PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR (PPBCM)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: LAISA VILAR CORDEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAISA VILAR CORDEIRO
DATA: 16/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITORIO DO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA MOLECULAR -CCEN
TÍTULO: Título: Correlação entre os parâmetros de virulência e resistência ao antimonial trivalente (SbIII) em isolados clínicos de Leishmania (Viannia) braziliensis
PALAVRAS-CHAVES: Leishmania braziliensis; Resistência ao antimonial trivalente; Virulência
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO: Resumo: O tratamento com os antimoniais possui varias limitacoes, dentre elas o crescente surgimento de parasitos resistentes a estas drogas. Agravando esta situacao, recentes evidencias de que os parametros resistencia a antimoniais e virulencia possam estar correlacionados em Leishmania sp. tem sido publicadas na literatura. Dentro deste contexto, este trabalho objetivou investigar se existe correlacao entre os parametros de virulencia e resistencia ao antimonial trivalente (SbIII) a partir de dois isolados clinicos de Leishmania (Viannia) braziliensis denominados AF e JCTS. Foram selecionadas formas promastigotas destes parasitos resistentes ao SbIII, obtendo-se culturas com um nivel de resistencia correspondente a 14 e 13 vezes a IC50 da cultura selvagem (sensivel ao SbIII) para os isolados AF e JCTS, respectivamente. Ao analisar a estabilidade do fenotipo de resistencia adquirido, verificou-se que ambos os isolados clinicos apresentaram um perfil instavel, com progressiva reversao da resistencia apos sucessivos repiques na ausencia da droga. Em analise morfologica, foi possivel observar que as duas culturas resistentes ao SbIII apresentaram maior quantidade de formas promastigotas com caracteristicas de metaciclicas quando comparado com as culturas sensiveis. Contudo, o perfil de crescimento em meio de cultivo foi semelhante para as culturas sensiveis e resistentes de ambos os isolados clinicos. Em fase estacionaria de crescimento, a porcentagem de soro que causou 50% de lise celular (EC50) da cultura AF sensivel ao SbIII foi de 2,3%, enquanto que a correspondente cultura resistente a droga apresentou EC50 de 9,4%. De modo semelhante, as culturas JCTS sensivel e resistente ao SbIII apresentaram EC50 de 2,5% e 18,4%, respectivamente. Assim, as culturas resistentes ao SbIII, de ambos os isolados clinicos, foram mais resistentes a lise mediada pelo sistema complemento do que as culturas sensiveis a droga. As culturas resistentes ao SbIII tambem apresentaram maior virulencia in vitro sobre macrofagos murinos quando comparadas as correspondentes culturas sensiveis. O indice de infeccao determinado para AF sensivel e resistente ao SbIII foi de 260 e 593. Para JCTS sensivel e resistente ao SbIII foi de 115 e 207, respectivamente. No modelo de infeccao in vivo em camundongos suicos nao foi evidenciada virulencia significativa em nenhuma das culturas de L. braziliensis. Dessa forma, conclui-se que ha uma correlacao entre parametros de virulencia in vitro e resistencia ao SbIII em L. braziliensis.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 330621 - JOSE PINTO DE SIQUEIRA JUNIOR
Externo ao Programa - 1135953 - LOUISA MARIA DE ANDRADE E SOUSA
Presidente - 338028 - MARCIA ROSA DE OLIVEIRA