PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS (PPGCTA)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
3216/7269
http://www.ufpb.br/pos/ppgcta

Notícias


Banca de DEFESA: JACQUELINE DA SILVA GUIMARAES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JACQUELINE DA SILVA GUIMARAES
DATA: 30/08/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Centro de Tecnologia
TÍTULO: Efeitos da atmosfera modificada e metabissulfito de sódio sobre as aminas biogênicas em camarão refrigerado (Litopenaeus vannamei, Boone, 1931).
PALAVRAS-CHAVES: camarão; aminas biogênicas; CLAE; refrigeração; atmosfera modificada.
PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
ESPECIALIDADE: Avaliação e Controle de Qualidade de Alimentos
RESUMO:

Guimarães, J. S. Efeitos da atmosfera modificada e metabissulfito de sódio sobre as aminas biogênicas em camarão refrigerado (Litopenaeus vannamei; Boone, 1931). João Pessoa, 2012. 73f.

Reconhecendo-se a susceptibilidade do camarão à autólise e à decomposição microbiana, a presente pesquisa teve como objetivo avaliar a influência de diferentes combinações de atmosfera modificada e o metabissulfito de sódio sob o desenvolvimento de aminas biogênicas em camarão refrigerado (Litopenaeus vannamei; Boone, 1931). As amostras utilizadas na investigação são provenientes de fazendas localizada no litoral norte do Estado da Paraíba e constituíram-se de filé de camarão in natura, acondicionados em embalagens plásticas Cryovac BB4L, translúcidas com capacidade de 500g. Os quais foram divididos em duas partes iguais, uma parte foi imersa em solução a 1.0% com metabissulfito de sódio por 10 minutos (CMB), e, a outra parte, embalada sem o aditivo (SMB); posteriormente esses dois tratamentos foram submetidos a embalagens com diferentes misturas de gases: 100 % O2 + 0 % CO2 (controle); 75 % O2 + 25 % CO2; 60 % O2 + 40 % CO2 e 50 % O2 + 50 % CO2 e armazenadas sob refrigeração a 0 ± 1 oC  por nove dias. Foram realizadas análises químicas para a determinação dos teores de dez aminas biogênicas (espermidina, espermina, putrescina, cadaverina, histamina, tiramina, triptamina, feniletilamina, agmatina e serotonina), as quais foram determinadas por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE) com derivação pós-coluna (O-ftalaldeído) e detecção fluorimétrica em intervalo de três dias durante nove dias. Todas as amostras foram analisadas em triplicata. Os resultados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e as médias foram comparadas pelo teste Tukey e as diferenças significativas foram definidas a p<0,05. Entre as 10 aminas examinadas por CLAE, a putrescina, cadaverina, agmatina, tiramina, espermina e espermidina foram detectadas em todos os tratamentos nos nove dias de estocagem a 0 ± 1 ºC, e a histamina detectada a partir do terceiro dia. No geral, a putrescina e cadaverina foram as aminas predominantes, seguidas pela agmatina e tiramina. As concentrações das aminas variaram amplamente entre os diferentes tratamentos aplicados nas amostras. As amostras submetidas ao tratamento CMB apresentou as menores concentrações de putrescina, cadaverina, histamina e tiramina ao longo dos nove dias de estocagem a 0 ± 1 oC  quando embaladas com ATM de 50% CO2, e foi constatada diferenças significativa quando comparados ao tratamento SMB. Desse modo, conclui-se que as amostras tratadas com metabissulfito de sódio a 1.0% combinadas a elevadas concentrações de CO2 foram eficientes no controle do desenvolvimento das aminas biogênicas e no prolongamento da vida de prateleira do camarão marinho refrigerado.

 

 

 

 

 

PALAVRAS-CHAVE: camarão; aminas biogênicas; CLAE; refrigeração; atmosfera modificada.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2113418 - EDUARDO DE JESUS OLIVEIRA
Presidente - 337037 - JOAO ANDRADE DA SILVA
Interno - 1047697 - JOSE MARCELINO OLIVEIRA CAVALHEIRO

Notícia cadastrada em: 27/08/2012 10:51