PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: AGNALDO LUIZ DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AGNALDO LUIZ DO NASCIMENTO
DATA: 27/07/2020
HORA: 15:00
LOCAL: link: meet.google.com/zyi-bnym-unr
TÍTULO: Estudo de associação dos SNP’s rs63751445 do gene MSH2 e rs863224614 do gene MSH6 à suscetibilidade ao desenvolvimento do câncer de mama no estado da Paraíba.
PALAVRAS-CHAVES: Câncer de mama. MSH2. MSH6. SNP’s. DSASP
PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Genética
RESUMO: Resumo: O câncer de mama (CM) é um problema mundial de saúde pública, tanto devido à quantidade de casos já diagnosticados, quanto devido à incidência crescente. É o tipo de câncer mais prevalente e o de maior mortalidade na população feminina no mundo inteiro. No entanto, a cobertura de serviços capazes de diagnosticar precocemente a doença não atingiu níveis adequados em países em desenvolvimento, como o Brasil. Neste contexto, o estudo dos polimorfismos de nucleotídeo único (SNP’s) mostra-se relevante para o entendimento desta morbidade e para o desenvolvimento de estratégias de rastreamento. Destacam-se os polimorfismos que ocorrem nos genes relacionados ao mecanismo de reparo de mal pareamento (MMR), especialmente nos genes MSH2 e MSH6, que codificam as proteínas componentes do complexo MutSα. Este trabalho é produto da análise da associação dos SNP’s rs63751445 (A>G) do gene MSH2 e rs863224614 (T>G) do gene MSH6 à suscetibilidade ao CM no Estado da Paraíba – Brasil. Além disso, testou-se a associação potencial da ocorrência destes SNP’s com as variáveis idade de diagnóstico e localização anatômica do CM. A metodologia empregada foi o método Didesóxi Único Alelo Específico PCR (DSASP). A análise estatística foi feita pela comparação com a população controle (população em equilíbrio de Hardy-Weinberg) através dos testes Qui-quadrado de Pearson e exato de Fischer. Os resultados sugerem não existir associação entre os SNP’s em questão e as variáveis idade de diagnóstico e localização anatômica não foi encontrada. No entanto, ambos os polimorfismos estudados parecem estar associados à suscetibilidade ao CM na população do Estado da Paraíba – Brasil.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1525893 - ELEONIDAS MOURA LIMA
Externo à Instituição - EVALDO HIPÓLITO DE OLIVEIRA
Presidente - 395.523.574-20 - LEONARDO FERREIRA SOARES - UEPB