PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO (PPGAU)

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Telefone/Ramal
Não informado

[9] Planejamento estratégico

[De como, numa apresentação resumida, indica-se como o planejamento estratégico do programa está atento e em consonância com o PDI da IES]

 

Para o quadriênio 2021-2024, o plano estratégico e o desenvolvimento das atividades do programa foram impactas, à nível institucional, pelo Plano de Desenvolvimento Institucional [PDI] da Universidade Federal da Paraíba [UFPB] 2019-2023, elaborados na gestão da Reitora Margareth de Fátima Formiga Melo Diniz. Conforme este Plano de Desenvolvimento Institucional - PDI, a Universidade Federal da Paraíba - UFPB objetiva criar, aplicar e democratizar o conhecimento que é necessário para o desenvolvimento científico tecnológico, socioambiental, econômico e cultural, com especial atenção para o Estado da Paraíba e a Região Nordeste do Brasil. E considera que, para atender estes objetivos por meio de atividades de ensino, pesquisa e extensão, necessita estabelecer uma estreita interação com os poderes públicos, setores produtivos e movimentos sociais. Atento a isto, o PPGAU UFPB tem mantido uma estratégia de desenvolvimento que contempla a totalidade destes objetivos em suas atividades de [1] administração, [2] ensino, [3] pesquisa e [4] extensão, destacandos-e:

 

[1] No aspecto da Administração, em consonância com o PDI da UFPB, o programa entende e pratica o respeito e compromisso com o bem público, a ética, e a transparência, o respeito à diversidade e a valorização do ser humano. Esta estratégia se aplica: [a] Na garantia da democratização de oportunidades sociais e educacionais da população, aprimorando as condições de acesso à universidade, refletida na política de admissão de alunos ao Programa, realizada anualmente, conforme estabelecido no Regulamento Geral da Instituição, após aprovação e classificação em processo de seleção regido por normas em conformidade com a Instituição através da Resolução CONSEPE Nº 07/2013, que estabelece condições mínimas a serem observadas nos editais de seleção para ingresso nos programas de pós-graduação [stricto sensu] da UFPB; na Resolução CONSEPE Nº 79/2013, que regulamenta os Programas de Pós-Graduação stricto sensu da UFPB; na Resolução CONSEPE Nº 58/2016, que dispõe sobre ações afirmativas na Pós-graduação stricto sensu na UFPB para candidatos autodeclarados e oriundos da população negra, povos indígenas, povos e comunidades tradicionais e pessoas com deficiência; na Resolução CONSEPE Nº 47/2016, que aprova o Regulamento e a Estrutura Acadêmica do próprio PPGAU UFPB; e nas Portarias Nº 120/2020, Nº 54/2020 e 63/2020 que tratam das adequações necessárias em decorrência da pandemia causada pela COVID-19. [b] Na garantia da permanência e da qualidade da formação profissional que caracteriza a eficiência dos processos gerenciais e acadêmicos da instituição: refletida no planejamento de distribuição de bolsas de estudo e da captação dos alunos para realização de atividades de pesquisa, vinculados aos grupos e/ou laboratórios do programa; [c] Na dequação às necessidades advindas dos programas de inclusão e de ações afirmativas do Governo Federal: refletida na política de isenção de taxas de inscrição e matrícula, no planejamento de atendimendo de candidatos e alunos com necessidades especiais, na reserva de vagas oferecidas [20%] para candidatos autodeclarados ou oriundos da população negra, povos indígenas, povos e comunidades tradicionais e pessoas com deficiência; [d] Na execução de políticas de gestão ambiental e de garantia da preservação do patrimônio ambiental onde os câmpus estão localizados: refletida na política interna do programa de proteção, uso e valorização das áreas remanescentes da Mata Atlântica, como indicado no apartado deste relatório que trata da infraestrutura do programa. Acompanhando as diretrizes do PDI da UFPB, o planejamento estratégico do programa contempla ainda, no âmbito de sua administração: o aperfeiçoamento dos processos administrativos e de gestão de pessoas; melhoria nas rotinas administrativas; acompanhamento estudantil, assegurando a permanecia e o sucesso acadêmico dos estudantes; ações que promovam o desenvolvimento acadêmico, político e cultural; otimização e melhoria no gerenciamento das plataformas informáticas de gestão administrativa do programa, integradas ao SIGPRH [Sistema Integrado de Gestão, Planejamento e Recursos Humanos] da Instituição, SIPAC [Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos] da instituição, e SIGAA [Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas] da instituição.

 

[2] No aspecto do Ensino, e em consonância com os objetivos gerais do PDI da UFPB, o planejamento estratégico do programa tem como visão o compromisso com a excelência acadêmica e com formas gerenciais e organizacionais avançadas e eficazes que possam promover a sua liderança no processo de desenvolvimento científico-tecnológico, socioambiental, econômico e cultural. Esta consonância é claramente perceptível na contínua qualificação do seu corpo docente, na atualização e coerência de sua oferta curricular e na prática de orientação e acompanhamento dos discentes, como também pode ser verificado nos apartados específicos deste relatório reservados a estes temas. De forma específica, destacam-se: a melhoria na qualidade do ensino dos cursos de graduação da UFPB com participação de professores do programa; a promoção da redução dos índices de evasão e retenção [particularmente afetado pela pandemia de Covid19]; melhoria e ampliação da infra-estrutura física das salas de aula e de laboratórios de ensino, conforme explicado no apartado referente a infraestrutura do programa; aplicação e desenvolvimento de novas tecnologias pedagógicas, possibilitadas pelos laboratórios vinculados ao programa e pela imposição do regime online do período de pendemia de Covid19; ampliação da acessibilidade, promovida especialmente por um dos laboratórios vinculados ao programa [LACESSE].

 

[3] No aspecto da Pesquisa, e em consonância com o PDI da UFPB, o conjunto da produção científica docente e discente, como pode ser verificado no apartado específico deste relatório, guarda estreita relação com a capacitação científico-tecnológica necessária para o desenvolvimento estadual e regional, através de abordagem que buscam: melhoria da qualidade de vida da população; desenvolvimento integrado dos Municípios; desenvolvimento dos sistemas produtivos locais; e o desenvolvimento artístico-cultural. De forma específica, o PPGAU UFPB desenvolveu uma proposta institucional de pesquisa que tem como objetivo principal a obtenção de níveis de excelência em propostas de estudos, na área de desenvolvimento de processos e produtos em Arquitetura, Urbanismo e Cidade [sua ärea de Concentração], com foco na elaboração e atualização de instrumentos públicos de gestão urbana para as cidades da Região Nordeste do Brasil. Com este projeto, visa subsidiar a gestão pública na elaboração e atualização de Planos Diretores, Planos Setoriais, Ações Estratégicas e Estudos e Projetos no âmbito do conhecimento das linhas de pesquisa do programa: [1] Produção e apropriação do edifício e da cidade, [2] Projeto do edifício e da cidade e [3] Qualidade do ambiente construído. Com esta estratégia, o programa pretende atender os princípios de [I] Adesão: para garantir a proximidade da Proposta de Pesquisa Individual [mestrandos e doutorandos] com os objetivos gerais e específicos da Proposta Institucional de Pesquisa; [II] Estímulo: garantir o acompanhamento sistemático dos Projetos Individuais de Pesquisa dos mestrandos e doutorandos, promovendo o trabalho colaborativo e crítico; [III] Desenvolvimento: orientação e acompanhamento sistemático do Projeto de Pesquisa Individual do mestrando e do doutorando pelo Professor Orientador, pertencente ao Quadro Docente do Programa; e [IV] Impacto: criar as condições para a integração e incorporação dos resultados na elaboração e atualização de instrumentos públicos de gestão urbana das cidades da Região Nordeste do Brasil. Com esta estratégia o programa espera que, em medio prazo, os trabalhos resultantes terão importante impacto na integração do Egresso na sua área de atuação e no mercado de trabalho; maior impacto social da pesquisa individual do Egresso; aporte de conteúdos para o ensino nas redes públicas e privadas da Região Nordeste do Brasil; e adequação de processos e produtos no âmbito da indústria da construção Civil na Região Nordeste do Brasil. No âmbito da atuação do Programa, visa obter impacto no fortalecimento de suas Linhas de Pesquisa; maior inserção regional e social; ampliação de parcerias e acordos com empresas, órgãos e instituições públicas; e, finalmente, a formação de redes de colaboração. Expressa, portanto, o compromisso social e político da Instituição e do PPGAU UFPB, em trabalhar para construir a emancipação humana que habita sua região de influência, particularmente pelo fato de que 88% de seus egressos são moradores da região Nordeste do Brasil.

 

[4] No aspecto da Extensão é preciso entender que neste apartado o programa atua, através de seus professores, permanentes e colaboradores, através da integração com o curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo da instituição. Neste nível da integração da pós-graduação com a graduação, destaca-se a importância da implementação dos Programas de Iniciação Científica e Tecnológica e dos Programas Acadêmicos, nos quais os alunos bolsistas e voluntários integram os grupos de pesquisas, vinculados aos Programas de Pós-Graduação da UFPB. Estes programas constituem uma das estratégias de expansão e de melhoria do ensino de graduação na perspectiva efetiva da redução das taxas de evasão, retenção e trancamento total. No que diz respeito ao ensino médio, destaca-se o Programa de Iniciação Científica para o Ensino Médio [PIBIC-EM], com a concessão de bolsas financiadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os alunos do Ensino Médio e Técnico, bolsistas do PIBIC-EM participam dos grupos de pesquisa dos seus orientadores em interlocução com a graduação e a pós-graduação da UFPB.

 

Neste sentido, o plano estratégico do PPGAU UFPB acompanha o Plano de Desenvolvimento Institucional da UFPB, procurando transformar uma realidade que, desde o ponto de vista das estatísticas socioeconômicas, posiciona-se no terço inferior da classificação nacional [IDH], notadamente quanto à renda média de seus habitantes. De fato, no conjunto dos 27 estados da federação brasileira, o Estado da Paraíba se posiciona na 20ª colocação no Índice de Desenvolvimento Humano - IDH [PNUD, 2017], e 22º posição em relação ao índice de Rendimento Nominal Mensal domiciliar per capita. Enfim, o PPGAU UFPB acompanha, através das diretrizes dos PDIs da instituição, o documento “Desafios e Perspectivas da Educação Superior Brasileira para a Próxima Década: 2011-2020”, elaborado pelo Conselho Nacional de Educação [CNE] do Ministério da Educação [MEC]. O PDI da instituição trata a captação de recursos como um elemento fundamental para o crescimento da pesquisa e da pós-graduação e alerta para as duas fontes principais de capitação de recursos externos, através de projetos institucionais: Pró-Equipamentos da CAPES e CT-Infra do MCTI. Estes projetos institucionais, no entanto, tiveram uma discontinuidade que não permite contar com os mesmos, no âmbito de um planejamento estratégico. Neste sentido, e desde um ponto de vista estruturante, a estratégia do programa tem sido a de reforçar sua capacidade de captação e gestão de recursos externos, zelando pela condição pública e gratuíta da instituição.

Neste caso, o planejamento da adequação e melhoria da infraestrutura foi reforçada com a criação do Núcleo de Fomento com as atribuições específicas de [a] Elaboração de um Plano Diretor de infraestrutura do programa [articulando todas as instalações físicas relacionadas com as atividaddes de administração, ensino, pesquisa e atividades gerais do programa]; [b] Elaboração e gestão de projetos institucionais para obtenção de auxílios financeiros e bolsas de estudo; [c] Realização dos processos seletivos para distribuição de bolsas de estudo e acompanhamento do desempenho dos bolsistas em conformidade com a normativa interna do programa [Comissão de Bolsa]; [d] Auxílio na gestão dos recursos financeiros do PROAP e outros auxílios financeiros. O núcleo é composto por: coordenador do programa; representante da linha de pesquisa 1 - LP 1; representante da linha de pesquisa 2 - LP 2; representante da linha de pesquisa 3 - LP 3; representante dos servidores técnicos administrativos; representante discente do mestrado; representante discente do doutorado.

Outro aspecto referente a infraestrutura apontado pelo PDI da instituição é a valoração das tecnologias e inovações, por exercerem um papel importantíssimo no processo de desenvolvimento científico, tecnológico e inovativo. Neste sentido o programa conta com o apoio geral da Superintendência de Tecnologia da Informação [STI], constituída em 2014, para prover serviços de Tecnologia da Informação e Comunicação [TIC] no desenvolvimento do ensino, pesquisa, extensão, gestão acadêmico-administrativa e serviços à comunidade, de acordo com as diretrizes estratégicas institucionais. A STI oferece os seguintes serviços à comunidade acadêmica: atendimento aos usuários de TI [service desk]; armazenamento de dados em estrutura de alta disponibilidade; manutenção da infraestrutura de redes [datacenter]; desenvolvimento e implantação de sistemas de informação; gestão da segurança da informação; participação em atividades de ensino, pesquisa e extensão; prospecção de dados [data mining, BI] e; treinamentos e capacitações em TI.

Por outro lado, através do Programa de apoio à pós-graduação stricto sensu da Pró Reitoria de Pós-graduação da Instituição, o PPGAU UFPB tem captado recursos no valor de 20% do total referente ao PROAP/CAPES, objetivando a melhoria da infraestrutura no que diz respeito aos seus laboratórios de pesquisa, notadamente na aquisição de softwares.

 

[De como se estabelece uma coerência das atividades de formação previstas no plano estratégico em consonância com as características do corpo docente e o conjunto de mecanismos de interação com os respectivos campos profissionais]

Conforme o PDI da UFPB, os conteúdos de um Programa de Pós-Graduação são definidos com base na competência dos docentes que fortalecem as linhas de pesquisa dos seus cursos; estas competências, por sua vez, almejam produtos e geram inovações, segundo as necessidades regionais e locais. Os conteúdos são selecionados, portanto, em função da formação dos investigadores, para que a pesquisa seja desenvolvida sob a concepção da aplicabilidade e da aprendizagem significativa, de modo que a produção possa ser utilizada para melhorar ações, políticas e serviços dirigidos à sociedade, sobretudo no âmbito regional [PDI UFPB 2014-2018]. Esta competência, no âmbito do planejamento e desenvolvimento das atividades do programa, se estabelecem no âmbito das linhas de pesquisa, organizadas em núcleos que reunem professores e alunos com as atribuições de [1] Subsidiar a oferta de disciplinas do programa referentes à LP; [2] Gestionar a oferta de orientadores para os alunos credenciados na LP; [3] Realizar os processos seletivos de novos alunos da LP; [4] Discutir e encaminhar orientações para os processos de credenciamento e recredenciamento de docentes e pesquisadores na LP; [5] Realizar encontro semestral de pesquisa e autoavaliação [alunos e professores]; e [6] Organização do Seminário de Integração do PPGAU UFPB.

Os princípios metodológicos, apontados pelo PDI UFPB, estão voltados à formação de pesquisadores no que tange às esferas profissional e pessoal, levando a uma forma de reflexão por parte do discente que, mesmo como egresso sua conduta esteja voltada à produção do conhecimento alinhado às necessidades da realidade e desenvolvimento da região, notadamente no processo de trabalho em que se inserem. Ou seja, visa a formação do profissional cidadão, consciente de seu compromisso com a comunidade acadêmica mas também com a sociedade civil. No caso do PPGAU UFPB, esta dinâmica ocorre de forma intríseca na forma como os conteúdos de ensino são impartidos e como as atividades de pesquisa são realizadas: estimulando formas interdisciplinares e transdisciplinares de aproximações que auxiliem no acotamento e desenvolvimento do problema a que se enfrenta o investigador [idéia, representação, matéria, fenômeno, evento].

Neste âmbito, a estratégia do programa é a de que o ensino, a pesquisa e avaliação estejam pautados no conjunto das atividades individuais e coletivas, onde as habilidades de solidariedade, cooperação, cultura ampliada e iniciativa para a produção científica na sala de aula e nos grupos de pesquisa, sejam considerados importantes. Neste sentido, as atividades obrigatórias da estrutura curricular do programa, notadamente através de Seminário de Tese I e II, Seminário de Dissertação e Estágio Docência, procuram estabelecer esta pauta como fundamentos da cultura acadêmica do programa: "compromisso com a produção do conhecimento que impacte a realidade, ou seja, que responda às necessidades da vida em sentido holístico" [PDI UFPB 2014-2018].

 

[De como as metas estabelecidas pelo programa quanto às diretrizes de atuação local, regional, nacional e internacional se articuladam com o PDI da UFPB]

O PDI UFPB apresenta diretrizes para a cooperação interinstitucional, nacional e internacional, que inclui: a institucionalização de mecanismos de mobilidade estudantil com outras instituições de ensino superior, nacionais e estrangeiras; o estabelecimento das normas gerais para a cotutela e dupla titulação, no âmbito da pós-graduação stricto sensu, permitindo ao estudante de doutorado realizar sua tese sob a responsabilidade de dois orientadores [Brasil e país estrangeiro]; inserção internacional da produção científica em revistas estrangeiras com elevado fator de impacto; incentivo de viagens de estudantes através de programas institucionais; incentivo de pós-doutoramento no exterior, dos professores do programa; recepção de estrangeiros discentes e docentes pesquisadores; ampliação de pesquisas e parcerias no sentido de fortalecer a posição da instituição na comunidade internacional. Neste sentido, no âmbito do planejamento e desenvolvimento das atividades do programa referentes ao quadriênio 2017-2020 se estabeleceram, com a formação dos núcleos de linhas de pesquisa e dos núcleos de administração:

No caso da atuação nacional e internacional, o Núcleo de Internacionalização e Relações inter-Institucionais do PPGAU UFPB, reunindo professores e alunos, passou a atuar com as seguintes atribuições específicas: [a] Elaboração, acompanhamento e avaliação de projetos institucionais do programa no âmbito das chamadas públicas das agências de fomento; [b] Elaboração e acompanhamento de acordos de co-tutela; [c] Elaboração e acompanhamento de uma política de disseminação internacional das atividades e produções científicas do programa; [d] Acompanhamento do projeto CAPES PrINT; [e] Promover ações de acolhimento de estudantes estrangeiros, envolvendo o aprendizado de língua portuguesa e o intercâmbio cultural.

A competência de promover a visibilidade do programa, no âmbito do planejamento e desenvolvimento de suas atividades, se estabelece no âmbito do Núcleo de Documentação e Apoio à Produção Editorial do PPGAU UFPB, reunindo professores e alunos, e tendo como atribuições específicas: [1] Documentação: [a] Organização e acompanhamento dos procedimentos de autoavaliação do programa; [b] Coleta e elaboração de conteúdos para os relatórios anuais de avaliação CAPES. [2] Apoio à Produção Editorial: [a] Elaboração e gestão da política editorial do programa; [b] Apoio à produção de conteúdos científicos de egressos e membros do PPGAUUFPB; [c] Promoção do serviço de tradução e revisão de textos científicos através da American Journal Experts - AJE, garantindo editores especializados na área e possibilitando as publicações em revistas de alto índice de impacto. [3] Disseminação: [a] Elaboração e gestão da imagem do programa; [b] Disseminação de conteúdos científicos de egressos e membros do PPGAUUFPB em periódicos especializados, na web e nas redes sociais; [c] Disseminação das atividades do programa [bancas públicas de defesa,seminários, aulas etc] nas redes sociais [Instagram, Facebook, Linkedin etc.].