PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: RAFAEL XAVIER MARTINS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAFAEL XAVIER MARTINS
DATA: 26/02/2021
HORA: 09:00
LOCAL: ambiente virtual
TÍTULO: HERBICIDA ÁCIDO 2,4-DICLOROFENOXIACÉTICO (2,4-D): INVESTIGAÇÃO DOS EFEITOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO, ESTRESSE OXIDATIVO E PARÂMETROS HEPÁTICOS NOS ESTÁGIOS INICIAIS DA VIDA DO ZEBRAFISH (Danio rerio)
PALAVRAS-CHAVES: Agrotóxico; embriotoxicidade; biomarcadores; hepatotoxicidade; peixes
PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Botânica
RESUMO: Os agrotóxicos são compostos intensivamente utilizados no setor agrícola com o objetivo de prevenir ou eliminar pragas e doenças que prejudiquem o desenvolvimento das lavouras. Os agrotóxicos com finalidade herbicida são os mais utilizados, representando cerca de 47,5% dos agrotóxicos aplicados nas lavouras em todo o mundo. Dentre os componentes dessa classe está o ácido 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D), um químico pertencente à classe dos ácidos fenoxiacéticos, que foi um dos primeiros herbicidas sintéticos a ser introduzido no mercado e atualmente é ingrediente principal de mais de 1.500 produtos comercialmente disponíveis. Embora o 2,4-D seja intensivamente utilizado em nível mundial, diversos estudos relatam que a exposição a este químico é capaz de induzir efeitos tóxicos em diferentes organismos não alvo. Por desempenhar uma gama de funções vitais e participar diretamente no metabolismo de xenobióticos, o fígado é apontado como um dos alvos de diversos toxicantes. Portanto, o presente trabalho visou compreender o potencial hepatotóxico do 2,4-D em larvas de zebrafish (Danio rerio), numa perspectiva de contribuir para o conhecimento acerca dos mecanismos de toxicidade desse químico em um sistema modelo de vertebrados. Para isto, foram analisados a toxicidade aguda de acordo com o FET test: Fish Embryo Acute Toxicity test) do protocolo nº 236 da OECD (2013) e os efeitos de concentrações subletais (< CL50) sobre a atividade das enzimas relacionadas à estresse oxidativo e metabólico (LDH, GST, CAT e GPx) e dano hepático (AST, ALT e ALP) após 48 h de exposição. Também foram realizadas análises morfológicas do fígado das larvas tratadas. Como resultado, o 2,4-D reduziu a taxa de sobrevivência das larvas (CL50 15,010 mg/L em 96 h de exposição), induziu a aparição de malformações, alterou a atividade de LDH, GST e CAT e aumentou expressivamente a atividade de biomarcadores de dano hepático (AST, ALT e ALP). Apesar de nenhuma alteração fenotípica (cor e tamanho relativo) no fígado das larvas ter sido observada após 48 h de exposição, a análise histopatológica revelou que o tratamento com 2,4-D provoca alterações graves no tecido hepático, tais como vacuolização do citosol, núcleo celular excêntrico, perda da arquitetura tecidual e das delimitações celulares. Dessa forma, nossos resultados mostram que o 2,4-D altera o perfil enzimático de resposta a estresse oxidativo e apresenta efeito hepatotóxico em larvas de zebrafish.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2277768 - DAVI FELIPE FARIAS
Interno - 2475890 - GLAUCIA VERISSIMO FAHEINA MARTINS
Externo ao Programa - 1451626 - LUIS FERNANDO MARQUES DOS SANTOS