PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA (PPGQ)

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA (CCEN)

Telefone/Ramal:
Não informado
http://www.ufpb.br/pos/ppgq

Notícias


Banca de DEFESA: CRISTIANO TENÓRIO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTIANO TENÓRIO DOS SANTOS
DATA: 26/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala_Reuniões_DQ
TÍTULO: Uso de Mn-porfirinas e do estressor salino NaCl na produção de biomassa de fungos filamentosos da caatinga para reações de biocatálise.
PALAVRAS-CHAVES: Fungos filamentosos, Mn-porfirinas catiônicas, Dinâmica de crescimento, Estresse salino, Biotransformação, Biocatálise.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
RESUMO: O presente trabalho dedicou-se a estudos com Rhizopus stolonifer (SIS 35), Rhizopus microsporus var. microsporus (SIS 39) e Lichtheimia blakesleeana (SIS 40) advindos da micoteca da Rede Norte-Nordeste de fungos filamentoso de solos da Caatinga e da Amazônia (RENNORFUN). Dentre esses estudos, incluem-se as dinâmica de crescimento dos fungos filamentosos. Em particular estudou-se a resposta da biomassa do fungo Rhizopus stolonifer (SIS 35) frente as condições de cultivo, como rotação orbital e unidade formadora de colônia, em seguida identificou-se o crescimento do fungo SIS 35 em níveis elevados de salinidade, utilizando para isso dois modelos experimentais microplaca e meio submerso. Posteriormente, usou-se MnTE-2-PyP5+ e MnTnHex-2-PyP5+ para averiguar atenuações do estresse salino, em ambos os modelos os resultados mostraram que o efeito do estresse salino foi significativo, porém as MnPs não foram eficientes em remediar o estresse salino. Posteriormente, iniciou-se um estudo com estas cepas a fim de verificar sua capacidade biotransformatória frente a reações com substratos afim de verificar redução de uma cetona (ciclohexanona) e oxidação de um álcool (ciclohexanol). Verificou-se a oxidação em dois meios de crescimentos para os três fungos. O fungo SIS 35 foi o único que não realizou a conversão ciclohexanol, então verificou-se sua eficiência biocatalítica frente a redução da ciclohexanona, obtendo-se bons resultados com rendimentos entre 98-99% em um período de ~ 44 horas. Inclui-se a esse trabalho estudos do efeito do estresse salino e de MnPs como agentes promotores de uma melhor eficiência biocatalítica, o efeito da salinidade 200 mmol/L de NaCl na conversão parece promover uma biomassa mais eficiente diminuindo o tempo reacional em 12 horas, já a MnP em concentrações de 5 µmol/L parece promover um melhor tempo de conversão do substrato.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1698581 - JULIO SANTOS REBOUCAS
Interno - 377634 - ARY DA SILVA MAIA
Externo ao Programa - 2438978 - COSME RAFAEL MARTINEZ SALINAS
Externo ao Programa - 2305006 - KRYSTYNA GORLACH LIRA

Notícia cadastrada em: 16/02/2016 15:28