PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: FERNANDO RAMOS QUEIROGA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDO RAMOS QUEIROGA
DATA: 28/02/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Biologia Molecular/CCEN
TÍTULO: Aspectos imunológicos e histopatológicos da saúde das ostras Crassotrea gasar cultivadas no estuário do Rio Mamanguape, PB: Ênfase na Perkinsiose.
PALAVRAS-CHAVES: Crassostrea gasar; fagocitose; hemócitos; hemogramas; histopatologia; neoplasia disseminada; Perkinsus.
PÁGINAS: 91
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO:

O presente trabalho teve o objetivo de avaliar a saúde das ostras ­Crassostrea gasar cultivadas no estuário do Rio Mamanguape (PB), com ênfase na infecção pelo protozoário Perkinsus sp.. O estudo foi conduzido sob duas abordagens: avaliação de respostas imunológicas em relação à infecção por Perkinsus sp. e histopatológica para detecção de parasitas, comensais e alterações patológicas. Ostras adultas foram coletadas em dezembro de 2011, março, maio, agosto e outubro de 2012 (N = 182). A detecção de Perkinsus sp. e sua intensidade foi determinada nas brânquias. Os hemogramas, a capacidade fagocítica, a produção de espécies reativas de oxigênio (ROS) e a mortalidade hemocitárias na hemolinfa foram determinadas por citometria de fluxo e o título de aglutinação foi quantificado no plasma. Cortes histológicos foram preparados. Os resultados deste estudo evidenciaram a maior prevalência de Perkinsus sp. (93,3%) já registrada em ostras no Brasil, porém com intensidade moderada (1,9 ± 0,07; Media±EP). O aumento da infecção com este parasita afetou as respostas de defesa, diminuindo a capacidade fagocítica e a produção de ROS dos hemócitos além de ter aumentando a mortalidade celular, a proporção de células tipo-Blast e a quantidade de hemócitos circulantes. A análise histopatológica revelou a fagocitose como principal mecanismo de defesa desencadeado contra Perkinsus sp. nos tecidos (esôfago, estômago e intestino), mas sua proliferação foi observada nos casos de intensidade avançada. Outros organismos comensais e parasitas e uma neoplasia disseminada ocorreram com baixas prevalências e intensidades. Apesar das infecções parasitárias e da neoplasia disseminada, a saúde das ostras é considerada satisfatória nesta região.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - MARGHERITA ANNA ANTONIA MARIA BARRACCO - UFSC
Presidente - 1692802 - PATRICIA MIRELLA DA SILVA SCARDUA
Interno - 1340309 - SANDRA RODRIGUES MASCARENHAS