PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA (PPGFON)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
32167831

Notícias


Banca de DEFESA: WELLYDA CINTHYA FELIX GOMES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WELLYDA CINTHYA FELIX GOMES DA SILVA
DATA: 27/11/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma de videoconferência Zoom
TÍTULO: Fotobiomodulação Associada a Terapia Miofuncional Orofacial na Qualidade de Vida de Indivíduos com Disfunção Temporomandibular
PALAVRAS-CHAVES: Qualidade de Vida, Transtornos da Articulação Temporomandibular, Terapia a Laser, Terapia Miofuncional, Fonoaudiologia.
PÁGINAS: 1
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fonoaudiologia
RESUMO: Analisar o impacto da qualidade de vida relacionada à saúde oral de indivíduos com disfunção temporomandibular, antes e após o tratamento de fotobiomodulação associada a terapia miofuncional orofacial, bem como verificar possível correlação entre o grau de dor orofacial e a autopercepção desse impacto. Método: Estudo do tipo ensaio clínico randomizado, controlado e cego, com 34 voluntários distribuídos aleatoriamente em dois grupos: G1, que recebeu a Terapia Miofuncional Orofacial (TMO) associada a fotobiomodulação e o G2, tratado pela TMO associada ao laser inativo. Primeiro, aconteceu a avaliação fonoaudiológica, do grau da dor orofacial pela Escala Visual Analógica (EVA) e o impacto da qualidade de vida relacionada a saúde oral (QVRSO) pelo questionário Oral Health Impact Profle – Short form (OHIP-14). Os dados obtidos foram analisados estatisticamente. Foi adotado o nível de significância de 0,05 (95%). Resultados: “Dor física”, “desconforto psicológico”, “limitação física” e “limitação psicológica” foram os aspectos mais impactantes na QVRSO. O G1 apresentou respostas positivas para o respectivo tratamento, assim como o G2. Observou-se correlação positiva e de grau forte para EVA e escore total do OHIP-14 entre os grupos após tratamento. Conclusão: As pessoas que receberam fotobiomodulação associada a TMO, perceberam melhora da QVRSO, assim como as tratadas com o laser placebo. Porém, os indivíduos do grupo controle evidenciou que a recuperação funcional foi o aspecto que mais se percebeu de mudança positiva na QVRSO em comparação ao grupo experimental. Houve correlação positiva e forte entre a melhora do grau da dor e autopercepção da QVRSO.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1742384 - GIORVAN ANDERSON DOS SANTOS ALVES
Interno - 1803504 - LEANDRO DE ARAUJO PERNAMBUCO
Externo à Instituição - ANDREIA ROBRIGUES MOTTA
Externo à Instituição - LARISSA NADJARA ALVES ALMEIDA
Externo à Instituição - RENATA VEIGA ANDERSEN CAVALCANTI
Externo à Instituição - KARINNA VERÍSSIMO MEIRA TAVEIRA
Externo à Instituição - HIPOLITO VIRGILIO MAGALHAES JUNIOR