PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA NUTRIÇÃO (PPGCN)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
32167417

Notícias


Banca de DEFESA: SELMA DOS PASSOS BRAGA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SELMA DOS PASSOS BRAGA
DATA: 01/07/2020
HORA: 13:00
LOCAL: https://meet.jit.si/PPGCN.Defesa.de.tese.Selma.dos.Passos.Braga.01.07.2020.13h
TÍTULO: Revestimentos de quitosana incorporados de óleos essenciais de Mentha piperita L. e M. x villosa Huds para o controle de antracnose e qualidade pós-colheita em mamão (Carica papaya L.)
PALAVRAS-CHAVES: Revestimentos comestíveis, biopolímero, Mentha, caracterização, qualidade pós-colheita, mamão.
PÁGINAS: 138
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO: As perdas pós-colheita em frutíferas tem sido uma preocupação mundial, a exemplo das ocorrentes em mamão (Carica papaya L.), umas das principais frutas tropicais de importância econômica, porém susceptível ao desenvolvimento de doenças fúngicas, destacando-se a antracnose causada por espécies de Colletotrichum. A antracnose causa depreciação da qualidade do mamão, comprometendo sua comercialização e consumo. A aplicação de fungicidas sintéticos encontra-se entre os principais procedimentos de controle de antracnose em frutos, embora possa gerar resistência em fungos patógenos pós-colheira e causar prejuízos ao meio ambiente e saúde dos consumidores. Assim, estudos têm sido realizados em busca de alternativas seguras para o controle do desenvolvimento de antracnose, destacando-se a aplicação de revestimentos comestíveis a base de quitosana e óleos essenciais. O presente estudo teve como objetivo avaliar a eficácia de revestimentos formulados com quitosana (Qui) e óleos essenciais de Mentha piperita L. (OEMP) ou M. villosa Huds (OEMV) no controle do desenvolvimento de antracnose causada por isolados de C. gloeosporioides e C. brevisporum em mamão papaya. Ainda, foram analisadas as características físico-químicas e rugosidade de superfície desses revestimentos, bem como os seus efeitos sobre parâmetros físico-químicos e sensoriais indicadores de qualidade pós-colheita em mamão. Nos ensaios in vitro, foi verificado que Qui (2,5; 5; 7,5 e 10 mg/mL), OEMV e OEMP (0,15; 0,3, 0,6 e 1,25 μL/mL) inibiram o crescimento de todos os isolados de C. gloeosporioides e C. brevisporum testados em meio laboratorial. As combinações de Qui (5 ou 7,5 mg/mL) e OEMV ou OEMP (0,15; 0,3; 0,6 ou 1,25 μL/mL) apresentaram interações aditivas ou sinérgicas frente os isolados testados. Nos ensaios in situ, foi observado que os frutos revestidos com combinações de Qui (5 mg/mL) e OEMV ou OEMP (0,3; 0,6 ou 1,25 μL/mL) apresentaram redução do desenvolvemento das lesões de antracnose durante o armazenamento (10 dias, 25 ± 1 °C). Os efeitos inibitórios do desenvolvimento das lesões de antracnose nos frutos revestidos com Qui + OEMP ou OEMV foram similares ou superiores àqueles causados por uma formulação comercial de fungicidas sintéticos. Os resultados das análises de caracterização dos revestimentos formulados com Qui (5 mg/mL) e OEMV ou OEMP (0,6 ou 1,2 μL/mL) mostraram aumento da intensidade das bandas de FTIR, sugerindo possível interação entre os componentes utilizados na sua formulação, bem como que o OEMV e OEMP afetaram positivamente a estabilidade térmica desses revestimentos. A análise da rugosidade de superfície mostrou que os revestimentos formulados com Qui e OEMV ou OEMP possuem superfícies homogêneas, com capacidade de formação de barreira física sobre os frutos. Ainda, os frutos revestidos com as formulações de Qui (5 mg/mL) e OEMV ou OEMP (0,6 ou 1,2 μL/mL) apresentaram retardo na evolução de alguns parâmetros físico-químicos, a exemplo de firmeza, perda de peso e cor, relacionados ao avanço do processo de maturação, além de não afetarem, de forma geral, as características sensoriais dos frutos ao longo do armazenamento (12 ± 0.5 °C). Considera-se que a aplicação de revestimentos formulados com combinações selecionadas de Qui e OEMV ou OEMP pode representar uma estratégia no controle pós-colheita da antracnose em mamão papaya, sem afetar negativamente os aspectos relacionados a qualidade geral dessa fruta.
MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CRISTINA PAIVA DE SOUSA
Presidente - 2380741 - EVANDRO LEITE DE SOUZA
Externo à Instituição - FILLIPE DE OLIVEIRA PEREIRA
Interno - 1860341 - MARCIANE MAGNANI
Interno - 2475887 - MARIA ELIEIDY GOMES DE OLIVEIRA