PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM GERONTOLOGIA (PMPG)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
Não informado

Dissertações/Teses


Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPB

2019
Descrição
  • TATTIANA DIAS DE CARVALHO CORDEIRO
  • ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS DA VISÃO DO IDOSO: CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS DE SIMULAÇÃO CLÍNICA
  • Data: 30/10/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No processo de envelhecimento as alterações dos órgãos sensoriais são parâmetros considerados importantes na avaliação da vida da (o) idosa (o), os quais se destacam a acuidade visual. Objetivo: Construir um cenário sobre as alterações fisiológicas da visão do idoso no processo de envelhecimento. Método: Estudo desenvolvido em três etapas: a primeira, revisão integrativa da literatura; a segunda, trabalho de campo com idosos e profissionais; e a terceira, construção do cenário de simulação sobre a acuidade visual. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal da Paraíba. Resultados: A Revisão Integrativa da Literatura foi realizada nos idiomas inglês, português e espanhol, nas bases de dados National Library of Medicine National Institutes of Health, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature, Embase Indexing and EMTREE e Scopus. Foram listados um total de 778 artigos, sendo incluídos cinco artigos na fase final do estudo. Evidenciaram-se as alterações e as causas da acuidade visual. Nos Grupos Focais houve predomínio do sexo feminino, 95% no Grupo de Idosos e 66,6% no grupo dos profissioanis. Em relação ao trabalho de campo, na avaliação da nuvem de palavras, dos dois Grupos Focais se sobressaíram visão (f=24); dificuldade (f=23); enxergar (f=22); catarata (f=22); óculos (f=19); cirurgia (f=17); mais (f=14); idade (f=13); olho (f=12) e não (f=11) e na árvore máxima destaca-se a formação dos nós (núcleos), visual e deficiência. Na construção do cenário foi proposto um modelo de simulação de média fidelidade que contará com quatro participantes no processo de ensino-aprendizagem. Considerações do estudo: A construção de um cenário simulado sobre as alterações fisiológicas da visão no idoso proporciona aos aprendizes a oportunidade de se interagirem com os idosos e ao mesmo tempo a experiência de vivenciar a dificuldade da acuidade visual no envelhecimento por meio de simulador da velhice.
  • MARINEUMA MARTINS
  • INSTRUMENTO PARA SISTEMATIZAÇÂO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA IDOSOS COM DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS
  • Data: 30/04/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o idoso necessita de uma atenção especial nos serviços de saúde e o enfermeiro, precisa estar qualificado para atender essa população e suas demandas. Objetivos: analisar as evidências disponíveis na literatura sobre a utilização dos diagnósticos e intervenções de enfermagem para a população idosa com doenças transmissíveis e parasitárias. Identificar os diagnósticos e intervenções de enfermagem, utilizados pelos enfermeiros na Clínica de Doença Infecto Parasitária do Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba, que são relevantes para o atendimento das necessidades específicas da pessoa idosa hospitalizada. Elaborar um instrumento contendo os diagnósticos e intervenções de enfermagem, tipo check list, para o idoso com doenças infecciosas e parasitárias, hospitalizado na Clínica de Doença Infecto Parasitária/Hospital Universitário Lauro Wanderley, no sentido de subsidiar a prática clínica do enfermeiro. Método: trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em três etapas: a primeira é uma revisão integrativa, a segunda abrange a identificação dos diagnósticos e intervenções de enfermagem considerados ou não relevantes para a população idosa pelas enfermeiras da clínica e a terceira etapa refere-se à construção do Instrumento com Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem para o idoso (produto), a ser utilizado na Sistematização da Assistência de Enfermagem pelas enfermeiras. Os dados foram analisados considerando o Índice de Concordância de ≥ 0,9 %. O estudo foi aprovado de acordo com CAAE: 67103917.6.0000.5188 e do Parecer nº: 2.190.153. Resultados e discussão: dos quatro estudos selecionados da literatura científica sobre os Diagnósticos de Enfermagem à pessoa idosa com Doenças Transmissíveis e Parasitárias, verifica-se que os artigos foram publicados, em sua maioria, no ano de 2015, no Brasil, e no idioma português. Os resultados mostram o interesse dos estudos no contexto das pessoas vivendo com o Vírus da Imunodeficiência Humana e a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, com destaque para as mulheres, além da identificação e classificação de termos, da construção de enunciados de diagnósticos de enfermagem. Participaram da pesquisa 13 enfermeiras, sendo duas coordenadoras da clínica e 11 enfermeiras assistenciais, com idade entre 29 e 53 anos, experiência profissional de 4 meses a 16 anos e todas já cursaram pós-graduação lato sensu e três cursaram pós-graduação strictu sensu. Dos 59 Diagnósticos de Enfermagem e suas 451 Intervenções de Enfermagem do instrumento utilizado, 50 diagnósticos alcançaram o Índice de Concordância ≥ 0,9 %, sendo nove diagnósticos não relevantes para o idoso. Das 451 Intervenções de Enfermagem, 290 atenderam ao Índice de Concordância ≥ 0,9%, portanto, 161 intervenções foram excluídas pelas enfermeiras. Com 50 Diagnósticos de Enfermagem e 290 Intervenções de Enfermagem consideradas relevantes, estabeleceu-se um corte para a construção do produto utilizar Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem com Índice de Concordância igual a 1,0%, ficando ainda 36 Diagnósticos e 102 Intervenções de Enfermagem. Considerações finais: a construção de um instrumento para atender às demandas específicas da população idosa hospitalizada por doenças infecciosas parasitárias vai contribuir com uma assistência de enfermagem mais humanizada e contribua para a implementação do processo de enfermagem para idoso hospitalizado, trazendo melhorias para aprimorar o cuidado de enfermagem.
  • FRANCISCA LENEIDE GONÇALVES PEREIRA
  • PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO MODELO DE ANÁLISE DO PROCESSO INTERATIVO (MAPI) NA ATENÇÃO BÁSICA PARA IDOSOS COM DEPRESSÃO
  • Data: 30/04/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A depressão em idosos é um grave problema de saúde, podendo estar associado com outras morbidades, afetando a qualidade de vida dessa população. Alguns sintomas são confundidos com os sinais evidenciados no processo de envelhecimento o que dificulta, para alguns profissionais, o diagnóstico levando o tratamento a ser tardio. O papel do enfermeiro na Atenção Básica concerne aos desafios no seu cotidiano na construção de relações interpessoais, pautadas no diálogo, escuta, humanização e respeito. Destaca-se, como ferramenta de sistematização da assistência de enfermagem, a utilização do Modelo de Análise do Processo Interativo que contempla o processo de enfermagem por meio de interações com a pessoa que precisa de ajuda para facilitar o diagnóstico da situação, tendo em vista o planejamento de ações de saúde. Sendo assim é importante a construção de um protocolo de assistência de enfermagem ao idoso com depressão, tendo-se como base o Modelo de Análise do Processo Interativo, visando o conhecimento das necessidades de saúde do idoso com depressão, o desenvolvimento de uma ferramenta que facilite o processo de trabalho do enfermeiro e, consequentemente, a melhoria da qualidade de vida do idoso com depressão. Objetivos: evidenciar a produção científicas sobre a depressão em idosos atendidos na atenção primária à saúde; aplicar o Modelo de Análise do Processo Interativo em idosos com depressão atendidos na atenção básica; propor a Implantação do Modelo de Análise do Processo Interativo na Atenção Básica para Idosos com Depressão. Método: trata-se de um estudo metodológico, com as seguintes etapas: pesquisa nas bases de dados nacionais e internacionais possibilitando um levantamento situacional nas publicações cientificas sobre a depressão em idosos atendidos na atenção primária à saúde, para a realização de uma Revisão Integrativa sobre a temática abordada; uma investigação empírica com dez idosos com depressão atendidos na atenção primária à saúde, utilizando o Modelo de Análise do Processo Interativo para diagnósticos de enfermagem e elaboração de um Protocolo de Assistência de Enfermagem à Pessoa Idosa com depressão. Resultados e Discussão: na primeira etapa, foram evidenciados 19 artigos sobre a temática, destacando a preocupação dos pesquisadores sobre a capacitação dos profissionais, tendo em vista as transformações da população de idosos no mundo. Por conseguinte, na segunda etapa foi realizada uma pesquisa com dez idosos diagnosticados com depressão, utilizando-se o modelo interativo a partir de três momentos, que possibilitou a identificação dos diagnósticos de enfermagem e propôs-se intervenções para cada um deles; entre esses momentos realizou-se a avaliação de enfermagem, visando um feedback das propostas terapêuticas anteriores. Na terceira etapa foi proposto a implantação do Modelo Interativo durante o atendimento de enfermagem ao idoso com depressão, atendido nas Unidades Básicas de Saúde. Conclusão: Este estudo subsidiou a implantação do Modelo de Análise do Processo Interativo na atenção básica, para idosos com depressão, considerando o uso da Sistematização da Assistência de Enfermagem na prática profissional do enfermeiro no contexto da Atenção Primária à Saúde.
  • LAZUIR BRAGA MATOS DO NASCIMENTO
  • PROPOSTA DE PRONTUÁRIO ELETRÔNICO DE ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM À PESSOA IDOSA USUÁRIA DE ÁLCOOL E DROGAS
  • Orientador : ANTONIA LEDA OLIVEIRA SILVA
  • Data: 30/04/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • A execucao da pratica assistencial de enfermagem e de extrema importancia para a pessoa idosa com dependencia quimica, no qual acaba sofrendo com estereotipos e com o preconceito, isso pode interferir no ato de cuidar. Diante das informacoes levantadas, este projeto tem como questoes norteadoras: Quais sao as evidencias cientificas sobre o uso de alcool por idosos na atencao primaria a saude? Quantos idosos fazem uso de alcool e drogas residentes em condominios para pessoa idosa? Qual o perfil dos idosos que fazem uso de alcool e drogas residentes em condominios para pessoa idosa? Quais os diagnosticos de enfermagem evidenciados nos idosos que fazem uso de alcool e drogas residentes em condominios para pessoa idosa? Objetivo: evidenciar a producao cientifica sobre o uso de alcool por idosos na atencao primaria a saude; identificar o uso de alcool e drogas em idosos residentes em condominios para pessoa idosa; propor um prontuario eletronico de assistencia de enfermagem a pessoa idosa usuario de alcool e drogas. Metodo: Trata-se de um estudo exploratorio e metodologico, com abordagem quantitativa. seguiu as etapas: pesquisa nas bases de dados nacionais e internacionais sobre o uso de alcool por idosos na atencao primaria a saude; posteriormente foi realizada uma investigacao empirica sobre o tema escolhido em um condominio para pessoa idosa; por fim, a elaboracao do Prontuario Eletronico de atendimento de enfermagem prestado ao idoso usuario de alcool e outras drogas em um condominio para pessoa idosa. Na primeira etapa, foram definidas cinco bases de dados: PubMed, Web of Science, Scopus, Cinahl e Cochrane. Foram utilizados os descritores indexados no Medical Subject Headings: “Alcoholism”; “Elderly”; “Primary Health Care”, a revisao foi composta por 16 artigos. Na segunda etapa, o campo de pesquisa foram os cinco Condominios Cidade Madura do Estado da Paraiba, utilizou-se um questionario social e o Alcohol Smoking And Substance Involvement Screening Test. Resultados e Discussao: Foram entrevistados 96 idosos: Cajazeiras (26); Souza (21); Guarabira (18); Joao Pessoa (16), Campina Grande (15). Identificou-se que os idosos fazem principalmente uso de derivados do tabaco e bebidas alcoolicas, assim como evidenciou-se 13 diagnosticos de enfermagem. No prontuario eletronico de assistencia de enfermagem a pessoa idosa usuario de alcool e drogas, observa-se as seguintes informacoes: nome completo, numero da residencia, sexo, data de nascimento, idade, estado civil, telefone, escolaridade, profissao, religiao, informacoes dos familiares, contato de emergencia, principais queixas de saude, historico de saude, historico familiar de saude, outros problemas de saude, exame fisico e os diagnosticos e intervencoes de enfermagem. Conclusao: A dependencia do alcool e outras drogas no idoso pode ocasionar problemas de saude, sociais e emocionais, desse modo o idoso nao recebendo tratamento adequado, compromete a sua qualidade de vida. A proposta do Prontuario Eletronico tem em sua propositura um layout de assistencia em enfermagem em pacientes idosos que fazem uso de drogas nos cinco Condominios Cidade Madura, com o intuito de facilitar e agilizar o cuidado a pessoa idosa residente destes condominios, possibilitando tambem padronizar a assistencia e unificar as informacoes necessarias dos idosos.
  • SIMONE ROSE SILVA DE OLIVEIRA CABRAL
  • SEXUALIDADE DA PESSOA IDOSA: um guia de Diagnósticos e Intervenções de Enfermagem para Atenção Básica de Saúde
  • Orientador : VALERIA PEIXOTO BEZERRA
  • Data: 29/04/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • A integracao humana e composta de muitas facetas biopsicossociais, entre elas uma das que causam impacto importante e a sexualidade e entender como mante-la ao longo da vida e crucial para manutencao da saude como um todo, haja vista as repercussoes que pode causar quando vivenciadas de maneira insensata ou insciente. Para pessoas idosas, na maioria dos casos, a sexualidade nao tem cunho reprodutivo, caracteristica que tem que ser vista com peculiaridade especial para proporcao de uma atencao integral no intuito de promover qualidade de vida, bem-estar e autonomia que este ingrediente vital fazer jus. Para a Enfermagem acolher tal clientela no aspecto da sexualidade necessita investir no processo de enfermagem e nos seus elementos de pratica, diagnosticos/intervencoes, no intuito de alcancar uma assistencia integral e eficaz para pessoa idosa. Objetivos: Verificar o enfoque sobre a sexualidade do idoso nas publicacoes cientificas; Identificar os Diagnosticos e Intervencoes de Enfermagem no contexto da sexualidade do idosos considerados relevantes ou nao pelos enfermeiros da Atencao Basica de Saude; Estruturar um guia com Diagnosticos e Intervencoes enfermagem para o manejo da sexualidade do idoso por enfermeiros na Atencao Basica de Saude. Metodo: trata-se de estudo metodologico realizado em tres etapas: revisao integrativa; identificar os Diagnosticos e Intervencoes de Enfermagem considerados relevantes ou nao pelos enfermeiros e estruturar um guia com Diagnosticos e Intervencoes enfermagem para o manejo da sexualidade de idosos por enfermeiros na Atencao Basica de Saude. Para coleta de dados foi elaborado considerando duas partes, a primeira construida com dados sociodemograficos dos participantes e a segunda composta por 04 Diagnosticos de Enfermagem sobre sexualidade com suas respectivas 27 Intervencoes de Enfermagem, ja validados no pais. Foram considerados como relevantes para o guia aqueles Diagnosticos e Intervencoes de Enfermagem com o Indice de Concordancia de ≥ 0,80. Resultados: Participaram do estudo 17 enfermeiras de 07 USF integradas do bairro de Mangabeira, em Joao Pessoa, na Paraiba, com idade variando de 28 a 59 anos, experiencia profissional de 06 a 32 anos e maioria (82%) com pos-graduacao latu sensu. Do total de diagnosticos e intervencoes, 03 diagnosticos e 13 intervencoes de enfermagem foram considerados como relevantes (IC≥0,80) e assim, possibilitando a elaboracao do guia. Consideracoes finais: Esta pesquisa se descobre com sua importancia no sentido de propor uma contemplacao especial sobre a vivencia da sexualidade dos idosos e almeja cooperar para estimular consideracoes e discussoes que promovam a desconstrucao cultural de julgamentos profundamente presentes no imaginario social em relacao a sexualidade da pessoa idosa, a partir do conhecimento critico-reflexivo interdisciplinar dos profissionais da enfermagem para esta tematica.
  • SILVIA BRENNA
  • TRADUÇÃO DO SELF-CARE OF DIABETES INVENTORY (SCODI) PARA O IDIOMA PORTUGUÊS: instrumento para avaliação do autocuidado na diabetes
  • Orientador : ANTONIA LEDA OLIVEIRA SILVA
  • Data: 25/04/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A diabetes é uma das doenças crônicas não transmissíveis, considerada pela Organização Mundial de Saúde como grave. Tento em vista, as consequências físicas, emocionais e sociais, que de certa forma pode afetar drasticamente a qualidade de vida do indivíduo. Em paralelo com o aumento da expectativa de vida, ocorreu a transição epidemiológica nas doenças emergentes: a partir de uma situação em que eram prevalentes as doenças infecciosas, evoluímos para uma preponderância das doenças crônicas não transmissíveis, tanto nos países em desenvolvimento quanto nos desenvolvidos, espera-se que o número de pessoas idosas com doenças não transmissíveis aumentará em proporção ao crescimento da população, com uma percentagem mais elevada exatamente nas classes de idade mais avançada. Objetivos: evidenciar produção científica sobre os instrumentos para avaliação do autocuidado a diabetes utilizados no Brasil e traduzir o Self-Care of Diabetes Inventory do idioma italiano para o português. Método: Trata-se de um estudo metodológico, cuja proposta foi o processo de tradução do instrumento - Self-Care Of Diabetes Index, um instrumento que se baseia em uma teoria de médio alcance que consta de quatros partes por um total de 40 questões, avaliando alimentação saudável, exercício físico, monitoramento, adesão ao tratamento, capacidade de resolver problemas, capacidade de coping, e capacidade de monitorar e prevenir as complicações em adultos com Diabetes Mellitus Tipo 1 e 2. O estudo foi conduzido em João Pessoa/Paraíba/Brasil, na Universidade Federal da Paraíba e as traduções foram em colaboração com o Departamento de Ciência e Saúde da Università degli Studi de Milão – Bicocca na Itália, em colaboração com a Universidade de Pensilvânia nos Estados Unidos da América. Desenvolveu-se nas seguintes etapas: revisão integrativa com o objetivo de evidenciar a produção de conhecimento cientifico sobre os instrumentos adaptados e validados relacionados ao autocuidado no diabetes na realidade internacional e no Brasil; em seguida o processo de tradução do instrumento; afinal a elaboração do produto final, ou seja, a tradução final em português brasileiro do Self-Care Of Diabetes Index. Resultados e Discussão: A tradução do instrumento, passou por cinco etapas, junto com o questionário dos dados psicométricos, tendo como base a versão original em idioma italiano. O instrumento final se encontra disponível no site da Self Care Measures, vinculado ao projeto da Universidade de Pensilvânia nos Estados Unidos da América. Conclusão: Espera-se que o produto final desse estudo, o instrumento traduzido possa contribuir de maneira positiva no âmbito da Enfermagem e da Gerontologia brasileira, permitindo aos idosos uma maior consciência da própria doença crônica, e clareza sobre possíveis complicações, seus métodos de enfrentamentos e uma plena interiorização da importância dos hábitos de vida, além das suas necessárias mudanças. Por fim anela-se que esse instrumento possa ser uma base de linguagem comum na avaliação do autocuidado no diabetes, e que seja a nível nacional e internacional.
  • BARBARA MARIA SOARES PEREIRA WANDERLEY
  • AVALIAÇÃO MULTIDIMENSIONAL DA PESSOA IDOSA: PROPOSTA DE CAPACITAÇÃO PARA ENFERMEIROS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Data: 03/04/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento da populacao e um fenomeno mundial. No Brasil, e considerado idoso a pessoa com idade cronologica de 60 anos ou mais, portanto e estar amparado pela Lei 8.842/94, por ser a primeira lei especifica para assegurar os direitos da pessoa idosa no Brasil, tambem dispoe sobre a Politica Nacional do Idoso (PNI). A Politica Nacional de Saude do Idoso tem como finalidade recuperar, manter e promover a autonomia e a independencia dos individuos idosos, direcionando medidas coletivas e individuais de saude para esse fim, em consonancia com os principios e diretrizes do Sistema Unico de Saude. Nesta perspectiva, acredita-se que a Estrategia Saude da Familia (ESF) constitui-se em espaco de grande privilegio para a atencao integral a saude da pessoa idosa, por ser a principal porta de entrada do sistema de saude, bem como pela sua proximidade com a comunidade e a atencao domiciliaria possibilita uma atuacao profissional multidisciplinar contextualizada na realidade vivenciada pelo idoso na familia. Nesse cenario, destaca-se o papel fundamental do enfermeiro, enquanto membro da equipe minima, que desenvolve nesse nivel de atencao acoes de gerencia e planejamento, alem do cuidado direto e praticas educativas. Trata-se de um estudo metodologico que objetiva identificar na literatura evidencias sobre sistematizacao da assistencia de enfermagem ao idoso na atencao primaria a saude, verificar a experiencia de enfermeiros com relacao com relacao a avaliacao multidimensional do idoso na atencao primaria a saude e propor uma capacitacao pedagogica para enfermeiros com base nos principios da avaliacao multidimensional do idoso na atencao primaria a saude como forma de implementar a consulta de enfermagem e qualificar a assistencia de enfermagem a pessoa idosa. O estudo sera realizado com os 26 enfermeiros das Unidades de Saude da Saude da Familia do Distrito Sanitario V da cidade de Joao Pessoa – Paraiba, que responderao a um roteiro de entrevista. Considera-se, ainda, que essa pesquisa trara grandes contribuicoes para a enfermagem, uma vez que fomenta o pensamento critico-reflexivo das praticas cotidianas da atencao ao idoso e a familia na ESF, uma vez que proporciona uma reflexao por parte dos profissionais envolvidos acerca da necessidade de buscar a todo tempo aprimorar conhecimentos, habilidades e atitudes no atendimento ao idoso por meio da educacao permanente, visando uma atencao primaria competente, humanizada e resolutiva.
  • PAULO CORDEIRO FONTES
  • PROGRAMA DE APOIO A PRESBÍTEROS IDOSOS
  • Orientador : ROBSON ANTAO DE MEDEIROS
  • Data: 30/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • A qualidade de vida possui um conceito multidimensional por envolver aspectos fisicos, sociais e emocionais. Nesse sentido, com o envelhecimento, a aposentadoria torna-se uma realidade para o presbitero com a singularidade de uma populacao dedicada ao exercicio ministerial, com reducao significativa da convivencia com os familiares. OBJETIVOS: Medir a qualidade de vida do presbitero idoso da Arquidiocese da Paraiba, buscando identificar os fatores influenciadores na sua percepcao de posicao na vida e no seu bem-estar. Conhecer a opiniao dos presbiteros acerca da aposentadoria. Alem disso, propor um Programa para os presbiteros idosos contribuindo para sua qualidade de vida de acordo com as necessidades fisicas e psicologicas dos participantes da pesquisa. METODOLOGIA: Foi realizado um estudo bibliografico e pesquisa de campo com abordagem quanti e qualitativa. O trabalho foi realizado em tres etapas: Revisao integrativa da literatura com pesquisa em bases de dados e bibliotecas virtuais. A segunda etapa do estudo, teve uma amostra de 14 presbiteros idosos. Foram aplicados os questionarios WHOQOL - BREF e WHOQOL – OLD, sociodemografico, formulario semiestruturado. Na analise dos dados, empregou-se testes estatisticos e analise de conteudo. A terceira etapa consistiu na elaboracao do projeto de um Lar Sacerdotal. RESULTADOS: A media ± desvio-padrao de idade dos presbiteros foi de 71,0 ± 6,6 anos. Todos os presbiteros incluidos no estudo sao aposentados. O escore medio de qualidade de vida foi de 4,2 ±0,4 e 4,1 ± 0,4 para WHOQOL BREF e WHOQOL OLD, respectivamente. A satisfacao com a saude, com escore medio 4,3 (±0,6), o dominio fisico com escore 4,0 (±0,5), psicologico com 4,2 (±0,3), e as relacoes sociais com 4,2 (±0,4). E, por fim, em relacao ao meio ambiente, o escore medio foi 3,8 (±0,5). A primeira faceta correspondente ao Funcionamento do Sensorio teve escore medio de 4,1 (±0,8). A Autonomia, com escore medio 3,6 (±0,6). As demais facetas, obtiveram seguintes escores medios: Atividades Passadas, Presentes e Futuras com escore 4,4 (±0,5), Participacao Social com 4,2 (±0,3), Morte e Morrer com 4,3 (±0,8), e Intimidade com escore medio 4,1 (±0,8). CONSIDERACOES FINAIS: A qualidade de vida dos presbiteros idosos foi boa, com satisfacao regular no dominio meio ambiente e na faceta autonomia. A aposentadoria foi mencionada como premiacao pelos anos de trabalho, refletindo numa sensacao de descanso e tranquilidade, mas vale ressaltar que eles continuam exercendo seu ministerio presbiteral. Ao termino do ministerio, nao ha suporte da Igreja no que se refere a moradia, lazer e saude, por isso o Programa de apoio a Presbitero idoso como produto final do trabalho de pesquisa.
  • JOSE ALVES XAVIER JUNIOR
  • INFOGRÁFICO ANIMADO PARA O IDOSO COM DOENÇAS CRÔNICAS E SUA RELAÇÃO COM A SAÚDE BUCAL
  • Data: 29/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O prolongamento da vida é um desejo de qualquer sociedade, principalmente diante do fenômeno do envelhecimento, em razão da redução da capacidade dos idosos decorrente de alterações físicas, bioquímicas e funcionais. Essa alteração torna-os mais propensos a desenvolver doenças crônicas, eis que um dos fatores de risco é a própria idade, em que pese isso não significar um impedimento para o envelhecimento saudável. Doenças crônicas são afecções de saúde que se prolongam no tempo, alternando-se entre melhora e piora do quadro, sendo um problema de saúde mundial, evidenciado em países de baixa e média renda, consubstanciando-se na principal causa de mortalidade e morbidade no Brasil. Há comprovadas repercussões das doenças crônicas na saúde bucal, motivo pelo qual a saúde bucal ganha destaque no processo de cuidado sistêmico. Nessa perspectiva, a relação entre doenças crônicas e saúde bucal dos idosos faz com que seja necessária a construção de ações voltadas à saúde dessa população. Objetivos: 1) Evidenciar as publicações científicas sobre as doenças crônicas e a saúde bucal da pessoa idosa. 2) Verificar o impacto das doenças crônicas na saúde bucal da pessoa idosa. 3) Propor um Infográfico animado para pessoas idosas com doenças crônicas e o impacto na saúde bucal. Percurso Metodológico: Trata-se de um estudo exploratório, de abordagem quantitativa, conjugado com uma pesquisa metodológica, com apresentação, em sua fase final, de um instrumento tecnológico com dados sobre saúde bucal dos idosos e sua relação com as doenças crônicas, sob a forma de um Infográfico animado. Resultados e Discussão: Foram produzidos: A) Um artigo de Revisão Integrativa “Doenças crônicas e saúde bucal do idoso: uma revisão integrativa”, com análise de 9 artigos na amostra final, contexto em que ficou esclarecida a relação entre as doenças crônicas e a saúde bucal do idoso, bem como a existência de condições insatisfatórias da cavidade oral dessa população. B) Um segundo artigo como resultado de uma pesquisa num Centro de Práticas Integrativas do Município de João Pessoa/PB, sobre o impacto das doenças crônicas na saúde bucal do idoso. Os resultados obtidos apontaram para a compreensão de que o cuidado com a saúde bucal é um dos pilares para a manutenção da saúde sistêmica. C) Um Infográfico animado elaborado a partir dos resultados obtidos, direcionado ao idoso com doenças crônicas, com a finalidade de evidenciar a correlação das doenças crônicas no idoso e o impacto na saúde bucal. Conclusão: A revisão integrativa evidenciou a correlação entre as doenças crônicas e a saúde bucal do idoso. De acordo com a pesquisa, os idosos com doenças crônicas afirmam ter recebido orientação sobre saúde bucal, no entanto, elevado percentual não compareceu a nenhuma consulta odontológica no último ano. Espera-se que, com o uso do Infográfico animado correlacionando as doenças crônicas com a saúde bucal, o idoso seja motivado ao autocuidado com a saúde bucal e estimulado ao acompanhamento adequado com o odontogeriatra.
  • SANEYDE DE CARVALHO ALMEIDA
  • PROTOCOLO DE INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM PARA O DIAGNÓSTICO DE SOLIDÃO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS
  • Data: 29/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: as modificações decorrentes da transição demográfica e epidemiológica, associadas à estrutura familiar da pessoa idosa, impulsionaram a crescente procura por instituições de longa permanência para idosos. Diante dessa realidade, surgiu a necessidade de repensar o cuidado ao idoso institucionalizado, com vista à promoção da sua saúde. Objetivos: identificar, com base na literatura, os indicadores relacionados ao diagnóstico de solidão em idosos institucionalizados, construir e validar as intervenções de enfermagem para idosos institucionalizados com diagnóstico de solidão e propor um protocolo de intervenções de enfermagem para idosos com diagnóstico de solidão em Instituição de Longa Permanência. Método: trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em três etapas: na primeira foi realizada uma revisão integrativa da literatura sobre as intervenções relacionadas à solidão em idosos institucionalizados; a segunda etapa foi a construção e validação das intervenções de enfermagem para o diagnóstico de enfermagem “solidão” e a terceira a elaboração do protocolo de intervenções de enfermagem ao idoso com diagnóstico de Solidão em Instituição de Longa Permanência. Resultados: a revisão integrativa foi composta de 22 estudos primários que demonstraram uma produção de estudos relacionados ao idoso institucionalizado com solidão. As principais intervenções identificadas foram as abordagens terapêuticas não farmacológicas, que contribuíam para a diminuição do isolamento social entre idosos residentes. Para a construção e a validação das intervenções de enfermagem para o diagnóstico de enfermagem de “solidão”, foi realizada uma pesquisa aplicada, desenvolvida com base nas diretrizes do Conselho Internacional de Enfermeiros-CIE, o Modelo de Sete Eixos da CIPE®, o Modelo de Terminologia de Referência da ISO 18.104:2014 e a Classificação das Intervenções de Enfermagem – NIC. As intervenções de enfermagem correspondentes ao diagnóstico de enfermagem “solidão” foram incluídas em um instrumento para serem submetidos ao processo de validação por especialistas. Para a efetivação desta validação, foram selecionados seis juízes,alcançando um índice de concordância entre esses de 0,92, acima do que está preconizado na literatura. Após as sugestões dos juízes, buscou-se adequar os itens que formavam o protocolo,tornando-o um instrumento claro e exequível. Conclusões: a construção do protocolo de intervenções de enfermagem para o idoso com diagnóstico de solidão em Instituição de Longa Permanência a partir da abordagem utilizada é uma importante contribuição na sistematização do cuidado ao idoso institucionalizado, pois apresenta instrumento que subsidiará a assistência de enfermagem de forma eficaz e fidedigna, contribuindo, sobretudo, com a promoção da qualidade de vida dessa clientela.
  • HUGO COSTA SOUTO
  • GUIA DE ORIENTAÇÃO À PRÁTICA DE EXERCÍCIO FÍSICO EM ESPAÇOS PÚBLICOS PARA PESSOAS IDOSAS
  • Data: 29/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introducao: O envelhecimento populacional ocorre em todo o mundo e acarreta em modificacoes morfologicas, funcionais, psicologicas e sociais que resultam na reducao da capacidade funcional. A pratica da atividade fisica moderada e regular contribui para preservar a capacidade funcional, o bem-estar fisico e mental e aumentar o contato social, sendo assim, e de fundamental importancia a participacao do educador fisico para estimulacao funcional, mediante a elaboracao de um guia de orientacao da pratica de exercicio fisico. Objetivos: analisar a producao cientifica sobre atividade fisica para pessoas idosas realizada em espacos publicos em periodicos online de 2008 a 2018; conhecer o perfil e as dificuldades relatadas por pessoas idosas que realizam atividade fisica em espacos publicos; e elaborar um guia de orientacao a pratica de exercicio fisico por idosos em espacos publicos. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa metodologica, de abordagem quantitativa, estruturada nas seguintes fases: revisao integrativa da literatura acerca da pratica de atividade fisica realizada em espacos publicos por pessoas idosas; estudo exploratorio com abordagem quantitativa dos dados, que contou com uma amostra de 30 pessoas idosas que responderam um questionario semi-estruturado com questoes sobre a realizacao de exercicio fisico em espacos publicos e dificuldades apresentadas para sua realizacao. E posteriormente a elaboracao de um guia para orientacao a pratica de atividade fisica por idosos em espacos publicos. Os dados foram analisados por estatistica descritiva e inferencial. Resultados e discussao: Houve predominio de idosos do sexo feminino (53,3%), casado (a) (53,3%), residente em casa propria (83,3%), convivendo com conjuge (30%). Quanto a renda individual, 50% dos idosos declaram entre 2 a 3 salarios minimos. Quanto as morbidades referidas, a hipertensao arterial foi a mais relata (50%), seguida por diabetes (20%), osteoporose (15%), problemas na coluna vertebral (10%) e problemas cardiovasculares (5%). Quanto ao uso de medicacao, 60% dos idosos utilizam de duas a tres medicacoes. Ha predominancia de 43,3% de idosos que realizam exercicio fisico em espacos publicos de duas a tres vezes por semana, com duracao de 30 a 60 minutos (63,3%), ha mais de seis meses (76,7%). Com relacao a estrutura do espaco fisico, a maioria (40%) dos idosos considera a infraestrutura das pracas em que realizam atividade fisica como boa e com boa seguranca (53,3%), todavia, com manutencao de equipamentos ruim (60%). No que se refere a dificuldade para realizacao de exercicio fisico em espacos publicos, houve predominio da falta de orientacao profissional, relatada por 70% dos idosos. Conclusoes: Foi possivel observar varios beneficios para os idosos relacionados a pratica de atividade fisica regular e algumas dificuldades enfrentadas por eles para sua realizacao. Os idosos sao motivados a realizar a atividade fisica em busca de melhoria em sua qualidade de vida, no entanto, apesar da boa infra-estrutura das pracas publicas, estas nao possuem manutencao de seus equipamentos e falta orientacao de um profissional de saude, para a realizacao correta dos exercicios nos equipamentos existentes nas pracas, evidenciando assim a importancia de um produto tecnologico que vise contribuir para a melhoria da autonomia, seguranca na realizacao do exercicio fisico e qualidade de vida da pessoa idosa.
  • ROMEIKA BARBOZA CARTAXO PIRES DE SÁ
  • PROGRAMA SOCIOEDUCATIVO INTERGERACIONAL NAS ESCOLAS
  • Orientador : ANTONIA LEDA OLIVEIRA SILVA
  • Data: 29/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O processo de envelhecimento pode causar sentimentos de medo e inseguranca, gerando isolamento da sociedade, deste modo e importante incentivar o relacionamento entre geracoes. Esse relacionamento pode trazer beneficios para ambas geracoes. Por conseguinte, denota-se a necessidade de novas praticas e novos instrumentos voltados a saude da pessoa idosa, de acordo com o objeto de estudo desta dissertacao questiona-se: Quais sao as evidencias cientificas sobre a relacao intergeracional avos e netos no periodo de 2007 a 2017? Quais as Representacoes Sociais das criancas sobre a pessoa idosa? Para responder a tais questionamentos, este estudo tem os objetivos de: evidenciar as publicacoes cientificas sobre a relacao intergeracional avos e netos; conhecer as Representacoes Sociais das criancas sobre a pessoa idosa; propor um Programa Socioeducativo Intergeracionais nas Escolas. Trata-se de um estudo exploratorio e de abordagem qualitativa, com o aporte teorico das Representacoes Sociais. Seguiu as etapas: pesquisa nas bases de dados nacionais e internacionais possibilitando um levantamento situacional nas publicacoes cientificas sobre a relacao intergeracional avos e netos; depois uma investigacao empirica com criancas nas escolas sobre o tema escolhido; por fim, a elaboracao de um Programa Socioeducativo Intergeracionais nas Escolas. Na Primeira etapa, foram definidas cinco bases de dados: Cinahl, Web of Science, Scorpus, Pubmed, Lilacs. Tambem, foram utilizados os descritores indexados no Medical Subject Headings: Elderly; Intergenerational Relations; Grandparents; preschool children e os Descritores em Ciencias da Saude: Idoso; Relacao Intergeracional; Avos; Escolares. Resultando em 23 trabalhos incluidos na revisao. Considerando a pesquisa empirica, participaram 46 alunos, sendo 52,2%(24) meninos e 47,8(22) meninas, a media de idade foi 10,24. No que concerne ao desenho-estoria com tema foi feita uma analise de conteudo linguistica e iconica, que incidiu, essencialmente, na interpretacao dos desenhos realizados pelas criancas, possibilitando a codificacao e criacao de categorias, emergindo 3 categorias, sendo a primeira Descricoes psicossociais que abrange os aspectos da vida social e do psicologico das criancas com relacao a pessoa idosa, baseada nas relacoes que este mantem com a sociedade para o desenvolvimento da sua psique, a segunda categoria concerne os Aspectos biologicos/fisicos, agrupando as caracteristicas utilizadas pelas criancas, a partir dos fatores biologicos e fisicos, a terceira categoria engloba as Interacoes socioeducativas, possibilitando observar o papel do idoso no desenvolvimento socioeducativo da crianca atraves do olhar dos mesmos. O Programa Socioeducativo Intergeracionais nas Escolas, conta com 9 atividades propostas para o processo interativo dos idosos com as criancas para ser desenvolvido com o auxilio dos professores, membros da comunidade e familiares, sao eles: Jogos de Tabuleiro; Contacao de historias; Danca; Musicalizacao; Dia de visita; Lanches coletivos; Passeios em pontos turisticos; Horta; Relato Pessoal; Arteterapia. A relacao pessoa idosa e a crianca, pode refletir positivamente na manutencao da autonomia e independencia, manter o nivel cognitivo e motor, influenciar na socializacao. O relacionamento dos idosos com seus filhos e netos envolve grande complexidade emocional e a qualidade dessas relacoes esta associada as suas condicoes de saude fisica e mental.
  • RAFAELA JEANE PEREIRA CUNHA
  • SOFTWARE DE INFORMAÇÃO COMO FERRAMENTA PARA O MONITORAMENTO DE DADOS DE SAÚDE DA PESSOA IDOSA
  • Data: 29/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Os Sistemas de Informação em Saúde (SIS) constituem um conjunto de componentes que atuam de forma integrada, capazes de estruturar, operacionalizar, fiscalizar, monitorar e avaliar o desempenho e a qualidade dos serviços. Objetivos: Identificar os achados na literatura que abordem o monitoramento de informações em relação à saúde do idoso; conhecer a concepção de gestores da atenção básica sobre software de informação da saúde da pessoa idosa; e construir um Software de informação para o monitoramento da saúde da pessoa idosa; Método: Estudo de revisão: estudo do tipo Revisão Integrativa. A pesquisa foi realizada nas bases de dados da (BDENF), (LILACS), (WEB OF SCIENCE), (CINAHL) e (SCIELO), selecionando artigos no período de 2009 a 2018, nos idiomas Português, Inglês e Espanhol. Foram elencadas estratégias de busca utilizando o operador booleano AND e selecionados os seguintes filtros: texto completo disponível, assunto principal, limite, idioma, ano e tipo de documento. A pesquisa foi realizada nos meses de maio e junho de 2018. Pesquisa de Campo - Elaborou-se um questionário semiestruturado contendo 27 identificações quantitativas e 08 questões discursivas, sendo aplicado aos gestores dos Sistemas de Informação dos Distritos Sanitários do município de João Pessoa. Resultados: No estudo de revisão, evidenciou-se que os artigos encontrados abordaram o sistema de informação e monitoramento em saúde, porém não se direcionam à saúde da população idosa. Já os dados oriundos da Pesquisa de Campo foram analisados e apresentados, emergindo da opinião dos gestores do sistema de informação para AB. Todos responderam que não existe um sistema específico que traga informações quanto à saúde do idoso. O Produto Tecnológico foi construído através dos formulários do Google, contém a equipe a que pertence, o mês de referências e as 27 questões contendo a produção relacionada a saúde da população idosa de cada território. Conclusão: Com relação à qualidade das informações, se faz necessário realizar um trabalho desejando à conscientização e consequentemente o compromisso do profissional de saúde com o registro de suas atividades diárias e percebe-se ainda uma escassez de trabalhos publicados com esse tema. Contudo, este software será de fundamental importância para a gestão e para os profissionais que compõem as equipes de saúde da família do município de João Pessoa, na medida que, através dele e com sua atualização mensal, o município terá dados atualizados para uma melhor compreensão de sua alimentação para análise e monitoramento da saúde do idoso.
  • JEANE DA SILVA ROCHA SANTOS
  • HISTÓRICO DE ENFERMAGEM PARA IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS COM DEPRESSÃO
  • Data: 29/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O processo de envelhecimento ocasiona, por sua vez, mudanças nas demandas de saúde. Sendo assim, a partir desta conjuntura, observa-se a necessidade de cuidados prolongados em pacientes, muitas vezes também, devido à insuficiência de suporte familiar. Considerada como uma síndrome geriátrica, a depressão está relacionada ao comprometimento da saúde e da qualidade de vida, além das altas taxas de morbidade e mortalidade, que consiste em um problema de saúde pública. A depressão em idosos apresenta alta prevalência e é considerado um fator associado ao suicídio e a morte precoce. As mudanças estruturais das famílias, no desempenho de seus papéis, na redução do seu tamanho e dos arranjos familiares, interferem na disponibilidade de pessoas para os cuidados aos idosos dependentes em casa, ocasionando a transferência de responsabilidade desses cuidados para as Instituições de Longa Permanência para Idosos. Muitos idosos negam a existência da doença e não procuram o acompanhamento profissional adequado. Os profissionais enfrentam dificuldades diante do diagnóstico e do tratamento da depressão. OBJETIVO: Propor um histórico de enfermagem para idosos institucionalizados com depressão subsidiado no modelo teórico das NHB; identificar, com base na revisão de literatura, indicadores empíricos em idosos institucionalizados com depressão; classificar os indicadores empíricos identificados com base na Teoria das Necessidades Humanas Básicas de Wanda Horta; confirmar a utilidade dos indicadores empíricos para a prática profissional e construir, com base nos indicadores validados, um histórico de enfermagem para idosos institucionalizados com depressão. MÉTODO: Trata-se de uma pesquisa metodológica desenvolvida em Instituições de Longa Permanência nas cidades de Recife/PE e João Pessoa /PB com a participação de cinco enfermeiras, utilizando o modelo teórico das Necessidades Humanas Básicas de Wanda Horta entre os meses de julho e novembro de 2018. A pesquisa foi desenvolvida nas seguintes etapas: 1- Revisão integrativa da literatura para identificação de indicadores empíricos na avaliação de idosos com depressão em ILPI. Estes indicadores foram classificados de acordo com as Necessidades Humanas Básicas de Horta; 2- Confirmação da utilidade para a prática profissional dos indicadores empíricos com enfermeiros. Para cada indicador, foi calculado o Índice de Validade de Conteúdo. 3 – Estruturação do histórico de enfermagem com os indicadores empíricos que obtiveram um Índice de Validade de Conteúdo ≥ 0,80 entre enfermeiros, seguindo os princípios éticos preconizados pelo Conselho Nacional de Saúde para pesquisa com seres humanos. Foi construído o histórico de enfermagem para idosos institucionalizados com depressão e, por fim, a realização de validação do conteúdo do instrumento. RESULTADOS: Desenvolveu-se neste trabalho, a partir de indicadores empíricos, um instrumento de histórico de enfermagem, a fim de auxiliar e construir o saber técnico com a autonomia do profissional de enfermagem para idosos institucionalizados com depressão. CONSIDERAÇÕES FINAIS: a partir da pesquisa aqui empreendida e do desenvolvimento do histórico de enfermagem, pode-se confirmar a necessidade de atenção dos profissionais de enfermagem junto aos idosos em estado depressivo, pois por meio da utilização dos instrumentos diagnósticos e de um Histórico de Enfermagem é possível obter informações da doença, podendo auxiliar no tratamento adequado de modo que possa evitar que chegue ao último estágio da doença: o suicídio.
  • CARILES SILVA DE OLIVEIRA
  • DESENVOLVIMENTO DE VÍDEO EDUCATIVO PARA O CUIDADOR DE IDOSOS: ASPECTOS DA SAÚDE E HIGIENE BUCAL
  • Data: 28/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A saúde bucal é componente inseparável do sistema de saúde corporal, capaz de afetar o bem-estar físico e psicossocial das pessoas. No contexto da pessoa idosa, especialmente em condição de dependência funcional, esses cuidados têm relação com a preservação da saúde geral, ficando sob responsabilidade dos cuidadores a execução das ações de cuidado. Embora orientações sobre higiene corporal e bucal sejam referidas em manuais e cartilhas para cuidadores, sabe-se da dificuldade de acesso e da baixa motivação para a busca de novos conhecimentos. Objetivos: 1- Identificar as publicações acerca do conhecimento dos cuidadores sobre saúde bucal da pessoa idosa dependente. 2- Identificar como os cuidadores atuam com relação à saúde bucal de idosos dependentes. 3- Elaborar uma tecnologia educativa para cuidadores, abordando aspectos da saúde e higiene bucal da pessoa idosa. Percurso Metodológico: trata-se de um estudo metodológico, que teve como proposta construir um vídeo educativo com orientações sobre saúde bucal para cuidadores de idosos dependentes. Resultados e Discussão: Foram produzidos dois artigos: 1- “Saúde bucal de idosos dependentes e conhecimentos do cuidador: revisão integrativa”, cujos achados do estudo mostraram as dificuldades enfrentadas pelos cuidadores no provimento das ações de saúde bucal aos idosos, bem como a formação deficiente, déficit de conhecimentos, sobrecarga de trabalho, crenças negativas em saúde e influência do processo de trabalho na execução dessas atividades. 2- “Vídeo educativo para o cuidador de idosos: aspectos da saúde e higiene bucal”, que foi realizado por meio da aplicação de um questionário estruturado aos cuidadores de idosos em institutos de longa permanência. A partir destes resultados, elaborou-se o script do vídeo, o qual foi submetido à avaliação por um comitê composto por três experts, os quais sugeriram alterações textuais, a fim de facilitar a compreensão dos cuidadores ao utilizarem o produto tecnológico educativo. Considerações finais: A literatura mostrou que o cuidador de idosos apresenta dificuldades na execução dos cuidados relacionados com a saúde bucal do idoso, o que influencia na prestação da assistência ao idoso dependente. A pesquisa mostrou a necessidade do uso da tecnologia educativa para a orientação de cuidadores, constituindo o vídeo uma estratégia que auxilia na apreensão do conteúdo, pela dinâmica de recursos audiovisuais, com demonstração prática das condutas assistenciais.
  • ANA ZULI VIDAL MOREIRA DE FREITAS
  • FOLDER SOBRE OS EFEITOS DA ARTETERAPIA NA AUTOESTIMA DE IDOSOS
  • Orientador : YURI WANDERLEY CAVALCANTI
  • Data: 27/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertacao de mestrado tem como titulo: FOLDER SOBRE OS EFEITOS DA ARTETERAPIA NA AUTOESTIMA DE IDOSOS, discorre sobre o envelhecimento e Arteterapia. Na atualidade sao estimuladas estrategias que vem fortalecer a insercao social e economica do idoso na sociedade, com por exemplo a Arteterapia. A importancia da Arteterapia como atividade terapeutica voltada para a populacao idosa, nao se limita em registrar comportamentos ou sintomas proprios da velhice, mas ao contrario, resgata propostas, estudos e ideias para que se alcancem meios em defesa de um envelhecimento saudavel. O problema esta balizado na vida dos idosos que por citados no presente trabalho se encontram desmotivados e deprimidos. Assim questiona-se: Qual o efeito da Arteterapia na qualidade de vida de idosos independentes? Qual e a percepcao de idosos que participam de um grupo de Arteterapia? Para tanto, o presente trabalho tem os seguintes objetivos: Realizar uma Revisao Sistematica para verificar o efeito da Arteterapia na qualidade de vida de idosos independentes; conhecer a percepcao de pessoas idosas participantes do Grupo “Partilhando Artes” da pratica da Arteterapia no Centro de Praticas Integrativas e Complementares “Equilibrio do Ser”, em Joao Pessoa/PB; elaborar um Folder sobre os efeitos da Arteterapia na autoestima de idosos e uma Lista de Recomendacoes. Metodologia: Realizou-se uma Revisao Sistematica a partir de buscas nas bases de dados: PubMed (Medline), Scopus, Web of Science, Cochrane e Lilacs, de forma abrangente e irrestrita ao ano ou idioma de publicacao. Identificou-se 5 artigos para amostra final. Dos artigos analisados todos responderam a questao de que a Arteterapia traz beneficios e melhora a qualidade de vida da pessoa idosa. Metodologia do estudo de campo: Para pesquisa de campo, foram entrevistadas 13 idosas que participam regularmente ha pelo menos um mes do grupo “Partilhando Artes” da pratica de Arteterapia no CPIC “Equilibrio do Ser”. As entrevistas foram gravadas em audio seguindo-se um roteiro semiestruturado. Posteriormente, os audios foram transcritos e analisados segundo a Analise de Conteudo. Resultados e Discussao: Os resultados encontrados tanto na Revisao Sistematica, como na Pesquisa de Campo evidenciam que os efeitos da Arteterapia na vida dos idosos sao beneficos, tais como: socializacao, fortalecimento da autoimagem, novas habilidades artisticas, compartilhamento, melhora na qualidade de vida, bem-estar, reducao dos sentimentos negativos e da depressao. Os dados coletados foram analisados, buscando-se correlacionar os relatos com os objetivos da pesquisa. Consideracoes Finais: A Arteterapia vem como uma estrategia para vencer dificuldades internas e externas, estimulando a superacao de seus limites pessoais ou praticando o que ja sabem e aprendendo coisas novas.
  • ANA KARINA MOREIRA DE VASCONCELOS
  • GUIA ORIENTAÇÕES PREVENTIVAS PARA SAÚDE BUCAL DO IDOSO
  • Orientador : YURI WANDERLEY CAVALCANTI
  • Data: 27/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O estado de saude bucal dos idosos e parte indispensavel e integrante da saude geral dos individuos,sendo necessaria sua manutencao e prevencao, pois uma vez comprometida, pode afetar o nivel nutricional, o bem-estar fisico e mental, e diminuir o prazer de uma vida social ativa. Realizou-se uma revisao sistematica da literatura com o objetivo de verificar a relacao entre saude bucal, depressao equalidade de vida. A hipotese foi de que os idosos apresentam maior prevalencia de disfuncoes orais.Foram incluidos, apos a triagem, seis estudos, que constataram que as alteracoes bucais interferem na qualidade de vida e na depressao de idosos independentes. Programas especificos para os idosos para o controle e prevencao da saude bucal dos idosos sao necessarios de modo a contribuir para que esses individuos envelhecam com dignidade. Foi realizada uma pesquisa com os idosos do municipio de Joao pessoa para verificar a relacao entre a condicao bucal de idosos independentes com a depressao e qualidade de vida relacionada a saude. Idosos independentes (n=120) que procuraram atendimento em servicos publicos e privados foram examinados quanto a experiencia de carie e presenca de outros agravos bucais (biofilme, calculo, gengivite, periodontite, e mobilidade dental). Alem disso, os idosos responderam a questionarios validados para avaliacao da depressao geriatrica (Geriatric Depression Scale – GDS-15) e e qualidade de vida relacionada a saude (World Health Organization Quality of Life – WHOQOL-Breef and WHOQOL-Old). Os dados foram analisados pelo teste de correlacao de Spearman e segundo modelo de regressao logistica binaria (α=5%). Observou-se correlacao significante entre o numero de dentes perdidos e os dominios fisico (r= −0,180), do meio ambienete (r= −0,244), de auto-percepcao sobre a saude (r= −0,263) e em relacao ao escore total do WHOQOLBreef (r= −0,200). Nao se verificou correlacao entre a condicao bucal e escala de depressao geriatrica. A Analise de regressao logistica demonstrou que o maior numero de dentes perdidos esta relacionada a pior escore do WHOQOL-Breef (<75%) (RP=1,07, IC95%=1,01-1,13). Alem disso, idosos atendidos no setor publico possuem melhor escore de WHOQOL-Old (>75%) (RP=0,54, IC95%=0,33-0,88), enquanto mulheres possuem maior prevalencia de depressao (GDS>5) (RP=1,64,IC95%=1,05-2,59). A perda dentaria impacta na qualidade de vida relacionada a saude, porem nao possui relacao com a depressao em idosos independentes. A partir dos resultados elaborou-se um Guia de Orientacao para a Saude Bucal voltado aos idosos com a finalidade implementar e consolidar habitos saudaveis de higiene bucal que ajudam no envelhecimento saudavel e uma boa qualidade de vida.
  • CAMILA NAVARRO ROCHA SARAIVA
  • CONSTRUÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM PESSOA IDOSA COM DEPRESSÃO
  • Data: 27/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento da população é um fenômeno que vem sendo observado a nível mundial, principalmente nos países em desenvolvimento. Constatam-se mudanças nas demandas de saúde da população brasileira, na direção das necessidades da população geriátrica representadas por problemas crônicos, que requerem intervenções mais sofisticadas e onerosas. Nesse contexto, a depressão emerge como um importante agravo entre essa população. É dever de todo o profissional de saúde – e nesse contexto o enfermeiro está inserido, implantar metodologias estratégicas de assistência referentes a um acompanhamento holístico do paciente. Para auxiliar nos questionamentos relatados, o enfermeiro utiliza a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), que é um espaço destinado para expressar/captar as necessidades, colaborando através da solução dos problemas privativos do enfermeiro e articulação com outros segmentos, profissionais ou estruturas de suporte. A consulta de enfermagem caracteriza-se por ser uma ferramenta tecnológica de fundamental importância nesse processo. Neste estudo, optou-se pela Teoria das Necessidades Humanas Básicas de Wanda Horta, além de ser uma das teorias mais utilizadas em todo o país, se ajusta ao atendimento do perfil da clientela escolhida, além de ser o referencial teórico implementado no Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW). Objetivos: Realizar uma revisão integrativa, por meio de artigos publicados em periódicos, em relação ao instrumento sobre a consulta de enfermagem em idosos com depressão; identificar os indicadores empíricos das Necessidades Humanas Básicas, correlacionando com a nomenclatura de diagnósticos, resultados e intervenções; construir um instrumento para a consulta de enfermagem para a pessoa idosa com depressão. Método: Trata-se de um estudo do tipo metodológico, implementado no atendimento do ambulatório de psiquiatria do Hospital Universitário Lauro Wanderley, na cidade de João Pessoa – PB. O mesmo foi desenvolvido em três etapas: identificação dos indicadores empíricos, ancorado na teoria das Necessidades Humanas Básicas, em idosos com depressão; desenvolvimento dos enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções, a partir dos indicadores identificados; elaboração de um instrumento para a Sistematização da Assistência de Enfermagem. Resultados: Realizada uma ampla revisão na literatura para verificar as necessidades dos idosos com depressão, usando como pressuposto por Horta, ocasionando na obtenção de indicadores específicos. Em seguida, foram desenvolvidos enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem, que posteriormente foram utilizados na elaboração da construção do instrumento. Após essa etapa, foi desenvolvida versão final do produto, considerando a sua importância para a prática assistencial. Considerações finais: Espera-se que a utilização deste instrumento seja um avanço na implementação da SAE, que possa subsidiar a equipe para orientar o paciente, família, cuidador, para tratar as necessidades afetadas e minimizar as dificuldades que já estiverem instaladas, favorecer o ensino, facilitar a comunicação e registro da assistência de enfermagem. Conclui-se afirmando que este instrumento pode ser utilizado no ensino e na pesquisa em enfermagem, tornando-os mais efetivos e promovem visibilidade dessa assistência para a clientela e outros profissionais da enfermagem.
  • MARTA FERREIRA DE CARVALHO
  • CONSULTA DE ENFERMAGEM PARA PESSOA IDOSA COM DOR CRÔNICA
  • Data: 26/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a dor crônica é um grande desafio para a saúde pública, associada a processos patológicos de longa duração, que se aprazam por meses e muitas vezes por anos, principalmente a população idosa. Diante disto, se faz necessária uma adequada avaliação e diagnósticos assertivos por parte da equipe multiprofissional, para evitar tratamentos ineficazes. Nesse contexto, ressalta-se a importância do cuidado sistematizado de enfermagem direcionado ao idoso com dor crônica, no sentido de contribuir para minimizar ou resolver esse sintoma. Objetivos: buscar evidências científicas sobre as estratégias terapêuticas para pessoa idosa com dor crônica; realizar diagnósticos e intervenções de enfermagem para pessoas idosas com dor crônica e propor um roteiro para consulta de enfermagem para pessoa idosa com dor crônica. Método: trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em três etapas: na primeira foi realizada uma revisão integrativa da literatura sobre as estratégias terapêuticas para pessoa idosa com dor crônica; a segunda etapa foi realizada uma pesquisa para construção de diagnósticos e de intervenções de enfermagem para pessoas idosas com dor crônica e na terceira foi construído um roteiro para consulta de enfermagem para pessoa idosa com dor crônica. O estudo teve a participação de 96 idosos residentes nos condomínios Cidade Madura, situados em cinco Municípios do Estado da Paraíba. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, no período de novembro de 2018 a janeiro de 2019. Os dados foram analisados subsidiados no aporte teórico das Necessidades Humanas Básicas para construção de um roteiro de consulta de enfermagem voltado à pessoa idosa com dor crônica residente nos referidos condomínios. Resultados e discussão: participaram do estudo 96 idosos residentes nos Condomínios Cidade Madura do Estado da Paraíba: 26 idosos em Cajazeiras; 21 Souza, 18 Guarabira; 16 João Pessoa e 15 idosos Campina Grande. A prevalência de dor crônica no momento da entrevista o condomínio de Cajazeiras 38,5%(10) informaram sentir dor; em Souza 57,1% (12) referiram dor; Guarabira, metade dos entrevistados relataram sentir dor e a outra metade não sentiam dor, perfazendo 50% (9) respectivamente; em João Pessoa, 37,5%(6) relataram dor 42,9% (6) na região anterior dos membros inferiores joelho e 40% na região posterior do tronco; Campina Grande, 73,3%(11) estavam com dor. Os dados coletados subsidiaram a construção diagnósticos de enfermagem e intervenções no Modelo Teórico das Necessidades Humanas Básicas levando-se em consideração as dimensões: psicobiologicas, psicossociais e Psicoespirituais na construção de um roteiro para consulta de enfermagem dos moradores idosos dos cinco Condomínios Cidade Madura. Considerações finais: O instrumento proposto para consulta de enfermagem irá auxiliar a equipe de enfermagem nas intervenções de enfermagem frente a dor crônica a partir da identificação de diagnósticos para possíveis intervenções de enfermagem, contribuindo assim, na assistência à pessoa idosa com queixas dolorosas, colaborando no acompanhamento desses pacientes e com pesquisa futuras.
  • KILMA CUNHA DE BARROS
  • A COMUNICAÇÃO INTERGERACIONAL ENTRE JOVENS E IDOSOS ESTABELECIDA POR OFICINAS PEDAGÓGICAS
  • Orientador : EDILENE ARAUJO MONTEIRO
  • Data: 25/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento populacional ocorre em todo o mundo e traz consigo algumas preocupacoes por ocasionar consequencias sociais e biologicas para a sociedade. Os estudos evidenciam que a comunicacao intergeracional entre jovens e idosos favorece a construcao de vinculos, desfaz barreiras de estereotipos e preconceitos sociais e culturais. Esta pesquisa teve por objetivo Estabelecer a Comunicacao Intergeracional entre Jovens e Idosos por meio de Oficinas Pedagogicas. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa, que utilizou como opcao pedagogica a problematizacao. Na primeira etapa da pesquisa foi realizada uma revisao integrativa e na segunda etapa foram construidas e aplicadas cinco oficinas pedagogicas com 18 idosos e 18 jovens. As oficinas foram baseadas na metodologia da problematizacao, na investigacao dos dados utilizou-se a analise de conteudo e o software Iramuteq na analise estatisticas dos elementos textuais. Os resultados apontam que atividades de intervencoes por meio das oficinas pedagogicas acarretam mudancas de atitudes e comportamentos nos idosos e nos jovens e promove a comunicacao intergeracional entre jovens e idosos.
  • ANGELINI GURGEL BELLO BUTRUS
  • BLOGUE INFORMATIVO SOBRE A ALIENAÇÃO PARENTAL PARA A PESSOA IDOSA
  • Orientador : ROBSON ANTAO DE MEDEIROS
  • Data: 22/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O Estatuto do Idoso Lei nº 10.741 de 2003, amplia essa vulnerabilidade para que seja garantida de forma psiquica e fisica, pois o idoso e um sujeito passivel de alienacao. Cumpre ressaltar que tal dispositivo ampara o idoso com o principio da protecao total, ou seja, resguardando de qualquer negligencia que coloque seus direitos em risco. Dessa forma, tais dispositivos podem ser interpretados para proteger o idoso de uma eventual alienacao e inseri-lo como vitima dessa situacao. O Estado e responsavel por garantir a protecao aos vulneraveis, conforme previsto na Carta Magna, a extensao da aplicacao da Lei de alienacao parental n° 12.318 de 2010 e uma possibilidade de minimizar as consequencias do respectivo instituto e garantir os direitos dos idosos que estao em condicao de vulnerabilidade, afim de protege-los. Tem por objetivos conhecer as producoes cientificas sobre a alienacao parental (AP) associada ao processo de envelhecimento; apresentar a concepcao de pessoas idosas sobre a alienacao parental (AP); construir um Blogue Informativo sobre alienacao parental na Velhice; fomentar a ampliacao do conceito de alienacao parental (AP) a pessoa idosa, auxiliando nao so a identificacao dos casos de desequilibrios nas relacoes intergeracionais relacionados a alienacao parental, bem como possibilitando a construcao de estrategias de enfrentamento, nos principios constitucionais do direito de familia conforme a Constituicao Federal. Como de natureza metodologica, o presente estudo foi desenvolvido em tres etapas: a primeira compreendeu uma revisao integrativa da literatura sobre a alienacao parental na velhice; a segunda etapa foi caracterizada por uma construcao de check-list de Autopercepcao da Alienacao Parental na Velhice a partir do nivel de conhecimento de pessoas idosas sobre o conceito e as evidencias da alienacao parental, e a terceira etapa compreendeu a producao de um blogue informativo subsidiado pelo aparato legal vigente e as consideracoes feitas pelos idosos entrevistados. O referido estudo apresenta fragilidades no tocante que ha pouca doutrina no que tange a protecao do idoso no instituto da alienacao parental. Uma das maiores dificuldades e a falta de conhecimentos dos idosos sobre este tema. Por isso, os resultados apresentaram-se limitados, com dificuldades para apresentar o cenario real, pois nao havia esclarecimento do Poder Publico a sociedade idosa. A partir de um corpus constituido por 50 entrevistas, os dados apreendidos pelas entrevistas, foram formadas quatro classes, denominadas a partir do discurso apresentado, sendo a Categoria 1 - Dimensoes conceituais da alienacao parental na velhice; Categoria 2 - Imagens atribuidas por idosos a alienacao parental. Elas traduzem, em sua integralidade sobre o modo de pensar e de agir de como os idosos repercutem o reconhecimento e as imagens sobre a alienacao parental, a partir de sua identidade social e cultural associadas as experiencias construidas ao longo dos anos vividos. Destarte, o deficit na literatura cientifica em relacao a alienacao parental na velhice mostra-se como uma limitacao. Os autores sugerem que outras pesquisas sejam feitas, com uma amostra maior, objetivando conhecer mais esta populacao que esta em crescimento iminente, alem de proporcionar engrandecimento cientifico para os seus leitores.
  • MARIANA DE LACERDA SIQUEIRA BRASILEIRO
  • JOGO DIGITAL PARA INTERAÇÃO ENTRE CRIANÇAS E IDOSOS: construindo laços intergeracionais
  • Data: 22/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional compreende uma realidade desafiadora para todas as sociedades. Frente a esta problemática evidenciam-se muitas dificuldades, como a tendência de fragmentação da família com distanciamento entre as gerações, que impacta nos relacionamentos familiares e nas funções domiciliares do idoso, refletindo negativamente nas relações intergeracionais. Neste contexto, a educação intergeracional se destaca como uma estratégia poderosa para a promoção do envelhecimento ativo, por meio da melhoria da qualidade de vida e das relações entre as pessoas, contribuindo para a construção de uma sociedade com laços de solidariedade mais fortalecidos. Assim, considerando os desafios e as pressões sociais que podem surgir a partir do processo de envelhecimento populacional, os jogos digitais não só constituem uma estratégia para conectar diferentes gerações, mas também proporcionam benefícios a todos os envolvidos, como a facilitação para a comunicação, a cooperação, e o aprendizado compartilhado. Objetivos: Evidenciar a produção científica sobre os benefícios dos Programas Intergeracionais na promoção das relações entre crianças e idosos; identificar a opinião dos idosos sobre atividades interativas com as crianças; elaborar um jogo digital para crianças e idosos. Método: Trata-se de uma pesquisa exploratória de abordagem qualitativa desenvolvida em três etapas: na primeira, foi realizada uma revisão integrativa, utilizando os descritores: Idoso; Criança; Relação entre Gerações e Educação, considerando o termo booleano AND; e as palavras-chaves: Intergeracionalidade, Educação Gerontológica e Programas Intergeracionais, com seus correspondentes na língua inglesa e espanhola. Na segunda etapa foi realizada uma pesquisa com trinta crianças, em uma escola pública, e trinta pessoas idosas, em uma instituição de atendimento, no município de João Pessoa - Paraíba. Os dados foram coletados a partir de entrevistas semiestruturadas submetidas à técnica de análise de conteúdo temática, emergindo, assim, quatro categorias: opiniões de crianças e idosos sobre interação intergeracional; opinião dos idosos sobre a participação em atividade com crianças; tipos de atividades sugeridas pelos idosos para interagir com crianças; posicionamento de crianças e idosos sobre o uso de um jogo digital intergeracional. Na terceira etapa, os resultados obtidos pela pesquisa subsidiaram o desenvolvimento de um jogo digital para promover a interação recreativa entre crianças e idosos e facilitar a comunicação intergeracional. Resultados: Verificou-se uma boa aceitação das crianças e dos idosos para uso de um jogo digital e que as crianças costumam utilizar essa forma de entretenimento, na maioria das vezes por meio do celular, e veem na referida ferramenta uma oportunidade para explorar e interagir em conjunto. Conclusão: Espera-se que o jogo proposto estimule maior interação, reforçando sentimentos positivos, para um convívio intergeracional saudável e estimulador do ponto de vista social e afetivo.
  • ILANNA CIBELE DELGADO DE ARAUJO FONSECA
  • CHECKLIST PARA RASTREAMENTO DAS ALTERAÇÕES DE AUDIÇÃO E LINGUAGEM EM IDOSOS
  • Data: 21/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O crescimento da população de idosos é mundial e tem acontecido tanto em números absolutos quanto relativos, trazendo o envelhecimento como uma realidade. Neste contexto, a presbiacusia refere-se à diminuição auditiva relacionada ao envelhecimento, e se apresenta como sendo uma das maiores privações sensoriais. Pode trazer consigo o isolamento do indivíduo, levando-o ao rompimento da comunicação. A linguagem, seja ela oral ou escrita, é considerada um mecanismo do pensamento e, por meio dele, o indivíduo recompõe-se, programa suas ações, entende, aprende, apresenta sua opinião e se constrói como sujeito. Os aspectos de audição e linguagem estão relacionados com a forma como os indivíduos comunicam-se, exercendo seu papel social, fator este de muita relevância para uma melhor qualidade de vida desta população. Sendo assim, a construção do checklist que vai rastrear alterações da audição e linguagem em idosos por profissionais de saúde não-fonoaudiólogos torna-se relevante. Objetivo: Construir um checklist para identificar as alterações de audição e linguagem em idosos. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa metodológica de abordagem quantitativa, estruturada em duas etapas: 1. Revisão integrativa da literatura sobre as alterações de audição e linguagem do idoso para subsidiar a elaboração da primeira versão do checklist, realizada nos meses de fevereiro e março de 2018; 2. Construção do checklist para rastreamento das alterações de audição e de linguagem, após avaliação e contribuição dos participantes. Os participantes iniciaram o processo de validação de conteúdo do instrumento, compondo dois grupos: GE (grupo de experts), e GP (grupo de profissionais de saúde). Os dados foram organizados em planilha digital e as variáveis foram analisadas de forma descritiva utilizando o índice de validação do conteúdo (IVC). Resultados: Apresenta-se como produto um checklist para rastreamento das alterações de audição e linguagem em idosos, que poderá ser preenchido por profissionais de saúde não-fonoaudiólogos que atuem junto à pessoa idosa em unidades de saúde. A partir disso, constatar a necessidade de encaminhamento para o fonoaudiólogo para avaliação específica. Conclusão: A avaliação de experts e profissionais de saúde não-fonoaudiólogos confirmou a elaboração adequada do checklist para ser aplicado por profissionais de saúde, encaminhando, se necessário, ao fonoaudiólogo. O rastreamento através de uma folha de verificação (checklist) detecta possíveis falhas/dificuldades de audição e de linguagem do idoso, servindo de instrumento para tomada de decisão.
  • LUCIA DE FATIMA MORORO NORONHA
  • FLUXOGRAMA: ARBOVIROSES COM ORIENTAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE E IDOSOS
  • Orientador : RONALDO BEZERRA DE QUEIROZ
  • Data: 21/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • As Arboviroses decorrentes de mosquitos vetores tem sido uma tematica bastante estudada e debatida nos diversos espacos de saude e estudos cientificos, em busca da conscientizacao, prevencao dos riscos e melhor atendimento, principalmente na populacao idosa, individuos mais vulneraveis aos arbovirus. Doencas Emergentes e Reemergentes descritas na literatura ha decadas ate os dias atuais, de apresentacao ciclica, aliadas a fatores externos e climaticos, com manifestacoes atipicas e graves na populacao idosa, a Dengue, Chikungunya e Zika promove alteracoes em sistemas organicos, sendo a Chikungunya responsavel por mais obitos em idosos por alteracoes cardiacas com possibilidade de diagnostico na fase aguda. Objetivos: Identificar as producoes cientificas sobre as Arboviroses nos idosos; avaliar o conhecimento dos profissionais de saude sobre Arboviroses em idosos; Elaborar Fluxograma eletronico de atendimento que melhore o servico orientando as normas de atendimento, aspectos clinicos e parametros de gravidade dos pacientes idosos portadores de Arboviroses. Metodos: Se apresenta como uma pesquisa exploratoria e descritiva com analise qualitativa desenvolvida em tres etapas, quanto aos aspectos eticos, a pesquisa foi submetida ao Comite de Etica do Centro de Ciencias da Saude e aprovado sob o nº 2.190.153 de 27/07/2017, CAAE; 67103917.6.0000.5188. A amostragem por acessibilidade, sendo utilizadas entrevistas gravadas, com profissionais de saude e idosos, mediante assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido-TCLE, a pesquisa foi realizada no servico de Doencas Infecto Parasitarias do Hospital Universitario Lauro Wanderley (HULW-UFPB) nos setores: Pronto Atendimento e Ambulatorio e no Complexo Hospitalar Clementino Fraga (CHCF), no setor ambulatorial. Os dados coletados foram processados no programa IRAMUTEQ para analise dos textos auxiliando a formar ideias sobre o conhecimento das arboviroses e a politica de atendimento com profissionais de saude e idosos. Resultados e discussao: Os resultados obtidos apos a analise, os Profissionais de saude, falaram menos sobre a gravidade das arboviroses(25%) e mais sobre a Politica Nacional de Saude dos Idosos (39,85%), mas analisando os textos descritos e comparando com a literatura a maioria dos profissionais conhecem pouco sobre a politica, os direitos no atendimento da pessoa idosa nos servicos de saude e sobre as manifestacoes de gravidade nos idosos. Os Idosos, falaram mais sobre os sintomas das Arboviroses(29%) e menos sobre seus direitos no atendimento e a gravidade dessas doencas (23,3%) mas, analisando os textos descritos e comparando com a literatura nota-se que os idosos nao gozam dos seus direitos no atendimento, os servicos nao estao planejados para recebe-los e sobre a sintomatologia e gravidade das infeccoes, eles confundem as diferencas clinicas entre as arboviroses e as manifestacoes graves mais citadas foram as reumaticas ligadas a Chikungunya e a hemorragica ligada a Dengue. Quanto a Prevencao das Arboviroses, os profissionais de saude e os idosos conhecem as medidas preventivas basicas. Consideracoes finais: Conclui-se a necessidade de amplificar os conhecimentos sobre as acoes de atendimento para pessoa idosa com Arboviroses, realizadas por profissionais de saude do Hospital Universitario Lauro Wanderley e do Complexo Hospitalar Clementino Fraga em Joao Pessoa, Paraiba atraves de Orientacoes com enfase na Politica Nacional de Saude, favorecendo a um diagnostico precoce e eficaz.
  • SIMONE PEREIRA LINS CHAVES
  • FLUXOGRAMA PARA O MANEJO DE PESSOAS IDOSAS COM ALTERAÇÕES DE DEGLUTIÇÃO PÓS ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
  • Data: 21/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As repercussões do envelhecimento para a sociedade são consideráveis e geram a necessidade de um olhar mais dinâmico sobre os idosos e suas consequências naturais, como também sobre as morbidades mais frequentes. Dentre estas, tem-se o Acidente vascular cerebral (AVC), que se encontra entre os fatores de risco da velhice e cujas sequelas configuram-se como um agravo à saúde, evidenciando a necessidade do cuidado à pessoa idosa. Objetivos: Identificar, nas produções científicas, as alterações de deglutição em idosos pós Acidente vascular cerebral; conhecer a prevalência das alterações de deglutição pós-AVC em idosos assistidos em um serviço de atenção domiciliar; e construir um fluxograma para o manejo de pessoas idosas com alterações de deglutição pós-Acidente vascular cerebral. Metodologia: Tratou-se de uma pesquisa metodológica de abordagem quantitativa, que foi realizada em dezembro de 2018, estruturada nas seguintes fases: realização de uma revisão integrativa da literatura sobre as alterações na deglutição de idosos pós-AVC; estudo documental em prontuários, onde foram observadas variáveis sociodemográficos, clínicas e prevalência de alterações de deglutição de idosos pós AVC atendidos no serviço de atenção domiciliar, no ano de 2017, e posterior construção do fluxograma para o manejo de idosos com alterações da deglutição pós AVC. Os dados foram categorizados e alocados em planilha digital no Microsoft Excel. Posteriormente, submetidos à análise estatística descritiva (frequência absoluta e percentual), utilizando o programa estatístico software R. Resultados: Foram analisados 139 prontuários de pessoas idosas assistidas pelo serviço de atenção domiciliar do município de João Pessoa no período do ano de 2017. Após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, a amostra foi constituída por 38 prontuários, onde foi possível observar dados relacionados às características dos idosos, que subsidiaram a construção do fluxograma como ferramenta tecnológica de cuidado a pessoa idosa. Achados preponderantes quanto à prevalência do sexo masculino no acometimento do AVC, idosos na faixa etária entre 71-80 anos, e quanto aos aspectos pulmonares encontram-se estáveis, nutricional regular e alimentares com deglutição por via oral e em todas as consistências alimentares e quanto à deglutição com dificuldade ao deglutir. Conclusão: A partir dos dados alcançados com a pesquisa, observou-se que existem várias alterações na deglutição de pessoas idosas pós-AVC, que comprometem a saúde e a qualidade de vida dos indivíduos acometidos. O fluxograma apresentado neste estudo pode auxiliar os profissionais de saúde que assistem esta demanda, proporcionando um melhor direcionamento, o mais precoce possível, ao profissional fonoaudiólogo, bem como à equipe multidisciplinar.
  • SILVANIA KATIUSSA DE ASSIS GOMES
  • PROTOCOLO DE AVALIAÇÃO DE RISCO PARA DESENVOLVIMENTO DE LESÕES DECORRENTES DO POSICIONAMENTO CIRÚRGICO EM IDOSOS
  • Data: 19/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o avanço da tecnologia, por meio da disponibilização de cirurgias menos invasivas e mais rápidas, associado ao aperfeiçoamento técnico dos profissionais, possibilitou um aumento da confiança nos procedimentos cirúrgicos, implicando em um menor índice de complicações pós-operatórias e consequente aumento da população cirúrgica mais idosa. O posicionamento cirúrgico dos pacientes é fundamental para proporcionar condições de cirurgia favoráveis e evitar complicações devido a permanência em posições não fisiológicas por períodos prolongados. Nesse contexto, a criação de um protocolo que englobe medidas perioperatórias torna-se uma estratégia eficaz para implementação da Sistematização da Assistência de Enfermagem por meio da utilização de instrumentos que direcionem o enfermeiro na tomada de decisão, visando reduzir os riscos de lesões decorrentes da posição cirúrgica inadequada. Objetivo: propor um protocolo de avaliação de risco para lesões decorrentes do posicionamento em idosos submetidos a cirurgias eletivas. Método: constituiu-se de um estudo metodológico de elaboração do protocolo e validação de conteúdo por especialistas, realizada com a participação de 10 juízes, sendo seis enfermeiros de um Hospital Universitário de uma capital do Nordeste, e quatro docentes e pesquisadores de algumas universidades brasileiras. O Índice de Validade de Conteúdo foi utilizado para quantificar o grau de concordância entre os juízes. Resultados: foi realizada a caracterização dos juízes e a descrição da validação de conteúdo, onde obteve-se índice de concordância de 0,95. As sugestões dos juízes consideradas pertinentes foram acatadas, o que resultou no produto tecnológico: Protocolo de avaliação de risco para desenvolvimento de lesões decorrentes do posicionamento cirúrgico em idosos (Versão 2). Conclusão: a validação do protocolo mostrou-se válida para detectar/minimizar os riscos de complicações por posicionamento cirúrgico, possibilitando seu uso como uma importante estratégia para padronização do cuidado e segurança do procedimento, representando um avanço nas áreas de gerontologia e enfermagem perioperatória.
  • EVA CAROLINA FONSECA DE REZENDE CRUZ
  • GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE: IDENTIFICANDO ALTERAÇÕES VOCAIS E MIOFUNCIONAIS EM IDOSOS
  • Data: 18/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Nas últimas décadas, o Brasil acompanha o cenário mundial no que concerne ao processo de transição demográfica, com consequente envelhecimento populacional, o que tem demandado a necessidade de transformação das práticas de cuidado em saúde. Observa-se que muitos idosos apresentam alterações miofuncionais e vocais decorrentes da senescência, o que passa desapercebido por muitos profissionais que acabam não identificando tais alterações. Vale destacar que estas necessitam de intervenção fonoaudiológica. Objetivos: Identificar, na literatura, publicações que tratem das principais alterações vocais e miofuncionais em idosos; construir um instrumento para identificação de alterações miofuncionais e vocais em idosos por profissionais de saúde da atenção básica; ofertar para os profissionais de saúde um guia de orientação que favoreça a identificação de tais modificações em idosos. Metodologia: Trata-se de um estudo metodológico, elaborado através de três etapas: a primeira, realizada através de revisão integrativa de literatura sobre as alterações de comunicação da pessoa idosa no que se refere à motricidade orofacial e vocal em idosos; a segunda, que consistiu na construção do Guia de orientação a partir dos dados adquiridos na literatura; e a terceira etapa, que foi a validação de conteúdo do Guia de orientação por oito juízes experts na temática. A pesquisa foi aprovada pelo comitê de ética em pesquisa da Universidade Federal da Paraíba, sob o parecer 2.190.153 e seguiu todos os aspectos éticos legais envolvendo seres humanos, de acordo com a Resolução 466/2012. Para análise dos dados, foi utilizado o Índice de Validade de Conteúdo. Resultados: Na revisão integrativa de literatura, após aplicação dos critérios de exclusão e inclusão, permaneceram nove artigos, apresentando maior número de publicações no ano de 2015, tendo a revista CEFAC como a que mais tratou sobre o assunto por meio de artigos publicados. Os estudos apontam que há alterações vocais e oromiofuncionais decorrentes da senescência, sendo elas: rouquidão, tremor e diminuição da intensidade vocal; diminuição de tônus e força da língua e da musculatura mastigatória. Na validação do Guia de Orientação, no tocante aos objetivos, estrutura, apresentação e relevância, obteve média geral do Índice de Validade de Conteúdo de 0,90, dessa forma, os Juízes aprovaram sua aplicabilidade, sendo todas as sugestões acatadas para a versão final. Considerações Finais: O instrumento proposto foi validado pelos juízes e proporcionará aos profissionais de saúde a possibilidade de identificar alterações vocais e oromiofuncionais em idosos precocemente, realizando encaminhamento ao fonoaudiólogo e minimizando possíveis prejuízos à saúde do idoso.
  • ADRIANA MARIA MOREIRA ALEXANDRE BARRETO
  • CONSTRUÇÃO DE UM FLUXOGRAMA PARA IDENTIFICAÇÃO E NOTIFICAÇÃO DE VIOLÊNCIA E MAUS-TRATOS CONTRA A PESSOA IDOSA
  • Data: 18/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Com o crescente envelhecimento da população idosa, necessita-se o olhar de gestores e profissionais da saúde que compreendam suas especificidades para o cuidado diário e promoção da sua qualidade de vida. Ademais o processo do envelhecimento associado às dificuldades socioeconómicas, pode estar exposto às adversidades como abandono, negligências e maus-tratos; que geram a violência sofrida por esta população e constitui-se como um grande problema imperceptível à sociedade. Objetivos: Levantar evidências na literatura para orientar e fortalecer a discussão sobre a violência contra a pessoa idosa; conhecer o que pensam os profissionais de saúde sobre a violência e maus-tratos contra pessoa idosa no âmbito hospitalar e propor um fluxograma para orientações de profissionais de saúde realizarem a identificação e notificação de casos de violência e maus-tratos contra pessoa idosa no contexto hospitalar. Método: Estudo metodológico com abordagem mista (quantitativa e qualitativa), estruturado em três etapas: revisão integrativa da literatura; estudo de campo e o produto tecnológico. Participaram do estudo de campo, 42 profissionais de saúde de um hospital, em um município do Estado do Ceará, selecionados por conveniência, considerando os critérios de inclusão que aceitaram participar da pesquisa. Para coleta de dados utilizou-se uma entrevista semiestruturada. Os dados foram processados por meio do software IRaMuTeQ® e a técnica da análise de conteúdo temática categorial. Resultados: Os resultados apontaram quatro categorias: (1) Desconhecimento sobre a identificação e notificação da violência; (2) Compreensão sobre a prioridade de assistência; (3) Reconhecimento das necessidades da assistência específicas ao idoso; (4) Conhecimentos sobre a violência à pessoa idosa pelos profissionais de saúde. Discussão: Verificou-se que os profissionais de saúde do ambiente hospitalar, mesmo diante dos casos de violência, não conseguem identificá-los e, consequentemente, não os notificam, daí ressalta-se, a importância para que os profissionais utilizem um instrumento que possa nortear a identificação dos casos de violência para notificar e encaminhar aos órgãos competentes de proteção aos direitos da pessoa idosa disponíveis no município. Considerações finais: Observa-se que os idosos frente a violência em diferentes contextos, em particular, no hospitalar ainda não é notificada por falta de preparo dos profissionais de saúde. Neste sentido, procurou-se construir um instrumento a partir de um fluxograma de identificação, notificação e encaminhamento, para pessoas idosas vítimas de violências e maus-tratos, a ser utilizado pelos profissionais do hospital.
  • NEYCE DE MATOS NASCIMENTO
  • INSTRUMENTO PARA COLETA DE DADOS AO IDOSO INSTITUCIONALIZADO COM DECLÍNIO COGNITIVO
  • Data: 14/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A assistência de enfermagem ao idoso institucionalizado com declínio cognitivo deve acontecer de forma a contemplar todas as suas necessidades, buscando proporcionar qualidade e individualidade na prestação do cuidado. Objetivo: Construir um instrumento para a coleta de dados da consulta de enfermagem voltado ao idoso institucionalizado com declínio cognitivo fundamentado na Teoria de Wanda Horta. Método: Tratou-se de uma pesquisa metodológica realizada em duas Instituições de Longa Permanência para Idosos Vila Vicentina Júlia Freire e Lar da Providência, em três etapas: 1) Identificação dos indicadores empíricos de necessidades humanas básicas dos idosos institucionalizados com declínio cognitivo, por meio de uma pesquisa com métodos mistos do tipo sequencial explanatória. Inicialmente, foi realizada uma pesquisa quantitativa com 90 idosos, que permitiu o rastreamento de 62 idosos com declínio cognitivo, por meio da aplicação do Mini Exame do Estado Mental. Em seguida, foi aplicada a pesquisa qualitativa, conduzida por meio de três grupos focais, constituídos da seguinte forma: um grupo, por sete idosos com declínio cognitivo, e os outros dois grupos, com 11 profissionais prestadores de cuidados aos idosos com declínio cognitivo, distribuídos da seguinte forma: um enfermeiro; três técnicos de enfermagem e sete cuidadores formais, para a detecção dos indicadores de necessidades humanas básicas dos idosos com declínio cognitivo. Na etapa 2, foi elaborado o instrumento de coleta de dados e na etapa 3, foi realizada a validação do conteúdo e aparência do instrumento de coleta de dados por oito enfermeiros especialistas na área postulada. Resultados: Foram identificados 91 indicadores de necessidades humanas básicas, dos quais, 67 pertencem às necessidades psicobiológicas, 22 às necessidades psicossociais e dois pertencentes à necessidade psicoespiritual. Os enfermeiros especialistas realizaram a validação de 85 indicadores de necessidades humanas básicas; 25 itens de validação do conteúdo, relacionados ao aspecto sociodemográfico, dados do serviço e prestação do cuidado e validação da aparência. Todos os itens validados obtiveram índice de validade de concordância acima de 0.80. Considerações Finais: Espera-se que a construção do instrumento de consulta de enfermagem ao idoso institucionalizado com declínio cognitivo permita promover um avanço na implementação da Sistematização da Assistência de Enfermagem nas instituições de longa permanência, proporcionando maior qualidade deste cuidado.
  • FERNANDA ALENCAR DE ALMEIDA PEREIRA FABRICIO
  • VÍDEO EDUCATIVO SOBRE SEXUALIDADE NO ENVELHECIMENTO: um caminho para o diálogo com a equipe de saúde
  • Data: 08/03/2019
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: a sexualidade é uma dimensão relacionada à saúde humana, sendo um componente fundamental da vida. Reconhecida como uma necessidade básica, está associada com qualidade de vida. A sua expressão não deixa de existir no envelhecimento e a sua compreensão torna-se essencial para o sucesso de uma atenção abrangente nessa faixa etária.Objetivos: identificar na literatura evidências científicas que influenciam a abordagem da sexualidade na pessoa idosa pelos profissionais de saúde; conhecer a abordagem da sexualidade no envelhecimento segundo os profissionais de saúde da atenção básica e construir um vídeo educativo sobre sexualidade no envelhecimento que possa favorecer a assistência à sexualidade dos idosos. Método: trata-se de um estudo metodológico de abordagem qualitativa realizado em três etapas: a primeira referente à pesquisa de revisão integrativa, por meio de busca de artigos científicos nas bases de dados, com enfoque sobre profissionais de saúde e sexualidade em idosos ou envelhecimento; a segunda etapa foi um estudo transversal, de abordagem qualitativa realizado nas Unidades Básicas de Saúde no município de João Pessoa/PB, com uma amostra não probabilística por conveniência composta por 40 profissionais de saúde, médicos e enfermeiros, a partir de uma entrevista semiestruturada utilizando-se para análise dos dados a técnica de análise de contéudo temática e a terceira etapa envolveu a construção de um vídeo educativo sobre sexualidade no envelhecimento, direcionado aos idosos para ser transmitido pelos profissionais de saúde. Resultados: na primeira etapa, as evidências apontam que a maioria dos profissionais de saúde possuem conhecimento limitado com atitudes, que variavam de menos permissivas a positivas, cuja abordagem do assunto, na maioria das vezes, não é realizada proativamente. Na segunda etapa, foram entrevistados os profissionais de saúde, sendo a amostra constituída equitativamente por médicos e enfermeiros. A análise de conteúdo originou cinco categorias: tipos de abordagens sobre sexualidade; dificuldades para abordagem; importância da abordagem; profissional indicado para abordar a sexualidade e opinião dos idosos sobre a sexualidade segundo os profissionais de saúde. A abordagem da sexualidade é ocasional, ocorrendo, prioritariamente, durante o procedimento de coleta citológica, especialmente no grupo da enfermagem, não se verificando na fala dos médicos. Grande parte dos médicos não aborda o assunto proativamente, surgindo uma abordagem eventual iniciada pelos idosos durante as consultas. A maioria dos profissionais revela dificuldades nessa conversa, sendo as principais referidas o desconforto por parte dos idosos e a falta de treinamento, material e capacitação sobre o assunto, na terceira etapa, a partir das demandas evidenciadas nas fases anteriores, foi construído um vídeo educativo em formato de animação gráfica versando sobre o que é sexualidade, sua importância, os mitos e as verdades acerca da sexualidade no envelhecimento, com a pretensão de fornecer aos idosos a mensagem de que os profissionais de saúde estão abertos para conversar sobre o tema. Considerações Finais: o vídeo traz informações e orientações de forma simples com o próposito de viabilizar a comunicação com os idosos respeitando qualquer grau de instrução. Tenta-se reduzir a falta de diálogo que favorece a aceitação do estereótipo assexuado da pessoa idosa, condição que aumenta as limitações da sexualidade no envelhecimento.
2018
Descrição
  • ANA GIOVANA MEDEIROS DE OLIVEIRA
  • SAÚDE BUCAL DO IDOSO NA PERSPECTIVA DO CUIDADOR
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Os idosos que têm a saúde bucal prejudicada, apresentam muitas limitações para se alimentar, principalmente se eles utilizam prótese total cujos requisitos de retenção e estabilidade são insatisfatórios, fazendo com que sua alimentação apresente um baixo teor nutricional. Dentro dessa perspectiva, a presente investigação justifica-se pela escassez de estudos que versem sobre a saúde bucal do idoso do ponto de vista do cuidador, bem como a sua na conservação da saúde geral do idoso e o autocuidado com a sua manutenção, sendo delegado ao cuidador tornar a sua atuação de extrema importância. Assim sendo questiona-se: Qual o impacto da atuação do cuidador na saúde bucal do idoso? Para responder a esse questionamento o referido estudo tem como objetivo, evidenciar na literatura científica a atuação do cuidador na atenção à saúde bucal do idoso. Trata-se de uma Revisão Integrativa, na qual utilizou-se os seguintes descritores: idoso AND cuidador AND saúde bucal AND gerodontologia, bem como seus correspondentes inglês: elderly AND caregiver AND oral health AND gerodontology. Realizou-se a pesquisa nas bases de dados e bibliotecas virtuais internacionais e nacionais: Scopus, CINAHL, PubMed, Web of Science, Biblioteca Virtual em Saúde e o Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, no período de julho a dezembro de 2017. Os critérios de inclusão foram: artigos completos disponíveis nas bases e nas bibliotecas anteriormente citadas, publicados em inglês ou português, no período de 2012 a 2017, que estivessem de acordo com os descritores e a pergunta norteadora. Foram excluídas as revisões de literatura, os editoriais, os relatos de experiência, as cartas, os capítulos de livros e os artigos duplicados. Obteve-se 12 artigos na sua totalidade. De acordo com os resultados obtidos é possível concluir que os cuidadores de idosos institucionalizados ou os que são assistidos em domicílio, apresentam uma deficiência quanto à prática e ao conhecimento, acerca da higiene e da saúde bucal do idoso, prejudicando, dessa forma, a assistência e, consequentemente, podendo desencadear doenças bucais e/ou sistêmicas, como por exemplo, doenças periodontais, edentulismo, pneumonia por aspiração, endocardite bacteriana, dentre outras, entendendo que a saúde bucal e a saúde geral estão interligadas. Os cuidadores, na sua grande maioria, relatam que têm conhecimento dos métodos de higiene oral, mas na prática, isso não é efetivado, por não apresentarem habilidade para tal. Associam à esta desabilidade a sobrecarga de trabalho e o quantitativo grande de idosos sob sua supervisão, tanto no caso dos institucionalizados como em relação aos que moram em suas próprias casas. Torna-se, então, para esses cuidadores difícil prestar um cuidado mais efetivo e continuo no que diz respeito a atenção a saúde bucal do idoso, que também apresentam resistência para a higiene oral, fatores esses que são determinantes para uma assistência e higienização precárias. Entende-se que a saúde geral está interligada à saúde bucal e tornou-se o objeto de pesquisa para muitos estudos, tendo em vista as modificações no sistema estomatognático, que acontecem no idoso e refletem na qualidade de vida.
  • MARIA DAS NEVES DA SILVA ANCELMO
  • ACOLHIMENTO HUMANIZADO NO CUIDADO À PESSOA IDOSA EM UNIDADE AMBULATORIAL: PROPOSTA DE FLUXOGRAMA
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento da população é um fenômeno mundial que, recentemente, vem ganhando uma maior importância nos países em desenvolvimento. O aumento desta população tem provocado efeitos que já são percebidos nas demandas sociais, nas áreas de saúde e na previdência. O acolhimento à pessoa idosa deve ser compreendido pelos profissionais de saúde, como uma questão do processo de envelhecimento, buscando facilitar o acesso aos diversos níveis de atenção nos serviços de saúde. Objetivos: Identificar os fatores associados ao acolhimento humanizado à pessoa idosa em unidade ambulatorial, a partir da literatura da área e elaborar um fluxograma de acolhimento humanizado no cuidado à pessoa idosa para o setor Ambulatorial do Hospital Universitário Lauro Wanderley/ Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Método: Trata-se de um estudo metodológico desenvolvido em duas etapas: a primeira foi uma revisão integrativa da literatura sobre o acolhimento humanizado no cuidado à pessoa idosa em unidade ambulatorial e a segunda à a elaboração de um Fluxograma de Acolhimento Humanizado no Cuidado à Pessoa Idosa para o Setor Ambulatorial. A partir das categorias temáticas identificadas na revisão integrativa foi elaborado o fluxograma de atendimento à pessoa idosa para o setor Ambulatorial da mencionada instituição enfatizando o acolhimento humanizado à pessoa idosa. Resultados: Foram identificados os fatores associados ao acolhimento humanizado à pessoa idosa, os quais se constituem nas categorias temáticas identificadas no estudo: Diálogo, Escuta, Confiança, Vínculos, Classificação de Risco, Orientação, Encaminhamento, Resolutividade e Melhoria dos Serviços. As categorias temáticas serviram de base para a elaboração do Fluxograma de Acolhimento Humanizado no Cuidado à Pessoa Idosa para o Setor Ambulatorial, enfatizando o acolhimento humanizado à pessoa idosa. Considerações finais: Considera-se que os fatores associados ao acolhimento humanizado à pessoa idosa identificados no estudo permitiram a elaboração do Fluxograma de Acolhimento Humanizado no Cuidado à Pessoa Idosa para o Setor Ambulatorial, e espera-se que possa ser utilizado pelos profissionais do hospital, pelos docentes e discentes durante o processo de ensino e aprendizagem no ambulatório, contribuindo para a assistência de enfermagem qualificada e em futuras pesquisas em enfermagem.
  • MARIA DOS REMÉDIOS GONÇALVES DOS SANTOS
  • PROGRAMA DE PREPARO PARA APOSENTADORIA PARA SERVIDORES DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento tem se caracterizado por um campo amplo no cenário das pesquisas. Durante o envelhecimento a vida saudável é resultante da manutenção da autonomia e da independência, sendo a primeira como a capacidade de decisão do indivíduo, e a segunda como a aptidão de realizar algo por meios próprios. Hoje, para muitos, o idoso não passa de um “objeto” velho, sem graça e que ficou obsoleto. A falta de um suporte durante o processo de aposentadoria e do próprio amparo familiar, gera neste idoso o sentimento de inutilidade. A pessoa idosa quando se vê frente ao processo de aposentadoria por vezes pode se sentir desmotivada, sem ânimo para o futuro, sem novas perspectivas, postergando, inclusive este acontecimento em sua vida. Objetivos: identificar os trabalhadores que já possuam tempo de serviço para aposentadoria ou que estejam em fase de pré-aposentadoria de um Tribunal de Justiça; caracterizar o perfil ocupacional dessas pessoas e propor a elaboração de um guia de orientação para os servidores em situação de aposentadoria do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba. Método: Trata-se de um estudo metodológico, dentro da abordagem qualitativa e quantitativa. Em vista disso, o estudo foi dividido em 6 etapas. A primeira delas consistiu na seleção dos participantes para as rodas de conversas, formando grupos. A segunda se referiu à aplicação do roteiro com questões semiestruturadas, com uso do gravador, aos participantes selecionados. Em seguida, analisaram-se as informações para propor um guia de orientação preliminar. Conseguinte, foi realizada a validação da proposta do guia preliminar por meio das rodas de conversas com os participantes dos grupos selecionados para assim passar para a quinta etapa: a construção definitiva do guia e por fim, sua confecção e divulgação. Resultados e Discussão: Como primeiro resultado, foi produzido uma revisão integrativa sobre o programa para servidores em situação de aposentadoria, bem como a confecção e disponibilização do guia, de forma virtual, no site do Tribunal de Justiça. Consistiu na seleção dos participantes para as rodas de conversas e formação de grupos. Em seguida, houve a aplicação do roteiro com questões semiestruturadas, para assim analisar os dados e propor um guia de orientação preliminar. Conseguinte, foi realizada a validação da proposta do guia preliminar por meio das rodas de conversas com os participantes dos grupos selecionados para assim passar para a quinta etapa: a construção definitiva do guia e por fim, sua confecção e divulgação no site do Tribunal de Justiça da Paraíba. Conclusão: a partir da pesquisa, é possível notar a importância desse grupo sentir-se amparado, por meio de informativos e palestras. Assim, o presente estudo tem importância acadêmica tanto para a área de pesquisa de Gerontologia quanto para o Direito, uma vez que trata de uma etapa tão importante para a vida do ser humano e buscou contribuir com os trabalhos da área. Além disso, contribui para essa parcela da população que se encontra no momento de pré-aposentadoria, transformando essa etapa algo mais consciente e célere, desmistificando a dificuldade no processo de aposentadoria.
  • ANGÉLICA GURGEL BELLO BUTRUS
  • JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE À PESSOA IDOSA - BLOGUE INFORMATIVO SOBRE JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • A pessoa idosa tem direito a pleitear e reivindicar tratamento médico e/ou hospitalar ao Poder Público para assegurar seu direito à saúde de imediata eficácia aplicado sempre que for necessário enquanto direito social fundamental. Objeto de relevância, o direito à saúde da pessoa idosa tem merecido ser explorado tanto, na prática profissional quanto, acadêmica pelo expressivo número de ações judiciais que reivindicam próteses, órteses, medicamentos e tratamentos médicos em que seus familiares ou cuidadores tem se valido do Poder Judiciário para coagir a Administração a cumprir o que contempla a Constituição e o Estatuto do Idoso, caracterizando a judicialização da saúde. Objetivos: identificar as produções científicas sobre o processo de judicialização da saúde às pessoas idosas; evidenciar as solicitações administrativas para realização de cirurgias de fraturas em pessoas idosas junto ao Ministério Público e propor um Blogue Informativo sobre Judicialização da Saúde à Pessoa Idosa, a ser disponibilizado junto à Comissão em Defesa dos Direitos dos Idosos da Ordem dos Advogados do Brasil/Paraíba. Método: Trata-se de um estudo retrospectivo, transversal e documental de abordagem quantitativa, desenvolvido no Ministério Público da Paraíba, localizado no Município de João Pessoa, gerando dois artigos científicos e uma proposta de blogue para orientação da pessoa idosa. Resultados: O primeiro artigo identificou um total de 22 artigos nas três bases de dados escolhidas, que apresentavam possíveis respostas para a questão norteadora saber: 11 artigos foram encontrados na SCIELO; Portal de Periódicos da Capes, 8 artigos e na Revista dos Tribunais on-line, apenas 3 artigos. No tocante aos periódicos de maior propensão às publicações sobre a judicialização da saúde, destaca-se a Revista ConJur (n=1) e a Revista Saúde Pública (n=2). Entretanto, os periódicos com escopo científico direcionado às publicações relacionadas à saúde pública (n=7) mostram-se mais numerosos do que os relacionados com as ciências jurídicas. O segundo artigo procurou evidenciar as solicitações administrativas para realização de cirurgias de fraturas em pessoas idosas junto ao Ministério Público correspondendo 35 processos, em que o demandante era uma pessoa física; destes, 22 autores eram do sexo feminino; maioria mulheres solteiras, com 14 casos. Ressalta-se que em 04 processos, essa informação não foi encontrada, com uma média de idade de 73,4 anos. A terceira etapa apresenta conteúdo de um blogue informativo sobre Judicialização da Saúde à Pessoa Idosa a ser disponibilizado na Comissão Permanente dos Direitos das Pessoas Idosas na OAB/PB. Conclusão: Portanto, apresenta um painel sobre o fenômeno da judicialização do direito à saúde, mostrando evidências que esse processo está consolidado e tendencioso ao crescimento frente ao atual cenário de crise social, política e econômica que assola o Brasil. Salienta-se a importância desta temática sobre judicialização da saúde para orientação da população, em especial da pessoa idosa e dos profissionais de saúde que, por muitas vezes, não sabem a quem recorrer quando se depara com um desrespeito a um direito ou descumprimento da lei.
  • ANNACARLA CARVALHO ALVES DE LIMA
  • CHECKLIST PARA RASTREAMENTO DAS DIFICULDADES NO MANUSEIO DO AUXILIAR AUDITIVO POR IDOSOS
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • A presbiacusia consiste no processo de desgaste e deteriorização natural das estruturas relacionadas à audição humana. Necessita de intervenção que amenize seus efeitos pois caracteriza-se como processo progressivo e irreversível. Não possui tratamento curativo, apenas reabilitativo. Através da utilização de auxiliar auditivo é possível diminuir a defasagem do órgão sensorial, melhorando sua funcionalidade. Porém o processo de uso e adaptação requer uma série de cuidados e assistência para lograr êxito. E, apesar do avanço tecnológico que qualifica cada vez mais esses dispositivos eletrônicos de amplificação para atender a todas necessidades, observa-se que a prevalência de idosos que o rejeitam ou estão inadaptados é elevado. Objetivos: 1. Identificar na literatura as dificuldades encontradas no uso do auxiliar auditivo por idosos; 2. Construir um checklist (produto) para rastrear as dificuldades dos idosos no manuseio do aparelho auditivo e 3.Validar o checklist (produto) para rastrear as dificuldades dos idosos no manuseio do aparelho auditivo . Método: Trata-se de um estudo metodológico de abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada em um hospital que concede aparelhos auditivos, pelo programa de Autorização de Procedimentos de Alta Complexidade (APAC) auditiva em João Pessoa, Paraiba (PB) e em clínicas particulares que realizam indicação e adaptação de auxiliar auditivo. A amostra foi constituída por 20 idosos que aceitaram participar da pesquisa, usuários primários de aparelho auditivo que estavam realizando o primeiro retorno ao serviço do SUS e por 9 Fonoaudiólogos especialistas em Audiologia e com expertise em aparelho auditivo por, no mínimo, um ano. Os instrumentos utilizados foram um questionário, contendo 15 perguntas sobre a manipulação do aparelho, respondido pelos idosos e um checklist, pelos especialistas avaliando o instrumento construído para reconhecer os entraves no manuseio do recurso de amplificação auditiva. As análises dos resultados foram realizadas pela estatística descritiva. O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba e aprovado em 27 de julho de 2017, sob o CAAE; 67103917.6.0000.5188. Resultados e Discussões: Deste estudo foram originados dois artigos: o primeiro de revisão da literatura, identificou as dificuldades enfrentadas pelos idosos para utilizar o recurso de amplificação auditiva. Os entraves foram de diversas naturezas, preponderando a carência da fase de orientação/acompanhamento/manuseio, principalmente para os idosos que são atendidos na rede pública. O segundo artigo (original) deu subsidios para a construção de um checklist a fim de identificar as dificuldades dos idosos para manipular o aparelho de amplificação. Conclusões: A análise da literatura permitiu identificar os principais motivos que causam dificuldades na utilização do aparelho auditivo pelos idosos. Algumas desses entraves foram confirmados com os idosos usuários de aparelho auditivo, pela aplicação do questionário; esses achados geraram um instrumento que tem o objetivo de rastrear os obstáculos vividos pelos idosos na fase de aclimatização ao aparelho para que o Fonoaudiólogo possa orientá-lo e assim reduzir ou eliminar essas dificuldades.
  • VERUSKA RIBEIRO DE MEDEIROS VILLAR
  • CAPACITAÇÃO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE SOBRE A ATENÇÃO À SAÚDE DO IDOSO
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Agente Comunitário de Saúde (ACS) possui um importante papel no cuidado à saúde do idoso, pois suas atribuições possibilitam o conhecimento das condições de vida dessa pessoa no contexto familiar e da comunidade. O seu processo de trabalho é complexo e requer capacitação permanente, na perspectiva de qualificar a sua atenção à saúde do idoso. Este estudo tem como objeto a capacitação e a valorização deste profissional na perspectiva de contribuir para a efetivação de uma atenção à saúde do integral da pessoa idosa, como preconizada pelas diretrizes da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (PNSPI). Objetivos: Identificar na literatura científica a percepção do ACS acerca da atenção à saúde do idoso na atenção primária; Desenvolver um Curso de capacitação sobre a atenção a saúde do idoso para os ACS de uma Unidade Saúde da Família e Elaborar um plano de curso de capacitação sobre a atenção à saúde do idoso para os ACS. Método: Trata-se de um estudo descritivo, qualitativo do tipo investigação-ação em uma Unidade Saúde da Família. Quanto aos aspectos éticos o projeto foi submetido à avaliação do Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde (CCS) e aprovado sob o parecer nº 2.190 de 27 de julho de 2017 e CAAE: 67103917.6.0000.5188. Os participantes da pesquisa foram oito ACS de uma Unidade Saúde da Família. Para a realização da pesquisa foram obedecidas as quatro fases da investigação-ação: fase 1: Planejamento da capacitação; fase 2: Agir para implantar a melhora planejada: esta fase diz respeito à execução da capacitação dos ACS; fase 3: Monitorar a ação e fase 4: Avaliação. A análise dos dados foi realizada de forma descritiva em todas as fases da pesquisa. Resultados e Discussão: Obteve-se como resultado desta pesquisa a produção de dois artigos e um produto, sendo o primeiro um artigo de revisão integrativa da literatura, o qual demonstrou que a assistência ao idoso no Brasil, possui lacunas e falhas na qualificação dos ACS bem como, aponta que as ações de atenção à saúde da pessoa idosa e ao envelhecimento não estão sendo efetivadas nos serviços de Atenção Primária. A partir desta revisão, foi elaborado um curso de capacitação sobre atenção à saúde do idoso para os ACS, na perspectiva dialógica, buscando compreender as lacunas da formação do ACS e permitindo a reflexão do seu processo de trabalho (Artigo 2) e o produto foi a capacitação para os ACS, resultando como importante momento de mudança de prática cotidiana do ACS junto ao idoso. Conclusões: A capacitação desenvolvida contribuiu com a formação desse profissional, na medida em que levantou necessidades, desenvolveu ações de educação permanente, possibilitando reflexões sobre seu processo de trabalho, oferecendo elementos novos para o planejamento e execução das suas ações e atividades junto ao idoso, numa perspectiva positiva e integral. Desta pesquisa resulta a elaboração de uma capacitação para ACS sobre atenção à saúde do idoso.
  • LAYSA BIANCA GOMES DE LIMA
  • CARTILHA DE ORIENTAÇÃO AO IDOSO ACERCA DAS IST E HIV/AIDS
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução. Nos dias atuais, no cenário mundial e no Brasil, vem acontecendo um controle mais incisivo das Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST) e do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV)/ Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) em idosos. O rápido envelhecimento populacional, bem como a ausência de um olhar mais atento às ações e estratégias educativas e preventivas, voltadas à saúde do idoso no contexto da sexualidade e, o desconhecimento e a atenção à estas doenças, são fatores do aumento da sua ocorrência, e foram alvos da problematização deste estudo. Objetivos Geral. Construir uma cartilha direcionada para os idosos sobre IST e HIV/ AIDS, como estratégia educativa de conhecimento e prevenção; Objetivos Específicos: Identificar os aspectos da produção científica sobre o conhecimento da pessoa idosa quanto as infecções pelo Vírus da Imunodeficiência Humana e as Infecções Sexualmente Transmissíveis. Método: Trata-se de uma pesquisa exploratória, descritiva e analítica, de abordagens quantitativa. Quanto aos aspectos éticos o projeto foi submetido à avaliação do Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde (CCS) e aprovado sob o parecer de nº 2.190.153 de 27, e CAAE; 67103917.6.0000.5188. A amostra foi intencional e por conveniência constituída por 84 pessoas idosas, atendidas nas USF do Distrito Sanitário II, que responderam a um roteiro de pesquisa semiestruturado. Os dados coletados foram digitados e codificados no formulário digital do gmail. As variáveis do perfil sociodemográficos e as respostas obtidas por meio do roteiro foram avaliadas a partir da frequência simples, gerada pelo próprio formulário digital. Resultados e Discussão: Obteve-se como resultado desta pesquisa três produtos, sendo o primeiro um artigo de revisão integrativa da literatura sobre o olhar do idoso acerca das IST e HIV/AIDS; o segundo um artigo que aborda sobre o que a população idosa conhece quanto as generalidades e as especificidades da IST e HIV/AIDS e o terceiro produto que é a cartilha educativa direcionada aos idosos que aborda de forma ilustrativa e didática, os conceitos, as formas de prevenção e as particularidades sobre IST e HIV/AIDS. Conclusões: Pela análise dos resultados, considera-se que os estigmas e preconceitos vinculados às IST e HIV/AIDS, bem como a falta de proteção no ato sexual na população idosa, mostram-se como fatores que comprovam a fragilidade de conhecimento sobre a temática. A discussão sobre esses aspectos deve compor as ações de formação em saúde nas unidades e, também, a iniciativa por novas estratégias e ações educativas voltadas aos idosos, bem como a necessidade evidenciada da prioridade na elaboração de políticas públicas voltadas a esse público específico, para que as práticas preventivas sejam efetivamente incorporadas nas representações desses idosos. Da pesquisa nasce a cartilha educativa para ser usada junto aos idosos, o que vai contribuir no controle do acometimento e da exposição dessas pessoas às IST e HIV/AIDS.
  • MARCELA LEIROS MACIEL MACEDO
  • GUIA EDUCATIVO SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE VOCAL PARA A PESSOA IDOSA
  • Data: 31/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O mundo vivencia a era do envelhecimento e a gerontologia é uma área beneficiada pela inserção de uma tecnologia educacional inovadora. Material importante para vida e o estilo de ser das pessoas idosas, favorece o cuidar de si e o empoderamento pelo bem-estar. Reconhecendo a importância do uso das tecnologias educativas com enfoque na promoção do autocuidado sobre a saúde vocal, este estudo teve como objetivo: analisar as publicações científicas acerca da relação voz e pessoa idosa; desenvolver e validar um guia educativo sobre a promoção da saúde vocal para a pessoa idosa. Método: Trata-se de um estudo de desenvolvimento metodológico, elaborado e dividido em duas fases: a primeira inclui um estudo bibliométrico para analisar as publicações científicas acerca da relação voz e pessoa idosa; a segunda consiste na construção e validação de conteúdo e de aparência do guia junto aos 13juízes e 10 idosos (público-alvo). A pesquisa seguiu os aspectos ético-legais envolvendo seres humanos de acordo com a Resolução 466/2012 e foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal da Paraíba, sob Parecer n.º 2.190.153. Para a análise estatística, a validação dos juízes ocorreu por meio do índice de validade de conteúdo, assim como para o público-alvo. Resultados e Discussão: No primeiro artigo, dos estudos selecionados restaram 37 elegíveis, após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão. Nos últimos dez anos foram constatados avanços nos estudos sobre o envelhecimento vocal, principalmente no ano de 2015. Houve predomínio dos descritores voz e idoso, assim como o descritor qualidade de vida mostrou-se bem presente. Houve relevância ao sexo feminino, para os estudos com pessoas idosas. No Brasil, a Revista CEFAC, publicou maior número de artigos com a temática da voz do idoso e nas abordagens fonoaudiológicas apenas três pesquisas evidenciam a promoção da saúde. O segundo artigo foi validado de acordo com o conteúdo, a aparência e a adequabilidade com média aproximada de 0,93. O público-alvo considerou a avaliação positiva. As sugestões foram acatadas e modificadas para a versão final do guia educativo. Conclusão: O guia educativo foi construído, validado e poderá ser utilizado para promoção da saúde vocal das pessoas idosas. Acredita-se
  • ANDERSON BELMONT CORREIA DE OLIVEIRA
  • PROMOÇÃO DA SAÚDE DOS CUIDADORES DE IDOSOS: TECNOLOGIA EDUCACIONAL SOBRE SAÚDE OCUPACIONAL
  • Data: 30/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento populacional contribuiu com o aumento de morbidades e diminuição da capacidade funcional, crescendo assim o número de idosos com algum grau de dependência que necessitam de cuidados domiciliares. Cuidar de um idoso em ambiente doméstico pode gerar sobrecarga no familiar cuidador, o que lhe ocasiona desordens emocionais, físicas, econômicas e sociais. Devido ao despreparo deste cuidador sua saúde pode ser colocada em risco, podendo assim apresentar alterações osteomusculares. Objetivos: Identificar a produção científica sobre promoção da saúde de cuidadores de idosos; elaborar uma tecnologia educativa do tipo guia sobre autocuidado em relação a saúde ocupacional para cuidadores de idosos; verificar as equivalências semânticas, idiomáticas, culturais e conceituais do guia para cuidadores de idosos por meio de um comitê de juízes e realizar a validação semântica do guia por um grupo de cuidadores de idosos. Método: Trata-se de um estudo metodológico, cuja proposta foi construir e validar semanticamente uma tecnologia educativa do tipo guia para a promoção da saúde de cuidadores de idosos. Resultados: Dos resultados obtidos após análise delineou-se dois artigos o primeiro, uma revisão integrativa sobre as tecnologias educativas para promoção da saúde de cuidadores de idosos em que os artigos resgatados mostraram que as tecnologias educativas foram centradas na promoção da saúde mental do cuidador no intuito de garantir uma melhor assistência ao idoso, possibilitando assim identificar uma importante lacuna científica acerca das tecnologias educativas utilizadas para a promoção da saúde musculoesquelética de cuidadores de idosos, pois não foram localizados estudos acerca desse cuidado. O segundo artigo tratou-se da elaboração e validação de uma tecnologia educacional para promoção da saúde de cuidadores de idosos. Conclusão: Considera-se que a tecnologia educacional do tipo guia “Promoção da saúde de cuidadores de idosos: tecnologia educacional sobre saúde ocupacional”, poderá contribuir com a saúde física dos cuidadores de idosos no seu ato de cuidar, subsidiar os profissionais de saúde durante as atividades de educação em saúde com os cuidadores de idosos e preencher um importante lacuna científica no que diz respeito a promoção da saúde na sobrecarga física experimentada pelos cuidadores de idosos.
  • KALÍGIA DEININGER DE OLIVEIRA
  • JOGO DE TABULEIRO DESENVOLVIDO COM MATERIAIS RECICLÁVEIS: UMA CONSTRUÇÃO POR IDOSOS
  • Data: 30/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O envelhecimento impacta na vida da pessoa idosa, físico e socialmente, daí a necessidade de ofertar ações que incentivem e promovam rotinas saudáveis. Nesse contexto, promover ações de promoção à saúde nos grupos de convivência de idosos conduzidos por trabalhadores, na maioria da enfermagem, vinculados às equipes da Estratégia Saúde da Família, como a utilização de jogos é importante e necessário. Objetivos: Analisar o efeito dos jogos educativos para estimulação cognitiva da pessoa idosa. Construir um jogo de tabuleiro com materiais recicláveis, pelos idosos de grupos de convivências e analisar os efeitos dessa construção e da utilização do jogo. Método: O estudo é do tipo metodológico, realizado por meio de oficinas em que se pôde observar a participação dos idosos na construção dos jogos, utilizando materiais recicláveis, de fácil acesso e baixo custo, bem como a sua utilização. Participaram da pesquisa 37 idosos. Os dados coletados foram analisados empregando os relatórios oriundos das oficinas e consolidados através de planilha aplicando o Programa Microsoft Excel. O estudo foi aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa, sob o parecer Nº 2.190.153 e CAAE 67103917.6.0000.5188. Resultados e Discussão: Após análise dos dados obtidos concebeu-se dois artigos e um produto tecnológico. O primeiro artigo trata-se de uma revisão integrativa com o objetivo de investigar o impacto dos jogos de tabuleiro na cognição da pessoa idosa. Após busca em bases de dados, foi realizada a leitura completa de 10 artigos, resultando na seleção de dois. As evidências da literatura demonstraram a importância e os efeitos da utilização dos jogos, na cognição dos idosos, podendo os mesmos serem utilizados no cotidiano, uma vez que oferece subsídios para afirmar que estimular a utilização de jogos nas atividades de lazer representa uma eficiente ferramenta no que tange a promoção à saúde e do envelhecimento ativo e saudável. O segundo artigo aporta sobre a construção, pelos idosos, de um jogo de tabuleiro utilizando materiais recicláveis e os efeitos da sua utilização, resultando na estimulação da memória, estímulo sensorial, promoção do aprendizado, além da interação e diversão dos idosos participantes do estudo. Ressalta-se ainda, a importância da reutilização de materiais recicláveis e de baixo custo tornando a proposta replicável em outros espaços. Conclusão: A partir da revisão da literatura e das oficinas realizadas, constatou-se que este estudo traz implicações reflexivas sobre a importância e os efeitos da construção e da utilização dos jogos, na cognição e na interação social dos idosos. O jogo deve ser compreendido como uma ferramenta importante no processo de educação para saúde, uma vez que pode ser utilizada informações sobre a prevenção, a promoção e o tratamento das doenças de incidência no nível da Atenção Básica, incentivando as práticas lúdicas pedagógicas. Ademais, estimula novas pesquisas sobre este tema de relevância científica.
  • RENATA MARIA MOTA WANDERLEY
  • INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DA CONDIÇÃO DE SAÚDE DA PESSOA IDOSA NA ATENÇÃO BÁSICA
  • Data: 30/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Brasil hoje mostra outra realidade, um expressivo aumento da sobrevida e consequente elevação do número de pessoas na terceira idade. Objetivos: Caracterizar a produção científica brasileira sobre a avaliação da condição de saúde da pessoa idosa na atenção básica; Identificar indicadores empíricos na literatura a partir das necessidades humanas básicas da pessoa idosa; Confirmar a utilidade de indicadores empíricos para avaliação da condição de saúde da pessoa idosa na atenção básica pelo enfermeiro; Construir um instrumento para avaliação da condição de saúde da pessoa idosa na atenção básica pelo enfermeiro, à luz da Teoria das Necessidades Humanas Básicas. Método: Trata-se de um estudo metodológico desenvolvido nas Unidades de Saúde da Família do município de Igarassu-PE, tendo como população os enfermeiros atuantes na atenção básica. Foi desenvolvido em três etapas: uma revisão integrativa da literatura acerca das necessidades humanas básicas da pessoa idosa e um amplo levantamento bibliográfico e avaliação dos indicadores empíricos pelos enfermeiros das unidades de saúde da família; construção de um instrumento para avaliação da condição de saúde da pessoa idosa na atenção básica com os indicadores empíricos validados pelos enfermeiros. Resultados: Primeiramente, a revisão integrativa abrangeu 12 estudos disponibilizados em bases de dados, tendo como descritores: idoso, nível de saúde e atenção primária à saúde, publicados no período de 2007 a 2016. Foram inseridas três temáticas: perfil clínico-epidemiológico da população idosa brasileira; autoavaliação de saúde do idoso e importância da Estratégia Saúde da Família na atenção à saúde da pessoa idosa. Os resultados desta etapa mostraram que características socioeconômicas, demográficas, capacidade funcional, condições de saúde e estado nutricional interferem na autoavaliação de saúde dos idosos e no planejamento dos serviços voltados para este público. Foram identificados, também, 316 indicadores empíricos na literatura. Desses, 255 permaneceram com Índice de Validade de Conteúdo ≥ 0.80 e, dos indicadores validados, 205 foram das necessidades psicobiológicas, 47 das necessidades psicossociais e 3 das necessidades psicoespirituais. Conclusões: Com os indicadores empíricos validados foi construído um instrumento para avaliação da condição de saúde da pessoa idosa na atenção básica. Considerando que o idoso apresenta particularidades específicas que o diferencia de outros tipos de indivíduos, espera-se que os indicadores empíricos identificados e validados, neste estudo, contribuam para o levantamento das necessidades de saúde do idoso, tendo em vista o planejamento de ações de saúde com atenção diferenciada e sistematizada para essa população na atenção básica. Para uma velhice saudável é fundamental a correlação entre independência e autonomia, consistindo num desafio para os profissionais de saúde, que devem transpor a abordagem baseada na queixa-conduta e adotar uma postura multiprofissional e interdisciplinar. Para tanto, espera-se que o instrumento construído contribua para a prática da enfermagem, uma vez que, terá um olhar mais específico, visando uma atenção diferenciada e sistematizada.
  • MARIA DO AMPARO MOTA FERREIRA
  • CAPELANIA COMO ESTRATÉGIA DE CUIDADO ESPIRITUAL À PESSOA IDOSA HOSPITALIZADA
  • Data: 30/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • As situações que necessitam de hospitalização podem repercutir, negativamente, para as pessoas em geral, assim como o sofrimento vivenciado pela pessoa idosa, pode impactá-la de forma drástica, já que o afastamento de seu meio e de sua família pode alterar e comprometer, significativamente, a sua dinâmica existencial desencadeando sentimentos de medos e incertezas. Buscou-se conhecer a produção científica na área de espiritualidade e envelhecimento, os possíveis benefícios do cuidado espiritual para a pessoa idosa hospitalizada e relatar o processo de construção de Guia com Orientações para Implantação de Capelania Hospitalar na Atenção à Pessoa Idosa. Trata-se de um estudo documental e metodológico de abordagem qualitativa. Inicialmente realizou-se revisão bibliográfica da literatura, por meio da consulta em artigos científicos que contribuíssem com a construção do objeto da pesquisa. Buscou-se artigos no Portal da Biblioteca Virtual de Saúde e Portal Periódicos CAPES, orientado pela questão: qual a produção científica na área de espititualidade e envelhecimento e quais os possíveis benefícios do cuidado espiritual para a pessoa idosa hospitalizada? A segunda fase constituiu-se de uma pesquisa junto a oito gestores de algumas unidades hospitalares do Município de João Pessoa/PB sobre o cuidado espiritual ofertado ao idoso, bem como da identificação dos documentos que norteiam o caminho daqueles que desejam prestar o cuidado espiritual às pessoas nos hospitais pesquisados. Por fim, a terceira fase, deu-se na construção do Guia com Orientações para Implantação de Capelania Hospitalar na Atenção à Pessoa Idosa. Na primeira fase, referente a revisão da literatura foram encontrados 315 artigos; apenas 3 estavam dentro dos critérios de inclusão e foram selecionados para análise. No que concerne as entrevistas dos gestores, constatou-se a existência de Capelania em quatro Hospitais, entretanto em nenhum dos oito existe normatização ou orientações formais quanto ao fluxo de ações a serem seguidos pelos interessados em realizar o cuidado espiritual aos pacientes idosos, segundo os relatos dos gestores. A inexistência de uma estrutura formal de acolhimento às pessoas interessadas em realizar o cuidado espiritual nos hospitais visitados, revela a fragilidade e a inabilidade das instituições de saúde para lidar com as questões referentes a dimensão espiritual. Este fato põe em risco a segurança de todos os envolvidos, deixando-os vulneráveis a abordagens de pessoas/grupos despreparados. Portanto reforça a necessidade de formalização de procedimentos e o conhecimento das normas que dizem respeito ao funcionamento da Capelania Hospitalar, dos direitos dos pacientes, assim como o conhecimento de aspectos específicos da população a ser atendida, nesse caso os idosos. A preparação de pessoas para exercer o cuidado espiritual é imprescindível, destaca-se a necessidade de oferta de um serviço de Capelania Hospitalar de qualidade e comprometido com a ética. Espera-se que o Guia com Orientações para Implantação de Capelania Hospitalar na Atenção à Pessoa Idosa, seja uma ferramenta que possa contribuir para facilitar o processo de implantação de Capelania Hospitalar e desse modo as pessoas idosas hospitalizadas possam dispor do cuidado espiritual.
  • DIVANY GUEDES PEREIRA DA CUNHA
  • VÍDEO PARA CUIDADORES DE IDOSOS: ASPECTOS DA ALIMENTAÇÃO E COMUNICAÇÃO
  • Data: 30/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Brasil vem passando por mudanças no seu perfil demográfico em virtude da redução da taxa de mortalidade e do aumento da expectativa de vida. O Relatório Mundial de Saúde e Envelhecimento registrou que o número de pessoas com mais de 60 anos no país deverá crescer muito mais rápido do que a média internacional. Em virtude disso, tornou-se fundamental investir em estudos sobre o processo de envelhecimento e todo o conteúdo que permeia, inclusive, a orientação direcionada aos cuidadores de idosos. A justificativa deste estudo consiste no fato de que idosos que possuem cuidadores treinados com relação as funções de alimentação e comunicação apresentam prognóstico melhor, sendo tais constatações evidenciadas em atendimentos fonoaudiológicos ambulatoriais. Objetivos: 1.Identificar e analisar estudos sobre a disfagia em idosos institucionalizados; 2. Identificar e analisar estudos sobre linguagem e cognição nos idosos; 3. Analisar o conhecimento dos cuidadores formais com relação aos aspectos da alimentação e comunicação da pessoa idosa e elaborar um vídeo com orientações para o cuidador formal. Método: Trata-se de um estudo metodológico de abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada em quatro instituições de longa permanência, no município de João Pessoa. A amostra correspondeu à população e foi constituída por todos os cuidadores de idosos das instituições, totalizando 34 voluntários. O projeto foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba e aprovado pelo nº 2.190.153, de 27 de julho de 2017, CAAE; 67103917.6.0000.5188 Resultados: Esta pesquisa originou três artigos. O primeiro, de revisão da literatura sobre a análise dos estudos relacionados a disfagia em instituições de longa permanência, mostrou a existência de risco para a disfagia nesse âmbito como também a falta de conhecimento dos cuidadores em relação as estratégias que minimizam risco de aspiração laríngea. O segundo artigo tratou-se de uma revisão da literatura sobre linguagem e cognição em idosos e os resultados mostraram que o processo de envelhecimento acarreta alterações linguísticas e cognitivas, ressaltando a importância do treino cognitivo para a memória, a linguagem, a comunicação e a socialização da pessoa idosa. O terceiro artigo (original) analisou o conhecimento dos cuidadores de idosos sobre os aspectos de comunicação e de alimentação, constando-se que eles não têm conhecimento sobre as dificuldades de fala, audição, cognição do idoso e das estratégias que facilitam essas funções. Também não mostram conhecer dificuldades de alimentação embora realizem práticas facilitadoras. Conclusões: As revisões da literatura mostraram que o processo de envelhecimento está relacionado às disfagias, ao declínios na linguagem e na cognição. Elaborou-se, como produto tecnológico resultante desse estudo, um vídeo para orientar os cuidadores de idosos com relação à alimentação e à comunicação, o que possibilitará melhorias na qualidade de vida dos idosos nas instituições de longa permanência.
  • FABIOLA MOREIRA CASIMIRO DE OLIVEIRA
  • APLICATIVO DE ORIENTAÇÃO SOBRE EXAMES PARA PESSOA IDOSA
  • Data: 29/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento é um grande desafio para os profissionais de saúde, principalmente pelo fato dessa população necessitar de uma atenção integral e especializada, no intuito de garantir não apenas a longevidade, mas também hábitos saudáveis e mais qualidade de vida para a pessoa idosa. Portanto, tendo em vista o crescimento da população idosa faz-se necessário a garantia de um atendimento de saúde adequado, garantido nos direitos desse idoso. No caso dos exames, em alguns tipos, a oferta é menor que a demanda, seja por dificuldade de disponibilidade do serviço, seja pela grande demanda. Objetivou-se avaliar as publicações científicas sobre exames na Atenção Primária à Saúde, identificar quais as perspectivas dos idosos sobre os exames na Atenção Primária à Saúde e propor um aplicativo de orientação sobre exames para pessoa idosa. Trata-se de um estudo exploratório e metodológico, com abordagem mista. Para a concretização de um primeiro artigo realizou-se uma revisão integrativa com busca nas bases de dados Medical Literature Analysis and Retrieval System Online – MEDLINE e Banco de Dados de Enfermagem – BDENF e nas bibliotecas virtuais Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde – LILACS e Scientific Electronic Library Online – SciELO, utilizando-se os descritores “atenção primária à saúde”, “exames médicos” e o indicador booleano “and” com período de publicação de 2013 a 2017. Foram analisadas 11 publicações, as quais abordaram em sua maioria, sobre a solicitação de exames médicos laboratoriais e de imagem, porém não exclusivamente para a pessoa idosa, o que implica em uma limitação da temática e a necessidade de estudos específicos. Outras abordaram a questão da regulação e resolutividade na APS; evidenciou-se que há a necessidade de mais estudos norteadores para o cuidado à saúde da pessoa idosa, sendo um deles, relacionados aos exames médicos específicos para este público na APS. Para a concretização do artigo 2 realizou-se um levantamento situacional na cidade de João Pessoa/PB sobre os exames destinados a pessoa idosa, e após a seleção da amostra realizou-se uma entrevista com relação aos exames para a pessoa idosa, tendo sido entrevistados 50 idosos, esses dados foram transcritos e organizados em um corpus, em seguida processado com o auxílio do software de Análise Textual IRaMuTeQ versão 0.7 alfa 2. Predominou o sexo feminino, entre 60-70 anos e ensino fundamental. A partição do corpus originou dois eixos, o primeiro eixo formou a classe 3 (Dependência e autonomia da pessoa idosa), que se interligou com o segundo eixo, formando a classe 1 (Solicitação e orientação de exames) e a classe 2 (Atividades na unidade e exames realizados). A seguir, passou-se á construção de um produto tecnológico, do tipo aplicativo de orientação, denominado “Exames JP” contendo a localização do prestador do serviço no município com endereço e contato e o preparo para os exames mais solicitados para a pessoa idosa na Atenção Primária à Saúde em João Pessoa – PB, objetivando contribuir para sanar com as dificuldades relatadas pelos idosos. Por fim, este estudo não apresentou limitações significativas, considerando que os idosos entrevistados foram bastante acessíveis e prontamente disponíveis a responder todos os questionamentos. Espera-se contribuir com a temática e tão somente beneficiar a pessoa idosa, bem como que este produto tecnológico venha ser utilizado como ferramenta de orientação na realização destes exames, trazendo de forma eficaz a conduta adequada a ser seguida, no intuito de sensibilizar a população idosa, como também os familiares, profissionais e os órgãos responsáveis sobre a assistência à saúde da pessoa idosa.
  • JOYCE LANE BRAZ VIRGOLINO DA SILVA
  • GUIA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE PARA PESSOA IDOSA
  • Data: 29/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O aumento significativo da população idosa acarreta mudanças nas áreas sociais e econômicas, especialmente na área da saúde, desta forma a atenção à saúde no Brasil tem investido na formulação, implementação e concretização de políticas de promoção, proteção e recuperação da saúde, havendo um grande esforço na construção de um modelo de atenção à saúde o qual priorize ações de melhoria da qualidade de vida dessa população atendida pela unidade de saúde. Objetivo: Analisar as ações de promoção da saúde para pessoa idosa desenvolvidas por trabalhadores do Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF – AB) e elaborar um Guia para profissionais sobre as ações de promoção da saúde à pessoa idosa. Métodos: Trata-se de um estudo metodológico, desenvolvido em três etapas. Quanto aos aspectos éticos, a pesquisa foi submetida ao Comitê de Ética do Centro de Ciências da Saúde e aprovado sob o nº 2.190.153 de 27/07/2017, CAAE; 67103917.6.0000.5188. A amostragem foi não – probabilística por conveniência, constituindo-se de 27 profissionais do NASF-AB, sendo farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, educadores físicos, assistentes sociais, psicólogos e fonoaudiólogos, de acordo com a disponibilidade para participar da pesquisa durante o período da coleta de dados. Os dados coletados foram organizados em um corpus, em seguida, processados com o auxílio do software IRaMuTeQ e discutidos segundo a literatura. Resultados e Discussão: dos resultados obtidos após a análise delineou-se dois artigos: a revisão integrativa da literatura identificou a predominância das práticas de promoção da saúde por meio das práticas corporais e atividades físicas e sua realização a partir de grupos operativos e, ainda, a prevalência das ações de promoção da saúde conforme formação dos profissionais, abordando muito mais a atuação específica sem abrangência dos diferentes eixos da Política Nacional de Promoção da Saúde e da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa; o segundo artigo encontrou como ações de promoção da saúde realizadas pelo NASF-AB para a pessoa idosa, a vacinação, as orientações sobre alimentação e nutrição, as práticas de atividades físicas e corporais; a orientação sobre prevenção e acompanhamento de vítimas de violência; a prevenção de quedas, o autocuidado, a orientação e o acompanhamento das doenças crônicas; a orientação sobre seus direitos, o estímulo para a participação de grupos; as ações que garantam os direitos humanos e as liberdades fundamentais e a assistência às condições clínicas mais comuns que adoecem o idoso. Considerações finais: Foi possível analisar as ações de promoção da saúde realizadas pelos profissionais do NASF-AB. As ações de promoção da saúde são realizadas pelas atividades de educação em saúde em grupos, com foco na orientação sobre patologias ou temáticas como a realização de atividades físicas e corporais, sendo realizadas nas unidades de saúde ou nas Academias da Saúde. O estudo teve como limitação o número reduzido de publicações sobre o tema em estudo e sugere-se o desenvolvimento de mais pesquisas sobre essa temática com ênfase na pessoa idosa.
  • MÔNICA ROCHA RODRIGUES ALVES
  • PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES PARA PESSOA IDOSA
  • Data: 29/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • As Práticas Integrativas e Complementares constituem um tema atual pela importância de se promover e prevenir saúde por meio dos métodos complementares, pela necessidade do desenvolvimento de ferramentas que fortaleçam a atenção primária, devido ao crescimento populacional dos idosos e a escassez dos recursos disponíveis para o cuidado assistencial na enfermidade. Objetivos: Avaliar as publicações científicas sobre as Práticas Integrativas e Complementares; verificar as representações sociais dos idosos sobre práticas integrativas e complementares e elaborar um portfólio informativo das práticas integrativas e complementares a partir das representações sociais dos idosos. Método: Trata-se de um estudo exploratório e de abordagem mista e para apreensão de dimensões simbólicas acerca das Práticas Integrativas e Complementares. Utilizou-se o aporte teórico das Representações Sociais, caracterizando-se ainda como uma pesquisa metodológica. Foram seguidas as seguintes etapas: pesquisa sobre a temática na literatura com busca em bibliotecas virtuais e bases nacionais e internacionais; levantamento situacional sobre o conhecimento das práticas integrativas e complementares em diferentes grupos; revisão integrativa sobre a temática abordada. Resultados e Discussão: A Revisão Integrativa da Literatura constituiu-se no primeiro artigo e evidenciou que o conhecimento sobre Práticas Integrativas e Complementares é relevante para sua implementação nos sistemas de saúde. O seu uso deve ser estimulado pela gestão e profissionais de saúde como importantes estratégias de cuidado à saúde para a população que necessita do atendimento público de qualidade. As representações sociais sobre as Práticas Integrativas e Complementares para os idosos constituiu-se no segundo artigo e tornou-se claro que eles apresentaram um posicionamento positivo e relacionado à imagem do idoso socializado, capaz de promover saúde, autonomia e autoconhecimento das suas necessidades. A elaboração de um portfólio informativo das práticas integrativas e complementares constituiu-se na terceira etapa desta pesquisa e este material foi elaborado, passando por um processo rigoroso de desenvolvimento, caracterizado por meio de mecanismos constantes de avaliação por parte do seu público-alvo – os idosos, os quais ensejaram a utilização de linguagem e ilustrações mais claras, objetivas e acessíveis para a população idosa. Conclusão: Espera-se que o conhecimento produzido nesta Dissertação de mestrado e este portfólio tragam benefícios para a área da gerontologia por meio da divulgação das condutas e práticas abordadas, as quais proporcionarão o envelhecimento saudável, a autonomia e a qualidade de vida dos idosos, promovendo o fortalecimento da política das Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde.
  • ANA MABEL SULPINO FELISBERTO
  • CONSULTA DE ENFERMAGEM À MULHER IDOSA COM INCONTINÊNCIA URINÁRIA: instrumento para um serviço ambulatorial
  • Data: 29/01/2018
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No Brasil, há uma prevalência maior do relato de Incontinência Urinária em mulheres acima de 60 anos, relatam conviver com a perda miccional, além de apresentarem pouca percepção corporal e baixa capacidade de contração da musculatura do assoalho pélvi-co. Verificou-se que há diversificadas formas terapêuticas no cuidado da Incontinência Uriná-ria em mulheres idosas, cabendo ao enfermeiro realizar uma anamnese detalhada para subsi-diar a consulta sistematizada no planejamento de estratégias de intervenções. O cuidado de enfermagem deve estar embasado em um modelo teórico que, neste estudo, é o de Callista Roy para melhor desenvolver o processo de enfermagem de forma sistematizada, documenta-da, sendo fonte de informação. Objetivos: Elaborar um instrumento de consulta de enferma-gem para a mulher idosa com Incontinência Urinária assistida em um serviço ambulatorial de urologia, fundamentado na Teoria da Adaptação de Callista Roy. Percurso Metodológico: Pesquisa metodológica realizada em um serviço ambulatorial de um hospital escola, tendo como participantes quatro enfermeiras. Foi desenvolvida em três etapas: identificação, na literatura, dos problemas adaptativos na mulher idosa com Incontinência Urinária à luz do modelo teórico de Callista Roy; confirmação dos problemas adaptativos pelas enfermeiras especialistas validados por consenso e a elaboração do instrumento de coleta de dados para consulta de enfermagem à mulher idosa com Incontinência Urinária. O estudo foi aprovado em Comitê de ética, recebendo parecer favorável. Resultados: Foram identificados 109 pro-blemas adaptativos, sendo que 78 são do modo fisiológico, 16 do modo autoconceito, 8 do modo função do papel e 7 do modo interdependência. Após serem validados pelas enfermeiras especialistas, permaneceram 60 problemas adaptativos, estando 45 no modo fisiológico, 6 no autoconceito, 5 na função do papel e 4 do modo interdependência, sendo assim, construído um instrumento de coleta de dados para consulta de enfermagem à mulher idosa com Inconti-nência Urinária assistidas em serviço ambulatorial. Conclusão: Considera-se que o instru-mento elaborado, neste estudo, viabilizará a implementação da sistematização da assistência de enfermagem, possibilitará a organização da assistência, bem como fornecerá dados relaci-onados ao cuidado de enfermagem, abrangendo a pessoa que recebe o cuidado considerando-a em suas relações com ambiente, visando promover um melhor nível de adaptação.
2017
Descrição
  • MARIA LUCRECIA DE AQUINO GOUVEIA
  • CHECKLIST PARA INDICAÇÃO DE VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA EM IDOSOS PÓS-ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
  • Data: 13/12/2017
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A técnica da ventilação mecânica não invasiva consiste na aplicação de pressão positiva na via aérea do indivíduo por intermédio de interfaces aplicadas na boca e/ou no nariz. Essa tecnologia é utilizada pelo fisioterapeuta, seja como terapia de expansão pulmonar, terapia de remoção de secreções traqueobrônquicas ou como método para prover repouso muscular respiratório relativo. Apesar dessas evidências, os benefícios não são avaliados, visto que ainda não há consenso nos critérios para indicação da ventilação mecânica não invasiva em idosos pós-acidente vascular cerebral. Objetivos: Evidenciar as publicações sobre o uso de ventilação mecânica não invasiva em idosos pós-acidente vascular cerebral (qualificação) e construir um Checklist para indicação de ventilação não invasiva em idosos pós-acidente vascular cerebral. Método: Trata-se de um estudo metodológico, de abordagem quantitativa realizado no Hospital Universitário Lauro Wanderley, na cidade de João Pessoa-PB. O estudo foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Paraíba e aprovado pelo nº 2.190.153, de 27 de julho de 2017, CAAE; 67103917.6.0000.5188. Resultados e Discussão: inicialmente foram selecionados artigos que abordaram acidente vascular cerebral e apneia obstrutiva do sono; 8 artigos a modalidade ventilatória foi a pressão positiva contínua; maior quantitativo de publicações no ano de 2009. A ventilação não invasiva apresenta benefícios na otimização, manutenção e restabelecimento da função pulmonar do idoso pós-acidente vascular cerebral. O número baixo de publicações e a ausência de protocolos reforça a necessidade de construção de instrumento para esta temática. Posteriormente, foi realizado entrevistas para emissão de pareceres sobre a construção do Checklist para indicação de ventilação não invasiva em idosos pós-acidente vascular cerebral, com dois grupos denominados GD (grupo de doutores, experts) e GF (grupo de fisioterapeutas atuantes em cardiorrespiratória), compostos por 10 sujeitos cada. Após emissão dos pareceres dos GD e GF, foi elaborado o checklist. Resultados: A viabilidade de aplicação clínica e ao auxílio na tomada de decisão (n=20; 100%). Sua relevância com proporção significante (p=0,007), a possibilidade de aplicação em curto tempo (p=0,0001), abrangência de conteúdo, 50% (n=10) relataram que o checklist é abrangente e 50% (n=10) afirmaram que é necessário acréscimo de conteúdo; foram unânimes que o instrumento tem boa apresentação, é objetivo, coerente e claro em seu conteúdo (n=20; 100%). Conclusão: A ventilação não invasiva apresenta benefícios na otimização, manutenção e restabelecimento da função pulmonar do idoso pós-acidente vascular cerebral. Entretanto, há um número baixo de publicações e a ausência de protocolos reforça a necessidade de construção de instrumento relacionado á esta temática. Por fim, percebe-se que um instrumento aplicado precocemente, pode ser um recurso tecnológico capaz de trazer benefícios a saúde da pessoa idosa, visto que favorecerá melhoria na função pulmonar e propiciará uma melhor qualidade de vida. Espera-se que este material proporcione a saúde com segurança, prevenindo o erro e consequentemente o evento adverso, favorecendo a qualificação profissional e especialmente a qualidade da assistência ao paciente, ofertada pelo fisioterapeuta.
  • MARIA DAS GRACAS DUARTE MIGUEL
  • PREVENÇÃO DE QUEDAS PARA PESSOAS IDOSAS EM DOMICÍLIO
  • Data: 06/12/2017
  • Hora: 01/01/1970
  • Mostrar Resumo
  • A ocorrência de quedas está entre os acidentes mais recorrentes da população idosa, sendo esta uma das principais causas de morte nesta população. Na prática assistencial, observa-se, também, um importante número de idosos, vítimas de quedas, as quais podem influenciar na sua qualidade de vida. Episódios de quedas necessitam de cuidados especiais; faz-se então necessária a construção de uma cartilha que venha contribuir para a qualidade de vida dos idosos, mostrando informações sobre como reduzir a incidência de quedas, minimizando os transtornos na família e buscando diminuir gastos com a assistência de idosos nos serviços de saúde. Objetivos: identificar a produção científica sobre acidentes por quedas em pessoas idosas; conhecer os fatores de risco para quedas em idosos atendidos no Ambulatório de fisioterapia do Hospital Universitário e construir uma Cartilha de Orientação sobre Prevenção de Quedas em Domicilio para a pessoa idosa. Método: Trata-se de um estudo metodológico, de abordagem quali-quantitativa, realizado em João Pessoa/PB, com 52 idosos, cadastrados no Serviço de Fisioterapia Adulto do Ambulatório, com idade superior aos 60 anos, de ambos os sexos, que aceitaram, em condições sociocognitivas para integrarem a pesquisa, responder ao questionário. Os dados coletados foram analisados por meio de estatística descritiva (média e percentual) e inferencial (teste de associação qui-quadrado, considerando p<0,05). Resultados e Discussão: Houve maior quantitativo de publicações sobre acidentes por quedas em pessoas idosas na área de enfermagem, na biblioteca virtual SCIELO, concentradas no ano de 2012. Os dados relacionados aos participantes da pesquisa mostraram que dos 52 idosos, a maioria é feminina (71,15%) com faixa etária entre 60 a 70 anos (55,77%), casada (48,08%), aposentada (59,61%), residentes em casa (88,46%) não adaptada (88,46%). A maioria vive com o cônjuge (44,23%), sofreu queda ao longo da vida (75%), não recebeu orientações prévias para prevenir (92,31%). Dos que sofreram evento de queda, a maioria ocorreu em domicilio (84,62%), pela manhã (41,03%) a partir de escorregões (56,42%) no banheiro (48,49%), resultando em fraturas para 41,03%, levando 46,15% â imobilização e 61,64% necessitaram de reabilitação. Houve a construção da cartilha com informações para a prevenção de quedas e orientações sobre atividade física no ambiente domiciliar como proposta de tecnologia educativa em saúde voltada para pessoas idosas. Conclusão: Este estudo fortalece as publicações sobre acidentes por quedas em pessoas idosas. Ao mesmo tempo, busca contribuir para a construção de material informativo acessível para a compreensão da pessoa idosa, contendo orientações educativas sobre a adequação do ambiente domiciliar na prevenção de quedas, conferindo a ela autonomia, independência e segurança.