PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: EMANUELLE BATISTA FELISMINO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EMANUELLE BATISTA FELISMINO DA SILVA
DATA: 09/08/2013
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Biologia Molecular/CCEN
TÍTULO: Efeitos de Furocumarinas Associadas à Luz Ultravioleta B (312 nm) em Staphylococcus aureus
PALAVRAS-CHAVES: Furocumarinas; 8-metoxipsoraleína; 4,5’,8-trimetilpsoraleína; 3-carbetoxipsoraleína; UVB; S. aureus
PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Genética
RESUMO:

As furocumarinas (FCs) são uma importante classe de compostos fotoativos que potencialmente podem se ligar ao DNA formando complexos intermoleculares, e uma vez excitados por luz UVA (~365 nm) são capazes de formar fotoadições, que podem resultar em mutagênese e letalidade. Alem disso, quando adicionadas ao meio de plaqueamento pós-irradiação, diminuem a sobrevivência, devido inibição de reparo de DNA. As FCs associadas à UVB (312 nm), permanecem pouco conhecidas. O objetivo do presente estudo foi investigar o efeito da luz UVB, e combinada com soluções de 8-metoxipsoraleína (8-MOP), 4,5’,8-trimetilpsoraleína (TMP) e 3-carbetoxipsoraleína (3-CPs) em diferentes concentrações, sobre o crescimento de Staphylococcus aureus. Avaliamos também o efeito destas FCs em meio de plaqueamento. O tratamento com 8-MOP-UVB e TMP-UVB foram mais eficazes em induzir letalidade do que o tratamento apenas com UVB. O aumento da concentração de 8-MOP resultou numa mortalidade mais elevada enquanto que o aumento na concentração de TMP levou a uma redução na mortalidade. Por outro lado, 3-CPs exibiu um efeito fotoprotetor contra danos causados por UVB em todas as concentrações testadas. Os resultados com FCs no meio de plaqueamento mostraram que a 8-MOP induziu o maior efeito letal e também aumentou a mortalidade da cepa bacteriana tratada por FC-UVB, sugere-se a inibição do reparo para explicar esse fenômeno. Os diferentes efeitos apresentados pelas FCs podem estar relacionados com diferenças na especificidade por seqüência de ligação e fotorreação, a inibição da formação de dímeros de pirimidina por moléculas intercaladas e eficácia de sistemas de reparo. Esses resultados reforçam a necessidade de mais estudos para elucidar a participação das FCs como agentes fotossensibilizantes e fotoprotetores em sistemas biológicos, quando combinadas com UVB.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2243859 - IDELTONIO JOSE FEITOSA BARBOSA
Presidente - 330621 - JOSE PINTO DE SIQUEIRA JUNIOR
Interno - 1812740 - NAILA FRANCIS PAULO DE OLIVEIRA