PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS (PPGCTA)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal:
3216/7269
http://www.ufpb.br/pos/ppgcta

Notícias


Banca de DEFESA: OLIVALDO LACERDQA BRASILEIRO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: OLIVALDO LACERDQA BRASILEIRO
DATA: 03/05/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Tecnologia
TÍTULO: Caracterização físico-química do concentrado proteico e da farinha liofilizada obtidos de resíduo de camarão (Litopenaeus vannamei)
PALAVRAS-CHAVES: Litopenaeus vannamei, resíduo, fonte alimentar, fonte protéica, alimentação humana
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
ESPECIALIDADE: Química, Física, Fisico-Química e Bioquímica dos Alim. e das Mat-Primas Alimentares
RESUMO:

A indústria de alimentos busca novas fontes alimentar para suprir as necessidades do consumo humano a nível mundial e com o beneficiamento do camarão gera uma grande quantidade de resíduos provenientes da indústria do pescado podendo ser facilmente transformados em produtos com novas formas de aproveitamento. No presente estudo, objetivou-se determinar a composição centesimal e as propriedades funcionais de farinha liofilizada e concentrado protéico provenientes de resíduos de camarão. A matéria-prima empregada neste estudo foi constituída de resíduos (cabeça) de camarão Litopenaeus vannamei.  O concentrado protéico foi obtido por extração etanólica e posteriormente submetido à secagem em estufa a 70°C, enquanto a farinha foi obtida pelo processo de liofilização do resíduo. Os teores de umidade, cinzas, proteínas e cálcio apresentaram uma diferença significativa entre as amostras de resíduo de cabeça de camarão in naturas (IN) e as amostras de concentrado protéico e farinha liofilizada. O teor de proteínas para concentrado protéico (CP) e para a farinha liofilizada (FL) apresentou um aumento significativo em relação ao teor protéico do resíduo (IN), mostrando assim que o processo de elaboração do concentrado protéico foi eficiente. Com relação às propriedades emulsificantes houve variações para ambas as amostra em relação a variação do pH obtendo assim maior capacidade emulsificante no pH 3.0 e a menor em pH 8.0 já para a atividade emulsificante obteve-se o menor valor no pH 4.0. Com relação às análises microbiológicas as amostra se apresentam dentro dos padrões aceitáveis pelos órgãos reguladores da indústria alimentícia. O pico de viscosidade máxima (peak) tanto para o concentrado protéico como para a farinha liofilizada apresenta se semelhanças comparados a outra fontes alimentícias. As amostras apresentaram 03 etapas de endotermia e de perda de massa apresentando assim um comportamento termogravimétrico equivalentes a outros alimentos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 337037 - JOAO ANDRADE DA SILVA
Presidente - 1047697 - JOSE MARCELINO OLIVEIRA CAVALHEIRO
Externo ao Programa - 1525793 - NEIVA MARIA DE ALMEIDA
Externo ao Programa - 1807287 - RAUL ROSENHAIM
Interno - 202.770.594-53 - VICENTE QUEIROGA NETO - UFCG

Notícia cadastrada em: 22/04/2013 10:40