PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (PPGCC)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
32167285

Notícias


Banca de DEFESA: FRANCISCO ALVES DE SOUZA NETO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO ALVES DE SOUZA NETO
DATA: 22/02/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Universidade Federal da Paraíba
TÍTULO: RELAÇÕES ENTRE OS ESTÁGIOS DO CICLO DE VIDA EMPRESARIAL, PREVISÃO DE LUCROS E CUSTO IMPLÍCITO DE CAPITAL
PALAVRAS-CHAVES: Ciclo de Vida das Empresas. Previsão de Lucros. Custo Implícito de Capital.
PÁGINAS: 81
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
SUBÁREA: Ciências Contábeis
RESUMO: O objetivo geral desse trabalho foi apresentar evidencias sobre o efeito da Teoria do Ciclo de Vida das Empresas na Previsao de Lucros (capitulo 2) e o Custo Implicito de Capital (CIC) nos Estagios de Ciclo de Vida (ECV) das Empresas (capitulo 3). A amostra que utiliza todas as instituicoes de capital aberto listadas na B3 (Brasil, Bolsa e Balcao), alem das empresas listadas nas bolsas de valores estadunidenses NASDAQ (National Association of Securities Dealers Automated Quotations) e NYSE (New York Stock Exchange), no espaco temporal de 1999 a 2017. No capitulo 2, como base teorica, utilizou-se o modelo de previsao de lucros de Hou, Dijk e Zhang (2012), onde e utilizado as variaveis lucros realizados, ativo total, pagamento de dividendos, prejuizos e accruals para prever as informacoes futuras. O modelo consiste em agregar informacoes passadas na tentativa de diminuir a margem de erros de previsao, nesse sentido foi introduzida a variavel ECV(DICKINSON, 2011) justificada pela Teoria do Ciclo de Vida das Empresas que demonstra um poder informacional para previsao de comportamentos. Os resultados encontrados sugerem que a adicao dos ECVs promove um aumento no poder de previsao dos lucros, esse resultado se encontra mais evidente em empresas maduras. A principal contribuicao do capitulo 2 a literatura foi evidenciar que a Teoria dos Ciclo de Vidas das empresas pode melhorar a previsao de lucros, sendo mais evidenciada nas empresas maduras. No capitulo 3, foi empregada a metodologia de Easton (2004), Gordon e Gordon (1997) e Ohlson e Juettner-nauroth (2005) para extrair o CIC utilizando previsoes de lucros melhoradas com adicao de ECV. Uma vez mensurados os CICs foram analisados como um unico componente criado com a media dos tres modelos, com a finalidade de absorver suas especificacoes distintas e criar uma variavel com um maior equilibrio. Posteriormente foi verificado como esse CIC se comporta em cada ECV, atrelado a variaveis de controle. Foi evidenciado que o CIC apresenta maiores valores em estados introdutores, tendo um valor mais alto no estagio nascimento e posteriormente caindo ate o estagio de maturidade. Ainda pode-se relacionar o CIC com o tamanho das empresas, market-to-book, pagamento de dividendos. A principal contribuicao do capitulo 3 a literatura foi evidenciar que um CIC composto por tres formas diferentes de mensuracao comporta-se de diferentes maneiras em cada ECV.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1989585 - LUIZ FELIPE DE ARAUJO PONTES GIRAO
Interno - 1287709 - PAULO ROBERTO NOBREGA CAVALCANTE
Externo à Instituição - VINICIUS GOMES MARTINS