PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (PPGCC)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
32167285

Notícias


Banca de DEFESA: SAMYLLA GABRYELLA SALES BARBOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SAMYLLA GABRYELLA SALES BARBOSA
DATA: 26/08/2020
HORA: 09:30
LOCAL: PPGCC - CCSA - VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO: A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO E A INFORMAÇÃO AMBIENTAL DE EMPRESAS BRASILEIRAS PARTICIPANTES DA GRI SUSTAINABILITY DISCLOSURE DATABASE
PALAVRAS-CHAVES: Contabilidade Ambiental. Desempenho Ambiental. GRI G4. Teoria da Legitimidade.
PÁGINAS: 206
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
SUBÁREA: Ciências Contábeis
RESUMO: Nas últimas décadas foi observado um esforço de múltiplas áreas para que assuntos sobre o tema meio ambiente ganhassem o espaço e visibilidade que seu caráter de urgência demanda. Dentro das empresas, isso resultou na necessidade de alterar o status quo, estas agora precisam adequar-se à mudança processos e prestação de contas quanto seus impactos ambientais por meio de relatórios de sustentabilidade e equivalentes. Devido à natureza heterogênea das informações ambientais foram desenvolvidas as diretrizes da GRI, com o intuito de auxiliar empresas e governos a entender e divulgar seu desempenho ambiental, social e econômico. Cho e Patten (2007) afirmam que a divulgação sobre sustentabilidade é uma ferramenta usada para legitimar ações organizacionais, porém, por sua característica de não-obrigatoriedade, tanto da divulgação, quanto da auditoria das informações divulgadas, os relatórios também podem transformar-se em meio de criar uma imagem adequada. Visando trazer maior entendimento sobre o tema emana a seguinte questão de pesquisa: Como se relacionam as informações sobre meio ambiente publicadas nos relatórios de sustentabilidade e o desempenho ambiental das empresas contidas no GRI Sustainability Disclosure Database (GRI SDD)? Outrossim, para atender ao objetivo geral foram definidos os seguintes objetivos específicos: Extrair informações sobre desempenho ambiental e suas divulgações com base nas diretrizes da GRI G4; Analisar se as informações divulgadas pelos gestores seguem e até que ponto estas são aderentes às diretrizes definidas pelo GRI G4 para gerar um ranking de aderência ao GRI G4; Analisar as divulgações sobre o consumo de energia, o consumo de água, o total de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), o total de resíduos gerados, o total de resíduos reciclados, recuperados ou reutilizados e os investimentos e gastos em proteção ambiental, para gerar rankings de performance ambiental para cada uma das categorias citadas; Gerar um score de desempenho ambiental que tem como proxy a média dos desempenhos ponderados dos rankings supracitados; Verificar quais as associações existentes entre o desempenho ambiental e os diferentes níveis de aderência dos gestores às diretrizes da GRI G4. Neste sentido, o presente estudo classifica-se quanto aos fins como descritivo e explicativo, quanto aos meios como documental e faz uso da abordagem quantitativa. Desse modo, através da técnica de análise de conteúdo, foram coletados os dados sobre o desempenho ambiental e a aderência ao GRI nos relatórios de sustentabilidade e estes foram relacionados por meio dos testes não-paramétricos de Mann-Whitney ou Kruskal-Wallis. A população selecionada para a execução da pesquisa compreende todas as empresas brasileiras que disponibilizaram no GRI SDD seus relatórios de sustentabilidade no modelo GRI G4, ao total, foram analisadas 131 empresas e 286 relatórios. Cabe ressaltar que a presente pesquisa se justifica, principalmente, por acreditar-se que a evidenciação de informações sobre aspectos que tangem o meio ambiente têm influência direta na gestão ambiental, pois esta passa por um processo de avaliação contínua através da análise do desempenho ambiental, permitindo identificar e medir o rendimento alcançado de cada um dos critérios gerenciados. Em média, a aderência às diretrizes da GRI G4 foi de 38,42% e foi maior por parte de empresas mais danosas ao meio ambiente. Em relação ao desempenho ambiental, notou-se que no geral as empresas tem um desempenho de média de 0,5 (onde quanto mais perto de 1, melhor) e que também existem diferenças significativas entre empresas poluentes e não-poluentes, sendo o desempenho ambiental das não-poluentes superior. Por fim, ao relacionar a aderência ao desempenho ambiental, , foi possível constatar que as empresas do presente estudo, com desempenhos ambientais piores, são mais aderentes às diretrizes da GRI G4 que as demais empresas do estudo e, produzem relatórios de sustentabilidade mais completos e com mais informações educativas para as partes interessadas em conhecer suas ações, indo de acordo
MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1346570 - ANA LUCIA DE ARAUJO LIMA COELHO
Interno - 461.469.894-87 - ANTONIO ANDRE CUNHA CALLADO - UFRPE
Presidente - 1353967 - RENATA PAES DE BARROS CAMARA