PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: MARIANY KARLA DOS SANTOS SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANY KARLA DOS SANTOS SILVA
DATA: 27/02/2020
HORA: 10:00
LOCAL: AUDITORIO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MOLECULAR
TÍTULO: Obtenção, Caracterização e Aplicação de Proteases aspártica do peixe Carangoides bartholomaei (CUVIER, 1833)
PALAVRAS-CHAVES: Aproveitamento de resíduos; Carangidae; Colágeno de escama; enzimas digestórias; pepsina de peixe; proteases industriais
PÁGINAS: 51
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Bioquímica
RESUMO: Resumo: Nas vísceras dos organismos aquáticos podem ser encontradas muitas proteínas, dentre elas enzimas digestórias com potencial industrial. Entretanto, estas vísceras, assim como outros resíduos, são descartadas pela indústria pesqueira. O descarte in natura desses resíduos causa grande impacto ambiental. Nos últimos anos, muitos pesquisadores têm buscado estratégias para aproveitar estes resíduos, sendo uma das linhas de investigação a extração de moléculas bioativas de interesse industrial. Diante deste cenário, este trabalho objetivou extrair, caracterizar e aplicar proteases ácidas do estômago do peixe guarajuba (Carangoides bartholomaei) na extração de colágeno de escamas do peixe tilápia (Oreochromis niloticus). Para isto foi obtido o extrato bruto do estômago de C. bartholomaei e a partir deste foi realizado um processo de pré-purificação, através de precipitação salina, em que foi obtida uma fração (FE) com elevada atividade proteolítica. Com FE foram realizados ensaios de atividade enzimática, efeito do pH, temperatura, agentes químicos, íons metálicos, zimograma, eletroforese e extração de colágeno. Através da etapa de obtenção de FE foi possível obter aproximadamente uma purificação de 1,9 vezes e um rendimento de 41%. A FE apresentou atividade proteolítica máxima a 45°C e pH 2,0. Também manteve sua atividade estável na faixa de pH de 1,5 a 7,0 e temperatura de 25°C a 50°C. FE manteve 35% de sua atividade na presença de 15% de NaCl e sua atividade foi inibida totalmente pela pepstatina A. As proteases presentes em FE foram pouco sensíveis a presença de metais pesados como Cd2+, Hg2+, Pb2+, Al3+, Cu2+. Duas isoformas, sendo uma majoritária, de proteases ácidas foram observadas em FE através de zimograma. A utilização de FE como aditivo no processo de extração de colágeno de escamas de tilápia aumentou em duas vezes o rendimento do processo. Diante do exposto pode-se concluir que o estômago do peixe guarajuba é uma potencial fonte de baixo custo para obtenção de proteases aspárticas, possivelmente do tipo pepsina símile, com potencial industrial. Além disto, o simples processo de obtenção de FE pode ser um fator importante para viabilizar economicamente sua. Entretanto, mais estudos são necessários para preencher lacunas importantes para sua utilização comercial.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1183873 - AUGUSTO CEZAR VASCONCELOS DE FREITAS JUNIOR
Externo ao Programa - 1889778 - JOAO RICARDO GONCALVES DE OLIVEIRA
Interno - 2009494 - ULRICH VASCONCELOS DA ROCHA GOMES