PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: THAIS BEZERRA MANGEON HONORATO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAIS BEZERRA MANGEON HONORATO
DATA: 29/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Biologia Molecular/CCEN
TÍTULO: Efeito da salinidade em células do sistema imune do ouriço-do-mar Echinometra lucunter
PALAVRAS-CHAVES: salinidade, ouriço-do-mar, sistema imune, celomócitos
PÁGINAS: 88
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Imunologia
RESUMO: As atividades humanas têm causado mudanças climáticas e alterado a salinidade dos oceanos. A salinidade é um dos fatores que limitam a distribuição e sobrevivência de organismos marinhos. Celomócitos são as células do sistema imune dos equinodermos e têm sido estudados como biomarcadores em situações de estresse. O objetivo do presente estudo foi investigar o efeito da salinidade em celomáticos do ouriço-do-mar tropical Echinometra lucunter. Os animais foram coletados na costa de João Pessoa (Nordeste do Brasil). Os animais ou os celomócitos foram expostos a diferentes salinidades (25‰ e 45‰) e parâmetros fagocíticos, produção de espécies reativas de oxigênio (ROS), atividade mitocondrial e atividade dos transportadores ABC analisados. Os parâmetros fagocíticos não alteraram quando os animais ou as células foram expostos a 25‰ ou 45‰ nos intervalos de tempo monitorados. Porém, foi observado um aumento na concentração de celomócitos quando os animais foram expostos a 25‰. Os níveis de ROS foram maiores quando as células foram incubadas a 25‰, e menores quando as células foram cultivadas a 45‰. Foi observada uma perda do potencial de membrana mitocondrial interna quando os celomócitos foram incubados a 45‰. A atividade dos transportadores ABC diminuiu quando as células foram incubadas a 25‰ e aumentou quando as células foram incubadas a 45‰. O presente trabalho demonstra que o sistema imune do ouriço-do-mar E. lucunter tolera mudanças de salinidade (25‰ até 45‰), e sugere dois parâmetros celulares (níveis de ROS e atividade de transportadores ABC) como potenciais biomarcadores no monitoramento de mudanças na salinidade ambiental.
MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 337166 - JOSE ANTONIO NOVAES DA SILVA
Interno - 1812740 - NAILA FRANCIS PAULO DE OLIVEIRA
Presidente - 1692802 - PATRICIA MIRELLA DA SILVA SCARDUA