PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone:
Não informado

Notícias


Banca de DEFESA: FRANCISCA AMANDA VIEIRA QUEIROGA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCA AMANDA VIEIRA QUEIROGA
DATA: 28/02/2020
HORA: 13:30
LOCAL: Sala Multimídia Nelci Tinem
TÍTULO: ESTRATÉGIAS DE REDUÇÃO DO RUÍDO DE IMPACTO ATRAVÉS DE INTERVENÇÕES NO SISTEMA DE FORRO
PALAVRAS-CHAVES: Ruído de impacto; Acústica; Edifícios residenciais; Forro;
PÁGINAS: 179
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Arquitetura e Urbanismo
RESUMO: A Norma de Desempenho NBR 15575-3 (ABNT, 2013) foi o primeiro normativo nacional a estabelecer critérios mínimos de desempenho acústico para edifícios habitacionais verticais no Brasil. Após entrar em vigor, o mercado vem se adaptando para melhorar o comportamento das edificações e atingir os níveis obrigatórios recomendados para ruídos aéreos e de impacto. O piso flutuante é a estratégia de isolamento mais eficiente, pois amortece o contato do piso com o resto do edifício e evita a propagação das vibrações geradas pelo impacto para o pavimento inferior. Este método é aplicado durante a fase construtiva da obra, tornando-se difícil, em termos de praticidade, após a ocupação do imóvel. Este trabalho busca reduzir o problema através da intervenção apenas no ambiente receptor do ruído. As estratégias estudadas são aplicadas ao sistema de forro, analisando o potencial de redução do ruído de impacto, considerando a relação entre o desempenho e o custo-benefício. Os ensaios foram realizados em laboratório e foram considerados três sistemas de forro: 1- Forro de gesso acartonado simples; 2- Forro de gesso acartonado simples com a inserção de manta de lã de vidro ensacada no entreforro; 3- Forro de gesso acartonado com reduções de pontes acústicas entre forro-laje e forro-paredes, além do uso da manta de lã de vidro ensacada no entreforro. O maior ganho de isolamento obtido foi de 13 dB para o terceiro sistema. Porém, ele resultou no pior custo-benefício, sendo o mais aconselhado o forro de gesso acartonado tradicional e apenas a adição da manta de lã de vidro no entreforro (segundo sistema), que conseguiu isolar 10 dB de ruído de impacto, custando a metade do sistema anterior. O resultado confirma a importância da execução do piso flutuante para efetivamente se conseguir reduções maiores dos níveis de ruído de impacto no sistema de piso. Também indica que os ruídos que seguem pelos flancos, mais precisamente através das vinculações entre paredes e laje, foram pouco reduzidos quando se utilizou o terceiro sistema avaliado.
MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1346053 - ALUISIO BRAZ DE MELO
Interno - 2528838 - GERMANA COSTA ROCHA
Externo ao Programa - 2352656 - JULIANA MAGNA DA SILVA COSTA MORAIS
Externo ao Programa - 337345 - ROBERTO LEAL PIMENTEL