PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA (PPGA)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
3209/8736

Notícias


Banca de DEFESA: CAIO MARTINIANO DE BRITO BAIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAIO MARTINIANO DE BRITO BAIMA
DATA: 31/03/2021
HORA: 09:15
LOCAL: Por plataforma de videoconferência Google Meet
TÍTULO: Do Muro de Tijolos ao Muro Digital: A ascensão do graffiti em Fortaleza e suas perspectivas em tempos pandêmicos
PALAVRAS-CHAVES: Graffiti; Arte de rua em tempos de pandemia; Etnografia virtual; Práticas juvenis; Controle social.
PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Antropologia
RESUMO: A presente dissertação intitulada DO MURO DE TIJOLOS AO MURO DIGITAL: A ASCENSÃO DO GRAFFITI EM FORTALEZA E SUAS PERSPECTIVAS EM TEMPOS PANDÊMICOS comporta o relato de uma pesquisa etnográfica que ocorreu de forma multissituada em Fortaleza, no meio físico e no meio digital, por intermédio da rede social Instagram, abordando a atividade de artistas grafiteiros no contexto da pandemia do coronavírus. Partindo, na primeira seção, de uma recuperação histórica que desemboca no graffiti contemporâneo, a investigação, de caráter qualitativo, incorpora aspectos apontados por interlocutores, ouvidos por meio de entrevistas semiestruturadas, num diálogo com a pesquisa bibliográfica. Segue, nas seções seguintes, inserindo as dificuldades da realização de uma pesquisa em meio à pandemia da Covid-19, simultaneamente trabalhando as técnicas destinadas a acompanhar o deslocamento das produções artísticas dos muros da cidade para o espaço virtual, numa observação proporcionada pelo Instagram. Ao final, discute-se dois aspectos centrais do tema na transição de 2020 para 2021: as dificuldades para efetivação de um projeto desenhado para ocorrer por meio de uma imersão presencial na Praia de Iracema, constantemente adiada em razão das medidas de proteção sanitária aderidas pelo Governo do Estado do Ceará e, em segundo lugar, a exposição das percepções obtidas nos meios virtuais em busca de compreender as formas utilizadas para manutenção de trabalhos artísticos pelos grafiteiros usuários do Instagram. Este trabalho tem como principal objetivo perceber e discutir as dificuldades enfrentadas por estes artífices após o fatídico surgimento da pandemia, que exige como principal medida de contenção o confinamento. Neste quadro, se pretende discutir a relação dos grafiteiros com o Poder Público, por meio da análise do texto e dos desdobramentos do Edital Arte Urbana na PI, de 2020, no contexto do estado emergencial, examinando os elementos de controle social presentes neste tipo de iniciativa estatal e, sob outro aspecto, as estratégias utilizadas pelos grafiteiros para dar sequência ao fomento de sua arte. Partindo de DIÓGENES e buscando entender o ciberespaço com RIFIOTIS, o método utilizado, que fundamenta os procedimentos acima descritos, foi o da etnografia virtual. O estudo se conclui constatando aspectos relacionados ao controle social presentes não apenas nas vias da administração pública, mas também pelos direcionamentos automatizados dos meios digitais, e, ao mesmo tempo, registrando a incidência de inúmeras formas de tentativa de liberdade encontradas na investigação, como as saídas às ruas durante o lockdown, contraditoriamente menos sujeitas, nas circunstâncias do isolamento, à repressão da polícia, ou à difusão de conteúdos nas redes sociais como espaço aparentemente seguro.
MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JOÃO BATISTA DE MENEZES BITTENCOURT
Interno - 447569 - LARA SANTOS DE AMORIM
Presidente - 1722411 - MARCO AURELIO PAZ TELLA