PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS (PPGCTA)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
3216/7269
http://www.ufpb.br/pos/ppgcta

Notícias


Banca de QUALIFICAÇÃO: ISNANDIA ANDREA ALMEIDA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ISNANDIA ANDREA ALMEIDA DA SILVA
DATA: 26/11/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Centro de Tecnologia
TÍTULO: Propriedades bioativas de méis produzidos por abelhas sem ferrão (Melipona seminigra merrillae) nativas do estado do Amazonas
PALAVRAS-CHAVES: abelhas sem ferrão, Melipona seminigra merrillae, propriedades bioativas de méis.
PÁGINAS: 123
RESUMO:

Melipona semingra merrillae é uma espécie de abelha sem ferrão, nativa da Região do Amazonas, melífera, cujas propriedades do mel ainda são pouco conhecidas. Neste trabalho foram estudadas amostras de méis produzidos por esta espécie, coletadas em sete municípios do Estado do Amazonas: Boca do Acre (BAJ), Pauni (PAU), Manaus (MAO), Rio Preto da Eva (RP), Lábrea (LAB), Maués (ME) e Coari (CO). Para estas amostras determinou-se o perfil botânico através da análise melissopalinológica, as características físico-químicas (pH, acidez, cinzas, proteínas, hidroximetilfurfural, atividade de água e açúcares redutores) e o perfil da degradação térmica, por meio da termogravimetria. Foi feita também a análise microbiológica para verificar a presença de coliformes, bolores e leveduras, além da atividade antibacteriana e antifúngica. No estudo das propriedades antioxidantes foram preparados extratos metanólicos e frações acetato de etila dos méis, nos quais foram aplicados testes para avaliação da atividade antioxidante (DPPH, ABTS, HO, sistema β-caroteno/ácido linoléico e FRAP), determinação do perfil fenólico e teor de fenólicos totais. Os resultados das análises melissopalinológicas mostraram que as amostras  BAJ, RP, ME e LAB são monoflorais e as demais  poliflorais. Com relação às análises físico-químicas os resultados revelaram que a maioria dos parâmetros físico-químicos investigados apresentaram valores médios adequados para o consumo humano, o que possibilita a exploração deste produto. Os resultados das análises termogravimétricas por sua vez indicaram que todas as amostras de méis têm o perfil de degradação térmica semelhante. Com respeito aos resultados das análises microbiológicas, os mesmos se mostraram dentro das especificações estabelecidas pela Instrução Normativa (IN) nº 11, de 20 de outubro de 2000. Os resultados da atividade antibacteriana e antifúngica revelaram que apenas as amostras ME, LAB e CO foram efetivas. Os resultados da atividade antioxidante mostraram-se promissores para os méis, os extratos e as frações. Na determinação do perfil fenólico foram identificados os seguintes compostos: Ácido gálico, 3,4-Di-hidroxibenzóico, 4-Hidroxibenzóico, 1,2-Di-hidrobenzóico, Trans-trans-abicissico, Cis-tran-abicissico, vanílico, siríngico, salicílico, cumárico, cinâmico, e os flavonóides taxifolina, naringenina e luteolina. Os teores de conteúdo de fenólicos totais foram bastante expressivos para todas as amostras avaliadas, o que poderia fundamentar o consumo destes méis como alimento funcional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 334014 - ANTONIO GOUVEIA DE SOUZA
Interno - 1860341 - MARCIANE MAGNANI
Interno - 338223 - RITA DE CASSIA RAMOS DO EGYPTO QUEIROGA
Externo ao Programa - 1665390 - NEIDE QUEIROZ
Externo à Instituição - NATALY ALBUQUERQUE DOS SANTOS - NENHUMA

Notícia cadastrada em: 20/11/2012 15:37