PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO (CCA - PPGCS)

CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (CCA)

Telefone/Ramal
Não informado

Dissertações/Teses


Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPB

2023
Descrição
  • ERICKA AGUIAR CARNEIRO
  • DETECÇÃO DO DÉFICIT HÍDRICO NO SOLO A PARTIR DO IMAGAMENTO TERMAL POR AERONAVES REMOTAMENTE PILOTADAS (ARP)
  • Orientador : DAVI DE CARVALHO DINIZ MELO
  • Data: 31/10/2023
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A cana-de-açúcar é uma cultura que possui uma boa adaptação às condições tropicais e subtropicais com alta disponibilidade de água, nutrientes e radiação, faz parte da família Poaceae (gramíneas), sendo descrita taxonomicamente, pela primeira vez, por Linnaeus, em 1753, no livro “Species Plantarum”. A produtividade da cana-de-açúcar torna-se limitada por vários fatores, e entre eles destaca-se a deficiência hídrica, bem como alterações nas características morfológicas da planta, como área foliar, número de folhas verdes, alongamento e diâmetro do caule. Devido a uma grande necessidade de demanda hídrica e com base nos cultivos agrícolas encontrados no país, a cana de açúcar (CDA) torna-se atrativa para estudos de caso, pois envolve aspectos econômicos, ambientais e energéticos. Além de um importante recurso para muitos países tropicais, a CDA é o principal produto agrícola dos estados da Paraíba (PB) e de São Paulo (SP). Neste sentido uma das tecnologias que podem contribuir para uma maior e melhor eficiência produtiva da cana-de-açúcar, é a utilização de ARPs (Aeronaves Remotamente Pilotadas) para a detecção do déficit hídrico através de imagens térmicas para contribuir com a redução de custos com irrigação, bem como uma irrigação eficiente de precisão. O objetivo desse trabalho foi identificar a condição hídrica da cultura através da Detecção do Déficit Hídrico-CWSI no plantio de cana-de-açúcar. Este trabalho avaliou as condições hídricas no plantio de cana-de-açúcar da usina Japungu, localizada no município de Rio Tinto, no estado da Paraíba. A área estava distribuída em três talhões, onde a cana era irrigada com três lâminas d’águas distintas (40,60 e 80 mm). Para a condução do experimento foram feitos os trabalhos de georreferenciamento dos pontos de controle, a coleta das amostras de solo para a realização das análises físicas, bem como a instalação dos sensores de temperatura e umidade do solo para a coleta de dados. Para a obtenção das imagens térmicas foi utilizada uma aeronave remotamente pilotada modelo M2EA com câmera térmica acoplada. Os resultados das análises físicas detectaram que a área possui uma classificação textural arenosa, bem como maiores valores de CC, PMR e CAS para a lâmina irrigada com 60 mm, em decorrência de uma maior porção de silte e argila na área, permitindo com que a área tenha uma maior capacidade de retenção. As imagens térmicas processadas no software Pix4d permitiram a geração dos mapas e a identificação dos valores de CWSI calculados no software Qgis3, mostrando que a planta não passou por estresse hídrico, a comparação dos valores de temperatura das imagens com os valores de temperatura do sensor radiômetro no software Thermal Analysis Tool 2, permitiu validar eficiência das imagens na captura dos valores de temperatura, os gráficos de regressão gerados para as imagens térmicas mostraram uma excelente correlação com exceção para o dia 24-03-23 e a curva de retenção conseguiu validar os dados de umidade, a ausência de Tdry, bem como comprovou que a planta não teve estresse hídrico.
2022
Descrição
  • RAIMUNDO DE OLIVEIRA CRUZ NETO
  • Disponibilidade de zinco e cobre pelos extratores HCl, Mehlich-1, Mehlich-3 e DTPA em solos do Estado da Paraíba
  • Orientador : ALEXANDRE PAIVA DA SILVA
  • Data: 30/09/2022
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Pouco tem sido feito com relação à seleção de métodos de extração de micronutrientes em solos paraibanos, prevalecendo a utilização do extrator Mehlich-1 e adoção de classes de disponibilidade geradas em outras regiões do País. Assim, objetivou-se com o presente trabalho avaliar o desempenho dos extratores HCl, Mehlich-1, Mehlich-3 e DTPA a pH 7,3 na avaliação da disponibilidade de Zn e Cu em solos representativos do Estado da Paraíba. Foram conduzidos dois experimentos, um para cada micronutriente, com os tratamentos arranjados em esquema fatorial 8 x 5, correspondendo a oito solos e cinco doses de Zn ou Cu, no delineamento de blocos casualizados, com três repetições. A unidade experimental constou de um vaso plástico, contendo 1,5 dm3 de solo e duas plantas de sorgo (Sorghum bicolor L.) cv. BRS Ponta Negra. Foram utilizados materiais da camada subsuperficial de quatro solos mais intemperizados (Latossolo Vermelho-Amarelo – LA; Argissolo Vermelho-Amarelo – PVA; Argissolo Vermelho – PV e Neossolo Regolítico - RR) e de quatro menos intemperizados (Neossolo Litólico – RL; Planossolo Háplico – SX; Luvissolo Crômico - TC e Vertisolo Háplico – VX). Foram avaliadas as doses de 0,0; 1,0; 2,0; 4,0 e 8,0 mg dm-3 de Zn, na forma de sulfato de zinco, e de 0,0; 1,0; 2,0; 4,0 e 6,0 mg dm-3 de Cu, na forma de sulfato de cobre. As doses de Zn e Cu foram incubadas nos solos durante 15 dias. Nesse mesmo período, realizou-se adubação básica para experimentos em casa de vegetação, sem zinco e cobre, com os demais macro e micronutrientes. Após esse período de incubação foram retiradas subamostras de 0,1 dm3, para avaliação dos teores de Zn e Cu pelos extratores HCl, M-1, M-3 e DTPA, sendo o volume de solo restante acondicionado novamente nos vasos para o cultivo do sorgo. Aos 45 dias de cultivo foi avaliada a massa da matéria seca da raiz (MSR), da parte aérea (MSPA) e total (MST), bem como os teores e acúmulos de Zn e Cu na parte aérea das plantas. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente por meio análises de variância, regressão e correlação Zn e o Cu recuperados pelos extratores HCl, M-1, M-3 e DTPA aumentam linearmente com o aumento das doses desses nutrientes aplicadas aos solos, havendo, com exceção do M-1, pouca influência da capacidade tampão do solo. A capacidade de extração de Zn e Cu dos solos obedece a seguinte ordem decrescente: M-3 > HCl > M-1 > DTPA. Com exceção do solo VX, os extratores HCl, M-1, M-3 e DTPA são altamente correlacionados entre si. Excetuando-se os solos PV e VX (M-3 e DTPA) e o solo SX (nenhum dos extratores), os quatro extratores são adequados para estimar a disponibilidade de Zn no solo; por outro lado, a disponibilidade de Cu nos solos LA, RR, RL e TC pode ser adequadamente avaliada por qualquer um dos quatro extratores, sendo os mesmos inadequados nos solos PVA, PV, SX e VX. Os NC de Zn e Cu para os extratores HCl, M-1, M-3 e DTPA são 3,4 e 0,95; 3,0 e 0,60; 5,9 e 1,45; 3,0 e 0,75 mgdm-3, respectivamente; com exceção do DTPA para Cu, houve pouca influência do fator capacidade tampão sobre os NC de Zn e Cu nos solos.
  • JHONATAN RAFAEL ZARATE SALAZAR
  • USO DE SUBSTRATOS PÓS-CULTIVO DE COGUMELOS DE Pleurotus ostreatus (Jacq.) NA RECUPERAÇÃO DA FERTILIDADE DE UM LUVISSOLO DEGRADADO
  • Data: 27/09/2022
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Os resíduos agronômicos oriundos das culturas mais importantes do Estado da Paraíba, como cana-de-açúcar, abacaxi, coco-da-baía e banana muitas vezes são incorporados ao solo como prática cultural, mas em algumas situações são descartados no campo sem critérios técnicos definidos e, inclusive, eventualmente são queimados contribuindo com a emissão de gases de efeito estufa que contaminam o meio ambiente. No entanto, estes materiais vegetais in natura podem ser aproveitados como substratos para a produção de cogumelos comestíveis da espécie Pleurotus ostreatus (Jacq.) por ser um sistema produtivo capaz de biodegradar resíduos agronômicos secos com altos teores de lignina, hemicelulose e celulose utilizando-os metabolicamente para a produção de basidiocarpos altamente nutritivos e, além disso retornar ao meio ambiente um material orgânico biodegradado conhecido como substrato pós-cultivo de cogumelos (SMS) que quando incorporados ao solo favorecem a atividade microbiana e podem atuar como condicionadores de solo melhorando os atributos físicos e químicos de solos degradados como os ocorrentes no semiárido da Paraíba, a exemplo de alguns Luvissolos Crômicos. Nesse contexto, o objetivo da presente tese de doutorado, em primeira instância, foi realizar a transferência de tecnologia do sistema de produção de P. ostreatus para o estado da Paraíba reciclando os seus principais resíduos agronômicos para obter o SMS e, assim verificar a sua aplicação na recuperação de solos degradados do Cariri paraibano por meio da sua incorporação em Luvissolo Crômico. As pesquisas foram divididas em 3 etapas, as quais serão apresentadas na forma de capítulos: 1. Revisão bibliográfica geral das bases teóricas e científicas em relação à aplicação do SMS no solo e os seus fundamentos em relação à economia circular; 2. Avaliação do enriquecimento mineral dos resíduos agronômicos in natura por meio da fermentação em estado sólido para a produção de cogumelos e obtenção do substrato póscultivo de cogumelos (SMS); e 3. Identificação dos efeitos da aplicação do SMS em diferentes doses sob o condicionamento químico da fertilidade de Luvissolo Crômico. Dos resultados observados, concluímos que existe enriquecimento dos resíduos agronômicos in natura por meio do cultivo de cogumelos e que a aplicação dos seus substratos pós-cultivo de cogumelos (SMS) apresenta um efeito positivo no condicionamento químico do solo de modo que nos permite sugerir uma nova valoração do que classificamos como resíduos agronômicos e propor que seja considerado como um novo recurso para o cultivo de cogumelos que, além de fornecer um alimento nutritivo e favorecer a agricultura familiar, pode contribuir com a gestão de resíduos lignocelulósicos disponíveis na região, retornando ao meio ambiente como um material orgânico mais lábil, rico em nutrientes e com potencial agrícola inserido em um sistema integrado com enfoque na economia circular (resíduos zero).
  • MARIA IDALINE PESSOA CAVALCANTI
  • RESPOSTA DA CANA-DE-AÇÚCAR E AMBIENTE RIZOSFÉRICO A APLICAÇÃO DE BIOESTUMULANTES
  • Orientador : ADAILSON PEREIRA DE SOUZA
  • Data: 26/09/2022
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O cultivo da cana-de-açúcar no Brasil tem grande importância para o agronegócio, e sua produtividade precisa atender as novas demandas de fontes renováveis. Os bioestimulantes são substâncias que quando aplicadas às plantas, podem alterar vários processos metabólicos e fisiológicos específicos, atuar nas diferentes fases de desenvolvimento das culturas. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de bioestimulante na distribuição do sistema radicular da cana-planta; na atividade enzimática no solo; na diversidade microbiana em nível de rizosfera, bem como no crescimento e desenvolvimento cana-de-açúcar. O estudo foi realizado em área comercial de cultivo de cana-de-açúcar nos Tabuleiros Costeiros, Paraíba. O experimento foi montado em área de seis hectares, divididas em duas áreas de três hectares, tendo uma área recebido a aplicação de Viusid Agro® e a outra o manejo adotado na empresa. Foram realizadas três coletas, na fase de intenso crescimento da cultura (120 DAP) (240 DAP), fase de maturação da cultura e a última coleta em agosto de 2020, 30 dias após a colheita da cana. Aos 402 dias após o plantio, realizou-se o corte manual para avaliação das variáveis tecnológicas (TCH, Brix, ATR e Pol %). Foram avaliadas as atividades das enzimas urease, fosfatase ácida e atividade enzimática geral do solo (hidrólise do diacetato de fluoresceína - FDA). Nos resultados observados, o Viusid Agro® proporcionou aumento significativo na produtividade da cana-planta, com incremento de 20,19 t ha-1, quando comparado ao tratamento controle, maior uniformidade do canavial, na germinação, aumento no enraizamento, redução de falhas e competição entre as próprias touceiras, e padrões do perfilhamento. Os valores de hidrólise do FDA foram superiores nas três coletas em área com VIUSID Agro®. A urease não apresentou diferenças significativa entre a área com aplicação do bioestimulante VIUSID Agro® e o controle aos 120 dias após o plantio e 30 dias após a colheita. A máxima atividade da fosfatase ácida foi no controle de 1638,8 μg p-nitrofenol h-1 g-1 ,240 dias após o plantio.
  • LÚCIA DE OLIVEIRA LIMA
  • Dinâmica e modelagem da matéria orgânica do solo e emissão de gases de efeito estufa em cultivo irrigado no semiárido Nordestino
  • Data: 14/09/2022
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • A mudança de uso da terra, estão entre os fatores que afetam a quantidade e qualidade da matéria orgânica do solo (MOS), importante atributo para o desenvolvimento agrícola e um componente essencial para a mitigação do carbono na atmosfera. Assim, o presente trabalho encontra-se dividido em três capítulos, cujos objetivos foram: I) Quantificar a produção de fitomassa seca da parte aérea, o acúmulo de nutrientes, dinâmica de decomposição e mineralização de nutrientes de diferentes resíduos vegetais, em condições irrigadas no semiárido pernambucano, II) Identificar a dinâmica das emissões de CO2, CH4 e N2O do solo de diferentes adubos verdes sob sistemas de preparo e de cultura de cobertura no semiárido pernambucano e III) Simular o estoque de C, N e seus compartimentos por meio do modelo computacional CENTURY, no semiárido pernambucano. No primeiro capítulo foi realizada a avaliação da taxa de decomposição da fitomassa e liberação de nutrientes pelo método das sacolas de náilon (litter bag), no delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições, com arranjo em parcelas subsubdivididas. As parcelas foram constituídas de dois sistemas de preparo do solo, sem revolvimento (SR) e com revolvimento (CR); as subparcelas por três misturas de plantas, MPI-75 % leguminosas + 25 % gramíneas e oleaginosas, MPII-25 % leguminosas + 75 % gramíneas e oleaginosas e VE-vegetação espontânea; e as subsubparcelas com os tempos de amostragem 0, 8, 23, 40, 55, 70, 85, 100, 163, 223 e 290 dias após o manejo das misturas de plantas. Na mesma área foi realizado o estudo do segundo capitulo, que se iniciou logo após o manejo da fitomassa aérea das misturas de plantas. As emissões de CO2, CH4 e N2O do solo foram avaliadas por 82 dias, distribuídos em 11 coletas, em câmaras estáticas manuais, onde amostras de gás foram coletadas e analisadas por cromatografia gasosa. Foram calculados, para cada dia de coleta, os fluxos de CO2 (mg C-CO2 m–2 h–1), CH4 (μg C-CH4 m–2 h–1) e N2O (μg N-N2O m–2 h–1) de cada câmara. As emissões acumuladas de cada gás foram estimadas por integração matemática das curvas dos fluxos diários. No estudo da dinâmica do carbono orgânico (COS) e do nitrogênio orgânico (NO), em função do sistema de preparo do solo e aporte de fitomassa, em sistemas agrícolas irrigados, foi utilizado o modelo CENTURY 4.5. No primeiro estudo, o preparo do solo não influenciou a produção de matéria seca e o acúmulo de nutrientes. A MPI apresentou a maior produção de matéria seca e acúmulo de C, N e K do que a VE, indicando a importância dessa mistura para ciclagem desses nutrientes no agroecossistema do meloeiro. O revolvimento do solo favorece o aumento da taxa de decomposição dos resíduos vegetais e consequentemente diminui o teor de C do solo. No segundo estudo, os menores valores de fluxos de C-CO2 diários no solo ocorreram nos tratamentos com SR_VE (12,94 mg C-CO2 m–2 h–1). Para mistura de plantas (MP), os maiores valores de fluxos de C-CO2 (47,42 mg C-CO2 m–2 h–1), diários no solo ocorreram na unidade experimental MPII_SR. No terceiro estudo, observou-se que o sistema de preparo SR, o incremento de COS foi de 0,78; 0,63 e 0,22 Mg ha−1 ano−1, enquanto para o NT houve um aumento de cerca de 0,02 Mg ha−1 ano−1 apenas nos tratamentos MPI e MPII respectivamente, no período de 7 anos. No sistema de preparo CR do solo, as perdas de COS em relação ao preparo SR foram de -0,37; -0,43 e -0,66 Mg ha−1 ano−1, e, para o NO foram de -0,03; -0,03 e -0,05 Mg ha−1 ano−1, para os tratamentos MPI, MPII e VE no mesmo período de tempo.
2021
Descrição
  • DIOGO DANILO DE SOUSA FREITAS
  • GÊNESE E VARIABLIDADE ESPACIAL DE SOLOS NO NÚCLEO DE DESERTIFICAÇÃO DOS CARIRIS VELHOS NA PARAÍBA
  • Data: 31/08/2021
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O manejo inadequado e a exploração dos recursos naturais que se perpetuou ao longo do tempo na região do Cariri paraibano resultaram na degradação de uma vasta área nessa região e comprometeu o fornecimento dos diversos serviços ecossistêmicos os quais os solos são capazes de fornecer. Por outro lado, áreas em que ocorre a preservação dos recursos naturais como a reserva particular de patrimônio privado (RPPN) situada na cidade de São José dos Cordeiros no estado da Paraíba contribuem para o bom funcionamento do ecossistema. O estudo foi realizado em duas áreas distintas alocadas dentro da região do Cariri paraibano e com enfoque em Luvissolos, Neossolos e Planossolos. Uma área que conserva os recursos naturais há 40 anos, Reserva Particular do Patrimonio Natural – (RPPN), e outra área que se encontra sob intenso processo de degradação, Estação Experimental de São João do Cariri (EESJC). Os processos que resultaram na degradação da área da EESJC impactaram na capacidade dos solos de sequestrarem e estocarem C e N quando comparados aos solos das mesmas classes da RPPN. Rubeificação, argilização, elutriação, pedalização e sodificação se mostraram os principais processos pedogenéticos específicos atuantes na gênese dos solos estudados. As malhas amostrais adotadas nos perfis dos solos estudados foram eficientes para o estudo geoestatístico e todos os atributos avaliados apresentaram variabilidade espacial.
  • REGIANE FARIAS BATISTA
  • SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS DE ESTOQUES DE CARBONO E RETENÇÃO DA ÁGUA EM SOLOS EM DIFERENTES ESTADO DE CONSERVAÇÃO NA CAATINGA
  • Data: 30/08/2021
  • Hora: 09:30
  • Mostrar Resumo
  • Nas Terras Secas os serviços ecossistêmicos do solo são alterados pelo uso e o manejo inadequado que comprometem a funcionalidade de todo ecossistema, resultando em elevadas taxas de degradação, mudanças na hidrologia e alteração nos estoques de carbono orgânico do solo. Foi avaliado a retenção da água e os estoques de carbono orgânico do solo e suas relações com os serviços ecossistêmicos de suporte, regulação e provisionamento em floresta seca da Paraíba. Foram selecionadas três áreas com diferentes usos e cobertura do solo, a Fazenda São Paulo dos Dantas (FASP) com complexidade intermediária de vegetação composta por florestas e matas (60%) e áreas agrícolas (40%); a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Fazenda Almas com alta complexidade de vegetação com 90% de sua área coberta por florestas; e uma área localizada em São João do Cariri (SJC) com baixa complexidade de vegetação com cerca de 75% e por solos degradados. Para a realização desse estudo foi usada uma malha amostral homogênea com 25 pontos em cada área e em 03 profundidades, em um total de 75 pontos, totalizando 225 amostras. Em cada quadrante foram abertas trincheiras e coletado amostras deformadas e indeformadas nas profundidades de 0-10, 10-20 e 20-30 cm. Foram realizadas análises granulométricas, densidade do solo, densidade de partículas, porosidade total, classes de poros, matéria orgânica e o teor de carbono. Para identificar a variabilidade e o grau de dependência espacial do carbono orgânico foi utilizado geoestatística e a krigagem. As curvas de retenção de água no solo (CRA) foram estimadas pela função de pedotransferência (FPT). Para análise estatística foram utilizados o teste de média de Tukey a 5% de probabilidade e a análise de componentes principais (ACP). Os teores e os estoque de carbono na FASP foram maiores que as demais áreas em todas as profundidades. De acordo com as estimativas das FPT, SJC é a área com maior potencial para reter maiores quantidades de água, porém, essa área não possui características físicas necessárias para reter água devido o alto grau de compactação, menores espaços porosos e maior densidade do solo. Pode-se concluir que, a área com cacteriscas físicas com maior portencial para reter água no solo é a área de FASP e a área com maior capacidade de ofertar diversos serviços ecossistêmicos do solo.
  • PALOMA KESSIA SANTOS SILVA
  • ATRIBUTOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS NA RIZOSFERA DE ESPÉCIES NATIVAS DA CAATINGA DE UM NEOSSOLO LITÓLICO
  • Data: 15/06/2021
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Diante de tanta riqueza que enfatizam a importância e genuidade do bioma caatinga ainda é muito persistente o mau uso de práticas extrativistas pela população que vive nesta região e que acaba prejudicando esse bioma. Sabendo da importância e manutenção da biodiversidade e fertilidade desse bioma através das plantas nativas, perguntou-se: o cultivo de espécies leguminosas nativas da caatinga e também de não leguminosas arbóreas localizadas em mata preservada sob uma classe de solo específica, poderiam influenciar nas propriedades químicas e biológicas de um Neossolo Litólico e, promover ainda, uma melhoria da fertilidade de uma área de pastagem degradada com ausência de vegetação e da mesma classe de solo? A pesquisa foi desenvolvida em duas áreas distintas, durante dois períodos (chuvoso = julho de 2019 e seco = dezembro de 2020) pertencentes ao bioma Caatinga, sendo uma de Mata Preservada (MP) e outra de Área Degradada (AD), ambas, alocadas na Estação Experimental Prof. Ignácio Salcedo do Instituto Nacional do Semiárido (INSA). As coletas de solo foram realizadas de forma aleatória com auxílio de cilindro de aço próximas a rizosfera das espécies. As amostras foram posteriormente levadas e separadas para as análises físicas, químicas e biológicas. Os resultados apontaram que espécies como pata de vaca (Bauhinia forficata) e pereiro (Aspidosperma pyrifolium) são espécies a serem consideradas na manutenção da fertilidade e possível uso na recuperação de áreas com índices de degradação para a classe de solo Neossolo Litólico.
  • VALBER ALMEIDA DE MATOS
  • ESTOQUES DE CARBONO E TEORES DAS FRAÇÕES FÍSICAS E QUÍMICAS NA MATÉRIA ORGÂNICA EM SOLO ARENOSO SOB CULTIVO DE PLANTAS DE ADUBO VERDE A LONGO PRAZO
  • Data: 31/05/2021
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O cultivo de espécies de plantas de adubo verde tem por finalidade principal a conservação dos atributos edáficos, sendo prática disseminada para a recuperação de áreas degradadas, contribuindo para um melhor desempenho produtivo das culturas e sequestro de carbono no solo. Em busca da sustentabilidade dos sistemas de produção agropecuária, objetivou-se avaliar a variação nos estoques de carbono e seus teores nas frações químicas e físicas da matéria orgânica em solo arenoso sob cultivo de plantas de adubo verde em longa duração, como resultado da incorporação da biomassa vegetal. Este estudo foi realizado no quinto ano de execução de experimento localizado na área experimental do Módulo de Olericultura, Fazenda Olho d ́Água, Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em Areia-PB. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com dez espécies de adubos verdes, em três blocos, e dois tratamentos adicionais (ecossistema natural caracterizado por uma disjunção de floresta ombrófila aberta e silvicultura com Eucalyptus globulus Labill., com 20 anos de implantação), em cinco subáreas. As espécies de plantas para adubação verde foram: Brachiaria decumbens; Canavalia ensiformis L.; Crotalaria ochroleuca G. Don; Crotalaria spectabilis Roth; Crotalaria juncea L.; Lablab purpureus L. Sweet; Mucuna pruriens var cinza; Mucuna pruriens var preta; Neonotonia wightii (Wight & Arn.) J.A. Lackey; e Pennisetum glaucum L. R. Br.. Foram avaliados os teores de carbono nas frações: ácido fúlvico, ácido húmico e humina; nas frações leve, oclusa e pesada, da matéria orgânica do solo; bem como os estoques de carbono. Os dados foram submetidos à análise estatística utilizando-se o programa computacional R®. A partir dos resultados deste estudo foi obtido um entendimento das formas e ocorrências do carbono orgânico no solo em resposta a práticas de manejo com cultivo de espécies de adubação verde que possam garantir sustentabilidade à agropecuária na mesorregião do Agreste Paraibano. O grupo das três espécies de Crotalaria e B. decumbens apresentaram os melhores resultados quanto ao estoque de carbono e fracionamento físico da matéria orgânica, seguido pelo grupo das Mucunas e, na sequência, o terceiro grupo com as demais espécies. As áreas de ecossistema natural foram as que apresentaram os melhores resultados para todas as variáveis analisadas neste estudo (fertilidade do solo, estoque de carbono e fracionamento físico e químico da matéria orgânica).
  • GISLAINE DOS SANTOS NASCIMENTO
  • ATRIBUTOS FÍSICOS, QUÍMICOS E QUALIDADE DE UM NEOSSOLO REGOLÍTICO SOB CULTIVO DE ADUBOS VERDES
  • Data: 30/04/2021
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Práticas inadequadas de manejo podem afetar negativamente a qualidade química e física do solo. Neste sentido, alternativas sustentáveis devem ser adotadas com o intuito de melhorar a qualidade dos sistemas produtivos sem comprometer a qualidade do solo. A adubação verde, torna-se uma alternativa viável, pois contribui para tornar o solo produtivo sem ocasionar impactos negativos ao meio ambiente. Portanto, objetivou-se com este estudo avaliar os atributos físicos, químicos e o índice de qualidade de Neossolo Regolítico sob cultivo de adubos verdes no Agreste Paraibano. O experimento foi realizado durante o período de julho a dezembro de 2019, na área experimental Chã-de-Jardim. Os tratamentos avaliados foram: Brachiaria decumbens, Crotalaria juncea, Crotalaria ochroleuca, Crotalaria spectabilis, feijão-de-porco (Canavalia ensiformis), Dolichos lablab, milheto (Pennisetum glaucum), mucuna cinza (Stizolobium aterrimum), mucuna preta (Mucuna pruriens) e soja perene (Neonotonia wightii), em delineamento em blocos casualizados, com três repetições. As amostras de solo com estruturas indeformadas e deformadas foram coletadas em duas profundidades (0,0-0,1 m e 0,1-0,2 m) para determinação das seguintes variáveis: 1) físicas: densidade do solo, porosidade total, macro e microporosidade, capacidade de campo, ponto de murcha permanente, capacidade de aeração do solo e capacidade de água disponível do solo; 2) químicas e de fertilidade: pH do solo, fósforo disponível, bases trocáveis (Ca, Mg e K), carbono orgânico, estoque de carbono, soma de bases, H+Al, capacidade de troca catiônica (CTC) e saturação de bases. Foram avaliados, também, a produção de biomassa seca da parte aérea, densidade de raízes e o índice de qualidade do solo (IQS). Para avaliação dos dados, realizou-se uma análise de variância dos tipos one-way e two-way, teste de Bonferroni (p<0,05, 0,01 e 0,001), correlação de Pearson, análise de redundância e análise de componentes principais. O IQS foi calculado com base no somatório dos atributos indicadores (biomassa da parte aérea e da raiz, fósforo disponível, K, Ca e estoque de carbono) e do fator de correção. Os maiores valores de pH do solo, bases trocáveis, CTC e capacidade de água disponível foram encontrados nas parcelas onde plantas de Poaceae (i.e., B. decumbens e P. glaucum) foram cultivadas, enquanto que H+Al, fósforo disponível, CTC, água disponível e capacidade de água disponível foram encontrados nas parcelas onde as plantas de Fabaceae (i.e., C. ensiformis, C. juncea, C. ochroleuca, C. spectabilis, D. lablab, M. pruriens, N. wightii e S. aterrimum) foram cultivadas. Na profundidade de 0,0-0,1 m foram encontrados os maiores valores de Ca, Mg e K, soma de bases, saturação de bases, carbono orgânico do solo, microporosidade, porosidade total e capacidade de aeração do solo, enquanto que na profundidade de 0,1-0,2 m verificou-se maiores valores de pH do solo, H+Al, densidade do solo e ponto de murcha permanente. Os maiores valores de produção de biomassa seca da parte aérea e de densidade de raízes foram observados nas parcelas cultivadas com C. ensiformis e N. wightii, respectivamente. Todas as espécies utilizadas como adubo verde proporcionaram uma melhoria significativa na qualidade do solo (p<0,01); porém, o maior valor de IQS foi verificado nas parcelas cultivadas com N. wightii. Ao todo, foram desenvolvidos cerca de 33 modelos preditivos para estimar os atributos físicos e químicos do solo e a produção de biomassa da planta para as condições deste estudo.
  • LEOVÂNIO RODRIGUES BARBOSA
  • QUALIDADE FÍSICA, COMPARTIMENTOS DE CARBONO E SUA SIMULAÇÃO COM O MODELO CENTURY EM UM ARGISSOLO COESO SOB INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA NO CERRADO MARANHENSE
  • Data: 19/03/2021
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A expansão da agricultura em áreas de fronteira agrícola tem empregado o uso de solos com natureza limitada sob o ponto de vista físico, podendo gerar perda de sustentabilidade. Nesse sentido, a adoção de modelos conservacionistas pode ser considerada uma estratégia sustentável, contribuindo na qualidade dos solos, mitigando a degradação e a perda de carbono. O objetivo do presente estudo foi avaliar a qualidade do solo por meio de estudos dos atributos físicos e matéria orgânica e realizar a modelagem do carbono e nitrogênio com o simulador Century v.4.5 em áreas sob sistemas conservacionistas de manejo em solos coesos do cerrado do leste maranhense. Foram selecionadas uma área sob uso exclusivo em plantio direto (soja/milheto) a quatorze anos, três áreas sob plantio direto com diferentes anos (2, 4 e 8), de entrada em rotação integração lavoura-pecuária, além de uma área sob vegetação nativa de Bioma Cerrado, utilizada como referência de área não antopizada. Os atributos físicos e físico-hídrico estudados foram: densidade do solo, porosidade (total, macro e micro), resistência a penetração, curva de retenção de água e capacidade de água disponível. A matéria orgânica foi avaliada por meio do carbono orgânico total, fracionamento químico e físico, carbono da biomassa microbiana, nitrogênio total e estoques de carbono e nitrogênio. Para a realização das simulações de carbono e nitrogênio com o modelo Century foram selecionadas uma área sob uso exclusivo em plantio direto (PD), uma sob plantio direto rotacionada com integração lavoura-pecuária (PD-ILP) subsolada, além de uma área sob cerrado nativo. As simulações de carbono e nitrogênio consideraram-se cenários reais e futuros com mudanças de manejo e adição de matéria orgânica no solo. As amostras do solo foram coletadas nas camadas de 0,00-0,10; 0,10-0,20; 0,20-0,30 e 0,30-0,50 m sendo utilizadas nas avaliações dos atributos físicos e de matéria orgânica. Para as simulações com o Centuy foram consideradas amostras do solo da camada de 0,00-0,20 cm. Na área sob longo tempo de uso exclusivo em plantio direto, se observou perda da qualidade física atribuída aos maiores valores de resistência a penetração, menor porosidade, e baixa retenção de água no solo. Ademais, foi o sistema que apresentou menor teor e estoques de carbono. O fracionamento químico da matéria orgânica do solo (MOS), revelou superioridade no teor de humina em detrimento xii às frações ácido fúvico e húmico. Para o fracionamento físico da MOS, não houve diferenças nos valores de carbono orgânico particulado entre as áreas estudadas, porém maiores valores de carbono associado aos minerais foram observados nas áreas com histórico recente (2 e 4 anos) de integração lavoura-pecuária. A adoção da integração lavoura-pecuária em sistema plantio direto, também revelou melhoria da qualidade física e físico-hídrico do solo, com ganho nos valores da capacidade de retenção de água e disponibilidade às plantas. Para o estudo da modelagem, o modelo simulou com maior precisão a estabilização do estoque de carbono em detrimento do estoque de nitrogênio. Em cenários reais, as simulações dos estoques de carbono e nitrogênio, constataram a superioridade nos estoques desses elementos na área sob sistema plantio direto com integração lavoura-pecuária (ILP) em relação a área sob uso exclusivo em plantio direto, conforme observado em campo. Entretanto, o valor de estoque de carbono simulado na área com integração lavoura-pecuária, foi menor do que o medido em laboratório. Em cenários futuros, a adoção do sistema plantio direto rotacionado a cada quatro anos com milho e pastagem revelou maior eficiência na capacidade de estoques de COT (56,10 Mg ha-1 ) e NT (5,06 Mg ha-1 ) comparado aos demais cenários criados na área com histórico de plantio direto sem revolvimento. Já para os cenários criados na área sob plantio direto rotacionado com integração lavoura-pecuária, a manutenção do sistema plantio direto rotacionado a cada quatro anos com ILP subsolado apresentou maior estoques COT (48,56 Mg ha-1 ). A diferença nos estoques de carbono e nitrogênio entre os cenários futuros criados nessa área, não ultrapassou 1,8 Mg ha-1 para COT e 0,48 Mg ha-1 para o NT. A adoção do sistema plantio direto (soja/milheto), com rotação a cada quatro anos com a cultura do milho e pastagem, criado na área PD, além de apresentar maior valor nos estoques de C e N comparado ao manejo em rotação plantio direto (soja/milheto) com milho solteiro, também demonstrou superioridade na capacidade de estoques de carbono e nitrogênio, comparado aos manejos criados na área sob sistema plantio direto (soja/milheto) rotacionado com integração lavoura-pecuária atribuído ao histórico de revolvimento do solo na área PD-ILP.
  • RENATO FRANCISCO DA SILVA SOUZA
  • VARIABILIDADE DOS ESTOQUES DE CARBONO ORGÂNICO, NITROGÊNIO TOTAL E DO EFLUXO DE CO2 EM NEOSSOLOS SOB FLORESTA DE CAATINGA
  • Data: 26/02/2021
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • Quantificar os estoques de carbono orgânico do solo (COS), nitrogênio total do solo (NTS) e o efluxo de CO2 do solo em diferentes biomas ao redor do mundo é fundamental para compreender a mudança climática global. No entanto, a quantificação acurada é altamente desafiadora devido à alta variabilidade, especialmente em ecossistemas florestais. Diante disso, essa pesquisa teve como objetivo avaliar a variabilidade dos estoques de COS, NTS e do efluxo de CO2 em Neossolos sob floresta de Caatinga. A pesquisa foi realizada na estação experimental Professor Ignácio Salcedo, no Instituto Nacional do Semiárido, município de Campina Grande, Paraíba, Brasil. Um total de 363 amostras de solos foram coletadas em camadas de 10 cm de espessura, até a profundidade de 50 cm, seguindo um modelo de amostragem cíclica em um transecto de 350 m. Os estoques de COS e NTS na camada de 0-50 cm profundidade variaram entre 20,23 e 94,78 Mg ha-1 e 1,48 e 8,37 Mg ha-1 , respectivamente. Os estoques de COS e NTS tiveram grau de dependência espacial moderado nas camadas de 0-10 e 10-20 cm e forte nas camadas subjacentes. A distância de autocorrelação espacial dos estoques de COS e NTS variou, respectivamente, de 49,63 a 72,32 m e de 48,98 a 70,23 m. Os conteúdos de fragmentos rocha, argila, Pextraível, COS e NTS, influenciam os estoques de COS e NTS, e essa influência varia com a camada do solo. A variabilidade dos estoques de COS e NTS em cada camada do solo foi classificada como moderada, com base nos coeficientes de variação. A distância de autocorrelação espacial para ambos os estoques depende da profundidade do solo e, portanto, deve ser considerada ao otimizar a amostragem. A variabilidade do efluxo de CO2 no solo foi avaliada por meio de medições em 42 pontos, distribuídos aleatoriamente em uma área de aproximadamente 0,72 ha. O efluxo de CO2 do solo variou de 0,47 a 4,14 µmol de CO2 m-2 s -1 na estação seca e úmida, respectivamente. O conteúdo volumétrico de água do solo explicou cerca de 93% da variabilidade temporal do efluxo de CO2 do solo e a temperatura do solo explicou 52%. A distância espacial de autocorrelação do efluxo de CO2 do solo oscilou de 5,7 a 64,3 m e foi menor durante a estação úmida. A pesquisa revelou que a variabilidade temporal do efluxo de CO2 do solo é controlada principalmente pelo conteúdo volumétrico de água do solo. Para quantificar o efluxo de CO2 do solo, deve-se adotar uma distância entre pontos maior que 64,3 m, para que as medidas sejam consideradas estatisticamente independentes.
  • EDJANE OLIVEIRA DE LUCENA
  • INVASÃO BIOLÓGICA POR Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. EM ÁREA DE NEOSSOLO FLÚVICO NO SEMIÁRIDO PARAIBANO
  • Data: 25/02/2021
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • A introdução de espécies exóticas com potencial invasor pode gerar diversos impactos ao ecossistema natural. Alguns estudos em área de Caatinga com a espécie invasora Cryptostegia madagascariensis comprovam seus efeitos negativos na diversidade da flora nativa. Objetivou-se avaliar a produção e a cinética de decomposição da serrapilheira produzida pela espécie invasora Cryptostegia madagascariensis e vegetação nativa em um gradiente longitudinal, bem como seus efeitos nos organismos do solo (macrofauna e fungos micorrízicos arbusculares) em função da sazonalidade em um Neossolo Flúvico no semiárido paraibano. A pesquisa foi realizada no município de Pombal-PB. Foram selecionados dois ambientes distintos e adjacentes. Um ambiente de vegetação de Caatinga com presença da invasora C. madagascariensis (ambiente com invasora) e um ambiente com vegetação de Caatinga (ambiente sem invasora). Para cada ambiente foram delimitados quatro transectos de 15 m de comprimento e as variáveis analisadas em função dos ambientes, do gradiente longitudinal e da sazonalidade. Para quantificar a produção e a cinética de decomposição de serrapilheira, em cada transecto por ambiente foram distribuídos um coletor de serapilheira (n= 8) e ao redor dos coletores distribuídos cinco bolsas de decomposição (n=20), contendo 50 g do material retirados dos coletores de serrapilheira. As avaliações para a produção e cinética de decomposição da serrapilheira foram acompanhadas a cada 60 dias. Também foram coletadas quatro amostras de solo por transecto e período para avaliar os atributos químicos do solo (n=64), quatro amostras para determinar o conteúdo de água no solo (n=64) e a temperatura do solo observadas em campo. Para avaliação da macrofauna edáfica, em cada transecto foram instaladas duas armadilhas do tipo “Provid” por distância e ambiente (n=32), contendo 200 mL de uma solução preservante (20 mL de detergente neutro, 30 mL de álcool à 70% e 150 mL de água), que permaneceram no campo por 72 h sendo os organismos do solo posteriormente identificados. Os espécimes da macrofauna edáfica foram quantificadas a nível de Ordem e reunidos em grupos-funcionais. Para identificação dos fungos micorrízicos arbusculares (FMA), em cada transecto e ambiente foram coletadas quatro amostras de solo a cada cinco metros de comprimento (n=128) e para análise dos atributos químicos do solo foram coletadas quatro amostras de solo por transecto e ambiente (n=64). Para identificação dos FMA foi utilizado o método de extração dos esporos por meio do peneiramento úmido seguido de centrifugação em gradiente de sacarose à 40% por um minuto à 1000 rpm. Todas as análises estatísticas foram realizadas no software livre R. Os dados foram submetidos ao teste de Shapiro-Wilk e empregada a ANOVA “two-way”. Para a produção e cinética de decomposição da serrapilheira, as médias foram comparadas pelo teste de Tukey (p <0,05), e empregada a análise de componentes principais para avaliar as dissimilaridades entre ambientes e períodos. Quanto a biota edáfica foi empregado o teste de Bonferroni (p <0,05) para a macrofauna e as espécies de FMA. Para a macrofauna edáfica aplicou-se a análise de escalamento multidimensional nãométrico (NMDS) para avaliar a dissimilaridade entre ambientes e distâncias. Para a comunidade de FMA, utilizou-se a análise de componentes principais para avaliar as dissimilaridades entre ambientes, distâncias e períodos. Após a análise dos dados, para a macrofauna e os FMA foram calculadas a abundância, a frequência absoluta, a riqueza, o índice de diversidade de Shannon (H’) e o índice de dominância de Simpson (C’). Os resultados mostraram efeito significativo entre os ambientes, distãncias e períodos analisados. O ambiente com invasora C. madagascariensis apresentou maior produção de serrapilheira, inclusive no período de déficit hídrico, menor temperatura e conteúdo de água no solo e maiores teores de fósforo e potássio na serrapilheira. Com relação aos atributos químicos do solo, o ambiente com invasora C. madagascariensis apresentou alterações nos teores de sódio, cálcio e carbono orgânico do solo. Para a macrofauna edáfica, o ambiente com invasora C. madagascariensis apresentou redução na diversidade de Ordens e de grupos-funcionais. O ambiente com invasora C. madagascariensis também causou alterações na comunidade de FMA, provocou aumento na densidade e na frequência de ocorrência de espécies de FMA específicos, como Claroideogomus etunicatum ao longo de todo o transecto. Em contrapartida, causou redução na frequência de ocorrência das espécies de FMA Quatunica erythropus, Gigaspora albida e Gigaspora gigantea. Concluiu-se que a invasora C. madagascariensis em Neossolo Flúvico em área de Caatinga foi capaz de promover seu desenvolvimento no ambiente. C. madagascariensis criou um habitat favorável condicionando sua invasão através da maior produção de serrapilheira, microclima local favorável além de selecionar determinadas Ordens e grupos-funcionais da macrofauna e de espécies de FMA para decompor seus resíduos vegetais e contribuir no seu processo de invasão no novo habitat.
  • VICTOR JUNIOR LIMA FELIX
  • RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO UTILIZANDO ÁGUA RESIDUÁRIAS TRATADA EM SISTEMA AGROFLORESTAL NO SEMIÁRIDO
  • Data: 23/02/2021
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • A segurança alimentar e a qualidade do meio ambiente dependem primordialmente de dois recursos básicos, o solo e a água. A expansão da degradação dos solos, aliada às mudanças climáticas, representa grande desafio global para a sustentabilidade das sociedades atuais e futuras. A reutilização de águas residuais na agricultura vem sendo apontada como alternativa viável para o setor que mais consome água disponível e de boa qualidade. Dessa forma, o objetivo da presente pesquisa foi avaliar o efeito da irrigação deficitária com efluente doméstico tratado na química e mineralogia do solo, produção de biomassa e eficiência no uso da água da palma forrageira, crescimento e características energéticas da madeira em um sistema agroflorestal em área degradada no semiárido brasileiro. Para tanto, foi realizado um experimento em campo, em um solo degradado pela retirada das camadas superficiais, sob sistema agroflorestal com consorcio de duas espécies florestais, Sabiá (Mimosa ceasalpinifolea) e Aroeira (Myracrodruon urundeuva Allemão) e a palma forrageira (Opuntia stricta). O experimento teve duração de quatro anos, sendo os dois primeiros anos irrigados e os dois últimos anos com a interrupção da irrigação. Os tratamentos foram dispostos em blocos casualizados com 10 repetições em três etapas de acordo com o ciclo anual de produção da palma. Etapa 1 (1° ciclo): AB0,5 - água de abastecimento 0,5 L/planta/semana; ET0,5 - efluente tratado 0,5 L/planta/semana; ET1 - efluente tratado 1 L/planta/semana. Etapa 2 (2º ciclo) todos os tratamentos foram nivelados no volume de 0,5 L/planta/semana, e na etapa 3 (3º e 4º ciclos) os tratamentos foram interrompidos. Amostras de solo foram coletadas na condição inicial (antes do início do experimento), ao final de dois anos da irrigação e, ao final de dois anos da interrupção dos tratamentos de irrigação, nas quais foram realizadas análises químicas, geoquímicas e mineralógica. A palma forrageira foi coletada anualmente e realizado os cálculos de produtividade. Nas espécies arbóreas foram realizadas medidas de crescimento e ao final do experimento realizado o corte para os cálculos de produtividade e análises energéticas da madeira. A fertilidade do solo melhorou principalmente no tratamento de maior volume de efluente doméstico tratado. Dois anos após a suspensão da irrigação o efeito residual do período irrigado manteve o status da fertilidade significativamente maior comparado a condição inicial. Ao final do experimento foi observado incipiente processo de solodização. Observou-se evidências de intemperismo na fração silte e formação de ilita na argila com aplicação do efluente. A maior produtividade, em massa fresca e seca da palma forrageira, foi obtida no ET1. O efeito residual do efluente doméstico aplicado no 1º ciclo promoveu aumentos na produtividade até o 4º ciclo de cultivo, além de maior eficiência no uso da água pela palma forrageira. Quanto as arbóreas, os sais presentes na água residuária aplicada nos dois primeiros anos diminuiu o crescimento e produção de madeira do Sabiá. O Efluente Tratado no volume de 1 L/planta/semana aumentou o Rendimento em Líquido Condensado (RLC) e diminuiu os Materiais Voláteis (MV) do Sabiá, enquanto na Aroeira aumentou a Densidade Básica (DB) e Materiais Voláteis (MV), com diminuição do Rendimento Gravimétrico (RG). A aplicação deficitária melhorou a fertilidade do solo degradado o que se refletiu na produção de biomassa e pode contribuir para sustentabilidade e segurança alimentar dos sistemas agrícolas familiares no semiárido brasileiro. .
2020
Descrição
  • JOÃO BATISTA BELARMINO RODRIGUES
  • VALORES DE REFERÊNCIA PARA DIAGNOSE NUTRICIONAL DO ABACAXIZEIRO ‘PÉROLA’ NO ESTADO DA PARAÍBA
  • Data: 11/12/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Historicamente a Paraíba sempre foi destaque no cultivo do abacaxizeiro, figurando entre os maiores produtores do Brasil, tendo na abacaxicultura a principal atividades do setor agrícola na Paraíba, movimentando a economia regional, contudo, baixo nível tecnológico adotado pelos produtores é frequentemente observado nas áreas de cultivo, na grande maioria dos casos são usadas formulações comerciais prontas, além disso não se dispõe de valores foliares de referência, para auxiliar o manejo nutricional do abacaxizeiro, tendo em vista que o mesmo possui uma demanda nutricional elevada. Deste modo, objetivou-se com este trabalho, gerar e validar valores foliares de referência para maximizar a produtividade e a qualidade do abacaxizeiro „Pérola‟ usando as metodologia DRIS e CND, além de comparar o diagnóstico nutricional obtido em cada metodologia usada. Foi utilizado um banco de dados contendo os teores foliares de N, P, K, S, Ca, Mg, Cu, Zn, Fe, Mn, B e a produtividade de 270 amostras, oriundas de três ensaios de adubação na região dos Tabuleiros Costeiros da Paraíba nos ano de 2006 e 2014, usando um delineamento em blocos casualizados, com 90 parcelas e três repetições em cada ensaio. Para obtenção das normas DRIS foram utilizadas as fórmulas de Jones (1981) e Beverly (1987), para a metodologia CND foi usada a fórmula preconizada por Parent e Dafir (1992), a validação foi feita utilizando o método da partição de Cate e Nelson (1977), em seguida, foram obtidos os níveis críticos foliares e as faixas de suficiência com base nas equações de regressão obtidas entre os teores foliares e seus respectivos índices DRIS e CND. Houve correlação entre os teores foliares e os índices DRIS e CND para cada nutriente avaliado, porém, não houve correlação entre os índices e a produtividade, nem entre o IBNm e a produtividade, houve elevado percentual de combinação entre o diagnóstico nutricionais realizados pelas metodologias usadas, os valores de referência obtidos neste trabalho apresentaram diferenças quando comparados com os disponíveis na literatura, tanto para a produtividade quanto para a qualidade. Quando analisado a produtividade o banco de dados apresentou uma acurácia de 48,1 e 40 % de acordo com o procedimento Cate-Nelson para a metodologia DRIS e CND, respectivamente, já quando avaliado a qualidade do fruto pela partição de Cate-Nelson, a firmeza apresentou maior percentual de acurácia 81,1 entre as variáveis de qualidade avaliadas. Os resultados obtidos nesta pesquisa indicam que valores de referência regionalizados fornecem um diagnostico nutricional mais preciso para o abacaxizeiro „Pérola‟ cultivado na Paraíba.
  • CAMILA GONÇALVES RODRIGUES DO NASCIMENTO BARBOSA
  • FRAÇÕES DA MATÉRIA ORGÂNICA E ESTOQUES DE CARBONO EM PERFIS DE SOLOS EM PEDOFORMAS DE REGIÃO SEMIÁRIDA
  • Data: 15/10/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A distribuição das frações húmicas no perfil do solo é uma maneira de analisar a capacidade que os solos têm de acumular matéria orgânica. No entanto, a distribuição e o acúmulo das frações húmicas podem variar em função do relevo. Assim, a fim de avaliar como as variações do relevo influenciam nos teores de matéria orgânica do solo, objetivou-se quantificar o teor de carbono orgânico e as frações húmicas em perfis de solos de região Semiárida. Para tanto, foi estudada três sequências de solos em vertentes com diferentes contornos na estação experimental Prof. Ignácio Salcedo, Instituto Nacional do Semiárido (INSA), Campina Grande-PB. Nessa área a vegetação de Caatinga hiperxerófila encontra-se preservada ao longo dos últimos 40 anos. As amostras de solo foram analisadas quanto aos teores de carbono orgânico total (COT) e substâncias húmicas (SHs): ácido húmico, fúlvico e humina em três pedoformas (retilínea, convexa e côncava, respectivamente T1, T2 e T3). Os teores de COT do solo variaram de 1,62 a 33,24 g kg-1 , aumentando do terço superior para o terço inferior na pedoforma retilínea, ocorrendo o inverso na convexa e côncava, demonstrando que a deposição de materiais nas partes inferiores através de processos erosivos pode ser considerada eficiente para acúmulo de carbono no solo na retilínea. Ao analisar a distribuição do teor de COT e das SHs, constatou-se que através do fracionamento químico foi possível identificar que a maior parte do carbono está na forma de ácidos húmicos e humina. O grau de humificação da matéria orgânica foi similar em todos os Neossolos e Planossolos estudados, com predomínio do ácido húmico entre 39 a 44 % do carbono orgânico total. A comparação entre as vertentes retilínea, convexa e côncava mostrou que houve alteração na distribuição das frações húmicas entre e dentro das mesmas vertentes, demonstrando que alterações na matéria orgânica ocorrem na escala de microrelevo.
  • RAYANE AMARAL DE ANDRADE
  • EFICIÊNCIA NUTRICIONAL PARA FÓSFORO E ENXOFRE NO ABACAXIZEIRO ‘PÉROLA’ EM ARGISSOLO VERMELHO-AMARELO
  • Data: 30/09/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Apesar da considerável quantidade de informações referentes à nutrição mineral, pouco se conhece sobre a eficiência nutricional do abacaxizeiro. Este trabalho teve por objetivo estabelecer índices de eficiência nutricional para fósforo (P) e enxofre (S) no abacaxizeiro ‘Pérola’, em função da aplicação de doses destes nutrientes. O experimento foi realizado em condições de sequeiro, entre dezembro de 2014 e junho de 2016, em Argissolo Vermelho-Amarelo do município de Itapororoca, Estado da Paraíba. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com três repetições. Os tratamentos foram arranjados numa Matriz Experimental Plan Puebla III modificada, e resultaram da combinação de cinco doses de P (0,48; 2,8; 4,8; 6,7 e 9,1 g planta-1 P2O5) e cinco doses de S (0,48; 2,8; 4,8; 6,7 e 9,1 g planta-1). Utilizaram-se mudas do tipo ‘filhote’, plantadas em sistema de fileiras duplas, no espaçamento de 0,80 × 0,40 × 0,40 m. Em amostragem realizada após a colheita, foram determinados massa da matéria seca (ms), teor (t) e acúmulo (ac) de P e S nas partes morfológicas raiz (rz), caule (ca), folha (fo), muda (mu), fruto (fru) e total (to). As eficiências nutricionais de P e S pelo abacaxizeiro foram avaliadas por meio das eficiências de utilização (Efutz), conversão (Efcon), translocação (Eftra), absorção (Efabs) e recuperação (Efrec). As doses de P e S aumentaram os valores de msfo, msmu, msfru e msto, mas diminuíram os de msrz e msca. Os teores de P e S na rz, ca e fru aumentaram com as doses dos respectivos nutrientes, havendo antagonismo entre os nutrientes para os tP e tS nas folhas e mudas. As doses de P aumentaram os acPrz, acPfo e acPto, enquanto as de S aumentam os acSfo e diminuíram os acSmu e acSto, havendo sinergismo nos acPfru, acSfru, acSrz e acSca, e antagonismo no acPca. As doses de P e S aumentaram as Efabs e Eftra (apenas P), mas reduziram a Efrec dos respectivos nutrientes; houve sinergismo entre as doses de P e S para a Efutz (apenas P) e Efcon desses nutrientes, e antagonismo para EftraS. As EfrecP e EfrecS diminuíram com o aumento das doses, passando de 0,85 para 0,03 kg kg-1 e de 0,85 para 0,10 kg kg-1 com a elevação das doses de 0,48 para 9,1 g planta-1 de P2O5 e S, respectivamente. As taxas de recuperação médias de P e S pelo abacaxizeiro ‘Perola’ foram de 23,0 e 36,0%, respectivamente.
  • VALERIA BORGES DA SILVA
  • MICRO-ORGANISMOS COLONIZADORES DE NÓDULOS DE Vigna spp. CULTIVADAS EM SOLOS DE CAATINGA
  • Data: 08/09/2020
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O estudo da diversidade de micro-organismos nativos do Semiárido brasileiro, é promissor, tanto para conhecimento da biodiversidade, como para selecionar estirpes bacterianas eficientes na fixação de nitrogênio, e no biocontrole de fitopatógenos, melhorando a produtividade do feijão-caupi na região. Os objetivos desse trabalho foi realizar a caracterização molecular de micro-organismos endofíticos de nódulos de Vigna spp., cultivados em solos de Caatinga do Semiárido, avaliar o efeito simbiótico das bactérias na fixação de N e no biocontrole de fitopatógenos em feijão-caupi. Para isolamento dos microorganismos foi montado um experimento com planta isca utilizando três espécies de Vigna: Vigna mungo; Vigna radiata, e Vigna unguiculata (BRS Pujante, BRS Novaera e Vigna unguiculata subsp. Sesquipedalis) cultivadas em cinco áreas de Caatinga com baixo grau de antopização dos estados de Pernambuco, Piauí e Bahia, resultando em uma coleção com 646 bactérias e 23 fungos endofíticos. O primeiro estudo desenvolveu e validou um método para a amplificação simultânea dos genes nodC e nifH, em reações de duplex PCR. A diversidade genética dos isolados rizobianos foi avaliada pela Análise de Restrição do DNA Ribossomal Amplificado (ARDRA), da qual foram selecionados 78 isolados representantes de todos os grupos para sequenciamento do gene 16S rRNA. 41 isolados tiveram os genes nodC, recA, dnaK e gyrB sequenciados. Para avaliação da eficiência simbiótica dos 41 isolados, foram realizados dois ensaios, sendo um de vasos em condições gnotobióticas, e outro de vasos com solo, em viveiro. O segundo estudo caracterizou geneticamente a coleção de fungos endofíticos pela análise de perfis gerados pelo marcador microssatélite (GTG)5, e pelo sequenciamento da região ITS1-5.8S-ITS2. A patogenicidade de 18 fungos, na germinação sementes de feijão-caupi, foi avaliada em dois ensaios sendo um em placas de Petri e outro em vasos em condições gnotobióticas. O potencial de biocontrole das bactérias foi avaliado em experimento de vasos com substrato esterilizado, pela coinoculação de fungos patogênicos e bactérias isoladas dos nódulos das respectivas plantas e solos. O terceiro estudo avaliou a variabilidade genética de uma coleção montada com rizóbios isolados de nódulos de feijão-caupi cultivados em solos de Caatinga com baixo grau de antropização dos estados do Ceará e Rio Grande do Norte. A caracterização genética foi realizada por meio de ARDRA e análise dos perfis de BOX PCR, viabilizando a seleção de 26 isolados que tiveram o gene 16S rRNA, sequenciado. Dentre estas, 15 bactérias tiveram os genes constitutivos recA, dnaK e gyrB sequenciados e prosseguiram para avaliação do potencial simbiótico em ensaio com vasos em condições gnotobióticas. Este estudo mostrou que os solos do Semiárido são fontes de bactérias diversas pertencentes a diferentes grupos taxonômicos, com espécies possivelmente ainda não descritas. Foram identificados na coleção bacteriana, rizóbios dos gêneros: Bradyrhizobium, Rhizobium, Agrobacterium, Ensifer, Mesorhizobium, Microvirga, e Paraburkholderia; além dos não nodulantes: Bacillus spp., Enterobacter spp., Pseusdomonas spp.. Os fungos endofíticos pertencem aos gêneros: Nigrospora, Fusarium, Macrophomina, Aspergillus, Cladosporium. Os quatro últimos com estirpes patogênicas na germinação de sementes de feijão-caupi. As coleções apresentam bactérias que se destacaram na associação simbiótica com feijão-caupi, mostrando-se eficientes na fixação de N, e no biocontrole de fungos patogênicos, sendo selecionados para futuros ensaios de campo.
  • CAMILA COSTA DA NÓBREGA
  • Atributos físicos de um Planossolo Háplico sob sistema de integração lavoura-pecuária-floresta para agricultura familiar no Agreste paraibano
  • Data: 31/08/2020
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • No semiárido Nordestino a intervenção antrópica aliada com as particularidades do clima, como baixa precipitação e altas temperaturas, ocasiona sérios problemas de degradação de áreas. A adoção de práticas conservacionistas em ambientes agrícolas, a exemplo dos sistemas integrados na modalidade agrossilvipastoril - ILPF, é uma boa estratégia de prestação de serviços ecossistêmicos e pode ser adotada em pequenas, médias e grandes propriedades rurais.Os objetivos do presente estudo foram: I) Avaliar os atributos físicos de um Planossolo Háplico e selecionar indicadores de qualidade física do solo sob sistema de integração lavoura-pecuária-floresta para agricultura familiar no Agreste Paraibano; II) Avaliar o estoque de carbono orgânico total e a estabilidade dos agregados e estrutural; III) Gerar e validar Funções de Pedotransferência (FPT) para predição da umidade retida a potenciais específicos da curva de retenção de água no solo.A pesquisa foi conduzida em área localizada na Estação Experimental da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária – EMPAER, no município de Alagoinha, PB. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados com cinco tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos por 1) Gliricídia + Brachiaria decumbens (GC+BD); 2) Sabiá+ Brachiaria decumbens (SB+BD); 3) Ipê roxo + Brachiaria decumbens (IP+BD); 4) Milho + Brachiaria decumbens (ML+BD); 5) Brachiaria decumbens (BD). Amostras de solo com estrutura deformada e indeformada foram coletadas nas camadas 0,00-0,10; 0,10-0,20 e 0,20-0,30 m. No primeiro capítulo foram avaliados atributos físicos do solo e determinado o índice S. Para o segundo capítulo, foram determinadas variáveis de agregação e carbono no solo.No terceiro capítulo foi determinada a retenção de água no solo em potenciais matriciais de 0 a -1.500 kPa. Também foram geradas e validadas funções de pedotransferência (FPT) para cada ponto da curva de retençãoe aplicados FPT existentes na literatura. De acordo com os resultados obtidos, no primeiro estudo, foi possível observar diferenças entre os sistemas para diversos atributos físicos do solo, sendo os que melhor explicaram a variabilidade dos tratamentos, através da análise de componentes principais, a macroporosidade e densidade do solo. A densidade do solo apresentou uma forte correlação com os demais atributos do solo, sendo considerado imprescindível para avaliar a qualidade física de um solo. De acordo com o índice S todos os tratamentos apresentaram boa qualidade estrutural, apesar de apresentarem em superfície (0,00-0,10 m) baixo conteúdo de água, sugerindo aeração excessiva do solo. No segundo estudo, foi possível constatar que a estabilidade de agregados e estrutural apresentaram maiores valores na camada de 0,00-0,10 m para todos os tratamentos, devido aos maiores teores de carbono orgânico e cátions trocáveis observados nessa camada. Também foi possível constatar que o tratamento com BD, proporcionou melhoria na estabilidade de agregados do solo, em relação aos demais tratamentos nas três camadas avaliadas. Observou-se que a recuperação de carbono pelos sistemas de integração foi superior à deposição de carbono no ambiente de mata nativa utilizado como referência na camada de 0,20-0,30 m, indicando que o iLPF está contribuindo na melhoria do solo. No terceiro capítulo foi possível observar um aumento no conteúdo de água disponível em todos os tratamentos em profundidade. Os pontos da curva de retenção de água no solo foram estimados com razoável precisão (R² ≈ 0,88) a xv partir das FPT geradas, podendo utilizar essas funções em modelos de simulação de retenção de água no solo, a fim de se obter resultados com maior rapidez e facilidade, considerando o Planossolo Háplico estudado, a região geográfica, o clima, a hidrologia e o uso do solo. Além disso, os resultados demonstraram que as FPT testadas da literatura, apresentaram baixa eficiência preditiva. Por fim, a integração, após o período de três anos, ainda não promoveu melhoria física significativa dos atributos do Planossolo em estudo, no entanto, é imprescindível um tempo de avaliação mais longo para que mudanças mais expressivas sejam observadas.
  • DJAIR ALVES DA MATA
  • EFICIÊNCIA NUTRICIONAL DE NITROGÊNIO E POTÁSSIO NO ABACAXIZEIRO ‘PÉROLA’ EM FUNÇÃO DAS DOSES
  • Data: 31/08/2020
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • se conhece sobre a eficiência nutricional do abacaxizeiro. Este trabalho teve por objetivo estabelecer índices de eficiência nutricional para nitrogênio e potássio no abacaxizeiro „Pérola‟, em função da aplicação de doses crescentes destes nutrientes. O experimento foi realizado em condições de sequeiro, entre dezembro de 2014 e junho de 2016, em Argissolo Vermelho-Amarelo do município de Itapororoca, Estado da Paraíba. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com três repetições. Os tratamentos foram arranjados numa Matriz Experimental Plan Puebla III modificada, e resultaram da combinação de cinco doses de N (50, 300, 500, 667 e 950 kg/ha - ureia) e cinco doses de K (50, 300, 500, 667 e 950 kg/ha K2O – sulfato de potássio). Utilizaram-se mudas tipo „filhote‟, plantadas em sistema de fileiras duplas, no espaçamento de 0,80 × 0,40 × 0,40 m. Em amostragem realizada após a colheita, foram determinados massa da matéria seca, teor e acúmulo de N e K nas partes morfológicas raiz, caule, folha, muda, fruto e total. A eficiência nutricional do abacaxizeiro foi avaliada por meio das eficiências de utilização (EFutz), conversão (EFcon), translocação (EFtra), absorção (EFabs) e recuperação (EFrec). As doses de N e K influenciaram de forma isolada e diferenciada os valores de matéria seca, teores e acúmulos desses nutrientes nas partes morfológicas do abacaxizeiro (vegetativas – raiz e caule; reprodutivas – muda e fruto; e total), bem como os valores das diferentes eficiências calculadas. O aumento das doses de N e K aumentaram as EFabs e Eftra e reduziram as Efutz, EFcon e EFrec dos respectivos nutrientes. As EFrec de N e K diminuíram com o aumento das doses aplicadas, passando de 0,82 para 0,15 kg kg-1 e de 0,79 para 0,27 kg kg-1 com a elevação das doses de N e K2O de 1,2 para 22,8 g planta-1 , respectivamente. A taxa de recuperação média de N e K pelo abacaxizeiro „Perola‟ foi de 19,0 e 45,0%, respectivamente.
  • RENATO FALCONERES VOGADO
  • QUALIDADE DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO, GEOESTATÍSTICA E SIMULAÇÃO DOS ESTOQUES DE CARBONO E NITROGÊNIO PELO MODELO CENTURY EM LATOSSOLO DO CERRADO MARANHENSE
  • Data: 27/02/2020
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O Bioma Cerrado vem passando por transformações principalmente relacionadas a substituição da mata nativa por sistemas agrícolas, que afetam a dinâmica dos compartimentos da matéria orgânica do solo e consequentemente os estoques de C e N. O objetivo do presente estudo foi avaliar o impacto de sistemas integrados de manejo e pastagem sobre os estoques de C e N, assim como simular os efeitos do uso do solo nesses estoques e seus compartimentos utilizando o modelo Century 4.5 e mapear a variabilidade espacial dos referidos estoques nas condições edafoclimáticas do Cerrado maranhense em um Latossolo Vermelho-Amarelo. O estudo foi realizado no município de São Raimundo das Mangabeiras, Maranhão. Foram selecionadas quatro áreas sob diferentes formas de uso do solo (Integração lavoura-pecuária-floresta, Integração lavoura-pecuária com plantio direto, Integração lavoura-pecuária com escarificação e gradeada recentes e Pastagem) e uma área sob vegetação nativa de Cerrado sensu stricto. O solo foi classificado como Latossolo Vermelho-Amarelo. Minitrincheiras foram abertas para coleta de solo nas profundidades: 0,0-0,10; 0,10-0,20; 0,20-0,30 e 0,30-0,50 m, para o estudo dos estoques de C, N e fracionamentos químico e físico da matéria orgânica. Para a modelagem com o Century 4.5 foi utilizado apenas amostras correspondentes a profundidade 0,0-0,20 m. Com relação a geoestatística foram coletadas amostras de solo em malha amostral de 50 x 50 m a profundidade 0,0-0,20 m, e um total de 193 amostras. O sistema Integração lavourapecuária com escarificação e gradagem recentes expressou o maior estoque de C e a Pastagem o maior estoque de N quando levado em consideração a soma das camadas (0,0-0,50 m). As simulações com o Century 4,5 indicaram que o C e o N do compartimento passivo foram os menos afetados pelo uso do solo e que o compartimento lento foi o principal responsáveis pelo aumento dos estoques de C e N. Na geoestatística, os valores de média e mediana são semelhantes para os estoques de C e N em seus respectivos sistemas de manejo indicando distribuição simétrica dos dados, confirmado pelos valores de assimetria e curtose próximos a zero. Conclui-se que, a conversão da mata nativa de Cerrado para sistemas integrados e pastagens aumentam os estoques de C e N no solo. Os resultados de modelagem apontam que são necessários mais ajustes para aplicação do Century 4.5 em sistemas de Integração lavourapecuária. A distribuição espacial dos estoques de C é mais homogênea no sistema integração lavoura-pecuária em plantio direto, enquanto a integração lavoura-pecuária com escarificação e gradagem apresenta maior homogeneidade na distribuição do N.
2019
Descrição
  • BRUNO SOUZA SOARES
  • ESTOQUES DE CARBONO EM ORGANOSSOLOS SOB MANGUEZAL NO RIO MAMANGUAPE-PB
  • Orientador : RAPHAEL MOREIRA BEIRIGO
  • Data: 29/08/2019
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • ESTOQUES DE CARBONO EM ORGANOSSOLOS SOB MANGUEZAL NO RIO MAMANGUAPE-PB
  • DENISVALDO ARTUR DE MEIRELES
  • ATRIBUTOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS DE UM ANTROPOSSOLO SOB A UTILIZAÇÃO DE ÁGUA RESIDUÁRIA TRATADA NO SEMIÁRIDO
  • Data: 20/08/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A escassez de água cresce a cada dia, principalmente nas regiões semiáridas. Consequentemente, a quantidade de água subterrânea usada na agricultura é estritamente limitada, e tornou-se necessário explorar fontes alternativas de água. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o potencial da água residuária tratada na recuperação da fertilidade de um Antropossolo e no crescimento vegetativo de Palma forrageira e florestal, além de determinar a respiração basal, carbono da biomassa microbiana e quociente metabólico de um Antropossolo, após um ano com irrigação com água residuária. O experimento foi conduzido em uma área 780m2 no semiárido paraibano em um arranjo experimental de blocos casualizados, com dez repetições, três espécies vegetais e três tratamentos, correspondentes ao tipo e volume de águas utilizadas: T0= Sem irrigação, T1 = 500 ml de água abastecimento-AA, T2 = 500 ml de água residuária-AR, T3 = 1000 ml de água residuária-AR. Foi instalado um sistema agroflorestal consorciado com 1560 raquetes de palma forrageira: Orelha de elefante mexicana (Opuntia tuna) e 195 mudas de 2 espécies florestais: Sabiá (Mimosa ceasalpinifolea Benth) e Aroeira-Branca (Myracrodruon urundeuva Allemão), plantadas em fila dupla. Foram investigadas variáveis biométricas na palma forrageira e na espécie florestal sabiá. O solo foi coletado antes e depois da aplicação da irrigação, e analisado quanto seus atributos químicos e biológicos. Nos parâmetros químicos do solo, observou-se contrastes significativos apenas para pH, Matéria Orgânica, CTC, e Soma de Bases. O pH inicial foi classificado como neutro, mudando para uma acidez fraca, após a aplicação dos tratamentos. Os teores de MOS, aumentaram significativamente após utilização de AR. Em relação à CTC verifica- se que as parcelas que receberam as doses de AR apresentam os maiores valores, quando comparadas com as parcelas que receberam AA. Em relação ao crescimento vegetativo, o tratamento com 1000 ml de água residuária semanalmente, respondeu melhor em todas as variáveis de palma forrageira, onde obteve uma média final de 36,2 cm. A respiração basal do solo, não respondeu significativamente aos tratamentos, o carbono da biomassa foi maior na área com espécie florestal, no entanto o quociente metabólico não teve diferenças significativas entre os tratamentos. Em relação às propriedades químicas do solo a água residuária teve maiores influências no pH e matéria orgânica do solo, mostrando ser uma alternativa promissora para a recuperação da capacidade produtiva do solo, principalmente pelo incremento da MOS. O efeito no crescimento da palma forrageira foi maior na lâmina de 1000 ml de água residuária tratada, as lâminas de 500 ml e 1000 ml semana-1 de água residuária tratada não promoveram diferenças no crescimento em altura e diâmetros do sabiá. A área sob vegetação florestal se sobressaiu em relação a palma, possivelmente pelo aporte maior de resíduos orgânicos da própria planta, servindo de fonte de nutrientes a microbiota do solo. As propriedades biológicas do solo: respiração basal, carbono da biomassa e quociente metabólico não foram influenciadas diretamente pelos tratamentos.
  • AILSON DE LIMA MARQUES
  • EVOLUÇÃO DA PAISAGEM E OCORRÊNCIA DE LATOSSOLO A HÚMICO NOS BREJOS DE ALTITUDE DA PARAÍBA
  • Data: 09/08/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Os Brejos de Altitude são áreas de exceção no planalto da Borborema na região nordeste do Brasil ocorre em meio ao clima semiárido e apresentam condições climáticas diferenciadas do entorno, onde as temperaturas são mais amenas e a umidade mais elevada, condicionando o estabelecimento de ilhas de Florestas Ombrófilas (Mata Atlântica) e solos mais desenvolvidos com maior teor de matéria orgânica, em relação aos solos das áreas circunvizinhas. No Planalto da Borborema na Paraíba, Latossolos Amarelo e com horizonte A húmico, ocorrem nos Brejos de Altitude, na Formação Serra dos Martins, que constituem o único remanescente de aplainamento do Cenozoico ainda preservado. A ocorrência de Latossolos com A húmico ainda é pouco explicada, e nos Brejos de Altitude há registros de ocorrência apenas em Brejão (PE), Pau D’alho (PE) e em Areia (PB). Na Paraíba, este solo é raro, podendo ser considerado um paleossolos relictual. Nesse sentido, este estudo investigou a evolução da paisagem e sua distribuição das classes de solos nos Brejos de Altitude da Paraíba, com ênfase na ocorrência do LATOSSOLO AMARELO Distrófico húmico (LAdh). O horizonte A húmico frequentemente muito espesso e com baixa saturação por bases, onde temperaturas mais baixas, típicas da posição barlavento com maior umidade, favoreceram o processo de latossolização com formação deste tipo de horizonte, com acúmulo de matéria orgânica até profundidades superiores a 100 cm. Foram feitas as descrições morfológicas dos solos, análises químicas e físicas, mineralogia, isótopos de C e N, fitólitos e datação por 14C. Esta classe de solo permanece na paisagem atual devido ao encapsulamento do relevo e a proteção da matéria orgânica, relacionada a fatores intrínsecos ao solo e ao ambiente, como a formação de complexos organominerais estáveis. Essa maior quantidade de matéria orgânica resultou, portanto, de diversos fatores ambientais, que por meio das multiproxies (fitólitos, isótopos e datação), incluem variáveis climáticas atuais (temperatura e precipitação), tipo de vegetação, paleoincêndios e posição geográfica. Há uma resposta do grau de pedogênese ao gradiente climático, onde LAdh é mais evoluído que os outros Latossolos que ocorrem nos Brejos de Altitude da Paraíba. Este gradiente climático também reflete na diversidade e quantidade de fitólitos. Os solos armazenam carbono orgânico na escala de 700 Gt. O pacote sedimentar da FSM originou na paisagem a morfologia de mesetas homoclinais nos topos dos platôs de Brejos De Altitude, e devido às condições paleoedafoclimáticas, se formaram os LAs. Nas mesetas há Latossolos Amarelos Distróficos nos topos (600-700m), seguidos por Latossolos Amarelos Distróficos argissólicos ou típicos (500-600m), com Plintossolos Pétricos concrecionários nos ombros. Os estoques de carbono destes solos têm valores de até 336,5 Mg/ha no único Latossolo com horizonte húmico que se encontra em Areia e está datado em 6.150 anos. Enquanto nos outros Latossolos Amarelos são de 103 a 177 Mg/ha. Há uma necessidade de avaliar a importância dos carvões em todos os perfis, e observar com mais profundidade se paleoincêndios fizeram parte da gênese destes solos. - Os LAdh são Paleossolos, que se formaram em um paleoclima devido ao isolamento geográfico e conservação das litologias da (FSM) numa superfície somital planar. Estes solos desempenham importantes serviços ecossistêmicos, como o sequestro de C e os relacionados ao clico da água.
  • TIAGO DE CARVALHO PESSOA
  • Dinâmica da água e qualidade de pastagens no efluxo de CO2 em encostas de Argissolo Vermelho Amarelo
  • Data: 19/06/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A capacidade produtiva das pastagens está relacionada à idade de estabelecimento dessas e as características do solo. No Nordeste brasileiro os solos destinados às pastagens são geralmente em áreas de encostas, a inclinação das encostas favorece a variabilidade nas propriedades hidrodinâmicas do solo e resultam em modificação nas características físicas e químicas. Além disso, pastagens cultivadas em solo sem adubação dependem da ciclagem dos nutrientes provenientes da serrapilheira da pastagem, processo que resulta em emissão de CO2 para a atmosfera. Diante do exposto, executou-se esse trabalho, dividido em três capítulos independentes, mas complementares. Com o objetivo de utilizar o método Beerkan na obtenção dos parâmetros hidrodinâmicos do solo para determinação das curvas de retenção-θ(h) e condutividade hidráulica-K(θ) e da força de retenção predominante (Capítulo I); avaliar o efluxo de CO2 do solo, a produção e qualidade da forragem e da serrapilheira de Urochloa decumbens (Capítulo II) e determinar as diferenças no efluxo de CO2 do solo, na produção de forragem e na qualidade das pastagens com distintas idades (Capítulo III). Os capítulos I e III foram desenvolvidos em três posições do relevo: ombro, meia encosta e pedimento de duas encostas sob pastagens com diferentes idades de estabelecimento (uma com 2 anos de uso-E2 e uma com 22 anos de uso-E22). Já o capítulo II foi desenvolvido nas três posições do relevo, mas apenas em uma encosta (E22). O armazenamento de água no solo foi avaliado utilizando a sonda de capacitância modelo Diviner 2000. A determinação dos parâmetros hidrodinâmicos foi através do modelo BEST no programa Sciliab 5.3.3. A produção de matérias seca de serrapilheira foi avaliada com anel de infiltração, já a produção e o conteúdo de nutrientes no pasto foram obtidos com gaiolas de exclusão, enquanto o efluxo de CO2 foi quantificado em câmaras estáticas. Os resultados indicaram variabilidade granulométrica entre as posições topográficas, sendo que na E22 existe mais argila que na E2. O armazenamento de água e as curvas θ(h) e K(θ) variaram em função das características granulométricas e hidrodinâmicas, que diferiram em profundidade, e em relação à posição na encosta e ao tempo de pastejo sobre a mesma. Os íons Ca2+, Mg2+, Al3+, a acidez potencial e a umidade do solo são maiores no ombro e meia encosta, onde há maior concentração de matéria orgânica e argila. K+, Na+, efluxo de CO2, areia e porosidade total são maiores no pedimento, posição que armazena menos água. Houve correlação positiva entre efluxo de CO2 do solo e matéria seca de serrapilheira + forragem. Independentemente da idade de uso da pastagem sobre a encosta, a maior produção foi no pedimento e a menor na meia encosta. A renovação da pastagem reduziu a emissão de CO2, melhorou a qualidade do pasto, e aumentou a produção.
  • KALLINE DE ALMEIDA ALVES CARNEIRO
  • ÓXIDOS DE Fe E Al NO DESLOCAMENTO VERTICAL DE P EM NEOSSOLOS REGOLÍTICOS
  • Data: 06/06/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • As áreas de agricultura familiar dos municípios de Esperança e Remígio, localizados no Agreste paraibano apresentam como solo predominante o Neossolo Regolítico, com baixa disponibilidade de P e N, limitando a produtividade das culturas. Para atenuar essas deficiências de nutrientes, os fertilizantes orgânicos, especialmente o esterco bovino, são amplamente utilizados pelos agricultores. No entanto, as doses de esterco são aplicadas empiricamente, muitas vezes além do necessário. Em virtude da aplicação excessiva do esterco o P é acumulado na camada superficial e liberado por transporte vertical, ocasionando a eutrofização que gera prejuízo econômico e ambiental. Diante do exposto torna - se necessário estudar o transporte vertical de P nos Neossolos Regolíticos. Em função dos teores de óxidos de ferro (Fe) e de alumínio (Al) que podem adsorver o P, mesmo presente em pequenas quantidades influenciam diretamente a disponibilidade deste nutriente no solo. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência dos óxidos de Fe e de Al na sorção e no deslocamento miscível do fósforo em áreas adubadas e não adubadas com esterco bovino e relacioná-las a mineralogia e aos fatores físico-químicos de um Neossolo Regolítico eutrófico da região do Agreste-PB. Foram selecionadas nove propriedades de agricultores familiares. Em seguida realizou-se uma amostragem aleatória sistemática simples com a fixação de dez pontos amostrais para cada área, retirando amostras de solo deformadas na profundidade de 0 - 10 cm, totalizando 90 amostras. Após a coleta, foram realizadas nas amostras de solo a caracterização físico-química e mineralógica (DRX e FRX). Em todas as amostras de solo foi determinado os parâmetros de sorção de P. Para alcançar os objetivos propostos foram instalados dois experimentos: No experimento I - Deslocamento miscível de P nativo do solo – Foi avaliado o potencial de perdas de P em colunas de solo, das áreas adubadas e não adubadas com esterco bovino, e a influência dos teores de óxidos de Fe e Al amorfos e cristalinos na lixiviação do P. No experimento II – Amostras de solo das nove áreas selecionadas foram acondicionadas em colunas e foi realizada a caracterização hidrodispersiva do solo, utilizando-se o KBr. O deslocamento miscível de P, nativo mais o P inorgânico (pulso de P), foi avaliado no transporte vertical de P nas amostras de solo das nove áreas selecionadas, cujo ajuste numérico foi realizado através do software Stanmod. Após o deslocamente miscível do P os solos das colunas foram utilizados para determinação da dessorção do P, por meio de extrações sucessivas do P adsorvido com o uso de fitas de ferro. Os dados oriundos do experimento II foram submetidos a modelos cinéticos de adsorção e dessorção de P de pseudo-equação de primeira ordem. Com os resultados das análises físicas, químicas e mineralógicas do solo, e dos experimentos I e II, foi possível organizar três capítulos: Capítulo I – “Lixiviação de P em Neossolos Regolíticos em áreas de agricultura familiar de região Semiárida”: Em todos as áreas observou-se que a maior parte do P foi removido até 20 volume de poros, o que equivale mensalmente à 40 mm de lâmina d’água. A utilização de altas doses do esterco por anos consecutivos, proporcionou uma perda elevada de fósforo no solo (> 6,0 mg L-1). Capítulo II – “Dinâmica de transporte de P em Neossolo Regolítico eutrófico”. Os dados da caracterização hidrodispersiva com o brometo de potássio (KBr) confirmou o não equilíbrio químico deste com o solo, representando um bom traçador. Houve uma menor lixiviação de P nas colunas com teores semelhantes de Fe e de Al, estando relacionado com o aumento da capacidade de adsorção de P diferentemente das amostras de solo com teores variados de Fe e de Al, que apresentaram um deslocamento de P maior. Capítulo III – “Cinética de sorção do P em Neossolo Regolítico Eutrófico em áreas de agricultura familiar”. A maior taxa de adsorção de P ocorreu nas amostras de solo com teores variados de Fe e de Al, referente ao município de Esperança. Enquanto o comportamento das curvas de dessorção de fosfato, foram idênticas para todas as áreas, independente da adubação com esterco, pois, o fosfato dessorvido diminuiu exponencialmente. As áreas de Esperança, independente de terem sido adubadas ou não apresentaram uma maior taxa de adsorção do fósforo pelos óxidos de Fe e de Al e uma diminuição da lixiviação de P. Nas áreas de Remígio adubadas e não adubadas, com teores de Fe e Al semelhantes, a cinética de adsorção e dessorção do fosfato foi semelhante as de Esperança. As áreas de Remígio apresentaram a taxa de dessorção maior do que a taxa de adsorção e um aumento na lixiviação de P, indicando que essa adsorção foi influenciada pela presença da goethita (Gt) na fração argila, pelas baixas doses de P via adubação orgânica e devido também o próprio solo apresentar teores iniciais de P muito baixo, quando comparado com as áreas de Esperança. Nesse estudo, fica evidente que a lixiviação de P em um solo arenoso, é um risco ambiental, devido a mineralogia do solo apresentar cargas predominantemente negativas.
  • MARY ANNE BARBOSA DE CARVALHO
  • DINÂMICA DOS RESÍDUOS VEGETAIS EM LATOSSOLO SOB DIFERENTES SISTEMAS DE USO
  • Data: 30/05/2019
  • Hora: 13:00
  • Mostrar Resumo
  • A reposição da matéria orgânica no solo é uma ótima opção para melhorar a qualidade dos solos, principalmente aqueles submetidos a intenso cultivo. Sendo assim, o uso de resíduos vegetais, como palhada, pode contribuir para a viabilidade econômica e sustentabilidade de vários sistemas de produção, amortizando custos operacionais e aumentando a renda líquida, tornando a agricultura mais sustentável. Objetivou-se avaliar a dinâmica de decomposição e quantificar a taxa de mineralização de N oriundo do resíduo de milho (Zea mays L.), em um Latossolo Amarelo distrófico sob sistema de plantio direto nas condições da microrregião do Brejo Paraibano. Os experimentos de adubação e de cinética de decomposição foram conduzidos nos anos de 2013 a 2017, respectivamente, na área experimental Chã-de-Jardim pertencente ao CCA, UFPB, no município de Areia, PB. O experimento de adubação foi montado seguindo um delineamento experimental em blocos casualizados, com 11 tratamentos e 5 repetições dispostos utilizando-se a matriz experimental Plan Puebla III, onde se definiram as doses para N (0; 5; 30; 50; 70 e 95 kg ha -1 ) na forma de uréia, e para K (0; 4; 24; 40; 56 e 76 kg ha -1 ) na forma de KCl. A dinâmica de decomposição dos resíduos do milho (caule, folha, palhada), foi avaliada através do método das bolsas de decomposição (litter bags), durante 150 dias. A cada intervalo de 30 dias após a instalação, foi realizada a amostragem de uma bolsa por parcela, determinou-se o carbono orgânico, nitrogênio total, celulose, hemicelulose e lignina, dos resíduos contidos nas bolsas. A amostragem do solo, foi realizada sempre após a colheita de cada ano. Foram coletadas cinco amostras simples por parcela, para perfazer uma composta, na camada de 0 - 20 cm de profundidade. Após a terra fina seca ao ar (TFSA) as amostras foram passadas em peneira (2 mm). Foram analisados o pH do solo e os teores de P, K+ , Ca2+, Mg2+, H+ + Al3+ e CO. Foi determinado o estoque de carbono no solo (Est C), em diferentes sistemas de uso (MATA, CONTROLE, MILHO, POUSIO). Coletou-se três amostras simples formando uma composta, com cinco repetições, nas profundidades de 0 – 10 e 10 – 20 cm, nas mesmas profundidades realizou-se a coleta das amostras indeformadas, para determinação da densidade do solo (Ds). O carbono orgânico total, carbono orgânico particulado e carbono orgânico associado aos minerais (COT, COp e COam) foram determinados na profundidade de 0 – 10 cm. Tanto para a análise de variância quanto para a estimativa dos parâmetros da equação exponencial, foi utilizado o pacote estatístico SAEG versão 9.1. A adubação nitrogenada não influenciou na taxa de decomposição do resíduo do milho, nem na dinâmica dos seus constituintes. Os teores de nutrientes liberados por meio da decomposição da biomassa do milho, no período de 5 anos, de maneira geral, não apresentaram diferença entre os tratamentos com adubação e sem adubação mineral. Em comparação ao CONTR, a adubação nitrogenada e potássica, não alterou os teores de C no solo, nas profundidades de 0 – 10 e 10 – 20 cm.
  • CASSIO RICARDO GONÇALVES DA COSTA
  • DINÂMICA TEMPORAL DO EFLUXO DE CO2 e PRODUÇÃO DE GLOMALINA EM ÁREA DE CAATINGA SOB NEOSSOLO LITÓLICO
  • Data: 29/05/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O estudo da dinâmica do ecossistema Caatinga, onde se inclui o processo de ciclagem de nutrientes, através do aporte e decomposição de serrapilheira, a atividade microbiana medida através do efluxo de CO2, e da produção de glomalina, indicador de qualidade física do solo, torna-se necessário para que se possa conhecer as especificidades desse bioma e assim, propor medidas de conservação e manejo adequado dos solos dessas áreas. Esse trabalho teve como objetivo determinar in-situ, o efluxo de CO2 e a produção de glomalina facilmente extraível no solo e sua relação com agregação, avaliar a produção e decomposição da serrapilheira e a ciclagem dos nutrientes, sob vegetação arbórea e arbustiva em uma área de caatinga preservada nos períodos seco e chuvoso. O trabalho foi desenvolvido na Estação Experimental Professor Ignácio Salcedo, do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), localizada no município de Campina Grande - PB. Foi demarcado um transecto inserido nos dois ambientes, as amostragens foram realizadas nos ambientes arbóreo e arbustivo e comparadas posteriormente, observando a interferência de fatores ambientais como precipitação, umidade e temperatura do solo sob as variáveis estudadas. Foram instalados coletores para acompanhar o aporte mensal de serrapilheira. Para avaliação da taxa de decomposição e ciclagem de nutrientes utilizou-se litter bags, onde foi determinada a massa remanescente, e quantificados os teores de N, P, K e C da serrapilheira liberados ao longo de 1 ano. A emissão mensal de CO2 foi avaliada pelo método estático de câmara fechada e a glomalina foi determinada pelo ensaio de Bradford, e correlacionada com a estabilidade de agregados. O aporte de serapilheira foi maior na área arbustiva, e também a taxa de decomposição do material vegetal foi mais acelerada para espécies arbustiva em relação à arbórea. O aporte anual de nutrientes seguiu a sequência de N > K > P, e os maiores aportes de nutrientes foram na estação seca, para ambos ambientes. As maiores emissões de CO2 foram encontradas no ambiente de vegetação arbustiva. A glomalina facilmente extraível apresentou um padrão sazonal, onde seus maiores valores foram obtidos na época seca, independente do tipo de vegetação da área. O maior teor de Carbono Orgânico Total foi encontrado no ambiente de vegetação arbórea e o índice de estabilidade de agregados foi maior no ambiente arbustivo. Os maiores valores de correlação foram entre o IEA e o COT. Foi observada a forte influência dos fatores climáticos como precipitação, umidade e temperatura do solo sob as variáveis analisadas.
  • FELIPY RAFAEL MARINHO PEREIRA
  • Mapeamento e analise do uso atual da terra no município de Areia -PB: subsídios para o planejamento ambiental.
  • Data: 28/02/2019
  • Hora: 15:00
  • Mostrar Resumo
  • É importante que a dinâmica sobre as formas de cobertura e uso da terra seja conhecida, a partir da organização do espaço geográfico e da identificação das áreas mais vulneráveis à perda de solo em decorrência de distúrbio provocado pelas atividades humanas. Diante dessa perspectiva, este trabalho destaca o município de Areia, localizado no Agreste Paraibano, visando fornecer subsídios para o planejamento ambiental e econômico de seus gestores. Nesse sentido, os objetivos de pesquisa foram: I) diagnosticar, através do uso atual da terra, os tipos de uso e ocupação do município, bem como os conflitos existentes nas APP em função do Código Florestal; II) identificar e diagnosticar a vulnerabilidade natural à perda de solo no município. A base de dados para o desenvolvimento do trabalho compreendeu os dados do modelo digital de elevação (MDE) do satélite ALOS/PALSAR, para extração de declividade, e SRTM, para obtenção da densidade de drenagem e amplitude altimétrica. Além disso, foram utilizados os mapas geológicos das folhas SB-25-Y-A-IV e SB-25-Y-C-I e de solos da Paraíba, os dados pluviométricos do INMET e as imagens de alta resolução do satélite planetscope para elaboração do mapa de uso e ocupação da terra. A imagem permitiu identificar e mapear onze classes de uso e cobertura da terra com base na interpretação da imagem. Por meio da álgebra de mapas foi possível cruzar os mapas com o objetivo de integrar as características geológicas, geomorfológicas, climáticas, pedológicas e de cobertura da terra para gerar o índice de vulnerabilidade à perda de solo e conflito de uso com a legislação ambiental. As classes de uso da terra com menores áreas mapeadas foram reflorestamento, cultivo de goiaba e cultivo de citros, com 0,05, 0,08 e 0,4 km², respectivamente. A área de pastagem é a classe de uso da terra que tem maior contribuição em área ocupada, com 161,2 km², correspondendo a 59,5% do município. Analisando-se os conflitos de uso e cobertura da terra nas APPs, foi possível notar que as classes de uso da terra como pastagem, cultivo de bananeira e de cana-de-açúcar estão localizadas em áreas que deveriam estar legalmente protegidas, apresentando-se como uso inadequado. A pastagem foi a classe de uso da terra (571,68 ha) que apresentou maior conflito em relação à legislação ambiental, correspondendo a 52,67% das APPs sendo ocupadas por essa classe. Foram identificadas onze classes de uso e cobertura da terra no município de Areia-PB, com destaque para a classe pastagem, com a maior representatividade. Considerando-se todo o município de Areia, foi classificada a vulnerabilidade natural à perda de solo em 78,7% como moderada, 19,8% como baixa e 1,5% com vulnerabilidade alta. Assim, constatou-se que grau de vulnerabilidade natural à perda de solo se concentrou na classe moderada, sendo possível observar que os temas uso da terra e pedologia foram os que mais tiveram influência nesse aspecto. O estudo da vulnerabilidade natural à perda de solo do município é de fundamental importância para o planejamento ambiental, pois permitiu analisar as potencialidades e as limitações do município quanto aos fatores ambientais trabalhados, além de identificar quais fatores ambientais mais concorrem para a degradação ambiental.
  • EWERTON GONÇALVES DE ABRANTES
  • Disponibilidade de fósforo em solo alcalino carbonático com uso do enxofre elementar
  • Data: 28/02/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Solos alcalinos carbonáticos apresentam baixa disponibilidade de fósforo (P), em função da presença e sorção, em carbonatos de cálcio, de diferentes formas de fosfatos de cálcio. Assim, o aumento da disponibilidade de P nesses solos passa pela redução do pH e aumento da solubilidade dos fosfatos precipitados, o que pode ser conseguido com o uso do enxofre elementar (So). Pelo exposto, objetivou-se com o presente trabalho: a) avaliar a influência do So na reação do solo e na dinâmica das frações inorgânicas de P; b) avaliar o desempenho de diferentes extratores químicos na avaliação do P disponível em solo de reação alcalina carbonático do semiárido nordestino. O estudo constou de dois experimentos, conduzidos em ambiente protegido, utilizando-se material da camada superficial (0 - 0,30 m) de um Vertissolo Háplico ortico hipocarbonático, coletado no município de Governador Dix-Sept Rosado, Estado do Rio Grande do Norte. No primeiro experimento, denominado ensaio de incubação, empregou-se o delineamento inteiramente casualizado e quatro repetições, com os tratamentos arranjados em esquema fatorial 5 × 5, referente a cinco doses de So (0; 50; 100; 150 e 200% da dose de So para neutralizar o CaCO3, o que equivaleu as doses de 0; 15; 30; 45 e 60 g kg-1 de S0), e cinco tempos de incubação (T) (14; 28; 42; 56 e 70 dias). A unidade experimental constou de um vaso contendo 0,3 kg de solo, com umidade mantida a 70 % da capacidade de campo. Nos respectivos tempos de incubação, as amostras de solo foram coletadas, secas e determinados os valores de pH em água, teores de sulfato e de EqCaCO3, além dos valores de P-rem; adicionalmente, determinaram-se os teores de P pelos extratores água (P-H2O), cloreto de cálcio (P-CaCl2), Mehlich-1 (P-M1), Olsen (P-Olsen) e Resina trocadora de íons (P-RTI). No segundo experimento, denominado ensaio de correlação, adotou-se o delineamento de blocos casualizados e quatro repetições, com os tratamentos arranjados em esquema fatorial 2 × 5, referente a duas doses de So (0 e 30 g kg-1) e cinco doses de P [0; 25; 50; 75 e 100% do valor da CMAP (889 mg kg-1 de P), o que equivaleu as doses de 0; 222,3; 444; 666,7 e 889 mg kg-1 de P]. Inicialmente, vasos contendo 3 dm3 de solo foram incubadas com as doses de So durante 42 dias; em seguida, as doses de P foram aplicadas, na forma de KH2PO4, e novamente incubadas durante 21 dias. Após esse período, foram coletadas subamostras de solo de cada vaso e nelas determinadas valores de pH em H2O, teor de S-SO 2- e teor de P pelos extratores P-H2O, P-CaCl2, P-M1, P-Olsen e P-RTI; adicionalmente, realizou-se o fracionamento sequencial de P inorgânico, determinando-se as frações P-solúvel, e P ligado a alumínio (P-Al), ferro (P-Fe) e cálcio (P-Ca). Posteriormente, foram cultivadas, em cada vaso, duas plantas de sorgo forrageiro, cv. Ponta Negra. Após 50 dias de cultivo, efetuou-se o corte da parte aérea das plantas, obtendo-se após secagem os valores de massa da matéria seca da parte aérea (MSPA); nas referidas amostras foram determinados os teores de P e S e, posteriormente, calculados os acúmulos de P e S na parte aérea. No ensaio de incubação, houve diminuição do pH com a elevação das doses de So e do tempo de incubação, registrando-se redução de 8,5 para 5,1 com a dose de 60 g kg-1 de So incubada durante 70 dias. O enxofre elementar aumentou os teores de sulfato e os valores de P-rem, mas não influenciou os teores de carbonato; ademais, aumentou os teores de P-CaCl2 e PM-1, reduziu os de P-RTI e não influenciou os de P-H2O e P-Olsen. Os teores de P-Olsen e P-RTI não se correlacionam com características que refletem o fator capacidade tampão. No ensaio de correlação, a presença de So não influenciou a MSPA, mas aumentou os teores e os acúmulos de P e S. Os extratores P-H2O, P-CaCl2, P-M1, P-Olsen e P-RTI foram altamente correlacionados entre si, na presença e na ausência de So, mas apenas os extratores P-Olsen e P-RTI se correlacionaram com o P acumulado pela planta. Os teores de P obtidos pelos extratores P-Olsen e P-RTI se correlacionaram preferencialmente com a fração P-Al; contudo, a planta absorveu P na seguinte ordem decrescente: P-Ca > P-Fe > P-Al > P-H2O na ausência e P-Ca > P-Al > P-Fe > P-H2O na presença de S. Concluiu-se que os extratores P-Olsen e P- RTI são os mais adequados para a avaliação do P disponível nesses solos.
  • JOSÉ FLÁVIO CARDOSO ZUZA
  • ERODIBILIDADE EM ENTRESSULCOS E ENCROSTAMENTO EM SOLOS DO SEMIÁRIDO SOB APLICAÇÃO DE GESSO AGRÍCOLA
  • Data: 25/02/2019
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Solos no mundo apresentam problemas de erosão hídrica em decorrência do impacto da gota da chuva na superfície do solo, agravando o encrostamento superficial e erodibilidade dos solos. Contudo, o gesso agrícola atua como redutor do encrostamento superficial, por promover a floculação das argilas, aumentar a estabilidade de agregados e reduzir a dispersão. Objetivou-se avaliar a erodibilidade em entressulcos e encrostamento superficial em solos do semiárido sob aplicação de gesso agrícola. Por meio de testes de chuva simulada foi realizado experimentos para medir a erosão em entressulcos, em condições de solo descoberto com e sem aplicação de gesso agrícola. A parcela experimental possuí área útil de 0, 3481m2 e declividade de 0,10 mm-1. As chuvas foram simuladas com intervalos de 0, 7, 14, 21 dias, com intensidade média ajustada de 85 mm h-1 durante 75 minutos. Foram avaliadas as variáveis hidráulicas do escoamento, a taxa de desagregação, as perdas totais de solo, a erodibilidade, sedimentos em suspensão, a rugosidade superficial, o encrostamento superficial, a microtextura das crostas e estabilidade de agregados. Os solos apresentaram regime laminar e escoamento subcrítico, caracterizando a formação de erosão em entressulco. As maiores taxas de desagregação, perdas de solos e sedimentos em suspensão no TCo e RLe ocorreram no teste 1, devido ao impacto direto da gota da chuva, e características intrínsecas de cada solo. A erodibilidade foi reduzida quando se aplicou gesso agrícola, devido ao efeito floculante da interação entre os coloides do RLe apresentar maior susceptibilidade ao encrostamento superficial, influenciando em todas as outras propriedades nesse estudo. A ocorrência de um maior número de chuva simulada aumentaria os valores de rugosidade, alterando as variáveis hidráulicas do escoamento no sentido de diminuir o transporte de sedimentos. Palavras-chave: Erosão hídrica, chuva simulada, desagregação de partículas, Luvissolo Crômico Órtico, Neossolo Litólico.
  • ISNARA REGINA ASSUNÇÃO MEDEIROS
  • “GEOESPACIALIZAÇÃO E MODELAGEM DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM AGROECOSSISTEMAS DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE”.
  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 25/02/2019
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • GEOESPACIALIZACAO E MODELAGEM DA MATERIA ORGANICA DO SOLO EM AGROECOSSISTEMAS DO SEMIARIDO PIAUIENSE
  • MARCO AURÉLIO BARBOSA ALVES
  • Variabilidade espaço-sazonal de atributos químicos, físicos e biológicos em topossequência no Carirí Paraibano
  • Data: 22/02/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Recursos naturais ligados ao solo em ambientes de terras secas, como na Caatinga vêm sofrendo impactos de deterioração em função da ausência de práticas conservacionistas atrelada ao uso inadequado do solo, sem levar em consideração a variabilidade espaço-sazonal de atributos que são variáveis em função do tempo e do espaço. Objetivou-se avaliar a variabilidade espaço-sazonal de atributos, físicos, químicos e biológicos em uma topossequência de Neossolos do Cariri paraibano. A geoestatística aliada a krigagem podem identificar e mapear zonas de manejo específico por modelos matemáticos capazes de mostrar o grau de dependência espacial e interpolação de dados sem tendência em pontos não amostrado para confecções de mapas de isolinhas. Coletas de solos em diferentes épocas do ano levando em consideração a sazonalidade das chuvas (período seco e período chuvoso) pode ser uma metodologia eficaz na determinação da variabilidade sazonal dos atributos. Para estudos de diversidade de organismo edáficos a determinação de índices ecológicos como: Riqueza, Shannon, Simpson e Pielou são essenciais para compreensão da influência destes na fertilidade do solo e a relação com temperatura e umidade. O estudo foi realizado em uma topossequência compartimentada em três posições: Ombro, Terço Médio e Terço Inferior, na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), Fazenda Almas, no Cariri da Paraibano. Os atributos do solo apresentaram variabilidade espaço-sazonal nas posições de Ombro, Terço Médio e Terço Inferior. O efluxo de CO2 foi influenciado apenas pela umidade do solo, uma vez que a temperatura do solo foi constante com a sazonalidade das chuvas. Os Neossolos do Cariri Paraibano apresentam uma alta diversidade de macroartrópodes edáficos que possuem sua composição da comunidade influenciada diretamente pelas posições do relevo.
  • RODOLPHO JOSÉ DE ALMEIDA NASCIMENTO
  • ERODIBILIDADE EM ENTRESSULCOS, ESCOAMENTO SUPERFICIAL E FORMAÇÃO DE CROSTA EM SOLOS REPRESENTATIVOS DO ESTADO DA PARAÍBA
  • Data: 20/02/2019
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A compreensao das relacoes envolvidas no processo de erosao hidrica e objetivo de todos que lidam com a degradacao ambiental e os prejuizos agricolas causados por ela. Com o intuito de auxiliar o desenvolvimento de estrategias de preservacao do solo e contencao desse tipo de erosao, os objetivos do presente estudo foram: Capitulo I) determinar as caracteristicas do escoamento superficial e o fator de erodibilidade em entressulcos (Ki) dos solos avaliados; estabelecer correlacoes entre propriedades fisicas e quimicas dos solos com o Ki , para desenvolver um modelo matematico para sua predicao; aplicar modelos existentes na literatura para estimativa indireta do Ki e avaliar sua aplicabilidade para os solos desse estudo; Capitulo II) avaliar, de forma indireta, o selamento superficial e a formacao de crosta atraves das mudancas nas variaveis hidraulicas e na erodibilidade em entressulcos dos solos. Foram avaliados quatro solos: Latossolo Amarelo (LA); Argissolo Vermelho (PV); Neossolo Litolico (RL); Luvissolo Cromico (TC). O criterio de selecao teve como base o grau de desenvolvimento pedogenetico. Em laboratorio conduziram-se os experimentos de erosao em entressulcos sob chuva simulada, com solo descoberto e declividade da parcela de 0,10 mm-1 . Os testes foram realizados em parcelas experimentais, com area util de 0,3481 m², onde efetuou-se ensaios com chuvas simuladas, com intensidade media ajustada em 85 mm h-1 durante 75 minutos. As chuvas simuladas foram aplicadas em tres eventos consecutivos com intervalos de 7 dias (Periodos 0, 7 e 14 dias), para determinar os efeitos da formacao do selamento superficial durante a chuva e a formacao de crosta apos o periodo de secagem do solo. Foram avaliadas taxas de perdas de solo (PSi), concentracao de sedimentos em suspensao, vazao, taxa de desagregacao do solo (Di), caracterizacao das variaveis hidraulicas do escoamento e a erodibilidade do solo em entressulco (Ki). O regime de escoamento em todos os solos foi caracterizado como laminar lento ou subcritico e a ocorrencia de erosao em entressulcos foi confirmada. No Capitulo I, foi possivel concluir que: as caracteristicas fisicas e quimicas de cada solo apresentaram influencia mais direta no entendimento do comportamento das variaveis hidraulicas do escoamento superficial e da erodibilidade em entressulcos do que o grau de desenvolvimento pedogenetico; o Luvissolo Cromico (TC), mesmo sendo menos desenvolvido, apresentou-se o mais estavel, com os menores PSi, Di e Ki; Os modelos existentes aplicados para estimativa indireta do Ki nao se adequaram para todos os solos avaliados; O modelo sugerido nesse estudo, propoe a utilizacao dos valores do DMPAU e do Feo para estimativa do Ki em solos com caracteristicas semelhantes dos solos avaliados. No Capitulo II, concluiu-se que a formacao de selamento e de crostas superficiais foram observadas com aumento da velocidade de escoamento e da descarga liquida, e a diminuicao da altura da lamina de agua, assim como nas alteracoes em PSi, Di e Ki , sendo no primeiro evento de chuva simulada a maior contribuicao para formacao do encrostamento superficial; O TC se mostrou o mais estavel apos os eventos sucessivos de chuva simulada e mesmo tendo a rugosidade superficial modificada, nao apresentou alteracoes significativas na concentracao de sedimento em suspensao, perdas totais de solo, taxa maxima de desagregacao e erodibilidade do solo em entressulcos.
  • HELTON DE SOUZA SILVA
  • BALANÇO DO NITROGÊNIO E SUGESTÃO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA PARA O MILHO CULTIVADO EM SISTEMA DE PLANTIO DIRETO
  • Data: 12/02/2019
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • BALANCO DO NITROGENIO E SUGESTAO DE ADUBACAO NITROGENADA PARA O MILHO CULTIVADO EM SISTEMA DE PLANTIO DIRETO
2018
Descrição
  • SAFIRA YARA AZEVEDO MEDEIROS DA SILVA
  • REGIME HÍDRICO E TÉRMICO DE NEOSSOLOS DO CARIRI PARAIBANO
  • Data: 30/11/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • As funções ambientais do solo e os serviços ecossistêmicos estão relacionados com a disponibilidade de água. Em ambientes áridos e semiáridos esta disponibilidade passa por períodos de alta e baixa abundância. Períodos curtos de alta disponibilidade de água são causados por eventos de chuva que suprem as necessidades de água. Em uma topossequência, a topografia e as formas do relevo determinam as diferenças dos atributos morfológicos, físicos, químicos, mineralógicos e biológicos do solo. Considerando as mesmas condições de formação do solo (clima, biota, tempo e material de origem) para todos os solos na topossequência, a variação no fluxo de água e calor é determinada apenas pela topografia e as formas do relevo. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o teor de água e as variações da temperatura do solo em uma topossequência com um sistema pedológico composto por um Neossolo Litólico e dois Neossolos Regolíticos na região semiárida do Estado da Paraíba, Brasil. Para isso, foram feitas análises morfológicas (estrutura, transição e profundidade dos horizontes) e físicas (curvas de retenção de água e condutividade hidráulica) e químicas (de rotina para fins de classificação de solo, carbono orgânico e matéria orgânica). Para determinação do regime hídrico e térmico dos solos foi avaliado a tensão e o conteúdo de água e a temperatura com sensores MPS-2 (Decagon Devices®) e coleta mensal de amostras em todos os horizontes dos solos durante um ano. Os solos apresentam água retida a tensões > 1500 kPa e temperaturas > 20ºC por mais de 90 dias dentro da seção de controle o que classifica o regime hídrico como arídico e térmico como hipertérmico de acordo com Soil Survey Division Staff. O Neossolo Litólico que ocorrem no ombro da topossequência apresentou o maior conteúdo de água e menor tensão no mês mais seco (novembro de 2017) o que pode ser atribuído ao maior teor de matéria orgânica e composição diferente da que ocorre nos Neossolos Regolíticos. O regime hídrico e térmico destes solos tem relação direta com os serviços ecossistêmicos relacionados ao ciclo da água.
  • DANILLO DUTRA TAVARES
  • Agregação em Latossolo amarelo submetido à adubação nitrogenada e potássica em plantio direto
  • Data: 28/11/2018
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • A agregação do solo destaca-se como uma das variáveis de avaliação do estado da qualidade física do solo. Esta é uma propriedade muito sensível às práticas de uso e manejo do solo, devido ao manejo inadequado resultar em rupturas dos agregados e diminuição da estrutura do solo. Objetivou-se com esta pesquisa avaliar a agregação em um Latolosso Amarelo sob sistema de plantio direto submetido à adubação nitrogenada e potássica. Foi realizado em experimento de campo implantado a cinco anos (no ano de 2013, sendo renovado anualmente), cultivado milho em sistema de plantio direto com aplicação da combinação de doses de nitrogênio e potássio. O experimento foi instalado seguindo um delineamento experimental em blocos casualizados, com 11 tratamentos e 5 repetições. Os tratamentos foram dispostos conforme a matriz Plan Puebla III, resultado da combinação de cinco doses de Nitrogênio (N), na forma de Uréia (5; 30; 50; 70 e 95 kg ha-1 ) e cinco doses de Potássio (K), na forma de KCl (4; 24; 40; 56 e 76 kg ha-1 ), mais a testemunha (sem adubação). As coletas foram realizadas após a colheita do milho (aproximadamente 120 dias após o plantio). As amostras de solo foram coletadas nas camadas de 0-10 e 10-20 cm de profundidade. A agregação do solo avaliada foi determinada pela separação e classificação por tamanho do diâmetro médio ponderado de agregados secos e úmidos. As demais variáveis avaliadas foram a análise granulométrica (areia, silte e argila), grau de floculação, argila dispersa em água, densidade do solo, porosidade (macroporosidade, microporosidade e porosidade total), disponibilidade de água no solo (capacidade de campo, ponto de murcha permanente e água disponível) e condutividade hidráulica saturada. Os melhores valores, camada de 0-10 cm, de macroagregados secos para os diferentes tratamentos variou entre 90,1 a 90,8% e o pior valor ficando em 85% na linha. Para entrelinha o melhor valor foi 92,5% e o pior 86,6%. Na camada de 10-20 cm, para linha, foram observados os melhores valores entre 91,6 a 92,1% e pior valor 86,1%, na entrelinha os valores variam de 88,1 a 92,6%, mas não houve diferença. O sistema de uso com adoção de plantio direto e a combinação da adubação nitrogenada e potássica, não apresenta alteração na estabilidade dos agregados. Após cinco anos de cultivo sucessivos, a estrutura do Latossolo relacionada a distribuição de tamanhos de poros e a densidade do solo, permanece inalterada. A capacidade de campo e o ponto de murcha permanente não apresentam diferenças significativas entre as combinações de adubo nitrogenado e potássico, porém com efeito significativo para água disponível no solo.
  • DANIEL FERREIRA DE LIMA ELIZIARIO
  • POTENCIAL DE ACÚMULO DE CARBONO E NITROGÊNIO EM SOLOS SOB PASTAGEM NAS REGIÕES DE BREJOS DE ALTITUDE DA PARAÍBA
  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 26/11/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • POTENCIAL DE ACUMULO DE CARBONO E NITROGENIO EM SOLOS SOB PASTAGEM NAS REGIOES DE BREJOS DE ALTITUDE DA PARAIBA
  • JOAQUIM EMANUEL FERNANDES GONDIM
  • Qualidade do solo em agroecossistemas da região semiárida do estado do Rio Grande do Norte
  • Data: 14/11/2018
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • Pesquisas voltadas a verificar a qualidade do solo e a comunidade de macroartrópodes em agroecossistemas na Chapada do Apodi–RN são incipientes. Face ao exposto, o presente estudo objetivou avaliar a qualidade do solo bem como a comunidade de macroartrópodes em agroecossistemas no Assentamento Moacir Lucena, Chapada do Apodi-RN. Foram realizadas aberturas de perfis de solo em quatro ambientes Vegetação Nativa (Latossolo Amarelo), Agroecológico (Argissolo Amarelo), Cultivo de Ciclo Curto (Cambissolo Háplico) e Fruticultura (Latossolo Amarelo) e coletadas amostras com estrutura deformada e não deformada em seus horizontes. Posteriormente, foram realizadas interpolações para as camadas 0,00-0,05; 0,05-0,15 e 0,15-0,25 m para análises física (granulometria, densidade do solo, DMP, DMG e retenção de água no solo) química (pH, CE, COT, macronutrientes, SB, CTC, V, PST e m) e biológica (armadilhas provid em cada ambiente nos períodos seco e chuvoso para monitorar a comunidade de macroartrópodes do solo). Foi aplicada estatística multivariada para análise dos dados. Os índices de qualidade do solo foram gerados para a camada 0,00-0,25 m, por meio de metodologia proposta por Karlen e Stott (1994). Os atributos físicos areia grossa, areia fina e areia total foram mais sensíveis na distinção dos ambientes de Vegetação Nativa e Fruticultura (Latossolos) bem como os atributos químicos carbono orgânico total, acidez potencial e alumínio. A diferenciação do Ambiente Agroecológico (Argissolo Amarelo) deu-se em função das variáveis argila e porosidade total, além da maior retenção de água na camada 0,15-0,25 m, bem como os atributos químicos sódio e porcentagem de sódio trocável. O Ambiente de Cultivo de Ciclo Curto (Cambissolo Háplico) foi discriminado pelo diâmetro médio ponderado e maiores retenções de água para as três profundidades, quanto aos atributos químicos destacaram-se cálcio, magnésio, soma de bases, capacidade de troca catiônica e potencial hidrogeniônico. Em relação a qualidade do solo os Ambientes de Cultivo de Ciclo Curto e Agroecológico apresentaram os melhores índices. A estrutura da comunidade edáfica de macroartrópodes na região da Chapada do Apodi-RN foi influenciada pelas variações sazonais, usos agrícolas e atributos físicos e químicos dos solos. De maneira geral, maior frequência de ocorrência, biomassa seca, riqueza e índices ecológicos a nível de ordem são mantidos nos ambientes Vegetação Nativa e Agroecológico no período chuvoso em detrimento a demais ambientes. Os atributos físicos ligados a estrutura do solo (DMP e Pt) bem como os atributos químicos pH, Ca, Mg e CTC influenciaram a ocorrência do grupo funcional transformadores de serrapilheira (Coleoptera) no Ambiente Cultivo de Ciclo Curto (AC - Cambissolo Háplico). O grupo funcional predador (Araneae) foi influenciado pelo carbono orgânico total e densidade do solo no Ambiente de Fruticultura (AF - Latossolo Amarelo).
  • ISNARA REGINA ASSUNÇÃO MEDEIROS
  • GEOESPACIALIZAÇÃO E MODELAGEM DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM AGROECOSSISTEMAS DO SEMIÁRIDO PIAUIENSE
  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 26/10/2018
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • GEOESPACIALIZACAO E MODELAGEM DA MATERIA ORGANICA DO SOLO EM AGROECOSSISTEMAS DO SEMIARIDO PIAUIENSE
  • LILIANE DA SILVA SOARES
  • TEORES E ESTOQUES DE NITROGÊNIO DO SOLO SOB DIFERENTES USOS E MANEJOS NOS BIOMAS CAATINGA E CERRADO
  • Orientador : BRUNO DE OLIVEIRA DIAS
  • Data: 27/09/2018
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • TEORES E ESTOQUES DE NITROGENIO DO SOLO SOB DIFERENTES USOS E MANEJOS NOS BIOMAS CAATINGA E CERRADO
  • ERNANDES FERNANDES DA SILVA
  • AVALIAÇÃO E CALIBRAÇÃO DE EXTRATORES DE K EM SOLOS DA ZONA ABACAXICULTORA PARAIBANA
  • Orientador : ALEXANDRE PAIVA DA SILVA
  • Data: 17/08/2018
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • As tabelas de recomendacao de adubacao potassica para o abacaxizeiro em solos do Estado da Paraiba se baseiam no teor de K trocavel extraido pela solucao Mehlich-1, mas se desconhece os detalhes que subsidiaram sua elaboracao; ademais, o sistema de producao da cultura modificou-se, o que justifica os trabalhos de atualizacao e avaliacao de outros extratores quimicos. Assim, este trabalho objetivou avaliar o desempenho de diferentes extratores quimicos na avaliacao do K trocavel em solos da zona abacaxicultora paraibana; estabelecer classes de interpretacao de fertilidade para avaliar a disponibilidade de K nos diferentes solos; estabelecer doses de K2O a serem recomendadas, conforme a disponibilidade de K nos solos avaliados pelos diferentes diferentes extratores. Os experimentos foram realizados em condicoes edafoclimaticas representativas da zona abacaxicultora paraibana. Foram utilizados tres solos: Argissolo Vermelho-Amarelo distrofico plintossolico (PVAdp); Argissolo Amarelo eutrofico abruptico (PAea); Espodossolo Ferri-humiluvico hidromorfico espessarenico (ESPfh). Os tratamentos consistiram em seis doses de K (0, 50, 300, 500, 700 e 950 kg ha-1 de K2O no PVAdp e 0, 30, 180, 300, 420 e 540 kg ha-1 de K2O no PAea e ESPfh). O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com tres repeticoes, totalizando 18 unidades experimentais. Nas amostras coletadas 90 dias apos a colheita determinou-se os teores de K pelos extratores M-1, M-3, RTI e Ac.NH4. A partir de amostras de tecido vegetal, coletadas aos 11 meses apos o plantio, foram determinados a massa da materia fresca, o teor e o acumulo de K na folha ‘D’. Determinou-se ainda a produtividade da cultura. Os extratores M-3 e o Ac.NH4 extrairam quantidades maiores, enquanto o M-1 e a RTI extrairam quantidades menores e semelhantes de K, com maior eficiencia para o M-3 no PVAdp e o Ac.NH4 nos solos PAea e ESPfh. Todos os extratores avaliados se correlacionaram com as variaveis massa da materia fresca (MFFD), seca (MSFD) e acumulo de K na folha ‘D’. No entanto, apenas o Ac.NH4 se correlacionou com os dados de producao. Os niveis criticos variaram entre os solos e os extratores, sendo os menores valores obtidos no ESPfh e os maiores no PVAdp. O nivel critico foi maior com o extrator Ac.NH4 nos solos PVAdp e PAea e com o M-3 no solo ESPfh, enquanto o menor nivel critico foi obtido com a RTI nos solos PAea e ESPfh e com o M-1 no PVAdp. A partir dos teores de K no solo e dados de producao relativa foram estabelecidas cinco classes de disponibilidade de K (muito baixa, baixa, media, alta e muito alta) para cada extrator. As doses de K necessarias para atingir 90% do rendimento maximo foram pouco influenciadas pelos extratores, mas variaram entre os solos estudados, sendo 600, 300 e 210 kg ha-1, respectivamente para os solos ESPfh, PVAdp e PAea. Concluiu-se que todos os extratores podem ser empregados para avaliacao da disponibilidade de K nos solo da zona abacaxicultora paraibana; no entanto, em funcao do baixo custo operacional e de sua praticidade, o Mehlich-1 torna-se o mais indicado.
  • MATEUS GUIMARÃES DA SILVA
  • AVALIAÇÃO E CALIBRAÇÃO DE EXTRATORES DE FÓSFORO DISPONÍVEL EM SOLOS DA ZONA ABACAXICULTORA PARAIBANA
  • Data: 06/06/2018
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • As recomendações de adubação fosfatada para o abacaxizeiro no estado da Paraíba são feitas a partir da quantificação do P disponível pelo extrator Mehlich-1. Contudo, considerando as mudanças ocorridas no sistema de produção, a ausência de informações sobre os ensaios de calibração que subsidiaram a construção das tabelas, as diferentes capacidades do extrator Mehlich-1 dissolver e solubilizar P de compostos fosfatados e o interesse crescente pela adoção de extratores multielementares torna-se importante reavaliar a adequação das informações existentes, bem como testar a eficiência de outros extratores químicos. Assim, este trabalho objetivou avaliar o desempenho dos extratores Mehlich-1 (M-1), Mehlich-3 (M3), Resina trocadora de íons (RTI) e Bray-1 (B-1) na avaliação do P disponível em solos da zona abacaxicultora paraibana; estabelecer classes de interpretação de teores e doses de P2O5 a serem recomendadas, conforme a disponibilidade de P avaliada pelos extratores. Os experimentos foram realizados com o abacaxizeiro ‘Pérola’, em condições edafoclimáticas representativas da zona abacaxicultora paraibana. Foram utilizados dois solos: Argissolo Vermelho-Amarelo distrófico plintossólico (PVAdp) do município de Itapororoca e Argissolo Amarelo endoeutrófico abrúptico (PAea) do município de Sapé. Os tratamentos constaram de seis doses de P (0, 20, 120, 200, 280 e 380 kg ha-1 de P2O5 no PVAdp e 0, 8, 48, 80, 112 e 152 kg ha-1 de P2O5 no PAea), aplicadas no terceiro mês após o plantio. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com três repetições, totalizando 18 unidades experimentais. Nas amostras de solo, coletadas 90 dias após a colheita, foram determinados os teores de P disponível pelos extratores M-1, M-3, RTI e B-1. O material vegetal foi coletado, amostrando-se cinco folhas “D”, em cada unidade experimental, na época de indução floral, para determinação do teor e acúmulo de P. Foram ajustadas equações de regressão entre os dados de produção e as doses de P2O5, a partir das quais foram estimadas as doses de máxima eficiência física (DMEF) e econômica (DMEE), e estabelecidas classes de disponibilidade de P e doses de P2O5 associadas a estas em cada solo. As quantidades extraídas e as taxas de recuperação de P variaram entre solos e extratores. O solo PVAdp extraiu menor quantidade, mas teve taxa de recuperação de P maior do que o PAea; M-3 e RTI apresentaram os maiores valores, B-1 os menores, tendo o M-1 apresentado valores intermediários dessas 14 características. A disponibilidade de P pode ser avaliada nos dois solos por qualquer um dos extratores testados, sendo o desempenho dos mesmos semelhante no PAea e melhor para os extratores B-1 e M-1 no PVAdp. Os níveis críticos de P, determinados pelos extratores M-1, M-3, RTI e B-1, foram 32,5; 58,5; 38,0 e 29,5 mg dm-3 , respectivamente. As doses de MEF foram de 296,5 e 110,5 kg ha-1 de P2O5, respectivamente, para os solos PVAdp e PAea, enquanto que as doses de MEE foram, respectivamente, 91,5 e 53,0 kg ha-1 de P2O5. A disponibilidade de P nos solos avaliados pode ser estratificada em três classes de fertilidade (baixa, média e alta), conforme o extrator. Para as classes de fertilidade baixa, média e alta, são recomendadas doses de 160,0; 80,0 e 20,0 kg ha-1 de P2O5 quando a avaliação da disponibilidade for feita pelo extrator M-1, e 150,0; 75,0 e 20,0 kg ha-1 de P2O5 para avaliação com o extrator RTI.
  • FRANCISCO MARTO DE SOUZA
  • Crescimento, teores foliares e taxa de absorção de N, P e K em Moringa oleifera Lam. com adubação orgânica em Neossolo Flúvico
  • Data: 27/04/2018
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • Objetivou-se avaliar a crescimento, producao de massa, teores foliares e taxa relativa de absorcao de N, P e K em Moringa oleifera Lam. adubadas com quatro doses de cama de frango (0,0; 40,0; 80,0 e 120,0 g dm-3) e duas granulometrias (1 e 4 mm). O experimento foi conduzido no delineamento em blocos casualizados com quatro repeticoes. A unidade experimental foi constituida por quatro mudas, produzidas em sacos de poliestireno com capacidade de 5 dm-3. Para a analise de crescimento, foram avaliadas a cada 30 dias, altura, numero de folhas, diametro do caule e da raiz, e massa da materia fresca e seca e o indice de qualidade de Dickson, ate os 120 dias, totalizando quatro avaliacoes. Os teores e a taxa de absorcao de nitrogenio, fosforo e potassio foram avaliadas aos 60 e 120 dias de experimento. O diametro da raiz diminui com o aumento das doses de cama de frango; as massas da materia seca da parte aerea e da raiz aumentaram com o incremento das doses de cama de frango. Verificou-se aumento linear do indice de qualidade de Dickson em funcao dos dias apos a emergencia e de doses de cama de frango, atingindo valor maximo de 3,0, com 120 g dm3 de cama de frango. A granulometria 1 mm proporcionou maiores decrescimos na taxa relativa de absorcao de nitrogenio. A taxa relativa de absorcao de potassio aumentou 50,6% com o aumento das doses de cama de frango, enquanto que houve diminuicao nos teores de fosforo em funcao do aumento das doses de cama de frango com diametro de 1 e 4 mm. Houve aumento nos teores foliares de nitrogenio e potassio em funcao do aumento das doses de cama de frango. Recomenda-se a dose de 120 g dm-3 para obtencao dos maiores teores e taxa de absorcao.
  • JOSEVALDO RIBEIRO SILVA
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DA RESISTÊNCIA À PENETRAÇÃO EM SOLO CULTIVADO COM CANA-DE-AÇÚCAR SOB COLHEITA MECANIZADA COM TRÁFEGO CONTROLADO
  • Data: 28/02/2018
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DA RESISTENCIA A PENETRACAO EM SOLO CULTIVADO COM CANA-DE-ACUCAR SOB COLHEITA MECANIZADA COM TRAFEGO CONTROLADO
  • ADILSON ALVES COSTA
  • ESTOQUES DE CARBONO E NITROGÊNIO, FRAÇÕES E MODELAGEM DA MATÉRIA ORGÂNICA DE LATOSSOLOS AMARELOS NO CERRADO
  • Data: 28/02/2018
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • ESTOQUES DE CARBONO E NITROGENIO, FRACOES E MODELAGEM DA MATERIA ORGANICA DE LATOSSOLOS AMARELOS NO CERRADO
  • ADILSON ALVES COSTA
  • ESTOQUES DE CARBONO E NITROGÊNIO, FRAÇÕES E MODELAGEM DA MATÉRIA ORGÂNICA DE LATOSSOLOS AMARELOS NO CERRADO
  • Data: 28/02/2018
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • ESTOQUES DE CARBONO E NITROGENIO, FRACOES E MODELAGEM DA MATERIA ORGANICA DE LATOSSOLOS AMARELOS NO CERRADO
  • ANTONIO MICHAEL PEREIRA BERTINO
  • FERTILIDADE DO SOLO, COMPOSIÇÃO MINERAL E PRODUÇÃO DO QUIABEIRO SOB LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO E MATÉRIA ORGÂNICA EM UM NEOSSOLO FLÚVICO
  • Data: 07/02/2018
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O quiabeiro é uma hortaliça que vem ganhando expressão na região Nordeste, mas, as informações sobre o manejo de irrigação e adubação orgânica ainda são pouco frequentes na literatura. Por isso, pesquisas nesse sentido devem ser desenvolvidas. Nessa sentido, um experimento foi desenvolvido para avaliar o desempenho produtivo do quiabeiro e os atributos químicos do solo em função de lâminas de irrigação e doses de matéria orgânica no solo, em um Neossolo Flúvico com a cultivar Santa Cruz 47. O delineamento utilizado foi em blocos casualizados no esquema fatorial 2 x 5, referente às lâminas de irrigação de 100 % e 50 % da evapotranspiração da cultura (ETc) e cinco doses de esterco bovino para elevar o teor de matéria orgânica do solo de 18 para 28, 38, 48 e 58 g dm-3 nos ciclos produtivos de 2013/2014 e 2014/2015. As variáveis estudadas foram os componentes de fertilidade do solo, teores foliares de macronutrientes e componentes do quibeiro. Os resultados foram submetidos a análises de variância e de regressão. A irrigação com a lâmina de 100 % da ETc aumentou a fertilidade do solo, quando comparado com a lâmina de 50 % da ETc. A matéria orgânica aplicada ao solo aumentou o potencial de fertilidade expresso pela MO, P, K, Ca, Mg, S resultando no aumento da capacidade de troca catiônica, teores foliares de P, K e Mg e nos componentes de produção do quiabeiro. Foi obtida maior produtividade com aplicação de 48 g dm-3 de esterco bovino. Recomenda-se a aplicação de MOS através da adubação com esterco bovino, na dose de 48 g dm-3 . Palavras-chave: Abelmoschus esculentus, Manejo de irrigação, Adubação orgânica, Nutrição, Fertilidade do solo.
2017
Descrição
  • JOSÉ MARCÍLIO DA SILVA
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DE ATRIBUTOS DO SOLO EM ÁREAS DE FLORESTA NATIVA E DE PASTAGENS NA ZONA DA MATA PERNAMBUCANA
  • Data: 27/11/2017
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DE ATRIBUTOS DO SOLO EM AREAS DE FLORESTA NATIVA E DE PASTAGENS NA ZONA DA MATA PERNAMBUCANA
  • JHONY VENDRUSCOLO
  • ÍNDICES BIOFÍSICOS PARA AVALIAÇÃO DA DESERTIFICAÇÃO NO SEMIÁRIDO
  • Data: 07/11/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • O processo de desertificacao ocorre em zonas aridas, semiaridas e sub-umidas do globo terrestre, ocasionando perdas de solo, materia organica e nutrientes, e, consequentemente, a reducao da capacidade produtiva dos solos. No Brasil, as areas suscetiveis a desertificacao abrangem 9 estados, incluindo a Paraiba, sendo observado que o processo se inicia com a conversao de floresta nativa para agropecuaria associada com o manejo inadequado do solo. O presente trabalho teve como objetivo selecionar indicadores biofisicos e fornecer indices para avaliacao do nivel de desertificacao no Semiarido paraibano. Foram selecionadas 22 areas conservadas, sem corte raso nos ultimos 30 anos, e 22 areas desertificadas, com dificuldades de reestabelecimento da cobertura vegetal. Em cada area alocou-se uma parcela de 100 m2 (10 x 10 m). Inicialmente, identificou-se as especies arboreas, mensurou-se a circunferencia da base a 0,30 m do solo (CNB), circunferencia a altura do peito a 1,30 m (CAP), calculou-se a densidade absoluta (DA), densidade relativa (DR), frequencia absoluta (FA), frequencia relativa (FR), dominancia absoluta (DoA), dominancia relativa (DoR), indice de valor de importancia (IVI) e o indice de valor de cobertura (IVC) (I Capitulo). Posteriormente, calculou-se o numero de especies (NE), densidade de plantas (DP), altura media do dossel (A-M), circunferencia media na base (CNB-M), circunferencia media a altura do peito (CAP-M) e dominancia absoluta total (DoA-T), e com base nos resultados selecionou-se os indicadores do nivel de desertificacao com teste T pareado (p < 0,05), mensurou-se a abrangencia dos indicadores, considerando a menor diferenca detectavel entre os pares de areas (conservadas e desertificadas), obteve-se os pesos dos indicadores com analise de componentes principais e elaborou-se um indice para avaliacao do nivel de desertificacao do Semiarido paraibano (II Capitulo). Nas parcelas tambem foram coletadas amostras de solo nas camadas de 0-5 e 5-20 cm, e realizadas as analises da acidez ativa (pH em agua), acidez potencial (H+Al), teores de sodio (Na+), aluminio (Al3+), potassio (K+), calcio (Ca2+), magnesio (Mg2+), carbono organico total (COT), P disponivel (Mehlich-1), textura e densidade do solo (DS), e calculou-se os valores de soma de bases, CTC efetiva, CTC total, saturacao por bases, saturacao por Al3+ e porcentagem de sodio trocavel (PST). Os valores dos atributos quimicos e fisicos do solo foram comparados com valores de referencia para o semiarido, classificados em 3 niveis (1 – alto, 2 – medio e 3 – baixo) e unidos para a formacao de um indice de qualidade do solo, que foi comparado com o mapa de classificacao climatica para obtencao das areas mais suscetiveis ao processo de desertificacao e mais criticas para restauracao da cobertura florestal (III Capitulo). Com base nos resultados dos solos, tambem selecionou-se os indicadores do nivel de desertificacao com teste T pareado (p < 0,05), mensurou-se a abrangencia dos indicadores, considerando a menor diferenca detectavel entre os pares de areas (conservadas e desertificadas), obteve-se os pesos dos indicadores com analise de componentes principais e elaborou-se um indice para avaliacao do nivel de desertificacao do Semiarido paraibano (IV Capitulo). No primeiro capitulo verifica-se que as areas conservadas apresentaram um total 63 especies arboreas e as areas desertificadas 9 especies. As especies mais frequentes nas areas conservadas sao Caesalpinia pyramidalis e Croton sonderianus, e nas areas desertificadas sao Mimosa tenuiflora e Croton sonderianus. As areas conservadas apresentaram maior DA que as areas desertificadas, com valores totais de 4.845 I ha-1 e 895 I ha-1. A DoA seguiu a ordem Caesalpinia pyramidalis > Anadenanthera colubrina > Myracrodruon urundeuva e Mimosa tenuiflora > Caesalpinia pyramidalis > Aspidosperma pyrifolium, para areas conservadas e areas desertificadas, respectivamente. As especies Croton sonderianus (areas conservadas) e Mimosa tenuiflora (areas dertificadas) apresentam os maiores IVI e IVC. No segundo capitulo, constata-se que a perda de qualidade da cobertura vegetal arborea desencadeou o processo de desertificacao, por reduzir a protecao do solo contra a acao da erosao hidrica. Os parametros numero de especies, DoA-T, densidade de plantas, altura media do dossel, CAP-M e CNB-M, podem ser utilizados como indicadores em 100, 100, 97,9, 89,7, 71,6 e 56,8%, da regiao semiarida paraibana, respectivamente. Os indicadores que tem maior peso sao CAP-M (0,4210), CNB-M (0,4110), numero de especies (0,4097), densidade de plantas (0,3891), altura media (0,3614) e DoA-T (0,3407). O indice do nivel de desertificacao com base na cobertura arborea permite avaliar com precisao o nivel de desertificacao de areas no Semiarido paraibano. No terceiro capitulo, observa-se que as areas conservadas apresentam alto nivel de qualidade dos solos. Os atributos do solo que torna a regiao naturalmente mais sensivel ao processo de desertificacao sao pH, P, COT, acidez potencial, CTC total, CTC efetiva, saturacao por bases e DS. Os municipios de Bonito de Santa Fe, Cacimba de Dentro, Campina Grande, Soledade, Picui, Remigio e Uirauna, apresentam a menor qualidade do solo em areas conservadas. Os municipios mais suscetiveis ao processo de desertificacao, considerando a qualidade do solo em areas conservadas e a disponibilidade de agua, sao Soledade e Picui. As areas desertificadas apresentam alto nivel de qualidade na camada de 0-5 cm, e medio nivel de qualidade na camada de 5-20 cm. Os atributos mais limitantes ao crescimento e desenvolvimento da cobertura vegetal nas areas desertificadas sao COT, P, DS, CTC total, pH, CTC efetiva e Ca2+, respectivamente. As regioes mais criticas para o restabelecimento da cobertura vegetal em areas desertificadas estao localizadas nos municipios de Sao Domingos do Cariri, Picui e Taperoa. Nas areas desertificadas, recomenda-se o uso de manejos integrados priorizando o acumulo de materia organica, reducao do processo erosivo e a elevacao da disponibilidade de agua, visando a recuperacao da cobertura vegetal. No quarto capitulo, verifica-se que o processo de desertificacao no Semiarido paraibano tende a reduzir os teores de COT e aumentar os valores de Na+, PST e DS, independente da camada, e diminuir os valores de Ca2+, H+Al, CTC total na camada de 0-5 cm, e de K+ na camada de 5-20 cm. A abrangencia dos indicadores no Semiarido paraibano, para a camada de 0-5 cm, apresenta a seguinte ordem: COT (100%), DS (100%), H+Al (68,0%), CTC total (66,0%), Na+ (64,2%), Ca2+ (62,4%), PST (61,4%) e saturacao por Al3+ (18,2%). Na camada de 5-20 cm, segue a ordem: COT (91,2%), K+ (78,0%), DS (55,6%), PST (53,0%) e Na+ (29,0%). O indice do nivel de desertificacao com base nos atributos do solo, permite avaliar com precisao o nivel de desertificacao em areas do Semiarido paraibano, e apontar quais atributos do solo sao mais limitantes para restauracao da cobertura florestal em regioes especificas.
  • MARIA CRISTINA SANTOS PEREIRA DE ARAUJO
  • POTENCIAL DE EUTROFIZAÇÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA DO BREJO PARAIBANO EM FUNÇÃO DO USO E COBERTURA DO SOLO
  • Data: 31/08/2017
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • POTENCIAL DE EUTROFIZACAO DE BACIA HIDROGRAFICA DO BREJO PARAIBANO EM FUNCAO DO USO E COBERTURA DO SOLO
  • MAÍRA DA CUNHA SOUZA
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DA RESISTÊNCIA A PENETRAÇÃO EM SOLO SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE COLHEITA DE CANA-DE-AÇÚCAR
  • Data: 31/08/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Uma característica inerente aos solos é a heterogeneidade, todavia, cultivos, sobretudo os mecanizados, como o de cana-de-açúcar, tendem a ocasionar alterações que aumentam ainda mais a variabilidade nos atributos físicos do solo. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar a variabilidade espacial da resistência a penetração em solo sob cultivo de cana-de-açúcar na microrregião do Litoral Norte paraibano. O estudo foi realizado em áreas de produção de cana-de-açúcar pertencentes à Usina Miriri e Bioenergia S/A. Duas áreas localizam-se na Fazenda Santa Emília II, município de Rio Tinto e a terceira faz parte da Fazenda Maria da Luz I, situada entre os municípios de Capim, Santa Rita e Sapé, estado da Paraíba. Na ordem de solo foram selecionadas três áreas com diferentes condições de uso: I. Colheita manual–segundo corte (CMA); II. Colheita mecanizada – segundo corte (CME) e III. Colheita manual e mecanizada (CMM). Em cada área de estudo foram coletadas amostras georreferenciadas nas linhas e entrelinhas de plantio, seguindo malha amostral regular de 20 x 20 m.As amostras foram analisadas no Laboratório de Física do Solo, do Departamento de Solo e Engenharia Rural (DSER), do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Para análise dos dados foi utilizada a estatística descritiva e a geoestatística.A média não foi suficiente para representar a distribuição espacial das áreas analisadas; a malha de amostragem foi adequada, dentro das limitações do estudo, pois permitiu captar a dependência espacial em praticamente todas as condições estudadas.A área de CMA apresentou os maiores valores de resistência a penetração (RP) dentre as três áreas.As áreas de CME e CMM seguiram padrão similar, apresentando baixa RP nas camadas mais superficiais e com valores crescentes nas profundidades maiores.Diferente da CMA, a CME e CMM obtiveram valores médios de RP maiores na entrelinha de plantio, o que pode ser explicado por ser a parte que mais sofre os efeitos da compactação impostas pelo intensivo tráfego de máquinas.
  • MARIA CRISTINA SANTOS PEREIRA DE ARAUJO
  • POTENCIAL DE EUTROFIZAÇÃO DE BACIA HIDROGRÁFICA DO BREJO PARAIBANO EM FUNÇÃO DO USO E COBERTURA DO SOLO
  • Data: 31/08/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • POTENCIAL DE EUTROFIZACAO DE BACIA HIDROGRAFICA DO BREJO PARAIBANO EM FUNCAO DO USO E COBERTURA DO SOLO
  • THIAGO DE SOUZA RIBEIRO
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DE ATRIBUTOS QUÍMICOS EM ARGISSOLO VERMELHO AMARELO SOB O CULTIVO DE ABACAXIZEIRO 'PÉROLA'
  • Data: 04/08/2017
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Apesar da importância da cultura do abacaxi na região dos Tabuleiros Costeiros da Paraíba, são poucas as informações sobre a avaliação da variabilidade espacial dos atributos químicos relacionados ao uso e manejo da fertilidade para esta cultura, onde predominam solos ácidos e de baixa fertilidade natural e não recebem um manejo adequado. No entanto, para se propor um manejo adequado é necessário se fazer um diagnóstico das áreas cultivadas. Nesse sentido, objetivou-se nesta pesquisa caracterizar e avaliar as relações entre os atributos químicos do solo na lavoura de abacaxi com quatro (A4) e oito (A8) ciclos da cultura no solo. As amostras deformadas de solos foram coletadas de um Argissolo Vermelho Amarelo em malha, com intervalos regulares de 10 m, totalizando 75 pontos amostrais por área de estudo na profundidade de 0-20 cm. Para a avaliação dos atributos químicos do solo foram medidos pH, P, K, Na, Ca, Mg, Al, H+Al, MO, CTCpH7, SB e V%. Os dados foram submetidos a análises estatísticas descritivas seguidas de análise de componentes principais.Posteriormente foramajustados a modelos geoestatísticos para relacionar a variabilidade e as distâncias de separação dos pontos amostrais, utilizados para interpolação por krigagem ordinária. Para obtenção de um único esquema amostral otimizado para todos os atributos químicos do solo na área com oito ciclos de cultivofoi utilizado o algoritmo anelamento simulado espacial (SSA - Spatial Simulated Annealing). Na área com quatro ciclos foi verificada acidez potencial média, baixo valor do pH e menores teores de matéria orgânica, soma de bases e saturação por bases do solo, revelando maior necessidade de práticas de correção do solo. Na área com oito ciclos os maiores teores de matéria orgânico do solo aliado a aplicação de fertilizantes proporcionaram maiores teores para a capacidade de troca de cátions, soma de bases, saturação por bases, carbono do solo e pH tendendo a média acidez. As formas de uso e manejo empregadas induziram a variabilidade espacial para a maioria dos atributos químicos do solo, sendo maior na área com quatro ciclos de cultivo com abacaxizeiro ‘Pérola’, evidenciando maior amplitude nos teores dos atributos.A partir de um esquema amostral inicial e com a determinação de um variograma escalonado médio foi possível determinar o número de 16 pontos a serem amostrados para minimizar da variância de krigagem na área de pesquisa.
  • Emanoel Lima Martins
  • VARIABILIDADE ESPACIAL DE ATRIBUTOS FÍSICOS E QUÍMICOS DE UM ANTROPOSSOLO DECAPÍTICO COM APLICAÇÃO DE ÁGUA RESIDUÁRIA TRATADA
  • Data: 26/05/2017
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Devido ao crescente aumento das áreas em processo de degradação decorrente, em sua maioria, de influências antrópicas, faz-se necessário a utilização de alternativas, preferencialmente de baixo custo, que possibilitem o conhecimento do nível de degradação e promovam a recuperação da capacidade produtiva do solo, a fim de viabilizar um manejo adequado e a recuperação dessas áreas. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi avaliar a variabilidade espacial de atributos do solo e como esta interfere no estoque matéria orgânica (MOS) e fósforo (P) no solo e verificar o efeito da aplicação de água residuária tratada (AR) na recuperação dos teores de MOS e P em um Antropossolo Decapítico. Inicialmente, foi realizado georreferenciamento, definido uma malha e realizada amostragem de solo em uma área degradada com Antropossolo Decapítico, a partir da qual determinou-se os seguintes atributos: densidade do solo (Ds), densidade da terra fina (Dtf), proporção da fração grosseira (pFG) e os teores de MOS e P, a partir destes calculou-se a densidade corrigida (Dco) e os estoques de MOS e P. Influenciada pela elevada pFG, a Ds apresentou valores extremamente elevados, na ordem de 1,9 kg dm-3. Sugerindo elevado grau de compactação do solo a Dtf apresentou valores em torno de 1,7 kg dm-3. Por outro lado, a Dco apresentou-se em torno de 1,3 kg dm-3. Todos os atributos físicos apresentaram elevada variabilidade espacial e dependência espacial forte, enquanto os teores de MOS e P, em torno de 3 g kg-1 e 2 mg kg-1 respectivamente, apresentaram variabilidade espacial elevada e dependência espacial fraca. A estimativa do estoque de MOS e P apenas com base na Ds, superestimou o estoque de MOS e P disponíveis no solo em relação ao mesmo cálculo com base na Dco, considerando a massa e volume da pFG. Posteriormente, visando avaliar do efeito da aplicação de água residuária tratada no crescimento de espécies florestais e na recuperação de atributos químicos do solo, foi implantado um experimento em blocos casualizados com cinco espécies florestais irrigadas com três lâminas de água (7 L semana-1 de água de abastecimento (AA), 7 L semana-1 de água residuária tratada (AR7) e de 14 L semana-1 de água residuária tratada (AR14). Após três anos, foi realizada coleta e análise do solo quanto aos teores de P, P orgânico e MOS. E as espécies foram avaliadas quanto a altura e diâmetro à altura do peito (DAP). Ambos os tratamentos AR7 e AR14 promoveram aumento expressivo dos teores de MOS, P e P orgânico no solo em relação ao tratamento AA, atingindo ordens de magnitude de 5 a 8 vezes superior a este. Entretanto, não houve diferença significativa na altura e diâmetro das espécies florestais entre os tratamentos, provavelmente devido a fatores fitossociológicos inerente as espécies utilizadas. Portanto, a AR pode ser tida como uma excelente alternativa de baixo custo para a recuperação de solos degradados em região semiárida.
  • Dácio Jerônimo de Almeida
  • FERTILIDADE DO SOLO E PRODUTIVIDADE DO MAMOEIRO EM UM ARGISSOLO AMARELO EM FUNÇÃO DE DOSES DE SUBSTÂNCIAS HÚMICAS E TORTA DE FILTRO
  • Data: 27/04/2017
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • O potencial produtivo da cultura do mamao decorre de fatores relacionados ao clima, ao solo e a variedade cultivada. Contudo, sistemas de manejo que proporcionem a adicao de residuos organicos ao solo podem provocar alteracoes em seus atributos quimicos, fisicos e biologicos favorecendo o crescimento do sistema radicular e a produtividade do mamao. O presente experimento foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o efeito da aplicacao de substancias humicas e torta de filtro de cana de acucar, sobre a fertilidade do solo e a produtividade da cultura do mamoeiro ‘Papaya Golden’ cultivado em um Argissolo Amarelo. O experimento foi conduzido sob condicoes de campo no municipio de Mamanguape, Paraiba, Brasil, durante o periodo de outubro/2014 a outubro/2015. Os tratamentos foram dispostos em blocos casualizados com tres repeticoes e seis plantas por parcela, utilizando o esquema fatorial (4 x 2) + 1, correspondendo a quatro concentracoes de substancias humicas comercial (0, 15, 30 e 45 ml por planta), no solo sem e com adubacao com torta de filtro de cana de acucar na quantidade de 20 L por planta a cada 120 dias, mais um tratamento adicional com adubacao mineral (N-P-K). Foram avaliadas a taxa relativa de crescimento relativo da altura e do diametro, os teores de macro e micronutrientes do solo (P; K; Ca; Mg; Cu; Fe; Zn; Mn; B) e foliar (N; P; K; Ca; Mg; Cu; Fe; Zn; Mn; B). Tambem avaliou-se o numero de frutos por planta, pigmentos fotossinteticos, produtividade e a expressao relativa dos genes rbcL, ACC oxidase e invertase. Os dados foram submetidos a analises de variancia e regressao para as doses de substancias humicas, enquanto para comparar a presenca e ausencia de torta de filtro foi utilizado o teste F. O tratamento adicional foi comparado com os demais tratamentos utilizando o teste de Dunnett. As taxas relativas de crescimento da altura e do diametro aumentaram linearmente em funcao de doses de substancias humicas. A torta de filtro melhorou os atributos quimicos do solo, com aumento dos teores de P; K; Ca; Cu; Fe; Zn e carbono organico. Os teores foliares de nitrogenio aumentaram com a aplicacao de substancias humicas em comparacao a testemunha. A torta de filtro aumentou o numero de frutos e a produtividade. Os teores de clorofila a e b, carotenoides como tambem a expressao ix relativa dos genes rbcL, ACC oxidase e invertase estudados foram maiores com aplicacao de torta de filtro e a dose maxima de substancias humicas. Os resultados obtidos neste trabalho indicam evidencias que a adubacao organica pode melhorar a disponibilidade de nutrientes e as respostas fisiologicas nas plantas do mamoeiro ‘Papaya Golden’. Recomenda-se o uso de torta de filtro 20 L por planta e a aplicacao de 45 ml por planta de substancias humicas para se obter maior crescimento e produtividade do mamoeiro.
2016
Descrição
  • ELDER CUNHA DE LIRA
  • Qualidade do Solo Cultivado sob Monocultivo de Uva Isabel (Vitis labrusca): Atributos Físicos, Químicos e Mineralógicos do Solo
  • Data: 09/12/2016
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A viticultura e uma atividade de grande importancia economica em diversos estados do Brasil. Esta atividade vem sendo desenvolvida de forma intensa e constitui uma das bases socio-economicas do Agreste de Pernambuco. Neste sentido, a degradacao do solo constitui um dos fatores mais importantes no declinio da producao tanto da viticultura, quanto agricola. Esta pesquisa teve como finalidade avaliar os impactos causados nas propriedades quimicas e mineralogicas no solo em funcao de diferentes anos de cultivo com a Videira da variedade Isabel (Vittis Labrusca L.). O trabalho foi conduzido nas Fazendas Fortaleza e Quatis, localizadas no municipio de Sao Vicente Ferrer, Pernambuco, Mesorregiao do Agreste Pernambucano. A classe de solo ocorrente nas areas estudadas e de um Argissolo Vermelho Amarelo. Foram escolhidos tres pomares comerciais distintos com idade aproximada de 05 (AC5), 08 (AC8) e 15 (AC15) anos, alem de uma area de mata nativa considerada como testemunha. Em cada pomar delimitou-se uma area amostral de 3.000 m2, divididas em 03 (tres) sub-parcelas (Terco Superior - TS, Terco Medio - TM, Terco Inferior - TI), com 1.000 m2 cada. Cada sub-parcela foi dividida em 05 (cinco) subareas, medindo 10 x 20 m (base x altura), totalizando 200 m2 cada subarea. Foram abertas 03 (tres) mini trincheiras de 0,30 m x 0,50 m, realizadas amostragens nas profundidades de 0,0-0,05 m; de 0,05-0,10 m; de 0,10-0,20 m e de 0,20-0,40 m, totalizando 60 (sessenta) amostras por area. Os resultados dos atributos quimicos foram submetidos a analise de variancia e teste F e as medias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade com o uso do software SAS®. Foi possivel observar que as praticas de cultivo empregadas provocaram modificacoes nos atributos quimicos do solo sob o sistema produtivo. Os valores de pH na area de Mata (MT) sao considerados agronomicamente baixos, apresentando valores mais baixos que as areas cultivadas para este atributo quimico em todas as profundidades, e as areas cultivadas de 5 anos (AC5), 8 anos (AC8) e a 15 anos (AC15), apresentaram valores estatisticamente superiores. Os teores de fosforo (P) observados para as areas sob o sistema de producao da videira foram considerados bom, sem alteracoes significativas entre as areas. Observa-se que para os teores de Ca e Mg nao ocorreu variacoes significativas no teste f (0,05>p) quando avaliadas as posicoes do relevo, indicando que ambas apresentam comportamento semelhante. Quando avaliadas o parametro profundidade, foi possivel observar variacoes significativas na ordem de aproximadamente 5 (cinco) vezes mais quando comparada a MT, bem como ao tipo de manejo adotado (pratica da calagem), com interferencia do comportamento do Ca. Os resultados de Materia Organica (MO) foram classificados entre os niveis muito bom e baixo, variando entres as areas estudadas. Quanto a acidez potencial (H+Al) pode-se observar que ocorreu diferenca significativa na area AC5 e na MT. Quanto as analises espectroscopicas, foi possivel observar que a fracao areia e composta basicamente por silica com a presenca de elementos minoritarios que apresentaram alteracoes em funcao do tempo de cultivo e da posicao do relevo. A fracao silte apresentou maiores teores de feldspato e presenca de caulinita na area de cultivo AC5. Foi possivel observar que a fracao argila apresenta predominio de caulinita e menores quantidades de goetita e mica, em todas as areas de cultivo com excecao da area AC15 e que os indices Ki e Kr aumentaram na direcao do terco superior (TS) para terco inferior (TI). Pela espectroscopia de infravermelho foi possivel observar que o aporte da MO foi evidenciado xi pelas bandas em torno de 3439 cm-1 relacionada a vibracao da hidroxila ligada a estruturas aromaticas. Apos todas as caracterizacoes foi possivel observar que existe baixa reserva mineral, em todas as areas de estudo e que o manejo empregado e uso do solo provocou alteracao nos atributos quimicos do solo, em especial com o avancar dos anos, bem como uma grande interferencia provocada pela pratica da calagem que influenciou de forma direta no incremento de alguns atributos quimicos.
  • RONALDO DE MORAES MELO
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SOLOS SOB DIFERENTES USOS E MANEJOS EM TOPOSSEQUÊNCIA
  • Orientador : VANIA DA SILVA FRAGA
  • Data: 30/11/2016
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Avaliacao da qualidade de solos sob diferentes usos e manejos em topossequencia”
  • MARIA AUXILIADORA CONCEIÇÃO DE FREITAS
  • DESEMPENHO DE LITHOTHAMNIUM SP. NO CULTIVO DE MANGA ‘PALMER’ EM ARGISSOLO AMARELO
  • Data: 18/10/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A mangicultura na regiao do Vale do Sao Francisco e uma atividade crescente e com participacao expressiva no mercado de exportacao de frutas no Brasil. Com isso, tem-se buscado o aprimoramento das tecnicas de producao, como a introducao de fontes alternativas de nutrientes, buscando maior produtividade e qualidade dos frutos. Assim, esta pesquisa teve por objetivo avaliar o efeito de complexos de algas calcarias, nas formas de Lithothame e nitrato de Lith, na fertilidade do solo, estado nutricional, producao e qualidade de frutos de manga ‘Palmer’. O experimento foi conduzido no periodo de agosto/2014 a junho/2015 em um pomar comercial de manga ‘Palmer’, pertencente a Fazenda Special Fruit, municipio de Petrolina-PE. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com tres repeticoes, e os tratamentos arranjados em parcelas subsubdivididas, sendo as parcelas referentes a doses de Lithothame aplicadas via solo (0; 5; 20; 60 e 100 kg ha-1), as subparcelas referentes a duas granulometrias do Lithothame (600 e 1200 mesh), e as subsubparcelas referentes a concentracoes de nitrato aplicadas via foliar (2,5% de nitrato de calcio; 0,5, 1,5 e 3% de nitrato de Lith). A resposta da manga aos tratamentos foi avaliada atraves da determinacao dos teores de nitrogenio (N), fosforo (P), potassio (K), calcio (Ca), magnesio (Mg) e das relacoes N/Ca e K/Ca nos tecidos foliares e nos frutos (casca e polpa); producao (numero medio de frutos - NMF planta-1, massa media dos frutos - MMF e produtividade total); e qualidade pos-colheita dos frutos (percentual de perda de massa - %PM; firmeza; solidos soluveis - SS; acidez total titulavel - ATT; relacao solidos soluveis e acidez total titulavel - SS/ATT; e, pH). Os teores de nutrientes nas folhas foram determinados antes da floracao, inicio da floracao, plena floracao e na fase de maturacao dos frutos, enquanto, nos frutos foram determinados na colheita. Os tratamentos com algas calcarias nao alteraram a fertilidade do solo. Entretanto, os teores foliares de P, K e Ca tiveram acrescimos com as aplicacoes de Lithothame, sendo mais acentuados na granulometria de 1200 mesh. O teor de Ca na casca e polpa dos frutos foi maior quando se aplicou o Lithothame na granulometria de 1200 mesh, obtendo teores maximos de 1,84 e 0,56 g kg-1 de Ca nas doses de 41,83 e 34,14 kg ha-1 de Lithothame, respectivamente. Esses resultados indicam efeito favoravel das algas calcarias na mangicultura, observando que os tratamentos com doses elevadas de Lithothame apresentaram efeito negativo no teor de nutrientes. A aplicacao de nitrato de Lith influenciou a producao de manga ‘Palmer’, sendo a maior produtividade alcancada no tratamento com 0,5% de nitrato de Lith. Quanto, a qualidade pos-colheita nao houve diferenca entre o tratamento com 0,5% de nitrato de Lith e 2,5% de nitrato de calcio para os teores de SS, logo o 0,5% de nitrato de Lith mantem os frutos com o mesmo sabor.
  • STELLA DA SILVA PRAZERES
  • FONTES ORGÂNICAS LÍQUIDAS APLICADAS EM LATOSSOLO AMARELO CULTIVADO COM MARACUJAZEIRO IRRIGADO COM ÁGUA SALINA
  • Data: 05/09/2016
  • Hora: 10:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • FONTES ORGANICAS LIQUIDAS APLICADAS EM LATOSSOLO AMARELO CULTIVADO COM MARACUJAZEIRO IRRIGADO COM AGUA SALINA
  • MARIA APARECIDA DA SILVA BARBOSA
  • POTENCIAL DE MINERIZAÇÃO DE CARBONO E NITROGÊNIO EM SOLOS DO SEMIÁRIDO PARAIBANO
  • Data: 31/08/2016
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • O potencial de mineralizacao da materia organica e um parametro essencial para o entendimento da dinamica do C e N no solo, principalmente, quando se enfatiza os solos do semiarido, onde sao as escassas as informacoes acerca desse fenomeno. Este trabalho teve como objetivo avaliar o potencial de mineralizacao de C e N em 26 solos do semiarido paraibano. Em colunas de incubacao, amostras respectivas a 26 solos do semiarido paraibano foram incubadas, e semanalmente ate o periodo de 121 dias, foram coletado o material lixiviado para a determinacao de C, N nitrico e amoniacal. Com bases nos valores acumulados na serie temporal, determinou-se os parametros do modelo de cinetica, estimando-se a taxa de emissao de C, e mineralizacao de N. Concluiu-se que: em condicoes favoraveis, a emissao de C-CO2 para atmosfera e mais intensa ate o 91° dia, onde a taxa de emissao encontra-se superior a 99,1%, independentemente do tipo de solo; o potencial de emissao de C-CO2 no semiarido paraibano segue a ordem: Latossolo > Vertissolo > Neossolo Regolitico > Luvissolo > Planossolo Natrico > Cambissolo > Neossolo Fluvico > Neossolo Litolico, com valores medios de 954,65, 753,46, 590,27, 546,99, 427,97, 408,36, 388,19 e 340,95 mg g-1 de solo, respectivamente; Na mineralizacao de NO3-, todos os solos tenderam a estabilizacao aos 56 (dias) de incubacao, com taxa acumulada superior 96,1%, enquanto que, o NH4+ variou entre os solos, com valores entre 59,4 e 86,1% no mesmo periodo; a taxa de emissao de C teve grande influencia dos atributos quimicos do solo, em especial a CTC efetiva, a CTC potencial, a soma de bases, e o teor de materia organica; a taxa de mineralizacao de N nao teve expressiva diferenca entre os solos.
  • CARLA RAFAELA PEREIRA DA SILVA
  • ATRIBUTOS FÍSICOS E QUÍMICOS DE SOLOS CULTIVADOS COM BANANEIRAS DO BREJO PARAIBANO
  • Orientador : DJAIL SANTOS
  • Data: 31/08/2016
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A reducao da qualidade fisica e quimica do solo atraves do manejo inadequado do solo pode acelerar a sua degradacao e o esgotamento dos recursos naturais no agroecossistema com reflexos negativos na producao agricola. Objetivou-se com este trabalho realizar o diagnostico socioeconomico do cultivo da bananeira (Musa spp. L.) e avaliar a sua influencia sobre os atributos fisicos e quimicos do solo em condicoes de campo. Para tanto, foram realizadas as seguintes abordagens: (i) Aplicacao de questionario semiestruturado para o diagnostico socioeconomico do cultivo da bananeira. Foram entrevistados 20 agricultores, em 5 comunidades rurais dos municipios de Areia e Piloes, Paraiba, Brasil (N= 150) e os dados foram avaliados atraves de analise descritiva; (ii) Amostragem de solo em 2 camadas (0-20 e 20-40 cm) e 3 posicoes de relevo (topo, meia-encosta e baixada) nas areas de cultivo de banana. Para fins de comparacao, tambem foram coletadas amostradas de solo em areas com vegetacao nativa sob dominio de Mata Atlantica. Os dados foram submetidos a analise de variancia e as medias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Com base nos resultados obtidos no diagnostico socioeconomico observou-se que as areas avaliadas se enquadram no sistema de producao de base familiar. Dentre as atividades agricolas praticadas observou-se que o cultivo da bananeira e a principal fonte de renda das propriedades estudadas. A baixa produtividade de banana nas areas de estudo pode estar relacionada com: (1) baixo nivel tecnologico empregado; (2) manejo inadequado ou inexistente de plantas daninhas, pragas e doencas; e (3) manejo inadequado do solo, principalmente em areas declivosas. Com relacao aos efeitos do cultivo da bananeira nos atributos fisicos e quimicos observou-se aumento da densidade do solo e dos teores de argila em funcao das camadas e posicoes do relevo estudadas. Entre as areas estudadas nao foram observadas diferencas significativas na camada superficial para o teor de areia, macroporosidade e microporosidade do solo, e agua disponivel. Com relacao a posicao do relevo, observou-se que na baixada houve aumento do teor de areia, porosidade total e agua disponivel, e reducao da argila. Em areas de cultivo de bananeira observou-se aumento da CTCef, CTCpH7 e da soma de bases, apesar dos baixos teores de K+, Ca+2 e Na+ e saturacao por bases. Houve tendencia de viii aumento do pH e reducao de H++Al3+, Al3+ e saturacao por aluminio do topo para a baixada nas areas sob mata; na camada superficial do solo houve aumento do pH, Ca e organico. O cultivo de bananeiras influenciou nos atributos fisicos, que favoreceram a retencao de agua do solo, nao apresentando limitacao na camada superficial.
  • FLAVIO RANGEL DOS SANTOS ALMEIDA
  • O EFEITO DA APLICAÇÃO DA ÁGUA RESIDUÁRIA NOS TEORES DE CARBONO E NITROGÊNIO EM PLANOSSOLO NÁTRICO NO SEMIÁRIDO PARAIBANO
  • Data: 31/08/2016
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A aplicacao de agua residuaria apresenta grande potencial na agricultura por ser uma fonte alternativa de agua e por fornecer nutrientes. Entretanto, as pesquisas relacionadas aos seus efeitos nas formas de C e N no solo ainda sao incipientes. Assim, a pesquisa teve como objetivo avaliar as formas de C e N de um Planossolo Natrico, com a aplicacao da agua residuaria tratada, cultivado com plantas arboreas nativas no Semiarido paraibano. O experimento foi conduzido no esquema de parcelas subdivididas com medidas repetidas no tempo e espaco, sendo duas epocas de amostragem (antes e apos aplicacao de agua residuaria) e duas camadas de amostragem (0-15 e 15-30 cm), totalizando-se quatro tratamentos, com quatro blocos. A agua residuaria foi aplicada por gotejamento uma vez por semana, na vazao de 14 L planta-1. Para analise de componentes principais (ACP), foram formados dois grupos distinguindo as epocas de aplicacao de agua residuaria e as camadas de 0-15 cm 15-30 cm. Foram analisados os seguintes atributos quimicos do solo: carbono organico total (COT), carbono soluvel em agua (CSA), carbono associado ao acido fulvico (C-AF), carbono associado ao acido humico (C-AH), carbono associado a humina (C-HU) nitrogenio total (NT), nitrato (NO3-), amonio (NH4+) e extrato alcalino (EA), e estimado as relacoes C/N, C-AF/C-AH, EA/C-HU, C-AF/COT, C-AH/COT, C-HU/CT e EA/COT. O uso de agua residuaria elevou o teor da materia organica humificada do solo, bem como os teores de N-Nitrico no solo, porem os teores de todas as variaveis analisadas nao diferiram em relacao as camadas 0-15 cm e 15-30 cm, sendo um indicativo da melhoria das propriedades quimicas do solo.
  • FLAVIO RANGEL DOS SANTOS ALMEIDA
  • EFEITO DA APLICAÇÃO DA ÁGUA RESIDUÁRIA NOS TEORES DE CARBONO E NITROGÊNIO EM PLANOSSOLO NÁTRICO NO SEMIÁRIDO PARAIBANO
  • Data: 31/08/2016
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • A aplicacao de agua residuaria apresenta grande potencial na agricultura por ser uma fonte alternativa de agua e por fornecer nutrientes. Entretanto, as pesquisas relacionadas aos seus efeitos nas formas de C e N no solo ainda sao incipientes. Assim, a pesquisa teve como objetivo avaliar as formas de C e N de um Planossolo Natrico, com a aplicacao da agua residuaria tratada, cultivado com plantas arboreas nativas no Semiarido paraibano. O experimento foi conduzido no esquema de parcelas subdivididas com medidas repetidas no tempo e espaco, sendo duas epocas de amostragem (antes e apos aplicacao de agua residuaria) e duas camadas de amostragem (0-15 e 15-30 cm), totalizando-se quatro tratamentos, com quatro blocos. A agua residuaria foi aplicada por gotejamento uma vez por semana, na vazao de 14 L planta-1. Para analise de componentes principais (ACP), foram formados dois grupos distinguindo as epocas de aplicacao de agua residuaria e as camadas de 0-15 cm 15-30 cm. Foram analisados os seguintes atributos quimicos do solo: carbono organico total (COT), carbono soluvel em agua (CSA), carbono associado ao acido fulvico (C-AF), carbono associado ao acido humico (C-AH), carbono associado a humina (C-HU) nitrogenio total (NT), nitrato (NO3-), amonio (NH4+) e extrato alcalino (EA), e estimado as relacoes C/N, C-AF/C-AH, EA/C-HU, C-AF/COT, C-AH/COT, C-HU/CT e EA/COT. O uso de agua residuaria elevou o teor da materia organica humificada do solo, bem como os teores de N-Nitrico no solo, porem os teores de todas as variaveis analisadas nao diferiram em relacao as camadas 0-15 cm e 15-30 cm, sendo um indicativo da melhoria das propriedades quimicas do solo.
  • SEBASTIANA MAELY SARAIVA DAS CHAGAS SOUSA
  • INFLUÊNCIA DO GRADIENTE PLUVIOMÉTRICO E DO MATERIAL DE ORIGEM EM ATRIBUTOS DE SOLOS DO SEMIÁRIDO PARAIBANO
  • Data: 18/08/2016
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • INFLUENCIA DO GRADIENTE PLUVIOMETRICO E DO MATERIAL DE ORIGEM EM ATRIBUTOS DE SOLOS DO SEMIARIDO PARAIBANO
  • TARCISIO SILVA DE FREITAS
  • ATRIBUTOS FÍSICOS DE SOLOS REPRESENTATIVOS DO ESTADO DA PARAÍBA
  • Orientador : FLAVIO PEREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 30/06/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • ATRIBUTOS FISICOS DE SOLOS REPRESENTATIVOS DO ESTADO DA PARAIBA
  • JOÃO MACEDO MOREIRA
  • PRODUTIVIDADE, ABSORÇÃO E ACUMULAÇÃO DE NUTRIENTES PELA PALMA FORRAGEIRA COM OU SEM ADUBAÇÃO EM UM LUVISSOLO CRÔMICO E PLANOSSOLO NÁTRICO NO SEMIÁRIDO PARAÍBANO.
  • Data: 10/06/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivo de avaliar a produção, absorção e acumulação de nutrientes de novas variedades de Palma Forrageira dos gêneros Opuntia e Nopalea, sob quatro tipos de adubação, implantadas num LUVISSOLO CRÔMICO e PLANOSSOLONÁTRICO no Semiárido paraíbano. O trabalho foi desenvolvido em condições de campo, nos anos de 2013 a 2015, nos municípios de Condado e Riachão, localizados nas Microrregiões de Patos e Curimataú Oriental do Estado da Paraíba, respectivamente. Para isso, em 2013, implantaram-se dois ensaios de campo, com área de 1,0 ha, no delineamento em blocos casualizados com os tratamentos em esquema fatorial (3×4), com quatro repetições, sendo, três variedades de Palma Forrageira Opuntia stricta, cultivar Orelha de Elefante Mexicana (POE) e Nopalea cochenillifera, cultivar Palma Miúda (PM) e Nopalea sp, cultivar Palma Baiana (PB) e quatro tratamentos de adubação: T = Testemunha, sem adubação; E = Aplicação de 20 Mg ha-1 de Esterco; EN= Aplicação de 10 Mg ha-1 de Esterco e 40 kg ha-1 de Nitrogênio e AM = Adubação Mineral, aplicação de 100; 8,73 e 82,99 kg ha-1de NPK, respectivamente. A produtividade média das três variedades no LUVISSOLO CRÔMICO (TC) de Condado e PLANOSSOLO NÁTRICO (SN) de Riachão foi 3.753 e 1.421 kg ha-1 de matéria seca (MS), respectivamente. A Eficiência fisiológica (EF) das três variedades no TC de Condado e SN de Riachão foi 1,62 e 2,36 kg kg-1 de produção de MS por unidade de nutrientes acumulado. A maior Eficiência de Recuperação (ER) de N, C, P, K, Ca e Mg foi observada no TC de Condado com resultado de 8,0%, 5,0%, 23,0%, 43,0%, 9,0% e 5,0% respectivamente. Similares resultados foram observados quanto a Eficiência de Uso de nutrientes. Após um ano de crescimento, as variedades de Palma forrageira não apresentaram evidencias de superioridade de uma variedade sobre outra, quanto à produtividade de matéria seca, teores, conteúdo de nutrientes, eficiência fisiológica, eficiência de recuperação e eficiência de uso. Os parâmetros EF, ER e EU e produtividade estiveram mais relacionados a condições edafoclimáticas, especialmente a precipitação. Os resultados obtidos na pesquisa podem favorecer a ampliação de outros estudos sobre o potencial da palma, a fim de impulsionar novas pesquisas acerca das condições edáficas e climáticas para o avanço do cultivo da palma no semiárido da Paraíba. Estudos sobre doses ideais de adubação tanto nos aspectos orgânicos como químicos e intermediários precisam ser continuados.
  • VANESSA DOS SANTOS GOMES
  • CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DE UM PLANOSSOLO NÁTRICO IRRIGADO COM ÁGUA RESIDUÁRIA NA REGIÃO SEMIÁRIDA DA PARAÍBA
  • Data: 20/05/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Em zonas áridas e semiáridas, a escassez hídrica é um fator limitante para a produção agrícola. O reúso da água residuária na agricultura pode ser uma alternativa viável, levando em consideração critérios de segurança, como a qualidade e quantidade do efluente, bem como os seus efeitos nas propriedades químicas dos solos. O presente estudo teve como objetivo avaliar as alterações nas características químicas de Planossolo Nátrico submetido à irrigação com águas residuárias (AR). O trabalho foi realizado na área experimental de reúso de água para fins florestais do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), em esquema fatorial 2 x 2, quatro tratamentos avaliando em duas épocas de aplicação, antes da implantação do experimento e após 17 meses de aplicação. As amostras de solo foram coletadas na linha de irrigação, em duas camadas (0-15 e 15-30 cm), irrigados por gotejamento com água residuária (14 L dia-1 ),com uma linha para cada plantio. Não houve diferença significativa para os valores de pH, Na+, K+, soma de bases (SB), saturação de bases (V), CTC efetiva e CTC potencial. Houve alteração significativa para os teores de matéria orgânica do solo, P, N, Ca+2 ,Mg+2, H+Al e para a relação Ca:Mg. A aplicação da água residuária pode ser uma alternativa viável para melhoria da alguns parâmetros químicos e da fertilidade do solo em zonas áridas e semiáridas, porém deve-se ter o monitoramento da qualidade da água, bem como da qualidade do solo.
  • EVALDO DOS SANTOS FELIX
  • RELAÇÃO DE PEDOAMBIENTES COM AS FORMAS CARBONO, NITROGÊNIO E FOSFÓRO EM CLASSES DE SOLO DO ESTADO DA PARAIBA.
  • Data: 19/05/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Sao escassos os estudos relacionados com a influencia do gradiente climatico, principalmente a precipitacao pluviometrica, na dinamica do C, N e P em solos do Estado da Paraiba, sendo estas informacoes primordiais para o planejamento do manejo do solo. Nesse contexto, objetivou-se avaliar a influencia do gradiente climatica nos estoques de C e N, e nas formas de C, N e P em tres ordens de solos representativos do Estado da Paraiba. Foram selecionadas oito areas considerando dois gradientes climaticos (Quente e semiumido; e Quente e semiarido) em tres ordens de solos (Planossolos Natricos, Luvissolos Cromicos e Neossolos Regoliticos). Foram avaliados os teores e os estoques de C e N mineral (NH4+ e NO3-), os teores de carbono organico particulado (COp), carbono associado a fracao silte + argila(COam), materia organica leve(MOL), e as fracoes de P (P- Al, P-Fe e P-Ca).Os teores de COp variaram entre as classes de solos e os gradientes climaticos, com maior teor no Luvissolo do clima Quente e semiarido (Cabaceiras);os de COam no Luvissolo de clima Quente e semiarido (Taperoa); os teores de MOL se comportaram de forma diferente em cada ordem de solo, em que os horizontes superficiais tiveram os maiores de teores de C, com excecao do Neossolo Regolitico do clima Quente e semiarido (Picui), enquanto que os estoques nao seguiram esse comportamento, podendo relacionar esse fato com as diferentes densidades e as espessuras dos horizontes. Em relacao os estoques de N, o comportamento foi diferente, nos Neossolos Regoliticos, os maiores estoques foram encontrados nos horizontes mais profundos, diferente dos demais, fato relacionado com a facilidade de lixiviacao apresentado por este solo, porem nos Planossolos apresentaram estoque de N maior no clima Quente e semiarido; nos Luvissolos, o maior estoque de C foi observado no clima quente e semiumido; nos Neossolos Regoliticos, os estoques de C e N foram superiores no clima quente e semiarido. Os maiores teores das fracoes de P foram encontrados no Luvissolo do clima quente e semiarido, sendo que predominou P-Al e P-Fe, isto pode estar relacionado com os baixos valores de Ca2+ e pH do solo, tendo em vista que os teores de P-Al e P-Fe sao maiores em solos mais desenvolvidos, enquanto que as P-Ca predomina em solos alcalinos, quanto as fracoes de N os teores foram considerados baixos em todos os solos e horizontes, apenas o Luvissolo do clima quente e semiarido teve maiores teores de nitrato, devido ao acumulo de materia organica proveniente da serrapilheira, Com aumento da precipitacao pluviometrica ocorre um aumento nas fracoes de P e N nos Planossolos e nos Luvissolos; o material de origem influenciou mais que a precipitacao pluviometrica.
  • KELLY DAYANE PEREIRA DA SILVA
  • INFLUÊNCIA DO ENTORNO DOS ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS NO ESTADO TRÓFICO E NA DISTRIBUIÇÃO DE DIATOMÁCEAS EM SEDIMENTOS SUPERFICIAIS
  • Data: 28/04/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho foi realizado com o objetivo de analisar o uso e a ocupacao do solo e sua relacao com a qualidade da agua, bem como avaliar a distribuicao das diatomaceas no sedimento superficial de cinco ecossistemas aquaticos e seu estado trofico (bacia hidrografica do rio mamanguape - Paraiba, Brasil). Para confeccao dos mapas de uso e ocupacao do solo foi utilizado buffer de 100 m de acordo com a Lei 12.651/2012 do Codigo Florestal. Entre setembro e novembro de 2012 foram coletadas amostras de agua e sedimento superficial com o uso de um testemunhador sedimentar adaptado. No ponto mais profundo da coluna d’agua de cada ecossistema aquatico foram medidas in situ as variaveis abioticas: temperatura, pH, oxigenio dissolvido, condutividade eletrica, solidos totais dissolvidos. Em laboratorio foram analisados carbono organico total no sedimento e fosforo total na agua (PTA) e sedimento. As classes de uso do solo (n = 5) e as variaveis abioticas (n = 9) foram relacionadas atraves de correlacao de Spearman. Os ecossistemas aquaticos de Arara I (AI), Barragem Aracagi (BA) e Barragem do Matias (BM) apresentaram comportamento oligotrofico em decorrencia dos baixos valores de PTA (17,2 μg.l-1; 20,2 μg.l-1; 21,3 μg.l-1 respectivamente). Entretanto, elevados teores de P-organico no sedimento (93,7 μg.g-1; 156,9 μg.g-1; 123,9 μg.g-1 respectivamente), alteracao na vegetacao (59,61%; 57,20%; 78,30% respectivamente) e aguas alcalinas e claras com alta condutividade. O ecossistema aquatico de Barragem Rio do Canto (BRC) foi classificado como mesotrofico (PTA= 53,3 μg.l-1), com aguas turbidas (STD = 229 mg/L), vegetacao arborea arbustiva (30,28%) e clima de luz subaquatico limitante assim como a Lagoa do Pao (LP), eutrofico. A analise estatistica nao apresentou nenhuma correlacao significativa. Foram encontrados 30 taxons, 18 generos e 14 familias de diatomaceas no sedimento. Em BM e BA o genero Aulacoseira contribuiu com elevada abundancia absoluta. A maior diversidade de diatomaceas foi observada em BRC e LP. O genero Navicula foi amplamente distribuido nos ecossistemas aquaticos, sendo o mais frequente, indicativo de ambientes turbulentos. O indice de estado trofico utilizando como subsidio o fosforo e a bioindicacao das diatomaceas inferem informacoes relevantes quanto a qualidade da agua e viii propicia acoes de gestao objetivando a recuperacao e conservacao alem de tambem atentar, a fragilidade dos ecossistemas aquaticos ao processo de eutrofizacao.
  • JARDELIO PAULO MALAQUIAS
  • ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FERTILIDADE DO SOLO, TROCAS GASOSAS E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE MELOEIRO EM NEOSSOLO REGOLÍTICO
  • Orientador : WALTER ESFRAIN PEREIRA
  • Data: 28/04/2016
  • Hora: 13:00
  • Mostrar Resumo
  • Para aumentar o cultivo do meloeiro organico, em especial na Paraiba, tem-se observado algumas dificuldades, pela falta de informacoes tecnicas em relacao ao manejo da cultura. Desta forma, objetivou-se com este experimento verificar a influencia de doses de nitrogenio, provenientes de esterco bovino e caprino sobre a fertilidade do solo, trocas gasosas, teores foliares de N, P, e K, produtividade, caracteristicas fisicas e composicao mineral do melao amarelo em Neossolo Regolitico. O experimento foi realizado nos meses julho a outubro de 2015, em um Neossolo Regolitico, utilizando o delineamento experimental em blocos casualizados, com 10 tratamentos arranjados em um fatorial 2 x 5, referente aos estercos bovino e caprino e cinco doses de N (0, 25, 50, 75, 100 kg ha-1) de cada fonte organica. As variaveis analisadas foram: pH, fosforo, potassio, sodio, aluminio, hidrogenio mais aluminio, calcio, magnesio, soma de bases; capacidade de troca cationica, saturacao por bases, materia organica do solo, a concentracao interna de CO2, condutancia estomatica, taxa de transpiracao, taxa fotossintetica, eficiencia de carboxilacao e do uso da agua, teores foliares de nitrogenio, fosforo e potassio, numero de frutos por planta, produtividade, massa media de frutos, diametro e comprimento do fruto, teores de solidos soluveis totais. Os dados foram submetidos a analise de variancia, sendo as medias dos dois estercos comparadas pelo teste F e os efeitos das doses avaliados por regressao. O teor de potassio no solo adubado com esterco caprino aumentou quadraticamente em funcao das doses de N, com valor maximo estimado em 48 kg ha-1 de nitrogenio. Nao foi verificado efeito das doses de N sobre os teores de sodio, carbono, materia organica, soma de bases e capacidade de troca cationica. O esterco caprino como fonte de N em algumas doses, proporcionou os maiores teores de sodio, carbono, materia organica, soma de bases e capacidade de troca cationica no solo. As doses de esterco, independentemente da fonte, elevaram a taxa de transpiracao (E), taxa de fotossintese (A) e a eficiencia de carboxilacao (A/Ci) e diminuiram a concentracao interna de CO2. xiv O esterco bovino proporcionou maiores teores foliares de nitrogenio, fosforo e potassio nas plantas e supriu-as nutricionalmente de forma adequada, em comparacao com o esterco caprino. O numero de frutos por planta, a produtividade, o diametro e comprimento dos frutos aumentaram em funcao das doses aplicadas de nitrogenio, tendo como fonte os estercos bovino e caprino. Na maioria das variaveis, o uso do esterco bovino permitiu obter melhores resultados. O teor de solidos soluveis do fruto do melao adubado com esterco caprino aumentou linearmente com o aumento das doses de nitrogenio.
  • RAFAEL MACHADO DE ARAUJO ALVES
  • ESTADOS ALTERNATIVOS DE EQUILIBRIO EM DOIS LAGOS RASOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MAMANGUAPE E RELAÇÃO COM O USO E COBERTURA DO SOLO
  • Data: 28/04/2016
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os lagos rasos constituem ecossistemas suscetiveis a multiplos impactos, entre eles a eutrofizacao, muitas vezes artificial, associada ao crescimento populacional e industrial desordenado. O trabalho possui como objetivos a i) caracterizar a relacao do uso e cobertura do solo com os estados de aguas claras e turbidas em dois lagos na Bacia do Mamanguape e a ii) avaliar os efeitos (diretos e indiretos) das variaveis abioticas sobre percentual valor de infestacao de macrofitas (PVI) e biomassa de fitoplancton nos lagos do Pao e Santa Lucia. Foram realizadas coletas mensais entre janeiro e junho de 2015, das variaveis bioticas e abioticas, em tres pontos de amostragem em cada lago. O uso e cobertura do solo foram determinados atraves de imagens de satelites e tecnica de interpretacao visual. Para avaliar os efeitos diretos e indiretos entre as variaveis bioticas e abioticas em Santa Lucia e o Pao, nos usamos uma analise de trilha, modelo de minimos quadrados parciais (PLS-PM). O lago Pao manteve-se eutrofico e com baixa transparencia ao contrario de Santa Lucia, oligotrofica e de aguas claras durante todo periodo. O estado avancado de eutrofizacao do Pao esta associado a elevada contribuicao de fontes difusas de esgoto, sendo 37,63% de sua area marginal classificada como urbana/construida, diferente do Lago Santa Lucia, no qual essa classe ocupa apenas 2,43%. Os lagos possuem estados alternativos distintos, Santa Lucia com aguas claras e presenca de macrofitas submersas e o Pao com aguas turbidas e presenca de cianobacterias. O modelo apresentou, em Santa Lucia, como a variavel de maior influencia direta no PVI e biomassa de fitoplancton o fosforo total na agua seguido do fosforo total do sedimento. No Pao destacamos o efeito direto do fosforo total da agua na biomassa de fitoplancton, seguido do efeito da precipitacao e velocidade do vento sobre a zona eufotica e fosforo total no sedimento, corroborando o resultado encontrado, onde existe mais fosforo disponivel na coluna d’agua (181,83 μg.L-1) que no sedimento (39,47 μg.g-1). Estes modelos se na geracao de novas hipoteses sobre os ambientes. Medidas de preservacao e qualidade na gestao sao necessarios a fim de preservar os recursos hidricos.
  • FRANCISCO CARDOSO SIMÃO JUNIOR
  • AVALIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS ALTERNATIVAS NO CONTROLE DA EROSÃO HIDRICA
  • Orientador : MANOEL BANDEIRA DE ALBUQUERQUE
  • Data: 30/03/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • As perdas de solo acontecem de forma natural, porem sao potencializadas por acoes antropicas, ocasionando problemas como perda de fertilidade dos solos, e assoreamento. Quantificar estas perdas e importante para definir estrategias para um melhor uso e manejo do solo. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o uso de estrategias ecologicas no controle da erosao. O experimento foi realizado em cinco areas de agroecossistemas familiares no brejo paraibano, onde as areas A1, A2, e A3 localizavam-se no sitio Carrapato, e as areas A4 e A5 no Assentamento Socorro municipio de Areia-PB, de maio a setembro de 2015. O delineamento experimental foi em esquema de parcelas subdivididas dispostas em blocos casualizados com arranjo fatorial 5 x 5, sendo os fatores constituidos por 5 periodos de avaliacao (maio, junho, julho, agosto, setembro) e 5 metodos de cobertura inicial da parcela (saco de nylon +Brachiaria decumbens + feijao guandu), (Tela + palha capim elefante + B. decumbens + feijao guandu), ( Tela + palha da bananeira + Brachiaria decumbens + Feijao Guandu), (feijao guandu + B. decumbens + sem cobertura) e a testemunha, com 5 repeticoes (Areas), totalizando 5 tratamentos em 25 unidades experimentais. Os resultados dos dados mostraram uma precipitacao total local de 890 mm em 150 dias de monitoramento. Quantificaram-se as perdas de solo por erosao em todas as parcelas. Nos resultados da cobertura vegetal constatou-se que as porcentagens foram obviamente menores nos tratamentos, T4 e T5, onde nao foi utilizado a palhada. No entanto, no tratamento T1, a cobertura vegetal foi inferior aquela no T2 e T3. Observa-se que nao existiu diferenca significativa no T1 avaliando os meses de maio, junho, e julho com medias de perda de solo de 0,849 t ha-1 1 t ha-1 e 0,540 t ha-1 respectivamente, ou seja, um menor controle da erosao nos meses de agosto, e setembro com medias 0,248 t ha-1; e 0,760 t ha-1 considerando a cobertura sintetica com saco de nylon, e diminuicao das chuvas. A maior perda de solo foi no mes de junho com valor de 3,029 t ha-1 onde nao foi utilizada a cobertura vegetal. Conclui-se que as maiores perdas de solo e carbono foram nas parcelas desprovidas da palhada. O tratamento onde foi utilizada a palha da bananeira junto a tela de polipropileno e as culturas implantadas promoveu um melhor controle da erosao. Devido ao custo baixo, rapida cobertura vegetal, facil instalacao, e as culturas implantadas, pode ser recomendada o uso de estrategias ecologicas no controle de erosao.
  • BEGNA JANINE DA SILVA LIMA
  • COMPOSTO ORGÂNICO A BASE DE Pistia stratiotes L. NOS ATRIBUTOS QUÍMICOS DE DUAS CLASSES DE SOLO NA CULTURA DO ARROZ VERMELHO
  • Orientador : MANOEL BANDEIRA DE ALBUQUERQUE
  • Data: 30/03/2016
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • Muitos cursos e reservatorios de agua recebem parte dos fertilizantes utilizados na agricultura e carga de esgotos residenciais e industriais, contribuindo para uma rapida multiplicacao da vegetacao aquatica a niveis indesejaveis. Uma forma apontada como alternativa de descarte destas plantas e o aproveitamento delas como adubo organico. Diante disso, objetivou-se com este trabalho, avaliar a qualidade de composto organico a base de Pistia stratiotes L. constituido em diferentes proporcoes com esterco bovino e terra vegetal. Os tratamentos foram compostos de seis (6) proporcoes: 1 - (70:30:0); 2 - (62:18:20); 3 - (100:0:0); 4 - (80:11:9); 5 (80:0:20) e 6 (54:30:16), em relacao percentual (v/v) de Pistia estratiotes L., esterco bovino e terra vegetal, respectivamente, em delineamento em blocos casualizados, com quatro repeticoes. Apos um periodo de 120 dias, as leiras foram medidas para mensurar a reducao de volume, posteriormente foram coletadas amostras para realizar as analises de: pH; teores de N, P e K total e a caracterizacao e quantificacao dos teores de C nas substancias humicas. Os resultados demonstraram que: A temperatura interna das leiras manteve-se abaixo do considerado ideal; estas apresentaram um excelente percentual de reducao; A compostagem produzida apresentou elevados teores de N, P e K em todas as proporcoes estudadas; e A proporcao mais adequada para compostagem foi 70% de macrofita + 30% de esterco. Concluindo que a utilizacao da Pistia stratiotes L, como adubo organico, por meio do processo de compostagem, e uma alternativa viavel, reduzindo de forma gradual a biomassa acumulada em corpos d’agua.
  • FABIANA DONATO SOARES LISBOA
  • USO DE GEOTECNOLOGIAS NA CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-AMBIENTAIS E USO E OCUPAÇÃO DO SOLO DA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO FARINHA
  • Data: 21/03/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A utilizacao de tecnicas de sensoriamento remoto e geoprocessamento para as analises ambientais, aliado com novas metodologias a serem aplicadas, tem se tornado uma pratica frequente entre as areas de pesquisa, contribuindo de modo expressivo para a rapidez, eficiencia e confiabilidade nas analises que envolvem os processos e vem se tornando pecas fundamentais para caracterizacao de uma regiao. A pesquisa foi desenvolvida tendo como apoio metodologico os produtos cartograficos, que teve como objetivo estudar a morfometria e analisar a evolucao temporal do uso do solo na Bacia hidrografia do Rio Farinha, utilizando tecnica de sensoriamento remoto, constituindo-se numa etapa importante dentro do estudo geomorfologico, pois pode explicar sobre os processos e a dinamica da area. As caracteristicas da bacia do Rio Farinha foram extraidos dos mapas tematicos gerados e imagens de satelite, obtidas dos satelites Landsat 5 TM e Landsat 8 OIT, resultando em indices que relacionam os dados obtidos e a comparacao da cobertura do solo no periodo de 1994 e 2015. Os resultados demonstram que a Bacia, apresenta menor tempo de concentracao das aguas precipitadas e nao esta sujeita a processos de enchentes devido a sua forma, o que favorece o escoamento, retratados pelo coeficiente de compacidade de 2,03 e fator forma de 0,24. Foi possivel analisar a evolucao do processo degradativo, podendos estimar uma a perda de 21% da vegetacao densa ao longo dos 21 anos, confirmado pela situacao atual, atraves da classificacao das imagens.
  • PETRUS LUIZ DE LUNA PEQUENO
  • FUNÇÕES DE PEDOTRANSFERÊNCIA PARA ESTIMATIVA DE RETENÇÃO DE ÁGUA EM SOLOS DA MESORREGIÃO DO AGRESTE PARAIBANO
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O conhecimento das propriedades hidraulicas do solo e importante para o estabelecimento de boas praticas agricolas. A retencao de agua no solo estimada a partir de modelos matematicos gerados para diferentes condicoes edafoclimaticas nao tem apresentado bons resultados de estimativa. Nesse sentido, os objetivos do presente estudo foram: I) Avaliar os atributos fisicos e adicionalmente quimicos em seis classes de solos da Mesorregiao do Agreste do estado da Paraiba (PB); II) desenvolver banco de dados individuais e unificado para estabelecer, testar e validar funcoes de pedotransferencia (FPT) capazes de estimar a retencao de agua nos solos na camada de 0-20cm. Foram estudadas as classes de solo: Latossolo Amarelo Distrofico argissolico (LA), Argissolo Vermelho Eutrofico abrupto (Pve), Argissolo Vermelho Distrofico abruptico (PVd), Neossolo Quartzarenico Ortico tipico (RQ), Neossolo Litolico Eutrofico tipico (RL) e Planossolo Haplico Eutrofico vertissolico (SX), ambas componentes do banco de solos representativos do estado da Paraiba. No primeiro capitulo, em cada classe de solo foram coletadas amostras indeformadas de solo para estudo dos atributos fisicos de porosidade do solo (total, macro e microporosidade), estabilidade de agregados, densidade do solo, curva de retencao de agua nas tensoes -0,006, -0,01, -0,033; -0,1; -0,3; -0,5; -1,0; -1,5 MPa e condutividade hidraulica do solo saturado, alem de amostras deformadas para determinacao dos atributos granulometria, argila dispersa em agua, grau de floculacao, densidade de particula, alem dos parametros quimicos do solo (K+, Na+, Ca+2, Mg+2, Al+3 e carbono organico total). No segundo capitulo, com os dados obtidos dos atributos fisicos e quimicos, foram desenvolvidos um banco de dados para cada classe de solo e um banco de dados unificado (reunindo os dados das seis classes de solos). As variaveis componentes de cada FPT foram selecionadas atraves do metodo Stepwise e tiveram suas respectivas eficiencias preditivas analisadas atraves dos indicadores estatisticos coeficiente de determinacao (R²), erro medio da estimativa (ME) e raiz quadrada do erro medio (RMSE). Adicionalmente foram testadas outras funcoes/modelos ja existentes na literatura e determinadas sob diferentes condicoes. No primeiro estudo a fracao areia predominou em todos os solos, onde a estabilidade dos agregados, representada pelo IEA, mostrou-se dependente dos teores de argila e materia organica, alem de sofrerem influencia dos teores de Ca e Mg trocaveis. A estrutura e textura dos solos influenciaram na retencao de agua nas diferentes tensoes, verificando a pouca influencia da tensao -0,033 MPa como ponto de capacidade de campo. A tensoes -0,006 e -0,01 MPa apresentaram melhor a capacidade de campo, bem como, contribuiram para um maior volume de agua disponivel em todos solos. No segundo estudo, houve influencia positiva dos parametros estruturais na acuracia das FPT para todas as classes de solos estudadas e principalmente nos potenciais matriciais mais elevados; A heterogeneidade provocada pela uniao dos bancos de dados individuais gerados na composicao das FPT proporcionou reflexo positivo na melhoria da acuracia e da capacidade preditiva de todas as FPT em todos os potenciais matriciais; As funcoes de pedotransferencia obtidas da literatura apresentaram baixa capacidade preditiva para as condicoes edafoclimaticas da Mesorregiao do Agreste da Paraiba.
  • JOÃO BATISTA BELARMINO RODRIGUES
  • ESTADO NUTRICIONAL DO ABACAXIZEIRO ‘PÉROLA’ ADUBADO COM NPK E ENXOFRE
  • Data: 29/02/2016
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Apesar de importantes, inexistem informacoes basicas sobre adubacao e nutricao mineral, a exemplo de curvas de resposta e niveis criticos, para o abacaxizeiro „Perola‟ nos principais municipios produtores do Estado da Paraiba. Objetivou-se com este trabalho avaliar os efeitos da aplicacao de doses de N, P, K e S sobre o estado nutricional, e estabelecer os niveis criticos foliares dos respectivos nutrientes, para o abacaxizeiro „Perola‟ cultivado em Argissolo no municipio de Itapororoca, PB. O experimento foi conduzido em condicoes de sequeiro, entre dezembro de 2014 e dezembro de 2015, em delineamento de blocos casualizados com 26 tratamentos e tres repeticoes. Os tratamentos foram arranjados numa Matriz Experimental Plan Puebla III modificada, e resultaram da combinacao entre cinco doses de N (50, 300, 500, 700 e 950 kg/ha - ureia), cinco doses de K (50, 300, 500, 700 e 950 kg/ha K2O – sulfato de potassio), cinco doses de P (20, 120, 200, 280 e 380 kg/ha P2O5 - MAP) e cinco doses de S (20, 120, 200, 280 e 380 kg/ha – sulfato de potassio). Utilizaram-se mudas tipo „filhote‟ da cultivar Perola plantadas em sistema de fileiras duplas, no espacamento de 0,80 x 0,40 x 0,40 m. Foram determinados na epoca de inducao floral (345 dias apos o plantio dap) as seguintes variaveis: massa da materia fresca da folha „D‟(MMF); teores e acumulos de N, P, K e S na folha „D‟; valores de pH e teores de P, K, S e materia organica no solo (0-20 cm). Alem de estimados os niveis criticos foliares de N, P, K e S. Pelos resultados, verificou-se que o aumento das doses de N acidificou o solo, mas nao influenciou, assim como as doses de P, K e S, os teores de materia organica; contudo, os teores de P, K e S no solo aumentaram com as doses dos respectivos nutrientes. As doses de N, P, K e S aumentaram a massa da materia fresca da folha „D‟, embora as respostas para P e S foram condicionadas as doses de N e K, respectivamente. As doses de N e K aumentaram os teores de N e K e os acumulos de N; no entanto, as doses de N diminuiram os acumulos de K. Os teores de P aumentaram com as doses de N e K, enquanto que os acumulos foram incrementados com as doses de P e S. As doses de xiv nutrientes nao influenciaram o estado nutricional da planta quanto ao S. Os niveis criticos foliares de N, P, K e S encontrados para o abacaxizeiro „Perola‟ foram de 17,3; 0,94; 34,9 e 1,5 g/kg, respectivamente.
  • VICTOR JUNIOR LIMA FELIX
  • Desenvolvimento de mudas e aptidão edafoclimática da cultura da mangabeira para o estado da Paraíba
  • Data: 23/02/2016
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Solos de Tabuleiros Costeiros, geralmente arenosos e de baixa fertilidade, são onde ocorre naturalemente as maiores populações de mangabeira. A mangabeira é uma frutífera nativa do Brasil, de grande importância, sobre tudo, na Nordeste, possuindo grande aceitação no mercado agroindustrial e necessidade de maiores estudos para sua difusão e preservação. Face o exposto, este trabalho teve por objetivo avaliar o desenvolvimento de mudas de mangabeira, sua aptidão edáfica e climática, gerando um zoneamento pedoclimático para o estado da Paraíba. Para isto, foi conduzido um experimento em estufa no departamento de Fitotecnia e Ciências Ambientais (CCA/UFPB), e foram utilizados como tratamentos 11 solos representativos do estado da Paraíba que compõe o Banco de Solos do Departamento de Solos e Engenharia Rural (CCA/UFPB), mais o solo coletado na área do pomar nativo da mangabeira servindo como testemunha. Dessa forma, após a germinação de sementes de mangabeira e desenvolvimento do 3º par de folhas das plantas em bandejas, estas foram transferidas para vasos contendo os respectivos tratamentos. Ao longo do experimento, foram avaliadas a altura da planta, o diâmetro do caule e número de folhas, e aos 165 dias, foi calculada a área foliar e produção de matéria seca da parte aérea, raiz e total e realizada análise foliar. A partir do desempenho das mudas nos diferentes solos foi gerado um mapa com a aptidão pedologica para a mangabeira na Paraíba, e atráves das informações climaticas disponíveis e exigências da mangabeira, foi possível produzir o mapa pedoclimático para a mangabeira. Observou-se grande variação no desempenho das mudas em resposta aos diferentes solos ao longo do tempo de avaliação, onde os valores mais altos para as variáveis de crescimento foram obtidos no Argissolo Vermelho-Amarelo, Argissolo Vermelho eutrófico e Argissolo Amarelo aos 165 dias após o transplantio. De acordo com a Análise de Componentes Principais (ACP) realizada, o aumento do P e Prem, bem como do teor de silte/argila e densidade de particula do solo diminuiu o diâmetro do caule, altura da planta, número de folhas, área foliar e massa seca total das mudas e o zoneamento pedoclimático para a cultura da mangabeira no estado da Paraíba indicou uma área de 8.155,17 km² (14,43%), consideradas preferenciais, porém faz-se necessário verificar as condições físicas desses solos em profundidades maiores para o cultivo.
  • LÉA CRISTINA DE MEDEIROS
  • DINÂMICA DO NITROGÊNIO E POTÁSSIO NOS RESÍDUOS CULTURAIS DO MILHO SUBMETIDO À ADUBAÇÃO MINERAL
  • Data: 17/02/2016
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Ao final do cultivo, o agricultor tem a sua disposicao expressiva em quantidade de residuos culturais, nao raros, chegando a um volume duas ou tres vezes maior que o produto de interesse economico (grao, fruto, fibra etc.). Objetivou-se avaliar a velocidade de decomposicao e liberacao de N e K de residuos da cultura do milho (Zea mays) submetido a adubacao nitrogenada e potassica em um Latolosso Vermelho Amarelo. Os experimentos de adubacao e de cinetica de decomposicao foram conduzidos nos anos de 2014 e 2015, respectivamente, na area experimental Cha-de-Jardim pertencente ao CCA/UFPB, no municipio de Areia-PB. O experimento de adubacao foi montado seguindo um delineamento experimental em blocos casualizados, com 11 tratamentos e 5 repeticoes, os quais foram dispostos utilizando-se a matriz exponencial Plan Puebla III, onde se definiram as doses para N (5; 30; 50; 70 e 95 kg ha -1) na forma de ureia, e para K (4; 24; 40; 56 e 76 kg ha -1) na forma de KCl, acrescido de uma testemunha absoluta (sem adubacao) totalizando onze tratamentos. Foram utilizadas bolsas de decomposicao (litter bags), as quais foram instaladas contendo residuos agricolas de milho (caule, folha, palhada). A cada intervalo de 30 dias apos a instalacao, foi realizada a amostragem de uma bolsa por parcela, totalizando 5 amostragens (30, 60, 90, 120, 150 dias). Tanto para a analise de variancia quanto para a estimativa dos parametros da equacao exponencial, foi utilizado o pacote estatistico SAEG versao 9.1. A produtividade da biomassa do milho em resposta a adubacao nitrogenada (N) e potassica (K) no ano de 2014 apresentou efeito significativo nos diferentes compartimentos da planta. Houve reducao de 30,5 % da biomassa do residuo de milho, apos 30 dias de incorporacao ao solo. O estado nutricional da planta refletiu na velocidade de decomposicao de seus residuos no solo.
  • RUMMENIGGE DE MACÊDO RODRIGUES
  • ATRIBUTOS EDÁFICOS DE AMBIENTES INVADIDOS POR Cryptostegia madagascariensis Bojer ex Decne. E CRESCIMENTO INICIAL EM CONDIÇÕES DE SODICIDADE DO SOLO
  • Data: 09/02/2016
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • ATRIBUTOS FISICOS DE SOLOS INVADIDOS POR Cryptostegia madagascariensis Bojer ex. Decne. NO SEMIARIDO DO ESTADO DO CEARA RESUMO A invasao biologica constitui uma das principais causas da degradacao dos ecossistemas em todo o mundo. Na regiao Nordeste, os impactos negativos causados pela especie africana Cryptostegia madagascariensis tem gerado preocupacao, especialmente no estado do Ceara, onde e encontrada habitando diferentes classes de solo. Neste sentido, este trabalho foi desenvolvido com objetivo e caracterizar quanto aos atributos fisicos solos invadidos por C. madagascariensis no estado do Ceara, visando identificar relacao com a presenca da invasora. Amostras de solos foram coletadas em quatro classes de solo: Planossolo Haplico, Neossolo Regolitico, Vertissolo Hidromorfico e Neossolo Fluvico, sendo cada classe constituida por dois ambientes, um invadido por C. madagascariensis, denominado ambiente invadido e outro ocupado pela vegetacao nativa, denominado ambiente nao invadido. Em cada ambiente foram obtidas amostras compostas de solo em quatro profundidades (0-5; 5-10; 10-20 e 20-30 cm), nas quais se analisou os atributos fisicos areia total, silte, argila, umidade gravimetrica, argila natural, grau de floculacao, porosidade total, densidade do solo e resistencia do solo a penetracao. Os dados foram submetidos a analise de variancia em parcela subsubdividida. As classes de solo foram estudadas na parcela, os ambientes (invadido e nao invadido) na subparcela e, na subsubparcela foram estudadas as profundidades. As medias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Observou-se que C. madagascariensis ocorre em solos com maiores teores de argila, as areas invadidas expressam maior umidade, maior porosidade, menor densidade do solo e sao mais resistentes a penetracao do que os solos dos ambientes nao invadidos, 4,5 contra 3,1 Mpa. Os solos estudadas apresentaram ampla variacao textural, sendo a variabilidade deste e de outros atributos fisicos relacionada com a pedogenese de cada classe de solo. A umidade do solo talvez seja o principal atributo fisico que permitiu o estabelecimento da especie e, por fim, as condicoes fisicas encontradas permitem que as populacoes de Cryptostegia madagascariensis completem seu ciclo de vida e avancem no processo invasivo dispersando-se para novos ambientes.
2015
Descrição
  • LEONARDO BEZERRA DE MELO TINOCO
  • ADUBAÇÃO ORGÂNICA EM SETE CLASSE DE SOLO DO SEMIÁRIDO DA PARAÍBA PARA O CULTIVO DE VARIEDADES DE PALMA FORRAGEIRA
  • Data: 09/12/2015
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • ADUBAÇÃO ORGÂNICA EM SETE CLASSE DE SOLO DO SEMIÁRIDO DA PARAÍBA PARA O CULTIVO DE VARIEDADES DE PALMA FORRAGEIRA
  • ADRIANA FERREIRA MARTINS
  • Inter-relações entre atributos de solos sob diferentes coberturas vegetais no núcleo de desertificação do Seridó
  • Data: 23/11/2015
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Inter-relações entre atributos de solos sob diferentes coberturas vegetais no núcleo de desertificação do Seridó
  • FABIANA DO NASCIMENTO SANTOS
  • QUALIDADE DO SOLO EM CULTIVOS CONSORCIADOS DE FAVA EM AGROECOSSISTEMAS FAMILIARES NO AGRESTE DA PARAÍBA
  • Data: 12/11/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os sistemas de cultivo podem causar mudancas significativas nos atributos do solo. Em razao disso, os efeitos do manejo sobre a qualidade do solo em areas onde a vegetacao natural foi substituida por culturas anuais, tem recebido atencao e estudos. O objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade do solo em sistemas de producao de fava (Phaseolus lunatus) em agroecossistemas familiares sob diferentes tempos de cultivo, em duas classes de solo. A pesquisa foi desenvolvida em areas com cultivo de fava em sistemas de producao diversificados, situadas nos municipios de Areia (Argissolo) e Queimadas (Vertissolo), na microrregiao do Agreste da Borborema, estado da Paraiba. O primeiro capitulo constou de um diagnostico socioeconomico da producao de fava realizado por meio de entrevista semiestruturada com os agricultores familiares de quatro municipios na microrregiao. A analise dos dados foi efetuada atraves da analise descritiva. O metodo de avalicao da qualidade do solo constituiu na determinacao de atributos quimicos, fisicos e biologicos em laboratorio de amostras coletadas nas camadas de 0-5, 5-10 e 10-20 cm. Em cada classe de solo, o Indice de Qualidade do Solo (IQS) foi obtido a partir dos desvios dos atributos do solo nos diferentes sistemas de producao em relacao ao solo da area com vegetacao nativa. Dos agricultores entrevistados, 100% cultivam a fava em sistema de consorcio, principalmente com milho, 50% cultivam mais de cinco ciclos de fava na mesma area, 82% fertilizam o solo com a incorporacao de restos culturais e de esterco bovino via pastejo. A fava e cultivada exclusivamente em agroecossistemas familiares na microrregiao estudada. Nos dois solos avaliados, e nos sistemas de producao amostrados, o IQS variou de ruim ( 0,50 < 0,70). O indice de qualidade do solo foi eficiente em refletir as alteracoes nos atributos de solo avaliados nos sistemas de producao, em comparacao a area nativa, podendo ser utilizado para monitorar a sustentabilidade dos sistemas de producao de fava.
  • FRANCISCO ABRANTES ESTRELA
  • PROPRIEDADES FÍSICAS DE SUBSTRATOS CONTENDO FIBRA DE BANANEIRA E PRODUÇÃO DE MUDAS DE MAMOEIRO
  • Data: 31/08/2015
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A regiao Nordeste e a maior produtora de mamao do Brasil, com o qual e de grande importancia a formacao de mudas, utilizando materiais de qualidade para producao de substratos que possuam caracteristicas fisicas e quimicas ideais. Objetivou se com isto, avaliar as propriedades fisicas de substratos contendo fibra de bananeira na producao de mudas de mamoeiro. O experimento foi instalado em casa de vegetacao no delineamento em blocos ao acaso, com quatro repeticoes. Os tratamentos compreenderam sete composicoes de substratos constituidos de terra vegetal nas proporcoes de 42 a 100 %, vermicomposto de minhoca nas proporcoes de 0 a 40% e fibra do pseudocaule da bananeira de 0 a 30%. A unidade experimental foi constituida de cinco sacos de polietileno com cinco mudas. Foram avaliadas as propriedades fisicas dos substratos, enquanto que nas mudas foram avaliados o indice de velocidade de emergencia, emergencia, altura e diametro da muda, taxa relativa de crescimento em altura e diametro area foliar, teor de clorofila, massa da materia seca, e os teores foliares de N, P e K. Os resultados foram submetidos a analise de variancia e de regressao, apropriadas para experimento com misturas. Os valores minimos de densidade seca e maximos estimados, para porosidade total espaco de aeracao e minimo agua remanescente e os valores maximos estimados para indice velocidade emergencia e percentagem de emergencia altura, diametro caule e taxa relativa de crescimentos em altura da mudas, area foliar, massa da materia seca da folha, da raiz, e total foram obtidos com 42% de terra vegetal, 30% de fibra de bananeira e 28% de humus de minhoca.
  • ADRIANA DE FÁTIMA MEIRA VITAL
  • COEFICIENTES DE PRODUÇÃO DO MILHETO [Pennisetum glaucum (L.) R. Br.] SOB DIFERENTES FONTES DE ADUBAÇÃO ORGÂNICA
  • Data: 17/07/2015
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Coeficientes de produção do milheto [Pennisetum glaucum (L.) R. Br.] sob diferentes doses de adubação orgânica
  • ALEX MATHEUS REBEQUI
  • Dinâmica da água, do carbono e da produtividade em encosta sob pastagem
  • Data: 04/05/2015
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O manejo inadequado de pastagens associado a acao de processos erosivos em areas de encostas, tem reduzido a capacidade produtiva do solo em poucos anos de uso, dando origem, a diferencas marcantes na producao e no valor nutritivo do pasto em diferentes posicoes na paisagem do relevo. Nesse sentido, foi realizado um estudo observacional, com o objetivo, de avaliar a quantidade da agua de chuva armazenada, util e escoada no solo (Capitulo I), a producao de serrapilheira, a atividade biologica do solo (Capitulo II) e a producao e absorcao de nutrientes pelo pasto (Capitulo III) em encostas sob pastagem nas posicoes do ombro, meia encosta e pedimento durante um periodo chuvoso. O trabalho foi realizado em duas encostas na microbacia hidrografica de Vaca Brava-PB, classificadas de acordo com as caracteristicas do relevo e da pastagem, em encosta 1 e em encosta 2. O armazenamento de agua foi avaliado semanalmente, em camadas de 10 cm de profundidades do solo, utilizando tubos de acesso e uma sonda de capacitancia, enquanto, dados de precipitacao foram obtidos numa estacao meteorologica automatizada entre as areas de estudo. A producao de materias seca de serrapilheira (MSS) foi avaliada mensalmente pelo metodo do anel, enquanto, o carbono da biomassa microbiana (C-BMS) foi obtido semanalmente por fumigacao e extracao, e o efluxo de C-CO2 obtido semanalmente por camaras estaticas. Ja a producao e o conteudo de nutrientes no pasto foram obtidos durante oito meses por gaiolas de exclusao. De acordo com os resultados, a encosta 2, possui maior capacidade de armazenamento de agua, maior quantidade de agua util, menor perda de agua por escoamento, maior perda de agua por evapotranspiracao, maior producao de serrapilheira, menor teor de C-BMS, menor efluxo de C-CO2 e menor producao de pasto, em comparacao, com a encosta 1. Entre as posicoes, na camada de 0-40 cm de profundidade no ombro e na meia encosta verificou-se maior armazenamento de agua, menor quantidade de agua util, menor perda por escoamento e maior perda de agua por evapotranspiracao, enquanto, o pedimento tem menor capacidade de armazenamento, maior quantidade de agua util, maior perda por escoamento e menor perda de agua por evapotranspiracao do solo. A producao de MSS na encosta 2 foi maior no pedimento, seguido pelo ombro e da meia encosta, enquanto, na encosta 1 a maior producao foi apenas no pedimento. No solo, o teor de C-BMS foi constante durante o periodo chuvoso, enquanto o efluxo de C-CO2 aumentou linearmente independentemente da encosta e da posicao. Os maiores teores de C-BMS foram obtidos no ombro da encosta 1 e no ombro e no pedimento da encosta 2, enquanto, o menor teor de C-BMS, quociente microbiano, efluxo de C-CO2 e materia seca de serrapilheira foi obtido na meia encosta 2. Ja a maior producao e o conteudo de NPK no pasto nas duas encostas foram no pedimento, seguido pelo ombro e a meia encosta. De modo geral, o pedimento nas duas encostas foi a posicao com maior dinamica de producao e absorcao de nutrientes pelo pasto, devido a maior disponibilidade de agua util no solo ao longo do tempo associada a deposicao de nutrientes, removidos das posicoes mais altas para as mais baixas da encosta durante o fluxo de agua. Ja a meia encosta foi a posicao menos produtiva da encosta e com maior susceptibilidade a degradacao.
  • CRISTIANO DOS SANTOS SOUSA
  • Caracterização física, química e mineralógica do solo de encostas sob diferentes sistemas de uso
  • Data: 31/03/2015
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O solo e um dos recursos naturais mais explorados no mundo, principalmente devido a atual necessidade de producao de alimentos. Entretanto, o uso de praticas agricolas de maneira equivocada acarreta na degradacao de suas propriedades, principalmente em areas de relevo acidentado. Desse modo a pesquisa teve como objetivo principal avaliar as propriedades quimicas, fisicas e mineralogicas do solo em diferentes posicoes na encosta, em solos sob o uso de Agricultura, Pastagem e Mata-nativa, no municipio de Areia-PB, na Microrregiao do Brejo Paraibano. Foram coletadas amostras em 18 (dezoito) pontos nas areas de agricultura e pastagem, e 6 (seis) pontos na area de mata-nativa, em tres posicoes do relevo (Terco Superior, Terco Medio e Terco Inferior) e em tres profundidades (0-10, 10-20 e 20-40 cm), entre Janeiro e Junho de 2014. As amostras foram submetidas a analises de textura do solo, atributos fisicos e quimicos, e analises de Fluorescencia e Difracao de Raios-X para as caracterizacoes de oxidos totais e mineralogia. Os ensaios foram realizados no Laboratorio de Fisica do Solo do Departamento de Solos e Engenharia Rural – DSER/UFPB/Campus II, no Laboratorio Lab-Sede de Quimica Analitica do Instituto Nacional do Semi-Arido – INSA e nos Laboratorios de Tecnologia de Novos Materiais (LTNM) do Instituto UFPB de Desenvolvimento do Estado da Paraiba e de Solidificacao Rapida do Centro de Tecnologia da Universidade Federal da Paraiba (Campus I). Na composicao mineralogica das amostras da area de agricultura foi evidenciada a predominancia de minerais primarios como o Quartzo, corroborando com a classificacao textural do solo da area. Na area de Mata, a composicao mineralogica mostrou-se homogenea, com o predominio de Quartzo e ocorrencia de Caulinita e Goetita em todos os pontos coletados, enquanto a area de pastagem e composta basicamente por quartzo, caulinita e feldspato. Nas analises fisicas foram observadas texturas arenosa, argilosa e arenosa, nas areas do uso de Agricultura, Mata e Pastagem, respectivamente. De acordo com os resultados dos atributos quimicos, a area de Agricultura apresentou os um aporte maior de nutrientes, com destaque para os teores de P no solo na posicao de Terco Inferior (101,50 mg dm-3), evidenciando o efeito do transporte de material na encosta e nao diferindo quanto as profundidades (91,53a, 87,38a e 76,23a mg dm-3, respectivamente). A area de Mata apresentou maior parte dos nutrientes concentrados na profundidade de 0-10 cm e maior acidez dentre as areas avaliadas, porem quase nenhum efeito relativo as posicoes na encosta. A area de Pastagem teve maiores teores de Ca2+ (1,03a cmolcdm-3) e K+ (0,23a cmolcdm-3) na posicao do terco inferior e maior concentracao de P na posicao de Terco Superior (43,10a mg dm-3). Na analise de teores de oxidos totais observou-se que os teores de P2O5 da area de Agricultura foram maiores nas profundidades mais superficiais, bem como na posicao de Terco Inferior (0,45; 0,42 e 0,36%, nas respectivas profundidades). Na area de Mata observou-se maiores teores de Al2O3 quando comparados com as demais areas, enquanto a area de pastagem apresentou teores de oxidos proximos aos resultados da area de Agricultura.
  • MIRIAM ALICE DA SILVA BREHM
  • “Dinâmica de nitrogênio e manejo de pastagens em encostas com Urochloa decumbens (Stapf)”.
  • Data: 30/03/2015
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • “Dinamica de nitrogenio e manejo de pastagens em encostas com Urochloa decumbens (Stapf)”.
  • LÚCIA DE OLIVEIRA LIMA
  • DECOMPOSIÇÃO E MINERALIZAÇÃO DE NUTRIENTES DE FITOMASSA RECALCITRANTE EM FUNÇÃO DE PROBIÓTICOS, NITROGÊNIO E FÓSFORO
  • Data: 05/03/2015
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO Para que o adubo verde atenda a demanda em nutrientes, da cultura consorciada, ha a necessidade de que a decomposicao e liberacao de nutrientes dos residuos vegetais aportados ao solo ocorram em sincronismo com a curva de absorcao de nutrientes da cultura de interesse comercial. O objetivo deste trabalho foi avaliar as caracteristicas quimicas do material de dificil decomposicao e estudar o efeito da aplicacao de N e P, bem como a influencia da acao de microrganismos especificos sobre a taxa de decomposicao do material recalcitrante. Foram testados seis tratamentos mais a testemunha, sendo: T1: Testemunha (Fitomassa sem inoculos e sem a aplicacao e NP); T2: Fitomassa com inoculante Compost-aid® + Soil Set®; T3: Inoculante EM-1; T4: Compost-aid®; T5: Aplicacao de Nitrogenio (Nitrato de amonia); T6: Aplicacao de Fosforo (Fosfato Monopotassico - MKP); e T7: Aplicacao de Nitrogenio e Fosforo. Todas as aplicacoes foram realizadas apos 45 dias de decomposicao do material no campo. Os tratamentos foram distribuidos em blocos casualizados com quatro repeticoes. Cada unidade experimental foi constituida de 2,8 x 0,7 x 0,8 m, contendo 16 plantas de videiras. A leguminosa foi semeada manualmente e na floracao plena, aproximadamente 90 dias apos a emergencia das plantas, foram cortadas a 5 cm acima da superficie do solo. Foi retirada uma subamostra da fitomassa determinando-se a massa fresca e seca da parte aerea, a composicao bromatologica e o teor e acumulo de nutrientes. Sendo sua fitomassa depositada na linha de plantio da videira, onde posteriormente foram acondicionadas as sacolas de decomposicao. Para avaliar a decomposicao e liberacao de nutrientes in situ, apos o corte, amostras de 600 g dos residuos da parte aerea foram acondicionadas em sacolas de nailon de 0,3 x 0,3 m, e dispostas sobre a superficie do solo na linha da videira. Em sete tempos (0, 8, 30, 45, 60, 60 e 75), onde foram retiradas de cada sacola 20 g de residuo, que foram secados em estufa a 65º C, onde foi determinada a quantidade de materia seca e os teores de C, N, P, K, Ca, Mg, Polifenois, Lignina, Celulose e Hemicelulose remanescentes. Nas condicoes em que o trabalho foi desenvolvido conclui-se que: A aplicacao dos probioticos favoreceu a decomposicao do material recalcitrante do Canavalia ensiformis; Dentre os produtos testados o Compost-Aid® + Soil Set®, mostrou-se mais eficiente na decomposicao do material recalcitrante do Canavalia ensiformis; A relacao Lignina/Nitrogenio apresentou acrescimo em funcao do estagio de decomposicao da fitomassa, o que pode ter inibido a eficiencia dos organismos na degradacao do material vegetal e, isto sugere que a relacao Lignina/Nitrogenio mais elevada no final do intervalo experimental esteja relacionada com a nao decomposicao dos 100 % da fitomassa depositada; O tempo influenciou tanto a decomposicao do material recalcitrante, quanto a mineralizacao dos macronutrientes nutrientes da fitomassa avaliada.
  • JAILMA DOS SANTOS DE MEDEIROS
  • Comportamento da invasora Cryptostegia madagascariensis ex Decne em solos sob diferentes níveis de salinidade e de saturação hídrica
  • Orientador : LEONALDO ALVES DE ANDRADE
  • Data: 27/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • Comportamento da invasora Cryptostegia madagascariensis ex Decne em solos sob diferentes niveis de salinidade e de saturacao hidrica
  • TIAGO DE CARVALHO PESSOA
  • A posição na encosta e o manejo de um Argissolo afetam a produção de Brachiaria decumbens adubada com N e P
  • Data: 23/02/2015
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A producao de forragem em pastagens do Agreste paraibano e limitada devido ao baixo nivel de manejo das pastagens, ausencia de adubacao e de consorcio com leguminosas. Alem disto, o pouco controle da carga animal causa compactacao, que associado ao relevo, favorece a erosao e o carreamento dos nutrientes. Visando estudar apenas o efeito da fertilidade na produtividade, foram retiradas amostras de solo (0-15 cm) em tres posicoes (ombro, meia encosta e pedimento) de duas encostas sob pastagens distintamente manejadas (manejada e nao manejada). As amostras do Argissolo Vermelho-Amarelo eutrofico foram utilizadas num experimento em vasos, em ambiente protegido sob combinacao fatorial, adubadas com fosforo (P) (25 kg ha-1 de P), nitrogenio (N) (50 kg ha-1 de N), P x N combinados (25 kg e 50 kg ha-1 de P e N, respectivamente) e a testemunha (P0 N0). As unidades experimentais foram vasos, contendo 6 kg de solo e quatro plantas do capim Brachiaria decumbens cv. Basilisk. Aos 60 dias apos a emergencia o capim foi cortado para uniformizacao do crescimento, quantificacao da materia seca e determinacao do conteudo de N e P. A partir de entao, de 40 em 40 dias, foi efetuado o corte do capim para determinacao da producao de materia seca de forragem e conteudo de N e P. As medias dos tratamentos foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05), por modelos estatisticos adequados a cada condicao avaliada. As maiores producoes e conteudos de P na materia seca foram obtidos na adubacao combinada entre P e N, em todas as posicoes do relevo e manejo da pastagem, no primeiro corte e no acumulado dos cortes. A producao acumulada foi maior no solo oriundo da meia encosta manejada que da nao manejada, o contrario foi observado para a producao acumulada no pedimento. Houve influencia da posicao no relevo e da adubacao sob os distintos manejos da pastagem, ao longo dos cortes de avaliacao. A adubacao com N e P em encostas sob pastagens distintamente manejadas depende da posicao no relevo. A meia encosta, responde mais a adubacao com P, enquanto no pedimento a resposta e maior ao N.
  • KALLINE DE ALMEIDA ALVES CARNEIRO
  • FOTODEGRADAÇÃO CATALÍTICA DO HERBICIDA HEXAZINONA UTILIZANDO O TiO2 EM ARGISSOLO E LATOSSOLO
  • Data: 09/02/2015
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • O hexazinona e um herbicida pre-emergente aplicado na cultura da cana-de-acucar, do grupo quimico triazina e bastante toxico para humanos. Quando utilizado em grande quantidade afeta os organismos que vivem no solo em virtude da sua bioacumulacao e maior persistencia, se for lixiviado pode causar contaminacao do solo e da agua. Uma estrategia de prevencao ao risco de contaminacao, ou ainda uma alternativa para a remediacao de areas contaminadas e o emprego do fotocatalisador TiO2-P25, que acelera o processo de degradacao de poluentes e seus intermediarios em produtos menos toxicos ou ate a sua completa mineralizacao. Para avaliar a degradacao fotocatalitica do hexazinona sob luz UV foram selecionados dois solos representativos da microrregiao do Brejo Paraibano no Nordeste Brasileiro, provenientes das cidades Areia e Alagoa Nova. Estes solos foram classificados de acordo com os requisitos do Sistema Brasileiro de Classificacao de Solos (SiBCS) por meio de analises fisicas (granulometria, densidade e porosidade), quimicas (fertilidade e complexos sortivos; fracionamento da materia organica; e composicao elementar por FRX) e mineralogicas (determinacao e quantificacao das fases cristalinas por DRX) que tambem serviram de suporte para avaliacao dos experimentos de fotodegradacao catalitica. Classificados como Argissolo Vermelho Amarelo Distrofico umbrico, textura argilosa, A proeminente, epi-e endoalitico e epi-endodistrofica, Tm e Latossolo Vermelho Distrofico tipico, textura argilosa, B latossolico, epi-e endoalitico, epi-endodistrofica, Tmoa; estes apresentaram boas caracteristicas fisicas e baixa fertilidade, com MO acima do comum e condizente com uma area de reserva. Predominaram os minerais quartzo, caulinita, muscovita, alem de feldspatos-K e Na, muscovita, hematita e gibbsita, com ilita e goethita so no Latossolo. A MO e os argilominerais naturalmente presentes nos solos influenciam diferentemente comportamento fotocatalitico na degradacao do hexazinona, havendo efeito pronunciado do TiO2 a 2%.
2014
Descrição
  • RICHARDSON SOARES DE SOUZA MELO
  • CARACTERIZAÇÃO EDÁFICA E FISIOGRÁFICA DE SÍTIOS OCUPADOS POR Prosopis juliflora (Sw.) DC. EM DOMÍNIO DO SEMIÁRIDO
  • Data: 25/09/2014
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • A especie Prosopis juliflora, popularmente conhecida por algaroba, introduzida no Nordeste brasileiro como alternativa economica para a regiao semiarida tem provocado serios problemas, haja vista a sua capacidade de invadir determinados sitios, interferindo seriamente na biota local. Diante disto, o presente trabalho partiu da necessidade de reunir informacoes sobre Prosopis juliflora no que se refere a sua ocorrencia e ferramentas que podem ser empregadas para o mapeamento da cobertura do solo e consequente distincao do taxon em uma escala macro. A especie Prosopis juliflora, possui vantagens competitivas adaptando-se a condicoes ambientais adversas, como: baixos indices pluviometricos, solos salinos e solos com baixa fertilidade. Tal constatacao remete a possibilidade de invasao de novas areas afetando a qualidade do solo e a biodiversidade dos ecossistemas. Para o estudo espaco temporal, a utilizacao de imagens de satelite LANDSAT, por meio de sensores multiespectrais e uma alternativa para quantificacao e acompanhamento da evolucao da especie, fornecendo auxilio para medidas mitigadoras.
  • MANOEL EUBA NETO
  • COMPONENTES DE PRODUÇÃO E QUALIDADE DO ÓLEO DE DUAS CULTIVARES DE GERGELIM EM FUNÇÃO DA ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL EM UM NEOSSOLO FLÚVICO
  • Data: 29/08/2014
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na cultura do gergelim (Sesamum indicum L.) o rendimento médio de grãos é em torno de 650 kg ha-1, porém o seu potencial produtivo é de 1.500 kg ha-1 com adequado programa de adubação e disponibilidade hídrica. O objetivo deste experimento foi avaliar a influência de adubos orgânicos e químicos nos componentes de produção e qualidade do óleo de duas cultivares de gergelim: BRS Seda e CNPA G4. O experimento foi conduzido em propriedade de agricultura familiar no povoado Rosário, no município de Caxias-MA. O solo da área é classificado como Neossolo Flúvico. Utilizou-se o delineamento em blocos ao acaso, com 12 tratamentos, em esquema fatorial (6 x 2), sendo seis fontes de nitrogênio: tortas de algodão e de mamona; esterco bovino e caprino, sulfato de amônio e a testemunha, assim como duas cultivares de gergelim: BRS Seda e CNPA G4 (BRS 196). Houve efeito significativo positivo das fontes de adubação sobre a produtividade e das variedades de gergelim sobre as variáveis de crescimento e massa de 1000 sementes. Verificou-se formação de quatro grupos de tratamentos, no grupo 1, a cultivar BRS Seda adubada com esterco caprino sobressaiu, apresentando melhor desempenho relativo às características de crescimento, produção e produtividade. Considerando o aumento do rendimento de óleo, o esterco caprino pode ser recomendável para as variedades de gergelim BRS Seda e CNPA G4.
  • DEBORA TUANE DE ARAUJO FERREIRA
  • CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E MINERALÓGICA DE SOLOS SUBMETIDOS A DIFERENTES CONDIÇÕES DE USOS NA MICROBACIA DE VACA BRAVA POR FLUORESCÊNCIA E DIFRAÇÃO DE RAIOS-X
  • Orientador : KELLY CRISTIANE GOMES DA SILVA
  • Data: 21/08/2014
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O uso intensivo do solo com preparo inadequado e ausencia de praticas conservacionistas, o desenvolvimento economico e a expansao das fronteiras agricolas produziram alteracoes significativas na superficie e no uso do solo. Assim, o monitoramento da qualidade do solo e necessario e pode ser realizado mediante avaliacao dos seus atributos quimicos e mineralogicos. Neste sentido, a pesquisa tem como objetivo a caracterizacao quimica e mineralogica por Fluorescencia e Difracao de Raios-X dos solos da Microbacia de Vaca Brava no municipio de Areia-PB submetidos a manejo de Agricultura, Pastagem e Mata. A pesquisa foi desenvolvida na Microbacia de Vaca Brava, localizada no municipio de Areia-PB. Coletou-se 10 amostras de solo por area de estudo, (pastagem, mata e agricultura familiar), em 02 (duas) profundidades (0-20 e 20-40 cm), totalizando 60 amostras no entorno da Microbacia de Vaca Brava entre os meses de Marco e Maio de 2013. Os solos foram acondicionados em sacos plasticos e encaminhados ao Laboratorio de Tecnologia de Novos Materiais (LTNM) do Instituto UFPB de Desenvolvimento do Estado da Paraiba e no Laboratorio de Solidificacao Rapida do Centro de Tecnologia da Universidade Federal da Paraiba (Campus I), para a realizacao das analises de Fluorescencia de Raios-X e Difracao de Raios-X. Analisando os teores de CaO e MgO, observa-se que as areas que apresentaram os maiores teores foram a Area de Agricultura 1 e de Mata 1. Os teores de P2O5 e SO3 foram praticamente constantes em todas as areas de estudo. Na area de Agricultura 2, os pontos A6 a A8 apresentou uma variacao mais acentuada entre os valores de SiO2, Al2O3 e Fe2O3 variando entre 43,98% e 67,14% para o SiO2, 19,95% e 39,80% para o Al2O3 e 2,49% e 11,62% para o Fe2O3. O ponto amostral P4 da area de Pastagem 1 difere dos demais pontos quando analisados os teores de SiO2, Al2O3, K2O e Fe2O3.Os minerais encontradas na DRX nas amostras de solo sao constituidas basicamente dos mesmos minerais. Alem destes fatores, pode-se observar a praticidade das analises frente ao uso da FRX e DRX, tanto no aspecto da caracterizacao quimica quanto mineralogica, alem de fornecer subsidios para metodos de manejo mais adequados frente ao conhecimento das propriedades quimicas e mineralogicas dos solos. Pode-se concluir que para os solos avaliados nesta pesquisa, independente do tipo de uso nao ocorreu diferencas significativas quanto aos tipos de minerais presentes nas areas de pastagem, agricultura e mata.
  • PETRONIO CABRAL GONDIM
  • CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DE DUAS CULTIVARES DE GERGELIM SUBMETIDAS À ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NO AGRESTE DA PARAÍBA.
  • Data: 11/07/2014
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi avaliar o crescimento e produção de duas cultivares de gergelim a partir de fontes orgânicas, em comparação com adubação mineral em solo classificado como Luvissolo, na Estação Experimental de Alagoinha, na Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária, no município de Alagoinha, Estado da Paraíba, Brasil. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com três repetições, no arranjo fatorial 2 x 6. Os fatores estudados foram: duas cultivares (BRS 196 e BRS Seda) e seis adubos (sem adubo, aplicação de adubo NPK, torta de mamona e torta de algodão, esterco bovino e caprino). As características avaliadas foram: análise de crescimento (área foliar, altura de planta e fitomassa aérea), fenologia (primeiro botão floral, primeira flor, primeiro fruto), componentes da produção (produtividade, número de frutos por planta, peso médio de sementes, número de ramos por planta e número de sementes por frutos) e índices fisiológicos (razão de área foliar, índice de área foliar e índice de colheita). Os dados obtidos sugerem as seguintes conclusões: não houve influência do fator cultivar nos componentes da produção da cultura do gergelim, exceto para a razão de área foliar aos 15 DAE e produção e peso médio de sementes no terço superior da planta; dentre as fontes orgânicas utilizadas, torta de mamona e torta de algodão proporcionaram o melhor desempenho agronômico; é viável o cultivo do gergelim com a utilização dos estercos bovinos e caprinos; a adubação mineral NPK permite o cultivo do gergelim com respostas agronômicas satisfatórias.
  • RAPHAEL PASSAGLIA AZEVEDO
  • MOBILIDADE DE FÓSFORO DE FONTES ORGÂNICAS E INORGÂNICA EM SOLO ARENOSO
  • Data: 30/05/2014
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O uso dos estercos tem se tornado uma importante fonte de suprimento de nutrientes às plantas na agricultura familiar. No entanto seu desbalanço quanto aos nutrientes tem levado à incorporação de altas doses, excedendo a necessidade das culturas, provocando acúmulo de nutrientes e sua lixiviação para camadas mais profundas, principalmente em solos arenosos. Esse trabalho objetivou avaliar a mobilidade de fósforo (P) proveniente de quatro fontes orgânicas e uma inorgânica solúvel, aplicados em colunas de 20 e 40 cm, e relacionando-a com as características de adsorção da fase sólida de um NEOSSOLO REGOLÍTICO obtido de área de agricultura familiar com longo histórico de adubação orgânica. As amostras foram coletadas nas camadas de 0 a 10, 10 a 20, 20 a 30 e 30 a 40 cm. Após secas e peneiradas, as amostras foram caracterizadas quanto às propriedades mineralógicas, físicas e químicas. Foi também determinado o conteúdo de Fe e Al extraídos por oxalato e assim como as cinéticas de dessorção e adsorção por Langmuir. A mobilidade de P foi determinada em dois experimentos de lixiviação, experimento 1 com colunas de solo de 20 cm e experimento 2 com colunas de solo de 40 cm. O solo da camada de 0-10 cm recebeu dose de fontes orgânicas (esterco bovino, suíno, caprino e de aves de postura) ou inorgânica (reagente PA solúvel). A dose das fontes foi baseada no P contido em 8 Mg ha1 de esterco bovino. A fonte inorgânica foi aplicada reproduzindo as quantidades N, P, K, no esterco bovino. Após incubação de 15 dias, as colunas foram preenchidas com solo das camadas de forma sequencial e lixiviadas com solução salina (CaCl2 0,001 mol L-1) correspondente a 10 volumes de poros (VP), para ambos experimentos, um VP dia-1. Foram coletadas três alíquotas por VP nas quais se analisou a concentração de P. Finalizada a lixiviação, as colunas foram seccionadas de 5 em 5 cm e analisado o teor de P extraído em água (Pw) e por Mehlich-1(Pm). Houve saída de P pela base da coluna no experimento 1, sendo maior com a fonte inorgânica; o comportamento diferenciado entre as fontes orgânicas e inorgânica relacionou-se com o Pw inicial das fontes. No experimento 2 não houve saída de P pela base da coluna, tendo o P ficado adsorvido na camada de 20-40 cm, na qual observou-se o maior potencial de adsorção de P.
  • JOAO ABILIO DINIZ
  • ATRIBUTOS FÍSICO-QUÍMICOS E ÍNDICES DE SUSTENTABILIDADE DE ATIVIDADES AGRÍCOLAS SOB DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO EM DOIS BIOMAS
  • Data: 08/05/2014
  • Hora: 07:30
  • Mostrar Resumo
  • Os recursos naturais renováveis precisam ser utilizados racionalmente para o bem dos agroecossistemas e da humanidade. Assim, o uso do solo deve estar sintonizado com os critérios técnicos de regionalizações definidos nos zoneamentos de cada Estado. Presumindo-se que a avaliação dos tipos de explorações agropecuárias nos cenários heterogêneos dos biomas sob o ponto de vista dos atributos físico-químicos e da sustentabilidade ambiental pode possibilitar a obtenção de importantes indicativos no sentido de definir melhor o uso do solo na área de estudo, foi conduzida esta pesquisa. Nesta perspectiva, foram estudadas três tipos de vegetações em dois biomas na camada agricultável de 0-20 cm, pretendendo-se aprofundar e descobrir conhecimentos científicos, especialmente no que se refere à viabilidade técnica, econômica, social e ambiental das explorações agropecuárias, capazes de direcionarem o uso racional do recurso natural renovável solo no Estado da Paraíba. Os resultados físicos, expressos através das Ds (Densidade do solo), Dp (Densidade de partícula) e Pt (Porosidade total), revelaram que na profundidade de 0-10 cm houveram diferenças significativas para Dp e Pt tanto para as três vegetações como para os dois biomas, ocorrendo igual comportamento em relação a profundidade de 10-20 cm, inclusive para Ds. Por outro lado, os dados químicos estudados através do C, pH, P, K, Ca, Mg, H, Al, SB, CTCpH7 e V mostraram não haver para as três vegetações diferenças significativas exceto para P e Mg, ocorrendo diferenças significativas para todos os demais atributos químicos, enquanto que para os biomas não houveram diferenças significativas apenas para K, sendo todos os outros atributos avaliados diferentes. No geral, observou-se a influência das vegetações e dos biomas nos atributos físico-químicos, indicando a importância do conhecimento destes fatores no uso do solo. O bioma Caatinga sobressaiuse em relação à Mata Atlântica praticamente em todas as variáveis favoráveis à manutenção da qualidade do solo apresentando, portanto, melhores atributos físico-químicos. Das três vegetações analisadas, nas Matas em regenerações (MR) nem sempre foram observados valores superiores dos atributos físicoquímicos avaliados quando comparados aos obtidos nos monocultivos de milho e pastagens (MM e MP). Ficou evidenciado que os índices de sustentabilidades dependeram de fatores técnicos, econômicos, sociais e ambientais, indicando que o IS (Índice de Sustentabilidade) foi melhor onde este conjunto foi mais favorecido. Neste particular, comparando biomas, percebeu-se que a Caatinga também foi superior à Mata Atlântica. Para alcançar à sustentabilidade ideal (IS>0,80), além de melhorias técnicas, econômicas e sociais as propriedades avaliadas precisam ser administradas racionalmente no sentido de que os índices tendam a crescerem superando o patamar de 0,80.
  • EMANOEL DIAS DA SILVA
  • POTENCIAL DE TRÊS FONTES ORGÂNICAS NA PRODUTIVIDADE DO MILHO EM UM NEOSSOLO REGOLÍTICO EM AGROECOSSISTEMAS FAMILIARES.
  • Data: 05/05/2014
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  • O esterco e um dos principais adubos utilizados, porem a quantidade e a qualidade disponivel sao insuficientes para suprir as demandas agricolas. O manejo integrado de nutrientes com base no uso de residuos organicos e uma das estrategias utilizadas pelas familias agricultoras no agreste paraibano para a manutencao da capacidade produtiva dos solos. Uma das inovacoes tecnicas que vem sendo desenvolvidas pelas familias, para superar esse problema, sao as unidades de beneficiamento de esterco, conhecidas como esterqueiras. Assim, este trabalho objetivou avaliar em conjunto com as familias o potencial da esterqueira como pratica de melhoria da qualidade do esterco, em comparacao a outras duas fontes organicas (esterco do curral e biomassa de gliricidia), sobre o crescimento, desenvolvimento e produtividade do milho. A pesquisa foi desenvolvida entre os anos de 2012 e 2013, na propriedade da familia de Carlos Marcolino e Joselia Souza, na Comunidade Furnas, no Municipio de Areial - PB. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso, em arranjo fatorial (2x3+1+1), sendo duas qualidades de esterco (esterco da esterqueira - EE e esterco do curral - EC), tres doses de esterco (4, 12 e 20 t. ha- 1), uma fonte organica de boa qualidade (Gliricidia) e uma testemunha (T). Foram realizadas avaliacoes qualitativas e quantitativas para avaliar o uso das fontes organicas e sua relacao com a altura das plantas, producao de palha da planta e da espiga, qualidade da espiga e enchimento dos graos do milho em duas epocas distintas. Foram quantificadas as variaveis de crescimento e desenvolvimento (altura das plantas, diametro do caule) e produtividade (materia verde, materia seca e producao de graos), bem como o acumulo de nutrientes (N, P e K) na parte aerea das plantas e solo. A producao de graos com esterco da esterqueira foi cerca de duas vezes menos que a producao com aplicacao da biomassa da gliricidia e uma vez mais do que o esterco de curral. A dose 20 t.ha-1 do esterco da esterqueira obteve 60% da producao maxima de graos obtida com a biomassa de gliricidia, enquanto que a dose 20 t.ha-1 do esterco de curral obteve 60% da producao maxima obtida com aplicacao do esterco da esterqueira. Os teores de N, P e K na massa seca da palha nao foram afetados em resposta ao aumento das doses e qualidade de adubos organicos utilizados no estudo, a excecao da dose 20 t.ha-1 do esterco da esterqueira que aumentou o teor de P do solo. Os tratamentos e as doses de adubacao organica estudados nao influenciaram nos atributos quimicos do solo apos 120 dias de aplicacao. Os resultados significativos apresentados na correlacao confirmam o conhecimento que as familias agricultoras tiveram durante o processo de avaliacao da cultura do milho nos dois momentos (milho verde e milho seco).
  • MARLENE ALEXANDRINA FERREIRA BEZERRA
  • IRRIGAÇÃO COM ÁGUA SALINA E ADUBAÇÃO NITROGENADA NA FORMAÇÃO E QUALIDADE DE MUDAS DE MARACUJAZEIRO AMARELO
  • Data: 21/03/2014
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Devido ao período do plantio a colheita do maracujazeiro amarelo, o retorno do capital investido depende de mudas de qualidade para que se obtenha sucesso no cultivo. Além dessa exigência a qualidade da água de irrigação é um problema principalmente em regiões semiáridas devido aos elevados níveis de sais, podendo a adubação nitrogenada ser um fator atenuante dos efeitos nocivos da salinidade as plantas. Nesse contexto o trabalho objetivou avaliar os efeitos da salinidade da água de irrigação e da aplicação de nitrogênio no crescimento e teor de nutrientes em mudas de maracujazeiro e na salinidade do substrato. A pesquisa foi realizada no período de setembro a dezembro de 2013 em estufa telada, usando como substrato o material de um LATOSSOLO VERMELHO-AMARELO. Os tratamentos foram distribuídos em blocos ao acaso com quatro repetições arranjados no esquema fatorial 5x3, equivalente à combinação entre cinco condutividades elétricas da água de irrigação (0,3; 1,0; 2,0; 3,0 e; 4,0 dS m-1) obtidas com adição dos íons de sódio, cálcio e magnésio na proporção de 7:2:1 mg L-1, respectivamente e três níveis de nitrogênio (sem adubação nitrogenada e aplicação de nitrogênio nas formas de ureia e sulfato de amônio, para fornecer 150 mg dm-3 de N). As variáveis analisadas foram pH e condutividade elétrica do extrato de saturação, índice de velocidade de emergência, emergência, altura, diâmetro, área foliar, número de folhas, área foliar específica, razão de área foliar, massa da matéria seca, índices foliares de clorofila a, b e total, teores foliares de N, P e K e índice de qualidade de Dickson. O aumento da salinidade da água de irrigação elevou a condição salina do substrato e reduziu o pH. A interação entre a salinidade da água de irrigação e o nitrogênio exercem efeito significativo para a maioria das variáveis estudadas, e a aplicação de nitrogênio estimulou a produção das mudas irrigadas com água de até 2,0 dS m-1. O sulfato de amônio acidifica mais o substrato que a ureia. O nitrogênio atenua os efeitos da salinidade da água de irrigação nas mudas de maracujazeiro amarelo até o nível de 2 dS m-1 e a ureia é mais eficiente que o sulfato de amônio.
  • ANTONIO GUSTAVO DE LUNA SOUTO
  • CRESCIMENTO, NUTRIÇÃO E PRODUÇÃO DE NONI EM LATOSSOLO AMARELO DISTRÓFICO SOB DIFERENTES MANEJOS
  • Data: 21/02/2014
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No Brasil apesar de não ter tradição no cultivo do noni, vêem se introduzindo pomares comerciais e experimentais no Nordeste. No entanto, quanto as suas exigências nutricionais e manejo da cultura, particularmente em áreas semiáridas nordestinas, as informações são basicamente escassas . Neste sentido um experimento foi realizado na Universidade Federal da Paraíba no município de Bananeiras - PB, durante o período de junho/12 a novembro/13, a fim de avaliar a influência da cobertura morta, esterco bovino e das doses de cloreto de potássio na a fertilidade do solo, crescimento, nutrição e produção das plantas de noni. Os tratamentos foram dispostos em blocos casualizados com três repetições e duas plantas por parcela, utilizando o esquema fatorial 5 x 2 x 2, correspondendo a cinco doses de KCl de 0,0;13,2;37,5;61,5;69,6 g planta-1, no solo com e sem cobertura morta e com e sem esterco bovino. A cobertura morta e esterco bovino contribuíram para o aumento da umidade e temperatura do solo. O esterco de bovino adicionado ao solo elevou o pH e aumentou a disponibilidade de nutrientes para as plantas. O esterco de bovino associado com a cobertura do solo estimulou o crescimento em altura, e a associação de cobertura morta, esterco de bovino e doses de potássio elevou o diâmetro caulinar das plantas de noni. A cobertura morta aplicada ao solo elevou os teores foliares de P e Mn, o esterco bovino contribuiu para elevação dos teores de P, K, Mn, enquanto o KCl elevou os teores de N e Mn. A eficiência fotossintética, através dos teores de clorofila a, b e total foi estimulada pela adubação orgânica e potássica. Os componentes de produção responderam positivamente a aplicação do esterco bovino e do cloreto de potássio ao solo.
  • SHARA REGINA DOS SANTOS BORGES
  • Adubação orgânica e estresse hídrico na produtividade e qualidade fisiológica de sementes de arroz vermelho (Oryza sativa) cultivadas em Neossolo Flúvico
  • Data: 20/02/2014
  • Hora: 10:00
  • Mostrar Resumo
  • E reconhecido o efeito benefico da adubacao organica na produtividade das culturas, constituindo-se numa pratica que pode contribuir para melhorar a qualidade das sementes e minimizar os efeitos prejudiciais ocasionados pela deficiencia hidrica, que e comum nas regioes semiaridas. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a influencia da adubacao organica, com esterco bovino e do estresse hidrico, no desempenho fisiologico das variedades de arroz vermelho (Oryza sativa L.) Caqui, Maranhao e MNA 902. As sementes foram produzidas em condicoes de ambiente protegido, em vasos contendo oito quilos de solo, da camada de 0-20cm, coletado na regiao do Vale do Pianco. Foram testadas quatro doses de esterco bovino (0, 4, 8 e 12 t ha-1) na presenca e ausencia de estresse hidrico (60 e 80% da capacidade de vaso respectivamente) sob delineamento em blocos ao acaso no esquema fatorial 3 x 4 x 2 (variedades, doses de esterco e estresse hidrico), com quatro blocos. Apos colheita, as sementes foram encaminhadas para o Laboratorio de Materia Organica do DSER/CCA/UFPB para determinacao da produtividade. Com quatro meses de armazenamento foram determinados o grau de umidade, peso de 1000 sementes e a qualidade fisiologica, pelos testes de germinacao, PCG, IVG, emergencia a campo, massa seca de plantulas, condutividade eletrica e lixiviacao de potassio. Adotou-se o delineamento experimental em blocos ao acaso para o teste de emergencia a campo e o inteiramente casualizado para os demais testes. As variaveis que apresentaram significancia pelo teste F foram estudadas por meio de analise de regressao. A analise de variancia detectou efeito significativo para os parametros avaliados. O esterco bovino promoveu aumento na produtividade das tres variedades de arroz vermelho, no entanto, a MNA 902 foi a mais produtiva. As sementes de arroz vermelho apresentaram percentual de germinacao variando de 98 a 100%, resultados estes, superiores a media minima exigida para comercializacao de sementes de arroz nos principais Estados produtores. O estresse hidrico diminuiu o peso de 1000 sementes e a massa seca de plantulas e, consequentemente, aumentou a condutividade eletrica e lixiviacao de potassio das sementes da variedade MNA 902, ocasionando em perda de qualidade fisiologica. A produtividade maxima de sementes de arroz vermelho pode ser obtida com doses de esterco superiores a 12 t ha-1. A presenca de esterco melhorou a qualidade fisiologica das sementes da variedade Caqui e por isso recomenda-se o uso deste insumo para melhorar a producao e a qualidade das sementes.
2013
Descrição
  • Roberto de Sousa Nascimento
  • Variabilidade espacial da fertilidade do solo e estado nutricional de um pomar de tangerina
  • Orientador : WALTER ESFRAIN PEREIRA
  • Data: 19/12/2013
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • Variabilidade espacial da fertilidade do solo e estado nutricional de um pomar de tangerina
  • TANCREDO AUGUSTO FEITOSA DE SOUZA
  • SYMBIOTIC COMPATIBILITY OF ARBUSCULAR MYCORRHIZAL FUNGI WITH EXOTIC TREE SPECIES OF BRAZILIAN STEPPESAVANNAH (CAATINGA).
  • Data: 19/12/2013
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Savana estépica (Caatinga) constitui um dos grandes biomas brasileiros, detentor de expressiva riqueza taxonômica, contudo consideravelmente degradado devido o uso inadequado dos seus recursos naturais e a elevada atividade antrópica que desrespeita suas peculiaridades ambientais. Na busca de soluções historicamente tem-se recorrido às mais diversas estratégias, muitas das quais pautadas na importação e introdução de espécies vegetais alóctones com proposito de constituir alternativas econômicas para a região e ou com fins ornamentais, porém a negligência do manejo dessas, a sua disseminação seguida da ocupação de novas áreas estão revelando mais um grande problema. Ao invadir determinados sítios, principalmente matas ciliares dos Estados da Paraíba e Ceará provocam alterações sobre a biodiversidade dessas áreas. Assim esta tese teve como objetivo principal estudar a diversidade e compatibilidade de fungos micorrízicos arbusculares nativos de ambientes de domínio de Savana estépica com as espécies exóticas Prosopis juliflora, Parkinsonia aculeata, Sesbania virgata e Cryptostegia madagascariensis. Foram estudadas cinco áreas, sendo quatro localizadas nos munícipios de Algodão de Jandaíra, Monteiro, Juazeirinho e Natúba, Estado da Paraíba, Brasil e a última no município de Ibaretama, Estado do Ceará, Brasil. Todas as áreas localizam-se em pólos característicos de ambiente semiárido, sendo consideradas como as áreas mais secas de ambos os Estados. As rizosferas das espécies exóticas citadas anteriormente mais a da espécie arbórea nativa Mimosa tenuiflora foram caracterizadas quanto suas características químicas, número de propágulos, colonização micorrízica e diversidade de fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) presentes. Posteriormente foram instalados experimentos com a utilização das mesmas exóticas como plantas-iscas inoculadas com os FMAs mais representativos de suas respectivas rizosferas. As espécies exóticas além de reduzirem a diversidade do componente arbóreo alteram em benefício próprio as propriedades químicas do solo, como pH, teores de P, C e N, afetando assim diretamente a diversidade dos fungos micorrízicos arbusculares presentes nesses ambientes. Os distúrbios negativos causados pelo processo de invasão biológica levam a um decréscimo na diversidade destes microrganismos assim como a redução no número de glomerósporos. FMAs com elevada eficiência de colonização são favorecidas passando a predominar nestes ambientes e com isso auxiliando na absorção de nutrientes como o P e promovendo maior crescimento e acúmulo de biomassa seca das espécies exóticas.
  • Cassiana Felipe de Souza
  • ATRIBUTOS FÍSICO-QUÍMICOS DE SOLOS EM PROCESSO DE DESERTIFICAÇÃO CULTIVADOS COM MILHETO IRRIGADO COM EFLUENTE DOMÉSTICO E URINA HUMANA
  • Data: 18/12/2013
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • As áreas em processo de desertificação constituem-se de espaços onde a degradação ambiental se expressa na perda da capacidade química, física e biológica do solo para produção vegetal. Esse fenômeno vem-se ampliando globalmente, afetando regiões áridas, semiáridas e subúmidas. Uma das alternativas para a recuperação da qualidade do solo nessas áreas diz respeito ao uso do efluente doméstico e de urina humana, tanto como oferta de água para a agricultura irrigada, como fonte de nutrientes. Assim, o presente trabalho teve como objetivo: (1) caracterizar a fertilidade do solo de três áreas consideradas em processo elevado de degradação do Núcleo de Desertificação dos Cariris Velhos no Estado da Paraíba; (2) Avaliar a capacidade de suprimento de nutrientes e o potencial de recuperação do solo com o uso de efluente doméstico tratado e de urina humana, em três tipos de solos característicos do semiárido brasileiro sob processo de desertificação; e, (3) quantificar as alterações nas propriedades químicas após as aplicações de urina humana diluída em efluente doméstico. A pesquisa foi desenvolvida no ano de 2013, em ambiente protegido, na Estação Experimental do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), no município de Campina Grande / PB. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com os tratamentos em arranjo fatorial (3 x 6), sendo três solos (Planossolo de Junco do Seridó, Luvissolo crômico de Cabaceiras e Neossolo litólico de Juazeirinho, Paraíba) e seis tratamentos de adubação (AB-NPK: água de abastecimento público sem NPK; AB+NPK: adubação mineral em água de abastecimento público; EFUH0,0%: efluente doméstico, sem urina humana; EDUH1,5%: efluente doméstico mais 1,5% de urina humana; EDUH3,0%: Efluente doméstico mais 3,0% de urina humana e EDUH4,5%: efluente doméstico mais 4,0% ou 4,5%? de urina humana), com quatro repetições. Para a verificação dos tratamentos foi utilizada a cultura do milheto. Foram avaliados os componentes de crescimento e de produção do milheto, bem como o acúmulo de nutrientes (NPK) na parte aérea das plantas. Também foi avaliado o impacto causado nos atributos químicos do solo devido às adubações. Observou-se que, contraditoriamente a identificação da área estudada como sendo um Núcleo de Desertificação, os indicadores quali-quantitativos de fertilidade do solo não permitem classificá-la como área padrão em desertificação, ainda que a mesma apresente necessidade de correção de sua fertilidade química para plena retomada de seu potencial produtivo. Por outro lado, das dez variáveis de crescimento e produção analisadas, seis (NP, NF, AFT, FSPA, PTG e P100GV) vii apresentaram efeitos significativos quando comparados às testemunhas (AB-NPK e/ou AB+NPK) em relação aos tratamentos de adubação com urina humana diluída no efluente doméstico, seja em uma ou em mais das diluições utilizadas, e, em um dos três tipos de solos utilizados. Quanto ao acúmulo de nutrientes na planta, observou-se que teve a seguinte ordem de acumulo: K>N>P. Em relação aos resultados da análise química, no início e no final do experimento com urina humana diluída em efluente doméstico, verificou-se que todos os tratamentos elevaram os teores de nutrientes de forma significativa. Entre as adubações com urina humana diluída em efluente doméstico as que mais contribuíram com o aumento dos nutrientes foram EDUH4,5%e EDUH3,0%.
  • Helder Carneiro Garrido Arruda de Sousa
  • CARACTERIZAÇÃO FÍSICA DO SOLO COMO CRITÉRIO DE OUTORGA PARA ALOCAÇÃO DE ÁGUA EM ÁREAS CULTIVADAS COM ARROZ VERMELHO
  • Orientador : GUTTEMBERG DA SILVA SILVINO
  • Data: 17/12/2013
  • Hora: 09:00
  • Mostrar Resumo
  • CARACTERIZACAO FISICA DO SOLO COMO CRITERIO DE OUTORGA PARA ALOCACAO DE AGUA EM AREAS CULTIVADAS COM ARROZ VERMELHO
  • WAGNER SANTOS LIMA AZEVEDO
  • ATRIBUTOS BIOLÓGICOS E DESENVOLVIMENTO DA PALMA FORRAGEIRA EM UM PLANOSSOLO NÁTRICO ADUBADO E SOB MANEJO AGROFLORESTAL
  • Data: 16/12/2013
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Sistemas agroflorestais (SAFs) e estrategias de adubacao representam praticas de manejo que tem como principal objetivo permitir maior diversidade e sustentabilidade de sistema de uso da terra. Embora hoje existam muito elementos agroflorestais viaveis que poderiam ser empregados na implantacao destes sistemas, na regiao do Semiarido brasileiro ainda faltam dados sobre esses sistemas de producao, seja nas escolhas de especies vegetais, informacoes sobre a ciclagem de nutrientes e melhoria na qualidade do solo. Desta forma, objetivando compreender a natureza e alcance desses processos foi desenvolvido o presente estudo, entre 2012 a 2013, em solo da regiao Semiarida brasileira. Na primeira parte da pesquisa (Capitulo 1) quantificaram-se os atributos biologicos em area sob manejo agroflorestal cultiva com tres variedades de palma forrageira e adubacao organica. Tanto na epoca seca, quanto na epoca chuvosa, observou-se que os teores de carbono organico total (COT) e carbono da biomassa microbiana (CBM) nao foram afetados pelos tipos de adubacoes organicas e variedades de palma forrageira. Mesmo nao tendo um comportamento padrao quanto ao periodo seco e chuvoso, os atributos biologicos do solo que melhor descriminaram os tratamentos estudados foram a respiracao basal (RB) e o quociente metabolico (qCO2). A analise de componentes principais evidenciou que a estacao chuvosa, favoreceu o aumento da atividade metabolica dos microrganismos do solo. Na segunda parte (capitulo 2) da pesquisa descreve-se o efeito da adubacao organica sobre o crescimento e desenvolvimento de tres variedades de palma consideradas como resistentes a cochonilha. A adubacao com esterco foi o tratamento que favoreceu o crescimento e desenvolvimento das tres variedades de palma forrageira. A variedade Orelha de elefante mexicana foi a que teve melhor desempenho e resposta aos tratamentos de adubacao organica. A menor produtividade de massa verde de palma forrageira foi obtida, na variedade Baiana e maior pela Orelha de elefante mexicana.
  • Luiz Cláudio Nascimento dos Santos
  • Caracterização edáfica e florística de fragmentos florestais em diferentes estádios sucessionais no Brejo Paraibano
  • Orientador : MANOEL BANDEIRA DE ALBUQUERQUE
  • Data: 26/11/2013
  • Hora: 08:30
  • Mostrar Resumo
  • Caracterizacao edafica e floristica de fragmentos florestais em diferentes estadios sucessionais no Brejo Paraibano
  • ANNA CAROLINA CARVALHO DE LIMA
  • ESCOAMENTO SUPERFICIAL E EROSÃO EM ENTRESSULCOS EM SOLOS DO ESTADO DA PARAÍBA
  • Data: 31/10/2013
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O processo de erosão hídrica ocorre pela ação dos agentes erosivos, como as gotas da chuva e o escoamento superficial da água sobre o solo. Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar, na erosão em entressulcos, as taxas de desagregação do solo e a dinâmica do transporte de sedimentos em solos de áreas agrícolas do estado da Paraíba utilizando chuva simulada. Utilizou-se no estudo quatro solos: Latossolo Amarelo (LA), Argissolo Vermelho-Amarelo (PVA), Luvissolo Crômico órtico (TCo) e Neossolo Litólico (RL). O critério de seleção dos solos teve como base o grau de desenvolvimento pedogenético. Em laboratório conduziram-se os experimentos de erosão em entressulcos sob chuva simulada, com solo descoberto e declividade da parcela de 0,10 mm-1. Os testes foram realizados em parcelas experimentais, com área útil de 0,3481 m², onde efetuou-se testes com chuvas simuladas, com intensidade média ajustada em 120 mm h-1 durante 75 minutos. Foram avaliadas taxas de perdas de solo, concentração de sedimentos em suspensão, vazão, taxa de desagregação do solo e caracterização das variáveis hidráulicas do escoamento. Todos os regimes de escoamento superficial obtidos foram laminar, apenas o solo RL apresentou escoamento rápido, enquanto os demais solos (LA, PVA e TCo) apresentaram escoamento lento. O regime de escoamento laminar lento, juntamente com os valores de descarga líquida na ordem de 10-5 m2 s-1, e os valores da altura de lâmina do escoamento na ordem de 10-4 m, encontrados, confirmam a ocorrência de erosão em entressulcos. O fator de erodibilidade do solo em entressulcos (Ki) dos solos LA, PVA, TCo e RL foi de 1,16×106; 1,91×106; 3,95×106 e 2,99×106 kg s m-4, respectivamente. Os solos com distinta mineralogia apresentaram suscetibilidade diferente à erosão em entressulcos, sendo que os mais intemperizados (LA e PVA) foram os mais estáveis e resultaram em menor erodibilidade do solo em entressulcos que os menos intemperizados (TCo e RL).
  • SHERLY APARECIDA DA SILVA MEDEIROS
  • ÁGUA SALINA E SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA FORMAÇÃO DE MUDAS DE MARACUJAZEIRO EM LATOSSOLO VERMELHO AMARELO
  • Data: 31/10/2013
  • Hora: 14:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O experimento foi desenvolvido, no período de 28/01 a 30/03/2013, em abrigo telado do Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Paraíba, Areia, PB, para avaliar os efeitos da salinidade da água no solo sem e com compostos orgânicos líquidos na produção de mudas de dois genótipos de maracujazeiro amarelo. Os tratamentos foram arranjados em blocos ao acaso com três repetições e sete unidades por tratamento, em esquema fatorial 2 x 5 x 3, referente aos genótipos de maracujazeiro amarelo (Genótipo local - Guinezinho tradicionalmente cultivado em Nova Floresta, Paraíba e BRS Gigante amarelo), irrigados com águas de salinidade crescente nos valores de condutividade elétrica de 0,3; 1,0; 2,0; 3,0 e 4,0 dS m-1, no solo sem e com esterco bovino líquido fermentado e humitec®. Os valores de condutividade elétrica das águas foram obtidos com a dissolução dos sais cloreto de sódio, cloreto de cálcio, cloreto de magnésio e cloreto de potássio nas proporções de 6:2:1:1 e as substâncias húmicas foram aplicadas, 48 horas antes e aos 28 dias após a semeadura, em volume correspondente a 10% do volume do substrato. Aos 60 dias após a semeadura (DAS) o solo foi avaliado quanto a salinidade e fertilidade. Nesse mesmo período as plantas foram avaliadas quanto à altura, diâmetro, número de folhas, área foliar, área foliar específica, razão de área foliar, matéria seca da parte aérea, das raízes e total, índice de qualidade de Dickson, macronutrientes foliares e teores de clorofila. O aumento do teor salino da água de irrigação elevou a salinidade do solo ao ponto de comprometer a qualidade das mudas, de ambos os genótipos, de maracujazeiro amarelo estudados. Dentre os insumos orgânicos, o humitec® foi mais eficiente em elevar a fertilidade do solo que o esterco líquido de bovino. O esterco líquido de bovino foi mais eficiente que o humitec® em atenuar os efeitos negativos da salinidade das águas às mudas dos genótipos. O humitec® estimula mais a produção de clorofila a, b e total nas mudas que o esterco líquido de bovino.
  • ANA VERONICA MENEZES DE AGUIAR
  • BIOFERTILIZANTE BOVINO NA FERTILIDADE, SALINIDADE DO SOLO, PRODUÇÃO E QUALIDADE DE FRUTOS DE GENÓTIPOS DE MARACUJAZEIRO AMARELO
  • Data: 31/10/2013
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • As atividades deste trabalho foram desenvolvidas para avaliar a utilização do biofertilizante bovino na redução dos efeitos do manejo da irrigação com água moderadamente salina no comportamento nutricional e produtivo de genótipos de maracujazeiro amarelo, bem como na fertilidade e salinidade do solo. Os experimentos foram conduzidos no município de Nova Floresta, PB, em delineamento de blocos casualizados com três blocos, em esquema fatorial 3 x 5, referente a três genótipos: Seleção Local (Guinezinho - tradicionalmente cultivado em Nova Floresta e áreas vizinhas) e dois genótipos introduzidos os híbridos BRS Sol do Cerrado e BRS Gigante Amarelo, no solo com cinco doses de biofertilizante bovino aplicado mensalmente em volume constante de 5 L planta-1, após diluído em água de irrigação de condutividade elétrica 1, 4 dS m-1 nos níveis percentuais de 0% (água de irrigação), 10%, 20%, 30% e 40%. No inicio da floração simultaneamente às coletas de folhas para avaliação nutricional do maracujazeiro amarelo, foram coletadas quatro amostras simples de solo, uma em cada quadrante da cova a 20 cm de distância do caule nas faixas de 0 - 20 e de 21 - 40 cm em cada tratamento, para avaliação da fertilidade e salinidade do solo. No pico da produção, foram colhidos ao acaso, dois frutos de cada parcela da área útil, para determinação dos teores de macro e micronutrientes na matéria seca dos frutos e cálculo da exportação dos nutrientes, e mais dois frutos para determinação da massa média do fruto, da casca e da polpa, espessura da casca, diâmetro e comprimento dos frutos; rendimento em polpa, teor de sólidos solúveis, acidez titulável, vitamina C, valores de pH e da condutividade elétrica da polpa. Concluiu-se que o biofertilizante, apesar de exercer efeitos positivos na melhoria da fertilidade, elevou o caráter salino do solo de não salino para salino e salino - sódico, mas sem definição da dose mais eficiente; não supriu as exigências nutricionais do maracujazeiro amarelo para a maioria dos nutrientes, sendo o genótipo G. Amarelo o que mais apresentou maior quantidade de nutrientes na época da amostragem. Os nutrientes mais exportados foram o nitrogênio e o ferro, com a Seleção Local e Gigante Amarelo que mais exportaram nutrientes. A aplicação do biofertilizante não comprometeu a capacidade produtiva dos genótipos Local e Gigante Amarelo, mas reduziu as qualidades físicas dos frutos do genótipo Local e proporcionaram características químicas superiores às exigidas pelo mercado para os três genótipos estudados.
  • Leandro Moscôso Araujo
  • ESCOAMENTO SUPERFICIAL E ERODIBILIDADE EM ENTRESSULCOS EM SOLOS SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE USO EM NÚCLEOS DE DESERTIFICAÇÃO DO SEMIÁRIDO
  • Data: 30/10/2013
  • Hora: 08:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A determinação da erosão hídrica do solo pode auxiliar no planejamento de práticas conservacionistas, reduzindo ou minimizando a ação de agentes erosivos que causam a perda de solo em entressulcos. A umidade inicial antecedente a chuva, os ciclos de secagem e umedecimento e os tipos de manejo empregados, exercem grande influência na resistência do solo aos processos erosivos. É de fundamental importância conhecer a erodibilidade do solo em entressulcos, podendo ser determinada sob condição de campo e laboratório. O estudo foi conduzido em laboratório, com Luvissolos dos municípios de Parelhas (RN) e São João do Cariri (PB) sob diferentes condições de uso (Áreas Cultivada, Preservada e Degradada) procurando atender aos seguintes objetivos: I: determinar as taxas de desagregação do solo em entressulcos para obter os valores dos fatores de erodibilidade do solos em entressulcos e das variáveis hidráulicas do escoamento; II: avaliar a concentração de sedimentos em suspensão nas diferentes condições de uso em estudo; III: analisar as perdas por erosão de acordo com os atributos químicos e físicos do solo bem como sua importância na resistência do solo ao escoamento superficial.A erosão em entressulcos foi determinada sob chuva simulada, em laboratório, com intensidade média de 120 mm h-1 durante 75 min, em solo mobilizado e descoberto na parcela experimental com área útil de 0,3481 m2. Foram determinados os fatores de erodibilidade do solo em entressulcos para os Luvissolos estudados, que variaram de 3,11x106 a 3,49x106 kg s m-4 para o município de Parelhas e de 4,33x106 a 6,44x106 kg s m-4 para o município de São João do Cariri. A velocidade média do escoamento e a rugosidade superficial do solo apresentaram médias que contribuíram para elevação das taxas de erosão. Os valores de Ki não apresentaram variações significativas entre as condições de uso, porém, para o Luvissolo de São João do Cariri foram observados médias bem distintas. A resistência do solo aos processos de erosão em entressulcos não está relacionada apenas às condições do solo, mas também a fatores relacionados com a fase de transporte dos sedimentos.
  • DENIZIA RIBEIRO DA SILVA
  • QUALIDADE DO SOLO EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE USO NO SEMIARIDO PARAIBANO
  • Data: 30/04/2013
  • Hora: 13:30
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A degradação das terras é uma problemática que vem se instalando em vários países, principalmente com a redução da cobertura natural para a implementação de culturas agrícolas. No Brasil, essa degradação aparece mais acentuadamente no semiárido nordestino por apresentar características que favorecem esse processo. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar os atributos físicos e químicos do solo de áreas agrícolas sob diferentes condições de uso no município de São João do Cariri (PB) sob influencia do processo de degradação. Foram coletadas amostras de solo em três áreas agrícolas compostas por vegetação nativa, cultivada e degradada. Nessas áreas foram coletadas amostras de solo nas camadas de 0-5, 5- 10 e 10-20 cm. As variáveis químicas (pH, P, K+ , Ca2+, Mg2+, Al3+ Na⁺, acidez potencial e matéria orgânica) e físicas (densidade do solo e de partículas, porosidade total, estabilidade de agregados) e o fracionamento físico da matéria orgânica foram realizados. O carbono do solo está mais preservado na área sob vegetação nativa e menos preservado na área degradada. O diâmetro médio ponderado de agregados secos e úmidos foram maiores na área cultivada. Os resultados obtidos na determinação dos atributos físicos e químicos foram avaliados por meio de análise de variância. Comparações de médias foram efetuadas com aplicação do teste de Tukey a 5% de probabilidade. Foi utilizado o procedimento MIXED com pseudo repetições, considerando a profundidade como medida repetida no espaço. As análises foram feitas com o software SAS/STAT (SAS, 2011).
  • RODOLPHO JOSÉ DE ALMEIDA NASCIMENTO
  • TECNOLOGIAS DE BAIXO CUSTO PARA PRODUÇÃO DE FITOMASSA DE MANDIOCA EM ÁREAS DE AGRICULTURA FAMILIAR NO AGRESTE PARAIBANO
  • Data: 26/04/2013
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na maioria das regiões do país há problemas com a baixa produtividade e a falta de qualidade das raízes produzidas de mandioca. Os maiores obstáculos para a adoção de novas tecnologias pelos pequenos produtores são a dificuldade de acesso, a falta de entendimento necessário a sua aplicação e o desconhecimento a respeito da sua relação custo/beneficio. Objetivou-se avaliar diferentes sistemas de plantio e densidades populacionais, assim como observar o comportamento de duas variedades de mandioca sob os diferentes tratamentos. O estudo foi conduzido em condições de campo, na propriedade Sitio Cumbe, localizada no município de Lagoa Seca-PB, microrregião do agreste paraibano. O solo predominante encontrado na região do ensaio é o Argissolo Vermelho Amarelo. O ensaio foi implantado em delineamento experimental em blocos casualizados, no esquema fatorial 2 x 2 x 3, sendo duas variedades de mandioca (Cedinha e Pão do Chile), dois sistemas de plantio (Leirão e Cova) e três espaçamentos (1,0 m x 1,0 m, 1,0 m x 0,8 m e 1,0 m x 0,6 m). As unidades experimentais foram confeccionadas com as dimensões de 5,0 m x 5,0 m com 12 m² de área útil. Na área útil de cada unidade experimental, foram identificadas três plantas, para acompanhamento das características morfológicas da parte aérea durante o desenvolvimento da cultura. Por ocasião da colheita, foram determinadas fitomassa fresca e seca da parte aérea e das raízes, como também o índice de colheita das três plantas previamente selecionadas. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância pelo teste F a 5% de probabilidade e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey. A variedade Cedinha apresentou melhor produção para fitomassa fresca nas raízes, compatível com a média nacional e, portanto adequada as condições locais. O melhor sistema de plantio dentre os testados foi o plantio em leirão, superando o plantio em cova em 17,7% na produção de fitomassa fresca de raízes. Os espaçamentos não diferiram estatisticamente para a produção de raízes tuberosas, porém as maiores produtividades foram encontradas nas maiores densidades de plantio. O tratamento que apresentou o maior resultado para produção de raízes tuberosas foi obtido utilizando-se a variedade Cedinha no plantio em cova sob espaçamento mais adensado. A variedade Cedinha apresentou-se com maior potencial de produção de fitomassa na parte aérea para alimentação animal.
  • Talita Stephanie Alves da Costa
  • Estimativa do Balanço de Radiação em áreas do Semiárido Paraibano utilizando Geotecnologias
  • Data: 25/03/2013
  • Hora: 09:30
  • Mostrar Resumo
  • O saldo de radiação (Rn) é um elemento fundamental no cômputo do balanço de energia, pois essa variável determina a energia que será disponibilizada à superfície e utilizada principalmente como calor latente no processo da evapotranspiração e como calor sensível para aquecer o ar e o solo. Dada a importância do (Rn) em várias aplicações de pesquisa, o objetivo geral desse estudo foi estimar o saldo de radiação (Rn) à superfície usando-se imagens do sensor TM (Thematic Maper) do satélite Landsat-5, usando-se o algoritmo SEBAL – Surface Energy Balance Algorithm for Land, complementados com dados das estações meteorológicas automáticas (São João do Cariri-PB e Sousa-PB). Os resultados obtidos com as componentes do saldo de radiação são destacados a seguir: o albedo médio da superfície não apresentou variação para as datas 22/04/2010 (20,5%) e 23/07/2006 (18,7%). Para o dia 06/10/2010 mostrou-se mais elevado (23,4%) em relação as outras duas datas, o que é justificado por uma maior área de solo exposto. O NDVI para as datas 22/04/2010 e 23/07/2006 apresentaram valores próximos, 0,41 e 0,38, respectivamente, entretanto em 06/10/2010 esse índice foi de 0,26 caracterizando áreas com baixa densidade vegetativa e solo exposto. O índice de área foliar (LAI), referentes aos dias 22/04/2010 e 23/07/2006 foram semelhantes, 0,39 e 0,38 respectivamente. Porém para o dia 06/10/2010 o valor desse índice foi de 0,26 bem inferior aos outros dois índices, o que denota uma situação de áreas com vegetação rala e/ou solo desnudo e conseqüentemente baixo NDVI. Para as três áreas analisadas não houve grande diferença, entre as temperaturas médias estimadas nas datas e áreas estudadas: 22/04/2010 a Ts foi de 24,6°C; dia 23/07/2006 (26,5°C) e 06/10/2010 (27,4°C). Os valores do saldo de radiação (Rn) encontrados estão compatíveis com os valores esperados para os tipos de alvos e condições das áreas analisadas. O erro relativo quando se comparou o (Rn) estimado pelo SEBAL e o medido nas estações meteorológicas foi pequeno: 1,8% para o dia 22/04/210; 0,6% em 23/07/2006 e 7% para o dia 06/10/2010. De uma maneira geral pode-se afirmar que o algorítimo SEBAL associado às imagens do satélite Landsat-5 TM pode ser aplicado com um bom grau de confiabilidade na estimativa do saldo de radiação (Rn).
  • Dácio Jerônimo de Almeida
  • CRESCIMENTO E COMPOSIÇÃO MINERAL DE MUDAS MICORRIZADAS DE MAMOEIRO ADUBADAS COM FÓSFORO
  • Data: 01/03/2013
  • Hora: 08:00
  • Mostrar Resumo
  • O uso indiscriminado de fertilizantes minerais na cultura do mamoeiro tem nos últimos anos elevado os custos de produção, sendo o uso de fungos micorrízicos arbusculares uma alternativa promissora para diminuir os custos com adubos. Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o efeito da inoculação dos fungos micorrízicos no crescimento de mudas de mamoeiro cv. Sunrise Solo em substrato adubado com doses de superfosfato triplo. O experimento foi conduzido em ambiente protegido, no delineamento em bloco casualizados com quatro repetições, no esquema 4x3+1: quatro doses (0; 1,6; 3,3; 5,0 g dm-3) de superfosfato triplo (SFT), três espécies de fungos micorrízicos: Gigaspora margarita, Entrophospora colombiana e Scutellospora heterogama e o tratamento controle (sem inoculação e sem adubação). Foi calculada a taxa relativa de crescimento relativo da altura e do diâmetro, área foliar, massa da matéria seca da parte aérea e radicular. Os fungos micorrízicos aumentaram as taxas relativas de crescimento da altura e do diâmetro e da massa da matéria seca. A inoculação com Entrophospora colombiana aumentou em mais de 30% a massa da matéria seca da parte aérea em comparação ao tratamento controle. Houve efeito negativo no crescimento da mudas com o aumento das doses de superfosfato triplo (SFT).
  • Franciezer Vicente de Lima
  • ANÁLISE ESPACIAL DE ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO: PROCESSO DE DEGRADAÇÃO EM ÁREA DE ENCOSTA
  • Data: 27/02/2013
  • Hora: 09:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Levando-se em consideração a variação dos ambientes e a carência de informações detalhadas para a aplicação da agricultura, é essencial a realização de estudos, de forma a obter conhecimento sobre a variabilidade espacial de diferentes propriedades do solo, que influenciam direta e indiretamente nos fatores de produção das culturas. O presente estudo teve como objetivo determinar a variabilidade espacial de atributos físicos do solo, bem como verificar as relações existentes entre a compactação e a infiltração da água no solo, em uma área de encosta, utilizando métodos geoestatísticos. A pesquisa foi realizada em área de encosta sob cultivo de pastagem, localizada entre os municípios de Areia-PB e Remígio-PB, com área de aproximadamente 2,0 ha. O solo da área foi amostrado em grade com malha regular entre pontos amostrais, perfazendo um total de 49 pontos sendo dividido em duas profundidades, de 0-10 cm; 10-20 cm, quantificando um total de 98 amostras. Para a análise da variabilidade espacial, utilizou se a geoestatística, por meio da análise semivariográfica, interpolação dos dados por krigagem e construção de mapas de isolinhas. Foram utilizados os procedimentos geoestatísticos considerando-se as análises semivariográficas isotrópicas. Observa-se que todos os atributos físicos do solo analisados apresentaram dependência espacial, uma vez que nenhum deles apresentou efeito pepita puro, onde a grande maioria dos parâmetros se enquadrou como índice de dependência espacial (IDE) forte, tendo apenas a variável areia (10-20 cm) e resistência à penetração (10-20 cm) apresentando dependência espacial moderada, e o atributo resistência à penetração na profundidade de 10-20 cm apresentou dependência espacial fraca. Os maiores alcances foram encontrados para o tempo de infiltração e resistência a penetração sendo de 156,92 e 153,00 m respectivamente, para a areia 111,70 e 120,55 m, e argila 124,53 e 125,57 nas duas profundidades 0-10 cm e 10-20 cm respectivamente. Tal observação indica que o número de amostras para estas variáveis poderiam ter sido menor. Pôde-se verificar através dos mapas que houve uma relação muito clara entre a infiltração e os demais atributos físicos do solo, observando essa correlação principalmente na parte superior sudoeste da encosta.
  • Járisson Cavalcante Nunes
  • CRESCIMENTO E COMPOSIÇÃO FOLIAR DA GOIABEIRA ‘PALUMA’ NO SOLO COM HUMITEC® E COBERTURA MORTA
  • Data: 22/02/2013
  • Hora: 08:00
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Apesar da cultura da goiaba exercer função econômica em vários Estados do Brasil, as informações científicas sobre suas exigências nutricionais são ainda pouco frequentes na literatura brasileira, principalmente em relação à região Nordeste. Neste sentido, um experimento foi realizado no município Remígio, Paraíba, Brasil, durante o período de março/2011 a julho/2012, a fim de avaliar os efeitos das substâncias húmicas e da cobertura do solo sobre o crescimento, composição mineral em folhas de plantas de goiabeira cv. 'Paluma' e sobre alguns componentes da fertilidade do solo. Os tratamentos foram dispostos em blocos casualizados com quatro repetições e duas plantas por parcela, utilizando o esquema fatorial 5 x 2, correspondendo as doses de substâncias húmicas de Humitec® de 0, 10, 20, 30 e 40 mL L-1 aplicando 4 L de cada mistura a cada dois meses na área de projeção da planta, no solo sem e com cobertura morta do solo. As plantas responderam mais aos efeitos das substâncias húmicas do que a cobertura morta do solo, em que o maior crescimento em altura e área da copa foi no tratamento utilizando a dose de 20,4 mL de L-1 da substância húmica. A cobertura morta reduziu a perda de água do solo pelo processo de evaporação e manteve o solo menos aquecido. As plantas com oito meses após o plantio apresentaram clorofila mais ativa do que àquelas aos 15 meses após o plantio. Os índices de clorofila a, clorofila b e total apresentam correlação positiva entre os dados obtidos pelo processo analítico. As plantas de goiabeira aos 15 meses após o plantio estavam adequadamente supridas em nitrogênio, fósforo, potássio, boro e manganês, mas estavam deficientes em cálcio, magnésio, enxofre, zinco e cobre. A aplicação de Humitec® aumentou a fertilidade do solo em Ca2+, Mg2+, K+ e Na+, mas os teores de matéria orgânica do solo, de sódio, fósforo e cálcio na camada de 0-20 cm do solo e do nitrogênio, potássio e manganês em folhas das plantas estavam superiores nos tratamentos com substâncias húmicas e cobertura do solo.
    Palavras-chaves: Psidium guajava L.; substâncias húmicas; nutrição
    Apesar da cultura da goiaba exercer função econômica em vários Estados do Brasil, as informações científicas sobre suas exigências nutricionais são ainda pouco frequentes na literatura brasileira, principalmente em relação à região Nordeste. Neste sentido, um experimento foi realizado no município Remígio, Paraíba, Brasil, durante o período de março/2011 a julho/2012, a fim de avaliar os efeitos das substâncias húmicas e da cobertura do solo sobre o crescimento, composição mineral em folhas de plantas de goiabeira cv. 'Paluma' e sobre alguns componentes da fertilidade do solo. Os tratamentos foram dispostos em blocos casualizados com quatro repetições e duas plantas por parcela, utilizando o esquema fatorial 5 x 2, correspondendo as doses de substâncias húmicas de Humitec® de 0, 10, 20, 30 e 40 mL L-1 aplicando 4 L de cada mistura a cada dois meses na área de projeção da planta, no solo sem e com cobertura morta do solo. As plantas responderam mais aos efeitos das substâncias húmicas do que a cobertura morta do solo, em que o maior crescimento em altura e área da copa foi no tratamento utilizando a dose de 20,4 mL de L-1 da substância húmica. A cobertura morta reduziu a perda de água do solo pelo processo de evaporação e manteve o solo menos aquecido. As plantas com oito meses após o plantio apresentaram clorofila mais ativa do que àquelas aos 15 meses após o plantio. Os índices de clorofila a, clorofila b e total apresentam correlação positiva entre os dados obtidos pelo processo analítico. As plantas de goiabeira aos 15 meses após o plantio estavam adequadamente supridas em nitrogênio, fósforo, potássio, boro e manganês, mas estavam deficientes em cálcio, magnésio, enxofre, zinco e cobre. A aplicação de Humitec® aumentou a fertilidade do solo em Ca2+, Mg2+, K+ e Na+, mas os teores de matéria orgânica do solo, de sódio, fósforo e cálcio na camada de 0-20 cm do solo e do nitrogênio, potássio e manganês em folhas das plantas estavam superiores nos tratamentos com substâncias húmicas e cobertura do solo.

  • ELDER CUNHA DE LIRA
  • TÉCNICAS ESPECTROSCÓPICAS DE CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA E MINERALÓGICA DE SOLOS DE UMA MICROBACIA HIDROGRÁFICA SOB DIFERENTES SISTEMAS DE USO
  • Data: 19/02/2013
  • Hora: 14:00
  • Mostrar Resumo
  •   O uso do solo tem modificado de maneira significativa a dinamica dos ecossistemas naturais, tornando o monitoramento de areas cultivadas de fundamental importancia para o desenvolvimento de uma agricultura sustentavel. A retirada da cobertura vegetal nativa do solo associado com o seu uso intenso tem alavancado a degradacao dos recursos naturais e, em especial, os atributos do solo criando a necessidade de conhecer e compreender a composicao e a dinamica dos processos internos do solo. Nas ultimas decadas surgiram tecnicas de caracterizacao utilizadas para determinar e quantificar elementos, que podem de forma pratica ser aplicados a ciencia do solo, visando dinamizar os processos analiticos por meio de analises mais ageis e de simples realizacao. Destacam-se, entre as novas tecnicas de caracterizacao a Florescencia de Raios-X, Difracao de Raios-x, Espectroscopia de Infravermelho na Faixa do Medio. O estudo foi desenvolvido na Microbacia de Vaca Brava, localizada na cidade de Areia-PB. Inicialmente foram escolhidas 06 areas sendo 02 para cada agroecossistema (Pastagem, Floresta e Agroecossistema familiar), utilizando o conceito da rosa dos ventos, com 02 (duas) profundidades diferentes (0-20 e 20-40 cm) perfazendo 18 amostras por area/ponto, a extracao da amostra foi feita com trado adaptado do tipo sonda apos coletado o solo fora, submetidos as analise quimica DRX, FRX e FTIR. Os elementos quantificados na caracterizacao por FRX, bem como a relacao C/N calculada a partir de valores obtidos perfazem um total de 26. Fases encontradas na DRX nas amostras de solo sao constituidas basicamente dos mesmos minerais. A utilizacao de tecnicas espectroscopicas, principalmente Fluorescencia de Raios-X (FRX) e Difracao de Raios-X (DRX), tem grande praticidade na reducao de tempo em analises, favorecendo o diagnostico rapido para possiveis problemas de fertilidade do solo. Alem disso, nao ha destruicao das amostras, proporcionando menor impacto e podendo haver o reaproveitamento da mesma amostra para outras analises. Alem destes fatores, pode-se observar a praticidade referente a analises qualitativas e quantitativas frente ao uso da FRX e DRX, tanto no aspecto da caracterizacao quimica quanto mineralogica, alem de fornecer subsidios para metodos de manejo mais adequados frente ao conhecimento das propriedades quimicas e mineralogicas dos solos em estudos. Pode-se concluir que para os solos avaliados nesta pesquisa, independente do tipo de uso nao ocorreram diferencas significativas quanto aos tipos de grupos funcionais presentes nas areas de pastagem, agricultura e mata. Excecao se fez aos solos de mata que apresentam teores mais evidentes de caulinita presente no solo.  
2008
Descrição
  • Janielly Silva Costa
  • FERTILIDADE DE SOLOS E PRODUTIVIDADE DO ARROZ VERMELHO (Oryza sativa L.) SUBMETIDO A ESTRESSE HIDRICO E ADUBAÇÃO ORGÂNICA
  • Data: 28/11/2008
  • Hora: 13:30
  • Mostrar Resumo
  • A área plantada com arroz vermelho no Estado da Paraíba é de aproximadamente 6.000 hectares, apesar disso, a falta de orientação técnica têm levado ao manejo inadequado do solo e ao uso de práticas agrícolas impróprias, que afetam a qualidade do solo, diminuindo desta forma a produção no Estado. O objetivo desta pesquisa foi diagnosticar a fertilidade dos solos de propriedades que cultivam o arroz vermelho e relacionar esta fertilidade aos sistemas de cultivo e manejos aplicados pelos agricultores. Para alcançar esse objetivo foi realizado um levantamento no município de Santana dos Garrotes-PB, onde foram selecionadas 12 propriedades para amostragem do solo na camada de 0-20cm, com realização de três coletas no decorrer de um ano e meio. As propriedades foram classificadas quanto ao modo de preparo do solo para plantio, utilização da área de plantio após a colheita do arroz vermelho e o uso ou não de irrigação por inundação, formando-se 36 combinações para avaliação. Foi realizada a caracterização física dos solos das 12 propriedades agrícolas e os atributos químicos e a densidade do solo foram determinados nas três coletas realizadas. Os dados foram submetidos a análise de componentes principais e agrupamento. Através do estudo foi possível constatar que, o manejo e as práticas agrícolas realizadas pelos produtores da região na cultura do arroz vermelho interferiram nos atributos químicos e na densidade do solo. O uso da tração animal no preparo do solo para o plantio e a formação de pasto para o gado na área elevaram os valores de densidade do solo, alumínio e acidez potencial. A diversificação de culturas na área de plantio do arroz vermelho favoreceu o aumento na matéria orgânica do solo e nos teores de fósforo. E o uso de irrigação por inundação na cultura do arroz com água de baixa qualidade promoveu aumento nos teores de sódio do solo segundo a análise de componentes principais e o agrupamento.