 2015, após um processo de reestruturação que foi chamado de Auditor Reporting Project, o International Auditing and Assurance Standards Board (IAASB) divulgou novas normas as quais trouxeram alterações relevantes no relatório do auditor independente. Entre as inovações trazidas na estrutura do relatório do auditor, a principal delas foi a inclusão dos Key Audit Matters (KAM) denominado no Brasil de Principais Assuntos de Auditoria (PAA). Nesse sentido, o objetivo deste trabalho consistiu em analisar a influência da implementação do Novo Relatório do Auditor (NRA) na qualidade da informação contábil do mercado de capitais brasileiro. Como proxies para a qualidade da informação contábil, esta pesquisa envolveu os atributos de persistência dos lucros (Dechow & Schrand, 2004), conservadorismo (Ball & Shivakumar, 2005) e gerenciamento de resultados (Pae, 2005). Com base em dados de 216 companhias não-financeiras listadas na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), tais proxies foram estimadas para o período anterior (2013-2015) e posterior (2016-2018) à implementação do NRA. Os resultados demonstraram que houve melhoria na qualidade da informação contábil relacionada ao atributo do conservadorismo após a implementação do NRA; persistência dos lucros e gerenciamento de resultados, por outro lado, não indicaram resultados de melhoria. Adicionalmente, em empresas onde assuntos com natureza de despesa (PAAs) foram relevantes na condução do trabalho do auditor, e por ele reportados ao mercado, foi constatada uma maior incidência de gerenciamento de resultados. A pesquisa contribui com a literatura da qualidade da informação contábil (earnings quality) e evidencia a relevância dos processos regulatórios no segmento da auditoria independente, bem como o seu reflexo nas demonstrações financeiras. Ademais, os achados podem auxiliar stakeholders na tomada de decisão pautada em um melhor entendimento sobre as dimensões do relatório do auditor independente, além de fornecer aos órgãos reguladores informações úteis para processos regulatórios futuros.
  • ARIANE FIRMEZA MOTA NASCIMENTO
  • ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DISCRICIONÁRIO DO GESTOR SOB A ÓTICA DA TEORIA DO PROSPECTO E DO EXCESSO DE CONFIANÇA
  • Data: 08/06/2020
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa foi verificar o comportamento do gerenciamento de resultados sob aspecto das finanças comportamentais, especificamente a Teoria do Prospecto e o excesso de confiança - com vistas a identificar a tendência à manipulacão oportunista. Por meio dos accruals discricionários e das decisões operacionais, foram verificados os níveis – moderados e agressivos - de manipulação de resultados contábeis. A amostra é composta por firmas listadas nos mercados de capitais brasileiro e norte-americano, no período de 2010 a 2018. Como métrica do gerenciamento de resultados contábeis, utilizou-se Dechow et. al (2012), já a manipulação das decisões operacionais foi identificada conforme Roychowdhury (2006). Essas três métricas de gerenciamento de resultados por atividades reais foram combinadas em uma única métrica agregada que corresponde à soma dos níveis anormais de fluxo de caixa, de despesas discricionárias e de custos de produção. Os ganhos e as perdas no retorno das ações e a predisposiçao do gestor ao risco foram utilizadas para analisar a ótica da Teoria do Prospecto, que estabelece relação assimétrica entre o comportamento dos indivíduos frente a ganhos e perdas em situações de risco. A predisposição do gestor ao risco – para gerenciar resultados contábeis - foi analisada por meio dos indicadores de governança mundial, uma vez que tais indicadores refletem a percepção das pessoas e tendem a conduzir ações em relação à iniciativa público e privada. Por outro lado, foi verificado o excesso de confiança dos gestores que pode redirecionar o que propugna a Teoria do Prospecto. A métrica utilizada para tanto, foi o exercício de opções de ações dos gestores, conforme Malmendier e Tate (2005). Por meio das técnicas de regressão múltipla e quantílica, foi verificado o efeito dessas medidas nos vários níveis de gerenciamento de resultados. Em geral, os resultados indicam que, no ambiente brasileiro, o comportamento do gestor no gerenciamento de resultados é condizente com o que propugna a Teoria do Prospecto, uma vez que diante dos ganhos, gestores manipulam os resultados de forma moderada e diante de perdas, de forma agressiva. Os gestores demonstram ter predisposição ao risco à medida que a qualidade regulatória influencia positivamente os níveis mais agressivos dos accruals discricionários. No ambiente norte americano, o gerenciamento de resultados por accruals apresentou-se influenciado de forma moderada pelos ganhos no retorno das ações e as perdas não exerceram influência nos níveis agressivos de accruals discricionários. Por outro lado, a manipulação por atividades reais, é agressiva quando os gestores enfrentam perdas no mercado financeiro. Quando experimentam ganhos, preferem a manipulação das atividades operacionais, de forma moderada, por meio dos fluxos de caixa e dos custos de produção. Desfaz-se, sobretudo, a relação assimétrica, prevista na Teoria do Prospecto, para a manipulação das atividades operacionais por meio dos fluxos de caixa e custos de produção, demonstrando que o excesso de confiança dos gestores pode conduzir o gestor ao gerenciamento de resultados de forma oportunista nessa modalidade. Sob a ótica da Teoria do Prospecto, dá-se destaque à contraposição dos conceitos econcômicos que indivíduos devem arriscar enquanto ganho e devem ser contrários quando experimentam perdas, com vistas a identificar a tendência ao gerenciamento de resultados oportunista.
  • IGOR FIGUEIRÊDO LEITE
  • A INFLUÊNCIA DE INFORMAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS E DE GOVERNANÇA NA DECISÃO DO INVESTIDOR
  • Data: 29/05/2020
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve por objetivo verificar o impacto da apresentação de informações socioambientais e de governança para a tomada de decisão de investimento. Para atender ao objetivo geral, foi realizado um survey que contou com 409 respondentes que foram submetidos aos questionários aplicados entre os dias 31 de outubro a 10 de novembro de 2019, sendo sua divulgação realizada por meio de redes sociais, para analisar os dados da pesquisa, foram utilizados o teste paramétrico de análise de correspondência e t-student e os testes não paramétricos Qui Quadrado e Teste de Kruskal-Walis, também utilizou-se a Regressão Tobit. Deve-se ressaltar que foram elaborados dois questionários, no qual um deles apresentava informações socioambientais e de governança e o outro não apresentava. Essa diferença surge para comparar os resultados entre os dois questionários. Dentre os resultados da pesquisa, tem-se que os fatores identificados com maior frequência de importância para o processo de análise de investimento foram, respectivamente: lucratividade; questões de governança; e rentabilidade. Foi identificado que a apresentação de informações socioambientais e de governança não interfere na tomada de decisão do investidor brasileiro. Dentre os motivos para esse resultado é que o investidor brasileiro ainda não está preocupado com fatores socioambientais e de governança, se preocupando mais com retorno obtido. Além disso, foi evidenciado que a decisão do investidor é influenciada negativamente pela percepção do risco do investidor, no sentido de que quanto menos arriscado o investidor entender que aquele ativo é, maior será o investimento realizado. Ao mesmo tempo identificou-se que existe diferença na decisão de investimento de acordo com o perfil do investidor. A decisão de investimento é impactada negativamente pela percepção de risco e o investidor agressivo será menos influenciado por informações sociais e ambientais. Sendo assim, o estudo contribui com a literatura uma vez que discute o impacto das informações socioambientais na tomada de decisão e de governança e identifica diferentes perfis na tomada de diferentes decisões. A relevância do estudo pode ser evidenciada uma vez que buscou abordar um assunto pouco explorado ainda no Brasil, bem como buscou-se entender o comportamento de membros de grupos de investimento.
  • VANESSA KARLA REBOUÇAS DA SILVA
  • INTERCONEXÃO ENTRE AS ABORDAGENS ACADÊMICAS E DE GESTÃO SOB A ÓTICA DAS PRÁTICAS DE RESPOSTA À FRAUDE CONTRA O SETOR PÚBLICO BRASILEIRO
  • Data: 28/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • As fraudes cometidas contra a Administração Pública despertam a preocupação de acadêmicos e profissionais de forma multidisciplinar, de modo que esforços diversos são direcionados ao entendimento do fenômeno, mais especificamente na tipologia corrupção. Há uma constante busca por ampliar as possibilidades de dissuasão, prevenção, detecção, monitoramento e punição de sua ocorrência no contexto das organizações públicas, por meio de abordagens teóricas e práticas. Neste sentido, reconhecendo a importância da melhoria no diálogo entre acadêmicos e profissionais, bem como da eficiência nas ações e estudos propostos, o objetivo desta pesquisa consiste em analisar a interconexão das abordagens acadêmicas e das práticas de gestão utilizadas por profissionais no setor público do Brasil quanto aos conceitos e ações de resposta à corrupção. Com foco nas definições e ações utilizadas, a pesquisa foi realizada por meio da aplicação de dois questionários survey, um para o grupo dos acadêmicos e outro para o grupo dos profissionais, que verificaram a classificação de importância atribuída pelos grupos à 70 práticas de coibição à fraude, distribuídas em etapas definidas com base no Referencial de Combate à Fraude e Corrupção (TCU, 2018). Cada prática foi classificada pelos grupos como não importante, pouco importante, importante ou muito importante, de modo que a existência de conexão não significa, necessariamente, que as práticas apresentadas são as melhores e mais eficazes, uma vez que a interconexão obtida também inclui a classificação de práticas como ‘Pouco Importantes’ por ambos os grupos. Considerando que 43 práticas obtiveram a mesma classificação, os resultados indicam a existência de interconexão entre os acadêmicos e profissionais ao nível de 61,43%. A classificação à atribuição de eficiência às práticas apresentadas foi a questão que obteve o maior número de interconexão, seguida pelas classificações de importância dadas às práticas da etapa de Prevenção. A etapa de prevenção foi, ainda, a que apresentou a maior quantidade de ações classificadas como ‘Importante’ por ambos os grupos. Considerando que as práticas preventivas são as que mais se relacionam à redução da Oportunidade de ocorrência da corrupção, que se refere a uma das arestas do Triângulo da Fraude (CRESSEY, 1953), os resultados corroboram com a ideia de que mecanismos de prevenção à corrupção podem mitigar proativamente os riscos do ilícito (LORENTE, 2016; ALBRECHT et al., 2009). Além disso, somente três práticas foram classificadas como Muito Importantes por ambos os grupos. Neste sentido, os resultados também corroboram com Bastos et al. (2002) quanto ao entendimento de que a Aprendizagem Organizacional e a busca por avanço organizacional eficiente também implicam em “desaprender” condutas e abordagens, indicando a importância da análise quanto à necessidade de aprimoramento ou revisão das ações de resposta à fraude utilizadas, levando em consideração as características das diversas instituições públicas brasileiras.
  • FRANCISCO JOSÉ DA SILVA JUNIOR
  • A SINALIZAÇÃO DO GERENCIAMENTO DE RESULTADOS POR MEIO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NO BRASIL
  • Data: 28/02/2020
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve por objetivo estudar a relação entre a Responsabilidade Social Corporativa e o nível de Gerenciamento de Resultados praticados pelos gestores, sob a ótica da Teoria da Sinalização. Sabe-se que as empresas passaram a evidenciar informações voluntárias, como forma de reduzir a assimetria existente com os stakeholders, garantindo maior valorização. Dessa forma, os gestores podem aproveitar-se para praticar atitudes discricionárias, enviesando o real sentindo da divulgação voluntária. A literatura aponta para uma relação ambígua entre tais variáveis, podendo os gestores utilizar a RSC de forma ética, reduzindo o nível de GR e contribuindo para uma melhor qualidade informacional; ou uma postura oportunista, desviando o foco dos investidores para atitudes manipulativas sobre os lucros. Desta forma, buscou-se analisar tal relação, tendo como amostra as empresas de capital aberto listadas na Brasil, Bolsa Balcão (B3), não financeiras, entre o período de pós-adoção da IFRS, de 2010 a 2018. Para definir o nível de Gerenciamento de Resultados, foi utilizado o modelo de Pae (2005), sendo o módulo dos resíduos da regressão (GRit) a variável dependente, estimado por GMM (System Generalized Method of Moments). Quanto a proxy de divulgação de Responsabilidade Social Corporativa, foi estimada por meio da análise de conteúdo dos Relatórios de Sustentabilidade, Formulários de Referência e Notas Explicativas das empresas, sendo captado a presença de 43 indicadores econômicos, ambientais e sociais, baseados em Callado (2010) e Murcia e Wuerges (2011). Como controle, a rentabilidade (ROAit), a alavancagem (ENDit), a governança corporativa (GOVit), o market-to-book (MTBit) e o setor (∑SETORit) compuseram os modelos. Por resultados, identificou-se que a evidenciação da RSC associada a informações de cunho ambiental estariam positivamente associados a maiores níveis de GR. Assim, a presença de maiores informações de cunho ambiental podem sinalizar possíveis manipulações nos lucros, servido como um alerta para os stakeholders.
  • AUGUSTO CEZAR DA CUNHA E SILVA FILHO
  • COMPARABILIDADE CONTÁBIL E O CUSTO DE CAPITAL PRÓPRIO: uma análise no mercado de capitais brasileiro
  • Data: 28/02/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta tese investigou a influência da comparabilidade contábil no custo de capital próprio de empresas brasileiras. A literatura aponta que uma maior comparabilidade contábil resulta em avaliações mais precisas do desempenho individual das empresas, já que diminui o custo de coleta e análise de informações entre determinada empresa ao longo de um período e, também, entre empresas pares. Além disso, informações comparáveis ajudam os investidores a identificar e entender semelhanças e diferenças econômicas entre as firmas e, assim, tomarem decisões de investimento mais eficientes. Diante desse contexto, é provável que os investidores exijam menores retornos esperados ao se depararem com informações contábeis mais comparáveis, resultando em menor custo de capital próprio. Para a execução deste estudo, utilizou-se uma amostra com base nos dados das companhias listadas na Brasil, Bolsa, Balcão (B3), no período de 2001 a 2018. Para medir a comparabilidade contábil, utilizou-se como métrica principal o modelo de similaridade da função contábil desenvolvido por DeFranco, Kothari e Verdi (2011), e para medir o custo de capital próprio implícito, utilizou-se o modelo de Easton (2004). Os resultados mostraram que o nível de comparabilidade contábil entre empresas do mesmo setor aumentou após a adoção das Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS). Verificou-se relação negativa e estatisticamente significativa entre o custo de capital próprio e a comparabilidade contábil entre empresas do mesmo setor. Além disso, essa relação mais se pronuncia para empresas situadas em setores mais competitivos, indicando que a competitividade de mercado atua como um mecanismo eficaz de governança externa (calculouse competitividade de mercado mediante o índice de Herfindahl). Em geral, os resultados desta tese sugerem que a comparabilidade contábil desempenha papel importante na redução dos riscos de investimentos, contribuindo na alocação eficiente de capital dos investidores. Por fim, este trabalho contribui para a literatura nacional e internacional ao demonstrar os benefícios econômicos da comparabilidade contábil.
  • DEBORAH CHAUSSÊ DE FREITAS SOUZA
  • INFLUÊNCIA DA CONDIÇÃO FINANCEIRA GOVERNAMENTAL SOBRE OS GASTOS COM INVESTIMENTO PÚBLICO NOS MAIORES MUNICÍPIOS BRASILEIROS
  • Data: 27/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve por objetivo analisar a influência da condição financeira governamental (CFG) sobre os gastos com investimento público nos maiores municípios brasileiros. Baseado nos preceitos da Teoria da Gestão de Cortes, essa pesquisa parte do pressuposto de que os gastos com investimento públicos são reduzidos quando os municípios enfrentam uma condição financeira desfavorável. A amostra da pesquisa compreendeu 94 municípios brasileiros e os dados coletados referem-se ao período de 2010 e 2018. Os dados foram analisados por meio do modelo de regressão com dados em painel. A variável dependente consistiu no gasto com investimentos públicos e a variável independente de interesse corresponde a CFG, a qual teve como proxy para mensuração, o modelo de Capacidade de Pagamento proposto pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) (BRASIL, 2017). Foram propostos dois modelos econométricos com diferença nas variáveis explicativas de interesse: o primeiro considerou a classificação final obtida no cálculo da CFG; e o segundo desmembrou a CFG em seus três indicadores, conforme modelo do STN: I. Endividamento (DC); II. Poupança Corrente (PC); e III. Liquidez (IL). Os resultados do primeiro modelo indicaram uma tendência de maior gasto com investimentos públicos por municípios com melhor CFG quando comparados com municípios que apresentaram indícios de deterioração deste índice. Entretanto, não se constatou significância estatística nesta relação. Os resultados associados ao modelo de desmembramento da CFG sugerem que os indicadores de Endividamento e Liquidez não apresentam relação significativa com o grau de investimento público. O índice de Poupança Corrente, por sua vez, apresenta relação significativa com o montante destinado para investimentos, e sugere que o nível de poupança corrente influencia positivamente os gastos com investimento público. Este trabalho contribui para a literatura indicando que a Poupança Corrente pode ser utilizada como um fator determinante para os investimentos municipais. Por fim, este trabalho contribuiu para a gestão pública municipal, servindo de alerta para os gestores sobre a importância de conhecer e preservar a condição financeira governamental do município a fim de dispor de capacidade para investir em infraestrutura pública, desenvolver uma gestão orientada para o longo prazo e promover o crescimento econômico sustentado.
  • FABIA JAIANY VIANA DE SOUZA
  • COMPREENSIBILIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL POR USUÁRIOS TOMADORES DE DECISÃO
  • Data: 27/02/2020
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A Contabilidade pode ser visualizada como um instrumento de comunicação entre o contador e o usuário da informação. Para que essa comunicação possa existir e atingir seu objetivo de transmissão de mensagens com eficácia, se faz necessário que o emissor emita uma mensagem que possa ser compreensível pelo receptor, devendo estar alinhada com as suas necessidades e elaborada em linguagem clara e em formatos que tornem a evidenciação transmitida direta e direcionada para o fim a que se destina. Os relatórios contábeis gerenciais são ferramentas de suporte indispensáveis para que os gestores possam analisar a situação atual das organizações, assim como projetar novas estratégias de atuação e mecanismos de controle para que as metas estabelecidas em seu planejamento possam ser atendidas. Diante disso, o objetivo geral dessa tese é descrever a compreensibilidade da informação contábil de gestores públicos e a sua otimização na tomada de decisão, a partir da leitura de um formato complementar de apresentação de informações mais acessível. Para atingir esse objetivo, os objetivos específicos foram: verificar a necessidade informacional para a tomada de decisão dos gestores; identificar qual é a forma de apresentação e o meio de transmissão mais adequado para as informações contábeis serem apresentadas; analisar a finalidade da utilização das informações contábeis no cotidiano dos sujeitos pesquisados; identificar os pontos favoráveis e desfavoráveis sobre a leitura da informação contábil no formato de apresentação proposto na pesquisa, conforme opinião dos gestores. Considerando o formato de apresentação das informações contábeis e da teoria da comunicação e da teoria da carga cognitiva, temos a tese de que ao tratar de informações contábeis por meio de um formato complementar mais acessível, os gestores públicos são capazes de compreender melhor as informações contábeis e, posteriormente, ter mais uso delas para tomada de decisão. A tese classifica-se como um estudo multicaso, exploratório e descritivo com abordagem qualitativa. O campo de estudo da pesquisa correspondeu a sete campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Para coleta de dados foram aplicados dois instrumentos de pesquisa, compostos de um questionário e outro formado por cenários de tomada de decisão, para que pudesse analisar a percepção dos respondentes diante da leitura da informação contábil em dois formatos de apresentação. Como técnica de análise dos dados foi utilizada a análise de conteúdo juntamente com o software Iramuteq. Os resultados revelaram que os gráficos estão entre as ferramentas de acessibilidade mais mencionadas entre os participantes do estudo, sendo aquela que mais facilitou a compreensão das informações contábeis utilizadas no relatório gerencial. Constatou-se que o áudio explicativo não foi considerado como um elemento de acessibilidade para a apresentação da informação contábil, sendo ainda possível observar sugestões para incorporar a utilização de projeções nas séries históricas das informações contábeis transmitidas, assim como, o uso de texto narrativo para complementar as informações de execução orçamentária apresentadas por meio de quadros e gráficos. Portanto, o recurso cognitivo visual foi aquele que teve maior aceitação para os gestores pesquisados.
  • MARCELO MAIA DINIZ
  • QUALIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL: UM ESTUDO DAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO BRASILEIRAS
  • Data: 21/02/2020
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • As cooperativas de crédito como agentes participantes do mercado financeiro, na condição de intermediadora financeira, apresentam características semelhantes às dos bancos, no que diz respeito à contabilidade e oferta de produtos e serviços econômico-financeiros, no entanto, possuem regulamentação específica e se diferem dos bancos no objetivo do negócio, não tendo o lucro e sim a prestação de serviços por meio da mutualidade aos seus associados. Dessa forma, esta pesquisa avaliou o nível de qualidade da informação contábil, utilizando como proxies o conservadorismo, a persistência nos lucros e o gerenciamento de resultados por meio das provisões para créditos de liquidação duvidosa (PCLD), reportadas nas demonstrações financeiras das cooperativas de crédito brasileiras. Utilizando modelos disponíveis na literatura para empresas similares, como Ball e Shivakumar (2005) para análise do conservadorismo, Dechow e Schrand (2004) para persistência dos lucros e Fuji (2004) e Goulart (2007) para gerenciamento de resultados para accruals específicos. Foram utilizados dados anuais das cooperativas de crédito brasileiras, disponibilizados no site do Banco Central do Brasil (BACEN). A coleta é referente ao período de 2000 a 2018. Como resultados, verificou-se que as demonstrações financeiras das cooperativas de crédito indicam comportamento mais oportuno das perdas do que dos ganhos, identificou-se também que as cooperativas maiores são mais conservadoras que as menores. Quanto a persistência das sobras reportadas pelas cooperativas de crédito, verificou-se que a proxy é verificada para o conjunto de cooperativas brasileiras e que as maiores cooperativas apresentam mais intensidade comparado as menores. Quanto ao gerenciamento de resultados pela PCLD, verificou-se que as cooperativas de crédito brasileiras não apresentam indícios de gerenciamento de resultados com o uso da PCLD.
  • DYLIANE MOURÍ SILVA DE SOUZA
  • EFEITO DO SENTIMENTO DO INVESTIDOR MANIFESTO VIA TWITTER SOBRE OS RETORNOS E O VOLUME NEGOCIADO NO MERCADO ACIONÁRIO BRASILEIRO
  • Data: 21/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desse estudo foi identificar, por meio das mensagens que são postadas no Twitter, como as informações que são divulgados de forma on-line estão associadas aos movimentos que ocorrem no mercado brasileiro, especificamente no que tange aos retornos e ao volume de negócios. A coleta dos dados relacionados ao Twitter se deu por meio da biblioteca Tweepy. Já os dados financeiros foram obtidos mediante a base de dados Thomson Reuters. Para o desenvolvimento do índice de sentimento foi empregado um método netnográfico, no qual houve uma observação participante na rede social Twitter de modo a conhecer os termos que são utilizados a se referir ao mercado brasileiro e as ações que o compõem. A atribuição do sentimento se deu por meio de machine learning, por intermédio do Google Cloud Natural Language API, o qual possui uma ferramenta de análise de sentimentos. Para atender ao objetivo geral da pesquisa foram estimados sete modelos de regressão quantílica em cinco quantis, uma vez que os dados obtidos eram heterogêneos e não demonstravam normalidade, visto que esse tipo de regressão apresenta robustez para tais problemas, assim foi possível ter uma compreensão do assunto e interpretação dos dados. A análise e intepretação dos dados possibilitou perceber que, em geral, um sentimento otimista no tempo contemporâneo estará associado a um maior retorno contemporâneo, todavia essa relação se inverte com o passar dos dias, de modo que, um sentimento otimista no período atual estará associado a um menor retorno subsequente. Constatou-se ainda que existe associação entre o volume de mensagens que são postadas diariamente no Twitter e o volume de negócios do mercado acionário brasileiro. Ademais, viu-se que quão maior for o número de mensagens que são dotadas de um sentimento negativo, maior também será o volume negociado. Assim, os resultados são úteis para mostrar que existe relação entre as informações que são divulgadas na rede social Twitter e os movimentos do mercado acionário brasileiro, trazendo contribuições para a literatura, ao expandir o entendimento de como mercados emergentes estão associados às atividades que ocorrem no ambiente on-line. O estudo também traz contribuições práticas, uma vez que as atividades que ocorrem on-line no Twitter podem ser utilizadas como variáveis em estratégias de investimento, visto que essas estão associadas aos movimentos do mercado.
  • MARIA LUIZA FARIAS DINIZ
  • ANÁLISE DA DIVULGAÇÃO DE CAPITAIS NÃO FINANCEIROS DO RELATO INTEGRADO
  • Data: 21/02/2020
  • Hora: 10:15
  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas décadas, as empresas passaram a reagir de maneira diferenciada no que se refere ao reporte das suas informações às partes interessadas, passando a divulgar mais do que apenas informações financeiras, pois o interesse dos usuários por informações de natureza ambiental e social aumentaram. Para incentivar as empresas frente à divulgação de informações não financeiras, o Relato Integrado (RI) foi criado em 2010 com o objetivo de desenvolver uma forma diferente de agir no tocante à evidenciação empresarial. O RI interliga as informações presentes nos relatórios empresariais, tornando-se o principal instrumento de divulgação das informações corporativas (financeiras e não financeiras), apresentando informações relevantes sobre as atividades das organizações. Esse novo modelo de relatório é composto por 6 (seis) capitais, a saber: financeiro; manufaturado; natural; humano; social e de relacionamento; e intelectual. Para a realização desta pesquisa, foram calculados e analisados os capitais não financeiros do RI divulgados por empresas pertencentes a 9 (nove) diferentes setores econômicos, considerando o período temporal de 2014 a 2018. As empresas participantes da pesquisa foram identificadas de acordo com a “Examples Database” do próprio Integrated Reporting . A pesquisa, quanto aos objetivos, classifica-se como exploratória e descritiva. No tocante aos procedimentos, é considerada uma pesquisa bibliográfica e documental, de abordagem qualitativa e quantitativa. Para o seu desenvolvimento, foi utilizada a técnica de análise de conteúdo, que veio inovar as pesquisas nesta área, sendo realizada por meio da mineração de dados com uso do software “R”. Para a sua execução, foram identificadas, calculadas e analisadas as informações referentes aos capitais não financeiros do RI, de acordo com um checklist das palavras chave/relacionadas, que são descritas mediante as informações no framework de lançamento (Indicadores Chaves de Desempenho – KPIs), totalizando 34 (trinta e quatro) indicadores. Dessa forma, por intermédio da divulgação dos capitais analisados, tem-se como resultado geral, que grande parte das organizações busca inserir em seus relatórios informações que se referem aos indicadores dos capitais não financeiros analisados. Na análise do índice de divulgação (ID), alguns setores econômicos obtiveram o máximo em seus resultados, que se refere a 100%, em vários indicadores dos capitais não financeiros do RI, destacando-se, dessa forma, no tocante à divulgação voluntária disponibilizada nos relatórios organizacionais. Por fim, com referência às comparações dos setores econômicos com os indicadores de cada capital não financeiro analisado, têm-se os setores com maiores destaques em relação às maiores médias alcançadas: o de energia, utilidade pública e saúde, uma vez que as organizações que os compõem disponibilizam, em seus relatórios, um quantitativo maior de informações, do que as demais, no que se refere aos indicadores-chave de desempenho, de acordo com as palavras relacionadas à analise desta pesquisa.
  • EMANOEL TRUTA DO BOMFIM
  • FATORES CONTINGENCIAIS, ESTRATÉGIA COMPETITIVA E DESEMPENHO FINANCEIRO: UM ESTUDO EM EMPRESAS DE PAÍSES MEMBROS DO BRICS E DO G7
  • Data: 20/02/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta tese foi analisar a relação da estratégia competitiva (liderança em custos ou diferenciação) com os fatores contingenciais (incerteza do ambiente, nível de competição, tamanho e idade da organização) sobre o desempenho financeiro de empresas, considerando o ambiente em que estão localizadas (países membros do BRICS e do G7). Para alcançar este objetivo, foi necessário avaliar a relação da estratégia competitiva com o desempenho financeiro das empresas, considerando o ambiente em que atuam; verificar os fatores contingenciais que afetam o desempenho financeiro, de acordo com ambiente organizacional; identificar a estratégia competitiva que torna o desempenho financeiro das empresas sustentável; e investigar a relação entre a estratégia competitiva e os fatores contingenciais, de acordo com o ambiente organizacional. Para tanto, desenvolveu-se uma pesquisa de cunho empírico-analítico, com o intuito de avaliar a relação entre as variáveis investigadas. Compuseram a amostra da pesquisa 775 empresas (5.425 observações), sendo 172 localizadas na China, 33 na Índia, 48 na Alemanha, 25 no Canadá, 307 nos Estados Unidos da América, 169 no Japão e 21 no Reino Unido. Coletaram-se os dados no banco de dados da Thomson Reuters Eikon® e, quando necessário, no sítio e nos demonstrativos financeiros das empresas na Internet. Para estimar as relações entre as variáveis da pesquisa, aplicaram-se modelos de dados em painel dinâmico. Os resultados apontaram que, apenas para o ambiente do BRICS, a estratégia de liderança em custos afeta positivamente o desempenho financeiro das empresas. Essa evidência aponta que a estratégia de liderança em custos aumenta o resultado financeiro das organizações. As evidências encontradas sugerem que, para as empresas sediadas nos países do BRICS (China e Índia), a estratégia de liderança em custos parece reduzir os efeitos da incerteza e da idade da organização sobre o retorno dos ativos, bem como que a estratégia de diferenciação modera a influência da idade da organização sobre o desempenho. Já com relação ao ambiente de países membros do G7, os resultados apontaram que a estratégia de liderança em custos parece atenuar a influência da incerteza e que a estratégia de diferenciação modera os efeitos do tamanho sobre o desempenho financeiro das companhias. Por fim, concluiu-se que as estratégias competitivas podem moderar os efeitos dos fatores contingenciais sobre o desempenho financeiro das empresas, dependendo do ambiente em que a organização atua, conforme previsto na tese de pesquisa. Além disso, estes resultados demonstraram a aplicabilidade da teoria da contingência, indicando que as organizações devem se adequar ao contexto em que atuam, bem como que se pode utilizar a estratégia competitiva como um meio para se moderar as influências dos fatores contingenciais sobre o desempenho das organizações.
  • JOSÉLIA FERNANDES DO NASCIMENTO
  • RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL EM EMPRESAS FAMILIARES BRASILEIRAS
  • Data: 19/02/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo consiste em verificar se as empresas familiares brasileiras são mais propensas a serem socioambientalmente responsáveis do que as empresas não familiares. Para atingir esse objetivo, realizou-se uma pesquisa caracterizada como descritiva e de abordagem quantitativa, com utilização dados secundários. A amostra do estudo corresponde as instituições de capital aberto listadas na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), no período de 2010 a 2018. Para mensurar a Responsabilidade Socioambiental Corporativa (RSC) foi utilizada como proxy a divulgação de relatório de sustentabilidade pelo padrão do Global Reporting Initiative (GRI), ou a participação da empresa no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). As informações sobre a adoção do padrão GRI foram coletadas nos relatórios de sustentabilidade divulgados nos sites das companhias e a participação no ISE foi observado no site da B3. Quanto a variável que representa a classificação das empresas como familiar foi estimada pelo envolvimento de membros da família na propriedade, controle e gestão da organização, simultaneamente. Para realizar esta classificação foram consultados os Formulários de Referência disponibilizados no site da B3. Com relação às variáveis de controle que compõem o modelo, a coleta de dados foi realizada por meio da base de dados da Thomson Reuters Eikon. Para a análise dos dados, foi estimado um modelo de dados em painel com variável dependente binária utilizando-se assim a regressão logística, ou seja, painel logit. Os resultados encontrados evidenciaram que existe uma relação inversa entre a RSC e empresa familiar, ou seja, o fato da empresa ser familiar diminui as chances desta se apresentar socioambientalmente responsável em comparação a uma empresa não familiar. Além disso, em termos de razão de chances proporcional tem-se que se a empresa for familiar a probabilidade de apresentar comportamento socioambiental diminui em média 50%. Dessa forma, pode-se inferir que, as empresas familiares brasileiras de capital aberto apresentam menor desempenho de RSC do que as empresas não familiares, sendo assim, estão menos preocupadas em buscar a legitimar suas ações, contrapondo o que propõe a Teoria da Legitimidade.
  • EVALDO JOSE DA SILVA
  • AS TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS E O REFLEXO NA QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS
  • Data: 17/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho teve como objetivo identificar a relação existente entre as transferências intergovernamentais e a qualidade de vida da população nos municípios brasileiros. Tal preocupação encontra justificativa em: (1) existirem pesquisas, não conclusivas, que apontam no sentido de a aplicação de recursos arrecadados a partir de esforços próprios conduzir a uma eficiência superior em comparação com a aplicação de recursos obtidos por outros meios, como as transferências intergovernamentais, isto como reflexo de eventos como o flypaper effectt e a teoria dos determinantes dos gastos públicos, no que tange a receitas intergovernamentais; (2) o modelo de federalismo fiscal adotado no Brasil, que aproxima o tomador público de decisões da demanda de serviços apresentada pela sociedade, isto com o intuito de aprimorar a qualidade de vida da população, que tem entre as suas características o fato da existência da concentração de um volume de obrigações nos entes locais superior à capacidade de tributação, causando um hiato vertical, o que é corrigido, obrigatoriamente, com o emprego do instrumento das transferências. Amparado na teoria que trata dos determinantes dos gastos públicos e na literatura do flypaper effect, o trabalho teve como objeto de estudo o número de 4.158 municípios brasileiros, de todas as regiões geográficas, os quais apresentaram os dados necessários para a realização da pesquisa. Foi empregado um modelo econométrico do tipo regressão múltipla com estimadores de efeitos fixos e com dados estruturados em painel, tendo como variável dependente o IFDM, que serviu de proxy para a qualidade de vida, e como variável explicativa foi utilizada o nível de quanto o fundo de participação dos municípios (FPM) compõe a receita corrente dos municípios, representando as transferências incondicionais. Para controle foram utilizadas as variáveis: PIB per capita e gastos sociais per capita dos municípios. Como principal achado da pesquisa constatou-se que as transferências incondicionais interferem, de modo estatisticamente significativo, na qualidade de vida da população, portanto a relação esperada de que maior proporção de transferências intergovernamentais, na composição das receitas dos municípios, resulta em uma redução na qualidade de vida da população foi estatisticamente comprovada. Este resultado aponta para a possibilidade de que o caso brasileiro converge com as explicações teóricos-conceituais que tentam explicar os aspectos pertinentes à relação: origem do recurso dos governos locais e qualidade de vida da população, o que implica que tais teorias explicam a realidade do Brasil.
  • LARISSA CRISTINA BAZILIO DE MACÊDO
  • CUSTEIO META: UM ESTUDO NAS INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO DA CIDADE DE CAMPINA GRANDE-PB
  • Data: 17/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa dissertação é identificar nas indústrias de transformação da cidade de Campina Grande-PB, a ocorrência de adoção do Custeio Meta e, nos casos positivos, o nível de implementação e os fatores que contribuem para a sua adoção. Em caso de não adoção, o objetivo é identificar as barreiras que impedem sua implementação. Além disso, a pesquisa busca analisar e comparar o desempenho das indústrias em redução de custos, qualidade do produto e satisfação do cliente. Como metodologia foi utilizada uma pesquisa do tipo survey por meio de questionário semi-estruturado com os representantes das indústrias investigadas, obtendo como amostra 41 empresas. O questionário foi composto por 29 perguntas, divididas em 6 partes, nas quais foi solicitado ao respondente para selecionar dentre as assertivas a que melhor atende a sua percepção acerca do tema. A análise dos dados se deu por meio da estatística descritiva a partir da observação de frequências e análise inferencial utilizando os testes de V de Cramer e Mann-Whitney. Como resultados, foi possível perceber que 58,5% das indústrias adota a ferramenta, e dentre estas, a maior parte está no nível de implementação mais completo. Quanto aos fatores que contribuem para a implementação, destacam-se como os mais indicados, o apoio da alta gerência e a participação de equipes multifuncionais. A partir do teste de hipóteses, percebeu-se que quanto maior o nível de implementação do Custeio Meta, maior é a quantidade de fatores que contribuem para sua implementação. Por meio da análise inferencial do desempenho em redução de custos, qualidade do produto e satisfação do cliente, observou-se que as indústrias que implementam o Custeio Meta apresentam posições melhores nos três quesitos de desempenho em comparação com as indústrias que não adotam, no entanto, não houve significância estatística para sustentar as hipóteses de melhor desempenho nas indústrias que adotam o Custeio Meta. A pesquisa também comparou o desempenho das indústrias que adotam o Custeio Meta nos diferentes níveis, constatando que não houve diferença estatisticamente significativa que suportasse as hipóteses de melhor desempenho das indústrias no nível completo comparadas as indústrias no nível básico. Quanto às barreiras que impedem a adoção do Custeio Meta, destaca-se a indicação da falta de conhecimento do método. Conclui-se que, apesar da maioria das indústrias adotantes não estarem familiarizadas com os termos comumente apresentados na literatura para se referir ao método, as indústrias de transformação tem implementado a ferramenta, em sua maioria, no nível mais completo, sendo os principais fatores que auxiliam na execução completa: a participação de equipes multifuncionais, o uso de sistemas de informação para monitorar a realização das metas e a participação ativa dos fornecedores e outras partes externas no desenvolvimento do produto. Além disso, no que se refere ao desempenho, as adotantes apresentam vantagens em qualidade do produto e satisfação do cliente comparada as não adotantes. E dentre as não adotantes, a principal dificuldades para a implementação da ferramenta é a falta de conhecimento do método.
  • VANESSA DE MENÊSES SILVA
  • GERENCIAMENTO DE IMPRESSÃO E QUALIDADE DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS: ANÁLISE DAS EMPRESAS LISTADAS NA B3
  • Data: 12/02/2020
  • Hora: 09:30
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi investigar qual é a relação entre a qualidade das informações contábeis e o gerenciamento de impressão, encontrado nos relatórios de administração das empresas não financeiras listadas na bolsa de valores brasileira. Para tanto, analisouse o período de 2010 a 2018, a amostra foi de 205 companhias. A fim de mensurar a persistência dos resultados contábeis, utilizou-se o modelo de Dechow et al. (2010). Para o conservadorismo, usou-se o modelo de Banker et al. (2016). Para o gerenciamento de impressão, considerou-se como proxy o sentimento textual presente nos relatórios de administração das empresas. Ele foi estimado por meio da metodologia de bag-of-words, ou seja, com uma leitura automatizada dos textos, por meio do software R, que realizou a identificação e contagem da frequência das palavras positivas, mediante o algoritmo A, escrito em linguagem R, utilizando-se como base a lista de palavras-chave descritas no dicionário de Silva (2017). Os resultados indicaram que as empresas as quais apresentaram baixos níveis de qualidade em suas informações contábeis, ou seja, aquelas que reportaram resultados menos persistentes e com menores níveis de conservadorismo contábil, tenderam a realizar mais gerenciamento de impressão. Pois, apresentaram relatórios de administração com textos mais otimistas. Os achados evidenciaram que o sentimento textual pode ser considerado como uma fonte de informação complementar para os usurários aumentarem o poder preditivo de suas análises. Como também, sinalizou que os gestores podem estar se utilizando do gerenciamento de impressão para manipular a percepção dos usuários das demonstrações. Isto corrobora com os resultados encontrados por Sadique et al. (2008), Huang et al. (2014), Tan et al. (2014), que identificaram a existência do gerenciamento de impressões em press releases de resultados, utilizado para manipular as percepções dos usuários sobre o desempenho das empresas.
2019
Descrição
  • MARCELLY NOBREGA DE MEDEIROS
  • ESTÁGIOS DO CICLO DE VIDA E DECISÕES CORPORATIVAS
  • Data: 16/12/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa teve por objetivo examinar a influência dos estágios do ciclo de vida nas decisões corporativas das empresas brasileiras no mercado de capitais, considerando o período de 2010 a 2018. Considerou-se como base para classificação das empresas o modelo proposto por Faff et al. (2016), por ser considerada a mais recente proxy criada para o ciclo de vida e apresentar melhor classificação em relação às demais proxies. Para efeito de comparação entre os resultados, utilizou-se o modelo de Dickinson (2011). As decisões corporativas analisadas foram as de investimento, financiamento, dividendos e caixa. Os dados para mensuração foram obtidos na base de dados Thomson Reuters Eikon. A estimação dos parâmetros dos modelos se deu pelo GMM-SYS (Generalized Method of Moments), de modo a atenuar problemas de endogeneidade, variáveis omitidas e heterogeneidade. Os resultados indicaram que existe uma forte evidência do efeito do ciclo de vida nas decisões corporativas, como esperado. Na fase de introdução, as empresas investem menos, tem mais dívida, pagam menos dividendos e tem maior disponibilidade de caixa. Na fase de crescimento, os investimentos aumentam, diminuem as dívidas, aumenta a distribuição de dividendos e diminui a disponibilidade de caixa. Já na fase de maturidade, os investimentos são maiores, a dívida tem um leve aumento, a distribuição de dividendos é melhor e o nível de caixa é o menor das demais fases. Na fase de turbulência, analisada por meio da constante do modelo de regressão, apenas a dívida e caixa mostraram-se significante, identificando que, nessa fase, as empresas apresentam menores dívidas e maiores quantidades de caixa.
  • KLEBER MORAIS DE SOUSA
  • ENSAIOS SOBRE A DESCENTRALIZAÇÃO FISCAL E A DINÂMICA ELEITORAL NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS
  • Data: 06/12/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta Tese de Doutorado teve por objetivo investigar os efeitos de interação entre a descentralização fiscal e a dinâmica eleitoral nos governos locais brasileiros, durante o período de 2005 a 2017. A Tese assumida é que a descentralização fiscal é influenciada pela dinâmica eleitoral no alcance do equilíbrio fiscal, da eficiência técnica e da provisão de serviços públicos dos municípios brasileiros. O trabalho inovou ao analisar o conjunto dos elementos da dinâmica eleitoral sobre os três aspectos da gestão municipal: equilíbrio fiscal, eficiência e serviços públicos, além de propor um novo método para tratamento de outliers na mensuração da eficiência por meio da Análise Envoltória de Dados (DEA). A tese está estruturada em cinco capítulos. No capítulo 2 foram analisadas as interações da descentralização fiscal com as variáveis da dinâmica eleitoral sobre o equilíbrio fiscal, evidenciando principalmente que: (i) a reeleição tem um efeito negativo; (ii) a alternância partidária tem efeito positivo; (iii) a maior competição eleitoral prejudica o efeito da descentralização fiscal, quando a descentralização fiscal ocorre por meio de transferências incondicionais e despesa per capita, ao contrário da arrecadação tributária que tem efeito positivo; (iv) o alinhamento partidário do prefeito com o governador produz efeito negativo quando avaliado por meio da despesa per capita, enquanto com o presidente o efeito é negativo; (v) a eleição municipal provoca efeitos negativos, enquanto a eleição estadual afeta, negativamente ou positivamente, dependendo do tamanho populacional. O capítulo 3 permitiu identificar que o efeito da descentralização fiscal medida pela participação da arrecadação tributária na receita total sobre a eficiência técnica em saúde dos municípios mineiros é negativo, independentemente do método de tratamento dos outliers na mensuração da eficiência. No capítulo 4, o estudo da interação entre a descentralização fiscal e a variáveis da dinâmica eleitoral em relação a eficiência em saúde permitiu observar que: (i) a arrecadação tributária é mais suscetível de sofrer influência dos fatores políticos no alcance da eficiência; (ii) o ciclo político orçamentário teve efeitos diferenciados. Nas eleições estaduais, os municípios apresentam efeito negativo na interação entre descentralização fiscal e as eleições estaduais, a depender do porte populacional e do nível de eficiência; já em relação a eleição municipal, o efeito foi inverso; (iii) a alternância partidária teve efeito negativo na interação com a arrecadação tributária sobre a eficiência; (iv) a competição eleitoral e a reeleição apresentaram efeitos diferentes sobre a descentralização fiscal na obtenção da eficiência; (v) o alinhamento partidário do prefeito seja com o presidente ou governador teve efeitos diferentes sobre a descentralização fiscal para obter maior eficiência condicionada ao porte do município. O capítulo 5 revelou que a interação da descentralização fiscal e a dinâmica eleitoral foi negativa estatisticamente significante na maioria dos coeficientes estimados principalmente do ciclo político eleitoral e que o efeito depende do porte populacional e do nível de eficiência em educação. O capítulo 6 confirmou a hipótese de que a provisão de serviços públicos em educação e em saúde é influenciada pela interação entre a descentralização fiscal e a dinâmica eleitoral dos municípios brasileiros. A melhor forma de descentralização fiscal para aperfeiçoar os serviços públicos são: (i) na educação básica e na cobertura de vacinação por meio de transferências incondicionais; (ii) na mortalidade infantil por meio de transferências condicionais; (iii) nos anos potenciais de vida perdidos por meio da arrecadação tributária. A análise dos resultados corroborou a tese, embora o efeito de interação seja dependente do tamanho populacional e no caso da eficiência, depende também do seu nível.
  • EMILY TAVARES PESSOA MACIEL
  • CONTROLADORIA COMO UNIDADE ORGANIZACIONAL
  • Data: 03/12/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve por objetivo identificar a posição hierárquica que a controladoria exerce nas 426 empresas de capital aberto listadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3), identificando o perfil das organizações, juntamente com o seu controle acionário e mapeando a sua estrutura interna, com o intuito de identificar o organograma utilizado, suas características pontuais, e analisando os detalhes das informações da controladoria. Sabe-se que as organizações se encontram cada vez mais preocupadas com o seu controle, seja financeiro, seja não financeiro, e a controladoria veio então auxiliar as organizações na melhor disposição de seus setores e funcionários em torno dos objetivos organizacionais, por meio de monitoramentos frequentes e facilitação da gestão. A fim de atingir o objetivo proposto para o presente estudo, a pesquisa se caracterizou como exploratória, descritiva e quantitativa, utilizando-se da técnica da pesquisa documental e contando com um checklist como instrumento de coleta de dados em todos os documentos presentes nos websites das empresas listadas na B3. A operacionalização dos dados se deu mediante a utilização de estatísticas descritivas e inferenciais. Foram realizados os testes Qui-Quadrado, de U de Mann-Whiteny e o de Kruskal-Wallis. Por meio dos testes e das inferências estatísticas percebeu-se que o tempo médio de constituição das empresas é de 41 anos, que elas apresentam uma média de 22 anos de registro na Comissão de Valores Mobiliários, e ainda com relação às suas características, contam com uma média de 7.300 empregados. Frente ao objetivo geral da pesquisa, constatou-se que parte das organizações que alega contar com a controladoria a insere na posição hierárquica de linha; se tratando da evidenciação do organograma, viu-se que apenas 102 empresas (23,94%) disponibilizavam organograma nos seus sítios institucionais ou documentos. Quanto ao nível de detalhamento das informações da controladoria, observou-se que as organizações apontam informações gerais sobre os objetivos/competências e funções das empresas, esquivando-se de detalhar informações sobre quais são as suas missões. Concluiu-se que apesar da ênfase dada na literatura e nos trabalhos acadêmicos, à controladoria, por meio do estudo realizado, a controladoria ainda não é explicitada e comentada nas organizações de forma detalhada; constatou-se que existe, sim, a controladoria dentro das organizações, mas pouco se fala sobre ela e das 220 empresas que alegam contar com a unidade organizacional de controladoria, elas ocupam uma posição hierárquica de linha e se subordinam à diretoria da empresa.
  • LUIS MANUEL ESTEVES DA ROCHA VIEIRA
  • IMPACTO DAS INSTITUIÇÕES FISCAIS NA CONDIÇÃO FINANCEIRA DOS ESTADOS BRASILEIROS
  • Data: 22/11/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A Condição Financeira dos estados brasileiros tem sido fonte de notícias ao longo dos últimos anos, com destaque, principalmente, para os problemas fiscais enfrentados por esses entes governamentais, caracterizados pelo atraso no pagamento de salários, proventos de aposentadoria, fornecedores e serviços da dívida pública. Todavia, os estudos nacionais são recentes e ainda incipientes quanto à análise das características especificas do Federalismo Fiscal Brasileiro e seu impacto na explicação da Condição Financeira dos estados. Assim, estabeleceu-se a tese de que as Instituições Fiscais relacionadas às Restrições Orçamentárias, Autonomia Financeira e Redistribuição de Receitas do FPE afetam positivamente a Condição Financeira dos estados brasileiros nas dimensões temporais de curtíssimo, curto e longo prazo. Para tanto, foram coletados dados de 2002 a 2018, perfazendo o total de 459 observações provenientes dos 26 estados da Federação e Distrito Federal. A análise dos dados foi realizada com o uso de regressão com dados em painel estático com efeitos fixos e LSDV e painel dinâmico pelo método GMM-Sys robusto à endogeneidade. Os resultados revelaram, quanto às restrições orçamentárias brasileiras, que o grau de cumprimento do limite de endividamento contribui para a melhoria da Solvência de Caixa (curtíssimo prazo) e de Longo Prazo, ao passo que o grau de cumprimento do limite de gastos com pessoal afeta apenas a Solvência Orçamentária (curto prazo). Com relação à Autonomia Financeira, constatou-se, também, que estados com menor dependência por transferências tendem a ter melhor Solvência Orçamentária (curto prazo). Por fim, a respeito da Redistribuição das Receitas pelo Fundo de Participação dos Estados (FPE) apurou-se efeito positivo na Condição Financeira de curto prazo em termos de Solvência Orçamentária, equacionando os desiquilíbrios verticais e horizontais financeiros dos estados. Ainda assim, cabe destacar que a forma desta Instituição Fiscal, quanto aos critérios percentuais norteadores da redistribuição, não sofreu alterações estatisticamente significantes desde a Constituição de 1988, sendo possível observar que diversos estados com má Condição Financeira, inclusive em situação de calamidade fiscal declarada, apresentaram sua Solvência de Caixa prejudicada por contribuírem para o FPE valores superiores aos recebidos em retorno por meio de transferências fiscais.
  • PAULO HENRIQUE NOBRE PARENTE
  • CONEXÃO POLÍTICA, INCENTIVOS E GERENCIAMENTO DE PERCEPÇÕES NO BRASIL
  • Data: 20/11/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho é analisar a influência da conexão política, no gerenciamento de percepções dos stakeholders, em companhias abertas brasileiras consideradas suspeitas de gerenciar resultados (não) contábeis para atingir e/ou superar o consenso dos analistas, reportar lucro próximo a zero ou manter desempenho de lucro de período anterior. Sendo assim, este estudo analisa o relacionamento do gerenciamento de percepções – através da divulgação de resultados pro forma, do gerenciamento de resultados por accruals (GRA) e do gerenciamento de resultados por decisões operacionais (GRR) – e a conexão política – via doações de campanha (CDOA), estrutura de governança (CGOV) e estrutura de propriedade (CPRO). A amostra é composta por 301 empresas brasileiras listadas na Bolsa, Brasil, Balcão (B3), no período entre 2010 e 2017, já que foram excluídas as empresas do setor financeiro e as empresas reguladas, totalizando 2.373 observações. Para a análise do gerenciamento de resultados, através dos resultados pro forma, foram usados os valores reportados de EBTIDA ajustado (EBAJU). Para a análise do gerenciamento de resultados por accruals, utilizou-se o modelo atualizado de Jones Modificado (DECHOW et al., 2012). Por sua vez, estimou-se o gerenciamento de resultados por decisões operacionais conforme o modelo de Roychowdhury (2006), através dos níveis anormais dos custos de produção (GRR_PRO), dos níveis anormais de despesas discricionárias (GRR_DIS) e dos níveis anormais de fluxo de caixa das operações (GRR_FCO). A análise envolveu o agrupamento dos dados em painel desbalanceado, aplicando testes para identificar os modelos de regressões mais adequados na relação entre o gerenciamento de percepções e a conexão política. Das hipóteses estabelecidas, os resultados sugerem que a conexão política gera impacto sobre o gerenciamento de resultados contábeis por accruals (H1a), por decisões operacionais (H1b) e na divulgação de resultados pro forma (H2). Além disso, os achados predizem que a hierarquia e as preferências da escolha de gerenciamento de percepções são distintas nas empresas politicamente conectadas e em relação às demais firmas (H3). Em geral, os resultados indicam, que, para atingir a previsão de lucro dos analistas, as empresas conectadas utilizam o gerenciamento através do EBAJU, do GRA e do GRR. Em contrapartida, há indícios do uso de gerenciamento através do EBAJU para manter o desempenho de lucro do período anterior. Ademais, os achados indicam que os gestores de empresas conectadas utilizam o EBAJU e o GRR, de forma complementar, para reportar lucros próximos a zero, possivelmente em função dos custos relacionados a cada estratégia. Os resultados da análise de sensibilidade indicam, em resumo, que: (i) a conexão política não exerce influência na divulgação agressiva de resultado pro forma; (ii) os (des)incentivos para a divulgação dos resultados pro forma se mostram distintos nas empresas conectadas e as demais; (iii) o efeito da governança do país reduz o efeito da conexão política no gerenciamento de percepções dos stakeholders; e (iv) os resultados da regressão de Heckman sugerem que as análises não apresentam viés de autosseleção.
  • YURI DANTAS DOS SANTOS
  • INFLUÊNCIA DA COMPETIÇÃO ESCOLAR SOBRE A EFICIÊNCIA DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL BRASILEIRAS
  • Data: 31/10/2019
  • Hora: 09:30
  • Mostrar Resumo
  • Inserindo-se na linha de estudos da economia da educação voltados à análise da competição nas escolas, esta pesquisa teve como objetivo verificar a influência da competição escolar sobre a eficiência das escolas públicas de ensino fundamental brasileiras. A tese assumida foi de que a competição escolar exerce influência predominantemente positiva sobre a eficiência das escolas públicas de ensino fundamental brasileiras. Em termos procedimentais, tomou-se como unidade de análise, em cada município, o conjunto de escolas com características previamente estabelecidas quanto à rede de ensino (estadual ou municipal) e à oferta de anos do ensino fundamental (todos, só os iniciais ou só os finais). Construiu-se um índice de eficiência com base na metodologia DEA sequencial VCR com orientação a produto. Construíram-se índices de competição, os quais, em conjunto com variáveis de controle figuraram como variáveis independentes no modelo econométrico aplicado às amostras com uso da regressão quantílica e tendo como variável dependente o índice de eficiência construído. Os dados coletados referiram-se aos anos de 2007, 2009, 2011, 2013 e 2015. Foram analisados três tipos de competição: horizontal (entre todas as escolas), privada (das escolas privadas) e vertical (entre escolas estaduais e municipais). A competição horizontal influenciou de forma preponderantemente negativa, sendo que influenciou positivamente em algumas situações. As evidências indicaram que o porte da rede de ensino em uma localidade parece influenciar positivamente a eficiência de suas escolas. Por seu turno, a competição das matrículas em escolas privadas influenciou negativamente a eficiência das escolas públicas. Todavia, a presença de escolas privadas influenciou de modo positivo. Com relação à competição vertical entre escolas estaduais e municipais, os resultados mostraram-se bastante heterogêneos, havendo, porém, predominância de influência positiva com espaço para resultados negativos. Por fim, pode-se concluir que a tese é parcialmente atendida, pois se confirma no aspecto da competição vertical, porém, não há predominância de influência positiva das competições horizontal e privada, em que há preponderância de influência negativa. Todavia, há indícios de influência positiva no longo prazo e de melhoria nos indicadores negativos a depender de mudanças gerenciais que tornem as escolas públicas mais atrativas e competitivas.
  • TIAGO NUNES BATISTA
  • PRINCÍPIOS GLOBAIS DE CONTABILIDADE GERENCIAL: Relação com os estágios do ciclo de vida das empresas de capital aberto listadas na Brasil, Bolsa, Balcão (B3)
  • Data: 30/08/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho consistiu na análise das relações dos Princípios Globais de Contabilidade Gerencial (PGCG) com os estágios de ciclo de vida organizacional (CVO) das empresas de capital aberto listadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3). A amostra analisada compreendeu 207 empresas no período de 2010 a 2017 e um total de 1656 observações. Para responder ao problema de pesquisa, a metodologia consistiu na construção de um índice de adequação às recomendações propostas pelos PGCG (IPGCG) e na identificação dos estágios de CVO com base no modelo de Dickinson (2011), sendo a relação entre essas variáveis analisadas por meio da estimação de modelo de regressão. A técnica utilizada foi a de dados em painel e o modelo escolhido foi o de Mínimo Quadrado Ordinário (MQO). As relações foram analisadas de forma geral e segmentada por setor de atuação das empresas. Os resultados mostram que existe uma relação positiva para os ciclos intermediários de crescimento e maturidade e negativa para os demais. A análise da regressão do modelo geral e estratificada por setor de atuação apresentaram-se mais robustas quando analisadas com controle de CVO, ratificando as relações existentes entre o IPGCG e os estágios de ciclo de vida. Tem-se ainda que, os setores com maior e menor aderência aos PGCG foram os de Utilidade Pública (78,99%) e Financeiro (51,74%), respectivamente. Destaca-se que em oito anos, período da pesquisa, 95,65% das empresas transitaram por mais de um estágio e, 62,32% delas, passaram por pelo menos 3 (três) estágios distintos, demonstrando que o CVO não é linear e não decorre do aspecto determinístico da variável tempo. Outrossim, ficou evidenciado que as médias de observância aos Princípios aumentaram no período de análise como um todo, chegando a 30%, e quando comparadas as médias do período ex-ante (2010 a 2013) e ex-post (2014 a 2017) à publicação dos PGCG, as médias do período ex-post foram maiores para todos os setores com amostras significativas para a análise.
  • GILBERTO MAGALHÃES DA SILVA FILHO
  • FATORES DETERMINANTES DA INTENÇÃO DE DENÚNCIA OU DO SILÊNCIO CONIVENTE DA FRAUDE CONTÁBIL: um estudo à luz das teorias do comportamento planejado e do triângulo de fraude
  • Data: 09/08/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Quando diante da fraude, o profissional contábil se encontra em um dilema sobre qual decisão tomar: assoprar o apito, conduta esperada, em virtude dos aspectos morais e éticos; ou permanecer em silêncio, agindo como cúmplice, pelo risco de sofrer represálias negativas do seu comportamento. Muitos elementos podem influenciar a escolha, desde aspectos pessoais a incentivos que partem da organização, além dos conflitos e incertezas envolvidas. Diante disso, esta tese teve como objetivo verificar quais fatores podem explicar a intenção de denúncia ou o silêncio conivente da fraude contábil pelos profissionais de contabilidade. Para dar sustentação teórica ao trabalho, utilizaram-se a teoria do comportamento planejado (TCP), de Ajzen (1991), e a teoria do triângulo de fraude (TTF), de Cressey (1953). Ampliou-se o modelo de pesquisa incorporando-se outras variáveis (julgamento ético, gravidade do delito e posição que o infrator ocupa) identificadas na literatura como influenciadoras do comportamento de denúncia da fraude contábil. A amostra compôs-se por 471 profissionais de contabilidade, e a metodologia se dividiu em duas partes, a primeira destinada ao processo de construção e validação do questionário, tomando por base as técnicas psicométricas, formada por procedimentos teóricos, empíricos e analíticos. Os procedimentos teóricos tiveram como foco a sustentação conceitual que fundamenta o trabalho e a operacionalização do construto em itens. O procedimento empírico definiu as etapas de aplicação do instrumento, concluindo com a avaliação de sua qualidade. O procedimento analítico definiu os processos estatísticos utilizados sobre os dados que resultaram em um instrumento válido. A segunda parte forneceu uma descrição detalhada das técnicas de análise utilizadas para responder ao objeto da pesquisa: análise da correlação, regressão logística ordinal e regressão múltipa. Os achados da pesquisa demonstraram que os fatores pertencentes à TCP (atitudes, normas subjetivas e percepção de controle) podem predizer as intenções comportamentais (silêncio conivente e intenção de denúncia) dos profissionais de contabilidade. O julgamento positivo em direção à denúncia (atitudes) e a pressão que os pares exercem (normas subjetivas) aumentam a probabilidade de os profissionais delatarem a fraude, e quanto maiores as barreiras (percepção de controle) que possam dificultar a denúncia, maiores as chances de eles permanecerem em silêncio. O nível de julgamento ético se mostrou um determinante das intenções comportamentais, com efeito positivo, a pelo menos um dos fatores da dimensão ética (justiça social, relativismo e contratualismo). A existência de recompensas econômicas não é relevante na avaliação pessoal (atitudes) da denúncia da fraude. Concluindo, os canais de denúncia externos representam a via primária para os profissionais ao considerarem a denúncia das irregularidades contábeis, sendo assim, cabe aos órgãos reguladores (CVM, CFC etc.) criar vias de comunicação para que os profissionais possam delatar esse tipo de fraude. Os resultados são, portanto, relevantes e contribuem valiosamente para a literatura sobre intenção de denúncia da fraude contábil no cenário nacional, embora ainda sejam necessárias mais investigações. A denúncia é um componente importante da contabilidade e dos controles internos, cabendo ao governo, entidades e órgãos reguladores desenvolver políticas institucionais visando incentivá-la, bem como garantir a proteção do potencial delator.
  • KALLYSE PRISCILA SOARES DE OLIVEIRA
  • RISCO DE INFORMAÇÃO, CUSTO DE CAPITAL PRÓPRIO E A INCERTEZA DO AMBIENTE INFORMACIONAL
  • Data: 06/05/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A divulgação de informações contábeis e o custo de capital próprio das empresas é de interesse igualmente fundamental para diferentes agentes, desde acadêmicos, reguladores até os demais participantes do mercado. Nesse sentido, são levantadas muitas discussões sobre possíveis relações entre fatores de risco informacionais, relacionados à qualidade e à distribuição da informação, em relação ao custo de capital próprio das organizações, sendo necessária a distinção entre ambientes informacionais devido à incerteza do ambiente informacional. Considerando essa lacuna na literatura, esta tese pretende levar em consideração que o ambiente informacional pode influenciar na relação entre assimetria informacional, qualidade da informação e custo de capital próprio, sendo assim, esta tese objetivou analisar a relação existente entre o risco informacional, representado pela qualidade da informação contábil e assimetria de informação, e o custo de capital próprio de empresas de capital aberto diante da incerteza do ambiente informacional. Foram analisados 12 países participantes do BRICS e G7, segundo classificação do Fundo Monetário Internacional (FMI), em média, foram analisadas 4417 empresas, no período de 2010 a 2015, resultando em 26.500 observações. Os países foram agrupados conforme os ambientes informacionais de Bloco Econômico (emergentes e desenvolvidos) e Risco de Crédito (maior e menor risco de crédito). Foi utilizado o modelo do custo de capital implícito de Botosan e Plumlee (2013) para mensuração do custo de capital próprio, utilizou-se Dechow et. al (2012) para mensuração dos accruals discricionários como proxy para qualidade da informação contábil e para análise da assimetria informacional utilizouse a cobertura de analistas, segundo Clarke e Shastri (2000). Os resultados da análise principal no que diz respeito ao confronto entre mercados desenvolvidos e emergentes, apresentam que a redução da assimetria de informação influencia o custo de capital próprio independente do ambiente informacional, por outro lado, a qualidade da informação contábil isoladamente não possui relação com o custo de capital próprio, passando a influenciar quando analisada conjuntamente com a assimetria de informação por meio de interação das variáveis apenas nos países de mercados desenvolvidos. Para o ambiente risco de crédito, ao analisar a variável da qualidade da informação contábil os accruals discricionários apresentam relação positiva nos países com maior risco de crédito e negativa nos países com menor risco de crédito, condicionando os resultados das relações entre as variáveis ao ambiente informacional. A respeito da assimetria de informação, os resultados sugerem que a assimetria de informação por meio da cobertura dos analistas, tem relação com o aumento do custo de capital próprio independente do ambiente informacional para o risco de crédito. Para a variável de interação entre qualidade da informação e assimetria informacional, os resultados apresentaram que a existência de uma menor qualidade da informação contábil conjuntamente com uma maior assimetria de informação, proporciona o aumento do custo de capital próprio e esta relação está condicionada ao ambiente informacional do risco de crédito.
  • LEANDRO DA COSTA SANTOS
  • A INFLUÊNCIA DA PROPRIEDADE ESTATAL NO DESEMPENHO DAS EMPRESAS NO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO
  • Data: 16/04/2019
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • O desempenho das empresas pode ser afetado pelo perfil de seus acionistas controladores, os quais podem influenciar de maneira significante a busca pelos objetivos empresariais de acordo com suas preferências. Como parte integrante da estrutura de propriedade das empresas, surge o Estado, com seus objetivos de política pública, os quais são direcionados na busca de valor público. Assim, foi alicerçada nas teorias de Direitos de Propriedade, Custo de Transação e Agência, que em alinhamento, proporcionaram um panorama mais preciso sobre este tema dinâmico, que esta pesquisa se materializou - a qual objetivou analisar a influência da propriedade estatal no desempenho das firmas. O exame foi conduzido através de teste de hipótese da relação entre a Propriedade Estatal (PE) e o desempenho das empresas representado pelo Valor Adicionado Líquido divido pelas Receitas Totais (VALPR). A relação estatística foi realizada através da regressão em painel Pooled, estimada com Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e, como complemento empírico, utilizou-se também a Regressão Quantílica. Os resultados das regressões pooled MQO e Quantílica convergem e se complementam, evidenciando que a Propriedade Estatal (PE) detém relação positiva e significante com o desempenho das empresas analisadas, contribuindo assim para a melhoria da geração de valor adicionado líquido nestas entidades, até um certo limite. A principal contribuição do estudo foi a de demonstrar empiricamente a influência da propriedade estatal no desempenho das empresas e trazer para dentro do debate teórico o Estado em sua forma empresarial.
  • KAMILLA ALVES BARRETO
  • PRÁTICAS DE CONTABILIDADE GERENCIAL E FATORES CONTINGENCIAIS EM AGROINDÚSTRIAS PARAIBANAS
  • Data: 26/02/2019
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo e investigar a relacao de fatores contingenciais na adocao de praticas de contabilidade gerencial, no setor agroindustrial do estado da Paraiba-PB. Como metodologia foi utilizada uma survey por meio de questionario estruturado, com perguntas abertas e fechadas efetuadas pela pesquisadora em entrevista com os representantes do empreendimento investigado, obtendo como amostra trinta e duas agroindustrias. O questionario foi composto por 84 questoes, divididas em 4 blocos, nos quais foi solicitado ao respondente para que selecione dentre as assertivas a que melhor atende a sua percepcao acerca do tema. A analise dos dados se deu atraves de estatistica descritiva a partir de observacao de frequencias, analise inferencial de correlacao e analise de Clusters utilizando software estatistico e o teste de V de Cramer, com nivel de significancia de 5%. Como resultados, foi possivel perceber que a gestao das empresas pesquisadas esta mais relacionada ao uso de praticas tradicionais. As praticas de fluxo de caixa, ponto de equilibrio, analise da lucratividade do produto e lucratividade do segmento, classificadas como informacoes para a tomada de decisoes, destacam-se entre as praticas com a maior percepcao de adocao. Ja o Balanced Scorecard e o Economic Value Added (EVA), foram dentre todas as praticas de contabilidade gerencial, as que apresentaram o menor indice de adocao. Percebeu-se o aumento da adocao das praticas de contabilidade gerencial em agroindustrias que estao inseridas em ambientes estaveis, detentoras de alta tecnologia, de medio e grande porte, com estrutura funcional e com estrategia voltada para a diferenciacao. A adocao de praticas tradicionais prevalece nos diferentes clusters, no entanto elevam-se os niveis de adocao de praticas modernas em agrupamentos de agroindustrias inseridas em ambientes mais estaveis, de alta tecnologia ou de maior porte.
  • DJONES DERKYAN TEIXEIRA DOS SANTOS
  • A INFLUÊNCIA DO PERFIL SOCIOECONÔMICO DA POPULAÇÃO NA CONDIÇÃO FINANCEIRA DOS ESTADOS BRASILEIROS
  • Data: 25/02/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo verificar a relação entre o perfil socioeconômico da população e a condição financeira governamental dos estados brasileiros. O embasamento teórico que dá suporte a esta pesquisa está pautado nas teorias do federalismo fiscal, na teoria da condição financeira e na teoria da escolha pública, além do aporte de estudos empíricos. Baseado nesses conceitos foi elaborada a hipótese de que o perfil socioeconômico da população pode influenciar positivamente na condição financeira dos entes subnacionais a nível estadual, e adicionalmente, buscou-se verificar em que momento essa influência é mais representativa. Para mensurar a condição financeira dos estados brasileiros utilizou-se o modelo proposto por Wang, Dennis e Tu (2007) e para medir o perfil socioeconômico da população foi adotado o Índice FIRJAN de desenvolvimento municipal como proxy, adaptada para representar os estados brasileiros. O estudo abrangeu os 26 estados brasileiros no período de 2005 a 2016. Para testar as hipóteses propostas utilizou-se a técnica de regressão em dados em painel, visto que a amostra é composta por dados seccionais e temporais. Os resultados apontam que o perfil socioeconômico da população exerce influência positiva sobre a condição financeira dos estados brasileiros. A utilização da regressão quantílica para segregação dos estados em grupos mais homogêneos indicou que o grupo com os menores índices da condição financeira possuem coeficiente de determinação mais representativo. Além disso, verificou-se que a influência entre as variáveis transcende a relação direta (ano/ano) uma vez que o perfil socioeconômico dos anos anteriores também influencia na condição financeira dos anos posteriores. Os resultados dos testes de temporalidade indicam que o modelo com defasagem de um ano é o mais indicado para representar a relação entre as variáveis.
  • ALUSKA RAMOS DE LIRA
  • FATORES DETERMINANTES DO NÍVEL DE RECURSOS INTERNOS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS
  • Data: 25/02/2019
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • A analise do equilibrio financeiro dos municipios se faz importante para identificar a capacidade dos governos locais ofertarem e manterem a continuidade dos bens e servicos a sociedade, bem como se anteciparem a tensoes financeiras, evitando que a crise se instale. Nessa acepcao, busca-se controlar o equilibrio financeiro e evitar o colapso, por meio da manutencao de niveis suficientes de recursos internos para cumprir com suas obrigacoes correntes. Desse modo, esta pesquisa se propos a identificar quais os fatores determinantes do nivel de recursos internos dos municipios brasileiros no periodo de 2007 a 2017. A analise empreendida foi composta por todos os municipios brasileiros, sendo adotado como metodo de pesquisa um modelo de regressao linear multipla, com uso de dados em painel de efeitos fixos. Os resultados indicaram que dentre os fatores determinantes do nivel de recursos internos nos municipios brasileiros estao a dependencia as receitas de transferencia, o nivel de desemprego associado com alto grau de populacao dependente, o nivel de endividamento dos entes diante da necessidade de realizar aportes financeiros para amortizar as dividas contraidas que impactaram negativamente o nivel de recursos internos dos municipios. De forma transversal, ficou evidenciado que o endividamento guarda relacao estatistica com a crise economica, que afeta mais diretamente nos niveis de recursos internos. Por fim, os fatores que influenciaram de forma positiva no nivel de recursos internos foram a renda da populacao, o nivel educacional da populacao, que vem a produzir maiores niveis de forca de trabalho e, por consequencia, melhora os niveis de recursos internos pela capacidade do governo em obter mais receitas proprias. Os periodos eleitorais e de crises, isoladamente nao se mostraram estatisticamente significantes no modelo empirico da pesquisa.
  • FRANCISCO ALVES DE SOUZA NETO
  • RELAÇÕES ENTRE OS ESTÁGIOS DO CICLO DE VIDA EMPRESARIAL, PREVISÃO DE LUCROS E CUSTO IMPLÍCITO DE CAPITAL
  • Data: 22/02/2019
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral deste trabalho foi apresentar evidencias que expliquem como a Teoria do Ciclo de Vida das Empresas se comporta em associacao a Previsao de Lucros (capitulo 2) e o Custo Implicito de Capital (CIC) nos Estagios de Ciclo de Vida (ECV) das Empresas (capitulo 3). A amostra foi composta por instituicoes de capital aberto listadas na B3 (Brasil, Bolsa e Balcao), alem de empresas listadas nas bolsas de valores estadunidenses NASDAQ (National Association of Securities Dealers Automated Quotations) e NYSE (New York Stock Exchange), no espaco temporal de 2005 a 2011. No capitulo 2, para uma explicacao teorica, utilizou-se o modelo de previsao de lucros de Hou, Dijk e Zhang (2012), o qual utiliza as variaveis lucros realizados, ativo total, pagamento de dividendos, prejuizos e accruals para prever as informacoes futuras. O modelo consiste em agregar informacoes passadas na tentativa de diminuir a margem de erros de previsao, nesse sentido foi introduzida a variavel ECV(DICKINSON, 2011) justificada pela Teoria do Ciclo de Vida das Empresas que demonstra um poder informacional para previsao de comportamentos. Os resultados encontrados sugerem que a adicao dos ECVs promove um aumento no poder de previsao dos lucros, esse resultado se encontra mais evidente em empresas maduras. A principal contribuicao do capitulo 2 a literatura foi evidenciar que a Teoria dos Ciclo de Vidas das empresas pode melhorar a previsao de lucros, sendo mais evidenciada nas empresas maduras. No capitulo 3, foi empregada a metodologia de Gordon e Gordon (1997) para extrair o CIC utilizando previsoes de lucros melhoradas com adicao de ECV. Posteriormente foi verificado como esse CIC se comporta em cada ECV, atrelado a variaveis de controle. Foi evidenciado que o CIC apresenta maiores valores em estados iniciais, tendo um valor mais alto no estagio nascimento e posteriormente caindo ate o estagio de maturidade. Ainda pode-se relacionar o CIC com o tamanho das empresas, market-to-book, pagamento de dividendos. A principal contribuicao do capitulo 3 a literatura foi evidenciar que um CIC comporta-se de diferentes maneiras em cada ECV.
  • WILTON ALEXANDRE DE MELO
  • PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS GERENCIAIS E ELABORAÇÃO DE ESTRATÉGIAS: UM ESTUDO EM EMPRESAS COMERCIAIS NA REGIÃO DO CARIRI OCIDENTAL PARAIBANO
  • Data: 22/02/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve por objetivo analisar as relações entre a utilização de procedimentos contábeis gerenciais e o processo de elaboração de estratégias em pequenas empresas comerciais da região do Cariri Ocidental Paraibano. Com suporte nos pressupostos da Teoria da Visão baseada em Recursos (VBR), adotou-se a perspectiva do ambiente interno, local onde são produzidas e disponibilizadas as informações aos gestores. Trata-se de uma pesquisa descritiva, desenvolvida por meio de um levantamento de campo cujos dados foram coletados com a aplicação de questionário dividido em cinco partes, sendo que a primeira e a segunda parte trataram da caracterização dos respondentes e das empresas, a terceira e quarta, da utilização e importância dos artefatos gerenciais e a quinta parte abordou os procedimentos estratégicos. Foi aplicado a uma amostra de 55 empresas do ramo de supermercados atuantes na região do Cariri Ocidental Paraibano, escolhidas por acessibilidade. As análises foram efetuadas utilizando-se estatística descritiva bem como a correlação de Spearman, de modo a verificar a correlação entre: perfil dos participantes, perfil das empresas, utilização dos procedimentos contábeis gerenciais e o processo de elaboração de estratégias. Como principais resultados, os procedimentos contábeis gerenciais mais utilizados são os de controle operacional (52,1%) seguidos pelos de custos (33,4%) e os menos utilizados são as demonstrações contábeis (38,9%) e demais artefatos (46,9%). Quanto à importância desses procedimentos, obteve-se que todos - controles operacionais, custos, demonstrações contábeis e demais artefatos - são considerados importantes ou muito importantes pelos pesquisados, indicando uma divergência entre a utilização e a percepção de importância. Os aspectos do processo de elaboração da estratégia obteve 65,4% de concordância com as 32 variáveis analisadas, sendo que a criatividade e a intuição foram considerados pela amostra como elementos basilares na formação da estratégia, obtendo a maior média na avaliação apresentada (47,3%). Já no que tange às correlações, os perfis dos participantes e das empresas se mostraram praticamente indiferentes à utilização das ferramentas contábeis gerenciais e ao processo de elaboração estratégica, neste apresentando algumas correlações com escolaridade e tempo de atuação dos participantes. Por fim, nas relações entre a utilização dos procedimentos contábeis gerenciais e o processo de elaboração estratégica verificou-se que, principalmente, o controle de caixa, o balanço patrimonial e o ponto de equilíbrio apresentaram maior recorrência e nos demais artefatos houve uma distribuição mais igualitária entre os procedimentos analisados. Assim, os resultados evidenciaram que os pesquisados compreendem a importância dos procedimentos contábeis gerenciais no processo estratégico, mas ainda não os utiliza plenamente, o que pode comprometer a busca por um diferencial competitivo.
  • JOSÉ RICARDO REVORÊDO DA SILVA
  • INFORMAÇÕES CONTÁBEIS E ATIVIDADE ECONÔMICA: A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO DAS FIRMAS E CRESCIMENTO ECONÔMICO DO BRASIL
  • Data: 21/02/2019
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento economico a partir da visao de Keynes enfatiza que a dinamica macroeconomica, que envolve as oticas do investimento, emprego e producao, esta respaldada nas expectativas dos agentes envolvidos (as empresas), e os resultados desta sao decorrentes do produto dos movimentos dos agentes de maneira concomitante (KEYNES, 1936). Nesse sentido, torna-se razoavel inferir que as decisoes tomadas a nivel empresa, baseadas nas informacoes contabeis, podem ser relevantes na analise de medidas macroeconomicas. Assim sendo, este estudo tem por objetivo geral analisar a relacao entre a informacao contabil representada pelos indicadores contabeis das firmas e o crescimento economico do Brasil nas diferentes fases dos ciclos economicos – expansao, recessao, contracao e recuperacao. A amostra foi composta por 218 empresas nao-financeiras listadas na B3 S/A Brasil Bolsa Balcao no periodo de 1999 a 2017. Foram estimados sete modelos com os indices de rentabilidade, liquidez e endividamento e o crescimento economico foi representado pelo Produto Interno Bruto (PIB) Real. Duas hipoteses de pesquisa foram definidas, a primeira afirma que as informacoes contabeis influenciam a dinamica macroeconomica (H1) e a segunda prediz que o ambiente economico impacta a relacao entre a informacao contabil e o crescimento economico (H2). Atraves das ferramentas de analise da modelagem de vetor autorregressivo (VAR): funcao impulso-resposta e decomposicao da variancia do erro de previsao, os achados iniciais, de maneira geral, apontaram a influencia das variaveis contabeis no relacionamento com Δ%PIB Real, isto e, estas medidas foram capazes de produzir informacoes oportunas sobre a atividade economica real, assim a primeira hipotese de pesquisa apresentada neste estudo nao pode ser rejeitada. No que se refere aos ciclos economicos, em geral, os resultados demonstraram um efeito similar para os sete modelos analisados. Nas fases de expansao e recuperacao, o movimento da Δ%PIB Real e explicado por choques das variaveis contabeis de maneira crescente, enquanto que nos periodos de recessao e contracao, a relacao foi decrescente para a maioria dos modelos. Dessa maneira, a segunda hipotese de pesquisa tambem nao foi rejeitada, ao verificar que os ciclos economicos tem influencia sobre o relacionamento entre as informacoes contabeis e a dinamica macroeconomica. As evidencias encontradas permitem destacar que a analise de indicadores contabeis e uma ferramenta relevante no fornecimento de informacoes oportunas sobre a dinamica macroeconomica, principalmente no que se refere ao crescimento do PIB real e que esse relacionamento sofre influencia dos ciclos economicos. Estes achados corroboram a perspectiva keynesiana do crescimento economico, e tambem com as recentes pesquisas que tratam da analise das demonstracoes financeiras quanto a utilidade e relevancia a respeito da atividade economica real.
  • ADILIA RIBEIRO COUTINHO SUASSUNA DUTRA FLORENTINO
  • ADOÇÃO DE ARTEFATOS GERENCIAIS: UM ESTUDO EMPÍRICO A PARTIR DA TEORIA DA CONTINGÊNCIA NO ÂMBITO DE EMPRESAS DO SETOR HOTELEIRO DE JOÃO PESSOA
  • Data: 12/02/2019
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo geral analisar a significancia das relacoes entre os fatores contingenciais e o uso dos artefatos gerenciais na rede hoteleira. Para atingir o objetivo proposto, foi operacionalizada uma pesquisa descritiva, exploratoria e quantitativa. O universo compreendeu todos os 106 estabelecimentos listados no cadastro da Secretaria Municipal de Turismo da cidade de Joao Pessoa, dos quais 98 aceitaram participar desta pesquisa. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas presenciais com o responsavel pelo setor gerencial, nos meses de julho e agosto de 2018. Os procedimentos estatisticos referentes a estatistica descritiva e a correlacao de Spearman foram realizados utilizando o sistema STATISTICA. Foram obtidos como resultados preponderantes que os artefatos gerenciais tradicionais mais utilizados acerca de orcamento, analise orcamentaria e tecnicas tradicionais de custeio. Em relacao aos artefatos gerenciais modernos houve destaque a frequencia de uso dos artefatos sobre analise do ciclo de vida e just in time para a tomada de decisoes a longo prazo, para auxiliar na tomada de decisao. Percebeu-se que um artefato gerencial utilizado em uma organizacao pode nao ter o mesmo sucesso em outra. As empresas investigadas apontaram como muito importante os fatores contingenciais relativos a competencia por mao-de-obra, a satisfacao dos clientes, a investir em inovacao tecnologica, a utilizar softwares integrantes, ao comercio eletronico como meio eficaz para venda das hospedagens e a prezar pela alta qualidade na prestacao de servicos. Ao correlacionar a significancia estatistica das relacoes entre os fatores contingenciais: ambiente e o uso de artefatos modernos houve baixos indices de correlacao apresentando negativamente o custeio baseado em atividades e as atitudes da concorrencia. Tambem merece ser destacado que, no ambito das empresas participantes da pesquisa, verificou-se flexibilidade para mudar ou aperfeicoar os artefatos gerenciais utilizados, nao apresentando resistencia as mudancas, o que e um ponto positivo.
  • KALINA KELY MIRANDA LEITE
  • ANÁLISE DA COMPREENSIBILIDADE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DIVULGADAS PELO SETOR PÚBLICO BRASILEIRO
  • Data: 11/02/2019
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • Diante da atual conjuntura de escandalos de corrupcao presenciados pela populacao e pelo aumento da insatisfacao quanto ao desempenho dos gestores e ao desperdicio dos recursos publicos por parte da administracao publica, os cidadaos tem exigido cada vez mais responsabilidade dos governantes atraves de demandas por mais transparencia dos atos de gestao dos agentes governamentais. Para que esse controle social seja exercido, a qualidade das informacoes emitidas nos relatorios financeiros deve suplantar a complexidade das terminologias utilizadas pela contabilidade. Nesse sentido, o objetivo desta pesquisa foi investigar o nivel de compressibilidade das informacoes divulgadas pelas demonstracoes contabeis do setor publico brasileiro. Mais especificamente, buscou-se verificar se o conhecimento da linguagem tecnica e a forma de divulgacao dessas informacoes influenciam na compreensao dessas informacoes contabeis, tanto para quem tem conhecimento da linguagem tecnica, como para o cidadao comum sem esse conhecimento. A metodologia utilizada foi a pesquisa experimental, sendo executada a partir da construcao de cenarios, utilizando-se um grupo de controle (G1), que nao recebeu nenhum estimulo intencional e servindo como padrao para comparacao, e tres grupos de tratamento (G2), (G3) e (G4), em que ocorreu a manipulacao das variaveis independentes, conhecimento da linguagem tecnica e popular reporting, para a medicao de seus efeitos sobre a compreensibilidade das informacoes contabeis do setor publico. Para isso, foram utilizados como atores desta pesquisa alunos de instituicoes de ensino superior e de ensino medio integrado distribuidos aleatoriamente nos cenarios experimentais. Os resultados do estudo indicaram que os cidadaos que possuem o conhecimento da linguagem tecnica compreendem mais as informacoes contabeis divulgadas pelo setor publico do que os cidadaos que nao possuem esse conhecimento. Em contrapartida, quando as informacoes foram divulgadas mediante relatorios populares (popular reporting), o nivel de compreensao foi superior. Assim, concluiu-se que a forma tradicional de apresentacao das informacoes contabeis nao favorece o controle social, devido a sua incompreensibilidade, denotando que o popular reporting apresentou-se melhor para esse intento.
  • JEFFERSON PEREIRA DE ANDRADE
  • ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE O EXCESSO DE CONFIANÇA DE GESTORES DE EMPRESAS BRASILEIRAS E A ESTRATÉGIA EMPRESARIAL
  • Data: 06/02/2019
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A confianca excessiva dos gestores, lideres e empreendedores compreende um vies que pode constituir uma possivel ameaca a estrategia empresarial, uma vez que ela pode influenciar o processo decisorio, subestimando os riscos envolvidos na tomada de decisoes. O objetivo da presente pesquisa consistiu em analisar a influencia do excesso de confianca dos gestores de companhias abertas brasileiras na estrategia empresarial. Foram estudadas seis dimensoes estrategicas (Gestao do capital de giro e ciclo de producao; intensidade publicitaria; intensidade de pesquisa e desenvolvimento; estrutura de gastos; investimento em ativos fixos e a estrutura de capital), as quais foram relacionadas a tres diferentes indicadores de excesso de confianca (o indice geral de confianca; o indice de excesso de confianca e a variavel dummy gestor empreendedor), por meio da analise de regressoes multiplas estimado pelo metodo dos minimo quadrados ordinarios (OLS). Foram utilizados dados em painel desbalanceado referentes a 244 empresas de capital aberto, no periodo de 2011 a 2017, atraves dos quais se chegou aos seguintes resultados: os indicadores evidenciaram que nem todos os gestores estudados sao excessivamente confiantes (segundo o indice geral de confianca esse total chega a 85,9%, enquanto que a variavel gestor empreendedor indica 54,1%). Entre as dimensoes analisadas, apenas a intensidade publicitaria, a intensidade de P&D e a estrutura de gastos nao demonstraram ser influenciadas pelo excesso de confianca do gestor. Com relacao a gestao de capital e giro e estrutura de capital, os resultados demonstraram uma influencia negativa do excesso de confianca dos gestores nesta dimensoes, implicando que gestores otimistas tem maior dificuldade de promover maior giro de estoque, impactando principalmente a estrutura de capital. Ja no que se refere ao investimento em ativos fixos, assim como a mudanca estrategica, os resultados demonstram existir uma influencia positiva do vies cognitivo do excesso de confianca, verificando-se que os gestores confiantes tendem a exporem a empresa a maior risco causado pela incerteza vinda da mudanca e dos retornos dos investimentos.
  • RAYANE DE LIMA SILVA
  • UTILIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL VERSUS REMUNERAÇÃO DO PROFISSIONAL CONTÁBIL: UMA AMOSTRA COM CONTADORES DA PARAÍBA
  • Data: 30/01/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo investigar a relacao entre a remuneracao do profissional contabil e os tipos de usuarios que provem esta informacao. Estes foram classificados como usuarios internos ou externos. A Teoria da Utilidade da Informacao e Teoria do Capital Humano forneceram sustentacao teorica para a escolha das variaveis utilizadas no estudo. A base de dados foi obtida a partir de questionarios. Foram coletados 130 questionarios dos provedores de informacoes contabeis no estado da Paraiba, escolhidos aleatoriamente. Os questionarios revelaram informacoes sobre a atividade do profissional e situacao economico-financeira destes. Foi empregado como metodologia para a obtencao da relacao a analise de regressao tradicional. Sobre os resultados encontrados, percebeu-se que a utilidade da informacao fornecida pelos profissionais de contabilidade, e refletidas na remuneracao do contador, estao positivamente correlacionadas com o tipo de provedor de informacao, no caso, o usuario externo.
2018
Descrição
  • THAIS LIRA DE FIGUEIREDO SARMENTO
  • GESTÃO E DESEMPENHO AMBIENTAL: UMA ANÁLISE ATRAVÉS DA TEORIA DO CICLO DE VIDA ORGANIZACIONAL
  • Data: 14/12/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Inserir a variavel ambiental nos processos organizacionais atraves de acoes inovadoras que reduzam seu impacto ao meio ambiente e avaliacao de desempenho continuo em busca de vantagens competitivas se torna indispensavel a continuidade das organizacoes devido as exigencias da sociedade e orgaos reguladores. Nesse cenario, uma diversidade de praticas ambientais e adotada impulsionada pelo dinamismo do ambiente em que estao inseridas, sendo a teoria do ciclo de vida organizacional discutida na literatura como forma de compreender variacoes especificas da firma. Com base nas premissas, a pesquisa foi conduzida atraves da analise das caracteristicas organizacionais da gestao ambiental atraves das praticas ambientais e monitoracao respaldada na teoria do ciclo de vida. A investigacao se deu atraves de questionario, com empresas que possuem certificacoes ambientais ativas no Brasil, obtendo uma amostra de 112 empresas. O perfil dos respondentes compreende as empresas com risco de nivel medio potencial poluidor, de grande porte, com tempo de atuacao no mercado superior a 20 anos e no estagio de crescimento. Na compreensao das praticas ambientais distintas e nas caracteristicas organizacionais foi observada maior influencia estatistica do estagio do ciclo de vida. Verificou-se ainda que o entendimento dos gestores quanto as praticas ambientais e o grau de monitoracao atraves de indicadores, oscilam conforme o estagio que a organizacao se encontra. Como caracteristicas em cada estagio foram observadas que no nascimento as organizacoes desenvolvem apenas praticas de consciencia ambiental para obter vantagens competitivas e possuem baixissima utilizacao de indicadores para monitorar suas praticas. Na fase de crescimento as praticas ambientais estao direcionadas principalmente para melhoria da reputacao com maior utilizacao de indicadores operacionais, refletindo uma disciplina interna das questoes ambientais. A fase de maturidade as praticas funcionam como grande propulsor no atingimento de vantagens competitivas, com maioria utilizacao de indicadores gerenciais, porem ainda nao sao observados nesse estagio utilizacao de indicadores operacionais para monitorar agua e emissoes atmosfericas proveniente de suas atividades. O renascimento e destacado como estagio de praticas mais sofisticadas, incluindo a pesquisa e desenvolvimento (P&D) com foco para desenvolver produtos e processos mais limpos e, alem da maior utilizacao dos indicadores operacionais, refletindo uma gestao ambiental mais coerente. Por fim, a fase de declinio reflete uma falta de credibilidade que praticas ambientais podem conduzir a empresa em vantagens competitivas. A investigacao demonstrou evidencias na compreensao da gestao ambiental amparada pela teoria do ciclo de vida e, apesar das empresas acreditarem que praticas ambientais podem conduzi-las a vantagens competitivas ha uma incoerencia de como estas realizam a monitoracao atraves de indicadores, refletindo uma impossibilidade de mensurar tais questoes e o reflexo das praticas em seu desempenho ambiental. Nesse caminho, a teoria do ciclo de vida podera somar em interpretacoes sobre as questoes ambientais e no desempenho organizacional, capturando variacoes especificas tanto internas quanto externas necessarias em direcionar a gestao ambiental para melhoria no desempenho.
  • EMANUELLE PRISCILA DE ALMEIDA PEIXOTO
  • RELEVÂNCIA DAS PREVISÕES DOS ANALISTAS NOS DIFERENTES AMBIENTES INFORMACIONAIS DOS PAÍSES EMERGENTES
  • Data: 14/12/2018
  • Hora: 11:00
  • Mostrar Resumo
  • A proposta deste estudo foi analisar o value relevance da qualidade das previsoes dos analistas e das informacoes contabeis nos diferentes ambientes informacionais dos paises emergentes, apoiado em um arcabouco teorico sobre relevancia da informacao e a sinalizacao de informacoes no mercado de capitais. Os dados foram coletados de empresas nao financeiras na base de dados Thomson Reuters Eikon, cuja amostra foi composta por 7.024 empresas durante o periodo de 2000 a 2016, totalizando 35.937 observacoes para todo o periodo. Os dados foram analisados por meio da tecnica da regressao linear, usando estimativa OLS agrupada a nivel pais, ano e setor. Primeiramente, buscou-se identificar a qualidade das previsoes dos analistas - QPA e o ambiente de informacao dos paises - AIP, ambas formadas por meio de um indice, usando a tecnica de Analise dos Componentes Principais – ACP. Posteriormente verificou-se o value relevance da qualidade das previsoes dos analistas, bem como sua interacao com as informacoes contabeis e com o ambiente de informacao dos paises para explicar o preco das acoes, por meio do modelo proposto por Collins, Maydew e Weiss (1997). Os resultados sugerem que o indice de QPA e relevante nos mercados emergentes, adicionando conteudo informacional para explicar o preco das acoes nesses mercados. Ademais, o estudo tambem obteve evidencias de que, quando associada a qualidade das previsoes dos analistas, as informacoes contabeis apresentam relevancia nesses mercados. Nesse ponto, destaca-se uma maior relevancia do patrimonio liquido em relacao ao lucro por acao, porem, nao foi possivel encontrar uma relacao significante entre o indice AIP e a qualidade das previsoes dos analistas, nao confirmando a hipotese 3 de pesquisa, relacionada a qualidade das previsoes dos analistas ser positivamente relacionada ao ambiente informacional nos mercados emergentes, apesar do estudo encontrar respaldo sobre a influencia positiva do ambiente de informacoes dos paises na acuracia das previsoes dos analistas nesses mercados. Ainda, pode-se ratificar a relevancia do indice QPA quando associado ao ambiente de informacoes dos paises emergentes para explicar as variacoes no preco da acao das empresas analisadas. Este estudo apresenta como principal contribuicao a evidencia de que a qualidade das previsoes de lucro dos analistas e value relevant no mercados emergentes, especialmente quando considerado aspectos do ambiente informacional dos paises e quando associado as informacoes contabeis. Desse modo, entende-se que as previsoes dos analistas, sinalizam informacoes nos mercado emergentes, auxiliando os investidores na tomada de decisao de investimentos e contribuindo para a eficiencia desses mercados.
  • KARLA KATIUSCIA NOBREGA DE ALMEIDA
  • CONTROLE GERENCIAL NAS RELAÇÕES ENTRE ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA DOS CUSTOS DE TRANSAÇÃO
  • Data: 14/12/2018
  • Hora: 09:30
  • Mostrar Resumo
  • Dentre os modelos teoricos que podem ajudar na compreensao das relacoes entre empresas, elegeu-se nesse estudo a Teoria dos Custos de Transacao, que explica a cooperacao interorganizacional como uma possibilidade de garantir os custos de transacao reduzidos, eficiencia economica e estabilidade transacional, juntamente com a Teoria da Contingencia, que oferece potencial explicativo para os determinantes das praticas de contabilidade gerencial. Entretanto, a pesquisa contabil tem ignorado as implicacoes do relacionamento entre empresas no controle, satisfazendo-se com sua fixacao na tradicional hierarquia organizacional. Alem da hierarquia, o mercado e as formas hibridas de governanca das transacoes, previstas pela Teoria dos Custos de Transacao, diferem entre si, principalmente, dependendo das caracteristicas das transacoes (frequencia, incerteza e especificidade de ativos) e do regime de direito contratual ao qual estao sujeitas. Nesta perspectiva, amplas tendencias economicas, sociais e organizacionais podem afetar as empresas e suas praticas individuais, motivando a insercao da perspectiva relacional no estudo dos determinantes da adocao de praticas de contabilidade gerencial avancadas. Assim, esta tese objetivou analisar como os atributos distintivos das transacoes e dos contratos nas relacoes com fornecedores e clientes podem influenciar a adocao de praticas de contabilidade gerencial avancadas. Para tanto, realizou-se estudo de casos multiplos, em seis industrias definidas por amostragem teorica, por meio de entrevistas e observacao direta, analisadas com apoio da analise de conteudo dentro de cada caso e entre os casos, conforme roteiro proposto por Eisenhardt (1989). Com vista ao atingimento do objetivo geral proposto, seis proposicoes foram estabelecidas, derivadas da questao de pesquisa, e verificadas por meio da busca cruzada de padroes possibilitada pela analise entre os casos. Os resultados sinalizaram que algumas praticas especificas de contabilidade gerencial avancadas, como o open book accounting, avaliacao do custo da qualidade do produto e orcamento base zero, entre outras, tendem a ser mais importantes, dependendo da formalidade dos contratos, vigencia e completude contratual. Verificou-se tambem que a incerteza nas transacoes com clientes percebida em niveis moderados ou altos esta associada a praticas de avaliacao de desempenho avancadas. Conclui-se que a incerteza nas transacoes com clientes e a celebracao de contratos formais e sua completude com fornecedores e clientes, influencia a adocao de praticas de contabilidade gerencial avancadas, inicialmente impactando aquelas relativas a avaliacao de desempenho e, a medida que a vigencia contratual se amplia e a completude do contrato percebida aumenta, o avanco nas praticas se verifica naquelas relativas a custos e controle financeiro e a planejamento e orcamentos.
  • KLEBER FORMIGA MIRANDA
  • SENTIMENTO DO INVESTIDOR E A INFLUÊNCIA DO HORIZONTE DE INVESTIMENTO EM DECISÕES CORPORATIVAS: Evidências baseadas na Teoria de Catering
  • Data: 14/12/2018
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Fundamentada na Teoria de Catering, esta tese objetivou analisar o efeito do horizonte de investimento das empresas nas decisoes corporativas tomadas em observancia ao sentimento do investidor. A Teoria de Catering estabelece a habilidade dos gestores em identificar a ocorrencia do mispricing no mercado, provocando a tomada de decisao com vistas a manter a diferenca entre o preco da acao e seu valor fundamental, em beneficio de investidores preocupados com o preco corrente da acao – os investidores de curto prazo ou com curto horizonte de investimento. Pressupondo a ocorrencia de mispricing quando o indice de sentimento indicar otimismo e a respectiva tomada de decisao baseada no indice de sentimento, ficou estabelecida a tese de que as decisoes de investimento, de financiamento e de gerenciamento de resultados, tomadas em observancia ao sentimento do investidor, visam atender investidores de curto prazo. O horizonte de investimento foi mensurado pelo Turnover das acoes das empresas. Foram analisadas 245 empresas nao-financeiras, listadas na B3, por meio de um painel de dados nao balanceado, no periodo de 2010 a 2017. Seguindo o pressuposto teorico, foi avaliada a relacao entre cada decisao e o sentimento do investidor, por meio de regressao linear simples estimada pelo metodo Theil-Sen, por empresa, para definicao do valor esperado da decisao em funcao do sentimento. O indice de sentimento utilizado na regressao foi criado com variaveis do mercado de capitais brasileiro, por meio de Analise de Componentes Principais, com base na literatura existente. Foram incorporadas ao indice as variaveis: numero de ofertas de IPOs e Follow-on, proporcao de altas e baixas, premio de dividendos e participacao de investidores individuais no volume financeiro de negociacao da B3. Essa ultima teoricamente associada com a Teoria e Catering e, as demais, tradicionais na literatura de sentimento. Os resultados demonstraram uma relacao negativa entre o horizonte de investimento e a decisao de investimento, contrariando a expectativa de H1. Nao foi evidenciada relacao quanto ao gerenciamento de resultados (H3). Por outro lado, a decisao de financiamento possui relacao negativa com o horizonte de investimento, conforme H2, sugerindo o interesse por dividas mais baratas, em periodos de otimismo, por empresas com horizonte de investimento curto (maior Turnover). Esse fato foi corroborado pelo rompimento da hierarquia sugerida pela Teoria do Pecking Order (H2a), quando se observou fatores explicativos, tais como Turnover e ROA para a variacao de divida. Nao foi possivel, entretanto, associar as motivacoes para a rejeicao da Pecking Order aos pressupostos da Teoria de Catering. Alem da analise restrita das hipoteses de pesquisa, foi analisada a possibilidade de alguma caracteristica da firma mediar a relacao entre o horizonte de investimento e as decisoes corporativas. Nesse sentido, ficou demonstrado que os investimentos se ampliam quando, alem do horizonte curto, as empresas eram mais endividadas. Ao interagir o crescimento de receitas com horizonte de investimento, foi observado haver aumento do nivel de gerenciamento de resultados. Portanto, a despeito da rejeicao das hipoteses de pesquisa H1 e H3, a mediacao de caracteristicas da firma evidenciaram os pressupostos da Teoria de Catering. Ja quanto a decisao de financiamento, alem da nao rejeicao da Hipotese de pesquisa 2 (H2), houve reducao das despesas financeiras em momentos de otimismo quando ha a interacao entre o crescimento de receitas e o horizonte de investimento. Os testes de sensibilidade realizados demonstraram que em outros cenarios (nao todos) esses resultados permanecem.
  • JEFFERSON RICARDO DO AMARAL MELO
  • CARACTERÍSTICAS DOS OUTROS RESULTADOS ABRANGENTES E SOFISTICAÇÃO DOS INVESTIDORES: UMA ANÁLISE SOBRE A PRECIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO
  • Data: 12/12/2018
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • O modelo de divulgacao dos outros resultados abrangentes (ORA) na demonstracao de desempenho, em detrimento de sua divulgacao apenas na demonstracao das mutacoes do patrimonio liquido, proposto pelos normatizadores FASB e IASB, e apoiado no argumento de que isso traria mais transparencia para o mercado e possibilitaria que os investidores percebessem manipulacoes de informacoes desses componentes patrimoniais, o que nao seria alcancado pelo modelo anterior. Entretanto, caracteristicas intrinsecas dos ORA tais como a volatilidade e a discricionariedade gerencial na mensuracao do valor justo de alguns componentes decorrentes da falta de um mercado ativo, somadas, ainda, a complexidade informacional desses componentes patrimoniais, exigem que os investidores se atentem para a aplicacao da taxa de desconto adequada ao risco nos seus fluxos de caixa esperados, e assim manter a precificacao dos ativos no seu valor fundamental. Todavia, a hipotese da revelacao incompleta defende que as estatisticas mais dispendiosas de extrair de dados publicos nao sao revelados no preco das acoes, adicionado a isso a teoria da atencao limitada mostra que a atencao dos investidores e uma funcao crescente dos seus custos de processamento das informacoes, sendo o mercado constituido por investidores com diferentes niveis de atencao. Dessa forma, a volatilidade e a discricionariedade gerencial de alguns componentes dos ORA sao caracteristicas que prejudicam a utilidade informacional e podem elevar a percepcao de risco dos investidores menos atentos. Tais situacoes podem impactar em ma precificacao dos ORA e seus componentes. Nesse contexto, esta tese defende que a sofisticacao do investidor, entendida como a atencao em relacao a utilidade da informacao contabil, conduz a uma possivel ma precificacao dos outros resultados abrangentes e seus componentes. Assim o proposito desta pesquisa foi analisar a influencia da sofisticacao dos investidores, com foco nas caracteristicas dos ORA, no processo de precificacao da informacao. Para alcancar tal proposta utilizou-se uma amostra de 78 acoes de empresas, entre ON e PN, que negociaram na Brasil, Bolsa, Balcao (B3) no periodo de 2010 a 2016. Para os ORA, os resultados foram consistentes em achar que esses componentes sao mal precificados pelos investidores nao sofisticados e quando ha alta volatilidade podendo, no periodo da crise, obter retornos anormais positivos de ate 1,5% com estas estrategias de investimento. Os resultados revelaram tambem a ma precificacao por parte dos investidores sofisticados quanto aos componentes que nao possuem um mercado ativo como referencia para mensuracao do valor justo. As principais implicacoes desses resultados mostram que o modelo adotado atualmente para divulgacao dos ORA pode nao ter alcancado seus objetivos, uma vez que a maior evidencia dessas informacoes pode causar problemas de aumento do nivel de risco e ma precificacao desses componentes pelos investidores. Para minimizar esses problemas ou os reguladores mudam a forma de divulgacao ou adotam-se regulacoes que melhorem o ambiente informacional para que os investidores conhecam a natureza desses componentes patrimoniais e possam precifica-los de forma adequada, pois uma anomalia, sendo um problema de ma precificacao, pode gerar um ambiente propicio para manipulacao de informacoes, o que pode prejudicar a alocacao eficiente de recursos no mercado de capitais.
  • LÍVIA MARIA FREIRE DE MORAIS
  • INFLUÊNCIA DO ANO ELEITORAL, DO MANDATO ELEITORAL E DA MUDANÇA DE GESTOR PÚBLICO SOBRE AS MUDANÇAS NA COMPOSIÇÃO DOS GASTOS PÚBLICOS: UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS
  • Data: 10/12/2018
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • Fundamentando-se na literatura sobre ciclos politico-orcamentarios, a presente pesquisa tem como objetivo verificar a influencia do ano eleitoral, do mandato eleitoral e da mudanca de gestor publico sobre as mudancas na composicao dos gastos publicos dos municipios brasileiros. Para consecucao desse objetivo, a variavel dependente consistiu em um indice (IMCGP) que reflete as modificacoes na composicao dos gastos publicos, sendo esse composto pela juncao das variacoes dos gastos publicos classificados de acordo com quatro naturezas de despesas: pessoal e encargos sociais, outras despesas correntes, investimentos e inversoes financeiras. A amostra foi composta por 4.069 municipios brasileiros no periodo de 2005 a 2016, compreendendo tres ciclos eleitorais. Utilizou-se a tecnica de regressao com dados em painel, visto que a amostra e composta por dados seccionais e temporais. As evidencias revelaram que o ano eleitoral exerce influencia negativa sobre o IMCGP. Ja os fatores mandato eleitoral e mudanca de prefeitos exercem influencia positiva sobre o IMCGP dos municipios. Nesse sentido a pesquisa conclui que o primeiro mandato eleitoral e a alternancia de prefeitos dos municipios consistem em fatores politicos que impulsionam a realizacao de maiores alteracoes na composicao das despesas por parte dos governantes. Em relacao aos anos de mandato, observou-se que as maiores alteracoes na composicao dos gastos nao ocorrem no ano eleitoral, e sim no primeiro ano de mandato eleitoral, impulsionadas, sobretudo, pelas mudancas de prefeitos tipicas do primeiro ano do mandato.
  • TALITHA TUANE DE ANDRADE SARMENTO
  • ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO DO SETOR PÚBLICO NO BRASIL
  • Data: 06/12/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Alem das diferencas na gestao e nos determinantes dos fundos de investimento, que afetam de varias formas os seus resultados, o desempenho tambem pode ser afetado de acordo com sua clientela, ou seja, se os fundos vao ser ofertados para investidores de varejo ou institucionais. Porem, alem das definicoes de investidores, trazidas pela CVM na Instrucao 554, a qual define os investidores como investidores profissionais, qualificados e investidores de varejo, existem tambem os investidores que sao representados pelos entes publicos e, quando se trata do setor publico atuando como investidor, nao existe ainda uma regulacao clara. Nesse sentido, o objetivo desta pesquisa foi analisar o desempenho e as caracteristicas dos fundos de investimento do setor publico no Brasil e compara-los com os fundos que sao ofertados para os outros tipos de investidores. O periodo selecionado para o estudo foi de outubro de 2015 a outubro de 2018. As categorias de fundos de renda fixa analisadas foram: Renda Fixa Duracao Baixa Soberano, Renda Fixa Duracao Livre Soberano e Renda Fixa Duracao Baixo Grau de Investimento. Uma vez coletadas as informacoes dos fundos, a amostra foi reorganizada em tres subamostras: fundos do setor publico, fundos institucionais e fundos de varejo. Essa reorganizacao corresponde a clientela a qual os fundos sao destinados. Para alcancar o objetivo do trabalho, foram analisados os desempenhos dos tres diferentes grupos de investidores por meio do alfa de Jensen, sendo feito duas regressoes para cada fundo da amostra, considerando o retorno liquido e bruto, para verificar os efeitos dos custos no desempenho. Em seguida, os alfas de Jensen foram utilizados como variaveis dependentes para analisar a relacao entre desempenho e taxa de administracao, captacao liquida, a quantidade de cotistas e tamanho, para cada tipo de investidor. A analise do desempenho, por meio da verificacao dos retornos e da analise dos alfas demonstrou que existe uma diferenca de performance entre os tres diferentes tipos de fundos. De maneira adicional, demonstrou que os fundos do setor publico, quando comparado aos outros tipos de investidores, apresentaram piores resultados. Na analise entre o desempenho e as caracteristicas dos fundos, pode-se observar que a variavel taxa de administracao foi negativa e estatisticamente significativa em todos os tipos de fundos, com os fundos do setor publico apresentando valores mais expressivos, por acreditar-se que esses investidores, da mesma forma dos investidores de varejo, nao tenham um elevado controle dos criterios de selecao de investimento. Ja em relacao a captacao liquida, a variavel so foi significante para os fundos de investimento de varejo. Na analise da variavel de tamanho, o patrimonio liquido foi significativo e positivo para os fundos institucionais e negativo para os fundos do setor publico, sugerindo que, nesse caso, o tamanho impacta negativamente a performance desses fundos.
  • FABIANO FERREIRA BATISTA
  • VALOR JUSTO E QUALIDADE DA INFORMAÇÃO CONTÁBIL: INFLUÊNCIA DA ESCOLHA CONTÁBIL QUANTO À MENSURAÇÃO DAS PROPRIEDADES PARA INVESTIMENTO
  • Data: 30/11/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A mensuracao de ativos pelo valor justo divide evidencias relacionadas ao seu impacto na qualidade da informacao contabil, apesar de convergirem no que diz respeito as ponderacoes necessarias para a sua utilizacao: existencia de mercado ativo, custo de obtencao e efeito do seu reconhecimento no resultado. Nesse sentido, quando se trata de ativos nao financeiros, como e o caso das Propriedades para Investimento (PPIs), para os quais inexiste mercado ativo, resultando em avaliacoes mais subjetivas, reforca-se a necessidade de maior atencao e debates sobre se a adocao do valor justo, nesse contexto, pode ocorrer de forma indistinta ou se faz necessario mais cautela na sua adocao. As pesquisas anteriores, alem de abordarem aspectos isolados, nao chegam a uma definicao de qual modelo de mensuracao, custo historico ou valor justo, resulta em maior qualidade, ou quais atributos sao sacrificados em detrimento de outros. Nesse sentido, esse trabalho objetivou analisar de que forma a escolha contabil referente a mensuracao das PPIs, afeta a qualidade das informacoes, investigando, implicitamente, se houve sacrificio de algum(ns) atributo(s) em detrimento de outro(s). Para tanto, considerando as empresas brasileiras que possuiam ativos reconhecidos como PPIs, entre 2010 e 2017, analisou-se um conjunto de atributos contabeis e de mercado, composto por Accruals Discricionarios, Conservadorismo, Oportunidade, Relevancia, Confiabilidade, Persistencia, Previsibilidade e Volatilidade, utilizando-se dos modelos de Paulo (2007), Basu (1997), Ball e Shivakumar (2005), Felthan e Ohlson (1995), Kormedi e Lipe (1987) e Francis et al. (2004), respectivamente. De forma geral, observou-se a Confiabilidade e a Volatilidade como os dois elos principais nos quais a qualidade da informacao ligada a escolha do modelo de mensuracao das PPIs se sustenta, de modo que a baixa confiabilidade do valor justo, atribuida a indisponibilidade de mercado ativo, a propria caracteristica do ativo, a utilizacao de valores mais subjetivos obtidos por meio de avaliadores internos, prejudica sua relevancia junto aos investidores que acabam realizando desconto no preco das acoes e provocando o distanciamento entre os lucros e os retornos. A volatilidade, por sua vez, acaba por prejudicar a previsibilidade/persistencia dos resultados, ao mesmo tempo que podera prejudicar a representacao fidedigna. A relacao entre a volatilidade e a confiabilidade e justificada pela existencia de erros de mensuracao e vieses gerenciais, presentes nas mensuracoes do valor justo em nivel 3, que passam a inibir sua capacidade preditiva, de tal modo que a existencia de mercados ativos, possibilitando mensuracoes do valor justo em nivel 1, seria um elemento provavel para o aprimoramento da capacidade preditiva, por intermedio de numeros confiaveis. Com base no exposto, ratifica-se a tese defendida de que as empresas brasileiras que possuem ativos reconhecidos como PPIs ao valor justo apresentam numeros contabeis de menor qualidade.
  • DIEGO MENTOR ANDRADE GALVAO
  • CONTABILIDADE INTERORGANIZACIONAL: UM ESTUDO ENVOLVENDO EMPRESAS DE CAMPINA GRANDE – PB
  • Data: 28/02/2018
  • Hora: 14:30
  • Mostrar Resumo
  • Ao longo dos anos, as empresas têm experimentado novas formas de relacionamento entre si, surgindo novas maneiras de coordenação, relacionamento e cooperação. Nesse contexto, a contabilidade em seus moldes tradicionais já não satisfaziam a necessidade de fornecer informações aos seus usuários, uma vez que estava restrita à realidade de uma empresa isoladamente, necessitando transpor essas barreiras para atingir esses objetivos. Nesse contexto, surge o conceito de contabilidade interorganizacional, um conjunto de práticas voltado para o compartilhamento de informações contábeis e gerenciais entre empresas participantes de uma cadeia visando a obtenção de benefícios mútuos. Dessa forma, foi realizada a presente pesquisa objetivando verificar se existe associação entre o perfil dos gestores e das indústrias e a prática de contabilidade interorganizacional no âmbito dos relacionamentos interorganizacionais de Campina Grande – PB. Como metodologia, foi utilizado uma survey através da aplicação de questionários. Foram obtidos 32 questionários respondidos. A análise dos dados se deu através de estatística descritiva a partir de observação de frequências e análise inferencial a partir de testes de hipóteses derivadas do objetivo geral utilizando o software estatístico IBM SPSS (versão 20) e teste de V de Cramer, com nível de significância de 5%. Como resultados, percebeu-se que a maior parte das empresas não compartilham informações no seu relacionamento comprador-fornecedor. Porém, entre as empresas que compartilham, houve uma predominância do compartilhamento de informações gerenciais com os compradores. A partir do teste das hipóteses, percebeu-se fatores do perfil dos gestores associados à prática de contabilidade interorganizacional, quais sejam: a área de formação, a área de atuação de o grau de relacionamento com a empresa. Os gestores proprietários tendem a compartilhar menos informações do que os gestores contratados. Algumas características das empresas, como a duração do contrato, o setor de atividade e o porte das empresas também foram consideradas associadas às práticas de contabilidade interorganizacional. Observou-se que as empresas que têm um setor de Gestão de Cadeia de Suprimentos implantado tendem a compartilhar mais informações do que as que não o tem. Semelhantemente, quanto maior o porte da empresa, maior sua tendência em compartilhar informações. A pesquisa também encontrou associação entre o compartilhamento de informações e o número de benefícios percebidos. Também foi encontrada uma associação entre a existência de um setor de cadeia de suprimentos, a duração do contrato e o porte da empresa com o volume de benefícios percebidos. Palavras-chave: Contabilidade Interorganizacional. Compartilhamento de informações. Relacionamento Comprador-Fornecedor.
  • SANDRIELE LEITE MOTA
  • DIVIDENDOS E REAÇÃO DO MERCADO: UMA ANÁLISE SOB O ENFOQUE DAS TEORIAS DO FLUXO DE CAIXA LIVRE E DA SINALIZAÇÃO
  • Data: 28/02/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo analisar a relação existente da política de dividendos das empresas com ações negociadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3) e a reação do mercado ao anúncio do pagamento de dividendos com as teorias da sinalização e do fluxo de caixa livre, durante o período 1997 a 2017. A amostra consistiu em 750 anúncios da aprovação do pagamento de dividendos e juros sobre o capital próprio de 53 empresas listadas na B3 . Foram empregadas diferentes metodologias para alcançar o objetivo de pesquisa. Primeiramente, realizou-se um estudo de eventos buscando identificar retornos anormais acumulados (CARs) de -5 a +5 dias em torno da data do anúncio do pagamento de dividendos e juros do capital próprio. Em seguida, buscando compreender a explicação teórica da política de dividendos no Brasil, empregou-se a técnica da regressão em dados em painel para analisar a relação entre o índice payout e o fluxo de caixa livre (FCF) e a expectativa de lucratividade futura (LF). As variáveis de controle empregadas para controlar os fatores determinantes da política de dividendos foram representadas pelo tamanho, oportunidades de crescimento, endividamento e risco. No tocante aos resultados da pesquisa, por meio do estudo de eventos, encontraram-se evidências de retornos anormais no primeiro e segundo dia que sucedeu a data do anúncio do pagamento de dividendos, indicando que estes são relevantes ao mercado de capitais brasileiro. Em seguida, por meio do emprego das regressões em dados em painel, verificou-se que há uma relação positiva e significante ao nível de 1%, entre o índice payout e a variável de interesse FCF, corroborando que empresas com maiores fluxos de caixa livres têm a capacidade de pagar maiores dividendos. Por outro lado, não foi possível encontrar uma relação significante entre a variável LF e o índice payout, não confirmando a hipótese H3 de pesquisa. Por fim, na análise da relação dos retornos anormais acumulados (CARs) e as teorias da Sinalização e do Fluxo de Caixa Livre, não foi possível comprovar que os retornos médios em resposta ao anúncio do pagamento de dividendos são maiores nas empresas com excessos de investimentos e que os investidores antecipam o aumento de dividendos para empresas maximizadoras de valor no mercado acionário brasileiro. Os achados da presente pesquisa contribuem para o campo científico ao fomentar estudos empíricos sobre a relevância da política de dividendos e ao mercado de capitais no auxílio da tomada de decisões ao evidenciar a relevância dos dividendos representado pelos retornos anormais em torno da data do anúncio do pagamento de dividendos, sinalizando boas notícias ao mercado.
  • DERIK HARISSON LEITE DA SILVA
  • CUSTOS OCULTOS ESTRUTURAIS: UM ESTUDO NO ÂMBITO DO SETOR AGROINDUSTRIAL DA CACHAÇA DO ESTADO DA PARAÍBA.
  • Data: 27/02/2018
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Os custos ocultos estruturais são custos não detectados nos registros contábeis e relatórios gerenciais, provenientes de disfunções da estrutura física da empresa, que afetam a lucratividade das organizações. Nesse sentido, esta pesquisa, realizada na forma de um estudo de caso, teve como objetivo identificar e mensurar os custos ocultos estruturais no processo de produção da cachaça em um engenho produtor, localizado na microrregião do Brejo paraibano. Para tanto, foi realizada uma entrevista semiestruturada, dirigida ao proprietário, visando à obtenção de informações acerca do método de custeio empregado e das disfunções que sobrevêm das atividades produtivas. Paralelamente, foi feita uma observação in loco, a qual tratou de mapear todas as fases da produção da cachaça e de certificar as respostas obtidas pela aplicação da entrevista. Em um terceiro momento, foram coletados dados sobre os custos dos produtos nos relatórios financeiros e gerencias relativos ao período da safra 2016/2017. Essa última etapa metodológica serviu para alimentar os dados de mensuração das nove variáveis de custos ocultos estruturais selecionadas, a saber: absenteísmo, acidente de trabalho, ociosidade, estoques, ineficiências, qualidade dos produtos, obsolescência, desperdícios e oportunidade perdida. O processo de produção foi dividido em: moagem, fermentação, destilação e engarrafamento. Constatou-se, através da aplicação da entrevista ao proprietário, que a empresa não utiliza nenhum sistema formal para apuração dos custos. Dentre as variáveis de custos ocultos estruturais estudadas, três delas não foram constatadas: acidente de trabalho, ociosidade e estoques. O custo oculto mensurável recorrente em todas as fases produtivas é o absenteísmo. Além deles, foram mensurados os custos de desperdícios e ineficiências. No que tange à análise qualitativa, o processo de observação explicitou as disfunções presentes nas etapas de moagem e fermentação, relacionadas com a qualidade final da bebida. Também foram identificadas disfunções que ocasionam custos ocultos de obsolescência e desperdícios. Os resultados desta pesquisa puderam, em síntese, certificar a ocorrência dos custos ocultos estruturais em um engenho de médio porte, revelando que nas organizações com processos administrativos desatualizados e inadequados as informações gerenciais de uma análise aprofundada trazem possibilidades de melhorias.
  • JAILSON MANOEL SILVA DUARTE
  • DESCENTRALIZAÇÃO FISCAL E EQUIDADE NOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE SAÚDE NO BRASIL
  • Data: 23/02/2018
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • A descentralização dos serviços de saúde foi um dos mecanismos definidos na Constituição Federal de 1988 para assegurar que todo cidadão tivesse acesso aos Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, frente as desigualdades socioeconômicas que ainda subsistem no cenário brasileiro, a descentralização pode não ter resultado numa distribuição equânime do acesso aos serviços nas diversas regiões do país. Com base nisto, o objetivo desta pesquisa foi analisar a relação entre descentralização fiscal e a equidade de acesso aos serviços de saúde nos municípios brasileiros. Utilizou-se uma abordagem metodológica constituída de duas etapas: inicialmente, fazendo-se uso do Índice de Concentração, analisou-se a equidade no acesso aos serviços de saúde com base na Produção Ambulatorial do SUS e no percentual de Internações por Causas Sensíveis à Atenção Básica. Em seguida, fez-se uma análise de regressão com dados em painel para verificar a relação entre descentralização fiscal e equidade no acesso à saúde. Os resultados apontaram que, mesmo diante do aumento dos gastos públicos em saúde nos últimos anos, motivado pela ampliação dos recursos próprios dos municípios aplicados em saúde, o índice de equidade na produção ambulatorial do SUS apresentou desigualdade favorável os mais ricos. Já nas internações por causas sensíveis à atenção básica, a desigualdade foi mais significativa nos municípios mais pobres. Por fim, os resultados apresentaram evidencias condizentes com a hipótese de que a descentralização fiscal favorece à redução das desigualdades no acesso à saúde nos municípios brasileiros. Portanto, a pesquisa apresenta elementos empíricos que corroboram os argumentos em favor do federalismo fiscal, destacando-se a importância da descentralização dos gastos públicos a nível municipal para possibilitar a redução das desigualdades em saúde. Palavras-Chave: Descentralização; Federalismo Fiscal; Equidade; Saúde Pública
  • RENATO BARROS PINHEIRO
  • AUDITORIA INDEPENDENTE: IMPACTO DA QUALIDADE DOS LUCROS SOBRE OS HONORÁRIOS DE AUDITORIA
  • Data: 21/02/2018
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • No contexto do mercado de valores mobiliários, a auditoria de demonstrações contábeis tem como função principal assegurar a qualidade da informação contábil disponibilizada para os interessados, sabendo-se que tal informação se constitui como base para o processo de tomada de decisões daqueles interessados em relação à entidade que reporta. No que diz respeito à qualidade, a informação contábil tem entre seus pontos críticos a qualidade dos lucros nela encontrados, os quais têm a ver, na perspectiva da qualidade dos acruals, com a diferença entre o lucro líquido e o fluxo de caixa de cada período, ambos representando informação relevante para os interessados. Assim, a qualidade dos lucros encontrada na informação contábil é fonte de preocupação dos auditores independentes, uma vez que pode afetar os riscos da auditoria e, como consequência, ter impacto na determinação dos honorários dos auditores, isto no pressuposto que a determinação dos honorários deve considerar o risco do trabalho. O objetivo desta pesquisa foi investigar a influência da qualidade dos lucros sobre a determinação dos honorários dos auditores independentes no Brasil. Do ponto de vista metodológico, considerando-se o que pode ser encontrado na literatura, o objetivo foi alcançado com a aplicação dos modelos de Jones Modificado por Dechow, Sloan e Sweeney (1995) de Dechow e Dichev (2002) como métricas de cálculo dos accruals residuais e foi utilizada a base de dados da Thomson Reuters Eikon®, com observação anual das empresas listadas na B3 do período de 2010 a 2015. Os resultados demonstram que os honorários de auditoria estão negativamente relacionados com a qualidade dos lucros no período passado (t-1), ou seja, os auditores incorporam aos honorários os riscos de fluxo de caixa associado à qualidade dos lucros identificados no momento da contratação do serviço. Por outro lado, os resultados também demonstram uma relação negativa e significante entre os honorários de auditoria e qualidade dos lucros no período contemporâneo (t), isto é, os auditores demandam uma parcela adicional como prêmio aos riscos de conversão de fluxo de caixa incorridos durante a vigência do contrato da auditoria.
  • BARBARA CORREIA SIMAO
  • BITCOIN: INVESTIMENTO DO SÉCULO OU BOLHA ESPECULATIVA? MENSURAÇÃO DO RISCO INDIVIDUAL DO BITCOIN SOBRE O RISCO SISTÊMICO DO MERCADO DE CAPITAIS DO BRASIL E EUA
  • Data: 20/02/2018
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Recentemente, as moedas digitais têm recebido significativa representatividade em economias mundiais, devido à agilidade, segurança e ao baixo custo envolvido nas transações. Com a proposta de revolução no sistema monetário mundial, a moeda virtual denominada por Bitcoin propõe um sistema de pagamento eletrônico de software aberto com base na criptografia, em que não se utiliza bancos ou quaisquer outras entidades centrais de intermediação das transações. Os usuários do Bitcoin conferem a essa moeda dois papeis distintos. Primeiro, o Bitcoin pode desempenhar a função de meio de pagamento de trocas de bens e serviços. Segundo, o Bitcoin tem sido direcionado para o uso com propósitos especulativos, devido à elevada volatilidade do seu valor no mercado financeiro (HUR, JEON e YOO, 2015). Adicionalmente, o protocolo de funcionamento instituído pelo Bitcoin permite que as transações entre os usuários permaneçam no anonimato. Portanto, a ausência de uma instituição reguladora das transações com moedas digitais tem levantado um debate relevante sobre a contribuição do Bitcoin em fomentar atividades de cunho ilegal. Dentro desse contexto, a presente pesquisa busca obter inferências sobre a contribuição do risco individual do Bitcoin sobre o sistema financeiro do Brasil e dos Estados Unidos, com intuito de sinalizar as autoridades reguladoras um posicionalmente do nível adequado de intermediação financeira. A metodologia da pesquisa consiste no uso dos modelos de estimação de risco sistêmico CoVaR, CoVaR GARCH, ∆CoVaR e ∆CoVaR GARCH. Os resultados da pesquisa visam contribuir para o fornecimento de informações macroprudenciais, de modo a balizar a intervenção das instituições de controle financeiro relacionado a efetivação de medidas reguladoras para o Bitcoin. De modo geral, os resultados indicam que o risco individual do Bitcoin afeta o risco sistêmico e, em cenários de evento extremos, o Bitcoin é significativo para reduzir o risco sistêmico do mercado de capitais brasileiro e americano.
  • MARILIA AUGUSTA RAULINO JÁCOME
  • A REGULAÇÃO COMO PROPULSORA DE PRÁTICAS DE CONTROLE INTERNO NA SAÚDE SUPLEMENTAR
  • Data: 20/02/2018
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo principal analisar a influência da regulação econômica na adoção de práticas de controle interno nas organizações do mercado de saúde suplementar da Região Nordeste do Brasil. Para tanto, buscou-se a participação ativa das Operadoras de Plano de Saúde (OPS), por meio de um instrumento composto por assertivas que descrevem práticas de controle interno, com base no framework do COSO ICIF (2013). A amostra da pesquisa foi formada por 43 OPS da região Nordeste, correspondendo a 53,75% do universo, e os participantes foram os gestores financeiros, contábeis ou de auditoria interna, os quais responderam um questionário com base na escala de Likert de cinco pontos. A partir da aplicação de uma metodologia quanti-qualitativa, incluindo o teste de Kruskal-Wallis para análise do questionário e a utilização da técnica de análise de conteúdo para a análise da legislação e das respostas discursivas, os resultados mostraram a existência de conexão entre a regulação e algumas práticas de controle interno, todavia, sem envolver todos os princípios contidos no framework do COSO. Quanto à realidade das estruturas de controle interno das OPS do Nordeste, observou-se que a média geral se concentrou em 3,70, representando uma concordância parcial dos respondentes acerca da existência de práticas de controle interno, tal como listadas no questionário. Mais especificamente, o componente de atividades de monitoramento apresentou diferença estatística para todas as práticas listadas, ratificando o poder explicativo do porte da OPS e assegurando a existência da influência direta na adoção de práticas de controle interno. Acerca da existência das áreas de auditoria e controle interno, as OPS de pequeno e médio porte demonstraram ainda incipiência, o que repercute sobre a reduzida disseminação da cultura de controle nas OPS. A respeito da subordinação da auditoria interna, em nível mínimo, o posicionamento se dá diretamente em relação ao Conselho de Administração, o que impacta na garantia de sua atuação com independência. Em relação à influência da regulação na adoção das práticas de controle interno das OPS, 95% dos respondentes concordaram sobre essa existência, no entanto, de forma pormenorizada, os respondentes indicaram outros aspectos relacionados à regulação, como o compliance, a sustentabilidade e o seu caráter punitivo. Além disso, 9% dos respondentes afirmaram que há insuficiência da regulação em relação aos controles internos, sugerindo então, a criação de regulação específica para controles das OPS. Corroborando essa afirmação, 17% apontaram que o fortalecimento da estrutura e das práticas de controles podem ser um caminho rumo à sustentabilidade do setor da saúde suplementar. Os resultados, de modo geral, confirmaram parcialmente o pressuposto da pesquisa, a medida em que há influência da regulação na adoção de práticas de controle interno, no entanto, não foi possível confirmar a intensidade da relação quanto à adoção das práticas à medida que a regulação econômica se relacionar com estas, sugerindo que a conexão entre ambas não é fator suficiente para a adoção de práticas de controle interno.
  • GEISA CASSIANA PAULINO DA SILVA
  • INFORMAÇÃO NON-GAAP: EVIDÊNCIAS DO SEU VALUE RELEVANCE, E UMA ANÁLISE DO TRADE-OFF ENTRE OPORTUNISMO E EFICIÊNCIA NA QUALIDADE DO SEU REPORTE
  • Data: 19/02/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Os Non-GAAP são medidas de desempenho baseado em dados contábeis ajustados ou em dados não contábeis. Nesse sentido, o objetivo geral desse estudo é analisar a relevância da informação Non-GAAP, com e sem explícitas determinações regulatórias, além de verificar a relação da qualidade do disclosure dessa informação com o trade-off entre os incentivos oportunísticos e de eficiência no seu reporte. As duas medidas Non-GAAP estudadas foram o EBITDA, conforme a CVM (EBITDA CVM), e o EBITDA ajustado, por serem as duas medidas Non-GAAP mais divulgadas pela gestão das companhias (KPMG,2016). No capítulo 2, foram analisadas as ações de empresas não financeiras listadas na Brasil Bolsa Balcão (B3), ativas entre os anos de 2010 a 2016. Os resultados relevam que o EBITDA CVM, em sendo a medida Non-GAAP analisada mais reportada pelas empresas, é também a mais persistente em termos de associação incremental e relativa com os retornos das ações, quando estes são calculados de forma mais precisa à época de divulgação das demonstrações contábeis das companhias. Esse resultado do EBITDA CVM é persistente tanto usando a regressão quantílica como usando a linear, embora o EBITDA ajustado e EBITDA padronizado não tenham tido o mesmo desempenho. Portanto, considerando o value relevance verificado do EBITDA CVM, ainda que para o EBITDA ajustado o mesmo resultado não seja verificado, a hipótese I desse estudo não foi, parcialmente, rejeitada. No capítulo 3 foi usando o modelo Logit Ordenado em painel (2011-2016) levando em conta o fato da variável dependente ter sido mensurada por um score que variou entre 1 e 4, em termos de qualidade do reporte da medida Non-GAAP. Os resultados evidenciam um comportamento distinto, onde a qualidade do EBITDA CVM tem influência positiva direta da Instrução Normativa 527/12 da CVM, embora a qualidade do reporte do EBITDA ajustado não apresente a mesma característica. A probabilidade do EBITDA CVM ser reportado com maior qualidade aumenta quando a divulgação dessa medida é feita por grandes empresas e após a regulação da CVM, porém essa probabilidade diminui quando a cobertura dos analistas aumenta, e quando o lucro líquido por ação da empresa não supera o consenso dos analistas. Quanto ao EBITDA ajustado, a relação encontrada entre empresas em crescimento e uma maior probabilidade de reportar um EBITDA ajustado de qualidade vai ao encontro a hipótese III do estudo, justificada pela maior presença, geralmente, de itens não recorrentes em empresas em crescimento e por isso o reporte de um Non-GAAP de qualidade procuraria diminuir o efeito desses itens sobre o resultado operacional divulgado pela gestão. Já em relação a alavancagem, inferir que as empresas mais endividadas são mais prováveis de reportar um EBITDA ajustado de maior qualidade devido ao escrutínio de credores, presume, entre outras coisas, que haja a utilização dessa medida em cláusulas contratuais de dívidas, e isso é uma questão além do escopo desse trabalho. Portanto, discutir medidas alternativas de desempenho financeiro dentro do contexto de informações Non-GAAP, apresentar evidências empíricas da relevância desse tipo de informação no mercado brasileiro, bem como evidenciar a existência, mesmo que pontual, de motivações oportunísticas (EBITDA CVM) e informativas (EBITDA ajustado) para o reporte de informações Non-GAAP de qualidade, são as principais contribuições do presente estudo.
  • AMARANDO FRANCISCO DANTAS JUNIOR
  • A INFLUÊNCIA DO FEDERALISMO FISCAL SOBRE O ESTRESSE FISCAL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS
  • Data: 02/02/2018
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • A literatura alusiva à Teoria do Federalismo trata essencialmente da divisão e organização territorial do poder estatal e da articulação do poder central com os poderes regional e local, inclusive sob a ótica fiscal. O Federalismo Fiscal, então, permeia as relações entre a competência tributária de cada ente federado e a alocação de recursos públicos em função das demandas das comunidades locais, com consequências diretas na condição financeira e na oferta de bens e serviços públicos à sociedade. Além disso, a literatura aponta as instabilidades econômicas como fator agravante das relações fiscais entre os entes federados, contribuindo para o estresse fiscal. Com base nessas observações, esta pesquisa objetivou verificar a influência do federalismo fiscal sobre o estresse fiscal dos municípios brasileiros. Mais especificamente, buscou analisar se os municípios que eram mais dependentes das relações federalistas eram mais inclinados ao estresse fiscal. Complementarmente, buscou controlar o efeito das instabilidades econômicas do ano anterior no estresse fiscal dos municípios sob a ótica federalista. Avaliou-se, então, o federalismo fiscal direta ou indiretamente por quatro perspectivas: receita e despesa públicas, autonomia dos entes e descentralização fiscal, bem como as instabilidades econômicas pela variação real do PIB trimestral. A amostra constituiu-se dos municípios brasileiros ao longo dos exercícios de 2006 a 2016, representando 50.260 observações. Para a análise empírica, utilizou-se a técnica de regressão logística a partir de dados em painel. Os resultados do estudo indicaram que os municípios fiscalmente estressados sofreram influência estatisticamente positiva e significante do federalismo fiscal e dos períodos de baixo crescimento, apontando os efeitos da centralização das receitas e descentralização das despesas pregadas pelo federalismo fiscal, além da acentuação dessa relação em épocas de instabilidade econômica. Deste modo, em termos gerais, a pesquisa concluiu que quanto maior a dependência fiscal dos municípios analisados, mais predispostos esses municípios estavam ao estresse fiscal, especialmente em épocas de instabilidade econômica.
  • THAMIRYS DE SOUSA CORREIA
  • GOVERNANÇA CORPORATIVA, PRINCÍPIOS GLOBAIS DE CONTABILIDADE GERENCIAL E CÓDIGO DE ÉTICA EMPRESARIAL DE EMPRESAS BRASILEIRAS DE CAPITAL ABERTO
  • Data: 02/02/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa teve como objetivo verificar as relações da Governança Corporativa com os Princípios Globais de Contabilidade Gerencial (PGCG) e o Código de Ética Empresarial (CEE) de empresas brasileiras de capital aberto. Quanto a metodologia, foram coletados dados de empresas que negociaram ações na Brasil, Bolsa e Balcão (B3) a partir do banco de dados da Comdinheiro, formulários de referência, website das empresas, website da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), website da B3, relatórios da administração, relatórios anuais, demonstrações financeiras padronizadas, relatórios de sustentabilidade e códigos de ética ou conduta empresarial. Para tanto, no que tange as variáveis dependentes, foram construídos índices para representar os PGCG (IPGCG) e índices referentes ao CEE (ICEE). As variáveis independentes são o Conselho de Administração (Tamanho do Conselho; Sexo do presidente; Independência; Chairman/CEO; Idade; e, Reuniões do Conselho), Estrutura de Propriedade e Controle (Média anual do percentual de ações totais do maior acionista; e, Porcentagem de ações ordinárias do maior acionista) e Remuneração de Executivos (Remuneração total, Remuneração Fixa e Remuneração Variável da Diretoria Executiva). Para identificar as relações entre Governança Corporativa e IPGCG foram estimados modelos de regressão em dados em painel de efeitos fixos com robustez, e efeitos aleatórios (período de 2010 a 2016). Por outro lado, para identificar as relações entre Governança Corporativa e ICCE a técnica utilizada foi a cross-section (ano de análise foi 2016) e o modelo escolhido foi o Mínimo Quadrado Ordinário (MQO). Os resultados mostram que todos os seis indicadores referentes ao Conselho de Administração são fatores explicativos do IPGCG, em especial a independência, que apresentou maiores coeficientes: 20,58% (Nível 1), 12,92% (Nível 2) e 7,23% (Novo Mercado). Com isso, um conselho independente influencia de maneira positiva nas informações gerenciais que compuseram o IPGCG, gerando e preservando valor para as companhias selecionadas. Ao passo que, a Estrutura de Propriedade impactou de maneira negativa no IPGCG, embora apenas para a amostra de empresas listadas no segmento Nível 2 e com coeficiente pouco representativo. A remuneração fixa também explica o IPGCG, isso por que é o meio de pagamento para executivos mais usual no Brasil. Ademais, o tamanho do conselho, a independência e o número de reuniões explicam de forma positiva o ICEE, bem como a cumulação dos cargos de presidente do conselho e CEO influencia de maneira negativa no ICEE, ou seja, impactando negativamente no CEE, que por sua vez representa a gestão, as características dos negócios e a postura ética de gestores e altos executivos.
2017
Descrição
  • GENILDA SOARES DA SILVA
  • GOVERNANÇA APLICADA AO SETOR PÚBLICO: uma análise da institucionalização de práticas de governança nas universidades federais do nordeste brasileiro
  • Data: 07/12/2017
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo buscou identificar e analisar o grau de institucionalização de práticas de governança corporativa no âmbito das universidades federais do nordeste brasileiro, tomando-se como referência o Manual de Governança elaborado e proposto pelo Tribunal de Contas da União, que orienta os gestores e a sociedade sobre princípios e práticas de governança que podem ser aplicados a todos os Órgãos e Entidades Públicas da Administração Pública. Os dados foram coletados por meio de um questionário aplicado aos pró-reitores de administração e de planejamento de tais instituições, enviado eletronicamente pela plataforma do google docs. As respostas obedeceram a uma escala Likert de 5 pontos, por meio da qual foi possível mensurar, primeiro, o grau de práticas institucionalizadas de acordo com a percepção dos gestores, no âmbito de todas as universidades analisadas, e, depois, associar o grau de institucionalização de cada universidade a características organizacionais. A confiabilidade do instrumento de coleta dos dados foi estimada por meio do Alfa de Cronbach, cujas estimativas foram calculadas por meio de correlações entre as respostas dos agentes. A análise qualitativa das categorias, quando se observou a adoção de práticas de governança contidas na listagem de perguntas, dividiu-se em três grupos, que contemplaram os seguintes aspectos: práticas de liderança, práticas de estratégia e práticas de controle, que nortearam a aplicação dos testes estatísticos e as respectivas análises. Além da estatística descritiva, foram aplicados os testes não paramétricos de Kruskal-Wallis e correlação por postos de Sparman. Assim, os resultados revelaram que existem práticas de governança corporativa no âmbito das universidades, na ordem de 65,63%, e que não há uma relação significativa entre as características organizacionais utilizadas na pesquisa (Receita, Nº de Professores, Nº de Técnicos, Nº de Alunos, Cursos de Graduação, Cursos de Pós-Graduação, Conceito CAPES Pós-Graduação e, Titulação dos professores) e o grau de institucionalização encontrado para cada universidade. Contudo não se desprezou o fato de haver associação entre elas.
  • LUCIANA ALENCAR FIRMO MACEDO
  • ANÁLISE DA RELAÇÃO ENTRE SENTIMENTO DO INVESTIDOR E ESTRUTURA DE CAPITAL
  • Data: 05/12/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Diante de várias especulações no mercado de ações, fortes mudanças econômicas e políticas no cenário brasileiro e mundial, as companhias têm necessidade de uma melhor gestão dos recursos disponíveis para sua tomada de decisão, principalmente no que se refere a fontes de financiamento, tendo em vista a garantia de uma melhor condição de participação/permanência no mercado. Com amparo nessas discussões, o objetivo geral desta pesquisa é analisar a relação entre o sentimento do investidor e a estrutura de capital das companhias brasileiras. A condução da pesquisa foi feita, tendo como base uma amostra que envolveu todas as empresas não financeiras listadas na B3 (Bolsa Brasil Balcão) durante o período de 2005 a 2016. Para responder o problema de pesquisa, a metodologia consistiu na construção de um índice de sentimento do investidor (ISI) fundamentado na metodologia desenvolvida por Baker e Wurgler (2006; 2007), além da utilização de índices alternativos, o ICC e o ICI, desenvolvidos pela Fundação Getúlio Vargas, permitindo a observação do impacto do sentimento do investidor na estrutura de capital de companhias brasileiras. Na estimação do sentimento do investidor, fezse uso da técnica multivariada de Análise de Componentes Principais, para captar o componente em comum de quatro diferentes proxies para o comportamento do mercado. Dessa forma, os resultados encontrados evidenciaram um índice de sentimento do investidor sensível às oscilações do mercado, acompanhando os efeitos de euforia e crises do mercado brasileiro. Quanto à relação do sentimento do investidor com a estrutura de capital, obteve-se uma interação negativa, sugerindo que as companhias brasileiras tendem a se endividar menos em momentos de alto sentimento no mercado, corroborando a Oliver e Mefteh (2010). Constatouse que a medida do índice de sentimento do investidor apresentou-se significativa com boa parte das variáveis relacionadas. Com relação ao excesso de confiança dos gestores, aqui representado pela estrutura de propriedade das organizações, no caso as empresas familiares, buscou-se a interação entre essas variáveis com a finalidade de identificar a existência de uma maior sensibilidade da estrutura de capital em relação ao efeito do sentimento do investidor e aos possíveis impactos que o excesso de confiança, mensurado por meio da variável família. Assim, foi evidenciado que o nível endividamento das empresas familiares teve uma relação negativa com o sentimento do investidor. Esse resultado pode ser justificado pela demasiada confiança dos gestores, uma vez que eles preferem tomar suas decisões de endividamento sem observar os sinais do mercado, ou seja, percebe-se um maior controle por parte dos gestores com relação a serem mais confiantes e não serem influenciados pela sensibilidade do mercado
  • INGRID LAIS DE SENA COSTA
  • PRINCÍPIOS GLOBAIS DE CONTABILIDADE GERENCIAL: Relação de práticas gerenciais com a reputação corporativa e com o desempenho das companhias abertas brasileiras
  • Data: 04/12/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • As mudanças econômicas relacionadas aos modelos das estruturas organizacionais, ao comportamento e valores das pessoas e aos novos modelos de negócios requerem um novo posicionamento da contabilidade gerencial, visto que esta é um dos principais fornecedores de informações para o processo de tomada de decisão das organizações. Assim, requer-se cada vez mais que a contabilidade gerencial forneça melhores bases para subsidiar tais decisões. Nesse sentido, os Princípios Globais de Contabilidade Gerencial (PGCG) surgiram como boas práticas gerenciais que as empresas podem implementarem. Com base nessas discussões, o objetivo desta pesquisa consiste na análise da relação dos PGCG com a reputação corporativa e o desempenho das companhias abertas brasileiras. A amostra analisada compreendeu 342 empresas listadas na B3, durante o período de 2010 a 2016. Para responder ao problema de pesquisa, a metodologia consistiu na construção de um índice de adequação às recomendações propostas pelos PGCG, observando-se os impactos das boas práticas da contabilidade gerencial sobre o desempenho organizacional e a reputação corporativa das companhias. A análise dos dados deu-se por meio de estimações estatísticas como o uso de média e da Análise de Componentes Principais para a estimação do índice, e de regressões para a observação das relações propostas. Os resultados obtidos demonstraram, por meio do índice de contabilidade gerencial, que as companhias atendem a mais de 50% das práticas que deveriam ser observadas pelas organizações de acordo com o PGCG, ou seja, as companhias preferem não divulgar em seus relatórios informações gerenciais de sua gestão. Também foi observado que, após 2014 houve um aumento do índice relativo às práticas gerenciais, o que fornece indícios de uma maior preocupação das empresas para com as condutas adotas. Sobre a reputação corporativa das companhias, percebeu-se uma relação positiva com as práticas gerencias, evidenciando-se assim, que a reputação da empresa deve ser fruto de uma decisão estratégica da organização, planejada para atender os objetivos estabelecidos. Já para o desempenho das companhias, percebeu-se que as práticas gerenciais adotadas afetam mais o seu desempenho de mercado e a expectativa de crescimento futuro, demonstrando assim uma relação positiva, tal como é presumido pela proposta do CGMA e a teoria institucional, uma vez que, as práticas gerenciais são rotinas incorporadas à identidade organizacional das empresas, refletindo em melhores resultados a longo prazo.
  • LAURO VINÍCIO DE ALMEIDA LIMA
  • INCENTIVOS FISCAIS E SUA INFLUÊNCIA NO VALOR ADICIONADO PRODUZIDO PELAS EMPRESAS
  • Data: 26/09/2017
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • No meio de uma ampla discussao envolvendo a eficiencia da utilizacao dos incentivos fiscais como instrumento de intervencao economica pelo Estado, a presente pesquisa traz novas perspectivas ao tema, verificando, nas empresas de capital aberto listadas no Brasil Bolsa Balcao (B3), durante os anos de 2010 a 2016, qual influencia dos incentivos fiscais na geracao de riqueza produzida pelas empresas. Neste ponto, levando em consideracao a importancia do valor adicionado produzido pelas empresas para a analise da eficacia dos incentivos fiscais, diante dos estudos nacionais e internacionais relacionados a tematica, a pesquisa pautou-se nas teorias da elasticidade da receita tributaria, da agencia e da imprevisao para verificacao do reflexo dos incentivos fiscais, por intermedio da carga tributaria, no valor adicionado produzido pelas empresas. Para solucao do problema de pesquisa, foi utilizado um modelo regressivo no qual a variavel dependente e o percentual do valor adicionado produzido sobre as receitas e as variaveis independentes sao: o percentual dos tributos pagos pela empresa sobre suas receitas, como proxy da carga tributaria; e os incentivos fiscais, uma variavel dummy onde 1 possui e 0 nao possui incentivos. As variaveis de controle utilizadas no modelo foram: a recessao economica que atingiu o Brasil entre os anos de 2014 a 2016, o tamanho e alavancagem das empresas. As evidencias empiricas encontradas corroboram a hipotese formulada de que os incentivos fiscais, mediante oscilacoes na carga tributaria, influenciam negativamente no valor adicionado produzido pelas empresas. Neste ponto, a pesquisa contribui a academia ao discutir teoricamente e trazer evidencias empiricas de que a reducao da carga tributaria, por intermedio de incentivos fiscais nos moldes ofertados no Brasil, pode comprometer o processo de geracao de riqueza pelas empresas brasileiras de capital aberto, aprofundando-se em uma analise relevante para a sociedade, de modo geral, pois e necessario maximizar e proteger o processo de adicao de riqueza pelas empresas, porque os recursos partilhados na economia de um pais dependem deste processo. Os achados reacendem a discussao acerca da utilidade dos incentivos fiscais para a economia e a sociedade, alem de apontar para a importancia de um acompanhamento efetivo da fruicao dos beneficios fiscais obtidos pelas empresas e a sua consequencia para geracao da riqueza.
  • DAVID NUNES DE MEDEIROS
  • ANÁLISE DA RELAÇÃO DOS CUSTOS DE AGÊNCIA COM O CONSERVADORISMO CONTÁBIL E COM AS PRÁTICAS DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DAS EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO LISTADAS NA BM&FBOVESPA
  • Data: 29/03/2017
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo analisar a relacao existente entre o custo de agencia com o conservadorismo contabil e com as praticas de governanca corporativa das empresas de capital aberto listadas na BM&FBOVESPA. Para atingir o objetivo foram utilizados dados das demonstracoes financeiras padronizadas anuais e formularios de referencia. A amostra da pesquisa compreende 239 empresas nao-financeiras listadas na BM&FBOVESPA no periodo de 2010 a 2015 que integraram o ultimo IBrX 100 divulgado em cada ano. Foi empregado o modelo de Khan e Watts (2009) para o calculo do C-Score, metrica que indica quao conservadora foi determinada empresa em determinado ano. As Praticas de Governanca Corporativa utilizadas foram a Dualidade de funcoes do CEO e Chairman, Independencia do Conselho de Administracao, Tamanho do Conselho de Administracao, Remuneracao do Conselho de Administracao e a participacao no Novo Mercado. O custo de agencia foi calculado com base em Ang, Cole e Lin (2000), Singh e Davidson (2003) e McKnight e Weir (2009), por meio das variaveis denominadas nesta pesquisa como Giro do Ativo e Ineficiencia nos Gastos. Foram testadas seis hipoteses com base na literatura existente sobre os assuntos abordados. Os dados foram estimados por regressao quantilica, e as hipoteses foram testadas em 5 quantis da distribuicao, visando coletar maiores detalhes sobre a influencia de cada variavel estudada na amostra. Os resultados da pesquisa mostraram que quando os custos de agencia foram analisados por meio do Giro do Ativo, o Conservadorismo Contabil foi determinante para a reducao destes custos, mostrando-se uma ferramenta importante para a gestao da empresa, corroborando com Chi, Liu e Wang (2009). Em contrapartida, a adesao as Praticas de Governanca Corporativa nao foi significativamente importante para reduzir os custos de agencia da utilizacao ineficiente das receitas para a geracao de ativos. Quando o custo de agencia foi medido pela relacao entre as Despesas Administrativas e as Receitas Totais, apenas o fato de estar no Novo Mercado foi determinante para a reducao desses custos.
  • LUISA TOMI YANAGUIBASHI LEAL
  • ANÁLISE DOS MODELOS OPERACIONAIS PARA DETECÇÃO DE GERENCIAMENTO DE RESULTADOS CONTÁBEIS ATRAVÉS DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS
  • Data: 29/03/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa foi verificar a validade teorica e empirica dos modelos operacionais utilizados para deteccao de gerenciamento de resultados contabeis atraves das atividades operacionais, via custo de producao, com a finalidade de apresentar ajustes aos referidos modelos de modo a contribuir com a reducao de problemas relacionadas as evidencias empiricas. Atualmente, o modelo mais comumente analisado, Roychowdhury (2006), para este fim considera as variacoes de custos apenas em funcao das variacoes das vendas, estabelecendo uma relacao linear. Todavia, a ocorrencia e a magnitude do gerenciamento de resultados se pauta em variaveis alem do nivel de atividades, como fatores relacionados a ambiente economico, crescimento natural da empresa ou da economia, mudancas nas politicas monetaria, fiscal e cambial, bem como especificidades do setor. Nesse sentido, estimou-se o modelo geral de Roychowdhury (2006) e mais quatro formatacoes, adicionando variaveis de controle para assimetria de custos, ganho de escala, endividamento e flexibilidade contabil. Quanto a populacao e amostra, as estimacoes foram realizadas com a amostra completa de 171 empresas sem a separacao por setor, e posteriormente, realizou-se a estimacao para os 13 setores conforme classificacao do Economatica® e as limitacoes impostas pela teoria, que pressupoe que o modelo de custos de producao apenas poderia ser utilizado para empresas manufatureiras. Desse modo, concluiu-se que o modelo possui flexibilidade para ser adaptado para cada setor, tendo as variaveis escolhidas mediante suas especificidades. Corroborou-se com a teoria no sentido de que a assimetria e reduzida em momentos de decrescimo das taxas de crescimento da economia, tanto pelas evidencias de insignificancia estatistica da variavel dummy nos modelos, quanto pelas evidencias de melhores metricas de ajustamento nos modelos em que foram incluidos controles de fatores externos as empresas, intrinsecos a seus setores ou a economia como um todo.
  • THIAGO JOSE SILVA PENA
  • DETERMINANTES DA SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL: UMA ANÁLISE DAS EMPRESAS LISTADAS NO DOW JONES SUSTAINABILITY WORLD INDEX E NO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DA BM&FBOVESPA
  • Data: 27/03/2017
  • Hora: 19:00
  • Mostrar Resumo
  • A sustentabilidade e um anseio que a sociedade vem buscando para garantir qualidade e perpetuidade de seus recursos, assim sendo, as companhias por meio de sua gestao, devem buscar formas de se adequar a essa postura. Uma postura mais voltada ao desenvolvimento sustentavel e rentavel pois fomenta a geracao de receitas atraves da oferta de produtos melhores e permite a criacao de novos modelos de negocios. O presente trabalho buscou analisar quais os determinantes da sustentabilidade empresarial utilizando como proxy para sustentabilidade a listagem no Dow Jones Sustainability World Index e no Indice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBOVESPA. Foram utilizadas duas amostras distintas, uma para o DJSI e outra para o ISE, tal segregacao foi necessaria em virtude de criterios diferentes para a presenca em cada indice. Atraves de modelos de regressao logistica, onde a variavel dependente foi a participacao nos indices de sustentabilidade, testou-se as hipoteses de que o tamanho da empresa, o nivel de endividamento, a capacidade financeira; a rentabilidade e as oportunidades de crescimento sao determinantes para o nivel de desempenho sustentavel. Nos modelos onde utilizou-se a presenca no DJSI como proxy para desempenho sustentavel, observou-se que o tamanho da empresa apresentou-se positivamente relacionado com o desempenho sustentavel. Quando analisada a rentabilidade, apenas a proxy ROE (Returno n Equity) mostrou-se relevante para determinar a performance sustentavel, indicando que empresas mais lucrativas sao mais sustentaveis. Para a amostra que utilizou a presenca no ISE como proxy para sustentabilidade os resultados apontaram que o tamanho e a rentabilidade foram determinantes do desempenho sustentavel, apresentando uma relacao positiva, confirmando os resultados obtidos na amostra do DJSI. As oportunidades de crescimento mostraram-se positivamente relacionadas com o desempenho sustentavel apenas quando foram representadas pelo crescimento das receitas.
  • MÉRCIA DE LIMA PEREIRA
  • AS CONTRIBUIÇÕES DA ACCOUNTABILITY AOS BENEFICIÁRIOS PARA A EFICÁCIA ORGANIZACIONAL: Um Estudo nas Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) da Paraíba
  • Data: 27/03/2017
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Os beneficiarios podem ser considerados os atores principais das organizacoes sem fins lucrativos, ou seja, a quem os servicos e/ou atividades de tais entidades se destinam. Dessa forma, levar em consideracao os anseios desses agentes pode fortalecer as entidades sociais, pois estes sabem, mais do que ninguem, de suas necessidades. A reduzida literatura nacional e internacional sobre este assunto expressa que a participacao dos beneficiarios no planejamento e na execucao das atividades das organizacoes sem fins lucrativos (tambem conhecida como accountability) e fundamental para o alcance da eficacia organizacional. Nesse sentido, esta pesquisa tem o objetivo de analisar as contribuicoes da accountability aos beneficiarios para a eficacia das Organizacoes da Sociedade Civil de Interesse Publico (OSCIP) do estado da Paraiba. A pesquisa se classifica como exploratoria, descritiva, levantamento, documental e pesquisa de campo, tendo sido desenvolvida em uma abordagem quanti-qualitativa. Para se obterem as informacoes nas organizacoes, inicialmente, realizou-se uma pesquisa documental, a partir de exploracoes nas paginas das organizacoes na internet: visitacao a sites, blogs e/ou redes sociais para verificar os objetivos das atividades, as informacoes sobre seus beneficiarios, bem como outras informacoes que pudessem indicar a utilizacao de accountability aos beneficiarios, de forma a correlaciona-las com as informacoes colhidas posteriormente por meio de um questionario semiestruturado, o qual foi aplicado a 18 gestores de OSCIP da Paraiba, diretamente nas entidades. De forma complementar, foram escolhidas duas entidades dentre as que responderam ao questionario, que possuiam caracteristicas semelhantes, para a realizacao de entrevistas semiestruturadas com o gestor, um colaborador e tres beneficiarios, em cada uma das duas entidades escolhidas, totalizando dez entrevistas. Os principais resultados indicaram correspondencia entre os mecanismos de accountability aos beneficiarios e o alcance da eficacia. Por meio da correlacao de Spearman, obteve-se correlacao positiva e significativa entre o nivel de eficacia das OSCIP e as variaveis divulgacao de informacoes, procedimentos de reclamacao e atitudes da equipe de colaboradores, indicando que quanto maior for a utilizacao dessas praticas nas entidades, maior sera tambem a eficacia alcancada. Por meio da analise qualitativa, observou-se que a entidade pesquisada onde predominaram praticas de accountability aos beneficiarios tambem foi a que tem melhores avaliacoes dos stakeholders (gestor, colaborador e beneficiarios) acerca da eficacia nas atividades que desenvolve. Assim, pode-se concluir que as praticas de accountability aos beneficiarios representam instrumentos que permitem a conquista de melhores desempenhos nas entidades estudadas, contribuindo positivamente para o alcance da eficacia organizacional.
  • GILVAN MEDEIROS DE SANTANA JUNIOR
  • CICLO DE VIDA ORGANIZACIONAL E MENSURAÇÃO DE DESEMPENHO: uma percepção no uso de medidas de desempenho em empresas industriais da Paraíba
  • Data: 27/03/2017
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa contribui com o avanco da literatura de Ciclo de Vida Organizacional (CVO) e a Mensuracao de Desempenho, pois, tendo em vista a ausencia de estudos nacionais envolvendo CVO e medidas de desempenho. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar a influencia dos estagios de vida no uso de medidas de desempenho. Para tanto, utilizou-se do modelo de Lester, Parnell e Carraher (2003) para identificar os estagios do ciclo de vida que se encontravam as empresas participantes da pesquisa. E adaptaram-se as medidas de desempenho apresentadas no estudo de Callado, Callado e Almeida (2007) para mensurar o nivel de intensidade de uso das medidas. A amostra da pesquisa foi comporta por 50 empresas industriais cadastradas na Federacao das Industrias do Estado da Paraiba – FIEP/PB. A partir da utilizacao da analise discriminante foi possivel classificar as empresas nos respectivos estagios de vida e, por meio, da analise de regressao multivariada analisou-se a influencia dos estagios de vida no uso de medidas de desempenho. Os resultados apresentaram que, embora tenham sido identificadas empresas nos diversos estagios de vida, o estagio associado ao nascimento foi o que apresentou o maior numero de empresas. Com relacao ao uso das medidas de desempenho, verificou-se um forte uso nas medidas relacionadas ao faturamento empresarial e com o nivel de qualidade do produto. Observou-se ainda a existencia de correlacao negativa entre a fase nascimento e o uso de medidas de desempenho (financeiras e nao financeiras). E uma correlacao positiva entre o estagio rejuvenescimento e o uso de ambas as medidas de desempenho, contudo, esta correlacao apresentou-se mais elevada com o uso de medidas financeiras em detrimento das medidas nao financeiras. Quanto a influencia, os resultados apresentaram que os estagios crescimento, maturidade e rejuvenescimento exercem influencias na intensidade de uso das medidas financeiras e que os estagios nascimento e rejuvenescimento influenciam nas medidas nao financeiras, todavia, a influencia do nascimento e negativa. Portanto, conclui-se que as empresas usam menos as medidas de desempenho (financeiras e nao financeiras), nos casos em que elas apresentem caracteristicas do estagio de ciclo vida nascimento, contradizendo parte da literatura que afirma que nos estagios iniciais do ciclo vida as empresas dao preferencias ao uso de medidas de desempenho nao financeiras.
  • RAUL VENTURA JÚNIOR
  • POSSIBILIDADE DE RELATÓRIOS FINANCEIROS FRAUDULENTOS E SUA RELAÇÃO COM A GOVERNANÇA CORPORATIVA DAS EMPRESAS NO BRASIL
  • Data: 21/03/2017
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A historia recente dos mercados financeiros revela grandes escandalos envolvendo os relatorios financeiros de companhias abertas de renome nos mercados internacionais, os quais resultaram em uma crise de confianca nos mercados de capitais em todo o mundo, trazendo como consequencia a diminuicao da credibilidade das informacoes extraidas desses relatorios e o aumento da preocupacao com as praticas de governanca corporativa dessas empresas. Nesse contexto, o presente estudo tem o objetivo de analisar a relacao da Possibilidade de Relatorios Financeiros Fraudulentos (PRFF) com a estrutura de governanca corporativa das empresas de capital aberto no Brasil entre os anos de 2010 e 2015. Assim, com base nas Teorias da Agencia e da Divulgacao, este trabalho foi realizado tendo como amostra um total de 208 empresas com acoes negociadas na BM&FBovespa, totalizando 1.890 observacoes-ano. Os dados economicofinanceiros foram coletados no banco de dados da Thomson Reuters® e os dados sobre governanca corporativa foram retirados da base de dados Comdinheiro®. Esta pesquisa adotou uma metrica que indica a Possibilidade de Relatorios Financeiros Fraudulentos (PRFF), identificada a partir da intersecao das medidas Z-score (que mede a previsibilidade de falencia) e M-score (que mede a possibilidade da empresa ser manipuladora de resultados). As empresas da amostra ficaram segmentadas com 28,09% classificada com previsibilidade de falencia, 23,23% como empresas manipuladoras e 11,01% como fraudadoras de relatorios financeiros. No tocante ao Z-score, as variaveis Independencia do Conselho de Administracao (ICAD), Remuneracao do Conselho de Administracao (RCAD), Participacao de Mulheres no Conselho de Administracao (PMCAD) e Tamanho do Comite de Auditoria (TCA) foram evidenciadas como elementos de reducao da previsibilidade de falencia. Ja a relacao da governanca corporativa e o M-score, as variaveis Tamanho do Comite de Auditoria (TCA) teve relacao negativa e significante com a possibilidade da empresa ser manipuladora. A PRFF possui relacao significante e negativa com o Tamanho do Comite de Auditoria (TCA) e Remuneracao da Auditoria Externa (RAE), que sao diretamente ligadas a elaboracao de relatorios financeiros, atendendo a expectativa contida na literatura. Conforme os resultados das regressoes utilizando o modelo Probit Bivariado, nao se confirma a hipotese de que a estrutura da Governanca Corporativa pode provocar uma reducao no PRFF. Entre as principais contribuicoes deste estudo a academia, destacam-se suas evidencias no mercado brasileiro, o maior mercado emergente da America Latina, vindo a colaborar com a reducao da lacuna existente na literatura desse tema. Quanto ao mercado, possibilita aos agentes do mercado brasileiro de capitais tomar suas decisoes de investimento com base na estrutura de governanca, servindo, tambem, aos orgaos reguladores acerca de reflexoes sobre o papel da Governanca Corporativa.
  • RISOLENE ALVES DE MACENA ARAUJO
  • REFLEXO DO NÍVEL DE AGRESSIVIDADE FISCAL SOBRE A RENTABILIDADE DE EMPRESAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA E NYSE
  • Data: 17/03/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo analisar o reflexo do nivel de agressividade fiscal sobre a rentabilidade de empresas listadas na BM&FBOVESPA e NYSE. A amostra final da pesquisa foi formada sob tres perspectivas: (i) quando considerada a BTD como parametro para determinacao da variavel independente, a amostra final foi de 1429 empresas (246 da BM&FBOVESPA e 1183 da NYSE); (ii) quando considerada a ETR, 1418 empresas (244 da BM&FBOVESPA e 1174 da NYSE); e (iii) quando considerada a CashETR, 1321 empresas (143 da BM&FBOVESPA e 1178 a NYSE). Para alcancar o objetivo desta pesquisa, gerou-se uma hipotese de pesquisa para cada bolsa. Em seguida, foi aplicado um modelo de efeitos fixos. Adicionalmente, realizou-se a estimacao por meio da regressao quantilica (RQ). Os resultados do modelo, composto pelas empresas nao financeiras listadas na BM&FBOVESPA, apontam que, em media, o NAGGETR e NAGGCashETR influencia negativamente a ROA das empresas, sendo adversos ao esperados. Ja com a NAGGBTD, a relacao foi positiva (esperada), indicando que empresas que apresentam o lucro contabil maior que o tributario, conduz a maiores rentabilidades. No tocante a RQ, os resultados seguiram as evidencias dos testes de media, com excecao a NAGGCashETR, que, alem do sinal do coeficiente ter mudado, deixou de apresentar significancia; e a NAGGBTD, no quantil 50, que nao apresentou significancia. Os resultados referentes ao modelo, que contem as empresas da NYSE, tambem apontam que, em media, o NAGGETR e NAGGCashETR influenciam negativamente as rentabilidades das empresas. Por outro lado, a relacao do NAGGBTD com a ROA foi positiva (adverso ao esperado), ou seja, as empresas que apresentaram o lucro contabil maior que o tributario apresentaram as maiores rentabilidades. Quanto a RQ, os resultados seguiram as evidencias dos testes de media, com excecao do quantil 75 da NAGGETR, que deixou de apresentar significancia. Destaca-se, tambem, que assim como na BM&FBOVESPA, as relacoes mais intensas, entre o nivel de agressividade fiscal e a rentabilidade, ocorreram no quantil 25. Entende-se, com isso, que as empresas de menores rentabilidades sao as que mais sao influenciadas pelos niveis mais elevados de agressividade. Alem disso, o fato dos resultados obtidos, do contexto da BM&FBOVESPA, nao serem compativeis com estudos anteriores, com relacao a NAGGETR e NAGGCashETR, sao aceitaveis, tendo em vista que a metodologia utilizada segregou os niveis de agressividade fiscal, em funcao da media da ETR praticada no setor, e nao da media geral, conforme aplicado em outros estudos; bem como por ser esperado um comportamento mais conservador do mercado que possui grande concentracao de empresas familiares, como e o caso do Brasil. A contribuicao desta pesquisa, para a literatura, consiste na demonstracao dos reflexos que os niveis de agressividade fiscal exercem sobre a rentabilidade das empresas, no mercado de capitais, levando em consideracao o setor economico ao qual esta inserida; por realizar uma analise comparativa entre mercados de capitais e legislacoes tributarias em niveis de desenvolvimento distintos (Brasil x EUA); alem de preencher algumas lacunas nesta area, somando resultados a literatura existente.
  • RONALDO JOSE REGO DE ARAUJO
  • ESTRUTURA ORÇAMENTÁRIA E SUA PRODUTIVIDADE NA GESTÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL
  • Data: 16/03/2017
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve o objetivo de identificar e analisar de que forma a estrutura orcamentaria influencia na produtividade dos gastos publicos na saude da rede municipal. Para isto, admitiu-se uma estrutura orcamentaria baseada no modelo de Chalos (1997) dividida entre gastos operacionais, administrativos e investimentos. Adotou-se como metrica da produtividade o Indice de Produtividade de Malmquist, por meio da Analise Envoltoria de Dados (DEA). Para tanto, utilizou-se de variaveis que denotassem aspectos quantitativos e qualitativos da saude publica: vacinas, exames medicos, visitas medicas, acompanhamentos pre-natais, nascidos vivos e taxa de nutricao infantil. Feito isso, utilizou-se modelos econometricos para verificar as relacoes propostas nas hipoteses. A amostra utilizada resultou em 1.955 municipios da federacao brasileira e o periodo analisado abrangeu as ultimas duas gestoes municipais, 2009 a 2014. Baseado nas teorias do federalismo fiscal e da escolha publica, assim como pautado em estudos empiricos, foram estabelecidas cinco hipoteses que foram testadas pelos resultados desta pesquisa. Com isso, os resultados indicaram que 36% dos municipios analisados apresentaram alocacoes eficientes de recursos. Embora este seja um bom resultado, observou-se que outros 55% dos municipios analisados apresentaram retracoes nos resultados da saude publica e outros 8% nao apresentaram alteracoes na fronteira produtividade. No que diz respeito a estrutura orcamentaria, verificou-se que os municipios que apresentam melhores produtividades estruturam seu orcamento aportando menos recursos na rubrica investimentos ou devem melhorar a utilizacao dos recursos que sao alocados nesta rubrica, estes resultados apresentaram significancia de 5%, aceitando uma das hipoteses da pesquisa. Alem disso, verificou-se que aportes discricionarios na saude nao conduzem a resultados satisfatorios, sendo, portanto, considerado gastos desordenados ou excedentes, aceitando, com isso, a hipotese de pesquisa ao nivel de 5%. Ja com relacao aos recursos proprios gerenciados, identificou-se os municipios que detem maior quantidade de recursos proprios, estes conseguem maiores resultados na gestao da saude publica, sendo tal hipotese confirmada ao nivel estatistico de 10%. Em sintese, das cinco hipoteses tracas, tres delas foram confirmadas estatisticamente e duas delas nao foram rejeitadas por nao se ter obtido resultados significantes. Os resultados desta pesquisa contribuem para o aprimoramento da gestao de saude publica no Brasil e sao aderentes as pesquisas nacionais e internacionais identificadas, assim como as teorias do federalismo fiscal e da escolha publica.
  • CARLA JANAINA FERREIRA NOBRE
  • A CONDIÇÃO FINANCEIRA GOVERNAMENTAL E SUA INFLUÊNCIA NA TRANSPARÊNCIA DA GESTÃO PÚBLICA MUNICIPAL
  • Data: 16/03/2017
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo verificar a relacao entre a condicao financeira e o nivel de transparencia fiscal dos municipios paraibanos. A sustentacao teorica que embasou esta pesquisa esta pautada nas teorias do federalismo fiscal, do gerenciamento de impressoes e da legitimidade, alem do aporte dos estudos empiricos. Assim, permitindo levantar a hipotese de que quanto melhor for a condicao financeira, melhores serao os indices de transparencia nos municipios. Utilizou-se o modelo de Brown (1993) para medir a condicao financeira dos governos municipais e a proxy para a transparencia foram os indices de transparencia estabelecidos pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraiba. Alem da utilizacao da variavel de controle multa, a qual e aplicada pelo TCE/PB em detrimento de irregularidades provocadas pelas gestoes. De acordo com o modelo estatistico apresentado, em que a variavel dependente e a transparencia, e regredido por meio de Tobit em painel, constatou-se que a condicao financeira e a multa sao fatores determinantes da transparencia, assim, comprovando que a medida que a condicao financeira melhora, a transparencia na divulgacao de informacoes aumenta, sustentando a hipotese da pesquisa Alem disso, os efeitos marginais das variaveis apresentaram forte ligacao da multa e da condicao financeira com a transparencia. Dos modelos de regressao utilizados, ou seja, da variavel dependente transparencia, com sua pontuacao total, ou em seus 3 aspectos (usabilidade, serie historica e conteudo), tambem observou-se relacao significante com a condicao financeira e a multa, com excecao da usabilidade. Testes de robustez, para verificar se a presenca da multa afeta realmente os indices de transparencias, foram feitos e comprovaram essa questao. Os resultados da pesquisa contribuiram com o arcabouco teorico e estudos empiricos sobre a condicao financeira e a transparencia, servindo como apoio para a gestao publica na administracao dos recursos publicos e evidenciacao de informacoes transparentes.
  • RAISSA AGLÉ MOURA DE SOUSA
  • PERSISTÊNCIA DE DIVIDENDOS E GERENCIAMENTO DE RESULTADOS EM MERCADOS DE CAPITAIS DA AMÉRICA LATINA
  • Data: 15/03/2017
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho buscou investigar a relacao entre a persistencia de dividendos e a pratica de gerenciamento de resultados contabeis nas empresas abertas dos mercados de capitais da America Latina. Tendo por base a Teoria da Relevancia dos Dividendos e a Teoria “Bird in the Hand” (LINTNER, 1962; GORDON, 1963), elaborou-se um referencial teorico em que se discutiu a persistencia de dividendos, bem como os estudos anteriores sobre o gerenciamento de resultados. Para atender o objetivo geral e os especificos foram estimados quatro modelos de regressao quantilica em quartis, uma vez que problemas de heterocedasticidade foram identificados na amostra e este tipo de regressao possui robustez a esses problemas. Dentre os modelos, destaca-se o de Lintner (1956), que foi utilizado interagindo com o gerenciamento de resultados (accruals discricionarios), sendo este estimado por meio do modelo de Dechow et al. (2012). A amostra da pesquisa e composta por 1.532 observacoes empresas/ano, equivalentes ao total de 364 empresas, para o periodo de 2001 a 2015. Como principais resultados desta pesquisa, verificou-se que o Dividend Payout das companhias nao sofre influencia do nivel com que as empresas gerenciam seus resultados, mas e influenciado pelas variaveis de rentabilidade do patrimonio liquido, pela oportunidade de crescimento (market-to-book), pelo endividamento e pelo tamanho das empresas, a depender do quartil analisado. No tocante a analise de persistencia de dividendos, constatou-se que os payouts das companhias sao persistentes em todos os quartis analisados. Verificou-se tambem, conforme uma das hipoteses de pesquisa, que na presenca de maior nivel de gerenciamento de resultados os payouts sao mais persistentes. Porem, esse resultado foi evidenciado nas empresas que mais distribuem dividendos (quartis 0.50 e 0.75), uma vez que nas empresas que distribuem menor volume de dividendos (quartil 0.25) essa hipotese foi refutada. Assim, conclui-se que existem indicios de persistencia de dividendos nas companhias latino-americanas de capital aberto que mais gerenciam resultados.
  • ÁDRIA TAYLLO ALVES OLIVEIRA
  • DESEMPENHO DAS PRÁTICAS DE LOGÍSTICA REVERSA: Direcionadores estratégicos no segmento de óleo lubrificante acabado no Brasil
  • Data: 14/03/2017
  • Hora: 10:30
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, a Politica Nacional de Residuos Solidos por meio da Lei nº 12.305/2010, estabelece praticas de Logistica Reversa - LR para setor de oleo lubrificante. A logistica reversa e um instrumento de desenvolvimento economico e social, que se destina a viabilizar a coleta e a restituicao dos residuos solidos ao setor empresarial, para o reaproveitamento, no clico produtivo. Assim, o objetivo desta pesquisa e analisar como as praticas de Logistica Reversa relaciona-se com os direcionadores estrategicos das industrias do segmento de oleo lubrificante acabado no Brasil. O estudo e de natureza quantitativa–qualitativa, tendo como universo de pesquisa as industrias do segmento de oleo lubrificante acabado no Brasil. A pesquisa foi elaborada em duas fases: a primeira fase deu-se por meio da analise de conteudo nos relatorios de sustentabilidade e websites corporativos, com uma amostra de 51 empresas, verificando as praticas de LR como a coleta, reciclagem, rerrefino e disposicao final ambientalmente correta do oleo lubrificante usado e contaminado-Oluc, bem como comparando o market share das empresas que evidenciam LR, daquelas que nao evidenciam. Na segunda parte da pesquisa, foi aplicado um questionario, em uma amostra de 10 industrias, que relacionou as praticas de LR aos direcionadores estrategicos como imagem institucional, economico, cidadania corporativa, servico a clientes e legislacao. Os resultados encontrados na analise de conteudo demonstram que das 51 industrias analisadas, apenas 17 empresas divulgam praticas de LR, enquanto 34 empresas nao divulgam mecanismo de LR, comparando-se, posteriormente o market share dessas empresas por meio do teste Wilcoxon-Mann-Whitney, verificando-se que nao existe diferenca estatistica entre as medias das empresas que divulgam e nao divulgam praticas de LR. No que se refere aos achados dos questionarios atraves da correlacao de spearman, apenas o direcionador economico obteve relacao significativa com as praticas de LR.
  • ALAN SANTOS DE OLIVEIRA
  • CONTINGÊNCIA ORGANIZACIONAL E MENSURAÇÃO DE DESEMPENHO: UM ESTUDO EM ONGs BRASILEIRAS
  • Data: 07/03/2017
  • Hora: 10:30
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral do estudo foi investigar as relacoes de fatores contingenciais com as praticas referentes a mensuracao de desempenho no ambito de Organizacoes Nao Governamentais (ONGs) brasileiras. Para tanto, foi utilizado uma survey por correspondencia, fundamentando-se nas pesquisas de Ferreira e Otley (2009) e Wadongo (2014), com 43 organizacoes listadas na Associacao Brasileira de Organizacoes Nao Governamentais (ABONG). Para operacionalizacao do questionario da pesquisa, foram utilizadas variaveis subdividas em tres blocos fundamentais: o primeiro destinado a demografia; o segundo especificando os fatores contingenciais em ONGs e o terceiro destacou as variaveis de desempenho. Os dados foram tratados por meio da estatistica descritiva e do coeficiente de correlacao de Spearman. Os principais resultados do estudo, revelaram a influencia particular que o perfil dos gestores e presidentes das ONGs pode exercer na utilizacao de praticas de mensuracao de desempenho. Os determinantes organizacionais, representados pelos fatores contingenciais internos, foram os principais atributos que se associaram diretamente com as praticas referentes a mensuracao de desempenho em ONGs brasileiras. O ambiente externo das ONGs, exerceu pouca influencia na adocao e uso de praticas gerenciais. Alem disso, identificou-se fortes correlacoes positivas entre praticas de planejamento e medicao de desempenho com a utilizacao de sistemas de controles gerenciais. Esta pesquisa pode contribuir para a literatura especifica de contabilidade gerencial e para o mercado empresarial do terceiro setor, ao identificar caracteristicas pouco exploradas, como o perfil dos gestores e presidentes das ONGs, os fatores contingenciais e as praticas utilizadas gerenciais do setor e, sobretudo, a influencia de fatores situacionais na utilizacao de praticas referentes a mensuracao de desempenho em ONGs.
2016
Descrição
  • LIVIA MARIA DA SILVA SANTOS
  • FATORES EXPLICATIVOS DA EVIDENCIAÇÃO DE INFORMAÇÕES AMBIENTAIS DAS EMPRESAS POTENCIALMENTE POLUIDORAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA
  • Data: 12/12/2016
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo identificar os fatores explicativos da evidenciacao de informacoes ambientais das empresas potencialmente poluidoras listadas na BM&FBOVESPA. Para tanto, foram utilizadas as Demonstracoes Financeiras Padronizadas (DFPs), Formularios de Referencia, Relatorios Anuais e de Sustentabilidade dessas empresas, no periodo de 2005 a 2015. A amostra da pesquisa e formada por todas as companhias de capital aberto com acoes negociadas na BM&FBOVESPA, e pertencentes aos setores de alto, medio e baixo potencial poluidor, segundo a Lei nº 10.165/2000, que dispoe sobre a Politica Nacional do Meio Ambiente. Com base nas teorias da Legitimidade e dos Stakeholders, e nos estudos anteriores, foram formuladas doze hipoteses sobre os possiveis fatores explicativos da evidenciacao ambiental, sendo que a variavel setores reguamentados foi excluida do modelo devido problemas de multicolinearidade, e a variavel empresas regulamentadas foi omitida por se manter fixa durante todo o periodo estudado. A partir da utilizacao da analise de conteudo, para examinar a evidenciacao de informacoes ambientais, e aplicacao do modelo de regressao com dados em painel desbalanceado, de efeitos fixos com robustez, foi possivel rejeitar ou nao rejeitar as hipoteses de pesquisa. Os resultados mostram, a um nivel de significancia de 1% e 5%, que o tamanho da empresa, a rentabilidade, a internacionalizacao e o relatorio de sustentabilidade sao fatores explicativos da evidenciacao de informacoes ambientais. Apesar do endividamento ter apresentado uma relacao inversa com a variavel dependente, verificou-se que tal variavel tambem explica a evidenciacao ambiental. Por outro lado, a auditoria, o tamanho do conselho de administracao, a independencia do conselho de administracao, a dispersao acionaria e a sustentabilidade nao sao fatores relevantes para explicar a evidenciacao ambiental. Dessa forma, das doze hipoteses, quatro nao foram rejeitadas e seis foram rejeitadas. Tais resultados sao condizentes com os de algumas pesquisas realizadas em ambito nacional e internacional, e estao de acordo com as teorias da Legitimidade e dos Stakeholders. Este estudo visa contribuir com o conhecimento da ciencia contabil, no que se refere a evidenciacao ambiental, preenchendo algumas lacunas nesta area e somando resultados a literatura existente.
  • FILIPE COELHO DE LIMA DUARTE
  • ANÁLISE DA SIMULTANEIDADE DAS PROXIES DE QUALIDADE DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS
  • Data: 07/12/2016
  • Hora: 16:00
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi analisar como se da a relacao entre a simultaneidade das proxies da qualidade da informacao contabil. Buscou-se alcancar este objetivo atraves da formulacao de um modelo empirico por equacoes estruturais baseado nas evidencias apresentadas revisao da literatura acerca da qualidade da informacao contabil. A amostra empregada neste estudo contou com as firmas que negociaram acoes no mercado norte americano de capitais no periodo de 1985 a 2015. Utilizaram-se como proxies da qualidade da informacao contabil variaveis consolidadas conforme Dechow, Ge e Schrand (2010), as quais foram o gerenciamento de resultados pelo modelo de Paulo (2007), qualidade dos accruals (DECHOW; DICHEV, 2002) e value relevance pelo modelo de precos (COLLINS; MAYDEW; WEISS, 1997), enquanto que para a caracteristica das firmas utilizou-se o endividamento total e o tamanho das firmas. Os resultados iniciais realizados por regressao linear multipla apontaram, de modo geral, que para as proxies qualidade dos accruals e value relevance as relacoes das caracteristicas das firmas apresentaram-se de acordo com as evidencias da literatura (DECHOW; GE; SCHRAND, 2010), ao passo que para o gerenciamento de resultados, a relacao do tamanho da firma se mostrou positiva, contrariando a literatura. No que diz respeito a mensuracao da qualidade da informacao como variavel latente, isto e, incorporando todas as dimensoes analisadas, as relacoes corroboraram as evidencias apontadas na literatura, ou seja, o gerenciamento de resultados reduziu a qualidade da informacao contabil e a qualidade dos accruals e o value relevance a aumentaram, ao passo que o tamanho se relacionou positivamente com a qualidade da informacao contabil, enquanto que o endividamento impactou negativamente a qualidade da informacao contabil. No que diz respeito as estatisticas de qualidade do ajustamento, elas nao alcancaram os requisitos estatisticos satisfatorios, de acordo com Maroco (2010), para validacao do modelo testado. Sendo assim, mensurar a qualidade da informacao contabil de forma simultanea por equacoes estruturais, produz os efeitos capazes de explicar a qualidade da informacao contabil como variavel latente quando relacionados com as caracteristicas das firmas.