PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA (PPGFON)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
32167831

Notícias


Banca de DEFESA: VANESSA DE OLIVEIRA FLORENCIO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA DE OLIVEIRA FLORENCIO
DATA: 25/09/2019
HORA: 13:30
LOCAL: FONO 02
TÍTULO: INFLUÊNCIA DA INTENSIDADE VOCAL NAS MEDIDAS ACÚSTICAS LINEARES E NÃO LINEARES EM PACIENTES COM E SEM DESORDEM LARÍNGEA
PALAVRAS-CHAVES: Voz, Laringe, Distúrbios da Voz, Acústica, Análise não linear
PÁGINAS: 2
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fonoaudiologia
RESUMO: Objetivo: verificar se existe associacao entre a intensidade da emissao e as medidas acusticas baseadas em modelos lineares e nao lineares em pacientes com e sem desordem laringea, assim como investigar a confiabilidade dessas medidas em funcao da intensidade nos diferentes grupos. Metodologia: Participaram desse estudo 347 sujeitos adultos com queixa vocal, sendo 59 sem desordem laringea e 288 com desordem laringea. Todos os participantes gravaram a vogal /ɛ/ sustentada em fonacao fraca, confortavel e forte. Foram extraidas medidas acusticas da frequencia fundamental (f0), nivel de pressao sonora (NPS), medidas baseadas em modelos lineares e nao lineares. Foram realizados testes de comparacao das medidas e obtido o coeficiente de confiabilidade intraclasse (CCI) em funcao da intensidade. Resultados: Quanto aos valores relacionados ao NPS, os grupos se diferenciam apenas na fonacao forte e na variabilidade total da intensidade. Houve diferencas nas medidas acusticas baseadas em modelos lineares e nao lineares entre os grupos em cada intensidade investigada. Todas as medidas acusticas (lineares e nao lineares) diferiram entre as intensidades em ambos os grupos. Apenas as medidas HNR e PM apresentaram CCI aceitavel (>0,40) em ambos os grupos. Lyap, DET, ENTR-S, Lmed, RPDE e TT demonstraram CCI aceitavel no grupo com desordem, enquanto D2 foi aceitavel no grupo sem desordem. Conclusao: Existe associacao entre a intensidade da emissao vocal e as medidas acusticas baseadas em modelos lineares e nao lineares em pacientes com e sem desordem laringea. De modo geral, as medidas lineares demonstram uma melhora na regularidade/periodicidade do sinal com o aumento da intensidade. Por sua vez, a variacao nos valores das medidas baseadas em modelos nao lineares em funcao da intensidade e menos consistente para indicar melhora/piora no sinal vocal. A intensidade da emissao influencia na confiabilidade das medidas de modo diferente entre os grupos estudados.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1668545 - ANNA ALICE FIGUEIREDO DE ALMEIDA QUEIROZ
Interno - 1803504 - LEANDRO DE ARAUJO PERNAMBUCO
Presidente - 2634755 - LEONARDO WANDERLEY LOPES
Externo à Instituição - PATRICIA MARIA MENDES BALATA
Externo à Instituição - Silvana Luciene do Nascimento Cunha Costa