PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EM ORGANIZAÇÕES APRENDENTES (MPGOA)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

Apresentação

Imagem de apresentação do programa

COMO SURGIMOS

Criado como Mestrado Profissional em Gestão nas Organizações Aprendentes (MPGOA), no Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba, por meio da Resolução 09/2008 do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE/UFPB), o Mestrado teve o seu primeiro regulamento e estrutura acadêmica normatizado por meio da Resolução 10/2008. Em fevereiro de 2010, o curso foi homologado pelo Conselho Nacional de Educação, Portaria MEC N.º 1.225/2010 – DOU de 20/10/2010, Seção 1, Pág. 42. Integra a Área de Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo, a Área 27, da CAPES.

O Curso se originou por motivações de natureza acadêmica, institucional, social e profissional. No contexto do seu surgimento, as políticas de educação superior brasileira, impulsionadas pelas exigências de um mundo que demandava novos conhecimentos, capacitações e qualificações, ampliavam e expandiam, de forma inovadora, as ofertas de graduação e de pós-graduação. Foi neste cenário, que apontava para uma concreta abertura no caminho das pesquisas e da intervenção social e de ações empreendedoras no âmbito das universidades, que nasceu o atual Programa de Pós-Graduação em Gestão em Organizações Aprendentes (PPGOA), pautado pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e motivado pela crescente demanda local e regional de gestores de entidades públicas e privadas, que vinham requerendo maior atualização dos seus conhecimentos e qualificação no âmbito acadêmico.

Em seu prelúdio, o Curso foi estruturado aglutinando as áreas de Administração e de Educação, mas, pouco depois, apostando na interdisciplinaridade, passou a integrar também a área de Ciências da Informação, disciplinas científicas necessárias ao aprimoramento de ações educativas e formativas aplicadas à gestão das diversas instituições.

Em dezembro de 2010, observando-se legalmente as condições de acessibilidade às pessoas com deficiências e demandas sociais, celebrou-se o surgimento da sua primeira turma, com a oferta inicial de 30 vagas.

COMO ESTAMOS NA ATUALIDADE

Na atualidade, o MPGOA já formou mais de 150 mestres, que atuam em diferentes atividades gestoras em múltiplas e diversificadas instituições. Ao longo dos anos, o Programa passou por crivos avaliativos e autoavaliativos impulsionados por exigências internas e externas. Isso ocorreu, por exemplo, em 2013, quando a UFPB levou a cabo modificações no Regulamento Geral de Pós-Graduação, por meio da Resolução 079/2013, conferindo nova redação ao Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu e impondo a readequação dos regimentos internos dos PPGs.

Para atender a essa determinação, o MPGOA teve que construir um novo regulamento e organizar uma nova estrutura acadêmica. Foi constituída uma Comissão Interna e, após diálogos e entendimentos, chegou-se a uma decisão, em reunião coletiva realizada em 23/10/2014, quando surgiu um novo Regulamento e Estrutura Acadêmica do Programa, que foi encaminhado ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) e foi aprovado pela Resolução 06/2015. Com a nova estruturação, se fez necessário reformular todas as normas internas e de gestão do MPGOA, ofertas e ementas de disciplinas e ajuste e reajuste nas linhas de pesquisas, perfil do corpo docente e suas produções e os critérios para credenciamento e recredenciamento de docentes. Essas mudanças alteraram o nome do Programa, acompanhando as orientações e nomenclaturas adotadas pela CAPES. A partir de então, o Mestrado passou a ser denominado de Programa de Pós-graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes (PPGOA), em nível de Mestrado Profissional.

Muitas parcerias já foram realizadas pelo PPGOA ao longo da sua história. Convênios foram realizados com o Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB), com o Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), com a Universidade de Pernambuco (UPE), com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e com a própria Universidade Federal da Paraíba (UFPB) para capacitação dos seus técnico-administrativos. Também se estabeleceu parcerias com instituições privadas, a exemplo da Faculdades Independentes do Nordeste (FAINOR) de Vitória da Conquista/Salvador. Essas parcerias não deixaram de contemplar o público da demanda social que não é vinculado a instituições conveniadas. Dentre esse público, já foram qualificados servidores/gestores da Polícia Militar, do Exército, professores e técnicos de sistemas públicos de ensino da educação básica e da educação superior, como IFPB, UEPB, UFCG, e do privado, como Faculdade Mauricio de Nassau, Faculdade Potiguar PB, Faculdades UNIP, bem como coordenadores de ONG, gestores de diversos ramos da administração privada, dos setores hoteleiro e imobiliário, entre outros.

Atualmente, vigora uma área de concentração em  Gestão e Aprendizagens e três linhas de pesquisa: 1) Inovação em Gestão Organizacional, 2) Gestão de Projetos e Tecnologias Emergentes e, 3) Aprendizagem nas Organizações.

A gestão é o eixo que organiza as atividades do curso. Compreende-se como gestor o profissional que desenvolve planos estratégicos e operacionais com vistas a atingir os objetivos organizacionais de forma individual ou coletiva, conceber estruturas e estabelecer políticas, traçar diretrizes e procedimentos que julgar mais pertinentes e adequados aos planos e projetos institucionais e, por fim, implementar e coordenar a execução das propostas previstas através de determinados tipos de ações, de liderança e de controle. Consideram-se como gestores as pessoas que desenvolvem diferentes cargos, funções e atividades acima elencadas, em instituições públicas, privadas e do terceiro setor. Defendemos como pressupostos centrais na matriz curricular que os desafios da aprendizagem contínua requerida para a atuação inovadora no planejamento, monitoramento e avaliação de programas e ações organizacionais deve ser entendida em perspectiva aprendente e ao longo da vida.


Página Alternativa


Coordenação do Programa