PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: ALISSON EMANNUEL FRANCO ALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALISSON EMANNUEL FRANCO ALVES
DATA: 20/02/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Biologia Molecular
TÍTULO: " SISTEMA PARA DETECÇÃO DE VENENO OFÍDICO A PARTIR DE UM SENSOR DE RESSONÂNCIA DE PLASMA DE SUPERFÍCIE ",
PALAVRAS-CHAVES: Palavras-Chave: Ofidismo. Doenças Negligenciadas. Biosenssor
PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Bioquímica
RESUMO: Resumo: Acidentes ofídicos constituem doença tropical negligenciada que acomente uma quantidade significativa de pessoas a cada ano, em diversas regiões do planeta. A produção de soro antiofídico, sua administração, eficácia e o rápido diagnóstico são etapas fundamentais para a boa evolução dos pacientes diagnosticados com envenenamento por serpentes. No Brasil, os acidentes ofídicos vitimam cerca de 20.000 pessoas anualmente, sendo os acidentes botrópicos os mais comuns em todo o território nacional, seguidos dos acidentes crotálicos. No nordeste do país, o perfil dos acidentes segue a tendência nacional. Diversas espécies do gênero Bothrops podem ser encontradas no Nordeste, sendo a espécie B. erythromelas a mais importante do ponto de vista médico-epidemiológico. Este trabalho tem como objetivo o desenvolvimento de um biossensor para detecção de envenenamento ofídico, utilizando-se as peçonhas das espécies Bothrops erythromelas e Crotalus durissus terrificus, a partir de um sensor óptico de ressonância de plasma de superfície – SPR. Este sensor é capaz de analisar mudanças no índice de refração, geradas com a formação de camadas pelo conteúdo adsorvido (glicoproteínas, proteínas, ácidos nucleicos) no chipe de ouro, injetado através de um sistema microfluídico. Estas mudanças são aferidas a partir da emissão de uma luz polarizada monocromática detectável por um transdutor e um sistema processador do sinal amplificado. Os resultados mostraram que o sensor é capaz de diferenciar os venenos das duas espécies de serpentes utilizadas neste estudo. Diferentes concentrações das peçonhas foram utilizadas. Os resultados obtidos mostram-se significativos, uma vez que o sistema foi capaz de diferenciar as peçonhas utilizadas. Este dado é de suma importância no que diz respeito a identificação do tipo de peçonha envolvida no envenenamento, uma vez que grande é a necessidade da diferenciação no momento em que o indivíduo envenenado é admitido ao hospital para ser tratado.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1183873 - AUGUSTO CEZAR VASCONCELOS DE FREITAS JUNIOR
Externo à Instituição - FERNANDA CECILIA CORREIA LIMA LOUREIRO
Presidente - 832.834.394-00 - KARLA PATRÍCIA DE OLIVEIRA LUNA - UEPB