PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA (PPGFON)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
32167831

Notícias


Banca de DEFESA: IANDRA KALINE LIMA BARBOSA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IANDRA KALINE LIMA BARBOSA DA SILVA
DATA: 30/11/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma de videoconferência Zoom
TÍTULO: VALIDAÇÃO BRASILEIRA DA ESCALA DE CONTROLE VOCAL PERCEBIDO NO PRESENTE SOBRE A VOZ COM BASE NA TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM
PALAVRAS-CHAVES: Voz, Disfonia, Comportamento, Autoavaliação, Psicometria.
PÁGINAS: 1
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fonoaudiologia
RESUMO: A presente dissertação investigou através de perspectivas teóricas e empíricas a relação entre voz e autorregulação, bem como a validação de um instrumento voltado para a autoavaliação do controle vocal percebido no presente sobre a voz. Esta dissertação é dividida em dois artigos: uma revisão integrativa que teve como objetivo verificar a relação entre a autorregulação e comportamento vocal apontada na literatura e um estudo empírico que se propõe a desenvolver as etapas de evidências de validade do instrumento de autoavaliação do controle vocal percebido no presente sobre a voz, a escala CPP-V, com a finalidade de estimar as propriedades psicométricas de seus itens com base na Teoria de Resposta ao Item (TRI). O artigo de revisão levantou dados da literatura nacional e internacional nas bases de dados PubMed, LILACS e SciELO, no qual foram identificados 10.176 artigos, desses, 10 foram selecionados após aplicação dos critérios de elegibilidade. Os artigos encontrados destacaram a autorregulação como um fator importante no comportamento vocal, os estudos estavam em sua maioria publicados em revistas norte americanas com alto fator de impacto, apontaram a relevância de desenvolver estratégias de autocontrole para auxiliar nos aspectos da reabilitação vocal e salientaram a necessidade de construir novos instrumentos mais efetivos para futuros estudos sobre a temática. O estudo empírico utilizou dados de 168 indivíduos, onde 127 apresentavam alterações vocais e 41 eram vocalmente saudáveis. Para as etapas de evidências de validade, realizou-se as seguintes análises: Alfa de Cronbach, Análise Fatorial Exploratória (AFE), Análise Fatorial Confirmatória (AFC), TRI e Curva ROC. O instrumento verificou boa consistência interna, com uma estrutura de dois fatores a partir da AFE, além de exibir valores satisfatórios nos índices de ajuste do modelo, assim, confirmou a estrutura a partir da AFC. Aplicou-se a TRI a partir do modelo 2PL de Samejima para avaliação dos parâmetros discriminação (a) e dificuldade (b) dos itens do instrumento, o item 5 “Consigo controlar minhas reações diárias relacionadas ao meu problema de voz” apresentou-se como item mais discriminativo e o item 8 “Eu não controlo minha reação ao meu problema de voz” como item de maior dificuldade. A curva ROC apresentou ponto de corte de -1,007, sensibilidade de 91,34% e especificidade de 48,78%. Esses resultados evidenciam a autorregulação como um fator de importância no comportamento vocal e sugere uma versão validada para o português brasileiro do CPP- V a partir da TRI, que envolve uma estrutura com 8 itens e 2 fatores, com cálculo realizado por meio do traço latente dos indivíduos.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1668545 - ANNA ALICE FIGUEIREDO DE ALMEIDA QUEIROZ
Externo à Instituição - FABIANA COPELLI ZAMBON
Externo à Instituição - IANDRA KALINE LIMA BARBOSA DA SILVA
Interno - 2634755 - LEONARDO WANDERLEY LOPES
Externo à Instituição - MARA SUZANA BEHLAU
Interno - 1079879 - PRISCILA OLIVEIRA COSTA SILVA