PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (PPGCC)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
32167285

Notícias


Banca de DEFESA: GILVAN MEDEIROS DE SANTANA JUNIOR

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GILVAN MEDEIROS DE SANTANA JUNIOR
DATA: 27/03/2017
HORA: 10:00
LOCAL: SALA DE MULTIMÍDIA DO CCSA
TÍTULO: CICLO DE VIDA ORGANIZACIONAL E MENSURAÇÃO DE DESEMPENHO: Um estudo sobre a influência do ciclo de vida organizacional na percepção de uso de medidas de desempenho em empresas industriais da Paraíba
PALAVRAS-CHAVES: Ciclo de Vida Organizacional. Mensuração de Desempenho. Medidas de Desempenho Financeiras. Medidas de Desempenho não Financeiras.
PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
SUBÁREA: Ciências Contábeis
RESUMO: O objetivo deste estudo foi o de analisar a influencia do ciclo de vida organizacional no uso das medidas de desempenho em empresas industriais da Paraiba. Para tanto, utilizou-se do modelo de Lester, Parnell e Carraher (2003) para identificar os estagios do ciclo de vida que se encontravam as empresas. E adaptaram-se as medidas de desempenho apresentadas no estudo de Callado, Callado e Almeida (2007) para mensurar o nivel de intensidade de uso das medidas. A amostra foi composta por 50 empresas industriais cadastradas na Federacao das Industrias do Estado da Paraiba – FIEP/PB. Os resultados do estudo mostraram que ha empresas classificadas em todos os estagios do ciclo de vida, no entanto, o estagio nascimento foi o que apresentou o maior numero de empresas. Com relacao ao uso das medidas de desempenho, verificou-se um forte uso nas medidas relacionadas ao faturamento empresarial e com o nivel de qualidade do produto. Observou-se ainda a existencia de correlacao negativa entre a fase nascimento e o uso de medidas de desempenho, financeiras e nao financeiras, e uma correlacao positiva entre o estagio rejuvenescimento e o uso de ambas as medidas de desempenho (financeiras e nao financeiras), contudo, esta correlacao apresentou-se levemente mais elevada com o uso de medidas de desempenho financeiras em detrimento das medidas nao financeiras. Quanto a influencia exercida pelos estagios do ciclo de vida nas medidas de desempenho, os resultados apresentaram que os estagios: crescimento, maturidade e rejuvenescimento exercem influencias na intensidade de uso das medidas de desempenho financeiras e que os estagios: nascimento e rejuvenescimento influenciam nas medidas de desempenho nao financeiras, todavia, a influencia do nascimento e negativa. Portanto, conclui-se que o ciclo de vida organizacional esta relacionado e exerce influencias no uso de medidas de desempenho financeiras e medidas de desempenho nao financeiras, porem, os resultados evidenciam que as empresas usam menos as medidas de desempenho, tanto financeiras quanto nao financeiras, nos casos em que elas apresentem caracteristicas do estagio de ciclo vida nascimento, contradizendo a literatura que afirma que nos estagios iniciais do ciclo vida as empresas dao preferencias ao uso de medidas de desempenho nao financeiras.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1331488 - ALDO LEONARDO CUNHA CALLADO
Externo à Instituição - ILSE MARIA BEUREN
Interno - 1526402 - WENNER GLAUCIO LOPES LUCENA