PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: TARCISIO TARCIO CORRÊA BONIFACIO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TARCISIO TARCIO CORRÊA BONIFACIO
DATA: 12/08/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Biologia Molecular
TÍTULO: “Considerações sobre eventos celulares em Cândida spp. Expostas à piocianina”
PALAVRAS-CHAVES: Palavras-Chave: Coexistência, Interação bactéria-fungo, Pseudomonas aeruginosa, Fenazinas naturais, Biofilmes fúngicos.
PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
RESUMO: Resumo: As interacoes ecologicas permitem as transferencias de informacoes moleculares e geneticas entre microrganismos e sao cruciais para o estabelecimento e desenvolvimentos em uma variedade de ambientes. A literatura reporta que Pseudomonas aeruginosa, uma bacteria bacilar cosmopolita, capaz de interagir com o ambiente e outros microrganismos, incluindo leveduras, por meio de seus metabolitos, destacando a piocianina, pigmento atrelado a virulencia da especie. O objetivo deste trabalho foi verificar alteracoes celulares promovidas pela exposicao de piocianina em quatro leveduras: Candida albicans ATCC 76485, C. parapsilosis ATCC 22019, C. tropicalis ATCC 13803 e C. krusei ATCC 6258. Para isso, ensaios in vitro analisaram a acao da piocianina pela determinacao das concentracoes, inibitoria minima (CIM) e fungicida minima (CFM) do pigmento; percentual de viabilidade celular; danos a parede e membrana; e sobre a adesao a superficie e perturbacao do biofilme maduro. A CIM da piocianina foi 600 µg/mL para todas linhagens testadas. Por outro lado, as CFM foram 1.200 µg/mL para C. albicans ATCC 76485, C. parapsilosis ATCC 22019 e >1.200 µg/mL para C. tropicalis ATCC 13803 e C. krusei ATCC 6258. A piocianina promoveu dano a parede celular e nao interferiu na membrana. A viabilidade celular apos 48h de exposicao ao pigmento foi de 7,69% (C. albicans ATCC 76485), 13,62% (C. tropicalis ATCC 13803), 10,83% (C. parapsilosis ATCC 22019) e 2,19% (C. krusei ATCC 6258). Em complemento, a piocianina interferiu na adesao de C. tropicalis ATCC 13803, enquanto nas demais linhagens, a adesao das celulas e o desenvolvimento do biofilme, nao foram afetados. Os resultados sugerem que a interacao entre Candida spp. e P. aeruginosa produtoras de piocianina pode ser antagonica, contudo, as leveduras podem exibir mecanismos para garantir sua permanencia quando o pigmento esta presente.
MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 333921 - EDELTRUDES DE OLIVEIRA LIMA
Interno - 2177524 - ELISANGELA AFONSO DE MOURA KRETZSCHMAR
Presidente - 2009494 - ULRICH VASCONCELOS DA ROCHA GOMES