PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA NUTRIÇÃO (PPGCN)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
32167417

Notícias


Banca de DEFESA: ANA FLAVIA GOMES DE BRITTO NEVES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA FLAVIA GOMES DE BRITTO NEVES
DATA: 16/12/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Reunião do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva
TÍTULO: CONSUMO DE BEBIDAS AÇUCARADAS E ASSOCIAÇÃO COM RISCOS CARDIOVASCULARES EM ADOLESCENTES
PALAVRAS-CHAVES: Padrões alimentares. Adolescentes. Refrigerantes. Sucos. Bebidas dietéticas. Doença crônica.
PÁGINAS: 104
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO: O consumo de bebidas açucaradas cresceu em paralelo ao índice de Doenças Crônicas Não Transmissíveis. A adolescência é um período em que se desenvolvem grandes potencialidades humanas. Riscos cardiovasculares que incidem nessa fase são responsáveis por graves consequências do ponto de vista individual e coletivo, em curto e longo prazo. OBJETIVO: Identificar o padrão de consumo das bebidas açucaradas e sua associação com fatores de riscos cardiovasculares em adolescentes brasileiros. MÉTODOS: A Pesquisa teve como base o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (ERICA), inquérito brasileiro de base escolar. Participaram 36.956 adolescentes de 12 a 17 anos, de ambos os sexos, selecionados por amostragem probabilística. A coleta de dados deu-se através de questionário autopreenchível, exame físico e laboratorial. O consumo alimentar foi estimado por meio de recordatório de 24 horas (R24h). Seis grupos foram categorizados segundo suas características de macronutrientes através de análise fatorial e considerados como os riscos cardiovasculares excesso de peso, hipertensão arterial, hiperglicemia e dislipidemias. As variáveis sócio-demográficas foram coletadas através de um questionário autopreenchível. Estado nutricional e pressão arterial foram coletados por exame físico e valores de glicemia e perfil lipídico através de exame de sangue em jejum. Prevalências, médias e medianas foram estimadas. Considerou-se intervalo de confiança de 95% e nível de significância de 5%. Utilizou-se teste qui-quadrado e t-Student para comparar grupos. A associação entre consumo e riscos cardiovasculares foi realizada por análises de regressão. Sexo e idade foram considerados variáveis de ajuste. O módulo survey do Stata 13.0 foi utilizado na análise estatística. RESULTADOS: Houve predomínio do sexo feminino (60%) e a média de idade foi de 14,7 anos, sendo maior entre as meninas. A presença de bebidas açucaradas é comum na dieta dos adolescentes brasileiros (55%). Sucos/refrescos e refrigerantes foram mais prevalentes. A média de calorias consumidas diariamente pelos adolescentes foi de 2.297,12 kcal. A energia e o açúcar livre proveniente das bebidas açucaradas variaram entre os grupos, assim como a média do consumo diário em ml. Quando estratificado por sexo e idade, apresentaram padrões distintos. As bebidas açucaradas são fontes calóricas relevantes na dieta dos adolescentes brasileiros. As maiores porções e média de açúcar livre couberam aos refrigerantes, em ambos os sexos e faixas etárias. A presença de riscos cardiovasculares refletiu na porção diária consumida pelos adolescentes e o aumento do consumo de refrigerante esteve associado positivamente ao ganho de peso e elevação dos níveis de colesterol total no sangue. O consumo de refrigerante foi significativamente menor em adolescentes com níveis glicêmicos mais elevados. CONCLUSÃO: Adolescentes brasileiros apresentam consumo elevado de bebidas açucaradas, em especial de refrigerantes. Associações significativas entre o consumo de refrigerantes e riscos cardiometabólicos foram identificados. O padrão de consumo e os valores médios encontrados neste estudo para energia e açúcar livre proveniente das bebidas açucaradas devem ser considerados importantes para promoção da Saúde dos Adolescentes no Brasil. Compreender melhor a relação entre consumo de bebidas açucaradas e riscos cardiovasculares na adolescência e sua repercussão no perfil epidemiológico em curto e longo prazo, faz-se necessário.
MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1543299 - FLAVIA EMILIA LEITE DE LIMA FERREIRA
Externo ao Programa - 1690607 - RAFAELA LIRA FORMIGA CAVALCANTI DE LIMA
Presidente - 1454201 - RODRIGO PINHEIRO DE TOLEDO VIANNA