PROGRAMA MULTICÊNTRICO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS (PMPGCF)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
(83) 3216-7173

Notícias


Banca de DEFESA: PEDRO HENRIQUE DE SOUSA PALMEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PEDRO HENRIQUE DE SOUSA PALMEIRA
DATA: 30/09/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma Google Meet (https://meet.google.com/gcj-yakp-gnj)
TÍTULO: AVALIAÇÃO DE LINFÓCITOS T REGULADORES EM PACIENTES CONVALESCENTES DA COVID-19
PALAVRAS-CHAVES: Células T Reguladoras; COVID-19; Imunomodulação; SARS-CoV-2
PÁGINAS: 118
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
SUBÁREA: Fisiologia de Órgãos e Sistemas
RESUMO: A infecção ocasionada pelo Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave 2 (SARS-CoV-2), responsável pela Doença do Coronavírus 2019 (COVID-19), provoca uma gama de manifestações clínicas que podem levar ao óbito. Embora diversos estudos demonstrem a importância da participação do sistema imune do hospedeiro no desenvolvimento dos distintos perfis clínicos, muitos questionamentos ainda permanecem. No presente estudo, análises comparativas em células T Reguladoras (Treg) de voluntários não previamente infectados com SARS-CoV-2 (CTL) e aqueles que se recuperaram das formas leve (Leve Recuperado) e grave (Grave Recuperado) da COVID-19 foram realizadas. Células Mononucleares do Sangue Periférico (PBMC) de voluntários foram coletadas e estimuladas com peptídeos relacionados ao SARS-CoV-2 (Pool Spike CoV-2 e Pool CoV-2) ou Staphylococcal enterotoxin B (SEB). Mediante ensaio de citometria de fluxo, foram relatados, no grupo Leve Recuperado, níveis mais elevados de Tregs bem como da expressão de IL-10, IL-17, perforina, granzima B, PD- 1 e coexpressão CD39+CD73+ pelas células estudadas em comparação com grupos Grave Recuperado e/ou CTL em alguns estímulos relacionados ao SARS-CoV-2. Além disso, PBMCs do grupo Leve Recuperado não estimuladas também apresentaram maior frequência de Tregs e expressão de IL-10 e granzima B, comparado ao CTL, sugerindo alterações imunológicas de longa duração após resolução da doença. Comparado ao estímulo Pool CoV-2, Pool Spike CoV-2 reduziu a expressão de IL-10, enquanto melhorou a expressão de PD-1 pelas Tregs de voluntários Leve Recuperado. Curiosamente, Pool Spike CoV-2 provocou uma diminuição na frequência Tregs IL-17+ no grupo Grave Recuperado. No grupo CTL, por sua vez, a expressão de LAP e a coexpressão de grânulos citotóxicos perforina+granzima B+ pelas Treg foram maiores em amostras estimuladas com Pool CoV-2 sugerindo uma reatividade cruzada. No presente estudo também foram realizadas análises comparativas dos dados imunológicos entre voluntários Leve Recuperado que experienciaram ou não alguns sintomas durante a fase aguda da COVID-19. Os principais dados revelam que o estímulo Pool Spike CoV-2 provocou um padrão de redução na frequência de Tregs IL- 10+ e Tregs CTLA-4+ em PBMC de voluntários, que não experimentaram alguns sintomas. Em conjunto, níveis mais elevados de perforina e da coexpressão perforina+granzima B+ pelas células T Reguladoras foram encontrados em voluntários Leve Recuperado, que desenvolveram dispneia. Finalmente, foram observadas expressão diferencial das ectonucleotidases CD39 e CD73 em Tregs de voluntários Leve Recuperado, que se queixaram de dores musculoesqueléticas. Em resumo, o estudo sugere que mudanças nas ferramentas de imunossupressão dos linfócitos T Reguladores poderiam influenciar o desenvolvimento dos distintos perfis clínicos associados à COVID-19. Considerando os dados comparativos do grupo Leve Recuperado, o presente trabalho revelou possíveis modulações a nível de Treg que poderiam auxiliar no estabelecimento de formas mais leves da doença possuindo, assim, grande potencial para contribuir com os esforços científicos na compreensão do sistema imune durante a COVID-19.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1889422 - TATJANA KEESEN DE SOUZA LIMA CLEMENTE
Interno - 1340309 - SANDRA RODRIGUES MASCARENHAS
Externo à Instituição - LEONARDO AUGUSTO DE ALMEIDA